Page 123

ser esposa e escrava dele. Quando ele voltou sua atenção novamente para mim, eu o encarei furiosa, odiando a maneira como aquela palavra fluiu da língua dele com tanta facilidade. — Não sou escrava de ninguém. A curva escura da sobrancelha dele se ergueu, um desafio não verbalizado acendeu seus olhos. — Você não serve para satisfazê-lo? — S-sim, é claro que sim. Que tipo de pergunta era aquela? Eu queria satisfazer Blake. Em todos os sentidos. Com o sexo, é claro, mas na vida, eu queria a felicidade dele. Eu ansiava por ela quase tanto quanto pela minha própria. Mas odiava a maneira como Remy pintava o que compartilhávamos. Apesar de todo progresso que eu tinha feito quanto a aceitar o papel de submissa, eu estava bufando com a conclusão fácil daquele homem de que eu era inferior — uma escrava, uma submissa. Ele emitiu um ruído apreciativo baixinho. — Estou muito curioso para saber o que trouxe você aqui. Me conte, você veio brincar? Ou veio aprender? Ele deu uma olhada para o salão principal, uma nova atividade começava a se desenrolar no outro lado. O salão estava rodeado por pequenas cabines, envoltas na escuridão. As sombras. Eu queria me esconder lá até que Blake viesse me buscar, mas tinha medo do que se escondia nelas. Segui o olhar dele, espiando, cheia de vergonha, as depravações que se desenrolavam à nossa frente. Mesmo assim, eu não conseguia desviar os olhos da cena no outro lado do salão. Um jovem tinha se tornado o foco de atenção do entretenimento atual da noite. Amarrado pelos pulsos e pelos tornozelos à parede de tijolos por amarras pesadas de metal, ele parecia angustiado. Tessa estava andando de um lado para o outro na frente dele. Ela se aproximou. Eu não conseguia ouvir a conversa deles àquela distância e mal consegui ver o que aconteceu em seguida. Ele grunhiu, como se alguém tivesse lhe dado um soco no estômago. Tessa se moveu para o lado, exibindo o pênis agora exposto do homem saltando de suas calças. Sem aviso, ela deu um tapa no membro rígido dele, provocando mais grunhidos de dor. O abdômen desnudo dele se contraía a cada tapa injustificado e relaxava quando ela intercalava as agressões com movimentos mais suaves. Ele puxou o ar bruscamente com um ruído sibilado

Profile for Jennifer

Potência Extrema - Meredith Wild  

Série: Hacker #4

Potência Extrema - Meredith Wild  

Série: Hacker #4

Advertisement