Page 132

Ah, ela era uma pessoa terrível. Uma louca, pensava, a caminho de casa. Provavelmente iria para o inferno. Seria mais do que justo. Mas fez a coisa certa, a única que podia fazer. Por ela própria e por Carter. Sem dúvida alguma, por Carter, disse a si mesma. Ir para o inferno? Que ridículo! Devia ganhar uma medalha – ou uma maldita estátua – por fazer o que tinha que ser feito. Assunto encerrado. Agora tudo ia ficar bem. Ia ficar perfeito, na verdade. Viu as luzes da mansão acesas e pensou: graças a Deus. Parker e Laurel concordariam com ela. Apoiariam sua decisão. Era disso que estava precisando, concluiu, e estacionou em frente à casa. Um pouquinho de aprovação das amigas faria com que aquele bolo no estômago sumisse. Foi correndo lá para dentro; subiu a escada gritando por Parker. – Estamos aqui em cima – respondeu a amiga, aparecendo no corredor. – O que houve? Sofreu um acidente? – Não, foi tudo premeditado. Ou talvez não. Tinha uma lista. – Ok. Obviamente você não está machucada. Estamos na sala de reunião, repassando os últimos detalhes, já que estamos todas acordadas. – Emma também? – Também. – Que bom, isso é melhor do que eu imaginava. Passou correndo por Parker e entrou na sala onde Laurel e Emma estavam sentadas, cercadas de biscoitos, chá e pastas com documentos. – Bem, achávamos que só fosse aparecer aqui de manhã, constrangida. – Laurel largou o lápis. – Estávamos pensando em instalar uma câmera de vídeo. – Como foi o jantar? – indagou Emma. – Eu fugi. Simplesmente fugi. – Com um olhar meio selvagem, Mac tirou o casaco. – Vocês teriam feito a mesma coisa. – Foi bom assim? – Laurel passou-lhe a bandeja. – Coma um biscoitinho. – Não, não é isso. Ele ensaiou na terça-feira. Conseguem imaginar uma coisa dessas? E esta noite fez um jantar maravilhoso, à luz de velas e com frango marinado no vinho. – Frango marinado no vinho? – Parker foi se sentar. – Ainda bem que sobreviveu. Devíamos chamar a polícia. – Ok, esperem, não estão enxergando o panorama completo. – Tentando se acalmar, Mac respirou fundo algumas vezes. O que, aparentemente, não adiantou muito. – Ele teve tanto trabalho e foi... bem, foi adorável. E divertido. Bob fez uma lista.

Álbum de Casamento - Nora Roberts  
Álbum de Casamento - Nora Roberts  
Advertisement