Page 221

capítulo dezenove

MAC OUVIU UMA PANCADA,

o ruído de uma respiração, e abriu um dos olhos. Toda aconchegada ali na cama, viu Carter tentando achar os sapatos. – Que horas são? – É cedo. Volte a dormir. Consegui levantar, tomar banho e ficar quase pronto até tropeçar em alguma coisa e acordar você. – Sem problema. Tenho que levantar mesmo e começar a cuidar da vida – disse ela, mas os olhos voltaram a se fechar. Com os sapatos nas mãos – e mancando de leve –, ele contornou a cama e lhe deu um beijo no topo da cabeça. Com um murmúrio de prazer, Mac voltou a dormir. Quando despertou, o sol já brilhava. Percebeu que não tinha acordado cedo e tratou de se levantar. Mas uma das vantagens de ter o próprio negócio – e não ter nenhum compromisso agendado para a manhã – era poder dormir um pouco mais. Já estava se encaminhando para o banheiro quando balançou a cabeça e voltou para fazer a cama. Era a nova Mac, disse consigo mesma. A Mackensie Elliot organizada em todos os setores da vida pessoal e profissional. A Mac com o novo armário incrivelmente bem planejado onde havia espaço para tudo – e tudo estava no seu devido lugar. Afofou os travesseiros, esticou os lençóis, ajeitou o edredom com todo cuidado. Está vendo, disse a si mesma, como fazia agora toda manhã, foram só dois minutinhos. Com um meneio de cabeça que demonstrava a sua satisfação, passou os olhos pelo quarto. Não havia roupas emboladas em lugar nenhum, nem sapatos chutados para debaixo de alguma cadeira nem sequer bijuterias espalhadas no tampo da cômoda. Aquilo sim era o quarto de uma mulher adulta, de bom gosto e que tinha tudo sob controle. Tomou banho e, depois, não se esqueceu de pendurar a toalha. De volta ao quarto, se permitiu o prazer de abrir o guarda-roupa e ficar parada ali, só olhando. – É isso aí... As roupas estavam todas penduradas, separadas por cor e tipo. Cada par da sua incrível coleção de sapatos ficava agora dentro de caixas plásticas transparentes, empilhadas de acordo com seu conteúdo. Sapatos para noite, para o dia a dia, sandálias, botas – saltos altos, fechados ou abertos na frente, com tachas ou anabela. Que beleza! Bolsas, também separadas por tipo e cor, ficavam bem à mão dentro de divisórias que formavam nichos. Nas gavetas de um branco reluzente do armário embutido, estavam echarpes e cachecóis – antes embolados ou empilhados – agora dobrados com cuidado. O

Álbum de Casamento - Nora Roberts  
Álbum de Casamento - Nora Roberts  
Advertisement