Page 1

UMA PUBLICAÇÃO DO INSTITUTO SOCIOCULTURAL CANTO DA IRACEMA ANO 11 > Nº 50 > JANEIRO2010 > DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

a cultura cearense pertinho de você!


2010

// Locais onde você encontra o Canto da Iracema

4>

JANEIRO, PRIMEIRO!

8>

THEATRO JOSÉ DE ALENCAR

10 >

audifax rios...

100 anos...

FAZENDO A DIFERENÇA NO NATAL SENSACIONAL

ÍNDICE

paulo rocha...

12 >

13

>

O BOM DO FORRÓ antonio sales...

AMICI´S RESTAURANTE / Dragão do Mar ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO CEARÁ BIBLIOTECA PÚBLICA MENEZES PIMENTEL BNB / Sede Passaré BNB / Centro Cultural BNB / Clube CASA AMARELA / Eusélio Oliveira CASA DA PAZ / Rua Senador Pompeu CÂMARA MUNICIPAL DE FORTALEZA CENTRO DRAGÃO DO MAR DE ARTE E CULTURA LA HABANERA CHARUTARIA / Praia de Iracema ESCOLA DE MÚSICA ALBERTO NEPONUCENO IMPHAR / Prefeitura Municipal de Fortaleza BAR DO MINCHARIA / Praia de Iracema LIVRARIA LIVRO TÉCNICO / Dragão do Mar MERCADO DOS PINHÕES MIS / Museu da Imagem e do Som MUSEU DO CEARÁ PALÁCIO IRACEMA / Sede do Governo do Estado do Ceará PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA RÁDIO UNIVERSITÁRIA FM SECULTFOR / Secretaria de Cultura de Fortaleza SECULT / Secretaria de Cultura do Estado do Ceará SEBRAE-CE / Sede TEATRO DA PRAIA / Praia de Iracema THEATRO JOSÉ DE ALENCAR ○

SOB A FORÇA DA TROPICÁLIA carlinhos perdigão...

A Revista CantodaIracema é feita com sua colaboração. Dê sua sugestão, critique, opine, xingue, faça a revista conosco.

ENTREEMCONTATO

EDITORIAL

// ZENO FALCÃO

cantodairacema@hotmail.com Neste primeiro mês de 2010, o Canto da Iracema começa sua edição com grandiosa crônica do nosso valioso colaborador Audifax Rios, que nos brinda com um texto ricamente cultural, entitulado JANEIRO, PRIMEIRO! Confira suas palavras... Neste ano, uma de nossas maiores riquezas, cultural e artistica, comemora seu primeiro centenário, trata-se do patrimônico de todos nós cearenses, o THEATRO JOSÉ DE ALENCAR. Sua inauguração deu-se em 17 de junho de 1910, de lá para cá o TJA nos apresentou, nos ensinou e principalmente, nos presenteou com inúmeros eventos culturais, regional, nacional e muitas vezes até atrações internacionais, cumprindo assim com o seu maior papel, o maior espaço cultural de nossa capital. Confira também, o papel social de um cidadão cabra da peste, Paulo Rocha, carinhosamente conhecido como “O Sensacional” na Secretaria de Cultura de Fortaleza, onde trabalha há mais de 20 anos. Paulo Rocha, todos os anos no período do Natal, em parceria com os Correios, se transforma em Papai Noel, recepcionando e encantando centenas de crianças carentes de nossa cidade, levando alegria para os pequeninos.

// TIRAGEM 10 MIL EXEMPLARES

Apresentamos em seguida o musico Antonio Sales e seu grupo O Bom do Forró, que trabalham com a musica regional de boa qualidade, Tem também Carlinhos Perdigão apresentado seu novo projeto “SOB A FORÇA DA TROPICÁLIA”. E para terminar o Grupo de Pesquisas e Experimentações Teatrais - GPET, nos apresenta a peça REVOAR, na qual aborda o tema da exploração sexual infa,to-juvenil. Não deixe de conferir... Tenha uma Boa leitura... >> Q U E M • S O M O S coordenação geral zeno falcão jornalista responsável joanice sampaio colaboradores audifax rios / alex uchoa / carlinhos perdigão / antonio sales / paulo rocha / gpet diagramação zeno falcão / endereço rua joaquim magalhães 331 centro / fortaleza / ceará contato (85) 9993.7430 e-mail cantodairacema@hotmail.com

> as matérias publicadas são de inteira responsabilidade de seus autores FOTO CAPA

- SALVINO LOBO


BNB


// NOVO ANO

JANEIRO, PRIMEIRO

COMEÇAR DE NOVO. TRAÇAR PLANOS PARA O ANO QUE SE INICIA. EMPLACAR O CIDADÃO 10. MANEIRAR NA BEBIDA E ABOLIR O CIGARRO. E VOTAR CERTO NESTE ANO ELEITORAL. ESPERAR QUE O TIME DO CORAÇÃO BRILHE E QUE BRILHE O CORAÇÃO DA PESSOA AMADA. SAÚDE, SORTE E DINHEIRO. 2010 É UMA MILHAR BONITA. PROMESSAS REPETIDAS, NÃO CUMPRIDAS. TENTAR DE NOVO. COM AS BENÇÃOS DO SANTO SEBASTIÃO, OXOSSI, NEGRO ORIXÁ. VAMOS LÁ.


Janeiro, do latim januarius, mês consagrado a Jano, deus bifronte, protetor das entradas e saídas, interior e exterior. Daí ser o primeiro mês do ano civil dos calendários juliano e gregoriano. Jano era tido sagrado para os soldados pelo fato de os exércitos antigos terem que passar sempre pelos portões das cidades quando dos mitológicos combates. Tinha uma outra faceta, dizem que foi o inventor do dinheiro. E por esta razão as primeiras moedas traziam a sua efígie. Uma imagem dupla. Desconfiava-se mesmo que era um indivíduo de duas caras. ○

Em referência à idade de alguém é comum se dizer: “Fulano emplacou os sessenta e quatro janeiros”. Ou, então: “Beltrano, pelo andar da carruagem, não ouvirá os trovões de janeiro”. Já o termo “enjaneirado” quer dizer que o animal está no cio. Ou que a mulher tem um grande ardor sexual, furor uterino. Ninfomaníaca, afinal. Razão por que nasce muita gente em outubro. ○

Neste mês inaugural, em seu dia primeiro, dia da confraternização universal, canções são entoadas por grupos de amigos, porta a porta. São as janeiras. Cantar as janeiras ou pedir as janeiras é reminiscência portuguesa trazida para estes brasis e praticada até fins do século XIX. Tipo tirar reis, mas com versos especiais, vejamos: “Janeiro vai, / Janeiro vem, / Feliz daquele / A quem Deus quer bem” (...) “Janeiro vinha, / Janeiro ia, / Deus nos proteja / E a Virgem Maria”. Ninguém ouve mais isso. Nem vê na internete. ○

E batizaram muitos bruguelos por aí com o nome de Januário. Por esta graça atendia o pai do Gonzagão, que só tinha oito baixos no fole, mas que arranhava todos. E Januária era uma das moças postadas à janela numa canção do Chico. E, também, a denominação antiga da mui heráldica cidade Januária de Sobral, dita Caiçara de Dom José Tupinambá da Frota. Dos embatinados mestres do Lustosa da Costa, do palhaço Didi, do Barretão, dos políticos destacados... tudo com muita relatividade, como a revolucionária teoria do físico, ali comprovada. Para orgulho das estirpes rebatizadas por aquele juiz criativo.


O ciclo do Natal é encerrado no dia seis deste mês quando se comemora a chegada dos Reis Magos a Belém de Judá. Então, todos os presépios são desmontados sem licença prévia das majestades. Arquivam-se santos, padres tiram férias e começam as festas pagãs que vão até o carnaval. Tem reisado, bumba meu boi, chegança, folia de reis, fandango, boi de reis, congo, o diabo a quatro. Dá tudo no mesmo, o enredo central é a Natividade. A festança remonta a Idade Média e em Portugal tem o nome de reisada... ou reiseiros. ○

Vire o seis de ponta-cabeça e você tem o Dia do Fico. Dom Pedro I era um danado. Tudo que fazia, mesmo atravessado, ia pra mídia. Mal comparando, um Lula do Império. Pois ele encasquetou com a Coroa, ouviu as eminências pardas andradinas e fez fincapé. E soltou aquela frase decorada, tão comestível quanto a carta do Getúlio: “Se é para o bem de todos e etecétera e tal...” Depois selou um cavalo e foi pro Palácio Boa Vista. Não queria ser puxado numa carruagem por uma récua de bajuladores. ○

Janeiro também é o mês de São Sebastião, padroeiro da Cidade Maravilhosa. Diz-se que durante a batalha final contra os franceses que ocupavam a Guanabara o próprio santo foi visto entre índios e mamelucos que defendiam a acanhada metrópole da fúria calvinista. E o dia da luta coincidia com o da fundação da cidade, 20 de janeiro. Sebastião, como sabemos, era legionário de chefe da corte pretoriana e padeceu sob o poder de Deocleciano. Cristão, foi denunciado, amarrado numa árvore e impiedosamente flechado. Duro de morrer, foi eliminado a pauladas num justo dia vinte. Contava 38 janeiros. Tem a simpatia dos gays e é venerado nos cultos afro-brasileiros sob a denominação de Oxossi.

06


Oxossi é o orixá das matas, da caça e dos caçadores, representado sob forma humana, armado de arco e flecha. Um dos mais famosos candomblés da Bahia, o do Gantois, em Salvador, é dedicado a ele. Suas filhas vestem verde e amarelo, usam pintura verde, pulseiras de bronze e colares de contas verdes e brancas (banto) e azul claro (nagô). Os símbolos deste orixá são o damatá (arco e flecha) e o iruquerê (chicote). ○

Foi em janeiro de 1881. Chefe da capatazia do porto de Fortaleza, o preto José Luiz Napoleão, comandou em terra o célebre levante dos jangadeiros que impediu a partida do vapor “Espírito Santo” levando escravos para a lavoura no sul do País. Foi Napoleão, juntamente com Pedro Artur Vasconcelos, Alfredo Salgado, José do Amaral e outros que articularam a greve. Consta que Francisco José do Nascimento, o Dragão do Mar, estava a bordo de um paquete inglês. Era prático da Capitania dos Portos e assistia a tudo de camarote. Dragão ganhou estátua de corpo inteiro no entorno do Centro Cultural que tem seu nome. Napoleão, necas.

> ILUSTRAÇÕES E TEXTO

AUDIFAXRIOS@YAHOO.COM.BR

07


// FOTOS ALEX UCHOA

THEATRO JOSÉ DE ALENCAR COMEMORA 100 ANOS E APRESENTA UMA PROGRAMAÇÃO ESPECIAL, COM DESTAQUE PARA O TEATRO PRODUZIDO NO CEARÁ.

Mais exuberante exemplar da arquitetura de ferro no Brasil, o Theatro José de Alencar brinda com o público o seu aniversário. Inaugurado dia 17 de junho de 1910, desde junho de 2009 comemora seu primeiro centenário. A programação em comemoração é vasta e pelo visto vai ser intensa até o fim do ano. O TJA faz aniversário dia 17 de junho. Confira o que está programado para janeiro. Dentre tantos aspectos, destaque para o teatro produzido no Ceará: As Bondosas, A Saga de uma certa Bárbara, Cabaré da Dama, A Menina dos Cabelos de Capim, Alice, Astigmatismo, além de diferentes espetáculos solos de Ricardo Guilherme, em todas as terças do mês, e termina o mê abrindo a exposição Varais ao Vento do artista plástico Bosco Lisboa.

08


17 de junho de 1910 100 Anos 17 de junho de 2010

As Bondosas Comédia da Cia. de Teatro Lua. Texto e direção: Ueliton Rocon. Elenco: Ueliton Rocon, Roberto Maur, Alcântara Costa, Jerusa Nascimento. Dias 07, 08, 09 e 10/01 (qui a dom), às 19h no Palco Principal Saiba mais: (85) 9159-6022 * Sinopse Astúcia, Angústia e Prudência são carpideiras (mulheres que acompanham funerais, pranteando os mortos) saturadas do ofício. Encarregadas de velar o corpo da filha mais jovem de uma família aristocrática, surpreendem-se com o comportamento da família, a começar pela falecida, morta em estranhas circunstâncias. Perplexas diante das hilárias situações no decorrer do velório, confrontam-se com revelações sobre si mesmas, suscitando dúvidas, incertezas, desconfianças e desilusões quanto à realidade em que estão inseridas. A Saga de uma certa Bárbara Solo de Juliana Carvalho, da Tear Cia. de Teatro, em torno do feminino. Direção: Sidney Souto. Música de Rodrigo de Oliveira. Dias 29, 30 e 31/01 (sex a dom), às 19h no palco principal Saiba mais: www.tembiu.pro.br e (85)9621-9700 * Sinopse Espetáculo traz uma narrativa composta pela união harmônica de três contos maravilhosos de origem popular – La Loba, Mulher-esqueleto, Pele de foca, pele de alma (ou Mulher-foca). Em cada conto uma mulher, uma etapa da vida, uma aprendizagem. A partir da Mulher, esses contos falam da necessidade de se preservar, no íntimo, uma natureza selvagem ancestral. Natureza esta que se liga à intuição e que aguça os sentidos, retirando o espectador de um embotamento típico da civilização. Cabaré da Dama – Uma Flor de Dama O ator Silvero Pereira encena o solo Dama da Noite, baseado em texto de Caio Fernando Abreu. Abrem o espetáculo atores transformistas. Dias 16/01 (sáb), às 20h na Sala Nadir Papi Saboia Saiba mais: (85) 8767.1578

A Menina dos Cabelos de Capim Cia Pã de Teatro. Texto: Ricardo Guilherme. Direção: Karlo Kardoso. Elenco: Luiza Torres, Ednéia Tutti e Hertenha Glauce Dia 10/01 (dom), às 17h no Teatro Morro do Ouro Saiba mais: (85) 8719.1962 * Sinopse A Companhia Pã de Teatro comemora em 2010 os dez anos do espetáculo. Dirigido por Karlo Kardozo, recria a história de uma menina em seu momento de passagem e sua relação com a madrasta. De origem ibérica, o conto nos faz viajar pelo universo simbólico feminino desde a infância, passando pela adolescência até a maternidade na idade adulta. Alice Espetáculo de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – CPBT, Turma Noite 2008-2009. Livremente inspirado na obra de Lewis Carrol. Direção: Silvero Pereira. Elenco: Marisa Cavajo, Denice Cardoso, Cynthia Brito, Darly Brito, Darly Serra, Daniele Alves, Madya Machado, Antônia Cavalcante, Bruno Lobo, Rogério Maia, Emerson Rodrigues, Gil Castro, Cracyelle de Paula, Suzane Kristine, André Dock Dias 09 e 10/01 (sáb e dom), às 16h no Pátio Nobre Ingresso: doação de 01 livro novo ou usado Saiba mais: (85) 3216.2503 * Sinopse Livremente inspirado na obra de Lewis Carroll. Espetáculo de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro - CPBT, Primeira Turma Noite. Alice já não é mais criança e ainda não se tornou mulher. O tempo passa e ela vai perdendo algo de muito valioso: sua imaginação. E já não consegue enxergar as coisas como antes. O que faz com que busque novos meios para voltar à fantasia. Mas fugir da realidade não vai ser tão fácil assim. Astigmatismo Espetáculo de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – CPBT Direção: João Andrade Joca Dias 28, 29 e 30-01 (qui a sáb), às 18h no Teatro Morro do Ouro * Sinopse Um paralelo dos modos de ver da sociedade contemporânea com a visão turva provocada pelo astigmatismo.

09


// RESPONSABILIDADE SOCIAL

A DIFERENÇA NO

NATAL... SENSACIONAL! Mais um ano louvável em que os Correios promovem a diferença no Natal de milhares de crianças de nossa capital. A empresa promove e, produz todos os anos uma árvore com bilhetes e cartas de crianças carentes que sonham com uma simples lembrança de Papai Noel Foram cerca de 11 mil cartas que a empresa recebeu, a maioria com pedidos simples, como uma boneca, uma bola, uma bicicleta, ou como, “qualquer presente”, escrita por um desses pequenos cidadãos. Além da árvore, os correios contou com a participação de um Papai Noel “Sensacional”, que fez a alegria de muitas destas crianças que apareceram e que foram apadrinhadas por cidadãos e cidadãs de nossa Fortaleza. Mais uma vez o servidor público municipal Paulo Rocha foi o escolhido para alimentar os sonhos das crianças como Papai Noel. Paulo Rocha é uma figura já abençoada em seu cotidiano, pois sua sensibilidade ultrapassa a data comemorativa. Parabéns a inicitiva social dos Correios, e ao Paulo Rocha. Que no próximo natal possamos apadrinhar todos os bilhetes e cartas desta árvore, e assim alimentarmos os sonhos de milhares de nossas crianças carentes. Faça a sua parte, neste 2010 não esqueça, apadrinhe uma destas cartas e demonstre sua solidariedade, as criancinhas agradecem com um largo sorriso que nos eleva a alma. Um feliz ano novo. 10

// FOTOS DIVULGAÇÃO

FAZENDO


// TEATRO

• EXPLORAÇÃO SEXUAL INFANTO-JUVENIL Espetáculo de teatro aborda o tema

ET), ESP TRAIS (GP ERIMENT AÇÕES TEA UISAS E EXP ETÁCULO DO GRUPO DE PESQ (GPET), EATRAIS XPERIMENT ERIMENTAÇÕES ESQUISAS SPETÁCULO TEA 4, 21 E 28 DE JANEIR 0. TR O SESC SEN AC IRA CEMA – NOS DIAS 1 O DE 201 EATR TRO ENA RACEMA 14, ANEIRO 2010

NO

REVOAR aborda o universo da exploração sexual de menores de forma poética. Livremente inspirada na peça “Esta propriedade está condenada”, de Tennessee Williams, o espetáculo é um conjunto de cenas que retratam essa temática e vão sendo costuradas pelo texto de Williams. Direção de Andrei Bessa, com Danilo Castro e Raissa Starepravo no elenco. “Tornar a voar, voar novamente ou voltar ao ponto de partida” são alguns dos significados que o dicionário dá para a palavra “revoar”. O público é tratado como pássaros que estão livres para ir e vir, diferentes dos personagens centrais – pássaros enfeites para apreciação dos demais. A peça começa com a inocente conversa de uma garota, Wille, com o menino Tom. Wille mora sozinha em um casarão abandonado, perto de um trem, e para sobreviver precisa dormir com os homens da ferroviária. Já Tom, que parecia ser apenas um garoto a procura de um bom lugar para brincar com sua pipa, não é exatamente quem nós esperávamos. O espetáculo segue a linha pós-dramática, na qual os atores possuem uma maior liberdade de montar suas cenas. A temática da exploração se-

xual, um dos temas propostos nas entrelinhas do texto de Tennessee Williams, é tratada na peça de forma corajosa. Afinal, nossa cidade ocupa um lugar de destaque no triste ranking da exploração sexual, mas o tema é, muitas vezes, deixado de lado das discussões. As cenas criadas pelo grupo e as adaptadas do texto de Williams fazem do espetáculo uma grande mistura, exigindo uma maior atenção por parte do público. Por isso mesmo, a peça é apresentada em um palco em forma de arena, mais próximo ao público, deixando a comunicação com os espectadores mais direta e com maior tensão. GPET, Grupo de Pesquisas e Experimentações Teatrais, é composto por Andrei Bessa, Danilo Castro e Raissa Starepravo. Apesar de o grupo estar estreando nos palcos, os membros do GPET possuem diversas experiências na arte teatral e são formados pelo curso superior em Artes Cênicas, pelo IFCE (antigo CEFET-CE).

• CONTATOS... ANDREI BESS A (85) 8872 72 7.2593 BESSA 727 Email: andreibessa@gmail.com Site: http://espetaculorevoar.carbonmade.com 11


// MUSICA

O Bom do Forró

Antonio Sales é músico, compositor e produtor cultural, e há mais de duas décadas vem desenvolvendo e trabalhando com o autêntico forró. Logo no inicio de sua carreira gravou dois discos solo, em vinil. Nos ultimos cinco anos vem se apresentando com a Banda “o Bom do Forró” na região norte do estado, onde divulgou suas musicas do CD – Volume 2, tocada muitas vezes nas rádios locais da região nos anos de 2006 e 2007. E em 2008 gravou o CD - Volume 3 que tambem toucou na região.

Além do estado do Ceará, Antonio Sales pretende expandir seu trabalho em outros estados e divulgar o mais novo trabalho. O CD – Volume 4 traz como carro chefe a faixa “Vou fechar meu bar”, que foi escolhida como música de trabalho.

// FOTO DIVULGAÇÃO

Em Fortaleza, fez shows na Praça do Clube Ideal e no BNB Clube, dentre outros locais. Atualmente esta preparando seu mais novo CD – Volume 4, que será lançado no fim de janeiro de 2010 com musicas inéditas de autoria propria e de outros compositores.

CONTATO 85 - 3091.2517 / 8771.5657 antoniosales-obomdoforro@hotmail.com

12


// FOTO LÍDIA DANTAS

// MUSICA

SOB A FORÇA DA TROPICÁLIA

CARLINHOS PERDIGÃO TRAZ NOVAMENTE AOS PALCOS, O PROJETO FORÇA TROPICAL, UM VIAGEM LÍTERO-MUSICAL À TROPICÁLIA. O ano era 1967 quando Caetano Veloso e Gilberto Gil participando do III Festival de Música Popular na TV Record, causam polêmica com suas respectivas canções: Alegria, Alegria (quarto lugar) e Domingo no Parque (segundo lugar). A cargo dos dois, despontava na cultura brasileira de então, o movimento cultural Tropicália. Inspirado no Manifesto Pau-Brasil”, da Semana de Arte Moderna, de 1922, o tropicalismo criou uma estética antropofágica que procurava deglutir os movimentos de vanguarda, refletindo as mudanças que aconteciam em todos os âmbitos da sociedade e influenciados pelas diversas vertentes culturais, o movimento tropicalista dialogou com diversas manifestações culturais: cinema (Glauber Rocha), artes plásticas (Hélio Oiticica), teatro (José Celso Martinez Correia) e na música, além de Caetano e Gil, as participações de Torquato Neto, Capinam, Os Mutantes, Tom Zé, Gal Costa, Rogério Duprat e outros. Em mais de quarenta anos, a Tropicália ainda suscita pesquisas, debates, shows, discos, documentários e influencia artistas das mais variadas vertentes, como no caso do baterista e professor cearense, Carlinhos Perdigão. O músico apresenta no próximo dia 30 de janeiro no SESC Iracema, o projeto Força Tropical, um viagem lítero-musical à Tropicália.

O show que já foi apresentado nos principais centros culturais de Fortaleza, mergulha no interior desta arquitetura multifacetada. Assim, para continuar na utopia estética desta viagem tropicalista, explora a poesia e a música dos artistas tropicalistas, apresentando-as em meio a vídeoscenários que explorarão imagens, filmes e poesias desta época emocionantemente histórica, inauguradora de linguagens e ainda simbologicamente intérmina. Responsável pelos projetos Bateria Brasileira; Poesia, Blues e Rock´n Roll, e participa das bandas Zeppelin Blues, Cream – tributo a Eric Clapton, Fruto Proibido e do grupo performático de poesias, Urbanóides Poemas, Perdigão no projeto Força Tropical, dividirá o palco com os músicos Chico Saga (vocal), Marcelo Pinheiro (guitarra), Victor Fontenele (baixo) e a participação de Júlio Maciel, Joanice Sampaio (performances poéticas e teatrais) e Regina Primo (locução e vídeos-cenários). • SERVIÇO Projeto Força Tropical, uma viagem lítero-musical à Tropicália Data: 30 de janeiro às 20h / Local: SESC Iracema Rua Boris 90c – Praia de Iracema (ao lado do Dragão do Mar) R$ 10,00 inteira R$ 5, 00 meia / Informações.: 3252 2215 POR: JOANICE S AMPAIO EMAIL: JOANICESAMPAIO@GMAIL.COM BLOG: PAPOCULT3.BLOGSPORT.COM WWW.TWITTER.COM/JOANICES

13


PREFEITURA

14


FEITO arte

15


KAZANE

Canto da Iracema  

Revista cultural publicada na cidade de Fortaleza, Ceará, Brasil. A publcação divulga as manifestações culturais cearenses.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you