Page 1

Ana Rita Coelho nº10743

Joana Raquel Santos Nº10739

Escola Superior de Educação de Viseu

Vera Simões nº10720

Ana Catarina Nunes nº 10894


RELAÇÕES PÚBLICAS


Relações Públicas Estabelece e mantém linhas mútuas de comunicação, entendimento, aceitação e cooperação entre a organização e os seus públicos; envolve a gestão de problemas ou temas importantes; ajuda a administração a manter-se informada sobre a opinião pública e pronta a responder perante ela; define e sublinha a responsabilidade da administração em servir o interesse do público; ajuda a administração a ficar a par da mudança e a usá-la, serve como um mecanismo de aviso prévio para antecipar modas; usa a pesquisa e uma comunicação racional, sã e ética como ferramentas principais.


R

elações

Públicas

designa

a

profissão de profissionais da comunicação. O profissional desta mesma área administra interacções entre públicos diversos.

A

s Relações Públicas oferecem

uma variedade de funções a serem exercidas para as diversas organizações, sempre com vista à manutenção do equilíbrio entre as organizações e dos públicos com os quais interagem.


As Relações Públicas são consideradas como o conjunto de meios utilizados pelas empresas para criar um clima de confiança entre o seu pessoal, nos meios com os quais estão em contato, e entre o público, a fim de manterem a sua atividade e de favorecerem o seu desenvolvimento. O objeto essencial mais do que qualquer outro nas relações públicas é a informação.


Objetivo das Relações Públicas: Equilíbrio entre a identidade e a imagem de uma organização, focando a imagem institucional e trabalhando a relação com a opinião pública. Construir, manter ou reformular a reputação positiva de uma instituição, seja ela um produto, uma marca, uma empresa, uma entidade, uma organização civil ou governamental, uma pessoa física;


O papel do profissional: O profissional é o responsável pela comunicação integrada, pela sua comunicação com os mais diversos públicos e pela comunicação institucional. Para isso usará diversos instrumentos e canais de comunicação, entre eles os house organs (jornais, revista) e os eventos (seminários, encontros, reuniões). O profissional desta área, desenvolve e destaca o relacionamento institucional com os públicos estratégicos, identificando as oportunidades e necessidades de comunicação da instituição com a sociedade, seja em situações harmónicas ou controversas. O profissional de Relações Públicas planeia, executa e avalia as políticas de relacionamento da instituição, de maneira ética e estratégica, com todos os segmentos sociais, dando suporte para que ela se adapte num ambiente de constante transformação.


O

profissional é o responsável pela

comunicação integrada da organização, pela sua comunicação com os mais diversos e pela comunicação institucional. Para isso usará diversos instrumentos e canais de comunicação.


Públicos das Relações Públicas Os públicos podem ser Internos e Externos Internos: são as pessoas com quem a organização comunica regularmente na rotina do trabalho, tais como empregados, investidores, fornecedores, negociantes e clientes regulares. Externos: são as pessoas com quem a empresa comunica mas de uma forma não regular nem próxima, tais como os vizinhos na comunidade local, entidades governamentais, grupos de interesses, os media e a comunidade financeira. Nas relações externas a principal preocupação são os media pois estes têm uma grande influência na opinião pública.


Áreas de trabalho de um relaçõespúblicas: • Administração: Promover ações para a valorização de uma empresa ou marcas. Criar canais de comunicação com os funcionários e fornecedores, clientes, governo e comunidade. • Atenção ao cliente: Atender as solicitações e reclamações de consumidores, para melhorar a qualidade dos produtos e serviços da empresa. • Cerimonial e protocolo: Orientar empresários, políticos e chefes de Estado sobre etiqueta e comportamento. • Comunicação institucional: Divulgar os valores e as políticas da organização para funcionários, clientes, consumidores e fornecedores. • Eventos: Organizar palestras, exposições, receções, coquetéis e outras solenidades de promoção da empresa. • Pesquisa de opinião: Coletar dados sobre o público interno e externo da empresa para desenvolver planos de comunicação e de ação. • Planeamento estratégico: Traçar a estratégia de relacionamento e de comunicação com a comunidade, a imprensa, os fornecedores, a


Fraquezas das Relações Públicas As ações de Relações Públicas são geralmente muito eficazes para levar um tema para os média, mas pela natureza da própria imprensa, a decisão final do que será publicado é do veículo da comunicação. O RP ou o assessor de imprensa tem como objetivo pautar assuntos nos média, ou seja, despertar interesse para cobertura, mas não tem controle sobre a publicação. Seus resultados devem ser avaliados em médio e longo prazos e nunca em curtos períodos.


A

área da saúde necessita da realização de

trabalhos intensivos e contínuos em comunicação com os seus diversos públicos, que vão desde os pacientes até à diretoria.


G

ama de funções que o profissional de

relações públicas está habituado a desempenhar no ramo da saúde: • • • • • • • •

• • •

Atendimento ao público; Relacionamento com a imprensa; Comunicação Interna; Comunicação visual; Pesquisa de opinião; Assessorar o Gabinete de comunicação em matéria de comunicação social; Propor medidas para promoção da imagem pública do centro hospitalar; Exercer funções de porta-voz do Centro Hospitalar; Assessurar com prontidão a resposta a questões colocadas ao Centro Hospitalar pelo público; Analisar informação veinculada pela Comunicação Social e propor ações adequadas; Promover a edição de documentos e informação pública do centro Hospitalar.


T

endo em vista que os hospitais geralmente,

são sinónimos de lugares desagradáveis de se estar, existem instituições como o Hospital de clínicas das Faculdades da Medicina da Universidade de São Paulo, que vêm adotando um sistema de comunicação composto por Relações Públicas desde1955, quando os objetivos principais do serviço era estabelecer uma política de relacionamento com o público em geral.

É

fundamental um setor de comunicação

para regular a comunicação interna e registar os resultados dos serviços oferecidos com o público externo.


Através da análise de situações ocorridas no hospital, o Relações Públicas pode intervir no contexto e apresentar soluções criativas para melhorar o clima do ambiente, a imagem institucional, proporcionando maior harmonia a todos. O RP será o mediador entre o público externo e o pacinte, através: 1. De caixas de sugestões; 2. Pesquisas; 3. Difusão de informações por diversos meios (folhetos, banners, reuniões, quadros de aviso, eventos e outros instrumentos de comunicação).


Relações Públicas na marca Coca-Cola

E

scolhemos as marcas pela sua reputação, mas também pela forma como comunicam. Quando optamos por uma marca em detrimento de outra é porque esperamos obter maior satisfação, mas também porque as nossas “expectativas” foram manipuladas para pensarmos desta forma. As marcas demarcam as suas personalidades, proclamam-se autênticas e originais, genuínas e verdadeiras. A Coca-Cola é uma dessas marcas. A Coca-Cola pretende reforçar a sua posição através da criação de uma espécie de mitologia face à concorrência.


A

Coca- Cola é um grande sucesso um

pouco por todo o Mundo. As várias razões desse sucesso, passam pelas diversas campanhas de marketing (muito bem feitas). Mas a principal razão para que este sucesso se proporciona-se foi a feliz estratégia de se associar à imagem do Pai Natal, não deixando de parte o design irreverente e genial da sua garrafa. A Coca-Cola foi primeiramente comercializada como xarope, onde eram utilizadas garrafas convencionais, lisas, com uma rolha e um rótulo de papel onde se identificava o produto.


D

epois surgiu a transformação da

Coca-Cola para uma bebida gasificada, e assim mudaram também a sua embalagem aos longos dos tempos.

Em 1915 lançou-se um concurso de design para uma garrafa exclusiva , um concurso aberto a qualquer tipo de público. Com o intuito de aproximar mais, os já consumidores assíduos da marca, e ao mesmo tempo angariar novos consumidores.


A

Coca-Cola surge para o mundo, como a primeira bebida refrigerante, aproveitando um mercado que ainda não estava em expansão. A Coca-Cola foi líder comercial até chegar a Pepsy Cola. Com o aparecimento desta a CocaCola teve de ajustar a sua comunicação face à concorrência. As grandes famílias estavam a aderir com alguma frequência à Pepsi, devido ao seu sabor mais doce, assim, numa tentativa falhada de produzir um sabor mais parecido, as pessoas que compravam Coca-Cola, começaram a protestar, e surgiu uma quebra de vendas .


A

Coca-Cola tentado recuperar os clientes, volta a produzir a forma inicial do sabor do seu refrigerante, e apresenta a marca como "Coca-Cola Classic“. Para aumentar o consumo de vendas e a propagação da marca, no mundo, a Coca-Cola company, efetou um contrato válido com o Macdonald´s, onde esta empresa só podia vender os seus produtos com coca-cola, e nunca com a refrigerante da Pepsi cola.

Hoje em dia a marca Coca-Cola tenta abranger todos os tipos de consumidor, desta forma a marca lança para além da sua gama original coca-cola classic, lançou a Coca-cola Light, e mais recentemente a Coca-cola Zero, expandindo assim o mercado dos refrigerantes para as pessoas que se dedicam ao bem-estar físico.


O

utro caso, mais recente, foi notícia de diversos jornais mundiais foi que um consumidor alegou ter encontrado um rato dentro da garrafa e apesar de toda a credibilidade da empresa, alguns consumidores questionaram sobre o acontecido. Após este acontecimento a empresa passou por um momento delicado, onde precisou de responder aos consumidores e dar uma satisfação convincente para que todos continuassem a acreditar na eficiência da fabricação da Coca-Cola.


A

tualmente, com o crescimento das

redes sociais, as empresas precisam de desenvolver ainda mais a sua capacidade de se relacionar com os públicos. Seja para se defender de polêmicas ou para aproveitar oportunidades de promoção, as relações públicas precisam de serem tratadas com muita atenção pelas empresas, e são cada vez mais importantes. Neste sentido, podemos perceber a importância da atividade de Relações Públicas para uma empresa, já que a sua principal função é, exatamente, a criação e consolidação de uma imagem pública favorável para a organização.


Comunicação Institucional


Comunicação Institucional A

Comunicação Institucional é a área da Comunicação que implica em conhecer as instituições e compartilhar suas propriedades, não se limitando apenas na divulgação institucional e mercadológica. Pode-se considerá-la como um meio de estruturar a comunicação externa e interna da Instituição através de panejamentos, implementações, gerenciamentos e uso de tecnologias.


P

ode ser considerada como um

meio de estruturar a comunicação externa e interna da Instituição.


A

Comunicação Institucional (Corporate Communications) é uma ferramenta de gestão, que visa uma maior motivação e rentabilização dos seus públicos internos (colaboradores) e uma maior notoriedade para com os públicos externos (clientes e destinatários). É um recurso que permite dotar as organizações de fiabilidade nos processos, desde a produção ao usufruto final.


O Profissional especializado em Comunicação Institucional

E

ste profissional é

apto para elaborar e implantar políticas de comunicação, tendo como principais funções definir os objetivos de comunicação da Instituição, interagir com o público interno e externo (e avaliar os resultados dessa interação) e criar projetos utilizando diversas medias existentes. Tem como qualidades pessoais a persuasão e a argumentação, é criativo e capacitado para defender pontos de vista diversos e tem facilidade de se adaptar a novas medias e meios de comunicação .Tem domínio da língua materna e interesse por línguas estrangeiras. Cabe a ele, administrar estrategicamente a comunicação das organizações com seus públicos, atuando não de forma isolada, mas em perfeita sintonia com todas as modalidades comunicacionais.


Áreas de trabalho de um profissional de Comunicação Institucional

A

atuação deste profissional abrange pequenas, médias e grandes empresas em quaisquer setores produtivos, uma vez que a necessidade de comunicação interna e externa se faz presente em qualquer ramo de negócios.


O profissional formado no curso superior de Tecnologia em Comunicação Institucional terá competências e habilidades para: • Planejar, desenvolver e implementar a comunicação interna e externa da empresa/instituição; • Identificar e definir públicos-alvo para a comunicação interna e externa da empresa/instituição; • Mensurar resultados da política de comunicação desenvolvida pela empresa/instituição ; • Criar e editar publicações internas para colaboradores(jornais; informativos; murais; manuais) e externas para clientes ou consumidores ;

• Gerenciar a comunicação em situações de crise; • Planejar e organizar pequenos, médios ou grandes eventos como receções, palestras, cursos, apresentações, congressos, feiras, workshops e seminários; • Desenvolver Manual de Procedimentos para relações com a imprensa; • Organizar entrevistas coletivas e individuais; • Acompanhar e analisar nos noticiários local, nacional e internacional matérias referentes à empresa/instituição.


Instrumentos da Comunicação Institucional

O

s instrumentos são constituídos pelas ferramentas que coincidem e exprimem a comunicação das empresas institucionalmente para o seu público, clientes, opinião pública e sociedade em geral. Sendo a opinião pública de suma importância.

Clientes


Comunicação Interna

A

Comunicação interna é um setor planeado que tem como objetivos possibilitar a maior interação entre a instituição e seus respetivos funcionários através de ferramentas da Comunicação institucional ou do marketing interno.

"Uma ferramenta estratégica para compatibilização de interesses dos empregados e da empresa, através do estímulo ao diálogo, à troca de informações e de experiências e à participação de todos os níveis" (Rhodia, 1985).


Comunicação Externa

A

comunicação externa é responsável pela elaboração e execução de ações com outras empresas, ações socio-culturais e relações governamentais. Além da comunicação com outras instituições, os profissionais responsáveis pela comunicação externa tratam da imagem da empresa visando preservála e melhorá-la.


C

omunicação Institucional nos Hospitais

Ao contrário do que se pensa a compreensão da necessidade de desenvolvimento de departamentos de comunicação organizacional no seio das instituições de saúde públicas, não é só uma realidade nos países anglo-saxónicos. Na realidade, um pouco por toda a Europa a consciÊncialização sobre o valor da comunicação organizacional e institucional para um melhor desepenho das unidades de saúde é já uma questão, ao contrário do que parece continuar a acontecer em Portugal.

E

m Portugal

parece ainda

existir

ainda um longo caminho a percorrer para a verdadeira utilização e estruturação da “Comunicação Institucional” ,como uma função estratégica nas organizações hospitalares.


P

ara muitos a interpretação que é feita

fá-la parecer como um “luxo” e não como uma “necessidade” inquestionável, tanto ao nível das comunidades como ao nível da própria instituição, do seu bom funcionamento e do seu reconhecimento ao público.


A

comunicação institucional da marca coca-

cola tem várias áreas como o plano de comunicação e de marketing, a história da marca, a estrutura da informação e comunicação, ou até mesmo da sua publicidade. Entre diversas marcas consagradas no mercado, para fins ilustrativos de reputação, podemos referir a frequente associação da marca Coca-cola ao conceito de “Família, festas, alegria”. Com o slogan “Abra a felicidade”, a reputação da marca já é tão consolidada, e é líder de vendas entre os fabricantes de refrigerantes em vários países do mundo, e ainda, tem muitas imagens da marca em alguns filmes.


A

marca Coca-cola hoje, chega a ser

licenciada para produtos como estojos escolares e roupas. Entretanto, com todo esse sucesso, a empresa não deixa de investir em comerciais e patrocinar eventos culturais e desportivos a fim de manter o diálogo entre a imagem que pretende divulgar e a imagem captada pelo seu público. É a afinidade entre esse diálogo, ou seja, quando a empresa consegue que seu público alvo perceba as associações feitas àquela marca exatamente como foi idealizada pelos seus criadores, podemos dizer que ela teve sucesso em sua reputação.


• Videos da publicidade da Coca-Cola

RP e Comunicação Institucional  

Trabalho Final de RAI

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you