Issuu on Google+

1/1

O V

A

R

I

G

MEMBRO 0* IMTCflKATIOKAL AIR TRAKSPORT AI80CUTI0N

9

Rio

RIDOZ - 1 1 3 / 9 0

de J a n e i r o ,

1k

de f e v e r e i r o

de 1 9 9 0

i

Sr limo. Sr. Brigadeiro do A r R o n s l d E d u a r d o C o m a n d a n t e do NUCQMDABRA M i n i s t é r i o da A e r o n á u t i c a B r a a í l i a - D.F.

Prezado

Jaeckel <

Senhor

A c u s a m o s o r e c e b i m e n t o de s e u Ofício 097/CMD0/C-201 , d a t a d o z e m b r o de 1 9 8 9 , o q u a l a g r a d e c e m o s com p r a z e r s u a a t e n ç ã o .

de. 26 de de

I n f o r m a m o s que a t e n d e r e m o s BUS solicitação, quando h o u v e r q u a l q u e r t o s o b r e O b j e t o s V o a d o r e s Não I d e n t i f i c a d o s ( O V N I ) , q u e p o r v e n t u r a nham a B e r o b s e r v a d o s no n o s s o espaço a é r e o , p o r a e r o n a v e g a n t e s da presa. Sem

m a i s jpara

o momento,

Atenciosamente,

8

M i l t o n José C o m e r l a t o D i r e t o r de O p e r a ç õ e s

/SMDN

rela veem-


L/Jb CONFIDENCIAL NPA/W./SCO

. ANEXO III QUESTIONÁRIO DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO

PA/.0.3./.9-0

\}A :3.3.':

' 1 01 - Como e quando f o i que notou p e j a (OVNI)? t

e

r

a 0

• : .1 ....!•. p r i m e i r a y e s os o b j e t o s !

I

r

k°S.°. ?P??. , . . . ???s. A .

.P.°. . .Parã de .Mi lias :I ! I1

I 1. ) jíl 1

02 - Posição do o b j e t o (OVNI)

'• 1

I '. 11

a - Distância * d o o b j e t o em relação aq observador 60NM .

>•

1

. *, t1

n i v U i o

• • 'r.>

.. . . . . . .

c - Posição em relação aos pontos c a r d e a i s

11

(azimute):

;

5E - NW

» *p• *• •-• . . . . . .

........

•••••••

:I

P. • • p •

I mm*

03 - Descrição do objeto: 1 i a - Forma :,

. . ..QicçuUc.;.. .

O

Tamanho; :

C

Cor

1:

• ••••'t|tfl*fff«l

Aproximadamente o tamanho de um LGARJET

: ;..Prateado

d - Velocídrtde : .

1

1

b - A l t u r a * 70.000' v

1 i 1

Não

N 1* - Rar.tro : . | o .

'.'•4 - Ou*::t j dhdr : .01... i

. ..

l'l> - Voando p r ó x i m o \\:n do o u t r o ?

A3-1

CONTU) F.NCIAL

1

h; |!


NPA/57./8CO 06 - Trajetória:: . „• „ Com .Rçoa. .aRr.gxiraada.dei3009><i

07 - Duração da observação : 30 mi n '"h

|;-:

í

j .

1

06 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( sejiacompanhado, pessoas ) : " j ' • ' • ' {

..5.(çjoçp).

quantas

...J

09 - Existência de provas físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras ) • ^ Q • * « • - • * • • * • • • * • • • • • • • * * •>*«p* •>•* • #*• • • • • • • * • • •'•"••^'«v V * V *

10 - Observação a o l h o nú'ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? ; 0]hp nu j ELTSÉSE1'" 11 - C o n d i ç õ e B d e t e m p o presente ( m e t e o r o l ó g i c a s ) :

.yjsuíü

.v.

12 - Dados p e s s o a i s do, observador : 'i*'í a - nome • Araujo Si 1va T e r c e i r o • b - endr : WtiPPVr&PJ&tâJ&XVt.fà c - idade: . d - grau de instrução : .2.9. . .iJi. e - ocupação p r i n c i p a l : PAloAq . f - possui ou n ã o conhecimentos técnicos sobre OVNI? (caso a f i r m a t i v o , quais ) : .Sim, j f Q i .Bllçto da .Guarda Rac.i on a 1. Ame r.i cana :

13

{•'Oito o u g r a d u a ç ã o e nome cie qut-m r e c e b e u

a informarão

* 3S* DOCA* "' *' 14 - Dados complementares ;. .0 qbjetoaçonipanhou^ a ACFT n o , s e u , p e r c u r s o de Para de Minas a t e proximo"á'ÈràsTliã'

A3-2

C O M Í

ÍÍLNCIAL


1 CONFIDENCIAL Ol/Wf/P?

* T

~~

NPA/W./SCO

ANEXO III

!

Z

9

DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO :9. /P.4/. P

QQ :?Q:? .

01 - Como e quando f o i que notou p e l a (OVNI)?

primeira

vez os

objetos

Mais ou menos ãs 21:00 { ? ) , aproximadamente a esguerda da residência'db Presidente, e. 9$. yç?e% eij ç{m4

02 - Posição do o b j e t o (OVNI): •

•'

..

a - Distância do o b j e t o em relação ao observador:

c - Posição em relação aos pontos c a r d e a i s ( a z i m u t e ) : Este . 03 - Descrição do o b j e t o :

1

}

a - Forma : # J t f M f o r m a i , .maj^ . p r o j e ç l o . P9ra. um. p f r p u ) p.. ;

c - Cor -

V i r i a s cores . Parecendo Azul e Vermelho

d - Velocidade : o _ f^gj •

'<

. n e n h u m a ( d e s l o ç a y a : s e . lentamente.)., j

Não t i n h a

f - Pa«tro • Sõ uma pequena

• luminosidade

-• Ouar.t idade : . . W A » . < 9 Al9).?.??. - Voando'próximo-um do o u t r o ? Não

A3-1

CONFIDENCIAL

I . . .

! |


mm

CONFIDENCIAL NPA/57. ./SCO

p.vjwy/8? Trajetória :

07 - DqracSo da observação : A8. JAZM J M U .QU .rações, .roe J a. bora.

08 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoas ) : .. .C.ojl .0.3. A4HUQ* A .01 .cciaoça 09 - Existência de provas físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras )

10 - Observação a o l h o nú ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ?

11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) : Ppa.s... C.eu. AatOmeAte. .dano

12 - Dados p e s s o a i s do observador : a - nome : . A n i . Kar.U J t o U l g u e s . Bocel 1 a r i . (577.3206}. b - endr : . S g X .U .Qqii .5 .Casa .0« . c - idade: .3.5 anos, , d - grau de instrução : . .$tiRÇCÍQC e - ocupação p r i n c i p a l : .QojQexciftQtQ f - possui ou h ã o conhecimentos t é c g i c ó s sobre OVNI? (caso a f i r m a t i v o , quais ).:...9M

13 - Posto ou greduaçèo e nome de quem recebeu a informação JjAMAB

14

Dados compiementares : . /*Ma.. .aRa,r.e,ç.ta .HQ

.nadar .tVftttO, C0D tato. Ç.° - a. TKR.. pja. .também .nada .avistava.....: 7 m

A3-2

CONÍil CNC1AL I _

^

^"Cticiséâè


CONFIDENCIAL 1 01 yUOV/89

NPA/57./SCÜ

ANEXO in QUESTIONÁRIO DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO : 10/0.4./SP

22. £.2. f . .

01 - Como e quando f o i que notou p e l a (OVNI)?

primeira

vez os

objetos

2 .observador .saiy .5 J a n e j a . de. ?sw. »p*rX*flWi.U). P A T . .vjal.ta. .das 22:.T5P .e . y l q .ÍUÍÇÇ .que.a. prjjicip.tû. j j O g n j j . .sfir. .r.e.f.l.exo.... Ao t a r o t .de .caccos 02 - Posição do o b j e t o (OVNI): • a - Distância do o b j e t o em relação ao observador: A.P.r.QXjrça.da.iBgnte. 5.ftp.{o. ph5£j«J/âAÍDr. PZXMX Jia. AAS. 7... A Q,.QVU .^Qtjrç .a. .agua.mi n e r a l J b - A l t u r a : ^ o . c o n s e g u i u , est.ijnar. c r Posição iça em relação aos pontos c a r d e a i s ( a z i m u t e ) : No r t e 03 - Descrição do o b j e t o : a - Forma : .Çtrçylat Tamanho : R«V»tiyo.ap. PJane.ta. yê/ujj. Cor

:

. Ver^rae lha

V e i o c i d a c e : bastante.rápido - f i" - Har.tro •.'•4 - Ouar.t j d f t d c -

Não Não Nove

l>£> - Voando próximo um do o u t r o ? Ql.ncq .o.bj.e.tiqs.fc .d.eRQis .qgatro,. depois, um.. iso.Udo-

A31 COísiriDENClAL


06 - Trajetória :

07 - Duração da observação : . Cinco segundos .(aproximadamente)

06 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoas- ) :

. .$.0.z.tn.n.0. 09 - Existência de proves físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras ) [ J*ao ...... .......•..•«.»-••*••••••*••••••"•"**•**"*•*

10 - Observação a o l h o nú„ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? .O.b.s.e.rA«4Q .q .q\hq M .. ...y.\................

...

11 - Condições de tempo p r e s e n t e (meteorológicas) : .CAU .QUHQ .sem .nuveos

12 - Dados pessoais do observador : a - nome : . H u e r t o . F r e i t a s . . « ^ u * . b - endr : Mí X M t . \li.Ap.1});rr. JpJ;. .233,W...8.6.. âíítffe» c - idade: .H.QQQS d - grau de instrução : ?¥P?r?9r e - ocupação p r i n c i p a l : Engeppp.1 TP. FJ Pre?.ta."l. .{Ajgrjô.n.orao).. ", f - possui ou nao conhecimentos técnicos sobre 0VWI? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) :.Nap

13 - &°*£o. ou graduação e nome de gm-m recebeu a informação t.5. .nkRrjANDÇZ

14 - Dados complementares :.No.Ttem. 5^. p. observador r e l a t o u a i n da .que .o . u l t i m o . o b j e t o . p o s s u j a . p. dpbrp. sip. MmXra dq's.' 'aintje r.i.Qr.es. .e .deslQcava-rse.mais. lentamente..

A3-2

C O l \ ' í il L N Ç I A L I


K l

CONFIDENCr %ii

1

i / f

1

' OVNI ' QUESTIONÁRIO

DATA/HORA DA R E C E P Ç Ã O :

£) j j Ag/g

01 - Como e quando f o i que n o t o u p e l a p r i m e i r a vez os o b j e t o s (OVNI)?

1 J & £ 02 - P o s i ç ã o do o b j e t o

(OVNI):

a - D i s t a n c i a do o b j e t o (OVNI) em r e l a ç ã o ao o b s e r v a d o r :

. :

b T Altura:

c - P o s i ç ã o em relação aos p o n t o s c a r d e a i s

03 - D e s c r i ç ã o do o b j e t o a - Forma:

(azimute):

(OVNI):

T^M/WO

b - Tamanho: íttAÍNt

:

PrT KJMtí

Cj^üMA

ÇW£fTLa

EXTCeVa.

c - c o r : PtATmoa

('Z>MM1 _

d - Velocidade:

e - Som: f - Rastro: 04 - Quantidade:

, g/ íià&L

05 - Voando p r ó x i m o um do o u t r o ?

CONFIDENCIAL

'.


Eté*. e»\>eero & Muf*lk* ,0*0***1** **


i/É

SERVIÇO

SERVIÇO REGIONAL

Of N9 O ^ l / D O / ^ Q j Q

PUBLICO

FEDERAL

DB P R O T E Ç Ã O

AO

VOO

Manaus, 2 1

PS MANAUS

Max 90

Do

Chefe

Ao

S r C h e f e do C e n t r o D e f e s a Aérea

Assunto: D i r e t r i z Anexo

de O p e r a ç õ e s d a

Específica

: 0 1 - C ó p i a a u t ê n t i c a do LRO do RCC PV, 2 9 t u r n o do d i a 2 5 Mar 9 0 . 02 - Q u e s t i o n á r i o referente ao a n e x o I d a d i r e t r i z específica 04/89.

Encaminho-vos grafe,

de a c o r d o

coo a D i r e t r i z

Específica

e

o s d o c u m e n t o s em

epí-

04/89.

do SRPV

UES - T e n C e l Av - Manaus

LGAP/MACS Cópia:

PTCL Total

PROTOCOLO

M. Aer


yt **V-

'""'I-"-

SERVIÇO HEG: SgSTAC.

P a r t e n» 0 1 0 / K )

•9 .-'U

©•AERONÁUTICA DE PÍS?IIÇÍO AO VOO DE MANAUS PSOTBCfe AO V Ô O UB PORTO TBXHO

P o r t o V e l h o , 02 Y a i 90 Do Chefe Ao Sr Chefe do SRPVMN Assunto: D i r e t r i z E s p e c í f i c a Anexo: 0 1 - Copia A u t ê n t i c a do IRO do RCC P V , 2 » Turno do d i a 25

Tíar 90 02V Q u e s t i o n á r i o r e f e r e n t e ao anexo I da r e f e r i d a diretriz.

Remeto-vos, p a r a as d e v i d a s provldên c i a s , conforme p r e v i s t o na D i r e t r i z E s p e c í f i c a 04/89, o c o n s t a n t e do

- Maj.-Esp.-COll. - P o r t o Velho

*tM» . m u n i a


MINISTÉRIO DA A E R O N Á U T I C A SBRVTÇO REGIONAL DE P R O T E Ç l O AO VOO DE MANAUS DESTACAMENTO DE F R O T B Ç Í O AO VOO DE PORTO VEIHO

CÓPIA AUTÊNTICA

2« TURNO: 2503901600/22OOZ I - RCC FV - Recebimento do S e r v i ç o : Recebo c i e n t e das ordens em v i g o r , I I - Equipe de S e r v i ç o : 2S F r a n ç a . III-Ocorrên c i a s : FFH r e c e b i do OEA Marco de YH a s e g u i n t e i n f o r m a ç ã o : O S r

Wilson

V o l v e r f e r m a i e r proprietário do supermercado l o c a l de V i l h e n a procurou^tÊÊf

WÊÊÈmWÊÊm** a TASA-VH p a r a i n f o r m a r que observou no ceu à s

uma l u z

f o r t e (maior que o tamanho do s o l ) c o r amarelo p a r a vermelho com grande ' v e l o c i d a d e em s e n t i d o r e t o com h o r i z o n t e deixando um r a s t r o de f u m a ç a que permaneceu p o r 1 m i n no ceu apos o choque com o s o l o . Aguardo informações mais c o n c r e t a s f e i t a ligação 321 1741 p a r a c a p t a r os dados a c i m a » I n f o r m a do o Maj E c i l d o n eo Maj Edson. I V - Passagem do S e r v i ç o : Permaneço de so-

^ÊÊ^&W^MiÊ^lti^ ', ^ .;. < . ' 0

./••. .•^-

P o r t o V e l h o , 02 de Maio de 1990

CONFERE COM 0 ORIGINAL

Maj.-Esp.-COM. P o r t o Velho


MINISTÉRIO SA A E R O N Á U T I C A SERVIÇO RBfflONAX DE Í H Ò T I Ç l O AO V Ô O DE MANAUS DESTACAMENtp DE PROTEÇÃO AO VOO DE PORTO VELHO

• i «ir"

QUESTIONÁRIO REFERENTE AO ANEXO I DIRETRIZ E S P E C Í F I C A RS 04/89

1 R 2 R 3 R 4 R _ W

5 R 6 R 7 R 8 R 9 R 10 R 11 R

12 0

R 13 R 14 R

Como e quando f o i que n o t o u p e l a 1» vez os o b j e t o s ? - P o i p o r o o n t a t o v i s u a l e n t r e 1830Q e 1840Q do d i a 240390. Quantos eram e em que posição estavam? - E r a um o b j e t o e sua posição e r a nas p r o x i m i d a d e s do s o l . Estavam voando p r ó x i m o um do o u t r o ? - Era somente um. Pode d e s c r e v e r o o b j e t o ? - P a r e c i a uma e s t r e l a descendo e quando se aproximava f i c a v a mais forte. Forma? - Forma de l u z f o r t e . Tamanho? - E r a m a i o r do que o s o l que se apresentava p r ó x i m o do h o r i z o n t e . Cor? - Amarelo c o r de f o g o tendendo p a r a o.3vermelho. Formação? - Rio se apresentava em f o r m a ç ã o . Som? - Rao f o i o u v i d o . Rastro? - R a s t r o de f u m a ç a i g u a l dos aviões a j a t o * Velocidade? - V e l o c i d a d e maior que a v e l o c i d a d e de um j a t o umas 100 (cem) v e z e s .

TSé^táriéty.

- Linha r e t a . Profundidade? - Desconhecida Período de duração da observação? - Mais ou menos 30 ( t r i n t a ) segundos a l u z e a f u m a ç a f i c o u no ceu p o r mais 60 ( s e s s e n t a ) segundos. 1 5 - 0 o b j e t o mudou de aparência? de c o r ? R - Não 16 - Estava sozinho ou acompanhado? no caso a f i r m a t i v o p o r quantas p e s soas? R - Estava em f r e n t e o supermercado de sua p r o p r i e d a d e e t e v e tempo ' de chamar sua esposa e a esposa do promotor p u b l i c o da c i d a d e . 17 - Distância e n t r e o ponto de observação e o OVNI? R - Mais ou menos 50 Km. 18 - Duração da observação? R - 30 ( t r i n t a ) segundos. 19 - E x i s t ê n c i a de p r o v a s f í s i c a s ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras)? R - Nao. 20 - Observação a o l h o n u ou com algum d i s p o s i t i v o ó t i c o ? R - A olho n ú . 21 - Condições de tempo p r e s e n t e (meteorológicas)? R - Tempo l i m p o , céu c l a r o *


AjUC

.03.01, j ) . *

1

*/ * 5

QPSTIONJHIO RKFKREflTE AO ANEXO I DIRETRIZ ESPECIFICA N « 04/69

22 -

Cont.

Dados p e s s o a i s do observador: nome: WILSON VOLVER FERMAIER e n d e r e ç o : Rua M a j o r Amarante 4177, Vilhena-RO i d a d e : 45 anos ocupação p r i n c i p a l : Proprietário de supermercado.

23 - Possui o u n â o conhecimentos t é c n i c o s , no caso a f i r m a t i v o q u a i s ? R -Não.

Jfe

24 - Dados complementares? - T e l e f o n e do Sr WILSON VOLVERFERMAIER (069) 3 2 1 1741 - P o s s í v e l l o c a l da queda do o b j e t o , na d i r e ç ã o da Fazenda Chopinguai a à 40 ou 50 Em de V i l h e n a . - As informações f o r a m v e r i f i c a d a s p e l o TEN PM NENA MENDES que eBteve 1 ate bem próximo do l o c a l da s u p o s t a queda do o b j e t o e n ã o conseguiu * p r o s s e g u i r d e v i d o a mata serde d i f i c i l p e n e t r a ç ã o , porem c o l h e u i n f o r ção dos moradores que confirmaram as i n f o r m a ç õ e s do Sr WILSON.

tf?* +


Mi •

DATÀ/foOFA DA RECEPÇKO:^£j

01 - Corno e quando

02 - P o s i ç ã o do objeÇq-ÇéjlJI);:

- P o s i ç ã o em relação r e l a ç ã o ,aps ,aos pp oo nn tt oo ss cc aa rr dd ee aa ii ss ia? (azimute): 03 - D e s c r i ç ã o do o b j e t o :(0VNI),: || a•- Forma:

I !

,UfMn(iti

ir ! l• i

1 j-

b - Tamanho c d - Velocidade:,! n

,1-Ü \.

j

• • i . •/' j l w

i t 71

.' •

ai

,

e - Som:_ f

Rastro:

04 - Quantidade:

05 - Voando p r ó x i m o um do o u t r o ?

-T

.25 MÚfLlWi rCOHFID.,.C) J i l


I OÇ - T r a j e t ó r i a ; 1 H

ri

07 - D u r a ç ã o da obse

A

^

Banhado, poLr 4 quantas *íí * Pi1 if:.-'

08 - Estava sozinho, pessoas).

7 i r I

tímé, a m p s t r a s j ?

09, - E x i s t ê n c c i à do!

1.1"'

ri

II ifçpm i k Lgum

10 - O b s e r v a ç ã o ; a bbúpO-í

11 - C o n d i ç õ e s de tempo '-^e.sente 1 (ireteorc>lp|$ças):

•SM

LI :

I: 1

12 - Dados p e s s o a i s ü p o b s e r v a d o r ?

I - endereço

*7 ••/ i: • •

- idade: - g r a u de i n s t r u ç ã p ;

7* •ffMtjui' Z

JàlL itoteiutf ^''.WIJUÍ. attauc» - ocupação p r i n c i p a l ; ' UgáM^È - p o s s u i ou rtãp conhecimentos^ t é c n i c o s a c b r é o b j e t o s voadores não i d e n t i f i c a d o s ? (caso a f i r m a t i v o quais)': Jfúafrj aJjjAüÉ^

ftAQ¥ffi\

JáòmlíM

i&aàõé

/«'tiatrmbw

13 - Dados complementares ( r e l a t a r : no v e r s o ) ; 14 - Posto ou g r a d u a ç ã o e vnomé de! quem recebeu a i n f o r m a ç ã o ,

COHBlDEF"n t

l5 H


•:J<\: -

: 'vil

CONFIDENCIAL >.0l vHOV/89

NPA/H.ygcjãl

ANSXO I I I

,1 : • i'

QUESTIONÁRIO

i

CATA/HORA/ DA RECEPÇÃO i&l/JV./AO

Q l tfQ

01 - Como e guando f o i que notou p e l a (OVNI)?

primeira

vez os ob.jet.os'

.Sobrevoando ti'

ri

r

02 - Posição do o b j e t o (OVNI):

I

I

a - Distância do o b j e t o em relação ao observador: PQS.3^$.da.9erppaye I

b - Altura :

.Cl?1f9

.

c - P o s i ç ã o em relação aos pontos c a r d e a i s ( a z i m u t e )

03 - Descrição do o b j e t o : a - Forma :

.

.^WMYf.

b - Ta:::nh c - Cor : g

d - VfiecíoVtdi» —

c

i

í - fcertro : ... úuar.t 3 dftdr : &Z. - Vofctiiio prôxijiio WH do o u t r o ?

JUÍp

A3-1

CONTI CENCI AL

:

..

;


CONFIDENCIAL NPA/57./SÇO TreJet . PP5.

• ••• *

r . Kjiw>. d*. AfAs.Ume.ntQ..

V,.... ;-|

07 - Duração da observação : Duraceo da Q5.çiJPliíP$

06 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( ee acompanhado, quantas ' h\ >»s«oa» ) : , ! ' >;'jft,Q4.p»$?PA9 .<J ! 09 - Existência de provas f i s i c a a Nao .......

{ f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras

lií i :

10 - Observação a o l h o n ú ou com algum d i s p o s i t i v o

AVtó.ii.vttÁ...-

ótico ?

;:,\.

'-i

il i • » I • i . i

• . I:

11 - Condições tempo presente (meteorológicas) Jondlçoes de ae t

lis;

i*

i i' •i• i. : *

12 - Dados p e s s o a i s do observador : a f nome : . endr : M\ .An«CtC9oa. 3 5 6 * . T W J W r S P idade: M ... grau de instrução : 29.arau. compjeío ocupação p r i n c i p a l :Aerpndlita .., possui pu n à o conhecimentos t é c n i c o s sobre 0VUI? (caso a f i r m a t i v o , quais ) :. N?P.

de «aut-m qui-m recebeu a informação 13 - Posto ou g r a d u a ç ã o e nc-me de rec

2s

ACT

oßm ODXR

oxuml. mm

14 - Dados complementares : 1

._ , J W f J W P . Í t . CPrPÍJptP. dp. JfRß. ... Í 5 A . JUX ÄomejitA .da .ocorcêocJa....:

CO. A M M . ^ A W M X » . »

A3-2

C O N Í i i LNCIAL

i- I I \ I' I-

. j *• • I

/• I II

>i


M* CONFIDENCIAL

m

01 y NOV/89

NPA/P7./SCtij •* i •I

ANítt* U I jamflBáEifl DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO :UAl .AO

i g

SB*./ •

r

; I

I

01:21:22

0 1 - Como e quando f o i que notou p e l a (OVNI)? BDk 2*0. PAX .-. Auma .NE

02 - Posição do o b j e t o

primeira

v

vez os

objetos

FT.Radar

(OVNI):

a - Distância do o b j e t o em relação ao observador:

b - A l t u r a :.....".

..

c - Posição em relação aos pontos c a r d e a i s ( a z i m u t e )

I

03 - Descrição do o b j e t o :

4.

a - Forma :

7

b - Taacnhç :

T

c - Cor

:

3 PP/J 70.

d - Vf-iOCi Offrit*

í -

;....

fcartrr.

: . $ÍIJ».

•4 - i.-uu!:t i d*dc : Q] . (yqr).. pjp.te. pr.1mir.1j0. I

i

l»t< - VCOIMÍO iM'o>::«hO u:n do o u t r o ?

A3'1

CONFIDENCIAL •

:

- > — — —

6


CONFIDENCIAL] PfrWlf* :' !

i

'

~

!

! i i

{ !

'•

NPA/ft ./SCO

.1...... I.... 11! 1 V . ' . ' , i

• s

07 - Durac&o da observação : s ,...P?.P»ÍW.tP. .

t...

{ V. { S

08 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas •', pessoas ) : í .Q?.pesspas j; i « 09 - Existência de provas físicas ( , f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras I'M .Hw i •

-

-

ii 1 ! j !

' 10 - Observação a o l h o nú ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? .vb$eryaçíPvfiliar .

5

11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) :

!

: 1 .. !

_ Trajet* i . c a 1 í z a p d " .çrwjwv.-A,ip. . . . . . A°. ., .°..f0rC?Avo*.?.?!r?T

— ' . . ' . . . . .M

l

• h}

aççMQjn.çm.im

:

•.:;í i . iS I', \ •;.:•! ;{

:

! :

{

. •

12 - Dados pessoais do observador : a - nome : fni$t$.W$^K Â% ÀViVí b - endr : R,. Ferpapdp. A7.e.v.e.d.q. .US* AW AU Â?M AmÇf c - idade: 27, 9PP5 d - grau de instrução : 2.9. QTAU. .CQJIIlUtO, .. e - ocupação p r i n c i p a l ; CojntrxLladon .de .Vâa r f - possui ou n ã o conhecimentos técnicos sobre OVUI? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) :. .15°.

i. • ! , i ! ! J

13 - Posto ou graduação e nome de out-m recebeu a informação : . ,2§. BCT.a0B6E.0PJR. P I . PJ..I.V.E.IR.A. .F.MHQQ

14 - Dados complementares : | h l .O.çpotroJe.Rv. JpfP.a Pflí.t.e.r.i.o.rme.nte. mMKmJtnm.•.» : 6 n s ....tçi", aparpÇJdP. pp. r. .d.".r.. J W t w l A .9SAP.\ . A . ."teçni ç o s .

A3-2

CONfilLNClAL I

.


Of NO

/4SC2/

Brasllia-DF,

22 Ago 90

Do v i c e - C h e f e

Ao Exmo Sr Comandante do N ú c l e o do Co mando de Defesa A e r o e s p a c i a l BrasT leiro Assunto:

OVNI

Anexo

C a r t a do Sr C l á u d i o shi.Suenaga.

:

Tsuyo-

I - Encaminho a V Bxa a c a r t a constan •Jjfò

t e do anexo, por- s e r assunto a f e t o , a essa O r g a n i z a ç ã o .

Maj B r i g do Ar - FERNANDO CÉSAR DE OLIVEIRA Vice-Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica ETSC/MJTP Copias t 4 SC 01 48C2 01 P r o t Ost , . 01 03 Total

1DC0LO - EMAER

p£Ff1

*

T

,

P

0

2

$


P 25 d* julmo 4« 1990

OTADO-aUlOR BA AEB0BAUT1CA 41 3UBCBBP1A DOS M i j u STBRIBS BLOCO • - S t AXDAB C S 70045 - BRASÍLIA * DF

I

CLÁUDIO T3ÜY9SH1 SOEBACA, b r a s i l e i r o , R.G.

15.696.549, reeidente

à Bas Otelo Augusto Ribeiro 3 0 0 / l l - C , CBP 06440» Sé P a u l o , SP, COM • devido r e s p e i t o solicitá-los no que íysobre

o Fenómeno QTB1,

vem

r e f e r e a esclarecimentos

que tem s i d o r e g i s t r a d o cm praticamente

todos

es poises do mundo e intemaameste « o B r a s i l , já que diepÕee de una

con

eloáe geográfica p r i v i l e g i a d o . Be entanto, cuapre-ne cientificá-los que coso pesquisador teais

e pro-

interessada no assunto, a qual me dedico a v á r i o s anos junto

ooons UsjáO uf o l ó g i c o , osjsto n ã o noa neceaaidod* pesnoal amenas,

S&\\\\'èw^3^*

Peia verdade e p e l a n c a

à «as

da « o s n o . Após t e r "

pasquinado vários casos o » que e s t e s são f i l n a d o s , fotografados, detec taéos por r a d a r e s , perseguidos por coeso o obeervndoe por n i l h n r e s

de

tesisonnòsi do todos os ontogorinn p r o f i s s i o n a i s o c u l t u r s n » , os depoi s do todos e s s a s comprovações ainda duvidaaae do e x i a t i n e i a dos OVBls aio os c o n s i d e r a r i a « o pesquisador

r e s p o n s á v e l . Bois e s t e assunto, ge-

rador de una polemica n i l e n o r , adquiriu nestes últinos tespso aseonbro soo proporções» soo aabemos ainda ouso r e o i o i n t e n ç õ e s , o que vem

des.

pontoado o atenção não nó do p o p u l a ç ã o , ooo de renonadaa autoridades c i e n t i f i c a s e govemanentais. Sabonos do l o t o que o otivldode m i l i t a r jamais descuidou e aeeu£ t o , pele c o n t r á r i o , apresenta-se como no depósito incalculável de

in-

formações p r e c i s o s * c o n c i s a s , coso mondo o lógica m i l i t o r sobre o ae§_ mo. A questão do 1iteração ou mio ao grande p ú b l i c o , assim como método «oável s a p l i c á v e l , á outro aspecto do q u e s t ã o . A responsável preocupe, ção por parte doo Porcas Armadas B r a n i l e i r a a coo o fenómeno e x t r a t e r r e s t r e é um aspecto que também ocupm m vigilância do nosso espaço a é reo, s t a l procedimento abrange otividodos ufológioao i s e n t o s da p a r t i . , .

c pacão ds c i v i s o o notório obtenção de s i g i l o s o s dados que o terno» oomflaveis e extremamente r e v e l a d o r e s . Pude l e r o oópiss de decunemtoe . a f i e i s ) s da BAB «mtre e l e s os B o l e t i n s S10AMI n» 1 e 2, elaborados


u*

de I S O , organizados na 4* Zona Aérea por parte do i l u s t r e Major •iro José T a s da S i l v a , A extensão da a l i v i d a d e a i l i t a r na i r elogio* ao c a r a c t e r i z a polo soo constante do isstrusestsção sg. do altíssisa t e c n o l o g i a , coo pessoal treinadíssino por To-

soo requisitados no investigação do problean u f o l d g i c o . Diante do exposto, r e i t e r o - l h e s o podido do r e s p o s t a , apoiando para quo s o j a posicionada a verdade quanto a s ocorrências ufológicas analisadas poios I x a o s . S r s . , asas posições quaat* a liberação de i a ?oraaçãe* para a s a p a r c e l a restrita» evitando o s o s s a o i o a a l i o s o dessosarsdo ds i s p r e n s a são e s p e c i a l i z a d a , l o qse so r e f e r e a c e r t a s f & •os do f e n ô m e n o , e s t a s parocoa e s t a r to t a l soa to ooaprovadas. As dóvi das sobro a origos das naves, a s intenções d o b j e t i v o s do sons ocupantes s ã o s a i s eosplexos o n e c e s s i t a s de a n x i l i o científico e san e n t a l . falho-no desta oportnnidado para renovar as p r o t e s t o s de d i s t i n t a c o n s i d e r a ç ã o , esporando quo coso cidadão c a s o r i d e r dss l e i s , tansa tooboa o d i r e i t o do tosar cesse». ISSSto do a s f a t o tão notório «O responsável preocupação por parto das Forças Amadas, p o i s ente ocapa-so do ostensivo s i g i l o a t r i b u í d o , nas que deve d i v u l g a r soa in. convenientes ao público peenuioador qae tão a t i v a s o a t * t o s procurado afastando « f a r s a , a aistificação e

;'SSrÍ'

o s o s s a s i o s s l i s s o ds inprensa não e s p e c i a l i z a d a o sons aspectos nega. U s o s . As controvérsias o confusa es orladas on torno do as anato

na

p o p u l a ç ã o , deve-se grande p a r t e a asse f a t o , s s s ano os uíoldgns t o s procurado e s c l a r e c e r r a c i o n a l • o i e n t i í i o a a o a t e , pautada na s e r i e d a de para o sou reconhecinosto

oficial.

Pinalixando. agradeço a Ateação dispensada,, desolando p a z , s e renidade o llnaisação aos desígnios do trabalho do segurança e sober a n i a 400 cnnprea à n a ç ã o , nestes

BOTOS

t o s s e s do democracia • l i b e i ;

dado.

PROTOCOLO - E M A Ç R

N/90

2

«fWSTÍWO PA AltONÁtma

mm-4JC nalV*A9*


B R A S Í L I A , 05 de setembro de 1990 i Prezado Senhor, i Recebi sua c a r t a , datada de 25 de j u l h o de 1990, endereçada ao Estado-Maior da A e r o n á u t i c a , Órgão que e r a r e s ponsável pela catalogação e análise de 0VNI's. Informo-vos que, a t u a l m e n t e , o Órgão

res-

ponsável p e l a catalogação e análise de 0VNI's é o Núcleo do Comando de Defesa A e r o e s p a c i a l B r a s i l e i r o - NUCOMDABRA - onde exerço no momento a função de Comandante. Sondo V; S;i um p e s q u i s a d o r c profundo

inte

ressado no a s s u n t o , dedicando-se h á vários anos j u n t o â comunidade u folõgica aos estudos e acompanhamento deste f e n ô m e n o , g o s t a r i a de po der c o n t a r com a sua v a l i o s a c o l a b o r a ç ã o , no s e n t i d o de nos f o r n e c e r as informações que dizem r e s p e i t o ao assunto em p a u t a , para que poss;imos nuinuntnr o nosso acervo e , consequentemente, f i c a r m o s cm condi, ções mais e f e t i v a s de comprovar a v e r a c i d a d e dos fenômenos r e l a c i o n a dos aos 0VNI's. Atenciosamente,

B r i g do Ar RONALDVEDUARDO JAEÇKEL Comandante do NUCOMDABRA


CONFIDENCIAL * NPA/5?./SCO

ANEXO I I I QUESTIONÁRIO DAVA/HORA/ DA RECEPÇÃO :QÇ/P?./?9 01 - Como e quando f o i que notou p e l a (OVNI)?

??:9?r7.2335Z primeira

Voando de SBBE 'para SBBR (FL-210) as W PI. T . I t S . I . ! . . ! • ! T i l " ! " ! " ! ! ! ! .

0 2 - Posição do o b j e t o

vez 03

objetos PO0*AMOÇ*>C

a

(OVNI):

a - ü i s t â n o i a do o b j e t o em r e l a ç ã o tao observador: JPPfr. íf?*}?1?^.0. . s . e í n . Pr?.c????)s.: . b - A l t u r a :'. í"".1 *P. ?0í?. JW.*.\ A ° . . ° . b . s e . r . v . a . c ' . 0 . r . fhr?}?) 1 ' . . : j c - P o s i ç ã o em relação aos p o n t o s c a r d e a i s ( a z i m u t e ) : . De 1 pçapdp7s e. de W P/ E> cruzou as 1 Zn s do observador, " *" Cruzando* pêrpênaVcularraVnte" V YrYjeVorYa" "do' PT "-" X.TX, 03 - Descrição do o b j e t o : a

Forma : Arr?d?P.dadp

b

Tamanho : fP9.uen.°

c

Cor

d

: Bera_ 1uminosq, predominando o vermelho e o alaranjado.

v e l o c i d a d e - M.ujtp, .ai.*.* .N.i.l..

f - Ka&tVO i W í . '.'•V - Ouántictadr : 9). .(.um.) Ub - Voando próximo um do o u t r o ?

A3-1 CONFIDENCIAL


CONFIDENCIAL '. NPA/5.7. ./SCO 06 - Trajetória :

.HprUQn.tal .e. yertlca].Usjce-d^u. dg.raítnjejra .iw ferme)

07 - Duração

bservacão

08 - Estava s o z i n h o ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoas ) ; AçQnjp.anhadq dp.Cojnandan.tfi. .do. PL ITQ. 09 - Existência de provas físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras ) • flao •

10 - Observação a o l h o n ú ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? Olho nu. 11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) .Ç*lPJtCQ..

12 - Dados p e s s o a i s do observador : a - nome : luiz. Sir^io. (teta. lemos b - endr : ÇuA Proftsspça Maria .0». P*W*. (tf .SP. AP .2.01 .B.H/MG,, c - i d a d e : ?5 app$ d - grau de instrução : Sypçri.or. íoqojnpletp. e - ocupação p r i n c i p a l : Aeronauta f - p o s s u i ou n ã o conhecimentos t é c n i c o s sobre OVNI? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) :.

13 - Porto ou g r a d u a ç ã o e nome de gut-m recebeu a informação

IS HERNANDE

H

Dados compJementaç*a : Nq começo de.observação, achou, que fosse um. objeto, diferente em virtude 4e jdif us.ao] jle ! cores > jApps .íojiga .Qbsery«}ça.o.. .Q .trî'pulajite .^credita, trâta.r-se.de. uma .es.trel.a..

A3 2 \r

iriKNClAL


CONFIDENCIAL /NOV/89

NPA/97./SÜÚ

f •**t - •

ANEXO n í QUESTIONÁRIO DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO :29/P9./90

\2.:#Q:?

01 - Como e quando f o i que notou p e l a (OVNI)?

primeira

vez os

objetos

Por volta das 0915P da manha

02 - Posição do o b j e t o

(OVNI):

a - Distância do o b j e t o em relação ao observador ... Jgual .a. altwra. UQO. metros.) b - Altura

:

. ?Q0 * .(iniçi.a.lmen^e).

c - Posição em relação aos pontos c a r d e a i s ( a z i m u t e ) jaguajnnga-Sxl.+ .so^ 03 - Descrição do o b j e t o : a - Forma : . A /Tf4°M ad ? m e r

b - Tamunho ": ± ^. . A P? . W i . ^ ^ o +. 1 metro) c - COÍ-

: . Chyrobo escuro

'.-;

k

d - Veio?idade : K*P.er*. r?Pl<í<l .•. fllrtVA. .tPTW .do. W j i j H w v ^ s *• - í>•::: : ... Não 2' - h u r t r o

: Não

. 91 .0«0

Ou*»:; 3 cthdt

<.'!.• - V t a t i i i o p r ó x i U i D u:n do c u i r o '!

A3-1 1

CONFIDENCIAL


CONFIDENCIAL NFA/57. . /SCO 06 -

ria Jaguatinga Sul entrada do Gama

07 - Duração da observação

ftAZMI/ytt8.

08 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoes ) : Acompanhado, de 3 pessoas adultas 09 - Existência de proves f i s i c a s ( f o t o g r a f i a , f i l r . e , amostras )

10 - Observação a o l h o n ú ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? Qlhp. ny , 11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) Ceu claro

12 - Dados pessoais do observador a - nome : Mazirn Ferreira da Silva b - endr : .SAPW.QUADRA.4 .C0NJ.v AQJE.l c - idade: .50. aços. m r 0 d - grau de instrução : . Pr' *í A . e - ocupação p r i n c i p a l : Dpno.de. £h§çaj".a £ - possui ou nao conhecimentos t é c n i c o s U sobre 0VM1? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) :. .P.°??A

13 - Posto ou oraduaçfao e noirie de qui-m recebeu é» ii-formsç&o ? 6 P 3S BCT FABIO SANTIAGO DE GOUVEIA

IA - Dados complementares :Q objeto teria subido de ^ 200 metros para 400. metr.o.s. sptjr.e. a.Univ.., Cstolica, .p!r.Ox"imo Vo* objeto'.èxYsitíá Wa'àeYona.vfi.da .VASP, .Au.e. segundp.Q .Sr Mazini.," êçtVva'b^YxYpVoVs'egû^ Ro.usp; .Q objeto estav.a mais .a.l.tp.gue' a. âero'nayé.* '

A3-2 C O N i ii.-LNClAL j


São P a u l o , 2 de outubro de 1.990 EXMG. SR# BRIGADEIRO DO AR RON AID EDUARDO JAECKEL COMANDANTE DO NUCGMDABRA

Prezado Sr. B r i g a d e i r o , Com meus v o t o s de boa saúde e f e l i c i d a d e , acuso, de boa g r a d o , o recebimento de vossa m i s s i v a em consideração a

9%

:ndagações endereçadas ao a n t i g o órgão que agora f o r a t r a n s f e r i d o

ao

HUCQMDABRA, conforme e s p e c i f i c a d o p e l o Senhor* M u i t o O b r i g a d o .

ií |f

I? I

minhas

Fico imensamente g r a t o e honrado em c o l a b o r a r na investigação Ufológica enviando-lhes para que a n a l i s e m , se p o s s í v e l , de *

terminadas ocorrências que j u l g o i m p o r t a n t e , merecendo a s s i m , p a r t i c i p a ção mais abrangente e respaldado* Nesta o p o r t u n i d a d e , coloco em vosso conhecimento

r e s p e c t i v a m e n t e , o ú n i c o caso de c o n t a t o de 5 a Grau de que

se tem n o t i c i a até o momento, na região L e s t e de São P a u l o ; o o u t r o r e f e r e - s e ã uma aparição b a s t a h t e notória.nos céus de Suzano de um o b j e t o voador que alarmou a população na época* R e d i g i em minha coluna no j o r !

'••r ^üal l o c a l a r t i g o s devi Jamente documenta doa desses c a s o s , da qual seguem anexos* Comunico-lhes que estou a i n t e i r a disposição dos Senhores

para

naiores informações. E n t r e t a n t o , v e r d a d e i r a m e n t e , e s c r e v i aos Senho-

li/

res com o i n t u i t o e confiança de a d q u i r i r com a seriedade d e v i d a , maiores e s c l a r e c i m e n t o s sobre OVKIs e seus t r i p u l a n t e s que nunca foram o b j e t o s de uma divulgação a nível governamental no B r a s i l , apesar de ser de conhecimento

dos Üfológos o f a t o de estarem sendo detidamente observa-,

dos e estudados h á décadas* Assim se vem fazendo ano após ano, sendo que a população e os pesquisadores tem permanecido à margem e* i n q u i e t a se p e r g u n t a como as a u t o r i d a d e s b r a s i l e i r a s encaram o a s s u n t o . Da mesma forma, poucos documentos governamentais foram l i b e r a d o s , não sendo a s sim um processo simples acompanhar e l e v a r a d i a n t e m u i t a s p e s q u i s a s , por justamente não d i s p o r de a s s e r t a t i v a s comprobatórias ou o reconheci mento o f i c i a l i z a d o * H á mais de q u a t r o anos, quando da grande "onda" de 19 de maio de 1.966, p o r ocasião do pronunciamento o f i c i a l do então m i n i s t r o da A e r o n á u t i c a , B r i g a d e i r o Octávio M o r e i r a L i m a , esta mesma po pulação v i u que suas a u t o r i d a d e s reconhecem seriamente o Fenômeno OVNI. Mas, do l o u v o r p e l a a b e r t u r a do caso e a promessa l o g o a s e g u i r da d i -


vulgação s i s t e m a t i z a d a , seguiu-se o fechamento do verbo e a substituição por uma f a l t a t o t a l de minúnciaa que monopolizou o c a s o , i m f e l i z m e n t e . 0 Ufólogo c i v i l , antes de t u d o , tem um compromisso com a verdade e p a r a i s s o , n e c e s s i t a e l e o b t e r informações do munr

do m i l i t a r que dispõe

de todos os i n s t r u m e n t o s de detecção da presença

dos O V I l s e os meios p a r a chegar a t é e l e s , pesquisá-los e certamenta documentar reconhecidamente

e de modo sem dúvida nenhuma mais e f i c a z a mag

n i t u d e do fenômeno* fi imprescindível saber até que ponto nossas ejp. t i d a d e s o f i c i a i s de Defesa Aérea tem me engajado na pesquisa Üfológica, E o e s s e n c i a l s e r i a poder c o n t a r também com vossas colaborações p e r m i t i a , do que a comunidade Üfológica b r a s i l e i r a toma p a r t e dos f a t o s , assim c o mo está acontecendo nestes últimos anos nos EUA, p e l o surgimento do FOIA (Freedom f o r I n f o r m a t i o n A c t ) , a L e i de L i b e r d a d e da Informação* Os doeu mentos o f i c i a i s h o j e chegam a quinze m i l , com m u i t o s deles provando o en v o l v i m e n t o e preocupação dè governo e que estão intimamente l i g a d o s a pesquisa* Assim, se tem acesso às informações c o n f i d e n c i a i s p e l a s pessoas i n t e r e s s a d a s que tem r e c o r r i d o à j u s t i ç a . A ü f o l o g i a é hoje uma ciêndo * s 4 m « i r o Bundo, c«m as potências querendo chegar à a l t a t e c n o l o g i a dos d i s c o s , havendo uma t r o c a de informações e n t r e os m i l i t a r e s sobre e s t e segredo* E o B r a s i l , c e r t a m e n t e , não deve f i c a r de f o r a * A nossa na/ ção é riquíssima em sua casuística que contem um dos maiores bancos de dados sobre Ovnis no mundo* E n t r e os casos, f i g u r a m aqueles mais r e v e l a dores e fantásticos j á o c o r r i d o s * SR. BRIGADEIRO: R e i t e r o - l h e este apelo no que se r e f e r e a e x p l i c i t a r à s a t i v i d a d e s que estão sendo e x e r c i d a s atualment e e aquelas que j á foram f e i t a s ; a p e r i o d i c i d a d e de vossas diligências; a metodologia empregada; aa relações e n t t e as e n t i d a d e s m i l i t a r e s ; e n f i a a extensão e abrangência de vossas investigações» H ó s U f ó l o g o s , a t e n t o s aos novos ventos que já

i

banham as entidades m i l i t a r e s com a implantação d e f i n i t i v a da democracia e " à vontade do advento de um B r a s i l realmente novo, em que, como todos os b r a s i l e i r o s e p a t r i o t a s , fervorosamente desejam que caiam os véus do s i g i l o que ainda se mantêm sobre o Fenômeno OVNI» Seja outorgada assim,

s

f o t o s , f i l m e s , r e l a t ó r i o s , análises e casos que disponham. G o s t a r i a de d i z e r a i n d a que tenho

conhecimento


de muitos casos ea que i n i c i a l m e n t e os Senhores estavam sobejamente e n v o l v i d o s , para l o g o depois se esquivarem r e t i r a n d o - s e sem p r e s t a r os eg c l a r e c i m e n t o e devidos a população e às próprias testemunhas da o c o r r ê n c i a . E n t r e esses constam episódios de O V Ü I s que pousaram no B O I O , a f e t a ran d i r e t a m e n t e a testemunha t a n t o psíquico quanto f i s i c a m e n t e , r e c o l h i mento de vestígios e a t é de p a r t e s dos p r ó p r i o s OVKIs, e t c . Respondamos p o r f a v o r e pronunciem algo a respeito» Sem dúvida alguma, será uma contribuição seríssima não só a U f o l o g i a , mas à c u l t u r a e a c o n s c i e n t i zação maior do Fenômeno. Sabemos da respènsabilidade quanto ao s i g i l o e

I

bom-seneo p a r a com o a s s u n t o , p o i s somos e s p e c i a l i z a d o s e não fazemos p a r t e da imprensa s e n s a c i o n a l i s t a , f a t o que a l i á s , somos i n t e i r a m e n t e c o n t r á r i o s , p o i s apenas tem d i s t o r c i d o e p r e j u d i c a d o em muitos aspectos a visão da U f o l o g i a . Acreditem em n ó s e trabalhemos j u n t o , coo muito p r a z e r , seriedade e e s f o r ç o . Agradeço a atenção de sua a u t o r i d a d e e deste Núcleo de Comando, que merece nosso maior r e s p e i t o e c o n s i d e r a ç ã o . Com os melhores v o t o s e s i n c e r o s agradeciment o s , subscrevo-me com estima e a d m i r a ç ã o .

V - --- - •

mwiii-«Mi)rii


War

? !

I

li1 I

lo |t

8t I

n ;

,: ! •: .»•;' : \ • !• tri. '\ ' '• DO A A T E N r , munha tem alguma reação emp-, OVNIs, tanto nas áreas rurais co- , Ç A O fARA O F E N Ô M E N O / } mo nas urbanas, sendo registracipnaI. náo provocando alteraAs pessoas que tiveram algum ti- ' çoes que se ria a caracterizada por i dos quase que diariamente deze- . po de contato com objetos voado-,:i , um a: ocorrência ge ralmcme |ortisf1 nas de aparições igualmente foi res não identificados ou encontro* S É pa^ttnte comum, prinàpabnen- aqui que ocorreram importantes • com seres extraterrestres, envol- . te nos casos de 3: Grau (os contá- casos; de 3r Grau,' senão conheveram-sc com uma realidade dis- i tos diretos com extraterrestres) o cidas por volta de 300ocorrências tinta ei extremamente complexa,,;; contatado esquecer a experiência deste.tipokjj •, ;ii i I sutil, apresentando-se como uma só recordando'o fato' através de • Como você leu neste breve esligação entre uma natureza dc ori-- .< hipnose regressiva, que permite clarecimento sobre o fenômeno, gern completamente diferente;. • reconstituir minuciosamente o que por ser muito amplo demanDependendo do grau de intera- ; episódio Deve-se considerar ainção com fatores estranhos ao cor)- \: ,' sda, que' em inume ras ocasiões j e daria ainda muitas explicações, os tatado, e a medida que seu campo •j registram a presença de radiação discos voadores e'seus tripulantes emocional, cultural e inlelectuat 7 nociva, provocando, reações r|a precisam ser urgentemente coprocessa a experiência, pode '•• forma de queimadura ha vegeta- nhecidos. Sabemos que eles exisocorrer nele um choque profundo • ção e no solo e prejudicando a te m, sem dúvida alguma, agora no que diz respeito aos seus pasaúde física da testemunha. Reco- precisamos saber o que desejam, drões de pensamento, refletindo menda-se assim, manter uma atide onde v ê m e o que traz ao nosso em seu comportamento e na sua , tude precavida c racional, ante planeta- t. . r 1 visão de Universo, de mundo e cohiatos mais próximos. -'^'j: [ I Portanto, se você já presenciou de sociedade. Se levarmos; erò o fenômeno,' náo fique indiferenconsideração que á maioria'das Diante de tais tatos, é impres- te e colabore com a Ofologia relapessoas contatadas não tinham antes a menor preocupação com; cindível o relato da testemunha tando' seu caso, escrevendo para o fenómeno, ou mesmo não acre- • para a compreensão: do fenômeo jornal, citando o nome desta ' no, pois sua experiência é um verditavam na sua existência, "o novo seção. Ender. R u ã Salvador Giafato que presenciara entre na ver- • dadeiro alento que pode inclusive nctti n*564. Cep 08410. Guaiarevelar pontos importantes ou . nases, São Paulo. Se você for um dade como um elemento revoluacrescentar novos danos à casuíscionário em tudo que engloba sua interessado na pesquisa e tiver altica ufológica. É cada vez mais vida e seus conceitos. Os sentiguma dúvida não deixe de escrementos ficam registrados e com : crescente o número de pessoas ver também. Estamos elaborando eles as dúvidas, principalmente ue contatam OVNIs. H á cerca a história dos discos voadores na quanto a classificação c interpree 10 anos, um avistamento ocor- região. tação da ocorrência, muitas vezes ria à cada IS minutos em algum No próximo mês voltaremos a considerada fascinante ou aterrolugar do mundo. Hoje calcula-se escrever sobre os extraterrestres. rizante, modificando dc acordo , que á cada 2 ou 3 minutos alguém Até la." com os níveis dc contato, ou a observa algo desconhecido nos tendência da pessoa que a vivencéus. O Brasil c um dos países ciou. Nem sempre porém, a teste- recordistas de casos e onde há Cláudio Tauyoahl Suenaga •uma das maiores incidências de

3

J e r n a l O 6uarr«ir» - Outubro 1.990


Píf**do Sr C l á u d i o ,

O Comandante do NUCOMDABRA incumbiu-me

de

r e p o n d e r a sua m i s s i v a , r e c e b i d a p o r e s t e Ó r g ã o e datada de 02

de

o u t u b r o de 1990. Agradecemos a V. Sa p o r nos te/r enviado i n formes sobre OVNI, através de r e c o r t e s de j o r n a i s , e esperamos

po-

der sempre c o n t a r com sua c o l a b o r a ç ã o , bem como de o u t r o s ufólogos qye tenham dados ou f o t o s nos seus a r q u i v o s e queiram no f o r n e c e r , p a r a que possamos aumentar o nosso a c e r v o . Como V. Sa bem observou em sua c a r t a , n o r malmente o Ministério da Aeronáutica tem r e c e b i d o as informações apôs os f a t o s terem o c o r r i d o e com dados que i m p o s s i b i l i t a m uma pesq u i s a mais p r o f u n d a , d i f i c u l t a n d o a sua a n a l i s e e sua a v a l i a ç ã o . .. Certo de que podemos c o n t a r com sua v a l i o ** ç s » f í * . S ã » ^ . | u ^ ^ v o - ^ . .

Atenciosamente,

Núcleo do

Com

ANDRADE - Maj Av Defesa A e r o e s p a c i a l B r a s i l e i r o


5

4 1 0 ^ Q3.01, p « ^ / i $

-i/14 Vi

s-lr

CONFIDENCIAL

t

NPA/57./SCO

ANÊXD XII WBSTIONARIQ DATA/HORA/ DA RECEPÇÃO :3Q/.lQ/?9

)8 : .4p : ppZ

01 - Como 0 quando f o i que notou p e l a (OVNI)?

primeira

vez os

objetos

12 de o u t u b r o de 1989 e 29 de o u t u b r o de 1990.

02 - Posiçto do o b j e t o (OVNI): a - Distância lotâaoi do o b j e t o em rolação ao observador: etros 3 cmetro b - A l t u r a : Â TfW&.ÇWe.tp.oçuspu.no. cg jDfc0. c

- P o s i ç ã o em r e l a ç ã o a o s p o n t o s . V p W W W í l * í . R Ç fL Q . . N o r £ e

cardeais

M .W*. vQ .observado?

(azimute):

03 - Descrição do o b j e t o : a

Forma : ..Retangular

b

Tamanho :

c

Cor

d

Velocidade : ...Lento

f

Toai : ;Ç*p.u.ty!9 semelhante, a. l a j a s

í

Kar-tro : P??*™.*". ?? . t l tância não identificado.

: . .t*.rX90 . ..

ore

? A°.

'. Wcharam A deixou, subs-

•.»4 - Ovar.tidudr : O.í.*.«>:•$.e.um.d.lscp ./

«.•l> - Voando 'próximo um do o u t r o ? Ap.e.í\Af. .U.S.A ,n,^v.q .qqe .deUog. duas. pedras, com. rasLiAçLo. - . . ». í * •• es**) • as-ema* A3-1

Cp^flPENÇlAL \


A\Uc. 0 3 . O i / p - à W S ^

CONFIDENCIAI |

m

m

"

NPA/57./SCO

06 - Tra,

i 07 - Duração da obaervaçio : T .nora,

08 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoas ) : .S.o.zlnnç 09 - Existência de provas físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras ) brajjça,

.-

10 - Observação- a o l h o h ú ou com algum d i s p o s i t i v o .O.l.hq .114

ótico ?

11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) J.U.4Q .çlaço

42 - Dedo* ^ • • a o a i . d o o b s e r v a d o r : a - ndtee : Ç«T%Q .Qqrnel.Maçh*dp b - endr : BMÍJÍ .5? .Quadra. 03. AP. .402. W P f P . .NP.".. tolãota. c - idade: .WP* {TEU .QK... ' d - tf*3t irwtrução : W.arM|.. v e - ocupação p r i n c i p a l : Y«Me?or .Extern.o. f - possui ou não conhecimentos técnicos sobre OVW1? (caso afirmativo, quais ) :.. J-PÍ9Q

13 - Posto ou graduação e nome de qm-m recebeu a informação 3S.ÇCT ME0E?ES

Ml

14 - Dedos complementares

A3-2 '•Vi

Í#IMC|AL "VffV


\ '0.. ;•• MINISTÉRIO

DA AERONÁUTICA

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

B r a s í l i a , 31 OUT 90

IlmÇ Sr O f i c i a l de Relações Públicas

Prezado ORP,

f vista»;'

Enviamos-lhe a c a r t a em ane xo considerando que a solução s i r i melhor conduzida por essa 0M. Informamos, a i n d a , que o signatário poderá receber a resposta d i r e t a m e n t e dessa Seção de Re "lações Publicas» e v i t a n d o com 1sso demora na r e s p o s t a e gastos des. naüsssíptos ;:, ic«i postagens. Com o nosso a b r a ç o ,

O

~f

)-T

It-WÍIICt KTHEHTX DE ARAOJO - 19 Ten QFO Chefe da Seção de Público Interno


»/-

São F a u l o , 2 de o u t u b r o de 1.990

s

V £ & F 0 R 7 0 m CÜHGOMHAS 'ÂT. Washington l u l a

.1

Prezados Senhores, Pode p a r e c e r estranho que eu meio a tantOB a s suntos que exigem a vossa a t e n ç ã o , possa eu solicitá-los para

l

um

problema p o r vezes considerado endêxico. Cumpre-me p o i s , o dever de cientificá-loe ~ue o Fenômeno UVH1, gerndor de uma p o l ê m i c a m i l e n a r

1

a d q u i r i u nestes últimos tempès assombrosas p r o p o r ç õ e s , sem sabermos a i n d a , suas o r i g e n s e o que representam à humanidade, babemos entre, t a n t o , que o fenômeno vem despertando a atenção de renomadas auto r i

i

dades, científicas e governamentais do mundo i n t e i r o , e o B r e s i l

é

t

um dos países que cor.ta com maior número de casos, já que dispõe de uma condição geográfica p r i v i l e g i a d a .

À r

Os uVNls nunca foram o b j e t o de uma divulgação a nível governamental no B r a s i l , apesar de ser conhecimento

dosUfó

logos o f a t o de estareis sendo detidamente observados c estudados há d é c a d a s . Assim se vez fazendo ano após ano, sendo que a população e os pesquisadores tem permanecidos

à margem e, i n q u i e t a se pergunta

como as a u t o r i d a d e s b r a s i l e i r a s encaram o assunto» Ba mesma forma» poucos documentos governamentais foram l i b e r a d o s , não sendo assim uo processo simples acompanhar e l e v a r a d i a n t e muitas p e s q u i s a s , p o r justamente não d i s p o r de a s s e r t a t i v a s comprobatórias ou o r e c o r

• nhecimento

oficializado. H á mais de q u a t r o anos, quando da grande "on-

i

da'* de 19 de maio de 1.9C6, p o r ocasião do pronunciamento

oficial

À

do então m i n i s t r o da Aeronáutica b r i g a d e i r o Octávio M o r e i r a L i m a ,

^

esta mesma população v i u que suas a u t o r i d a d e s reconhecem seriament e o Fenômeno OVNI* Mas, do l o u v o r p e l a a b e r t u r a do caso e a promes,

í

sa logo a s e g u i r d á divulgação s i s t e m a t i z a d a , seguiu-se o fechamen-

*•

t o do verbo e a substituição p o r uma f a l t a t o t a l de m i n ú n c i a s que

\

monopolizou o caso, i n f e l i z m e n t e . \ 0 Ufólogo c i v i l , antes de t u d o , tem um compro-

i

n i s s o com a verdade a para i s s o , n e c e s s i t a e l e o b t e r informações do mundo m i l i t a r , c i e n t i f i c o , técnico e g o v e r n a m e n t a l , que dispõe

de

todos os instrumentos de detecção da presença dos 0VBI8 e os meios para ae chegar até eles,i pesquisá-los e certamente documentar r e c o nhecidamente e de modo sem dúvida nenhuma, mais e f i c a z a magnitude i

do fenômeno. t

'• J t i«prescindiyel saber a t é que ponto nossas erj

t:\dadee o f i c i a i s deJteTesa Aérea iem se engajado na pesquisa U f o l ó - '


&ÍC». E o e s s e n c i a l s e r i a também c o n t a r côa a colabor;~c dessas e n t i '4saájM« p a r m i t i n d o ^ue a comunidade Ufológica braáileir:, tome p a r t e dou l a t o s , aeoim euso está ocorrendo ncolee últimos :na: ,;OÜ ÜUA, pel o surgimento do FOIA (Freedom f o r I n f o r m a t i o n A c t ) , c L U

de L i b e r d u

de de InformaçÕer.» os documentos o f i c i a i s h o j e checam a t u i n z e m i l , com muitos deles provando o envolvimento e preocupação do governo

e

que estão intimamente l i g a d o s o pesnuisa» Ascim, se tem acesso as i n formações c o n f i d e n c i a i s p e l a s pessoas i n t e r e s s a d a s ~,ue tem r e c o r r i d o a jurtiça. A UfoLogia é h o j e uma ciência do írimsiro M*ndo, com os p £ tênciao querendo chegar à a l t a t e c n o l o g i a dos d i s c o s , havendo uma t r o ca de informações e n t r e os m i l i t a r e s sabre e s t e segredo, E o B r a s i l , certamente, não ceve f i c a r de f o r a , A nossa nação é riquíssima em sua epsuística, ..ue contêa um dos P r i o r e s bancos de d'idos r o t r e uVNiu no mundo. Entre eeses encoa, f i g u r a m aqueles acifl r e v e l a d o r e s e funlásti,

Ik

cos já ocorridos» Senhores: Diante co expecto, . r aç.:hec ua apelo

* no que se r e f e r e a r e v o n d e r cs . U v i d a d c c ) atualmente e « > e l a s ^ue j á fsrau. f e i m o ;

> e estão ser.do e x e r c i d a s H

periodicidnèe de

VOEÒOS

' diligências; a metodologia empregada; as relações e n t r e as entidades governamentais; relatírios de testemunhos; declarações e a n i l i s e s de ^

técnicos; OVNl^ detectados p e l o s r a d a r e s , etc» Nós U f ó l o g o s , a t e n t o s LOO novos ventos que já ha* as entidades m i l i t a r e s com a implantação d e f i n i t i v a da democra. c i a e a vontsdo do advento de um B r a s i l realmente novo, c.i que, como te dos os b r a s i l e i r o s o p a t r i o t a s , fervorosamente desejam que caiam, os véus do s i g i l o que air.éa se mantêm sobre o Fenômeno CVKI, Sem

dúvida alguma, será uma

contribuição muito

I séria p a r a elucidarmos e l e v a r a d i a n t e d i v e r s o s c a s o s , já que nunca T

descuidaram do a s s u n t o , p e l o c o n t r á r i o , apresentam-se como um d e p ó s i t o incalculável de informações p r e c i s a s e c o n c i s a s , de c r e d i b i l i d a d e

(

:

inegável.

} Como pesquisador e profundo i n t e r e s s a d o no a s -

s u n t o , a q u a l me dedico há vários anos, sendo assim l i g a d o e c o r r e s f

pondente de grupos áo B r a s i l e e x t e r i o r e o u t r o s p e s q u i s a d o r e s , c o l a -

1

" irr.ndo j u n t o à comunidade U f o l ó g i c a , e i n t o não só uma p e a s o a l , maa

necessidade

também um r e s p e i t o absoluto p e l a verdade e p e l a busca da

mesma. Após t e r pesquisado centenas de oasos em que estes são f i l m a d o s , f o t o g r a f a d o s , detectados p e l o s r a d a r e s , perseguidos p o r caças e observados p o r milharam-de testemunhas de todas as c a t e g o r i a s p r o f i e i

e i o n a i e e c u l t u r a i s , tf depois de toda» esaaa evidências a i n d a d u v i daaae da existência***!* OV^le, não me c o n s i d e r a r i a um pesquisador reg


ArLK-03.01|P'Wfi><*

r

r a vem eendo f e i t o , cora us"i maior d i v u l g a r ã o , pura que oc i n t e r e s s a dos também tenhc-. ".cesso. Sabemos da r e s p o n c c t i l i d u d e quanto ao ci£i l o e bom senso r -

r a

cora o a s s u n t o , p o i s somos e s p e c i a l i z a d o s e não

furemos p a r t e da imprensa s e n s a c i o n a l i s t a , f a t o ^ue a l i á s , somos i n t e i r a m e n t e c o n t r á r i o s , p o i s apenas tem d i s t o r c i d o e p r e j u d i c a d o es muitos aspectos a visão da U f o l c ~ i a , A c r e d i t e s en non e trabalhemos J u n t o s , cos m u i t ; p r a r e r , ;:oriecr.de e e s f o r ç o . Agradeço a atenção dispensada p o r p a r t e deste renonado A e r o p o r t o , que merece nosso maior r e s p e i t o e c o n s i d e r a ç ã o . Cora os melhores v o t o s e s i n c e r o s agradecimentos, subscrevo-me, ccx estima e a d m i r a ç ã o . :V V - •

Atenciosamente Cláudio Tsuyoshi Suenaga R- O t e l o Augusto R i b e i r o 30C/11-C Guaianazes - São Paulo - Sp Cep; 08460


X/J*

São P a u l o , 12 de novembro da 1.S90. MUCOHDABBA. 5 - área do T I CORAR

I

Prezados Senhores, C o » a m i t a honra agradeço a última c a r t a r e c e b i d a ,

« • s e j a n d o - l h e s paz e f e l i c i d a d e s . Devo c o n f a s a a r - l h e s que meu a n i s e t e v e grande i m p u l s o ao r e c e b e r nova resposta» como se a p e s q u i s a sistemática e i n i n - / t e r r u p t a que venho r e a l i z a n d o ea t o d o s esses a n o s , pudesse f i n a l m e n t e / ser a l e n t a d o coo usa inequívoca afirmação dos Senhores p o r sínimu que / e s t a f o s e e , p a r a que a investigação árdua e sem reconhecimentos de um / o o n t r e v e r s o e pouco d i v u l g a d o a s s u n t o , ganhasse a p o i o r e s p a l d a d o , o f i e i a l i s a d o e i n d i s c u t i v e l m e n t e extraordinária no que se r e f e r e a d e t e r e i - / naraos de modo m u i t o maia categórico a p r e s e n ç a de s e r e s e x t r a t e r r e s - / t r o o ea nosso p l a n e t a , mormente no B r a s i l , p o i s exmò já o d i s s e , um p a i a absolutamente r e c o r d i s t a em casos de OVNIs, t a n t o p e l a sua condição/ ~

fráfica p r i v i l e g i a d a , quanto p e l a d i v e r s i d a d e de c u l t u r a s , povos

e

c o n t r a s t e s . Contudo, causou-ae espécie o conteúdo de vossas respostas* Permitam-se c i t a r algumas l i n h a s da c a r t a enviada p o l o Departamento de Defesa dos EUA a Henry H o l t & Company no d i s t a n t e / ano de 1.953, 26 de j a n e i r o : "Os Discos Voadores provém de o u t r o p l a n e t a .

A

Forca Aérea Americana Nunca Regou Esta P o s s i b i l i d a d e . Uma p a r t e do seu p e s s o a l é da opinião que se t r a t a de fenômenos n a t u r a i s , e s t r a n h o s e t o t a l m e n t e desconhecidos; no en-/ t a n t o , Se Ao E v o l u ç õ e s Aparentemente D i r i g i d a s , a s s i n a l a d a s p o r divex—/ aos observadores q u a l i f i c a d o s , são e x a t a s , A Ü n i c a Solução Poeaível £ A Explicação Interplanetária" Perdoou-as a v o l ú p i a de f a l a r desta maneira. D e i xo bem c l a r o como o f i z nas c a r t a s a n t e r i o r e s , meu imenso r e s p e i t o aos Exmos. Senhores e a humildade com que ne d i r i j o , como u a oidadão comum, cumpridor das obrigações devidas p a r a cos a n a ç ã o . Mas, s e r um c i d a d ã o , o r e i o que não b a s t a apenas o u a p r i r l e i s e a s s i s t i r ao l o n g e o desenro-/ l a r dos f a t o s * P a r a s e r ua oidadão c o m p l e t o , e s t e deve p a r t i c i p a r , t a n t o s o c i a l quanto p o l i t i c a m e n t e , e s t a r a t i v a m e n t e p r o n t o para defender / não apenas causas p e s s o a i s , ooao também o i n t e r e s s e de sua n a ç ã o . Por / i s s o , n ã o posao oo>

r-me e a d m i t i r singelamente que tudo s e j a assim/

d e s t a m a n e i r a , reierxndo-me a questão OVNI. Enquanto ea o u t r o s n a í s e s . /


I «riscipalseate os de P r i m e i r o Musdo, há décadas coupas-ae aéria a p u b l i caaesto oos o assusto coso aonatatedo sus t r e c h o de usa c a r t a da USAP(apesas asa e n t r e m i l h a r e s de o u t r a s já r e v e l a d a s ) , o B r a s i l c u j a s e t s

é

a t i n g i r justamente o P r i s e i r o Bundo, permanece t o t a l m e n t e i n d i f e r e n t e

s

n M s t i s n a d o a capacidade d« entendimento, coso ae s pesquisa e s t i v e s s e / ei começando agora» Ora» sabemos s u l t o bem a t r a v é s do pouquíssisos docusemt o s r e v e l a d o s a t é o nenen t o , eono o Bole t i s SIO A B I , expedido p e l a Força Aérea B r a s i l e i r a no d i s t a s t e ano de 1.969, o e n v o l v i a e n t o e notário i a - / t e r o s s o das a u t o r i d a d e s e governo b r a s i l e i r o no a s s u s t o . C i t o na t r e c h o /

(

desto r a r o documente: "A osso fenômeno é quo a Força. A é r e a B r a s i l e i r a r e s o l v e u d e d i c a r p a r t e de sua a t e n ç ã o , de sua c a p a c i d a d e , de suas p a r a s / li \ -1 honestas intenções" i; A história o o conteúdo do b o l e t i m , os Senho-/ r e s devea conhecer. Apenas p a r a l e m b r á - l o s . II

Essa aspecto é fundamental e vem a t é mesmo

a

chocar-se oos vossas posições expressadas nas c a r t a s * C o r r i g i n d o i s s o . / e n f a t i z o quo coso todos os governos a d i a n t a d o s do mundo, também o nosso/ |so ocupa da v i g i l â n c i a de nosso espaço a é r e o . Desde que a üfologia pas-/ sou a s e r p a u t a diária da mídia das grandes n a ç õ e s , os p r i n c i p a i s l i d e - / res s u n d i a l s v i e r a s a tomar precauções quanto ao Fenômeno OVNI. Obviamen t o quo países coso os EUA, d i a n t e i r a . Com

a F r a n ç a , a URSS e demais potências t o s a r a s a

a acentuação da C a s u í s t i c a , m u i t o s destes l i d e r e s recua-

11

' j r s s , p o r questões p o l í t i c a s , so o i a i s o r e l i g i o s a s ; o u t r o s aan t i v e r a m - s e / fiéis à compromissos cos suas n a ç õ e s . %

Neste d e s e n r o l a r , pouca g e n t e sabe que o Bra-/

í síl e n t r o u no s e t o r desde o p r i n c i p i o da década do 5 0 , t e v e usa atuação/ l e s p l e n d i d a , o quo pods s e r reconhecido t a n t o a n í v e l o f i c i a l (ou "íntramuros") quanto c i v i l (nós u f ó l o g o s ) . Compreendemos p e r f e i t a m e n t e bea o l u c i d a m e n t e , as questões p e l a s q u a i s não e p o s s í v e l t i r a r das gavetas muitas pautas / denominadas c o n f i d e n c i a i s ou u l t r a - s e o r e t a s . E n t r e t a n t o não entendemos// ,as razões do governo b r a s i l e i r o es não r e v e l a r informações que o u t r o s pa í s o s já f i z e r a s h á s u i t e

tempo, fazendo com que o

üfólogo

principal-

' mento, f i q u e absolutamente deficitário em dados de todos os t i p o s , l e v a n do a um d e s f a l e c i m e n t o de p e s q u i s a s . 0 avanço das pesquisas depende i n - / i d i s o u t i v e l m e n t e do r e s p a l d o governamental e n ã o de sou descrédito ou i a JPM. Hf^tfonos,. || ' jít i questões l e v a n t a d

R e g i s t r o mes p r o t e s t o p o r não t e r nenhuma e c a r t a s r e e p o n d i d a s , dando-me p o r i n s a t i s f e i t o

das e

I s > iniuríado, apeladou novamente por um o o n t a t o recíproco mais c l a r o e até/


poder s e r f o l i o oa caráter de d i s c u s s ã o . Mas n ã o a c e i t o os paradoxo*/ oonstatados. Igualmente é de aeu c o n h e c i s e n t o v i r i a s & t i viàadee conduzidas p e l o s Senhores, sendo e l a s as mais v a r i a d a s , i n c l j j iaéo ama extensa catalogação ds c o n t a t o s . P o i s n ã o possuem e datem um acerve?? Brepoaho assim ama t r o c a de i n f o r m a ç õ e s , n ã o apenas o e n v i o / ds minha p a r t a

es casos que tenho pesquisado e e s t u d a d o , mas também/

dos que estão em vosso poder» Acreditem que una c o n s u l t a deste t i p o / s e r i a do extrema importância e n ã o p r o v o c a r i a m p e r i g o a segurança naJy c i o n a l . Se oa r e s u l t a d o s da todas ou grande p a r t e das vossas p e s q u i - / sas estão c e n t r a l i z a d a s ao NUCOMDABRA, a c r e d i t o que devem t e r conheci mento de determinados casos que v e r i f i q u e i e onde o s Senhores p a r t i c i

;

j|] param demonstrando preocupação n ã o só ooa as testemunhas, mas cos os demais pontos que se fazem neceseérios acompanhar. H á uma aoobertação oomo s e r i a n a t u r a l , procurando n ã o d e i x a r v a z a r p a r a o s e n s a c i o n a l i s || mo ou t a l v e z temor de um pânico desenfreado, mas,certamente, tentando a g i r de modo mais p r u d e n t e e s e n s a t o , e v i t a n d o a i n c o e r ê n c i a . E n t r e t a n t o , nem mesmo os mínimos e s c l a r e c i m e n t o s que deveriam s e r f e i t o s , t a n t o para a testemunha, quanto para o üfólogo n ã o h á , deixando-os à a e £ • I e à d e r i v a , abandonado em meio a um sem número de p e r g u n t a s , d ú v i das • lacunas n ã o p r e e n c h i d a » . £ i m p o r t a n t e que o assunto dos OTHIs s e j a

/

<*empre mantido com bases em ocorrências v e r i f i c a d a s e i n v e s t i g a d a s

/

t a n t o p e l a s ooaunidadss c i v i s quanto m i l i t a r e s que se dedicam ao as-/ « u n t o , e é necessário que um assunto de t a l ordem de grandeza e p r i o r i d a d e ttãè Beja de i m e d i a t o esqueoido p e l a

opinião p ú b l i c a , a

exem-

\\ p i o do qae i n f e l i z m e n t e o c o r r e u em o c a s i õ e s a n t e r i o r e s . Por e s t a r a i z ã o , venho trabalhando para uma maior consciência p ú b l i c a , esclareoen ü do os i n t e r e s s a d o s e os c o n t a t a d o s , mobilizando-oa p a r a que se f a m i l i arizem com o fenômeno que j á se t o r n o u r o t i n e i r o . 8 cada vez mais f r e \'.\ quente

as aparições e o engajamento sério das a u t o r i d a d e s na busca /

de sua elucidação» A população está h o j e m u i t o mais e s c l a r e c i d a a seu •j .•>!••

r e s p e i t o do que h á alguns anos, graças ao esforço dos U f ó l o g o s . F i / . quem c e r t o s que continuaremos a d e s a f i a r o s p r e c e i t o s e p r e c o n c e i t o s / surdamente mantidos* Gostaríamos imensamente de poder c o n t a r cos a

J. • vossa c o o p e r a ç ã o . |Ij :|

P e ç o novamente que repondam as indagações

/

que f i z na c a r t a a n t e r i o r e foram n e g l i g e n c i a d a s . Necessito de e s c l a -

Í R , recimento p o r p a r t e dos Senhoree. Que possam também e n v i a r casos

que


disponham, ou pelo menos da»do-nos seu a v a l p a r a que possamos indagálo» a r e s p e i t e de t a n t o s e t a n t o • caçoa que eaoemoa p e r f e i t a m e n t e

o

f a t o de t e r e s p e s q u i s a d o s . Ea v i t i m a i n s t â n c i a , exponha» então es vos. soe a o t i T O » e raxõee p e l e acobertamento

não f u g i n d o da v e r d a d e .

Agradeço novamente a atenção de vosaa a u t o r i dade e deste Húcleo de Comando, que sem

dúvida alguma n- -eco o nosso

imenso r e s p e i t o e c o n s i d e r a ç ã o . I Ces os melhores v o t e s e s i n c e r o s t o s , sabacrevo-aa

agradecimen

ooa estima e a d m i r a ç ã o .

Segue anexo

/ Atenciosãmente Cláudio Tsuyoshi Suenaga


B r a s l l i a - D F , JO

.tf

de novembro de 1990

Prezado Senhor,

Recebi sua c a r t a endereçada \ ^ Centro

\ de Comunicação S o c i a l do Ministério da Aeronáutica. I n f o r m o a V Sa que, a t u a l m e n t e , o Or gao responsável p e l a catalogação e análise de OVNI'S ê o

Núcleo

do Comando de Defesa A e r o e s p a c i a l B r a s i l e i r o - NUCOMDABRA. 3

Incumbido p e l o Comandante do NUCOMDABRA de responder a sua m i s s i v a , venho agradecer p e l a sua g e n t i l e z a em c*í

nt^V

7

e

n

v

i

a

d

o

algumas informações sobre OVNI'S. ,

f ..

Quanto aos dados enviados p o r V Sa so

bre Objetos observados» esperamos r e c e b e r mais informações de t e r c e i r o s e de posse de mais f a t o s podermos f a z e r uma avaliação mais consistente.

1

MARDEM jpS^nHt ) S ^ ^ AANyÜR ^ D ^A DE - Maj Av

NOCI.EO DO COMANDO Dl: DEFESA

I !

AEROESPACIAL BRASILEIRO


AO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA CENTRO DC COWJNICAÇRO SOCIAL A/CllLHO»SRt*riNlSTRO ESPLANADA OOS MINISTÉRIOS BLOCO»«-?•ANDAR CEPiTO.045 BRASILIA • DISTRITO FEDERAL

liso.Sr«Ministro

G o s t a r i a da p r s s t a r u« serviço de u t i / l i d a d a p u b l i c a à asta s s t a b s l a c i a e n t o . o s s t o serviço • o s e g i n t s t No dlai05/10/90,aproximadamente as»19/ 49 observai um fenoseno ao cé*u que a r a o seginte«Erem c i n c o s s f s r a s ea /' fornato da una l u z , e s t s s e s f e r e s so aoviaantsvaa da segunte a s n s i r a co / ao a o s t r a o deaenho que f i x * Cata e s f e r a luminosa a c e n t r a l nSo / as a s v i e s n t a v e v a s qua movimentavam a r a a a s quatro s a f a r a s ao rsdor,es ./ t a e e s f s r s a todss e l e e e a i t i a a une l u z , n i e a r a usa l u z nuito f o r t e da / ea uaa i a p r a s s i o qua qua eeta l u a e s t a v a ua pouco f o s c a coso t i v e s s e co/ berta coa uaa n e b l i n a fina» E s t a s a e f e r a s luwinozae s s aoviaente / voa dá seguinte a a n e i r a t C i r c u l e v a n ea d i v e r e s a s p e s i s S s s e auaiaa a a s t e / c e n t r a l , e s t e f a t o eu pude observar por quanrenta e c i n c o ainutos a p r o x l / aadaaents, Nio s s i s s s p s r a l t i d o c o a s n t s r iste / à t e r c e i r o s , m a i s eu g o s t e r i a de aaber o que a r a aquelas l u z e s qua s s ao/ viaentevês,Je" o u v i n o i t e s pessoas d i z a r e e qus v l r s a dlaco voadores s a i s / o que o p e s s o s l sbservs • un pouco d i f e r e n t e * C s t s s l u z e s s s aoviaentavsa seapre e a / Fat£ ua datarainado angulo,nao paaeavaa d i s t o ssapra fazendo ua formato / da use rode« Sendo pooeivel limo. Sr «Ministro ee s / ética n e r a l t i r g o s t a r i a de saber o que deveria aar eete objato,o a c t i v o / do aeu i n t e r e s s e e que eu gosto multo da aviação e tudo o que ee r e f e r e / • ela,Já r e c e b i uas vez uaa r e v i s t a chamada«Aerovieao N»179 e gostai mui/ t o , g o s t a r i a de aabsr s e e s t e r e v i s t a ts» slguma a s s i n a t u r a para a gente/ f a s a r , s e t i v e r o o é W l a de f a i a r ome»Desde j« íleo.Sr»«inistro o meu a u l / + n Mhetnarfe nela atenção diensnaade.aubaacrevoi


No dia»05 d« outubro aproximademente as 19145 (Dezanove horas • quarenta s c i n eo minutos,foi observado no céu quatro l u t e s que se novimenteven girando eo UM c i r c u l e o depois»se u n i s e desaparecendo. Catas l u r e s permanecerem ee t o m o de uns 15 (Quinze nlnutos)ou aeis.NSo se ore un radar ou objeto voador nSo identificado» e s t e s l u r e s não erae muito fortes,quanto a posição estava» na posição Norte»pois ds ninho casa f i c o de c o s t a s para onde O s e i as poea.Tentei comunicação coe e s t e s l u z e s fazendo s i n a i s , m a i s nao respondia metes objetos.Nunes t i n h a observado algu as c o i s a a s s i a t i o i n t e r e s s a n t e no céu» nao t i v e aedo ea t e n t a r c o m u n i c a ç ã o » p e l e e s t a s l u z e s não respondie*N8o o a l u z que i l u ilumine o aeroporto do Bacaeheri»oie ee • t e l u z s s posiciona ea l i n h a c l r o u l e r o 4 so ue r o l o de l u z . E s t a que ou observei e r s a quatro l u z e s c i r c u l a r e s que se movi mentevem de f o r a pere dentro»

C u r i t i b a , 0 5 de outubro de 1*990*

Renato

flertlns

da

Carvalho.


NPA/W./SCG

ANEXO 121 QUESTIONÁRIO 9

DATA/HORA/ I»A RECEPÇÃO : ??/? ?. /..°

AVA0*.

0 1 - Como • quando f o i que notou p e l a p r i m e i r a vez o s (OVNI)? 0 OVNI FOI AVISTADO A OLHO N Ü APROXIMADAMENTE KS 21:15»*

0 2 - Posição do o b j e t o (OVNI): a - D i ^ ^ n ç ^ a ^ do^ob^eto em relação ao observador:

b - A l t u r a :..W.PQQE.eBEÇ;SAR... c - posição em relação aos pontos c a r d e a i s

(azimute);

03 - Descrição do o b j e t o : a - Fornis : ...CIRCULAR..........

b - TáaÓnho : *** *W%.fÇÇÇISAR c - Cor

;. APRESENTAVA MUDANÇAS DE CORES(AMAREtO/LARANJA/ !

d - V*iéo*d^ :

Lt

!°í

.. PARADO;LENTO. E. VELOZ/Vol,. INCONSTANTES)

NAO PRODUZIA NENHUM SOM •

•'•

• • -

••

• • « • .

.

.

.

,

* • • p

Nâo

Ousntidiidr

01

oi- - Voando próximo vai tio o u t r o ?

A3-1

CONFIDENCIAL

f


CONFIDENCIAL

' NPA/57../SCO

06 - Trajetória :

07 - Duração da obaervacSo : .. .Um JfUUTQ .E .MEIO.....

06 - Estava sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas

HAiHHO. .Q0.n

.11 -P.^§9*§

-

09 - Existência de proves físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras )

m*

10 - Observação a o l h o n ú ou com algum d i s p o s i t i v o ótico ? - A. J1LH0. X t t . . 11 - Condições de tempo presente (meteorológicas) : V..£AVPX

12 - Dados p e s s o a i s do observador : a - nome : . ftjtft J1PJIUWQ MhQHQ* b - endr : . «G E JAIME. . f a f e . - . .MQÇi . .GUAÇy A S c - idade: .. * .3A . X°. ... .. . d - grau de instrução : Ç K f f W L a m , 'óÊfiíistA e - ocupação p r i n c i p a l : f - possui ou n ã o conhecimentos t é c n i c o s sobre ÛVHI? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) : "7"

13 -

Posto ou graduação e nc-me de quem'recebeu a informação ...3S.0JDCA. ,

14 - Dedos complementares HRQL

A32

CONÍIt LNCIAL ii

K

.


CONFIDENCIAL

ANEXO 111

A/HORA/ DA KEC&Çffl

5

: ?- / J £. / W

A^W

..

01 - Como e guando f o i que notou p e l a p r i m e i r a vez os o b j e t o s ! (OVNI;)* : ') A NOITE. (TIROU FOTOS) ........ .JA .QBSEfiVOU.OUTRAS. UÍJ.ZS. . •

0 2 - Posição do

• • *

objeto (OVNI):

tância do o b j e t o i

b - A l t u r a : . « Ç ^ Q . Í S Q B R E . A. JPRRk W. ü^lHK) O - Posição em relaçÊo aos pontoa c a r d e a i s ( a z i m u t e ) :

.... Jmmxt........

* * e •••

0 3 - Descrição do o b j e t o :

a - rorn>» : ^ W « 0 A

'•>.

b - T a m a n & í •,/.-. .ESTRELA c

'• •

Cor- 4 .#W1ÇA Yt-iecidnHé _ í

PARADO

N«0

i - Kar-.trò : -S.IM

... .•

O v a n t J d W r fiX AWWl

.PE. UM,fc£:MENpR. TAMANHP

oi' - Veaitriopróximous^jC^.|/u^ro *

""vi A3-1 CONNDENCiAl af^Me> '


CONFIDENCIAL i i i • i • i i

06 - Trajetória :

i

07 - Duração da observação :

ALTO

NPA/V. ./SCO

NE/SW

• i •

i

.;.

r i

i ,' • I. •

I i • i i • i i • i I

06 - Esteva sozinho ou acompanhado ? ( se acompanhado, quantas pessoas ) :

....JX2. PEJS.S.0AJS. 09 - Existência de provas físicas ( f o t o g r a f i a , f i l m e , amostras ) ..fPXO.QRAf.IA.. 3

i v o ótico ?

10 - Observa

t •

lógicas)

11 - Co:

12 - Dados p e s s o a i s do observador,: LUIZA BAHIA a - nome : MARIA A o V ffT ÍC*D *APT9 603' b - endr .: c - idade:......tHAHQS .SUeERÍPR... d - grau de instrução a - ocupação p r i n c i p a l f - possui ou nao conhecimentos t é c n i c a s sobre.OVNI? (caso a f i r m a t i v o , q u a i s ) :

13 - Posto3 ou ou graduação grauuaça e nome de qu^m recebeu a informação

1 4

"

r

% 7 E f ™ £ : ^

A3-2

CONÍII. INCIAL


BR_AN_BSB_ARX_003_001