Issuu on Google+

15 de outubro 2012 Ano XII n.º 268 Quinzenal Preço 0.70 €

Diretora n Aliette Martins

“Estamos a fomentar o emprego jovem”

m

Diretor-adjunto n Marcos Leonardo

Barco encalhado há 16 anos continua por remover da praia Uma embarcação com mais de 20 metros, naufragada há 16 anos, continua à espera de ser removida de uma praia junto a Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira

A recessão da economia portuguesa, com o sufoco do tecido empresarial e o aumento do número de desempregados, preocupa o Delegado Regional do IEFP Alentejo, José Palma Rita que nesta entrevista defende a necessidade dos jovens se adaptarem às necessidades do mercado de trabalho e aposta num conjunto de medidas ativas de emprego.

Odemira procura estratégia

15 de outu Ano III • •

Edito Joaquim r Bernardo

BTT: 1º ed

ição

Valério Fdo “Odemira Bike Race” err da 1ª ediç eira foi o grande v ão do Od emira Bik encedor e Race

Realizou-se semana, dias no último fim-de6 e 7 de Out Odemira, ubro, em a 1º edição Bike Rac do Odemir e, a recurso ao prova de BTT com uso de GPS pelo Clu , organizado be BTT Odemira parceria e em com o Mu Odemira. nicípio de A 1º etap a com 86 quilómetros teve part ida de , passagem Ode por Luziane mira e Santa Cla ra a Velha, s Gare e a Odemir a chegad a foi gan ha pelo atle a Hélio Ram ta os da Ber Hyunday/A g Cycles/ ltimetria, tempo de com o (3h etapa com 28m,23s). A segund 91 a de Odemir quilómetros, part iu a, teve pas São Luís, sagem em Vila Nov a de Milfon Longueira, tes, Almogr Sardão e chegada à ave, Cabo Zambujeira Mar, foi gan do ha pelo atle Ferreira ta Valério da de Loulé/B equipa BTT Ter ras PI com o tempo (3h43m07s de Hou ). ve aind A classific açã metas vola a prémios para Valério Fer o geral consag as cam ntes, na rou reira da peã naciona equipa BTT apoiada pela Jun primeira etapa Terras de l de mar Loulé/BPI em BTT ta de Fregue Santa atonas , como gran vencedor, caminho de etap Clara a Velha e na sia de da atleta Celina Carpinteiro Ivonne Ktr a apoiada Race, tend do Odemira Bik segunda e dois mil s públicos que ron aft Bochum, e o Hélio da Berg Cyc atleta olím do MBC inserido quilómetros de exte os Ramos da Lusabikes, tend pela empresa les/Hyunda Alemanha nsão, o sido pica pela no Parque pelos atle ficado em y/Altimetri em Atenas ganhas Natural tas Valério Fer tem no seu a Ant 2004 e que Sudoeste Alentej do ónio Bris segundo reira e palmarés ano e Vicentina, lugar e Ric sos, gran Costa vitó resp des provas rias em está loca atletas da ecti ardo Feli Grupo Des lizado num das zonas mundiais equipa BTT vamete, por etap x do portivo de de a de lito BTT as, Fbikes em rais mai San Loulé/BPI. e Terras de Portuga s belas terceiro luga ta Cruz/ aind passada gan que ainda a sem De sali l e ana da a a pres hou r. Eur entar BTT estas part opa o Brasil Rid ença em . Particip icularidade . Todas da rece e em con Odemira aram ntemente s tribuem únicas, consagrada Concelho de Ode 45 atletas. O pos para que mira é o sua excelen Ode de Portuga maior a tes condiçõ mira l, possui prática do es para uma rede BTT. de

Futebol:

para desenvolver interior

bro/12

n.º 68

Direto Aliette Mara rtins Diretor-a Marcos Ledjunto onardo

Taça

Vasco, Udo Distrito de Setúbal - 1ª Fase niã apurado o, Melidense e Gr s para os a quartos-d ndolense e-final

Vasco da Gam Melidense a, União de Santiag o, 7 pon e Grandolens conseguira tos; 2.º m e os quartos o apuramento para - Monte da Cap Alfarim, 5; 3.º -de-final arica, 4 Estrela da Distrito de e Setúbal, jogo Taça do União Stº André,0. Apu 4.º realizar-se rados de Santiag s que vão no dia 30 o e Sér ie B: de Dezemb de 2012. União Ban Alfarim. ro 0 – heirense, Melidense Cova da Piedade e União Pires, 5 5 foram apu de Santiag e Paio Beira-M rado o dos respetiv s como vencedores Classificação Ger ar Almada,1. os grupos al: 1.º - Cov Piedade o Vasco , enquan da Gama to 6; 3.º , 9 pontos; 2.º - Paio a da e Gra foram apu Pires, rados com ndolense - Uni Beira-Mar Almada ,3 classificado ão Banheir o segund os Cov ense,0. Apu e 4.º s. a da Pied Resultados rados da 3ª jorn Série C: Des ade e Paio Pire jornada da ada e últi s. por ma - Juv tivo de Por Fase de Gru entude Me A: Monte tugal, 2 lidense, 2 da Caparic pos: Série do Olímpico Montijo, a, 0 – Uni de Santiag 0 ão Cla o, ssificação - Grandolense,3. 0 - Alf 2 e Estrela St.º And ré, Juv de arim,1. Portugal,2. entude Me Geral: 1.º Classificaç Geral: 1.º lide ão 2.º - União Apurados - Grandolens nse, 7 pontos; Melidense de Santiag e Grandolens Série D: o, do e, 4; 3.º - Olím Montijo, Comércio e. pico 3 e 4.º Desportivo 1 - Vasco da Gam e Indústria, a, 1 e Alm 7 – ada, Quinta do Con de,1.

Classificaç ão Geral: 1.º 7 pontos; 2.º - Vasco - Almada, 3.º - Com da Gama, ércio e Ind 5; ústr -Quinta do Conde,0 ia, 4 e 4.º Almada e . Apurado Comércio s e Industria.

NÃO VENDA O SEU OURO Emprestamos dinheiro de imediato sobre... OURO, PRATAS, JÓIAS, RELÓGIOS, MOEDAS, ANTIGUIDADES E PINTURAS Com rapidez, segurança e sigilo. Qualquer quantia e nas melhores condições.

DAMOS VALOR AOS SEUS VALORES

Rua Júdice Fialho, 8 - Loja A (Em frente da Santa Casa da Misericórdia) 7520-218 Sines

Tel. 269 636 177 - Tem. 969 394 118


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

02

www.jornallitoralalentejano.com

I Encontro de Produtores de Vinho da Costa Alentejana Propriedade

LitoralPress, Lda

Diretora

Aliette Martins

Diretor Adjunto Marcos Leonardo

Redação

Promoção de um Destino Turístico Com o destaque da “Costa Alentejana”, o primeiro encontro sobre os Vinhos produzidos no seu território revelará mais um segmento da sua vocação turística com ofertas de grande qualidade.

Aliette Martins (aliette@sapo.pt)

Gisela Benjamim

(giselabenjamim@gmail.com)

Angela Nobre

(a.v.nobre@gmail.com)

Rute Canhoto

(rutecanhoto@iol.pt)

Joaquim Bernardo

(joaqbernardo@gmail.com)

Helga Nobre

(helga.nobre@gmail.com)

Cronistas

Francisco do Ó Custódio Rodrigues Serafim Marques Veríssimo Dias

Secretaria

Ana Cristina

Fotografia Ana Correia Luís Guerreiro José Miguel

Considerando o evento que terá lugar no próximo dia 26 de Outubro, na Herdade das Barradas da Serra, Grândola, que visa dar a conhecer a qualidade dos Vinhos produzidos na região junto dos profissionais, decisores e influenciadores do sector, críticos de vinho, restauração, retalho e público em geral, naquele que será o “I Encontro de Produtores de Vinho da Costa Alentejana”, certame que é promovido pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo Litoral e pela Associação de Desenvolvimento Local. O evento contará com a participação de um vasto leque de produtores vitivinícolas da Região, apostados na qualidade dos seus produtos. Posto isto, ninguém melhor do que Carlos Beato, na sua qualidade de Presidente da ERT para, em breve entre-

Encontro de Produtores de Vinho da Costa Alentejana? Carlos Beato, Presidente da E.R.T.A.L. - Conjugaram-se, neste caso, por um lado o interesse dos Produtores de vinho da Costa Alentejana, que pretendem dar a conhecer a qualidade o vinho que aqui se produz, com o interesse desta Entidade Regional de Turismo que, tendo em conta a qualidade do vinho desta sub-região, considera este produto que, associado à gastronomia, tem um papel muito relevante na promoção do Destino Turístico da Costa Alentejana. Litoral Alentejano - O que poderão os visitantes do evento encontrar? Trata-se de uma iniciativa destinada à restauração, aos empreendimentos turísticos de alojamento, às superfí-

Duarte Gonçalves

Publicidade

Marcos Leonardo Telem. 919 877 399

“claro que os produtores têm a sua própria estratégia de comercialização e estamos certos de que, com estas iniciativas acentuarão ainda mais as ações com vista à exportação”

Paginação

BRAIN DAMAGE, LDA geral@braindamage.pt Tel. 265 533 129

Distribuição VelozEficácia 269 862 292

Sede

Colégio de S. José Rua do Parque, 10 7540-172 Santiago do Cacém Tel./Fax: 269 822 570 Telem. 919 877 399 litoralalentejano@sapo.pt

Delegação

Rua do Romeu, 19-2.º 2900-595 Setúbal Telf./Fax: 265 235 234 Telem. 919 931 550 litoralalentejano@portugalmail.pt

Membro :

Litoral Alentejano - Será de considerar no futuro um certame sobre esta temática? Esse é um aspecto a considerar, especialmente por parte dos produtores, sendo certo que a Turismo do Alentejo Litoral bem como a Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano, consideram este tipo de iniciativas de grande importância para a diferenciação da Costa Alentejana e por isso agora a estão apoiar e continuarão a fazê-lo (no nosso caso, enquanto esta Entidade existir).

vista, nos possa significar a Região – destacando a sua vocação turística – num território com ofertas de grande qualidade. Assim sendo, as questões e respostas farão o esclarecimento do leitor quando, pela primeira vez, se aposta numa realização que, talvez para muitos cidadãos, o conhecimento do vinho que se produz na Região Costa Alentejana, poderá constituir uma surpresa. Litoral Alentejano - Que motivação esteve presente na organização deste 1º

cies comerciais e a outros estabelecimentos especializados na venda de vinhos e, por outro lado a escanções e a jornalistas nacionais e estrangeiros para dar a conhecer e assegurar maior notoriedade aos vinhos da Costa Alentejana. Ora estes sãos os destinatários do Encontro que, para além de assistir a uma apresentação geral dos vinhos desta região, passarão depois às provas do vinho dos produtores que têm estado em conjunto connosco a preparar esta iniciativa.

Litoral Alentejano - Como é sabido, todas as mais antigas regiões produtoras portuguesas usufruem do estatuto DOC. Para além de proteger a genuinidade da origem, procura assegurar a qualidade dos vinhos de cada região, designadamente estabelecendo as castas recomendadas, os métodos de vinificação, o teor alcoólico mínimo, os rendimentos por hectare e os períodos de envelhecimento em garrafa ou em cascos. Assim sendo, os vinhos que serão apresentados no 1.º Encontro

de Vinho da Costa Alentejana, quantas das suas marcas têm a denominação de origem controlada (DOC)? Os vinhos que se vão apresentar neste I Encontro, à exceção da Adega dos Nascedios e Cortes de Cima (Vila Nova de Mil Fontes) que são vinhos regionais do Alentejo, os vinhos dos restantes produtores são vinhos regionais da Península de Setúbal e têm a classificação IGT Indicação Geográfica Protegida. Litoral Alentejano Poderá este encontro ser o embrião de uma Região Demarcada? Essa é uma questão que por agora não está nos objetivos deste Encontro. Litoral Alentejano – O Vinho português, conhecido em todo o Mundo, tem um mercado assegurado, nomeadamente o produzido nas terras do Norte do País, particularmente os da Região do Douro, com o destaque do valor que os apreciadores sabem, possuir. O surgimento no mercado do Vinho produzido em terras da Costa Alentejana, pergunto: Para que mercados está vocacionado e o que será feito para a sua presença nesses mercados? Considerando o vinho, associado à gastronomia, um fator relevante para o Turismo, também na Costa Alentejana, naturalmente que esta Entidade está empenhada em ajudar a promover o vinho não apenas a nível interno mas também nos mercados de origem de turistas que consideramos estratégicos para a Costa

Alentejana, como é o caso do Reino Unido, da Suécia/ Escandinávia e da Alemanha. Mas claro que os produtores têm a sua própria estratégia de comercialização e estamos certos de que, com estas iniciativas acentuarão ainda mais as ações com vista à exportação do seu vinho que, reconhecidamente, atingiu já uma qualidade que lhes permite estar em qualquer mercado. Litoral Alentejano - As Entidades Regionais de Turismo, que como sabemos foram consideradas extintas pelo atual Governo, a sua extinção poderá por em causa a continuação de projetos desta e de outra natureza? As Entidades Regionais de Turismo ainda não foram extintas, pois está ainda em curso o processo preparatório de legislação que há-de conduzir a uma alteração profunda, como tem sido divulgado na comunicação social. Contudo, e quando as iniciativas e os projetos têm qualidade e interesse, como é o caso, para a afirmação e desenvolvimento desta região, certamente serão encontradas soluções para que projetos desta ou de outra natureza possam ter continuidade.


www.jornallitoralalentejano.com

03

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina

Barco encalhado há 16 anos continua por remover da praia Uma embarcação com mais de 20 metros, naufragada há 16 anos, continua à espera de ser removida de uma praia junto a Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira, onde se cruzam as jurisdições das autarquias locais, da Capitania do Porto de Sines, do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina e ainda da recentemente extinta Administração Regional Hidrográfica do Alentejo.

para resolver “em breve” a situação. “A vontade existe”, garantiu, falando também nas “dificuldades de acesso” ao local e na necessidade de evitar maiores “prejuízos ambientais”, acautelando a segurança das dunas. O jornal Litoral Alentejano procurou ainda, sem sucesso até ao fecho desta edição, esclarecimentos sobre o assunto junto do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, bem como da Agência Portuguesa do Ambiente (organismo no qual foi integrada a extinta Administração Regional Hidrográfica do Alentejo).

Ângela Nobre a.v.nobre@gmail.com Foi num dia de “mau tempo”, em Dezembro de 1996, segundo recordou o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova de Milfontes, Jorge Gabriel, que o rebocador holandês “Klemens”, terá batido numa rocha, tendo a tripulação sido resgatada e a embarcação acabado por ser arrastada pela força do mar até à praia do Soldado, onde ainda permanece.

cação nunca se chegou a um consenso relativamente à forma de retirá-la do local que, embora não seja classificado como zona balnear, é frequentado por banhistas, além de fazer parte do território do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina. A falta de consenso, alegam os autarcas locais e o atual Capitão do Porto de Sines, reside sobre o eventual

tão do Porto de Sines e com um armador que estava disponível para tirar de lá o barco”, disse, lembrando que, “o Parque Natural deu parecer negativo, porque o processo de desmantelamento obrigava a descer o equipamento pela duna”. Mas também não terá sido apresentada mais nenhuma alternativa à operação proposta.

Hoje, a embarcação “convive” com banhistas, pescadores e curiosos, sendo também escolhida como alvo de objetivas por fotógrafos e tendo mesmo já servido de “cenário” para um anúncio publicitário. Em 16 anos, o barco rebocador tem-se vindo a degradar a olhos vistos, estando completamente enferrujado, além de se ter vindo a desfazer, por estar exposto aos elementos naturais e à força das ondas. Entre as várias entidades com jurisdição na área onde ficou “instalada” a embar-

impacto nas dunas protegidas que teriam as máquinas necessárias ao desmantelamento e recolha da embarcação. “A verdade é que nós, há cerca de seis anos fizemos uma proposta”, começou por explicar o presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, à data vereador do Ambiente, assegurando que na altura a autarquia estava disponível para “assumir os custos da operação”. “Estive no local com o então presidente da Junta de Freguesia, com o Capi-

E o barco lá ficou. Hoje, a “única solução” contemplada pela autarquia passa sempre “pelo desmantelamento do rebocador”, tendo mesmo sido proposto, no âmbito da elaboração do Polis Litoral Sudoeste, “essa intervenção”, que acabou “por não ser considerada”. Embora reconheça que a situação revela “alguma inatividade das entidades” envolvidas, José Alberto Guerreiro não considera que represente um “problema ambiental”. “Obviamente que o facto

de estar ali encalhado não representa nenhum problema ambiental, mas a questão é que, ano após ano, tem um mau aspeto cada vez maior, está muito enferrujado, e embora esteja numa zona onde não interfere com as zonas balneares, não é seguramente uma boa demonstração de cuidado sobre a nossa costa”, disse, não perspetivando contudo uma solução para breve. Apesar disso, o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova de Milfontes, Jorge Gabriel, garante ter havido já uma proposta recente de um sucateiro que se terá disponibilizado para “retirar os destroços a custo zero”. Mas isso volta a lançar “dúvidas” porque o processo é o mesmo. “Isto implica cortar este monstro aos bocados e transportá-lo para cima, o que é um bocado difícil”, considera. “Em termos económicos, o interesse praticamente agora não é nenhum, porque já nem para a sucata serve, tirando o motor, que não sei como é que está, e a hélice e possivelmente chumbo que eventualmente poderá haver no convés”, disse. “Não se sabe se o valor será suficiente para compensar os custos da operação”, argumentou, considerando também necessária a avaliação, em termos ambientais, entre o impacto de deixar o barco no local e a sua retirada. Sem adiantar mais detalhes, o Capitão do Porto de Sines, Rui Arrifana Horta, assegurou apenas que as “várias entidades envolvidas no processo” estão a procurar uma “solução consensual”

De naufrágio, a hasta pública, a resíduo sólido urbano O “Klemens”, um rebocador holandês, encalhou em Dezembro de 1996 na costa da norte de Vila Nova de Milfontes, entre a zona das Pedras do Patacho e a praia do Soldado, para onde acabou por ser “empurrado” pela força do mar, para lá ficar depositado até hoje. A bordo estavam três tripulantes de nacionalidade holandesa, que foram resgatados pelas autoridades marítimas, recorda o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova de Milfontes, Jorge Gabriel. “Os tripulantes estiveram uns dias em Sines e depois devolveram-lhes a documentação, porque não havia nenhum crime”, disse, explicando que “as autoridades nunca conseguiram concluir o processo”, nem “nunca houve reclamação do proprietário do navio”. O processo, a partir de então, foi conduzido pela Delegação Aduaneira de Sines (Alfândega de Setúbal), que recolheu os bens, materiais e combustíveis que estavam no interior da embarcação, cujo trajeto, destino e finalidade se desconhecia. Sob a “alçada” da Delegação Aduaneira de Sines, embarcação e bens foram posteriormente, em 1997 e em 1999, submetidos a hasta pública, sem sucesso. Assim, em 2003, e feita uma reavaliação do pro- Em 1999 o Klemens cesso, a Alfândega de estava assim... Setúbal decide, tendo em conta os custos dos procedimentos inerentes ao lançamento de nova hasta pública e a degradações dos bens, passando a classificar a embarcação de “Resíduo Sólido Urbano”, atribuindo dessa forma a responsabilidade de lidar com a remoção dos destroços para a Câmara Municipal de Odemira. “Essa responsabilidade tentou ser passada para a Câmara, mas sempre recusámos”, disse o presidente da autarquia, José Alberto Guerreiro. “Isto porque aquele não é seguramente um lixo urbano como nos quiseram fazer crer”, asseverou. Mais nove anos passaram e o “Klemens” continua, cada vez mais degradado, no mesmo sítio onde o mar o deixou há dezasseis anos.


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

04

www.jornallitoralalentejano.com

Crónicas de Lisboa CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA EDITAL143 PUBLICIDADE DAS DELIBERAÇÕES Carlos Vicente Morais Beato, Presidente da Câmara Municipal de Grândola, no uso da competência que lhe confere a alínea v) do nº 1 do artº 68º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro na redacção que lhe foi dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, torna público que em reunião ordinária, não pública, de 20 de Setembro de 2012 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: Proposta – Apoio ao nível de transporte escolar da aluna Patrícia Régio Nobre da EB1 de Lousal: Deliberado, por unanimidade, aprovar o apoio ao nível de transporte escolar da aluna Patrícia Régio Nobre da EB1 de Lousal, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Normas de funcionamento do serviço Grândola Solidária: Deliberado, por unanimidade, aprovar as Normas de Funcionamento do Serviço Grândola/Solidária, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Minuta de contrato da empreitada de Requalificação Urbanística da Entrada Poente de Grândola e Reconstrução / Ampliação do Cine - Teatro Grandolense /SMFOG – Música Velha – alterações – adicional – suprimento de erros e omissões: Deliberado, por maioria, com duas abstenções, por parte dos Vereadores da CDU, aprovar a minuta do contrato da empreitada de Requalificação Urbanística da Entrada Poente de Grândola e Reconstrução/Ampliação do Cine-Teatro Grandolense/SMFOG – Música Velha – alterações – adicional – suprimento de erros e omissões, de acordo com a Proposta dos Serviço; Proposta – Suspensão parcial dos trabalhos da empreitada dos Arranjos Exteriores da Igreja Matriz e Requalificação do Mercado Municipal de Grândola: Deliberado, por maioria, com dois votos contra por parte dos Vereadores da CDU, aprovar a suspensão parcial dos trabalhos da empreitada dos Arranjos Exteriores da Igreja Matriz e Requalificação do Mercado Municipal de Grândola, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Revogação da deliberação da Câmara Municipal de 9 de Abril de 2009, referente ao contrato sobre operações urbanísticas e áreas de cedência referentes às UNOP 6, 7, 8 e 9 de Troia: Deliberado, por unanimidade, aprovar a revogação da deliberação da Câmara Municipal de 9 de Abril de 2009, referente ao contrato sobre operações urbanísticas e áreas de cedência referentes às UNOP 6, 7, 8 e 9 de Tróia e submeter a mesma a apreciação e eventual aprovação da Assembleia Municipal, de acordo com a proposta dos serviços; Proposta – Minuta de contrato referente às operações urbanísticas e áreas de cedência relativas às UNOP 6, 7, 8 e 9 de Troia e respetivos anexos: Deliberado, por maioria, com dois votos contra por parte dos Vereadores da CDU, aprovar a minuta do contrato referente às operações urbanísticas e áreas de cedência relativas às UNOP 6, 7, 8 e 9 de Tróia e respetivos anexos e submeter a mesma a apreciação e eventual aprovação da Assembleia Municipal, de acordo com a Proposta dos Serviços. Para constar se lavrou este e outros de igual teor os quais vão ser afixados nos locais públicos do costume. Paços do Concelho de Grândola, 25 de Setembro de 2012. O Presidente da Câmara, Carlos Beato

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA EDITAL149 PUBLICIDADE DAS DELIBERAÇÕES Carlos Vicente Morais Beato, Presidente da Câmara Municipal de Grândola, no uso da competência que lhe confere a alínea v) do nº 1 do artº 68º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro na redacção que lhe foi dada pela Lei 5-A/2002 de 11 de Janeiro, torna público que em reunião ordinária, pública, de 04 de Outubro de 2012 foram tomadas as seguintes deliberações com eficácia externa: Proposta – Atribuição de subsídio à Associação “Os Malteses”: Deliberado, por unanimidade, atribuir um subsídio, no montante de 400€ (quatrocentos euros) à Associação “Os Malteses”, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Atribuição de subsídio à Comissão de Festas de Nossa Senhora do Rosário de Troia: Deliberado, por unanimidade, atribuir um subsídio, no montante de 250€ (duzentos e cinquenta euros) à Comissão de Festas de Nossa Senhora do Rosário de Tróia, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Atribuição de subsídio à Junta de Freguesia de Melides: Deliberado, por unanimidade, atribuir um subsídio no montante de 2.272,34€ (dois mil duzentos e setenta e dois euros e trinta e quatro cêntimos) à Junta de Freguesia de Melides, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Rede de informação Turística do Alentejo – Mesas interativas: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Rede de Informação Turística do Alentejo – Mesas Interativas, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Aquisição do lote 44 do loteamento C1 – Carvalhal por Herdeiros de Bernardino Felício: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Aquisição do Lote 44 do Loteamento C1 – Carvalhal por Herdeiros de Bernardino Felício, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Cancelamento do ónus de inalienabilidade, por negócio entre vivos, que incide sobre o lote 18 do loteamento L1, Lagoas requerido por Helena Maria Reis Silva: Deliberado, por unanimidade, aprovar o Cancelamento do ónus de inalienabilidade, por negócio entre vivos, que incide sobre o lote 18 do loteamento L1, Lagoas requerido por Helena Maria Reis Silva, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Revogação da deliberação de 23 de Agosto de 2012, relativamente ao pedido de Hélder Pereira Parreira, referente ao cancelamento do ónus de inalienabilidade: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Revogação da deliberação de 23 de Agosto de 2012, relativamente ao pedido de Hélder Pereira Parreira, referente ao cancelamento do ónus de inalienabilidade, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Pedido de cancelamento do ónus de inalienabilidade, requerido por Hélder Pereira Parreira: Deliberado, por unanimidade, aprovar o Pedido de cancelamento do ónus de inalienabilidade requerido por Hélder Pereira Parreira, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Pedido de cancelamento do ónus de inalienabilidade, requerido por Maria do Céu Matias Parreira: Deliberado, por unanimidade, aprovar o Pedido de cancelamento do ónus de inalienabilidade requerido por Maria do Céu Matias Parreira, de acordo com a Proposta dos Serviços; Proposta – Emissão de licença de utilização do recinto do Polivalente Descoberto de Azinheira dos Barros: Deliberado, por unanimidade, aprovar a Emissão de licença de utilização do Recinto do Polivalente Descoberto de Azinheira dos Barros, de acordo com a Proposta dos Serviços. Para constar se lavrou este e outros de igual teor os quais vão ser afixados nos locais públicos do costume. Paços do Concelho de Grândola, 09 de Outubro de 2012. O Presidente da Câmara, Carlos Beato

Cristiano Ronaldo, o nosso orgulho? Acedi ao canal de TV do Real Madrid e pude, desse modo, ver um resumo alargado do jogo entre o Ajax vs Real Madrid para a a segunda jornada da “Champions League”. Nesse jogo, o jogador português marcou três dos quatro golos com que os madrilenos bateram os holandeses de Amesterdan. Alem disso, o nosso craque fez uma exibição “à Ronaldo”, daquelas que, infelizmente, não consegue fazer quando actua pela equipa nacional portuguesa, não por falta de empenho seu, porque Ronaldo é também nesse aspecto um “fora de série”, (aliás, a sua história de vida sócioprofissional é um exemplo para muita gente mesmo fora do contexto desportivo) mas porque dos restantes dez jogadores que com ele fazem equipa, poucos são os que estão ao nível dos “dez” habituais da equipa ultra milionária do Real Madrid. Custa a entender isso? Só os fanáticos, que acreditam que se podem fazer omeletas sem ovos, não vêem que a selecção portuguesa vive de três ou quatro jogadores acima da média e os restantes são fracos. Os adeptos portugueses e os dirigentes e treinadores, esperam sempre que Ronaldo “carregue” uma selecção ou mesmo um país onde o futebol vive em constantes trocas de palavras azedas, insinuação de suspeições que visam influenciar os árbitros, para disfarçarem os erros de outros agentes do futebol. Paradoxalmente e nesta semana, a equipa nacional está classificada em 3º lugar da FIFA (só a Espanha e a Alemanha estão à frente dessa classificação – incoerências estatísticas) e os clubes portugueses estão no 5º lugar do “ranking” das provas da UEFA, classificação essa obtida através dos quatro “grandes”, maioritariamente servido por jogadores estrangeiros. Aquelas classificações não são fruto da “qualidade do nosso futebol”, mas sim graças à conjugação dum conjunto de factos excepcionais e que vão permitindo que o futebol portu-

guês vá disfarçando todos os seus males, apesar dos dirigentes continuarem a “assobiar para o lado” e terem a ousadia de dizer que o futebol português “ainda é das poucas coisas de sucesso internacional que o nosso país tem”, na qual alguns jornalistas também “embandeiram em arco”, só porque o FCP e o SLB vão fazendo negócios chorudos com os “homens das arábias ou do gas”, gente rica que desatou a comprar alguns dos grandes clubes europeus. Apesar desses encaixes financeiros, os nossos clubes continuam na “linha vermelha” do endividamento e da insolvência. Com estádios vazios, na maioria dos jogos do nosso campeonato, como pode o futebol português ser sustentável? Contudo, nem a crise que o país atravessa parece afectá-lo! Quando Cristiano Ronaldo “arrumar as botas”, a selecção nacional virá em queda livre no “ranking” da FIFA, porque a política desportiva em torno do futebol jovem português é uma mentira. Veja-se o número insignificante de jogadores portugueses que actuam nos nossos clubes “grandes”, este ano com o Braga a destoar da sua política do passado recente e a ser a “mais portuguesa” equipa dos quatro grandes. Com esta política, não admira que o seleccionador Paulo Bento tenha enormes dificuldades em escolher o número de jogadores com algum nível para jogarem na equipa nacional. Basta estar atento aos reservistas ou rejeitados pelos principais clubes portugueses, que ele tem que convocar. Elucidativo. No final da carreira de Ronaldo, o futebol português ficará órfão dum jogador que muitos consideram o melhor do mundo na actualidade, apesar da rivalidade que trava com o argentino Messi, ou não actuassem ambos em dois dos maiores clubes do mundo e rivais numa das mais competitivas ligas de futebol profissional. Confesso que me comovi com as palavras que os comentadores da Real TV iam fazendo acerca

da exibição de Cristiano Ronaldo no citado jogo contra o Ajax e que, sublinhavam “o melhor jogador do mundo” e, muito importante, várias vezes mencionavam “o português”.

Serafim Marques*

Estes elogios e referências vindas de Espanha, tão “chauvinistas” que costumam ser, ainda mais orgulho nos dá. Ronaldo e Mourinho são “réis em Madrid”, mas cujo protagonismo e fama a imprensa e a televisão espalham por esse mundo fora e isso é uma das melhores propagandas que Portugal pode ter  além-fronteiras. Perguntem a um empresário português ou a um turista nacional o que ouvem quando, num qualquer país longínquo que seja, mencionam Portugal! Mas a nossa “orfandade” futebolistica, isto é, a falta de candidatos (ídolos) para sucederem ao nosso “rei” (lembremos-nos que Ronaldo sucedeu a Luís Figo, sem interregno), é uma ameaça e a culpa é todos aqueles que privilegiam jogadores estrangeiros, muitos deles de qualidade duvidosa e que, adeptos “tudo comem”, mas que noutras actividades já teriam feito protestos públicos contra esta política desportiva, em geral, e do futebol, em particular. Basta. *Economista


www.jornallitoralalentejano.com

05

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Barragem de Santa Clara como “recurso para projetar território”

Odemira procura estratégia para desenvolver interior A criação de uma estratégia concertada entre empresários locais, autarquias e outras instituições públicas para desenvolver o interior do concelho, potenciando os recursos já existentes, está na mira da Câmara Municipal de Odemira, que, com esse propósito, tem vindo a promover sessões de debate entre várias entidades. Ângela Nobre a.v.nobre@gmail.com A zona envolvente da barragem de Santa Clara, no interior do concelho, “é provavelmente o espaço do território que mais recursos tem”, considera o vice-presidente da Câmara, Hélder Guerreiro, que tem também sob a sua alçada o pelouro do turismo. “O próprio espelho de água funciona como um recurso importante que é capaz de projetar o desenvolvimento do território”, acrescentou o autarca, em declarações ao Litoral Alentejano, após uma sessão que reuniu na Pousada de Santa Clara técnicos da autarquia e de entidades como a CCDR-Alentejo (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional), o ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das

Florestas), a APA (Agência Portuguesa do Ambiente), a CP e ainda associações desportivas e empresários do sector turístico. Mas, continuou, “para isso, é preciso realmente infraestruturar o espaço e criar condições para que as pes-

soas usem a barragem em pleno”. “É nesse sentido que estamos a convocar as pessoas e as entidades, para, em conjunto, encontrarmos as necessidades, as soluções e as pistas para o desenvolvimento deste território”, explicou, lembrando que a barragem de Santa Clara está situada a meia hora de Albufeira, no Algarve, e a duas horas de Lisboa.

ticos, conciliadas com equipamentos de lazer, restauração, alojamento e transporte adequados é uma das maiores necessidades apontadas pelos vários participantes na sessão.

feito pela “iniciativa privada”, sublinhou o autarca. O grande objetivo, para já, fez questão ainda de salientar, é “criar uma estratégia de desenvolvimento para o interior”, no sentido de

jamento, restauração e de animação. “Não é possível levar as coisas para além do nosso umbigo, se não fizermos o trabalho em rede”, disse, durante a sessão. “Aqui no concelho de Odemira existe o melhor exemplo de trabalho em rede que são as Casas Brancas, que deu muito trabalho a fazer,

mas neste momento não há nenhuma experiência no Alentejo e se calhar no país, em que várias unidades de pequena dimensão de vária natureza, com a cumplicidade dos poderes públicos, levaram isto para a frente”, argumentou. “O segredo para Odemira é não ter a ideia para as ‘mega coisas’ e trabalhar em rede”, insistiu.

Município “apresentou” projetos turísticos em Santa Clara

Investimento deve ser feito por privados A criação de condições para promover atividades, como a prática de desportos náu-

A falta de mais e melhores infraestruturas na região, bem como, por exemplo, a criação de uma zona balnear da barragem de Santa Clara, foram alguns dos pontos sugeridos durante a sessão, que decorreu no Dia Mundial do Turismo, assinalado a 27 de Setembro. “Essa é uma questão que agora temos que trabalhar com os outros implicados no processo, nomeadamente a APA e a própria CCDR-Alentejo, no sentido de se implementar essas infraestruturas que estão já previstas no Plano de Ordenamento da Albufeira de Santa Clara”, reconheceu Hélder Guerreiro, comprometendo-se a “intensificar esforços” para que “seja de facto executado”. Contudo, pese embora a necessidade do “sector público garantir condições”, o investimento de ser

“redinamizar a zona em volta da barragem”. “A metodologia tem que ser participativa para criar um documento estratégico exequível”, considera, justificando a promoção de várias sessões de debate ao longo do próximo ano.

Trabalho em rede “é essencial”, defende vice-presidente do Turismo do Alentejo Para desenvolver a região e ultrapassar a crise, o vicepresidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, Vítor Silva, defender ser essencial o trabalho em rede, exemplificando até com as parcerias já desenvolvidas no processo de criação da Associação Casas Brancas, que une numa estratégia comum vários “pequenos projetos” turísticos de alo-

O Dia Mundial de Turismo deu o mote para um dia passado na zona de Santa Clara-a-Velha, no interior do concelho de Odemira, a convite do município, que levou empresários do sector e jornalistas a conhecer alguns projetos turísticos implementados nos últimos anos. O dia começou com uma visita à Herdade do Azinhal, um turismo rural instalado numa encostam junto à aldeia de Santa Clara-a-Velha, que tem vindo a recuperar, desde 2006, edifícios outrora degradados e desabitados que remontam, em alguns casos, ao século XIX. Com cerca de 120 hectares de montado, a Herdade do Azinhal recuperou seis casas em adobe e pedra, mantendo a telha e a traça tradicionais. Já na barragem de Santa Clara, a poucos quilómetros da aldeia, a empresa Moura Encantada, num barco ecológico movido a energia solar, convidou a passear tranquilamente pelas águas calmas da albufeira. O projeto, que iniciou atividade há três anos, é apresentado como uma das iniciativas estruturantes para a região, que culminará na abertura de um hotel em 2013. Do passeio, os participantes passaram, à tarde, ao debate sobre “Barragem de Santa Clara, que futuro para o interior?”, que decorreu na Pousada de Santa Clara.


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

06

www.jornallitoralalentejano.com

Conversão da urbanização de Soltróia em condomínio privado

“Os Verdes” questionam “eventual destruição de dunas” O deputado José Luís Ferreira, do Partido Ecologista ‘Os Verdes’, questionou na semana passada o Governo, através da Assembleia da República, a propósito da “eventual destruição de dunas em Tróia”, devido à construção de “um novo acesso à praia”, no caso de ser criado um condomínio de acesso e uso privado na zona urbanizada de Soltróia. Ângela Nobre a.v.nobre@gmail.com Na pergunta dirigida ao Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, o deputado ecologista questiona o acompanhamento que está a ser feito pelo Governo relativamente à alegada intenção do Grupo Sonae, detentor da Soltróia, da Associação de Moradores da zona urbanizada de Soltróia e da Câmara Municipal de Grândola para tornar aquela zona “num condomínio de acesso e uso privado”. “A concretizar-se esta privatização do espaço público, os cidadãos ficam

sem acesso à praia Atlântica”, alerta o deputado no documento entregue na Assembleia da República. Segundo as “informações” que terão chegado ao partido, “para resolver o acesso à praia está a ser planeada uma solução que prevê a criação de um novo acesso, para veículos e pessoas, pela zona de dunas, zona essa protegida”. “Se esta pretensão se tornar realidade estamos perante um atentado a um ecossistema complexo e sensível, que é o cordão de dunas primárias, que alberga uma fauna e uma

flora que tem que ser preservada”, argumenta José Luís Ferreira.

“Está a pôr-se o carro à frente dos bois”, diz Carlos Beato Embora admita que a “aspiração” da Soltróia de criar um condomínio privado “existe”, o presidente da Câmara de Grândola, Carlos Beato, considera que a situação exposta pelo eleito do Partido Ecologista ‘Os Verdes’ “não é questão nenhuma”.

“Essa questão não é questão nenhuma”, disse o autarca, quando contactado pelo Litoral Alentejano, assegurando que “ainda não entrou nenhum pedido na Câmara” no sentido de criar “um condomínio privado”. “A Soltróia, nos termos da lei, tem direito a requerer para aquele espaço o estatuto de condomínio privado, eles estão a dar passos no sentido de o requererem e esse assunto terá que passar pela Câmara Municipal de Grândola”, expli-

cou Carlos Beato. “É um direito, mas não quer dizer que lhes será concedido”, acrescentou, frisando que “o presidente da Câmara tem é que acautelar o interesse público”. “Isso é que se vai

ver, se for posto em causa, não contem comigo”, asseverou. Relativamente ao acesso alternativo à praia, “o processo terá que passar pelas várias entidades, pela autarquia, pela CCDR e pelo ICNF”, sublinhou. “Já se está a por o carro à frente dos bois”, criticou, considerando que é “no momento próprio que as entidades se têm que pronunciar”, apesar de confirmar “que de facto há essa aspiração da Soltróia”.

Câmara de Odemira reduz impostos municipais para 2013 A Câmara Municipal de Odemira deliberou pela redução de taxas de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e Derrama a aplicar em 2013. A deliberação foi tomada na reunião ordinária de 20 de setembro e aprovada pela Assembleia Municipal em 28 de setembro. O executivo da Câmara Municipal de Odemira entende que “deve também o município dar um sinal de solidariedade e esperança à população, numa época de grandes dificuldades económicas para as famílias do concelho, sem comprometer, no entanto, a gestão equilibrada da autarquia”. Apesar do Orçamento de Estado para 2012 estabelecer novos limites mínimos e máximos para as taxas de IMI em 2013, visando o aumento das receitas dos municípios, o executivo da Câmara Municipal de Odemira optou pela redução de impostos. O Orçamento do Estado para 2012 prevê que os municípios possam cobrar, para os prédios avaliados nos termos da alínea c) do

n.º 1 do art.º 112 do CIMI (Código do Imposto Municipal sobre Imóveis), o IMI até ao máximo de 0,5%, tendo Odemira optado por fixar a taxa em 0,35%,

número próximo do mínimo estipulado (0,3%) e inferior 0,05% ao que o Município cobrou no ano transato (correspondendo a uma redução de 12,5%), mantendo-se para 2012 em 0,70% para os prédios ainda não avaliados. Por outro lado, as pequenas empresas e os empresários em nome individual, com sede na área do Município de Odemira e cujo volume de negócios em 2012 não

exceda os 150 mil euros, não vão pagar Derrama em 2013. Os sujeitos passivos com um volume de negócios superior a 150 mil euros apenas estarão sujeitos a

uma taxa de Derrama de 1% em 2013 (abaixo do limite máximo legal de 1,5%) sobre o lucro tributável sujeito e não isento de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC). Segundo a Câmara Municipal “a redução de impostos foi tomada após cuidada análise e ponderação de uma série de condicionantes favoráveis e desfavoráveis a esta medida. Com

efeito, a atual conjuntura económica exerce um óbvio impacto na diminuição das receitas do município, agravado pelo constante aumento da despesa, resultante do aumento generalizado do custo dos bens e serviços adquiridos pela edilidade. Importa ainda ter em conta os constrangimentos causados pela Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso, que exige à Câmara Municipal a manutenção de uma elevada disponibilidade financeira para fazer face a compromissos existentes, bem como a novos compromissos decorrentes de candidaturas em curso e em fase de aprovação para a realização de obras”. Considerou-se igualmente, nesta deliberação, a morosidade do processo de Avaliação Geral de Prédios Urbanos em curso, prevendo-se que, no caso concreto do Município do Odemira, o número de prédios reavaliados até final do ano seja pouco significativo no universo total de prédios a avaliar, exercendo, por isso,

pouco impacto na receita de IMI. Foi tida também em conta a retenção, por parte do Estado, de 5% do valor total da receita do Município com o IMI, com reflexo já no presente ano económico e de previsível aplicação no próximo ano. Outro aspeto considerado foi o facto de estar prevista uma cláusula geral de salvaguarda relativa à coleta

de 2012 e 2013 (a pagar em 2013 e 2014, respetivamente), aplicável aos prédios urbanos objeto da avaliação geral. Na prática, essa cláusula determina que o aumento anual do IMI não poderá exceder, em cada um desses anos, o valor de 75 euros, ou um terço da diferença entre o IMI resultante da avaliação geral e o IMI devido em 2011.

Lusco-Fusco Lá por Lá por gostares de lírios do campo, não desgostas de rosas. Lá por gostares do Mar, não olvidas bosques e montanhas. Lá por gostares da Lua, não deixas de sorrir ao Sol. Lá por nos falarem do Além, é aqui na Terra, no nosso país, no nosso torrão, na nossa Casa, na nossa Rua...que Tudo se congrega...

Verissimo Dias


www.jornallitoralalentejano.com

07

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Município de Sines apresenta pedido de adesão ao PAEL (Programa de Apoio à Economia Local) A Assembleia Municipal de Sines aprovou, em sessão realizada no dia 3 de outubro, o pedido de adesão do Município de Sines ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), incluindo os respetivos pedido de autorização para contratação de empréstimo e Plano de Ajustamento Financeiro. O órgão deliberativo do município aprovou o pedido de adesão ao PAEL por maioria, com votos a favor do SIM e do PS, votos contra da CDU e abstenção do PSD. A proposta de adesão tinha sido aprovada pela Câmara Municipal no dia 28 de setembro, com votos a favor do SIM e abstenções do PS e da CDU. O PAEL, aprovado pela Lei n.º 43/2012, de 28 de agosto, traduz-se na possibilidade de os municípios, mediante o preenchimento de um conjunto de requisitos, obterem um empréstimo de médio e longo prazo para fazer face a dívidas a fornecedores vencidas (dívidas com mais de 90 dias, consideradas pagamentos em atraso) até 31 de dezembro de 2011. O montante do empréstimo pedido pelo município de Sines é de 4 milhões 149 mil e 261 euros, o que corresponde a 90 por cento da dívida da autarquia registada até 31 de dezembro de 2011. A ser aprovado o pedido de adesão, o financiamento concedido poderá ter este montante máximo de 90%, um montante mínimo de 50% ou, caso a verba total de mil milhões alocada ao PAEL no Orçamento Geral do Estado não seja suficiente para financiar todos os municípios aderentes, ser sujeito a rateio. O PAEL divide-se em dois programas: Programa I, para autarquias em situação de desequilíbrio financeiro estrutural, isto é, que não se prevê terem condições para o pagamento das dívidas sem este empréstimo; Programa II, que abrange outras autarquias, como a de Sines, que têm condições para resolver os problemas financeiros com medidas de redução das despesas e de melhoria das receitas. Com efeito, o município de Sines, como todos os municípios que se candidatam ao Programa II do PAEL, apresenta um conjunto de

medidas com vista ao restabelecimento da sua situação financeira. Este Plano de Ajustamento Financeiro está sujeito a objetivos e compromissos assumidos pela Câmara, como a redução e racionalização da despesa corrente e de capital, a existência de regulamentos de controlo interno, a otimização da receita própria e a intensificação do ajustamento municipal nos primeiros cinco anos (2013-2017) dos catorze anos de vigência do PAEL (2013-2026). O Plano de Ajustamento Financeiro apresentado pelo município de Sines integra o esforço efetuado e que continua a ser desenvolvido pela Câmara na redução de custos em áreas como a aquisição de bens e serviços e o pessoal. Contempla poupanças resultantes de investimentos municipais realizados e a realizar (ex. reformulação da iluminação pública da cidade, autonomia do abastecimento de água à população a partir de captações municipais e construção de ETAR municipal, entre outros), com os objetivos de aumentar as receitas, reduzir as despesas e manter serviços eficientes à população, às coletividades e instituições de solidariedade social. A Assembleia Municipal, a Direção-Geral das Autarquias Locais e a InspeçãoGeral de Finanças (IGF) acompanham a realização e o cumprimento deste programa.

O que diz Manuel Coelho, sobre o pedido de adesão “Como o presidente da Câmara esclareceu nas reuniões com o executivo da Câmara e na Assembleia Municipal (onde foram apresentados, discutidos e aprovados estes documentos para candidatura e pedido de adesão ao programa), a situ-

ação financeira atual desta câmara resulta fundamentalmente de três fatores: 1.º A grave crise financeira, económica e social do nosso país, provocada pelo grande capital financeiro e por políticas erradas dos últimos governos. Esta crise teve consequências graves nas nossas finanças, com redução de receitas do governo e da derrama e a impossibilidade de realizar receitas em venda de património improdutivo para pagar obras de

3.º A interrupção da aprovação de candidaturas e de pagamentos de mais de 8 meses de obras já realizadas, com custos acrescidos para a autarquia. No entanto, este executivo já tinha iniciado um plano com medidas de contenção de despesas, melhoria de receitas e racionalização e otimização da gestão, para uma gestão eficiente que assegura uma governação com soluções para uma situação financeira saudável e a

grande valor e interesse – construção de escolas, equipamentos para os desportos, qualificação de estradas, ruas e centro histórico, entre outros; 2.º O volume de investimentos concretizados e em curso – para cuja realização fomos incentivados com a promessa de um apoio garantido em empréstimos a longo prazo e com juros bonificados. Com a mudança de governo, esse empréstimo não se realizou e tivemos que fazer face a esta situação com sacrifícios acrescidos e com o agravamento das dificuldades;

capacidade para continuar a fazer investimentos para desenvolvimento do concelho, valorização e qualificação da cidade de Sines e Porto Covo, de modo a torná-los atrativos a novos investimentos económicos, à criação de emprego e à qualidade de vida da população. E já temos resultados que atestam essas políticas: 1 – Entre 2009 e 2012 realizaram-se investimentos em obras num valor superior a 23 milhões de euros, dos quais 18 milhões com encargos para a Câmara de cerca

de 6 milhões, sem aumento global da dívida relativamente aos últimos quatro anos. Neste período, com contenção de despesas e melhoria na gestão, a Câmara reduziu a dívida aos bancos em mais de 4 milhões e 500 mil euros. 2 – Nesta data temos boas escolas, acessibilidades, rodovias qualificadas (estrada de Porto Covo, vias de entrada e circular norte, com características de vias urbanas e panorâmicas), o centro histórico requalificado, novos pavilhões para os desportos e obras da nova avenida da praia em curso e a ser pagas. Com estes investimentos (alguns dos quais para reduzir despesas a curto prazo, como são os casos da água e energia elétrica), com o empréstimo que esperamos conseguir, com novas receitas de curto prazo e com um plano de poupanças e otimização de receitas e gestão financeira, conseguiremos inverter a situação de dívida e continuar a fazer os investimentos necessários ao desenvolvimento de Sines. Esperamos a compreensão e confiança do povo de Sines, assim como a cooperação das forças da oposição com propostas, sugestões e o sentido de responsabilidade para se conseguirem melhorar os níveis de governação e a reivindicação perante o poder central para que cumpra os seus deveres e obrigações no desenvolvimento de Sines. Apesar deste gravíssimo quadro de crise e incertezas sobre as soluções para o

nosso país, estou confiante e com esperança num futuro de progresso para Sines.”

CDS vê candidatura da CM Sines ao PAEL como sinal de descontrolo O CDS reconhece a importância de honrar compromissos e pagamentos aos credores. Mas igualmente reconhece a candidatura da CM Sines ao PAEL, ao abrigo da Lei Nº43/2012, como um fracasso, porque é um programa que visa o pagamento de dívidas a fornecedores que venceram há mais de 90 dias. Não só mostra que o Executivo Municipal não consegue ter qualquer tipo de controlo nas contas camarárias, (visto a sua dívida aos fornecedores de 6 milhões para 8,82 milhões), bem como ira limitar futuramente as ações da Câmara em matéria de investimentos, porque o prazo deste financiamento é longo e o seu efeito condicionante. Queremos mais rigor, transparência e exigência e menos demagogia, populismo e futilidade por parte do executivo municipal, que é exclusivamente responsável pelo desastre financeiro em que se encontra a Câmara Municipal de Sines, com a cumplicidade do Partido Socialista, que durante muito tempo fechou os olhos, e agora vota favoravelmente a candidatura ao PAEL para salvar a face.


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

08

www.jornallitoralalentejano.com

“Estamos a fomentar o emprego jovem” A recessão da economia portuguesa, com o sufoco do tecido empresarial e o aumento do número de desempregados, preocupa o Delegado Regional do IEFP Alentejo, José Palma Rita que defende a necessidade dos jovens se adaptarem às necessidades do mercado de trabalho e aposta num conjunto de medidas ativas de emprego. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com Litoral Alentejano - Quais são os números do desemprego na região do Alentejo? José Palma Rita - No final de Setembro rondava os 32 mil desempregados. Entre trinta a 40 % acima dos números do ano passado, porque além de não haver criação de emprego, houve destruição de emprego no sector industrial e todas as perspetivas mostram que ainda não chegamos ao fundo. A forma de sairmos daqui

Litoral Alentejano - E qual o papel do IEFP tendo em conta essa necessidade de inverter a atual situação? Temos um conjunto de medidas ativas de emprego que estamos a adotar com vista à reativação do mercado de trabalho nesta fase. Uma delas tem a ver com a medida ‘Vida Ativa’ que procura ativar os desempregados que estão inscritos nos centros de desemprego e dar uma resposta em termos de formação profissional,

‘Impulso Jovem’, com um conjunto de incentivos dirigidos aos jovens entre os 18 e os 30 anos. Este programa, financia os custos, das empresas que contratem jovens, com a taxa social única e prevê o financiamento de jovens, através de bolsas dos estágios profissionais, em diversas áreas. As empresas que estabelecerem um contrato de trabalho sem termo com os jovens recebem um prémio de integração. Esta é mais uma tentativa de fomentar o emprego jovem uma vez que o desemprego nesta faixa etária está a crescer mais do que o restante. Também temos um incentivo que permite a acumulação de uma parte do subsídio de desemprego com o salário/oferta de emprego para estimular o regresso ao mercado de trabalho. Em toda a região, a parte mais dinâmica é sem dúvida o Litoral Alentejano que tem uma população mais jovem e com maior potencialidade para colocar as suas competências ao serviço do mercado, com um sector turístico muito forte, uma agricultura competitiva e o sector industrial em franca expansão, onde estas medidas têm maior probabilidade de ter resultados.

“A forma de sairmos daqui passa pela melhoria da competitividade da economia a nível europeu e mundial, por isso sofremos mais do que outros com este reajustamento” passa pela melhoria da competitividade da economia a nível europeu e mundial, por isso sofremos mais do que outros com este reajustamento. A perspetiva de que o crescimento da economia seja imediato não é pacifica porque a devolução dos montantes da Troika vai-se estender para lá de 2020 e vai comprometer uma componente grande do nosso produto interno. Esta recessão é longa e vamos ter dificuldade em criar emprego mas temos de refletir e procurar pequenos investimentos para criar mais emprego.

a partir de um determinado período de tempo em situação de desemprego, para que melhorem as suas competências e consequentemente a empregabilidade. Temos a medida ‘Estimulo’ que permite às empresas recorrer ao apoio à contratação, sendo que o IEFP financia uma parte do salário, aliviando os encargos da criação de postos de trabalho naquelas empresas que necessitem aumentar, temporária ou definitivamente, o número de trabalhadores. Estamos a apostar igualmente nas medidas do

Litoral Alentejano - O IEFP pretende fazer a junção dos Centros de Emprego de Alcácer do Sal e Sines com o Centro de Formação Profissional de Santiago do Cacém. Como é que vai funcionar? Os centros de emprego e de formação vão funcionar numa lógica mais integrada. No Litoral Alentejano, cada centro tem um diretor e isto dificulta o funcionamento destas estruturas, uma vez que os desempregados de Odemira são obrigados a deslocar-se ao centro de

emprego de Sines porque o de Alcácer do Sal tem um diretor diferente. A gestão das pessoas e das viaturas passará a ser feita apenas por um diretor do futuro centro de emprego e formação do Litoral Alentejano que ficará responsável por todas as unidades orgânicas que existem e que poderá coordenar de forma mais flexível os recursos humanos que estão em Alcácer do Sal para trabalharem em Ode-

mandos obterem a qualificação escolar equivalente ao ensino secundário, podendo progredir os seus estudos para os politécnicos ou universidades, mas ao mesmo

dizer que os alunos, a partir do 9º ano, podem optar pela via geral ou por um curso profissional mas que não será duplicado com o sistema de aprendizagem ou

tempo tem uma forte componente de formação tecnológica que é ministrada nos nossos centros de formação profissional. Tem ainda uma envolvente muito grande com as empresas, com uma carga de formação no posto de trabalho de 1500 horas distribuída por três anos. Este sistema tem resultado bastante bem e um estudo recente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto mostra que o sistema de aprendizagem melhora em 20 pontos percentuais as hipóteses de empregabilidade dos que o frequentam, relativamente a outras formações que possam fazer. Estamos a comparar, por exemplo, com as escolas profissionais que, na verdade, oferecem um conjunto de cursos que não têm uma ancoragem suficiente no mercado de trabalho.

então optam por um curso de aprendizagem que está concertado entre o IEFP e as Direções Regionais de Educação.

“Não está nas nossas perspetivas encerrar o centro de formação, antes pelo contrário uma vez que temos instruções para procurar um local para onde possamos deslocalizá-lo” mira, caso seja necessário. Vamos apostar numa lógica de maior integração do território e dos recursos. Os centros continuam a funcionar nos mesmos sítios e com as mesmas pessoas mas haverá uma gestão mais racional dos recursos. Litoral Alentejano - E dessa forma fica afastada a possibilidade do centro de formação profissional de Santiago do Cacém vir a encerrar? Não está nas nossas perspetivas encerrar o centro de formação, antes pelo contrário uma vez que temos instruções para procurar um local para onde possamos deslocalizá-lo e construir de raiz, entre santiago do Cacém e Vila Nova de Santo André, um centro de formação mais ajustado às necessidades da região, tendo em conta o volume de população. Mas, ao contrário do que foi perspetivado, neste momento podemos dizer precisamente o contrário, até porque a formação profissional é um instrumento decisivo no combate ao desemprego. Litoral Alentejano - O IEFP está a apostar nos cursos de aprendizagem. Quais são os objetivos? A aprendizagem foi um sistema de formação profissional que esteve desvalorizado nos últimos anos em benefício das Novas Oportunidades mas que permite aos for-

Litoral Alentejano - E qual é ponto da situação? Estamos a começar a assinar os acordos com o Ministério da Educação e foram estabelecidas parcerias para o sistema de aprendizagem que permite ao IEFP utilizar os professores das escolas secundárias na formação geral em vez de contratar novos formadores. A formação geral em vez de ser ministrada nos centros de formação vai passar a ser ministrada nas escolas onde estão os alunos. Isto quer

Litoral Alentejano - Como está a funcionar essa parceria? Está a funcionar bastante bem apesar das dificuldades iniciais. Houve alguma resistência por parte das escolas secundárias que não estavam habituadas a este tipo de parceria mas funcionou bem a partir da Direção Regional de Educação que assumiu de imediato a parceria e levou as escolas a desenvolverem o projeto. Este ano temos sete parcerias em Portalegre, Évora, Beja e Ponte-Sor e estamos convencidos que no próximo ano este número será maior. Não foi possível estabelecer parcerias no litoral alentejano por alguma falta de interesse das escolas secundárias mas estamos convencidos que vão acabar por verificar que têm vantagem em aproveitar este tipo de formação profissional, porque alargam a sua oferta interna e por outro lado permite-lhes ter uma maior noção do que é o mercado de trabalho com o qual o IEFP lida e uma oferta mais focalizada nas necessidades do mercado de trabalho beneficiando os índices de empregabilidade dos formandos.


15 de outubro/12 Ano III • n.º 68 •

Diretora Aliette Martins Diretor-adjunto Marcos Leonardo Editor Joaquim Bernardo

BTT: 1º edição do “Odemira Bike Race”

Valério Ferreira foi o grande vencedor da 1ª edição do Odemira Bike Race Realizou-se no último fim-desemana, dias 6 e 7 de Outubro, em Odemira, a 1º edição do Odemira Bike Race, prova de BTT com recurso ao uso de GPS, organizado pelo Clube BTT Odemira e em parceria com o Município de Odemira. A 1º etapa com 86 quilómetros, teve partida de Odemira e passagem por Luzianes Gare e Santa Clara a Velha, a chegada a Odemira foi ganha pelo atleta Hélio Ramos da Berg Cycles/ Hyunday/Altimetria, com o tempo de (3h28m,23s). A segunda etapa com 91 quilómetros, partiu de Odemira, teve passagem em São Luís, Vila Nova de Milfontes, Longueira, Almograve, Cabo Sardão e chegada à Zambujeira do Mar, foi ganha pelo atleta Valério Ferreira da equipa BTT Terras de Loulé/BPI com o tempo de (3h43m07s). A classificação geral consagrou Valério Ferreira da equipa BTT Terras de Loulé/BPI como grande vencedor, do Odemira Bike Race, tendo Hélio Ramos da Berg Cycles/Hyunday/Altimetria ficado em segundo lugar e Ricardo Felix do Grupo Desportivo de Santa Cruz/ Fbikes em terceiro lugar.

Houve ainda prémios para as metas volantes, na primeira etapa apoiada pela Junta de Freguesia de Santa Clara a Velha e na segunda etapa apoiada pela empresa Lusabikes, tendo sido ganhas pelos atletas Valério Ferreira e António Brissos, respectivamete, atletas da equipa BTT Terras de Loulé/BPI. De salientar ainda a presença em Odemira da recentemente consagrada

campeã nacional de maratonas em BTT, Celina Carpinteiro e da atleta Ivonne Ktraft do MBC Bochum, atleta olímpica pela Alemanha em Atenas 2004 e que tem no seu palmarés vitórias em grandes provas mundiais de BTT por etapas, e que ainda a semana passada ganhou o Brasil Ride em BTT. Participaram 45 atletas. O Concelho de Odemira é o maior de Portugal, possui uma rede de

caminhos públicos que ronda os dois mil quilómetros de extensão, inserido no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, está localizado numa das zonas litorais mais belas de Portugal e da Europa. Todas estas particularidades únicas, contribuem para que Odemira possua excelentes condições para a prática do BTT.

Futebol: Taça do Distrito de Setúbal - 1ª Fase

Vasco, União, Melidense e Grandolense apurados para os quartos-de-final Vasco da Gama, União de Santiago, Melidense e Grandolense conseguiram o apuramento para os quartos-de-final da Taça do Distrito de Setúbal, jogos que vão realizar-se no dia 30 de Dezembro de 2012. Melidense e União de Santiago foram apurados como vencedores dos respetivos grupos, enquanto o Vasco da Gama e Grandolense foram apurados como segundos classificados. Resultados da 3ª jornada e última jornada da Fase de Grupos: Série A: Monte da Caparica, 0 – União de Santiago, 2 e Estrela St.º André, 0 - Alfarim,1. Classificação Geral: 1.º - União de Santiago,

7 pontos; 2.º - Alfarim, 5; 3.º - Monte da Caparica, 4 e 4.º Estrela Stº André,0. Apurados União de Santiago e Alfarim. Série B: União Banheirense, 0 – Cova da Piedade 5 e Paio Pires, 5 - Beira-Mar Almada,1. Classificação Geral: 1.º - Cova da Piedade, 9 pontos; 2.º - Paio Pires, 6; 3.º - Beira-Mar Almada, 3 e 4.º - União Banheirense,0. Apurados Cova da Piedade e Paio Pires. Série C: Desportivo de Portugal, 2 - Juventude Melidense, 2 Olímpico do Montijo, 0 - Grandolense,3. Classificação Geral: 1.º Juventude Melidense, 7 pontos; 2.º - Grandolense, 4; 3.º - Olímpico do Montijo, 3 e 4.º - Desportivo

de Portugal,2. Apurados Melidense e Grandolense. Série D: Comércio e Indústria, 1 - Vasco da Gama, 1 e Almada, 7 – Quinta do Conde,1.

Classificação Geral: 1.º - Almada, 7 pontos; 2.º - Vasco da Gama, 5; 3.º - Comércio e Indústria, 4 e 4.º -Quinta do Conde,0. Apurados Almada e Comércio e Industria.


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Hóquei: Camp. Nacional da 2ª divisão

10

www.jornallitoralalentejano.com

Futebol: Campeonato Distrital de Setúbal da 2ª divisão

Grândola venceu as União de Santiago goleou o duas partidas iniciais Charneca da Caparica Depois de uma derrota por 5-0 na jornada inaugural, no último sábado o Hóquei Clube Vasco da Gama recebeu o Alenquer e Benfica e voltou a perder, desta feita por 7-1. O H.C.P. de Grândola soma por vitórias os dois jogos realizados. Na 1ª jornada recebeu o Mealhada e venceu por 6-5, no último sábado recebeu o Nafarros e venceu por 7-4. Resultados da 2ª jornada: Tomar,5 – Sesimbra,2; HC Grandola,7 – Nafarros,4; Campo de Ourique,4 – Mealhada,4; Salesiana,2 – Santa Cita,2; HC Vasco da Gama,1 - Alenquer e Benfica,7; Hóquei de Sintra,4 Alcobacense,5; Académica de Coimbra,3 – Entroncamento,3 e

Oeiras,6 – Biblioteca,7. Classificação Geral: 1º Alenquer e Benfica, Biblioteca, Alcobacense, H. Grândola, Sporting de Tomar,6 pontos; 6º Santa Cita,4; 7º H. Sintra e Oeiras,3; 9º Mealhada, Campo de Ourique, Entroncamento, Académica de Coimbra e Salesiana,1; 14º Nafarros, Sesimbra e HC Vasco da Gama,0 pontos. Na 3ª jornada, dia 20 de outubro, vão jogar: Sporting de Tomar – Grândola; Nafarros – Campo de Ourique; Mealhada – Salesiana; Santa Cita – Hóquei Vasco da Gama; Alenquer e Benfica – Hóquei de Sintra; Alcobacense – Académica de Coimbra; Entroncamento – Oeiras e Sesimbra – Biblioteca.

Em Odemira dia 16 de outubro de 2012

Odemira realiza passeio pedestre Está agendada para o próximo dia 16 de outubro, pelas 9.30 horas, um passeio pelo Percurso Pedestre dos Troviscais, no âmbito do programa “Visitar Odemira”, um conjunto de visitas promovidas pelo Município, dirigidas aos empresários e técnicos do setor turístico. O objetivo é aprofundar os conhecimentos sobre o concelho, para que se preste um melhor serviço informativo aos turistas, sobretudo para a ocupação do tempo de permanência na região. Esta iniciativa tem como destinatários os empresários das unidades de alojamento, restauração e de animação turística, bem como outros agentes que tenham contacto com o visitante ou sejam promotores da região (artesãos, técnicos dos

postos de turismo do concelho e das Entidades Regionais de Turismo, Associações de Turismo, entre outros). O Percurso Pedestre dos Troviscais é um dos três percursos criados pelo Município de Odemira, tal como Percurso 1 “Lapa de Pombas” e o Percurso 2 “S. Domingos”. O Percurso 3 “Troviscais”, na freguesia de S. Luís, desenvolvese entre a serra de S. Domingos e o vale do Rio Mira, na zona de Troviscais. O grau de dificuldade é médio e o percurso tem uma duração aproximada de 4 horas, numa distância de 13,5 km, sempre em terra batida. No dia 16 de outubro, o passeio será guiado pela Empresa de Animação Turística Mundo Montado.

Futebol: Taça Distrito de Beja

Odemirense recebe o Piense em Odemira Com apenas 14 equipas participantes, realizam-se no dia 18 de novembro os jogos da 1ª eliminatória da Taça do Distrito de Beja. Para acertar o número de equipas nos quartosde-final, o Desportivo de Beja e Rosairense ficaram isentos nesta

primeira eliminatória. Assim, vão jogar: Odemirense-Piense, A m a r e l e j e n s e - A l m o d ô v a r, Aldenovense-Bairro da Conceição, Guadiana-Sp. Cuba, Milfontes-FC São Marcos e Cabeça Gorda-FC Serpa.

Futsal: Distrital de Setúbal de Séniores

Bairro do Laranjal com equipa definida A equipa de futsal sénior do Bairro Laranjal de Alcácer do Sal, que vai disputar o campeonato Distrital da A.F. Setúbal, já tem o plantel praticamente definido para a próxima época. O clube alcacerense conta com os seguintes jogadores: António Aldeias, João Arcão, Miguel Carolino, João

Elias, João Parreira, Daniel Paulo, André Pato e Valter Oliveira, que continuam da época passada. Em relação a novos atletas, foram já contratados três novos jogadores. André Parreira (ex. Bairro do Olival), João Lince e David Brigues (ambos ex. Alcacerense). O treinador é Sérgio Folques.

O União de Santiago recebeu o Charneca da Caparica e venceu por 7-0, uma partida com total domínio da equipa da casa. A equipa orientada por João Direito assumese como o principal candidato ao título de campeão distrital. O Estrela de Santo André deslocou-se ao campo do Faralhão onde perdeu por 2-0. Resultados da 1ª jornada: Lagameças,1 – Arrentela,0; União de Santiago,7

– Charneca da Caparica,0; União Banheirense,1 – Quinta do Conde,2 e Faralhão,2 – Estrela de Santo André,0. Classificação Geral: 1º União de Santiago, Estrelas do Faralhão, Quinta do Conde e Lagameças,3 pontos; 5º Aguias Negras, Banheirense, Arrentela, Estrela de Santo André e Charneca da Caparica, 0 pontos. Na 2ª jornada, dia 21 de outubro, vão

jogar: Charneca da Caparica – Lagameças; Arrentela – Aguias Negras; Quinta do Conde – União de Santiago e Estrela de Santo André – União Banheirense. Na 3ª jornada, dia 28 de outubro, vão jogar: União Banheirense – Faralhão; Aguias Negras – Charneca da Caparica; União de Santiago – Estrela de Santo André e Lagameças – Quinta do Conde.

Futebol: Campeonato Distrital de Beja - 1ª Divisão

Odemirense somou a terceira vitória e assumiu o 1º lugar O Odemirense somou a terceira vitória consecutiva e aproveitando o empate do Rosairense em Cuba assumiu a liderança do campeonato. O Milfontes perdeu por 2-1 em Almodôvar e ficou a seis pontos do primeiro lugar. Resultados da 3ª jornada: Amarelejense,1 – Aldenovense,2; Desportivo de Beja,1 – Serpa,3; Almodôvar,2 – Milfontes,1; Sporting de Cuba,0 – Rosairense,0; Piense,2 – São Marcos,0; Cabeça Gorda,2 – Bairro da Conceição,0 e Odemirense,3 – Guadiana de Mértola,0. Classificação Geral: 1º Odemirense,9; 2º Rosairense

e Almodôvar,7; 4º Piense e Aldenovense,6; 6º Serpa,5; 7º São Marcos e Cabeça Gorda,4; 9º Milfontes e Bairro da Conceição,3; 11º Sporting de Cuba,2; 12º

Amarelejense e Desp. Beja,1; 14º Guadiana de Mertola,0 pontos. Na 4ª Jornada, dia 21 de outubro, vão jogar: Aldenovense – Odemirense; Serpa –Amarelejense; Praia de Milfontes – Desp. Beja; Rosairense – Almodôvar; São Marcos – Sporting de Cuba; Bairro da Conceição – Piense e Guadiana – Cabeça Gorda. Na 5ª jornada, dia 28 de outubro, vão jogar: Aldenovense – Serpa; Amarelejense – Milfontes; Desp. Beja – Rosairense; Almodôvar – São Marcos; Sp. Cuba – Bairro da Conceição; Piense – Guadiana e Odemirense – Cabeça Gorda.

Futebol: Campeonato Distrital de Juniores - 1ª divisão

Vasco da Gama de Sines venceu o Pinhalnovense A equipa de juniores do Vasco da Gama de Sines recebeu o Pinhalnovense e venceu por 2-1, no regresso da equipa sineense à 1ª divisão distrital de juniores da A.F. Setúbal. Os golos da equipa sineense foram apontados na segunda parte por intermedio de Gerson Anjos e Vítor Raposo. Resultados da 1ª jornada: Fabril do Barreiro,1 - Cova da Piedade,1 ; Almada,3 – Amora,1; Pescadores,3 – Sesimbra,0; Desp.

Portugal – Seixal (adiado); Vasco da Gama,2 – Pinhalnovense,1; Corroios,3 –Trafaria,1 e Alfarim,0 – Alcochetense,1. Na 2ª jornada, dia 20 de outubro, vão jogar: Sesimbra – Fabril do Barreiro; Seixal – Corroios; Alcochetense – Desp. Portugal; Trafaria – Pescadores; Amora – Vasco da Gama; Cova da Piedade – Almada e Pinhalnovense – Alfarim. O plantel do Vasco da Gama conta

com os seguintes elementos: André Silva, André Faria, Daniel Candeias, Dino Cosme, Fábio Mateus, Gerson Anjos, João Calão, Marcos Bernardo, Miguel Silva, Pedro Sobral, Pedro Filipe, Ricardo Mendonça, Ruben Domingos, Ruben Soares, Tiago Gamito, Valdir Silva, Vitor Raposo, Alexandre Gonçalves e Érico Maurício. Treinador principal: José Matias. Treinador adjunto: Fernando Rubira.


www.jornallitoralalentejano.com

11

Futebol: Campeonato Distrital de Setúbal da 1ª divisão

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Futsal: Distrital da AF Setúbal

Vasco da Gama de Sines venceu U. Santiago e Bairro do Laranjal em prova o Juventude Melidense A Associação de Futebol de Setúbal vai iniciar no próximo dia 27 de outubro, o Campeonato Distrital de Setúbal de seniores em futsal. Prova disputada por nove equipas e onde a novidade é o União de Santiago do Cacém que regressou à prática da modalidade. Na 1ª jornada, dia 27 de outubro, vão jogar: Casa do Benfica de Alcochete – Aguias Unidas; Fonte

Nova – Oriental; Quinta do Conde – Paivas; Onze Unidos – União de Santiago e Vale Cavala – Bairro do Laranjal. Na 2ª jornada, dia 3 de novembro, vão jogar: Oriental – CB Alcochete; Paivas – Fonte Nova; União de Santiago – Quinta do Conde; Bairro do Laranjal – Onze Unidos e Cotovia – Vale Cavala.

Futebol: Distrital de Futebol Feminino

Odemirense vai lutar pelo primeiro lugar No dérbi do Litoral Alentejano, o Vasco da Gama recebeu o Melides e venceu por 4-0, com dois golos em cada parte. Uma partida bem disputada, onde a equipa sineense foi superior e justificou a vitória. O Grandolense recebeu o Paio Pires e não conseguiu melhor do que um empate a zero golos.

Resultados da 1ª jornada: Monte da Caparica,0 – Alfarim,4; Montijo,2 – Sarilhense,3; Vasco da Gama,4 – Melides,0; Alcochetense,1 – Palmelense,0; Beira-Mar de Almada,1 – Desp. Portugal,1; Pescadores,3 – Comercio e Industria,2; Almada,0 – Cova da Piedade,0 e Grandolense,0

Em Sines dia 1 de novembro de 2012

– Paio Pires,0. Classificação Geral: 1º Alfarim, Vasco da Gama, Sarilhense, Alcochetense, Pescadores, 3 pontos. 6º Grandolense, Paio Pires, Almada, Cova da Piedade, Beira-Mar de Almada e Desp. Portugal,1; 12º Monte da Caparica, Montijo, Melides, Palmelense, Comercio e Industria,0 pontos. Na 2ª jornada, dia 21 de outubro, vão jogar: Paio Pires – Vasco da Gama; Melides – Montijo; C. Industria – Beira Mar Almada; Alfarim – Grandolense; Sarilhense – Alcochetense; Desp. Portugal – Monte da Caparica; Cova da Piedade – Pescadores e Palmelense – Almada. Na 3ª jornada, dia 28 de outubro, vão jogar: Almada – Sarilhense; Alfarim – Desp. Portugal; Montijo – Paio Pires; Grandolense – Vasco da Gama; Alcochetense – Melides; Pescadores – Palmelense; Beira Mar Almada – Cova da Piedade e Monte da Caparica – Comércio e Industria.

Núcleo Sportinguista de Sines inaugura Sede Social O Núcleo Sportinguista de Sines vai inaugurar no dia 1 de novembro, a Sede Social. O programa conta a partir das 11 horas, com a receção da comitiva do Sporting e convidados na sede do Núcleo, situado na Travessa Quinta Pidwell Nº 13 A. A partir das 11.30 horas, realiza-se a Cerimonia de Inauguração. A partir das 13 horas, realiza-se um almoço convívio no Salão do Povo, para o qual estão abertas inscrições na sede do Núcleo, até ao dia 29 de outubro. A partir das 15 horas, realiza-se a Sessão Solene, seguindo-se um espetáculo musical com animação de Dino Alexandre. Não estão ainda confirmadas as figuras do Sporting que vão estar presentes, mas tudo aponta para a presença de antigos atletas, diretores e se a agenda o permitir do presidente

A equipa feminina do Sport Clube Odemirense vai iniciar no dia 20 de outubro, a participação no Campeonato Distrital de Beja da categoria. A equipa odemirense entra na competição com “o objetivo de lutar pelo primeiro lugar da classificação geral” e “conquistar o primeiro título de campeão distrital no futebol feminino”. Um trabalho que já começou há vários anos, primeiro apenas com a realização de jogos particulares e nos últimos anos participando no Campeonato Distrital de Beja. Um plantel que conta com atletas de muito valor, com muita vontade de jogar futebol, e onde se mistura a juventude com a experiência. A equipa treina duas vezes por semana no Estádio Municipal de Odemira, campo onde também realiza os jogos em casa. Para a época 20122013, o plantel conta com os seguintes elementos: Inês Esteves, Marta Santos, Leonor Domingos,

Carolina Pereira, Juliana Cardoso, Elsa Henriques, Inês Violinha, Ana Rita Nascimento, Ana Duarte, Ana Luís Vasques, Ana Larguinho, Alexandra Guerreiro, Marta Bernardo, Liliana Tomás, Cláudia Matos, Ana Pestana e Sofia Correia. Apenas três jogadoras não vivem no concelho de Odemira. Neste plantel o destaque vai para a jovem Marta Bernardo que tem sido chamada com frequência a participar em estágios da seleção nacional de sub-19. Inês Esteves, atleta de alta competição na canoagem iniciou este ano a prática do futebol, modalidade que vai conciliar com prática da canoagem. Na 1ª jornada, dia 20 de outubro, vão jogar: Ourique – Serpa; Vidigueira – CB Castro Verde e Almansor – Odemirense. Na 2ª jornada, dia 27 de outubro, vão jogar: Serpa – Vidigueira; CB Castro Verde – Almansor e Odemirense – CB Almodôvar.

Futsal: Nacional da 3ª divisão

Independentes perderam em Sines

Godinho Lopes. Pela importância do acontecimento, os responsáveis pelo Núcleo Sportinguista de Sines apelam à participação dos sócios

e simpatizantes do Sporting Clube de Portugal. A sede está a funcionar provisoriamente desde o dia 5 de outubro.

Os Independentes de Sines iniciaram a participação no Campeonato Nacional da 3ª divisão, com uma derrota em casa por 4-3, frente ao União de Montemor. Na semana anterior a equipa sineense foi eliminada na 1ª Eliminatória da Taça de Portugal ao perder no Pavilhão do Piedense por 8-3. Resultados da 1ª jornada: Piedense,5 – Sonambulos,0; Sassoeiros,2 – Indefectiveis,5; Independentes,3 –

União de Montemor,4; Oficinas de São Jose,3 – Viana do Alentejo,3; Quinta do Conde,1 – Louletano,3 e Miratejo,2 – Pedra Mourinha,4. Na 2ª jornada, dia 20 de outubro, vão jogar: Louletano – Oficinas de São José; União de Montemor – Quinta do Conde; Sonâmbulos – Miratejo; Os Indefectiveis – Independentes; Viana do Alentejo – Centro Alte; Fonsecas Calçada – Piedense e Pedro Mourinha – Sassoeiros.


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

12

www.jornallitoralalentejano.com

Campeonato Regional de Ralis do Sul 2012

Marco Ferreira venceu Rali de Loulé e é o novo líder do campeonato absoluto Marco Ferreira e Ricardo Batista levaram o Citroën Saxo à vitória nas duas rodas motrizes no Rally de Loulé, com o piloto santiaguense a ser agora o novo líder do campeonato absoluto. “Os pisos de terra da serra algarvia são conhecidos pela sua dureza, por isso estávamos conscientes desse problema, além das dificuldades ao nível da exigência técnica da prova. Aliada à extrema dureza do terreno, tínhamos ainda a arrancar à nossa frente os inscritos do OPEN, onde alinham mais viaturas de tração total, pelo que sair para a estrada com o n.º29, fez com que apanhássemos um piso bastante demolidor”, começou por reconhecer Marco Ferreira. O piloto de Santiago do Cacém avançou que “tentámos preparar a prova o melhor possível. Delineámos uma estratégia para abordar uma prova com estas características, de forma a cumprir o nosso principal objetivo, que era somar o máximo de pontos.

Na primeira especial não conseguimos a performance que queríamos, pois não tínhamos a pressão de pneus ideal para podermos atacar. Na segunda especial essa situação foi retificada e procurámos ir em busca do nosso principal objetivo. A nossa estratégia passava por andar com um ritmo vivo, mas sempre com atenção às zonas de pedras e de valas profundas, para as quais

o Saxo não está tão bem preparado. Com o decorrer do rali, a concorrência acabou por ter o azar que nos bateu à porta em Monchique e isso levou-nos a moderar o andamento e assim gerir o material para terminar. Na segunda secção andámos mesmo a escolher os sítios para colocar as rodas, e assim fugir do mau piso para chegar ao final da prova, onde conseguimos a vitória

nas duas rodas motrizes do CRRS”. Com este resultado, Marco Ferreira é agora o líder absoluto do Regional Sul de Ralis, algo que o piloto admite que “nem nas minhas melhores previsões pensei estar onde estou neste momento. Sou novo no campeonato e tenho apenas sete ralis realizados. Mesmo com as limitações mecânicas deste Saxo, percebi a determinada

altura que poderia ter uma palavra a dizer nas duas rodas motrizes, mas estar em primeiro num campeonato com pilotos bem mais experientes, com carros de tração total bem mais competitivos que o meu Citroën Saxo, é uma surpresa para mim. Sei que esta posição poderá ser  momentânea, porque ainda faltam duas provas e a concorrência é forte, mas a sensação é muito boa. O meu campeonato é o das duas rodas motrizes, mas vou trabalhar para evoluir como piloto e continuar a procurar pontuar o máximo possível nas provas que faltam, porque as contas fazemse no final do campeonato”, finalizou o novo líder do Regional Sul de Ralis. Novidade nesta prova foi a presença de Ricardo Batista como navegador do agora líder do Regional Sul. “Foi muito bom regressar à competição passados todos estes meses e logo com uma vitória em Loulé. Durante os reconhecimentos

constatámos as dificuldades que iriamos encontrar, pois o piso apresentava-se muito duro e era fundamental evitar problemas. A partir do segundo troço assumimos a liderança nas duas rodas motrizes do Regional e com uma gestão de corrida inteligente, acabámos por terminar como vencedores na classe. Este resultado deixa o Marco na liderança do Regional Sul absoluto, algo verdadeiramente assinalável para quem conduz um carro de tração dianteira e que apenas contava com três provas realizadas até ao começo desta temporada”, sublinhou o alenquerense Ricardo Batista, que nesta prova regressou aos ralis após cinco meses de paragem, repetindo assim o feito alcançado já na temporada passada, onde havia igualmente vencido nas duas rodas motrizes no Rali de Loulé. A próxima prova do Regional Sul de Ralis será o Rali Casinos do Algarve, que terá lugar nos dias 16 e 17 de Novembro.


www.jornallitoralalentejano.com

13

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Repsol e IEFP entregam 45 certificados

“Investir na capacitação das pessoas” A Repsol e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) entregaram, no passado dia 4 de Outubro, certificados a 45 formandos que concluíram com aproveitamento a formação de Operador para Unidades Industriais (OPUI) Helga Nobre helga.nobre@gmail.com É a terceira formação do género que a empresa realiza, desde 2005, em parceria com o Centro de Formação Profissional de Santiago do Cacém. “Estas ações pretendem investir na capacitação das pessoas para terem mais oportunidades no mercado de trabalho, não só para se empregarem na Repsol mas também noutras indústrias” sublinhou Martins Victor, diretor

de comunicação e relações externas da Repsol. “Existem casos de pessoas que fizeram este curso e

hoje em dia estão empregados, além da Repsol, noutros sítios ligados à atividade industrial”, acrescentou o responsável. No entanto reconheceu que a questão da empregabilidade depende das necessidades da empresa. “Estamos a formar mais pessoas do que aquelas que necessitamos mas sentimos que isso é um investimento social que vale a pena”, afirmou. A cerimónia de entrega dos certificados contou com a presença do delegado regional do IEFP Alentejo, José Palma Rita que realçou a aposta na formação profissional e na melhoria das competências. “A opção é acertada porque há sempre o dilema de prolongar os estudos, mas a aposta na formação profissional dá frutos com a entrada no mercado de trabalho com maiores qualificações”, disse. O Delegado Regional considerou “a colaboração

com a Repsol como fundamental para que os Centros de Emprego e de

Formação Profissional do IEFP (neste caso, o CFP de Santiago do Cacém e o Centro de Emprego de Sines) possam focalizar as suas respostas ao desemprego em torno das necessidades diretas e imediatas do tecido empresarial, contribuindo por isso este tipo de colaborações para aumentar a eficácia do ser-

viço público de emprego e formação profissional, ao aproximá-lo das empresas. O resultado obtido mostra que o IEFP tem capacidade de resposta atempada e ajustada às necessidades de formação sentidas pelas empresas, estando totalmente aberto e mobilizado para colaborar com as mesmas na construção das respostas decorrentes da atividade empresarial no Alentejo”. Segundo José Font, Diretor

Polímeros e o IEFP entregam a todos os 45 alunos um Certificado de Formação Profissional, uma vez que superaram os objetivos do curso e as diferentes avaliações. Estes alunos adquiriram competências para poderem trabalhar em qualquer unidade da indústria química”. O curso teve uma duração superior a 900 horas e decorreu durante uma fase

de paragem geral que permitiu aos alunos o contacto com a realidade industrial. Dos 45 formandos que concluíram o curso, sete são do sexo feminino, e vinte e cinco foram escolhidos para o 1º estágio na Repsol Polímeros, que terá uma duração de 9 meses. Os certificados foram entregues pelo diretor de recursos humanos da Repsol, Francisco Castro e pelo delegado regional do IEFP Alentejo.

res alunos do Ensino Secundário são Filipa Fialho dos Reis (cursos Científico-Humanísticos) e Rui Miguel Pereira Romão (cursos Profissionais/Tecnológicos). Ambos receberam um Certificado de Mérito Escolar Municipal e um cheque de 500 euros. Teresa Raquel Mirra dos Santos e Gonçalo Miguel Costa Duro (Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal) e Mafalda Trindade Patronilho Murcho (Agrupamento de Escolas do Torrão) são os melhores alunos do 3º ciclo do Ensino Básico e receberam um Certificado de Mérito Escolar Municipal e um cheque de 150 euros. Já no 2º ciclo do Ensino

Básico foram distinguidos com um Certificado de Mérito Escolar Municipal e um cheque de 150 euros, Ana Rita Maia Caço e Beatriz de Carvalho Gomes Martins Caixas (Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal) e Luís Bruno Rafael Verdelho Fava (Agrupamento de Escolas do Torrão). A cerimónia decorreu ao ar livre, na presença das famílias, executivo municipal e representantes das instituições do concelho, para além de contar com a participação das bandas das sociedades filarmónicas Progresso Matos Galamba e Amizade Visconde de Alcácer.

Geral da Repsol Polímeros, “é com orgulho e muita satisfação que a Repsol

Alcácer do Sal premeia mérito escolar no aniversário da República O Município de Alcácer do Sal no passado dia 5 de outubro, distinguiu pelo terceiro ano consecutivo os melhores alunos do concelho nos 2º e 3º ciclos do Ensino Básico e no Ensino Secundário. A cerimónia decorreu na praça Pedro Nunes, às 10 horas, integrada nas Comemorações do 102º aniversário da Implantação da República em Portugal. O objetivo é premiar o mérito, o esforço e a dedicação destes jovens, incentivando-os a prosseguir com sucesso os seus estudos e tornando-os exemplos a seguir pelos colegas. Paralelamente, promove-se a ligação da população local à comunidade escolar, dando visibilidade ao seu

trabalho e, como os prémios têm a vertente pecuniária, dá-se a oportunidade aos

jovens homenageados de usufruírem de verbas para gastos próprios ou pequenas

estravagâncias de sua preferência. Assim, este ano, os melho-


Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Palavras com Açucar

Júlia Carvalho*

E assim fez a Antónia. Dobrou cuidadosamente a folha, começou por recortar a cabeça, os braços, o tronco e finalmente as pernas e os pés. Nasceram vários irmãos gémeos. Depois do trabalho feito, ela observou-os minuciosamente, para ver se haveria algum defeito, disso dependia a sua nota na disciplina. E viu que o penúltimo, não se encontrava muito perfeito, além da cabeça estar um pouco maior que as dos outros, também as pernas eram um pouco mais curtas. Todos os outros bonecos, ficaram espantados a olhar para o desajeitado e, como ele, estava agarrado a eles. Não podiam fazer nada! Somente

www.jornallitoralalentejano.com

Alcácer do Sal sem veterinário municipal

Os bonecos que foram recortados numa folha de papel Era uma vez uma folha de papel, que se encontrava em cima da escrivaninha da Antónia. A menina tinha de fazer um trabalho escolar, recortar numa folha de papel toda dobradinha, um boneco, depois desdobrava a folha e apareciam vários bonecos iguais de mãos dadas.

14

Antónia o poderia cortar e colar o último ao antepenúltimo. Tinham boca mas não podiam falar! Logo, começaram a formar uma estratégia para excluir o bonequinho desajeitado do seu grupo. E, telepaticamente, passavam a mensagem para o do lado e assim sucessivamente, quando esta chegava ao boneco imperfeito, ele ficava muito triste com a rejeição dos outros, queria participar nas brincadeiras, mas sentia-se só. Um dia estavam deitados em cima da mesa, quando a janela do quarto da Antónia se abriu, a folha de papel era muito leve e logo voou de em contra as paredes, até que um prego rasgou um dos bonecos. Ficaram boquiabertos, vendo o amigo passar por tanto sofrimento. O boneco rasgado ficou desolado e chorou tanto que molhou os outros. O bonequinho desajeitado foi o primeiro a ajudá-lo, como o papel se encontrava ensopado de lágrimas, puxou o rasgão para o colar. Foi um esforço inútil, pois logo o papel secava e o rasgão continuava ali exposto imperiosamente. Os outros sentiram-se envergonhados, eram perfeitos e só sabiam lamentar o sucedido. Mas lamentar não cura feridas de ninguém, muito menos de quem se encontra abandonado. E mesmo envergonhados, alguns solidariamente juntaram-se ao diferente. Outros irão passar o resto do tempo a falar, a criticar, a fazer nada. Vitória, vitória acabou-se a história! *Jornalista

O concelho de Alcácer do Sal está sem médico veterinário municipal há mais de um ano, desde que o anterior detentor do cargo se aposentou. O Município garante que estão a decorrer diligências no sentido de preencher o lugar. Rute Canhoto rutecanhoto@iol.pt Abril de 2011 foi a data em que a pessoa que desempenhava as funções de veterinário municipal se aposentou. Em declarações ao jornal Litoral Alentejano, Pedro Paredes, presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, assegurou que “está prevista a abertura de procedimento para admissão de um novo veterinário”. Quanto ao facto deste concurso não ter sido aberto antes, o edil explica que tal se deveu “às limitações financeiras da autarquia, à quebra generalizada de receitas verificadas e atendendo a que, de acordo com o Orçamento de Estado, as câmaras têm que reduzir pessoal”. “Foi necessário aguardar a reforma de alguns trabalhadores até que se atingissem os limites legais para novas admissões. Estão a decorrer diligências no sentido de preencher o lugar referido”, completou. Entretanto, e no que concerne a campanha de vacinação anti-rábica, eutanásia para animais, gestão de canil municipal, entrega de animais abandonados e despojamento de cadáveres de animais, as coisas têm-se processado o mais perto possível da normalidade. Começando pela campanha de vacinação anti-rábica, anualmente (em maio/junho) a Câmara Municipal recebe um edital emitido pela Direção-Geral de Veterinária que é distribuído por todo o concelho e que contém as datas e os locais de vacinação. “Neste processo, a CMAS apenas tem obrigação legal de fornecer apoio logístico, já que a vacinação é coordenada pelo Núcleo Veterinário Local, dependente da Direção-Geral de Veterinária/Ministério da Agricultura. Tal apoio logístico traduz-se na divulgação dos editais com as datas e locais da vacinação (distribuição, site, etc.), a cedência dos próprios espaços

onde decorre a vacinação e transporte quando tal é solicitado”, esclarece Pedro Paredes. Em relação à eutanásia de animais, e embora esta tenha alegadamente sido concedida ao longo dos anos a título excecional a pedido de alguns munícipes para o seu próprio animal de estimação, “deve ser efetuada junto dos veterinários privados”. Numa breve auscultação junto de veterinários privados locais, este é um procedimento que pode rondar os 150 euros, revelando-se demasiado dispendioso para algumas pessoas que optam por esperar que ocorra a morte natural, independen-

própria, e os munícipes podem igualmente solicitar a recolha desses animais”, informa o edil. Quanto aos cadáveres de animais, Pedro Paredes adianta que a “Câmara aceita recebê-los numa arca frigorífica que possui para esse efeito. Os cadáveres são depois encaminhados para o SIRCA – Sistema de Reco-

temente do sofrimento do animal. “A CMAS” clarifica o presidente do município, “só o deve fazer em caso de animais abandonados recolhidos por colocarem em causa a saúde pública e depois de passarem por um período de observação no Canil Municipal. Só findo este período, destinado a possível adoção ou reclamação do animal pelo dono, este é abatido”. O Canil Municipal continua a operar dentro dos mesmos parâmetros. “Os animais abandonados podem ser entregues no canil mediante preenchimento de documentação

lha de Animais Mortos, do Ministério da Agricultura”. Os munícipes podem solicitar todas estas intervenções contactando o responsável pelos Serviços de Apoio Geral, o Eng. Pedro Repolho. Para tal, podem usar o telefone com o número 265 247 037 (extensão 470 a 74), ou enviar um e-mail para zil@m-alcacerdosal.pt. De acordo com o DecretoLei n.º116/98, de 5 de maio, o médico veterinário municipal é a autoridade sanitária veterinária concelhia, a nível da respetiva área geográfica de atuação. Este pode, sem dependência

hierárquica, tomar qualquer decisão necessária para a prevenção e retificação de fatores/ situações passíveis de prejudicarem gravemente a saúde pública, estendendo-se ainda as suas competências à garantia de salubridade dos produtos de origem animal. Segundo o mesmo DecretoLei, as suas tarefas passam por: colaborar na inspeção e controlo hígio-sanitário das instalações para alojamento de animais, dos produtos de origem animal e dos estabelecimentos comerciais ou industriais onde são abatidos, preparados, produzidos, transformados, fabricados, conservados, armazenados ou comercializados animais/ produtos de origem animal e seus derivados; emitir parecer sobre instalações e estabelecimentos referidos antes; elaborar e remeter a informação referente ao movimento nosonecrológico dos animais; notificar as doenças de declaração obrigatória e adotar logo as medidas de profilaxia ditadas pela autoridade sanitária veterinária nacional em casos de doenças de carácter epizoótico; emitir guias sanitárias de trânsito; participar nas campanhas de saneamento ou de profilaxia determinadas pela autoridade sanitária veterinária nacional do respetivo município. Também colaboram no recenseamento de animais, inquéritos de interesse pecuário ou económico, e prestam informação técnica sobre abertura de novos estabelecimentos de comercialização, preparação e transformação de produtos de origem animal.


www.jornallitoralalentejano.com

15

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

“Sem cultura, sem artes, não é possível assegurar a continuidade da nossa identidade, daquilo que somos” A Casa da Cultura, espaço de fomento e criação de variadas formas de arte, dinamizado pela câmara municipal de Setúbal em parceria com instituições, abriu no dia 5 as portas ao público num requalificado edifício histórico da cidade. “Estamos a criar, com um modelo inovador, mais condições para a promoção e fruição da cultura e das artes”, sublinhou a presidente da câmara municipal de Setúbal, Dores Meira, na cerimónia de inauguração do novo equipamento, localizado na Rua Detrás da Guarda, junto da Praça de Bocage, no centro da cidade do Sado. A Casa da Cultura, com múltiplas valências de aprendizagem e criação artística,

renova a “construção permanente da que é a cultura da cidade”, reforçou a autarca, frisando, “os setubalenses recuperam hoje um dos mais importantes espaços de história e cultura do Concelho.” O novo equipamento, instalado no edifício onde funcionou o Círculo Cultural de Setúbal, instituição ligada à luta antifascista, à promoção da cidadania e ao incremento do acesso à cultura, constitui um “espaço de evocação de memórias e de projeção do futuro”, assinalou Dores Meira, enaltecendo a forma inovadora de utilização do espaço. “Avançamos para um modelo de gestão cultural que privilegia as parcerias com instituições e retira da Autarquia o foco de todas as responsabilidades na criação e promoção de cultura”, diria. A Casa da Cultura, polo

de concentração cultural e gerador de novas dinâmicas sociais, tem atividades de música, cinema, teatro, dança e fotografias dinamizadas regularmente por associações da cidade, algumas delas com espaços próprios no imóvel. O novo local de fruição e partilha cultural da cidade conta com centros de documentação, espaços para a música e para as artes plásticas, áreas multiusos e zonas de lazer e restauração.

A Galeria de Exposições e o Café das Artes, o qual, em articulação com Pátio do Dimas, espaço de ar livre com um jardim vertical numa das paredes, funciona como café-concerto e área para encontros, são valências instaladas no piso térreo. “Esta é uma homenagem justa a Dimas Pereira, um dos grandes impulsionadores do Círculo Cultural, músico dos Galés, professor nas aulas de ensino para adultos que o Círculo, durante anos, promoveu neste espaço, e velho antifascista que a cidade justamente reconheceu com a sua medalha de honra”, enalteceu a autarca. No piso térreo foi também criada uma área para o Gabinete da Juventude da câmara municipal de Setúbal, com um centro de informação e divulgação de iniciativas nacionais e internacionais

para jovens, um centro de formação para acolher ações de formação e um espaço multimédia dotado de equipamento informático multiuso. No Centro de Documentação, Estudo e Promoção da Canção Popular Portuguesa, instalado no primeiro piso e promovido pela Associação José Afonso, foi entoada durante a inauguração, em visita aberta à população, a música “Grândola, Vila Morena”. Igualmente no primeiro andar da Casa da Cultura funciona o Espaço das Artes, dinamizado pela Artiset – Associação de Artistas Plásticos de Setúbal, piso que possui ainda um auditório multiusos, denominado Sala José Afonso. Ao lado, o Salão Nobre da Casa da Cultura, uma das

principais atrações do equipamento municipal, centra atenções com vários elementos originais do espaço restaurados, como um fresco pintado no teto e um antigo lustro, agora eletrificado, e as paredes forradas a tecido. Junto da sala, um Centro de Documentação Local, a cargo do Centro de Estudos Bocageanos, promove a vida e obra de Bocage. Uma Escola de Música, com três salas, valência explorada pela Sociedade Musical Capricho Setubalense, está instalada no segundo piso da Casa da Cultura. Uma Sala de Ensaio, espaço disponível a bandas de garagem e outras formações musicais, e um Estúdio de Gravação áudio são outras valências existentes no último andar do edifício. O novo equipamento, dotado de um elevador central que serve os três pisos do imóvel, possui ainda biblio-

teca, livraria, discoteca, videoteca e uma área de comercialização das futuras produções da Casa da Cultura e de obras relacionadas com a atividade das associações parceiras.

Andarilho, a que seguiram leituras encenadas pelo Teatro Estúdio Fontenova, no Pátio Dimas. O programa de inauguração da Casa da Cultura começou

antigo Quartel do 11, adquiridas pela Câmara Municipal para albergar a Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal. “Esperamos ter, igual-

de manhã, ainda no exterior edifício, com pintura de graffiti, por Mário Gaspar, e ao vivo, pela Artiset, a que se seguiu, de tarde, muita música, intercalada por

mente no decorrer de 2013, o nosso mais importante monumento nacional, o Convento de Jesus, onde sempre esteve instalado o Museu da Cidade, recupe-

apontamentos de teatro do TAS. A Casa da Cultura é um dos espaços culturais criados ou requalificados recentemente pela Câmara Municipal, lista em que se inclui a Casa

rado e pronto a funcionar, de novo, como espaço de cultura e de memória da cidade”, manifestou Dores Meira. A Casa da Cultura funciona de segunda a quinta-feira das

da Baía, espaço de divulgação cultural e turística do Concelho, e os renovados Cinema Charlot – Auditório Municipal, Casa do Corpo Santo e, em meados de setembro, o Fórum Municipal Luísa Todi. Para o início de 2013, está programada a abertura de uma nova galeria de artes nas renovadas instalações do

09h00 às 23h00, às sextas e sábados das 09h00 à 01h00 e aos domingos das 09h00 às 20h00, já com programação definida até ao final do ano. “Queremos que este espaço seja intensamente utilizado por todos. Usufruam”, foi o convite final deixado pela autarca.

Investimento global de 2 milhões, 540 mil e 212 euros O projeto “Refuncionalização do Edifício do Círculo Cultural de Setúbal – Casa da Cultura”, integrado no Programa ReSet – Regeneração Urbana do Centro Histórico de Setúbal, representa um investimento global de 2 milhões, 540 mil e 212,32 euros, montante comparticipado por fundos comunitários, com uma taxa de 65 por cento, através do PORLisboa – Programa Operacional Regional de Lisboa, ao abrigo do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional. “Acreditamos que este é um investimento que faz o futuro da nossa cidade, porque sem cultura, sem artes, não é possível assegurar a continuidade da nossa identidade, daquilo que somos”, afirmou a presidente da Câmara Municipal. Depois do discurso que marcou a inauguração oficial da Casa da Cultura, seguiu-se um apontamento musical de Filipe Narciso e uma visita às instalações com a abertura ao público das várias valências e a assinatura dos protocolos com as entidades parceiras, no Salão Nobre do equipamento. Os responsáveis das instituições com espaços de dinamização cultural no novo equipamento afirmaram, unanimemente, as mais-valias de promoção e criação artística da Casa da Cultura, potencialidades que renovam a identidade coletiva setubalense. Na Galeria de Exposições, os visitantes presentes na inauguração foram recebidos com uma mostra sobre Zeca Afonso, intitulada “Geografias de uma Vida”, enquanto uma outra mostra estava patente no Espaço das Artes. Já na Sala José Afonso, foi projetado um documentário sobre Setúbal. A música, uma forte componente na programação da Casa da Cultura, continuou de noite, com um concerto defronte do edifício em que participaram os gaiteiros Bardoada e a Banda do


16

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

www.jornallitoralalentejano.com

Centro de Saúde de Grândola vai ter atendimento até às 24 horas Na sequência da Manifestação/Marcha Lenta realizada no passado dia 31 de Julho, Carlos Beato, na sua qualidade de Presidente da

aos seguintes assuntos: 1 – O Centro de Saúde irá voltar a prestar cuidados de Saúde à População até às 14h00;

Urgência Básica. Pelo exposto, em atendimento às reivindicações publicamente conhecidas, pelas quais as forças vivas

Câmara Municipal de Grândola, acompanhado pelo Presidente da Assembleia Municipal, pela Vereadora do Pelouro da Saúde, pela Presidente da Junta de Freguesia de Grândola e pelo Provedor da Santa Casa da Misericórdia, foram recebidos no passado dia 26 de Setembro, no Ministério da Saúde, pelo Secretário de Estado Adjunto. Da referida reunião, o Membro do Governo atrás referido, comprometeu-se com o Presidente da Câmara de Grândola relativamente

2- Colocar em Grândola mais 1 ou 2 médicos de Nacionalidade Estrangeira; 3 - Providenciar no sentido de vir a ser contratado pelo Ministério da Saúde um enfermeiro para o Serviço de Nova Unidade Móvel de Saúde, que o Município adquiriu recentemente para a prestação de serviços de Saúde às Populações mais distantes da Sede do Concelho; 4 – Avaliar a possibilidade de Grândola vir a ser dotada de um Serviço de

do Concelho de Grândola lutaram, o Presidente da Autarquia, considerando muito positivos os resultados da reunião em causa, destaca que foi “motivo pelo qual faz um agradecimento à População e a todas as Entidades, o apoio, envolvimento e a ajuda no processo em causa, nomeadamente ao Presidente da Assembleia Municipal, aos Presidentes de Junta de Freguesia do Concelho e ao Provedor da Misericórdia”.

Carneiro

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 31 Carta Dominante: 10 de Paus, que significa Sucessos Temporários, Ilusão. Amor: Poderá andar instável de paixão em paixão, sem se decidir por ninguém. Saúde: Sentir-se-á em forma. Dinheiro: Irá ter a oportunidade de se envolver em vários projetos, onde poderá alcançar os objetivos que tanto deseja. A sua atenção está focalizada nos interesses do grupo em que está inserido. Números da Sorte: 9, 11, 17, 22, 28, 29 Pensamento positivo: Quando quero falar com Deus, abro-lhe o meu coração e digo tudo o que sinto.

Touro

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 32 Carta Dominante: O Mundo, que significa Fertilidade. Amor: Não tenha atitudes contraditórias. O campo sentimental sofrerá oscilações. Neste período a sua vida sexual estará em grande forma. Irá viver todos os momentos especiais com muita intensidade. Saúde: Embora possam surgir pequenos problemas de saúde, não inspiram grandes cuidados. Dinheiro: Os seus objetivos poderão ser alcançados nesta fase. Números da Sorte: 1, 5, 7, 11, 33, 39 Pensamento positivo: Eu procuro ser justo e correto para com todos os que me rodeiam.

Gémeos

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 33 Carta Dominante: Rei de Espadas, que significa Poder, Autoridade. Amor: Estará muito sentimental. Abra o coração, não receie falar dos seus sentimentos com o seu companheiro. Saúde: Espera-o uma fase sem sobressaltos. Dinheiro: Não seja demasiado ambicioso. Não seja demasiado impulsivo ao demonstrar a sua insatisfação. Mostre aos outros que também é capaz de ser uma pessoa flexível. Números da Sorte: 2, 9, 17, 28, 29, 47 Pensamento positivo: Sou leal para comigo mesmo e para com as pessoas que amo.

Caranguejo

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 34 Carta Dominante: 10 de Copas, que significa Felicidade. Amor: Favoreça o diálogo com a pessoa amada para ultrapassar situações de insatisfação. Saúde: Esteja alerta a situações que possam originar acidentes. Evite o nervosismo e a precipitação. Mude a sua imagem, e aproveite também para refletir um pouco sobre si mesmo e a sua personalidade. Dinheiro: Fase favorável à obtenção de resultados relativos a projetos de longa data. Números da Sorte: 6, 14, 36, 41, 45, 48 Pensamento positivo: Retribuo com generosidade tudo aquilo que recebo.

Leão

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 35 Amor: Estará mais suscetível e emocional. Poderá passar nesta fase por mudanças repentinas de humor e comportamento, está hipersensível, nostálgico, inquieto sem razão lógica aparente. Saúde: Espere uma fase tranquila. Gozará de boa saúde. Dinheiro: Não ceda a fantasias ambiciosas. Mas como nem tudo é mau, este é o momento indicado para estabelecer um contacto importante. Números da Sorte: 9, 18, 27, 31, 39, 42 Pensamento positivo: Tenho Fé e acredito que o Universo nunca se engana.

Virgem

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 36 Carta Dominante: A Força, que significa Força, Domínio. Amor: Partilhe os seus sentimentos com a pessoa amada, caso contrário, poderá entrar num período de conflito e rutura. Saúde: Período tranquilo, sem sobressaltos. Dinheiro: Os projetos com sócios estão favorecidos. Irá estar ligado agora ao estudo de coisas bastante importantes, para as quais vai precisar da ajuda de alguém mais velho, com mais experiência. Números da Sorte: 4, 9, 18, 22, 32, 38 Pensamento positivo: Procuro ser simples porque sei que viver com simplicidade é mais do que um ato, é uma virtude.

Balança

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 37 Carta Dominante: 7 de Paus, que significa Discussão, Negociação Difícil. Amor: Momentos de harmonia familiar e sentimental. Aproveite para retribuir todo o carinho e atenção que tem recebido das pessoas que ama. Saúde: Gozará de grande vitalidade neste período. Dinheiro: Época favorável para negociações. Números da Sorte: 7, 22, 29, 33, 45, 48 Pensamento positivo: Sou honesto com as pessoas que amo, e isso tranquiliza o meu coração.

Escorpião

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 38 Carta Dominante: Rei de Paus, que significa Força, Coragem e Justiça. Amor: Caso esteja livre, poderá surgir brevemente a pessoa que idealizou. Saúde: Procure ser mais moderado. Aproveite esta fase para ir ao cinema ou mesmo acabar aquele livro que já anda a ler há uma eternidade. Dinheiro: Finanças prósperas. Aproveite para comprar um presente para si. Números da Sorte: 1, 3, 7, 18, 22, 30 Pensamento positivo: Procuro escolher aquilo que é melhor para mim.

Sagitário

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 39 Carta Dominante: Valete de Ouros, que significa Reflexão, Novidades. Amor: Os momentos de partilha e romance estarão favorecidos. Saúde: Consulte o dentista. Dinheiro: Alguma distração e desprendimento poderão conduzi-lo a gastos excessivos. Não se deixe levar pelo impulso, oiça o que a outra pessoa tem a dizer, tudo pode não passar de um grande mal entendido. Números da Sorte: 8, 17, 22, 24, 39, 42 Pensamento positivo: Acredito que a vida me traz surpresas maravilhosas.

Capricórnio

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 40 Carta Dominante: 10 de Espadas, que significa Dor, Depressão, Escuridão. Amor: Faça uma introspeção e procure saber o que é melhor para si neste momento. Saúde: Probabilidade de se sentir esgotado física e mentalmente. Abrande o seu ritmo diário. Dinheiro: Período de estabilidade. Vai estar dedicado de alma e coração à sua vida profissional, o seu perfecionismo está em alta. Números da Sorte: 3, 7, 11, 18, 22, 25 Pensamento positivo: Oiço a voz da minha intuição, sei que ela me diz sempre a verdade.

Aquário

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 41 Carta Dominante: 7 de Ouros, que significa Trabalho. Amor: Clima de diálogo e romance favoráveis nesta fase. Saúde: Preocupe-se mais com o seu físico. Pratique exercício físico. Dinheiro: Reina a estabilidade neste campo. Deve dedicar-se mais ao trabalho para poder ter recompensas a nível financeiro. Números da Sorte: 2, 17, 19, 36, 38, 44 Pensamento positivo: Fazer o Bem dá alegria ao meu coração!

Peixes

Horóscopo Diário Ligue já! 760 10 77 42 Carta Dominante: 2 de Ouros, que significa Dificuldade/ Indolência. Amor: Esqueça um pouco o trabalho e dê mais atenção à sua família. Saúde: Poderá andar muito tenso. Tente descansar mais, pois é disso que mais necessita neste momento para se sentir em forma. Dinheiro: Período positivo e atrativo. Haverá uma subida do seu rendimento mensal. Números da Sorte: 1, 8, 17, 21, 39, 48 Pensamento positivo: A felicidade espera por mim!

Grandolense António Chaínho publica décimo livro Responsável por uma significativa obra em prosa, o autor que aqui apresentamos acaba de publicar o livro intitulado “A Crioula”, prefaciado por Luís Pita Ameixa. António Chaínho, professor e Presidente da Assembleia Municipal de Grândola apresentará, publicamente, hoje, dia 15 de Outubro, pelas 21 horas, na Biblioteca Municipal, a sua décima obra. Trata-se de um romance histórico, com o título “A Crioula”. A narrativa situa-se nas últimas décadas da presença portuguesa em África e nos primórdios da independência de Cabo Verde. Aborda o papel que muitos portugueses e crioulos tiveram nesses cruzamentos da história, sendo atribuída às principais personagens uma forte cumplicidade afectiva e humana, que pode exemplificar a referência de amizade sempre existente entre os dois povos irmãos. Miranda de Vasconcellos,

médico, natural da aldeia da Fonte (Melides), a exercer na vila do Tarrafal e Alzira, mulata, fermento de uma ilha (Santiago, Cabo Verde)

cada pelos sentimentos de quem tem apenas o céu e o mar como fronteiras. Ao longo da história marca presença o papel histórico da mulher crioula no sofrimento das suas gentes, nas incertezas do futuro, no amor a quem lhe é próximo, na revolta para com o sistema colonial e no júbilo do nascimento de uma nova pátria.

A obra

e de uma cultura crioula, carregam percursos de vida que asseguram o fio condutor de uma narrativa mar-

Da sua obra, figuram os seguintes títulos, que vão do trabalho académico à ficção: Em procura de um projecto de desenvolvimento local (1997); Educar para preservar (1998); Ruralidades (2002); Vinte anos de reflexões (2003); Filhos do tempo (2004); Percursos, Memórias e Projectos/ co-autor (2005); Trilhos de Abril (2006); Poder local em Grândola 1974/2005 (2008); O sonho do Comendador (2010).


17

www.jornallitoralalentejano.com

Trabalhadores da Madeimóvel em Sines impedem saída de camiões Mais de uma dezena de trabalhadores da extinta Madeimóvel, fabricante de portas e perfis, concentraram-se, no passado dia 2 de Outubro, frente às instalações da empresa, em Sines, para impedir a saída de um camião com material. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com O alerta foi dado por um dos ex-funcionários que ao passar junto à fábrica, na ZIL2, deparou-se com uma viatura, estacionada no recinto da empresa, carre-

está nas instalações como forma de pressionar a empresa a pagar o que está em atraso, por isso não existem autorizações para retirar mercadoria

a situação piorou e decidiu avançar com o despedimento dos restantes trabalhadores. “Os últimos colegas a serem despedidos receberam na véspera a carta de despedimento, e o gerente alegou que não havia trabalho. Diziam que estava mau mas sabemos agora que o gerente recusava trabalho”, acrescentou a porta-voz do grupo que não arredou pé das instalações até as autoridades garantirem que o material seria descarregado da viatura. “Há uma divida de 678 mil euros de subsídios e indemnizações que não foi paga e os trabalhadores estão a tratar do processo

gada com madeira maciça e paletes de folha. “Alertámos as autoridades que se deslocaram ao local e impediram a saída do camião, mas não sabemos

da fábrica”, explicou Cristina Torpes, ex-funcionária da empresa. A Madeimóvel encerrou, há cerca de quatro meses, deixando 49 pessoas no desem-

em Tribunal porque temos direito aos nossos créditos”, adiantou a porta-voz. O Litoral Alentejano tentou contactar o administrador da Madeimóvel, Sérgio Bernar-

se as máquinas e o material ainda se encontra no interior da fábrica”, receiam alguns dos ex-funcionários que, apesar de afastados do local de trabalho, mantêm-se vigilantes. “Os trabalhadores penhoraram o material que

prego, incluindo famílias inteiras e trabalhadores com mais de vinte anos de casa. De acordo com os funcionários, o administrador da empresa começou por despedir alguns funcionários em Março, alegando falta de encomendas, mas em Julho

dino, mas o mesmo não se encontrava nas instalações. Fonte ligada ao gerente, adiantou apenas que o antigo administrador vendeu a empresa a um grupo, cujo nome desconhece, que assumiu a responsabilidade dos trabalhadores.

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Sines aprova taxas de IMI, derrama e participação no IRS a cobrar em 2013 A Assembleia Municipal de Sines aprovou, em sessão realizada no dia 3 de outubro, as propostas apresentadas pela Câmara Municipal

diferença é a subida em um ponto percentual da taxa para os prédios ainda não avaliados nos termos do CIMI. Mantêm-se os regi-

como apoio à atividade das pequenas empresas. A taxa de participação do município no IRS também se mantém na taxa cobrada

de Sines de valores a aplicar em 2013 no IMI - Imposto Municipal de Imóveis, taxa de derrama e taxa de participação do município no IRS. No caso do IMI, os valores aprovados são 0,36% para prédios urbanos avaliados nos termos do CIMI, 0,8% para os prédios urbanos ainda não avaliados nos termos do CIMI e 0,8% para prédios rústicos. Em relação a 2012, a única

mes especiais para a ZIL II e o núcleo histórico (este no âmbito da Área de Reabilitação Urbana), com minorações e majorações para estimular a recuperação do património. A taxa de derrama mantém-se em 2013 no valor de 2012, 1,5%, com isenção para os sujeitos passivos com um volume de negócios que não ultrapasse os 150 mil euros no ano anterior,

este ano, 5%. Na Câmara as propostas foram aprovadas por unanimidade, já na Assembleia Municipal o resultado foi o seguinte: IMI: Por maioria (favor: 10 SIM, 4 PS, 2 CDU; contra: 1 PS; abstenção: 2 PS, 1 PSD) Derrama: Por unanimidade IRS: Por maioria (favor: 10 SIM, 7 PS; contra: 2 CDU; abstenção: 1 PSD).

“O Prazer dos Estranhos” vence Prémio de Conto Manuel da Fonseca O Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca foi atribuído à obra “O Prazer dos Estranhos”, da autoria de Rui Miguel Oliveira Herbon,

cada”, da autoria de Luís Leiria, a segunda ao intitulado “Guerras, Revoluções etc…”, de João Paulo Vaz, que firmaram os seus traba-

professora. A deliberação foi tomada por unanimidade. O Prémio Nacional do Conto Manuel da Fonseca, cujo valor monetário é de

que a subscreveu com o pseudónimo Blumenau. O Júri da IX edição do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca deliberou, também por unanimidade, atribuir duas Menções Honrosas, a primeira ao original “O Barbeiro da Care-

lhos com os pseudónimos de Luís Ruão e Mário Marabatay, respetivamente. Integraram o Júri, João Morales, jornalista e crítico literário, José Correia Tavares, vice-presidente da Associação Portuguesa de Escritores, e Helena Cabral,

5000 euros, admitiu a concurso 46 originais de autores lusófonos. A cerimónia de entrega do Prémio decorrerá no dia 20 de outubro pelas 16h00, na Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca de Santiago do Cacém.


18

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

www.jornallitoralalentejano.com

Atendimento Pessoal Multinacional pretende recrutar colaboradoras PERFIL

OFERECEMOS

•Facilidade de

•Prémios de desempenho;

Comunicação;

•Possibilidade de evolução

•Interesse pela

para função de Coordenadora;

área de vendas;

CONTACTO:

96 67 78 003

VENDE-SE Em Vila Nova de Santo André (bem localizado) Informa:

931 768 909

Continente - 20,00€ w Europa - 25,00€ w Mundo - 30,00€


19

www.jornallitoralalentejano.com

Litoral Alentejano – segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O Sal da Terra

Josélia, paciente, justa e crítica do egoísmo

François Baradez No fim do dia, estava Josélia na Loja de Óptica “O Templo”, no Torrão, da qual é rececionista desde Setembro de 2011. Josélia Adriano Silvestre Bruno, que responde à alcunhas de “Jú” ou de Jô”, nasceu em Évora, no dia 24 de Dezembro de 1984, dezanove anos após a Revolução dos Cravos, tendo posto fim a trinta e seis anos do regime do Estado Novo. Cinco meses antes, tinham começado, em Los Angeles, nos Estados Unidos, os Jogos Olímpicos. Dois meses antes, a Senhora Indira Gandhi (1917-1984), Primeira-ministra da Índia, tinha sido assassinada por dois Sikhs da sua guarda pessoal. No mesmo mês, uma poluição química tinha causado milhares de mortos na Índia. Três meses mais tarde, o novo Secretáriogeral do partido comunista da URSS, Mikhail Goubachev; sucederia a Cons-

tantin Tchernenko (19171985), para dirigir a União a União Soviética. Seis meses mais tarde, Espanha e Portugal aderiam à Comunidade Europeia (CEE). Oriundo do Torrão, o pai de Josélia trabalhava na construção civil. Oriunda de Lisboa, a sua mãe era auxiliar de geriatria, ou seja, tratava de idosos. Josélia obteve uma licenciatura em História, na Faculdade de Letras de Lisboa. Começou a trabalhar aos 23 anos de idade, tomando conta de um bebé, no Torrão, durante um ano. Aos 24 anos foi trabalhar, durante 3 meses, numa firma de escolha de lã, no Torrão. Depois, foi trabalhar num gabinete de apoio aos desempregados, durante dois anos e meio. Desde Agosto de 2011, está no serviço de atendimento – venda de óculos: “Gosto! Vou continuar”, disse. Solteira, vive com Luís, oriundo de Viana do Alentejo, há oito anos. Josélia gosta de comer bem e declara saber cozinhar “mais ou menos”. O prato que prepara melhor é puré de batata. Como gastrónoma, o seu prato de predileção é arroz de tamboril. A televisão interessa-a. Nela vê as notícias, séries americanas e documentários históricos. O seu lazer preferido é ver

televisão. A política interessa-a pouco: “O regime atual deveria ser eficaz, mas… não é.” Faz questão de votar em cada ato eleitoral. Solicitada a dizer, por ela própria, qual é a sua maior qualidade, declarou que é a de ter “paciência”. Segundo o poeta latino Quintus Oratius Flaccus (68-5 antes de Cristo): “A paciência torna tolerável o que não se pode impedir”. Nas suas “Reflexões e Máximas”, o moralista francês Luz de Clapiers, marquês de Vauvenargues (1715-1747), considera que: “A paciência é a arte de esperar”. Solicitada a dizer, com a mesma franqueza, qual é o seu maior defeito, declarou que é o “de ser teimosa”, perseverança que, para dizer a verdade, pode ser também uma qualidade. Quatro séculos antes da nossa era, o poeta grego Théocrate, salientou nos seus “Idílios”, que: “Perseverando, chega-se a tudo”. O dia mais feliz da sua vida foi quando terminou o curso da Faculdade. O mais triste foi quando o seu gato chamado “biscoito”, morreu, em Novembro de 2010. Do que se orgulha é de trabalhar “o trabalho afasta de nós três grandes males: “o aborrecimento, o vício e a necessidade”, lê-se em

“Candide”, do escritor francês Voltaire (1694-1778). Hoje em dia, Josélia lamenta ter saído de Lisboa e regressado ao Torrão: “Se calhar eu teria tido mais oportunidades de emprego”. Orgulha-se de ser Alentejana: Não sei se é mais bela região do país. Não conheço o país todo. Gosto da proximidade das pessoas. As paisagens são belas”. Em “Portugal”, o humanista Miguel Torga (1907-1995). Evidencia que: “em Portugal há duas coisas grandes: Trás-Os-Montes e o Alentejo. Trás-Os-Montes é o ímpeto, a convulsão, o Alentejo, o fôlego, a extensão do alento”. O que Josélia mais desejaria que viesse a acontecer neste Mundo, seria a paz Num dos seus célebres sermões, o Padre António Vieira (16081687) qualificou, com razão, a guerra de “calamidade composta de todas as calamidades, em que não há mal algum que, ou se não padeça ou, se não tema, nem bem que seja próprio e seguro”. Segundo um provérbio chinês: “A guerra é a festa dos mortos”. O sítio do Globo em que ela gostaria de ter a oportunidade de viver é a cidade de Londres: “Não fui, mas gostaria de lá viver devido à cultura e ao que vejo na televisão”. A personalidade pela qual

tem a maior consideração é o escritor José Maria Eça de Queirós (1845-1900): “Ele conseguiu criar uma visão elaborada do século XIX em Portugal”. A personalidade que detesta é a do fundador do nazismo: Adolf Hitler (1889-1945). A palavra da língua portuguesa que considera a mais bela é “Saudade”. A palavra da Língua de Camões para si mais feia é “egoísmo”. O ofício que gostaria muito de praticar se tivesse oportunidade para o fazer, seria o de arquivista de livros numa biblioteca. O ofício que recusaria – categoricamente – praticar - é o de coveiro. Para ela “para ser feliz é preciso ter lealdade”. “É infeliz quem não é leal. Tendo 26 anos idade, a

Alentejana Josélia Adriana Silvestre Bruno, conquistou uma licenciatura em História, na Faculdade de Letras de Lisboa. Segundo o escritor francês Paul Valéry (1871-1945): “A História é a ciência das coisas que não se repetem”. O Papa Léon XIII (1878-1903) considerava que “A primeira lei da História, é a de não ousar mentir. A segunda, de não temer exprimir a verdade”. Josélia faz questão de ser paciente. Em “Othello”, o célebre poeta dramático inglês William Shakespeare (1564-1616), chamou a atenção para o facto de que: “Os pobres são os que não têm paciência”. Com razão, orgulha-se de trabalhar. Segundo um provérbio da França: “Quem trabalha reza”.

Histórias do Ciclismo XVIII

A festa do fecho da Volta Era a última etapa do milénio, mas os ciclistas capricharam em não fazer grande caso do que era suposto ser uma tirada de grande responsabilidade porque, não é todos os dias que se festeja o milénio de qualquer coisa. A duas semanas da Volta, os ciclistas resistentes preferiram a galhofa, esquecendo-se das excelentes médias que fizeram e, andaram em ritmo de passeio, rumo à capital. Também pouco

havia para decidir, já cheirava a férias e, os 33 graus de temperatura que fazia, convidavam mais uma ida à praia do que ao esforço em cima da bicicleta, mas ainda havia quem estivesse interessado em discutir a vitória na etapa e, a posse da camisola verde. Esses, eram dois assuntos em aberto que passavam ambos pela equipa Porta da Ravessa, que não tinha ainda vencida nenhuma etapa e poderia

ainda ver o seu sprinter, o lituano Saulius Sarkauskas, vestir a camisola verde. Ao fim de cinco segundos lugares em etapas, era mais do que justo ganhar a última, pois se até Victor Gamito tinha sorte em mandar às malvas o azar e ser o eterno segundo na final da prova, porque seria que a equipa de Vítor Paulo Branco/Joaquim Gomes não haveria de fechar, com chave de ouro, a participação na 62.ª Volta

a Portugal em Bicicleta, a última que a empresa do Jornal de Notícias organizava. Era justo! Os seus desejos foram ouvidos sabe-se lá onde. Provavelmente no consciente de Sarkauskas, que ganhou a etapa em Lisboa, ao sprint e vestiu a camisola verde, uma beleza para a La/ Pecol, vencedora por equipas. E porque, festa é festa e não

havia direito que a quisessem estragar, por isso os prevaricadores que tentaram andar a sério, levaram que contar – bidões de água cabeça abaixo –, e voltaram à normalidade. Víctor Gamito à muito que andava de cabelo pintado de loiro, um visual de artista, imitado pelos seus colegas que também pintaram os cabelos. Solidariedade até ao fim.

Manuel dos Santos


Registado na ERC com o nº 123876 Propriedade e Editor - LitoralPress, Lda Tel./Fax: 269 822 570

www.jornallitoralalentejano.com

Fuga num pipeline em Sines provoca derrame de crude As 20 toneladas de petróleo em bruto foram removidas de imediato pela empresa para evitar a contaminação dos terrenos. Helga Nobre helga.nobre@gmail.com Cerca de 20 toneladas de crude foram derramados para o solo, no passado dia 9 de Outubro, devido a uma rutura no pipeline que liga a refinaria de Sines da Petrogal ao Porto de Sines, confirmou o Comando Territorial de Setúbal da GNR que acompanhou os trabalhos de remoção do petróleo em bruto. “A situação foi acompanhada pela equipa de proteção da natureza da GNR que fez uma recolha do líquido para análise”, adiantou o tenente-coronel Silvério Trafaria, relações

públicas da GNR. A fuga que ocorreu após

“uma falha no material” foi detetada junto a um dreno de águas pluviais numa “linha que não estava a ser utilizada na altura do incidente” junto à rotunda da Barbuda, adiantou o portavoz da Galp Energia. “Tratou-se de crude que se encontrava no interior do pipeline”, acrescentou Pedro Marques Pereira.

Desconhece-se até ao momento o impacte ambiental causado pelo derrame,

termos ambientais, quer para a saúde pública”. O presidente da Câmara

que se estendeu ao longo de meio hectare de terrenos, apesar de a empresa garantir que “além da perda de crude, não há danos adicionais a registar, quer em

Municipal de Sines, Manuel Coelho lamentou o incidente e adiantou que cabe à Agência Portuguesa para o Ambiente (APA) apurar as causas do derrame.

“Os técnicos da APA estão no terreno mas espero que o risco de contaminação do solo esteja eliminado”, avançou o autarca que se deslocou ao local, assim que tomou conhecimento do sucedido. “Os nossos serviços foram de imediato ao terreno e contactaram a APA, que é a entidade que deve intervir junto dos responsáveis”, sublinhou. Os trabalhos de remoção e limpeza das várias toneladas de hidrocarbonetos estiveram a cargo da empresa que enviou para o local carros de vácuo, camiões e uma retroescavadora. O porta-voz da empresa garantiu a realização de “inspeções permanentes em todas as linhas”. A linha de crude afetada tem uma extensão de cerca de 7 quilómetros.

Sónia Matias doa o seu cachet da corrida da Feira de Agosto à AISGRA

A prestigiada cavaleira Sónia Matias entregou no passado dia 9 de Outubro um cheque no valor de 2.500 euros à AISGRA – Associação de Intervenção Social de Grândola, para apoio à relevante actividade desta Instituição de Solidariedade Social. Durante a cerimónia simbólica que decorreu nos Paços do Concelho, o Presidente da Câmara, Carlos Beato, elogiou a atitude e o espírito de cidadania e solidariedade de Sónia Matias. Por seu lado, a cavaleira, que nos últimos dez anos tem integrado o cartel da corrida de Toiros da Feira de Agosto, agradeceu a forma como tem sido recebida no Município de Grândola, referindo-se não só ao carinho do público mas também ao importante papel desenvolvido por toda a comissão organizadora. Para Sónia Matias o apoio a esta instituição de solidariedade social é o corolário natural da sua vida profissional e do seu dever social, enquanto cidadã, particularmente neste momento de dificuldades que o País atravessa.


Jornal Litoral Alentejano