Page 1

15 de novembro 2012 Ano XII n.º 270 Quinzenal Preço 0.70 €

Diretora n Aliette Martins

m

Diretor-adjunto n Marcos Leonardo

Governo extingue Hospital do Litoral Alentejano e ACES O Hospital do Litoral Alentejano (HLA) e o Agrupamento de Centros de Saúde do Alentejo Litoral (ACES) foram extintos, dando lugar à recém-criada Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (E.P.E.), que integra os serviços das duas idades mas, geridos agora, por uma só administração.

I Encontro de Produtores da Costa Alentejana

Da reunião concelhia do próximo dia 27 deverá sair (ou não), “fumo branco”

Autárquicas 2013

NÃO VENDA O SEU OURO Emprestamos dinheiro de imediato sobre... OURO, PRATAS, JÓIAS, RELÓGIOS, MOEDAS, ANTIGUIDADES E PINTURAS Com rapidez, segurança e sigilo. Qualquer quantia e nas melhores condições.

DAMOS VALOR AOS SEUS VALORES

Rua Júdice Fialho, 8 - Loja A (Em frente da Santa Casa da Misericórdia) 7520-218 Sines

Tel. 269 636 177 - Tem. 969 394 118


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Autárquicas 2013 Propriedade

02

www.jornallitoralalentejano.com

Em Odemira, o momento é de tranquilidade

LitoralPress, Lda

Diretora

Aliette Martins

Diretor Adjunto Marcos Leonardo

Redação Aliette Martins (aliette@sapo.pt)

Gisela Benjamim

(giselabenjamim@gmail.com)

Angela Nobre

(a.v.nobre@gmail.com)

Rute Canhoto

(rutecanhoto@iol.pt)

Joaquim Bernardo

(joaqbernardo@gmail.com)

Helga Nobre

(helga.nobre@gmail.com)

Cronistas

Francisco do Ó Custódio Rodrigues Serafim Marques Veríssimo Dias

Secretaria

Ana Cristina

Com as “Autárquicas 2013” no horizonte político/partidário que se segue, numa conversa informal, na sua qualidade de responsável pela Concelhia do PS de Odemira, Ricardo Cardoso confere o andamento dos trabalhos em relativos à escolha do candidato a candidato daquele Partido, para gerir a Autarquia. Aliette Martins aliette@sapo.pt No passado dia 25 de Outubro, num lugar dos muitos aprazíveis que Odemira tem, com a calma e sossego a lembrar que, afinal, continuamos a ter em Portugal onde nem tudo são espinhos, a equipa do Jornal Litoral Alentejano encarregue de se ocupar das preliminares que fazem o todo na escolha dos candidatos a candidato às Eleições Autárquicas de 2013, o mote foi o de auscultar qual seria a sensibilidade

próprias, diria até, de terra emancipada. Nesse sentido e, para dar continuidade às abordagens a quem exerce a presidência concelhia do Partido Socialista em Odemira, procuramos informação sobre o processo em andamento sobre a escolha do candidato a candidato para o próximo ato eleitoral, a partir de uma conversa franca com Ricardo Cardoso, na sua qualidade de Presidente da Concelhia

Fotografia Ana Correia Luís Guerreiro José Miguel Duarte Gonçalves

Publicidade

quaisquer registos públicos de conflitos impeditivos de gestão concelhia no que diz respeito à escolha do candidato. Posto isto, o que é que os eleitores odemirenses poderão esperar no que diz respeito ao candidato a candidato? - Ricardo Cardoso, na sua qualidade de Presidente da Concelhia do Partido Socialista de Odemira - Em Odemira, a Concelhia do Partido Socialista sempre teve uma postura no sentido de saber lidar com que se depara, respeitando as orientações Nacionais do Partido Socialista, nomeadamente as vinculativas, a nível da legislação, dos estatutos e, dos regulamentos internos, aliás, recentemente aprovados, nomeadamente referente à escolha dos candidatos autárquicos. Na verdade, o PS fez alterações dos seus Estatutos, são uma novidade , o que faz com que também estejamos a aprender com as novas regras. Entretanto permita-me que lhe diga o seguinte: Eu não gosto de falar em ciclos eleitorais apenas nestas alturas. Aliás, o que nos preocupa é a estabilização do Partido ao longo dos anos, o seu crescendo, o aumento da sua influência junto das populações, o

didatos a candidato e, eventualmente, que se proceda a diretas dentro do Partido Socialista. Litoral Alentejano – Disse… eventualmente? - Sim. Digo eventualmente porque, se houver apenas um candidato, isso não será assim. Não será preciso que se proceda a diretas. No entanto, como lhe afirmei, neste momento, estamos a lidar com a situação de uma forma tranquila, serena e, temos todas as condições para os vários estádios que se nos possam colocar.

Marcos Leonardo Telem. 919 877 399

Paginação

BRAIN DAMAGE, LDA geral@braindamage.pt Tel. 265 533 129

Distribuição

Existe uma reunião marcada da Comissão Política Concelhia, para falar do assunto: “Autárquicas 2013”, lembrando-lhe que, entretanto, que os estatutos impõem que haja candidatos a candidato e, eventualmente, que se proceda a diretas dentro do Partido Socialista.

VelozEficácia 269 862 292

Sede

Colégio de S. José Rua do Parque, 10 7540-172 Santiago do Cacém Tel./Fax: 269 822 570 Telem. 919 877 399 litoralalentejano@sapo.pt

Delegação

Rua do Romeu, 19-2.º 2900-595 Setúbal Telf./Fax: 265 235 234 Telem. 919 931 550 litoralalentejano@portugalmail.pt

Membro :

existente para a escolha em estudo. Entretanto, é de lembrar que o Concelho de Odemira, embora geograficamente fique no fim da linha do Alentejo Litoral, tem a particular de pertencer – administrativamente - a Beja, a que junta ainda a característica de estar a dois passos do Algarve – com quem faz fronteira, para além do registo de ser o concelho maior de Portugal. Por tudo isto, não será por acaso que Odemira tem características

do PS de Odemira.

A Concelhia sempre respeitou as orientações nacionais do PS, nomeadamente as vinculativas Litoral Alentejano – Casos anteriores, ditaram que, nem sempre as Concelhias do PS fizeram fazer valer as determinações a que chegaram, no entanto devo dizer que, a prática de Odemira, não teve

saber interpretar o que é a vontade das pessoas e, nesta lógica de continuidade, a estabilidade que tem havido no PS em Odemira, eu diria que tem permitido começar preparar o ato eleitoral que se segue, um dia a seguir às eleições que tiverem lugar anteriormente, portanto, nesta altura, o que posso dizer-lhe é que existe uma reunião marcada da Comissão Política Concelhia, para falar do assunto: “Autárquicas 2013”, lembrando-lhe que, entretanto, que os estatutos impõem que haja can-

Litoral Alentejano – A reunião a que se referiu está marcada para que dia de Novembro? - A reunião está marcada para o próximo dia 27 de novembro. Litoral Alentejano – Reunião agendada que cai mesmo em cima da apresentação do(s) candidato (s)? - Sim. É verdade. Posteriormente, nessa Comissão Política poderá aparecer uma candidatura ou várias e, caso venha a registar-se

várias candidaturas, termos que marcar eleições. Eleições essas que terão que ser marcadas para o mês de dezembro, para cumprir-se o estipulado pelo Partido Socialista. Alias, como presumo, no regulamento interno do PS está definido que, até ao final deste ano, 2012, terá que haver decisões sobre essa matéria.

O que a Concelhia pode adiantar é que está tranquila em relação ao trabalho que tem vindo a ser realizado Litoral Alentejano – Neste momento há – entretanto – um candidato a candidato, à partida, com mais probabilidade que outros que possam surgir? - Como lhe disse, a Concelhia tem vindo a trabalhar desde o dia seguinte às últimas ter ganho as últimas eleições autárquicas. Se me perguntar: A Concelhia sabe o candidato que quer para o próximo ato eleitoral autárquico? Eu respondo-lhe: Evidentemente. A Concelhia sabe o candidato que quer. Conhece bem as características do candidato que o Partido Socialista quer ter para gerir o destino de Odemira nos próximos quatro anos, no entanto, como lhe disse também, essa escolha advém de um trabalho coletivo. Eu sou apenas o rosto mais visível dessa Comissão Política Concelhia, por isso, nesta data, não faz muito sentido estar a adiantar muito mais quando, essa Comissão, ainda terá que reunir para decidir sobre isso. No entanto, devo dizer-lhe que,


www.jornallitoralalentejano.com

a Concelhia sabe muito bem o que quer, e o que mais a preocupa é, de facto, conseguir ultrapassar o objetivo, que é o de apresentar um programa credível, que as pessoas o entendam e que percebam que será uma mais valia para o Concelho de Odemira. Neste momento, o que a Concelhia pode claramente adiantar é que está tranquila em relação ao trabalho que tem vindo a ser realizado.

Em Odemira, desse contraditório,

Litoral Alentejano – Quem vem a Odemira, conclui com alguma facilidade que, no seu território, respira-se um clima de serenidade no desempenho político, por isso faz sentido aqui a pergunta: Se assim é, Odemira faz parte – positivamente - de um País diferente? - Repare, o haver – digamos – uma estabilidade, não quer dizer que não haja discussão. O que nunca fizemos foi arredá-la de dentro da estrutura local do Partido Socialista. É preferível e é desejável, discutir dentro do Partido Socialista, argumentando, contrapondo e, chegarmos às melhores conclusões, muitas vezes, através de votações, que não são unânimes (é bom que se diga), não esquecendo de afirmar que somos um Partido democrático. Acredito que faz falta esse contraditório. Aliás, desse contraditório, temos conseguido a estabilidade a que se referiu.

O nosso “Plano” é continuar a fazer de Odemira, o melhor Concelho de Portugal

03

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Acredito que a juventude de Odemira é proactiva e, ser proactiva – não ter medo e querer participar na vida cívica - advém-lhes das condições do próprio Concelho, em que as pessoas gostam de conviver e, daí, surgem as conversas e a vontade de querer fazer mais

mide. Partido do princípio de que, neste momento, as concelhias têm em mãos uma tarefa gigantesca, na sua qualidade de presidente da Concelhia de Odemira, lembrando que o País vive uma crise económica/financeira arrasadora, quando sabemos que a paixão sozinha, sem dinheiro não podem realizar obras, o que poderá condicionar o facto de surgirem várias candidaturas, pergunto-lhe: No programa que se seguirá depois da definição do candidato, haverá um “Plano B” considerando o cenário de penúria anunciado no Orçamento de Estado para 2013? - A responsabilidade de um presidente de concelhia é mais o de gestão, portanto, eu sou presidente de um órgão; esse órgão tem competências, logo tenho a responsabilidade de gerir as competências desse órgão. Ou seja, não posso (nem devo), falar em nome individual.

por vezes, também acontecem decisões às quais eu posso ter dúvidas e algumas reticências. No entanto, se assim acontecer, terei que saber lidar com as várias opiniões, situações e com as várias sensibilidades. Respondendo mais diretamente à sua pergunta, devo dizer-lhe que a Concelhia do Partido Socialista de Odemira tem, apenas, um “ Plano”.

Esta nossa zona de costa lindíssima, só não fala dela quem não a conhece Litoral Alentejano –Não nos quer dizer que “Plano” é esse ? - Esse “Plano” é continuar a fazer de Odemira, o melhor Concelho de Portugal. Já somos o maior. Eu gostaria que, um dia, fôssemos o melhor e, para que isso venha a ser uma realidade, não precisamos apenas de desenvolvimento. Ou seja,

A Concelhia sabe o candidato que quer. Conhece bem as características do candidato que o Partido Socialista quer ter para gerir o destino de Odemira nos próximos quatro anos.

temos conseguido a estabilidade a que se referiu

Litoral Alentejano –Essa é uma lógica que deveria importar a todos os partidos e em toda a sua pirâ-

Tenho que falar em nome do coletivo concelhio enquanto cabeça política concelhia – no caso – de Odemira onde,

eu não quero desenvolvimento por si. Quero sim desenvolvimento em qualidade de vida. É isso que

faz com que trabalhemos todos os dias, lutando para que os cidadãos que vivem em Odemira tenham qualidade de vida. É isso também que temos vindo a conseguir ao longo dos últimos anos, numa luta constante para aumentar a qualidade de vida, começando pelas infraestruturas, por uma estabilização económica/ financeira, desenvolvendo e criando outras condições a nível dos equipamentos. Por tudo isso, é chegado o momento de acrescentar valor a esta estratégia que vem de trás, porque chegou – de facto – a altura de notabilizar Odemira no contexto Nacional. É tempo de Odemira ser um Concelho de referência, não só na atração turística mas, a nível da qualidade de vida dos cidadãos que aqui vivem. Aliás, Odemira teve visibilidade Nacional merecida pela beleza das suas praias. Ou seja, nós não temos, desde este verão, as melhores praias de Portugal, estamos é contentes porque, conseguimos transmitir a quem quer que nos visite que pode apreciar aquilo que, desde sempre, sabemos que, efetivamente, esta nossa zona de costa lindíssima, só não fala dela quem não a conhece. Litoral Alentejano – Assinala-se em Odemira, a presença de uma juventude muito ativa, preparada, que sente a sua Terra. Em sua análise, a que é que isso se dá? Qual o fator dominante para que essa

referência seja verdade? O isolamento? A pouca presença dos colunáveis que gravitam em Lisboa e arredores sem ser de lado algum no plano dos afectos? - Acredito que a juventude de Odemira é proactiva e, ser proactiva – não ter medo e querer participar na vida cívica - advém-lhes das condições do próprio Concelho com as características que referiu, em que as pessoas gostam de conviver e, daí, surgem as conversas e a vontade de querer fazer mais. A tudo isso se junta a confiança dos mais velhos a confiar nos mais novos. O trabalho é sempre de todos. Litoral Alentejano – Que participação política é a dos jovens de Odemira? - Registe-se que é bom que haja juventude “metida” na intervenção política. Aliás, isso também parte da estrutura do Partido Socialista. Nesse sentido – e, permita que lhe diga - há uma estratégia de renovação constante dos órgãos do PS Concelhio, facilmente constatada. Basta ver as listas e verificar as transformações que vão se verificando, sem que isso crie qualquer problema junto das pessoas, porque sabem que participam, certas de que, essa sua participação, não deverá ser para sempre. A renovação é encarada como absolutamente normal, o que tem sido decisivo para os resultados do Partido Socialista alcançados em Odemira.


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Idosos isolados recebem telemóveis Vinte idosos isolados dos concelhos de Alcácer do Sal, Santiago do Cacém e Odemira vão receber telemóveis como forma de minimizar os riscos a que estão sujeitos. Trata-se de um projecto do grupo Delta Cafés que criou grupos de voluntários que vão trabalhar em parceria com as entidades no terreno. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com A Associação ‘Coração Delta’, do grupo Delta Cafés, em parceria com a Guarda Nacional Republicana, os Municípios de Santiago do Cacém, Alcácer do Sal e Odemira e a Fundação PT vão entregar, na segunda quinzena de Novembro, 20 telemóveis a idosos isolados dos três concelhos do Litoral Alentejano. A apresentação do projeto aconteceu no passado dia 31 de Outubro nas instalações do destacamento da GNR de Santiago do Cacém e contou com a presença de representantes das autarquias envolvidas, da Santa Casa da Misericórdia de Santiago do Cacém e de elementos das forças de segurança.

A iniciativa pretende minimizar os riscos a que estão expostos a maioria dos idosos que vivem em locais isolados e de difícil acesso, permitindo um contacto constante com o exterior, tornando mais fácil o acesso às autoridades. Em caso de emergência, basta o idoso carregar num único botão do telemóvel para fazer uma chamada para as instituições de solidariedade, GNR, hospital, bombeiros, familiares ou para a rede de voluntários, criada pelo grupo Delta Cafés, que está disponível para visitar, uma vez por semana, os idosos que necessitam de acompanhamento permanente e que

04

estão referenciados a mais de 10 km da localidade mais próxima. “São idosos que estão sozinhos por vários fatores. Além da companhia, os nossos voluntários, dão passeios e apoiam noutras tarefas. Se um voluntário detetar um problema contacta a instituição para que a técnica de ação social se desloque ao local para resolver o problema”, referiu uma das coordenadoras do projeto, Cecília Oliveira. No Litoral Alentejano foram identificados 20 idosos (10 em Odemira, 6 em Santiago do Cacém e 4 em Alcácer do Sal) a viver nestas condições de um total de 124 idosos em todo o Alentejo, a região piloto deste programa que pode vir a ser alargado a outras zonas do país. “A PT associou-se ao nosso projeto com o pagamento de 50 por cento dos telemóveis e o compromisso de reforçar a cobertura da rede nas zonas mais problemáticas”, explicou a responsável que garante o pagamento da assinatura anual no primeiro ano de vigência do programa. “Os telemóveis já estão definidos com a tecla de marcação rápida para os números de emergência, além da

www.jornallitoralalentejano.com Cecília Oliveira durante a apresentação do projeto aos restantes parceiros

patilha de segurança que dá o alerta para as autoridades e emite um sinal sonoro com uma mensagem pré-definida

a pedir ajuda”, reforça. A coordenadora espera entregar até ao final do ano os telemóveis a todos os idosos

referenciados na região do Alentejo.

Crónicas de Lisboa Os Inimigos de Portugal

Serafim Marques* Governar uma país em crise é algo muito complexo e difícil, porque cada um usa a sua força para maximizar os seus ganhos e benefícios e minimizar os seus sacrifícios e perdas. Mas é função do Estado, através dos seus dirigentes e dos governantes eleitos no exercício da democracia, gerir o conflito de interesses em prol do colectivo. Contudo, o sucesso dessa política depende de vários factores, nomeadamente, da educação e formação cívica do povo, da organização da sociedade, constituída por uma enorme variedade de instituições de suporte às funções do Estado, incluindo aquelas que são

o suporte da democracia. Os partidos e os seus dirigentes acabam por deter, em democracia, o poder delegado pelo povo eleitor, mas, infelizmente, a nossa democracia está ainda cheia de pontos fracos, que a realidade que estamos a viver, parece confirmar e tmabém uma afirmação histórica: “A democracia é a pior de todas as formas de governo, excetuando-se as demais que se conhecem”Winston Churchill. Restaurada a democracia no nosso país, em 1974, seguiu-se um período no qual se cometeram muitos erros na governação, por falta de preparação dos políticos ou populismos sucessivos, pelo que os governantes que exerceram o poder não souberam, ou a democracia não os deixou, preparar o país para uma realidade sustentável, social e economicamente. Assim, as crises externas afectaram muito mais aqueles países que não souberam ou não quiseram preparar-se e foi isso o que aconteceu a

Portugal que viu fortemente afectadas as suas estruturas económicas e sociais por uma crise financeira que veio de fora, a que se seguiu uma crise económica. Assim, o país chegou a uma situação de pré bancarrota, pelo que não teve outra alternativa se não chamar a “Troika”, que nos impôs medidas de austeridade e de reorganização do aparelho e funcionamento do Estado e das empresas públicas, bem como diversas alterações legislativas (habitação, trabalho, etc), situação que eu chamaria vexatória para todos os políticos que passaram pelo poder desde 1974. Contudo, logo emergiram os interesses corporativos e partidários, cada um a colocar os seus próprios interesses acima dos interesses do país. Sindicatos, associações patronais e ex-políticos e ex-governantes e partidos estão desavindos, mesmo com o povo na rua e o crescente perigo de instabilidade social, acicatados por agentes

ressabiados, sejam eles sindicalistas ou outros “portugueses apátridas”. Greves e manifestações corporativas têm sido uma constante nestes últimos meses, com graves prejuízos para a nossa economia, pública e privada. Por exemplo, as greves dos transportes públicos afectam os utentes e a sua produtividade, mas também as próprias empresas e os contribuintes que depois terão que cobrir os défices com os seus impostos. E o que dizer da greve dos estivadores e dos seus efeitos na economia e na imagem externa do país? Do “menu grevista” faz parte também uma greve geral. Em tempos de crise colectiva, é “socialmente justo” enveredar por greves em defesa de privilégios suportados pelos contribuintes? Em vez de “enterrarem o machado de guerra” até que o pais ultrapasse esta fase difícil da sua história, não hesitam em colocar os seus egoísmos e interesses

acima de tudo e anseiam para que “corra sangue nas ruas”. Os danos de tais comportamentos serão enormes para um país em crise e que, mais do que nunca, necessita de união e dos sacrifícios de todos e não apenas de alguns. “Primeiro o meu país, depois a democracia e só depois os meus interesses individuais ou corporativos”. Não é isso que muitos, alguns com responsabilidades governativas no passado, estão a fazer ao país. Desde ex-políticos frustrados ou bem instalados na vida, incluindo muitos jovens políticos e sindicalistas, cuja única actividade relevante que se conhece são discursos moralistas sobre as suas virtudes pessoais e partidárias, com o beneplácito da imprensa que lhes dá voz e lhes alimenta o ego, muita gente olha para Portugal como o inimigo a abater e a destruir. “Não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, mas sim o que

tu podes fazer por ele”Kennedy. Pobres de nós, governados por políticos cuja maior preocupação é a sua imagem pessoal e os interesses partidários. Que se lixe o país, pensarão no seu íntimo, mas nesta onda de ruído e protestos, os demais dirigentes deixamse também contagiar por essa torrente de crítica pela crítica e de reivindicações corporativistas.Tantos inimigos internos que Portugal tem, apesar de gostarmos de culpar os “inimigos externos”, escolhendo Merkel como bode expiatório dos nossos pecados, ou, se quisermos, há muita gente que tenta ficar com a maior fatia dum bolo que é mínguo dum país pobre e endividado, mesmo sabendo que os outros ficarão com pouco ou nada desse bolo!

* Economista


www.jornallitoralalentejano.com

05

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Governo extingue HLA e ACES e cria Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (E.P.E.) O Hospital do Litoral Alentejano (HLA) e o Agrupamento de Centros de Saúde do Alentejo Litoral (ACES) foram extintos, dando lugar à recémcriada Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (E.P.E.) que integra os serviços das duas mantendo os serviços já existentes, mas geridos agora por uma só administração.

Ângela Nobre a.v.nobre@gmail.com A constituição da nova Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) foi formalizada com a publicação, em Diário da República, do DecretoLei n.º 238/2012 de 31 de Outubro, documento em que o Governo explica a adopção do novo modelo organizativo, que estava já a ser aplicado no interior do Alentejo. Esta reorganização alia “o modelo de unidade local de saúde à forma de gestão característica das entidades públicas empresariais (E.P.E)”, passando também agora os serviços de saúde primários a serem geridos enquanto sector empresarial do Estado, à semelhança do que já

acontecia com o Hospital do Litoral Alentejano. Assinala o Decreto-Lei “Numa zona como é o Litoral Alentejano com uma forte complexidade em termos sociodemográficos, com características geográficas muito marcantes, com problemas muito acentuados em algumas áreas da saúde e com dificuldade ao nível da capacidade de resposta dos serviços de saúde, sobretudo ao nível dos cuidados médicos, torna-se imperativo aproveitar a integração derivada da constituição de uma ULS como uma oportunidade não só para continuar a tendência de melhoria dos cuidados prestados, mas também

para encontrar novas formas de os prestar que, envolvendo cada vez mais os profissionais, os utentes e a comunidade, sejam mais efectivas, eficazes e eficientes”, é argumentado no decreto-lei. A criação da Unidade Local de Saúde permite assim “rentabilizar a capacidade existente no hospital e nos centros de saúde”, integrando “os cuidados de

saúde primários, hospitalares e continuados no Alentejo Litoral”. Essa pode ser uma melhor organização “do ponto de vista conceptual” , já que permite trabalhar “de forma mais integrada”, diz Adelaide Belo, que presidia até aqui ao Conselho de Administração do Hospital do Litoral Alentejano. Adelaide Belo não deverá

integrar o novo Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, que foi já aprovado em Conselho de Ministros, no passado dia 08 de Novembro, não tendo ainda contudo sido feita a nomeação oficial dos seus membros. Da ULSLA fazem parte integrante os Centro de Saúde de Alcácer do Sal,

Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira, bem como o Hospital do Litoral Alentejano, onde fica sedeado o novo organismo. No Alentejo, existiam já duas ULS, a do Baixo Alentejo e a do Norte Alentejano. O litoral alentejano era a única zona da região onde que os serviços de saúde não estavam ainda organizados dessa forma.

Protesto dos trabalhadores da Refinaria de Sines Os trabalhadores da refinaria de Sines da Petrogal voltaram à luta contra a redução do pagamento do trabalho extraordinário e em dia feriado e estiveram concentrados junto à portaria da empresa. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com Várias dezenas de trabalhadores da refinaria de Sines protestaram, no passado dia 9 de Novembro, junto às instalações da empresa contra aquilo que consideram uma “usurpação ilegítima” dos seus salários por parte da Galp Energia. Na sequência da greve de três dias realizada pelos trabalhadores em meados de Setembro, a empresa descontou dos seus salários 6,75 dias, alegadamente por contabilizar o tempo

“que a refinaria demora a arrancar” após a paragem, explicou Hélder Guerreiro, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE/SUL). O sindicalista adiantou que irá ser interposta uma providência cautelar para impedir esta medida, esclarecendo que não se trata da primeira vez que a Galp Energia procede desta forma, tendo já sido

“condenada quatro vezes por tribunais”, desde 2010, por esta prática. Ostentando uma faixa com a inscrição “Devolvam os nossos salários”, os trabalhadores estiveram

concentrados perto de uma hora junto à portaria principal da refinaria, acabando por desmobilizar. “Não podemos aceitar que a empresa usurpe ilegitimamente uma

parte dos salários dos trabalhadores”, declarou Helder Guerreiro, que recordou que a empresa “já foi intimada a devolver o dinheiro sonegado” por decisão dos Tribunais.

“A Administração tem feito tábua rasa das decisões dos tribunais, protelando ao máximo as execuções das sentenças com recursos infundados e todo o tipo de expedientes, tendo sido ameaçada pelo Tribunal de Sines com sanção extraordinária”, denuncia o Sindicato dos Trabalhadores das IndustriasTransformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul. Os trabalhadores da Galp Energia levaram a cabo uma paralisação de três dias em meados de setembro, que se repetiu por mais seis dias em outubro. As causas das greves relacionaram-se com a redução de salários, de valores dos feriados e das horas extraordinárias, resultantes da aplicação do novo Código do Trabalho, e, ainda, com o aumento da comparticipação dos trabalhadores no regime do seguro de saúde.


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

06

www.jornallitoralalentejano.com

“I Encontro de Produtores da Costa Alentejana”

revela a qualidade dos seus Vinhos “Se continuarmos a apostar na qualidade e se unirmos esforços numa promoção conjunta e impactante, a Costa Alentejana será, em breve, um marco incontornável no sector vitivinícola”, foi uma das conclusões do “I Encontro de Produtores de Vinho da Costa Alentejana”. “Os vinhos da região da Costa Alentejana têm vindo a conquistar espaço no mercado vitivinícola nacional, mas é ainda necessário viabilizar a sua imagem de qua-

Barradas da Serra, em Grândola. O presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo Litoral, Carlos Beato, afirmou que “o vinho ainda não conquistou

da vitivinicultura contribui para o desenvolvimento do território, pela sua transversalidade a vários sectores e que, com as estratégias adequadas, poderá vir a transformar-se em catalisador de desenvolvimento local, pelas complementaridades que pode gerar. No certame desenvolvido pela ERTAL em parceria com a Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano, estiveram presentes nove produtores – Quinta do Brejinho da Costa, Herdade do Cebolal, Cortes de

lidade junto dos potenciais consumidores e profissionais do sector”, é a conclusão retirada do “I Encontro de Produtores de Vinho da Costa Alentejana”, que teve lugar na sexta-feira dia 26 de outubro, na Herdade das

um papel predominante na economia da região, sendo necessário potenciar o produto de modo a contornar esta evidência.” Manuel Amaro Figueira, Presidente da Direcção da ADL, garante que a fileira

Cima, Herdade da Monteira, Adega dos Nascedios, Herdade do Portocarro, Monte da Serenada e Pinheiro da Cruz – com o intuito de dar a conhecer a qualidade dos vinhos produzidos na região junto dos mais de 100 visi-

tantes, entre profissionais e críticos do sector nacionais e estrangeiros, restauração, retalho, e público em geral. “Pela primeira vez, um conjunto alargado de produtores de uma região vitivinícola em afirmação, como é a Costa Alentejana, teve espaço para apresentar os seus produtos, para dar a conhecer a qualidade que os caracteriza, promovendo este território como uma região também de vinhos”, afirmou o Representante dos Produtores da Costa Alentejana. O Eng.º. Miguel Palma explicou ainda que a proximidade marítima é o aspecto diferenciador dos vinhos produzidos no litoral, demarcando-se dos que são provenientes do interior alentejano, sendo esta uma influência positiva na qualidade do vinho. O que se tem procurado com os projectos vitivinícolas da região é o

“posicionamento do vinho regional enquanto um produto de qualidade, reconhecido não só a nível nacional como internacional, que projecta o que de melhor se faz na Costa Alentejana, para além da vocação turística e a gastronomia tradicional”, conclui. O potencial turístico da Costa Alentejana é evidente, mas é ainda, de algum modo, “ostracizado”, como rematou José Eduardo, das Cortes de Cima, sendo fun-

damental conciliar os recursos existentes de modo a potenciar e valorizar toda a região. “Sabemos que existe ainda um longo caminho a percorrer. Mas se continuarmos a apostar na qualidade e se unirmos esforços numa promoção conjunta e impactante, a Costa Alentejana será em breve um marco incontornável no sector vitivinícola a nível nacional e internacional”, concluiu o Eng.º Miguel Palma.

Grândola

Carlos Beato esclarece o desafio que lhe propuseram Conforme já é do conhecimento público, o Dr. Carlos Beato recebeu um honroso convite para integrar as listas do Conselho de Administração do Montepio Geral. Assim sendo, o Jornal Litoral Alentejano procurou saber junto do Presidente da Câmara de Grândola, qual poderá vir a ser o desenvolvimento da sua prestação a Grândola, concretizando-se o sucesso - de mais um desafio - na sua vida profissional. Aliette Martins aliette@sapo.pt A palavra de Carlos Beato: “Uma vez que, nos termos da Lei, não é possível voltar a candidatar-me ao cargo de Presidente do Município de Grândola, que como todos

sabem seria o meu maior desejo e vontade, mesmo continuando a não auferir salário mensal, quero informar que após profunda reflexão decidi aceitar o honroso convite que me foi

dirigido pelo Senhor Padre Vítor Melícias e pelo Presidente do Montepio Geral, Dr. Tomás Correia, para integrar as listas do Conselho de Administração daquela Instituição, de que sou sócio há cerca de 25 anos e a cujos órgãos já me candidatei noutras ocasiões, incluindo a Comissão de Honra. Se a lista a que pertenço

vier a ser eleita, e uma vez que as funções que iria desempenhar no Conselho de Administração do Montepio Geral são incompatíveis com o exercício do cargo de Presidente da Câmara poderei ser forçado a deixar a Câmara de Grândola, o que, devo confessar, muito me desagradaria e entristeceria, porque estou habituado a levar as coisas até ao fim. Nesse caso promoverei de imediato uma reunião de Trabalhadoras e Trabalhadores do Município para comunicar, em primeira mão, a minha decisão. Se for forçado a sair, sairei triste, porque gostaria de cumprir, até ao seu termo, o mandato que o Povo do Concelho de Grândola me

confiou. Mas terei a consciência completamente tranquila por deixar o Município e o Concelho incomparavelmente melhores do que quando aqui cheguei e de ter contribuído para o desenvolvimento ímpar verificado nos últimos anos e para a afirmação deste Território como um espaço de progresso, bem-estar e oportunidades para todos e um Novo Destino Turístico de Excelência. Por outro lado deixaria o Município com uma situação financeira ainda mais estável após a aprovação da candidatura ao PAEL, já confirmada, e após a aprovação das Grandes Opções do Plano e do Orçamento Municipais para 2013, documento que irá balizar, sem margem

para desvios, a actividade do Município no próximo ano. Tratar-se-ia, assim, de estar afastado da governação autárquica por pouco mais de meia dúzia de meses até ao fim do mandato, deixando tudo encaminhado para que a gestão municipal possa continuar a ser um sucesso, em benefício do Povo do Concelho. Como já o demonstrei e quero reafirmar, continuo totalmente disponível para continuar a servir Grândola, caso os próximos rostos deste Ciclo Autárquico assim o considerem útil e desejável e o Povo também o queira.”


15 de novembro/12 Ano III • n.º 70 •

Diretora Aliette Martins Diretor-adjunto Marcos Leonardo Editor Joaquim Bernardo

Futebol: Campeonato Distrital de Setúbal da 1ª divisão

Vasco venceu em Alcochete, Melidense e Grandolense empataram O Vasco da Gama de Sines deslocou-se ao campo do Alcochetense onde venceu por 2-1. Uma partida bem disputada, com uma primeira parte sem grandes oportunidades de golo, ao intervalo registava-se uma igualdade a zero. Na segunda parte, o Alcochetense adiantouse no marcador aos 60 minutos, através de uma grande penalidade, a castigar uma mão na área de Filipe Silva, que foi expulso por segundo cartão amarelo. Quatro minutos depois, o Vasco da Gama chegou à igualdade por intermédio de Gerson Estrela, na sequência de um livre marcado por Vítor Reis. Já no período de descontos, o Vasco da Gama chega ao 2-1, através de uma grande penalidade convertida por Vítor Reis, a castigar uma falta sobre Diogo Filipe. Vitória justa do Vasco da Gama, que mesmo a jogar com dez elementos, foi sempre superior ao seu adversário. André Duque realizou uma arbitragem com vários erros. O Juventude Melidense jogou no campo dos Pescadores e conseguiu o primeiro ponto e o primeiro golo na competição. A equipa de Melides adiantou-se no marcador por intermédio de Frazão e só nos

Melidense

momentos finais da partida á que os Pescadores conseguiram chegar à igualdade. Um bom jogo, onde a igualdade é o resultado mais justo. O Grandolense recebeu o Montijo e conseguiu o quarto empate na prova. O Grandolense esteve sempre em vantagem, o Montijo só conseguiu chegar à igualdade já nos segundos finais do encontro. Uma partida bem disputada, onde o Grandolense por aquilo que fez merecia a vitória. Resultados da 5ª jornada:

Pescadores,1 – Melidense,1; BM Almada,1 – 1º Maio Sarilhense,0; Grandolense,2 – Montijo,2; Almada,1 – Paio Pires,0; Monte da Caparica,1 – Palmelense,1; Alfarim,0 – Cova da Piedade,2; Alcochetense,1 – Vasco da Gama,2 e Desp. Portugal,1 – Comercio e Industria,1. Classificação Geral: 1º Almada e Pescadores,13; 3º Vasco da Gama,10; 4º Cova da Piedade,8; 5º Monte da Caparica, Montijo, Grandolense, Alcochetense e C. Industria,7;

SURF: Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2012

10º Desp. Portugal,6; 11º Beira Mar de Almada e Paio Pires,5; 13º Alfarim, 1º Maio Sarilhense e Palmelense,4 e 16º Melidense,1 ponto. Na 6ª jornada, dia 18 de novembro, vão jogar: Comércio e Industria – Grandolense; Paio Pires – Pescadores; Palmelense – Alfarim; Cova da Piedade – Desportivo de Portugal; Montijo – Alcochetense; Vasco da Gama – Almada; Melidense – BM Almada e 1º Maio Sarilhense – Monte da Caparica.

Sete jovens surfistas do concelho de Santiago do Cacém em destaque

Sete jovens surfistas do concelho de Santiago do Cacém disputaram, no passado domingo, a final do Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2012. André Faria, de Santo André, a ‘correr’ na categoria sub18, classificouse em 7º lugar nesta etapa, terminando o campeonato com um honroso 6ºlugar. No escalão sub16, Santiago Miranda, Cercal do Alentejo e António Duarte, de Santo André, arrecadaram ambos um 5º lugar na etapa disputada em São Pedro do Estoril e terminaram o campeonato na 8ª e 9ª posição, respetivamente. Pedro Mendonça que esteve ausente nesta final,

terminou a época em 16ºlugar. No escalão sub14, Vasco Mónica, de Santo André, classificou-se em 9ºlugar e terminou o campeonato com um brilhante 3º lugar no pódio. Tiago Francisco, de Santo André, classificou-se em 13º lugar, no Estoril, e terminou em 14º na geral. No Sub12, Gustavo Matos, de Santo André, classificou-se nesta etapa em 9º e terminou o campeonato na 4ª posição. O Campeonato Nacional de Surf Esperanças 2012 foi disputado na Costa da Caparica, Aveiro, Nazaré, S. Pedro de Moel e São Pedro do Estoril. Helga Nobre

Foto: Mónica Tranter


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

David Ward-Hunt Cup em Inglaterra

08

www.jornallitoralalentejano.com

FUTEBOL: Taça do Inatel de Setúbal

Seis ginastas sineenses Casa do Povo de Corroios venceu em Inglaterra no campo da Lançada

Seis atletas da Academia de Ginástica de Sines participaram nos dias 3 e 4 de novembro, na David Ward-Hunt Cup em Gillingham (Inglaterra). Resultados dos ginastas sineenses. Sub-14: Ruben

Tavares, Márcia Tavares - 50º lugar, Cláudia Bilau - 54º lugar e Cátia Cova - 60º lugar. Júnior: Tatiana Belchior - 22º lugar e Sub21: Marco Conceição - 2º lugar

Dia 16 de Novembro em Sines

Começou no último fim-desemana, a Taça da Fundação Inatel 2012-2013. A primeira fase da prova é disputada por 18 equipas, divididas em três grupos de 6 equipas. Vão defrontar-se a duas voltas nos respetivos grupos e serão apuradas para a 2.ª Fase os quatro primeiros classificados de cada um. Resultados da 1ª jornada. Grupo Norte: Terras da Costa, 2 - Azul e Ouro,1; Areias,1 - Vale de Milhaços,5 e Vasco da Gama da Lançada,0 - Casa do Povo de Corroios,4. Na frente estão o Vale Milhaços, Casa Povo de Corroios e Terras da Costa, todos com 3 pontos. A próxima jornada, no domingo dia 18 Novembro, vão jogar: Terras Costa – Vale Milhaços; Azul Ouro - Vasco Gama Lançada e Casa do Povo de Corroios - Areias. Grupo Centro: Valdera,1 – Forninho, 4; Sport Clube Sado,3 – Africanos,1 e Jardiense,3 - Lagoa da Palha,0. Forninho, Jardiense e Sport Clube do Sado comandam com 3 pontos. No próximo

domingo, jogam Forninho Africanos; Valdera - Jardiense e Lagoa da Palha – Sport Clube do Sado. Grupo Sul: Ginásio Clube Sines,3 – Curvas,1; Bairro Olival Queimado,2 - Juventude Desportiva Carvalhal,0 e Aldeia dos Chãos,3 - Vale Figueira,2. Ginásio Clube de Sines, Bairro

Olival e Aldeia Chãos, estão na frente com 3 pontos. No próximo sábado, dia 17 de novembro começa a segunda jornada com os jogos Ginásio Clube de Sines - Aldeia Chãos e Vale Figueira - Bairro do Olival; enquanto no domingo se disputa o Curvas – Juventude do Carvalhal.

O Ginásio Clube de Sines que pela primeira vez vai disputar a Taça do Inatel de Setúbal, já divulgou o plantel que vai representar o clube ao longo da temporada. Guarda-redes: Carlos Melo e Dino Ablum. Defesas: Rui Almeida, André Louzeiro, Sérgio Martins, Mário João, Steven Inácio, Hélder

Martins, Hugo Costa, Miguel Nobre, Pedro Martins, Daniel Mencia e David Palma. Médios: Fábio Duarte, Luís Cortinhas, Ricardo Cardoso, Paulo Mercês, Filipe Ferreira, Garcia, André Silva, Luís Pereira e Miguel Domingues. Avançados: Nuno Ablum, Hugo Rodrigues,

Mamadou Sila, Silas Teixeira e André Torpes. Diretores: Edgar Magalhães, Pedro Beliche, Filipe Amaro, Martins e Nelson Susano. Treinador principal: Duarte Jesus. Treinador adjunto: Paulo Silva. Treinador de Guarda-Redes: Rodrigo Luz.

Município organiza Futebol: Taça do Inatel de Setúbal Ginásio Clube de Sines com um caminhada saudável plantel bastante experiente A Câmara Municipal de Sines promove uma Caminhada Saudável no dia 16 de novembro (sexta-feira), pela zona da Costa do Norte. A caminhada tem partida pelas 9 horas, junto ao Pavilhão Municipal dos Desportos. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas no Pavilhão Municipal dos Desportos ou na Piscina Municipal

Carlos Manafaia. O evento inserese no programa “Sines a Caminhar é Mais saudável”, que promove a atividade física, a saúde e o bem-estar junto da população de Sines, através da realização de caminhadas recorrendo aos recursos naturais que o concelho dispõe.

ATLETISMO: Neste domingo dia 18

20ª edição do Cross dos Cavaleiros” Neste domingo, dia 18 de novembro, Vale de Santiago volta a ser palco para mais um “Cross dos Cavaleiros”, uma das provas mais emblemáticas do concelho de Odemira, que este ano assinala a sua 20.ª edição. Em paralelo, tal como já vem sendo hábito, decorrerá a 6ª Edição do Percurso Pedestre dos Cavaleiros e o Corta Mato de Abertura Associação de Atletismo de Beja. A prova é aberta a todos os atletas, federados e não federados, em representação de coletividades, organizações populares, grupos desportivos, escolas ou outros organismos. À semelhança das edições anteriores, a competição será dividida em escalões de benjamins, infantis, iniciados, juvenis, juniores, seniores e veteranos, em ambos os sexos. O percurso varia entre os 250 metros para o escalão benjamins A e os 9.200 metros para os juniores e seniores masculinos. O Percurso Pedestre dos Cavaleiros é aberto

a toda a população e terá dois percursos distintos com 1500 e 7500 m respetivamente. O grande prémio em disputa terá o valor de 150 euros, para o vencedor no escalão seniores masculinos, bem como no escalão de seniores femininos. Haverá ainda prémios monetários até ao 15º classificado no escalão seniores masculinos e seniores femininos e até ao 5º nos veteranos. Os 1ºs juniores masculinos e femininos receberão 50 euros e taça, o atleta com mais idade receberá um troféu. Serão ainda sorteados entre todos os participantes prémios surpresa e todos os atletas receberão sacos com reforço alimentar e lembranças de participação. Na classificação por equipas é atribuído o Prémio Brito Pais, no valor de 75 euros para a 1ª, 50 euros para a 2ª e 25 euros para a 3ª equipa, sendo que todas as formações até à 10ª posição recebem uma peça de artesanato local.

ATLETISMO: 20 quilómetros de Almeirim

Fernando Beijinha no Pódio O GD de São Francisco da Serra participou no dia 28 de outubro, participou na mítica prova dos 20 quilómetros de Almeirim. Almeirim recebeu mais de dois mil de atletas distribuídos pela prova mini (1390 inscritos) e pela prova principal (1023 inscritos). O São Francisco esteve representado por três atletas na mini e cinco na corrida de 20 km. Na prova principal Hermano Ferreira, do Conforlimpa, repetiu o triunfo do ano passado com o tempo de, 1 hora 2 minutos e 19 segundos, menos 36 segundos que na edição

anterior. A sua supremacia foi por demais evidente, tendo deixado o 2º classificado a 2 minutos e 25 segundos e o 3º a 5 minutos e 22 segundos.. Colectivamente venceu a equipa do G.D. Donas e o G. D. de Francisco da Serra obteve o 29º lugar entre as 67 equipas classificadas, tendo os atletas alcançado as seguintes posições e tempos. 68º Rui Gonçalves (35º Sénior), 121º-Vítor Pereira (50º Sénior), 196º- Fernando Beijinha (2º M60), 488º-Amílcar Romão (14º M60) e 489º-Luís Gonçalves (190º Sénior)


www.jornallitoralalentejano.com

09

FUTEBOL: Campeonato Distrital da 2ª divisão de Setúbal

União de Santiago do Cacém subiu ao primeiro lugar

O União de Santiago venceu o Banheirense por 1-0, com um golo de Cuca e beneficiando o empate do Lagameças, assumiu o primeiro lugar da classificação. Resultados da 5ª jornada: União de Santiago,1 – Banheirense,0; Arrentela,4 – Quinta do Conde,2; Aguias Negras,2 – Estrela de Santo André,1 e Lagameças,1 – Faralhão,1. Classificação Geral: 1º União de Santiago,11 pontos; 2º Lagameças,10; 3º Arrentela,9; 4º Quinta do Conde,7; 5º Est. Santo André,6; 6º Faralhão,5; 7º Charneca da Caparica, Banheirense e Aguias Negras, 3 pontos. Na 6ª jornada, dia 18 de novembro, vão jogar: Estrela de Santo André – Arrentela, Faralhão – Aguias

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

FUTEBOL: Taça Distrito de Setúbal

União de Santiago recebe o Grandolense

Associação de Futebol de Setúbal já realizou no dia 12 de novembro, o sorteio relativo à 1ª eliminatória da Taça do Distrito de Setúbal. O sorteio ditou que no dia 30 de dezembro, vão jogar: Cova da Piedade – Vasco da Gama de Sines, Melidense – Paio Pires, União de Santiago – Grandolense

e Almada – Alfarim. De destacar a presença e quatro equipas do Litoral Alentejano, três podem chegar às meias-finais. Nas duas edições anteriores, o Vasco da Gama venceu em 20102011 e o Barreirense venceu em 2011-2012.

FUTEBOL: Taça do Distrito de Beja

Odemirense volta a receber o Piense

Negras, Banheirense – Lagameças e Quinta do Conde – Charneca da Caparica. Na 7ª jornada, dia 25 de novembro, vão jogar:

Arrentela - Faralhão, Aguias Negras - Banheirense, Charneca da Caparica - Estrela de Santo André e Lagameças - União de Santiago.

FUTEBOL: Campeonato Distrital da 1ª divisão de Beja

Estão marcados para o próximo domingo, dia 18 de novembro, às 15 horas, os jogos da 1ª eliminatória da Taça do Distrito de Beja. Jogam OdemirensePiense, Amarelejense-Almodôvar,

Aldenovense-Bairro da Conceição, Guadiana-Sp. Cuba, Milfontes-FC São Marcos e Cabeça Gorda-FC Serpa. Ficaram isentos, o Desportivo de Beja e o Rosairense.

Futebol: Taça do Inatel de Beja

Odemirense perdeu e Milfontes Soneguense aposta aproxima-se dos primeiros na prata da casa

O Odemirense perdeu em casa por 3-1, frente ao Piense e desceu para o terceiro lugar. O Milfontes empatou a um golo em Serpa e aproxima-se dos primeiros lugares. Resultados da 7ª jornada: Serpa,1 – Milfontes,1; Aldenovense,1 – Rosaiense,1: Amarelejense,4 – São Marcos,0; Desp. Beja,0 – Bairro da Conceição,0; Almodovar,2 – Guadiana,1; Sp. Cuba,3 – Cabeça Gorda,1 e Odemirense,1 – Piense,3. Classificação Geral: 1º Almodovar,19; 2º Serpa,15; 3º Piense,14; 4º Odemirense,13; 5º Milfontes, Rosairense e Sp. Cuba,11; 8º Aldenovense,8; 9º Amarelejense e São Marcos,7; 11º Desp. Beja,6; 12º Cabeça Gorda e Bairro da Conceição,5

e 14º Guadiana,3 pontos. Na 8ª jornada, dia 25 de novembro, vão jogar: Milfontes – Odemirense; Rosairense – Serpa; São Marcos –

Aldenovense; Bairro da Conceição – Amarelejense; Guadiana – Desp. Beja; Cabeça Gorda – Almodôvar e Piense – Sp. Cuba.

FUTEBOL: Depois de se destacar ao serviço do Alcacerense

Infantil Ricardo Veloso assinou contrato com o Sporting

O atleta infantil do Atlético Clube Alcacerense, Ricardo Veloso, assinou contrato com o Sporting Clube de Portugal. Como seguimento a uma época na qual tem até ao momento sido o grande destaque do Distrital de Infantis da AF Setúbal, encontra-se a caminho da Academia Sporting Puma o talentoso Ricardo Veloso, mais conhecido por Ricky, aos 12 anos chegou a acordo com os verde-ebrancos para se juntar aos escalões jovens do clube, depois de também o Benfica ter procurado garantir o atleta e assim evitar que se tornasse reforço sportinguista. Ambos os rivais lisboetas estiveram incluídos na disputa pelo jogador que nas próximas semanas se deverá juntar

ao plantel de Infantis A do Sporting, que volta a conseguir adiantar-se na

disputa directa de um talento que espera seguir a tradição formadora dos leões, que esperarão retirar os melhores resultados da sua ‘vitória ao sprint’ por Ricky, que poderá ter antecedido outras transferências a partir de Alcácer do Sal. Para além do jovem atleta que era também cobiçado pelo Vitória de Setúbal e que chega ao Sporting numa fase intermédia da época mas ainda bem a tempo de ganhar identificação com o clube para que na próxima época transite para Iniciado como eventual titular nos plantéis de Iniciados B ou C leoninos, outros jogadores provenientes desse mesmo clube, o Atlético Alcacerense, poderão seguir o seu caminho.

A equipa do Leal Soneguense que está a participar na Taça do Inatel de Beja 2012-2013, já divulgou os jogadores que vão representar o clube nesta temporada. Continuam na época passada: Aélison França, Marco Pulido, Márcio Ferreira, Eduardo Dionísio, João Vilhena, Carlos Campos, Henrique Guerreiro,

Luís Santana, Rui Santos, Jorge Santos, João Guerreiro, Rodrigo Conceição, Rui Rodrigues, Mário Calisto, Ricardo Gonçalves, Pedro Loja, Daniel Silva. Reforços: André do Ó (ex Aldeia dos Chãos), Marco Cruz (ex São Luís), Daniel Lima, Cláudio Galufo, Rodrigo José, Roberto Baião (estavam sem clube). Treinador: António Albino.

FUTEBOL: Distrital de Juniores

Vasco empatou e desceu ao 2º lugar

O Vasco da Gama de Sines depois de uma vitória em Sesimbra por 1-0, recebeu o Fabril do Barreiro e empatou a dois golos. Resultados da 5.ª Jornada: Pescadores,1 – Almada,1; V. Gama Sines,2 - Fabril do Barreiro,2; Desp. Portugal,2 – Cova da Piedade,1; Ginásio de Corroios,1 - Amora 0; Trafaria,1 – Pinhalnovense,2; Seixal,0 – Alcochetense,4; Alfarim,1 – Sesimbra,2. Classificação Geral: 1.º lugar, Alcochetense, 11 pontos; 2.º lugar, Almada, V. Gama Sines e

Pinhalnovense, 10 pontos; 5.º lugar, Pescadores e Fabril, 9 pontos; 7.º lugar, Amora, Corroios e Desp. Portugal, 7 pontos; 10.º lugar, C. Piedade e Trafaria, 4 pontos; 12.º lugar, Sesimbra e Seixal, 3 pontos; 14.º lugar, Alfarim, 2 pontos. Na próxima jornada, dia 17 de Novembro, vão jogar: Almada – Vasco da Gama; Fabril do Barreiro- Alfarim; Sesimbra Desp. Portugal; Cova da Piedade – Ginásio de Corroios, Amora Trafaria, Pinhalnovense – Seixal; Alcochetense – Pescadores.


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

10

www.jornallitoralalentejano.com

NATAÇÃO: Torneio de Aniversário do Aminata de Évora

Clube de Natação do Litoral Alentejano inicia época com vitórias, mínimos e recordes A primeira competição da temporada 2012/2013 do Clube de Natação do Litoral Alentejano deixou “água na boca” para o resto da época e ficou marcada pela obtenção de três vitórias, igual número de Recordes Regionais e quatro mínimos para os Campeonatos Nacionais. O início da nova época desportiva da natação no Alentejo teve lugar em Évora, no Torneio de Aniversário do clube local, o Aminata, no dia 28 de Outubro. O CNLA marcou presença na competição com 24 atletas: Daniela Demian, Nicoleta Lascu, Maria Marques, Ana Sofia Nunes, Débora Patrocínio, Margarida Pereira, Íris Rola (femininos), Rúben Aljustrel, David Borges, André Bôto, Pedro Bôto, Rui Brito, Hugo Correia, Jaime Costa, Rodrigo Costa, Gil Gonçalves, David Gorgulho, Nélson Malheiros, Ivo Margarido, Daniel Pereira, Daniel Rodrigues, Guilherme Sousa, Rogério Tavares e

Jorge Telo (masculinos). Para além do excelente ambiente no seio da equipa e dos bons resultados obtidos no cômputo geral, a primeira prova do CNLA esta época –

e consequente estreia como equipa filiada na Associação de Natação do Alentejo – ficou marcada por alguns registos de destaque: Hugo Correia (Infantil-A) garantiu

desde já os mínimos para o Torneio Zonal (Março 2013) e Campeonato Nacional de Infantis (Julho 2013) nos 200 Mariposa (2:31,82 minutos); David Gorgulho

venceu e estabeleceu um novo Recorde Regional de Seniores nos 200 Livres (2:04,30); e a estafeta absoluta masculina de 4x50 Estilos, composta por

Ivo Margarido (Costas), Rodrigo Costa (Bruços), David Gorgulho (Mariposa) e Rogério Tavares (Livres), ao completar a distância em 1:54,26, venceu a prova e fechou em beleza o dia de provas ao obter não só o Recorde Regional Sénior e Absoluto, como também, de uma assentada, os mínimos para os três Campeonatos Nacionais ao longo da temporada: Absoluto de Piscina Curta (Dezembro), Juniores e Seniores (Março) e Absolutos de Verão (Julho). Destaque ainda para a terceira vitória absoluta obtida por atletas do clube, que esteve a cargo de Ivo Margarido nos 200 Estilos (2:21,69) e para as melhorias evidenciadas pelos Cadetes, numa competição onde a convivência entre gerações distintas foi uma das notas de realce. As próximas provas estão marcadas para 17 de Novembro (Festival de Cadetes em Grândola) e 24/25 de Novembro (Campeonato Regional Absoluto em Estremoz).

FUTEBOL: Distrital de Beja de Infantis

Odemirense soma por vitórias todos os jogos

A equipa de infantis do Sport Clube Odemirense continua a liderar o Campeonato Distrital de Beja da categoria, com 12 pontos, mais um que o Castrense. Resultados da 5ª jornada: Castrense,13 – Milfontes,1; Odemirense,11 – Aljustrelense,1; Boavista dos Pinheiros,1 – São Teotonio,4 e Almodovar,5 – Milfontes B,0. Classificação Geral: 1º Odemirense,12 pontos; 2º Castrense,11; 3º Almodôvar eAljustrelense,9; 5º Milfontes B e São Teotonio,7; 7º Castrense,3;

8º Boavista dos Pinheiros e Milfontes,0 pontos. Na 6ª jornada, dia 17 de Novembro, vão jogar: Milfontes – Boavista dos Pinheiros; Milfontes B – Castrense; Aljustrelense – Almodôvar e São Teotónio – Odemirense. Na 7ª jornada, dia 24 de novembro, vão jogar: Castrense – Aljustrelense; Almodôvar – São Teotónio; Odemirense – Milfontes e Boavista dos Pinheiros – Castrense. De destacar que o Clube Praia de Milfontes participa

na competição com duas equipas. O plantel do Odemirense conta com os seguintes atletas: Miguel Fragoso, Diogo Gil, António Soares, João Pedro Paulino, Miguel Oliveira, Bernardo Silva, Paulo Jorge, Sandro Filipe, Afonso Silva, Miguel Reis, Xavier Fino, João Alfeirão, Carlos Fançony, Nuno Gonçalo Jorge, Diogo Rodrigues, Bruno Ventura, Pedro Figueira e João Albino. Treinadores: Pedro Almeida e José Lourenço.


www.jornallitoralalentejano.com

Literatura oral do Concelho de Odemira

A Zorra Berradeira e outras Histórias “Velhinhas que escondem saberes e poderes; grous e cotovias que enganam raposas espertalhaças (neste caso zorras chico-espertas); criadas que se transformam em princesas; peras que se transformam em pedras (uma espécie de milagre das rosas ao contrário); rapazes pobres que casam com princesas lindas e ricas; tesouros escondidos nos mais insuspeitos locais…” diznos Fernando Évora, “o que apenas prova que estamos todos juntos nesta grande civilização mundial”. O Livro intitulado: “A Zorra Berradeira e outras histórias”, uma edição da Câmara Municipal de Odemira, desenvolve-se “a partir de narrativas recolhidas da tradição oral, que nos remetem para um mundo intemporal e maravilhoso. Estamos a falar do Concelho de Odemira, onde a recolha foi feita”. Ana Tendeiro Gonçalves, orientadora e responsável pela recolha dos testemunhos dos Contadores (que figuram todos eles no fim da edição), no Prefácio da obra esclarece o leitor, começando por informar que o levantamento das narrativas de tradição oral feitas no Concelho de Odemira, foi realizado entre 2009 e 2010, salientando que as diversas histórias recolhidas, foram selecionadas baseandose no critério de serem as mais apropriadas para o público a que se destina o projecto, ou seja, o público juvenil.

vários géneros literários, em obediência às narrativas da Edição, oferecendo ainda ao leitor, a sugestão do seu percurso, lembrando ainda que, “já no século XIX, Adolfo Coelho pensava que os contos populares estavam a desaparecer, mas a verdade é que perduram. Eles não são apenas recreativos, são também educativos e têm um papel formativo reconhecidamente importante para a infância, falando das dificuldades e desafios que todos enfrentamos na vida, de encantamento e magia, de Deus e do Diabo, das várias coisas que, afinal representam o homem e são inerentes à própria humanidade”. Algumas palavras entre o Prefácio e o que mais interessa

Quanto à apresentação da Edição, Fernando Évora, com a sua generosidade de As lendas, os contos, escritor, deixa (conforme as fábulas afirma), “Algumas palavras Na continuação da informação entre o Prefácio e o que mais interessa”, enumerando contida na abertura do Livro, a Antropóloga destaca – entre passagens da leitura que faz outros recursos da escrita – os do Livro “A Zorra Berradeira e outras histórias”, salientando vários géneros existentes na da leitura que faz, o conto diversidade das narrativas que mais o seduziu, como escolhidas – desde as lendas, a sua história predilecta. os contos, as fábulas – em Aliás a apresentação tem temas variados, distribuídos por 114 páginas que deliciam, personalidade própria, não apenas o público juvenil, a exemplo de todos os que terá – com esta edição – a contributos que a Edição contém, o que faz do Livro, possibilidade de conhecer um repositório interessante um pouco mais das gentes de leitura escrita e visual, de da sua terra, mas também, onde se destaca aa belíssima a todos aqueles que, pela ilustração e paginação assinada força das narrativas feitas, converteram-se em memória por Carina Silva, com acabamento e impressão da privilegiada, relembrando Gráfica Santiago. histórias que se apresentam com uma simbologia ímpar, reveladoras de um tempo ido e que, sendo passado, continuam a ter representatividade, apaixonando o presente, nomeadamente pelo contexto em que se desenvolvem através de um ritmo próprio, de imagens sugeridas e, principalmente, de saber. Para além do contexto de “A Zorra Berradeira e outras histórias”, Ana Tendeiro Gonçalves, com a preocupação didáctica enquanto rumo dedicado aos mais jovens, faz uma abordagem dos

11

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Reorganização Administrativa do Território

Litoral Alentejano pode perder 10 freguesias

O processo conturbado da reorganização das freguesias já mereceu a oposição da maioria dos autarcas, que contesta a medida que prevê “extinguir” mais de mil autarquias locais em todo o país. No Litoral Alentejano, das atuais 39, a Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa propõe que se passe para 29. Só Sines, com duas freguesias, não é afetado pelas alterações. Presidentes de Câmara e de Freguesia já se manifestaram contra “esta” reorganização mais do que uma vez e, voltam a fazê-lo agora. Ângela Nobre a.v.nobre@gmail.com Os autarcas dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Odemira “não concordam” com a medida, havendo quem sugira, à semelhança do já feito pela ANAFRE (Associação Nacional de Freguesias), que “a agregação seja suspensa até às próximas eleições”, previstas para o último trimestre de 2013. “Desde o início que não concordámos com a agregação de freguesias”, disse José Alberto Guerreiro (PS), presidente da Câmara de Odemira. “Houve uma pronuncia da Assembleia Municipal que nós respeitamos”, acrescentou o autarca, falando da deliberação que propõe a agregação de nove freguesias, passando das atuais 17 para 13, que foi aceite pela Unidade Técnica, que incluiu essa pronuncia na proposta apresentada à Assembleia da República. “Se o processo for até ao fim, teremos que respeitar”, disse ainda José Alberto Guerreiro, lembrando que este tem sido “um processo conturbado” que considera estar ainda “longe do fim”. “Não seria este o momento certo para o levar até ao fim”, disse, respondendo à questão sobre se concorda com a posição de outros autarcas que defendem que o processo deveria ser “suspenso” até depois das eleições autárquicas do próximo ano. Para Carlos Beato, a extinção de freguesias é uma má solução É o caso de Carlos Beato

(PS), presidente da Câmara de Grândola, que disse apoiar “a posição da ANAFRE” nessa matéria. O autarca considera a atual proposta, que prevê a redução de cinco para quatro freguesias no concelho como uma “má solução”. “Somos totalmente contra a agregação da freguesia de Santa Margarida da Serra a Grândola”, disse, recordando que se trata de uma autarquia centenária, que fica na serra de Grândola, com uma população envelhecida. Esse é um dos principais pontos criticados no mapa de freguesias proposto pela entidade técnica constituída pelo Governo: a população envelhecida e a proximidade entre as entidades públicas e as comunidades locais. “Esta Unidade Técnica não fez um bom serviço ao país, afirma Pedro Paredes “Esta Unidade Técnica não fez um bom serviço ao país, porque não distinguiu as zonas rurais das urbanas”, criticou o presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Pedro Paredes (PS), considerando que, a ser aplicada proposta, isso representará “um recuo gravíssimo”. O autarca exemplificou com o caso com as freguesias de Santa Susana, Santa Maria do Castelo e Santiago, que passariam a ser geridas por uma só autarquia, mas que representam mais de 60 por cento do território, com cerca de 900 quilómetros quadrados, e da população do segundo maior concelho

do país e que incluem uma área urbana, na cidade, mas também rural. “Em três freguesias que se fundem, uma delas já era a maior freguesia do país, com 460 quilómetros quadrados”, observou. “É uma insensatez”, criticou, lembrando que a proposta prevê fechar sedes de autarquias “onde também já fecharam escolas, tribunais e serviços de saúde”. Vítor Proença “suspeita que a Unidade Técnica está a propor a extinção de freguesias em que houve pronuncia desfavorável das autarquias”

Proença (CDU), defende que a pronuncia das assembleias municipais “deveria ser vinculativa”. “Suspeito que a Unidade Técnica está a propor a extinção de freguesias em que houve pronuncia desfavorável das autarquias e isto significa que todo este processo está viciado, é uma prepotência e é um ataque brutal ao poder local democrático por parte do Governo”, disse. “A pronuncia das assembleias municipais deveria ser vinculativa, isto é, deveria ser respeitada essa posição e tudo aponta que o caminho não vai ser esse”, acrescentou, acreditando que as medidas vão ainda “merecer a oposição das populações”. “Devemos continuar a lutar de uma forma reforçada contra a extinção de qualquer junta de freguesia, pela proximidade que têm às populações, porque são úteis ao país e porque não são estas freguesias que contribuem para o elevado défice que o país tem e para os problemas estruturais que o país tem”, asseverou.

O presidente da Câmara de Santiago do Cacém, Vítor Odemira é concelho onde mais freguesias deverão ser “extintas”, mas é também o maior do litoral alentejano e com maior número de autarquias locais atualmente. Das atuais 17, a proposta da Unidade Técnica prevê a agregação de 9, passando o concelho a ficar, se a medida for implementada, com 13 freguesias, com um mapa semelhante ao dos anos 80, antes de serem criadas as autarquias que se propõe agora extinguir. Assim, Zambujeira do Mar passará a fazer parte da freguesia de São Teotónio, Bicos, integrará Colos e Vale Santiago, as freguesias urbanas de Santa Maria e São Salvador são também agregadas e ainda Pereiras-Gare, que passa a fazer parte do território de Santa Clara-a-Velha. Para Santiago do Cacém, a proposta prevê a redução de 11 para 8 freguesias, agregando as três mais próximas da cidade sede de concelho. Santa Cruz e São Bartolomeu passarão a integrar a freguesia de Santiago do Cacém. Está também prevista a agregação de Vale de Água e São Domingos numa só freguesia. Alcácer do Sal pode ver o número de freguesias a ser reduzido de 6 para 4, com a agregação de Santa Susana, Santa Maria do Castelo e Santiago, numa só autarquia que ficará com a gestão de cerca de 900 quilómetros quadrados, mais de metade do território do concelho. Em Grândola, Santa Margarida da Serra passará a integrar a freguesia de Grândola, ficando o concelho que atualmente tem 5 freguesias com menos uma.


12

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

www.jornallitoralalentejano.com

Ciência e Religião

A ressurreição de Jesus, de Sua Mãe e a nossa (2 de 2) Carneiro

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 31 Carta Dominante: 9 de Copas, que significa Vitória. Amor: Mostrará um interesse renovado por todos os assuntos ligados ao amor e ao sexo. Saúde: A sua saúde exige que faça exercício físico. Dinheiro: Provável promoção na carreira e aumento de estatuto social. Números da Sorte: 1, 18, 22, 40, 44, 49 Pensamento positivo: Não desanimo perante as dificuldades nem desisto dos meus sonhos!

Touro

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 32 Carta Dominante: 6 de Paus, que significa Ganho. Amor: Poderão surgir alguns conflitos com a pessoa amada, que serão facilmente resolvidos se optar pelo diálogo. Saúde: Embora esteja num período de equilíbrio, mantenha-se sempre alerta. Dinheiro: Invista na consolidação dos seus negócios com prudência. Números da Sorte: 6, 14, 36, 41, 45, 48 Pensamento positivo: eu sei que o momento mais importante da minha vida é o “agora”.

Gémeos

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 33 Carta Dominante: 4 de Espadas, Inquietação, agitação. Amor: Verá renascer em si sentimentos que há muito andam escondidos. Saúde: Não se enerve, pois isso poderá ser prejudicial para a sua saúde. Dinheiro: Não misture amigos e familiares nos seus negócios. Números da Sorte: 7, 22, 29, 33, 45, 48 Pensamento positivo: Agradeço a Deus a graça da Vida que se renova a cada dia.

Caranguejo

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 34 Carta Dominante: 5 de Ouros, que significa Perda/ Falha Amor: Vire-se mais para os seus familiares, eles precisam de si. Saúde: Possíveis dores na coluna. Dinheiro: Não é boa altura para comprar imóveis. Números da Sorte: 8, 17, 22, 24, 39, 42 Pensamento positivo: Agradecer é sempre a melhor maneira de merecer!

Virgem

Leão

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 35 Carta Dominante: Valete de Copas, que significa Lealdade, Reflexão. Amor: A sua sensualidade vai deixar muitos corações a bater mais forte e a suspirar à sua passagem. Saúde: Possíveis dores nas pernas. Procure repousar e evite estar muitas horas seguidas em pé. Dinheiro: Possível dinheiro extra. Saiba geri-lo da melhor forma. Números da Sorte: 3, 7, 11, 18, 22, 25 Pensamento positivo: Tenho o poder de corrigir os meus erros, porque sei que tudo tem solução.

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 36 Carta Dominante: A Torre, que significa Convicções Erradas, Colapso. Amor: As festas familiares estão favorecidas. Convide as pessoas que mais ama para um jantar em sua casa. Saúde: Não terá preocupações de maior. Dinheiro: Tudo estará equilibrado a este nível, mas modere os gastos. Números da Sorte: 1, 8, 17, 21, 39, 48 Pensamento positivo: Eu venço as dificuldades com determinação e coragem, eu sei que sou capaz!

Balança

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 37 Carta Dominante: 2 de Copas, que significa Amor. Amor: Poderá surgir um mal-entendido com o seu companheiro, mas com calma e honestidade tudo se resolverá. Saúde: Este será um período de paz, aproveite para descansar. Que o seu sorriso ilumine todos em seu redor! Dinheiro: Momento pouco favorável para grandes investimentos. Números da Sorte: 7, 11, 18, 25, 47, 48 Pensamento positivo: Eu sei que todos os dias são bons dias, por isso esforço-me diariamente para melhorar.

Escorpião

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 38 Carta Dominante: 10 de Paus, que significa Sucessos Temporários, Ilusão. Amor: Pense bem naquilo que realmente quer para não magoar os sentimentos dos outros. Saúde: Tenha algum cuidado com os seus olhos. Esteja atento a sintomas de vista cansada. Dinheiro: Este não é um período favorável. Seja comedido e equilibrado. Nunca desista dos seus sonhos! Números da Sorte: 4, 6, 7, 18, 19, 33 Pensamento positivo: procuro ser tolerante para com todas as pessoas que me rodeiam.

Sagitário

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 39 Carta Dominante: 2 de Espadas, que significa Afeição, Falsidade. Amor: Poderá reencontrar um amor do passado, o que o deixará um pouco abalado. Procure ultrapassar o trauma e liberte-se daquilo que já passou. Saúde: Que a sabedoria seja a sua melhor conselheira! Dinheiro: Cuidado com possíveis perdas de bens valiosos. Números da Sorte: 1, 8, 42, 46, 47, 49 Pensamento positivo: sei usar a minha inteligência para alcançar os meus objectivos.

Capricórnio

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 40 Carta Dominante: 9 de Paus, que significa Força na Adversidade. Amor: Poderá sentir a necessidade de se isolar e de pensar na sua vida. Aproveite este período de reflexão para tomar as decisões de que precisa para mudar o rumo da sua vida. Saúde: Não se deixe dominar pelo cansaço. Dinheiro: As suas novas ideias poderão trazer-lhe benefícios, mas aja com prudência. Números da Sorte: 7, 13, 17, 29, 34, 36 Pensamento positivo: Procuro criar harmonia na minha vida todos os dias.

Aquário

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 41 Carta Dominante: 9 de Ouros, que significa Prudência. Amor: Neste período estará mais virado para si mesmo e para os seus assuntos pessoais. Que a sua alma seja bela e transparente! Saúde: Poderão ocorrer complicações a nível do sistema digestivo. Dinheiro: Analise bem novas propostas antes de tomar qualquer decisão. Números da Sorte: 5, 25, 36, 44, 47, 49 Pensamento positivo: O Amor alegra o meu coração.

Peixes

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 42 Carta Dominante: 5 de Copas, que significa Derrota. Amor: Controle os seus ciúmes pois poderão perturbar a harmonia conjugal. Não se deixe dominar por maus presságios! Saúde: Faça uma pequena dieta. Dinheiro: Não cometa excessos nesta área. Números da Sorte: 1, 3, 24, 29, 33, 36 Pensamento positivo: Acredito que tenho força para vencer todos os desafios.

Quem ressuscita entra na eternidade e não volta mais a este mundo. Por isso as aparições de Jesus ressuscitado até à Ascensão são claramente milagres e são únicas. É algo que só Deus pode fazer. Para compreendê-las, isto é, para compreender o seu mecanismo do ponto de vista da Física moderna, ler ou reler essa explicação, que saiu num artigo intitulado A ressurreição de Cristo. Note-se que as aparições de Jesus ressuscitado nada têm a ver com espiritismo. O espiritismo não é isso. O espiritismo «Quando não é truque é criar ambientes sugestionáveis para comunicações, vozes e visões de almas e fantasmas, espíritos». Escusado será dizer que tudo isso é inexistente ou, em último caso, são fenómenos que a Parapsicologia bem conhece e explica facilmente. Relativamente à nossa ressurreição, de um texto do Pe. Quevedo retiro o seguinte: «A Parapsicologia demonstrou que o homem não é só material, mas também espiritual, dado que manifesta faculdades de conhecimento espirituais. A Parapsicologia sabe e demonstra que a Perceção Extra–Sensorial espiritual é do homem todo. Essa faculdade espiritual age com o corpo, com o cérebro. Todas a ciências sabem que “não há função sem órgão”. Portanto a alma sem corpo ficaria totalmente frustrada, inútil, seria um contrassenso. A ressurreição é uma dedução lógica… Sendo o homem também espiritual, por este motivo é imortal. Não podendo prescindir do corpo na sua atividade, o homem deve ressuscitar. Como a Teologia nos ensina, a ressurreição é pela força de Deus…, mas isso não significa que não seja também uma exigência da natureza imortal, espiritual, do homem… A ressurreição é uma exigência essencial do homem, que não pode ser frustrada, embora se realize pelo poder divino. Deus não pode contradizer-se a si mesmo: fazer o homem imortal e depois não o renovar a um mundo de domínio espiritual. E isto (de ressuscitar acontece) imediatamente a seguir à morte neste mundo de domínio material. Todos os seres humanos ressuscitam. O que a Exegese moderna da Bíblia nos ensina de “corpo espiritual”, “ressurreição do homem assimilado a Cristo glorioso”…, deve entender-se no seu mais extensivo significado, não só os justos, mas

toda a humanidade tem sido remida e elevada à plenitude em Cristo e por Cristo». Algumas observações importantes: 1ª) Nunca confundir ressurreição com o milagre de revitalização. A revitalização acontece sempre durante o processo de morrer, nunca depois da morte real. Nunca depois da pessoa recobrar a sua consciência, logo, nunca depois de estar do “outro lado”, nunca depois da corrupção chegar à última célula. A pessoa revitalizada não volta do outro mundo, pois ela ainda não chegou lá. A revitalização é, por assim dizer, uma cura da morte. Só Deus pode conseguir tal coisa. Quem é revitalizado, como por exemplo foi Lázaro, já enterrado havia 4 dias, um dia voltará a morrer. A ressurreição é para a vida eterna, nunca mais se morrerá, nunca mais se voltará a este mundo, embora se possa ter em Deus um conhecimento de tudo o que se passa com as pessoas na Terra. Conhecimento, sim. Voltar cá, não. Os ressuscitados não podem de forma alguma interferir no mundo. 2ª) O caso do menino Colton Burpo tão divulgado pelo livro O céu existe mesmo é um tremendo erro de interpretação de fenomenologia bem natural e bem deste mundo. O menino foi operado de urgência e durante algumas horas esteve entre a vida e a morte mas não esteve morto. Como podia ele ter estado no “outro mundo” se nunca saiu deste? Ele captou a nível inconsciente (hiperestesia indireta do pensamento) os conhecimentos do pai, pastor protestante. O menino não sabia, mas o pai sabia… Elaboração e está formada a suposta mensagem que foi interpretada como trazida do céu pelo menino. É muito desconhecimento… Por esse mundo fora o que não falta são mensagens do “outro mundo”. E tudo errado. O mundo parece que gosta mesmo de ser embalado em ilusões. Este caso do menino Burpo apenas se tornou tão conhecido devido à estrondosa propaganda. 3ª) «Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso» (Lc 23,43). Assim respondeu Jesus ao chamado bom ladrão, também crucificado. A ressurreição acontece quando a pessoa morre. Mas Jesus não fala em termos científicos. Sabemos que a ressurreição só se completa quando a corrupção atinge a ultima célula. Esse processo

demora, num sepultamento normal, em média, 21 dias. O hoje da resposta de Jesus simplesmente indica que ressurreição vem a seguir à morte, sem entrar nos outros pormenores. 4ª) Antigamente pensava-se (e tantos ainda hoje) que havia separação da alma e

Custódio Rodrigues

corpo na morte. Esse modelo dualista não é um dogma da igreja. Esse modelo não passa de «uma chave hermenêutica para exprimir verdades da fé». «A ideia de que na morte a alma não se separa do corpo é perfeitamente compatível com o ensinamento dogmático da igreja». Os mais interessados sobre este assunto podem consultar por exemplo o livro A morte em questão, Edições Loyola, do teólogo Renold J. Blank. 5ª) Falar da ressurreição ou do céu, não significa nem pode significar qualquer alheamento das responsabilidades desta vida. Tudo ao contrário. Tomar consciência dessas realidades dá esperança e força para trabalhar para que todas as situações menos boas aqui na Terra possam ser melhoradas. Ter essas realidades presentes dá força para viver cultivando os valores da verdade, justiça, solidariedade, amor, paz… São esses valores que valem no tempo e são eles que ficarão para a eternidade. Terminamos com uma mensagem de esperança, uma mensagem que está apoiada na verdade de Deus: mesmo nas circunstâncias mais difíceis, «A nossa vida deve ser baseada mais na alegria do que na tristeza. Pois não devemos parar na dor da morte, mas na felicidade da ressurreição. É importante lembrar que todo o sofrimento e sacrifício de Jesus Cristo foram compensados com a ressurreição». Isto significa que a nossa vida tem futuro e nem a morte pode parar esse futuro.


13

www.jornallitoralalentejano.com

Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Carros antigos desfilam na Comporta Apesar do mau tempo, um grupo de apaixonados por automóveis clássicos visitou a Comporta e realizou uma tertúlia de amigos, no restaurante da praia do Pego, onde alguns dos modelos mais emblemáticos estiveram em exposição. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com

A Herdade da Comporta recebeu, no passado dia 3 de Novembro, a visita de uma dezena de automóveis clássicos que, pelo segundo ano consecutivo, escolheram a região para um encontro de confraternização que contou com a participação de 30 entusiastas por modelos antigos que marcam a história da indústria automóvel. Inicialmente estavam previstos perto de 25 automóveis mas o mau tempo afastou muitos dos participantes. Ainda assim, muitos não quiseram deixar de participar no convívio e juntaram-se na praia do

Pego, Comporta, modelos emblemáticos de marcas como Jaguar, Bristol, Porsche, Alfa Romeo, Mercedes, entre outras. Os participantes no encontro, arrancaram de Lisboa em direção a Setúbal, fazendo a travessia do rio Sado no ferry- boat, seguindo em cortejo pela Herdade da Comporta, terminando na praia do Pego, local onde se realizou um almoço de confraternização. “Tratou-se de mais uma iniciativa cultural e lúdica à semelhança das várias que temos vindo a promover

para dinamizar a região, consolidando o Projeto de Desenvolvimento Turístico da Herdade da Comporta”, afirmou Carlos Beirão da Veiga, CEO da Herdade da Comporta. Um dos organizadores da iniciativa, Conde de Portugal de Faria, realçou a beleza associada a uma atividade que “está a ganhar cada vez mais adeptos com a criação de vários grupos de pessoas que gostam de carros clássicos que são verdadeiras joias do património”. “São mercados secundários que dão trabalho a muitas oficinas especializadas. Há muita gente que vive e trabalha desta atividade e na comercialização de peças antigas”, adiantou. “A Comporta é um sítio muito apetecível e tem muita resposta a dar neste tipo de atividade, não só através da paisagem como da história da região”, sublinhou o organizador que pretende repetir a iniciativa no próximo ano com um número alargado de participantes.

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA EDITAL158

PUBLICIDADE DAS DELIBERAÇÕES Carlos Vicente Morais Beato, Presidente da Câmara Municipal de Grândola, no uso da competência que lhe confere a alínea v) do nº 1 do artº 68º da Lei nº 169/99, de 18 de setembro na redação que lhe foi dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de janeiro, torna público que em reunião ordinária, pública, de 02 de novembro de 2012 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: Ratificação da decisão de assinatura da declaração de compromisso no âmbito da Cooperação com o Município do Tarrafal, Ilha de Santiago, Cabo Verde: Deliberado, por unanimidade, ratificar a decisão de assinatura da declaração de compromisso no âmbito da Cooperação com o Município do Tarrafal, Ilha de Santiago, Cabo Verde; Proposta – Atribuição de subsídio extraordinária ao HCP de Grândola: Deliberado, por unanimidade, atribuir um subsídio extraordinário no montante de 1.500,00€ (mil e quinhentos euros) ao HCP de Grândola, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Alteração do protocolo de cooperação entre o Município de Grândola e a Associação de Intervenção Social de Grândola (AISGRA): Deliberado, por unanimidade, ratificar o Despacho do Senhor Presidente da Câmara exarado em 23 de Outubro de 2012, relativamente à Alteração do protocolo de cooperação entre o Município de Grândola e a Associação de Intervenção Social de Grândola (AISGRA), de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Adenda ao protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Grândola e a Casa do Povo de Azinheira dos Barros: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Adenda ao protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Grândola e a Casa do Povo de Azinheira dos Barros, de acordo com a Proposta dos Serviços;

João Neto junto a uma das suas relíquias

Proposta – Adesão do Município de Grândola ao Projeto Go Local: Por uma Cidade Sustentável: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Adesão do Município de Grândola ao Projeto Go Local: Por uma Cidade Sustentável, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Normas para atribuição de 21 Habitações a Custos Controlados em Regime de Renda Apoiada: Deliberado, por unanimidade, aprovar as Normas para atribuição de 21 Habitações a Custos Controlados em Regime de Renda Apoiada, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Protocolo de acordo entre a Câmara e a Herdade da Comporta para utilização de parcela de terreno – servidão de passagem – Loteamento L5 – Lagoa Formosa: Deliberado, por maioria, não tendo os Vereadores da CDU participado na votação por considerarem a Proposta indevidamente instruída, aprovar o Protocolo de Acordo, entre a Câmara e a Herdade da Comporta para utilização de parcela de terreno – servidão de passagem – Loteamento L5 – Lagoa Formosa, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Retificação da revisão do Plano de Urbanização da UNOR 3 Carvalhal e Lagoas Travessa e Formosa: Deliberado, por maioria, com duas abstenções por parte dos Vereadores da CDU, aprovar a Retificação da revisão do Plano de Urbanização da UNOR 3 Carvalhal e Lagoas Travessa e Formosa, bem como determinar a sua comunicação à Assembleia Municipal e à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, para conhecimento, de acordo com a Proposta dos Serviços;

“O meu primeiro carro já era antigo” João Moral Neto, assume -se como um verdadeiro entusiasta por carros antigos e um dos mais antigos em Portugal. A sua paixão começou bem cedo, ainda muito jovem, e nunca mais o abandonou. “Tinha 14 anos quando li o primeiro livro sobre carros antigos e recordo-me que nesse dia não fui à escola. Até o meu primeiro carro já era antigo”, conta. Hoje em dia “há um mundo imenso” dedicado a este segmento. “É um interesse completamente transversal à sociedade, nascem imensos grupos pelo país inteiro que realizam este tipo de tertúlias”, explica. Adepto das corridas e dos passeios, João Moral Neto garante que este tipo de atividade “exige manutenção e cuidado” e apela à participação dos mais jovens nestes encontros.

Proposta – Aprovação da receção provisória das obras de urbanização das A1 e A2 da operação de loteamento da UNOP 5 de Troia e respetiva caução prestada: Deliberado, por unanimidade, aprovar a receção provisória das obras de urbanização das A1 e A2 da operação de loteamento da UNOP 5 de Tróia e respetiva caução prestada, de acordo com a Proposta dos Serviços. Para constar se lavrou este e outros de igual teor os quais vão ser afixados nos locais públicos do costume. Paços do Concelho de Grândola, 06 de novembro de 2012. O Presidente da Câmara, - Carlos Beato -


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012 CARTÓRIO NOTARIAL DE PALMELA SANDRA BOLHÃO EXTRACTO Eu, Sandra Morais Teles Bolhão, Notária com Cartório em Palmela, na Rua Quinta da Cerca, lote um, rés-do-chão esquerdo, CERTIFICO, para efeitos de publicação, que por Escritura de Justificação lavrada neste Cartório no dia cinco de Novembro de dois mil e doze, a folhas cinquenta e sete e seguintes do Livro 5-C, ANTÓNIO MARIA PEREIRA, viúvo, natural da freguesia e concelho de Santiago do Cacém, residente em Foros do Cabeço, CCI número 1643, Santo André, Santiago do Cacém, JORGE MANUEL VILHENA PEREIRA, natural da freguesia e concelho de Santiago do Cacém, casado sob o regime da comunhão de adquiridos com Maria Luísa da Silva Lopes Vilhena, residente na Rua Professor Manuel Bento Sousa, número 8, primeiro andar esquerdo, Azeitão, Setúbal e MARIA ASSUNÇÃO VILHENA PEREIRA ANDRADE SERRINHA, natural da freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, casada sob o regime da comunhão de adquiridos com Luís António Andrade Serrinha, residente na Praceta do Impasse, número 1, Brejos de Azeitão, Azeitão, Setúbal, DECLARAM que com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do: PRÉDIO RÚSTICO, com área de mil duzentos e vinte e dois vírgula vinte e dois metros quadrados, composto por terras de semeadura e cultura arvense, a confrontar a norte com caminho particular, a sul com Maria Jacinta Gomes Lopes, a nascente com José Jacinto Vilhena e a poente com Estrada, a destacar da parte rústica do: - PRÉDIO MISTO, denominado Casa Novinha, com a área total de onze mil metros quadrados, sito na freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, a confrontar a norte com José Serrão, a sul com Elias Jacinto, a nascente com João Jacinto e a poente com Estrada Corrente, compondo-se a parte rústica por cultura arvense, oliveiras e vinha, inscrita na respetiva matriz predial rústica sob o artigo 149, da Secção I, da dita freguesia de Santo André, do qual o prédio justificado se destina a ser desanexado e a parte urbana composta por edifício de rés-do-chão, para habitação, com a área coberta de quarenta e seis metros quadrados, inscrito na respetiva matriz predial urbana da freguesia de Santo André sob o artigo 88, descrito na Conservatória do Registo Predial de Santiago do Cacém sob o número TRÊS MIL E VINTE E CINCO, da freguesia de Santo André. Que relativamente ao registo predial o prédio encontra-se registado a favor dos herdeiros de Jacinto Maria Vilhena e de Gracinda Francisca pela apresentação três, de vinte e quatro de Setembro de mil novecentos e noventa e seis, constando Benvinda Francisca Vilhena Pereira, presentemente falecida, na qualidade de herdeira, ao tempo casada sob o regime da comunhão geral de bens com António Maria Pereira. Que no dia nove de Outubro de dois mil e dez, na freguesia e concelho de Santiago do Cacém, faleceu BENVIDA FRANCISCA VILHENA PEREIRA que também usava BENVIDA FRANCISCA VILHENA, a qual era natural da freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, com a sua última residência habitual em Foros do Cabeço, freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, no estado de casada sob o regime da comunhão geral com o primeiro outorgante identificado na alínea a), António Maria Pereira. Que, a autora da herança não fez testamento, ou qualquer outra disposição de sua última vontade, tendo-lhe sucedido como seus únicos herdeiros legitimários, o seu marido, António Maria Pereira, já devidamente identificado como primeiro outorgante na alínea a) e os seus filhos, Jorge Manuel Vilhena Pereira, já devidamente identificado como primeiro outorgante na alínea b) e Maria Assunção Vilhena Pereira Andrade Serrinha, já devidamente identificada como primeira outorgante na alínea c), todos devidamente habilitados por Escritura de Habilitação de Herdeiros, lavrada a vinte e um de Outubro de dois mil e dez, de folhas cento e vinte e nove a folhas cento e trinta, do Livro número Sete – A, do Cartório Notarial de Sines da Notária Lígia Andrea Valadares Fernandes Guedes. Que o prédio rústico ora justificado veio à posse de BENVIDA FRANCISCA VILHENA PEREIRA, presentemente falecida, por divisão e consequente doação verbal feita do decurso do ano de mil novecentos e sessenta e cinco por seus pais, Gracinda Maria, que também usava Gracinda Francisca e seu marido Jacinto Vilhena, que também usava Jacinto Maria Vilhena, casados sob o regime da comunhão geral de bens, presentemente falecidos. Que a partir da data mencionada e portanto há mais de VINTE ANOS que, por sucessão na posse, ANTÓNIO MARIA PEREIRA, JORGE MANUEL VILHENA PEREIRA e MARIA ASSUNÇÃO VILHENA PEREIRA ANDRADE SERRINHA têm possuído o supra identificado prédio em nome próprio, sem interrupção desde o seu início, respeitando as suas extremas e divisórias, com total exclusividade e independência, sempre praticando sobre o dito prédio todos os atos de posse de que este era suscetível, tudo na convicção de exercerem um direito próprio, sem qualquer interrupção, à vista de toda gente e sem oposição de quem quer que fosse, sendo por isso uma posse pública, pacífica, contínua e de boa fé, não logrando deter qualquer titulo que justifique a transmissão sequencial ocorrida, por não titulada e não conduzida a registo. Que atendendo a que a duração da sua posse, há mais de vinte anos, se tem mantido continuadamente e de forma ininterrupta, já adquiriram o referido prédio por USUCAPIÃO, invocando, por isso, esta forma de aquisição para reatamento do trato sucessivo e todos os demais efeitos legais. ESTÁ CONFORME. Palmela, 5 de Novembro de 2012 A Notária Sandra Morais Teles Bolhão

14

CARTÓRIO NOTARIAL DE PALMELA SANDRA BOLHÃO

www.jornallitoralalentejano.com CARTÓRIO NOTARIAL DE PALMELA SANDRA BOLHÃO

EXTRACTO

EXTRACTO

Eu, Sandra Morais Teles Bolhão, Notária com Cartório em Palmela, na Rua Quinta da Cerca, lote um, rés-do-chão esquerdo, CERTIFICO, para efeitos de publicação, que por Escritura de Justificação lavrada neste Cartório no dia cinco de Novembro de dois mil e doze, a folhas cinquenta e uma e seguintes do Livro 5-C, DEOLINDA DA CONCEIÇÃO SIMÕES, viúva, natural da freguesia e concelho de Santiago do Cacém, residente na Rua Vinte e Cinco de Abril, Cabanas, Quinta do Anjo, Palmela, e ANTÓNIA DA CONCEIÇÃO SIMÕES VILHENA PINTO, natural da freguesia e concelho de Santiago do Cacém, casada sob o regime da comunhão de adquiridos com Noel da Rosa Pinto, residente na Rua Fernando Miguel, número 13, Cabanas, Quinta do Anjo, Palmela, DECLARAM que com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do: PRÉDIO RÚSTICO, com área de mil duzentos e vinte e dois vírgula vinte e dois metros quadrados, composto por cultura arvense, oliveiras e vinha, a confrontar a norte com caminho particular, a sul com herdeiros de Elias Jacinto, a nascente com herdeiros de Armando Jacinto Vilhena e a poente com herdeiros de Luísa Francisca Vilhena, a destacar da parte rústica do: - PRÉDIO MISTO, denominado Casa Novinha, com a área total de onze mil metros quadrados, sito na freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, a confrontar a norte com José Serrão, a sul com Elias Jacinto, a nascente com João Jacinto e a poente com Estrada Corrente, compondo-se a parte rústica por cultura arvense, oliveiras e vinha, inscrita na respetiva matriz predial rústica sob o artigo 149, da Secção I, da dita freguesia de Santo André, do qual o prédio justificado se destina a ser desanexado e a parte urbana composta por edifício de rés-do-chão, para habitação, com a área coberta de quarenta e seis metros quadrados, inscrito na respetiva matriz predial urbana da freguesia de Santo André sob o artigo 88, descrito na Conservatória do Registo Predial de Santiago do Cacém sob o número TRÊS MIL E VINTE E CINCO, da freguesia de Santo André. Que relativamente ao registo predial o prédio encontra-se registado a favor dos herdeiros de Jacinto Maria Vilhena e de Gracinda Francisca pela apresentação três, de vinte e quatro de Setembro de mil novecentos e noventa e seis, constando as justificantes na qualidade de herdeiras. Que no decurso do ano de mil novecentos e sessenta e cinco, Gracinda Maria, que também usava Gracinda Francisca e seu marido Jacinto Vilhena, que também usava Jacinto Maria Vilhena, casados sob o regime da comunhão geral de bens, presentemente falecidos, respetivamente sogros da primeira outorgante identificada na alínea a) e avós da primeira outorgante identificada na alínea b), procederam à divisão e consequente doação verbal do mencionado prédio misto aos filhos, tendo sido adjudicado o prédio rustico ora justificado a seu filho António Jacinto Vilhena, presentemente falecido. Que a totalidade do prédio rústico ora justificado veio à posse de DEOLINDA DA CONCEIÇÃO SIMÕES e sua filha ANTÓNIA DA CONCEIÇÃO SIMÕES VILHENA PINTO, por sucessão hereditária, de António Jacinto Vilhena filho dos mencionados Gracinda Maria e Jacinto Vilhena. Que a partir da data mencionada e portanto há mais de VINTE ANOS que, por sucessão na posse, DEOLINDA DA CONCEIÇÃO SIMÕES, e sua filha ANTÓNIA DA CONCEIÇÃO SIMÕES VILHENA PINTO têm possuído o supra identificado prédio em nome próprio, sem interrupção desde o seu inicio, respeitando as suas extremas e divisórias, com total exclusividade e independência, sempre praticando sobre o dito prédio todos os atos de posse de que este era suscetível, tudo na convicção de exercerem um direito próprio, sem qualquer interrupção, à vista de toda gente e sem oposição de quem quer que fosse, sendo por isso uma posse pública, pacífica, contínua e de boa fé, não logrando deter qualquer título que justifique a transmissão sequencial ocorrida, por não titulada e não conduzida a registo. Que atendendo a que a duração da sua posse, há mais de vinte anos, se tem mantido continuadamente e de forma ininterrupta, já adquiriram o referido prédio por USUCAPIÃO, invocando, por isso, esta forma de aquisição para reatamento do trato sucessivo e todos os demais efeitos legais. ESTÁ CONFORME. Palmela, 5 de Novembro de 2012

Eu, Sandra Morais Teles Bolhão, Notária com Cartório em Palmela, na Rua Quinta da Cerca, lote um, rés-do-chão esquerdo, CERTIFICO, para efeitos de publicação, que por Escritura de Justificação lavrada neste Cartório no dia cinco de Novembro de dois mil e doze, a folhas dezoito e seguintes do Livro 5-C, TERESA MARIA PINELA VILHENA, divorciada, natural da Quinta do Anjo, concelho de Palmela, com residência habitual na Alemanha e domicilio fiscal na Av. Visconde Tojal, número 167, Cabanas, Palmela e MARIA TERESA PINELA VILHENA MATOS REIS, natural da freguesia da Quinta do Anjo, concelho de Palmela, casada sob o regime da comunhão de adquiridos com Nelson Matos Reis, residente na Rua António Marques Maia, número 16, Cabanas, Quinta do Anjo, Palmela, DECLARAM que com exclusão de outrem, são donas e legítimas possuidoras do: PRÉDIO RÚSTICO, com área de mil duzentos e vinte e dois vírgula vinte e dois metros quadrados, composto por terras de semeadura e vinha, a confrontar a norte com caminho particular, a sul com herdeiros de Elias Jacinto, a nascente com herdeiros de Luísa Francisca Vilhena e a poente com José Jacinto Vilhena, a destacar da parte rústica do: - PRÉDIO MISTO, denominado Casa Novinha, com a área total de onze mil metros quadrados, sito na freguesia de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, a confrontar a norte com José Serrão, a sul com Elias Jacinto, a nascente com João Jacinto e a poente com Estrada Corrente, compondo-se a parte rústica por cultura arvense, oliveiras e vinha, inscrita na respetiva matriz predial rústica sob o artigo 149, da Secção I, da dita freguesia de Santo André, do qual o prédio justificado se destina a ser desanexado e a parte urbana composta por edifício de rés-do-chão, para habitação, com a área coberta de quarenta e seis metros quadrados, inscrito na respetiva matriz predial urbana da freguesia de Santo André sob o artigo 88, descrito na Conservatória do Registo Predial de Santiago do Cacém sob o número TRÊS MIL E VINTE E CINCO, da freguesia de Santo André. Que relativamente ao registo predial o prédio encontra-se registado a favor dos herdeiros de Jacinto Maria Vilhena e de Gracinda Francisca pela apresentação três, de vinte e quatro de Setembro de mil novecentos e noventa e seis, constando as justificantes na qualidade de herdeiras. Que em mil novecentos e sessenta e cinco, Gracinda Maria, que também usava Gracinda Francisca e seu marido Jacinto Vilhena, que também usava Jacinto Maria Vilhena, casados sob o regime da comunhão geral de bens, avós das primeiras outorgantes, procederam à divisão e consequente doação verbal do mencionado prédio misto aos filhos, tendo sido adjudicada a parcela ora justificada a seu filho, Jacinto José Vilhena. Que a totalidade do prédio rústico ora justificado veio à posse de TERESA MARIA PINELA VILHENA, que ao tempo da abertura da herança usava Teresa Maria Pinela Vilhena Guerreiro e que era casada sob o regime da comunhão de adquiridos com Paulo Alexandre da Silva Guerreiro e de MARIA TERESA PINELA VILHENA MATOS REIS, que ao tempo da abertura da herança usava MARIA TERESA PINELA VILHENA e era solteira, maior, por sucessão hereditária de Jacinto José Vilhena, falecido a vinte e três de Junho de mil novecentos e setenta e três, no estado de solteiro, maior, pai das primeiras outorgantes e filho pré-falecido dos mencionados Gracinda Maria e Jacinto Vilhena. Que a partir da data mencionada e portanto há mais de VINTE ANOS que, por sucessão na posse, TERESA MARIA PINELA VILHENA e de MARIA TERESA PINELA VILHENA MATOS REIS têm possuído o supra identificado prédio em nome próprio, sem interrupção desde o seu inicio, respeitando as suas extremas e divisórias, com total exclusividade e independência, sempre praticando sobre o dito prédio todos os atos de posse de que este era suscetível, tudo na convicção de exercerem um direito próprio, sem qualquer interrupção, à vista de toda gente e sem oposição de quem quer que fosse, sendo por isso uma posse pública, pacífica, contínua e de boa fé, não logrando deter qualquer título que justifique a transmissão sequencial ocorrida, por não titulada e não conduzida a registo. Que atendendo a que a duração da sua posse, há mais de vinte anos, se tem mantido continuadamente e de forma ininterrupta, já adquiriram o referido prédio por USUCAPIÃO, invocando, por isso, esta forma de aquisição para reatamento do trato sucessivo e todos os demais efeitos legais. ESTÁ CONFORME. Palmela, 5 de Novembro de 2012

A Notária Sandra Morais Teles Bolhão

Engenheiro Civil

Com experiencia profissional em Angola

Oferece-se para trabalhar em: • Orçamentação, • Planeamento, • Técnico de segurança III • Técnico segurança VI

Contacto 269086157 / 918856227

A Notária Sandra Morais Teles Bolhão

Acabe com humidades, infiltrações e salitre da sua casa!... Orçamento gratuito (material e mão de obra) estamos disponíveis 24horas !

contacto José Martins - TM. 922 165 007


Litoral Alentejano – quinta-feira, 15 de novembro de 2012

15

www.jornallitoralalentejano.com

Histórias do Ciclismo XX

Em Odemira, durante os próximos dias 16 e 17

O Dia-a-Dia de um Ciclista O dia-a-dia dos ciclistas é um factor muito importante numa competição como a Volta a Portugal em Bicicleta, não só para os atletas bem como para as equipas. Alguns ciclistas têm a aspiração de chegar à vitória, enquanto que, outros, ajudam os seus colegas a tentarem – objectivamente - a conquista. A preparação psicológica e física – concentração, descanso e alimentação – são factores importantes para uma boa prestação mas, entre o trabalho, também há tempo para o lazer e o convívio. O dia do corredor começa –

geralmente – pelo atleta se levantar cerca de três a quatro horas antes do início de cada etapa. Trata-se de fazer a higiene diária, entre outras coisas. O atleta preocupase sempre em acordar bem disposto, para encarar, de forma descontraída, a etapa que se seguirá. Toma o pequeno almoço, sendo o espaguetti, o único ingrediente obrigatório comer. Depois, poderá comer pão, queijo, fiambre, flocos, etc.. Dependerá de cada um. Em relação às massagens, pelo Verão, grande parte dos atletas, no início de cada etapa, até as dispensam, ao

CARTÓRIO NOTARIAL DE SETÚBAL

DO NOTÁRIO LIENCIADO JOÃO FARINHA ALVES

Certifico narrativamente que, por escritura de vinte e nove de Outubro do ano de dois mil e doze, lavrada de folhas trinta e nove e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas número cento e sessenta e quatro-A, deste Cartório, “SIFUCEL – SÍLICAS, S.A.”, com sede em Rio Maior, na freguesia de Rio Maior com o número único de pessoa colectiva e matrícula quinhentos milhões duzentos e quarenta e sete mil quinhentos e oitenta e sete, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Rio Maior, com o capital social de um milhão e setecentos mil euros, justifica ser dona e legítima possuidora, com exclusão de outrem, de um prédio rústico composto de cultura arvense, com a área de quatro hectares, situado em Santiago ou Courela da Bica, na freguesia de Santiago, do concelho de Alcácer do Sal, que confronta do Norte Custódio de Jesus Marcos, do Sul com SIFUCEL- SÍLICAS e caminho, do Nascente e do Poente com – SIFUCEL – SÍLICAS, S.A., que se encontra inscrito sob parte do artigo 15 da Secção JJ, da matriz rústica da freguesia de Alcácer do Sal, constando como titulares do referido artigo matricial Manuel Luís Marcos e Custódio de Jesus Marcos, em comum e partes iguais. Que, no tocante ao registo predial, faz parte do prédio descrito na Conservatória do Registo Predial de Alcácer do Sal sob o número dois mil oitocentos e doze, de vinte e quatro de Abril de dois mil e doze, da citada freguesia de Santiago, com registo de direito de propriedade a favor de Custódio de Jesus Marcos, casado com Maria de Fátima Chainho Guerreiro Marcos sob o regime de comunhão de bens adquiridos, sob inscrição requisitada pela Apresentação duas, de vinte e três de Março de mil novecentos e setenta e oito. ESTÁ CONFORME Cartório Notarial de Setúbal, do Notário Lic. João Farinha Alves, aos vinte e nove de Outubro do ano de dois mil e doze. O Notário João Farinha Alves

contrário do que acontece no fim de cada etapa. A dureza das etapas acaba por obrigar os corredores a abasteceram-se de comida e de bebida. Quase sempre levam barras energéticas, água e fruta, para comerem ao longo da corrida. Os ciclistas em prova, geralmente, só pensam na prova em si mas, ainda assim há momentos para tudo, como – uns com os outros – fazerem um pouco de tudo. No final de cada etapa, os ciclistas procuram sempre beber maior quantidade de líquidos, para recuperarem as forças. Há sempre a preocupação para irem para o hotel o mais cedo possível para o descanso e respectivo banho, bem como a sessão

1.º Encontro Ibérico de Orçamentos Participativos

Manuel dos Santos

de massagens, seguindose o jantar, para – entre colegas - acabarem por ficar a conversar, ver televisão ou, ainda, a jogarem vários jogos para descontraíremse. Por fim, recolhem-se aos quartos para o descanso e para se recuperarem para as etapas seguintes. Enquanto isso, todo o staff da Volta, trabalha na limpeza e preparação das bicicletas e das viaturas, e procede à recolha de alimentos para, no dia seguinte, nada faltar.

O 1.º Encontro Ibérico de Orçamentos Participativos, que terá o seu início amanhã, em Odemira, é, por todos os motivos, uma oportunidade que importará a todos o cidadãos do País, pela discussão da matéria que abordará. Tendo por objetivo o aumento da participação cívica, reforçar a qualidade da democracia, bem com o melhor adequar as políticas públicas às necessidades e expetativas dos cidadãos, os Orçamentos Participativos têm vindo a conhecer nos últimos anos um impulso notório, que se traduz numa maior aderência, divulgação e interesse geral. Com o intuito de potenciar estas práticas participativas, Odemira vai receber o 1º Encontro Ibérico de Orçamentos Participativos, nos dias 16 e 17 de Novembro de 2012, no Cineteatro Camacho Costa, numa organização conjunta entre o Município de Odemira, a Associação In Locoe da Rede Espanhola de Orçamentos Participativos.

CARTÓRIO NOTARIAL DE SETÚBAL

DO NOTÁRIO LICENCIADO JOÃO FARINHA ALVES Certifico narrativamente que, por escritura de vinte e nove de Outubro do ano de dois mil e doze, lavrada de folhas quarenta e dois e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas número cento e sessenta e quatro-A, deste Cartório “SIFUCEL – SÍLICAS, S.A.”, com sede em Rio Maior, freguesia e concelho de Rio Maior, com o número de pessoa colectiva e matrícula quinhentos milhões duzentos e quarenta e sete mil quinhentos e oitenta e sete, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Rio Maior, com o capital social de um milhão e setecentos mil euros, justifica ser dona e legítima possuidora, com exclusão de outrem, de um prédio rústico composto de cultura arvense, com a área de quatro hectares, situado em Santiago ou Courela da Bica, na freguesia de Santiago, do concelho de Alcácer do Sal, que confronta do Norte com Josélia Maria Albino Marcos Pato e Cláudia Sofia Albino Marques Pinto, do Sul com SIFUCEL – SÍLICAS,S.A. e caminho, do Nascente com Francisco Palmela, e do Poente com Custódio de Jesus Marcos, que se encontra inscrito sob parte do artigo 15 da Secção JJ, da matriz rústica da freguesia de Alcácer do Sal, constando como titulares do referido artigo matricial Manuel Luís Marcos e Custódio de Jesus Marcos, em comum e partes iguais. Que, no tocante ao registo predial, faz parte do prédio descrito na Conservatória do Registo Predial de Alcácer do Sal sob o número dois mil setecentos e quarenta e quatro, de dezoito de Junho de dois mil e dez da citada freguesia de Santiago, com registo de direito de propriedade: a) Um sexto indiviso a favor de Cláudia Sofia Albino Marques Pinto, casada com Vítor Manuel Duarte Pinto sob o regime de comunhão de bens adquiridos; e outro sexto indiviso a favor de Josélia Maria Albino Marcos Pato, casada com José Carlos Cabeça Pato Marcos sob o regime de comunhão de adquiridos, sob a inscrição requisitada pela Apresentação cento e quarenta e um, de dezoito de Junho de dois mil e dez, e b) Quatro sextos indivisos, sem determinação de parte ou direito, a favor de Cláudia Sofia Albino Marcos Pinto, casada com Vítor Manuel Duarte Pinto sob o regime da comunhão de adquiridos; e Josélia Maria Albino Marcos Pato, casada com José Carlos Cabeça Pato Marcos, sob o regime de comunhão de bens adquiridos, sob a inscrição requisitada pela Apresentação cento e quarenta e duas, de dezoito de Junho de dois mil e dez. ESTÁ CONFORME Cartório Notarial de Setúbal, do Notário Lic. João Farinha Alves, aos vinte e nove de Outubro do ano de dois mil e doze. O Notário (Lic. João Farinha Alves)

O Encontro pretende ser um fórum de debate, de apresentação de exemplos de orçamentos participativos de Portugal e de Espanha, de boas práticas, de testemunhos de experiências e de participação pública. Estão também já confirmados os testemunhos sobre Orçamentos Participativos em Maputo (Moçambique), Fortaleza (Brasil) e Medellín (Colombia). A organização contará com a parceria do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, do Observatório Internacional da Democracia Participativa, Fundação CEFA, da Comissão de Inclusão Social, Democracia Participativa e Direitos Humanos da Organização Mundial Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU), OPTAR - Orçamentos Participativos, AMA Agência para a Modernização Administrativa e Junta da Andaluzia, com o patrocínio das empresas Medidata, Wiremaze, Iberogestão, AMAGRA - Associação de Municípios Alentejanos para a Gestão Regional do Ambiente e Águas do Caramulo e o apoio do IGov. A importância deste Encontro na promoção dos Orçamentos Participativos que, um pouco por todo o País se vão realizando, permite acreditar que este será um evento de âmbito nacional e com um interesse global, pelo conceito que está implícito nos Orçamentos Participativos.


Registado na ERC com o nº 123876 Propriedade e Editor - LitoralPress, Lda Tel./Fax: 269 822 570

www.jornallitoralalentejano.com

Porto de Sines recebe prémio internacional

de serviço público de excelência com responsabilidade social O galardão CEEP-CSR Label distingue as empresas públicas que se destacam pelo cumprimento das melhores práticas no âmbito da Responsabilidade Social. O Porto de Sines foi distinguido com o galardão CEEP-CSR Label que reconhece as empresas de serviços públicos que se destacam pelo cumprimento da excelência na prestação de serviços e das melhores práticas no âmbito da responsabilidade social. A atribuição do prémio foi realizado por um júri internacional independente e a cerimónia de entrega do prémio decorrerá no próximo dia 14 de Novembro no Parlamento Europeu em Bruxelas. Entre candidaturas de muitas empresas dos vários estados membros, a candidatura do Porto de Sines foi seleccionada para atribuição desta distinção, com os projectos JUP –

Janela Única Portuária, CUP – Cartão Único Portuário e SIIG – Sistema de Informação e Identificação Geográfica a serem galardoados com o CEEP– CSR Label. A avaliação das candidaturas é realizada com base numa matriz de seis dimensões: corporate governance, relações com os stakeholders, respeito pelos standards internacionais, responsabilidade social, respeito pelo meio ambiente e relacionamento com os municípios e outras entidades. Na categoria “Projectos que fomentem a criação de produtos e soluções inovadoras”, foram distinguidos a Janela Única Portuária pela estreita e frutífera colaboração entre

todos os atores envolvidos no negócio portuário, relação esta que contribui de forma preponderante para que Sines seja um porto eficiente, moderno e simplificado, com uma oferta de serviços de excelência aos seus clientes, envolvendo todos os seus stakeholders. A gestão portuária é desta forma mais transparente, com uma melhor gestão

de recursos, beneficiando todos os intervenientes no processo de despacho de navios e cargas. O Cartão Único Portuário destacou-se pela redução de tempos de espera no acesso às zonas sob jurisdição portuária, enquanto o SIIG assume relevância no âmbito da optimização dos recursos operacionais, reduzindo os tempos de estada de navios

APS e Autoridade do Canal de Panamá assinam protocolo de colaboração

em porto e contribuindo para o aumento de eficiência das operações. O CEEP - Centre of Employers and Enterprises providing Public Services foi fundado em 1961 pela Comissão Europeia, está sedeado em Bruxelas e tem como missão unir as empresas públicas sob o desígnio comum da excelência e da promoção da

cooperação e solidariedade entre instituições, agindo como seu interlocutor na Comissão Europeia. O Prémio CEEP-CSR Label é o reconhecimento das empresas prestadoras de serviços públicos de excelência com “Corporate Social Responsibility”.

A Autoridade do Canal de Panamá e a Administração do Porto de Sines S.A. assinaram um protocolo com o objetivo de estabelecerem uma relação de parceria e cooperação para desenvolver o comércio internacional e incrementar as suas atividades de negócio, promovendo a rota marítima entre a Europa e a Costa Oeste da América do Sul através do Canal do Panamá. Este protocolo tem em vista o desenvolvimento de iniciativas conjuntas entre as quais: ações de promoção comercial, intercâmbio de informação, partilha de estudos de mercado, intercâmbio tecnológico e no domínio da formação. A crescente importância da globalização na economia internacional e as mudanças que têm vindo a registarse ao nível das relações comerciais e da logística mundial, constituem uma oportunidade para o desenvolvimento dos fluxos comerciais e dos nós

logísticos e portuários. O Porto de Sines, principal porto Português em tonelagem de carga movimentada e de exportações, afirma-se como o principal Hub da fachada atlântica e como principal porta de entrada na Península Ibérica e na Europa, dadas as suas características naturais de porto de águas profundas, com uma localização geográfica privilegiada, bons acessos rodo e ferroviários e uma ampla zona industrial e logística de retaguarda. Por seu lado, o Canal do Panamá constitui uma importante plataforma logística multimodal do continente Americano, e por ele passa anualmente cerca de 4% do comércio internacional. Este Protocolo vai permitir continuar a desenvolver as condições para o reforço da posição de Portugal como plataforma logística e pais exportador, contribuindo ainda para a necessária melhoria da competitividade da economia portuguesa

Jornal Litoral Alentejano  

Jornal Litoral Alentejano - Edicao 270

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you