Page 1

_02 _02

VERão | TRiMESTRAL VERão | TRiMESTRAL

arQuitectura _engenHaria _construçÃo arQuitectura _engenHaria _construçÃo

_a arQuitectura e o ambiente _integração de eQuipas arQ. a. barreiros ferreira arQ. a. frança dÓria _bim certiterm

_engenHaria _infra-estruturas Ws atKins

_Habitação a custos controlados saraiVa & associados


StteiWithUs_02 Verão_2010

Jorge Filipe Gonçalo Curião design gráfico Ana Caria colaboração António Vilela | Cristina Figueiredo | Rui Gonçalves periodicidade Trimestral contactos publicidade Cristina Figueiredo cfigueiredo@sttei.pt | 217 542 480 coordenação

direcção editorial

Campo Grande 382 C, 1º A, 1700-097 Lisboa 217 542 480 | geral@sttei.pt | www.sttei.pt agradecimentos Alberto França Dória Arqº. | António Barreiros Ferreira Arqº. | Francisco de Azevedo Coutinho Engº. | Miguel Ferreira Engº. | Miguel Saraiva Arqº. sede

A revista Sttei With Us é dirigida a profissionais da área da Arquitectura, Engenharia e Construção.

Direitos Reservados_Nenhum dos conteúdos e grafismo desta publicação poderá ser reproduzido sem a prévia autorização escrita da editora. A violação destas regras será passível de procedimento judicial, de acordo com o estipulado no Código dos Direitos de Autor e dos Direitos Conexos. Todas as opiniões expressas são de inteira responsabilidade do respectivo autor. Sttei, Lda. © 2010


3

_Editorial

“O BIM oferece uma visão integrada a todos os membros da equipa, certificando-se que todos permaneçam focados e que se melhore a precisão do projecto. ”

Engº. Jorge Filipe Administrador da Sttei

_Chegou o momento de evoluir Todos sabemos que um dos problemas mais críticos da indústria da Arquitectura, Engenharia e Construção – e consequentemente, dos projectos inerentes, é a falta de comunicação entre os profissionais envolvidos. Então, como continuar a negar as vantagens óbvias de um conceito que está hoje a derrubar barreiras e a construir pontes de comunicação entre as equipas? Como ignorar uma tecnologia que abre novas oportunidades, oferece novos benefícios e formas de trabalhar? Falo-vos do conceito Building Information Modeling. Mais do que um processo integrado que amplia consideravelmente a compreensão do projecto e viabiliza os resultados delineados, o BIM oferece uma visão integrada a todos os membros da equipa, certificando-se que todos permaneçam focados e que se melhore a precisão do projecto. Ou seja, permite que se construa melhor, com mais rapidez e de forma mais económica. O BIM é mais do que modelação 3D, mais do que dados de objectos e mais do que a soma de ambos.

O BIM é um conceito diferente e não somente uma extensão da tecnologia. Acreditamos que este conceito pode e vai transformar a indústria da construção em Portugal, tal como já o faz noutros países. Não é por isso de estranhar que a Sttei invista em tecnologia que tem como base o BIM. Nós já definimos o nosso futuro. Agora chegou a sua vez. Não julgue que o BIM pertence ainda a um mundo utópico. É uma revolução que está em curso e que a indústria da Arquitectura, Engenharia e Construção insiste em participar como mera espectadora. Estamos presos a processos com mais de cem anos, replicados com as tecnologias existentes hoje. É hora de evoluir ou então ser ultrapassado. De resto, deixo um agradecimento a todos os que acolheram, aderiram e fizeram da Revista Sttei With Us um sucesso logo no seu lançamento. Mais do que uma publicação Sttei, lembre-se que esta revista é criada a pensar em Si! Jorge Filpe


4

_Sumário _06 Notícias Sttei | Optimizar a Produtividade

_10 Tem a Palavra Entrevista com Arq. António Barreiros Ferreira & Arq. Alberto França Dória

_14 Em Detalhe O BIM na Engenharia Civil

_16 Espaço de Referência CertiTerm

_18 With Us WS Atkins Consultores e Projectistas Internacionais, Lda.

_20 Na Mira Habitação a Custos Controlados Arq. Miguel Saraiva

_22 Mais Produtividade Render Farms

_24 Formação Qualificada Mundisoft | Autodesk Authorized Training Center

_26 Serviços Consultoria em Tecnologias de Informação e Comunicação | TIC


5


6

Notícias

projecto

© Kati Molin - Fotolia.com

Conversão do Arquivo dos SMAS de Sintra

Os SMAS de Sintra (...) são o mais recente organismo a recorrer ao serviço de conversão analógica-digital de projectos, prestado pela Sttei. Os SMAS de Sintra – Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra são o mais recente organismo a recorrer ao serviço de conversão analógica-digital de projectos, prestado pela Sttei. O SMAS de Sintra junta-se a um vasto grupo de empresas que engloba já a Galp Energia, Grupo Santander Totta, Portugal Telecom, Fundação Calouste Gulbenkian, entre outros. O processo de conversão irá reflectir em suporte digital a organização utilizada pelos projectistas, na hierarquia e divisão físicas dos documentos e peças desenhadas entregues nos SMAS de Sintra. A tipologia dos documentos a converter é vasta –desde estudos de viabilidade técnica, memórias descritivas a cadernos de encargos. O processo de conversão envolve 490 projectos, 150.000 páginas A4, 6.000 páginas A3 e 15.000 páginas A1/A0.

A experiente equipa Sttei, tendo em consideração o estado dos originais, faz o seu manuseamento obedecendo a cuidados especiais, para que a informação seja capturada pelos scanners sem que os documentos sejam danificados. Tendo em consideração o fim a que se destina o documento, a resolução dos ficheiros pode variar da alta (600 dpi) à baixa resolução (96 dpi), de acordo com as solicitações do cliente. O conjunto final dos ficheiros a fornecer é composto por um abrangente leque de formatos como: XML, PDF, TIFF, GeoTIFF, DWG, SHP ou MIF, entre outros, sendo o suporte físico dos ficheiros em formato DVD ou em alternativa, Blu-ray 25 Gb R. Por cada projecto convertido será elaborado um relatório conforme modelo fornecido pelo cliente.


7

Notícias

certificações sttei

Autodesk Plant Design e HP Professional Service Center Reflexo da constante aposta na formação e knowhow dos seus profissionais, a Sttei acaba de se tornar a única empresa em Portugal a obter a certificação em Autodesk Plant Design. Trata-se de uma solução vencedora do prémio 2009 Product of the Year Gold Award, atribuído pela Plant Engineering Magazine, publicação com mais de 63 anos, lida por cerca de 86.000 profissionais. A Solução AutoCAD® Plant 3D permite aos profissionais das áreas de Engenharia, Especialidades e Construção evoluir rapidamente

na concepção dos projectos, aumentando a produtividade e optimizando os custos. A HP acaba de anunciar a sua nova estrutura de Parceiros Especialistas de Serviços para 2010, tendo sido atribuída à Sttei a certificação de “Professional Services Partner” (PSP). Esta certificação vem acreditar a Sttei como um parceiro qualificado da HP na comercialização de Soluções de impressão em grandes formatos, prestando um serviço de qualidade superior.

sttei

Missão nas Astúrias A convite da Sociedade de Promoção Exterior do Principado das Astúrias, a Sttei esteve recentemente numa missão empresarial às Astúrias. A iniciativa teve como objectivo identificar oportunidades para as várias empresas convidadas e desenvolver networking com empresas asturianas.

A comitiva foi constituída por 10 representantes de empresas nacionais do sector das TI, bem como pelo representante do Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento – Dr. António Bob Santos, Adjunto do Secretário de Estado.


8

Notícias

Projectar

torna-se mais fácil

Autodesk

nova família de soluções

2011

A Autodesk aumentou o poder do AutoCAD®2011 com novas funcionalidades para o projecto conceptual e produtividade de desenho. Os produtos baseados em AutoCAD®2011 são certificados para Windows 7 e possuem recursos adicionais de topo, ajudando a tornar o projecto mais fácil. Novas ferramentas para modelação de superfícies e transparência para objectos e layers, são algumas das novidades que permitem maximizar a produtividade.

A familia 2011 inclui as seguintes aplicações verticais: AutoCAD® Architecture 2011; Autodesk® Revit® Structure 2011; Autodesk® Revit® MEP 2011; AutoCAD® Electrical 2011; AutoCAwD® Mechanical 2011; AutoCAD® MEP 2011; Autodesk® Navisworks® 2011; Autodesk® Buzzsaw® 2011; Autodesk® 3ds Max® Design 2011; AutoCAD® Civil 3D 2011; AutoCAD® Map 3D 2011, entre outras. Conheça a nova família de soluções Autodesk em www.sttei.pt

imaginarnaNet

base de dados técnica online e gratuita

A imaginarnaNet, empresa do Grupo Sttei, apresenta o materiaisnaNET.com, uma base de dados técnica sobre produtos para a construção, destinada a uma utilização profissional por parte de arquitectos, engenheiros, projectistas e empresas ligadas à construção. Este site tem por objectivo simplificar o processo de selecção de materiais e produtos para a construção por parte dos profissionais do sector, classificando e centralizando toda a informação técnica disponível e mantendo-a actualizada. A consulta da base de dados por parte de profissionais é gratuita, sendo apenas necessário um registo como utilizador. Para ter acesso a toda a informação (fichas de produtos, bibliotecas gráficas, fornecedores, distribuidores, etc.) basta subscrever a assinatura do materiaisnaNET. Para mais informações consulte www.imaginarnanet.com


9

Notícias

Mundisoft novos scanners colortrac A Mundisoft, distribuidor oficial da Colortrac em Portugal, empresa líder no fornecimento de scanners a cores de grande formato e soluções de software para captação de imagens, apresenta o compacto e acessível scanner SmartLF Ci 24. Concebido para digitalizar documentos técnicos, este scanner é rápido, preciso e acessível. Actualmente é a solução economicamente mais acessível no seu segmento de mercado. Graças ao seu tamanho compacto, é a solução indicada para espaços reduzidos. De rápida instalação, os sensores não precisam de ser alinhados e o sistema de LED não necessita de tempo de aquecimento ou calibração. O SmartLF Ci 24 permite aos profissionais das áreas de AEC, CAD, GIS digitalizar, copiar e partilhar imagens em formato A1 ou D . Este scanner possui uma resolução de 600dpi (alta resolução), permitindo captar imagens de mapas e documentos técnicos a preto e branco, cinza ou a cores, de forma precisa e detalhada.


10

Tem a Palavra

Arqº. António Barreiros Ferreira

&

Arqº. Alberto França Dória

“A arquitectura transforma o espaço. A sua substância primária é o ambiente. (...) O trabalho do arquitecto pode contribuir para manter ou restabelecer equilíbrios.”

Entrevista

_Edifícios Verdes e Construção Sustentável. Que importância dá a estes temas o gabinete TETRACTYS Arquitectos? Que projectos gostariam de destacar?

Sempre assim foi. Não se trata de uma aquisição recente. Os 10 Livros de Vitrúvio continuam actuais e os seus ensinamentos ainda são de grande utilidade.

B.F. A arquitectura transforma o espaço. A sua substância primária é o ambiente. O resultado pode ser favorecido pelas condições naturais, que transcendem o âmbito das nossas intervenções, ou não… Assim como o trabalho do arquitecto pode contribuir para manter ou restabelecer equilíbrios ou, pelo contrário, causar danos mais ou menos irreparáveis.

Recordo que em quarenta anos de trabalho a constante atenção às características físicas dos lugares e às condições naturais de ambientação térmica, de ventilação, de iluminação e acústica dos espaços construídos foi uma metodologia herdada da minha formação académica e profissional. Quer na Escola de Belas-Artes, com Frederico George, Lagoa Henriques e Manuel Tainha, quer nos ateliers onde, durante os anos 70 e 80, colaborei com Maurício de Vasconcelos, Bartolomeu Costa Cabral, António Nunes de Almeida, Manuel Sheppard, Arsénio Cordeiro e Luís Jorge Bruno Soares, por sua vez todos eles marcados pelo atelier Conceição Silva, a chamada “arquitectura amiga do ambiente”

A capacidade de entender o contexto da nossa actuação é uma das competências profissionais que nos é exigida. Sermos receptivos a todas as sinergias para podermos contribuir para o bem estar dos outros.


11

Tem a Palavra

preconizava, de modo empírico e voluntarista, aquilo que hoje é exigência regulamentada, rigorosa e mensurável. Penso ser aqui que se coloca a diferença. O gabinete TETRACTYS, que criámos em 1991, não foi só um virar de página processual. Foi a resposta a uma nova era na produção do projecto de arquitectura e a oportunidade de fazer face a desafios pautados pela inovação nos meios construtivos e tecnológicos, pelo rigor no projecto e na obra, pelo controle dos custos e pela eficácia do desempenho de empreendimentos que, como a FIL, no Parque das Nações, a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da Valorsul, em S. João da Talha, o Terminal Fluvial do Montijo da Transtejo, no Cais do Seixalinho e a Fábrica da Infineon Technologies, em Vila do Conde, se tornaram boas referências. Mas hoje a nossa aposta é ainda mais ambiciosa: a colaboração que tenho mantido com o Instituto Superior Técnico e as mais recentes parcerias técnicas em que nos temos envolvido com os mais diversos gabinetes de engenharia têm formatado estudos e projectos onde a interacção integrada dos sistemas passivos e dos sistemas activos concorrem efectivamente para a ambientação dos espaços construídos com flagrante redução dos respectivos custos de instalação e de manutenção, para o que tem contribuído com relevância o recurso a energias alternativas à queima de produtos de origem fóssil. Uma aposta de vanguarda que sistematiza o mais amplo sentido do engenho e da arte no vasto processo interventivo, do território ao objecto. Está neste contexto a nossa recente participação no

Programa de Modernização de Escolas do Ensino Secundário, da Parque Escolar, e projectos nas áreas da habitação, dos serviços, do comércio e do turismo que, à qualidade do ambiente natural, têm acrescentado valores singulares e específicos facultando a oferta de produtos inovadores como é o caso do Mar da Califórnia, em Sesimbra, da Praia da Marinha, em Lagoa, da Quinta dos Carvalhos, em S. João dos Montes, do Verde Parque, em Sacavém, do Morgado Lusitano, na Póvoa de Santa Iria, da Gare da Póvoa, no Cais da Póvoa, e da Quinta da Barrada, em Alcobaça. F.D. O conceito que essas expressões pretendem traduzir está, desde sempre, presente nos nossos projectos. A sustentabilidade e a eficiência energética têm sido sempre vertentes muito importantes que integram o nosso trabalho. Também na escolha dos materiais a utilizar na construção temos dado uma atenção cada vez mais significativa aos custos ambientais (incluindo aqui os custos energéticos) inerentes não só à sua extracção e produção, transporte e aplicação, mas também no que se refere à sua futura reutilização ou reciclagem quando terminado o seu ciclo de vida. Ainda relacionado com estes temas é essencial que seja assegurada, em projecto, a adequabilidade dos edifícios e das construções aos dados programáticos definidos, nunca esquecendo no entanto que, durante a sua vida, eles poderão vir a ser objecto de outras solicitações e assegurando, já na fase de projecto, essa capacidade de adaptação.

_Resort Praia da Marinha, Lagoa


12

_Edifício Verde Parque de Serviços e Comércio, Parque das Nações

_De que modo os projectos do gabinete TETRACTYS Arquitectos têm contribuído para a redução da factura energética global? B.F. Conforme referi, a redução só se torna efectiva na sequência da acção integrada de todas as disciplinas que concorrem para a edificação. Decorre das soluções arquitectónicas e da correcta articulação entre os espaços construídos e o ambiente natural, de uma estratégia concertada entre isolamento, condutibilidade e inércia aos diferentes níveis mas sobretudo no que respeita à térmica e à humidade, dos coeficientes de eficácia que os sistemas possam estabelecer entre si e, evidentemente, da rentabilização das fontes energéticas. F.D. É nossa preocupação que exista sempre uma relação de sintonia entre o “objecto” que se está a projectar e o seu local de implantação. Deverão ser ponderadas a geografia e a morfologia do terreno, bem como as orientações mais adequadas. Projectar para diferentes latitudes (e mesmo diferentes longitudes) e exposições solares não pode ser encarado de forma idêntica.

Ainda neste âmbito, sem descurar todos os outros aspectos a que a arquitectura deverá dar resposta, é essencial que se proceda a uma escolha criteriosa das soluções construtivas e dos materiais mais adequados. É da maior relevância a recuperação e a reinvenção dos métodos de construção tradicionais, assim como o reconhecimento e a correcta e adequada utilização das soluções e materiais que a constante evolução técnica vai disponibilizando. _Que vantagens competitivas encontra o TETRACTYS Arquitectos no recurso às tecnologias da informação? Como se articula com os outros gabinetes envolvidos? Como é feita a integração e a coordenação entre os projectos de arquitectura e das engenharias? F.D. A interligação entre todos os projectistas intervenientes e entre estes e o dono da obra foi e será sempre condição essencial para o sucesso de um projecto. O recurso à informática, quando bem aproveitado, veio permitir a execução de todas as parcelas do projecto de uma forma mais integrada, fazendo face a condicionalismos específicos e possibilitando a redução de prazos. Facilitou e tornou mais


13

“ O recurso à informática, quando bem aproveitado, veio permitir a execução de todas as parcelas do projecto de uma forma mais integrada, fazendo face a condicionalismos específicos e possibilitando a redução de prazos.” rigorosas as interligações antes referidas. Garantiu ainda uma eficaz transmissão dos elementos de projecto, simplificando e introduzindo maior rigor na preparação e na execução da obra. Por estes motivos, sempre fizemos questão de acompanhar a evolução dos equipamentos informáticos e principalmente do “software” utilizado no âmbito do desenho assistido por computador e no âmbito da produção de imagens virtuais. Estas ferramentas revelam-se cada vez de maior utilidade não só como auxiliares do acto de projectar mas também na comunicação com os restantes projectistas e com o dono da obra, concorrendo para uma boa compreensão do projecto e permitindo explorar um sem número de alternativas e aferir de entre estas quais as melhores opções a tomar. B.F. E o envolvimento de todos os que connosco colaboram, dentro e fora do gabinete, quer na pesquisa quer no desenvolvimento dos trabalhos, numa cultura de equipa, participada, motivada, produtiva e responsável.

_Quais as estratégias de futuro do gabinete TETRACTYS Arquitectos? F.D. Seguindo as opções que estiveram na génese do gabinete, prosseguiremos o nosso trabalho no âmbito das diversas vertentes que constituem a produção arquitectónica. Embora numa conjuntura que é reconhecidamente desfavorável, mantemonos optimistas sustentando a produção do gabinete, quer a nível nacional quer no exterior, num cada vez maior esforço de organização e apostando sempre na implementação dos valores que referimos. B.F. Continuar a perseguir a razão da sua fundação: “…Tetractys, a Harmonia que preside ao nascimento de todos os seres, ao princípio de todas as coisas, série dos primeiros quatro números cuja soma é igual a dez, triangulo que reúne a fonte e a raiz da eterna natureza, da criação e do conhecimento…

António Barreiros Ferreira Arquitecto Alberto França Dória Arquitecto tetractys@netcabo.pt 218 490 830


14

© Tomás Martins – Fotolia.com

Em Detalhe

O BIM na Engenharia Civil O Projecto com base em modelos não é um conceito novo na Engenharia Civil; o que é inovador é a possibilidade de ligação, integração e articulação entre o projecto e a documentação a ele associada. A plataforma BIM garante uma total articulação entre as várias especialidades.

“BIM” significa Building Information Modeling. É um modelo de organização de informação que permite representar, de forma consistente e coordenada, toda a informação relativa a uma infraestutura. O BIM é um conceito que começou a ser divulgado pela Autodesk em 2002. Actualmente, nos EUA, estima-se que 50% das construções sejam desenvolvidas com base neste conceito. Os projectos desenvolvidos sobre BIM representam uma revolução relativamente aos sistemas de CAD, quer pela diminuição do risco de ocorrência de erros, quer pelos elevados níveis de produtividade alcançados e pela qualidade de informação gerada, não permitindo falhas de comunicação entre os elementos envolvidos no projecto.

É segundo este princípio que o software AutoCAD® Civil® 3D funciona. Mas o que é o AutoCAD® Civil® 3D e de que forma está relacionado com o BIM? Comecemos pela tecnologia e depois pelo conceito. O AutoCAD® Civil® 3D integra as capacidades de desenho e projecto do AutoCAD com funcionalidades dinâmicas, baseadas em relações de objectos de engenharia civil. É uma solução que oferece as mais avançadas ferramentas, garantindo em tempo real maior flexibilidade na exploração de modelos e projectos finais. Há três momentos cruciais no projecto de uma infraestutura: a fase inicial (concepção); a fase de


Em Detalhe

15

Através da criação e utilização de informação coordenada, consistente e informatizada, o BIM está a revolucionar a forma como a tecnologia é utilizada na indústria AEC. integração entre o projecto de arquitectura e o projecto de engenharia e a fase de integração das especialidades (AVAC; Electricidade...). O projecto baseado em modelos gráficos não é um conceito novo na engenharia civil; o que é inovador é a possibilidade de ligação, integração e articulação entre o projecto e a documentação a ele associada. Através de um modelo interactivo, o software Civil® 3D permite coordenar AutoCAD® automaticamente o projecto com as peças desenhadas que o compõem. Assim, quando um pormenor de um dos desenhos é alterado, todas as partes relacionadas são automaticamente actualizadas. Assim, é possível interligar os projectos de arquitectura e engenharia, permitindo a ambas as equipas visualizar e coordenar os projectos. Os dados podem ser partilhados entre o software Revit Architecture e o software AutoCAD® Civil® 3D, através de ficheiros DWG. Depois da equipa de projecto de engenharia fazer as alterações com o Civil 3D pode comunicá-las e partilhá-las através de ficheiros DWG, incorporandoas no modelo de informação de construção.

À medida que o projecto se encaminha para a fase de detalhe e de documentação da construção, a coordenação entre o Arquitecto e o Engenheiro é crucial. Os engenheiros criam os seus documentos da construção tendo por base o projecto de arquitectura e vice-versa. Quando os engenheiros de especialidades dão início ao seu trabalho, necessitam de fazer a ligação entre os sistemas mecânicos da construção e as especialidades – água, electricidade, esgotos, etc…sendo esta uma fase crítica. O modelo BIM, construído com base no software Revit e Civil 3D, facilita esta operação, através da partilha de ficheiros DWG. De salientar que a optimização do tempo nesta fase é muito importante, pois quanto mais rapidamente avançar a construção, menores serão os custos associados. Através da criação e utilização de informação coordenada, consistente e informatizada, o BIM está a revolucionar a forma como a tecnologia é utilizada na indústria AEC, transformando o processo de criação de desenhos em processo de criação de modelos.

O software AutoCAD® Civil® 3D oferece as seguintes funcionalidades _Análise geoespacial integrada _Superfícies, volume e taludes (grading) e relações dinâmicas _Ferramentas de modelo de informação da construção _Disposição inteligente de condutas _Análise hidráulica e hidrológica integrada para a gestão de águas pluviais _Contabilização de materiais dinâmica e cálculos de trabalhos de terraplenagem _Estilos, normas CAD e desenhos para produção _Ferramentas de visualização e comunicação

Inácio Canelas Facilities Manager


Espaço de Referência

16

Certiterm

um virar de página na abordagem do projecto Garantir o cumprimento dos requisitos legais nas áreas da eficiência energética de edifícios, energias renováveis, climatização e ventilação bem como, a satisfação do cliente, é o objectivo da CertiTerm. Para alcançar a solução que melhor concilia excelência técnica com exequibilidade, sem nunca perder de vista a análise económica do projecto ou produto, a CertiTerm recorre à utilização de ferramentas de desenvolvimento de projecto com base no BIM – Building Information Modeling.

Empresa sólida e de valor acrescentado para o tecido empresarial português, a CertiTerm surge em 2007, com sede em Faro, para dar sequência e aplicação aos Decretos Lei 78, 79 e 80/2006, respectivamente o Sistema de Certificação Energética (SCE), o Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios (RSECE) e o Regulamento das Características de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE).

A partir do momento em que a CertiTerm se afirmou no mercado através de projectos de grande envergadura, sentiu a necessidade de partir para metodologias de trabalho mais avançadas. Recorreu por isso a ferramentas de desenvolvimento de projecto com base no “BIM”. Especializada nas áreas da eficiência energética de edifícios, energias renováveis, certificação energética, climatização e ventilação, ao longo dos anos a empresa adquiriu considerável experiência nas áreas da consultoria energética, auditorias energéticas e projectos de engenharia, mais especificamente nas vertentes do AVAC, térmica e acústica.

A partir do momento em que a CertiTerm se afirmou no mercado através de projectos de grande envergadura, sentiu a necessidade de partir para metodologias de trabalho mais avançadas. Recorreu por isso a ferramentas de desenvolvimento de projecto com base no “BIM”, nomeadamente o software Revit® e Revit® MEP, da Autodesk e o software TermoBuild®, solução desenvolvida pela Sttei e ImaginarnaNET para análise e verificação do comportamento térmico dos edifícios.


Espaço de Referência

De acordo com Miguel Ferreira, Sócio Gerente da CertiTerm, “estas ferramentas acrescentam mais informação aos projectos (visualização 3D) e facilitam assim as alterações no decorrer das obras. O mapa de medições, que é feito automaticamente, mostra-se também elemento indissociável e indispensável a este tipo de metodologia.” Quando questionado relativamente à escolha da solução TermoBuild®, Miguel Ferreira explica que “houve a necessidade de utilizar uma ferramenta em que as medições fossem geridas automaticamente após o desenvolvimento do modelo do edifício, minimizando os erros e omissões das medições, facilitando o trabalho de preparação da obra”. Na sequência da utilização do software Revit® e TermoBuild® para a verificação do RCCTE, a CertiTerm acaba igualmente por optar pela solução Revit® MEP para os projectos de AVAC, como forma de unificar a apresentação destes e tirar partido do potêncial da ferramenta (cálculo de áreas, cargas térmicas, estudo da radiação solar, simulação detalhada do edifício, mapa de medições, etc). “Optámos pelo Revit® MEP pela sua multidisciplina, ou seja, as diferentes especialidades agregadas num só software (arquitectura, AVAC, águas, esgotos, electricidade, simulação energética, iluminação natural, …)”, acrescenta o responsável.

17

Actualmente a equipa da CertiTerm dispõe de 2 licenças de Revit® MEP 2010 que incluem a solução TermoBuild. A empresa encontra-se em fase de desenvolvimento de conteúdos considerando o investimento neste software como “essencial para quem quer apresentar um produto ou projecto de excelência, como por exemplo: visualização 3D “BIM”, plantas, cortes, alçados, lista de equipamentos, simulação energética, simulação de iluminação natural, etc.” Tratando-se de soluções muito específicas, e no sentido de tirar o maior benefício das mesmas, a formação tornou-se um elemento indispensável. A planificação da formação interna dos colaboradores da CertiTerm ficou assim a cargo da STTEI e ImaginarnaNET, dotadas de certificação, profissionais e experiência nesta área. “A formação é de fácil compreensão mas não dispensa a sua continuidade e desenvolvimento de modelos. Da Sttei e da ImaginarnaNET recebemos a formação inicial necessária para começarmos a desenvolver modelos e conteúdos. Mostraram-se sempre disponíveis para ajudar e resolver as dúvidas que foram surgindo”, conclui Miguel Ferreira.

Certiterm www.certiterm.pt | geral@certiterm.pt 289 411 031


With Us

18

WS Atkins consultores e projectistas internacionais, lda

Desenvolvendo a sua actividade nas áreas de Estudos e Projectos, Assessoria e Gestão de Empreendimentos, o sector dos transportes e o sector ambiental são fundamentais para ao Grupo Atkins, nos quais procura tornar-se uma referência a nível mundial. Em Portugal desde 1987, a Atkins é uma empresa de consultoria detida a 100% pela Atkins plc., um dos maiores e premiados grupos de consultores, criado em 1938 no Reino Unido. Com cerca de 100 profissionais em Portugal, a Atkins é uma empresa de serviços multidisciplinar, que engloba as engenharias, arquitectura, paisagismo, planeamento urbano, assessoria ao financiamento de investimentos, serviços imobiliários, entre muitos outros.

A carteira de clientes da Atkins é vasta já que o Grupo posiciona-se em áreas e mercados como os Transportes, Telecomunicações, Energia, Água, Saneamento, Indústria, Saúde, Educação, Turismo, Urbanismo e Defesa. A sua actividade de Gestão de Obras e Fiscalização abrange urbanizações, edifícios e instalações comerciais e de serviços, unidades hoteleiras, hospitais e industriais, e as mais variadas e diversificadas infra-estruturas hidráulicas e sistemas de saneamento básico e transportes.

A destacar ainda a consultoria técnica no âmbito da preparação, avaliação prévia e contratação de projectos PPP’s dos Hospitais de Cascais, Braga, Vila Franca e Loures, as primeiras unidades de Saúde a serem implementada no modelo de Parcerias Público -Privadas de Saúde em Portugal.

Em Portugal, destaque para a requalificação da zona nascente da Cidade de Almada e o trabalho desenvolvido em consórcio para as Parcerias Saúde.

O planeamento de infra-estruturas de saúde e engenharia de instalações e equipamentos hospitalares e os procedimentos, em todas as fases e sub-fases integrantes do processo concurso foram incumbências do consórcio, na data constituído pelo BPI, Barrocas, Sarmento e Neves, Intersalus, No Limits Consulting e Atkins.

O projecto da Frente Ribeirinha Nascente da Cidade de Almada consiste numa abordagem articulada entre a elaboração do Estudo de Caracterização Ambiental, Geológica e Geotécnica e o Plano de Urbanização, de uma área de cerca de 115 hectares, na qual se integram os antigos estaleiros navais da Lisnave, na Margueira.

À Atkins coube a responsabilidade da preparação da documentação do concurso, a avaliação de propostas, a resposta às pronúncias dos concorrentes, a avaliação e apoio em fase de BAFO, a preparação e assistência à negociação do contrato bem como, a fundamentação da resposta aos pedidos de esclarecimento.


With Us

19

Planear, Projectar e Facilitar “É importante dispor de uma empresa credível e com capacidade que nos forneça as soluções de projecto ideais para a gestão e para os projectos de Engenharia e de Infra-estruturas associados à construção. Estamos convencidos que a STTEI é o parceiro ideal.”

“Planear, Projectar e Facilitar” é o lema da WS Atkins, premiada internacionalmente e a nível nacional. Foi considerada a maior empresa de consultoria multidisciplinar Europeia (STD 2008); a maior empresa de consultoria inglesa de engenharia no Médio Oriente (NCE 2008); a maior empresa de Engenharia do Reino Unido no Sector Ferroviário (NCE 2009); a maior empresa de Engenharia no Sector de Fabricação (NCE 2009), entre muitos outros prémios.

Francisco Azevedo Coutinho Director Comercial www.wsatkins.pt | fac@wsatkins.pt 217937482


Na Mira

20

habitação a custos controlados

Arqº. Miguel saraiva

"A base destes projectos como qualquer outro, tanto em termos Urbanísticos como Arquitectónicos, vive do conceito, sendo esta a base de sustentação de todo o processo."

Parece-me pertinente, desde logo, explicitar porque lhe chamo habitação de custos controlados e não habitação social. É conhecido por todos o artigo 65º da Constituição que consagra o direito fundamental à habitação. Esta deve ser condigna e adequada às expectativas de uma sociedade moderna e desenvolvida. Norteamos o nosso trabalho em requisitos firmes para que, o contributo que tentamos dar ao combate à carência habitacional, se concretize nas premissas de dignidade, funcionalidade e arte que todos merecem. Temos a preocupação de desenvolver um projecto de custos controlados de forma a que este não se distinga de qualquer outro e que não seja rotulado como tal. Sujeito a certas condicionantes (como o próprio nome indica), a ideia é que haja um esforço suplementar para que esse projecto não se evidencie pela sua finalidade social, mas, no limite, pela qualidade que lhe é intrínseca. Que seja primordialmente, como são todos os projectos, inserido no local onde é desenvolvido, de forma a surgir como um complemento e a conferir uma harmonia à zona de intervenção. A monofuncionalidade residencial tentada ao logo dos anos é um fracasso. Temos tido a preocupação de contrariar esta situação através da criação complementar de outros usos, tais como o comércio, equipamentos sociais e alguns serviços,

que possam servir a comunidade, entendendo esta, não apenas como aquela que vamos alojar, mas o conjunto onde esta se integra. A base destes projectos como qualquer outro, tanto em termos Urbanísticos como Arquitectónicos, vive do conceito, sendo esta a base de sustentação de todo o processo. Em termos de imagem dos edifícios, há essencialmente uma preocupação de ruptura para com aquilo que pejorativamente é habitualmente designado como bairros sociais. Tendo em consideração as obrigações técnico legais deste tipo de construção, tentamos, conceptualmente, a decomposição volumétrica para nos afastarmos da ideia de caixa habitacional, vulgo e depreciativo “caixote”. O levantamento das necessidades e hábitos culturais dos “futuros residentes” é algo fundamental para que a definição da tipologia e a solução arquitectónica adoptada surja ajustada e adequada. Há dois pontos que não descuramos: a importância da futura manutenção, que surge como embrionária quando nos dedicamos ao desenvolvimento dos projectos de custos controlados; e a interdisciplinaridade que um projecto deste género implica.


Na Mira

21

“A ideia é que haja um esforço suplementar para que esse projecto não se evidencie pela sua finalidade social, mas, no limite, pela qualidade que lhe é intrínseca.” O projecto de habitação e em particular de habitação a custos controlados não se extingue na construção da casa. Compete-nos, enquanto arquitectos, fazer reflectir as nossas preocupações junto das várias entidades envolvidas, alertandoas para o facto de que uma casa “per si”, não soluciona o problema. Aproveitar a oportunidade de transformar uma “casa” nova, num elemento de referência para uma nova vida e identidade, criar algo que apele à vontade de manter, que faça quem habita orgulharse do que tem e onde está, é fundamental e ajudanos, enquanto arquitectos, no tema da manutenção, pois esta está intimamente ligada à dignidade e ao respeito por quem habita. O orgulho à escala do bairro é um enorme passo para a valorização das pessoas e da comunidade que o integram, mas sabemos que se outras entidades descurarem as suas responsabilidades, criar-se-ão as condições para que o desrespeito e a deterioração do património se tornem uma realidade, tanto de espaços públicos como privados. Neste sentido, também a escolha de materiais e de infra-estruturas que atendam a estas condicionantes têm norteado as nossas opções, pois são parte integrante da equação, mesmo que por vezes daí resulte um combate (saudável) entre os arquitectos e os promotores.

De nada nos serviria os pressupostos anteriormente descritos para o desenvolvimento de um projecto de custos controlados se ignorássemos, de início, a questão da manutenção, pois se esta falhar todo o projecto fica condenado. À medida que ganhamos experiência neste tema e que reflectimos sobre o percurso que já desenvolvemos, olhamos para o futuro e sentimolo recheado de desafios, com o incessante aperfeiçoamento e a procura de novas soluções. Pensando nas pessoas, e respeitando as directivas que nos guiam no desenvolvimento dos projectos de custos controlados, temos a plena consciência que há um longo caminho ainda por percorrer. Devemos ambicionar a progressão ao nível do desenho, mas também na qualidade e na interpretação das novas formas de habitar. Esta temática tem tanto de complexa como de apaixonante.

Miguel Saraiva Arquitecto, Director Geral da MS&A Saraiva & Associados www.saraivaeassociados.com msaraiva@saraivaeassociados.com 213939340


Mais Produtividade

22

Render Farms Este modelo de trabalho permite distribuir o processo de cálculo por múltiplos computadores distribuídos pela rede informática (nodes). O rendering 3D é o processo de criação de imagens digitais baseadas nos modelos virtuais criados em software específico (3ds Max, Maya, Adobe Premiere, etc), simulando como as condições de luminosidade do mundo real, baseadas na geometria, texturas, ponto de visualização, iluminação e outros factores pertinentes à emulação das condições reais, se aplicarão a esses modelos. Na produção de conteúdos 3D, a última fase, rendering, é na maior parte das vezes, a que mais tempo e recursos consome, provocando o estrangulamento das redes informáticas e perda de performance dos sistemas, pois para a produção de imagens de alta resolução são necessários recursos de processamento que, normalmente, não estão disponíveis nas pequenas e médias empresas. Os cálculos necessários para esta fase são intensivos e os sistemas que, normalmente, são usados nas fases preliminares, não têm as características necessárias para este processo, nem ao nível de processadores, nem ao nível de memória física. Assim, uma simples imagem pode levar várias horas a ser produzida; uma animação que é composta por centenas de imagens, pode levar dias ou até semanas. O ‘distributed rendering’, antes usado pelos estúdios cinematográficos, já está ao alcance do utilizador comum, com níveis de performance não alcançados anteriormente. Este modelo de trabalho permite distribuir o processo de cálculo por múltiplos computadores distribuídos pela rede informática (nodes). O agregado destes sistemas compõe a render farm. O benefício deste modelo é que, sendo escalável, pode ser configurado mediante as necessidades dos projectos, e com a descida de preços dos sistemas e a simplicidade de gestão implementada pelas novas versões do software, não há razão para quem produz conteúdos 3D, para não optar por esta solução.

A render farm é controlada por um sistema central, manager, que distribui o trabalho para cada unidade de processamento, node ou server. Esta solução é aconselhada quando se tem grandes projectos em simultâneo. Quando o artista completa o seu trabalho na cena 3D, na estação de trabalho principal, esta é enviada para o sistema central; então o sistema organiza o trabalho em vários blocos que são distribuídos por cada node disponível, e quando o processamento é finalizado colecta as diversas partes para produzir o trabalho final. Por uma questão económica e de espaço, os nodes são normalmente sistemas em chassis 1U de montagem em bastidores, pois permitem uma maior agregação num mínimo de espaço. Estes sistemas, com 2 ou 4 processadores físicos de alto desempenho, deverão ser providos com memória suficiente para o ambiente do utilizador. Esta memória deve ser calculada em função da complexidade do modelo e do número de trabalhos a processar em simultâneo. Deve-se ter em conta que, devido à limitação dos sistemas operativos de 32 bits que apenas endereçam um máximo de 4Gb de memória, um sistema de 64 bits é obrigatório. O requisito para armazenamento destes sistemas não é crítico, uma vez que apenas o sistema operativo e a aplicação base de render serão instalados. Os diversos plug-ins e bibliotecas de texturas necessárias deverão estar num sistema à parte e acessível por todos os nodes. Também o requisito de processamento gráfico não é de grande importância, pois o que necessitamos é de processamento intensivo de cálculo. No entanto, as necessidades de comunicação da rede informática não deverão ser negligenciadas. Estes sistemas que normalmente possuem placas gigabit duplas, devem estar numa subnet isolada e ligadas a switches com máxima prioridade; isto justifica-se


Mais Produtividade

23

A render farm é controlada por um sistema central, manager, que distribui o trabalho para cada unidade de processamento, node ou server. Esta solução é aconselhada quando se tem grandes projectos em simultâneo.

pois o tráfego entre todos os pontos desta estrutura é intenso, e assim minimiza-se o estrangulamento na rede de trabalho normal. Resumindo: os nodes, configurados com a última tecnologia de processadores multicore (diversos

núcleos), e suficiente memória rápida, são a opção correcta para quem tem necessidade de produção em volume de imagens digitais. Esta tarefa é efectuada em segundo plano, libertando a estação de trabalho para as funções de composição de imagens.

Rui Gonçalves Director Técnico rgoncalves@sttei.pt


Formação Qualificada

24

AUTOCAD LT®

assuma a liderança com o software autocad lt® Um software líder no sector do desenho 2D que pode ajudá-lo a aumentar a sua liderança profissional. _A Produtividade Começa Aqui Ao longo de mais de 25 anos, o software AutoCAD® tem proporcionado funcionalidades que aumentam a produtividade. Pode beneficiar dos melhoramentos da versão mais recente do software de desenho 2D AutoCAD LT, podendo optimizar a sua eficácia e precisão profissional até 35%**. _A Compatibilidade Começa Aqui O formato genuíno do ficheiro DWG™ do AutoCAD LT®, facilita a fiabilidade e compatibilidade de dados com um dos mais frequentemente usados formatos de arquivo, para que a sua comunicação com clientes e colegas seja fácil e precisa. _A Fiabilidade Começa Aqui O AutoCAD LT® tem por base a mesma tecnologia do software AutoCAD®, que é usada por milhões de profissionais para ajudá-los em processos de criação precisos e eficientes, documentando e partilhando desenhos.

publicidade

formaçãoMundisoft "A formação foi oportuna e mostrou muitos conceitos por mim desconhecidos." Manuel Costa | RCMER – ER – ESTUDOS DE REDES MT/BT | EDP Distribuição Curso

Duração

Início

Horário

Dias

Preço

AutoCAD MEP 2011

28h

22 Junho

18:30h – 22:00h

3.ª a 5.ª feira

€ 390,00

AutoCAD® 2D 2011

42h

28 Junho

09:30h – 13:00h

2.ª a 6.ª feira

€ 450,00

®

Autodesk 3ds Max Design

42h

28 Junho

18:30h – 22:00h 2.ª, 3.ª, 5.ª feira

€ 480,00

Revit® Architecture 2011

63h

28 Junho

18:30h – 22:00h 2.ª, 4.ª, 6.ª feira

€ 650,00

AutoCAD 2D 2011

42h

12 Julho

18:30h – 22:00h

€ 450,00

AutoCAD® Map 3D 2011

28h

12 Julho

18:30h – 22:00h 2.ª, 4.ª, 6.ª feira

€ 420,00

AutoCAD 2D 2011

42h

21 Julho

09:30h – 13:00h

2.ª a 6.ª feira

€ 450,00

AutoCAD® 2D 2011

42h

11 Agosto

09:30h – 13:00h

2.ª a 6.ª feira

€ 450,00

®

®

®

®

www.mundisoft.pt

2.ª a 6.ª feira


Formação Qualificada

25

Livros Técnicos HCC/CCH

habitação a custos controlados Lançado pela Editora True Team Publishing & Design, especializada na área da Arquitectura Portuguesa Contemporânea, o Livro HCC dá a conhecer alguns dos principais projectos do Atelier Saraiva & Associados realizados na área da habitação a custos controlados, através de intervenções urbanísticas marcadas por uma imagem moderna, harmoniosa e com qualidade técnica. Este projecto que resulta de uma aprendizagem contínua na aplicação de novas soluções arquitectónicas, com qualidade e inovação, ultrapassando programas com critérios extremamente rigorosos, pretende contribuir para uma nova imagem arquitectónica das cidades portuguesas e para o bem estar de quem as habita. Empreendimentos como o da Av. Calouste Gulbenkian em Faro, da Relva e da Fajã de Cima em Ponta Delgada, da Arroja em Odivelas, do Bravio em Angra do Heroísmo, são alguns dos projectos apresentados neste livro bilingue. Principais pontos de Venda – Fnac, Amazon, Bertrand, El Corte Ingles

Autodesk Inventor 2010 curso completo

O Autodesk Inventor é uma poderosa ferramenta de CAD que visa o desenvolvimento de produtos e equipamentos com recurso à modelação 3D, sendo especialmente concebida para todos os profissionais que trabalham na área de Design, Concepção e do Projecto 3D. Apresentando um texto fluído e de fácil compreensão, este livro permite ao leitor uma aprendizagem autónoma através de capítulos compostos por uma explanação teórica e um conjunto de exercícios práticos.No final de cada capítulo, o leitor encontra, em forma de conclusão, um resumo dos principais tópicos abordados e respectivas dicas. É um livro para iniciação, actualização e aprofundamento de conhecimentos, apresentando todas as funcionalidades das versões 2008, 2009 e 2010.


Serviços

26

CONSULTORIA EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO tic A conjuntura económica que atravessamos obriga as empresas a olharem o mercado de forma mais objectiva. A sua concorrência apresenta, cada vez mais, uma oferta mais abrangente e competitiva de produtos e serviços sendo por isso fundamental que se foque naquilo que gera mais valor para o seu negócio.

O grau de produtividade de um agente económico é, regra geral, um dos melhores indicadores para a medição do nível de eficiência e eficácia do mesmo. O recurso à Consultoria externa pode tornar-se num factor diferenciador de sucesso. Os decisores devem focar-se no core business da organização, perseguindo ganhos de competitividade e produtividade. A Produtividade é basicamente definida como a relação entre o esforço para se produzir algo e o resultado obtido. Quanto menor é o esforço e maior o resultado, maior é a produtividade. O grau de produtividade de um agente económico é, regra geral, um dos melhores indicadores para a medição do nível de eficiência e eficácia do mesmo. Aliado à Produtividade deverá estar inerente o conceito de Qualidade. As empresas que vingam nos mercados mais exigentes têm obrigatoriamente que satisfazer estes dois requisitos. A Consultoria Informática que a STTEI desenvolve, em parceria com a empresa Tecnologias Imaginadas, vai ao encontro deste paradigma. Uma vez identificadas as suas necessidades são aconselhamos os produtos e soluções costumizadas que melhor se adequam à sua realidade, bem com é prestada a assistência na implementação de projectos, melhorando os processos e reduzindo os custos, de forma a retirar das tecnologias o máximo de benefício económico. Através dos seus colaboradores, a Sttei/Tecnologias Imaginadas tem vindo a desenvolver serviços de consultoria

em Análise ao Parque Informático da empresa; Estruturação de Redes e suas Seguranças; Servidores e Workstations; Metodologia de Trabalho; Sistemas Operativos e de Gestão Comercial; Aplicações Específicas e Soluções à Medida; Imagem Corporativa e Presença na Internet; Hosting e Housing; Análise de Custos, entre outras áreas. Serviços prestados pela Sttei _Soluções globais adaptadas à realidade  do  Seu  negócio,  numa  vertente  de optimização  de  recursos  e  rápida  amortização  do investimento; _Engenharia  de  Sistemas; _Desenho  de  Soluções  de  Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC); _Suporte em TIC; _Gestão  e  Manutenção  de  Serviços  TIC, conforme  melhores  práticas  ITIL  e  ISO/IEC  20000; _Gestão e Suporte avançados  a  Parques  Informáticos; _Gestão  e  Manutenção  de  arquitecturas Servidor  Cliente  em  ambientes  Microsoft  e  Linux; _Gestão, Manutenção e Administração  de  todo  o  tipo  de  Redes  &  Sistemas; _Sistemas  de  Monitorização  e  Alarmística  24x7  (24horas  por  dia,  7  dias  por  semana); _Registo,  Gestão  e  “Reporting”  de  todas  as  Ocorrências  e/ou  Avarias; _Intervenções  locais  e  remotas; _Helpdesk  e  Servicedesk  telefónico;


Serviços

27

Soluções de Redes e Sistemas _Implementação  e  configuração  de  gestores  e  optimizadores  de  tráfego  de  rede; _Arquitecturas  Servidor  Cliente  em  ambientes  Microsoft  e  Linux; _Auditorias  de  Segurança  às  Infra-estruturas  e  Sistemas  de  TIC; _Migrações; _Projectos de Consolidação e Virtualização de sistemas; _Soluções  de  Voz  sobre  IP  (VoIP); _Instalação,  Configuração  e  Manutenção  de  todo  o  tipo de  redes  (LAN,MAN  e  WAN); _Instalação,  Configuração  e  Manutenção  de  redes  de  Nova  Geração  (NGN)  ; Integração e Desenvolvimento de Software _Integração  de  Soluções  diferenciadas  de  Sistemas  de  Informação; _Desenvolvimento  de  módulos de  Software  à  medida  para  apoio  à  actividade  e  gestão  empresarial; _Desenvolvimento  de  Aplicações  e  Sites  Web; _Soluções  de  Comércio  Electrónico; _Desenvolvimento  de  Bases  de  Dados; _Soluções  de  Gestão  de  Conteúdos;

ASP - Application Solution Provider Inoweb Solução que permite a criação do site corporativo da sua empresa sobre a plataforma Tekportal e respectivo alojamento no servidor da Sttei, com base num fee mensal. Após a instalação, recorrendo ao backoffice do portal, o cliente pode adicionar, alterar ou remover textos, imagens, e gráficos sempre que quiser, em minutos.

Estão igualmente ao vosso dispôr, os seguintes serviços de valor acrescentado para o Serviço Inoweb _Análise de visitas e acessos; _Ligações e acessos seguros com certificação e encriptação de dados. _Criação de novas páginas e actualizações de estrutura; _Introdução, actualizações e alterações de conteúdos, pontuais e continuas; _Optimizações para motores de busca (SEO – Search Engine Optimization); _Estudo e conceptualização da imagem da sua empresa, para a Internet e para o site. _Integração do seu portal com o SW PHC, para soluções B2B e B2C.


Š Ayvengo - Fotolia.com

_Building & Infrastructure Lifecycle Management Solutions Provider

Sttei WithUS 02  

Revista Trimestral STTEI

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you