Page 1

LE MAGAZINE- JANVIER 2014


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


Rubrica Por Susana Soares

Viajando: Tambores e cristais Susana partilha a sua experiência da utilização do adufe português junto com cristais de turmalina. Uma viagem xamânica com raízes bem Portuguesas.

Uma das técnicas xamânicas mais conhecidas e praticadas no Ocidente é a “viagem”. Viajamos muitas vezes, para encontrar os nossos animais ou os nossos guias, para pedir protecção, cura, ajuda, para obter informações, por puro prazer. Uma viagem xamânica toma muitas formas, mas tem coisas básicas comuns à grande parte das culturas xamânicas conhecidas: - viajamos com ajuda do som do tambor ou outro instrumento, de uma planta de poder, de um canto monocórdico, de um balance ou dança (aqui vamos sempre assumir que viagem é com a ajuda do tambor); - viajamos SEMPRE E UNICAMENTE acompanhados dos nossos espíritos auxiliares (animais ou não); - viajamos ESPECÍFICA.

COM

UMA

INTENÇÃO

Ao contrário de uma crença generalizada, não viajamos para encontrar anjos (embora estesa se possam revelar) nem

4

APC MAGAZINE


Rubrica

consideramos a viagem bem-sucedida se divagarmos para além da questão que trouxemos, nem, se estamos trei-nados, entramos em regressão (nem o nosso cliente). Um xamã treinado desde cedo na dura aprendizagem das tribos, nunca deixaria tal acontecer, seria o mesmo que ir ao médico a queixarmo-nos de dores de estômago e vir de lá com uma perna engessada. Uma das formas mais agradáveis de viajar é na companhia de um cristal. Os cristais e os tambores parecem conhecer-se desde sempre e para este artigo escolhi algumas das lindas turmalinas que possuo, para me acompanharem numa viagem aos chacras (uma ideia nada tradicional, mas uma das viagens mais informativas que podemos fazer). Escolhi os chacras cardíaco e o terceiro olho, com uma questão que neste momento acho pertinente: Porque falta foco e abunda tralha na minha vida? Usei 2 turmalinas pretas nos pés para enraizamento (o que aconselho vivamente a quem tenha tendência para voar) e a minha turmalina azul. Para variar do adufe ou do tambor, usei a música de Glenn Velez que podem encontrar aqui: https://www.youtube.com/ watch?v=jUbJEV4ckDg&list=PLJfScgDO 5Jyg-ncE7p2-dFDbKsC0uYbMR A primeira coisa que aconteceu de diferente, foi que toda a viagem teve uma tonalidade azul. A segunda foi que toda a viagem foi extremamente visual, com poucas palavras e muito rápida. A resposta foi quase imediata, sentia-me como uma criança a querer experimentar coisas novas. Muitas coisas novas! Armada com este conhecimento novo, usei a turmalina rosa como cristal de cura no coração acompanhada do som do adufe (o meu adufe tem cristais dentro, incluindo algumas turmalinas de cores várias). O rosa vivo da turmalina trouxe-me uma suave alegria que não

me lembrava de sentir e que ainda está comigo. Este é um modo de trabalhar xamânicamente introduzindo algumas variações nos métodos tradicionais. Cristais diferentes, usados de modo diferente, têm resultados diferentes; não cessam de me surpreender e deslumbrar. Para quem começa agora, a minha única recomendação é que participem em 1, 2, 10, 20 círculos e aprendam o básico, humildemente, em respeito aqueles que mantêm este conhecimento e o transmitem. Uma vez aprendida a técnica, não parem de viajar até se sentirem seguros e poderem fazê-lo de olhos bem abertos no meio do shopping. Um dia, terão uma surpresa linda, como a minha, um presente dos cristais que amam e vos acompanham. Na maior parte das culturas tradicionais, o xamã viaja para o seu cliente, mas no ocidente generalizou-se a prática de uma pessoa “viajar” para si mesma. Na realidade, cada vez mais recebo orientações nas consultas para deixar que a cliente faça sozinha essa viagem ao seu interior, buscando as suas raízes xamânicas. Para tal, a minha única recomendação é, repito, participar em círculos xamânicos. Uma vez aprendida a técnica, não parem de viajar…

«Uma das formas mais agradáveis de viajar é na companhia de um cristal»

Duas das turmalinas que Susana Soares utilizou para a sua viagem Xamânica.

Susana Soares|

Sobre o Adufe É um instrumento musical português. Foi introduzido pelos árabes na Península Ibérica entre os séculos VIII e XII. Hoje, encontra-se essencialmente concentrado no centro-leste de Portugal (distrito de Castelo Branco), onde é executado exclusivamente por mulheres, acompanhando o canto sobretudo por ocasião das festas e romarias. Tradiconalmente, é referida a madeira do instrumento como sendo de "pau de laranjeira". Esta referência, simbólica pela ligação entre a lor de laranjeira e o matrimónio, é reforçada por outra particularidade da construção do instrumento que refere ser a pele de uma das membranas de um animal macho e a outra de um animal fêmea.

APC MAGAZINE

5


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


RUBRICA Por Joana Pinto

A FAMÍLIA DAS TURMALINAS Nesta edição o cristal de referência serão as turmalinas. Uma pedra bem conhecida por muitos, bastante comum no mercado especialmente a sua variação negra. Mas será que a conhece assim tão bem? Vamos juntos, agora, mergulhar no mundo cristalino da fantástica turmalina. A palavra turmalina é uma corruptela da palavra turamali do Cingalês, idioma falado no SriLanka, antigo Ceilão, que signiica ''pedra que atrai a cinza'', uma referência às suas propriedades piroeléctricas. A variedade mais comum de turmalina é a schorl ou schorlita, a turmalina negra, descrita pela primeira vez por Johannes Mathesius em 1524. Estima-se que esta pedra possa corresponder a 95% ou mais de toda a turmalina existente na natureza. Tratando-se talvez de uma palavra de origem escandinava, o signiicado da palavra schorl continua a ser um mistério.

«Estima-se que (a turmalina negra) possa corresponder a 95% ou mais de toda a turmalina existente na natureza»

APC MAGAZINE

Não existem duas turmalina exactamente iguais. Esta pedra tem um inindável número de faces, e por esta razão agrada a todos os gostos. Os maiores produtores de turmalinas estão no Brasil, Namíbia (exSudoeste da África) e Estados Unidos. Também são encontradas na República de Madagascar, Urais e Sri Lanka.

7


Bicolor, Turmalina Melância Este tipo de turmalina é verde no exterior e rosa no interior. É uma pedra super activadora do chacra cardíaco. Acalma a dor sentimental, ajuda em situações de depressão e ansiedade e relembra a pessoa que faz parte de um todo, do cosmos.

Turmalina Azul (Indicolite) Indicada para o chacra da garganta e também 3ª visão. Esta pedra limpa e remove bloquei-os ou traumas que não foram ainda ultrapassados. Transmite a paz e a vitalidade do oceano. Recomendada para terapeutas, pois previne que a energia mais densa dos seus pacientes ique presa na sua energia.

T. Verde (Verdelite) Indicada para o chacra cardíaco, promove alegria de viver e ajuda no foco de pensamentos positivos. Limpa este chacra e revitaliza-o.

T. Rosa (Rubelite) Excelente para o coração. Activa o feminino, afrodisíaca. Instiga na partilha do amor, tanto isicamente como emocionalmente. Limpa o chacra cardíaco, junta o amor com espiritualidade.

8

APC MAGAZINE


Turmalina Amarela Estimula o plexo solar e abre a capacidade mental e espiritual da pessoa. É uma pedra ligada a sentimentos e energia da prosperidade.

Turmalina Roxa Conecta o chacra da base com o do coração e o da terceira visão. Remove ilusões, ajuda na cura de vidas passadas e desenvolve a intuição.

T. Incolor (Achroite) Achroite, do grego "incolor", está indicada para o chacra da coroa. Este tipo de turmalina mais raro, alinha os chacras e harmoniza os meridianos tanto do corpo físico como do corpo etéreo.

Turmalina Laranja Muito ligada ao segundo chacra, é um cristal raro, com uma forte ligação às raízes, à essência de cada pessoa, resgatando a verdade do ser. Activa também a criatividade e o saber estar em qualquer situação que se apresente no dia-adia.

APC MAGAZINE

9


Turmalina Negra (Schorl) Pedra de protecção extremamente forte. Ajuda na protecção do electromagnetismo causado pela radiação de telemóveis. É uma pedra de enraizamento que encoraja uma atitude positiva, estimulando o altruísmo e a criativi-dade.

Turmalina Castanha (Dravite) Nome com origem no distrito de Drave, de Caríntia. Uma turmalina de enraizamento. Que alimenta a visão de comunidade, de companheirismo e de extroverão. Ajuda na limpaza dos cordões emocionais em famílias disfuncionais. Bem como na limpaza do intestino e problemas relacionados com a pele.

Bicolor, Azul e Verde Uma pedra excelente para a meditação, que junta as propriedades da turmalina verde e da azul. (O exemplar ao lado é uma variedade da T. do Paraíba).

10

Bicolor, Azul e Rosa Apresenta as propriedades da turmalina rosa e azul. Um cristal raro!

APC MAGAZINE


Bicolor, Amarela e Rosa Um tipo raro de turmalina, esta pedra activa todos os chacras. Muito energética, muito revitalizante, com uma energia altamente activa.

T. Multicolorida Um cristal muito usado em joalharia, que junta as propriedades dos tipos de turmalina descritos anteriormente, dependendo das cores que se manisfestam no cristal. Diz-se que a turmalina multicolorida ajuda a concentrar a mente, a alma, a razão e o corpo numa unidade harmoniosa. Estimula a imaginação e os sonhos. Desenvolve as capacidades mediúnicas e torna o ser humano mais consciente. Pode ser usada em todos os chacras.

Bicolorida Roxa e Rosa Exemplar raro! Partilha das propriedades da turmalina roxa e da turmalina rosa.

Bicolor Laranja e Rosa Este tipo de turmalina junta as propriedades da turmalina rosa e da laranja.

APC MAGAZINE

11


Turmalina do Paraíba Decidi destacar esta turmalina pela sua beleza e raridade. Um cristal incrível e desconhecido para a maior parte de nós. Descoberta em 1989, é a variedade mais cara e mais rara das turmalinas. É uma das pedras mais caras do planeta: 01 quilates (0,2 gramas), custa em média 30 mil dólares, contudo, dependendo das características da gema, pode chegar à casa dos 100 mil dólares. Uma turmalina de cor azul celeste incrível, que fornece a quem a utiliza um sentimento de plenitude, de paz interior e alegria indescritível. Ligada aos oceanos, ao bem-estar tropical aos anjos e golinhos, este cristal encerra em si uma energia que apenas quem a experimenta, ainda que muito rudimentarmente, a saberá exprimir.

É um cristal de difícil exploração e extracção. As condições geológicas em que esta gema é encontrada representam um grande desaio para os proissionais da área. A extracção deve ser feita manualmente, para evitar qualquer risco de desperdiçar algum material bruto. A maioria dos exemplares encontrados é muito pequena, por esse motivo, pedras de qualidade, tamanho médio ou grande são raríssimas. Encontramos turmalinas do Paraíba em duas regiões do planeta, Brasil e África. Um cristal magníico, de pouco acesso à maioria de nós, que dou a conhecer a todos aqueles que nem imaginam sequer que esta beleza existe!

12

APC MAGAZINE


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


RUBRICA

Florais de Bach e Cristais Harmonização das emoções. Fernanda Barros faz-nos a ponte entre os Florais de Bach e os cristais. Focando emoções como a tristeza e a melancolia, une os florais e a energia dos cristais para ajudar a pessoa a libertar-se deste pesar. Edward Bach, a quem os colegas chamavam “Batch” porque lhes era difícil pronunciar o nome, foi um pres-tigiado médico, amante da natureza, que cedo descobriu a importância dos sentimentos e do equilíbrio emocional para a recuperação da saúde física e do bem-estar. O sistema de Bach foi o primeiro sistema de lorais a ser descoberto e co-bre as emoções básicas importantes a que todos estamos sujeitos. Poderosa e suavemente deixam que os padrões emocionais solidiicados se dissolvam, de modo a permitirem a expressão plena e completa dos aspectos emocionais positivos. Cada essência é seleccionada como resposta a um estado mental negativo diferente e com o propósito de se adequar à necessidade especíica e ao carácter do indivíduo. A maravilha da utilização dos lorais é que estes não interferem com a mente, como algumas drogas químicas, permitindo à pessoa a liberdade para crescer e resolver problemas de uma forma mais saudável. Ajudam, não só adultos mas, mas também, crianças, animais e plantas. Se relectirmos sobre o nosso percurso de vida, será provável que durante a nossa infância, muitos de nós tenham sido condicionados a acreditar que não devemos expressar as nossas emoções. Então, adquirimos hábitos de as enterrar, reprimir ou esconder.

14

Infelizmente, a verdade é que as emoções que enterramos e não resolvemos são mais tóxicas para a nossa saúde, a longo prazo, do que aquelas que resolvemos no momento em que ocorrem. Neste artigo debruçar-nos-emos sobre o temperamento Honeysuckle (Madressilva).

APC MAGAZINE

Fernanda Barros Terapeuta de Florais de Bach


Ágata

O tipo Madressílva é incapaz de esquecer o passado e tem tendência a ser nostálgico e melancólico. Todos os que se encontram neste tipo perdem muito da vida porque ocupam a sua mente com os eventos do passado, sejam eles felizes ou miseráveis. Viajam nas memórias da sua infância, ressentimentos do passado, erros, oportunidades que falharam ou passam o tempo ruminando sobre os “bons velhos tempos”, desejando que as coisas fossem diferentes daquilo que são. Este estado de mente faz com que haja uma perda de interesse nos acontecimentos actuais. Este loral pode ajudar aqueles que sofreram e sofrem com a perda de um ente querido e não conseguem afastar o desejo de estar com os seres amados que perderam. Ajuda a libertar memórias preocupantes e infelizes e conforta esta saudade crónica. A Madessílva ajuda a lembrar e relectir sobre a felicidade que já existiu e a nutrir essas memórias sem perder o foco na importância da sua existência, no presente. Ajuda as pessoas a tomarem as acções necessárias para seguir em frente, a viverem no presente, com interesse e entusiasmo e com uma atitude voltada para o futuro. Os cristais são um excelente meio de potenciar os efeitos de Madressílva. Dotados de ampla vibração energética irão ampliicar e trabalhar no ser humano o aspecto que necessita de cura.

Neste caso iremos falar das Ágatas. A Ágata tem o poder de harmonizar o positivo e o negativo, trabalhando lentamente mas trazendo grandes forças ao individuo. Psicologicamente a Ágata, trabalha gentilmente a aceitação do Eu e, emocionalmente, ajuda a superar a negatividade e a amargura do coração. Ela ajuda a curar a raiva interior, trazendo o amor e coragem para recomeçar. Se tivermos em conta que o loral Madressílva ajuda a libertar memórias do passado e a curar a dor presa nessa esfera, podemos, então, airmar que a Ágata será uma grande aliada. Colocada no coração irá curar dores emocionais, libertando, suavemente, ressentimentos, mágoas e amarguras, qual gotículas de água que caem em dia de chuva e lavam a rua e a alma das gentes. A Ágata Musgo poderá ser uma boa aliada para aqueles que não saem do passado e icam presos em memórias ilusórias de felicidade e repletas de dor, manifestando-se a um nível psíquico em estados depressivos ou em graves casos de depressões. Falando da família dos quartzos, a Ametista poderá ser também uma pedra de ajuda valiosa, já que promo-ve o amor do divino, trazendo alento e esperança, fazendo com que os indiví-duos compreendam que não estão so-zinhos e que fazem parte de algo maior.

Pedra de enraizamento que providencia um equilíbrio não só emocional, mas também, físico.

Ágata Musgo Este tipo de ágata poderá ser uma boa aliada para aqueles que aqueles que sofrem com as circunstâncias da vida, transformando-se, muitas vezes, em estados depressivos.

Quartzo Rosa Este cristal puriica e abre o Anahata (4º chacra) a todos os níveis. Acalma, serena e é excelente para casos de trauma ou crises.

O quartzo Rosa, este cristal delicado e

APC MAGAZINE

15


RUBRICA

belo, é a pedra do amor incondicional e da paz ininita. Ele é, sem dúvida, o mais importante cristal para o coração e para o chacra cardíaco, ensinando a verdadeira essência do amor. As dores emocionais do passado, presas em teias que construímos no nosso coração irão soltar-se dando lugar à paz.

Também o Citrino, que carrega o poder do sol, limpa, absorve, transmuta, dissipa e enraíza a energia negativa que acumulamos em excesso em processos de luto não superados. Sendo um cristal com uma energia tão positiva, ajuda a olhar para o presente e para o futuro de forma optimista, permitindo-nos ir no luxo, em vez de ancorarmos no passado. Emocionalmente, promove a alegria de viver. Por im falarei de um outro cristal, a Turmalina. Na família das Turmalinas distinguirei três pelos seus efeitos em situações de depressão e luto: a turmalina rosa, a turmalina verde a turmalina melância. A turmalina verde é um excelente “terapeuta” que permite abrir o chacra

«Ajuda as pessoas a tomarem as acções necessárias para seguir em frente...»

“Procuramos coniantemente na Natureza tudo aquilo de que necessitamos para nos mantermos vivos – ar, alimento, luz, bebida, etc. Assim, é improvável que neste grande esquema que tudo providência, tivesse sido esquecida a cura das nossas doenças e Exemplar de uma garrafa do loral de Bach, Honey Suckle.

16

APC MAGAZINE

cardíaco, promovendo a compaixão, ternura, sentimento de pertença e alegria de viver. Se considerarmos que o tipo Honeysuckle encontra a alegria de viver no passado em memórias, que nada mais são do que memórias, esta pedra irá permitirá que encontrem a alegria de viver no presente, o único momento real em que é possível sermos felizes. Não poderia deixar de falar na turmalina rosa, esta fantástica pedra que dispersa, através do chakra cardíaco, a dor emocional e os sentimentos antigos destrutivos. Por im a turmalina melância conhecida como a super activadora do quarto chakra. A turmalina melancia ajuda a compreender as situações de vida, tratando e libertando emocionalmente dores antigas. Se tivermos em conta que, nestes estados emocionais bloqueamos e “fechamos” o coração, esta pedra poderá ser uma excelente escolha! Como disse Ralph Waldo Emerson “A nossa glória maior não está em nunca errarmos, mas em levantarmo-nos sempre que falhamos”. Ainal é de erros e avanços e de pequenos passos de bebé, que é feita a Humanidade. Fernanda Barros|

dos nossos sofrimentos”, Edward Bach. Fernanda Barros https://fernandarutebarros.wi xsite.com/oventredaterra


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


RUBRICA Por Joana Pinto

A Turmalina Negra, muito mais do que imaginamos... Uma pedra de uma beleza particular, com um potencial enorme. Conhecida e adorada por uns, descrita com base no medo, por outros. Conhece bem a turmalina negra?

Turmalina negra, a pedra das pedras de protecção energética. A sua aplicação no nosso dia-a-dia é muito ampla. Pode ser usada em anéis, colares, brincos ou junto do corpo em bolsas de tecido natural ou ainda no nosso veículo. A possibilidade do seu uso ainda se estende aos elixires, em casa através do feng shui, no exterior, nos animais, etc. Devo dizer que sou fã desta pedra e recomendo vivamente a sua utilização, seja por terapeutas que trabalham conscientemente com energia, ou no dia-adia, especialmente aqueles que reconhecem ser ‘’esponjas’’ de energia alheia. A turmalina tem a incrível capacidade de captar a energia da atmosfera do Planeta (Ionosfera) e emitir em todas as direcções, partículas carregadas conhecidas como iões, as quais são capazes de puriicar o ar e a água, além de promoverem melhoras no metabolismo. Esta interessante característica é útil também para reduzir os efeitos negativos de ondas electromagnéticas de telemóveis e dos demais equipamentos electrónicos.

18

APC MAGAZINE


RUBRICA

Devido à sua capacidade de emitir radiação infravermelha, na faixa de 9 mícrones, a turmalina negra é também útil em terapias, sendo muito recomendada para a melhora energética da circulação nos micro vasos sanguíneos. Ainda no campo das terapias energéticas, é uma pedra capaz de fortalecer os sistemas ósseo e imunológico e também revitalizar e puriicar o primei-

ro Chacra (raiz). Nas terapias, as suas formas naturais de bastão são as mais indicadas. A turmalina negra, é uma pedra que ajuda a dispersar o stress e a tensão e instiga a uma atitude positiva em relação á vida, sendo assim útil nos casos de depressão e para todos aqueles que vivem em situações de grande tensão no trabalho ou na vida pessoal. Na puriicação de energias do ambiente, recomenda-se usar uma turmalina negra natural de tamanho maior. Por ser uma pedra que naturalmente capta as energias da Ionosfera, não precisa de ser recarregada com muita frequência, porém pode ser deixada pelo menos

«...a turmalina negra deve ser utlizada pelo seu usuário da forma que este entender e for melhor para ele».

30 minutos ao sol, para que a sua energia ique estável e forte. Até à data, de acordo com os estudos que tenho feito, não só a nível pessoal mas também de cariz cientíico e metafísico, a turmalina negra deve ser utilizada pelo seu usuário da forma que este melhor entender. Sim, isto vai certamente chocar e ferir alguns dos leitores, especialmente aqueles que estão ixos à informação que esta pedra só deve ser usada por exemplo da cintura para baixo. Cada pessoa é um universo, logo, não podem existir protocolos no mundo energético e etérico. Cada ser é muito especial, único, e com uma energia própria, logo aquilo que eu reconheço que resulta em mim, não posso, nem devo generalizar e admitir que servirá ao próximo também. Quando me abordam e referem que certos professores, ''mestres'' ou amigos acham completamente errado utilizar uma turmalina como colar, eu pergunto: ‘’sente-se bem a utilizá-la nesse local?’’. Se a resposta for positiva quem sou eu para avançar com imposições ou invocar a energia do medo para aquela pes-

Turmalina negra - algumas características Pedra de protecção pessoal contra energias negativas ;

Filtros de água (pela sua acção puriicadora);

Puriicação de energias de ambientes;

Uso terapêutico em aplicações energéticas locais;

Sabonetes e produtos de beleza (pela acção dos seus iões revitalizadores);

Para ajudar a desfazer trabalhos de magia negra;

Turmalina negra ibrosa num quartzo. Este tipo de tumalina é mais frágil e desfaz-se com facilidade.

APC MAGAZINE

19


RUBRICA

«...numa escala de 0 a 100, talvez as particularidades descritas, sejam apenas 0,01% das capacidades totais desse cristal »

soa. Não o posso, nem devo, nem quero fazer. Porque eu só sei que nada sei em relação ao modo como este universo cósmico funciona. As leis de Deus, da Energia Suprema, as leis do Cosmos, ou seja lá o nome que lhe damos, não são de todo entendidas pela maior parte dos seres humanos. Se a pessoa sente o impulso de colocar uma turmalina num local que num livro, ou na internet não é recomendado, pode e deve colocá-la nesse local, sem a interferência do medo. Está tudo bem! Quando já não izer sentido, remove-se a pedra. Claro que sabemos que esta pedra tem uma energia mais pesada que por exemplo um quartzo rosa, e é uma pedra de enraizamento que

puxa a energia para a terra. Mas e daí? Talvez, naquele momento essa característica seja necessária naquele local dito ‘’interdito a turmalinas’’. Há um caso que comento sempre, um paciente meu, com diagnóstico médico de esquizofrenia, foi-lhe dito que era errado, e até pejorativo utilizar uma turmalina negra na terceira visão. Foi-lhe contada uma história baseada no medo, nas cores dos chakras, nos anjos… enim em folclore e mitos que acredito que nem a própria pessoa que lhe contou, sabia muito bem de onde vinham. Pois neste caso, eu questionei-o sobre o que sentia sobre a sua utilização na terceira visão. Referiu que se sentia extre-

mamente bem, ‘’em paz’’. Neste caso e observando apenas este caso especíico, a turmalina negra é extremamente benéica na terceira visão. Vai focar a sua men-te em vez de a dispensar, vai enraizar os seus pensamentos e fazê-lo estar presente. Desde então que a tem utilizado em meditações diárias na terceira visão a par com medicação da qual está cativo, sentindo-se em pleno, em paz, forte para levar o seu dia-a-dia e livre das condicionantes próprias da sua patologia. Este é apenas um caso de vários relacionados com turmalina negra. Esta pedra é muito mais do que os livros dizem, muito mais do que eu experimento da sua energia e muito, mas muito mais de que a mera interpretação do ser humano. Neste campo das interpretações, muito poderia também falar. Pois repito, cada ser humano tem uma capacidade única de sentir a energia, cada um a mede ou a sente de forma diferente, pois cada um de nós tem capacidades, evolução energética e maneiras de ver a vida diferentes. Claro que existem características que se tocam e que são comuns por parte dos autores nessas interpretações. Mas numa escala de 0 a 100, talvez as particularidades descritas sejam apenas 0,01% das capacidades totais deste cristal. Por isso, na minha humildade, alerto para que TUDO o que ler sobre qualquer cristal, tenha a mente aberta para

Turmalina negra ibrosa

APC MAGAZINE


RUBRICA o facto de que essa é apenas uma interpretação do autor, uma leitura mínima do que um cristal pode de facto fazer a nível físico, na aura, no DNA, nas vidas passadas, em universos paralelos, noutras dimensões, etc. Como conhecer profundamente a sua pedra? Utilizando-a no seu dia-a-dia, meditando com ela, colocando-a próxima de si. Registando o que ela lhe proporciona e o que o leva a sentir. Que emoção lhe traz, sonhos, etc. Esta ligação que vai criar com o cristal, verá que será diferente do que possívelmente leu sobre ele! Normalmente, posso dizer que ao im de um ano de uma relação diária com um cristal, conheço essa pedra ainda que de uma forma supericial!

Turmalina negra biterminada Turmalina negra com crescimento em forma de coração Turmalina negra ibrosa em bruto

Por isso use a turmalina negra sem medos, com a consciência de que está a fazer a coisa certa. A Natureza não cria nada errado. Nós, seres humanos, na nossa ignorância é que podemos não a saber utilizar da forma certa. Criamos lendas, mitos, histórias e que engrandecem o nosso ego e o nosso medo. Acredite que está a fazer certo e seja realmente livre!

Joana Pinto|

APC MAGAZINE

21


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


Astrologia Transpessoal - A linguagem cósmica para a alma. Por Silvana Correia O que o mapa astrológico nos pode oferecer? Como pode o indivíduo transformar a forma como se vê no seu meio ambiente? Silvana Correia expõe neste pequeno artigo, a sua visão sobre a Astrologia Transpessoal. O que é o mapa astrológico natal?

Silvana Correia. Foto de Soia Carvalho.

No momento exacto da primeira respiração de uma criança, ou no mo-mento em que um projecto nasce, ou qualquer outra coisa que tenha pe-netrado na “vida” naquele momento, os corpos celestes (como planetas, Sol e Lua) estavam numa determinada posi-ção no nosso sistema solar. Aplicando uma analogia, o mapa astrológico natal, e/ ou de trânsitos planetários, repre-sentaria uma fotograia às posições celestes nesse momento exacto, sendo observados num determinado ponto do planeta Terra.

APC MAGAZINE

Nesta perspectiva, ao nascermos reproduzimos à nossa escala, o jogo de forças que se passava no universo naquele momento, transformando-nos no que poderíamos designar por uma espécie de micro sistemas solares. Esta matriz energética, que está impressa no nosso ADN, manifesta o nosso bilhete de identidade cósmico. Importa subli-nhar que esta matriz energética vai acompanhar-nos dinâmicamente ao longo de todo o nosso processo de vida. Como airma Confúcio: “O poder da força espiritual é o cosmos - como é evidente em tudo! Ele é invisível para os olhos e silencioso aos

23


RUBRICA

ouvidos, inseparável de tudo e nada pode impedir.” Este jogo de forças que “opera” no nosso ADN, traduz uma linguagem cósmica misteriosa e profunda. É deste modo que sinto, experiencio e vivo a Astrologia — como uma linguagem cósmica para a alma; Na verdade, como airma Plotino, ilósofo neoplatónico: “O Horóscopo é uma carta de amor de Deus codiicada e dirigida ao ser humano”. Esta carta de amor, escrita pela linguagem simbólica de arqué-tipos dos planetas, não nos fala apenas de traços de personalidade. Essa seria uma visão muito redu-tora. Ela transcende a persona ex-pressando a energia daquela alma e da sua “tarefa” para esta encar-nação. Neste âmbito, ingressamos numa abordagem transpessoal, dado que transcende a análise da “barreira” da personalidade e da mente. Aqui falamos da integração do “caminho do indivíduo” alinhado com o seu “caminho da alma”. Portanto, a leitura de um mapa astrológico, surge como um meio fabuloso para iluminar caminhos — caminhos que sempre estiveram presentes mas nós não os víamos, entender processos do momento; ganhar uma visão mais alargada da “lógica” da “viagem”; entender porque atraímos sempre o mesmo padrão de relações; entender a razão pela qual nos surgem muitos desaios em determinadas áreas de vida, entre outros. A Astrologia Transpessoal nasceu através de Dane Rudhar em 1930.

24

Rudhar foi o primeiro a integrar o indivíduo no macrocosmos com a inalidade de revelar o sentido daquilo que acontece na vida de uma pessoa — seja no plano existencial, seja no plano espiritual. A Astrologia passou a fornecer uma orientação alargada, consciente e integrada , do potencial e propósito individual de cada SER. Efectivamente, sinto que a grande dádiva que a Astrologia nos traz é a abertura da consciência do nosso SER a vários níveis. Importa levantar aqui algumas questões muito relevantes: as assinaturas energéticas / trânsitos impulsionam-nos a mudanças da mesma forma? Será que todos sentimos estas assinaturas/ trânsitos com a mesma consciência, intensidade e profundidade? Estamos igualmente conscientes da “proposta” dessa matriz energética que nos envolve e impele? Sofremos ou é-nos confortável no mesmo grau que todos os indivíduos? Não, obviamente que não. Este processo está intimamente conectado com o grau de consciência que temos. Sobre este assunto, Edgar Cayce airma: “Se a pessoa se aproximar da perfeição na vida física, estas visitas planetárias não

APC MAGAZINE

são dolorosas pois o indivíduo passa sem “beliscões” por estes testes que para outra pessoa são assustadoramente reais. Estas visitas são necessárias para enfrentar e libertar o ego”. Turmalina rosa Fazendo uma ligação do presente artigo à temática central da revista, foi observado que certos cristais vibravam com certos signos, planetas e também com “assinaturas energéticas”. Assim sendo, os cristais surgem como um importante elemento terapêutico no sentido em que ajudam a equilibrar as energias impressas em nós. Por exemplo, pessoas com muitos planetas/ estrelas no elemento água, necessitam de “saber mergulhar” nas suas próprias emoções. Por exemplo, a turmalina rosa ajuda a largar emoções do passado, e ajuda a abrirmo-nos mais para o auto amor. Esta temática da relação da Astrologia com cristais será aprofundada em futuros ar-tigos.

Silvana Correia|


SABIA QUE? 90% dos medicamentos são cristais Facto este, pois ica muito mais fácil controlar o estado sólido de uma estrutura cristalina. Mesmo muitos dos medicamentos injectáveis, são compostos por cristais, porque os materiais cristalinos podem ser organizados de maneiras diferentes, sob diferentes condições, para criar o efeito necessário.

O mais raro do mundo Do grego ''instável'', asta-tos, a Astatine (AT) na sua forma mais estável - astatine-210 - tem uma meia-vida de apenas 8,1 horas, o que signiica que se tropeçasse numa, a metade dessa desapareceria no inal de um dia de trabalho. É tão raro que há apenas 30 gramas de TOTAL na crosta terrestre.

Labradorite Rosa

O chocolate é cristalino A Universidade de Southampton, realizou uma série de experiências sobre as estruturas cristalinas do chocolate. A manteiga de cacau adicionada controla a cristalinidade do chocolate, isto é importante pois existem seis formas cristalinas diferentes.

A mais rara das labradorites, a labradorite rosa, um mineral excepcional que prima pela diferença. Este tipo especíico de labradorite, emite vibrações que penetram tão profundamente na alma, que são capazes de pôr termo a todo o tipo de bloqueios inconscientes. Pode utilizar-se em qualquer chacra.

''Brincar'' com a quantidade de manteiga de cacau, afecta a natureza cristalina do chocolate, que é como obter diferentes formas, gostos e texturas.

APC MAGAZINE

Cristais benéicos Lista de 3 dos cristais mais benéicos para o ser humano: Ferro (hematite, pepitas de ferro). Os óxidos de ferro e os hidróxidos de óxido, desempenham um papel importante em muitos processos geológicos e biológicos e são amplamente utilizados por seres humanos, por exemplo, como minérios de ferro, pigmentos, catalisadores e na hemoglobina. Cobre (calcopirites, malaquites, azurites). O corpo humano não consegue produzir cobre. O cobre ajuda na formação de algumas células sanguíneas, hormonas e enzimas antioxidantes, também contribui para a síntese de neuro-transmissores, formação da baínha de mielina e regulação da expressão génica. O cobre ainda ajuda a regular a quantidade de ferro no organismo e na formação de tecidos conjuntivos. Minerais de Argila: Os minerais de argila são ilossilicatos de alumínio hidratado, às vezes com quantidades variáveis de ferro, magnésio, metais alcalinos, terras alcalinas e outros catiões. Tem a capacidade de atingir a área do corpo onde é mais necessária, ao contrário dos produtos químicos que podem destruir indiscriminadamente tanto os tecidos saudáveis como os doentes, quer as bactérias benéicas quer as patogénicas. A argila é selectiva na procura dos micróbios patogénicos e dos tecidos lesados, permitindo um rápido restabelecimento da saúde. Para além de ser extremamente benéica na pele, a argila branca pode mesmo ser ingerida ajudando o estômago (gastrites e úlceras) e o intestino.

25


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


RUBRICA Por Marisa Macedo

O Feng Shui* em Cristaloterapia Um olhar breve sobre as turmalinas no feng shui de uma casa. Marisa Macedo nomeia algumas dicas sobre como utilizarmos este cristal de forma simples, fácil e que pode já, hoje, implementar no seu lar. Sinta a diferença! Ao longo dos tempos, os cristais têm vindo a ser usados nos espaços que nos rodeiam de variadíssimas maneiras. Como elementos de cura, protecção ou simplesmente como decoração, é cada vez mais frequente a APC ser abordada com a questão de individualmente, cada um de nós querer tirar o melhor partido do espaço onde mora ou passa a maior parte do seu tempo. Por serem um elemento terra, são vários os cristais que usamos em Feng Shui, mas seguindo o tema desta edição vou enumerar alguns dos que fazem parte da família das turmalinas. Começo por falar da mais popular para proteger energeticamente uma casa: a Turmalina Negra. Líder das grelhas de protecção, a turmalina negra em bruto é comumente associada à criação de uma barreira energética que nos separa a nós do que não é divino para a nossa evolução. Assim sendo, e mediante a quantidade de pessoas ou situações às quais estamos sujeitos na nossa realidade, é necessário relembrar de que à se-

melhança do que acontece connosco, também uma turmalina negra que esteja muito “exposta” deverá ser recarregada com uma certa regularidade. Tal como já foi referido em outra rubrica, devido à capacidade de redução dos efeitos negativos das ondas electromagnéticas, es-te cristal é igualmente fantástico para ser colocado em bruto na sala ou escritório, onde temos uma maior concentração de aparelhos electrónicos. Curiosidade: uma vez que as casas de banho são verdadeiros aspiradores da energia que criamos nos nossos espaços, aconselhamos a que sobre os ralos sejam colocadas turmalinas negras, para controlar a sucção indesejada. Não menos importante para o nosso bem estar é a Turmalina Verde, associada ao espaço onde criamos e garantimos grande parte do equilíbrio do nosso corpo: a área da cozinha. Devido às suas propriedades revitalizantes, a presença deste cristal irá não só renovar como curar todo o ambiente.

APC MAGAZINE

Marisa Macedo, consultora de Feng Shui em Cristaloterapia, formada pela APC. (Fotograias de Joana Ferreira, captadas no Vouga hostel & Suites).

27


RUBRICA Turmalina negra em bruto, colocada nos cantos principais da casa.

Turmalina negra em bruto colocada nos ralos dos lavatórios para evitar a sucção de energias.

Normalmente associada em estudos com o Ba-Gua* à área sul de um espaço, a Turmalina Rosa usando a energia do fogo, vai trazer sucesso, emoção e prosperidade a qualquer área onde se encontre. Por isso sem receio! Seja no quarto, no escritório ou no móvel onde sentirem, esta variante vai ser capaz de reunir a vibração necessária para tirar o melhor partido do vosso propósito individual.

28

E seguindo as cores do arco-íris e as técnicas de cromoterapia, poderia alongar-me em todas as variedades deste ser fantástico, mas convido-vos a que estejam atentos a procurar além da mais popular. Mesmo eu própria sendo super fã quer da practicidade quer da apresentação da turmalina negra, estou certa de que a partir do momento em que vos seja possível tocar numa das restantes familiares, sentir-se-ão completamente apaixonados pela transparência e vibração das cores que vão cruzar o vosso caminho. Desejo-vos um bom enamoramento.

Marisa Macedo|

* Técnica de Feng Shui usada nas consultorias de Cristaloterapia, que mapeia oito sectores energéticos de um espaço.

APC MAGAZINE

Consultoria de Feng Shui em Cristaloterapia é um dos serviços prestados pelos cristaloterapeutas formados e certiicados pela APC.

«(turmalina negra) cristal igualmente fantástico para ser colocado em bruto na sala ou escritório, onde temos uma maior concentração de aparelhos electrónicos».


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


RUBRICA Por Patricia Poção Seguimos viagem nesta que é uma aventura à descoberta da nossa essência, através da Geometria Sagrada.

As formas, segundo a Geometria Sagrada São três as formas geométricas simples que estão na base da construção da existência: o círculo, o quadrado e o triângulo. Estas formas quando manifestadas tridimensionalmente produzem esferas, cubos e tetraedros, conhecidos como Sólidos Platónicos. Nós, os seres humanos, bem como os animais, plantas e minerais, somos todos feitos das mesmas partículas subatómicas e energias que são manifestadas na base do “desenho cósmico”. Quando entendemos estes padrões da vida, podemos aplicar esse conhecimento aliando as energias e propriedades dos Cristais à Geometria Sagrada. Tudo começa no ponto. Na sua singularidade, o ponto, situado no centro do círculo, equidistante do limite de toda a circunferência, é a unidade que engloba toda a existência e antecede todos os processos de criação. 30

Em Geometria Sagrada e nas Grelhas de Cristais o ponto representa a fonte da vida. O círculo, aquela que se acredita ser a mais antiga forma geométrica usada nas culturas de todos os tempos por humanos, é um símbolo sem príncipio nem im que pode ser desenhado com uma única e simples linha. Representa por isso o ininito e contém o poder do número 1. É o símbolo dos começos, do novo, da raíz, do nascimento, da origem de tudo. Podemos vê-lo representado nos anjos, na forma do Sol e da Lua, no movimento dos Planetas e das estrelas. Todo o movimento do Universo é feito de uma progressão de círculos. Toda a vida é circular, desde os electrões a moverem-se em redor do núcleo do átomo, ao planeta em redor do seu eixo e do Sol, ao Sol que orbita o centro da Galáxia. Considerada o útero do Universo, a Vessica Piscis, é um símbolo que APC MAGAZINE

resulta da união de dois círculos, ambos de igual diâmetro, desenhados de tal modo que a circunferência de um, toca o centro do outro criando uma zona comum em perfeito equilibrio e harmonia. Símbolo muito usado e respeitado nas culturas de todos os tempos, representa os Mundos Físico e Espiritual. A forma que resulta desta intersecção também chamada de Mandorla, é a porta de entrada para novas experiências, novos mundos e até mesmo outras dimensões, símbolo da dualidade, da criação dos opostos, da polaridade. É a região que une o céu e a terra, o superior e o inferior, o criador e a criação, considerada o símbolo da fertilidade, da união e do feminino. Podemos usar este símbolo nas grelhas de Cristais quando procuramos harmonia, compromisso, equilíbrio de forças ou o entendimento de diferentes pontos de vista. A Vessica Piscis é a base para a


RUBRICA

«Toda a vida é circular, desde os electrões a moverem-se em redor do núcleo do átomo, ao planeta em redor do seu eixo e do Sol, ao Sol que orbita o centro da Galáxia». compreenssão e descoberta de fórmulas e relações matemáticas, bem como de outras formas geométricas que se encontram mimetizadas no nosso corpo, na natureza e no cosmos. Numa abordagem matemática, é na Vessica Piscis que encontramos as coordenadas essenciais para calcularmos os ângulos de 30, 60 e 90 graus e obtermos o triângulo equilátero, a terceira forma geométrica essencial. Este dispositivo geométrico serviu de base aos nossos ancestrais para a construção de muitos templos, palácios e prédios importantes de tempos antigos. Carrega consigo a energia do número 3, da união do corpo, mente e espírito, combinando lógica, emoção e realidade.

Quando aponta para cima, o triângulo cria uma forma de chama ou fogo que ilumina a escuridão. Associada à energia masculina esta forma eleva a energia conectando com o Divino. Quando invertido, toma a forma de um copo ou vaso que suporta a àgua, ou espírito. Torna-se por isso um símbolo ligado à energia feminina que recebe e armazena a energia e informação espiritual. Conhecida como Estrela de David, esta forma hexagonal constituída por dois triângulos interligados, um apontando o vértice para cima, o outro apontando para baixo, pode ser encontrada em diversas culturas, na natureza e também na estrutura de diversos minerais e

cristais. A Estrela de David é por isso considerada como um símbolo de união dos opostos em perfeita harmonia e equilíbrio. Com origem no ponto, a Espiral, também ela um símbolo de união venerado pelos Celtas, revela-nos um caminho de movimento focado e de intensiicação energética. Podemos vê-la na via láctea, nos ilamentos do nosso ADN, em conchas e moluscos, na organização das sementes de um girassol e em inúmeros outros seres vivos. É também símbolo de Kundalini, essa corrente eléctrica concentrada na base da nossa coluna (chacra raiz ou Muladhara) representada por uma serpente enrolada, energia essa que quando activada percorre num movimento ascendente es-piralado de Luz Cósmica todos os nossos chacras até ao chacra da corôa, condição necessária para chegar a um estado de ascenção ou Nirvana. Outro símbolo da Geometria Sagrada já referido é a Semente da Vida ou Padrão de Génesis, símbolo associado aos sete dias da criação do planeta e da humanidade. Podemos observar a sua geometria nos cristais, nas lores e frutos, assim como mergulhada no centro da Flôr da Vida. A Semente da Vida dá origem a um longo processo criativo, cheio de potencial e energia que permite o desabrochar da lôr, sendo por isso considerada a base de toda a criação. A Flôr da vida é descrita como possuindo em si a essência do modelo

Cubo de Metatron. Grelha de cristais em pele, pirografada à mão por Patrícia Poção.

APC MAGAZINE

31


RUBRICA Cubo Metatron, com os Sólidos Platónicos. Grelha de cristais em pele pirografada manualmente.

do Universo. Muitos, senão todos os símbolos da Geometria Sagrada e até mesmo todos os alfabetos que conhecemos, podem ser encontrados nesta brilhante estrutura que é a Flôr da Vida, o que mostra visualmente que a linguagem é vibração. As geometrias hexagonais deste símbolo podem ser observados nos fractais que formam os cristais de quartzo, rubis, esmeraldas e sairas, entre outros. Constituída por 19 círculos interligados limitados por um ou dois círculos, podemos vê-la inscrita em diversos monumentos de todo mundo. Também contido na Flôr da Vida está o quadrado, uma das mais fortes estruturas geométricas, símbolo da simetria perfeita que pode ser visto em cristais como a pirite e noutras formações rochosas naturais. Os seus quatro lados representam as quatro direcções de um compasso, as quatro estações do ano, os quatro elementos (água, fogo, terra e ar), sendo por isso considerado um símbolo do elemento Terra associado ao mundo físico. Assim como o círculo, o quadrado é um símbolo de perfeição, de plenitude. Pode conter o círculo ou estar contido nele. É usado em grelhas de cristais quando procuramos encontrar os nossos limites ou lidar com começos ou ins. Estas e outras formas geométricas como a cruz, o pentágono, o hexágono, heptágono, o octágono, eneágono e docágono, podem ser encontrados na Flôr da Vida. É a partir deste ponto da nossa viagem que encontramos um dos mais ocultos segredos da nossa existên-

32

cia, desde sempre escondidos das sociedades. Se olharmos bem para a Flôr da vida vemos a existência de vários círculos incompletos na sua periferia. Ao completarmos esses círculos obtemos um padrão determinante na formação da realidade física, o Fruto da Vida. Este padrão de treze círculos é uma das formas mais sagradas em toda a existência material. O Tórus, o Ovo da vida e o Fruto da vida são os três padrões que nos permitem construir tudo aquilo que conhecemos como realidade tridimensional sem excepção, em todo o Universo. É graças ao Fruto da Vida que o número treze é considerado sagrado em todas as culturas antigas de nossa civilização. Vivemos num universo multidimensional que existe em treze diferentes níveis de consciência. O Cubo de Metatron representa um de treze sistemas universais de informação contidos no Fruto da vida. Nas linhas do Cubo de Metatron encontramos os sólidos platônicos, os tijolos básicos construtores da nossa realidade física da terceira dimensão. Os cinco sólidos mais tarde apelidados de Platonicos representam na Alquimia os cinco

APC MAGAZINE

elementos dos quais a nossa realidade material universal é composta. O cubo de Metatron demonstra-nos a verdade milenar de que toda a vida emerge, surge da mesma origem, do mesmo centro, da energia única, do Criador primordial. Nele estão contidos não só os sólidos Platónicos na sua for-ma tridimensional, mas também a Estrela da David, o círculo, o cubo, o Merkaba, a Flôr e a Semente da Vida. O seu nome deriva do anjo Metraton, um ser que se diz ser o responsável por todos os registos da história do Universo, os chamados registos Akashicos, estando por isso associado ao Divino e à sabedoria. É considerado um poderoso símbolo de protecção, puriicação e sabedoria. A Geometria Sagrada é a base de quase, senão todas, as grelhas de cristais que usamos e isso não acontece apenas porque são simétricas ou porque aparentam algo de místico. A estrutura cristalina da maior parte dos minerais, como fui referindo, é geométrica. Essas geometrias formam parte do poder sinergético das grelhas de Cristais.


RUBRICA «Vivemos num universo multidimensional que existe em treze diferentes níveis de consciência.»

Flôr da Vida, grelha de cristais em pele, com cristais de quartzo com clorite.

As formas e padrões microscópicos dos cristais ressoam com as impressões energéticas, frequências e vibrações que estão para além das grelhas de cristais. Os cristais quando colocados sobre as grelhas conectam os seus campos energéticos e ajudam à manifestação das nossas intenções no plano físico. No próximo artigo, falarei do Merkaba, a estrela tetraédrica que

serve de base geométrica ao nosso campo de energia e dos harmónicos de música contidos nos Sólidos Platónicos. Abordarei também as diversas combinações que podemos construir entre os símbolos da Geometria Sagrada e os cristais que usamos para propósitos de cura, protecção, abundância, relações amorosas e desenvolvimento espiritual. Particía Poção|

De cima para baixo: círculo; vessica piscis; estrela de Davi; evolução do cículo até à arvore da vida; fruto da vida.

Torus, num Crop Signe, com 238 metros, em Inglaterra, Milk Hill, Wiltshire em 2011.

APC MAGAZINE

33


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


ENTREVISTA Por Marisa Macedo

As orgonites - AnimaMundiOrgone Um objecto de cura, o termo “orgonite” foi inventado em meados da década de 1990 por Karl Welz. Pedro, artesão nesta área, apresenta-nos pela primeira vez as orgonites. Marisa: Em primeiro lugar queria agradecer-te a disponibilidade em cederes algum do teu tempo para nos ajudar a perceber um pouco mais sobre as Orgonites. Para quem está a ter uma primeira abordagem com este elemento, explica-nos o que é. Pedro: O orgonite é um bio transmutador de energia que acumula a energia que está em seu redor e a transforma em energia positiva, benéica para a nossa saúde. É muito utilizado para harmonizar e limpar a energia à sua volta e nos proteger da poluição electromagnética dos ambientes, torres de wireless, computadores, televisões, e também meditações, energização de alimentos, plantas, aura do nosso corpo, etc. Foi desenvolvido por Karl Welz nos anos 90 na altura em que explorava as descobertas de Wilhelm Reich (ex aluno de Sigmund Freud e colega de Carl Jung). M: E para ti, na tua realidade de "Pedro", em que fase te rendeste a este mundo e porque é que passou a fazer sentido para ti dedicares-te à execução de algo tão invulgar? P: Na altura da minha vida em que abracei os estudos holísticos do ponto de vista da medicina. Procurei estudar a medicina daqueles que foram assassinados pelos governos secretos e procurar perceber o que não lhes convém que descubramos. Após realizar as primeiras peças, percebi na reacção natural das pessoas quando se deparavam com as peças que elas emanavam algo de mui-

to especial. E inicialmente não era pela beleza das peças, pois as primeiras que realizei não tinham “decoração”. Ofereci muitas peças a amigos que não conseguiam adormecer, para as colocar por baixo da cama, recebendo depois os relatos que estavam a dormir como não dormiam há anos. Muitos relatos similares aconteciam, o que me izeram render às evidências de que o orgonite actuava metaisicamente na energia à sua volta.

APC MAGAZINE

Orgone device Flower of Life Flor da Vida - com cristais para os 7 chacras

35


Orgonite com lápiz-lazúli

Email/ETSY Pe_drinha@yahoo.com

M: Queres dizer então que há todo um conjunto de regras e de elementos que têm de estar presentes individualmente em cada peça para que a mesma funcione ou basta a intenção de que as faz? P: Hum... não sei responder a essa pergunta.... mas pela minha experiência tudo funciona num equilíbrio entre os dois factores que acabaste de mencionar. Com os relatos dos mais sensitivos, ao longo do tempo, reparei que as peças que realizei em alturas em que tinha o coração mais aberto para a vida ou estava em alturas de maior conexão com o universo, as peças icaram com “mais energia”, factor que me deixou bastante surpreso e rendido às teorias da dupla fenda na física quântica, de que tudo no universo é pensamento materializado. M: E há algum tipo de cristal que tenha de fazer parte das tuas Orgonites? Quais são os que gostas de usar? P: Não formei ideias em relação à preferência de um cristal, mas tenho um carinho pessoal pelos cristais em bruto que recolho directamente da natureza. Preiro caminhar e pedir às montanhas para trazer cristais para casa.... tem quartzos brancos e rosas em abundância no Gerês, obsidianas na ilha Terceira, quartzos vermelho alaranjados nas serras em redor de Viseu. Existem muitos lugares mágicos no nosso país.

36

M: Pedro, já trabalhas nesta área há mais de 3 anos, tens alguma peça em que pelos cristais e simbologia que decidiste aplicar, nos queiras contar um pouco mais sobre porque é que se tornou especial? P: Em relação a isso não posso responder..... como deves compreender há coisas pessoais que são para serem mantidas dessa forma. M: Tendo em conta que os nossos seguidores se interessam muito com o seu bem estar e com o equilíbrio dos espaços que frequentam, gostava que, segundo a tua experiência pessoal, nos falasses um pouco mais sobre o efeito que as Orgonites podem ter quando colocadas num local especíico, bem como quando são usadas directamente no corpo (por exemplo sobre a forma de um colar). P: Nas minhas primeiras investigações sobre estes dispositivos de energia, reparei que estavam a ser amplamente usados em locais onde a energia era “densa”; tais como hospitais, cemitérios, lugares onde haviam decorrido batalhas antigas, por baixo de antenas de telecomunicação; divulgando relatos de melhorias consideráveis na polarização da energia. Por outras palavras, havia uma limpeza energética.... factor que acabei por comprovar na minha experiência pessoal. Os colares acabam por icar colocados na proximidade de um lugar muito especial para todos nós... o chacra do coração. Como trabalho pessoal cada um oferece relatos consoante as suas

APC MAGAZINE

https://www.etsy.com/ pt/shop/ AnimaMundiOrgone

A LOJA ''Movimento em espiral A loja aconteceu numa longa e gratiicante travessia pela sabedoria daqueles que a caminharam e que se tornaram um canal para que chegasse ate nós. Sabedoria essa que mora em todo o lado, e

ETSY.com sempre espera a nossa visita, nos preenche, viaja por dentro, para encontrar saída em ti, que procuras logo encontras. Bem vindo Bem hajas Querido irmão e irmã''.


ENTREVISTA Árvore da vida + pedras dos 7 Chakras orgone device

mas a minha intuição sempre oferece a mesma resposta... o exercício da escolha é um poder que não deves dar a ninguém.... é como colher uma lor num jardim.... naturalmente não pedes a ninguém para escolher uma lor para que a possas colher.

Manta Orgonica

experiências íntimas e pessoais sendo eles todos diferentes, embora já ouvisse algum casos bem parecidos. Ele “mexe” connosco de alguma forma que nunca vou saber explicar como.... apenas posso observar que “mexe”. M: Acredito que individualmente tenhas alguns conselhos que possas dar a cada pessoa que te procura em função da sua prioridade, mas no geral, tens algum tipo de Orgonite que gostasses de recomendar? P: Muitas pessoas me perguntam isso

M: Excelente resposta! Em nome da APC deixo-te a minha gratidão por esta partilha tão interessante! Tenho a certeza que tal como eu, os nossos seguidores vão querer pesquisar e saber ainda mais sobre este mundo maravilhoso. Para terminar diz-nos como te podemos contactar e como podemos fazer para adquirir uma das tuas obras de arte. P: De momento eu não estou a morar em Portugal, embora passe muito tempo aqui com a minha família. Podem contactar-me por e-mail ou visitar a minha loja internacional na ETSY, de onde envio pelo correio para as pessoas que se mostram interessadas... Muita gratidão também para todos vocês na APC...Gratidão pelo convite para participar na terceira edição da vossa revista e aprecio muito o vosso precioso trabalho de divulgação. Bem hajam!

APC MAGAZINE

Cubo de Metatron Orgone device com cristais para os 7 chacras

''(...) o exercício da escolha é um poder que não deves dar a ninguém.... é como colher uma lor num jardim (...)''

37


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


CONTOS MÁGICOS

Ilustrações de Ana Moreira - Pintar a alma e usá-la ao vento.

No coração do Pássaro e do Homem Ali, no vazio de uma gaiola, movendo-se como uma sombra, vivia um pássaro. Ele estava fraco, triste. O olhar brilhante de lágrimas chocava nas paredes húmidas do sótão velho. Não saberia dizer quanto tempo estava ali, preso, desejando o som das coisas vivas e felizes. O pássaro conhecera grandes planícies, montanhas, mares, rios e terras admiráveis. Encontrara-se com os dragões da Água e do Fogo, com os elfos da Floresta Nocturna, com os duendes das Terras Altas, que entravam no brilho da noite e dançavam com as estrelas que pin-

gavam sonhos para a cidade. O pássaro era, pois, um grande conhecedor do mundo. De súbito, o barulho de chaves a rodar, o ranger da porta a abrir-se e o som do ar frio a ser arrastado. O homem aproximou-se e suspirou in-quieto antes de se sentar diante do pássaro. Fez-se um longo silêncio. Nem pareciam respirar, cada um voltado para um lugar dentro do corpo, sensível e sombrio. Finalmente, o homem falou. Num murmúrio contínuo, contou o momento em que o menino mergulhara nas ondas grandes e não voltara.

APC MAGAZINE

O mar tinha tomado e escondido o corpo do seu ilho, talvez atrás das plantas, das pedras, dentro dos peixes de barriga cheia, entre os destroços dos barcos mortos, sob as areias inas de cristais líquidos. Como saber? À noite, só a dor o adormecia, retorcido em espiral como a concha do mar. Inesperadamente, um raio de Sol de ouro único, puríssimo, encheu de luz o sótão velho, e o homem, que tinha prendido o coração há tanto tempo, sentiu, naquele ins-tante, um murmúrio doce, que subia e descia dentro de si como

39


CONTOS MÁGICOS penas esvoaçantes. Ao mesmo ritmo, a tristeza desprendia-se do pássaro, que permanecia num silêncio profundo a observar radiante a beleza do mundo desde as nuvens.

Momentos depois, o homem abriu a gaiola, abraçou e beijou o pás-saro, e logo o levou até ao grande manto colorido de lírios e gladíolos que abraçava a casa. Com o olhar brilhante de amor, o pássaro pousou a asa na mão do homem, que se abria como uma lor na alvorada. Desde então, o pássaro costuma visitar o homem. Fala-lhe dos dragões da Água e do Fogo, dos elfos da Floresta Nocturna, dos duendes das Terras Altas e de tantas outras criaturas extraordinárias. A vida sussurra os seus tesouros, os seus mistérios; então, o pássaro fala do menino que mergulhara nas ondas grandes e não voltara. Explica que o menino não partira. Ele está bem ali, feliz, no coração do mar oceânico, entre peixes alegres e plantas mágicas. Mas quando o vento sopra a melodia doce das fadas da Floresta Antiga, o riso do menino chega de todos os lados, mesmo os inimagináveis, como se fosse a sinfonia única da Mãe Terra a ressoar o canto de um anjo.

Ilustrações de Ana Moreira Pintar a alma e usá-la ao vento.

O homem, agora, adormece com o riso solar do menino a encher-lhe o coração.

Sara Correia| www.saracorreia.pt

40

APC MAGAZINE


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


LE MAGAZINE- JANVIER 2014


PORTFOLIO

www.associacaoportuguesadecristaloetrapia.com

http://ojardimdelotus.blogspot.pt

robinsonweiske@hotmail.com

susanamariacolectivocasabrahma@gmail.com

www.kailash-artforenergy.com

APC MAGAZINE

43


LE MAGAZINE- JANVIER 2014

APC Magazine #3 2017  

A terceira edição da revista APC Magazine. O tema são as Turmalinas, uma viagem ao mundo maravilhoso deste mineral. Entre outros temas da es...

APC Magazine #3 2017  

A terceira edição da revista APC Magazine. O tema são as Turmalinas, uma viagem ao mundo maravilhoso deste mineral. Entre outros temas da es...

Advertisement