Page 1


Disp. e Tradução: Rachael Revisora Inicial: Tina Revisora Final: Rachael Formatação: Rachael Logo/Arte: Dyllan

New York Times autora best-seller Maya Banks continua com a saga apaixonante. Quando dois homens e uma mulher resistentes se escondem do passado, mas tem que se preparar para uma tempestade emocional de perigo inevitável e desejo incomparável... Lauren Wilder se apaixonou pelo homem errado, confiou no homem errado, e pagou um preço muito caro por isso. Agora quebrada e ferida, ela se retirou para o seio da família Colter e o amor inabalável e apoio que eles oferecem. Mas o homem que ela amou e confiou uma vez, não a deixará fora de seu próprio poder, ele vai usar todo o seu maldito dinheiro e recursos para se certificar de que consiga Lauren de volta, não importando quem ele destrua ao fazê-lo. Liam e Noah foram contratados pelo irmão de Lauren para vigiá-la. Mas com o perigo iminente, eles vão para as montanhas no Colorado — onde Lauren encontrou refúgio temporário. Pelos olhos feridos dela, Liam e Noah veem a mulher que ela já foi — e poderia ser novamente. Eles estão determinados a mostrar-lhe tudo o que um homem pode ser —alguém que vai amá-la, estimá-la, satisfazê-la, e quando chegar a hora, colocar suas próprias vidas em risco por ela. 2


Para cada leitor que ama e apoia as Mulheres Colters e não queria que sua história terminasse lá. Este capítulo final da série O Legado dos Colters é para você, e espero que você goste dessa última visita a família Colter.

Com amor sempre, Maya.

Revisoras Comentam... Tina: Descrevo o Livro em três letras UAU!!! Amo a família Colters de paixão. Holly e os pais continuam maravilhosos e amorosos, Lilly pronta para ter seu bebê com os irmãos loucos para não deixar ela fazer nada. Max e Callie continuam sua vida de casado, com Max tentando proteger sua irmã. Mas agora temos Lauren, a irmã de Max, que se refugia na montanha dos Colters, após ser abusada e dominada por um homem frio, maldoso e possessivo. Noah e Liam sentem o amor a primeira vista quando Max os contrata para ver a segurança de Lauren. Mas Joel o homem possessivo por que Lauren se envolveu não vai deixar ela ir embora, ainda mais que isso mexeu com seu ego de homem dominante. Liam e Noah farão de tudo em seu alcance para mostrar a Lauren que nem todos homens são iguais a Joel e que ela pode confiar neles, apesar de tudo que ela passou. Maya ainda nos presenteia no final do livro com alguns capítulos com a conclusão da Série o Legado dos Colters. E acho que ela encerrou a série. Boa Leitura!!! Rachael: Nossa, concordo com a Tina que esse livro é fora de série. Quando conhecemos a Lauren ela estava frágil, era insegura e estava tentando superar o trauma de ter vivido com um psicopata e torturador. Liam e Noah se apaixonam pela mulher que veem por trás do sofrimento e resolvem reinvindicá-la. É preciso trabalhar seus medos, seus traumas, suas inseguranças num relacionamento a três. Mas Lauren quer o que Holly, Adam, Ethan e Ryan tem. Ultrapassando todos seus medos, levantando sua cabeça, se perdoando do passado ela corajosamente resolve denunciar o homem com quem viveu. Ela após todo o sofrimento ressurge das cinzas como uma fênix. E volta para Lian e Noah, para a vida que sempre sonhou. Maya encerra essa série com maestria, como só ela pode fazer. Nos dá uma visão de todos os Colter e nos mostra que o amor faz com que todos os medos, incertezas se vão. E sobre amor e aceitação os Colter são experts. Desejo uma leitura emocionante para todas vocês!

3


Capítulo Um

LAUREN Wilder desceu os degraus de seu apartamento no segundo andar acima da Clínica Médica Main Street e respirou o ar fresco da primavera na montanha. O vento levantava algumas mechas de cabelo que tinha escapado do rabo de cavalo feito às pressas. Ela puxou a camisa mais apertada em torno dela e olhou para o tráfego antes de atravessar a rua para ir ao restaurante onde trabalhava. Não que alguma vez houvesse muito tráfego em Clyde, e certamente não neste início da manhã, mas depois, a pacata cidade viria viva e uma série de frequentadores se filtrariam para seu restaurante, para o café da manhã e, mais importante, para a fofoca do dia. O sino badalou quando ela entrou pela porta da frente. Era um som que sempre ouvia quando o pequeno restaurante estava cheio de clientes, mas na parte da manhã, parecia soar alto e sempre assustava a paz tranquila que cobria a pequena cidade da montanha. Sua cidade. Levou meses para se instalar e realmente se sentir como se pertencesse aqui. Era muito longe do caos da cidade de Nova York, e um ano atrás, se alguém tivesse dito a ela que ia acabar se refugiando aqui, em um lugar que ainda não tinha se rendido ao resto do mundo, teria rido e dito que nunca. Ela era, ou pelo menos tinha sido, uma garota da cidade. Amava as comodidades da vida em uma das maiores cidades do mundo. Tudo estava ao seu alcance. Uma caminhada, ou uma viagem mais longa de metro. Às vezes, uma corrida de táxi, se estivesse com pressa. 4


Max, seu irmão mais velho, tinha encontrado o seu caminho para Clyde quando tinha se apaixonado por Callie. Sua família tinha vivido aqui durante décadas. Eles eram tanto quanto uma grande parte desta pequena cidade, como as luminárias e os próprios edifícios. Lauren sempre tinha assumido que ia ficar na cidade. Estabelecida com um homem de negócios que compartilhava os mesmos interesses que ela. Tendo dois filhos, um menino e uma menina, e completaria o sonho americano. O problema com essa fantasia era que tinha escolhido o homem errado, e agora nunca poderia voltar à sua antiga vida. Ela não queria voltar à sua antiga vida. Tinha encontrado mais do que apenas refúgio em Clyde. Tinha encontrado a família que sempre desejou nos Colters. Ela entendeu bem por que Max estava disposto a desistir de seu desejo de viajar e se estabelecer no meio destas montanhas, rodeado pela família que o tinha recebido — e a Lauren — em seus braços. Pela primeira vez em meses, ela estava começando a recuperar um pouco de sua antiga confiança. Mais importante, estava aprendendo a perdoar-se pelas escolhas que tinha feito. Agora podia dormir à noite sem se encolher sobre sua ingenuidade. Ou pelo menos a maioria das noites. O primeiro passo para isso foi sair da casa de Max e Callie e ir para seu próprio apartamento na cidade. Não tinha sido fácil convencer seu irmão mais velho protetor — ou os Colters para esse assunto, que ela estava pronta para estar fora por conta própria. Eles tinham se acostumado a tê-la perto e olhando por ela, e enquanto os adorava por seu amor e proteção incondicional, tinha ficado entusiasmada para dar esse passo. Ela tinha um lugar próprio, e tinha um trabalho. Então não era a carreira que tinha planejado, nem era um trabalho digno de seu diploma de faculdade, mas era um trabalho que pagava bem. Tinha o suficiente para sobreviver, e não dependia da fortuna de seu irmão para apoiá-la. 5


Ela foi até a cozinha, onde encontrou Clark aquecendo as fritadeiras e a grelha e Evie fazendo o café. Ela estendeu a mão para um dos aventais e rapidamente amarrou em volta da cintura. Depois sorrindo ofereceu um bom dia para Clark e Evie, ela foi para a frente para garantir que as mesas estavam em ordem e que os recipientes de açúcar e especiarias estavam preenchidas. Era uma rotina que seguia diariamente. Mesmo horário. Mesma hora. Em sua vida anterior, ela teria estado louca e pronta para se agitar. Agora encontrou a rotina previsível e calmante. Era seguro. Não havia medo constante de que faria ou diria a coisa errada. Sem preocupar-se interminavelmente sobre que tipo de humor Joel estava. Sem culpar a si mesma quando ele jogava seu temperamento em cima dela. Ela não tinha percebido o quão longe tinha sido abatida pelo homem que estava envolvida, até que tinha estado afastada por meses e foi capaz de objetivamente olhar para trás, o quão estúpida tinha sido. Ela respirou fundo e repreendeu-se por voltar a pensar nisso. Ela não podia desfazer o passado, mas poderia com certeza ter certeza de que não cometeria os mesmos erros novamente. Nova vida. Nova oportunidade. Nova oportunidade de ser uma pessoa diferente. Ou pelo menos para encontrar a pessoa que tinha sido antes que permitiu Joel a mudar. Às seis da manhã em ponto, apertou o botão para o sinal aberto do néon e colocou um bloco de pedidos e uma caneta no bolso do avental.

6


Ela e Evie trabalhavam no turno da manhã com Clark pilotando o grill. O restaurante fechava as duas porque o pub de Dillon Colter abria para o almoço e o pub geralmente atraia a multidão à noite. Lauren gostava das horas porque a deixava com toda a tarde de folga, e sua jornada de trabalho terminada. Ela frequentemente passava as tardes com Callie e Max ou quando eles saiam, ela ia visitar Holly e Lily Colter. Eles tendiam a parar para visitar Lauren mais vezes, agora que ela se mudou para a cidade. Lauren sabia que ainda se preocupavam com ela e que nenhum deles tinha estado muito entusiasmados com a ideia dela sair sozinha tão cedo. Exceto Holly. De todos eles, Holly entendia Lauren melhor, e Lauren amava a mulher mais velha pela sua disponibilidade para dar a Lauren o espaço para respirar. Ela precisava recuperar sua confiança e reafirmar-se. Tomar suas próprias decisões e viver sua própria vida. Podia não estar pronta para assumir todo o mundo até o momento, mas podia dizer com segurança que estava pronta para assumir a cidade de Clyde. Sorriu quando o sino badalou, sinalizando o primeiro cliente do dia. Ela virou-se, já tendo uma boa ideia de quem seria, e estava certa. Seth Colter, o xerife, entrou na lanchonete e tomou seu lugar habitual perto da janela. “Bom dia, Seth,” disse ela enquanto se aproximava de sua mesa. Seth olhou para cima, dando-lhe um sorriso caloroso que fez suas entranhas apertar. Todos os Colters tinham sido tão bons para ela. “Bom dia, Lauren. Tudo bem hoje?” Era a mesma pergunta que ele fazia a ela todos os dias. “Sim. Como está indo Lily? Você quer o seu de costume?” Todo o rosto de Seth suavizou com a menção de sua esposa. 7


“Ela está indo muito bem. Mais cansada do que o habitual, mas estamos cuidando bem dela. E sim, o meu habitual vai ser ótimo. Mantenha o café vindo se você não se importar. Tive uma chamada ontem à noite e estou operando em três horas de sono.” Lauren estremeceu. “Ouch. Algo importante?” Seth riu. “Como importante como sempre fica aqui. Um alpinista se perdeu. Sua namorada ficou preocupada quando ele não apareceu para o jantar. Acontece que ele estava na próxima cidade com outra mulher.” Lauren sacudiu a cabeça e, em seguida, virou-se na direção da cozinha. “Estarei de volta com seu café.” Ela pegou a jarra recém feita de café e derramou uma xíxara, adicionando duas colheres de açúcar e uma de creme. Ela rapidamente rabiscou no fim do pedido Seth, arrancou o papel e, em seguida, deslizou através do divisor de Clark. Em seguida, ela voltou para a mesa de Seth com sua xícara de café. “Você é uma deusa,” disse Seth, agarrando a xícara de deixar sua mão. “Ei, antes que me esqueça, tenho que te dizer que Callie está vindo para visitar Lily esta tarde e Lily queria que lhe dizesse se você poderia para lá depois do seu turno.” “Obrigado. Eu vou fazer isso,” disse Lauren. “Como você está indo no novo lugar?” Seth perguntou, olhando-a fixamente por cima do café. “Você tem algum problema?” Ela sorriu para a preocupação em seus olhos. Era bom ter as pessoas se importando com ela. “O lugar é ótimo. Simplesmente perfeito para mim. É acolhedor e está bem aqui na cidade. Eu sei que Max está preocupado, mas—” “Nós todos nos preocupamos,” Seth corrigiu suavemente.

8


“Sim, eu sei, mas você não deve. Estou bem. O apartamento é grande. Amo o meu trabalho. É bom estar perto de pessoas mais uma vez sem...” Ela parou, embaraçada por onde ela tinha quase ido com a conversa. “Sem?” Seth perguntou. “Preocupar-se que eles vão me machucar,” disse ela em voz baixa. Seth se aproximou e apertou a mão dela. “Agora você não tem que se preocupar aqui. Você tem a mim e Max, mais os pais e Dillon e Michael tomando conta de você. Sem mencionar Callie, Lily e minha mãe, e entre você e eu, alguém seria um tolo para cruzar com a minha mãe. Ela é muito assustadora quando se trata de proteger seus bebês, mesmo que seus bebês são malditos crescidos homens e mulheres.” Lauren riu. “Ela é a melhor.” Seth assentiu. “Ela é. Ela está atualmente chorando sobre a chegada de seu primeiro neto. Dillon, Michael e eu temos tentado ficar fora de seu caminho.” “Obrigado, Seth,” disse ela solenemente, quando ele levantou a mão. “Eu aprecio sua bondade mais do que você saberia. Não sei o que eu teria feito sem todos vocês e especialmente a sua mãe.” Sua expressão era séria. “Você é da família agora, Lauren. Levamos a família muito a sério. Você pode vir até nós para qualquer coisa, a qualquer hora. Nós queremos que você seja feliz aqui.” Ela levantou a cabeça quando outro cliente entrou. “Deixe-me ir atender este cliente. Sua comida deve estar pronta em apenas um segundo e vou trazê-la para você.” Seth sorriu e acenou com a cabeça e, em seguida, gritou uma saudação para a pessoa que tinha entrado. Lauren ainda estava conhecendo ao povo da cidade, mas se orgulhava de conhecer a maioria dos seus rostos, mesmo que não tinha colocado os nomes em todos eles ainda. 9


A vida da cidade pequena não era algo que tinha apelado para ela no passado, mas tinha aprendido a amar Clyde e todos os seus habitantes. Eles a abraçaram. Fez sentir-se bemvinda. Ela estava aqui desde antes do Natal e já era como se tivesse vivido aqui toda a vida. Suspirou um pouco quando se afastou de Seth e calorosamente recebeu o homem na mesa ao lado. Seth era um homem bom. Como eram ambos seus irmãos Dillon e Michael. Os Colters eram... Bem, eles eram diferentes. Não havia muito como interpretar isso. Os pais de Seth, ou “os pais”, como ele chamava, não eram um conjunto padrão de figuras de pais. Holly Colter era casada com três irmãos e por sua vez os seus três filhos se casaram com uma mulher. Lily. Callie, o bebê do grupo, era a única que tinha o que poderia ser considerado um relacionamento tradicional. Ela era casada com o irmão de Lauren, Max. O inferno era que Lauren invejava as três mulheres com todo o coração. Holly, Lily e Callie. Talvez até mesmo especialmente Holly e Lily. Cada mulher tinha três homens completamente e totalmente dedicados à sua felicidade e bem-estar. Eles amavam Holly e Lily, e sua devoção era tão profunda que, às vezes doía a Lauren olhar para eles. Qual seria a sensação de ser amada e adorada por três homens? Para ter esse tipo de relacionamento onde ela iria ser o coração e a fundação, a essência de tudo. Ela não podia sequer imaginar ser tão amada, mas queria isso de todo o coração. Velhos sentimentos de insegurança se arrastaram até a superfície. E com isso, acompanhou a vergonha e humilhação. Estava tão desesperada para encontrar o amor que encontrou-se entrando num relacionamento que nunca deveria ter estado envolvida. Pior, permaneceu quando estava claro que não pertencia.

10


Ela tinha apenas a si mesma para culpar. Não poderia ser responsabilizada pelos atos dele, mas com certeza poderia assumir a responsabilidade de não se levantar por si mesma, mais cedo. Deixando para trás uma nuvem de tristeza que pairava sobre ela, se ocupou com o restaurante rapidamente se enchendo. Para as próximas horas, mal teve tempo para respirar, muito menos ficar remoendo em seus erros do passado. Além disso, estava longe disso agora. O futuro seria o que ela faria. Aqui nesta pequena cidade nas montanhas do Colorado, encontrou seu nicho. Uma nova vida. Um novo começo, onde os erros do passado não continuariam a assombrá-la.

11


Capítulo Dois NOVA YAORK.

“NÓS estivemos nisso por meses e ainda não temos uma maldita pista,” Liam Prescott mordeu fora. Seu parceiro, Noah Sullivan, fez uma careta. “Você não está me dizendo nada que eu não sei. Mas aqui está a coisa. Não imaginávamos essas contusões em Lauren. E nós maldição, com certeza não imaginávamos quão aterrorizada e envergonhada ela estava. Ainda tenho o meu intestino tudo em um nó cada vez que penso como ela parecia no primeiro dia que a conheci.” Os lábios de Liam recuou em um grunhido quando ele puxou o SUV em uma vaga de estacionamento apertado fora de um triplex de apartamentos. Sentou-se por um longo momento, suas grandes mãos se curvando ao redor do volante, quando olhou para o número acima do arco da porta da frente do edifício. “É melhor conseguirmos alguma coisa,” disse ele. “Nós já esgotamos todas as nossas opções. É como se esse cara não existisse.” Noah saiu e Liam o seguiu. Subiram as escadas e Noah tocou no apartamento. Eles esperaram um longo momento e Noah tocou novamente. “Não parece que ela está em casa,” Liam murmurou. Noah soltou a respiração. “Ok, vamos esperar no carro. Nós vamos sair por um tempo e ver se ela se mostra.” 12


Os homens recuaram, subiram de volta para o SUV. Noah apoiou o cotovelo contra a janela e franziu a testa. Então, olhou na direção de Liam. “Você acha que ela passou pela gente? Está com o seu irmão?” A sobrancelha de Liam vincou e ele se virou, inclinando seu corpo para que se apoiasse contra a porta do lado do motorista. “Você acha que ela mentiu? Você a viu, Noah. Ela com certeza não fez essa merda.” Noah levantou a mão. “Não fique todo chateado. Sei que ela não mentiu sobre o que o filho de uma cadela fez com ela.” “Então o que diabos você acha que ela mentiu?” Noah hesitou. “Não tenho certeza, mas não acho que nós temos a história completa. Esse cara é um fantasma. Ninguém sabe nada sobre ele. Sem digitais no sistema, e duvido que Lauren foi a primeira mulher que ele bateu. Idiotas como ele geralmente tem alguns desentendimentos com a lei.” “Você acha que ela o está protegendo?” Liam perguntou, incrédulo. Havia uma ponta de raiva em sua voz e sua carranca aprofundou. “Não,” disse Noah em voz baixa. “Acho que ela está com medo do que ele pode fazer.” A expressão de Liam escureceu ainda mais e agarrou o volante até os nós dos dedos ficarem brancos. “Quero aquele bastardo.” Noah assentiu porque se sentia da mesma maneira. Quando tinham aceitado o trabalho de Max Wilder, esperavam um cenário rico em menina estereotipada. Um irmão superprotetor que queria uma babá para a irmã que não via a tempo. Nada poderia estar mais longe da verdade. Lauren Wilder era uma mulher tímida, doce que havia sido muito abusada por um homem que ela confiava. A partir do momento que Noah tinha colocado os olhos nela, ansiou

13


por abraçá-la. Para limpar toda a dor e mostrar-lhe que todos os homens não eram idiotas abusivos. Liam tinha reagido ainda mais fortemente do que Noah tinha. Ele tinha dado uma olhada em Lauren e tinha ficado tão furioso que acabou assustando o inferno fora dela. Os dois homens tinham trabalhado juntos por um inferno de um longo tempo. Eles haviam visto e feito tudo. Mas nunca tinham se apaixado pela mesma mulher, e Noah ainda não tinha certeza do inferno que era suposto fazer. Por enquanto, eles estavam em negação, e só a discutiam em um contexto profissional. A qualquer momento que isso começava a ficar pessoal, Liam se calava e colocava um olhar nos seus olhos que significava que o assunto estava encerrado. Noah suspirou. “Quero ele também, mas estou começando a pensar que estamos latindo para a árvore errada.” Os olhos de Liam se estreitaram. “O que diabos isso quer dizer?” De repente, Noah se endireitou, o olhar fixo em uma mulher alta e loira andando pela calçada. “Acho que é ela,” disse ele. A mão de Liam foi para a maçaneta da porta, mas esperou, tenso e em silêncio. Ambos os homens observaram enquanto ela se virava até a passagem para o apartamento. Um momento depois, ela pegou as chaves e abriu a porta. “Vamos,” disse Noah. Ele e Liam sairam do carro e correram até a passarela, assim como a mulher abriu a porta e entrou no corredor. “Sra. Jennings?” Noah chamou. A mulher virou-se, o medo imediato vindo em seus olhos.

14


Noah estendeu a mão apaziguadora. “Minhas desculpas por assustar você. Meu nome é Noah Sullivan e este é o meu parceiro, Liam Prescott. Estpu pedindo um momento de seu tempo. Estamos à procura de alguém, e é muito importante que nós o encontremos. Nós apenas gostariamos de lhe fazer algumas perguntas, se estiver tudo bem.” Ela olhou desconfiada para eles, sua mão ainda segurando a borda da porta. “Policiais?” Noah balançou a cabeça. “Não, senhora. Nós não somos policiais. Acho que você poderia dizer que somos investigadores.” “Como um PI1? Eu sempre achei que aqueles não eram reais. Apenas coisas que você vê em programas policiais e nos filmes.” “Nós não somos investigadores particulares,” disse Liam rispidamente. “Nós fomos contratados para manter uma mulher segura do idiota que bateu nela. Queremos encontrar esse idiota para que possamos colocá-lo na cadeia. Precisamos da sua ajuda para fazer isso.” Ela piscou pela franqueza de Liam, mas sua postura relaxou e estava claramente em conflito sobre se os permitia em seu prédio. Finalmente, ela deu um passo para trás, abrindo mais a porta. “Entre,” ela murmurou. “Meu nome é Susan, mas meus amigos me chamam de Suki. É uma longa história, mas você pode me chamar de Suki.” Noah poderia dizer que a mulher estava tão nervosa como um gato encurralado em um beco. Ele não queria assustá-la, mas estava com ele e Liam e Liam era... Bem, ele era Liam. Franco. Esmagador. E rosnava. Especialmente quando se tratava de Lauren. Uma vez que se aproximou de seu apartamento no segundo andar e estavam sentados na sala de estar, Noah tirou uma foto de Lauren e deslizou sobre a mesa do café para Suki. 1

Investigador Particular. 15


“Você pode me dizer se já viu esta mulher?” Suki ficou completamente imóvel. Noah não tinha certeza se ela estava respirando. Suas mãos tremeram quando chegou para a foto e medo encheu os olhos. Então ela se virou com um falso sorriso muito brilhante e disse: “Não, desculpe, eu não tenho. Aconteceu alguma coisa com ela? Ela está... morta?” O último foi perguntado de forma assombrosa e Liam franziu o cenho, inclinando-se para frente. “Agora, por que você diria que ela está morta ou que algo aconteceu com ela?” Pânico queimou em seu rosto. “Apenas assumi. Quero dizer alguma coisa tinha que ter acontecido com ela, se estão procurando por ela, certo?” “Nós não estamos procurando por ela,” disse Noah com calma. “Nós só perguntamos se você já a viu.” Suki balançou a cabeça. “Não. Desculpe. Não a conheço.” “Por que você está mentindo?” Liam perguntou sem rodeios. A mulher vibrava com medo. A maioria das pessoas teria ficado chateada com flagrantemente ser chamada de mentirosa. Não esta mulher. Ela parecia que ia ficar doente. “Vamos tentar uma outra pergunta,” disse Noah. “Você conhece quem está mulher estava vendo? Sabe o nome dele? Como ele se parece?” “Eu gostaria de poder ajudá-lo,” ela resmungou. “Mas ele me mataria.” Liam e Noah trocaram olhares rápidos. A pulsação de Noah acelerou e ele se inclinou para frente, fazendo manobras para a borda do seu assento em antecipação. Finalmente, eles estavam chegando a algum lugar. “Quem, Suki? Quem iria matá-la?” Quando ela olhou para cima, lágrimas brilhavam em seus olhos. “Ele a machucou. Todos nós sabíamos disso. Ele sempre a mantinha em uma trela muito curta. Ele disse a ela 16


como se vestir, como agir, o que ser e se ela errasse um passo nesse sentido, sempre teria hematomas no dia seguinte.” Um grunhido baixo emanou da garganta de Liam. Noah lançou-lhe um olhar de advertência. A última coisa que precisava era aterrorizar Suki mais e tê-la assustada que se recusaria a falar. “Quem fez isso com ela?” Noah perguntou suavemente. “Eu preciso de sua ajuda, Suki. Quero pregar sua bunda para a parede e fazer uma maldição, ter certeza de que ele nunca façaz isso com outra mulher.” “Basta dar-nos o seu nome,” Liam insistiu. “Você não tem que nos dizer qualquer outra coisa. Basta dar-nos o suficiente para encontrá-lo.” Ela riu, um som cru, histérica que era abrasivo para os ouvidos de Noah. “Você não pode pará-lo. Ele tem policiais em sua folha de pagamento. Ele nunca vai ser punido.” “Há outras formas de obtenção de justiça, que não envolvem necessariamente os policiais,” Liam mordeu fora. Nisso ela se calou e olhou fixamente para trás em Liam. Por um longo momento olhou entre os dois homens como se tomasse a sua decisão de confiar neles. Finalmente, ela respirou fundo. “Seu nome é Joel Knight. É tudo que vou dizer, e não vou depor. Não vou dar uma declaração. Vou negar ter visto vocês, falar com vocês ou até mesmo que sei quem diabos vocês são.” Os olhos de Liam se estreitaram. “Joel Knight? Você tem certeza?” Noah balançou a cabeça. Ele sabia que Lauren estava escondendo isso deles. O que não percebeu foi que ela estava descaradamente mentindo. Ela deu algum outro nome de um cara fictício e eles passaram os últimos quatro meses desperdiçando a merda do tempo em busca de pistas inexistentes. 17


“Claro que eu tenho certeza,” disse Suki, uma certeza em sua voz. “Sou uma de suas meninas.” Noah levantou uma sobrancelha. “O que isso significa exatamente?” Ela apertou os lábios. “É hora de vocês irem. Tenho um compromisso em uma hora e tenho que me preparar. Gostaria que vocês saissem. Já disse tudo o que vou dizer.” Liam abriu a boca para argumentar, mas ela já havia levantado, sua agitação era evidente quando caminhou até a porta para abri-la. Sua mão agarrou a borda da porta, e ela estava pálida, enquanto eles passavam. Parecia que ela ia ficar doente a qualquer momento. Assim que eles estavam fora, a porta bateu atrás deles. Noah fez uma careta. “Merda, essa é a ideia de não ser bem-vindo por mais tempo?” Liam fez um barulho que parecia um suspiro, e os dois homens voltaram para o SUV estacionado. Estava tranquilo no veículo quando Liam foi embora. Noah não estava totalmente certo para onde estavam indo. Não estavam indo de volta na direção de seus escritórios. Depois de um momento, Noah pegou seu celular e começou a chamar o seu amigo que trabalhava para o NYPD2. Ele hesitou, as palavras de Suki flutuando de volta à sua mente. Em seguida, ele amaldiçoou e colocou o telefone de volta. Ela estava o deixando paranóico. Por tudo o que ela tinha dito. “Problema?” Perguntou Liam. “Eu ia chamar Johnny. Ver o que poderia desenterrar sobre esse cara Joel Knight.” “E? Por que não?” Noah fez uma careta, já se sentindo um pouco estúpido. “Porque Suki disse que tinha policiais em sua folha de pagamento.”

2

Departamento de Policia de Nova York. 18


Ele pensou que Liam lhe diria que idiota que estava sendo. Das centenas de policiais na cidade, quais eram as chances de que isso implicaria no seu contato? Mas Liam apenas balançou a cabeça. “É melhor estarmos seguro. Podemos fazer algumas escavações por conta própria, mas prefiro ir direto à fonte.” As sobrancelhas de Noah se juntaram. Liam puxou para um lugar de estacionamento que estava na metade de um quarteirão para baixo de um pub que frequentava. “O que você quer dizer com isso?” Perguntou Noah. “Eu vou dizer-lhe mais após uma bebida,” disse Liam. Se Liam estava indo realmente para ir a um pub para que pudessem sentar e conversar, isso tinha que ser sério. Liam era mais um tipo agir, ao inves de pensar. Planejamento não era um de seus pontos mais fortes. Esse era o trabalho de Noah. Noah pensava nos planos. Liam realizava os planos. Era uma combinação que tinha trabalhado bem para eles ao longo dos anos. Eles caminharam dentro e em vez de sentar no bar, se sentaram em uma das mesas no canto mais distante, e Liam levantou dois dedos para a garçonete. Balançando a cabeça, ela ofereceu um Olá em saudação e, em seguida, correu para pegar seu pedido. Estavam aqui o suficiente regularmente para que o pessoal estivesse bem familiarizado com suas preferências. “Então, o que está acontecendo em sua cabeça?” Noah pressionou. “Acho que nós deveríamos ir ver Lauren,” disse Liam em voz baixa. Noah fez uma careta. “Isso não é o que fomos contratados para fazer.” “Foda-se para o que fomos contratados. Nós não podemos fazer o trabalho a menos que tenhamos todas as informações a partir de Lauren. E nós não temos isso. Nós estivemos perseguindo nossas caudas porque Lauren estava com muito medo de nós ou do irmão para dizer a verdade sobre quem abusou dela. Se a confrontarmos, estamos menos propensos a

19


receber uma mentira. Se ligar pra ela, não vai apenas oferecer-nos esta informação através do telefone.” Noah suspirou porque... merda. Isso ia abrir uma maldita lata de vermes. “Você sabe que isso não é uma boa ideia,” disse Noah sem rodeios. “Nós dois obviamente temos sentimentos por ela. Nós não podemos fazer o nosso trabalho, se estamos ocupados demais brigando para ver quem fica com a garota.” A garçonete apareceu, e Liam se calou enquanto ela colocava as garrafas geladas em cima da mesa. Depois que saiu, Liam tomou um gole antes de colocar com cuidado para baixo. Noah esperou. Havia definitivamente algo na mente de Liam. Liam olhou diretamente para Noah, seu olhar intenso, mandíbula apertada. “Você já se perguntou por que eu apenas deixei Lauren ir tão facilmente?” Noah enrugou a testa. “Max veio para buscá-la e a trouxe para casa com ele. O que você poderia possivelmente ter feito?” Liam fervia com impaciência. “Vamos lá, Noah. Você está me dizendo que não se importou quando ela saiu? Isso não te incomodou que tínhamos de confiar no fato de que seu irmão poderia mantê-la segura? Que você não queria dizer que ele estava fazendo um enorme caralho de erro por não mantê-la perto de nós em todos os momentos para que tivesse certeza de que ninguém jamais a machucaria de novo? Pare de fingir que não se importa. E comigo que você está falando. Eu o conheço.” “E daí?” Noah agarrou. “Que porra é que eu deveria fazer? Não podia muito bem fazer uma jogada sobre ela. Não depois da merda que ele fez com ela. Éramos estranhos para ela, e a assustamos a merda.” “Isso me traz de volta à minha pergunta original.” “Não, eu não sei muito bem por que você a deixou ir tão facilmente,” disse Noah, impaciente. “Não, me ilumine.” 20


“As poucas vezes que a tivemos realmente conversando com a gente, falou sobre a família com quem seu irmão casou. Que sua cunhada tinha três pais — todos casados com a mesma mulher — e que seus irmãos também estavam ligados com a mesma mulher.” Noah assentiu. “Sim, eu me lembro. Soou um pouco bizarro, mas o que.” Os olhos de Liam brilharam. “Eu queria que ela para voltasse com Max, porque queria que visse esse tipo de relacionamento. Ver como funcionava. Tornar-se confortável com isso. Talvez até mesmo ser capaz de vê-lo como não tão ortodoxo.” Compreensão penetrou na mente de Noah, agarrou e sacudiu-o até que estava olhando para Liam com espanto. “Você não está dizendo o que acho que você está dizendo?” Liam levantou uma sobrancelha. “Em que ponto você ia me perguntar como eu me sentia sobre isso?” Noah exigiu. “Você está dizendo que você é contra? Está dizendo que vai recuar se te disser que quero Lauren?” Raiva beliscou o calcanhar de Noah. Arrepiou sua nuca até que ele estava segurando a garrafa de cerveja tão apertado, que temia que fosse quebrar. “Pense nisso, Noah,” disse Liam suavemente. “Pense bem forte sobre isso. Vamos pegar um avião e ir falar com Lauren sobre o cara que bateu nela. Depois de vê-la novamente, você me diz o que quer fazer. Porque não estou recuando. Vou esperar por tanto tempo quanto for preciso, mas quando ela estiver pronta, vou estar lá.”

21


Capítulo Três LAUREN terminou de arrumar a pequena sala de estar de seu apartamento e olhou em torno com satisfação. Era pequeno, mas estava cheio de móveis e bugigangas, e estava decorado para parecer acolhedor e aconchegante. Max tinha sido tão útil para ela quando decidiu ficar por seus próprios pés, mas ela devia mais a Holly, Lily e Callie. As três mulheres a tinham arrastado em compras e tinham passado uma quantidade incansável do tempo, tornando o apartamento de Lauren em um lar confortável e feliz. Era seu dia de folga da lanchonete, e enquanto ela tinha sido convidada para ir na casa de seu irmão e cunhada ou qualquer um dos Colters, hoje ela só queria um dia tranquilo lendo em seu apartamento. Mais tarde, ela iria dar um passeio pela rua principal e iria olhar algumas vitrines no shopping. Divertir-se em vitrines em Clyde consistia de olhar para o boutique da mulher que vendia de tudo, desde lingerie a acessórios e tudo mais. Havia uma pequena livraria, no final da rua, e sempre aguardava a reposição de novo estoque para ver o que atingia sua fantasia. Callie queria que ela comprasse um e-reader para que pudesse apenas baixar os livros on-line sem sair de sua casa, mas havia algo sobre a viagem para a livraria e voltar para casa com um saco de livros que ela não podia esperar para cavar. E era o simples fato de que não podia pagar pelo e-reader agora. Tinha levado cada centavo para entrar e comprar o que era necessário para o apartamento. Se ela ostentasse e comprasse o dispositivo de leitura, seria incontrolável com a compra de e-books. 22


Por enquanto, ela tinha que ficar com os manuseados e saborear cada livro. Além disso, não poderia negociar um livro digital, quando tivesse acabado. Percorreu sua estante e, finalmente, escolheu o mais novo livro de Jaci Burton que tinha comprado. Assim que se acomodou para ler, houve uma batida na porta Franzindo a testa, se levantou do sofá e foi até aporta da frente. Era provavelmente uma das mulheres Colter. Podia até ser Max, mas ele geralmente ligava antes para que ela soubesse que ele estava indo lá, enquanto os mulheres Colters — especialmente Holly — apenas aparecia sempre que desejava. Mas quando ela abriu a porta e viu quem estava de pé lá, sua mandíbula ficou completamente folgada quando ficou boquiaberta com Noah Sullivan e Liam Prescott. Eles não pertenciam aqui. Representavam uma parte de seu passado que queria esquecer. Eram de um mundo distante, em uma cidade que ela tinha fugido. “Lauren,” Noah disse com um aceno apertado. “Você está com boa aparência.” “Você está ótima,” Liam disse suavemente. Ela ainda não conseguia encontrar a língua. O que eles estavam fazendo aqui? “Podemos entrar?” Perguntou Noah. “Precisamos falar com você.” “S-sobre o-o quê?” Ela se agarrou a porta mais apertado e puxou-a para que diminuisse a diferença. Liam franziu o cenho. “Lauren, nós não vamos te machucar. Nós só precisamos falar com você. É importante.” Sua pulsação estava correndo rápido o suficiente para fazê-la tonta. Ela sabia que Noah e Liam não representavam nenhum perigo para ela. Ou pelo menos pensou que sabia. Não eram eles que temia, mas por que estavam aqui. “Abra a porta, Lauren,” disse Noah em um tom calmo.

23


Percebendo quanto de atenção que estavam propensos a atrair, ela finalmente abriu a porta e os deixou entrar na sala de estar. Se parecia pequeno para ela antes, agora era minúsculo com os dois grandes homens a enchendo. Tinha um sofa de dois lugares e uma poltrona, e ela rapidamente tomou a poltrona para que os dois homens sentassem no sofa. Sentada na beirada, ela esperou enquanto eles ficaram confortáveis. Ou, pelo menos, tanto quanto podiam, tentando encaixar seus grandes corpos em seu pequeno pedaço de mobília. Ela enrolou os dedos e colocou as mãos entre os joelhos para evitar que tremessem. Sua presença enervava por muitas razões. E, no entanto, bebeu na visão deles, incapaz de afastar o olhar dos dois homens que tinha sido uma vez contratados para protegê-la. Eles eram a antítese completa de Joel, e talvez fosse por isso que ela se permitiu relaxar em torno deles e confiar neles. No início tinha colocado todas as barreiras que podia, qualquer coisa para impedi-los de se aproximar. Mas tinha quebrado todas as paredes que tinha colocado entre eles. Eles haviam a intimidado sem piedade, certificando-se que ela comia, que teve o cuidado consigo mesma. Eles não poderiam saber o quanto ela amoleceu em direção a eles, porque tinha sido muito com a intenção de fechá-los para fora e tratá-los com indiferença. Quando Max chegou em seu apartamento, determinado a levá-la para casa com ele e Callie, parte dela estava imensamente aliviada, enquanto a outra parte estava relutante em abrir mão dos dois homens que tinham vindo para confiar.

24


Tê-los perto dela só fez se sentir segura em um mundo onde não era seguro. Se eles soubessem o que tinha feito e tudo o que ela tinha escondido deles, ficariam chateados como o inferno. Ela fez algumas escolhas terrivelmente estúpidas. Podia admitir isso agora. Mas, na época, tinha sido uma mulher assustada fora de sua mente e que queria desesperadamente uma saída para sua situação. Ela não estava pensando direito. Mas quem poderia culpá-la? Ela culpou o suficiente sem ninguém saber a extensão da sua estupidez. “Lauren?” Ela olhou rapidamente ao ouvir o som da voz de Liam. Ela percebeu que um ou ambos os homens estavam falando com ela, e ela não tinha ideia do que estavam dizendo. “Eu sinto muito,” ela desabafou. “Você deveria ter chamado. Você me pegou completamente de surpresa.” Os olhos de Noah se estreitaram. “Você ficaria aqui se tivéssemos chamado? Ou será que você teria que ir em outro lugar?” Calor queimou suas bochechas. Ele não poderia saber o que ela teria feito. E ainda assim parecia que tinha lido seus pensamentos. Ela era tão fácil de ler? Liam pigarreou. “Estamos aqui para discutir sobre Joel Knight.” O sangue correu de seu rosto. Seu estômago deu um nó em uma bola apertada. Ela balançou precariamente em seu assento antes de fazer uma garra para os braços com cada mão, para que não se humilhar. “Eu quero que você saia,” ela deixou escapar. Liam se inclinou para frente, os olhos azuis vívidos prendendo-a no lugar. Seu cabelo caía até os ombros, em comprimentos variados, como se não se preocupasse muito sobre a forma como foi cortado. Tinha uma ligeira ondulação, fazendo com que parecesse incontrolável. As extremidades viradas para lá e para cá. Lembrava dos dedos coçando para chegar e alisá-lo. 25


De repente, ocorreu-lhe por que ela, eventualmente, cresceu para confiar nesses dois homens. Por que relaxou sua guarda. Eles não eram como Joel, e enquanto ela sempre reconheceu isso, isso bateu realmente para casa com ela agora. Joel era polido. Nunca um fio de cabelo fora do lugar. Roupas caras. Apenas os melhores ternos. Sapatos perfeitamente lustrados. Falso bronzeado. Ele nunca saia de sua casa, a menos que parecesse o seu melhor. Ele nunca seria pego como homens como Liam e Noah. Liam e Noah eram... Bem, eles não davam a mínima. Com eles, era pegar ou largar, e sua perda se você os deixasse. Ambos tinham cabelos escuros, embora Liam fosse mais escuro para preto e Noah era um castanho tão escuro que era quase preto. Poderia pensar seus cabelos eram pretos, mas de pé ao lado de Liam, era óbvio que o cabelo de Noah era mais claro. Os olhos de Liam eram um choque de azul. Surpreendente e vibrante. Ele era um homem que atraia olhares de homens e mulheres igualmente. Os olhos de Noah eram escuros, como os de Lauren, só que tinha manchas de verde e ouro misturado com o marrom. Na luz certa, as cores diferentes brilhavam, iluminando os olhos, tornando-os hipnotizante de olhar. Ambos ostentavam tatuagens. Noah tinha o que parecia ser um símbolo japonês no braço direito e, em seguida, uma pulseira de tatuagem em seu pulso direito. Liam tinha uma intricada, colorida renda de mangas em ambos os braços. Lauren tinha frequentemente encarado isso quando ele não estava olhando, estudando os projetos. Havia tanto detalhe que não podia imaginar quanto tempo tinha tomado o artista para completar a tatuagens ou como paciente Liam tinha que ter estado através do processo. Separadamente, os homens eram forças para ser contada. Mas juntos? Fodões completas. Ninguém no seu perfeito juízo iria atravessar por eles.

26


Exceto, que ela tinha. Atravessado. Ou pelo menos mentido para eles. E agora sabiam que ela tinha mentido. Liam ainda estava olhando através dela. Ela queria rastejar debaixo de sua cadeira e ficar lá até que se fossem. Até que ela se esqueceu por que eles tinham vindo. Ela só queria colocar tudo isso para trás. Eles, Joel, tudo. “Nós não vamos a lugar nenhum,” disse Liam severamente. “Você tem um inferno de um monte de explicações a dar.” Não queria ser a mulher fraca, patética que tinha sido tão pouco tempo atrás. Mas eles estarem aqui a fez querer correr para se esconder. Queria se esconder em seu quarto e fechar o mundo fora. Mas não é isso o que ela tinha feito por tanto tempo? Ela existia em uma névoa de negação, muito estúpida, covarde demais para enfrentar a verdade e agir. “Droga, Lauren, nós não vamos te machucar,” disse Noah. “Pare de olhar para nós como se fossemos aquele bastardo que abusou de você.” Ela engoliu em seco e, em seguida, baixou a cabeça para colocar as mãos sobre o rosto. Foi automático para recuar para longe quando sentiu a mão em seu ombro. Ela ouviu uma maldição suave, mas a mão foi rapidamente removida. “Lauren, olhe para mim.” Era Liam, sua voz tão suave e quente, como os primeiros raios de sol da primavera. Ela foi obrigada a fazer o que disse, mesmo antes dela perceber que tinha levantado a cabeça. Ele respirou fundo, deixando-a soprar longo e lento. Foi um suspiro que expressava muito. Exasperação. Pena. Ela odiava a pena. Pessoas que foram verdadeiramente vítimas mereciam compaixão e bondade. Ela era alguém que tinha permitido que coisas ruins acontecessem com ela porque era muito covarde e uma idiota para se afastar dele. E em cima de tudo isso, mentiu para seu irmão, a única pessoa que a amava neste mundo. Mentiu para os 27


Colters, não abertamente. Ela nunca tinha manifestado a mentira, mas tinha sido omissa, o que tornava tão ruim. E ela mentiu para os dois homens que tinha jurado protegê-la. Não tinha dado a eles a informação que necessitavam, a fim de fazer o seu trabalho, porque estava com medo do que poderia acontecer com eles. Nenhuma das razões fazia sentido agora. Ela foi honesta o suficiente consigo mesma para admitir isso. Não sabia o que estava fazendo ou dizendo por todos aqueles meses atrás. Ela só reagiu. Agora essas mentiras estavam voltando para assombrá-la. Apenas quando finalmente fez as pazes com as escolhas que fez. “Nós sabemos sobre Joel Knight,” disse Liam em voz baixa. “A questão é por que você não nos disse sobre ele? Por que não estava sendo honesta sobre quem machucou você? Estava protegendo-o?” Havia um tom de fúria que acompanhou a sua última pergunta, ela foi forçada a responder. “Não!” Ela disse ferozmente. “Não estava protegendo. Eu o odeio.” “Então, por quê?” Noah exigiu. “Por que enviar-nos numa busca inútil tentar encontrar um homem que não existe? Você tem alguma ideia de quanto tempo temos perdido procurando o filho de uma cadela que te bateu? Tivemos a polícia local envolvida. Nós puxamos tantas cordas malditas para encontrar este homem para que pudesse ser preso, então ele nunca machucaria outra mulher. E durante todo o tempo, fomos à procura de um fantasma.” Ela fechou os olhos. “Posso entender por que você está com raiva. Me desculpe, perder o seu tempo.” Seus olhos se abriram de novo quando Liam soltou um palavrão que chamuscou seus ouvidos. 28


“Você não tem ideia de por que estamos com raiva,” Liam rebateu. Suas mãos tremeram novamente. Inferno, seus joelhos estavam também. De repente, os dois homens estavam perto. Vindo muito perto. Eles haviam desocupado o sofa e estavam em cada lado de sua poltrona. Grandes e enormes. Ela deveria estar aterrorizada, mas nunca tinha tido medo deles. Eles sempre a fizeram se sentir segura, a partir do momento que eles tinham acompanhado Max para o apartamento que foi. “Pergunte-nos por isso, por que estamos com raiva, Lauren,” continuou Liam. “Se você quer a verdade, então pergunte-nos.” “P-por que vocês estão com raiva?” Ela gaguejou. “Porque nos preocupamos com o que acontece com você,” disse Noah. “E enquanto nós estávamos fora olhando para o cara errado, Joel Knight poderia ter chegado a você. Ele poderia tê-la machucado e nunca teríamos visto isso chegando. Estamos chateados porque fomos colocados em uma posição onde não poderíamos fazer nosso trabalho. E o nosso trabalho é ter certeza que nada aconteça com você.” Liam sacudiu a cabeça com impaciência. “Você não é apenas um maldito trabalho para nós, Lauren. Use sua cabeça. Você tem que ver que estamos atraídos por você. Isso nos faz merda loucos saber o que esse idiota fez com você e quando pensamos no que poderia ter acontecido, porque não nos disse a verdade, me deixa louco. E se ele viesse atrás de você? Já pensou sobre isso?” Ela olhou rapidamente entre os dois homens, sua mente, em um tumulto que não poderia sequer compreender o significado do que Liam tinha acabado de dizer. Foi uma loucura. Tudo. Mas ainda mais louco? Ela pensou que estava sozinha em seu fascínio com estes dois homens. Ela estava perplexa com o fato de que podia sequer olhar para Noah e Liam e entreter os pensamentos que tinha.

29


Ele estava errado. Ela não tinha visto. Ela ainda não tinha a noção de que eles estavam atraídos por ela. Tudo o que tinha visto em seus olhos era pena e raiva, duas coisas que teria pensado que eles iriam sentir por qualquer mulher em sua situação. Eles eram homens honrados. Seu trabalho era proteger as pessoas. Quem os contratou. Por que diabos eles sentiriam algo mais por ela do que qualquer outra coisa que foram designados para proteger? Ela balançou a cabeça, negando-lhe até mesmo quando eles se sentaram em frente a ela, sem rodeios. Ela permitiu que um homem caminhasse sobre ela. Permitiu que Joel a manipulasse, ditasse o que ela seria. Como poderia alguém olhar para aquela mulher que tinha sido e sentir algo mais do que desgosto? Ela era uma mulher inteligente, com um diploma universitário. Tinha o bom senso, sempre se orgulhava de ser capaz de estar em seus próprios dois pés. E só tinha tomado Joel algumas semanas antes de completamente tomar sua vida. O que envergonhava mais foi que ela tinha tão facilmente caído na vida que Joel tinha construído para ela. Antes, teria rido de qualquer pessoa que tivesse dito a ela que iria cair em um relacionamento com alguém que a controlaria a cada movimento, ao que ela usava e o que comia. Todo mundo em volta dela tinha sido capaz de ver a verdade de seu relacionamento com Joel, mas estava tão enraizada na negação de que se convenceu que eles estavam errados. Ela não achava que nunca seria capaz de esquecer a humilhação de ter o véu levantado longe e, finalmente, ser capaz de ver a si mesma por quem ela era. Idiota. Ingenua. Estúpida. Ele espetou seu orgulho. A fez sentir-se o tipo de inutilidade que nunca desejou em qualquer outra pessoa.

30


“Que diabos você está pensando?” Noah perguntou, exasperado. “Que tipo de inferno que você está colocando-se através agora? Eu posso ver a vergonha em seus olhos. É em sua linguagem corporal e escrito claramente em seu rosto.” “Você não pode entender o que estou pensando ou sentindo,” disse ela. “Então, faça-nos entender,” Liam desafiou. “O que poderia motivá-la a mentir sobre o homem que fez isso com você? Se você não estivesse protegendo-o, então quem diabos você estava protegendo?” Ela levantou, seus dedos em punhos em bolas apertadas. Ela jurou por Deus que queria bater em alguém, alguma coisa. Qualquer coisa para ventilar a raiva construindo dentro dela. Mas isso não a faria melhor do que o monstro que havia feito o mesmo com ela. “Não estava com medo por mim!” Ela gritou. “Eu estava com medo por Max. Estava com medo por vocês!”

31


Capítulo Quatro LIAM trocou olhares com Noah antes de subir para ficar na frente de Lauren. Ela não estava com raiva, como o tom de voz podia indicar. Estava apavorada. Era evidente em sua linguagem corporal e em seus olhos. Ele teve uma chance e estendeu a mão para ela, suas mãos deslizando suavemente para baixo dos braços e, em seguida, voltando novamente para seus ombros. Não encontrando resistência, ele apertou ainda mais, e então simplesmente puxou-a em seus braços. Por um momento, ela estava tão dura como uma tábua. Ele não podia nem sentir o seu respirar. Mas não lutou com ele ou o afastou. E então ela finalmente relaxou, fundindo-se a ele toda suave e doce. Ele passou os dois braços ao redor dela, apreciando a sensação de tê-la tão perto. Podia sentir o cheiro dela, podia sentir o calor de sua pele através de sua vestimenta. “Diga-me porque você estava com medo por nós, Lauren,” disse ele suavemente. “Quem é este homem que você acha que precisa nos proteger?” Ela se afastou e olhou desconfiada para ele, e em seguida, na direção de Noah. Noah estava carrancudo, e Liam não sabia se era porque Lauren estava em seus braços, ou se ele ainda estava chateado com a ideia de que ela estava tentando protegê-los de Joel Knight. Ela olhou como se ainda estivesse travando a batalha consigo mesma sobre a possibilidade de divulgar a informação de que precisavam. “Se você quiser proteger-nos, em seguida, diga-nos com o que estamos lidando,” Noah cortou. 32


Ela afundou-se na poltrona, caindo derrotada. Ela parecia miserável, e Liam odiava aquele olhar. Lauren tinha um belo sorriso. Cheio de calor e vibração que só fez os outros pararem e olharem quando ela ria. Liam queria que ela sorrisse de novo, e faria qualquer coisa para fazer isso acontecer. “Joel é um cafetão,” disse ela com um estremecimento visível. “Ele nunca poderia ver-se chamado assim. Ele provavelmente iria matar alguém por insultá-lo dessa forma. Mas é o que ele é. Não importa o quanto ele não goste, ele é um cafetão glorificado.” Liam franziu o cenho, pavor patinando por sua espinha. Seu estômago foi imediatamente azedo e a refeição que tivera horas antes se rebelou. “Será que ele a forçou...” Ele não conseguia nem sufocar as palavras, mas Lauren imediatamente entendeu o que estava tentando perguntar. Lauren olhou, horrorizada. “Não! Eu não trabalho para ele. Deus não. Mas outras fizeram. Ele as chamava de suas meninas.” Liam olhou imediatamente sobre Noah. “Suki,” ele murmurou. Suki tinha dito que ela era uma de suas meninas, mas no momento não sabia o que significava. Noah se acomodou no sofa e olhou em cima para Lauren. “Por que não começar do começo, querida. Conte-nos tudo o que sabe. Como você se envolveu com ele. Como sabe sobre o que ele faz.” Por um momento, Liam pensou que ela iria recusar. Suas bochechas apertaram e seus olhos escureçam com vergonha. Ele pegou a mão dela, determinado que ela não se sentisse assim com ele e Noah. “Nós não estamos julgando, Lauren. Precisamos apenas os fatos. Diga-nos o que você sabe, está bem?”

33


Se ela pretendia ou não, fechou os dedos firmemente ao redor dele, segurando enquanto olhava para Noah. “Eu não vou te aborrecer com os detalhes do meu relacionamento com Joel. Vamos apenas dizer que fui forçada a partir da negação quando o vi áspero em uma de suas 'meninas' uma noite. Eu não tinha ideia de que ele estava envolvido em qualquer coisa como a prostituição. Achava que ele era um homem de negócios, ele disse ser. Negócio legítimo.” Noah fez uma careta. “Você disse que o viu áspero em uma menina. Como áspero estamos falando? Será que ele a matou?” Lauren empalideceu e sacudiu a cabeça. “Não. Mas ele bateu nela. Quero dizer, foi tão frio sobre isso. Ele a acusou de embolsar o dinheiro e mantendo as coisas. Ele lembrou que ela trabalhava para ele e que não era nada sem ele. Ele continuou indo e falando sobre tudo o que tinha feito por ela e todas as meninas, e estava chateado que esta era a maneira como ela o recompensava.” Ela fechou os olhos por um longo momento e engoliu visivelmente. Sua mão tremia na de Liam, e desta vez ele foi o único a apertar os dedos, oferecendo-lhe segurança. “Seu nariz estava sangrando. Seu lábio estava dividido. E Joel estava chateado porque ele tinha perdido a paciência. Seu rosto era um bem valioso. Ela não estaria de costas fazendo o seu trabalho, se um homem tivesse que colocar um saco de papel na cabeça 3. Suas palavras, não a minha,” acrescentou apressadamente. Noah assentiu. “Vá em frente. Você está indo bem.” “Quando ele se acalmou e percebeu o que tinha feito, ele tinha Ron, a pessoa que eu pensei que era o seu parceiro de negócios, quebrar três de seus dedos. Em sua mão esquerda, de modo que ela ainda podia dar a um homem um trabalho de mão. Oh, Deus,” ela chorou. “Ele quebrou os dedos da mão esquerda para que não fosse interferir com o prazer a um homem.” 3

Uma mulher com um corpo impecável, mas o rosto é feio. Então colocar o saco de papel e tomar o caminho sobre ela. 34


Liam levantou a mão e dobrou a outra sobre as costas por isso estava completamente envolta entre as palmas das mãos. Ele esfregou suavemente, silenciosamente pedindo a ela que continuasse. “Estava tão enojada com o que vi, mas o que me atingiu mais duro foi que percebi que eu era aquela mulher. Que eu tinha acabado de ver um homem a sangue-frio impiedosamente machucar outra mulher, e que eu tinha permitido isso e muito mais por trás de portas fechadas. Não, eu não “trabalhava” para ele, mas estava tão solidamente sob seu controle como essas mulheres estavam. Se eu estivesse tão indignada em seu nome, então por que diabos não fiquei chateada com o que eu lhe permiti fazer comigo? Fiquei deprimida. Apavorada. Furiosa. Tantas coisas. Era como ligar um interruptor de luz.” “O que aconteceu em seguida?” Liam perguntou em voz baixa. “Eu o confrontei.” Ela parou de rir, uma risada rouca seca que fez o peito de Liam apertar. “Como uma idiota, eu o confrontei. O que eu deveria ter feito fugir de lá o mais rápido que pudesse e nunca olhar para trás. Mas eu estava tão irritada e tão envergonhada, que eu fui obrigada a confrontá-lo. Era como se eu tivesse que deixá-lo saber que eu não era isso, uma mulher covarde estúpida que ele estava empurrando ao redor por tanto tempo. Era tão burra, mas eu não estava pensando logicamente. Eu não fui inteligente.” “É assim que você obteve as contusões que tinha quando Max nos contratou?” Noah perguntou com um rosnado. Ela baixou os olhos de vergonha. “Não, isso não veio até mais tarde. Eu era tão estúpida,” disse ela com um soluço. “Ele me disse que eu não era nada mais do que uma puta idiota e que era melhor eu manter a minha boca fechada e esquecer o que vi. Eu estava com tanto medo do que ele poderia fazer se eu empurrasse que me calei. Fiquei com ele. Mesmo depois disso. Que tolice? Eu vivia em constante medo, mas não sabia o que fazer. Então fiquei.

35


Pelo menos por um tempo. Não foi até pouco tempo depois daquele episódio que finalmente desperdei e parti.” “Jesus,” Noah murmurou. “E você não iria nos dizer sobre ele, por quê?” Liam não gostou da escuridão nos olhos de Lauren ou o conhecimento de que tudo o que a empurrou para essa decisão final devia ter sido ruim. Queria perguntar-lhe o que diabos o bastardo tinha feito para ela finalmente partir, mas agora não era o momento. Ela foi torturada suficiente relacionando o que ela era. Mas Liam não iria esquecer. Ele descobriria exatamente o que tinha acontecido para empurrá-la sobre a borda. E sabia muito bem que não ia gostar de sua resposta. Ela chupou em uma respiração profunda, quase como se estivesse tentando segurar o último fio de seu controle. Liam enviou Noah um olhar escuro, em silêncio, dizendo-lhe para se afastar, mas os lábios de Noah estavam colocados em uma linha fina. Ele estava bem e verdadeiramente chateado agora. Não com Lauren, mas Joel Knight. “Ouvi as coisas que disse para a mulher que ele machucou e Ron, o seu executor. O que nunca percebi é que Ron era enviado para corrigir situações para que Joel não tivesse que sujar as mãos. Mas Joel quis me dar o exemplo desta mulher. Ele queria assustá-la, e assim lidou com isso, ele mesmo. Ele tem policiais em sua folha de pagamento. Ele não disse quem. Mas insultava a mulher com o fato de que, se ela fosse para a polícia, nada iria acontecer porque ela era apenas uma prostituta e ninguém se preocupava e tinha número suficiente de pessoas em sua folha de pagamento para fazer qualquer problema ir embora.” Sua voz baixou para um sussurro, e uma lágrima escorreu pelo seu rosto macio. Liam estendeu a mão para limpá-la e ela se encolheu para longe dele. Não de medo, mas de vergonha. Incomodava-lhe que ia chorar na frente deles. Fúria fez sua mão apertar e ele a puxou para que não fosse perturbá-la mais.

36


“Ele falou sobre “outras” que ele tinha cuidado. Então sabia que quando eu finalmente tivesse a coragem de chamar Max por ajuda, não poderia dizer-lhe a verdade. E então ele chamou vocês dois, e isso ficou tão complicado. Max queria prestar queixa. Queria punir quem tinha me machucado.” “Compreensivelmente,” disse Noah com força. “E teriamos Joel assassinando meu irmão?” Perguntou ela com horror. “Ou você e Liam? Como é que isso iria fazer qualquer coisa melhorar? Como eu seria capaz de conviver comigo mesmo sabendo que fui a culpada? Fiz decisões estúpidas, mas querendo manter meu irmão e vocês dois vivos não é uma delas.” Liam suspirou. Não havia nenhuma maneira para ele e Noah ganhar sobre este argumento ou convencê-la a partir da crença de que tinha feito a coisa certa. Ele queria sacudila, mas isso não resolveria nada. Queria perguntar-lhe por que diabos se envolveu com Joel de qualquer maneira. Que diabos poderia ter visto no imbecil bajulador? Antes de sair de Nova York, tinha puxado a ficha de Knight. Ficha limpa. Nem mesmo um bilhete de estacionamento. Que certamente dava credibilidade a afirmação de Lauren que ele tinha pessoas influentes em sua folha de pagamento. Ele fazia doações frequentes para a caridade. Captava recursos políticos, embora nunca oficialmente se aliava aos partidos democráticos ou republicanos. Ele estava mais em causas. Causas que elevavam o seu próprio perfil e o fazia parecer o mocinho de todos os americanos. Inferno, olhando para os seus méritos, tinha todas as características de alguém olhando para começar em si mesmo na política. E não seria Lauren um inferno de um esqueleto no armário do homem na hora da eleição?

37


Isso assustou o inferno fora de Liam. Se a política estivesse, no futuro, desse cara, isso lhe daria ainda mais motivação para silenciar Lauren, para que ela nunca fosse um espinho no seu sapato. “Lauren—” Antes que ele pudesse obter o que ia dizer, houve uma batida forte na porta. Seguido por uma voz de um cara. “Lauren! Abra. É Seth. Você está bem? Se você não responder em trinta segundos, eu estou entrando—” Lauren ficou de pé. Noah e Liam ficaram imediatamente em guarda. Noah já estava pegando a arma, enquanto Lauren fez uma corrida louca para a porta. Ela a abriu e, antes que pudesse dizer uma palavra, foi arrancada para fora da porta e empurrada por trás de um homem vestindo um uniforme de policial. Arma em uma das mãos, a outra empurrando Lauren mais para trás dele, o policial avançou para a sala. “Abaixem as armas e mãos para cima, onde eu possa vê-las,” disse o policial rosnando. “Não me deem nenhuma razão para disparar.” “Seth, me escute,” Lauren pediu. “Eles não estão aqui para me machucar.” Seth levantou a mão para silenciar Lauren. “Quem são vocês e o que estão fazendo no apartamento de Lauren? E é melhor ter autorização para transportar essas armas, caso contrário, vocês vão passar a noite na minha prisão. Se vocês colocaram sequer um dedo sobre Lauren, vou ter certeza de perder a chave maldita.” “Whoa, cara, você precisa relaxar e ouvir o que Lauren está tentando lhe dizer,” disse Noah, assim que cuidadosamente colocou a arma na mesa de café. “Mãos para cima,” Seth latiu. 38


Noah obedeceu e Liam jogou a arma no chão, em seguida, cuidadosamente levantou as mãos para cima e entrelaçou os dedos atrás da cabeça. Seth lentamente avançou, a arma nunca baixando e seu olhar nunca se deslocando de Liam e Noah. Quando estava perto o suficiente para chegar às armas que Liam e Noah tinham descartados, inclinou-se com cuidado e as recuperou. Então, fez um gesto para Liam para passar para o sofá onde Noah estava. “Sentem-se. Os dois.” Liam soltou um suspiro exasperado. Droga, eles não tinham tempo para esta merda. Seth apoiou em direção à porta, onde Lauren ainda estava de pé, com os olhos arregalados. “Você está bem?” Seth perguntou em voz baixa. Ela assentiu com a cabeça vigorosamente. “Seth, eles não estão aqui para me machucar. Max os contratou. Quero dizer antes, quando eu estava em Nova York. Ele os contratou para me proteger depois do que aconteceu. Eles estavam investigando e vieram porque precisavam me fazer algumas perguntas.” Seth olhou para frente e para trás entre os dois homens no sofá e Lauren, quase como se tentando avaliar se Lauren estava agindo e falando por ela mesma. Evidentemente satisfeito que ela estava, ele abaixou lentamente a arma e guardou-a. Ele se voltou para Lauren. “Um dos meus ajudantes relatou ter visto dois rapazes forçando o seu caminho para o seu apartamento. Ele correu para o escritório para me informar. Eu disse a ele para ligar para Max, e então corri aqui o mais rápido que pude.” Lauren gemeu. “Você teve que ligar para Max, Seth? Você poderia ter esperado para ver o que estava acontecendo antes que você o tirasse do trabalho.”

39


A sobrancelha de Seth subiu. “Nós todos olhamos por você, Lauren. Max ia chutar a minha bunda se eu não o deixei saber sobre isso. Além disso, se ele os contratou, então deve estar feliz que eles estão fazendo o seu trabalho.” Então ele se virou para Noah e Liam e estendeu a mão. “Seth Colter. Eu sou xerife aqui. Lauren é da família, e levamos muito a sério a família. Temos cuidado dela.” Liam levantou-se e apertou a mão de Seth, e, em seguida, Noah fez o mesmo. “Sem ressentimentos,” disse Noah brandamente. “Estou feliz que ela tem muita gente cuidando de sua segurança. Ela precisa disso já que não estava exatamente dizendo verdadeiramente sobre o que perigo que está.” Seth franziu a testa e olhou para Lauren. “Como assim?” O rosto de Lauren ficou vermelho e seus olhos brilharam com uma luz assassina. “Não pense que você vai sair impune,” Noah advertiu. “Max tem que saber. Seth com certeza precisa saber. Ele é o xerife aqui e tem a responsabilidade de cuidar de sua vida para ser mantido no escuro.” Seth fez uma careta. “Alguém poderia me dizer o que diabos está acontecendo aqui?” Lauren olhou para trás pela porta ainda aberta, e quando ela se virou, seus lábios foram puxados para baixo em uma expressão de infelicidade “Você pode muito bem adiar qualquer explicação,” disse ela, descontentamento evidente em seu tom. “Max está aqui, e ele vai querer ouvir tudo.”

40


Capítulo Cinco

COMO tinha tudo tão rapidamente ficado fora de controle? Lauren queria fazer nada mais do que empurrar toda essas pessoas fora de seu apartamento e trancar a porta. Mas sabia que não ia resolver nada. Já era ruim o suficiente que ia ter que explicar para o irmão que mentiu para ele. Mas, agora, Noah e Liam estavam aqui. Em carne e osso. Em sua pequena sala de estar. E ela ia ter que confessar tudo na frente de Seth, e enquanto ele era da família, ela estava desconfortável com tanta gente sabendo o quão mal errou. “Lauren? Seth?” Max chamou. Ela podia ouvir a ansiedade em sua voz, e ela fechou os olhos. “Está tudo bem, Max. Venha para cima,” Seth chamou para baixo. “Lauren está bem.” Alguns momentos depois, Max entrou na sala, seu olhar imediatamente buscando Lauren. Ele foi até ela e a puxou em seus braços. Ela suspirou e absorveu o abraço, descansando a cabeça contra seu peito. Ela estava apenas esperando a bolha estourar e para a realidade de seu passado se intrometer rudemente. Max afastou-a, apalpando os ombros. Então ele olhou para além dela para onde Noah e Liam agora estavam a poucos metros de distância. “O que está acontecendo? Por que vocês dois estão aqui? Lauren está em perigo?” Liam lhe lançou um olhar de simpatia. Noah teve menos misericórdia, no entanto.

41


“Lauren mentiu para nós sobre quem a machucou,” disse Noah sem rodeios. “Quando descobrimos, nós viemos aqui imediatamente para interrogá-la.” Max franziu o cenho, e Lauren podia ver as rodas girando em sua cabeça enquanto ele lutava com o que Noah tinha apenas jogado para ele. Sua mandíbula foi apertada, um sinal claro de raiva, e ele começou a avançar, mas ela colocou a mão em seu braço. “Não, Max,” disse ela, em voz baixa. “Eu menti.” Ele empurrou o olhar de Noah e Liam, os olhos arregalados de espanto. “Por que diabos você se fez? Não estou entendendo. Eu vi o que parecia, Lauren. Você me disse quem era o filho de uma cadela que fez as contusões em você.” Seus lábios viraram de novo, e ela desviou o olhar, as lágrimas picando as pálpebras dos olhos. Mas ela as engoliu de volta. Não ia usar um truque sujo para sair dessa. Era hora de assumir o que tinha feito. “Ela deu um nome e descrição de outra pessoa,” disse Liam. Ele deu um passo em direção a Lauren até que estava perto o suficiente para que ela pudesse sentir o calor que emanava dele. Sua mão deslizou por suas costas e permaneceu entre as omoplatas. Ninguém podia ver onde sua mão descansava, mas ela apreciou a demonstração de apoio mais do que poderia verbalizar. “Por quê?” Max exigiu. Seth franziu o cenho e se inclinou contra a porta que separava a sala de estar da pequena área de cozinha. “Eu estou perdido.” “Ela estava com medo,” disse Liam em voz baixa. “Joel Knight é o nome do idiota e ele está envolvido em prostituição. Segundo Lauren, ele tem muitas pessoas em sua folha de pagamento, incluindo vários membros da polícia.” Ele suspirou duro e olhou de soslaio para Lauren. “Ela estava tentando protegê-lo... e a nós.”

42


Max olhou para Liam por um longo momento, como se achava que Liam tinha perdido a cabeça. Em seguida, voltou seu olhar para Lauren. “Isso é verdade?” “Sim,” ela sussurrou. “O que mais você mentiu?” Max perguntou sem rodeios. “O que ele fez para você, Lauren? Você disse que ele bateu em você. Que ele deu um tapa e um soco em você. O que mais esse filho de uma cadela fez com você? O que mais você não me contou?” O sangue drenou de seu rosto, e ela não conseguia mais encontrar o olhar de seu irmão. Liam deslizou o braço ao redor dela, sem se importar que Max estava a poucos metros de distância, e Liam apertou seus ombros, puxando-a debaixo do braço até que ela estava colada contra ele, um ombro solidamente por baixo dele. “Não há necessidade de ter essa discussão na frente de tantas pessoas,” disse Liam em voz baixa. “Lauren está envergonhada e assustada.” Ela queria abraçá-lo e nunca o deixar ir. Mas, ao mesmo tempo, tinha vergonha do fato de que ainda estava se escondendo, só que desta vez estava se escondendo atrás de Liam. Max soltou um suspiro profundo e, em seguida, passou a mão pelo cabelo. “Eu só quero saber o que diabos está acontecendo. Primeira pergunta. Lauren está em perigo imediato? É este babaca está vindo atrás dela?” Noah levantou a mão. “Não temos nenhuma razão para acreditar que ele tenha alguma ideia de onde ela está. Nós com certeza não contamos a ninguém. Viemos porque precisávamos confirmar o que a nossa fonte nos disse, para que possamos fazer um pouco mais de pesquia sobre esse cara.” Os lábios de Max apertaram. “Vocês deveriam ter me contactado em primeiro lugar. Vocês trabalham para mim.”

43


Liam assentiu. “Sim, nós temos. Mas nós não estávamos indo para você com a possibilidade de que Lauren tinha retido informação, a menos que soubessemos que isso era verdade. E a única maneira de descobrir isso era perguntar a ela.” Max olhou longo e duro em Lauren, e então seu olhar suavizou. “Você está bem? Eu entendo por que você simplesmente não quis me dizer a verdade.” “Estou bem,” ela resmungou, e encolheu-se com a facilidade com que mentiu para seu irmão agora. A verdade era que queria cavar um buraco e morrer. Mas não poderia muito bem dizer isso. “O que precisamos fazer?” Max se dirigiu a Noah e Liam. “Há precauções que Lauren precisa tomar? Qual a probabilidade desse cara vir atrás dela?” “É difícil dizer,” disse Noah severamente. “Precisamos descobrir tudo o que puder sobre ele.” Lauren tremeu contra Liam e seu aperto apertou nela. “Nós não vamos deixar que nada aconteça com você, Lauren,” Liam murmurou. “Não quero que ela fique sozinha,” disse Max bruscamente. “Este é o tipo de coisa que você pode ter outros fazendo por você?” Então ele sacudiu a cabeça. “Eu acho que você deveria voltar a morar comigo e Callie, Lauren.” “Max, não,” Lauren pediu. “Eu gosto daqui. Acabei de me mudar. O meu trabalho é só atravessar a rua. Clyde está a um mundo de distância da cidade de Nova York. Ouviu Noah. Eles não disseram a ninguém onde estou. Como na terra que ele iria me encontrar, e se ele ainda se preocupa com o que estou fazendo agora?” Max olhou rasgado. Seth estava franzindo a testa. “Odeio incomodá-la, Lauren, mas estou de acordo com Max nisso,” disse Seth. “Você não deveria estar sozinha. Especialmente até tivermos tempo para investigar esse cara. Estou assumindo a partir de seu tom de voz que você não tem nenhum desejo de dar queixa?” 44


Ela balançou a cabeça enfaticamente. “Ele estaria fora da cadeia em uma hora. Ele nunca ficaria preso. Eu só quero esquecer que ele existiu. Não quero dar-lhe nenhuma razão para se importar comigo de uma forma ou de outra.” Seth não parecia feliz, mas não tentou convencê-la. “Ela não vai ficar sozinha,” disse Noah. “Liam e eu gostariamos de ficar com ela até que estivermos absolutamente certos de que esse cara não representa uma ameaça.” “O que você quer fazer, Lauren?” Max perguntou. Ele estava olhando fixamente para o braço de Liam envolto protetoramente ao seu redor. Seu olhar varreu acima e para baixo o grande homem, como se tentando descobrir o que era que estava faltando no quadro geral. Lauren respirou fundo e, em seguida, olhou para cada um dos ocupantes da sala. Se ela não quisesse qualquer proteção: A) Ela seria a maior idiota do mundo, e B) Max teria ela voltando a morar com ele e Callie em alguns minutos. Tanta coisa para fazer valer qualquer tipo de independência. “Eu quero ficar aqui. No meu apartamento,” ela disse finalmente. “E você está bem com Noah e Liam sombreando-lhe vinte e quatro horas por dia?” Max perguntou. Ela escapou um rápido olhar para Noah. Liam, ela tinha relativamente certeza. Noah... bem, ela não sabia se ele ainda estava chateado ou se ficaria ainda mais chateado uma vez que ficaria preso sendo babá em uma base de tempo integral novamente. “Por que você está me olhando desse jeito?” Noah perguntou, seus olhos se estreitando. “Porque eu não tenho certeza que é justo pedir-lhe para assumir o cargo de babá de novo,” disse ela sem rodeios. “Eu menti para você. Fiz o seu trabalho mais difícil. Não culpo você, se não podia esperar para me ver pelas costas.”

45


“E quanto a você, deixando-me preocupado,” disse Noah brandamente. “Se você morar com seu irmão ou ficar aqui neste apartamento, você está presa comigo.” “E eu,” Liam interrompeu. “E Liam,” Noah concordou. “Então é melhor você apenas se acostumar com isso. Até sabermos exatamente com quem estamos lidando, você vai tropeçar em nós em uma base diária.” “Não quero nenhum problema,” disse Seth, endireitando a postura. “Eu preciso ser mantido no circuito em tudo. Se há um problema na minha cidade, é o meu problema. Além disso, Lauren é da família. Toda a minha família olha por ela. Preciso saber qualquer ameaça que exista, porque você pode muito bem apostar que a minha mulher, a mãe e a irmã estarão no meio disso.” “Entendido,” disse Liam, seu abraço nunca afrouxando em Lauren. “Nós vamos dar-lhe qualquer informação que descobrirmos assim que conseguirmos. Nós vamos ter algumas pessoas nossas fazendo pesquisas imediatamente e vamos deixar todo mundo saber o que nós conseguirmos.” Max olhou relutantemente para a porta e depois de volta para Lauren. “Você tem certeza que não quer vir para casa comigo?” Ela se soltou de Liam e foi para seu irmão. Ela abraçou-o com força e, em seguida, inclinou-se na ponta dos pés para beijar sua bochecha. “Obrigado por se preocupar comigo, e eu sinto muito, por mentir para você, Max. Eu não sabia mais o que fazer no momento. Estava com medo. Mas estou bem agora. Prometo.” Ele não parecia cem por cento certo, mas ele balançou a cabeça de qualquer maneira. “Tudo bem. Vou voltar para casa.” Em seguida, virou a Noah e Liam, e disse: “Espero um relatório no momento em que descobrirem algo mais.”

46


“Vou querer também,” disse Seth. “Mantenha-me informado. Grite se você sentir alguma coisa fora do comum. Coisas permanecem praticamente o mesmo por aqui. As pessoas prestam atenção quando veem caras novos na cidade. Dê-me uma descrição de Knight. Uma foto. Qualquer informação pertinente sobre as pessoas que trabalham com ele. Vou distribuir aos meus ajudantes para que todos possamos estar à procura.” Liam estendeu a mão para apertar a de Seth. “Obrigada. Nós definitivamente vamos mantê-lo informado.” Seth apertou a mão de Liam e, em seguida, acenou para Lauren. “Tome cuidado, Lauren.” “Obrigada,” ela conseguiu deixar sair. Max se inclinou para frente, beijou Lauren na testa e, em seguida, se arrastou atrás de Seth fora de sua porta da frente. Ela poderia facilmente murchar no local assim que a porta se fechou atrás de Max. Mas o olhar nos olhos de Noah a parou em seu caminho. Ela franziu a testa, olhou para ele em questão. “Agora que eles se foram, temos um inferno de muito mais o que discutir,” disse Noah com uma voz determinada. “Iniciando comigo. Você. E Liam.”

47


Capítulo Seis

NOAH olhou para o rosto pálido de Lauren e por um momento considerou recuar. Dando-lhe tempo e espaço para lidar com as consequências de sua chegada. Era óbvio que ela estava em terreno movediço. Mas foda-se todos. Toda esta situação estava queimando um buraco em seu cérebro. Liam já tinha feito a sua jogada. E se Noah não fizesse algumas para recuperar o atraso, ele ia ser deixado na poeira. Liam tinha dito para Noah para voltar e ver Lauren e depois fazer a sua mente. Inferno, assim que colocou os olhos nela novamente e viu a vergonha e vulnerabilidade em seu olhar, sabia que não havia nenhuma maneira maldita que ele estava andando para longe dela. E Liam, o bastardo, provavelmente sabia disso. “Eu não entendo,” disse Lauren em tom vacilante. Quando Noah olhou para Liam, o olhar de seu amigo estava zombando. Desafiador. Ele fez Noah tirar o sorriso presunçoso direto do rosto. “Venha sentar-se,” disse Liam, pastoreando suavemente Lauren para o assento do sofá. Ele a colocou ao lado dele e, em seguida, olhou com expectativa para Noah. Noah não tinha escolha a não ser tomar a poltrona que Lauren tinha sentado mais cedo. Uma vez que ele estava resolvido e olhou para Lauren, que estava olhando para ele, esperando que dissesse o que estava em sua mente, ele lutou para encontrar as palavras. Como diabos ia explicar isso quando não entendia completamente a si mesmo? 48


Filho de uma cadela, mas ele odiava essa incerteza. Ele era uma pessoa decisiva. Não adivinhava a si ou suas decisões, mas estava paralisado pela enormidade da situação. Ele e Liam ainda não tinha totalmente entrdor em acordo com isso... qualquer que seja o inferno que era. Como poderia ser esperado para fazer Lauren entender o que ele queria? O que, obviamente, Liam queria. “Lauren, você vai nos dar licença por um momento?” Noah disse sem rodeios. Testa de Liam reuniu, em seguida, a testa de Lauren franziu em confusão. Noah levantou-se e fez um gesto para Liam. “Nós apenas estaremos indo para ir do outro lado da rua.” “E deixá-la?” Liam exigiu. Noah soltou a respiração em frustração. “Vamos, Lauren. Você vai com a gente. Vamos levá-la para dentro da estação do xerife.” “O que diabos está acontecendo?” Lauren perguntou em confusão. Seus olhos castanhos estavam nublados com confusão, e sua boca abriu e fechou enquanto olhava entre os dois homens. Liam colocou sua mão sobre a dela. “Noah e eu precisamos trabalhar algumas coisas... privadamente. Não vai demorar muito.” “Mas por que eu preciso ir embora?” Liam tocou seu rosto. “Lembre-se de tudo o que acabou de dizer quando seu irmão estava aqui? Isso não era apenas falar, Lauren. Para a próxima, aonde vamos, você vai, e viceversa.” Ela olhou como se quisesse discutir, mas fechou a boca e deu um suspiro resignado. “Tudo bem. Vamos então. Deixe-me pegar o meu livro, então vou ter algo para fazer. Vou me sentir muito estúpida apenas sentada na estação do xerife.”

49


Enquanto caminhava para o quarto dela, Noah nivelou um olhar fixo em Liam. Ele estava louco para dizer alguma coisa. Para quebrar a tensão construindo. Estava pronto para explodir, mas não queria ter essa conversa na frente de Lauren. Não até que ele e Liam a tivessem entre eles. Havia tantas maneiras de estragar tudo antes que sequer tivesse uma chance com ela. E isso assumindo que Lauren não iria correr gritando na direção oposta. Quando Lauren voltou, Noah tomou a dianteira e caminhou para a porta da frente. Liam ficou na traseira, colocando Lauren entre ambos. Mas, então, não foi isso o que era tudo isso? Lauren entre eles? Ele iria precisar de algo mais forte do que o restaurante servia para esta ocasião. Tráfego tinha aumentado na Main Street. Tendo as picapes velhas parando na loja de ração. Carros entrando no supermercado na esquina. Mais notavelmente era a multidão na lanchonete. Não havia nenhuma maneira no inferno que ele ia ter uma conversa sobre Lauren no meio de um restaurante lotado. Ele olhou para Liam e então foram para a estação do xerife. Quando ele empurrou para dentro, havia uma mulher na recepção com o telefone no ouvido. Ela levantou um dedo na boca eu vou estar com você em um segundo. Noah esperou pacientemente que ela terminasse sua chamada, e então ela olhou para cima, com um sorriso brilhante no rosto. “Como posso ajudá-lo?” “Eu preciso ver Seth Colter,” disse Noah. Ele levou sua mão para trás dele, pegou a mão de Lauren e puxou-a para ficar ao lado dele. “Eu preciso deixá-la com o xerife.” A mulher piscou, e então seus olhos arregalaram. “O que ela fez, senhor?” 50


Noah olhou para ela, confuso. “Ela não fez nada. Você pode chamar o xerife para mim?” Quando olhou de soslaio para Lauren, ele viu que seu rosto estava vermelho beterraba, e ela parecia que queria que o chão a engolisse. Inferno, o momento estranho foi salvo de crescer ainda mais estranho quando Seth saiu de seu escritório. Ele franziu a testa quando os viu e chegou a uma parada. “Tem alguma coisa errada?” Perguntou Seth. “Noah, não é?” Noah assentiu e, em seguida, balançou a cabeça. “Nada há de errado. Precisamos deixar Lauren com você até colocarmos algumas coisas em ordem.” Seth piscou. “Aqui?” Lauren fez um som estrangulado. “Isso é tão ridículo. Deixe-me ir para Lily. Você pode me deixar lá. Eu vou passar a tarde com ela.” Seth franziu o cenho. “Não, está tudo bem. Apenas me pegou desprevenido. Você pode sentar no meu escritório, se quiser. Se eu for chamado para fora, haverá muitas outras pessoas aqui para ficar de olho em você.” “Sinto-me como uma maldita criminosa,” Lauren murmurou. Liam se inclinou, beijou sua testa e, em seguida, empurrou-a na direção de Seth. “Estaremos de volta para você bem rapidamente. Sente-se e espere, ok?” Ela enviou um olhar infeliz na direção de Liam e Noah antes de caminhar em direção a Seth. Seth colocou a mão em seu ombro e guiou-a de volta para seu escritório. “Vamos lá,” Noah murmurou, voltando para a porta. Em vez de caminhar em direção à lanchonete, ele atravessou a rua de volta para o apartamento de Lauren, deixando Liam o seguindo. Ele correu os degraus e entrou, andando pela sala enquanto Liam fechava a porta e foi sentar-se no sofa. “Estou supondo que você tenha feito a sua decisão,” Liam demorou. 51


Noah parou de andar e virou-se, prendendo o amigo com um olhar. “Não, o inferno que eu não tenho. Como é que vou fazer esse tipo de decisão em uma fração de segundo? Você já considerou as dificuldades em que você está propondo? Você já pensou além do fato de que você quer?” “Por que você está tão chateado?” Liam perguntou suavemente. “Você não queria falar sobre isso quando nós poderíamos fazer, em Nova York, quando Lauren não estava em qualquer lugar ao redor. Você queria esperar. Bem, aqui estamos. Então fale.” Noah agarrou a parte de trás do seu pescoço e tomou várias respirações profundas. Então curvou-se na poltrona, sacudindo a cabeça. “Isso é algum tipo de piada maldita para você, não é?” Com isso, Liam avançou, seus olhos escurecendo de raiva. Sua mandíbula apertou e Noah percebeu que tinha ido longe demais. Seu amigo estava perto de arrancar a cabeça de Noah fora. “Lauren não é uma piada para mim,” disse Liam com os dentes cerrados. “Você é a pessoa com a cabeça no seu rabo. Eu estava tentando fazer a coisa certa. Sabia que tinha sentimentos por ela e você é meu amigo. Eu também sei que nós podemos proteger e cuidar de Lauren. Juntos. Eu não quero que ela fique entre nós. Nós já passamos por muito e temos história. Sua amizade significa muito, mas não vou deixar você foder as coisas para mim com Lauren. Com ou sem você, estou aqui para um longo tempo. O que você decidir é com você. Eu estou dentro. Eu compartilhei com você. Dei-lhe tempo para pensar sobre isso.” Noah olhou para ele com espanto. “Deixando a besteira de lado, você realmente acha que isso pode funcionar? Você realmente acha que só porque as pessoas que ela conhece estão em um relacionamento não-tradicional que ela vai ficar bem com isso para si mesma?” “Se não podemos decidir entre nós que isso vai trabalhar, nós nunca vamos convencê-la de que vai,” disse Liam em voz baixa. “Talvez isso não vá. Mas como vamos saber se não 52


tentarmos? Ela faz isso por mim, cara. Eu não posso explicá-lo. Já ouvi todos os tipos de histórias sobre como quando um homem vê uma mulher que ele apenas sabe que é isso. Mas eu nunca tinha experimentado até agora. Conheci muitas mulheres que estava interessado, que estava atraído. Mulheres que gostava de passar o tempo e ter relações sexuais. Mas eu nunca conheci uma mulher que eu tive uma reação mais poderosa do que com Lauren. Eu não posso nem descrever o que senti quando a vi pela primeira vez. Eu queria ir para encontrar o idiota que a machucou e matá-lo. E então queria levá-la em meus braços e jurar-lhe que nada de ruim jamais a tocaria de novo, e que eu iria passar o resto da minha vida tendo certeza que ela estava feliz. Agora, se isso soa estúpido para você, que assim seja, mas foi assim para mim.” “Não é estúpido,” Noah murmurou. “Não é estúpido porque é da mesma maneira que eu senti. Mesmo quando disse a mim mesma que estava sendo ridículo.” Liam assentiu. “Agora você me diz isso. Com você tem uma forte reação, e está realmente pensando em cair fora?” Então seus olhos se estreitaram e ele olhou fixamente para Noah. “A menos que você esteja esperando que eu faça.” Ele se inclinou para frente no sofá, sua expressão de repente escura e carrancuda. “Não é isto, Noah,” disse laconicamente. “Eu já me afastei antes, quando sabia que você estava interessado na mesma mulher que eu estava de olho. Mas não me sentia assim sobre elas. Eu nunca me senti tão fortemente sobre uma mulher que eu ia arriscar que nossa amizade acabasse, mas estou dizendo a você agora, eu não estou saindo fora, e se você não pode ou não vai aceitar o que estou propondo, tudo bem. Mas não espere que eu sente e assista você e Lauren juntos.” Noah sabia que tinha que encontrar uma maneira de desarmar uma situação potencialmente explosiva. Liam estava sendo trabalhado, e se ele não tivesse cuidado, a coisa toda iria explodir no rosto de Noah.

53


“Apenas me diga isso, Liam. Você realmente acha que isso poderia funcionar? Esqueça as besteiras sobre não querer se afastar. Deixe de lado a sua reação emocional e pense sobre isso logicamente. Você honestamente acha que podemos partilhar a mesma mulher, sem ficar com ciúmes ou muito exigentes ou ficar chateados quando as coisas não vão no caminho?” Liam franziu os lábios e, em seguida, balançou a cabeça lentamente. “Sim, eu faço. Eu só posso falar por mim, mas estou disposto a fazer o que for preciso para fazê-lo funcionar. Você pode dizer o mesmo? Eu não estou indo para isso escondendo nada. Coloquei minhas cartas na mesa. Não posso ser mais contundente do que eu fui. Mas até agora fui o único a fazer toda a conversa.” Se qualquer outra pessoa estivesse questionando-lhe o caminho, que não fosse Liam, a luta já estaria acontecendo. Mas Liam o conhecia. Liam era a coisa mais próxima que Noah tinha de uma família. Inferno, a família de Liam o tinha adotado quando Noah era apenas um adolescente. Ele passou mais tempo na casa Prescott do que tinha na sua própria, e pelo tempo que tinha dezesseis anos, ele se mudou e os Prescotts tinham perseguido a custódia legal através dos tribunais. A mãe de Noah não tinha sequer se preocupado em aparecer. Os dois rapazes tinham completado o ensino médio juntos. Eles se juntaram aos militares juntos, e mesmo que o Exército os tivesse levado em direções diferentes, sempre mantiveram contato. Noah tinha passado seu tempo de licença com os Prescotts, e um Natal, ele passou com eles quando Liam não tinha conseguido sair. “E quanto a seus pais?” Noah perguntou severamente. “Como é que eles vão levar isso?” Liam encolheu os ombros. “Tenho certeza que eles vão me perguntar se nós perdemos nossas mentes. Mas eles vão adorar Lauren. Mamãe vai amá-la e assim o pai. Acho que, como com qualquer coisa, eles só precisam de tempo para se ajustar. Quando chegar a hora, vamos 54


levá-la para conhecê-los e vamos explicar a situação. Eles não vão nos renegar sobre isso, Noah. Você os conhece melhor do que isso.” “Eu só não quero machucá-los,” disse Noah. “Eles fizeram muito para mim.” “Entendo isso. Mas você não está dando-lhes crédito suficiente. Eles apenas querem que sejamos felizes. Se Lauren nos faz feliz e que você e eu estamos em paz com isso, então todo o resto vai cair no lugar.” Noah balançou a cabeça. “Você é um nojento equilibrado sobre essa coisa toda. Eu geralmente sou o que tem que falar por aí sobre as coisas.” Liam encolheu os ombros. “Sei o que quero, e estou disposto a fazer o que for necessário para obtê-lo.” “Ok, então vamos dar-lhe uma tentativa. Eu nem sei onde diabos começar.” Liam colocou os braços sobre os joelhos e olhou fixamente para Noah. “Começamos por sermos honesto com Lauren sobre o que queremos, e então perguntamos a ela o que ela quer.”

55


Capítulo Sete

Depois de ler o mesmo parágrafo cinco vezes, Lauren desistiu de tentar desfrutar do livro que tinha levado com ela no escritório de Seth. Seth estava dentro e fora e, felizmente, não tinha tentado conversar com ela. Ele foi mantido ocupado com várias chamadas, mas era um de sua esposa, Lily, que fez derreter o coração de Lauren. Era tão óbvio como Lily Colter era adorada. Por todos os três homens que ela chamou de marido. Todo o rosto de Seth se iluminou quando percebeu que era ela no telefone, e seus olhos tinham crescido tão suaves com o amor, que Lauren foi difícil de assistir. Eles falaram sobre o bebê e como Lily estava se sentindo. Evidentemente Dillon estava em casa com Lily e também era óbvio que Seth preferia estar lá em vez de preso em seu escritório. Pageando Lauren. Isso tinha feito Lauren desconfortável porque se sentia como se estivesse invadindo algo privado e profundamente emocional. Ela virou-se para olhar pela janela, perguntando quando Noah e Liam voltariam e o que era tão importante que tinham para despejar que tinham que falar em particular. Noah tinha agido estranhamente desde que os dois tinham chegado enquanto Liam tinha agido... como ele se preocupasse com ela. Ou talvez fosse uma ilusão da parte dela. Ela nunca desejou nada, tanto quanto desejava poder voltar atrás e refazer o ano passado. Portanto, muito do seu tempo foi gasto lamentando as escolhas que tinha feito, mas ela

56


tinha agravado a má decisão tomada decisões ainda mais ruins. Será que alguma vez isso acabaria com ela? Não havia mais do que ela não tinha dito Noah e Liam. Ou Max. Ou qualquer outra pessoa. Mas ela sabia que no momento em que desistiu do seu segredo ela seria forçada a agir sobre isso, e ela não estava pronta para enfrentar seu passado. Talvez ela nunca estaria pronta. Ela era um covarde. Admitiu isso. Mas de nenhuma forma ela queria ver Joel de novo, e não iria confessar a ninguém o que tinha levado quando fugiu de Joel e implorado ao seu irmão para ajudar, não haveria nenhuma maneira de ter de enfrentá-lo. Apenas o pensamento foi suficiente para causar medo no seu coração e enviar um arrepio na espinha. Ela estremeceu e esfregou os braços. “Você está com frio?” A pergunta de Seth empurrou-a de seus pensamentos. Ela puxou sua cabeça para cima para ver que ele voltou para o seu escritório de novo e estava olhando para ela. Ela acalmou as mãos para que elas descansassem em seus braços, e balançou a cabeça. “Não, eu estou bem.” Ele sentou-se atrás de sua escrivaninha e folheou uma pilha de papéis, evidentemente, encontrando o que estava procurando. Ele sentou-se, estudando isso por um longo momento, e então ele olhou em sua direção novamente. Então colocou o papel para baixo e inclinou-se para frente para que seus antebraços descansassem na mesa. “Você sabe, se você precisar de ajuda, com qualquer coisa, você só tem que pedir.” Ela assentiu. Seth hesitou por um momento, brincava com uma caneta sobre a mesa e, em seguida, olhou para ela de novo, como se estivesse tentando descobrir a melhor maneira de abordar o assunto que queria discutir. 57


“Noah e Liam... você está confortável com esses caras? Posso falar com Max. Nós podemos trabalhar em algo mais se você preferir que eles voltem para Nova York.” Ela avançou. “Não! Quero dizer, não, está tudo bem, eles estão bem, quero dizer. É só que eu fui pega desprevenida. Mas, na verdade, eles foram muito bons. Eles foram tão doces para mim logo depois... você sabe, quando aconteceu o que aconteceu. Obrigado, no entanto. Eu aprecio o que você e toda a sua família tem feito por mim.” “Você é da família, Lauren. E o Colters sempre cuidam da família.” Ela sorriu. “Eu sei. É uma das coisas que mais amo sobre todos vocês. Max e eu não tinhamos isso. Quero dizer, nós fizemos, mas era só nós e mamãe por tanto tempo, e então nós a perdemos. Fiquei admirada com todos vocês quando cheguei aqui. Ter uma família grande e unida é muito especial.” “Você é uma parte disso agora,” disse Seth. “Não se esqueça disso.” O calor encheu seu coração. Era bom fazer parte de algo tão amoroso e maravilhoso como a família Colter. Seth olhou para a porta e, em seguida, virou-se para ela. “Parece que Noah e Liam estão de volta por você. Eles estão na frente. Venha, eu vou levá-la.” Ela ficou de pé. “Não há necessidade. Obrigado por me deixar ficar e eu sinto muito por ser um incômodo. Por favor, dê a Lily meu amor e diga-lhe que vou vê-la quando puder. Não tenho certeza quanta liberdade que vou ter daqui para frente,” acrescentou com tristeza. “Nós vamos fazer isso acontecer. Ela gosta de passar tempo com você e Callie. Ela não vai ser capaz de ir muito tempo sem ficar junto com você.” “Obrigado mais uma vez. Vejo você mais tarde,” disse ela enquanto saía de seu escritório. No final do corredor, viu Noah e Liam em pé na pequena área de recepção. Eles pareceram aliviados quando a viu. Onde é que eles achavam que ela iria? 58


Noah pegou a mão dela, assim que chegou perto o suficiente. Para sua surpresa, ele entrelaçou os dedos com os dela, apertou e depois puxou-a para a porta. Liam seguiu-os do outro lado da rua, e Noah nunca a soltou enquanto subiam os degraus para o apartamento dela. Quando empurrou para dentro, manteve segurando a mão dela e a levou para o sofá. Ele parecia nervoso. Pouco à vontade. Mesmo Liam parecia um pouco... inseguro. “Tem alguma coisa errada?” Ela deixou escapar. “Vocês dois olham preocupados. É Joel?” Liam levantou-se, empurrou a mesa de café fora do caminho e caiu sobre um joelho na frente dela. “Não, querida. Não quero que você se preocupe com Joel, ok? Nós vamos fazer tudo ao nosso alcance para garantir que você nunca tenha que vê-lo novamente.” “Queríamos falar com você sobre algo pessoal,” disse Noah. Seu olhar voltou-se para ele e seu coração começou a correr. Ela lambeu os lábios nervosamente, porque sabia que tudo o que eles queriam discutir ia ser... enorme. Estava lá para ler em suas expressões. Eles se concentraram atentamente. Como se ela fosse a pessoa mais importante do mundo. “O-Okay,” ela suspirou. Liam deslizou sua grande mão sobre a dela, quente e reconfortante. Noah pegou a outra mão e virou a palma para cima, o dedo traçando as linhas para os dedos. “A coisa é...” Ele parou em seguida, passou a mão livre sobre a sua cabeça. “O inferno, estou fazendo uma bagunça total disso.” “O que é, Noah?” Ela perguntou em voz baixa. “Você tem sentimentos por nós?” Liam perguntou sem rodeios. “Ou será que estamos errados.” 59


Calor infiltrou em seu rosto e ela estava mortificada. Se ela tivesse sido tão transparente? Tentou o seu melhor para ficar indiferente em relação a eles. Ainda não tinha verdadeiramente resolvido o que sentia por eles. Eles a intrigava. Permitiu cair na fantasia de que ela não era apenas um trabalho para eles, que sua proteção não vinha de sua descrição do trabalho, mas a partir de uma necessidade que surgiu a partir de sua atração por ela. Ela tinha ido para trás e para frente com isso, sobre se ela estava realmente atraída por dois homens ou se era apenas um produto de ter um homem que abusou dela com os homens que a trataram como se ela fosse... especial. Como ela queria dizer algo a eles, e que eles realmente se importassem com ela. Uma mulher não iria se apaixonar por um homem na mesma situação? Mas isso fazia seus sentimentos reais? Noah estendeu a mão para acariciar suavemente sua bochecha. “Por favor, não fique constrangida com a pergunta. Queríamos saber porque temos sentimentos por você, Lauren. E antes que possamos avançar, precisamos saber se esses sentimentos são recíprocos.” Ela engoliu em seco, sua pulsação trovejando em sua testa. “Você tem sentimentos por mim?” “Sim, nós temos,” disse Liam no mesmo tom. Ela lambeu os lábios, e de repente Liam estava lá, com a boca cobrindo a dela em uma corrida aquecida. Por um momento, ela não tinha ideia do que fazer, mas, em seguida, se viu respondendo, devolvendo o beijo, abrindo a boca para a intromissão de sua língua. Não havia nada de superficial sobre o beijo. Ela adorava a aspereza, como instável e ansioso ele parecia. Quase como se estivesse fazendo tudo que podia para manter-se sob controle. Joel raramente a tinha beijado, e quando tinha, isso parecia mais um castigo do que um gesto de carinho.

60


Quando ele se afastou, sua respiração soluçou sobre seus lábios e seus olhos brilhavam quente e escuro. Ele alisou o polegar sobre a plenitude de seu lábio inferior, agora inchado de seu beijo. “Eu poderia facilmente cair no amor com você,” ele disse em um sussurro. Seu coração apertou e ela embebeu nas palavras como um deserto ressequido absorvendo chuva. Noah fez um som e ela empurrou em direção a ele, de repente, entorpecida com a culpa. Ele imediatamente sacudiu a cabeça. “Não olhe para mim desse jeito, querida. Você não tem nada para se sentir culpada. Isto é o que queremos falar com você. A coisa é, nós dois nos preocupamos com você. Nós dois queremos ver onde a nossa relação nos levará. Mas temos que ter a certeza que esteja pronta para algo assim. Além disso, este não é o momento ideal para embarcar em qualquer relacionamento. Nossa primeira prioridade tem que ser mantê-la segura.” “Você quer ter o tipo de relacionamento que os Colters têm,” disse ela, sua mente girando com as implicações. Ela sabia do casamento “diferente” que Holly e Lily Colter tinham com cada um dos seus três maridos antes mesmo que ela se encontrasse com eles. Ela tinha descoberto isso de Max. Ela sabia o que esperar, então, quando testemunhou isso, a ligação entre as mulheres e seus maridos, ela não tinha sido pega de surpresa. Não, ela não ficou chocada. Estava curiosa e mais do que um pouco de inveja, porque era tão óbvio que os homens Colter adoravam suas esposas. Ela muitas vezes se perguntou como seria ser o centro de uma relação, o coração e o núcleo em que o acordo foi centrado. Nunca em um milhão de anos sonhou que essa relação iria encontrá-la. Noah assentiu. Liam apertou a mão dela.

61


“Você consideraria isso?” Perguntou Liam. “Eu sei que estamos pedindo muito. Não estamos nem perto do compromisso permanente. Nós ainda nem tivemos um encontro. Tudo o que queremos é uma chance. Queremos abrir sua mente para a possibilidade e ver onde isso nos leva.” “Esta é uma responsabilidade muito grande,” ela murmurou. “Eu não tinha ideia. Quero dizer de vocês voltarem o meu interesse.” Os olhos de Noah brilharam em triunfo repentino. “Então você está atraída por nós.” Suas bochechas inflamaram, mas ela balançou a cabeça. Eles haviam dado a ela a verdade, e enquanto ela certamente começou a sua familiaridade com mentiras, ela não queria continuar nesse caminho. Liam se inclinou e beijou-a novamente. Longo e doce até que ela estava sem fôlego. Desta vez, ela deslizou sua mão ao redor da parte de trás do seu pescoço e enterrou os dedos em seus cabelos longos. Ele gemeu contra sua boca e, em seguida, puxou para trás, os olhos brilhando. “Se eu tivesse meu caminho, nós ignorariamos a fase de namoro completamente e eu teria você na minha cama todas as malditas noites.” Ela ficou boquiaberta com sua franqueza e quase olhou na direção de Noah, mas lembrando sua admoestação a última vez que ela olhou para ele para avaliar sua reação, ela se forçou a não espreitar para ele. “Vamos levar as coisas devagar,” disse Noah. “Vamos ir em qualquer ritmo que você precise, Lauren. Você vai assumir a liderança e vamos fazer tudo o que for preciso para você estar confortável. Queremos que isso funcione.” “Tudo bem,” ela disse em uma voz trêmula. Noah tocou seu dedo em sua bochecha e ele correu até o queixo e depois para traçar uma linha ao redor de sua boca. 62


“Eu quero muito te beijar,” disse ele com voz rouca. “Então me beije,” ela sussurrou. Ele inclinou-se, lentamente, inclinando a cabeça para que suas bocas alinhassem. E então ele pressionou seus lábios nos dela. Levemente em primeiro lugar. Então, aprofundou o beijo, procurando timidamente a entrada com a língua. Era doce e lento, como o primeiro beijo entre os amantes. Um beijo para ser lembrado pela forma como ele a fazia se sentir quando as coisas eram tudo brilhante e novo e emoções ainda estavam correndo alto. Sua mão caiu para o lado de seu pescoço e, em seguida, como tinha feito para Liam, sua mão se arrastou para cima, em seu cabelo. Ele se separou, mas descansou sua testa contra a dela, seu peito arfando enquanto descansava um momento, a boca tão perto. “Eu quero isso,” ele sussurrou. “Eu não achava que fazia, mas Deus, eu quero isso, Lauren. Eu quero você, e vou fazer qualquer sacrifício para que isso funcione.” Suas palavras abriram uma parte de sua alma que não tinha sido aberta anteriormente. Ele e Liam tinha atingido uma parte dela que tinha fechado, uma medida de protecção para que Joel não pudesse alcançar o âmago dela e danificá-lo. Foi assustador e emocionante, tudo ao mesmo tempo para abrir-se e permitir-se confiar novamente. Mas, principalmente, a aterrorizava, porque sabia que não tinha feito boas decisões no passado. Como ela poderia saber se estava fazendo as mais acertadas agora?

63


Capítulo Oito

LAUREN sentou-se entre Noah e Liam em sua mobília de jantar pequena que acomodava quatro pessoas. Quatro pessoas de tamanho normal. Noah e Liam não eram exatamente do tamanho normal. Eles fizeram seu apartamento parecer cheio e lotado, onde antes ela saboreava a sensação calorosa e acolhedora do mesmo. Tinham pedido o jantar do pub de Dillon Colter, e Liam tinha saído para obtê-lo, deixando Lauren a só com Noah por um tempo no apartamento. Lauren ainda não tinha certeza de si mesma nesse estranho novo ambiente, então ela pediu licença para tomar um banho e entrar em uma roupa mais confortável para relaxar. No momento em que voltou, Liam estava de volta com a comida, e ela suspirou de alívio. “Eu quis dizer o que disse antes,” disse Noah em torno de um pedaço de bife. Lauren levantou as sobrancelhas. “Ah?” “Que não deixaria nosso relacionamento interferir com o nosso principal objetivo, que era mantê-la segura e descobrir toda e qualquer informação que possamos sobre Joel Knight. O mais discretamente possível.” Ela abaixou a cabeça e pegou a sua comida. “Não faça isso, querida,” disse Noah brandamente. “Pare de bater-se sobre ele. Coloque o bastardo no passado onde pertence. É hora de seguir em frente. Comigo e com Liam. E vamos ter a maldita certeza que nunca vamos dar-lhe razão para acreditar que nós somos qualquer coisa como aquele idiota. Não lhe dê esse tipo de poder sobre você.” 64


Ela suspirou. “Eu sei. Logicamente que faço. Sou inteligente o suficiente para saber que ele não pode me controlar mais. Mas é difícil, sabe? Quando penso no que permiti que ele me transformasse, estou tão envergonhada, eu mal posso suportar. Tinha que ser mais esperta do que isso, mas nunca o vi pelo que era até que era quase tarde demais.” O telefone tocou, interrompendo a conversa. Lauren caminhou até onde o celular estava e rapidamente atendeu-o. “Hei Max,” ela cumprimentou. “Como estão as coisas com você?” Ele perguntou. “Tudo bem. Estamos apenas curtindo um jantar tranquilo no apartamento.” “Isso é bom. Queria ter certeza de que você ainda estava confortável com os arranjos. Eu posso sempre fazer algo diferente.” “Você é muito bom para mim, Max. Mas estou bem. Eu prometo. Vou ficar bem neste momento. Aprendi com os meus erros do passado. Eu não quero fazê-los novamente.” “Você é muito dura consigo mesma,” disse ele em voz baixa. “Todos nós cometemos erros, Lauren. Estraguei tudo regiamente com Callie. Não uma, mas duas vezes.” Ela sorriu. “Com certeza. É uma maravilha que ela o aceitou de volta.” “Eu tive sorte,” disse ele em um tom sombrio. “Eu não merecia as segundas chances que ela me deu.” “Ela ama você.” “E eu a amo. E por falar em Callie e sua família. Holly quer que você venha jantar amanhã e que traga Noah e Liam com você. Sabe Mama C. Ela fica toda nervosa com seus pintinhos, e você é definitivamente um deles agora. Ela quer olhar estes dois homens antes que assine sua aprovação para todo o plano.” Lauren riu. “Isso soa exatamente como ela. Eu adoraria ir. Tem se passado alguns dias desde que a vi, e agora poderia usar a sua companhia.” E sua sabedoria e discernimento. Não 65


havia mais nada que Lauren queria fazer do que correr para ela com a situação que se viu. De todas as pessoas, Holly iria entender. Ela tinha sido uma rocha durante o tempo que Lily estava encontrando seu caminho com os três filhos de Holly. Sempre oferecendo sabedoria e conselhos. Talvez ela pudesse ajudar Lauren como ela estava indo fazer um relacionamento com dois homens alfa muito exigentes trabalhar. Afinal de contas, ela era casada com três dos homens alfas mais exigentes do planeta. Adam, Ethan e Ryan Colter. Certamente tinha passado o gene para seus três filhos e até certo ponto a sua única filha, Callie. Callie era de um temperamento forte, independente e tinha sido criada em uma casa cheia de homens superprotetores que não faziam nada alem de estragar as mulheres que amavam completamente. Só de pensar nos Colters fez Lauren melancólica. Esperança a encheu quando espiou Liam e Noah, que estavam aproveitando a comida da Mountain Pass Bar and Grill. Aqui estava ela atirando-se em um relacionamento que imitava a que os Colters tinham. Ela tinha dois homens muito protetoras e fodões determinados a mantê-la a salvo de qualquer coisa que a ameaçasse. E eles queriam uma chance de fazer um relacionamento trabalhar entre os três. “Então vamos nos ver amanhã?” Max perguntou. “Espere só um momento. Deixe-me perguntar a Liam e Noah o que pensam.” Ela puxou o telefone longe de sua orelha e começou a pedir permissão, de todas as coisas, quando ficou claro para ela o que estava fazendo. Ela estava agindo como se estivesse com Joel. Sempre precisando de sua aprovação para tudo o que fazia. Ela já não tinha que fazer isso. Fazia suas próprias decisões. Se queria ir visitar os Colters, então Noah e Liam poderiam vir ou ficar para trás. Mas ela queria ir. 66


Com uma carranca rápida, puxou o telefone até sua orelha novamente, ignorando as sobrancelhas levantadas de Noah e Liam. “Nós vamos estar lá. Eu vou mandar uma mensagem a Holly para que ela saiba que nos iremos.” Ela terminou a chamada, com raiva de si mesma por ser uma maldita covarde. “Alguma razão em particular que você olha com raiva para o mundo?” Noah perguntou suavemente quando ela voltou para a mesa. “Estou enojada de mim,” ela murmurou. “Por quê?” Liam exigiu. “Porque disse ao meu irmão que ia perguntar se eu poderia ir, como se precisasse de sua permissão ou algo assim. É absolutamente o que eu teria feito quando estava com Joel. Não fiz nada sem a sua permissão. Eu nem sequer ia ao banheiro sem dizer-lhe o que estava fazendo.” “Eu vejo,” disse Noah com cuidado. “Mas Lauren, você vê a diferença aqui, não é? Nós nos preocupamos com o que acontece com você. Nós nos preocupamos de que há uma ameaça lá fora, que ainda está por resolver. Nós nunca a proibiremos de fazer algo que você queria fazer. A não ser que fosse determinado que o risco era muito grande. Preciso que você entenda isso agora, de modo que, se o tempo fechar, não vai ser porque somos malditos controladores. Será porque a sua segurança vem em primeiro lugar, e prefiro tê-la viva e chateada do que morta e apaziguada.” “Entendo. Apenas me dê tempo, Noah. Isso tudo é muito novo para mim. Gostaria de poder simplesmente deixar ir o passado e resolver não deixar isso me afetar tanto agora. Mas não é assim tão fácil. Deus, gostaria que fosse. Daria qualquer coisa para ser capaz de limpar a minha memória e continuar como se nunca nada tivesse existido. Mas é como se ele estivesse

67


ali, uma sombra em minha mente, e salta para fora nos momentos mais inoportunos. Isso me faz duvidar de mim, e odeio isso mais do que tudo.” Os olhos de Liam suavizaram e ele estendeu a mão para apertar a mão dela. “Entendo, querida. Daremos alguma folga. Você vai chegar lá, e Noah e eu vamos estar ajudando você a cada passo do caminho.” Ela sorriu timidamente. “Obrigada.” “Então, vamos levá-la para sair amanhã?” Noah disse. “Eu só preciso saber os detalhes para que eu possa decidir o melhor planejamento.” Ela assentiu com a cabeça. “Sim, até a montanha para onde os mais velhos Colters vivem. Os pais de Seth. Callie e Max vivem do outro lado do prado. Seth e seus irmãos e sua esposa, Lily, vivem mais perto da cidade, mas a sua casa ainda está fora de forma e isolada. É muito bonito.” “Você é muito bonita,” disse Liam, sua voz áspera e rouca. Confusa pela mudança abrupta na direção da conversa, ela ficou em silêncio, sem saber como responder. “Você não está acostumada a elogios, não é?” Perguntou Noah. “Será que o filho da mãe nunca lhe disse que você estava linda? Espere. Não responda. Me desculpe, eu o trouxe para cima.” Lauren balançou a cabeça lentamente. “No começo ele fez. Quero dizer, ele disse e fez todas as coisas certas quando nos conhecemos. Mas eram apenas... palavras. Ele não quis dizerlhes. Foi tudo muito superficial. A maneira como ele me beijou. A maneira como me tocou. Olhando para trás, não tenho ideia por que sequer se preocupou. Era óbvio que não estava atraído por mim. Fisicamente quero dizer. Ou emocionalmente para esse assunto. Era como se eu fosse uma coisa para ele.” Um grunhido baixo emanou da garganta de Liam. 68


“Para homens como ele é tudo sobre controle. Não é como ele é atraído para você. É sobre ter alguém que possa controlar. É uma alta. Isso o faz se sentir poderoso,” disse Noah severamente. “E eu era tão fácil de se controlar,” disse Lauren com tristeza. Liam passou a mão sobre o rosto, escovando o polegar em uma carícia suave sobre sua bochecha. “Ele jogou com você, Lauren. Ele vendeu-lhe uma coisa que você queria, fingindo que ele se importava. Não é um crime querer alguém para amá-la ou se apaixonar ou querer um relacionamento. Não é o que todos nós queremos, no final?” Ela pegou a mão dele e encostou a cabeça mais em sua posse. Por um momento, ela fechou os olhos, saboreando o contato. Não havia nada de ameaçador no contato de Liam. Ele era muito cuidadoso com ela. Ela escovou sua bochecha ao longo de sua palma quando levantou o olhar para encontrar o dele. “E por que você me quer?” Ela sussurrou. Ele franziu a testa, os olhos escurecendo. Ele olhou... com raiva. Ela retirou-se imediatamente, com medo de sua linguagem corporal. Foi automático para ela endurecer sua postura e colocar as mãos no colo, desviando o olhar. Ao lado dela, ouviu Noah maldizer, e ela se encolheu, fechando os olhos enquanto esperava a explosão iminente. Quando sentiu a mão na pele dela, era instintivo para encolher para longe e fazer-se um alvo menor. Isso a chocou. Logicamente, ela estava negando que qualquer um destes homens iria machucá-la, mas era como se sua mente estivesse sem prestar atenção ao que conhecia. Só sabia que ela tinha que se proteger. Mas a mão deslizou suavemente por cima do ombro, para cima e para baixo, o toque tão leve que só poderia ser a ponta dos dedos. “Lauren, olhe para mim, por favor,” disse Liam com a voz rouca. 69


Lentamente, ela levantou a cabeça, até que encontrou seu olhar torturado. Havia dor em seus olhos e tanto pesar. Noah empurrou sua cadeira e cuidadosamente colocou a mão no seu colo, onde seus dedos estavam firmemente atados. Ele gentilmente os abriu e levantou a mão, puxando-a à boca. Ela estava visivelmente tremendo, e odiava ter tal fraqueza tão evidente. “Bebê,” disse Liam suavemente. “Ouça-me, está bem? Eu tenho muito a dizer agora e eu estou lutando um inferno de um monte de emoções conflitantes, por isso seja paciente comigo. A primeira coisa que você precisa saber é que eu nunca vou te machucar. Você entende isso? Não espero que acredite imediatamente, mas quero que você arquive em sua mente e quero que você o retire cada vez que ficar com medo. Eu nunca, nunca, vou feri-la fisicamente. Eu não posso prometer que não vou ferrar e te machucar emocionalmente. Acredite em mim quando digo que é a última coisa que quero fazer, mas sou um cara, e fazemos merda. Dizemos merda. Eu nem sempre penso antes de falar. Isso vai acontecer, certo? Mas você não tem nada a temer de mim fisicamente.” Ela deu um aceno espasmódico. “A segunda coisa que você precisa saber é que não tenho uma grande explicação para por que você faz isso por mim. Mas eu sabia que a partir do momento em que te conheci que tinha caído de uma forma muito séria. Você era diferente das outras mulheres que estive envolvido. Não diferente de uma forma ruim, mas de uma forma muito, muito boa. Você preencheu o vazio que foi deixado pelos meus outros relacionamentos. Eu só posso explicá-lo, dizendo que era como encontrar uma peça que faltava para um quebra-cabeça. Você se encaixa. Espero que para o inferno nós nos encaixemos. Espero que isso não seja unilateral, e estou disposto a jogar um pouco sujo e tentar o meu melhor para convencê-la de que sou alguém que você precisa. Quero que você dependa de mim, e não de uma forma fodida como Joel queria que você dependesse dele. Isto não é sobre controle. Eu só quero que você saiba que você pode

70


contar comigo. Para qualquer coisa. E que bom ou ruim, estou nisso para um longo tempo. Não posso ser mais contundente do que isso.” Noah permaneceu em silêncio, mas seu domínio sobre a mão dela nunca afrouxou. Ele continuou a pressionar pequenos beijos para seus dedos, e ele gradualmente abriu a palma da mão e apertou a boca para a mão aberta. “Você reagiu a minha raiva,” continuou Liam. “Eu não posso prometer que nunca mais ficarei com raiva. Foi como um chute nas bolas assistir quando aqueles grandes olhos castanhos olharam para mim e perguntaram por que diabos eu iria querer você, como se você fosse de alguma forma indigna. Deus, Lauren. Indigna? Noah e eu estamos apenas esperando como o inferno para provar a nós mesmos que somos dignos de você. Eu não estou bravo com você, bebê. Estou bravo com o filho de uma cadela que te fez questionar como uma mulher.” Lágrimas arderam-lhe nas pálpebras, e ela virou a cabeça, mas viu-se olhando nos olhos de Noah. Não havia como escapar deles. Noah se inclinou e beijou carinhosamente o canto do olho, onde uma lágrima havia escapado. “Não chore, querida. Liam geralmente não é tão maldito eloquente, mas neste caso, eu não poderia ter dito melhor. Nós queremos que você relaxe. Não vai ser fácil como nós atrapalhando e sentindo o nosso caminho em torno de uma relação muito delicada. Eu não tenho nenhuma experiência neste tipo de arranjo. Nem Liam. Apenas queremos te fazer feliz, e queremos que você, eventualmente, seja capaz de confiar em nós. Todo o resto vai se resolver. Vamos dar um passo de cada vez e descobrir como vamos.” Ela assentiu com a cabeça e, em seguida, impulsivamente abraçou o pescoço de Noah, abraçando-o com força. Noah a sentiu ir tensa contra ele. Ela estava tão quieta, tinha certeza que estava segurando a respiração. Aguardando. O que? Será que esperava uma repreensão? Foda-se. 71


Ele passou os braços em volta dela e puxou-a para o seu colo, abraçando-a com ferocidade. Beijou o topo do seu cabelo sedoso e ela gradualmente relaxou em seus braços, derretendo docemente contra ele. “Ele nunca foi carinhoso comigo,” ela sussurrou. “Odiava isso. Odiava o que eu me tornei. Sempre fui uma pessoa que demonstrava afeto, e ele tirou isso. Ele odiava que eu o tocsse.” Os lábios de Noah apertaram quando encontrou o olhar carrancudo de Liam sobre a mesa. Deus, ele queria chutar o traseiro de Joel Knight. Homens como ele não mereciam respirar. Cuidadosamente puxou Lauren longe e empurrou o cabelo do rosto. “Você pode me tocar quando você sentir vontade, querida. Garanto que não vou reclamar. E você pode apostar que vou querer te tocar muitas vezes. Eu não vou ser capaz de resistir.” “Vem cá, Lauren,” disse Liam. Noah beijou sua testa e, em seguida, ajudou-a a ficar de pé para que ela pudesse caminhar ao redor da mesa para Liam. Liam abriu os braços e ela foi por vontade própria, e logo Liam a teve aninhada em seu colo, seus braços firmemente ao redor dela. Ela aconchegou em seu abraço como um gatinho em busca de calor, e Noah percebeu que o que ela mais precisava era de conforto. Ela estava faminta para as coisas que a maioria das pessoas queriam. Afeto. Ternura. Amor. “Quando você quiser um abraço, você vem para mim,” disse Liam rispidamente. “Eu ficaria feliz em passar a noite toda maldita segurando você.” “Vou cometer erros,” disse Lauren dolorosamente. “Eu não sei como ter um relacionamento normal, mas quero aprender.” 72


“Nós estamos indo para cometer erros também, Lauren. Nós vamos ter paciência um com o outro,” disse Noah. Ela se endireitou no colo de Liam e olhou diretamente nos olhos de Noah, sua expressão feroz e determinada. “Eu quero isso,” disse ela em uma corrida, quase como se tivesse ficado com medo de admitir isso antes. “Quero mais do que posso dizer. Estou com tanto medo de estragar.” O coração de Noah derreteu. Se houvesse qualquer dúvida persistente de sua parte sobre a viabilidade de entrar em um relacionamento que envolvia partilhar uma mulher com seu melhor amigo, isso foi rapidamente removido, enquanto olhava nos olhos de Lauren. Ela estava vulnerável. Estava com medo e ainda estava abatida por um homem cujo poder sobre ela ainda não havia sido totalmente quebrada. Mas viu a esperança em seus olhos. Viu determinação feroz para fazer as coisas funcionarem entre os três. Se pudesse dar um passo enorme e colocar sua confiança nele e Liam, então ele certamente poderia fazer o mesmo. Era hora de parar de cismar com todos os ses e talvez e se concentrar na única coisa que ele podia controlar. Sua contribuição. “Quero isso também,” afirmou Noah honestamente. Houve um alívio nos olhos de Liam, e seu abraço apertou em torno de Lauren. O olhar de conhecimento de Liam e de compreensão silenciosa de Noah passou entre eles. Para melhor ou pior, eles estavam juntos nessa.

73


Capítulo Nove

Quando Noah e Liam tinham se inserido no apartamento de Lauren — e sua vida — obviamente, não tinham dado um monte de pensamento para os arranjos de dormir. Um quarto era pequeno, e Lauren tinha um sofá-cama, em vez de uma cama regular. Mal havia espaço para a pequena cômoda que guardava sua roupa. Os homens certamente não iriam caber no sofa, então depois de muita discussão, Liam desceu a rua para comprar sacos de dormir na loja de artigos esportivos. Decidiu-se que um deles iria dormir na sala de estar, e uma vez que não havia espaço para dois sacos de dormir, a menos que mudassem os móveis para fora, o outro estaria dormindo no seu saco de dormir no chão diretamente abaixo de onde Lauren dormia no sofá. Ela se sentia culpada até que se lembrou que não tinha pedido isso, e sim, eles foram para ajudá-la. Eles estavam a protegendo. Estava extremamente grata. Mas não havia nenhum cronograma definido de quanto tempo isso seria necessário para que fossem sombras de todos os seus movimentos. Se ela soubesse que era só por alguns dias ou mesmo uma semana ou assim, ela estaria disposta a ir para um hotel ou considerar outras acomodações, mas poderia ser muito maior. Ela tinha um trabalho. Um trabalho que gostava e que não podia se dar ao luxo de perder. Claro, Max iria ajudá-la. Ela não teria sequer que perguntar. Mas era importante que estivesse em seus próprios dois pés e parasse de confiar em seu irmão mais velho para ajudá-la dos problemas. 74


Ele era casado agora. Ele tinha Callie. Não era justo jogar a responsabilidade de sua irmã mais nova, quando deveria estar focado em sua nova família. Os homens decidiram estar noites alternadas em seu quarto, e Liam alegou a primeira noite. Lauren se sentiu ridiculamente nervosa sobre tê-lo em seu quarto, mas ele agiu como se fosse uma ocorrência comum. Ele não deu nenhuma atenção quando ela entrou no banheiro para colocar o pijama, escovar os dentes e escovar os cabelos. Ela passou mais tempo do que o necessário e, em seguida, percebeu que ele ou Noah provavelmente precisaria usar o banheiro antes de irem para a cama. Mas quando entrou novamente seu quarto, Liam já estava no seu saco de dormir, uma das almofadas do sofá escondidas debaixo de sua cabeça. No início, ela pensou que ele já estava dormindo, mas quando apagou a luz e começou a fazer o seu caminho em direção à cama, ele disse: “Tenha cuidado. Não caia.” Ela passou por cima dele e depois se arrastou para a cama. Ele puxou as cobertas para ela. A doçura do gesto a fez querer abraçá-lo. Era uma coisa simples, mas mostrou a sua reflexão e sua determinação para fazê-la confortável. Ela se acomodou debaixo das cobertas e virou de lado, ficando mais perto do lado de fora para que pudesse espiar por cima em Liam no chão. “Liam?” Ela chamou baixinho. “Você ainda está acordado?” “Sim, querida. Você está bem?” Ela sorriu para o carinho suave e a preocupação em sua voz. Era bom ter alguém diferente da família cuidando dela. É preenchendo um vazio que há muito estava vazio. “Sim, estou bem. Eu só queria dizer obrigado.”

75


Houve um ruído e movimento e de repente Liam estava olhando-a nos olhos. Ele empurrou para cima e inclinou-se perto até que seus rostos estavam a poucos centímetros de distância. “Não me agradeça por proteger alguém que me interessa. Eu não dou a mínima para o seu irmão ter nos contratado. Não é por isso que estamos aqui. Ele poderia nos despedir amanhã e nós ainda estaríamos aqui. Com você. Nós não estamos indo a lugar nenhum.” Ela levantou a cabeça, mudando para que pudesse colocá-la na palma da mão, o cotovelo cavado no colchão. “Eu não ia te agradecer por me proteger, mas eu sou grata.” “Então, o que você estava me agradecendo?” “Por ser tão paciente e compreensivo. Por saber todas as coisas certas a dizer para aliviar meus medos. Sei que eles são irracionais, mas você nunca se irritou. Ainda estou tentando aceitar que você e Noah se preocupam comigo, quando eu já estava lutando para entender os sentimentos que tinha por vocês dois.” Liam ficou de joelhos e apoiou os braços sobre o colchão apenas na frente dela. Ele apoiou o queixo para que seus narizes estivessem quase se tocando, e então ele empurrou para frente, e roçou os lábios nos dela. Ela mal conseguia distinguir na penumbra que brilhava dos postes através de sua janela que Liam estava sem camisa. Ela desejou que houvesse mais luz, porque queria ver se ele tinha mais tatuagens ou o quão longe os desenhos dos braços se estendiam. Quem ela estava enganando? Ela só queria ver o corpo dele. Queria tocá-lo. Mexeu com os sentimentos de desejo que tinha jurado que nunca sentiria por um homem novo. Ele a beijou novamente e passou a mão sobre o rosto. “Eu amo a sensação de sua pele,” disse ele. “Eu poderia continuar a tocar-lhe para sempre. Acho que nunca vou cansar disso.” 76


Ela reuniu sua coragem e segurou-o com força para ela. Joel tinha ensinado que a rejeição era dor. Era humilhação. Significava se sentir completamente sozinha. Ele rejeitou seus avanços em cada turno até que ela entorpecida caiu na rotina robótico de só fazer o que lhe agradava e nunca agir espontaneamente. Ela ousaria o risco de ser rejeitada por Liam? Ela fechou os olhos, seu pulso acelerando. Era uma coisa tão simples e ainda assim estava com medo de que ele iria se afastar. “Ei, você está bem?” Perguntou Liam. “Você só ficou incrivelmente tensa. Você sabe que eu não vou te machucar, não é?” “Eu sei,” ela sussurrou. “Eu estava indo...” Ela engoliu em seco. “Eu ia te perguntar...” Ele passou um dedo pelo seu rosto e, em seguida, de volta novamente. “O que você quer me perguntar, bebê?” Preparando-se para esmagar a decepção, ela prendeu a respiração e expressou seu pedido. “Eu ia perguntar se você me seguraria. Não há espaço suficiente,” ela adicionou apressadamente antes que ele pudesse responder. “E entendo se você prefira ficar onde está. Eu sei que a cama é pequena—” Ele a silenciou com um beijo profundo e com fome. Sua boca cobriu a dela e por um longo momento, houve um completo silêncio. Apenas os sons claros de sua língua, movendo-se quente sobre a dela. A exalação dura de respirações. E então ele se afastou, seu peito arfando audivelmente. Ele não emitiu uma resposta. Não disse uma única coisa. Ele simplesmente levantou-se e, em seguida, levantou-a em seus braços. Em seguida, manobrou o seu caminho para a cama e a colocou na curva de seu braço entre ele e a parede. Eles estavam lado a lado, apertados um contra o outro. Ela se perguntou se ele tinha algum espaço ou se estava à beira da cama. E então percebeu que não se importava. Estava em seus braços. 77


Nada jamais se sentira tão bem. Tão perfeito. Paz caiu sobre ela quando ele a abraçou mais perto, encaixando seus corpos juntos. Ele estendeu a mão para puxar as cobertas sobre ambos, e então enganchou uma perna sobre a dela. Ele estava vestindo apenas cueca. E ela podia sentir sua ereção contra sua perna. Ela devia se sentir presa. Foi envolvida completamente ao seu redor. Mas o que sentia era segurança. “Melhor?” Ele perguntou. “Melhor,” ela concordou, aninhando mais perto ainda. Ela podia sentir o cheiro dele, adorava a sensação de seu peito contra o queixo e lábios. Ela inseriu a mão entre eles e alisou a partir de sua barriga para cima, para o peito e, em seguida, para cima por cima do ombro. Seus músculos tremiam e saltaram sob seu toque. Ela só queria mergulhar dentro saboreando este momento e a proximidade entre eles. Ele esfregou a mão para cima e para baixo de suas costas, e então enfiou a mão por baixo da bainha de seu pijama e deslizou sua mão sobre suas costas nuas. Ela estremeceu em reação e fechou os olhos. Quase foi embalada para dormir quando seu peito rugiu e suas palavras quebraram o silêncio. “Lauren, o quanto ele te machucou?” Ele perguntou baixinho. Ela ficou rígida, mas ele continuou esfregando suas costas e deu um beijo em sua têmpora. “Ele não pode feri-la, bebê. Você está aqui comigo, nos meus braços. Estou envolvido em torno de você, e para chegar até você, alguém tem que passar por mim. Eu sou um filho da mãe quando estou irritado. Ninguém vai se meter comigo.” “Por que é importante saber?” Ela perguntou, sua garganta fechando quando ela se lembrou da noite, quando seu mundo tinha sido quebrada. Sua fé. Sua crença em Joel. Ele tinha 78


se tornado real para ela então. Não mais uma fantasia que ela tinha criado em sua negação. Ele a tinha machucado. Mas às vezes ela se perguntava se ele não tivesse feito um favor a ela por perder o controle. Se ele tivesse não tivesse ela ainda estaria sob seu polegar? Será que ela ainda estaria tentando agradá-lo e perdendo mais de si mesma todos os dias? “Porque você nunca disse a ninguém. Ou pelo menos você não disse a Max e não me contou ou a Noah. Você foi vaga e deixou as contusões fazer mais do que falar por você. Nos fez tirar nossas próprias conclusões sobre o que aconteceu, mas você nunca falou sobre isso.” “E-ele explodiu,” disse ela hesitante. “Até hoje eu não consigo lembrar o que o fez perder a paciência. Ele chegou em casa de mau humor. Sabia que eu tentei o meu melhor para ir para o fundo. Tornar-me invisível. Eu sabia que ele não iria me querer no caminho. Lembro-me de ir para a cozinha. Estava nervosa e com medo e ficava pensando, isso é errado. Isso é tão errado. Por que eu estou com um homem que me assusta? Por que estou na ponta dos pés em torno dele? Deixei cair um copo e entrei em pânico. Se ele tivesse ouvido? Peguei a vassoura e a pá de lixo, mas quando me virei para limpar, ele estava lá.” Ela estava tremendo contra Liam. Fria. Ela não se sentia mais quente e segura. Estava de volta naquele ambiente frio, estéril que de repente explodiu em violência. “Ele me arrastou para o quarto, me empurrou de bruços na cama. Lembro-me da mão no meu cabelo e seu joelho nas minhas costas e o som de seu zíper.” “Oh, Deus, bebê,” disse Liam quando a abraçou mais apertado para ele. “Eu sempre usava vestidos ou saias. Ele gostava de material fino, feminino. Ele gostava de fácil acesso. Ele empurrou meu vestido, arrancou minha calcinha para baixo, e então ele estava em cima de mim. Dentro de mim. Oh Deus, odiava isso, Liam. Eu o odiava.” Liam balançou para frente e para trás, seu corpo tão rígido. “Aquele filho de uma cadela.”

79


Lauren puxou longe de Liam e se mexeu quando ouviu a explosão de Noah, na porta do quarto. “Porra, Noah!” Liam mordeu fora. “Você assustou a morte. Que porra é essa, cara?” “Está tudo bem se eu acender a luz do banheiro, Lauren?” Noah perguntou, sua voz ainda apertada. “S-sim,” ela balbuciou. Um momento depois, a luz derramou no quarto, iluminando a cama onde Liam estava e sentou-se, com os joelhos curvados para o peito e as costas contra a parede. Ela olhou com cautela para Noah, que estava no final da cama. O quarto dela ficou lotado com três pessoas. Era difícil respirar. Seu peito estava apertado e restrito. Liam empurrou-se para cima em uma posição sentada, e foi então que ela viu as tatuagens que rodopiavam sobre seus ombros e no peito. Ela estava certa. Ele tinha mais do que apenas as dos seus braços. “Lauren?” Noah perguntou suavemente. Ela olhou de volta para ele. Ele se sentou no fim da cama, e ela se perguntou se a cama iria aguentar sob o peso de todos os três deles. “Venha aqui, querida.” Ela voou para seus braços e envolveu o dela ao redor de seu pescoço. Ele segurou-a com força para o que pareceu uma eternidade. Apenas segurando-a. Ele enterrou o rosto em seu cabelo e alisou a mão para cima e para baixo suas costas muito parecido como Liam tinha feito. “Me desculpe se eu te assustei,” disse ele contra seu cabelo. “Eu não estava tentando escutar. Levantei-me para vir para o banheiro e a ouvi e a Liam falando. Ouvi o que aquele bastardo fez com você. Não podia simplesmente ir embora e fingir que não tinha ouvido falar.”

80


“Eu não consegui lutar com ele,” disse Lauren em voz baixa. “Estava em choque. Ele foi áspero. Ele estava me punindo. Mas eu não estava pronta. Quero dizer, como eu poderia ter estado? Isso dói! Muito! Mas mais do que a dor física foi como me senti, violada.” “Você queria que ele fizesse isso com você?” Perguntou Liam. “Não!” Ela disse, chocada com a pergunta. “Você disse que não?” Liam estimulou ainda mais. “Sim,” ela sussurrou. “Eu disse que não. Eu soluçava. Pedi-lhe para parar.” “Então, porra, ele a estuprou. Forçou-se em você,” disse Noah ferozmente. “Se você disse que não. Se você ainda não pode pensar. Se você não tinha poder para fazê-lo parar, então como poderia fazer qualquer outra coisa? Você com certeza não lhe deu o seu consentimento.” “Ninguém mais iria vê-lo dessa maneira,” disse ela, com lágrimas nos olhos. “Eu não dou a mínima como mais ninguém o vê,” Noah mordeu fora. “Ele tomou a escolha de você, Lauren. Ele tinha poder absoluto sobre você. Ele a segurou para baixo e te obrigou a fazer sexo com ele. Como isso pode ser qualquer coisa, exceto estupro? E pior, ele fez você acreditar que você merecia.” “Eu não gosto desse jeito,” disse ela, com a voz embargada. “O caminho, bebê?” Liam perguntou gentilmente. “Foi a maneira que ele sempre fez sexo comigo. Ele me segurou de bruços e ele me levava por trás. Odiava isso. Sinto-me tão impotente.” Noah encontrou os lábios e a beijou. Não foi um beijo avassalador significava para deslumbrar os seus sentidos ou supera-la com paixão. Era uma proposta, doce beijo que ela sentiu todo o caminho para sua alma. Ele emoldurou o rosto dela entre as mãos e se afastou para que ela fosse forçada a olhar em seus olhos.

81


“Quando chegar a hora de você estar pronta para fazer amor com a gente, não vamos fazer nada que assuste você ou a faça se sentir desconfortável. Nós não estamos nesse ponto ainda. Sim, nós queremos te abraçar. Tocar você. Beijá-la tantas vezes quanto pudermos ir longe com isso. Mas fazer amor é um grande passo e não precisa dá-lo antes de ter absoluta confiança no fato de que nós não vamos te machucar. Mas você sabe o que? Isso vai vir. Talvez não na próxima semana ou no próximo mês. Mas nós vamos chegar lá e estou disposto a esperar o tempo que você precisar levar para curar a partir do que o desgraçado fez com a sua confiança e seu coração e sua mente.” “Eu poderia facilmente cair no amor com você também,” ela sussurrou, imitando as palavras anteriores de Liam. “Isso nos deixa muito felizes em ouvir, querida,” Noah murmurou. “Agora, por que não tentar descansar um pouco. Hoje tem sido um inferno de um dia para você. Tenho certeza de que está esgotada mentalmente e fisicamente.” Ela olhou para ele, tocou-lhe o rosto. “Incomoda-lhe... Quero dizer, você está bem com ele...” “Só cuspa, querida. Você não tem que puxar seus socos comigo,” disse Noah brandamente. “Será que vai fazê-lo ficar com raiva que estou dormindo ao lado de Liam? Que eu lhe pedi que me esperasse?” Ela perguntou hesitante. Noah sorriu. “Nem um pouco. Porque você sabe o quê? Amanhã à noite vai ser eu aqui, prendendo você e dormindo ao seu lado.”

82


Capítulo Dez

LAUREN sempre tinha sido um pouco sobrecarregada pela família Colter. Não de uma forma ruim. Eles haviam sido nada além de amorosos e a aceitaram desde o começo. Mas eram apenas assim... Tudo. Eles eram tudo o que ela imagina na família americana perfeita. O que a maioria das pessoas sonhava. Proxima. Unida. Ferozmente leal. Só que eles dificilmente se encaixavam na imagem da família típica americana. Quando Max tinha começado primeiramente a dizer-lhe da família de Callie, Lauren tinha pensado que ele estava brincando com ela. É irônico que agora Lauren se via em uma situação semelhante, e, além disso, era uma que queria estar. Os Colters tinham aberto os olhos para um novo mundo. Um que estava cheio de amor e aceitação. Era um mundo que ela preferia muito mais sobre o seu antigo. Enquanto ela e Liam e Noah sairam do carro alugado que tinham conduzido a partir de Denver para Clyde, Lauren ficou nervosa. Seria evidente a todos que Liam e Noah eram mais do que apenas guarda-costas contratados por seu irmão? Liam assobiou. “Lugar legal que temos aqui. Parece um cartão postal.” E de fato fazia. A cabana estava aninhada contra a montanha, cercada por choupos e pinheiros e proporcionava uma bela vista em todas as direções.

83


Ela apontou para o prado à distância, onde um córrego cortava a terra. Primavera chegou, trazendo consigo as flores abundantes e uma vegetação luxuriante. Era um lugar que acalmava os sentidos e sinalizava a paz. Ela respirou fundo, sugando o pinho perfumado do ar frio. “É aí que Max e Callie vivem. Do outro lado do prado na casa que Max construiu para Callie. Não é uma caminhada longa e há uma trilha que leva a sua propriedade. Propriedade de Callie,” ela emendou. A terra tinha sido um ponto de discórdia entre Max e Callie. Tinha pertencido ao padrasto de Lauren, o homem que a educou e a Max, e depois que ele morreu, sua mãe tinha vendido aos Colters. Max tinha acreditado que os irmãos mais velhos Colters havia se aproveitado de sua mãe e tinha toda a intenção de fazer o que fosse necessário para obter a terra de volta. Mesmo que isso significasse enganar Callie no processo. Ela balançou a cabeça. Seu irmão tinha quase estragado a melhor coisa que já tinha acontecido com ele. Ele estava em paz agora. Talvez tenha sido o que a terra e os Colters tinham feito por ele. Talvez fosse o que faria o mesmo por ela. A porta da frente se abriu, e Ethan Colter saiu, com um sorriso ampliando suas feições. “Olá, Lauren! Entre.” Lauren relaxou, sorrindo para o homem mais velho. Ela correu em direção à porta, ansiosa para estar de volta ao seio da família Colter. Ela sempre olhou para frente nas suas visitas aqui, não importava quantas vezes vinha. Liam e Noah a seguiram de perto por trás, e quando ela chegou à varanda, Ethan envolveu-a em um enorme abraço. No começo ela estava hesitante em todo o amor que a família demonstrava, mesmo que fosse em sua natureza ser tão carinhosa. Mas Joel lhe ensinara ser reservada e foi uma lição difícil de esquecer. 84


“É bom ver você, querida,” disse Ethan. Ela apertou de volta. “E você.” Ela se virou para Noah e Liam em pé alguns passos para trás. “Ethan, este é Noah Sullivan e Liam Prescott. Noah e Liam, este é Ethan Colter.” Ethan imediatamente estendeu a mão para Noah e depois para Liam. “É um prazer conhecê-lo, senhor,” disse Noah. “Venham, todos vocês. Holly está morrendo de vontade de pôr as mãos em você. Vou avisá-los agora. Basta aceitar o que vier. Minha esposa é usada para obter o seu próprio caminho. Ela provavelmente vai interrogar vocês e depois sufocá-los com abraços.” Ele sorriu com indulgência, o seu amor por sua esposa suavizava em seus olhos e expressão. Lauren empurrou por Ethan, ansiosa para estar lá dentro. Assim que entrou na sala de estar, era como voltar para casa. Memórias do Natal anterior, quando ela estava tão insegura de seu lugar no mundo, e nesta família veio à mente. O calor, amor e paz tomou conta dela, embalando-a em seu abraço reconfortante. “Lauren!” Holly Colter levantou de seu lugar no sofá entre Adam e Ryan Colter, e ela correu, puxando Lauren em um abraço feroz que era ainda maior do que o que Ethan lhe dera. Atrás dela, Adam e Ryan levantram, seus olhares atraídos para Noah e Liam. Houve uma reserva cautelosa e a apreciação acentuada em seus olhares. Lauren sorriu como a força que rodeava Holly Colter, fazendo-a sentir-se amada e a preocupação que tinha estendido a alguém que não era de sua própria família. Não que Holly jamais iria fazer essa distinção. Deixou claro desde o dia que tinha vindo para ver Lauren, quando Lauren ainda estava em reclusão na casa de Max e de Callie, que considerava Lauren um de seus filhos. “É tão bom ver você, bebê,” sussurrou Holly. “Como você está? Você está bem?” 85


Lauren se afastou. “Estou bem. Verdadeiramente. Você não precisa se preocupar comigo. Noah e Liam se comprometeram a cuidar de mim.” Holly franziu a testa um pouco enquanto olhava passando Lauren para os dois homens atrás dela. Em seguida, passou por Lauren, e Lauren se virou para ver como iria para Noah e Liam. “Sou Holly Colter,” disse ela. “Max me contou sobre vocês, mas eu queria colocar os olhos em vocês e ter certeza de que vocês eram o tipo de homem que posso confiar para cuidar do meu bebê.” Os lábios de Liam se contorceram em um sorriso enquanto Noah parecia um pouco mais cauteloso. “Muito prazer em conhecê-la, senhora,” disse Liam solenemente. “E prometo cuidar muito bem de Lauren. Noah e eu vamos ter certeza de que ninguém nunca machuque Lauren novamente.” Houve um lampejo de resposta nos olhos dos irmãos Colter. As sobrancelhas de Adam subiram um degrau, enquanto os olhos de Ryan se estreitaram. Holly olhou para eles por um longo tempo, e então ela abriu um largo sorriso. Então puxou Liam em um enorme abraço e deu um tapinha nas costas dele. “Acho que gosto de você, Liam.” Em seguida, ela se virou para Noah, como se ainda não tivesse feito a sua mente sobre ele. “E o que você tem a dizer, meu jovem?” Nisso Ethan riu enquanto Adam e Ryan sufocaram seus sorrisos de diversões. Noah olhou confuso quando a mulher muito menor o levou a tarefa. Parecia que ele preferia assumir um grupo de terroristas que responder para ela.

86


“Eu me preocupo muito com a segurança de Lauren,” finalmente disse Noah. “E, como disse Liam, nós estamos aqui para protegê-la. Pode confiar em nós com a sua segurança. Alguém vai ter que passar por nós para chegar perto dela.” Holly deu-lhe a mesma avaliação franca que tinha dado a Liam e então sorriu. “Você vai fazer.” Em seguida, ela o abraçou tão entusiasticamente como teve em Liam e, em seguida, imediatamente ordenou que ele e Liam tomassem um assento. Assim convencido de que Noah e Liam estavam cuidado, ela se voltou para Lauren. “Lily e os meninos estão a caminho agora, e espero Max e Callie a qualquer momento. Preparei o almoço de hoje,” disse ela, orgulhosa. Adam deu um sorriso indulgente. Ryan sentou-se no sofá em frente de onde Liam e Noah tomavam o assento. E enviou a ambos um olhar divertido. “Depois de mais de trinta anos, a nossa esposa tomou sobre si mesma para aprender a cozinhar. Ela fez o jantar de Natal para todos nós, sem queimar a cozinha, de modo que concordamos em soltá-la na ocasião. O que é que ela está preparando é uma incógnita, então eu espero que você trouxe o antiácido.” Holly lançou um olhar na direção de Ryan. “Oh silêncio. Você está indo para assustálos e tê-los a pensar que vou envenená-los.” Ethan bagunçou o cabelo dela com carinho. “Não muito tempo atrás, isso teria sido a verdade. Tenho os extintores de incêndio em espera.” Noah e Liam ambos usavam expressões peculiares, como se eles não tivessem certeza de como tomar a sério isso. Lauren apenas riu e abraçou Holly novamente. “Acho que você é uma cozinheira maravilhosa, Mama C. Eu ficarei feliz em comer o que fez.” 87


Holly sorriu e deu um tapinha no braço de Lauren. “Eu sempre soube que você era o meu filho favorito. Venha para a cozinha comigo. Podemos falar enquanto termino e vamos deixar os homens aqui para fazer o que os homens fazem quando estão juntos.” Em seguida, ela mandou outro olhar na direção de seus maridos. “Você não diz uma palavra sobre a minha cozinha. Você gostou do que eu tenho cozinhado muito bem.” Ethan colocou o braço em volta dela. “Querida, você só cozinhou duas vezes mais desde o Natal. Dê-nos tempo para nos adaptar. Estamos muito acostumados a ter o corpo de bombeiros em modo de espera quando você esta se aventurando na cozinha.” Holly balançou a cabeça, em seguida, pegou a mão de Lauren. “Vamos! Eu não tenho nada a dizer a estes homens.” Lauren se permitiu ser arrastada para a cozinha, embora sentisse um breve momento de culpa por deixar Noah e Liam aos lobos. Eles provavelmente seriam grelhados pelos homens Colter. Esperava que os outros fossem chegar em breve. Pelo menos Noah e Liam conheciam Max e Seth já. Mas, por outro lado... Se ela estava realmente indo para ter um relacionamento com Noah e Liam, a família Colter ia ser algo que eles teriam que se acostumar, porque os Colters eram importantes demais para Lauren. Eles eram sua família. “Sente-se e me faça companhia,” disse Holly, conduzindo-a em direção a ilha em forma de L que se curvava a partir dos balcões da cozinha. Lauren deslizou sobre um dos bancos de couro e apoiou os cotovelos no balcão. “Então o que você cozinhando hoje?” Perguntou Lauren. Holly sorriu, com os olhos brilhando maliciosamente. “Estou totalmente enrolando. Lily me trouxe três travessa de lasanha ontem. Tudo o que tenho a fazer é esquentar no forno e

88


pronto, um delicioso jantar italiano. Tenho os rolos da padaria da cidade e saco de salada da loja.” Lauren riu. “Eu não vou falar uma palavra.” Holly tirou a lasanha da geladeira e as colocou no forno de parede dupla, ajustando o timer e depois voltando para a ilha e olhou para Lauren. “Então me diga sobre Noah e Liam. Eu sinto que há mais para essa coisa toda de ser alguns estranhos aleatórios que Max contratou para protegê-la.” Calor penetrou nas bochechas de Lauren e ela se mexeu nervosamente no banco. “Por que você diz isso?” Lauren perguntou curiosa. Holly sorriu. “Bebê, a forma como esses homens olham para você conta a sua própria história. E a maneira como Liam falou sobre as pessoas passando por ele e Noah para chegar até você? Se você fosse apenas um trabalho, eles teriam tido algum discurso polido que contavam para cada cliente. Havia paixão em sua voz e eu absolutamente acreditei nele quando disse que não iria deixar ninguém te machucar.” Lauren suspirou. “Eu queria falar com você sobre eles.” Ela cavou seus dedos em suas têmporas e esfregou. O olhar de Holly virou-se para um motivo de preocupação. “O que é isso, Lauren? Você sabe que pode falar comigo sobre qualquer coisa.” “Eles querem um relacionamento comigo. Como o que você tem com o seu... maridos.” Os olhos de Holly se arregalaram um pouco e, em seguida, a testa franziu. “Não é um pouco cedo? Será que eles não estão se precipitando?” Então ela abriu um sorriso irônico. “Como se eu pudesse falar. Adam, Ethan e Ryan deram uma olhada em mim e decidiram que era a única. Eles nunca olharam para trás. Foi a mesma coisa quando Seth primeiro colocou os olhos em Lily. As pessoas riem com a ideia de amor à primeira vista, mas eu certamente já testemunhei por mim mesma. Mais de trinta anos depois, aqui estou eu, ainda tão apaixonada 89


por aqueles velhos tolos como estava quando era uma menina ingênua sonhadora nos meus vinte anos.” “Adoro ouvir sobre você e os pais,” disse Lauren melancolicamente. Holly inclinou-se sobre a ilha e pegou as mãos de Lauren na dela. “Voltando para Noah e Liam. Você falou sobre isso? Eu quero dizer já?” Lauren sacudiu a cabeça. “Sim, nós conversamos, mas não é como se nos conhecessemos. Max os contratou quando eu ainda estava em Nova York. Antes que ele e Callie viessem para me trazer aqui. Eles começaram uma dor gigante na minha bunda.” Holly riu. “Soa como um início típico de uma relação para mim.” “Segundo eles, a atração estava lá desde o início.” “E quanto a você?” Holly perguntou suavemente. “Eu os notei,” Lauren disse. Holly riu novamente. “Difícil de não notar esses dois. Eles tendem a se destacar na multidão. Eu acho que Dillon vai se dar bem com eles muito bem. Eles estarão comparando tatuagens e brincos. Eu juro que não sei onde que filho tomou esses gostos.” “Quão difícil é?” Lauren perguntou em voz baixa. “Estou com medo de estragar. Estou atraída por ambos. Amo a ideia de ter esses dois homens maravilhosos ambos dedicados a mim. Mas estou usando os seus maridos e os maridos de Lily como medição. Não quero ir com expectativas irreais. Estou louca por querer isso? Por concordar com experimentar com eles?” “Oh, querida, você está cismada com isso. Só há realmente uma pergunta a fazer. Você os ama?” Lauren baixou o olhar. “Eu não sei. É tão logo após Joel. E se eu só estou agarrando-me a primeira oportunidade depois de um relacionamento muito ruim? Eu não quero usá-los.” “Ok, deixe-me reformular a pergunta. Você poderia ver-se, eventualmente, se apaixonando por eles?” 90


“Oh sim,” Lauren respirou. Holly apertou as mãos. “Será que eles te amam?” “Eu acho que eles podiam. Talvez eles fazem. Não tenho certeza. Mas eles agem como se eu fosse a pessoa mais importante do mundo para eles. Eles são tão amorosos e pacientes e gentis. Eles não estão tentando me apressar.” “Então isso é tudo o que é importante. Se você pode ver a si mesmo se apaixonando por esses homens e ambos se preocupam com você, todo o resto vai se resolver.” “Você faz isso parecer tão fácil,” disse Lauren. “Eu só fico pensando em tudo que pode dar errado. E se um deles fica com ciúmes? E se eu não passo exatamente a mesma quantidade de tempo, com os dois?” Seu rosto ficou vermelho beterraba com o calor. “E se eu tiver relações sexuais com um mais do que o outro? Tudo faz minha cabeça doer.” Holly caminhou ao redor da ilha e deslizou para o banco ao lado de Lauren. “Você está carregando demais em seus ombros, bebê. Me escute. Você só pode controlar o que você faz. Você não pode ser responsável pela forma como eles reagem, ou o que eles fazem. Em muitos aspectos, a relação é muito mais difícil para os homens e, em alguns aspectos, é mais difícil para a mulher.” “Você está me confundindo,” disse Lauren em diversão. “Os homens têm de formar um vínculo. Eu sei que parece bobagem. No meu caso, os homens eram irmãos. Confiança já estava lá. A confiança é muito importante entre os homens a fim de que eles estejam trabalhando na mesma página. Quando você tem um caso assim com Noah e Liam, a amizade e a confiança tem que estar lá para que o ciúme não se torne um problema, achando que um está tentando fazer você concordar em chutar o outro do relacionamento.” “Isso faz sentido,” Lauren concordou.

91


“E o caminho é mais difícil para uma mulher, é que ela tem múltiplas personalidades para aprender e trabalhar ao redor. Os homens estão trabalhando com uma mulher. Ela é o seu foco. Mas o foco da mulher é dividido entre dois, ou no meu caso, três homens. Ela tem que saber o que faz cada um deles funcionar. E às vezes é um equilíbrio delicado de malabarismo de personalidades diferentes, porque cada homem tem seu próprio conjunto de desejos, e o que ele quer do relacionamento. Pode precisar de uma coisa de você, enquanto o outro precisa de algo completamente diferente. Pode ser cansativo, especialmente no início, quando você está aprendendo.” Lauren assentiu novamente. “Eu sabia que podia contar com você para fazer todo o sentido, Mama C. Mas você sabe, é uma espécie emocionante quando tudo está brilhante e novo e quando o simples pensamento de um relacionamento faz você sem fôlego. Eles me dão... espero. Estou quase com medo de acreditar, porque não sei o que vou fazer se isso não funcionar.” Holly segurou o rosto de Lauren em suas mãos. “Basta levar um dia de cada vez, bebê. É tudo que você pode fazer. Mas deixe-me dizer-lhe. Esses dois homens são os caras mais sortudos do planeta por ter você. Você é uma mulher bonita, inteligente, jovem e amorosa. Tenho muito orgulho de chamá-la de minha filha. E você é, você sabe. Você pode não ter o sobrenome Colter, mas isso é a única coisa que a distingue de um dos meus.” “Ei, mamãe!” Lauren se virou para ver Callie entrando na cozinha, um sorriso radiante no rosto. A expressão de Holly suavizou, e ela pulou para fora do banco para ir abraçar sua filha mais nova. Só que de acordo com Holly, Lauren era uma das suas crias, o que realmente fazia Lauren a mais nova.

92


Isso fez parar o coração de Lauren em compreender plenamente que ela tinha um lugar nesta família maravilhosa. Deus, isso a fez querer pular tudo para cima, e se isso não fosse simplesmente estúpido depois de tantos meses, ela não sabia o que era. Enquanto Callie estava abraçando sua mãe, Lily Colter entrou atrás deles. Grávida de sete meses, Lily ainda se movia graciosamente, apesar da protuberância em seu pequeno corpo. Ela era uma mulher pequena com feições delicadas. Quando Lauren olhou ao redor para as mulheres reunidas na cozinha Colter, ela percebeu que se tratava de uma sala cheia de mulheres que tinham tragédias inimagináveis e sobreviveram a situações perigosas e de desgosto. Era uma coisa que todos elas tinham em comum. Lily tinha sido casada antes que conhecesse os filhos de Holly, e ela sofreu uma perda terrível quando seu bebê recém-nascido morreu de síndrome da morte súbita. Seu marido a culpava e se divorciou de Lily. Devastada e em luto, Lily tinha ido embora, vivendo nas ruas, sem abrigo, até que Seth, que estava então trabalhando como oficial da polícia em Denver, tinha a visto na cozinha que ele entragava a sopa. Ele a tinha levado a sua casa e, quando seus irmãos a conheceram, eles tiveram o mesmo reconhecimento imediato de o próprio Seth tinha sentido. Todos sabiam que ela era a única. Lauren acreditava firmemente que Max também sabia imediatamente que Callie era a única, mas ele tinha sido muito mais teimoso do que os homens Colter, e o resultado foi quase perder Callie sempre. Isso realmente nunca tinha ocorrido a Lauren como drasticamente sua própria vida teria mudado se Max e Callie não tivesse sido capazes de resolver as coisas. Lauren nunca teria chegado a conhecer os Colters. Nunca teria sido uma parte da família que agora considerada dela própria. 93


Depois que Holly abraçou e se preocupou com Lily, Lily se separou e veio para dar a Lauren um abraço rápido. A preocupação escureceu seus olhos azuis quando ela lutou para sentar no banco da ilha ao lado de Lauren. “Seth disse-me um pouco do que aconteceu. Você está bem?” Lily perguntou ansiosamente. Lauren sorriu e acenou com a cabeça. “Estou bem. Noah e Liam não vou deixar nada acontecer comigo.” Os olhos de Lily aliviaram, mas então brilhou, e ela apertou os lábios. “E por falar em Noah e Liam, você tem que me contar tudo desses dois pedaços lindos. Deus, eles me lembram de Dillon. Bem ele e Michael, ambos. É como ter Dillon e Michael produzindo seus descendentes.” “Oh Deus, Lily. Serio? Não preciso dessa imagem em meu cérebro,” disse Callie com um gemido quando ela pegou o banquinho do outro lado de Lauren. “Todo aquele cabelo longo escuro e as tatuagens em Liam?” Lily disse. “Esse homem é lindo e olha tão perigoso.” Lauren sorriu e envaideceu sob os elogios da outra mulher. E ela poderia até mesmo ver como Lily fez a comparação. Dillon Colter era a criança selvagem. O que aparentemente quebrava o molde na família Colter. Parecia um fodão total, mas ele tinha um coração de ouro. Ele ostentava tatuagens e um brinco, mas seu cabelo era cortado curto e espetado para cima. Michael era, certamente, mais conservador, mas sua única rebelião parecia ser seu cabelo, que usava na altura dos ombros. Liam parecia uma boa combinação de ambos os homens. “E Noah não é ruim de olhar também,” Callie interrompeu: “Eu certamente lamberia aqueles braços. Eles são enormes! Você não poderia me dizer se os dois levantam pesos para ter bíceps tão grandes. Suas tatuagens são legais também. Definitivamente mais sutil do que Liam, mas isso trbalha para ele. Ele tem aquele olhar fodão tranquilos.” 94


Holly riu enquanto caminhava de volta para a geladeira. Ela puxou o saco de alface, dois tomates, um pepino e um pacote de cenoura ralada. “É melhor não deixar Max ouvi-la falando sobre lamber qualquer coisa de outro homem, Callie.” Callie fez uma careta. “Não é como se eu realmente fosse fazer. Mas é certamente tentador.” “Então, qual é a história sobre os dois?” Perguntou Lily. “Eu sou a única pessoa no escuro aqui? Seth disse muito pouco. Só que eles estavam aqui para te proteger. Ele quase me deu um ataque cardíaco e, em seguida, teve que passar a próxima meia hora assegurando-me de que alguém não estava tentando matá-la ou algo assim.” Lauren colocou a mão sobre Lily. “Eu sinto muito que você se preocupou. É realmente nada. Estou mais do que um pouco embaraçada sobre tudo. Mantive informações importantes de Max e de Noah e Liam. Max os contratou meses atrás. Antes de eu vir aqui no Natal. Foi quando tive a coragem de sair... Joel... e, finalmente, chamei Max para obter ajuda. Mas eu não lhes disse a verdade sobre com quem eu estava envolvida.” Callie franziu o nariz. “Por que?” Lauren suspirou. “Eu sei que isso soa estúpido.” “Não, não,” Lily apressou a dizer. “Nós não achamos que você é estúpida de todo, Lauren. Estou tão orgulhosa de você por ter a coragem de abandonar aquele idiota. Mas por que você iria protegê-lo?” Lauren balançou a cabeça enfaticamente. “Eu nunca estive o protegendo. Eu estava tentando proteger Max. E Noah e Liam. Eu sabia que se Max soubesse a verdade, ele iria atrás de Joel. Ele estava furioso. E Joel está envolvido em atividades ilegais. Duvido que eu mesmo sei a extensão disso. Ele tem muitas pessoas em sua folha de pagamento, incluindo a polícia. Se Max ou Noah e Liam fossem para ameaçá-lo de qualquer forma, poderia ser que ele os matasse? 95


Parece dramático, mas você tem que entender o tipo de homem que Joel é. Sinceramente, só quero ficar o mais longe possível dele e quero esquecer que ele existe.” Callie envolveu seu braço protetor em torno de Lauren e apertou ferozmente. “Claro que sim, e não a culpo nem um pouco. Além disso, quem não gostaria de ser protegida por dois pedaços, como Noah e Liam?” Acrescentou descaradamente. Lily riu e Lauren relaxou. Ela estava cercada por amigos queridos. Familia? Mulheres que se importavam muito e que a amava em troca. Isso era o que ela mais gostava de estar com os Colters. A liberdade de ser ela mesma. Para confiar, discutir, rir e brincar. Ninguém disse a ela como agir. Abraços foram dados tão livremente quanto respirar. Alguém estava sempre tocando, mostrando afeição. Ninguém piscava um olho sobre isso. A dor dentro dela cresceu até esfregar o peito para aliviar o desconforto. Como seria maravilhoso se ela e Noah e Liam pudessem viver aqui nestas montanhas, rodeados pela família que tinha feito Lauren um deles?

96


Capítulo Onze

No caminho para casa, Lauren olhou pela janela enquanto o crepúsculo caia sobre as montanhas. Ela se divertiu. Sempre fazia. Toda vez que estava se sentindo para baixo, podia contar com uma visita com os Colters para se animar. Fizeram-na acreditar que as coisas iriam melhorar. Elas sempre faziam. Mas um pensamento que já tinha passado por sua cabeça, sentada na cozinha de Holly, a assombrava. Ela desejou um feliz para sempre com Noah e Liam, aqui nestas montanhas, rodeada por sua família e as pessoas que ela amava. Quão realista isso era? A dura verdade é que não era nada realista. A vida de Liam e Noah era em Nova York. O negócio deles estava em Nova York. E quando tivessem constatado que não haveria mais uma ameaça para ela, se permanecessem em um relacionamento com ela ou não, eles passariam para um outro trabalho, protegendo outras pessoas. Proporcionando segurança pessoal. Em Nova York. O simples pensamento de estar na mesma cidade que Joel Knight, não importava quão grande a cidade era ou como era improvável que eles cruzassem os caminhos, mandou-a em pânico completo. O que sabia, até agora, o que ela tinha feito? Ela não tinha sido tão cuidadosa. Ela não sabia o suficiente sobre computadores para saber se o que ela tinha feito poderia ser descoberto. 97


Ele poderia ter sabido que ela tinha estado mexendo em seus arquivos no momento em que desapareceu. Por mais que ela tentou não se concentrar nele, tanto quanto tentou empurrá-lo de sua mente e seguir em frente com sua vida, como saberia que ele não estava olhando para ela? Ela fez um grande negócio para as outras mulheres que ela queria proteger, além de Max e Noah e Liam, e isso era verdade, mas também temia entrar em contato com ele novamente, caso soubesse o que ela tinha roubado. Foi risível que ela tinha mesmo feito uma coisa tão estúpida. Especialmente quando não tinha planos de fazer qualquer coisa com as informações que tinha copiado de seu computador. Na época, em sua mente frágil, tinha sido uma apólice de seguro. Assim que se ele viesse atrás dela, poderia ameaçá-lo. Que a fez a maior idiota do mundo. Ameaçar um homem como Joel Knight? Ele poderia esmagá-la como um inseto e nunca piscar um olho. Ela era ninguém. Certamente não alguém forte o suficiente para enfrentá-lo. Ela prometeu a si mesma que iria parar de bater-se até sobre os erros do passado, mas era difícil, por vezes, quando pensava sobre a lavagem cerebral que tinha sido feito nela, e então, quando finalmente foi corajosa o suficiente para sair , ela tinha roubado e se ele descobrisse o que tinha levado, ele nunca simplesmente a deixaria ir. Era algo que ela precisava confiar em Noah e Liam. Ela sabia que precisava dizer-lhes, mas as palavras simplesmente não vinham. Talvez eles estavam certos em que ela não confiava neles totalmente ainda. Talvez com o tempo se sentiria à vontade em confessar sua estupidez. Ela só sabia que agora não era o momento. Tinha que ter mais certeza deles, dela e deles. “Você está quieta, bebê,” disse Liam do banco traseiro. Ela começou, de repente, a ficar consciente de quão largada estava, imersa profundamente em seus pensamentos e recriminações. 98


Noah estendeu a partir do assento do motorista para pegar a mão dela, e ele entrelaçou os dedos juntos. “Tudo bem?” Perguntou Noah. “Será que você aproveitou a sua visita?” Lauren sorriu. Nenhuma pergunta difícil. “Eu amo os Colters. Estar com eles sempre me faz feliz.” “Admito, eu não tinha certeza do que esperar,” disse Liam. “Parece bastante incrível quando alguém explica o tipo de relacionamento que os homens Colter têm com suas esposas. Mas, então, quando você os vê juntos, você nem questiona. É tão óbvio que eles pertencem um ao outro e que funciona para eles.” Ele parou por um longo momento, e então se inclinou para frente, apoiando os cotovelos sobre as bordas dos assentos de Noah e Lauren. “Quero isso, para nós, Lauren. Esse senso de retidão. A proximidade. Quero que as pessoas olhem para nós e digam as mesmas coisas que dizemos sobre o Colters.” Lauren virou tanto em seu assento quanto o cinto de segurança permitiu. Noah estava concentrado na estrada, mas era evidente que estava sintonizado completamente na conversa. Ela suspirou, permitindo sua infelicidade de antes escapar. Era impossível manter a boca de virar para baixo. “Ei, o que há de errado?” Liam perguntou, a preocupação em sua voz. “Você está com dúvidas? Alguém disse alguma coisa para você hoje para mudar sua mente?” Ela balançou a cabeça lentamente. “Não. Holly foi extremamente favorável. Eu não falei com Callie ou Lily sobre vocês. Não por qualquer outra razão que isto ainda é novo e não sou de contar a minha vida privada a todos.” “Então o que a fez infeliz?” Perguntou Noah. “Você esteve em um outro mundo desde que saímos de lá, e é óbvio que você tem algo em sua mente que não está nos contando sobre.”

99


Ela olhou nervosamente entre eles, não porque temia uma resposta física. Ela temia a confirmação de sua realização e da explosão de sua fantasia criada. A realidade se intrometendo nem sempre era bem-vinda. O problema era, ela viveu fora do reino da realidade por muito tempo. Negação não alterava o resultado de qualquer coisa. “Estava sentada na ilha com as outras mulheres, e todas nós estávamos conversando e me lembrei, o quanto eu amo os Colters. E então fiquei impressionada com o pensamento de como seria maravilhoso viver aqui... com vocês... para estar com vocês e estando tão perto de minha família.” Ela chupou em uma outra respiração enquanto Liam e Noah esperavam ansiosamente para que ela continuasse. “E quando nós partimos, percebi como isso era impossível. Suas vidas estão em Nova York. Sei que vocês tem sentimentos por mim que vão acima e além da minha capacidade de entender, mas uma vez que toda a ameaça termine, vocês vão para outro emprego. Em Nova York. E qualquer relacionamento que tenhamos também teria de estar em Nova York. Percebi como ainda estou com medo de estar na mesma cidade, não importa quão grande, mas perto de Joel. Aqui tornou-se casa para mim, e odeio o pensamento de ter que deixá-la.” Lá, ela disse. Prendeu a respiração, não querendo ouvir o que eles diziam. Ela odiava ter a realidade se intrometendo quando as coisas eram novas e excitantes e a esperança havia surgido. “Eu não sei se temos dado algum pensamento nisso,” disse Noah honestamente. “É certamente algo que nós precisamos discutir e trabalhar entre nós,” disse Liam em um tom cuidadoso. “Meu foco principal é você. E de alguma forma você começou a aceitar o que nós propusemos. Além disso existirão obstáculos, eu tenho dado pouca atenção a qualquer outra coisa, a não ser para perceber que temos que aceitar como isso vem, um dia de cada vez.” 100


Ela assentiu com compreensão, mas a questão ainda estava lá, como um obstáculo gigante, e era um que não via uma maneira de contornar. Ela não podia esperar que eles sacrificassem tudo o que tinham trabalhado para conseguir por ela. O que ela tinha para lhes oferecer aqui? Ela era uma garçonete. Em uma lanchonete. Tinha apenas o suficiente para pagar o aluguel. E não havia uma grande demanda para proteger o pessoal em Clyde. Para esse assunto o que ela poderia oferecer-lhes, em Nova York? Ela deixou seu emprego por Joel. Ele a queria disponível para ele em todos os momentos e não queria nada para interferir em sua agenda. Estupidamente por Deus, ela usou muito essa palavra para descrever suas ações, pensou que romântico isso era, por ele querer que ela saisse, para que pudesse cuidar dela. Tinha sido muito ingênua para perceber que era o primeiro passo para colocá-la diretamente sob seu completo controle. Um ano sem trabalho não fez maravilhas para o currículo. Quando perguntado pelos empregadores por que tinha parado de trabalhar, o que ela poderia dizer? Oh, eu era uma idiota ingênua que deixou o meu trabalho para permitir que um homem tomasse conta da minha vida, mas hei, eu tenho juntado a minha merda agora, por isso você deve se sentir absolutamente confortável em me dar um emprego. Sim. Isto não ia acontecer. Sua formação era inútil em Clyde. Não havia tanta necessidade de alguém com experiência em marketing tanto quanto havia para proteção pessoal. “Lauren?” Liam chamou baixinho. Ela virou-se na direção de sua voz e se encontrou com o azul vívido de seu olhar. “Nós vamos trabalhar nisso, ok?” Ela assentiu com a cabeça novamente, não confiando em si mesma para falar. 101


Noah puxou sua mão para o seu colo, quase como se estivesse enviando-lhe a mensagem de que não a estava deixando ir e não estava desistindo. Talvez ela estivesse sendo muito fatalista. Não era como se suas duas opções estivessem somente em Clyde ou Nova York. Enquanto ela tinha crescido muito ligada a onde ela morava e aos Colters, não havia nada para dizer que não poderia ser feliz em outro lugar. Ela não tinha planejado viver aqui para sempre, antes, tinha? Ou talvez isso é precisamente o que ela tinha planejado. Para passar o resto de seu esconderijo vida, nunca realmente vivendo. Apenas existente. Noah e Liam estavam dando-lhe a oportunidade de viver uma vida plena e rica cheia de amor. Eles queriam fazê-la feliz, tinha jurado fazer tudo em seu poder para fazê-la feliz. Talvez eles pudessem até mesmo viver fora da cidade e poderiam dirigir para trabalhar. Ela duvidava que eles andassem nos mesmos círculos que Joel fazia. Eles provavelmente nunca o encontrariam em sua vida. Você tem o poder de destruí-lo. O sussurro insidioso girou através de sua mente. Com as informações que ela tinha copiado do computador de Joel, ela tinha o poder de fazer um pequeno estrago a Joel por um tempo muito longo. Mas para fazer isso, ela tinha que ter coragem, que não possuia atualmente. E mais importante, ela tinha que estar disposta a enfrentar Joel Knight novamente.

102


Capítulo Doze

LAUREN se vestiu para dormir no pequeno banheiro e levou mais tempo do que o normal para escovar o cabelo e escovar os dentes. Noah estava em seu quarto, também se despindo para dormir, enquanto Liam estava indo dormir na sala. Não havia nenhuma maneira que este acordo poderia durar a longo prazo. Claro que ela gostou de dormir nos braços de Liam na noite passada, mas ele não poderia ter estado confortável na cama. Eles foram forçados a permanecer lado a lado, presos juntos toda a noite. Mesmo que ela tivesse acordado toda dura e com um torcicolo no pescoço. Ela não podia imaginar como Liam devia estar se sentido. Ela devia estender o mesmo convite a Noah para dormir com ela? Precisava de conforto na noite anterior. O dia a tinha esgotado e deixado seu sentimento incerto. Ou pelo menos essa era a desculpa que tinha usado para sussurrar o pedido tímido para Liam. Mas se não o fizesse, será que Noah acharia que ela tinha preferência por Liam sobre ele? A dor latejava em suas têmporas e chegou até a massageá-las, fechando os olhos enquanto tomava respirações profundas, se firmando. Para sua surpresa, a porta do banheiro abriu. Seus olhos se abriram para ver Noah parado na porta, a preocupação refletida em seu olhar. Antes que ela pudesse falar, ele se mexeu, abaixando cuidadosamente os pulsos de modo que os dedos já não cavavam em seus templos. 103


“Cabeça dói?” Ele perguntou. Ela ainda estava tentando encontrar as palavras. Sua aparição súbita a tinha levado completamente desprevenida. “Desculpe a intromissão assim, mas você me deixou preocupado. Eu chamei o seu nome três vezes e não consegui ouvir absolutamente nada acontecendo por trás da porta. Eu estava preocupado que você tivesse caído ou desmaiado.” Ela fez uma careta. “Desculpe. Estava perdida em pensamentos. Tanta coisa acontecendo e ainda é meio difícil.” Ele gentilmente a puxou para seus braços, pressionando os lábios em sua testa. “Venha para a cama. Quer que eu te dê algo para a dor de cabeça?” “Não. Eu vou ficar bem. Sério.” Ele entrelaçou os dedos com os dela e puxou-a para o quarto. Seu saco de dormir estava feito com cuidado no chão, mas ele a dirigiu para a cama. Para sua surpresa, ele se arrastou para o colchão, posicionou-se então suas costas descansavam contra o trilho da cabeceira da cama, e abriu as pernas e deu um tapinha no espaço entre eles. “Venha aqui que vou massagear sua cabeça e pescoço.” Aliviada que ela não tinha que lidar com a questão de saber se deveria convidá-lo para a cama ou não, colocou o joelho na cama e se mexeu em direção a ele. Quando se virou, ele imediatamente passou os braços em volta dela e puxou-a contra ele, para que ela descansasse contra seu peito. Por um momento, ela deixou cair a cabeça para trás contra o ombro dele e virou o rosto em seu pescoço, saboreando a intimidade da posição. Suas mãos deslizaram até os braços nus e, em seguida, sobre as alças finas de sua blusa de pijama. Então ele deslizou os dedos em seus cabelos de sua nuca, viajando para cima, para o 104


topo de sua cabeça. Ele teve o cuidado para não puxar seu cabelo, e trabalhou com os dedos suavemente sobre seu couro cabeludo, exercendo uma pressão sutil em vários intervalos. “Isso é bom,” ela respirou. Ele deixou uma mão cair brevemente e se inclinou para pressionar seus lábios contra o lado de seu pescoço logo abaixo da orelha. Isso enviou uma cascata de arrepios sobre os braços nus até que ela estremeceu em reação. Seus seios formigaram e incharam, seus mamilos apertaram contra o material fino. Foi instintivo para levantar os braços para proteger da reação óbvia que seu corpo teve do beijo simples. “Não se esconda de mim, querida,” Noah sussurrou. Ele estendeu a mão e levou os braços, abaixando-os de volta para seu colo. “Gosto de ver como você reage a mim, que me quer. Não há nada para se envergonhar.” Ele a beijou novamente, raspando os dentes levemente sobre sua pele, em seguida, deixou sua boca vagar mais baixo para a curva de seu pescoço. Em seguida, voltou a esfregar a cabeça, massageando as têmporas e, em seguida, para baixo até os ombros, aquelas mãos grandes trabalharam a sua magia. Tensão vazou dela, deixando-a mole em seus braços. “Posso te perguntar uma coisa?” Disse em voz baixa. “Claro!” Ela se mexeu e tentou se virar para que pudesse encará-lo. Após desajeitadamente manobrar suas pernas e corpo, ela ajoelhou-se entre suas pernas, sentada sobre os calcanhares, para que estivesse ao nível dos olhos com ele.

105


Talvez teria sido melhor perguntar-lhe quando ela estivesse de costas, porque agora, enquanto olhava fixamente para ela, a coragem fugiu e sua língua se sentia amarrada em uma dúzia de nós. Ele estendeu a mão, traçando a boca com o polegar. “O que está em sua mente, querida?” “Isso é meio estranho,” ela murmurou. Ele não disse nada. Simplesmente esperou, paciente, enquanto reunia seus pensamentos. “Você e Liam vão querer...” Calor impregnou suas bochechas e ela não conseguia encontrar as palavras de seus lábios. Sentia-se como uma idiota completa. Como na terra que eles estavam indo para ser capazes de ter um relacionamento honesto e aberto entre os três se ela não conseguia nem tocar no assunto de sexo, sem sair em seções? “Será que Liam e eu queremos o que?” Ele perguntou. “Para ter sexo comigo... ao mesmo tempo,” ela finalmente deixou escapar. “Você sabe, como um trio.” Noah piscou surpreso, mas então seus olhos ficaram escuros, queimando com o calor suficiente para causar uma vibração estranha no fundo do seu peito. Ele se inclinou para frente, envolvendo os braços em volta dela, esmagando-a contra o peito até que seus narizes se tocaram e ela podia sentir o calor de sua respiração em seu queixo. “Para ser perfeitamente honesto, não é algo que temos discutido. Você é o que é importante para nós. Não o sexo. Não me interprete mal, querida. Quero você na minha cama, você ao meu redor tão apertada e eu profundamente dentro de você. Mas quero dar-lhe o tempo necessário para se ajustar à ideia. Quanto a um trio, eu nunca tive um, mas a ideia é quente como o inferno e adoraria tentar. Mas em primeiro lugar? Quero você. Apenas você. 106


Não uma audiência. Não com outra pessoa na imagem. Apenas a sua boca em volta do meu pau. Minha língua entre suas pernas. Quero provar você tão mal até que me acabe. Quero tocar em você, te conhecer. Quero descobrir o que a agradar, a excita. Mas sim, um trio seria muito muito legal.” “Oh,” ela suspirou, todo o seu corpo formigando enquanto ele sussurrava as palavras contundentes. “Será que isso excita você?” Ele murmurou. “A ideia de Liam e eu a levando ao mesmo tempo? Você gosta da ideia de nós dois tocando você e enchendo-a, beijando-lhe, dando-lhe muito prazer?” Ela assentiu com a cabeça, não confiando em si mesma para falar. Em seguida, engoliu em seco e fez a outra pergunta que queimava um buraco em seu cérebro. “Você vai fazer amor comigo? Hoje à noite?” Todo o seu corpo apertou contra ela. Sua respiração mudou e seus olhos escureceram, tornando-o tão maldito perigoso de olhar. E sexy como o inferno. “Você está pronta para isso?” Ele perguntou, seu tom cauteloso. “Não quero apressar isso, Lauren. A última coisa que quero fazer é te apressar em algo que vai se arrepender. Estou disposto a esperar o tempo que for preciso para que você possa confiar que eu nunca vou te machucar.” Ela deslizou os dedos sobre o queixo até que as palmas das mãos seguravam o rosto muito perto do dela. “Eu quero tentar,” disse ela com sinceridade. E ela o fazia. Queria mais do que podia explicar. “Confio em você. Meu coração confia em você. Minha mente está um pouco mais cautelosa, mas meu coração me diz que quero isso.” Ele soltou um gemido e fechou os olhos brevemente. 107


“Noah?” A hesitação na voz de Lauren fez Noah abrir os olhos. Era óbvio que ela estava nervosa com alguma coisa. Seus dentes estavam escavando em seu lábio inferior cheio, e seus olhos estavam sombreados, onde há poucos momentos, tinham estado acesos de desejo. “O que é isso, querida?” Ela olhou por cima do ombro para onde a porta do quarto estava fechada, uma barreira entre eles e Liam. Ele sabia qual era a sua preocupação antes mesmo que a expressasse. “Se eu fizer amor com você esta noite... E Liam? Será que vai feri-lo de que fizemos sexo pela primeira vez? Ele dormiu aqui comigo ontem à noite. Ele me segurou. Mas nós não fazemos amor. E não é que confio em você mais do que ele. É só que ainda estava muito nervosa.” Beijou-a para parar o fluxo de conversas ansiosa. Tão doce e suave. Ele odiava a preocupação e ansiedade em sua voz. Queria arrastá-la, levá-la em seus braços e fazê-la esquecer tudo, exceto este momento. Este era um grande passo em seu relacionamento recém-formado, que ele não tinha previsto tomar tão cedo. Tinha estado totalmente preparado para esperar semanas, se não meses, se era isso que demorasse para ela lhe dar um presente tão precioso. “Bebê, me escute,” disse ele, quando se afastou para que pudesse olhá-la nos olhos. “Não fique maluca achando que tem que controlar o tempo com a gente. Juro para você que Liam e eu não estamos competindo e não esperamos que você divida o seu tempo quinze por quinze com a gente. Se Liam tivesse feito amor com você ontem à noite, teria sido bom para mim, porque sei que, eventualmente, vai ser eu. Assim como se você e eu dermos esse passo hoje à noite, quando estiver pronta você vai dar esse passo com Liam.” “Estou feliz por que sou eu? Claro que sim. Não vou mentir. Tenho certeza que se Liam fosse o único sentado aqui com você entre as pernas olhando para ele com esses belos olhos 108


castanhos, ele não iria dar uma maldição sobre o que eu pensava. Estaria de joelhos grato que você confiou nele o suficiente para dar-lhe esse presente.” “Só não quero nunca ferir qualquer um de vocês,” disse ela em uma voz sombria. Ele tocou o rosto dela, acariciando seus dedos por sua bochecha. Não se cansava de simplesmente tocá-la. A ideia de que ela estava ali, tão perto, pedindo-lhe para fazer amor com ela. Era mais do que podia suportar. Ele tinha sido tão certo. Poderia se apaixonar por ela tão facilmente. Talvez já tinha se apaixonado. Talvez isso seja o que sentia, algo como mergulhar para o lado de um penhasco em uma queda livre. Emocionante. Magnifico. Assustador como o inferno. “Posso te perguntar uma coisa agora?” Disse ele. Ela assentiu. Ele respirou fundo, não acreditando que estava prestes a fazer isso quando todos os seus instintos gritavam para aceitar o presente que ofereceu e fazer amor com ela tão ternamente e suavemente como merecia. Ele apenas disse a ela momentos antes que queria que a primeira vez com ela fosse apenas os dois deles, exatamente como tinha certeza de que Liam sentiria o mesmo que a sua primeira vez com ela fosse sem a sua companhia. Mas era evidente que ela estava preocupada-muito-sobre as ramificações de fazer amor com um antes do outro e como o outro se sentiria. Ele empurrou de lado a sua preferência, porque mais do que qualquer coisa que queria primeiro era para ser tudo sobre ela. Tudo para ela. E faria qualquer coisa que ela queria. “Você prefere que Liam e eu façamos amor com você juntos pela primeira vez? Será que isso a tornaria mais confortável e removeria qualquer medo de mostrar favoritismo?” Suas bochechas ficaram rosa e ele podia ver as rodas girando em sua cabeça. Seu rubor ficou mais escuro e sua respiração se tornou mais rápida. 109


Então, lentamente, quase em câmera lenta, ela balançou a cabeça. “Gostaria de Liam aqui, sim,” ela disse suavemente. “Não tenho certeza como ele vai se sentir, não importa qual de vocês, eu fiz amor primeiro. E talvez isso nunca vai ser um problema para você ou para Liam. Mas eu não quero que isto gere dúvidas.” Ele segurou-lhe o rosto, querendo aliviar qualquer preocupação que ela tinha sobre a maneira como eles embarcaram no lado físico de seu relacionamento. “Então, talvez devêssemos chamar Liam aqui e ver o que ele tem a dizer sobre o assunto.”

110


Capítulo Treze

LAUREN tentou acalmar sua pulsação acelerada quando Noah se levantou e foi até a porta. Ela se balançou sobre os calcanhares no meio do sofá e, em seguida, olhou em torno mortificada. Como na terra que eles estavam indo para conseguir isso em seu quarto? Ela tinha pouco tempo para contemplar o assunto antes de Noah voltar com Liam atrás dele. O cabelo de Liam estava despenteado, em um tipo amarrotado pela cama, mas muito sexy. Seus olhos estavam em alerta, no entanto, como se ele ainda não tivesse estado dormindo. Seu olhar caiu imediatamente em Lauren, aquecendo-a, uma vez que deslizou por seu corpo para o rosto dela. Noah subiu na cama, puxou um dos joelhos para cima e deixou a outra perna cair fora assim que seu pé ficou plantado no chão. Liam se sentou na extremidade oposta e se mexeu em uma posição quase idêntica como Noah para que pudesse olhar para Lauren. “Noah disse que queria falar com a gente sobre algo,” disse Liam, sua voz profunda retumbando em seu peito. Seu olhar voltou-se para Noah em pânico. Ela não esperava que teria que repetir tudo. Noah pegou a mão dela e apertou. Então ele virou-se para Liam. “Lauren está com medo de que, se ela fizer amor comigo esta noite isso vai te machucar. Ou se ela fosse fazer amor com você em primeiro lugar, eu ficaria ferido.” 111


Liam franziu o cenho enquanto olhava entre ela e Noah. Talvez ela tivesse razão para se preocupar. “Deixe-me voltar a um ponto anterior em nossa conversa,” disse Noah. “Antes disso surgir, Lauren perguntou se você e eu gostariamos de fazer sexo com ela ao mesmo tempo.” As sobrancelhas de Liam foram para cima e seus olhos arregalaram. Antes de Noah poder continuar, a expressão de Liam ficou séria e ele virou-se para pegar a outra mão de Lauren. “Eu só quero o que você estiver confortável, bebê.” Noah limpou a garganta. “Quando ela trouxe o medo de fazer amor comigo antes, eu perguntei se ela seria mais confortável se fizessemos amor com ela... juntos... na primeira vez.” Compreensão registrou nos olhos de Liam. Seus olhos estavam esfumaçados azul e ele estendeu a mão para tocar seu rosto, acariciando seu polegar levemente sobre sua pele. “É isso que você quer?” Ele perguntou baixinho. Ela assentiu com a cabeça, acariciando seu rosto ainda mais em sua palma. “Não é que eu não confie em você e Noah não ficando com raiva ou inveja. Mas eu não gosto do jeito que me faz sentir em deixar um de vocês para fora. Acho que isso me incomoda mais do que a qualquer um de vocês. Quero começar as coisas... certas. Não quero me preocupar que te machuquei ou me preocupar com o que você está pensando. Eu só quero estar com vocês dois.” Liam se inclinou para beijá-la na testa. “Você tem que saber que eu faria qualquer coisa no mundo maldito por você, bebê.” “Eu não sei como fazer isso,” ela admitiu. “Estou um pouco assustada.” Liam sorriu. “Tenho zero de experiência em trios. Acho que nós vamos aprender juntos, não vamos? Vou te dizer agora, eu não estou triste com outro cara me vendo nu, mas se vai ser, pelo menos, é um cara que conheço quase toda a minha vida.” 112


Noah bufou. “Eu vou estar olhando para Lauren, muito obrigado.” As brincadeiras alegres fizeram muito para aliviar os nervos de Lauren. Seus ombros relaxaram. Mas ela ainda espreitou os olhos para os dois porque agora que eles tinham tido a discussão, como diabos eles procederiam? Certamente para o sexo não foi geralmente isso orquestrado. “Vem cá, Lauren,” disse Liam, estendendo a mão. Aparentemente, ele não tinha tais questões sobre por onde começar. Assim que ela deslizou seus dedos pelos seus, a puxou para si e para o seu colo até que montou sobre ele. “A primeira coisa que vou fazer é despi-la,” disse Liam, sua voz grave e rouca, sussurrando sobre sua pele como a mais gloriosa das carícias. “Mas eu não privaria Noah do prazer, então vamos dividir o dever.” Ela tremeu com antecipação. Ele correu os dedos por baixo das tiras finas de sua blusa e deslizou-as para cima, até que caiu no topo de seus ombros. Lentamente, ele as puxou para baixo e, em seguida, inclinou sua cabeça escura para beijar a curva de seu pescoço. “Tão linda,” ele murmurou. Como se mudasse de ideia sobre a maneira como a queria despir, ele estendeu a mão para a bainha de sua blusa e cuidadosamente começou a levantá-la, descobrindo sua pele nua quando o material deslizou para cima. “Levante os braços,” disse ele com voz rouca. Ela levantou os braços, e ele puxou para cima até que deslizou sobre seu rosto e finalmente se soltou de sua cabeça. Ela baixou os braços para que ele pudesse puxar as tiras a distância, e, em seguida, deixou cair a blusa no chão.

113


Ela estava nua. Vulnerável. Seu olhar banqueteava nela, e então ele se inclinou para beijar o lado de seu pescoço. Seus dentes roçando levemente, e então mordeu com um pouco mais de força até que ela gemeu e balançou em seu colo. Então suas mãos cobriram sua barriga e se moveu lentamente para cima para seus seios. Ela prendeu a respiração, oprimida pela resposta de seu corpo para as mãos cobrindo sua carne. Seus mamilos endureceram dolorosamente e, quando ele roçou os polegares sobre eles juntos, ela soltou um suspiro ofegante e arqueou para ele, a cabeça indo para trás. E então Noah estava lá, com as mãos reunindo em seu cabelo enquanto se inclinava para beijá-la no pescoço, no lado oposto de onde a boca de Liam tinha acabado. Ele acariciou até sua orelha e depois lambeu o lóbulo antes de sugá-lo em sua boca. Um arrepio percorreu seu corpo inteiro e entrou em erupção, depois a boca de Liam encontrou um de seus mamilos. Oh, Deus, seu corpo estava supersensível ao seu toque. Antecipação aumentou seus sentidos. Ela podia sentir o cheiro deles, a sua rica masculinidade. Podia ouvir e sentir cada respiração que passava de seus lábios. Calor queimava em sua pele. Noah deslizou suas mãos debaixo de suas axilas e gentilmente levantou para cima, assim que Liam enrolou as mãos em suas pernas para a impulsionar de pé. Ela estava de pé, na frente de ambos. Noah a virou de frente para ele, e ele estendeu a mão para o nó da calça de seu pijama, desamarrando lentamente. Tão, lentamente, que isso estava a dirigindo louca. Quando foi desfeita, ele fez uma pausa, encontrou seu olhar e olhou fixamente em seus olhos. “Antes de irmos adiante, Lauren, quero que você me prometa que se fizermos qualquer coisa que esteja desconfortável, vai nos dizer imediatamente. Isso não vai nos irritar. Queremos que isto seja perfeito para você. Não queremos te assustar ou oprimir.” 114


Seu coração doeu na sinceridade em sua voz. Ela tremeu na frente dele, oprimida, sim, oprimido-a a cada momento. Mas ela não iria dizer-lhes isso, porque era o melhor tipo de ser oprimida. “Eu prometo,” disse ela, não reconhecendo a sua voz. Era rouca, o som de uma mulher satisfeita confiante na capacidade dos seus amantes para o prazer dela. Noah puxou as calças e passou por suas pernas, deixando-a em apenas um par de calcinhas rendadas. Em seguida, puxou-a para si, seus braços rodeando-a quando sua boca encontrou seu peito. Ele chupou suavemente em um mamilo tenso, que endureceu ainda mais. Em seguida, se mudou para o outro e desenhou um círculo preguiçoso em torno dele com a língua antes de sugá-lo em sua boca como tinha feito no outro. Suas mãos deslizaram para baixo, no baixo de suas costas, mergulhando por baixo da tira de sua calcinha. E depois mais baixo, arrastando o material de seda para baixo. Ele deixou cair a seus pés, e ela estava completamente nua para olhares de ambos. “Sente na cama, querida,” disse Noah em voz baixa. Enquanto falava, ele a guiou para onde queria. Bem entre onde ele e Liam ainda estavam sentados na beira da cama. Levantou-se, então, quando ela se sentou, e Liam pairou sobre ela, deitando-a em suas costas. “Abra suas pernas,” Noah sussurrou. “Quero provar você tão ruim, até sentir dor.” Ela hesitou por um momento, de repente, consciente de si mesmo com a ideia do que está acontecendo e se espalhou largamente. A mão de Liam deslizou para baixo de sua barriga e ela ficou tensa quando roçou suavemente sobre o ápice de suas pernas e, em seguida, entre elas, separando levemente suas coxas. 115


“Relaxe, bebê,” incentivou Liam. “Vamos fazer você se sentir bem.” Ela deixou cair suas coxas abertas, auxiliada por Liam. Quando ela olhou para baixo, Noah tinha ido de joelhos entre suas pernas abertas. Liam deslocou mais para cima de seu corpo, e sua mão esquerda alisava da barriga para um seio e depois o outro. Ele acariciou e brincou com seus mamilos, provocando-os a pontos rígidos. E então os dedos de Noah separaram suavemente suas dobras, abrindo-a mais para ele. Ele passou sobre seu clitóris, até sua entrada e, em seguida, de volta novamente. Liam se inclinou sobre ela, sua cabeça escura obscurecendo sua visão de Noah, enquanto lambia seu mamilo. Seu corpo apertou, fez uma reverência. Ela flexionou e arqueou. Parecia que estava indo em uma dúzia de direções diferentes e não tinha controle sobre seu corpo. No momento em que a boca de Noah a tocou, ela gritou. Sua mão voou para a cabeça de Liam, torcendo em seu cabelo. Macio e sedoso, a juba selvagem de cabelo fluía sobre seus dedos. Liam chupou e mordiscou, alternando entre os seios. A língua de Noah deslizou sobre seu clitóris, provocando e trazendo-a mais perto da borda. Mexeu-se mais baixo, dando pequenos beijos para todas as partes da sua boceta, e quando chegou a sua abertura, lambeu delicadamente no início e depois cresceu mais ousado, mergulhando sua língua dentro, chupando e saboreando-a intimamente. “Noah!” Ela gritou. Mesmo quando gritou o nome dele, ela puxou o cabelo de Liam em um pedido silencioso para que ele parasse. Ela já estava à beira do orgasmo e não queria que acabasse. Não tão cedo! Liam e Noah ambos pararam simultaneamente. 116


“Eu machuquei você?” Noah exigiu. Ela mal conseguia reunir seus pensamentos. Estava tão dolorosamente na borda que se ele sequer tocasse novamente, ia gozar. Ela chupou em respirações firmando, com a mão ainda firmemente agarrou no cabelo de Liam. “Não,” ela disse com a voz rouca. “Deus não. Estou prestes a gozar. É muito cedo!” Noah riu suavemente. “Temos toda a noite, querida. Deixe-se ir. Então vamos começar tudo de novo.” Liam levantou a cabeça e ela o soltou. Mexeu-se para cima, capturando sua boca em um beijo quente que disse a ela o quão excitado estava. Por vários momentos, ele devastou a sua boca, saboreando cada centímetro de seus lábios, mergulhando profundamente com a língua até que ela estava sem fôlego. “Prometo que haverá outra,” disse Liam enquanto arrastava sua boca fora. “Porque eu quero uma amostra do que Noah está tendo agora.” Ela ficou inerte, impotente contra a sedução de suas palavras. “Gosto da sua mão no meu cabelo,” disse Liam quando ele abaixou a cabeça para trás para seu peito. Estava muito disposta a empurrar os dedos de volta para a massa sedosa quando a boca fechou em torno de seu mamilo. Noah deslizou um dedo dentro dela e ela se arqueou para ele, querendo mais, querendo mais profundo. Então sua boca voltou para o clitóris e ele rolou a língua em um círculo preguiçoso ao redor do botão rígido. Sua mão livre enrolou nos lençóis, cavando no colchão enquanto. A respiração acelerou, e a mão no cabelo de Liam apertou até que sabia que tinha que estar lhe causando dor. Ele só chupou com mais força.

117


Noah adicionou um segundo dedo, deslizando profundo. Mas era tão gentil. Não havia nenhuma aspereza à sua penetração. Sua respiração ficou presa e detida. A dupla sensação de suas bocas em seus pontos de prazer mais sensíveis era devastador e requintado. O mais maravilhoso tipo de tortura. A tensão construiu. Todos os músculos apertaram. Prazer irradiou através de seu corpo. Quente!!!! Inchando. Construindo. Alto e mais alto. Noah aumentou a pressão de sua língua, retirou os dedos e mergulhou novamente. Liam beliscou mais acentuadamente em seus mamilos. “Não pare!” Ela pediu. “Nunca,” Liam rosnou. Seus quadris rolaram e ela inclinou-se dolorosamente para cima para atender a boca de Noah, querendo mais. Seu corpo estava implorando para ser lançado, e eles estavam determinados a dar a ela tudo o que poderia tomar. Apenas quando não achava que poderia aguentar mais, seu orgasmo brilhou, inchando e correndo por ela como um vendaval. Sabia que gritou. Estava pensando seus nomes. Era tudo o que estava em sua mente, exceto o prazer tão doce que pensou que poderia morrer disso. Ela arqueou uma última vez e, em seguida, caiu de volta para a cama, sua força se foi, seu corpo tão mole e saciado que era impossível de se mover. Ela gemeu baixinho quando Noah retirou os dedos e, em seguida, substituí-os com a boca. Ele deslizou a língua para dentro, trabalhando lentamente para baixo a partir da explosão de sua libertação. Ele continuou a lamber e beijá-la suavemente até que ela suspirou e estremeceu. Então desossada pensou que nunca poderia se mover novamente, acariciou os dedos pelo cabelo de Liam antes de deixar o braço cair molemente para a cama. 118


Liam se afastou, apoiado no cotovelo e, em seguida, olhou para ela enquanto esfregava a mão sobre sua barriga. Noah se arrastou para a cama do outro lado dela e posicionou-se de forma semelhante a Liam, sua mão se juntando a Liam, acariciando-a. “Como foi isso?” Noah perguntou com uma voz rouca. “Mmm,” ela conseguiu deixar sair. Liam riu. “Esse bom, hein?” “Mmm hmm.” Noah se inclinou para beijá-la, seus lábios curvaram em um sorriso. Ela podia sentir-se sobre ele, uma experiência estranha, mas descobriu que não se importava. “Isso é só o começo,” ele sussurrou contra sua boca.

119


Capítulo Quatorze

LAUREN deitou em cima do colchão, Noah e Liam em cada lado dela, acariciando-a com movimentos suaves. Depois de um momento, Liam se moveu, empurrou-se para cima e, em seguida, para fora da cama. Seus olhos arregalaram quando ele levantou seus pés para sustentar os calcanhares no estrado de metal para alavancagem. A posição permitiu que suas coxas espalhassem mais amplas e, em seguida, se ajoelhou, como Noah havia feito para que sua vagina estivesse no nível com sua boca. Ela gemeu, um som que começou mais vocal e terminou em um suspiro longo e ofegante. Ela ainda estava sensível a partir do primeiro orgasmo alucinante e, ao primeiro toque de sua língua, seus músculos sacudiram e travaram, endurecendo as pernas. Ela estendeu a mão cegamente para cima e entrou em contato com o ombro de Noah. Ele abaixou-se sobre seu corpo superior e deslizou sua mão sobre suas costelas em direção a seus seios. “Linda,” ele sussurrou, assim que fechou os lábios em torno de um mamilo. O quarto ficou nebuloso à sua volta. Ela flutuou em um mar de prazer, seu corpo apertou quando ela começou a escalada longa e lenta para gozar mais uma vez. Os sons de satisfação que Liam fez intensificaram sua excitação. A boca dele vibrou contra sua carne mais íntima enquanto sua língua dançava perversamente sobre o clitóris e depois para baixo para deslizar dentro da abertura. 120


Era estranho que ela podia dizer que os dois homens tinham diferentes estilos de fazer amor. Ela não teria imaginado que havia tanta diferença e ainda assim poderia dizer imediatamente pelo modo como a tocava ou beijava quem era quem, e ainda assim ambos foram deliciosamente talentosos em fazê-la responder. Liam balançou acima, a boca pressionando a barriga dela, e ele beijou uma linha em direção a seu queixo. Noah se afastou e Liam capturou sua boca, sua língua aprofundando profundamente. “Eu quero estar dentro de você, bebê,” ele rosnou em um sussurro baixo. “Você me deixa louco.” Ela sorriu levemente. Depois de um orgasmo, estava precariamente perto de outro, podia dizer com segurança que eles a fizeram louca. Não podia nem pensar. Só sentir. E adorava a maneira como eles a fazia sentir. Protegida. Amada. Cuidada. Eles silenciaram os fantasmas de seu passado quando estavam perto. Colocaram-se entre ela e as memórias dolorosas, um tampão para qualquer coisa que pudesse magoá-la. “Deixe-me pegar um preservativo,” Liam sussurrou contra sua boca. Ela tocou seu rosto, o beijou de volta e, em seguida, lentamente o deixou ir, seu olhar ardente no seu quando ele se retirou. Ele rapidamente puxou a camisa sobre a cabeça, deixando-a para admirar sua tatuagem novamente. Foi tão rápido para puxar seu jeans para baixo e tirar o resto de sua roupa. Um momento depois, estava entre suas coxas novamente, seus dedos testando sua prontidão. Brincou com a linha de sua abertura para o clitóris e, em seguida, voltando para baixo de novo, circulando em torno de sua entrada. Noah puxou um mamilo em sua boca, sugando com firmeza até que era um pico rígido. Então deu ao outro igualdade de tratamento até que seus seios estavam macios e inchados, os 121


mamilos eretos e enrugados. Em seguida, beijou o vale entre os seios e delicadamente trabalhou sua boca até o pescoço enquanto Liam se posicionava entre suas pernas. A cabeça do pênis de Liam violou sua entrada e por um momento ainda permaneceu, permitindo-lhe adaptar-se ao seu tamanho. Ela não tinha conseguido uma olhada nele de sua posição na cama. Tudo o que tinha sido capaz de ver era o peito e as tatuagens intrincadas em sua parte superior do corpo. Não tinha ideia de seu tamanho, mas se sentiu enorme quando empurrou mais longe, estendendo-a com cada movimento. Ela mexeu, dobrando seu corpo mais baixo para que pudesse levá-lo mais profundo. Foi instintivo para embrulhar as pernas em torno de sua cintura, mesmo que não era algo que Joel sempre permitia. Ele preferia que ela ficasse imóvel, enquanto ele fazia o que gostava. Ela sacudiu a memória fugaz, determinada a não deixá-lo se intrometer onde não pertencia. “Como se sente, Lauren?” Noah perguntou com uma voz rouca. As pálpebras piscaram, e ela olhou para cima para encontrar seu olhar, oprimida pelo momento. A magnitude de ter esses dois homens... adorando-a. Eles a trataram como se fosse... preciosa. “Por quê?” Ela sussurrou. Sua testa enrugou em confusão. “Por que, querida?” “Por que eu?” Ele alisou seus dedos sobre a testa, aliviando as linhas. Então a beijou, longo e doce, até que ela não sabia de nada, exceto a sensação de Liam profundo dentro de seu corpo e Noah profundo dentro de sua boca. “Porque não poderia haver ninguém mais para nós,” disse Noah quando puxou de seus lábios. 122


As mãos de Liam deslizaram debaixo de sua bunda, levantando quando empurrou ainda mais profundo. Ele se inclinou sobre ela, segurando-a perto de seu corpo antes de finalmente lançar as mãos sobre o colchão de cada lado de seus quadris. Ele empurrou mais duro, e ela fechou os olhos, tentando alcançar Noah novamente. Apenas querendo tocá-lo. Com a outra mão, ela deslizou os dedos por cima da mão de Liam que descansava na cama. E ela manteve a ambos, enquanto Liam continuava alimentar em seu corpo. Ela sabia que ele estava segurando. Havia linhas de tensão em seu rosto. Sua mandíbula estava apertada e suas estocadas se tornaram mais comedidas. Ela sorriu e estendeu a mão para tocar seu rosto. “Não se segure, Liam. Quero ver você quando gozar.” Ele gemeu e soltou um longo suspiro. “Oh Deus, bebê, queria fazer você gozar. Não quero que seja tão cedo. Mas você se sente tão bem e esperei tanto tempo por isso.” Ela colocou um dedo em sua boca. “Nós temos a noite toda. Não é isso que Noah disse? Nós vamos fazer tudo de novo.” Ele sorriu quando ela voltou as palavras para ele. Liam a reuniu com força em seus braços e, em seguida, flexionou os quadris, dirigindo profundo. Mais rápido e mais duro. Pegou velocidade e empurrou com mais força. Ele a abraçou com mais força, segurando-a tão perto que ela mal podia respirar, mas nunca se sentiu mais segura ou mais... amada. Em seguida, ele enterrou-se profundamente e permaneceu lá, todo o seu corpo tremendo, seus quadris empurrando espasmodicamente. Ele se aninhou em seu pescoço e sua respiração explodiu contra sua pele enquanto estava ali ofegando suavemente.

123


Mesmo enquanto Liam a cobria, possuí-a completamente, a mão de Noah encontrou a dela onde estava esparramada longe de Liam. E ele fechou os dedos ao redor dela, acariciando a palma da mão. Deixando-a saber que ele estava lá. Com ela. Assim como Liam. Ela foi tocada além da medida com o gesto. Foi simbólico. A promessa silenciosa. Lágrimas se reuniram em seus olhos. Tinha finalmente encontrado o que tinha procurado durante tanto tempo? Liam beijou a bochecha dela e, em seguida, o canto da boca, antes de finalmente empurrar para cima, para que ela não suportasse seu peso. Em seguida, cuidadosamente retirou-se e afastou-se para descartar o preservativo. Seu olhar foi imediatamente para Noah. Ela queria dar-lhe esse mesmo prazer. Queria para si mesma. Seus olhares se conectaram e ele se inclinou para beijá-la novamente, quase como se oferecendo-lhe segurança. Ele se arrastou para fora da cama. Ela viu quando ele se despiu, determinada a ter uma visão melhor dele do que tinha Liam. Apoiou nos cotovelos, para que fosse capaz de ver. A ondulação dos músculos era impressionante. Ele não era tão grosso ou tão grande quanto Liam, mas era tão musculoso e tonificado. Estrutura corporal e construção apenas diferente. Caramba, mas ele era muito bom de se olhar. Quando chegou em suas calças e arrancou a cueca, ela tomou sua ereção, comparando-o mentalmente com Liam. Liam certamente o tinha sentido... enorme. Mas Noah? Parecia enorme. Os dois homens estavam na borda da cama, o olhar de Liam suave e satisfeito enquanto Noah brilhava com fome. Ela estremeceu, lambendo os lábios em antecipação. Para sua surpresa, Noah a pegou, a virando em seu ventre. Sua bochecha roçou sobre o lençol e por um momento ela estava atordoado demais para reagir. Isto não era o que ela esperava.

124


Pânico a atingiu. Por um momento estava muito confusa até mesmo para perceber por que foi tomada por tal desconforto. Foi instintivo para ter cuidado, e para lutar. Seu primeiro instinto foi o de lutar? As mãos de Noah deslizaram para cima nas costas de suas pernas e ele beijou a bochecha de seu traseiro, e depois a outra, mordendo de brincadeira. Ela tentou argumentar consigo mesma. Tentou ficar calma. Este era Noah. Noah nunca iria machucá-la. Mas a posição era um símbolo de desamparo para ela. E odiava esse sentimento acima de todos os outros. Não queria ficar com medo quando Noah fizesse amor com ela. Em seguida, ele espalhou suas coxas, e toda razão fugiu. Não houve luta contra a onda de pânico. Sua garganta inchou quando até quase engasgou. Seu aperto apertou e em seu estado desorientado, tudo o que poderia processar era que estava sendo pressionads. Presa. Desamparada. “Não!” Ela engasgou em torno de um soluço. Mesmo que a palavra explodiu no silêncio, já estava chutando. As mãos a deixou e ela rolou para longe, contra a parede. Ela virou para ele e fechou os joelhos protetoramente contra o peito. Ela colocou a cabeça para baixo até que sua testa tocou os joelhos. Todas as suas partes mais vulneráveis foram cobertas. Seu estômago e costelas. Seu rosto estava escondido. Porque sabia o que acontecia quando dizia que não. Havia sempre retaliação instantânea. Era uma prova de quanto medo que tinha que a palavra sequer escapou de seus lábios.

125


Capítulo Quinze

NOAH olhou com horror e choque quando Lauren se enrolou em uma bola de proteção e amontoou tão longe dele quanto conseguiu sobre a cama. Ela estava de costas para a parede. Foi um movimento praticado. Isso o eviscerou que isso era algo que, obviamente, teve de fazer antes. Liam começou a avançar, mas Noah colocou a mão para fora. Quando Liam virou-se para encará-lo, Noah balançou a cabeça. “Eu fiz isso,” disse Noah em voz baixa que duvidava que Lauren sequer o tivesse ouvido falar. “Merda, Noah,” Liam mordeu fora. “Você ouviu o que ele fez com ela da última vez. Ele a colocou em sua barriga para que ela não pudesse lutar com ele, e então segurou-a e a estuprou. Ela nos disse que odiava essa posição. O que você estava pensando?” Noah fechou os olhos. Ele entendia a raiva de Liam. Noah ficou furioso consigo mesmo. Mas este não era o momento para brigar com seu amigo. Não quando Lauren estava em uma bola de proteção, porque estava com medo de ser ferida. Ele levantou o dedo para Liam e balançou a cabeça mais uma vez. Então, se arrastou para a cama, o seu intestino em nós. Hesitou, sua mão pairando por cima do ombro, com medo de tocá-la. Ele não podia suportar que ela vacilassse a distância. A ideia de que estava esperando a dor e humilhação em vez do prazer que ele queria muito dar-lhe fez mal à sua alma. 126


“Lauren,” ele sussurrou. “Querida, olhe para mim por favor. Não vou te machucar. Nunca vou te machucar.” Cautelosamente, deixou sua mão sobre seu ombro. Ela ficou tensa, mas não vacilou fora ou recuou. Seu cabelo completamente escondia o pouco de seu rosto que teria sido visível, e ele empurrou-o para trás, tentando de tudo para acalmar o pânico. Liam se sentou na cama e deslizou até que estava em frente a Noah. Sua mão tremia quando levantou a cabeça de Lauren. “Lauren?” Noah pediu novamente. “Você, por favor olhe para mim?” Aos poucos, ela levantou a cabeça de seus joelhos. Liam alisou o cabelo para trás com as duas mãos. Ele puxou-o longe de seu rosto e fez suaves, movimentos repetitivos, como se estivesse formando um rabo de cavalo, mas Noah sabia que estava acalmando-a muito como se fosse um animal ferido. Quando ela levantou o olhar para encontrar o dele, seus olhos estavam sem brilho com constrangimento e os restos de medo. Isso fez a sua dor no peito aumentar. “Eu sinto muito,” ela sussurrou com voz rouca. “Eu só entrei em pânico. Eu não poderia fazer isso ir embora. Eu sinto muito.” Noah engoliu a raiva que ameaçava explodir fora dele. Agora não era o momento. Ele tinha que lidar com isso ou nunca iria recuperá-la. Ela nunca confiaria nele. Não podia se dar ao luxo de estragar tudo. “Você vai me deixar te abraçar?” Ele perguntou baixinho. Ela hesitou por um momento, o momento mais longo da vida de Noah, ela finalmente fez um movimento em direção a ele. Ela estava trêmula e hesitante, mas com a ajuda de Liam, ela desenrolou-se e, em seguida, pôs-se de joelhos. Mas não se lançou nos braços de Noah. Simplesmente se ajoelhou ali, olhando ansiosamente para ele. 127


“Vem cá, meu bem,” disse ele, puxando-a em seus braços. Ele reuniu seu corpo nu contra o dele e envolveu tanto de si mesmo ao redor dela quanto poderia conseguir. Segurou-a com força contra o seu coração, balançando para frente e para trás enquanto beijava cada centímetro de seu rosto. “Você não vai pedir desculpas a mim por isso,” disse ele ferozmente. “A culpa é maldita minha e sou eu quem tem de estar de joelhos na sua frente implorando que me perdoe e me dê outra chance. Sinto muito, Lauren. Eu não iria assustá-la para o mundo. Faria qualquer coisa para que nunca tivesse medo de novo.” Ele beijou o topo de sua cabeça, seu cabelo. Ele não conseguia o suficiente dela. Queria absorver seu direito em sua alma. “Por favor, olhe para mim. Diga alguma coisa! Contanto que não seja um pedido de desculpas.” Ela levantou a cabeça de novo e olhou para ele, lágrimas nadando em seus olhos. Seu estômago despencou. Parecia que alguém o chutou direto nas bolas. Ele certamente merecia. “Lauren, eu sinto muito. Arruinei o que foi o momento mais bonito que já experimentei. Arruinei isso para você. Arruinei para Liam. E maldita certeza que arruinei para mim.” “Fui a única que o arruinei,” disse ela dolorosamente. “Estava tão determinada a mantê-lo fora, para manter o passado no passado e não deixá-lo invadir esta noite. Sabia que você não iria me machucar, Noah. Por favor, acredite nisso. Jamais pensei que você faria qualquer coisa que eu não quisesse. Mas, mesmo sabendo disso, o pânico tomou conta e não conseguia controlar o que fiz. Meu coração gritava que você nunca iria me machucar e minha mente só assumiu e fechou-me no chão.” Noah se posicionou para que ela montasse sobre seu colo e podia olhá-la nos olhos. Ele segurou seu rosto, acariciando sua pele macia, doce cquando procurou apenas a coisa certa a dizer. 128


Foda-se tudo, mas ele não sabia o que dizer. Ele só podia ser honesto. Ele errou. “Querida, você não pode se culpar por isso. Fiz uma coisa estúpida. Seria uma coisa se eu não soubesse o que aconteceu, mas você nos contou. Só não achei. Queria você tão mal e queria tocar cada centímetro de você. Queria as minhas mãos e boca em você e queria meu pau em você. E talvez, no fundo da minha mente pensei que poderia substituir essas memórias ruins com boas, que pudesse mostrar-lhe como poderia estar com alguém que se preocupava com você. Fui arrogante e estúpido da minha parte. Estava muito preso no momento e não parei para pensar como isso estava afetando você. Sinto muito. Deveria ter tido a maldita certeza de que estava comigo a cada segundo do caminho.” Ela engoliu em seco e seu olhar foi todo brilhante e molhado novamente. “Eu queria isso tudo, também.” “Sei que você fez,” disse ele suavemente. “Estraguei tudo. Você não.” Ela se inclinou até que suas testas se encontraram. Sua boca estava tentadoramente perto, mas ele se freou, recusando-se a fazer um único movimento até que ela fizesse o convite. Em seguida, ela colocou os braços em volta do pescoço frouxamente. Ele colocou o seu próprio ao redor de sua cintura, resistindo à vontade de levá-la contra ele até que nenhum dos dois conseguisse respirar. “Acho que temos muito a aprender sobre essa coisa de ménage à trois,” ela respirou. Ele sorriu. “Sim, querida, acho que fazemos. Mas você sabe o que? Nós vamos descobrir isso. Juntos.” Ela virou-se em seguida, seu olhar procurando Liam. Ele estava sentado na beira da cama, seu olhar atentamente focado no que estava acontecendo entre Noah e Lauren. Ela estendeu a mão para ele e prontamente aceitou. Então, olhou para trás para Noah. “Você tem tanta certeza que é isso que você quer? Eu? Nós? Juntos?” 129


“Maldito de certo,” Liam resmungou antes de Noah poder responder. Noah levou mais tempo, avaliando a expressão no rosto de Lauren. Ele procurou relutância ou arrependimento. Segundas intenções. Qualquer coisa para sugerir que ela estava procurando uma saída. Tocou seu rosto, esfregando os nós dos dedos para baixo da sua mandíbula. “Acho que a questão mais importante é saber se você está certa de que é isto o que você quer.” Ela assentiu com a cabeça solenemente. “Sim. Estou. Basta ter paciência comigo. Não posso prometer que não vou surtar novamente. Não quero. Não quero dar aquele bastardo qualquer poder sobre mim, mas não parece que tenho uma escolha.” A tristeza em sua voz foi a ruína de Noah. Ele a aconchegou em seus braços, forçando-a a quebrar o contato com Liam. Segurou-a com tanta força que provavelmente estava machucando, mas queria dizer a ela com mais do que apenas palavras o que sentia. “Prometo que nós temos todo o tempo do mundo,” disse ele com a voz rouca. “Um dia de cada vez. Não há pressa, querida. Vamos começar a ter esse bastardo fora de sua cabeça. Basta dar-lhe tempo. E dar-nos tempo. Você fala sobre nós sendo paciente com você, mas querida, eu sou o único fodendo as coisas aqui. Prometa que você vai ter paciência comigo, e eu vou fazer o meu melhor para te fazer feliz.” Ela deitou a cabeça em seu ombro e enterrou o rosto em seu pescoço. “Acho que nós dois vamos fazer a nossa cota de erros. Eu só tenho que me recondicionar a não esperar a violência como resultado de um erro que faço.” Noah fechou os olhos, os dentes cerrados com tanta força que sua mandíbula doeu. Quando os reabriu, viu a mesma raiva na expressão de Liam. Como alguém poderia machucar uma mulher bonita, tão doce? Qualquer mulher? Que tipo de idiota gostaria de controlar alguém mais fraco do que a si mesmo? 130


Mais do que nunca, Noah queria caçar aquele pequeno bastardo e fazê-lo sofrer por todas as mulheres que ele já tinha ferido. Duvidava que Lauren foi a primeira ou que ela seria a última. “Você nunca vai receber a violência de qualquer um de nós,” disse Noah em voz baixa. “Posso ficar louco como o inferno. Liam tem um temperamento negro, e ele pode ser um filho da puta mal-humorado.” Liam fez uma careta para Noah em resposta. Noah riu. “Meu ponto é que podemos lutar e argumentar e tenho certeza que nós vamos. Mas você não precisa nem se preocupar com qualquer um de nós retaliando fisicamente. Eu sou mais preste sua queixa e esqueça isso.” Lauren assentiu, e ele gentilmente a puxou longe de seu pescoço para que ela pudesse vê-lo mais uma vez e a Liam. Liam estendeu a mão para reivindicar a mão que ele tinha segurado antes, e Noah deslizou a mão por seu braço para apertar o ombro. “Você não entende, querida? Você vai ter nós dois tão envolvidos em torno de seu dedo mindinho, que duvido que alguma vez vamos ter um desentendimento.” “Pretendemos mimá-la muito e dar-lhe tudo o que poderia querer ou precisar,” Liam acrescentou rispidamente. Lauren sorriu, afugentando as sombras nos olhos. Seu olhar brilhava mais uma vez. Não havia fantasmas assombrando a partir do passado. Não havia resquícios de dor ou vergonha. “É errado que eu amo a ideia de ter vocês ligados em mim?” Ela perguntou, sua voz tão doce que fez Noah querer gemer. Liam levantou a mão para beijar cada dedo por sua vez.

131


“Não é uma coisa maldita de errado com isso,” disse Liam. “É bom que você goste da ideia, porque isso é uma coisa que você não vai ter que pedir. Vamos mimá-la muito e vamos aproveitar cada minuto de maldição.”

132


Capítulo Dezesseis

PARA surpresa de Lauren, quando saiu do chuveiro, na manhã seguinte, os dois homens estavam vestidos e esperando na sala de estar por ela. Amanhecer ainda não tinha rompido e o apartamento estava envolto em escuridão, exceto pela lâmpada que um dos homens tinha ligado na sala de estar. “Ainda tem meia hora antes de ter que aparecer para trabalhar. Quer um pouco de café da manhã aqui? Pensei que você podia estar cansada da mesma comida do restaurante,” disse Noah, quando ela saiu de seu quarto. Ela sorriu. “Honestamente, normalmente não tenho comido a comida de lá. Eu fiz no começo, mas você está certo, ficou enjoativo rápido. É bom, não me interpretem mal. Mas diferente é definitivamente melhor.” “Faço um bom café da manhã com taco4,” disse Noah com um sorriso. “Eu não vi que vocês tinham isso no menu.” Lauren riu. “Não, não posso dizer que o fazemos. Um café da manhã de taco parece... intrigante.” “Vamos lá então. Venha sentar-se à mesa enquanto eu faço isso. Então Liam e eu vamos levá-la para o trabalho. Vamos dar uma olhada ao redor da cidade hoje. Nós vamos estar verificando você periodicamente. Também programei ambos os nossos números de celulares

4

A tortilla de milho dobrada em torno de um enchimento, como carne moída ou queijo. 133


em seu telefone enquanto você estava no chuveiro. Se tiver algum problema, se acha que algo está fora ou errado, você chama um de nós imediatamente. Ok?” Ela assentiu. Noah se dirigiu para a cozinha e Liam seguiu atrás, tomando a mão de Lauren em seu caminho. Ela se acomodou à mesa com Liam enquanto Noah pegava em torno de sua cozinha pequena para as coisas que precisava. Dez minutos depois, apresentou a ela e Liam uma travessa de tortilla de farinha que fritou na manteiga, cheio de ovos mexidos, presunto grelhado, queijo e com pimenta e salsa. Sabendo que seria tarde antes dela ter a oportunidade de realmente falar com eles, ela falou, enquanto eles estavam comendo. “Tratei ontem à noite tudo errado,” disse ela com firmeza. Eles estavam indo para discutir. Ela podia ver isso em seus olhos. Especialmente Noah. Ele tinha esse olhar feroz no rosto e os olhos cheios de auto-condenação tudo de novo. Ela suspirou e ergueu a mão para interromper o fluxo antes de começar. “Vocês fizeram tudo certo. Exagerei. Eu notei isso. Você foi muito honesto. Você me disse explicitamente que se fizesse alguma coisa que eu não estava confortável era para dizerlhe e que pararia imediatamente. Deveria ter sido assim tão simples. Tudo o que eu tinha que fazer era dizer que eu não gostava do que estava acontecendo.” Noah balançou a cabeça, mas ela levantou novamente a mão dela. “Eu não quero transformá-lo em uma outra grande provação. Apenas pensei que eu lhe devia pelo menos isso. Fiquei com medo. Exagerei no momento. Isso não significa que você fez alguma coisa errada. Significa apenas que nós batemos num solavanco na estrada. E como você disse, nós vamos passar por isso. Prometo não me bater nisso, se você prometer que não vai bater-se sobre isso,” disse ela incisivamente, olhando para Noah enquanto falava.

134


Os lábios de Liam se contrairam e enfiou um pedaço de taco na sua boca, provavelmente para estancar o riso. Noah abriu a boca, em seguida, fechou imediatamente. Em seguida, assentiu. “Negócio fechado.” Ela sorriu. “Ok, eu preciso começar a trabalhar agora.” Noah levantou, limpando rapidamente os pratos, enquanto Liam se dirigia para a sala de estar. Ele estava de costas para ela quando ela entrou no seu encalço, e quando se virou, ele estava colocando sua pistola no coldre. Pegou sua jaqueta de couro estendida sobre o encosto da poltrona e puxou-a para cobrir a arma. Foi uma sacudida afiada da realidade. Ela podia estar imersa na fantasia de ter dois caras quente em sua cama e em sua vida, mas a realidade era que eles estavam aqui para protegê-la de um homem que não tinha escrúpulos em feri-la. Era um pensamento sério, e um pouco de seu bom humor evaporou. “Não olhe assim, bebê,” disse Liam. “Está qui só para sua proteção. Então Joel Knight nunca podera tocar em você de novo.” “Eu sei,” disse ela em voz baixa. “Acho que só quero ser capaz de esquecê-lo por um tempo, e cada vez que penso que posso, me lembro de alguma forma de por que estou aqui e por que você está aqui.” Ele empurrou em seu espaço e puxou-a em seus braços. “Odeio as circunstâncias que nos colocaram juntos, mas bebê? Eu não me arrependo do resultado nem por um minuto. Gostaria que pudéssemos ter nos encontrado em outras condições, mas vou aceitar no entanto que possa levá-la. E se isso significa ter que manter uma vigilância apertada sobre você, vou contar isso como um bônus.” Ela abraçou-o, seu humor iluminando mais uma vez. Liam tinha um jeito de chegar e limpar a escuridão que ocupava algumas partes de sua mente. 135


“Pronta?” Noah perguntou da porta da cozinha. Lauren se afastou e voltou em sua direção. “Pronta.”

Foi uma manhã movimentada na lanchonete. Segundas-feiras eram normalmente. Era como se toda a gente quisesse sair para ver o que aconteceu no fim de semana, para as fofocas. Manhãs de terça-feira eram sempre mortas. Definitivamente seu pior dia para gorjetas, com certeza. Os Colters e até mesmo seu próprio irmão geralmente vinham em seu turno, pelo menos uma vez por semana, e sempre lhe davam grandes gorjetas, ridiculamente grandes. Após as primeiras vezes de discutir com eles, ela finalmente tinha salvado o fôlego. Eles a amavam e usavam qualquer oportunidade que encontravam para tomar conta dela. Foi bom ter esse tipo de apoio incondicional. Liam e Noah tinham atraído muita atenção. As pessoas da cidade não tinham sequer se incomodado tentando ser sutil. Eles olhavam enquanto Noah e Liam tomavam uma xícara de café no início do turno de Lauren. Eles olharam quando os dois homens sairam e voltaram algumas horas mais tarde. E quando Seth caminhou cerca das onze para uma xícara de café, duas pessoas foram direto para ele para avisá-lo sobre os grandes estranhos à espreita no restaurante. Lauren tinha sufocado o riso quando Seth explicou pacientemente que Noah e Liam eram bons homens e que Seth os conhecia pessoalmente.

136


“Tudo vai bem, Lauren?” Seth perguntou quando ela colocou seu café para baixo em sua mesa. Ela sorriu. “Muito bem. Segunda-feira típica.” Seth revirou os olhos. “Você está me dizendo. Seus protetores fizeram uma grande agitação na cidade. Eles foram vistos em toda Clyde e agora os bons habitantes estão convencidos de que eles são os homens que te bateram. Acredite em mim quando digo, a nossa recepcionista esteve atendendo telefonemas durante toda a manhã e fui parado na rua, foi sinalizado no meu carro de patrulha e até mesmo comecei a ter chamadas no meu celular.” “Oh, eu sinto muito, Seth,” disse Lauren. “Isso tem que ser uma dor gigante em sua bunda.” “Não estou reclamando, querida. Quero você segura. É apenas a vida em uma cidade pequena, e isso deve fazer você se sentir melhor que muitas pessoas estão preocupadas com você. Também deve fazer você se sentir melhor saber que se algum estranho mostrar sua cara aqui, vamos definitivamente saber sobre ele.” Ela lhe deu um sorriso triste. “Isso é verdade. Joel chegaria em seu carro esporte chamativo e, antes que ele saisse, toda a cidade saberia sobre ele.” Seth riu. “Você está tão certa. Há desvantagens para viver em uma comunidade tão pequena, mas os pontos positivos superam os contras. Temos boas pessoas aqui,” disse ele a sério. “Eu os conheço toda a minha vida. Não gostaria de morar em outro lugar.” “Eu amo isso aqui também,” disse ela melancolicamente. Ela olhou para cima quando o sino sobre a porta da frente badalou, e então se iluminou. “Oh, olhe! Callie e Lily estão aqui!” Antes de Seth poder responder, Lauren correu para cumprimentar as outras duas mulheres. Abraçaram-na assim que ela se aproximou. 137


“Você está aqui para o almoço?” Lauren perguntou a suas amigas. “Eu vejo que o meu marido está aqui,” Lily murmurou. “Merda quando faço uma fuga com Callie, ele tem que estar aqui em vez do trabalho.” “Não olhe agora, mas lá vem ele,” disse Callie com uma risadinha. “Ele tem uma carranca. Você sabe, uma daquelas carrancas de marido em causa.” Lily suspirou. “Nos arranje onde sentar, Lauren. Longe, muito longe de onde Seth está sentado, por favor.” Lauren riu e puxou as duas mulheres na direção oposta, de Seth. Ela acomodou as duas mulheres em uma cabine que só acomodava duas pessoas e de vista para a rua. Era um belo dia ensolarado de primavera e o sol estava brilhando contra um céu azul brilhante. A praça da cidade e a Main Street realmente eram bonitas na primavera. Flores forravam a praça e a rua, e havia uma peculiaridade que falava com saudade de Lauren de um lugar para chamar de lar. “Senhoras,” disse Seth enquanto se aproximava. Ele se inclinou para beijar sua esposa, e então roçou os lábios em todo o rosto de Callie. “Como está se sentindo, querida?” Ele perguntou a Lily suavemente. Ela sorriu para o marido. Por toda a sua exasperação, era óbvio que ela o adorava, e bem, Seth sempre olhava para Lily, como o sol nascia e se punha a seus pés. “Estou bem. Dillon fez o café da manhã mas eu sabia que estava comendo com Callie, então eu não comi muito. Deixei-o na casa resmungando porque eu não iria levá-lo junto, então ele foi para o escritório para fazer algumas coisas de trabalho. Vou voltar para casa com ele quando eu terminar.” Seth assentiu com aprovação. “Ótimo. Você não deve subir e descer a montanha sozinha. Você não está tão longe do bebê nascer.”

138


Lily bufou. “Dois meses, Seth. Acredite em mim quando digo que dois meses é uma eternidade quando você está tão grande como uma casa.” Callie e Lauren riram. “Você já tomou uma pausa, Lauren?” Perguntou Lily. “Você pode sentar-se conosco por alguns minutos?” Lauren olhou para o relógio, em seguida, examinou a multidão. Estava começando a se acalmar um pouco. O povo de Clyde gostava de seu almoço mais cedo, e por isso havia sempre uma corrida inicial, às onze, quando o almoço estava começando a ser servido, mas geralmente as coisas acalmavam pelas onze e trinta. “Deixe-me verificar com Clark e Evie e certificar-me de que há alguém para cobrir as minhas mesas. Estarei de volta.” Seth inclinou para beijar Lily novamente. “Tenho que voltar para a estação. Vejo você mais tarde.” Lily e Callie acenaram para Seth quando Lauren correu para a parte de trás. Ela quase correu para Evie quando entrou na cozinha. “Como as coisas estão aqui?” Ela perguntou Clark. “Obtendo os últimos dois almoços. Por que?” “Estava indo para fazer um intervalo, se estiver bem.” Evie enxotou-a. “Vá em frente e pegue o intervalo. Eu vou verificar suas mesas para todas as reposições. Assim que eu levar esses dois almoços, vou verificar se alguém das suas mesas precisa de algo e vou tomar quaisquer recém-chegados que entrarem.” Lauren deu um sorriso. “Obrigado, Evie. Você é a melhor.” Clark deu-lhe a ambas os sorrisos indulgentes. “Vocês duas são as melhores garçonetes que eu já tive. Não posso impedir-lhe uma pausa. Você merece. Estivemos rebentando a bunda desde o tempo de abertura desta manhã.” 139


“Típica segunda-feira,” disse Evie com um encolher de ombros. Lauren virou-se e correu de volta para onde Lily e Callie estavam. Pegou uma cadeira a partir de uma mesa próxima vazia e colocou no final da cabine das duas. “Então, o que vocês duas estão fazendo aqui hoje? Apenas almoçando? E onde está Mama C?” “Shopping, fazendo compras para o bebê. Ela está bem. Em Denver,” acrescentou Callie. “O que significa que os pais foram com ela, porque eles ainda não vão deixá-la conduzir praticamente em qualquer lugar sozinha. Ela decidiu que precisava equipar um berçário inteiro em sua casa para quando o bebê ficar lá.” Lauren riu. “Eu só posso imaginar.” Lily sorriu. “Ela tem sido tão maravilhosa comigo. Ela já explicou que ela está vindo para ficar comigo por toda a semana depois que o bebê nascer e que eu não vou ter que levantar um único dedo. Ela berrou ordens para os homens. Dillon está de plantão na cozinha. Michael e Seth estão compartilhando as trocas de fraldas e mamadeira quando eu precisar de uma pausa de amamentação.” Lily cresceu olhos enevoados. “Eu não sei o que eu faria sem ela. Ou toda a família Colter. Mesmo os pais ofereceram-se para vir assim Seth, Dillon e Michael poderiam descansar um pouco. Eu não consigo nem explicar o quanto basta saber que eles vão estar lá, quando nós precisarmos deles, significa muito para mim. É como se um peso enorme saisse dos meus ombros.” Callie estendeu a mão para apertar a mão dela. “E você tem a mim e Max, não se esqueça. Nós vamos estar aqui sempre que precisar de nós.” “E eu,” Lauren saltou. Lily sorriu. “Sim, é claro. Você vai ficar aqui no meio de todos nós. É um lugar muito maravilhoso estar, você sabe.” 140


Callie virou um olhar intencional na direção de Lauren. “Ok, então, eu admito plenamente, Lily e eu viemos aqui com um propósito, e também esperamos até Noah e Liam partir antes de virmos, porque queríamos encurralá-la e interrogá-la sem piedade.” “Uh-oh,” Lauren murmurou. Lily riu. “Você tem que nos dizer o que está acontecendo com esses dois. E não nos dê a história banal sobre como eles estão apenas protegendo-a até que as coisas estejam resolvidas com Joel. Porque a maneira como eles olham para você? Faz-me tremer. Há definitivamente mais nessa história do que você está nos contando.” Lauren corou, seu rosto aquecendo sob seu escrutínio. “Eu sabia!” Callie cantou. “Olhe para o rosto dela! Totalmente presa.” Lauren suspirou. “Está bem, está bem. Sim, há algo mais do que apenas uma relação profissional.” “Qual?” Lily disse, saltando sobre o assunto. “Meu dinheiro está em Liam. Ele é tão aspero, temperamental e delicioso. E essas tatuagens. Yum. Ele totalmente me faz lembrar de Dillon.” Callie sacudiu a cabeça. “Estou apostando em Noah. Seu olhar nunca sai dela. Ele está constantemente olhando para ela. Sempre à procura de qualquer tipo de ameaça para ela. Mas quando ele olha diretamente para ela, juro que os olhos do homem apenas ardem. Se você pudesse engarrafar esse olhar? Nós poderíamos fazer milhões. Ele é o sexo em uma lata, estou lhe dizendo.” Lauren começou a rir. “Oh meu Deus, vocês duas estão me matando!” “Então qual é?” Lily exigiu. “Uhm, bem... ambos,” disse ela, baixando a voz para que não houvesse nenhuma possibilidade de ser ouvida. “O quê?” Callie chiou. “Oh meu Deus, você cadela de sorte.” 141


Os olhos de Lily se arregalaram. “Verdade?” Lauren assentiu. “Uau,” Callie respirou. “Juro que sou a única que assumiu um homem.” “Sim, bem, você pode imaginar dois de Max?” Lily apontou. Callie revirou os olhos. “Nem brincando. Eu nunca iria sobreviver. Max é como ter três homens. Ainda assim, há momentos em que olho para você e olho para a mãe e acho que, uau, que deve ser tão incrível ter três homens que absolutamente a cultuam e a adoram. E agora você, Lauren. Você tem dois caras lindos, te segurando e te protegendo a todo momento? O ciúme vai me comer viva.” Lauren corou novamente. “Ainda estamos trabalhando com algumas coisas. Quero dizer isso é completamente novo para nós três. Nenhum de nós tem experiência nisto e estamos tendo que aprender.” “Nenhum de nós tinha experiência com isso também,” disse Lily em tom sério. “Eu sei que parece loucura por causa da maneira como Seth, Michael e Dillon cresceram, mas nunca pensou por um momento que eles teriam o mesmo tipo de relacionamento que seus pais tiveram. Então, quando eles me encontraram, tinham coisas que tivemos de trabalhar para fora e nós definitivamente tinhamos que ter cuidado no início. Nós ainda estamos trabalhando nisso.” “É difícil e estressante?” Perguntou Lauren. Lily sorriu. “Às vezes, pode ser, mas os bons momentos superam os ruins, e eu não posso te dizer o quão maravilhoso é ter o amor e a devoção de três dos homens mais incríveis que já conheci. Sinto que sou a mulher mais sortuda do mundo.” “Eu me sinto dessa forma também,” disse Lauren em voz baixa. “Assusta-me até a morte e ainda assim é emocionante, tudo ao mesmo tempo. Não quero estragar isso e espero que dê certo.” 142


Callie e Lily ambas pegaram em suas mãos. “Você vai fazer muito bem,” disse Callie, sua expressão feroz. “Eles tem sorte de ter você.” Lauren sorriu. “Isso é o que eu mais amo em vocês. Mesmo quando estou errada, você ainda fica do meu lado.” Callie fungou. “Colters nunca estão errados. Basta perguntar a minha mãe.” Todos riram. Evie trouxe os pratos de Lily e Callie, e as duas mulheres começaram a comer. Depois de um momento, Lauren relutantemente levantou, sabendo que ela precisava voltar para suas mesas para Evie não ficar preso cobrindo todo o almoço. “Eu vou ver vocês duas mais tarde, ok?” Callie e Lily ambas acenaram um garfo para ela, e Lauren voltou para sua seção de mesas.

143


Capítulo Dezessete

LAUREN sabia que algo estava errado no momento que Liam e Noah entraram na lanchonete, no final de seu turno. Ela se encontrou com eles a poucos metros dentro da porta, ansiosa enquanto observava suas expressões. “O que há de errado?” Perguntou ela. Liam tocou seu cotovelo. “Você está pronta?” Ela hesitou. “Eu só preciso ir para colocar o meu avental e recolher as gorjetas e bater o relógio.” “Vá em frente e tenha isso feito,” disse Noah. “Vamos esperar por você aqui.” Ela correu para longe, dor apertando no peito. Ela odiava o bater de ansiedade que borbulhava em seu estômago. O que poderia ter acontecido no curto espaço de tempo que eles tinham ido embora? Ela rapidamente desamarrou o avental e jogou-o no gancho atrás da porta da cozinha. Evie já estava na parte de trás contando os totais, quando Lauren se apressou. “Foi um bom dia, Lauren!” Evie exclamou. Lauren tentou sorrir. “Estou indo para bater o relógio, ok? Acho que você vai ter terminaodo, então?” Evie fez uma careta. “Está tudo bem, querida?” Lauren assentiu. “Sim, só preciso ir. Eu, uh, tenho planos. Isso é tudo.”

144


A expressão de Evie aliviou e seus olhos brilharam. “Nada a ver com aqueles dois homens bonitão que estiveram pairando durante todo o dia?” Lauren fingiu que não ouviu quando ela foi bater seu cartão de ponto. Ela deu um adeus a Clark e esperava que Evie tivesse terminado com as gorjetas quando terminou. Evie empurrou uma pilha de notas através do pequeno balcão quando Lauren retornou. “Divirta-se e vou te ver amanhã!” Lauren abriu um grande sorriso e embolsou as notas, nem mesmo se preocupando em contar como normalmente faria. “Vejo você amanhã,” disse ela e saiu da cozinha. Liam e Noah estavam onde tinha os deixado. Ela nem sequer se preocupou sobre a cena que eles estavam causando. Cada pessoa na lanchonete estava olhando fixamente para os dois homens, e mais ainda quando seguiram Lauren para fora da porta para a rua. “O que está acontecendo?” Perguntou ela. “Vamos conversar em seu apartamento,” disse Noah severamente. Eles a ladearam enquanto atravessavam a rua e notaram que seus olhares foram verificando as calçadas em ambos os sentidos, e a empurraram para as escadas para o apartamento dela. Só quando ela abriu a porta e eles estavam lá dentro que pareceram relaxar. Mas mesmo assim ela podia sentir a tensão irradiando em ondas. Noah andava um círculo na pequena sala de estar. Liam só ficou para o lado, com o rosto tão apertado. “Você está me assustando,” disse ela. Noah imediatamente parou de andar e, em seguida, puxou-a para um abraço feroz. “Eu sinto muito. Sente-se e vamos conversar.”

145


Ele guiou-a para o sofá e, em seguida, sentou-se ao lado dela. Liam agachou-se na poltrona, mas sua expressão não havia diminuído. Noah passou a mão pelo cabelo dele. “Nós fizemos algumas chamadas hoje. Só estou tentando checar discretamente algumas informações. Temos que ter cuidado com que nós confiamos por causa do que você disse sobre Joel ter pessoas em sua folha de pagamento.” Ela assentiu. “A coisa é, tudo o que descobrimos sobre Joel e que você... nos enganou no começo foi porque nós conversamos com uma mulher que estou supondo que é uma de suas meninas.” “Ela sabia sobre mim?”Lauren sussurrou. “Ela sabia o suficiente sobre você e Joel. Ela identificou sua foto e disse-nos quem era Joel. Mas ela se calou depois disso. Não queria ter nada a ver com a gente. Foi quando nós viemos aqui para confrontá-la com o que tinhamos descoberto.” “Então o que está errado agora?” Ela perguntou com uma careta. “Eu não entendo. Será que ele sabe onde estou?” “Ela está morta,” disse Liam sem rodeios. Todo o sangue sumiu do rosto de Lauren, e ela balançou. Ao seu lado, Noah amaldiçoou e colocou seu braço ao redor dela para firmá-la. “Droga, Liam,” Noah resmungou. “O que aconteceu com ela?” Lauren sussurrou. “Eu falei com um amigo nosso que é um detetive de NYPD. Corremos um risco, mas nós sentimos que ele é confiável. No decorrer da nossa conversa, ele nos informou que esta mulher foi encontrada morta em seu apartamento. Alguém a espancou até a morte. Não foi bonito. Hora da morte é um dia depois que falamos com ela em seu apartamento.” “Oh Deus,” Lauren gemeu. Ela colocou o rosto entre as mãos, as palavras de Noah ecoando mais e mais em sua mente. 146


“Isso não significa que ele sabe onde você está,” disse Liam. “O que significa, porém, é que ele provavelmente sabe que estávamos fazendo perguntas sobre você e Joel Knight.” “Ela morreu por minha causa,” disse Lauren friamente. “Besteira,” Liam mordeu fora. Ela balançou a cabeça. “Você não entende. Eu poderia ter evitado isso. Isso nunca deveria ter acontecido.” Noah levou as mãos em seus ombros e a virou para encará-lo. Sua expressão era dura e focada. “Como foi sua culpa, Lauren? Existe algo que você não está nos dizendo? Agora não é o momento de estar escondendo nada. Se você tem informação, então precisamos saber sobre isso.” Ela sacudiu fora suas mãos e se levantou. “Por favor. Me deixe em paz por um minuto. Deus, eu preciso pensar.” Sem esperar por uma resposta, ela fugiu da sala de estar em seu quarto. Ela fechou a porta e se apoiou pesadamente contra isso, seu coração batendo como o rugido de um trem de carga. Então ela voou para a cama e levantou o colchão, atingindo a mão freneticamente debaixo dela, pegando o cartão de memória pequeno que tinha colado na parte inferior. Ela rasgou a proteção aberta. O chip de plástico caindo em sua mão e ela com voz trêmula olhou para isso na palma da mão. Oh Deus. Isto foi culpa dela. Aquela mulher tinha morrido porque Lauren não tinha tido a coragem de fazer o que deveria ter feito. Quantas outras mulheres tinham sofrido por causa de Lauren só querer fugir e esquecer que Joel Knight jamais existiu? E como egoísta isso fazia-lhe que estava tão envolvida em sua própria sobrevivência, que não tinha dado um único pensamento para as mulheres que poderia ter protegido e salvo?

147


Pobre Lauren. Tão indefesa e ingênua. Tão maldita idiota. Desta vez ela não iria sacudir a culpa e dizer a si mesma que tinha cometido erros e que todo mundo fazia. Ela não podia dizer que tudo ficaria bem se só tinha um novo começo e poderia esquecer seu passado. Seu passado estava lá. Imutável. Não importava o quanto poderia querer de forma diferente. E isso estava afetando a vida dos outros. Sua própria. As mulheres que Joel usou e abusou. Assassinou... Repulsa a agarrou. Ela poderia ter evitado isso se só estuvesse disposto a se levantar e fazer a coisa certa. Sua família teria vergonha dela? Os Colters eram todos sobre fazer a coisa certa. Levantando-se contra a injustiça. Tinham lhe oferecido apoio incondicional, mas o que tinha ela oferecido, exceto mentiras e enganos? O que ela tinha oferecido as mulheres que deixou ser abusada e ter maus-tratos por Joel? Como poderia olhar nos olhos de novo? Ela olhou novamente para o cartão de memoria na mão e fechou os dedos, segurando o cartão de plástico até cortar sua palma. Era hora de começar a ter a cabeça maldita fora da areia. Joel não estava indo embora. Ele não ia parar o que estava fazendo, até que alguém se levantasse e o levasse para baixo. Não importava o quão apavorada ela estava ou como envergonhada, era hora de estar disposta a levá-lo à justiça. Mesmo que isso significasse arriscar sua própria vida para fazê-lo. Como poderia seguir em frente com Liam e Noah, ou mergulhar na família Colter e cercar-se com o seu apoio e o apoio de seu irmão, se sabia que era à custa de tantas outras mulheres? Não havia futuro para ela até que colocasse seu passado para descansar. E não havia nenhuma maneira de colocar o seu passado para trás até que enfrentasse seus demônios e teve a coragem de fazer o que ela precisava fazer. O que tinha que fazer. 148


Capítulo Dezoito

LIAM olhou para a porta fechada de Lauren, preocupação roendo um buraco em seu intestino. Olhou para Noah para ver que a expressão de seu amigo não era melhor. “Que diabos foi isso?” Liam perguntou em voz baixa. Noah soltou a respiração. “Ela está escondendo alguma coisa. Ela não nos contou tudo.” “Maldição.” Ele respirou fundo. “Ela não confia em nós ainda.” Noah lhe lançou um olhar descontente. “Você espera isso dela muito rapidamente? Pode não ser tanto uma questão de confiança, pois pode ser algo grande. Algo que a assusta. Olhe sobre sua perspectiva. Nós despencamos de volta em sua vida, você mentiu para nós, e 'oh, a propósito, queremos um relacionamento com você.' É uma responsabilidade muito grande em um curto período de tempo.” “Sim, eu entendo,” Liam murmurou. “Que merda é que vamos fazer agora?” Antes de Noah poder responder, a porta do quarto se abriu e Lauren saiu, seu rosto com marcas de choro. Havia um olhar em seus olhos que Liam não gostou. Não conseguia nem saber sobre o que era exatamente, mas a mulher que fugiu para o quarto não era a mulher saindo agora. E isso o assustava. “Lauren?” Ele começou hesitante. Inferno, estava em uma perda para palavras. Não era uma coisa que geralmente sofria. Seu olhar deslizou para ele, e ele foi pego de surpresa pela dor em seus olhos. Pior do que a dor era o medo que refletia naqueles olhos castanhos. 149


Ela estava morrendo de medo. “Tenho que voltar para Nova York,” disse ela, com uma voz calma, sem emoção. Noah concluiu: que porra é essa? Ele olhava igualmente a reação de Liam. “Ei, espere um minuto,” disse Liam. “Precisamos conversar, bebê. Diga-nos o que está acontecendo.” Ela respirou fundo, endireitou os ombros e, em seguida, olhou para Noah, depois de volta para Liam novamente. “Tenho que voltar. Imediatamente.” Noah finalmente encontrou sua língua. “Diga-nos por que,” disse ele sem rodeios. Seus lábios tremeram, e era evidente que ela estava se agarrando a sua compostura pelo para não cair. Uma mão estava em punhos em uma bola apertada ao seu lado e a outra estava tremendo, seus dedos trêmulos, mesmo quando ela tentou pressioná-la para sua perna. “Tenho que ir à polícia,” disse ela em voz baixa. “Sei que ele tem policiais em sua folha de pagamento, mas tenho que tentar. Não posso mais ficar aqui sem fazer nada. Alguém tem que pará-lo.” Liam não aguentou mais. Atravessou a sala e gentilmente segurou os ombros de Lauren. “Vem sentar-se. Por favor? Vamos conversar. Diga-nos por que precisa ir para a polícia e nós vamos descobrir isso juntos, ok?” Por um momento, pensou que ela diria algo, mas então suspirou e o deixou levá-la para o sofá. Noah ficou parado pela mesa de café, suas sobrancelhas desenhadas juntas em confusão e preocupação enquanto Liam sentava Lauren e, em seguida, sentava ao lado dela. “O que diabos está acontecendo, Lauren?” Perguntou Noah. Seu punho que estava em seu colo fechou, e, lentamente, abriu-o até Liam poder ver um cartão de memória de computador na mão. 150


“Eu levei isso dele,” disse ela em um sussurro. “Ou melhor, copiei as informações de seu laptop antes de sair.” Oh merda. Liam olhou para Noah para ver o mesmo medo sombrio nos olhos do amigo. Isso não parecia bom. Não era bom em tudo. Noah empurrou a mesa de café fora do caminho e se ajoelhou na frente de Lauren. Ele não tentou tirar o cartão de moemória da sua mão, mas ele a levou para a outra e esfregou-a entre as palmas das mãos. “Que tipo de informação?” Perguntou Noah. “Contatos. Registros. Negócios e registros financeiros. Entradas detalhadas de suas listas de clientes. Quando e onde se encontraram com as meninas. Lembre-se de toda a polêmica sobre o caso de alto perfil da madame há vários anos? Esta é basicamente a mesma coisa, só que comprova que Joel é o cafetão, que ele é. E ele tem alguns clientes de grande nome. Políticos. Médicos. Advogados. Pessoas famosas. Ele corre um grande tráfico de negócio... mulheres.” Ela quase engasgou com a última palavra e isso terminou em um soluço quieto. “Mulheres como a que ele matou por falar com você sobre mim.” “Agora, bebê, não podemos provar isso,” Liam começou. Ela balançou a cabeça. “Você e eu sabemos que é exatamente por isso que ela morreu. Não é uma coincidência que no dia seguinte que ela falou com você é espancada até a morte. Você sabe disso e eu sei disso. Não vamos tentar torná-lo o que não é. O simples fato é que, se eu tivesse ido à polícia com esta informação em vez de correr como um coelho assustado, essa mulher estaria viva.” Liam engoliu em seco. Isto estava indo para o sul rápido, e ele não tinha ideia de como trazer as coisas de volta nos trilhos.

151


“Por que você não nos contou isso antes?” Perguntou Noah. “Entendo por que você não fez, quando estávamos em Nova York. Mas por que não nos dizer quando chegamos aqui? Quando descobrimos a verdade sobre Joel?” Ela levantou a cabeça, seu olhar tão monótono e cheio de auto-condenação que fez Liam doer. “Porque tinha medo de que você iria querer fazer a coisa certa, e eu era muito egoísta e com medo de fazer isso sozinha. Tinha essa esperança de que eu pudesse seguir em frente com a minha vida, fingir que Joel nunca existiu e continuar a viver em negação. Se eu não pensasse sobre o que ele fez ou as outras mulheres que está machucado, então ele não era real.” “Então por que você tomou o tempo e o risco de copiar esta informação se você nunca teve a intenção de fazer qualquer coisa com isso?” Perguntou Liam. “Se ele descobre, maldição, que você tem alguma coisa dele, você tem que saber que ele vai vir atrás de você.” “Porque eu não estava pensando!” Ela explodiu. “Estava em pânico completo. Queria ficar o mais longe possível dele, mas ao mesmo tempo queria uma apólice de seguro. Parece tão estúpido agora, mas na época só estava pensando nisso, se ele tentasse vir atrás de mim, se tentasse me encontrar, eu poderia retirar meu trunfo e chantageá-lo para sair da minha vida para sempre.” Noah suspirou. “Não é assim que funciona, querida. Homens como Joel, não fazem acordos quando sabem que alguém tem provas incriminatórias. Se o que você diz desse disco, que poderia derrubar toda a sua rede e colocá-lo atrás das grades por um tempo muito longo. Para não mencionar as pessoas implicadas na sua rede de prostituição. Eu não acho que você percebe o quão profundo são as ramificações para isso. Se ele matou uma mulher por conversar com alguém, o que acha que ele faria com alguém que o ameaçasse pelo que ele trabalhou tanto para construir?”

152


Ela ficou completamente pálida. Liam não poderia mesmo repreender Noah por ser tão brusco, porque era o que Lauren precisava ouvir. Odiava ver o medo em seus olhos, mas precisava dela para ter medo e estar ciente no que se meteu. “Não posso fingir mais,” disse ela com voz rouca. “Não posso fingir que nunca tive essa informação. Se tivesse feito a coisa certa, essa mulher ainda estaria viva. Quem sabe quem mais poderia ainda estar vivo. Quem vai dizer que ele não matou outras mulheres? Ou que não fez para outras mulheres o que fez para mim?” Ela virou-se para incluir Liam em seu discurso apaixonado. “Não posso me olhar no espelho por mais tempo conhecendo os erros que cometi e as chances que tive para corrigi-las. Não gosto dessa pessoa. Não gosto no que me tornei. Sou alguém que mentiu para sua família e para os homens contratados para protegê-la. Sou alguém que tem informações que poderia derrubar um homem que merece estar atrás das grades, mas foi covarde demais para entregá-lo à polícia. Sou alguém que nem sequer reconhece mais,” disse ela dolorosamente. “E se não gostar de mim mesmo, como posso esperar que qualquer um de vocês me ame?” Liam chegou para ela, puxando-a em seus braços. “Você cometeu erros, bebê. Você estava desesperada, assustada e sozinha.” Ela afastou-se, com uma expressão feroz. “Mas eu não estou mais sozinha. Tenho uma família que me ama. Tenho você e Noah, se vocês ainda conseguem ficar perto de mim. É hora que eu faça alguma coisa além de me esconder e agir como uma vítima indefesa.” A expressão de Noah cresceu feroz. “Isso é besteira. Você muito bem sabe que nós estamos presos um ao outro. Nós não estamos indo a lugar algum, e com certeza não estamos com raiva de você por fazer o que pensou que era necessário para garantir a sua segurança e bem-estar.” “Então vocês vão me ajudar?” 153


Seus olhos estavam esperançosos enquanto olhava suplicante para eles. “Ajudá-la a fazer o que, bebê?” Liam perguntou suavemente. “Vão comigo para Nova York para entregar o cartão de memória para a polícia.” Liam e Noah ambos ficaram em silêncio. A mente de Liam estava zumbindo como uma motosserra. Isto era enorme. Sem mencionar perigoso. A vida de Lauren não valeria a pena uma merda no minuto em entregasse as evidências sobre Joel Knight. “Não é tão simples assim,” Noah começou. Ela franziu o cenho. “Por que não? Se eu der-lhes o cartão, vai haver alguma pergunta sobre o que Joel está envolvido. Eles vão prendê-lo e levá-lo a julgamento.” “Você tem que lembrar que ele tem pessoas em sua folha de pagamento,” disse Liam com cuidado. “Nós não podemos simplesmente entrar na delegacia e anunciar que temos evidências implicando Joel Knight e várias outras pessoas importantes.” “Então, o que podemos fazer?” Ela perguntou em frustração. “Eu não posso virar as costas novamente. Ele tem de ser parado.” “A primeira coisa que precisamos fazer é dar uma olhada no que tem o cartão ,” disse Liam. “Precisamos fazer uma lista de todas as pessoas mencionadas. Descobrir com o que estamos lidando. Você tem que entender que qualquer um listado como um cliente vai percorrer um longo caminho para se certificar de que a informação nunca venha à luz. Uma vez que vemos o que está lá, então nós temos que decidir quem nós pensamos que podemos confiar. Não há nenhuma maneira no inferno que estou permitindo que você vá para Nova York e coloque a sua vida nas mãos de qualquer um.” “Mas você vai me ajudar?” Ela perguntou, esperançosa. Noah tocou seu rosto. “Você não pensa seriamente que vamos deixar você fazer isso sozinha, não é?” Ela não respondeu, e Noah soltou uma maldição. 154


Liam pegou sua mão e apertou. “O que ele está tentando dizer é que você pertence a nós, Lauren. E nós não vamos fazer qualquer coisa que a coloque em perigo. Vamos dar uma olhada no cartão e depois vamos começar. Nós vamos encontrar uma maneira de fazer isso com o mínimo de risco para você.” Uma lágrima rolou pelo seu rosto seguido por outra e depois outra. Ela rapidamente enxugou apenas para virem mais. Era como se o último segredo que ela tão desesperadamente guardava finalmente estava liberto, e um enorme peso tinha sido tirado. “Você tem um computador?” Perguntou Noah. Ela balançou a cabeça. “E quanto a Seth? Eles são os que vivem mais próximo à cidade, certo?” Ela assentiu, ainda enxugando as lágrimas rolando pelo rosto. “Você pode ligar para ele e perguntar se podemos ir usar o seu computador?” Perguntou Liam. “Sim,” ela disse em uma voz calma. “Tenho certeza de que ele não se importaria.” “Seth precisa saber de qualquer maneira,” disse Noah severamente. “Ele vai ser capaz de oferecer algumas ideias a partir de uma perspectiva da polícia.” Lauren baixou a cabeça, fechando os olhos. “Eles são a sua família, bebê,” disse Liam. “Você sempre nos disse o quão maravilhoso são os Colters. Eles não vão te julgar. Eles só vão querer você a salvo.” “Eu os decepcionei,” disse ela em voz baixa. Noah pegou a mão dela, apertando-a como Liam tinha feito. “Então, é hora de fazer as pazes com você mesmo.”

155


Capítulo Dezenove

O caminho para a casa de Seth que compartilhava com seus dois irmãos e Lily foi em silêncio, exceto quando Lauren lhe dava instruções para onde virar, uma vez que saiu da cidade. Crepúsculo já havia descido quando puxou ao lado dos veículos estacionados na frente da casa. As luzes da varanda estavam acesas, e Seth apareceu na porta quando eles saíram do veículo. A preocupação refletia em seu rosto, enquanto observava-os aproximar. Pavor afundo no fundo do estômago de Lauren porque sabia que antes que fosse com mais, toda a gente deveria saber. Max. Os Colters. E todos eles saberiam que covarde egoísta que ela tinha sido. Ela não conseguiu encontrar o olhar de Seth quando pararam na varanda. “O que está acontecendo?” Seth perguntou em voz baixa. “Precisamos de acesso a um computador,” disse Noah. “E, dependendo do que encontrarmos no cartão de memória que trouxemos, vamos precisar discutir nossas opções com você.” Seth virou-se para Lauren. “Por que você não entra e vai com Lily. Não quero que ela se chateie. Prefiro que ela acredite que esta é uma visita social e que Noah e Liam precisam do computador para o trabalho.” “Eu não vou dizer nada para ela,” disse Lauren, em voz baixa. Ela passou por Seth, mas ele a segurou pelo braço. 156


“Eu nunca pensei que você faria qualquer coisa para aborrecê-la intencionalmente, querida. Mas o olhar em seu rosto diz muito agora. Ela vai dar uma olhada em você e saber que tem algo errado imediatamente.” Lauren acenou com compreensão. Era difícil fingir que nada estava errado quando sabia que ela era responsável pela morte de uma mulher. Mais do que tudo, queria Holly Colter. Ela era a coisa mais próxima que Lauren tinha de uma mãe desde que sua própria tinha morrido. E agora, realmente precisava de uma mãe. Seth a soltou e ela entrou na sala de estar, quase colidindo com Michael Colter. “Olá,” disse Michael, com uma risada. Lauren forçou um sorriso e fez um esforço para não mostrar exteriormente sua devastação interna. “Onde está Lily?” “Ela está lá dentro. Está tudo bem?” Lauren assentiu. “Sim. Noah e Liam tinham algumas coisas de trabalho e eu não tinha um computador então Seth se ofereceu para deixá-los usar o seu.” Na sugestão, os homens entraram na sala de estar. Dillon saiu da cozinha e imediatamente deu um beijo no topo da cabeça de Lauren. “Hei garota. Como você está indo?” Ela manteve o sorriso em seu rosto até que doeu. “Estou bem.” “Quando você vai deixar a lanchonete e vir trabalhar para mim?” Era uma piada entre ela e Dillon. Ele havia ficado mortalmente ofendido que ela não tinha ido a ele por um emprego, mas ela queria encontrar trabalho por conta própria e gostava da lanchonete. Enquanto Dillon operava um grande bar e churrascaria, a cena do bar não era realmente sua coisa. Ela gostava da tranquilidade da lanchonete e conhecer os moradores que vinham regularmente. “Quando você comprar a lanchonete,” disse ela com um sorriso genuíno. 157


Ele riu. “Você nunca sabe. Ainda posso adicioná-lo à minha lista crescente de imóveis.” Dillon Colter possuía vários negócios em Clyde, incluindo a loja de artigos esportivos que já pertenceu a um homem que Lauren só conhecia como Riley. Ele se aposentou há algum tempo e tinha vendido a empresa a Dillon. Lily entrou na sala de estar, sua barriga olhando firmemente como uma bola de praia. Ela sorriu quando viu Lauren e se aproximou para abraçá-la. “Você já comeu?” Perguntou Lily. Lauren piscou. Ela não tinha. Ainda não tinha pensado sobre isso. “Não, ela não tem,” disse Liam sem rodeios. “Ela provavelmente está morrendo de fome.” Lauren quase gemeu. Tanto para a sutileza. Lily agarrou a mão de Lauren e arrastou-a para a cozinha. “Dillon fez o prato de massa mais impressionante. Eu já comi, mas juro que estou com fome de novo. Vou fazer um prato também.” Então ela olhou por cima do ombro para onde Noah e Liam estavam. “Vocês gostariam de algo para comer?” Ambos os homens balançaram a cabeça. Lily deu de ombros. “Mais para nós,” disse ela com um sorriso na direção de Lauren. Noah observou quando as mulheres desapareceram na cozinha, e então foi imediatamente encurralado por três grandes homens que, obviamente, tinham perguntas. “Lauren está em perigo?” Dillon perguntou sem rodeios. “Muito provavelmente, sim,” disse Liam tão bruscamente. Seth resmungou. “O que aconteceu? Tem aquele bastardo mostrado sua cara aqui?” Noah levantou a mão. “Olha. Realmente preciso desse computador. Lauren tem um cartão de memória com informações que ela diz que copiou do computador de Joel Knight. Se o 158


que diz sobre este cartão é realmente sobre ele, nós abrimos uma grande lata de vermes. Mas primeiro preciso ver exatamente o que está aqui, e depois podemos discutir o que diabos vamos fazer com isso.” “Merda,” Michael murmurou. “Isso não parece bom em tudo.” “Vou pegar o laptop,” disse Dillon quando se virou para ir embora. “Como isso é sério olhando?” Seth perguntou em voz baixa após Dillon haver deixado a sala. “Muito,” disse Liam em breve. “Lauren está devastada. A mulher que Noah e eu questionamos, que nos levou a Joel Knight, foi encontrada morta em seu apartamento. Ela foi espancada até a morte um dia depois que falamos com ela. Lauren está aceitando isso muito difícil. Ela culpa a si mesma.” “Filho de uma cadela,” Seth mordeu fora. “Sim,” disse Noah. “Nós não sabiamos sobre o cartão de memória. Outra surpresa, e não uma boa. Ela está decidida a voltar para Nova York, com as provas que tem para que possa colocar Joel na cadeia, e se culpa por não ter a coragem de fazê-lo antes. Sente-se culpada por ter fugido e ter se escondido atrás de seu irmão e sua família. Ela se sente como se tivesse deixado a todos para baixo.” “Isso é besteira,” disse Michael, com o rosto desenhado em raiva. “Eu quero sacudi-la,” disse Liam. “Estou chateado que ela manteve algo tão pesado de nós. Ou até mesmo você. Alguém precisava saber. Estou chateado que ela se culpa. Estou chateado que ela está assumindo a responsabilidade por tudo que o bastardo tem feito.” Dillon tinha voltado para a parte final da conversa e fez uma careta abertamente em Liam. “Você não a machucaria, não é?” A testa de Liam se uniu em uma nuvem de raiva. “Que merda é essa? Você acha que eu iria machucá-la? Acha que eu faria qualquer coisa para deixá-la com medo de mim?” 159


Seth levantou as mãos. “Chega. Eu não quero que Lily ou Lauren nos ouçam. Dillon, você não ouviu toda a história e não temos tempo para repeti-la. Noah e Liam estão protegendo os interesses de Lauren.” “Ela é o nosso maior interesse,” disse Noah categoricamente. Deixando-os fazer o que queriam dessa afirmação. Reclamaria o direito agora de modo que quando a merda batesse no ventilador, não haveria maneira dos Colters ou seu irmão estar entrando e tomando conta. Sobre o seu cadáver que ele e Liam simplesmente se afastariam. A sobrancelha de Michael subiu enquanto olhava entre os dois homens. “Eu suponho que vindo de mim, surpresa seria hipócrisia.” Liam bufou. “Sim, você poderia dizer isso.” Dillon não estava pronto para desistir, no entanto. “Ou de fazer qualquer coisa para tirar proveito dela ou magoá-la, e vou fazer você muito triste.” “Não vou brigar com você sobre Lauren, a menos que você faça algo para interferir na nossa relação ou a sua segurança,” disse Noah com calma. “Nós dois queremos a mesma coisa. O que é melhor para Lauren. E queremos ela fora de perigo.” Dillon relaxou. “Parece que estamos na mesma página, agora. Nós nos preocupamos muito com ela. Ela é como uma irmã mais nova para nós. Quando chegou aqui a partir de Nova York, ela... Bem, ela era uma mulher diferente.” “Nós sabemos,” disse Liam em voz baixa. “Nós estávamos lá apenas alguns dias depois que o bastardo bateu nela. Tivemos que intimidá-la para levá-la para comer, e ela não podia suportar a visão de nós por um longo tempo.” “Vamos para o escritório,” disse Seth quando Dillon ergueu o laptop. “Eu não sei por quanto tempo as meninas vão ficar entretidas, mas prefiro não rodar isso na frente delas. Além

160


que isso só iria fazer Lauren e Lily preocupadas, e nós estamos tentando ter certeza de que ela não tenham absolutamente nenhum estresse durante a gravidez.” “Entendo,” disse Noah. “Sinto muito que tínhamos de incomodá-lo. Se não fosse tão importante, teria esperado, mas isto é potencialmente explosivo e não quero ser pego de surpresa quando se trata da segurança de Lauren.” “Eu ficaria chateado se você não tivesse vindo para mim,” disse Seth. Ele acenou para um escritório ao lado da sala de estar. A sala cheirava a cedro. Cedro fresco. O quarto parecia novinho para o resto da casa. “Isso é uma adição?” Perguntou Noah. Dillon concordou. “Nós adicionamos um pouco, desde que Lily veio até nós.” Sua expressão suavizou enquanto falava de sua esposa. Noah duvidava que ele mesmo percebeu isso. “Quartos extras. Demos espaço a Lily para sua pintura e nós adicionamos este escritório que todos nós usamos. Michael dirige uma clínica veterinária, eu comando várias empresas, e Seth precisa de espaço em casa para trabalhar bem.” Seth fez sinal para Noah tomar o assento atrás da escrivaninha. Ele colocou o laptop para baixo e abriu enquanto Noah manobrava seu caminho atrás da mesa. Quando colocou o cartão, Liam abriu caminho para olhar por cima do ombro de Noah. Quando abriu a unidade para o disco, ele clicou no arquivo que só estava nomeado por uma data. A data que Lauren deixou Joel e chamou seu irmão para obter ajuda. Uma vez lá, havia vários arquivos diferentes, e clicou no primeiro, que era uma folha de cálculo. Ele rapidamente digitalizou sobre isso, observando as categorias. Era extremamente detalhado com o nome do cliente, suas preferências sexuais, tudo, até torções específicas. Benefícios Adicionais foram coletados para cada cliente. Os preços eram diferentes dependendo de qual cliente era, e as taxas variaram de hora em hora para fins de semana inteiros.

161


Havia uma lista de suas “meninas”, mas não se pareciam como nomes reais. Cada cliente tinha uma lista detalhada das meninas do passado com notas que classificava cada mulher em seu desempenho. Nojo cozinhou no intestino de Noah. O bastardo tinha basicamente feito um acompanhamento cada vez que uma das mulheres atendia um cliente. Havia marcas de quando uma das meninas era “disciplinada” por não satisfazer o cliente corretamente, e Noah só podia imaginar o que implicava o castigo. Uma vez que tinha passado o espanto inicial de quão detalhada a informação era, ele se concentrou sobre os nomes dos clientes. “Santa merda,” ele murmurou. “O quê?” Seth exigiu. “Você está vendo o que estou vendo?” Liam perguntou, incrédulo. “O quê?” Dillon e Michael ambos morderam fora. “Duvido que os nomes significaria algo para você,” explicou Noah. “Bem, alguns deles faria. Existem algumas celebridades listadas. Estrelas de cinema, atletas profissionais, artistas.” “Onde?” Dillon perguntou, empurrando para que ele pudesse ver a tela. Noah apontou para vários nomes bem conhecidos. “Vou ser condenado,” Dillon murmurou. “Esses são os clientes do idiota? Homens que usam as mulheres para o sexo?” “As mulheres que pagam para fazer sexo,” disse Liam severamente. “Ainda que eu duvide que as mulheres embolsassem o que Knight cobrava. Suas taxas são exorbitantes.” “Estou mais interessado nesses nomes,” disse Noah, tocando no topo da tela. “Esse é um juiz.” Ele largou o dedo para baixo, duas linhas. “Esse é um assessor do prefeito. Este é um senador do estado de Nova York. E este é o que mais me preocupa. Este é o comissário de polícia. Lauren disse que ele tinha vários policiais em sua folha de pagamento. É 162


mais provável que ele tenha algum material de chantagem, e eles fazem ter a maldita certeza que nada toca Knight, porque se ele vai para baixo, leva todos com ele.” “Foda-se.” O palavrão explodiu de Liam enquanto estava eriçado de raiva ao lado de Noah. “Isso soa grande,” Michael murmurou. “Sim, é enorme,” disse Seth severamente. Noah abriu outro dos arquivos, e havia uma lista das mulheres na folha de pagamento de Knight. Os nomes verdadeiros, números de segurança social, endereços, números de telefone e informações de fundo. O que atraiu e alarmou Noah foi que havia uma lista de membros da família, amigos e até mesmo vizinhos. Informações detalhadas sobre a vida pessoal das mulheres, onde gostava ir de férias, sair, os salões de beleza que usavam. Ficou claro que Knight mantinha suas mulheres firmemente sob seu polegar e que, uma vez que passava a trabalhar para ele, não havia como escapar. Quando estudou mais de perto, sua boca abriu. Havia anotações ao lado de alguns dos nomes das mulheres que soou sinistro. Situação cuidado. Já não representa um problema para a organização. Fui para a polícia. Ameaça eliminada. Noah virou-se para Seth. “Existe alguma maneira que você pode discretamente executar esses nomes e detalhes das mulheres com estas notações e ver se elas ainda estão vivas? E se não estiverem, descobrir data da morte e as circunstâncias? Com certeza parece-me que ele fez anotações sobre as mulheres que ele matou ou mataram.” A expressão de Seth era sombria. “Sim, imprimia isso para mim. Eu vou fazer o que posso.” 163


Dillon sentou na borda da mesa, em ângulo para que pudesse ver Noah e Liam. “O que isso ajuda com a segurança de Lauren?” “Maldita certeza não ajuda,” Liam rosnou. “Ela quer ir para Nova York e entregar o cartão de memória. Quer pregar a bunda de Joel Knight para a parede,” disse Noah. “Merda,” Seth jurou. “Ela levou a morte de Suki muito difícil,” continuou Noah. “Suki?” Michael perguntou. “Ela é a mulher que Liam e eu conversamos e que foi espancada até a morte no dia seguinte,” Noah respondeu. “Lauren se culpa. Disse que se tivesse ido para a polícia quando deixou Joel em vez de correr aqui para se esconder, Suki estaria viva.” “Isso é loucura,” Dillon mordeu fora. “Ela provavelmente estaria morta. Ele teria encontrado ela antes que Max chegasse lá.” “Exatamente,” disse Liam. “Mas colocou em sua cabeça que ela é a culpa e quer regularizar a situação, indo para Nova York e entregar o cartão para as autoridades.” Seth esfregou a mão no cabelo dele. “Será que Max sabe sobre isso?” Noah balançou a cabeça. “Nós viemos direto para cá. Queria ver o que estava no cartão antes de fazer quaisquer decisões no que diz respeito a Lauren.” “Ele vai ficar chateado,” disse Michael. Liam nivelou um olhar para Seth. “O que você acha, Seth? Quais são as nossas opções aqui? Temos que ter cuidado com quem nós confiamos. Nós não podemos simplesmente ignorar o problema. Isso não vai ir embora. E no minuto em que relaxarmos a guarda, é quando o desgraçado vai aparecer. Todos nós sabemos que ele tem alguém olhando para Lauren agora. É óbvio, olhando para seus registros que não têm a amabilidade pelas mulheres o deixando. Eu

164


só posso imaginar como pessoalmente aceitou que uma mulher que considerava sua posse o abandonou.” Seth assentiu seus lábios desenhados em uma linha sombria. “Eu concordo. De tudo o que você me falou sobre ele e pelo que Max disse, estou inclinado a concordar que ele não vai simplesmente esquecer Lauren e seguir em frente. O que significa que você sempre tem que estar olhando por cima do ombro, a menos que algo seja feito para pará-lo.” “Acho que devemos contactar o promotor público e marcar um encontro,” disse Noah. “Em nossos termos. Nós daremos o nome do lugar e nos prepararmos para o pior cenário, que o promotor esteja e o encontro é uma forma de matar Lauren. Teremos que ter a maldita certeza que ela está protegida antes de deixá-lo falar com ela. E em nenhum momento vamos dar-lhe todos os detalhes sobre onde Lauren está agora ou dar-lhe qualquer um dos nomes de sua família.” “Max não seria difícil de rastrear,” Dillon apontou. “Se alguém faz alguma verificação, eles vão descobrir sobre Max e vão vir aqui procurando por ela.” Seth balançou a cabeça. “Não, isso não é verdade. Max é um bastardo cauteloso. Eu fiz alguns testes em cima dele quando toda essa merda estava indo para baixo entre ele e Callie. Tudo o que fui capaz de descobrir sobre ele era a sua ligação com o negócio que possuía. Aparentemente, sempre foi grande em privacidade, porque a única ligação era para a empresa, e a sede lista um endereço em Nova York. Duvido que mudou depois que ele casou com Callie. Ele é muito protetor com ela, e é um filho da mãe rico. Ele não gostaria de correr qualquer risco tendo em vista que ela é um espírito livre, assim, colocá-la sob sete chaves não funcionaria exatamente.” “Ok, bem, isso é uma coisa boa,” disse Liam. “Ninguém, exceto Max e sua família sabem que ela está aqui ou que veio de Nova York. Assumo que só sei que ela é irmã de Max e não muito mais.” 165


Seth assentiu. “Exatamente. Não acho que você deve levá-la em qualquer lugar perto de Nova York.” Noah fez uma careta. “Claro que não. Se o promotor estiver interessado em falar com ela, vai ter que nos encontrar em algum lugar que não esteja ligado a aqui ou Nova York.” “Tenho certeza de que Max iria voar para fora em seu jato,” disse Seth. “Sem rastro de registro de voo. Sem passagens. Não há forma de segui-lo de volta aqui. Já Lauren ou tinge o cabelo ou usa uma peruca. Alterar sua aparência, tanto quanto possível para a reunião.” “Gosto da maneira que você pensa,” disse Liam. “E não acho que você deve ir sozinho,” Seth acrescentou calmamente. Noah ergueu a sobrancelha novamente. “Como assim?” “Acho que alguns de nós deve ir com você como auxílio.” Liam enviou Noah um olhar preocupado. A última coisa que queria era envolver os Colters. Mas ele também reconheceu que ele e Noah eram apenas duas pessoas, e enquanto eles arriscariam suas vidas para proteger Lauren, se morressem não poderiam protegê-la? “Eu não sei...” Noah disse. “Seth e eu podemos ir,” disse Dillon firmemente. “Michael pode ficar com Lily. Podemos falar com os pais. Max vai ter que saber. Nós realmente precisamos deixar todo mundo sobre aviso do que está acontecendo para que possamos planejar o encontro de Lauren com o promotor, mas também certificar de que a mãe, Callie e Lily não são deixadas desprotegidas aqui.” “Isso vai devastar Lauren ainda mais,” disse Liam. “Ela olha para você e seus pais como sua família. Ela ama todos vocês e se sente como se deixasse vocês para baixo e que não é digna do apoio incondicional que oferecem a ela. Ela vai odiar que tudo vai sair desta forma.” “Mamãe vai cuidar dela,” disse Michael, confiante. “O importante é contar a família e decidir o que é melhor para Lauren.” 166


Seth acenou em acordo. “Lauren é da família. Não há nenhuma maneira no inferno que nós apenas estamos indo para ficar de lado sobre este assunto. Sem ofensa para você e Noah. Tenho certeza de que são muito bons em seu trabalho, e é óbvio que se importam muito sobre ela.” “Sem ofensa tomadas. Nós poderíamos usar de ajuda,” disse Noah sem rodeios. “Precisamos de pessoas que possamos confiar, e sinto que posso confiar em você e sua família com certeza.” Seth olhou para o relógio. “É tarde e odeio arrastar toda a gente hoje à noite para uma reunião de família. Mas acho que devemos fazê-lo logo no início da manhã, para que possamos começar a rodar sobre o que precisa ser feito. Você leva Lauren para casa e tenta levá-la para descansar. Michael, você pode chamar Doc Burton e pedir-lhe para dar alguma coisa para Lauren tomar para ajudá-la dormir esta noite?” Noah balançou a cabeça. “Não se preocupe com Lauren. Liam e eu vamos lidar com ela. Basta nos informar quando e onde o encontramos amanhã. Vou me certificar de que ela chama para o trabalho. Há coisas que precisam ser trabalhadas entre nós antes de trazer o resto de sua família.” Seth acenou com compreensão. “Encontre-nos no lugar da mãe e dos pais no período da manhã, às oito. Vou para o trabalho cedo e ver o que posso descobrir sobre essas mulheres. Vou ligar para meu pai e deixar saber que estamos indo. E então vou chamar Max.” Noah levantou-se da cadeira em que estava sentado e estendeu a mão na direção de Seth. “Agradeço a ajuda. Sei que Lauren também vai, uma vez que tiver superado seu medo.” Seth pegou a mão dele, apertando-o. “Você apenas fique atento para a nossa menina. Ela é uma de nós, mesmo que seu sobrenome não seja Colter.” “E quanto a Lily?” Michael disse em voz baixa. “Por falar nisso e quanto a mamãe e Callie? Isso vai aborrecê-las.” 167


“Lauren vai precisar de seu apoio,” disse Dillon. “Lily estaria chateada se nós tentarmos manter isso dela. Mamãe iria chutar todas as nossas bundas. Nós já passamos por momentos difíceis antes. Nossas mulheres podem lidar com isso. Nós não podemos protegê-las de tudo. Além disso, elas precisam saber o que estamos lidando para que não sejam surpreendidas. Precisam saber para estarem atentas e terem cuidado até que as coisas estejam resolvidas.” “Eu concordo,” disse Seth. “Não podemos deixar de dizer-lhes. Elas precisam ficar juntas e ter certeza que não vão a lugar nenhum sozinhas.” “Ok, então. Vamos levar Lauren para casa e nós vamos encontrá-lo no lugar dos seus pais amanhã às oito,” disse Noah. “Vamos pegar a nossa menina,” disse Liam rispidamente.

168


Capítulo Vinte LAUREN estava fazendo o seu melhor para fazer justiça à massa maravilhosa que estava comendo com Lily, mas cada mordida se sentia como uma pedra em seu estômago. Na outra sala, os caras estavam falando. Decidindo o destino dela. Como se ela não tivesse absolutamente nenhum controle sobre suas próprias escolhas. Mas como poderia culpá-los quando ela tinha feito nada além de tomar decisões erradas? Mais e mais, a cada passo, ela escolhia errado. Desta vez, sabia o que precisava fazer. Ficou claro em sua mente e coração. Sim, isso assustou o inferno fora dela. Não era tão estúpida que pensou que seria uma simples questão de entregar as provas para a polícia, e, em seguida, Joel ficaria muitos anos atrás das grades e deixaria de ser uma ameaça para ela. Fazer a coisa certa não era fácil. Não era suposto ser fácil. Se fosse, então todo mundo sempre iria por esse caminho e o mundo seria um lugar muito melhor. Mas não era, porque homens como Joel Knight continuariam a crescer e prosperar à custa das mulheres que pertenciam a ele, e controlava, ameaçava e intimidava. “Está tudo bem, Lauren?” A voz ansiosa de Lily cortou os pensamentos de Lauren. Seu sorriso foi automático quando olhou para a outra mulher. Mas quanto mais tempo olhava para Lily, mais sabia que não podia mentir para o rosto de seus amigos. Tinha havido muitas mentiras.

169


“Eu ainda não sei,” disse Lauren, em voz baixa. “Liam e Noah estão conversando com Seth sobre isso.” Lily colocou a mão sobre Lauren e apertou. “Você sabe que nós estamos aqui para você. Todos nós.” Desta vez, o sorriso de Lauren foi genuíno. “Eu sei e agradeço. Você não pode saber o que o seu apoio significa para mim.” “Ah, mas eu sei,” disse Lily. “Não faz muito tempo que eu estava em uma situação terrível. Os Colters foram maravilhosos para mim. Nunca vou esquecer o que senti depois de viver com tanta dor e pesar. Você vai chegar lá, Lauren. Apenas tem que se dar tempo para curar.” Elas foram interrompidas quando o grupo de homens entrou na cozinha. Lauren imediatamente empurrou o prato para longe, aliviada por ter uma desculpa para ter terminado. Liam veio para ficar ao seu lado e colocou a mão sobre seu ombro. “Você está pronta para ir? Está ficando tarde.” Ela assentiu com a cabeça, examinando cada um dos rostos dos homens, por sua vez, à procura de algum sinal de... condenação. Mas tudo o que viu foi a determinação constante. Determinação. Ela deslizou de sua cadeira e esfregou as mãos para baixo de suas calças em um gesto nervoso. Noah pegou uma de suas mãos e entrelaçou os dedos com os dela. Sua posse foi reconfortante e forte. Ele colocou-a para o seu lado e conduziu-a em direção à porta, em meio as despedidas dos Colters. O ar fresco da noite foi um bálsamo muito necessário para os seus sentidos. Ela respirou profundamente, saboreando a frescura. Por um momento ela hesitou, olhando para o céu azulpreto. Estrelas em cascata em toda a extensão, como se o brilho jogasse descuidadamente da mão de uma criança. 170


A montanha pairava sobre eles, em silhueta contra o céu, a lua era apenas visível entre dois picos. Em torno dela, os pinheiros, balançava com a brisa suave, trazendo com ela o aroma picante de pinho. O que era mais notável foi o silêncio. O silêncio se instalou sobre a terra como o cobertor da noite. Apenas o farfalhar ocasional provocada pelo vento agitava qualquer som. Era um lugar tranquilo. O lugar mais bonito que Lauren tinha visto. Ela queria que fosse a casa dela. Seu refúgio. Uma vida inteira longe da agitação da sua antiga vida na cidade. O shopping, cafeterias, lanchonetes, ruas movimentadas, buzinas, todos os outros negócios de um restaurante diferente, telefones celulares, semáforos, constantemente indo, indo, indo e nunca parando para simplesmente respirar. Aqui poderia andar pela calçada em Clyde e nunca esbarrar em outra pessoa. Não havia um único sinal de trânsito na cidade, e apenas um sinal de parada, no cruzamento da principal e Maplewood. Pessoas sorriam quando ela fazia contato visual. Os cidadãos aqui estavam sempre dispostos a dar uma mãozinha. No dia em que ela se mudou para o apartamento, embora tivesse tido a ajuda de Max e todo o clã Colter, eles tiveram nada menos que uma meia dúzia de transeuntes oferecendo para levar os móveis escada acima. E Margery, um dos frequentadores da lanchonete, tinha feito frango frito e salada de batata e pães caseiros, juntamente com uma jarra de limonada fresca, e ela trouxe tudo para o apartamento de Lauren para que todos pudessem comer. Ela sentiu... querida... aqui. Como se ela fosse importante. Ela não era apenas mais um número em uma população enorme. Aqui, ela era uma em uma pequena multidão. “Lauren?” 171


A voz de Liam derivou para ela e percebeu que ainda estava olhando para o céu, com uma expressão sonhadora no rosto. E talvez estivesse sonhando. Ou desejando na dispersão das estrelas brilhando intensamente a distância. “Você está pronta, querida? Precisamos levá-la para casa.” Relutantemente ela piscou longe da beleza em torno dela e subiu para o SUV. “O que eles disseram?” Ela perguntou em voz baixa enquanto se dirigiam de volta para a cidade. “E vocês olharam para o cartão de memória?” “Nós fizemos,” disse Noah severamente. “Você está certa. Há definitivamente informação suficiente para colocá-lo e a vários outros por um longo tempo na cadeia.” “Eles vão fazer um acordo e rolar em cima dele,” disse Liam. “Quanto ao que os Colters disse, eles apenas expressaram o seu apoio incondicional para você. Eles estão preocupados com a sua segurança, e ameaçaram chutar minha bunda e a de Liam se alguma vez te machucarmos.” Calor viajou através de seu peito, apertando seu coração. “Nós estamos indo amanhã de manhã para o lugar de seus pais,” disse Liam. Ele inclinou no banco da frente para que pudesse vê-la onde estava sentada na parte de trás. “Seth está fazendo algumas verificações para nós, e nós vamos nos encontrar de modo que, em essência, como uma família, podemos colocar nossas cabeças juntas e chegar com o melhor plano de ataque.” Lauren soltou a respiração. “Ok.” Noah olhou no espelho retrovisor e encontrou seu olhar. “Vai ficar tudo bem?” Ela assentiu com a cabeça. “Sou eu quem tem o problema. Acabarei fazendo tudo erradoe eles vão se decepcionar comigo. A verdade é que estou decepcionada comigo mesma, e

172


por isso estou prevendo o ponto de vista de todos os outros. Eles têm sido nada, exceto maravilhosos para mim.” Um momento depois, Noah puxou para a rua lateral do prédio e depois para o pequeno estacionamento na parte de trás, que era usado principalmente para a clínica. No final, houve um local designado para seu uso, mas na maioria das vezes, a clínica o tinha ocupado, alguém sempre o ocupava de qualquer maneira. Liam abriu a porta, a ajudou a sair e imediatamente puxou-a para o seu lado, envolvendo seu braço protetor ao redor dela enquanto caminhavam para o lado da rua. Subiram as escadas, Noah logo atrás e Liam esperando enquanto abria a porta. Ela sacudiu o interruptor da parede, inundando a sala com luz. Liam a deixou tempo suficiente para acender a luz no canto e, em seguida, voltou, desligando a luz principal de volta novamente. “Gosto mais dessa maneira,” ele murmurou enquanto a puxou para seus braços. Sua boca encontrou a dela, no que foi a princípio um beijo carinhoso. Mas tornou-se mais forte, mais exigente, tomando sua respiração quando aprofundou o beijo. Ele segurou seu queixo em suas mãos, enquanto olhava fixamente para ela. “Hoje à noite, você pode nos dizer como você quer, Lauren. Só vamos fazer o que quiser. Como você quer. Mostre-nos.” Foi necessária muita coragem para ser tão ousada. Ela estava subitamente tímida e auto-consciente. Imagens passavam pela sua mente, tentando, atormentando-a. Seria possível? Seria algo disso possível? Noah veio por trás dela, suas mãos fechando sobre os ombros. Ele se inclinou para beijar seu pescoço, movendo seu cabelo para fora do caminho enquanto seus lábios acariciavam sua pele.

173


“Isto é o que eu quero,” ela sussurrou. “Os dois. Me tocando. Ao mesmo tempo.” Ela se aconchegou em Noah, o calor do seu envolvimento corporal em torno do seu, lento e sensual. “Quero você dentro de mim.” Ele soltou um gemido baixo. “Eu quero estar lá, querida. Mais do que você possa imaginar.” Liam manobrou-a para o quarto. Ela estava chegando para o zíper de sua calça jeans, quando os três lotaram o quarto. Antes da coragem a abandonar, antes que ela pudesse pensar demais sobre isso, começou a despir-se, determinada a ser parte ativa na sua vida amorosa. Ela empurrou sua calça, e quando se levantou novamente, Noah estava lá, suas mãos deslizando por baixo de sua camisa, as palmas das mãos quentes e eróticas em sua pele. Encorajada pelo desejo inundando em suas veias, começou a desfazer suas calças. Uma fantasia particular que tinha tido, e queria se tornar realidade. Tinham-lhe dado o poder. Tudo o que tinha que fazer era falar. Seus movimentos eram desajeitados, não mesmo praticado. É frustrava que ela não poderia ser elegantemente e suave. Enquanto lutava com as calças de Noah, sua frustração levou a melhor sobre ela. “Eu me sinto como uma amadora maldita,” ela murmurou. Noah capturou-lhe os pulsos e puxou-a bruscamente contra ele, seus olhos em fogo. “Gosto que você me quer tanto que suas mãos tremem. Querida, não dou a mínima quanto a finesse é feita. Tudo que me importa é que o resultado final é eu e você, nus.” Ela sorriu. “Então, você poderia por favor tirar o resto de sua roupa fora?” “Feliz por obedecer,” Noah resmungou. Ela se virou para Liam e levantou os braços. Precisando de mais encorajamento, ele puxou a camisa sobre a cabeça e logo em seguida virou para que ele pudesse abrir seu sutiã.

174


Deixado-a apenas em sua calcinha, deu uma espiada em Noah, que estava puxando sua roupa interior, e então ela olhou para Liam, que ainda estava completamente vestido. “Não vai fazer nada,” ela murmurou em um tom rouco, sedutor que não reconheceu. “Nós não podemos ter isso,” disse Liam. “Não podemos ter você não satisfeita. Por todos os meios, me diga como você me quer, bebê.” “Nu,” disse ela sem rodeios. “Quero sentir você. Tocar você. Beijá-lo. Gosto de você.” Era uma sensação inebriante de ser tão ousada e sedutora. Ela amava a reação nos olhos de Liam. Adorava a forma como ele começou a despir sua roupa sem finesse ou paciência. Ele puxou para baixo sua calça jeans junto com a cueca, liberando seu pau já duro. Ele balançava livre, longo e duro. Foi instintivo cair de joelhos na frente dele, com as mãos circundando o seu pau. Ele gemeu e deslizou a mão pelo cabelo grosso, passando os fios entre os dedos. Mesmo quando ela abaixou sua boca, estendeu a mão para Noah, querendo-o perto. Ele deu um passo para frente para que ela pudesse agarrá-lo em sua mão livre. Seus dedos curvaram ao redor da ereção grossa, e ela rolou para cima e depois para baixo novamente, satisfeita quando ele endureceu ainda mais em sua posse. Ela lambeu ao redor da larga ponta do pau de Liam e, em seguida, virou a cabeça para dar a Noah o mesmo tratamento. Brincou com ele um momento, dando pequenas lambidas e beijos antes de levá-lo profundamente dentro de sua boca. Ele soltou um som estrangulado e suas mãos se juntaram a Liam em seu cabelo. Ela deixou sua boca deslizar para trás outra vez, até que a cabeça apareceu livre de seus lábios, e então se virou para Liam e chupou-o tão profundamente. “Maldita,” Liam mordeu fora.

175


Ela sorriu e se afastou, voltando-se a Noah, enquanto se levantava. Ele estendeu a mão para ajudá-la, segurando seus braços para se apoiar. Ela colocou as duas mãos sobre o peito e empurrou para trás até que ele entrou em contato com a cama. “Preservativo?” Ela sussurrou. “No meu bolso,” disse ele com voz rouca. Ela estendeu a mão, mas se atrapalhou com suas calças e depois recuperou um dos pacotes. Antes de retornar, rapidamente empurrou a calcinha para baixo, chutando-a quando emaranhou a seus pés. “Deite-se,” ela dirigiu, quando voltou para Noah. Ele recostou-se na cama, com as pernas penduradas sobre a borda, os pés plantados no chão. Ela rolou o preservativo cuidadosamente pelo seu comprimento, e então fez um gesto para Liam. “Quero você aqui, ao lado de Noah,” disse ela. “Você vai ter que se levantar da cama assim que vai chegar a minha boca.” Luxuria queimado nos olhos de Liam. Não precisava ser dito mais nada. Ele obviamente sabia onde estava indo com isso. Ela honestamente nunca esteve em cima antes. Joel nunca teria permitido isso, e muito poucos parceiros sexuais que teve antes de Joel, foi mais uma experiência rápida, estranha. Mas estava determinada a balançar o mundo de Noah e Liam esta noite. Eles certamente tinham balançado o dela na noite anterior. Sentou em cima de Noah, abrangendo suas coxas musculosas. Ele estendeu a mão para sua cintura, ajudando-a quando se posicionou sobre ele. “Certifique-se de que você esteja pronta, querida,” disse Noah. “Não quero te machucar. Vou estar profundo desta forma.” Ela queria ele dentro dela tão mal que era uma dor física. 176


Segurando sua mão ao redor de sua ereção revestida de látex, ela cravou os joelhos no colchão em ambos os lados de seus quadris e cuidadosamente o posicionou em sua abertura. Ambos engasgaram ao primeiro toque. Ela soltou seu pênis para que pudesse apoiar as palmas das mãos em sua barriga lisa, e lentamente começou a abaixar-se, levando mais e mais dele dentro dela. As mãos de Noah voaram para seus quadris, seus dedos cavando em sua carne. Seus olhos estavam fechados, a cabeça jogada para trás, e sua expressão era de prazer intenso. Aquele olhar a fascinava. Estava fascinada a cada reação sua. Amava que tinha esse tipo de poder sobre ele. Ele a queria. Ele a desejava. Não havia duvida disso. Ele estava grosso dentro dela. Era diferente levando-o desta forma do que quando Liam tinha empurrado dentro dela na noite anterior. Noah estava certo. Ele ia mais profundo desta forma. Apenas sentiu maior. Ela hesitou, um pouco preocupada de que ele era muito grande. “Liam, ajude-a,” Noah raspou fora. “Ela precisa estar mais úmida para me levar. Ela não estava pronta.” A cama mergulhou, tendo o peso de Liam. E então ele estava pressionado contra seu corpo superior, seus lábios encontrando os dela. Mas, em seguida, sua boca deslizou para baixo, para os seios, e quando tomou um pico rígido entre seus lábios, sua mão deslizou por sua barriga, entre ela e Noah, seus dedos encontrando seu clitóris. Foi um choque para seus sentidos. Os dois homens estavam em uma posição precária íntima. Os dedos de Liam estavam lá! Sua mão tinha de estar tocando Noah, a fim de tocá-la do jeito que estava. Seu olhar voou para Noah, para ver sua reação, mas seus olhos estavam focados exclusivamente sobre ela. Era como se ele não estivesse mesmo ciente da proximidade da mão de Liam ao seu próprio corpo. Ele só parecia preocupado com ela. Seu prazer. 177


Sua reação física ao grande erotismo de estar montando um homem enquanto outro dava prazer a ela de outras formas, era explosivo. Ficou de repente muito mais fácil para se deslocar no pênis rígido de Noah. Ela ficou mais úmida, mas não queria que Liam movesse a mão dele, então se segurou para cima, ainda não tendo plenamente Noah tão profundamente quanto podia. Ela adorava ter Liam em seus seios, seus dedos entre ela e Noah. De alguma forma, se encaixavam. Isso só a completava. Que estava suficientemente confortável em sua própria sexualidade para se concentrar apenas no seu prazer, sem se preocupar que eles estavam de alguma forma, fazendo contato, tocando profundamente. Com um último suspiro enquanto Liam sugava fortemente em seus mamilos e seus dedos acariciavam seu clitóris, ela colocou a mão em seu ombro e apertou para chamar sua atenção. “Quero-te na cama,” ela sussurrou. “Eu quero você na minha boca, enquanto Noah está dentro de mim.” “Oh inferno sim,” Liam respirou. Ele empurrou mais para cima na cama, sua mão se afastou dela e Noah. No final, ele teve que ficar quase em cima da cama para não bater no teto, mas enfiou a mão pelo cabelo e ajudou a orientar para a boca em espera. As mãos de Noah apertaram ao redor de seus quadris. Ela precisava de sua ajuda e ele pareceu perceber isso. Entre os dois homens, eles trabalharam em um ritmo constante suave, permitindo-lhe montar em cima de Noah, enquanto trabalhava a boca ao redor do pênis de Liam. Foi a mais emocionante loucura quente de experiência sensual que ela já tinha imaginado. Não, ela não poderia mesmo dizer que tinha imaginado. Nada poderia tê-la

178


preparado para a realidade de ter esses dois homens poderosos para todos os efeitos a sua mercê. Estendeu uma mão para Liam, enrolando os dedos em torno da base de sua ereção enquanto apertando a outra mão contra o quadril de Noah para manter o equilíbrio. “Quero te provar,” disse ela, enquanto puxava sua boca para longe por um breve momento. “Quero que você goze dentro da minha boca.” “Vou cuidar de você, bebê,” disse Liam, sua voz rouca e tensa. “Concentre-se em Noah. Mantenha as mãos para baixo. Eu vou cuidar do que você quer.” Noah pegou a mão dela enquanto ela abaixava, entrelaçando os dedos com os dela. Estava tão profundo e enorme dentro dela. Cada vez que se mexia para frente, a pressão da sua pélvis contra o clitóris enviava arrepios de prazer agudo através de seu corpo. Ela queria mais. Encontrou seu ritmo, assim como Liam emoldurou seu rosto e assumiu o controle, deslizando seu pênis profundamente dentro de sua boca e depois retirando. Ela balançou e montou Noah, finalmente encontrando apenas a quantidade ideal de pressão para ela ir ao orgasmo. Nunca antes ela tinha sido capaz de ter orgasmo sem estimulação clitoriana. Joel simplesmente não se importava, e se recusava a permitir que ela usasse os dedos para satisfazer a si mesma durante o ato. Com os homens que ela tinha estado com Joel antes, ela simplesmente tomava sobre si mesma para cuidar de seu próprio orgasmo. Quem dava a mínima para o que Joel permitia? Isto era aqui e agora. Ela estava com dois homens que pareciam determinados a dar-lhe o mundo. Eles não eram tão inseguros em suas proezas sexuais que dar prazer a si mesma seria visto como um insulto. Ela deslizou a mão livre para baixo, arqueando-se um pouco para que pudesse deslizar os dedos entre ela e Noah para encontrar seu clitóris. 179


“É isso aí, querida,” incentivou Noah. “Quero que você goze também.” Enquanto falava, ele ergueu as mãos para seus seios, brincando com seus mamilos. “Você gosta disso?” Perguntou Noah. “Isso faz você se sentir bem?” Ela gemeu ao redor do pênis de Liam, seu corpo apertando todo quando começou a acariciar seu clitóris enquanto Noah aplicava pressão suave para os mamilos. Ela começou a se mover mais rápido e mais difícil. Sua respiração acelerou e sabia que estava perto. Liam impulsionou profundo e, em seguida, realizou vários golpes mais rasos para permitir que ela recuperasse o fôlego. Mas ela estava além da simples coerência. Ela já não estava ciente do que estava fazendo ou o que eles estavam fazendo. Somente podia sentir suas mãos, seus paus. “Você primeiro,” disse Liam rispidamente. “Venha para nós, bebê.” Com um grito agudo, ela cedeu à crescente onda. Seu orgasmo cresceu em cima dela, quebrando como gelo sob pressão. Era nítido e implacável. Foi o mais oh-meu-Deus prazer que já sentiu em sua vida. Ela caiu e, em seguida, percebeu que eles estavam segurando-a. Ela estava mole e sem ossos, assim saciada que tudo que queria fazer era enroscar-se no peito de Noah e dormir. Mas primeiro, queria que eles se sentissem tão bom quanto ela. Liam inclinou a cabeça para trás, permitindo que seu pau deslizasse de sua boca. Depois com a mão, começou a bombear, num selvagem ritmo frenético. Ele inclinou a ponta do seu pênis para onde alinhava com a boca e uma fração de segundo depois, ela sentiu a primeira rajada quente de sêmen atingindo o interior de sua bochecha. Ela permaneceu completamente imóvel quando ele dirigiu mais em sua boca. Seu punho puxou até o fim, e depois a ponta do seu pênis roçou os lábios, deixando uma trilha molhada quente. 180


Ela mostrou a língua para fora, lambendo ao redor da cabeça e removendo os restos de seu orgasmo de sua pele. Ele gemeu baixinho e depois se afastou. Ele abaixou-se e deu um beijo em sua testa. “Termine Noah,” ele sussurrou. “Vou pegar algo para te limpar.” Ela endireitou-se e depois se inclinou para frente, plantando as mãos no peito largo de Noah. Seu rosto estava tenso, seu maxilar apertado. Ela percebeu então o que deve ter sido para assistir a cena entre ela e Liam bem na frente de Noah. “Estou perto, querida,” ele mordeu fora. “Estou me sentindo um pouco louco agora. Eu não quero te machucar.” Ela sorriu e, em seguida, começou a montá-lo duro. Rápido. Furiosa. Ela queria levá-lo até a borda e, em seguida, deixá-lo cair para o lado. Sua respiração assobiou de seus lábios. Ele agarrou seus quadris e começou a empurrar para cima, para encontrar seus movimentos que desciam. Depois de um momento, ela o deixou assumir. Suas tentativas de manter o ritmo foram infrutíferas. Ele era muito mais forte, e parecia ter perdido o pouco controle que lhe restava. O som de carne batendo contra carne era alto e encheu o pequeno quarto. Cada impulso para cima sacudia seu clitóris, enviando um tremor de prazer através de sua virilha. Ela estava hipersensível após o orgasmo rugindo que tinha experimentado, e cada vez que sua pélvis batia contra a dela, ela gemia, quase desfeita pela sensação. E então ele ficou tenso, curvou-se debaixo dela, arqueou em uma posição extremamente desconfortável enquanto pulsava dentro dela. Por fim, desabou sobre a cama, e passou os braços em torno dela, levando-a com ele. Ambos estava ofegantes, tentando desesperadamente recuperar o fôlego quando Noah acariciou suas costas com as palmas das mãos. Mexeu-se, apertando-a possessivamente.

181


O gesto a fez apertar em torno de seu pênis, que ainda estava enterrado profundamente dentro dela, e ela gemeu baixinho novamente. “Você está bem?” Ele murmurou perto de sua orelha. Ela virou-se os lábios para o lado, virando apenas o suficiente para que pudesse beijar seu peito. “Perfeito,” Disse ela com um suspiro. Ela fechou os olhos com satisfação total. Era verdade. O momento era absolutamente perfeito. Não importava o que aconteceria amanhã, hoje à noite, ela estava em paz. Noah e Liam a fez sentir acarinhada e protegida. Eles fizeram sentir como se ela importasse. Amanhã e o futuro iriam se resolver. Ela tinha que acreditar nisso. Tudo o que podia fazer era levar um dia de cada vez e ir para frente tomando decisões inteligentes que ela não tinha feito no passado. O importante era que não estaria sozinha. Noah e Liam estariam com ela a cada passo do caminho.

182


Capítulo Vinte e Um LAUREN dormiu com Liam naquela noite, enquanto Noah dormia na sala de estar. Acordou na manhã seguinte, enrolada em seu abraço, ele embrulhado em volta dela. Ela estava em concha contra ele, de costas moldada para seu peito. Uma de suas pernas estava jogada sobre a dela e sua palma estava contra seu ventre. Ela sorriu, suspirando de contentamento absoluto. Era uma bela maneira de acordar. Foi uma boa maneira de dormir. Até agora, eles alternaram noites, mas o que aconteceria quando tivessem melhores arranjos para dormir? Se ela estivesse um lugar que realmente pudesse acomodar uma cama king-size, então seria possível para eles, tanto para dormir com ela e um nem sempre teria que ter um quarto ou cama separada. Ela se mexeu um pouco, trabalhando para se livrar do abraço de Liam para que pudesse olhar para ele. Ele era bonito. Não muitos diriam que sim. Ele provavelmente sempre seria julgado por causa do cabelo e as tatuagens. A maioria das pessoas provavelmente cortariam um caminho largo em torno dele. Mas seu coração era de ouro. Ele era tão amoroso e tão protetor. Não havia nada que ele não fizesse. Não quando se tratava dela. Ela deixou sua mão sobre a tatuagem a arte intrincada em seu braço, em cores brilhantes e os padrões. Não havia um ritmo definido. Não era uma cena específica ou até mesmo um símbolo reconhecível. Era simplesmente uma obra de arte. Ecletica. Vibrante. Isso o fez se destacar na multidão, mas ele era o tipo de homem que faria isso com ou sem as tatuagens coloridas. 183


Ele era um homem impossível de ignorar. Enquanto ela olhava, as suas pálpebras abriram e ele deu-lhe um olhar sonolento, os olhos azuis nublados. “Bom dia,” ela murmurou. Sem dizer uma palavra, ele passou o braço em volta da cintura e puxou-a para si, beijando-a de leve nos lábios. Ele não parecia se preocupar com questões como o hálito matinal. “Você parece...” Seus olhos estreitaram enquanto a observava. “Eu olho o quê?” “Contente,” ele finalmente disse. Ela sorriu. “Estou. Talvez esteja fazendo a paz com as coisas. Finalmente. Ou talvez você e Noah apenas me fazam tão feliz e confiante que não me importo com mais nada.” “Estou feliz,” disse ele em voz baixa. “Eu amo você, Lauren. Quero que você seja feliz. Quero que você voe. O que quer que te faça feliz, quero isso para você.” Ela engoliu em seco. Seu coração acelerou em seu peito. Ele a amava. Oh, ela sabia que ele se importava com ela. Mas amor? Ele parecia tão sério que sabia que este não era um caso em que ele se empolgou no momento e jogou para fora palavras descuidadas que não tinham significado. E ela percebeu outra coisa também. Ela o amava. Completamente. Sem reserva. Ela tocou seu rosto, querendo as palavras para ser levadas tão a sério como tinha levado a dele. “Eu também te amo, Liam.” O alívio em seus olhos foi esmagador. Era como se todo o seu corpo tivesse estado trancado em tensão e de repente tinha sido colocado em liberdade. Ele passou os braços em volta dela e puxou-a para ele em um abraço feroz. 184


“Você quer dizer isso?” Ele perguntou com a voz rouca contra seu ouvido. Ela retirou-se imediatamente, apoiando-se no cotovelo, para que pudessem ver olho no olho. “Eu te amo,” disse ela. “Quero dizer cada palavra. Você não é um capricho passageiro para mim. Não tenho a coisa toda de donzela em perigo acontecendo onde a mulher fraca se apaixona por seu protetor. Se você quer que eu explique isso, tenho medo que eu não possa. Acabei de fazer.” “Não quero que você explique isso,” disse Liam. “Somente quero ouvir isso de novo e sei que você quer dizer isso. Eu nunca pensei...” “Nunca pensei o quê?” Ela perguntou suavemente. Sua boca torceu e desconforto registrou em seus olhos. “Nunca pensei que uma menina como você daria a um cara como eu uma segunda olhada.” Ela piscou, completamente em uma perda de palavras. “A menina como eu? Um cara como você? Que diabos você quer dizer? Liam, você é lindo,” ela desabafou. “Você é bemsucedido. Confiante. Você tem um coração de ouro. Qualquer mulher iria contar a sorte que tem se você desse a ela uma segunda olhada. Você é impressionante de se olhar. Por outro lado, eu sou uma imbecil covarde. Eu confiei nas pessoas erradas. Fiz más decissões após uma decisão ruim. Eu menti para você,” disse ela dolorosamente. “Sou fraca. Eu dei a minha identidade e tudo que eu era a um homem que eu nunca deveria ter olhado duas vezes. E você realmente acha que de alguma forma não merece meu amor? Meu Deus. Sou a sortuda aqui. Não só tenho você, mas também Noah, e você quer cuidar de mim. Eu não posso envolver minha cabeça em torno disso, mas não estou questionando isso, porque não quero nada para convencê-lo de forma diferente.”

185


Ele sorriu e torceu os dedos em seu cabelo longo e escuro. “Impressionante para olhar, hein.” “Você é lindo,” ela murmurou enquanto se inclinava para beijá-lo. “Você também é meu. Qualquer mulher olhando para você é melhor manter distância. Sou muito possessiva com o meu homem.” Seu sorriso ampliou. “Seu homem. Eu gosto disso. E sou seu, você sabe.” “Sim, eu faço. Agora realmente preciso me levantar e escovar os dentes antes de começar a beijar de novo.” Ele riu e rolou para fora da cama, tomando um momento para esticar antes de relaxar os ombros largos novamente. Ela foi atingida por um magnífico corpo nu. Ele estava nu na frente dela, e ela não tinha mentido. Ele era simplesmente lindo. Ela nunca se cansaria de vê-lo. Ele estava com sua semi dura ereção matinal e isso fez com que ela quisesse persuadi-lo a mais duro. Ela era ousada o suficiente para fazer uma abertura? E se ele a rejeitasse? Ela odiava a ansiedade que subia no pescoço dela com o pensamento dele a rejeitar. Ela fechou os olhos. Estava sendo uma idiota. Espreguiçou languidamente, dando-lhe uma boa visão de seu corpo nu. Seus olhos se obscureceram e seu pênis se contraiu, passando de semi-ereto a três quartos em dois segundos. “Acha que você poderia encontrar um preservativo no tempo que me leva para escovar os dentes?” Ela murmurou. “Quão rápido você pode escovar os dentes?” Rosnou. Ela sorriu e rolou para a borda. Levantou-se e roçou-lhe, sua mão deslizando para baixo em suas bolas. Ela acariciou o saco pesado por um longo momento antes de permitir que seus dedos dançassem de sua ereção até a ponta. 186


“Eu já volto.” Ela foi o banheiro, sorrindo o tempo todo. Apressadamente escovou os dentes e, em seguida, trabalhou um pouco da selvageria de seu cabelo, para que não parecesse muito a uma bruxa. Três minutos mais tarde, estava fora do banheiro, e Liam estava de pé onde ela o deixou, só que já estava envolto em um preservativo e estava extremamente excitado. Trabalhou para ela. Enquanto ela amava as preliminares que sempre lhe dava, o que realmente queria era uma rapidinha e suja. E isso disse-lhe tanto. “Eu vou te dar o que você quiser, bebê,” disse ele. Chupando em uma respiração profunda e reunindo coragem para enfrentar seus medos, ficou na cama, posicionando-se em suas mãos e joelhos. “Lauren?” A voz de Liam estava insegura e preocupada. Ela virou-se para que pudesse olhar para ele por cima do ombro. “Quero tentar,” disse ela com firmeza. “Além disso, não é o mesmo. Eu não estou presa na minha barriga por um corpo por cima, não estou impotente. E...” “E o que, bebê?” Liam solicitou. “Quero acabar com esse medo,” disse ela. “Não quero sempre fazer Noah sentir mal sobre a outra noite. Ajude-me a passar por isso, Liam. Quero que seja rápido e sujo.” Mexeu-se atrás dela, as palmas das mãos deslizando suavemente sobre ela para trás. Ele abriu suas coxas ainda mais, seus dedos acariciando a pele sensível da sua boceta. “Posso prometer-lhe rápido,” disse ele. “Mas não sujo, bebê. Nunca sujo. Você é bonita demais para isso.”

187


Seu coração derreteu. Seus dedos enroscaram nos lençóis até que suas mãos estavam firmemente em bolas. Ela fechou os olhos e imaginou Liam atrás dela. Liam empurrando para dentro dela. E então ele fez.

NOAH se levantou do chão e olhou para o relógio. Caramba iriam se atrasar. Ele escutou por qualquer barulho vindo do quarto, o som de um chuveiro, qualquer coisa para deixá-lo saber que Liam e Lauren estavam acordados e em movimento. Ele ia ter que acordá-los para que pudessem se mover se estavam indo para chegar as oito nos Colters. Ele abriu a porta de seu quarto e foi saudado pela visão de Lauren em suas mãos e joelhos e Liam batendo nela por trás. A cabeça de Lauren estava jogada para trás e as mãos grandes de Liam agarradas em seus quadris enquanto seu pênis desaparecia em sua boceta mais e mais. O próprio pênis de Noah endureceu dolorosamente. Era uma visão erótica de se ver e uma facada indesejada de ciúme perfurou seu peito. Ela confiou em Liam o suficiente para deixá-lo transar com ela por trás. Liam olhou para cima, seu olhar travando com Noah. Então abaixou seu corpo grande sobre de Lauren muito menor e disse perto de seu ouvido “Noah vai levá-la agora, bebê. Queria rápida e quente. Como cerca de dois homens se revezando fodendo você por trás?”

188


Os olhos de Lauren abriram e ela encontrou Noah, seus olhos brilhando com luxúria e desejo. Ciúme inicial de Noah desapareceu, deixando-o levemente envergonhado. Ficou claro que ela queria tanto e que estava trabalhando duro para superar seus medos. Liam retirou, seu pau pesado e duro e ele olhou com expectativa para Noah. Todos os pensamentos fugiram. Ele se moveu em direção a ela, abriu seu zíper da calça jeans. Liam atirou-lhe um preservativo e Noah rolou, deixando seu jeans empurrado para baixo para seus quadris. A boceta de Lauren estava inchada de ser fodida por Liam, e Noah tremeu com impaciência para dirigir tão profundamente dentro dela quanto Liam tinha estado. Ele se inclinou para pressionar um beijo suave para o baixo de suas costas, só assim ela saberia que ele estava aqui e que estava prestes a acontecer. Em seguida, se posicionou entre as coxas finas, encaixando o pênis para a pequena abertura e empurrou para dentro, forçando-a a acomodar sua largura e comprimento. “Duro,” Ela sussurrou. Ele empurrou para baixo seus próprios medos de machucá-la ou assustá-la e deixou-se ir, fazendo o que queria fazer a partir do momento em que a conheceu. Marcando-a. Fazendo-a sua. Possuindo-a. Ele bateu nela, sua necessidade sendo consuminda. Seu orgasmo subiu, nervoso e afiado. Levou tudo que tinha para sair, mas ele não queria que acabasse rapidamente e estava a um segundo de explodir. Liam empurrou, tomando o lugar de Noah. Lauren gemeu e baixou a cabeça um pouco quando Liam empurrou dentro dela novamente. Ela inclinou a parte superior do corpo para baixo até que seu rosto descansava contra o colchão, mas o tempo todo, ela estava empurrandose para trás para atender as pressões de Liam.

189


“Estou chegando, bebê,” Liam moeu para fora. “Você quer vir agora ou esperar por Noah?” “Eu vou esperar,” disse ela. Liam soltou um rugido e empurrou nela tão forte que a sacudiu toda na cama. Em seguida, por um longo momento, ele descansou contra ela, enterrado profundamente dentro dela, os olhos fechados, com as mãos descansando possessivamente em seu corpo. Finalmente se retirou, deixando-a aberta, sua boceta um rosa mais escuro e ainda inchado. Noah não conseguiu resistir correndo os dedos sobre os lábios inchados. Tão suave e sedosa. Ela gemeu e torceu inquieta quando ele tocou seu clitóris. “Use sua mão, querida,” ele sussurrou com voz rouca. “Eu não vou durar muito tempo e quero você comigo.” Sua mão deslizou através de seus cachos apertados, colidindo contra a dele, quando ela descobriu o cerne sensível que tinha acariciado. Ciente de que ela estava preparada, ele se posicionou contra sua abertura úmida e empurrou, saboreando a sensação de seu calor confortável em torno dele, envolvendo e engolindo-o todo. Lembrando o seu pedido antes, ele empurrou mais e mais rápido. Ele fechou os olhos quando o doce prazer trabalhou sobre cada centímetro de seu corpo. Suas bolas apertaram até que ele pensou que poderia explodir. A tensão construiu. Ela gritou. Estava escorregadia e quente quando o orgasmo tornou mais fácil para chegar mais fundo dentro dela. Sua mente ficou em branco. Ele não tinha consciência de nada, exceto o êxtase esmagador de estar dentro dela. E, em seguida, finalmente, finalmente, a construção da tensão sendo libertada.

190


Ele estremeceu com o entorpecente prazer. Fez um grande esforço para ela, querendo ir mais profundo, não querendo que o momento acabasse. Só o conhecimento de que ela estaria extremamente sensível após o orgasmo o impediu de continuar a empurrar para ela mais e mais até que era incapaz de fazê-lo. Relutantemente, retirou-se de seu corpo trêmulo. Ele estava tão sensível que não podia suportar a camisinha por mais um segundo. Despiu-a, jogou-a na lata de lixo ao lado da cama, e então ele e Liam ajudou-a em uma posição sentada. “Rápido o suficiente para você, bebê?” Liam demorou. Seus lábios curvaram com diversão. “Isso foi incrível. Obrigado.” Ela virou-se para Noah, seus dedos indo para o queixo no mais leve dos toques. “Eu queria tentar de novo. Não vou permitir que ele controle minha mente quando estou com você e Liam. Ambos significam muito para mim para permitir que alguém se intrometa em nosso tempo juntos.” Ele capturou seus dedos e beijou a ponta de cada um. “E pensar que eu estava no meu caminho aqui para apressar vocês dois.” Ela riu suavemente. “Será que estamos atrasados?” “Sim, nós estamos,” disse Noah. “Mas, para isso, vou me atrasar todo santo dia a partir de agora.”

191


Capítulo Vinte e Dois ERAM quase oito e meia quando Lauren, Noah e Liam puxaram para a casa dos Colters. Max e Callie assim como Lily, Seth, Michael e Dillon já estavam lá. Borboletas tropeçabam em torno de seu estômago enquanto ela se sentava no banco da frente, olhando através do pára-brisa para a varanda da frente. Liam chegou através do assento e apertou a mão dela. “Pronta para isso? Não é tarde demais para voltar atrás. Os telefonemas não foram feitos.” Isso envergonhou a ela por um breve momento, ela pensou em fazer exatamente isso. Foi instintivo querer correr e se esconder, mas, em seguida, que é o que ela vinha fazendo há muito tempo. Respirando calmante, ela balançou a cabeça. “Não, eu preciso fazer isso. Não apenas para as mulheres que ele brutalizou e assassinou, mas preciso fazer isso por mim.” Noah deslocou para frente do banco traseiro. “Basta lembrar que Liam e eu estamos atrás de você. Sempre. Não importa o que aconteça aqui, não importa se as emoções são fortes. Apoiamos cem por cento, não importa o que você escolha fazer.” Ela virou-se, permitindo que o seu amor por esses homens brilhassem em seus olhos. Ela só esperava que eles pudessem vê-lo. Que soubessem e sentissem. As palavras vieram facilmente com Liam porque ele tinha dado em primeiro lugar. Ela precisava de lhes dar a Noah. E ela iria, assim que chegassem em casa do encontro com sua família. “Obrigada,” ela engasgou. 192


“Pronta?” Liam disse quando abriu a porta. Tomando mais uma respiração profunda, ela abriu a porta e entrou na luz solar, permitindo-lhe remover o frio profundo dentro de seu peito. Noah e Liam a ladearam enquanto caminhavam em direção à varanda. A porta foi aberta por Holly, que imediatamente puxou Lauren em seu abraço firme. “Como você está, querida?” Holly perguntou com sua voz doce, maternal que sempre fez Lauren sentir como se tivesse voltado para casa. “Estou bem, Mama C. Ou eu vou estar,” ela emendou. Holly afastou, seus olhos preocupados e escuros. “Max está chateado. Achei que você deveria saber para não ser pega de surpresa.” O estômago de Lauren deu um salto mortal, e ela olhou ansiosamente até Noah e Liam. “Vai ficar tudo bem, querida,” Noah acalmou. “Nós vamos passar por isso juntos.” Holly pegou a mão dela e puxou-a para dentro da casa, deixando os homens a seguir. “Eles estão bem,” disse Holly. “Nós vamos passar por isso juntos. Assim como sempre fazemos. Max apenas foi pego de surpresa e ele não está levando-o bem.” Quando entraram na sala, todos se viraram para olhar na direção de Lauren. Max, que estava sentado ao lado de Callie no sofá, ficou de pé, sua expressão escura. Callie colocou a mão até o braço e murmurou algo para ele, mas ele a balançou fora e avançou para Lauren. Mas não era a ela que ele tinha a intenção de questionar. Ele parou a uma curta distância, o olhar furioso encontrando Noah e Liam. “Algum de vocês quer explicar por que estou recebendo informações de Seth e não de qualquer um de vocês? Da última vez que chequei, eu estava assinando seus cheques. Seu trabalho é proteger a minha irmã e dar um relatório para mim. Eu não sabia de nada disso e deveria ter sido o primeiro a saber,” ele fervia.

193


Enquanto falava, ele puxou Lauren para seu lado, envolvendo um braço protetor ao redor dela. Ela podia sentir a raiva, a partir dele, vibrando em tensão. Os olhos de Noah estreitaram e os lábios de Liam curvaram em um rosnado. “Quando você recebeu uma conta de nós alguma vez?” Noah agarrou. “Verifique melhor seus registros, Wilder, porque não lhe pedi um centavo. Lauren não é uma tarefa para nós. A nossa prioridade é mantê-la segura, não mantendo-o informado sobre todos os detalhes que temos diante de nós, se sequer sabemos se é um problema. Nós conversamos com Seth ontem à noite e, em seguida, marcamos a reunião desta manhã para que pudéssemos decidir em conformidade.” Max endureceu ainda mais, aparentemente, não apaziguado pela explicação de Noah. “Que diabos você está dizendo?” Max perguntou suavemente. “Apenas o que é a natureza de seu relacionamento com a minha irmã? Eu com maldita certeza não o contratei para tirar proveito dela.” Lauren se afastou de Max em espera. “Max, pare com isso. Por favor.” “Eu diria que isso não é da sua maldita conta,” disse Liam em um tom igualmente suave e perigoso. “O inferno que não é!” Max explodiu. “Max, o suficiente, filho,” disse Adam Colter firmemente quando se inseriu entre Max e onde Noah e Liam estavam. “Nós não vamos chegar a lugar nenhum com você, Noah e Liam rosnando um para o outro como um bando de pit bulls.” Holly colocou o braço em torno de Lauren e levou-a para longe de Max e mais para dentro da sala de estar onde os outros estavam sentados. Dillon e Michael estavam ambos empoleirado na lareira, enquanto Lily sentava ao lado de Callie em um dos sofás. Seth, Ryan e Ethan ocupavam o outro sofá e duas poltronas estavam

194


vagas. Cadeiras da sala de jantar tinham sido trazidas para a sala de estar para acomodar mais pessoas e foram escalonadas entre os sofás e poltronas. Holly levou Lauren para o sofá para sentar-se com Lily e Callie. Lauren se estabeleceu ao lado de Callie, que imediatamente pegou sua mão, segurando firmemente em apoio. Holly tomou posição sobre o outro lado de Lauren e colocou um braço em volta dos ombros de Lauren. Lauren não pôde deixar de sorrir. As mulheres Colter haviam cerrado fileiras em torno dela. Nem mesmo Max ousaria contrariar Mama C, muito menos ela e Callie e Lily. “Sentem-se,” Adam instruiu a Noah e Liam. “De acordo com Seth, temos muito o que discutir.” Noah e Liam passaram por Max, que ainda estava de pé e fervendo de raiva. O queixo de Max foi elaborado apertado quando ele se virou para acompanhar os outros na sala. Ele olhou para o sofá, onde as mulheres estavam sentadas, claramente não estava feliz que estava sendo bloqueado por tanto sua esposa e sua sogra. “Ele vai superar isso,” Callie murmurou. “Ele está apenas preocupado com você.” “Eu sei,” Lauren sussurrou de volta. Quando Max se instalou em uma das cadeiras da mesa da sala de jantar, em frente de onde Noah e Liam tomaram assento em poltronas, Adam virou uma das cadeiras de madeira ao redor e montou-a para que ele pudesse tomar conta deles. Seth se inclinou para frente, com as mãos entrelaçadas enquanto os cotovelos pressionavam em seus joelhos. “Eu tomei a liberdade de trazer todos atualizados sobre o que discutimos ontem à noite. Achei que iria economizar tempo para que pudéssemos avançar, uma vez que todos chegaram.” Noah e Liam assentiram o seu acordo.

195


“Esperei por você para chegar para dar-lhe o resumo sobre as mulheres que você queria que eu verificasse através do sistema.” Os lábios de Seth apertaram enquanto ele continuava. “Isso não é bom.” O coração de Lauren despencou. “Elas estão mortas?” Ela engasgou. Seth fez uma careta. “Sim, querida, eu sinto muito.” Todo o sangue drenou de seu rosto. Noah e Liam praguejaram. “Que mulheres?” Ryan Colter exigiu. “Do que estamos falando aqui?” “O cartão de memória que tem a informação que Lauren copiou do computador de Knight tem uma lista das mulheres que trabalham ou trabalharam para ele. Alguns tinham anotações pelos seus nomes que soavam sinistras,” disse Noah. “Tivemos Seth verificando para ver se ele poderia encontrar qualquer informação sobre elas. Principalmente se ainda estavam vivas.” “Como é que elas morrem?” Liam perguntou sem rodeios. Seth apenas balançou a cabeça. Seu silêncio falou muito, e era óbvio que não quis entrar em detalhes na frente de Lauren e as outras mulheres. O aperto de Callie na mão de Lauren apertou, e Holly abraçou mais perto de seu lado. “Algo tem que ser feito sobre esse desgraçado,” disse Max severamente. “Eu não vou permitir que uma ameaça para a minha família exista.” “Eu estou fazendo alguma coisa,” disse Lauren baixinho, chamando a atenção de todos os ocupantes da sala. Ela tinha Seth ou mesmo Noah e Liam falando por ela. Isto era sobre ela. Ela era a única pessoa que poderia se levantar e tomar Joel Knight preso. Não Liam. Não Noah. Não seu irmão. Não Seth ou qualquer um dos outros Colters. O olhar de Max endureceu, e ele empalideceu quando pegou a determinação na voz de Lauren. 196


“O que você quer dizer com isso, Lauren?” Max perguntou, alarme claro em sua voz. Os homens mais velhos Colters franziram o cenho. Ryan e Ethan se sentaram a frente, lançando olhares preocupados em sua direção. Callie tinha um aperto de morte na mão de Lauren, e ela podia sentir os mesmos olhares preocupados das mulheres de cada lado dela. Suas narinas dilataram quando ela respirou fundo. Ela olhou para Noah e Liam, reforçada pelo apoio nos seus olhos. “Vou entregar a evidência que tenho e testemunhar, se necessário, que eu tenho certeza que vai precisar.” As respostas explosivas foram imediatas. “O inferno que você vai!” Max gritou, levantando correndo. “Lauren, eu não tenho certeza se você deve tomar essa decisão tão rapidamente,” disse Adam, uma carranca estragando seu rosto. “Você acha que é o melhor?” Ryan perguntou, sua expressão um espelho de Adam. Havia mais perguntas. Exclamações de preocupação. Uma saraivada de conversa entre os pais e Seth e, em seguida Max e Noah e Liam. Foi tudo um rugido surdo que fez sua cabeça doer. Somente as mulheres permaneceram quietas. Callie agarrou a mão de Lauren com tanta força que seus dedos estavam começando a formigar. Holly tinha ido completamente parada ao lado de Lauren, e Lily se inclinou para frente, seu olhar preocupado buscando Lauren. “Estou com medo por você, Lauren,” Callie sussurrou. “Eu também,” disse Lily tão calmamente. Holly chegou no colo de Lauren, estendendo a mão a ambos Lily e Callie até que todas as quatro mulheres estavam ligadas. Lauren permitiu a força tranquila dessas mulheres sobreviventes entrar em sua alma.

197


“Estou com medo também,” Lauren admitiu. “Mas a única coisa que todos vocês já me ensinaram é que tenho que fazer a coisa certa. Uma mulher-mulheres-estão morrendo por causa de mim.” Ela balançou a cabeça quando eles teriam refutado sua declaração. “Não é por causa de mim. Sei que não sou responsável pelas ações de Joel. Mas poderia ter evitado pelo menos algumas das suas mortes. Talvez pudesse ter só impedido uma. Mas quantas mais irão morrer ou ser abusadas ou degradadas, porque eu tenho medo? Eu não quero passar o resto da minha vida me escondendo. Não quero sempre estar olhando por cima do meu ombro. Eu só quero... paz.” Foi somente no final do seu discurso apaixonado que ela percebeu que a voz dela tinha levado para além do âmbito das outras mulheres, e que todos os outros tinham acalmado para ouvir o que ela estava dizendo. Quando olhou para cima, cada um dos Colters-e-Max estavam olhando para ela com entendimento suave, preocupação, medo e... orgulho. Ela engoliu em seco e, em seguida, novamente quando o nó em sua garganta inchou e lágrimas queimaram suas pálpebras. “Quero ser alguém que todos possam se orgulhar,” ela engasgou. “E agora eu não estou orgulhosa de mim mesmo, então como posso esperar que qualquer outra pessoa possa estar?” “Oh, querida,” disse Holly, emoção nublando sua voz. Ela abraçou Lauren para ela e balançou para trás e para frente, acariciando seus cabelos. “Ouça-me, bebê. Quero que você olhe para mim.” Lauren relutantemente ergueu o olhar para a mulher mais velha e foi surpreendida com o orgulho e consternação em seus olhos. “Estamos orgulhosos de vocês. Muito orgulhosos. Agora é hora de perdoar a si mesmo pelos erros que você fez. Não pode continuar a culpar sobre as escolhas que você fez. Você tem 198


que estar disposta a deixar ir e perdoar a si mesmo. Ninguém te culpa. Só você. Eu olho para você e vejo uma bela jovem, com um coração tão grande como estas montanhas. Eu não poderia estar mais orgulhosa de você mesmo que tivesse dado à luz a você. Você é um dos meus. Nunca duvide disso. E, como qualquer um vai dizer, o que é meu é meu, e eu amo o que é meu ferozmente e sem reserva ou condição.” Lágrimas deslizaram pelo rosto de Lauren e um soluço escapou de sua garganta. “Eu também te amo,” ela murmurou. “Todos vocês.” Holly abraçou de novo, apertando-a até que estava sem fôlego. Depois de um momento, ela gentilmente separou-se de Lauren e acariciou o cabelo do rosto de Lauren. Em seguida, se virou para Noah e Liam, toda negócios. “Qual é o seu plano para isso?” Perguntou ela.

199


Capítulo Vinte e Três FOI difícil para Liam não puxar e levar Lauren em seus braços. Estava maldito de perto de partir seu coração por ouvi-la quebrar na frente das pessoas que ela mais amava. Queria protegê-la de qualquer mágoa ou estresse, mas sua decisão significava que a mágoa e estresse eram inevitáveis. Quando Holly Colter virou o olhar determinado sobre ele e Noah, e exigiu saber qual era o plano, ele olhou para Noah e depois para Seth. Seth falou primeiro. “Nós não temos um ainda, mamãe,” disse ele suavemente. “É por isso que chamei a família unida, então nós traçaremos o melhor caminho e tormaremos a maldita certeza que Lauren esteja protegida.” “Ela é nossa primeira e única prioridade, minha senhora,” disse Noah em um tom sério. “Ainda quero saber o que isso significa exatamente,” Max rosnou. “Estou tendo sérios problemas com o fato de que você se aproveitou de Lauren durante um tempo que ela estava emocionalmente e fisicamente fraca.” “Isso significa que eu a amo e não vou ficar parado enquanto alguém é uma ameaça para ela,” Liam quase rugiu. Estava chateado e cada vez mais irritado a cada minuto. Agora não era o momento de trazer essa merda. “Além disso, você não dá as ordens. Noah e eu não trabalhamos para você. Não aceito um centavo maldito de você e vai ficar desse jeito. Lauren é nossa e o que isso significa é que não recebo ordens de ninguém quando se trata de sua segurança e bem-estar. Isso está claro o suficiente para você?” 200


Holly virou para Max, a boca apertada e seus olhos atirando punhais através do irmão de Lauren. “Isso é o suficiente para você ficar de fora, meu jovem. Este não é o momento nem o lugar para abrir uma questão pessoal que não é da sua preocupação. O que é importante aqui é o que faremos para certificar que Lauren esteja protegida.” Liam queria dar a Holly Colter um gesto de vitória. Ela era um pouco assustador quando ficava puta. Ela era como uma mãe leão protegendo seus filhotes, e mataria se alguém mexesse com eles. Quando Liam olhou para Lauren, ela estava olhando para ele, com os olhos cheios de amor e gratidão. Calor viajou através de seu corpo, tão certo como se ela estivesse em seus braços. Ela enviou a mesma expressão de amor na direção de Noah, e Liam viu que seu amigo estava tão afetado como Liam tinha estado. “Minha esposa tem um ponto muito bom,” disse Ethan, falando pela primeira vez. “O que é importante aqui é o que fazemos para garantir a segurança de Lauren. Seth? Você tem ideias, meu filho?” Dillon fez uma careta. “Além de fazer uma viagem para Nova York e se assegurar que o idiota tenha uma queda por um longo lance de escadas. Duas vezes?” Michael sufocou um sorriso. Liam teve que cobrir o seu próprio sorriso quando Holly Colter acenou com acordo vigorosamente. “Nosso primeiro passo tem que ser decidir sobre um lugar e as condições da reunião,” disse Noah. “Eu concordo,” disse Seth. “Nós fazemos o contato, mas temos que deixar claro que damos as ordens,” Liam interrompeu. “Isso inclui o lugar de encontro, mas também temos que estar preparados que o promotor pode não seguir o nosso conjunto de regras, por isso temos de estar no lugar bem na 201


frente dele, acompanhar a sua chegada e não colocar Lauren na frente dele até que nós vejamos e determinamos que seja seguro fazê-lo.” Adam balançou a cabeça para isso. “E nós precisamos decidir quem vai,” disse Seth enquanto inspecionava a sala. “Eu vou,” disse Max, sem rodeios. “Não, você não vai,” disse Ryan Colter tão categoricamente. Todos se viraram de surpresa que o homem mais velho tinha fechado tão rapidamente. “Por que não?” Max exigiu. “Lauren é minha irmã. Não vou sentar aqui enquanto alguém está a protegendo.” Liam permaneceu quieto enquanto esperava que Ryan falasse novamente. Ele tinha estado a ponto de dizer a Max que não havia nenhuma maneira no inferno que ele estava indo, quando Ryan lhe tinha batido na frente. “Você é muito de uma cabeça quente e está muito chateado,” disse Ryan. “Essa é a última coisa que precisamos em uma situação já volátil.” Seth acenou com acordo. “Correndo o risco de irritar-te, homem, eu concordo com o pai.” Noah entrou, seu tom apaziguador. “Nós não queremos de forma alguma possível seguir Lauren de volta aqui. Você é um cara visível, Sr. Wilder. A última coisa que você quer é trazer problemas de volta para onde sua família vive. Se eles podem conectar Lauren com você, vão encontrá-la através de você.” Max olhou como se tivesse estado preparado para argumentar, mas admitiu a lógica de Noah. “Você está certo,” disse ele em voz baixa. “A última coisa que quero é colocá-la em perigo adicional ou a qualquer coisa que possa ameaçar o resto da minha família.”

202


“Dillon e eu iremos,” disse Seth. “Michael fica aqui com Lily. Pelo menos um dos pais terá que ficar. Não quero que nenhuma das mulheres fique sozinha.” Liam e Noah acenaram para isso. “Eles vão querer colocá-la em prisão preventiva,” disse Adam em voz sombria. Lauren olhou em alarme. Adam lançou um olhar de desculpas em sua direção. “Eu não estou tentando assustar você, querida. O fato da questão é, você é uma testemunha-chave, e neste caso tem implicações de longo alcance e envolve pessoas muito importante e de alto perfil. Eles vão querer mantê-la perto e colocá-la no programa de proteção a testemunhas até testemunhar.” “Noah? Liam?” Lauren perguntou em voz trêmula. “Nós consideramos essa possibilidade,” disse Noah suavemente. “Nós estamos indo apenas para permitir que você faça isso se estiverem em nossos termos. Queremos certas coisas por escrito ou se o promotor não conseguir falar com você. Juro! Teremos nossas bundas jogadas na cadeia, mas você estará em seu caminho de volta aqui com Seth e os outros onde vai estar protegida.” Seu rosto ficou branco e seus olhos arregalaram em alarme. “Isso não vai acontecer, bebê,” disse Liam com calma. “Nós vamos trabalhar com isso. Confie em nós.” Ela prendeu a respiração e, lentamente, relaxou. “Vamos precisar usar seu jato, Sr. Wilder,” disse Noah. “Nós não queremos uma trilha de registro em papel, qualquer coisa com o nome de Lauren nele. Não quero que ela mostre sua identificação, usando um cartão de crédito. Nada. Nós estamos indo para alterar sua aparência para seu encontro com a promotoria para que se algo der errado, não terão uma descrição precisa dela.”

203


“Não fomos capazes de localizar todas as fotografias de Joel Knight e Lauren juntos,” Liam interrompeu. “Nem pudemos encontrar pessoas que sabiam de Lauren. As únicas pessoas que são susceptíveis de saber como ela se parece são Joel Knight e as pessoas que trabalham mais próximo com ele. Uma das mulheres que trabalhava para ele identificou Lauren, mas ela está morta agora.” “Ele me manteve isolada,” disse Lauren, em voz baixa. “Nós não fazimos muitas aparições públicas juntos e foi sempre sem muitas pessoas. Eu era esperada para ser a companheira perfeita. Bem vestida, perfeitamente submissa. Em outras palavras, um ornamento bonita. Ele tentou manter-me separada do seu “negócio” e qualquer pessoa associada a ele. Eu era basicamente um brinquedo que ele puxava quando era conveniente.” A amargura e auto-aversão em sua voz comeram Liam. Ele não queria nada mais do que ela ser capaz de esquecer que o bastardo jamais existiu. Eles estavam em uma estrada áspera nos próximos meses. Inferno, essa coisa poderia se estender por anos. “Eu trouxe a questão de proteção a testemunhas, porque queria aconselhá-lo a mantê-la perto,” Adam interrompeu: “Não deixe que eles te separem. Certifique-se disso, se isso é o que tem que acontecer, que você seja capaz de ficar com ela.” Ele olhou para Holly enquanto falava, dor escurecendo seus olhos. “Minha esposa esteve uma vez na mesma posição, e ela ficou longe de mim e meus irmãos para nos proteger. Essa separação foi um inferno para nós. Se você a ama, então tenha a maldita certeza que ela fica com você.” Houve um acordo imediato de ambos, Ethan e Ryan. O olhar de Holly suavizou quando olhou para seus maridos. “Nós não estamos deixando-a ir, senhor,” disse Noah, endurecendo sua voz. “Não acho que muitos de vocês devem ir,” Holly falou. A sobrancelha de Seth levantou.

204


“Não me venha com esse olhar, meu jovem,” disse ela, exasperada. “Você já olhou para os homens nesta sala? Não há nenhuma maneira toda uma horda de que vão passar despercebido quando entrarem na cidade. Percebo que é bom quando se trata de proteger Lauren, mas se você está tentando passar sem chamar a atenção, vai falhar miseravelmente se dois de meus maridos ir e dois de Lily.” Os olhos de Michael brilharam com diversão. “Ela tem um ponto.” “Nem todos nós seremos visíveis,” disse Seth com paciência. “Na verdade, a questão toda é ficar fora de vista. Vamos voar à noite. Pedir a alguém que faça o registro no hotel. Isso significa que todos nós vamos ter que ficar no mesmo quarto, mas prefiro não mostrar quantos estão na nossa festa e como a mãe de forma tão eloquente disse, se estamos fora em plena luz do dia, não estaremos indo para passar despercebidos. Uma pessoa vai para a reunião com o promotor, no entanto, colocamos dois no mesmo local, no caso da situação ficar feia ou for uma armadilha. Os outros três permanecerão com Lauren com instruções estritas de que, se eles não estão em contato em um momento previamente combinado, vão correr com Lauren dali.” Lauren baixou o rosto para as mãos e esfregou cansada. “Não posso permitir que todos se arrisquem a isso. Está começando a assustar o inferno fora de mim. Todos esses ses e as possibilidades estão me deixando louca.” “Você não é permitida fazer qualquer coisa,” disse Dillon suavemente. “Você é uma parte desta família. Isso significa que nós vamos com você. Fim da história.” Holly balançou a cabeça em aprovação. “Esse é meu garoto.” Seth bufou. “Até a próxima vez que você deserdá-lo.” Holly o silenciou com um olhar rápido. “Ok, então estamos de acordo sobre quem vai e quem fica,” disse Noah, trazendo o assunto de volta bruscamente no alvo. “O próximo passo é entrar em contato com a promotoria e ver se ele morde.” 205


Liam procurou o olhar de Lauren, esperando até que ela sentiu seu olhar e olhou para ele. “Você está pronta para fazer isso?” Ele perguntou baixinho, dando-lhe uma última oportunidade de voltar atrás. Ela lentamente levantou o queixo e endireitou os ombros. Callie apertou seu aperto na mão de Lauren e Lily chegou no colo de Callie para adicionar a sua própria. Holly passou o braço em volta dos ombros de Lauren, emprestando sua força como as outras mulheres tinham feito. Lá no porão apertado de sua família, Lauren assentiu. Sua voz era firme e cheio de determinação. “Sim. Estou pronta. Faça a chamada.”

206


Capítulo Vinte e Quatro “QUERIDA, você tem que parar de andar,” Holly encostou no bar. “Você está indo para fazer um buraco no meu chão.” Lauren fez uma pausa e suspirou. “Sinto muito. Isso está me deixando louca. Quanto tempo demora, possivelmente, para dar um telefonema?” “Não é qualquer telefonema,” Callie assinalou. “Vem sentar-se,” Lily insistiu. “Toda essa ansiedade não pode ser bom para você. Eu sei que não é bom para mim.” Lauren se sentou no banquinho ao lado de Holly, que queria o conforto e orientação da mulher mais velha. “O que fez você decidir enfrentar seu ex-marido? Eu não consigo imaginar a força que a levou se separar dos homens Colters e ficar sozinha por todo esse processo.” Holly suspirou. “Não fui tão corajosa quanto você faz parecer. A verdade era que eu estava apavorada. Tinha acabado de ser terrivelmente atacada por um homem contratado por meu ex-marido para me matar. Ryan havia sido baleado tentando me proteger. Pensei que ele estava morto.” Sua voz tremeu e dor encheram seus olhos. “Tudo o que conseguia pensar era que Ryan tinha sido ferido por minha causa, e eu não queria perder os homens que amava mais que tudo. Também sabia que eles nunca concordariam em me deixar ir, por isso, tomei a decisão por eles. Entrei em contato com o promotor, em São Francisco. Arranjei para ele vir para o hospital para conversar comigo, e 207


depois saí do hospital em prisão preventiva e assim permaneci por vários meses. Foi durante esse tempo que descobri que estava grávida.” Seus lábios se transformaram em um sorriso triste. “O melhor e o pior momento da minha vida. Estava muito feliz com o pensamento de ter um filho e devastou porque estava isolada deles, sem um tempo para terminar. Graças a Deus, meu ex-marido confessou, o que significava que eu não tinha que depor. Estive apenas fora por um pouco mais de cinco meses, mas juro que pareceu uma eternidade.” “Não quero ser separada de Liam e Noah,” disse Lauren, em voz baixa. Ela olhou para as mulheres sentadas no bar. “Eu não quero ser separada de qualquer um de vocês também.” “Não quero que você vá também,” disse Callie ferozmente. “Isso vai dar certo, Lauren. Precisa dar. Você estará mais segura aqui conosco do que em qualquer programa de proteção a testemunhas. Não há como os pais ou os meus irmãos ou Max e Liam e Noah vão deixar alguém entrar na nossa casa e te machucar.” Lauren suspirou novamente. “Isso é um pensamento agradável e soa bom para dizer, e não tenho nenhuma dúvida de que a intenção é certamente sincera. Mas quão realista é dizer que eu sou intocável? Nós não temos nenhuma maneira de saber o que Joel vai fazer. Com o medo que estou, não posso suportar a ideia de que algo aconteça a um dos pais ou a um dos maridos de Lily ou meu irmão. Ou aos homens que amo,” acrescentou ela em silêncio. “Oh, querida,” disse Holly, apertando-lhe a mão com força. “Você tem que parar de carregar tanta coisa. Você não é a culpada, se algo acontecer a um dos nossos homens. Essa culpa recai sobre os ombros de Joel Knight.” “E é isso que você pensou quando você decidiu ir longe dos pais?” Lauren perguntou incisivamente.

208


Holly corou, seu rosto virando rosa. “A questão é que eu não estava pensando no momento. Estava com medo. Tinha passado por uma experiência traumática e estava agindo por instinto. Meu instinto foi o de protegê-los.” “Meu instinto é para proteger as pessoas que amo,” disse Lauren. “Nós entendemos,” disse Lily. “Realmente, fazemos, Lauren. Mas deixe-os ajudá-lo. Nossa força está em nossa família. Não em um indivíduo.” Holly sorriu para sua nora. “Minhas filhas são mulheres extremamente inteligentes. E Lily está exatamente certa. A nossa força não vem de uma pessoa. É do nosso vínculo. A nossa vontade de passar o bastão um para o outro.” Elas imediatamente ficaram em silêncio quando Liam entrou na cozinha, sua expressão era sombria. O coração de Lauren caiu para os dedos dos pés e ela alcançou cegamente a mão de Holly, precisando de seu apoio mais do que nunca. Holly agarrou sua mão e apertou-a com força. “O que aconteceu, o que foi que ele disse?” Lauren deixou escapar. “Ele quer falar com você,” disse Liam. Seus olhos arregalaram. “Por que?” “Ele só quer ter certeza de que não estamos o enganando. Não acho que é nada para se preocupar. Só não derrame tudo do seu lado no telefonema. Sem nomes. Ele pode dizer o que quiser, mas mantenha as suas respostas para o mínimo. Sim ou não, são as melhores respostas. Se há alguma coisa que esteja insegura, você o coloca em espera e corra para nós. Ok?” Ela engoliu em seco e assentiu. “Ok.” Ele estendeu a mão para ela. Holly desembaraçou a mão de Lauren e a persuadiu a ir para frente. Liam passou o braço em volta dela, apertando-lhe brevemente antes de guiá-la para a sala, onde os outros estavam sentados.

209


Noah estava sentado no sofá, com a mão enrolada em torno de um telefone sem fio. Quando viu Lauren, colocou o telefone de volta na base e apertou o botão para o viva-voz. Ele levantou um dedo aos lábios para sinalizar a Lauren para não falar que todo mundo estava ouvindo. Então apontou para ela começar a conversa. “O-Olá?” Lauren começou hesitante. “Com quem estou falando?” A voz do homem era nítida e distinta, e isso fez Lauren instantaneamente nervosa. Ela olhou para Liam, que acenou com a cabeça que devia responder. “Lauren Wilder,” respondeu ela. “E, a Sra. Wilder, você teria a gentileza de fornecer algumas simples informações para verificar a sua identidade?” Ela franziu a testa, franzindo a testa com força. Noah levantou a mão e acenou com a cabeça e, em seguida, fez sinal para ela responder. “Ok,” ela relutantemente concordou. “Você pode nos dar o seu último endereço conhecido?” Ela franziu a testa mais difícil. Tecnicamente seu último endereço era o seu apartamento aqui em Clyde e nenhuma maneira no inferno que ela estava dando a este homem essa informações. E antes disso, havia o apartamento que Max a tinha mudado depois que ela deixou Joel. Mais uma vez, nenhuma maneira que estava dando isso. Mas nenhum desses endereços os policiais teriam qualquer conhecimento, de modo que não se poderia esperar tanto. Liam estava furiosamente rabiscando algo em um pedaço de papel e, em seguida, levantou para ela que dizia, de-lhe o endereço da residência que morava com Joel. Com uma voz hesitante, ela deu ao homem no telefone o endereço da cobertura onde ela e Joel tinham passado um ano. 210


“Obrigado,” disse o homem. “Você também pode verificar a sua data de nascimento e a cidade você nasceu?” Todas as perguntas estavam fazendo-a desconfortável, mas Noah e Liam foram dizendo a ela para responder, de modo que forneceu as informações solicitadas, desejando que pudessem apenas ir em frente. “Obrigado, Sra. Wilder. Não posso te dizer como estamos felizes em ouvir você. Meu escritório esteve à sua procura por algum tempo.” O alívio foi evidente em sua voz, mas suas palavras enviaram alarmes gritando através de seu sistema. Ela puxou sua cabeça para cima, com medo buscando Noah e Liam mais uma vez. Noah estendeu a mão e apertou o joelho num gesto destinado a acalmá-la, mas o fato de que havia mais pessoas procurando por ela a assustou. “Agora que sua identidade foi estabelecida, você vai falar comigo sobre os arranjos,” Noah inseriu sem rodeios. “Sim, claro Sr... Como você disse que seu nome era?” “Eu não.” Houve uma longa pausa, e então Noah fez sinal para Liam levar Lauren de novo. Ela franziu a testa, querendo ouvir o que foi dito, mas Noah apertou para tirar o viva-voz e pegou o telefone novamente. “Vamos lá, bebê,” Liam murmurou. “Por que não posso ouvir?” Ela perguntou, enquanto caminhavam de volta para a cozinha. “Porque nós preferimos o que for decidido sobre vir de mim e Noah,” disse Liam, francamente. “Sugestões de audição ou pedaços só vai lhe causar estresse desnecessário. Noah

211


não vai concordar com nada que não seja de seu interesse, e ele terá a maldita certeza que não vai colocá-la em uma posição que sentimos que não seja segura.” Ela entrou em seus braços, querendo e precisando de seu abraço. Enrolou os braços ao redor de sua cintura e esfregou seu rosto contra seu peito. “Sei que você não vai. Só estou com medo, Liam. Não apenas por mim. Estou com medo por todos nós.” “O que está acontecendo, Liam?” Holly exigiu. “Estamos todas morrendo de vontade de saber aqui. Se alguém não me diz logo, vou machucar alguém.” Liam sorriu. “Desculpe, Sra. C. Assim que eu souber, você vai saber. Eu prometo. Noah está fazendo os detalhes agora. O promotor estava desconfiado sobre o processo sem saber se estava realmente falando com Lauren ou não. Aparentemente eles estão procurando por ela, o que significa que queriam interrogá-la por um tempo. Se for esse o caso, vai querer falar com ela imediatamente. Ele vai estar fora de si sobre a evidência que Lauren tem.” “Você cuide do meu bebê,” disse Holly. “Eu vou fazer o meu melhor para ter certeza que nada nunca a machuque novamente,” disse Liam em voz sombria. “Lily, você está bem?” Lauren perguntou, alarmada com a palidez de Lily. Holly e Callie empurraram ao redor, seus olhares preocupados bloqueados imediatamente para a mulher grávida. Holly correu em direção ao bar, colocando o braço em volta dos ombros de Lily. “Estou bem,” Lily protestou. “Se meus filhos a veem parecendo tão pálida, como você está agora, está tudo acabado,” disse Holly severamente. “Eles vão ter você em casa e na cama, preocupando-se com suas cabeças tolas. Fale comigo. Você está se sentindo bem? É o bebê?”

212


Lily balançou a cabeça. “Eu não dormi bem na noite passada. Estou preocupada com Lauren. Nada demais. Sério. O bebê está dormindo agora e não sinto dores em minhas costelas.” Os lábios de Lauren apertaram. Todos na família Colter foram afetados por sua situação. Ela desejava agora que fosse só ela, Noah e Liam indo e os outros não têm que estar envolvidos. Lily estava prestes a ter um bebê, e tinha que se preocupar com o fato que dois dos seus três maridos estavam fora com Lauren em uma situação em que o pior poderia acontecer. “Se você disser uma palavra sobre o que acho que você está pensando, vou te machucar,” disse Lily ameaçadoramente. As sobrancelhas de Lauren subiram ao perceber Lily estava falando com ela. Lily ficou desajeitadamente fora do banco do bar e foi até onde estava Lauren. Ela pegou a mão de Lauren e a segurou. “Seth é o xerife. Proteger as pessoas é o que ele faz. Ele é chamado para fora em todos os momentos da noite. Nunca há um deles que não se preocupe com ele. Não há nenhuma maneira que ele iria permitir uma ameaça contra a sua família e não ir resolver. Ele é assim.” Ela sorriu suavemente e olhou para Holly. “Acho que ele tem um monte de seus pais nele. Todos eles fazem.” Amor por seus maridos e seus filhos brilhavam como um farol nos olhos de Holly. Ela virou o olhar de amor sobre Lauren e sua nora. “Seth tem o melhor de seus pais,” disse Holly, sua voz cheia de emoção. “Meus meninos nunca me decepcionaram.” “Esse é o meu trabalho,” disse Callie secamente. Holly deu uma risadinha. “Admito, eu gosto que na maioria das vezes os seus dias de viajar e espírito inquieto estão no passado. Gosto de ter você aqui, em casa, onde pertence. Você 213


e Max, ambos. Mas bebê, você nunca me decepcionou.” Seu tom de voz era firme, mesmo quando o amor e o orgulho brilhava em seu olhar. “Nenhum dos meus filhos, biológicos ou não, já me decepcionaram. Posso estar decepcionada com o fato de que você não está em casa onde pertence e ainda estar tão orgulhosa de você, como posso estar.” Ela puxou Lauren em um abraço feroz. “E agora, talvez você vai estar em casa onde pertence também. Bem aqui onde eu possa ser sua mãe para sempre, isso me faria a mulher mais feliz do mundo.” Lauren não se atreveu a espreitar Liam, porque isto ainda era um assunto doloroso para ela e tentou não abordar com Noah e Liam com muita frequência. Eles poderiam ter fortes sentimentos um pelo outro. Eles poderiam ter feito um compromisso sincero. Mas no final do dia, Clyde, Colorado, era uma maneira, um longo tempo de vida longe de Nova York, e a vida que ela levou uma vez lá. A vida que ela não queria mais.

214


Capítulo Vinte e Cinco NOAH desligou o telefone e olhou para os outros homens reunidos na sala. “Ok, bem, você ouviu os detalhes. Alguém tem algo que eu não cobri na conversa?” Seth balançou a cabeça. “Acho que devemos ir a Raleigh, pelo menos um dia antes de Castanetti, se não dois. Quero estar lá quando ele verificar para o hotel, e quero monitorar seus movimentos, telefonemas, tudo o que podemos obter uma pista.” Noah queria que a promotoria pensasse que Lauren tinha fugido ainda mais para baixo da Costa Leste. Um lugar lógico para alguém na área de Nova York ir. Propositalmente caiu várias insinuações de fazer Castanetti achar que Lauren estava agora ao longo da costa leste. “Posso ter o jato pronto sempre que precisar,” disse Max. “Vou arquivá-lo como uma viagem de golfe para executivos da minha empresa. O voo terá origem oficialmente a partir de Nova York, então vou ter que me mudar de imediato.” “Nós vamos viajar para Denver juntos,” continuou Noah. “Não quero Lauren sozinha ou desacompanhada por qualquer período de tempo, não importa quão curto. Nem quero ela indo ao banheiro sozinha. Assim que chegar em Raleigh, vou encontrar com Castanetti, mas Liam e Seth estarão no mesmo restaurante algumas mesas a distância.” Ele se virou para os Colters mais velhos e Dillon. “Eu quero vocês três para ficar com Lauren no hotel que nós escolhemos. Nós vamos ter um tempo definido para relatar e se você não ouvir de nós, se estivermos sequer um minuto atrasado, vocês correm com ela. Leve-a para o aeroporto o mais rápido possível e dê o fora de lá. A única prioridade é a sua segurança. Se

215


algo acontecer a mim e Liam, quero que vocês a levem para casa e tomem todas as medidas necessárias para garantir a sua proteção.” Os outros assentiram em compreensão. “Ok, então, eu gostaria de levar Lauren de volta para casa para que Liam e eu possamos falar com ela em particular,” disse Noah. “Vamos verificar novamente antes de partir para Raleigh. Se deixarmos em três dias, isso nos dá muito tempo para chegar à frente do promotor e configurar tudo.” Adam, Ryan, Dillon e Seth assentiram o seu acordo. Para Ethan, Michael e Max, Noah ficou mais sério. “Vocês precisam estar em guarda enquanto estivermos fora. Não temos ideia de quão longe isto é ou o que Joel Knight vai fazer, a fim de manter Lauren quieta. Vocês vão precisar assistir Holly, Callie e Lily como falcões. Não as deixe ir a lugar nenhum sozinhas, e certifique-se de que estejam sempre com elas.” Os outros homens franziram o cenho e cruzaram os braços sobre os seus largos peitos. Sua linguagem corporal disse tudo o que eles não fizeram. “Nós vamos manter contato,” disse Noah em voz baixa. “Agora quero levar Lauren a casa. Ela está chateada e abalada. Quero uma chance de explicar o que está acontecendo com ela em particular, para que não se considere o perigo potencial para a sua família. Ela é muito relutante em fazer qualquer coisa que faça a qualquer um de vocês mal.” “Ela é nossa,” disse Adam simplesmente. “É o que nós fazemos para a família.” Ele parou por um longo momento e depois olhou para ambos Liam e Noah, levando-os tanto em seu olhar intenso. “Vocês são da família agora também. Essa proteção se estendem a vocês.” Noah ingeriu, pego de surpresa pela onda de emoção que sentiu ao ouvir as palavras do homem mais velho. Noah sabia que ele tinha família. Os pais de Liam. Eles eram tanto os pais como se ele tivesse nascido deles. 216


Mas assim que entrou na casa Colter, assim que conheceu Seth e os irmãos de Seth sabia como ferozmente protetora de Lauren eram e de suas próprias mulheres, não tinha sido uma parte dele que tinha egoisticamente querido essa própria conexão. Desde que ele era um adolescente, os pais de Liam e Liam tinha sido apenas um apoio de Noah. As únicas pessoas que tinha a quem recorrer. E agora, através de Lauren, uma mulher incrível, linda, tinha ainda mais alargado a família. Boas pessoas. O tipo que sempre desejou. “Isso significa muito para mim, senhor,” disse Noah, com a voz embargada. Adam sorriu, com os olhos cheios de compreensão, como se soubesse todas as partes do passado de Noah. “E você pode parar de me chamar de senhor, filho. Estou orgulhoso que Lauren tem homens que sabem o significado de respeito, mas você é da família agora, então você pode me chamar de pai como todos os outros, ou pode me chamar de Adam. E se eu conheço minha esposa, se você chamá-la de Sra. Colter, ela vai ter um gatinho. Ela tem um monte de nomes, mas todos eles são ditos com amor. Você pode chamá-la de mãe, Mama C, Sra. C, mas não a Sra. Colter. Ela é detalhista quanto a isso.” O nó na garganta cresceu mais de Noah e ele olhou automaticamente para Ethan e Ryan Colter para ver se eles compartilhavam a opinião de Adam. Ryan Colter estendeu a mão e apenas disse: “Bem-vindo à família. Espero que você cuide bem de nossa menina. Ela é o bebê agora. Nós nos importamos muito com ela. Ela passou por um momento difícil.” “Vamos,” Liam falou de alguns metros de distância, quando Noah apertou a mão de Ryan. “Isto não é uma aventura para nós, senhor. Eu amo Lauren. Ela tem sido isso para mim desde o momento em que coloquei os olhos nela. Não queria deixá-la ir quando o Sr. Wilder chegou para buscá-la, mas sabia que ela precisava de um tempo com sua família e que precisava de tempo para se curar. Mas nunca houve uma questão de não vir para ela.” 217


“Mesmo aqui,” disse Ryan rispidamente. “Você pode me chamar de Ryan ou de pai. Eu vou responder a qualquer um. Sr. Colter só me faz parecer velho e chato.” Max pigarreou e levantou-se. “Preciso de um momento a sós com Liam e Noah se o resto não se importa.” Ethan olhou atentamente para Max, falando pela primeira vez. “Isso depende do que pretende dizer. Não quero nenhum problema, e a última coisa que sua irmã precisa é de mais turbulência. Você a aborrece e não é conosco, que você vai ter que se preocupar, porque vai ter uma muito chateada Holly Colter para enfrentar.” Max sacudiu a cabeça. “Há algumas coisas que precisam ser esclarecidas. Isso é tudo.” “Então nós vamos estar na cozinha,” disse Adam. “Vocês, rapazes, venham pegar Lauren quando terminarem. Tenho certeza que tem muita coisa que precisam trabalhar entre vocês quando voltarem para o seu apartamento. Mas antes de ir, quero fazer um convite para vocês três ficarem aqui. É um inferno de muito mais isolado. É privado. E seria muito mais seguro do que estar na cidade. Essas travas no apartamento de Lauren não valem nada. Eu tinha planejado ir para corrigi-los, uma vez que ela se mudou, mas com tudo o que está acontecendo, não houve tempo.” Liam e Noah trocaram olhares. Liam levantou a sobrancelha e assentiu. Noah virou-se para Adam. “Não é uma má ideia, senhor — Adam.” “Vamos falar com Lauren sobre isso e voltar com você,” acrescentou Liam. “Eu gosto da ideia de tê-la fora da lanchonete onde qualquer pessoa possa vê-la.” “Apenas me dê uma chamada. Temos muito espaço,” disse Adam. Os Colters mais velhos saíram da sala para a cozinha, deixando seus filhos os seguirem. Max permaneceu e Noah se preparou para o confronto. Quando ficaram sozinhos, Max olhou atentamente para os outros dois homens.

218


“Eu não gosto da velocidade em que este relacionamento progrediu,” disse ele com uma careta. “Lauren está extremamente vulnerável agora.” Os lábios de Liam se contraiu e ele olhou para Max. “Só porque você teve a sua cabeça na sua bunda onde Callie estava preocupado não significa que o resto de nós não está quando se trata de nossa mulher.” O rosto de Max corou um vermelho escuro, e então ele suspirou. “Sente-se, ambos. Não vou tentar chutar o seu traseiro. Eu só quero algumas respostas.” Noah se sentou em uma das poltronas. Liam estava mais relutante em sentar-se, mas foi à beira da outra poltrona. “Você está certo. Eu fiz a minha parte de erros com Callie. Lutei contra o inevitável. Tenho muita sorte de não perdê-la e que ela tem uma generosa natureza de perdão tão amorosa.” “Então talvez você entenda por que não estamos dispostos a fazer qualquer coisa para arriscar Lauren. Fisicamente e emocionalmente,” disse Noah em voz baixa. “Nós não estamos lutando contra qualquer coisa. Queremos ela. Não importa quanto tempo leve.” “Olha, é difícil para mim envolver minha cabeça em torno do tipo de relacionamento que você está querendo com minha irmã,” disse Max dolorosamente. “Há muitas razões pelas quais, não faz minha cabeça girar. Eu percebo que os Colters têm uma relação muito atípica e de família. Ninguém pisca um olho sobre eles. É apenas uma parte do pacote Colter. Você não precisa nem mesmo questioná-lo, porque você olha para eles e vê quem eles são. E é tão evidente que aqueles homens amam suas esposas e que as mulheres amam cada homem igualmente. Mas também é como olhar para uma fantasia. Algo que não é real. Lauren é a minha irmã. Eu a amo muito e ela se machucou demais em sua jovem vida. Quero protegê-la e quero que ela seja feliz. E enquanto um relacionamento como os Colters é muito bom para eles, a ideia de Lauren estar envolvida com ambos chateia o inferno fora de mim.” 219


Liam pigarreou, mas Max levantou a mão. “Deixe-me terminar. Deixe-me tirá-lo para que possamos limpar o ar.” Noah assentiu e deu a Liam uma rápida olhada para se firmar. “Os Colters vivem aqui. Em Clyde. Uma cidade que tem sido um desafio sempre. Seu filho é o xerife. Os pais têm amigos que datam de mais de trinta anos. Eles vivem uma existência muito isolada em uma pequena população que aceita a sua disposição incomum. Este não é o resto do mundo, no entanto. Você já pensou para onde vai viver com Lauren? Já pensou se você tiver filhos e que tipo de vida que eles terão?” As palavras de Max não sairam em uma torrente furiosa. Ele era apaixonado e, obviamente, preocupado com sua irmã, algo que Noah poderia muito bem entender. “E as suas famílias?” Max acrescentou calmamente. “Elas estão indo para aceitar e compreender a relação que você e Lauren têm?” Noah olhou para Liam porque tinha sido a mesma pergunta que teve no início. “Noah não tem família,” disse Liam em voz baixa. “Minha família é a família dele. Eles vão adorar Lauren e enquanto Noah e eu somos felizes, eles vão ser felizes por nós.” “Meu ponto é que você não podem protegê-la de tudo,” disse Max. “Haverá sempre alguém que questiona ou não entende ou abertamente insulta você e Lauren por causa de quem você ama.” “Nós entendemos isso,” disse Liam rispidamente. “E nós não temos todas as respostas agora. A única coisa que ocupa a nossa mente é levar Lauren através desta coisa com Joel Knight com segurança. Uma vez que ela está livre dessa ameaça, então a escolha será dela para fazer para saber se quer uma vida com a gente. De lá nós vamos levar um dia de cada vez, mas ela nunca vai estar sozinha. Ela sempre vai ter a gente. E vai ter sempre você e o Colters.” Max assentiu. “Entendo e aprecio sua devoção a sua segurança. Peço desculpas por alguns dos meus comentários anteriores. Lauren é muito querida para mim. Depois da nossa 220


mãe morrer, era apenas nós dois, e sinto que falhei com ela porque não estive por perto para ver o tipo de homem que Joel Knight era. Estava muito trancado em meu próprio inferno particular sobre Callie.” “Desculpas aceitas,” disse Noah. Max olhou fixamente para Noah, como se estivesse tentando ver profundamente dentro da cabeça de Noah. “Você a ama?” Ele perguntou sem rodeios. “Liam tem sido muito inflexível sobre seus sentimentos, mas você não teve nada a dizer.” Noah não precisava de tempo para pensar em sua resposta. Ele só não era tão confortável em jogar as palavras em torno do público. Para ele, eram íntimas, palavras particulares e se usado em demasia, perdiam o seu significado. Ele as cobiçava, sem nunca ter ouvido falar delas enquanto crescia. Para ele, eram o presente mais precioso para dar a outra pessoa. “Essas palavras são apenas para Lauren,” disse Noah com uma voz suave. “Ela significa mais para mim do que qualquer outra pessoa já significou. Não estaria aqui se não fizesse.” Aparentemente satisfeito com a resposta de Noah, Max levantou-se e estendeu a mão para apertar a de Noah. Noah apertou-a e, em seguida, virou-se para Liam, para fazer o mesmo. “Se você precisar de alguma coisa, qualquer coisa, não hesite em me contactar,” disse Max. “Dê-me uma data de partida e vou ter certeza que o jato esteja pronto.” Noah balançou a cabeça, em seguida, virou-se para Liam. “Vamos pegar Lauren. Temos muito para passar por cima com ela.”

221


Capítulo Vinte e Seis

“O QUE ele disse?” Lauren perguntou ansiosamente, quando se afastaram da casa dos Colters. “Ele está muito ansioso para falar com você,” disse Noah. “Aparentemente, estavam à sua procura há algum tempo. Estavam preocupados que você encontrou um destino semelhante como algumas das outras mulheres da associação Knight.” “Eles pensaram que eu estava morta?” Lauren suspirou. “Eles não tinham certeza o que pensar. Apenas que você desapareceu e estavam muito interessados em falar com você. Eles estão investigando Knight por mais de um ano, mas ele é completamente limpo e ninguém dentro de sua organização vai falar. Eles foram à procura de qualquer maneira em que pudessem encontrar você.” “Assim, ele acreditou em você? Quero dizer sobre a informação que temos?” “Nós não entramos nesse tipo de detalhe,” disse Liam severamente Ela franziu o cenho. “Não entendo. O que disse a ele?” “Que tinhamos provas incriminatórias, provas detalhadas, que ele estaria interessado,” disse Noah. “Eu não queria entregar tudo. Ele aproveitou a oportunidade. Eu praticamente podia ouvi-lo babando através do telefone.” Lauren ficou em silêncio, as palavras de Holly Colter ecoando em sua cabeça. “Isso pode levar um longo tempo,” ela finalmente murmurou, seu olhar deslizando para o lado para que pudesse olhar as expressões de Noah e Liam. “Eu estava conversando com 222


Holly sobre quando ela estava em prisão preventiva. Passaram meses antes que ela visse Adam, Ethan e Ryan de novo, e isso poderia ter sido muito mais tempo, exceto que o ex-marido confessou no último minuto, em vez de ir a julgamento.” A mão de Liam deslizou por cima do ombro e apertou tranquilizador. “Não importa quanto tempo leve, nós vamos estar lá com você.” “E a sua família?” Ela perguntou ansiosamente. “Isto parece ser um monte de coisas saltando sobre eles. Não só você e Noah estão envolvidos com a mesma mulher... eu... mas agora pode ter que desaparecer por meses ou mais por causa do que estou fazendo.” “Vou chamá-los antes de ir encontrar Castanetti,” disse Liam. “Vou explicar tudo para eles, então.” Lauren torceu suas mãos em agitação. “Não quero que eles me odeiam antes que sequer me conheçam.” Noah sorriu. “Não posso imaginar os Prescotts odiando alguém, e certamente não alguém tão doce e linda como você. Eles vão te amar, Lauren. Admito, eu estava preocupado no início, mas estava fazendo uma enorme bagunça. Eles são alguns das mais amorosas pessoas que já conheci. Tive a sorte de ser capaz de chamá-los de minha família.” “Temos muita sorte,” disse Liam em voz baixa. “Temos a sua família solidamente atrás de nós e eles são, obviamente, extremamente leal, e nós temos a minha família que eu esperaria nada menos. Com as famílias como as nossas, nós não podemos perder.” “Gostaria de conhecê-los,” disse ela melancolicamente. Noah puxou sua mão para beijá-la. “Assim que possamos organizar, vamos absolutamente levá-la para conhecer os pais de Liam. Mas você vem em primeiro lugar.” Quando chegaram a cidade, Noah estacionou em frente a clínica em um dos espaços de estacionamento na rua. Ele deixou o SUV e parou pela porta e Liam saiu do carro e abriu a porta de Lauren para ela. 223


Ela franziu o cenho. “O que está acontecendo? Onde você está indo?” “É para onde estamos indo,” disse Liam, tomando-lhe a mão. “Você e eu vamos correr até o seu apartamento para que possa fazer a mala. Nós vamos dizer-lhe tudo sobre isso e o plano. Eu prometo.” O sangue drenou de seu rosto. “Você acha que estamos em perigo aqui?” “Nós só não queremos correr nenhum risco, querida,” disse Noah brandamente. “Agora que já fizemos a chamada para o promotor, temos de nos preparar para qualquer eventualidade. Agora vá. Vou esperar aqui. Liam vai subir com você.” Virou-se permitindo que Liam a conduzisse escada acima para o apartamento. Uma vez lá, pegou a chave da mão dela e inseriu-a na fechadura. “Fique colada à minha volta,” ele ordenou laconicamente. Ela apertou-se em suas costas quando ele abriu a porta. Ele sacou a pistola e fez uma varredura rápida da sala. “Feche a porta, mas não a bloqueie,” Liam ordenou. “Ainda não. Você fica aqui perto da porta e não faça um movimento, enquanto verifico os outros quartos. Se eu gritar com você para sair ou se ouvir qualquer coisa que soe diferente, você corre de volta para Noah. Entendido?” Ela assentiu. Ele desapareceu em seu quarto e voltou poucos segundos depois, sua arma abaixado para o chão ao seu lado. “Ok, entre e comece a fazer a mala. Vou ter o meu material e de Noah prontos em apenas alguns segundos.” Foi difícil decidir o que levar e o que deixar. E se ela nunca mais voltasse ao apartamento de novo? Era um pensamento histérico, mas não estava fora do reino das possibilidades. 224


Sua decisão tinha o poder de alterar o curso da sua vida inteira. Não só dela, mas Noah e Liam também. De sua família também. Ela fechou os olhos. Oh Deus, por favor deixe-a ter tomado a decisão certa. A escolha certa. Apenas uma vez. “Lauren?” Chamada de Liam da sala a fez entrar em ação. Ela rapidamente passou por seu armário e tirou várias roupas dos cabides. Ela só tinha uma mala, mas tinha uma mochila que poderia levar um pouco, de modo que usou isso para sapatos, calcinhas e meias, e todos os seus produtos de higiene pessoal. Na mala, empilhados jeans, calças sociais, duas saias e tops de todos os que ela tinha escolhido. Seu estômago agitou quando percebeu que iria certamente ser esperada para fazer uma aparição no tribunal. Ela voltou para o seu armário e levou três vestidos do final de tudo, e, em seguida, fez com que tivesse sapatos para combinar. Quão irônico seria para ela usar um dos vestidos que Joel tinha comprado para ela para depor no julgamento para condená-lo? No final, não conseguiu fechar a mala. Frustrada, se inclinou e empurrou, mas não conseguia movê-la. Sabendo que precisava de ajuda, ela chamou Liam. “Eu não posso obtê-la fechada,” disse ela, lançando-lhe a mão com impaciência na mala aberta sobre a cama. A sobrancelha de Liam subiu. “Eu posso ver o porquê.” “Eu não tinha certeza do que levar na mala,” disse ela defensivamente. “Quero dizer a embalar para um período de tempo indeterminado é uma espécie difícil, sabe?” “Shhh, bebê,” ele acalmou. “Está tudo bem. Vamos levar o que você embalou e se precisar de alguma coisa mais tarde ou se descobrir que esqueceu alguma coisa, Noah e eu vamos pegar para você. Não deixe que isso a estresse.” 225


Ela tomou uma respiração profunda. “Eu sei, eu sei. Sinto muito. Estou meio que apavorada agora.” Ele puxou-a em seus braços e beijou-lhe a testa. Depois de um abraço rápido e feroz, ele gentilmente se afastou e foi para fechar a mala. Seus músculos ficaram salientes, ele empurrou para baixo o suficiente para obtê-la fechada, e então ergueu-a para cima para que pudesse tirá-la da cama e no chão para que pudesse ser rolada. “Tudo está pronto?” Ele perguntou. Ela olhou ao redor do quarto uma última vez e, em seguida, assentiu. “Obtenha seu saco. Vou levar a mala. Assim que chegar no carro com Noah, vou voltar para o meu e de Noah.” Ela pegou a mochila de grandes dimensões e colocou a cinta por cima do ombro, e depois seguiu Liam de volta pela sala e desceu as escadas para a rua. Noah saiu para ajudar a colocar as malas na parte de trás, e então ele guiou Lauren para o banco do passageiro, enquanto Liam corria de volta até as escadas para as outras bolsas. “Para onde vamos?” Lauren perguntou para Noah enquanto esperavam. “Nós vamos passar a noite em um hotel, para que possamos falar sobre tudo que vai seguir em frente e para que você possa se sentir confortável com o plano. Amanhã vamos ir de volta para os Colters, onde vamos ficar até que voemos para Raleigh.” Liam abriu a porta para o banco de trás e deslizou para dentro. “Tudo pronto. Vamos.” “Vocês dois não se importam de ficar nos Colters?” Ela perguntou quando Noah puxou para fora do local de estacionamento. Noah balançou a cabeça. “Está isolado. É privado. Isso vem com um inferno de um lote de proteção embutida. E eles são sua família. Isso é bom o suficiente para mim.” Ela sorriu. 226


“Mas, para hoje à noite, eu queria você para nós mesmos,” disse Liam do banco traseiro. “Temos muito o que falar, sim, mas também queremos uma noite com você, onde não estamos preocupados com o que a sua família pode ou não ouvir ou quem está passando no corredor.” Suas bochechas ficaram quente, mas ela não podia controlar o arrepio de prazer com a promessa velada em sua voz. Noah pegou a mão dela e entrelaçou os dedos com os dela. “Queríamos uma noite — uma noite desta — para mostrar-lhe exatamente o que você significa para nós, antes de ter que lidar com o que está vindo pela estrada.”

227


Capítulo Vinte e Sete NOAH entrou no hotel para verificar enquanto Liam esperava no carro com Lauren. “Espero que você e Noah não estejam esperando muito com este hotel,” Lauren disse. “Clyde não tem muito de bons hotéis ou alojamento. Esses estão todos para o norte nas cidades de resort de esqui.” “Não estamos preocupados com o que o quarto tem,” disse Liam. “Enquanto você esteja nele, estamos bem.” “Eu te amo,” ela disse em voz baixa, testando a novidade das palavras em seus lábios. Ele pareceu surpreso, mas, em seguida, seus olhos arderam com o calor, deixando-a sem dúvida quanto à satisfação que isso tinha trazido. “Eu também te amo, baby.” “Eu nunca disse a ninguém isso antes,” desabafou. “Quero dizer, exceto Max e da família.” Ele estendeu a mão para tocar o cabelo dela, acariciando seus dedos entre os fios. “Então, estou feliz que Noah e eu tenhamos sido os primeiros.” “Você é o primeiro de uma série de maneiras,” ela admitiu. “Você é o primeiro homem que eu já efetivamente fiz amor. Eu não estive com muitos, mas o amor não era certamente um fator no sexo.” “Você entende que temos a intenção de ser os últimos,” disse Liam com um rosnado baixo. “Isso não é algo que nós tomamos de ânimo leve. Tanto quanto estou preocupado, isso é para sempre.” 228


Ela sorriu tristemente com a ironia. “Joel dizia que ele e eu éramos para sempre, e Deus, eu odiava essa palavra. Ele me dizia que eu nunca iria ficar longe dele. Mas quando você diz isso, parece... maravilhoso.” “Noah e eu vamos sempre colocá-la em primeiro lugar, bebê. Seus desejos, suas necessidades, o que é que te faz feliz.” “Eu costumava acreditar que os Colters e meu irmão eram os únicos homens de bem, e que eles eram uma espécie de anormais. Eu estava tão ciumenta de Holly e Lily que eu sofria com isso. Nunca pensei que iria encontrar alguém que me amasse como seus maridos a amam.” Ela voltou a sorrir para Liam, permitindo que o seu amor brilhasse abertamente. “Estava errada. Você e Noah são os meus cavaleiros brancos.” “Eu não iria tão maldito longe,” Liam resmungou. “Estamos bastante manchados para cavaleiros. Nós não somos perfeitos, Lauren, e não quero que você entre neste pensamento que somos. Nós cometemos erros. Somos ásperos em torno das bordas. E nós vamos estragar. Garanto que vamos estragar tudo. Só me prometa que vai ser paciente e colocar tudo para fora porque eu garanto a você, que ninguém vai te amar mais do que eu e Noah.” Seu coração derreteu, e ela queria chegar sobre o assento e agarrá-lo em um grande abraço. “Pois bem, apenas no caso de você e Noah sempre terem alguma dúvida, não há ninguém que nunca vai amá-los mais do que eu,” disse ela ferozmente. “Nem pense sobre procurar em qualquer outro lugar.” Liam sorriu e depois inclinou-se para beijar a ponta de seu nariz. “Você parece muito possessiva, senhorita Wilder. Eu gostei. Você pode ser possessiva comigo a qualquer hora. Garanto que não vou me importar nem um pouco.” Noah entrou no carro e entregou a Lauren e Liam um cartão chave. “Tudo pronto,” disse ele. “Vou dirigir em torno para a nossa vaga.” 229


Liam pegou a bolsa no assento ao lado dele e pegou um moletom com zíper. Ele empurrou-a sobre o assento para Lauren. “Coloque isso, bebê. Cubra-se. Cubra-se tanto quanto possível. Prefiro não transmitir o fato de que você vai ficar aqui.” Quando Noah puxou para uma das vagas de estacionamento traseiros, Lauren enfiou os braços no moleton e puxou o capuz sobre sua cabeça com segurança, certificando-se que o cabelo estava escondido da vista. “Vá lá dentro,” Noah instruiu. “Liam e eu vamos pegar as malas.” Lauren saiu do carro e correu para a porta. Ela inseriu seu cartão de acesso e, em seguida, empurrou para dentro. Ela tomou uma respiração profunda, satisfeita que não cheirava a fumaça ou mofo. Cheirava a limpo e os móveis não eram surrados. Ela corou quando pegou o fato de que havia apenas uma cama. Era muito grande para os três, mas era óbvio que não tinha intenção de dormir nem um pouco. Algum momento depois, Liam e Noah vieram através da porta, com os braços cheios de sua bagagem e suas próprias bolsas. Eles fecharam a porta e, em seguida, descarregaram por trás deles. “Primeiro ordem do dia é o que você gostaria de comer para o jantar,” disse Noah quando puxou Lauren para seu lado. Ele beijou sua testa, escovando seus lábios sobre sua pele. “Dillon se ofereceu para fazer o serviço de entrega para nós a partir do pub. Qualquer coisa que ele tem no menu, disse que vai entregar pessoalmente.” “Adoraria um sanduíche de clube,” disse Lauren.

230


“Eu posso lidar com isso,” disse Noah com um sorriso. “Por que você não vai se trocar e relaxar. Coloque um pijama confortável e vou pedir a nossa comida. Podemos comer e falar quando a comida chegar.” Isso soou perfeito para ela. Estava pronta para murchar após as voltas e reviravoltas emocionais do dia. Apressou-se no banheiro, querendo voltar para seus homens. Não havia nada que ela queria mais do que se enrolar contra eles e... ficar. Eles tinham um monte de planejar. Toda a sua vida iria mudar. Mas tinham jurado ficar com ela a cada passo do caminho. Se tivesse qualquer dúvida sobre o seu amor, ela não poderia duvidar disso ou deles agora. Eles estavam fazendo enormes sacrifícios e colocando suas próprias vidas em espera. Por ela. Quando estava vestida com o pijama e rapidamente correu uma escova no cabelo, se aventurou para fora do banheiro para ver Liam esparramado em uma das poltronas da suíte do hotel. Seu telefone celular estava ao seu ouvido e parecia relaxado. Noah estava sentado perto da janela, ocasionalmente furando os dedos atrás das cortinas para puxá-los suficiente para ver o estacionamento fora. Quando Liam a viu, ele deslizou a mão sobre o lado do telefone e murmurou, os meus pais. Os olhos de Lauren arregalaram e ela foi sentar-se na poltrona em frente a Liam para que pudesse ouvir a conversa. “Ela é incrível,” disse Liam suavemente, seu olhar fixo para Lauren enquanto falava. “Você vai amá-la tanto.” Lauren corou e se contorceu sob seu escrutínio apertado. Era estranho ouvir de si mesma, sendo falado em termos tão brilhantes.

231


“Tem mais uma coisa que você deve saber, mamãe e papai,” disse Liam, sua voz crescendo sério. Mesmo Noah virou de onde estava sentado perto da janela. Quando ele viu Lauren, levantou-se e atravessou a sala. Ele estendeu a mão para baixo para Lauren para puxá-la para cima, e, em seguida, sentou-se e puxou-a para baixo em seu colo. “Agora vem a parte divertida,” Noah murmurou. Lauren lutou contra o sorriso. Sim, ela estava nervosa sobre como os pais de Liam iam levar a explicação da sua relação, mas não estava tão nervosa que não conseguia apreciar o humor em uma conversa tão inesperada e um pouco desajeitada com os seus pais. Liam parecia nervoso. Ele passou a mão livre para baixo de seu jeans repetidamente. “Nosso relacionamento não é exatamente... tradicional,” disse Liam, mal-estar evidente em sua voz. Então ele empalideceu, arregalando os olhos e imediatamente começou a engasgar. “Mãe, não, eu não sou gay e Lauren não é um nome de cobertura para um homem. Sim, eu sei que você entenderia e não está me julgando, mas isso não é o que é.” Lauren começou a rir e Noah sacudiu com o riso contra ela. Liam suspirou e fechou os olhos enquanto ouvia o que aparentemente era uma longa corrente de conversa de sua mãe. “Mãe, aprecio que você está tão compreensiva, mas você vai me ouvir, por favor? Eu não estou saindo do armário aqui. Estou tentando lhe dizer que Noah e eu, ambos estamos envolvidos com Lauren.” Houve um longo período de silêncio no final de Liam, e não deve ter sido no final de seus pais também, porque Liam disse: “Mãe? Pai? Vocês ainda estão aí?” Ele agarrou o telefone um pouco mais apertado e, em seguida, respirou fundo. “Realmente não é tão complicado quando você olha para isso. A conhecemos quando seu irmão

232


nos contratou para protegê-la, e nós dois nos apaixononamos por ela. É realmente muito simples. Ela nos faz felizes e nós vamos fazer o nosso melhor para fazê-la feliz.” Ele olhou para Noah e Lauren. “Sim, Noah está aqui. Ele e Lauren ambos estão. Uh bem, espere um minuto.” Ele segurou o telefone para Noah. “Mamãe quer falar com você.” “Ah inferno,” Noah murmurou. Lauren levantou-se assim Noah poderia inclinar para frente e obter o telefone de Liam, e Liam puxou Lauren de volta em direção a ele para que ela pudesse se mudar do colo de Noah para ele. “Oi, mãe,” disse Noah. Mesmo que Lauren soubesse que ele estava nervoso, pareceu relaxar no momento em que falou com a mãe de Liam. “Sua família é realmente a família de Noah, não é?” Lauren murmurou para Liam. “Sim,” disse Liam em voz baixa. “Noah não teve uma infância fácil. Ele era um fardo para seus pais. Ele era um bebê acidental e eles eram extremamente egoístas, egocêntricos pessoas que não têm tempo para uma criança, nem o desejo de ter uma. Ele passou mais tempo na minha casa do que fez em sua casa. Lembro-me de momentos em que eles literalmente o deixaram com os meus pais com um bilhete dizendo que eles iam ficar fora por duas semanas. Às vezes mais. Eles enviavam uma muda de roupa dentro de um saco de supermercado de plástico. Isso chateava meus pais, mas sabiam se eles interferissem provavelmente nunca veriam Noah novamente, e então eles o consideravam seu filho tanto quanto eu.” “Isso não pode ter sido fácil para Noah,” disse Lauren com tristeza. “Ninguém quer se sentir como indesejado.” “Acho que era difícil para ele quando era mais novo, mas pelo tempo que atingiu sua adolescência só parecia aceitá-lo. Ele amava os meus pais e eles o amavam. Um dia ele veio a 233


nossa casa com tudo o que possuía em uma mochila. Meu pai saiu para falar com ele e, quando voltou, meu pai simplesmente anunciou que Noah iria morar com a gente e se tornar um membro permanente da nossa família. Nunca vi ou ouvi de seus pais depois daquele dia, e acho que ele também.” “Uau, apenas wow,” disse Lauren em choque. “Não posso imaginar esse tipo de desconexão emocional entre pais e seus filhos. Isso não poderia ter sido fácil para os seus pais tomar outra criança.” Liam balançou a cabeça. “Não foi. Meu pai fez turnos na fábrica de papel local, e minha mãe trabalhava no refeitório da escola. Eles não faziam um monte de dinheiro e foi uma luta para sobreviver com apenas nós três. Morávamos em uma casa de estrutura de madeira com dois quartos, e Noah e eu tinhamos que compartilhar um quarto. Mas sempre me pareceram conseguir. Eles tinham muito orgulho também. Nunca vou esquecer quando Noah e eu voltavamos da escola, e chegamos em casa. Era dia de folga do papai do trabalho, e ele e minha mãe estavam chateados. Apenas extremamente irritados.” A testa de Lauren franziu. “Por que?” “Aparentemente, os pais de Noah tiveram um breve momento de culpa, mas não um grande o suficiente para que realmente tentassem ver Noah ou visitá-lo. Eles mandaram minha mãe e meu pai um cheque para cobrir suas despesas. Meu pai bateu no telhado. E você tem que entender. Não há muito que faça meu pai com raiva. Ele é muito descontraído, o homem bemeducado. Mas naquele dia, ele estava furioso.” “Eu posso imaginar,” Lauren murmurou. “Ele deu o cheque para Noah e disse a ele que era seu por direito fazer o que queria, mas que ele e minha mãe não aceitariam um centavo para fazer o que era certo. Meu pai disse a Noah que ele o amava como um filho e não o aceitou para obter algum cheque pelo correio.” “Será que Noah o aceitou?” Perguntou Lauren. 234


Liam balançou a cabeça. “Ele disse ao meu pai para rasgá-lo e devolvê-lo ao remetente. Então ele disse a minha mãe e meu pai que eles eram seus pais, e que eles tinham dado a ele algo muito mais valioso do que um cheque com um monte de zeros. Tinham-lhe dado amor e aceitação.” “É uma bela história,” disse Lauren com uma fungada. “Meus pais são pessoas muito especiais,” disse Liam sério. “E o que eles dizeram quando lhes contou sobre nós?” Liam sorriu. “Eles ficaram surpresos, é claro. E queriam falar com Noah. Eu sou seu filho, mas para eles Noah também é, e eles querem ter certeza de que ele está feliz com o arranjo e não está se instalando.” Lauren olhou para trás em direção a Noah, que sorria enquanto falava ao telefone. “Nós vamos levá-la para conhecê-los tão logo seja possível. Pode demorar um pouco antes de ouvir de nós novamente, e não quero que vocês se preocupem. Temos algumas coisas para cuidar e é muito provável que Lauren vai ter de testemunhar em um julgamento criminal. Uma vez que temos a certeza de que a ameaça a ela seja eliminada, então podemos levar uma vida normal juntos. Você vai gostar de sua família. Eles me lembram muito de você e papai.” Ele fez uma pausa e encontrou o olhar de Lauren, seu olhar aquecendo quando ele acariciou seu rosto. “Sim, eles estão bem com isso. Não é exatamente um arranjo incomum em sua família. Mas vamos explicar tudo isso a você quando nós a levarmos para conhecê-los. Prometo.” Noah sorriu novamente. “Eu te amo tanto. Vou dar-lhe de volta para Liam agora.” Ele entregou o telefone de volta para Liam, Liam o colocou para sua orelha. “Falaremos em breve,” Liam prometeu. “Te amo tanto.”

235


Liam abraçou Lauren a ele um pouco mais apertado quando disse suas despedidas. Então apertou o botão de desligar e colocou o telefone em cima da mesa entre as duas poltronas. “Assim que correu tudo bem?” Lauren perguntou timidamente. “Sim,” disse tanto Noah e Liam ao mesmo tempo. “Eles estão muito ansiosos para conhecê-la,” disse Noah. “Eles estão muito curiosos sobre o tipo de mulher que seria necessário para obter a minha atenção e de Liam tão ferozmente. Eles estavam desesperados de nós jamais nos estabelecermos e proporcionar-lhes netos.” Lauren corou mas foi levada com a imagem de seu redor com uma criança, como Lily, e os dois homens mexendo sem parar sobre ela. E de ter um bebê e as expressões em Noah e Liam enfrentando a primeira vez que visse seu filho. Ela queria tanto que sofria. Ela queria isso também. Queria uma vida com eles, cheio de amor e companheirismo. Uma batida na porta interrompeu sua fantasia. “Isso deve ser Dillon com a comida,” disse Noah, enquanto se levantava da poltrona. “Fique à vontade, querida, e nós vamos buscar.”

236


Capítulo Vinte e Oito APÓS os três jantarem, Lauren pediu licença para tomar banho no pequeno banheiro. Ela fechou os olhos e colocou a cabeça sob o jato quente, quando um corpo quente pressionou para suas costas nuas. Noah. Ela sorriu, com os olhos ainda fechados. Ela não precisava olhar para saber qual dos dois era. Ela amava que pudesse distingui-los apenas pelo toque. Olfato A sensação de cada um deles causava contra a sua pele. Sua boca aninhou-se ao lado de seu pescoço, incitando um arrepio no corpo inteiro, mesmo sob o calor do chuveiro. “Espero que você não se importe que me junte a você,” disse ele com voz rouca. “Liam e eu pensamos que você apreciaria um pouco de mimo. Eu começo a lavar, e ele começa a secar.” “Mmmm. “ Isso saiu como um gemido, e ela inclinou-se mais para trás nele, moldando seu corpo molhado ao dele. Suas mãos deslizaram em torno de sua cintura para sua barriga e, em seguida, para cima, para seus seios. Ele brincou com seus mamilos até que estavam enrugados em cumes. Ela deu um suspiro sussurrante quando as mãos dele a deixaram para pegar o frasco de xampu. Depois de espremer o líquido em sua mão, ele começou a ensaboar seu cabelo, tomando seu tempo e trabalhando os dedos sobre cada parte de sua cabeça. 237


Ela estava quase em coma pela boa massagem. Seus ombros relaxaram e a tensão enrolada em seus músculos fugiu sob o toque suave de Noah. “Sente-se bem?” “Ah, sim,” ela respirava. Ele beijou o local logo abaixo da orelha esquerda. “Ótimo. Esta noite é para você.” Ele a virou para que pudesse lavar o cabelo dela, e fez questão que todo o sabão fosse embora, começou a lavar o resto do corpo com golpes lentos e metódicos que a tiveram louca de desejo. Ela estava tão desossada pelo tempo que ele estendeu a mão para desligar o chuveiro, que não tinha certeza de que ela estaria acordada para o que viria em seguida. Quando a cortina do chuveiro foi posta de lado, viu que Liam a esperava, uma toalha grande em suas mãos. Abriu-a quando ela saiu da banheira e imediatamente a envolveu na suavidade morna. Noah enxugou-se no chuveiro enquanto Liam a deixava completamente seca. Depois disso, ele a envolveu com um manto espesso e cutucou para fora do banheiro para a cama. Pegando uma escova de sua mala, ele a seguiu até a cama e dirigiu-a a sentar-se entre suas pernas abertas. Para sua surpresa e deleite absoluto, começou a pentear o cabelo úmido. “Vocês dois estão me mimando,” disse ela com absolutamente nenhum pesar real. Liam fez uma pausa e depois inclinou-se para escovar a boca sobre sua orelha. “Esse é o plano. Temos de fazer o que pudermos para garantir que você queira nos manter em torno por um longo prazo.” Havia uma nota de brincadeira em sua voz, mas ela respondeu com toda a seriedade. “Nunca vou cansar de estar com vocês.”

238


Noah veio do banheiro, apenas uma toalha enrolada abaixo em torno de seus quadris. Ele era a coisa mais sexy que já tinha visto em apenas aquela toalha. Seu peito brilhava com a umidade e o pelo do seu peito enrolado contra sua pele. O menor puxão levaria para trazer essa toalha... Noah fez uma pausa, aparentemente ciente de seu olhar ávido. Ele levantou uma sobrancelha e olhou para trás. “Você quer alguma coisa?” Ele disse. Ela lambeu os lábios e os olhos de Noah escureceram até que ardia. “Eu quero você,” ela sussurrou. Noah lentamente puxou a toalha até que deslizou em suas pernas musculosas e bateu no chão. Ela prendeu a respiração e sua pulsação aumentou, batendo em suas veias. Ele era... bonito. Todos masculino. Musculoso. Quando Noah caminhou mais perto da cama, Liam puxou a toalha enrolada de Lauren até que também estava nua. “Encoste-se contra mim,” Liam murmurou ao lado de sua orelha. Ele a puxou de volta, mesmo quando ela se inclinou para ele, de costas para moldar seu peito. Ele lhes inclinou tanto para que estivessem deitados na cama, ela entre suas pernas e seu corpo aninhado no seu. Quando Noah arrastou para o final da cama e entre as pernas, as mãos de Liam vagavam subindo e descendo no corpo superior, acariciando e moldando seus seios em suas palmas. De joelhos, Noah abaixou a cabeça entre as coxas espalhadas e ela prendeu a respiração e segurou-a em antecipação ao primeiro toque de sua boca. Usando seus dedos para separar as dobras delicadas de sua boceta, Noah apertou suavemente a boca para o clitóris. 239


O contato enviou uma corrente elétrica que fez arquear para cima de seu corpo, quase um curto-circuito em cada terminação nervosa. Suas pernas tremiam convulsivamente e sua barriga soltou enquanto tentava recuperar o fôlego. Liam acariciou seu pescoço, seus dentes pastando a pele sensível. Marcando-a. Brincando. Enviando arrepios de prazer que colidiam com a onda de energia elétrica provocada pelas ministrações de Noah. Seu corpo inteiro era uma onda fora de controle que estava em rota de colisão com uma montanha. A língua de Noah mergulhou fundo, lambendo e deslizando para dentro, saboreando-a. Ela fez sons imperceptíveis, completamente vítima para o prazer que os dois homens lhe davam. As mãos de Liam estavam em concha sobre os seios, a boca em sua pele. As mãos de Noah agarravam seus quadris enquanto usava a sua boca e a língua para levá-la além de seus limites. Imagens eróticas brilhavam em sua mente, agravada pela sua excitação crescente. Coisas que ela nunca antes tinha imaginado agora surgiam em sua mente. Os dois homens, entrando nela ao mesmo tempo. Acariciando profundo. Ela firmemente posicionada entre eles. Sua respiração acelerou e sua visão oscilou bêbada. Estava no alto da paixão. Drogada em suas carícias. Intoxicada por seus beijos. Ah, mas ela queria, e não tinha certeza de como isso poderia ser feito, mas queria que eles dentro dela. Queria como nada mais. “Noah, Liam!” Ela gritou. “Estou aqui, bebê. Estou bem aqui,” Liam acalmou. “Quero muito vocês dois,” ela disse ofegante.

240


Noah levantou a cabeça para procurar seu olhar. “Conte-nos como, nos quer querida. Você sabe que nós vamos fazer tudo o que você precisa.” “Ambos dentro de mim,” disse ela. “Quero vocês dois. Juntos.” “Tem certeza?” Liam perguntou com voz rouca. “Oh Deus, sim. Por favor.” Liam a levantou dele e manobrou por baixo dela. Então pegou o rosto dela entre as mãos e olhou intensamente nos olhos dela. “Diga nos se é demais.” Ela assentiu com a cabeça. “Prometo.” Mas ela sabia que não seria demais. Eles nunca seriam suficiente. Ela queria muito mal. Necessidade a consumia. Eles a consumia. Noah se posicionou sobre a cama assim que foi deitado de costas com as pernas sobre a borda, os pés plantados no chão. Liam ajudou Lauren a subir montado Noah, e depois de Noah rolar em um preservativo, Lauren abaixou-se, levando-o profundamente dentro dela. Ambos soltaram um gemido baixo quando ela tomou o seu corpo inteiro. Então Noah estendeu a mão para ela, puxando-a para frente, para que se inclinasse de uma maneira que Liam pudesse penetrá-la. Ela engoliu em seco, mas estava andando tão alto em antecipação que nem sequer cruzou sua mente que ele a tomava por trás. Um momento depois, Liam segurou suas bochechas da bunda e corajosamente massageou e acariciou antes de espalhá-las. O movimento atraiu mais apertado ao redor do pênis de Noah, e ela fechou os olhos, permitindo a sensação lavar sobre ela. Borboletas dançavam e vibravam em sua barriga quando Liam se ajustou a sua abertura apertada. Ele parecia enorme. Sem chance para se encaixar, especialmente com Noah já esticando-a tão apertado.

241


Liam empurrou para frente, e ela sentiu o preservativo lubrificado enquanto abria sua volta. Ele era grosso e largo. Pareceu durar para sempre quando ele empurrou mais de seu comprimento para dentro dela. “Tudo bem?” Liam respondeu asperamente. “Simmm. Por favor, não pare.” “Bebê, não tenho nenhuma intenção de parar. Dá-me mais um impulso e eu vou estar todo o caminho dentro de você.” Suas palavras a incitaram numa maior excitação. A queimadura de sua entrada facilitada e uma névoa quente rodeou, imergindo-a em uma névoa de sonho. Sua pélvis encontrou sua bunda e apertou ainda mais contra ela, achatando seu rosto contra seu corpo. Oh Deus, ambos estavam completamente dentro dela. Ela começou a tremer, tremores tremendo sobre e através do seu corpo a uma velocidade supersónica. Ela nunca ia ser capaz de segurar. Estava começando a se desfazer e não tinha maneira de controlar sua libertação. Liam começou a empurrar. Retirando e depois subindo para frente. Noah agarrou seus quadris, e quando Liam facilmente entrava e saia, Noah deslizava profundamente, enchendo-a, até que tudo o que ela estava ciente era sendo esticada e preenchida por dois homens. Pertencer. Possuída. Marcada. “Eu não posso... Oh Deus...” Ela não poderia mesmo achar seus pensamentos. Não tinha ideia do que estava dizendo ou o que precisava. Mãos deslizavam para cima e para baixo de sua cintura, calmando e relaxando, mesmo quando seu corpo se contraiu e contorceu com a força de seus golpes.

242


Então as mãos de Noah deixaram seus quadris e segurou os seios, rolando os pontos entre os dedos. Ele beliscou de leve, apenas o suficiente para exercer um pressão deliciosa. Uma pequena mordida de dor que lhe enviou em espiral para o abismo. Ela gritou seus nomes, enquanto Liam a levava incansavelmente por trás. Noah a pegou contra ele, segurando-a com força enquanto Liam a cercava. Presa entre dois homens. Amou. Amada. Protegida e prazer. Ela caiu contra Noah, de olhos fechados, sua respiração vindo em pequenas baforadas enquanto a sala girava loucamente ao redor dela. Ele beijou o topo de sua cabeça, enquanto Liam cuidadosamente se retirava de seu corpo, deixando-a ainda mais ligada intimamente com Noah. Um momento depois, Liam voltou com uma toalha quente e gentilmente acalmou a carne inchada. Quando terminou, Noah cuidadosamente virou, segurando Lauren que foi com ele. Eles pousaram em seus lados, e Noah deslizou de seu corpo. Ele levou um momento rápido para descartar o preservativo, e então estava de volta, puxando-a em seus braços. Liam subiu na cama do outro lado dela e apertou seu corpo em suas costas, com as pernas entrelaçando com a dela. Ela deixou escapar um enorme suspiro de satisfação total. Nunca esteve tão feliz e tão segura como neste exato momento. Aconchegou entre dois homens fortes, que faria qualquer coisa para fazê-la feliz. Se ao menos pudesse parar o tempo e saborear esta noite para sempre. “Eu te amo.” O sussurro de Liam contra sua orelha foi fraco, mas inconfundível. Ela virou-se para que o lábio encontrasse seu rosto, e ela fechou os olhos, deleitando-se com essas palavras maravilhosas.

243


Capítulo Vinte e Nove LAUREN estava esparramada sobre o peito de Noah, suas pernas enroscadas com Liam. Noah ociosamente passava a mão para cima e para baixo de suas costas, deslizando mais abaixo para a bochecha de sua bunda e de volta ao seu corpo novamente. “Você está bem?” Noah murmurou. “Se eu estivesse melhor, não sei o que faria comigo mesmo.” “Idem,” disse Liam em um sonolento, grunhido satisfeito. “Isto era novo para nós também, Lauren,” disse Noah brandamente. “Eu nunca tinha feito nada parecido antes, e estou um pouco surpreso que veio tão naturalmente. E que foi tão poderoso. Estou em uma perda a respeito de como até mesmo descrevê-lo. Nunca passei por nada parecido com isso.” Lauren se empurrou para cima para que pudesse ver os olhos de Noah. Eles estavam totalmente sério, quente e brilhante com tantas outras coisas que ele tinha deixado de dizer. Como ela, ele não tinha dito as palavras ainda, mas ela não duvidava por um momento que ele a amava cada bocado tanto quanto Liam fazia. As palavras viriam com o tempo, quando elas não fossem obrigados. Quando elas fossem tão natural como respirar e completamente sinceras. Ela olhou para frente para o dia em que eles poderiam ser tão confortáveis um com o outro. Quando não houvesse nenhuma ameaça de Joel ou qualquer outro. “Nós, eu não te machuquei, não é?” Liam perguntou rispidamente. 244


Ela foi suave na preocupação em sua voz e se empurrou para cima a fim de que estivesse sentada de pernas cruzadas entre eles. Ela se inclinou para beijar sua boca firme e deixar os lábios permanecem sobre a dele, desfrutando do simples ato de carinho entre dois amantes. “Vocês dois foram maravilhosos,” disse ela com voz rouca. “Perfeitos. Nunca imaginei algo assim... poderoso.” Ele tocou seu rosto, acariciando os dedos por seu queixo quando a beijou novamente. “Quanto tempo nós temos?” Perguntou ela. As cortinas já estavam iluminando com a cor pálida do amanhecer, e estavam indo para um lugar onde Lauren se sentia completamente em casa, também sabia que isso traria para um fim temporário de intimidade entre ela e Liam e Noah. Ela sentiu a sua perda e já não tinha sequer deixado o calor de sua cama ainda. Noah deslizou a mão por suas costas, deixando-a descansar, um pouco acima da curva de suas nádegas. “Temos tempo ainda. Algumas horas mais.” Liam puxou um dos travesseiros para sustentar atrás das costas e na cabeceira da cama, para que ela ficasse mais confortável, enquanto os dois homens continuavam a descansar em seus lados. Lauren queria estar confortável tranquila entre eles para discutir o futuro. Era tudo ainda tão novo e excitante em sua mente que poderia falar de outra coisa para as próximas semanas. “Posso perguntar duas coisas ou algo assim?” “Qualquer coisa,” disse Liam com firmeza. “É claro,” disse Noah ao mesmo tempo.

245


“O que você vê no nosso futuro?” Perguntou ela. “Você nos vê juntos por um longo prazo?” “Não tenho uma bola de cristal,” disse Noah em um tom sério. “Não posso prever o que vai acontecer daqui um ano ou cinco anos. Mas se você me perguntar o que eu quero? Quero estar sempre. Com você. E vou fazer tudo ao meu alcance para trabalhar o para sempre é o que nós compartilhamos.” “Eu vejo você com a gente por tanto tempo quanto qualquer um de nós está respirando,” disse Liam, seus lábios definindo em uma linha determinada. “E as crianças?” Ela perguntou hesitante. “Quais são seus pensamentos sobre as crianças e uma família?” Os dois homens estavam em ângulo para que pudessem ver o rosto dela e ela pudesse ver o deles. Luz aqueceu olhos de Noah. Ele olhou... esperançoso. E feliz. “Eu adoraria uma família um dia,” disse Noah. Ela podia ouvir o anseio em seu tom. “Eu quero tudo o que me foi negado como uma criança. E nunca faria aos nossos filhos o que meus pais fizeram comigo,” disse ele ferozmente. “Você daria um ótimo pai,” disse ela em tom tão feroz. Liam sorriu, calor viajando para as profundezas de seus olhos azuis. “Eu posso ver alguns rastejando pelo tapete.” Sua respiração ficou presa na garganta quando ela foi atingida por um desejo tão forte que simplesmente não conseguia respirar. “Você quer ter filhos, Lauren?” Perguntou Noah. “Ah, sim,” ela respirava. “Minha própria família. É tudo o que sempre quis.” Ela tocou os dois homens, deixando as mãos rastejar sobre os braços para que tivesse contato com os dois. 246


“Como poderíamos fazer isso?” Ela perguntou hesitante. “Quero dizer, se nós tentarmos ter um bebê, será que importaria para você, se não soubessemos qual de vocês é o pai da criança? Ou será que quer ter a certeza que cada um tenha um filho ou uma filha?” Ansiedade estava em sua voz e ela olhou entre eles nervosamente. “Eu só posso falar por mim,” Liam começou em um tom baixo. “Mas para este tipo de relação trabalhar, nós dois temos que aceitar e amar a qualquer criança que trazemos ao mundo. Se é meu filho biológico ou de Noah. Honestamente, eu não me importo, porque de qualquer forma considero que é o meu bebê. Eu nunca trataria uma criança de forma diferente, porque era filho biológico de Noah e não meu.” “Amém,” disse Noah. “Eu concordo completamente. Se você está perguntando se queremos assegurar que a criança que você carrega é nossa biologicamente, não. Eu digo quando chegar a hora, nós dois tentaremos tão duro quanto possível para deixar as sementes que podemos.” Liam riu. “Você certamente tem um jeito com as palavras. Mas eu concordo completamente. Não sabendo permite-nos tanto acreditar que o filho é nosso. E será nosso, não importa quem é o pai. Você é a mãe e para mim isso é o suficiente.” “O que os Colters fizeram, você sabe?” Noah perguntou, curioso. “Holly teve quatro filhos.” Lauren riu. “É uma piada na família que ninguém sabe de onde Dillon veio. Holly jura que foi implantado no momento do nascimento. Mas não. Ela não sabe ou se importa, quem são os pais biológicos de seus filhos. Nem qualquer um dos seus filhos.” “Acho que é a melhor maneira,” disse Liam suavemente. “Você sabe como esmagador é para mim estar aqui entre vocês dois contemplando uma vida normal, um relacionamento normal e coisas como família e filhos?” Lauren perguntou, a voz embargada pela emoção. 247


Noah sorriu. “Bem, eu não tenho certeza que você poderia considerar a nossa relação normal, mas entendo o que você está dizendo.” “Não me importo com o que os outros pensem,” disse Lauren com uma voz determinada. “Tudo o que me importa é que vocês dois pensam e o que quer e que sou capaz de te fazer feliz.” Liam estendeu a mão para puxá-la para baixo em um beijo. “Você me faz muito feliz, querida. Nunca duvide nem por um minuto.” Ela derreteu contra ele, beijando-o de volta com o mesmo fervor. Contra a sua volta, os lábios de Noah pressionaram em sua carne enquanto beijava uma trilha por sua espinha. “Temos tempo antes de sair para os Colters?” Ela perguntou com uma voz rouca. Os olhos de Liam brilharam com propósito, assim como as mãos de Noah deslizaram para seus quadris. “Nós vamos fazer o tempo.”

248


Capítulo Trinta LIAM e Noah colocaram na parte de trás do SUV as malas e, em seguida, voltaram para o quarto de hotel para buscar Lauren. Ambos os homens estavam usando cintos de ombro com pistolas no coldre e jaquetas de couro para cobrir tanto o coldre e arma. “Você está pronta?” Noah perguntou em voz baixa. Ela respirou fundo e assentiu. Embora estavam apenas indo até o Colters, um lugar que ela se sentia muito em casa, o conhecimento de que em apenas dois dias iria deixar o abrigo e fazer uma viagem para o desconhecido estava fazendo estragos com seus nervos. Liam ofereceu-lhe um abraço e um beijo, e depois conduziu-a para fora da porta e para o SUV. Ele a colocou no banco da frente e, em seguida, subiu atrás dela enquanto andava para o lado do motorista. Quando sairam do estacionamento do hotel, ela olhou para baixo na Main Street com as lojas típicas, lanchonete movimentada, seu antigo apartamento e o Mountain Pass Bar e Grill, que Dillon Colter era proprietário. Foi difícil deixar para trás tudo o que era familiar e dolorosamente reconfortante. Graças a Deus por Liam e Noah. Como ela poderia encarar fazer isso sozinha? Mas, então, se não fosse por Noah e Liam, ela não teria o conhecimento que agora possuía, nem teria tido a coragem de se levantar e enfrentar o diabo. Eles foram para fora da cidade e ela olhou para fora da janela, absorvendo a beleza das montanhas. Os Colters não viviam muito longe, distância prudente, mas foi um passeio até a montanha que tinha vários ziguezague, e o caminho era lento. 249


Mas era um caminho que não se importava, porque tinha visões que eram de tirar o fôlego. Visto que ela não podia ver em qualquer outro lugar do mundo. “Temos companhia,” disse Noah laconicamente. Liam imediatamente virou para olhar a parte de trás. O coração de Lauren fez uma cambalhota em seu peito e ela arrancou seu olhar para o espelho lateral, para ver um caminhão caindo sobre eles. “Indo muito rápido apenas para ser outra pessoa na mesma estrada,” disse Liam severamente. “Lauren, alguém mais vive nessa estrada?” Ela balançou a cabeça, seu olhar horrorizado ainda colado ao espelho. “Somente os Colters e Max e Callie. O médico na cidade atende as chamadas em casa e às vezes eles têm mantimentos entregues, mas principalmente eles vão para a cidade para o que precisam, porque não gostam que se intrometam em sua privacidade.” Só então o caminhão bateu neles e Lauren foi jogada para frente, o cinto de segurança apertando ao redor dela para impedi-la de colidir com a frente. “Filho de uma cadela!” Noah amaldiçoou. Ele bateu o acelerador, cambaleando para frente, mas a estrada se transformou em cascalho à frente, e não havia nenhuma maneira de fazer uma corrida até a montanha, sem se matar no processo. “Espere,” Noah ordenou severamente quando acelerou. Eles atingiram a estrada de terra, derrapando um pouco antes de Noah corrigir e começar o primeiro conjunto de subidas e descidas como um montanha russa indo tão rápido quanto ousou. Assim que dobrou a curva, colocando um pouco de distância entre eles e o carro que os perseguia, Noah gritou de volta para Liam, “Pegue o telefone de Lauren e chame os Colters.

250


Diga-lhes que estamos chegando no quente. Nós não temos escolha a não ser ir para cima, porque nós com certeza não podemos voltar para baixo.” Lauren apressadamente se atrapalhou com o telefone dela, empurrando-a sobre o assento para Liam. Chegaram ao segundo conjunto de subida e descida, e Noah girou para fora quando contornou a curva acentuada. Liam estava apertando o botão para fazer a chamada para os Colters, quando Noah resmunfou. Quando ela olhou para frente e percebeu que Noah estava reagindo, medo e frio a paralisou. “Noah, cuidado!” Liam gritou, deixando cair o telefone de Lauren. Vencendo a estrada da montanha em uma colisão direta com eles estava um Hummer com uma grade de aço reforçada. Lauren reconheceu o perigo da situação. Ela sabia que estavam indo para ser pulverizado entre os dois veículos. Nem tinha qualquer intenção de evitar a colisão inevitável. “Espere,” disse Noah com força. “Há apenas uma maneira de evitar isso, e tenho que esperar para o inferno que sobrevivemos a isso.” Quando ela percebeu sua intenção, seu pulso explodiu em suas veias. Ela fechou os olhos, assim que ele virou o SUV e mergulhou para a direita ao longo da borda da montanha. Por menos de um segundo, mas o que pareceu uma eternidade, eles estavam no ar, e, em seguida, eles desembarcaram com uma sacudida que abalou Lauren para os ossos. Ela ouviu o vidro quebrando, o gemido de metal. E então estavam rolando. Mais e mais até que o mundo era um louco piscar diante de seus olhos. Eles saltaram e escorregaram e então rolaram um pouco mais, até que finalmente o SUV aterrissou com força sobre as rodas da frente e bateu em um enorme pinheiro.

251


Foi instintivo para lançar os braços na frente do rosto dela para protegê-la do air-bag, mas nunca aconteceu. Vidro pulverizou, e ela gritou quando um galho atravessou o pára-brisa e dirigiu-se para o banco, a um mero centímetro de onde seu ombro descansava. Oh Deus, apenas alguns centímetros mais e ela teria sido empalada. Ela fez um balanço mental, tentando determinar se tinha quaisquer ferimentos. Mas não sentiu nenhuma dor. Não conseguia sentir nada. Estava paralisada da cabeça aos pés. Por tudo o que sabia, tinha quebrado todos os ossos do seu corpo, mas não tinha nenhuma maneira de saber. Ela olhou para baixo e depois para Noah. Seu grito de horror foi abafado pela sua mão quando voou para cobrir sua boca. O painel tinha cedido, prendendo-o em seu assento. Liam. Ela tinha que ver sobre Liam. Suas mãos se atrapalharam com o cinto de segurança, mas não conseguia soltar. Ela puxou e puxou, quase gritando de frustração. Finalmente chegou livre e desajeitadamente tentou manobrar no espaço muito menor. Ela conseguiu içar-se o suficiente para ver que Liam estava esparramado no assento, a cabeça apoiada contra uma janela quebrada. O sangue escorria pelo seu rosto e ele não estava consciente. Em seguida, ela ouviu um som de Noah. Seu olhar voou para ele e ela puxou a si mesma em seu assento. “Noah? Noah? Você pode me ouvir? Por favor, fale comigo. Oh Deus, estou tão assustada. Liam está inconsciente. Eu não sei quanto ele está ferido.” “Ouça-me,” disse Noah com voz rouca. “Você pode alcançar a arma de Liam?” Ela congelou, olhando para Noah em confusão. “Pegue a arma, Lauren. Temos apenas alguns minutos antes deles chegarem. Eles vão dirigir de volta para baixo da montanha e virão nos procurar. Eles vão nos matar. Você entende Eles estão atrás de você.” 252


“Você pode se mover?” Lauren perguntou ansiosamente. “Você pode sair do seu lado? Poderíamos levar Liam conosco. Nós temos tempo.” “Ouça-me, querida,” Noah disse, sua voz calma, uma contradição direta com os gritos ecoando dentro da cabeça de Lauren. “Eu não posso me mover. Não acho que estou gravemente ferido, mas não posso dizer. Estou provavelmente em estado de choque e não posso sentir dor. Mas minhas pernas estão presas. Não há nenhuma maneira que eu possa sair.” “Eles me querem,” ela sussurrou. “Sim,” ele disse sem rodeios. A neblina levantou e de repente ela estava nitidamente voltada para o assunto em questão. Esses idiotas foram atrás dela, e se encontrassem Noah e Liam, eles iriam matá-los. Mas se eles achassem que Noah e Liam já estavam mortos e ela não estava perto... Eles vieram à procura dela e não desperdiçariam o tempo em Noah e Liam. Ela arrastou-se sobre o assento e se atrapalhou com a jaqueta de Liam. Ela agarrou o punho da arma e puxou-o para fora do coldre. “Boa menina,” Noah elogiou. “Agora me escute—” “Não, você me ouve,” disse ela ferozmente. “Tenho muito a dizer e não muito tempo. Eu te amo. Eu te amo e a Liam muito e não estou dando qualquer um de vocês sem uma luta. Me desculpe, não ter dito antes. Isso só nunca parecia ser o momento certo. Não estou dizendo que agora é, mas não vou morrer sem você saber o quanto eu te amo.” “Eu também te amo, querida,” disse Noah. “Agora, por favor, ouça-me.” Ela balançou a cabeça. “Isto é o que vai acontecer, Noah, e eu juro por Deus, se você discutir comigo ou se não fizer exatamente o que digo e você acaba morto, vou matá-lo mais uma vez.” Seus olhos arregalaram de surpresa. “Você pode alcançar a sua arma?” Perguntou ela. 253


Ele assentiu com a cabeça. “Tudo bem tire-a e a mantenha escondida. Não use, a menos que seja absolutamente necessário. Estou levando a arma de Liam. Esses babacas me querem. Se você fingir estar morto e Liam está inconsciente e parece morto e eu não estou aqui, não vão perder muito tempo com qualquer um de vocês, porque nenhum de vocês são bons para eles. É a mim que eles querem.” “Whoa, que porra é essa? De jeito nenhum, Lauren.” “Não há absolutamente nada que você possa fazer para me parar,” disse ela, calmamente. “É um bom plano e você sabe disso.” “É o plano mais idiota que já ouvi!” Ele rugiu. “Eu te amo, porra. Eu não vou deixar você ir por conta própria sem nenhuma proteção. “ “E eu te amo!” Ela gritou de volta. “Eu te amo tanto, que é por isso que vou proteger vocês dois, dando o fora daqui. Liam ainda tem meu telefone. Você pode pedir ajuda uma vez que os idiotas descobrirem que fui embora e vão atrás de mim. Vou tentar fazê-lo ir para os Colters.” “Porra, Lauren por favor, não faça isso.” Noah estava implorando, seus olhos brilhantes com lágrimas não derramadas. Havia terror gritante refletido nessas piscinas brilhantes. Terror por ela. “Eu te amo,” ela sussurrou. “Se eu ficar aqui, eles vão matar todos nós. Nós vamos ser alvos fáceis. Você está preso, Liam inconsciente, e sou só eu com a arma de Liam. Eu tenho que dar-nos uma chance de lutar, Noah. Se conseguir sair dessa vivo, você pode gritar comigo tudo o que quiser.” Antes que ele pudesse argumentar mais, ela virou-se para tentar abrir a porta. Ela mal conseguia movê-la, e o metal rangeu e gemeu quando tentou empurrá-la longe o suficiente aberta para sair.

254


“Use a coronha da arma e quebre o vidro,” disse Noah. “Depressa. Você não tem muito tempo. Quero você tão longe quanto possível desses bastardos quando chegarem aqui.” Amparada por seu apoio relutante, ela quebrou o vidro com a pistola de Liam e afastou-se o suficiente dos cacos que poderia passar sem se cortar. Ainda segurando apertado para a arma, ela ergueu-se para fora da janela e rezou para que não tivesse ferimentos que iria impedi-la de correr como o inferno. Quando seus pés tocaram o chão, ela quase caiu em um montão. Seus joelhos tremiam horrivelmente. Suas mãos tremiam. Seu corpo inteiro tremia. Ela teve que ficar se controlar. Não só para si, mas por Liam e Noah também. Ela precisava colocar a maior distância entre ela e eles por sua segurança. Se seus perseguidores pensassem que ela estava fugindo, perderiam todo o interesse em Noah e Liam e viriam atrás dela. Ela virou-se e correu.

255


Capítulo Trinta e Um NOAH prendeu a respiração quando ouviu o som de um veículo nas proximidades. Liam não tinha se mexido, o que ajudou a Noah. Mas assustou o inferno fora dele mais foi o fato de que Lauren não tinha ido tão longe deles. Ela estava sozinha na montanha com apenas a arma de Liam para proteção, e Noah estava preso no maldito carro, incapaz de mover suas pernas. Lauren tinha estado certamente precisa sobre essa contagem. Ele e Liam estavam completamente indefesos e, tanto quanto ele odiava a admiti-lo, o plano de Lauren era para chamar a atenção para longe dele e Liam. Noah, porém, não poderia viver com os resultados, se sua vida fosse sacrificada pela sua. O motor parou, e, em seguida, Noah ouviu vozes quando eles se aproximaram. Ele se encostou na porta e deslizou a mão que segurava a arma entre o assento e a porta para que estava fora de vista. Ele fechou os olhos para estreitar em fendas assim pareceria que ele estava inconsciente. Ele tentou fazer sua respiração tão superficial quanto possível e para acalmar o medo e adrenalina produzindo como um furacão dentro dele. “Aqui está!” O grito subiu, e Noah ouviu pelo menos duas respostas, o que significava que havia pelo menos três homens. Seu coração afundou. Três homens que logo viraria a sua atenção sobre a caça de Lauren. Ele não tinha ideia do quais eram as suas ordens. Atirar a primeira vista? Levá-la? Quem sabia o que Joel Knight queria? Ele era um filho da puta torcido que gostava de ter um controle absoluto sobre uma mulher. 256


Levou cada grama de disciplina que tinha para não trair a si mesmo. Ele queria uma chance com os filhos de uma cadela. Se ele pudesse matá-los aqui e agora, não representariam uma ameaça para Lauren. “O que você vê?” Perguntou um deles. Eles ainda estavam a uma curta distância e estavam, obviamente, tomando cuidado para evitar uma emboscada. Pena que tinham que ser inteligente. “A mulher não está com eles. Parece que eles estão mortos ou quase isso. Um deles está preso no assento do motorista. Não parece bom. O outro rachou a cabeça aberta sobre a janela no banco de trás e está morto ou inconsciente. A janela do passageiro está quebrada. Parece que ela foi embora.” Houve uma rodada de convesa, e, em seguida, as próximas palavras enviou um calafrio serpenteando pela espinha de Noah. “Vamos lá, vocês dois. Quão difícil isso pode ser? Estamos falando de uma mulher indefesa correndo ao redor da montanha como uma galinha com a cabeça cortada. Isto vai ser o trabalho mais fácil que já tive. Espalhem e vamos encontrá-la. Quanto mais cedo a encontrarmos e atirá-la sobre Knight, mais rápido somos pagos.” Noah ouviu Liam se mexer no banco traseiro. O fato de que seu amigo estava vivo enviou uma onda de alívio através dele que o enfraqueceu momentaneamente. O problema era que a última coisa que ele precisava era Liam chegando por aí agora e fazendo uma cena que iria levá-los ambos mortos. “Liam, se você puder me ouvir, fique completamente imóvel e mantenha seus olhos fechados,” disse Noah em voz baixa. “Eu vou deixar você saber quando estiver tudo bem para se mover.” O som imediatamente acalmou e Noah sabia que Liam tinha ouvido e compreendido. Outro sinal bom. 257


O som da partida do veículo fez Noah abrir os olhos a meras fendas, e ele examinou a área em torno do local do acidente. Ao longe, dois homens foram desaparecendo nas árvores em direções opostas, enquanto o outro tinha, aparentemente levado o veículo para movê-lo. “Liam, você pode obter o telefone de Lauren?” Perguntou Noah. “O que diabos está acontecendo?” Liam perguntou em voz baixa misturada com confusão e dor. “Eu não tenho tempo para explicar neste exato momento. Se você pode mover-se e alcançar o telefone de Lauren, eu preciso de você para entregá-lo para mim. A vida de Lauren e a nossa, depende disso.” Liam soltou um gemido baixo e, em seguida, um momento depois, Liam se inclinou para frente para entregar a Noah o telefone. “Onde diabos está Lauren?” Liam exigiu. “Dê-me um minuto, ok?” Ele puxou os contatos de telefone e sua primeira convocação foi para os homens Colters mais velhos. Eles estavam mais próximos, e ele precisava de pessoas para ajudar Lauren e para alguém sair para libertá-lo deste veículo de maldição. Sua segunda chamada seria a Seth para obter todos os homens disponíveis para caçar esses bastardos para baixo e certificar-se que não colocaquem as mãos em Lauren.

258


Capítulo Trinta e Dois LAUREN parou e inclinou-se, segurando-a de lado e tentando recuperar o fôlego. Cada expulsão de respiração era doloroso e não sabia se era por causa de sua fuga desesperada pela floresta ou se foi o resultado do acidente. Sua cabeça doía. Seu lado estava ferido. Cada músculo em seu corpo doía. Um som a direita a teve empurrando ao redor, pistola para cima. Um esquilo correu até uma árvore e a arma balançou precariamente em seu alcance. Ela estava perdendo a cabeça e estava perdendo rapidamente qualquer força que lhe restava. A breve adrenalina que tinha experimentado logo após o acidente há muito havia fugido, e estava mal se segurando. Ela não tinha ideia se estava indo na direção certa ou não. O acidente a tinha sacudido completamente e não tinha logicamente pensado na direção quando fugiu do SUV amassado. O que reforçou seu espírito era que não tinha ouvido nenhum tiro disparado. Ela esperava que sua suposição fosse correta em que eles viriam atrás dela e não se preocupariam com Liam e Noah. Ela só rezava para que não estivessem gravemente feridos no acidente. Depois de recuperar o fôlego, decolou em uma corrida novamente, determinada a manter em movimento e ter seus atacantes à distância. Depois de uma subida particularmente íngreme até uma inclinação rochosa, percebeu que estava de volta na estrada. Júbilo a encheu e partiu em uma corrida morta. Quando ouviu um veículo se aproximando, virou-se, alívio fazendo seus joelhos fracos. Seu alívio se voltou para medo paralisante quando reconheceu o Hummer que os forçou para fora da estrada. O Hummer 259


derrapou até parar, levantando uma nuvem de poeira. O motorista estava fora e correndo em sua direção antes de ter totalmente parado. Era hora de dar o troco. Ela levantou a mão que segurava a pistola e fez a pontaria. Foi um momento peculiar de desconexão para ela. A pessoa não era real. A situação não era real. A arma não era real e nem eram as balas. Ele a levou de volta a alguns dos sonhos que tinha quando estava sendo perseguida e que iria apontar a arma e isso não iria disparar, ou estaria sem balas. Ela despertou, assustada e frustrada por sua incapacidade de disparar em seu agressor. Estaria de fato sobre seu corpo morto se ela fosse capaz de puxar o gatilho neste momento. E, evidentemente, que o homem achava que ela não teria a coragem de fazê-lo ou porque ele nunca desistia. Ela esperou até que ele estivesse apenas seis metros de distância, e então calmamente puxou o gatilho. A explosão foi ensurdecedora. A arma empurrou na mão, o recuo a fazendo tremer que ela temia que tivesse perdido seu alvo. Mas então viu a cor vermelha em seu peito. O choque fraco registrado em seu rosto. Ele cambaleou, mal mantendo-se de pé. Ela atirou novamente, desta vez direto através da testa. Ele caiu como uma pedra. Antes que ela pudesse registrar qualquer alívio ou satisfação, dor explodiu em sua cabeça e ela se estatelou no chão. A arma voou de sua mão e através da neblina nebulosa de seu estado semiconsciente, ela ouviu as rápidas exclamações de outros homens. “Santa merda, a cadela atirou em Mark! Devemos matá-la e acabar com isso,” disse ele, sua voz cheia de choque e raiva.

260


“Não seja estúpido,” disse o outro homem, com uma voz que sugeria que pensou que seu cúmplice era apenas isso. “É menos uma pessoa para compartilhar a recompensa que está sendo pago para levar a cadela para Knight. Nós dividimos em dois, em vez de três e deixamos o chefe feliz. Agora vamos dar o fora daqui antes que os policiais comecem a aparecer.” Seu estômago torceu em um nó vicioso. Ela estava tão focada na ameaça na frente dela que não tinha ouvido os dois homens atrás dela. Compreensão de suas circunstâncias enviou terror através de suas veias. Joel Knight a queria de volta. Ele contratou esses homens para fazer o que fosse necessário para trazê-la para Joel. Eles não tinham piscado um olho sobre o seu cúmplice caído. Era uma transação financeira para eles e nada mais. Ela estava tão fodida se eles a levassem desta montanha e para o mundo de Joel, onde ele fazia as regras e nada poderia tocá-lo. Mas, ao mesmo tempo, eles não haviam recebido ordens para matá-la. Joel a queria de volta. Viva. Pelo menos por um curto prazo. Ele não podia saber o que ela tinha feito? Isto foi tudo sobre o golpe para seu ego, porque ela se atreveu fugir dele? Se ele não sabia que tinha roubado provas incriminatórias de seu computador ou que ela tinha falado com o promotor, poderia conseguir ficar viva por tempo suficiente para que Liam e Noah a encontrasse. O mais importante é que ela levou esses bastardos longe de Noah e Liam. Ela agarrouse tenazmente a esse pensamento. Eles estavam vivos. Eles viriam por ela. Ela mal estava agarrada a consciência quando os dois homens a puxou para seus pés e arrastaram-na em direção ao caminhão dirigido pelo homem que havia atirado. Eles simplesmente o deixaram na estrada, deitado em uma poça de seu próprio sangue.

261


Pelo menos Noah e Liam e os Colters iriam encontrar o corpo, e saberiam o que tinha acontecido com ela. Era sua única esperança. Eles levaram um rolo de fita adesiva aproximadamente perto da ferida em volta da cabeça e na boca. Então, colaram as mãos, enrolando a fita ao redor e ao redor de seus pulsos. Uma vez que isso foi feito, a jogaram para a parte de trás do Hummer e agarraram seus tornozelos, machucando sua pele com a força de seu aperto. Depois de prender as pernas com a mesma fita, jogaram o rolo por cima do ombro e fecharam a porta de volta. Sem poupar outro olhar em sua direção, eles entraram no Hummer. O motorista começou a tarefa desagradável de se virar na estrada estreita e várias vezes enviou pedras caindo sobre a borda do declive acentuado. Depois de um momento, ficou sem solavancos e ele pisou fundo no acelerador. Ela bateu dolorosamente em todo o banco de trás, o cinto de segurança cavando em sua pele e batendo em suas costelas. Eles estavam a levando para Joel e o que ele planejava para ela, ela não tinha ideia. Já não podia negar o tipo de homem que ele era. Ela sabia o que ele era capaz. Sabia o que já tinha feito para muitas mulheres. O que era mais um sangue de mulher em suas mãos?

262


Capítulo Trinta e Três QUNADO Noah ouviu um grito ao longe, soltou um enorme suspiro de alívio. Liam tinha partido, levando a arma de Noah com ele, assim que descobriu que Lauren tinha ido fugir dos perseguidores por conta própria. Ele não queria que Liam fosse. Liam estava obviamente ferido e combatendo sobre a consciência. Estava sangrando continuamente de seu ferimento na cabeça. Mas que escolha tinha? Como Noah poderia segurá-lo quando Liam era toda a ajuda Lauren podia esperar tão cedo? Liam tinha estado aterrorizado no momento que Noah lhe tinha dito o que ela tinha feito. E era óbvio que ele estava dividido entre deixar Noah em uma situação tão horrível e indo atrás de Lauren. Noah tinha apontado tranquilamente que não havia nada que Liam pudesse fazer por ele. Noah estava preso até que a ajuda chegasse. Mas Liam poderia ir em busca de Lauren e esperar alcançá-la a tempo. Noah nunca se sentira tão impotente em sua vida do que fazia agora, preso no SUV, enquanto Lauren estava lá fora lutando pela vida e Liam estava em algum lugar no meio. Alívio o fez temporariamente fraco, e demorou um segundo para ele reunir a força para gritar de volta ao ouvir o chamado de Adam Colter. Um momento depois, os irmãos mais velhos Colters apareceram no veículo, suas expressões preocupadas e tristes quando eles o viram em meio aos destroços. “Você está ferido, meu filho?” Perguntou a Adam. “Onde estão Lauren e Liam?” 263


“Não, senhor, não acho que estou ferido muito mal. Só não posso mover as pernas, mas posso senti-las.” Então ele rapidamente relatou os acontecimentos que ocorreram logo após o acidente, e a partida de Liam para ir atrás de Lauren. “Vou ligar para Seth e dar-lhe uma atualização,” disse Ryan sombriamente. “Eu fiz,” disse Noah. “Ele estava em seu caminho para fora. Eu disse a ele para pegar ajuda com todos na cidade maldita, se é isso o que é preciso.” “Ok, então. Nós só precisamos nos concentrar em tirar você dai,” disse Ethan. “Eu tenho algumas ferramentas no caminhão. Estou pedindo uma destruidora apenas no caso de que não possamos tirá-lo disso. Sei que você não quer estar preso aqui enquanto Lauren está lá fora e seu destino ainda não foi determinado. Nós vamos fazer o nosso melhor, filho.” “Obrigado,” disse Noah, flexionando os dedos e, em seguida, enrolando em agitação. Estava o matando ficar sentado lá, incapaz de se mover, enquanto os outros procuravam por Lauren. Ethan e Ryan se viraram e correram na direção de seu veículo enquanto Adam ficou com Noah. Adam colocou a mão no ombro de Noah e apertou. “Não quero que você entre em pânico. Eu sei que você está preocupado. Não vou dizerlhe para não se preocupar porque no seu lugar, eu estaria urinando nas calças e em pânico. Mas quero que você saiba que nenhum de nós vai descansar até conseguirmos Lauren de volta.” Noah assentiu, não confiando em si mesmo para falar. Quanto mais o tempo passava, mais doente de coração se tornava. Liam não havia retornado e nem Lauren. Ele puxou a cabeça para trás e para cima para olhar para Adam. “Lauren, disse que ela estava indo para tentar chegar para o seu lugar. Você deixou Holly lá sozinha? Ambas poderiam estar em apuros.”

264


“Eu liguei para Max e Callie para irem ficar com Holly. Ele estava pronto para vir, mas dissemos a ele que não tinhamos todos os detalhes e que precisavamos dele lá. Posso entender sua raiva. Lauren é sua irmã e por direito deveriam estar aqui com a gente, mas ele não conhece esta montanha como nós, e a última coisa que precisamos é de alguém se perdendo, enquanto o nosso foco é Lauren.” “Você fez a coisa certa,” disse Noah. “Precisamos de cabeças pensando agora.” Enquanto falava, seus dedos formaram punhos apertados e bateu no painel que cedeu em frustração. “Seth e os outros estão quase aqui,” disse Ryan quando ele voltou. “Eles criaram um bloqueio na parte inferior da estrada, e estão vindo do início do caminho da montanha.” “Você pode me tirar daqui?” Noah exigiu. “Nós vamos tentar,” disse Ethan quando levantou um pé de cabra. Ryan tinha uma marreta e um machado. “Afaste-se, Adam,” disse Ethan. “Cubra a cabeça da melhor maneira possível, Noah.” O veículo inteiro tremeu quando os dois homens rasgaram a porta e o quadro. Várias vezes, a pressão sobre as pernas o fez estremecer, mas era apenas grato de ser capaz de sentir alguma coisa. Foi muita boa que não tinha as duas pernas esmagadas. Usando a alavanca para erguer o painel de instrumentos das pernas de Noah, os musculos de Ryan tensionaram salientes. “Assim que eu soltar isto bastante, puxe-as para fora,” disse Ryan com os dentes cerrados. Ethan e Adam se esforçavam para chegar no lugar. Enquanto Ryan se afastou longe de Noah, Adam e Ethan agarraram seus ombros e puxaram para cima. Noah reprimiu um grito de dor quando se soltou.

265


Os Colters o abaixaram ao chão, quando a distância ouviram: “Pai! Pai! Droga, onde está você?” “Aqui!” Adam gritou. Em seguida, ele se ajoelhou para baixo para ver Noah. “Ok, fale comigo, filho. Você está ferido em qualquer lugar?” “Ajude-me,” disse Noah, estendendo as mãos para Adam e Ryan. “Só há uma maneira de descobrir.” Eles agarraram suas mãos e o puxou de pé. Por um momento, os dois homens pressionaram perto do lado de Noah, oferecendo-lhe apoio até que eles estavam certos de que poderia estar por conta própria. “Estou bem,” disse Noah. “Nada se sente quebrado. Apenas machucado e cortado.” Ethan assentiu. “Sim, você está sangrando em meia dúzia de lugares diferentes.” Todos os quatro homens olhavam para cima quando Seth invadiu a cena, dois de seus ajudantes em seus calcanhares. “Por que não você está procurando Lauren?” Noah exigiu. Seth deu-lhe um olhar que enviou um choque de medo arremessado para baixo em sua coluna vertebral. “Viemos para te pegar. Liam rastreou a rota de Lauren de volta para a estrada, onde encontrou um dos homens mortos. Dois ferimentos de bala. Parece que Lauren atirou num dos babacas e depois foi atingida por trás. Havia uma área amassada na grama com uma pequena quantidade de sangue. Uma boa distância do outro corpo, de modo que não era dele. Encontramos também um rolo de fita adesiva com vários pêlos que correspondem a Lauren. Metade do rolo deve ter sido usado. Há marcas de pneus novos que não são um jogo para um dos nossos carros. Se eu tivesse que adivinhar, a julgar pelo padrão e a perturbação para a área fora da estrada, o caminhão estava subindo a montanha quando Lauren apareceu. Eu acho que o cara que ela atirou estava dirigindo. Os outros dois estavam a seguindo a pé e entrou atrás 266


dela, enquanto estava distraída com o primeiro cara. Bateram nela, prenderam, e em seguida, jogou-a no caminhão, virou-se e puxou bunda fora da montanha, fugindo antes de chegarmos com o obstáculo.” Noah ficou dormente. Sua boca ficou seca. Seu pulso batia dolorosamente em sua cabeça. Ele tinha falhado com ela. Ele e Liam ambos haviam falhado com ela de uma maneira enorme. Eles haviam planejado em detalhes. Haviam levado em conta tanto. Haviam feito um plano de ação. Nada disso fez um pouco de maldição de bom, porque esses bastardos tinham chegado a Lauren mais rápido do que Noah poderia ter imaginado. Como? Ele colocou a mão na parte de trás do seu pescoço e esfregou, tentando aliviar a tensão amarrada e enrolada em seus músculos. “Como diabos eles poderiam ter colocado esse tipo de plano em movimento tão maldito de rápido?” Noah exigiu. “Nós só chamamos o promotor de ontem.” “Você pode andar por conta própria ou precisamos carregá-lo para fora?” Perguntou Seth. “Podemos falar em nosso caminho de volta. Liam está com os meus irmãos e voluntários e socorristas. Eles estavam vasculhando a área onde o corpo foi encontrado para se certificar de que não faltava nada.” “Eu posso fazer isso,” disse Noah com uma voz determinada. Ele deu um passo para frente, caindo no passo de Seth como os pais de Seth seguindo atrás. Oficiais de Seth passaram à frente dos homens, um deles falando na rádio. “Como eles conseguiram isso, Seth?” Noah perguntou novamente. “Acho que Joel Knight já tinha feito,” disse Seth severamente. “Ele não pode mesmo saber sobre o encontro com o Promotor Se tinha pessoas olhando para ela todos esses meses, é 267


possível que finalmente foram capazes de localizá-la e estavam apenas esperando por uma oportunidade para fazer seu movimento.” Noah xingou longo e difícil. “E a mesma coisa que nós pensamos que estávamos fazendo certo, tendo-a numa oportunidade de ouro, numa área mais isolada. Eles não podiam fazer esse tipo de ataque na cidade, mesmo num tão pequeno como Clyde. Mas em uma estrada de montanha solitária que só viajavam pessoas que viviam na montanha? Filho de uma cedela. Podemos muito bem ter apenas embrulhado o presente e a entregue para o bastardo, com um laço.” Seth colocou a mão no ombro de Noah quando eles completaram a escalada de volta para a estrada, onde uma série de carros de polícia e SUVs estavam estacionados. “Remoer a si mesmo ao longo dos ses e talvez não fazem a você ou Lauren qualquer bom agora,” ele disse calmamente. “O que temos que focar é trazê-la de volta.” Noah balançou a cabeça, sua mandíbula apertada, e determinação tão forte que ele não iria entreter qualquer outra opção levou aperto firme de suas entranhas. “Ouvi-os falar,” disse Noah enquanto continuavam a caminhar em direção ao SUV de Seth. “Eles vieram à procura dela e pensaram que Liam e eu estavamos mortos. Não perderam tempo indo atrás dela, mas não disse uma palavra sobre matá-la. Eles especificamente falaram sobre a despejar sobre Knight e serem pagos. Knight a quer viva, e assim que encontrarmos Knight, nós vamos encontrar Lauren.”

268


Capítulo Trinta e Quatro TODA a família Colter, juntamente com Max, Noah e Liam, mais a maioria da força policial de Seth e diversos socorristas, estavam lotando a pequena delegacia de polícia de Clyde. Holly estava agitando sobre Liam e tentando enfaixar o ferimento na cabeça. Ela estava irritada porque cada vez que algo foi dito, Liam levantava a cabeça, perturbando seu domínio sobre o curativo. Max estava andando para lá e para cá, agonia em seus olhos e linhas de preocupação gravados profundamente em sua testa. Os rostos de Callie e Lily estavam manchados e de lágrimas e estavam amontoadas em um dos bancos, os braços em volta uma da outra. Noah tinha acabado de fazer uma chamada para o promotor da Cidade de Nova York e estava esperando impacientemente para ser colocado em contato com o outro homem. Seth estava de pé ao lado dele, murmurando em voz baixa para Noah manter a calma e não para acusar o promotor de qualquer coisa até que pudessem ter certeza do que estava acontecendo. Noah imaginou que saberia logo se o promotor estava envolvido. Seria evidente pela quantidade de ajuda que estaria disposto a dar-lhes agora que Lauren tinha sido raptada. “Sr. Sullivan, a minha secretária disse que era urgente. O que posso fazer por você?” Richard Castanetti disse, com a voz tensa. “Joel Knight levou Lauren,” disse Noah sem rodeios. As sobrancelhas de Noah subiram na série de maldições que tocavam através do telefone. “Como? Quando?” Castanetti exigiu. 269


“Quando, um pouco tempo atrás. O como é o que estamos querendo saber.” Houve uma longa pausa. “Você acha que eu tive algo a ver com isso? Você acha que sou sujo?” Havia mais incredulidade que raiva na voz do outro homem. “Não sei o que pensar,” disse Noah em voz baixa. “Temos razões para acreditar que ele está procurando por ela desde que o deixou. Se for esse o caso, então o tempo poderia ter sido apenas uma grande coincidência. É possível que eles estivem observando-a, esperando a oportunidade certa para se apresentar e hoje foi esse dia.” “O que você sabe? Você tem alguma pista? E sobre a polícia local? Eu tenho alguns contatos em Raleigh. Posso fazer alguns telefonemas para você.” “Nós não estamos em Raleigh,” Noah mordeu fora. “Estamos no Colorado. Mas se você quiser ajudar, pode nos ajudar trazendo todas as informações que você tem de Knight. Suas residências, os lugares que ele frequenta. Quaisquer esconderijos que tem. Precisamos fazer um pente fino sobre toda a sua vida e precisamos disso para ontem.” “Você acha que ele a tem? Viva?” Castanetti perguntou ceticamente. “Nós pensamos que é provável que Knight ainda não sabe sobre o negócio que ela tem com você. Ele é um obcecado, controlador bastardo, cujo ego levou um golpe quando Lauren fugiu dele e não voltou. Ouvi os imbecis que a levaram falar sobre entrega-la a Knight, por isso, se podemos encontrá-lo, há uma boa chance de que vamos encontrá-la, e então você pode adicionar sequestro e tentativa de assassinato as suas acusações quando você o fichar.” “Não há nada que eu gostaria mais,” disse Castanetti em um tom que fez Noah acreditar que o homem foi sincero. “Dê-me uma hora e vou puxar cada pedaço de informação que tenho sobre Knight e mais vou dar algumas chamadas para contatos que tenho com o procurador-geral do Estado e do FBI. Então todos vão querer que a senhorita Wilder esteje viva. Agora ela é a única pessoa que pode levá-lo preso. Vou dizer-lhe isso. Ele raramente deixa o 270


Nordeste5. Pode ajudar você a ganhar um inferno de um monte de tempo, se pegar um avião e iniciar por este caminho, enquanto trabalho as coisas do meu lado.” “Vou manter isso em mente,” disse Noah. “Enquanto isso, deixe-me dar-lhe alguns números para que um de nós possa ser alcançado em todos os momentos.” Ele deu o seu próprio número de celular, de Liam e Seth antes de desligar. Quando abaixou o telefone, encontrou os olhares expectantes de todos reunidos na sala. “Não acho que ele fez isso,” disse Noah honestamente. “Além do fato de que era simplesmente inviável para Knight agir sobre a informação que Castanetti acaba de receber em menos de vinte e quatro horas atrás, ele parece tão ansiosos quanto nós para pregar a bunda de Knight para a parede.” “Espero que no inferno você esteja certo,” disse Liam severamente. “Uma vez que Knight descobre que Lauren copiou informações de seu computador e planejava entregá-lo para o promotor, a sua vida não vai valer nada. A única coisa que trabalha em nosso favor agora é que ele quer desesperadamente salvar seu ego com as pessoas que o cercam, e quer Lauren de volta sob seu controle. Isso pode comprar-nos tempo suficiente para ir e o levar para baixo.” “Então, quem vai e quem vai ficar?” Perguntou Dillon Colter. “É uma coisa quando estamos falando de algo local. Nós tendemos a fazer as coisas do nosso jeito aqui na montanha. Nova York é uma história totalmente diferente, e todos nós poderíamos acabar tendo nossas bundas rebocados para a cadeia se não lidarmos com isso de forma certa.” Seth balançou a cabeça, os lábios apertados e virados em uma carranca. Ele olhou para Max. “Alguma vez você já teve qualquer negociação face-a-face com Knight?” Os lábios de Max enrolaram em desgosto. “Claro que não.” “Isso pode funcionar a nosso favor. Você se encaixa bem com a elegante, multidão de negócios. Podemos usá-lo para isso.” 5

Nordeste estão as Cidades de Nova York, Boston, Philadelphia, New Orleans. 271


Alívio foi gritante aos olhos de Max. “Eu vou,” disse ele sem hesitação. Seth virou-se para seu irmão e um de seus pais. “Michael, ainda acho que você e Ethan devem ficar aqui com as mulheres. De preferência em um lugar que que não estejam espalhados. Você vai ter a mãe, Lily e Callie para cuidar.” Holly cruzou os braços sobre o peito, seu olhar tão feroz quanto sua carranca. “Por que não podemos ir? Meu bebê vai precisar de mim quando a pegarmos de volta desse imbecil. Uma menina sempre precisa de sua mãe em um momento como esse.” O olhar de Liam suavizou e impulsivamente reuniu Holly Colter em seu abraço enorme. Ela parecia muito satisfeita com o abraço espontâneo e deu-lhe um de seus próprios que rivalizava com a dele em ferocidade. “Aprecio você estar disposta a estar lá para Lauren, e não há dúvida de que ela vai precisar de você. Mas nós queremos você segura, Sra. C. Todos vocês. Lauren ama a todas e ela ficaria arrasada se algo acontecesse com você. Prometo trazer Lauren para casa onde ela pertence, tão logo nós a tenhamos de volta.” Holly deu um tapinha na bochecha de Liam e depois inclinou-se na ponta dos pés para beijar o local que deu um tapinha. “Veja o que você faz. Estar em casa é importante quando você está ferida e assustada. Sei por experiência própria,” acrescentou em voz baixa. “Quanto tempo você pode ter o jato pronto para ir, Max?” Perguntou Seth. Mesmo antes que Max pudesse responder, Seth virou-se para um dos oficiais mais jovens e lhe deu um tapa no ombro. “Você está no comando enquanto eu estiver fora. Não me deixe chateado.” O oficial olhou confuso, mas não discutiu. Ele balbuciou um “sim senhor” e, em seguida, imediatamente sentou-se para contemplar a sua promoção temporária. “No momento em que nós dirigimos a Denver, Castanetti deveria ter tido muito tempo para desenterrar as informações que nos prometeu,” disse Noah. “Voto para partirmos agora e trabalhar com isso no caminho para a cidade de Nova York.” 272


Os outros prontamente concordaram e houve uma debandada imediata da estação do xerife quando todos começaram a sair. Noah ficou para trás, apontando para Liam. “Você está bem, cara?” Noah perguntou, preocupado. Seu amigo tinha estado principalmente tranquilo durante todo o processo de planejamento. Era óbvio que ele estava com dor e que tinha sofrido um ferimento na cabeça muito grave. “Estou bem,” disse Liam com firmeza. “Nada que alguns analgésicos não vão resolver. Tive outros muito piores e ainda obtive o trabalho feito. Desta vez, não é um trabalho, no entanto. É pessoal. Vou buscá-la, Noah, ou vou morrer tentando. Não posso suportar a ideia de ela ter que ficar um único minuto na sua presença, suas mãos sobre ela. Dele a tocando-a. Assustando-a. Fazendo-a duvidar da doce mulher maravilhosa, e amoroso que ela é.” Ele olhou para Noah por um longo momento, a dor queimando brilhantemente em seus olhos. Ele baixou a voz ainda mais. “Nós temos que trazê-la de volta, Noah. Não posso viver sem ela.”

273


Capítulo Trinta e Cinco JÁ estava escuro quando o passeio angustiante na parte de trás do Hummer chegou ao fim. Lauren doía da cabeça aos pés com o percurso acidentado, e estava sendo jogada no banco de trás, sem o cuidado e isso tinha seus músculos gritando. A porta traseira se abriu, e ela ficou tensa quando os dois homens a arrastaram do assento. Lágrimas queimaram suas pálpebras quando suas costelas foram empurradas. A dor atravessou seu peito e abdômen, e por um momento ela se sentiu como se não pudesse respirar. Levou um minuto para perceber onde estava. Forçada a ficar sobre as pernas tremendo entre seus dois raptores, tentou fazer sentido do que estava em seu entorno. À medida que a empurraram para frente e os pés dela entraram em contato com o pavimento duro, luzes acenderam a uma curta distância, e, em seguida, veio o som explosivo de uma partida de motor a jato. Eles estavam em um aeroporto regional, embora mais parecia uma pista de pouso de propriedade privada, mas era claramente projetado para jatos comerciais para pousar e decolar. A porta da cabine se abriu, deslizando para baixo para revelar quatro escadas que levavam até o avião. Uma figura apareceu no topo da escada, e através da névoa de dor e medo, o reconhecimento queimou através de sua mente. Seu estômago enrolou em um nó doloroso e seus músculos já tensos apertaram automaticamente. Um gesto defensivo associado com a pessoa de pé e olhando para ela quando foi transportada para a etapa final.

274


Joel Knight estava em frente da porta aberta, os olhos brilhando perigosamente. Ela reconheceu aquele olhar. Ele estava furioso e no alto de uma viagem de poder. Era um estado de espírito em que ele se sentiu desafiado e forçado a provar a si mesmo para aqueles que o rodeavam. Ela aprendeu a evitá-lo a todo custo quando estava desta forma. Ele bateu em seu rosto sem uma única palavra. Sua cabeça voou para o lado e agonia passou pela sua face. Se os dois homens não estivessem segurando seus braços, ela teria caído no chão. Lágrimas escorreram de seus olhos e deslizaram para baixo sobre a fita adesiva ainda enrolada na cabeça e na boca. Ela caiu de forma precária e Joel olhou para ela com nojo. Então enfiou a mão no bolso, retirando dois maços de dez mil dólares. Entregou um para cada homem e, em seguida, por cima do ombro gritou para dentro do jato “Venha pegar a cadela.” Em seguida, aos dois homens que ele tinha acabado de pagar, “Deem o fora.” Os dois homens não perderam tempo. Eles soltaram sua influência sobre Lauren e ela cambaleou para manter o equilíbrio, quando decolaram para o Hummer. Um segundo depois, Ron apareceu atrás de Joel. Ela recuou quando Ron passou por Joel e colocou as mãos sobre ela. Isso não estava acontecendo. Ela não iria voltar para sua antiga vida. Não que a sua realidade atual suportaria qualquer semelhança com o passado. Joel nunca a tinha tratado bem, mas ele não demonstrou qualquer restrição agora. Ele se sentiu traído por ela e queria vingança. Ele queria salvar seu ego. Perdê-la tinha sido um duro golpe para o seu ego. Ela fugiu dele. Ela se recusou a reconhecer sua boa sorte em conseguir um homem como ele. Ele nunca iria perdoá-la por essa transgressão.

275


Ron ergueu-a e jogou-a por cima do ombro. Assim que seu corpo fez contato com suas costelas, ela gritou em agonia. O som foi horrível, abafado pela fita adesiva sobre sua boca, mas era o som de agonia que não poderia ser disfarçada. “Que diabos você fez com ela?” Joel exigiu quando Ron subiu os degraus para o jato. “Nenhuma coisa de maldição,” Ron defendeu. Ron jogou-a para o sofá na parte de trás do avião, e ela soltou outro som distorcido, quase desmaiando. Não conseguia o suficiente de ar pelo nariz. “Seja maldito cuidadoso com isso,” Joel latiu. “Eu não sei o que esses idiotas fizeram com ela. Juro por Deus que se tocaram o que é meu, vou cortar seus paus fora e forçar eles alimentar um ao outro com isso.” “Você não vai descobrir muito até tirar a fita da boca,” disse Ron secamente. “Dê a ordem para decolar,” disse Joel laconicamente. “Então me encontrar algo para cortar a maldita fita.” Riso histérico borbulhou na garganta de Lauren. Ele a tinha golpeado quase arrancando seus dentes para fora e ele estava chateado porque os idiotas que tinha contratado poderiam a ter machucado. Aparentemente, só ele foi autorizado a abusar dela. Ela rolou para trás contra o sofá quando o avião começou a avançar. Ron voltou um segundo depois, segurando uma faca para Joel. Joel puxou mais para sua barriga e pânico explodiu. Foi pior porque não tinha maneira dela lutar. Odiava estar presa desta maneira. Odiava! Ele serrou a fita em torno de seus pulsos e, finalmente, os trabalhou livre. Seu braço caiu para frente, caindo sobre a borda do sofá, e seus ombros protestaram contra a súbita mudança de posição. Ela gemeu contra a fita adesiva sobre sua boca e tentou corajosamente manter as lágrimas.

276


Em seguida, ele libertou os tornozelos, e então começou a trabalhar na extração da fita adesiva de seu cabelo. Ela ficou surpresa dele não ficar impaciente e só cortar o cabelo fora, mas, em seguida, seu cabelo sempre foi algo que ele gostou e não queria que ela mudasse. Ela se preparou para ter metade de sua pele e lábios arrancados quando ele arrancou a fita de sua carne, mas ele foi surpreendentemente gentil, trabalhando um pouco de cada vez até que finalmente se soltou. Ela lambeu automaticamente seus rachados, lábios secos. Em seguida, se empurrou para cima, recusando-se a permanecer em uma posição tão vulnerável. Joel a assistiu, nada contundente em seu toque. Ele só fazia temê-lo mais, porque ela sabia o quão rápido a dor poderia vir. Era quase como se ele gostasse de manter sua consciência em todos os momentos que ele podia fazer o que quisesse. Ele gostava de seguir a ternura com brutalidade, e, em seguida, sempre acompanhava a dor com uma carícia. “Você gostaria de um pouco de água?” Ele perguntou, franzindo a testa para sua aparência. Ela assentiu com a cabeça, não confiando que sua voz não rachasse, e a última coisa que queria era demonstrar o seu terror. Ela não lhe daria essa satisfação. Ron apareceu com água engarrafada, e Joel a pegou dele e cuidadosamente segurou-a aos lábios, recusando-se a deixá-la segurar. Ela bebeu avidamente, fechando os olhos quando o líquido frio acalmou a crueza de sua garganta. Quando Joel levou embora, ela ergueu o olhar com cautela, esperando o que vinha em seguida. Joel fez uma careta. “O que aconteceu com você? O que esses idiotas fizeram com você?”

277


Desde que ele parecia preocupado, pelo menos no nível que alguém tinha possivelmente danificado algo que ele via como sua propriedade, ele era extremamente possessivo de coisas que pertenciam a ele, Lauren não o provocou e, em vez jogou seu jogo. “Eles forçaram o meu veículo fora de uma montanha,” disse ela, em voz baixa. A carranca de Joel virou-se para uma carranca completa. “Eles fizeram você capotar?” Ela assentiu. “Idiotas do caralho,” Joel explodiu. “Eles tinham ordens explícitas para te entregar para mim. Viva. Como diabos eles poderiam ter a certeza de que você iria sobreviver numa queda para o lado de uma montanha?” Ela baixou o olhar quando as respostas a fizeram morder os lábios. Queria perguntarlhe se ele era o idiota já que parecia não enchergar que ela não queria nada com ele. Mas ela estava ferida, e a última coisa que queria era enfurecê-lo ao ponto que virasse violento. No momento, ele parecia realmente preocupado, ou pelo menos incomodado com seus ferimentos. “Onde você está machucada? Eu ouvi você gritar quando Ron a levou para entrar no avião.” “As minhas costelas,” disse ela lentamente. “Dói para me mover. Dói para respirar. Estou preocupada que elas estão quebradas.” Joel xingou e depois gritou para Ron retornar. Quando o homem apareceu na sala de estar, Joel disse: “Vá à frente e tenha o meu médico pessoal esperando por nós quando chegarmos. Dê-lhe o resumo sobre a condição de Lauren e diga-lhe que ela precisa de medicação para dor e raios-X.” Ron assentiu e desapareceu mais uma vez. “Não estou feliz com você, Lauren,” disse Joel friamente. “Olhe para mim quando eu estou falando com você!”

278


Engolindo a raiva construindo no poço de sua barriga, ela levantou lentamente o olhar para encontrar os olhos de um demônio. “Você não estaria em sua condição atual, se não tivesse sido estúpida e tentado se afastar de mim. Ninguém caminha para longe de mim. Você entende isso? Não há um lugar nesta terra que você pudesse se esconder de mim. Vou encontrá-la. Nunca vou parar de procurar. E vou matar qualquer um que te ajude, que esteja com você, que interfira de forma alguma. Você está entendendo?” “Sim,” ela sussurrou. “Você é minha, Lauren. Você pertence a mim. Você é minha propriedade. Eu faço todas as decisões a respeito de seu bem-estar, sua vida, sua própria existência. Quanto mais cedo você aceitar isso, mais pacífica sua vida se tornará.” Oh Deus. Ela não podia suportar. Ela queria gritar os nomes de Liam e Noah e continuar gritando até que chegassem por ela. Eles tinham que encontrá-la. “Agora fique de joelhos e prepare-se para pedir desculpas,” ele ordenou. Seus olhos arregalaram e ela olhou para ele com horror. Seu rosto ficou vermelho de raiva com a reação dela e antes que ela pudesse se defender, sua mão estava em seus cabelos, torcendo os fios em seu punho. Ele puxou-a do sofá e ela caiu no chão, o choque enviou uma corrida de dor através de sua cintura. “Você não aprende,” ele grunhiu. “Seu desafio vai lhe trazer nada mais que a miséria. Eu garanto isso, Lauren. Agora levante-se de joelhos.” Ele soltou seu cabelo, sua mão indo para a braguilha de suas calças. Lágrimas correram sem parar por suas bochechas, ela empurrou-se para cima até que ele segurou seu queixo em seu aperto impiedoso. Ela fechou os olhos e se forçou para fora de seu corpo, para um lugar onde Joel não poderia machucar ou humilhá-la. Ela focou em Noah e Liam e seu amor por ela. 279


Joel podia controlar seu corpo, mas ele nunca controlaria seu coração ou sua mente. Para os homens que amava, ela poderia e iria suportar qualquer coisa que Joel a forçasse. Ela só tinha que segurar e fazer o que fosse preciso para sobreviver, até que viessem por ela.

280


Capítulo Trinta e Seis O CELULAR de Noah tocou quando ele e os outros estavam embarcando o jato de Max. Reconhecendo o número como um código de área da Cidade de Nova York, ele rapidamente respondeu. “Noah, é Rick Castanetti. Tenho algo para você. Acabamos de receber uma grande informação.” “Você a encontrou? Você achou Lauren?” Noah exigiu. “Ela está bem?” Em torno dele, todo mundo ficou completamente em silêncio. Liam empurrou ao lado de Noah e colocou o ouvido perto da cabeça de Noah para que pudesse ouvir a conversa. Noah apertou o botão para colocar Castanetti no viva-voz e depois segurou o telefone na frente dele para que todos pudessem ouvir. “Acabamos de receber uma dica de um informante que o médico pessoal de Knight recebeu um telefonema para atender Knight em sua casa do lago em Nova York para tratar as lesões da Senhorita Wilder.” “Que ferimentos?” Liam exigiu. “Que diabos aquele bastardo fez com ela?” Noah ergueu a mão para silenciar Liam antes que ele explodisse completamente. “Nós não sabemos se ela estava ferida no acidente ou não. Não vamos assumir o pior. Ele não pode ter tido tempo ainda para a sua posse.” “Eles estão voando para uma pista privada na propriedade de Knight. Ele normalmente leva seu helicóptero e o pousa na propriedade, mas isso é onde você vai ganhar. A pista está a uns bons quarenta e cinco minutos de sua casa. Há um campo comercial a dez minutos você 281


poderia pousar em, e vai ter a chance do tempo. Com a vantagem que ele tem sobre você deixando Denver, há uma boa chance que você vai chegar lá, não muito tempo depois que ele faz.” “Onde está essa casa do lago?” Noah mordeu fora. “Você tem que saber que não pode ser o primeiro a entrar,” disse Castanetti em uma voz baixa. “Tenho que ir através dos canais e os conseguir lá primeiro.” Noah prendeu a respiração e esperava como o inferno que não estivesse confiando no homem errado. “Você não pode chamar a polícia.” Houve um longo silêncio sobre a linha. “Que diabos?” Castanetti exigiu. “Você não quer se assegurar de que a polícia chegue para evitar qualquer dano que venha a Senhorita Wilder? Você está louco?” “Você não pode chamá-los por que Knight saberia sobre isso e então perderíamos Lauren. Agora nós sabemos onde ele está indo. Isso nos dá a vantagem. Se você organizar uma emboscada, ele vai desaparecer, levando Lauren com ele, e nós vamos ter perdido a nossa única chance de chegar até ela e levar Knight preso.” “Não gosto do que você está insinuando,” disse Castanetti em um, o tom chateado com raiva. “Não estou insinuando nada. Eu sei muito bem que ele tem alguns policiais corruptos em sua folha de pagamento. Vi as informações no cartão de memória que Lauren copiou do computador de Knight. E isso vai todo o caminho até o topo. Estou tomando um enorme risco de merda mesmo falando com você.” Houve outro longo silêncio, e então uma série de maldições de Castanetti. “Quero esse cartão de memória, especialmente se o que você está dizendo é verdade.” “E se conseguirmos Lauren de volta, você vai tê-lo,” disse Noah sem problemas. “Ela é a nossa prioridade agora.” 282


Houve um suspiro, e depois Castanetti murmurou o seu acordo e informou endereços e locais específicos, bem como o aeroporto para eles pousarem. Noah fez sinal para um dos outros para copiar os detalhes que Castanetti lhes deu. “É melhor ele não estar morto quando isso tudo acabar,” disse Castanetti quando terminou de fornecer o local. “Eu não posso lhe garantir nada,” disse Noah em voz baixa. Se Lauren fosse ameaçada de alguma forma, Noah não pensaria duas vezes antes de atirar no bastardo. “Só não o obtenha morto,” disse Castanetti em voz sombria. “Knight tem sido responsável por muitas vidas perdidas. Espero que a senhorita Wilder saia bem disso, e não estou dizendo isso só porque quero ela no banco das testemunhas.” “Obrigado. Vamos manter contato,” disse Noah. “Veja o que você faz.” Noah desligou quando o avião levantou no ar, e severamente examinou o grupo de homens que tinha escutado a chamada. “Temos algum tempo para planejar. Knight está a nossa frente, e a vida de Lauren depende de nós chegarmos a essa casa do lago o mais rápido possível.”

LAUREN se encolheu no sofá do avião e gemeu baixinho quando foi empurrada pela aeronave ao pousar. O medo foi imediato, porque não tinha ideia de onde estava ou como Noah e Liam seriam capazes de encontrá-la.

283


Era hora de cair na real e não apenas confiar em alguém para resgatá-la. Ela escapou de Joel uma vez. Somente tinha que fazê-lo novamente. Apenas, que a primeira vez ele não tinha esperado por isso. Agora iria vigia-la constantemente, mantê-la mais firmemente sob o polegar do que tinha antes. Desespero a envolveu pesado e sombrio. Então, ficou bastante irritada com a derrota que a incomodava. Ela sobreviveu a Joel uma vez e era mais forte agora. Ela sobreviveria novamente. “Levante-a e tome cuidado com ela,” Joel pediu. “Se você machucá-la, vai ser a sua bunda.” Mãos ásperas deslizaram debaixo dela, levantando-a em um movimento quando Ron a colocou rudemente contra seu peito. Isso a fez furiosa que Joel era um hipócrita como nauseante. Ele agia dando a mínima batendo nela se estava ferida ou não. Achou que era mais provável que ele estava tão insanamente, que em sua mente, ela era sua para atormentar, muito parecido com um brinquedo favorito que uma criança guarda zelosamente a sua utilização para outras crianças. Ela ainda estava entorpecida do episódio violento de antes. Ele a usou. Não para a liberação sexual, mas para humilhar e degradá-la. Ele estava provando um ponto e desbastando a sua rebelião. Ele estava tentando quebrá-la. Ele não tinha como saber que ao contrário de antes, ela foi infundida com um propósito. Resolvida. Ela conhecia o seu valor. Sabia que era amada por quem era. Sabia a diferença entre amor e controle. Se ele achava que estava ganhando da mesma ingenua estúpida Lauren Wilder, ele estava errado. Completamente errado.

284


Ela foi colocada na parte de trás de um carro que estava à espera e, em seguida, Joel deslizou para o assento ao lado dela, sua mão indo imediatamente para a cabeça. Não foi um gesto de delicadeza. Era um aviso. Uma expressão de seu domínio e controle. Ela enrolou-se em uma bola apertada e fechou os olhos, fechando a sua presença. O carro se afastou, o banco vibrando contra sua bochecha. Ela não tentou se levantar. Ela não moveu um único músculo. Seu rosto estava machucado e pulsando a partir de quando ele a atingiu e, em seguida, a partir de sua manipulação grosseira de antes. E toda a sua barriga doía ferozmente. Embora tivesse jogado com seus ferimentos para tentar obter Joel a dispensando, mais e mais ela pensou que poderia muito bem ter quebrado suas costelas no acidente. Isso a assustou, essa preocupação falsa de Joel. Ele era como um caldeirão borbulhante apenas esperando para explodir, e ela esperou por isso a qualquer momento. O caminho demorou muito, e estava desesperadamente cansada, mas com medo de deixar-se adormecer nem que fosse por um minuto. Ela não queria ser colocado em uma posição onde estivesse vulnerável e não em guarda. Quando o carro finalmente parou, ela ficou tensa automaticamente. A mão de Joel apertou a cabeça. “Você deve ser cuidadosa,” ele murmurou. Sua voz era calma, mas a ameaça estava lá. Ela teria que ser uma idiota para não perceber a violência velada que irradiava dele. “Faça o que eu disse, Lauren. Não me faça ficar com raiva. Vou ter um médico olhando para suas lesões e determinar se você é capaz de me acomodar. Se você me desafiar, vou segurar você e te foder com costela quebrada ou não.” Seu estômago se revoltou e sua pulsação acelerou. Suas mãos cresceram úmidas e sua testa estava salpicada de suor frio. 285


Ela não tinha nenhuma dúvida de que ele iria cumprir a ameaça. Quando levantou a cabeça para olhar com cautela para ele, viu a ideia de estuprá-la, sabendo que ela tinha lesões, o excitava. Por mais que ela quisesse desafiá-lo, dizer-lhe para cair fora e ir para o inferno, ela sabia que tinha que ser esperta e esperar pela oportunidade. Ele segurou seu queixo, segurando-o dolorosamente apertado, seus dedos pressionando a contusão que colocou lá. “Você é minha, Lauren. Você pertence a mim. Você não vai embora. Você não toma a decisão que tomou. Só eu tomo essa decisão, e não terminei com você ainda.” Quando ela não respondeu, ele apertou mais forte até que um gemido escapou de seus lábios. “Você entendeu?” Perguntou. “Diga isso. Diga as palavras. Você pertence a mim.” “Eu sou sua,” ela resmungou. Seu aperto diminuiu e lágrimas brotaram de suas pálpebras. Ela respirou fundo, determinada a não dar-lhe a satisfação de ver o quanto iria machucá-la. “Leve-a para dentro de casa,” ordenou a Rony. Em seguida, Joel saiu do carro e caminhou em direção à passagem para a porta da frente, deixando Ron para lidar com Lauren. Quando Ron a puxou do banco de trás, ela rapidamente examinou o terreno e considerou se agora era a hora de tentar escapar. Seria capaz de se livrar de Ron, mas para onde ela iria? Eles estavam em uma área densamente arborizada, e ela não podia ver toda a estrada ou as luzes de outras residências. Pânico correu-lhe na espinha, e teve que trabalhar duro para manter-se calma e focada. Ron, obviamente, não gostou de ser sobrecarregado com a responsabilidade de embalar Lauren

286


ao redor. Suas sobrancelhas juntaram em uma expressão descontente enquanto a levava até a passarela. “Disse a ele que deveria ter simplesmente se livrado de você há muito tempo,” Ron murmurou. No início, ela pensou que não tinha ouvido corretamente. “Disse a ele que você era um puta idiota. Muito fácil e muito burra. E agora você é apenas um pé no saco. Ele tem um negócio funcionando e não deve perder tempo perseguindo você em todo o lugar maldito.” “Vou ter a certeza de deixá-lo saber que você pensa assim,” disse ela através de seus dentes. “Você vai calar a boca ou vai se ver comigo,” disse ele friamente. “Joel gosta de assistir quando eu transo com uma mulher. Ele diz que o inspira. Porque eu não dou a mínima se eu as quebro. Vou enfiar meu pau nesse seu rabo apertado e vou desfrutar de fazer você gritar. Se acha que Joel irá protegê-la, então está errada. Ele vai me assistir trabalhar sobre você e então vai transar com você enquanto está lá chorando.” Ele caminhou através da porta aberta, enquanto ela estava rígida em seus braços, suas palavras ecoando repetidas vezes em sua mente horrorizada. Era uma ameaça, sim, mas ele parecia tão certo. Havia conhecimento em seu tom, como se tivesse feito isso descrito para outras mulheres que Joel tinham estado. Ambos eram torcidos, psicopatas fodidos, cujo ódio por mulheres corriam em suas almas profundas. Ele entrou na sala e jogou-a para o sofá, o que lhe valeu uma carranca de Joel, mas Joel não o repreendeu. Quando Lauren endireitou-se, ela viu outro homem mais velho de pé ao lado de Joel Joel, os braços cruzados sobre o peito. 287


Este devia ser o médico que Joel tinha convocado para encontrá-los. “Veja ela,” disse Joel. “Ela esteve em um acidente. Ela pode ter quebrado suas costelas.” “Eu não posso ter certeza, sem raios-X,” começou o médico. “Eu só quero saber se ela está bem para foder,” disse Joel friamente. Lauren estava completamente chocada, humilhação chegando ao seu rosto. O médico hesitou, mas em seguida, fez o seu caminho até Lauren. Ele foi em um joelho no sofá em frente a ela. “Deite-se, por favor,” disse ele em uma voz dura que lhe disse que estava desconfortável com a situação. Lentamente, ela abaixou-se até a cabeça encontrar as almofadas. Ela ficou tensa quando suas mãos levantaram a bainha de sua camisa e começou a puxá-lo para cima sobre os seios. “Eu não vou te machucar,” ele disse em voz baixa. “Eu vou fazer o meu melhor para ser gentil.” Ele estendeu as mãos sobre a caixa torácica e, em seguida, começou a pressionar em uma série de áreas com as pontas dos dedos. “Diga-me se em algum momento sente mais dor quando aplico pressão,” disse ele. Quando chegou à parte inferior, ela estremeceu e soltou um suspiro. Ele fez uma pausa e então trabalhou os dedos na área em torno do local. “Sinto muito,” disse ele quando ela soltou outro grito. Ele sondou mais alguns instantes e, em seguida, ergueu os olhos para encontrar os dela. “Você pode me dizer o que aconteceu? Alguma coisa bateu em você nesta área? Você teve alguma dificuldade para respirar?” Ela contou os acontecimentos do acidente com uma voz hesitante. “Mas eu não me lembro de bater em nada,” disse ela. “Foi tudo um borrão. Viramos várias vezes e foi tão rápido. E depois, não doeu porque...” 288


Ela parou, recusando-se a dizer que não sentia dor por causa da adrenalina de correr por sua vida longe dos homens a perseguindo. Homens de Joel. Isso só iria irritá-lo mais. Mas Joel tinha pisado para o lado e estava tendo uma conversa bastante animada com Ron. Ela usou esse momento de distração para sussurrar seu pedido ao médico. “Por favor, me ajude,” ela implorou. “Ele fez isso para mim. E você ouviu o que ele quer fazer. Quer me estuprar. Não estou aqui por vontade própria. Você pode, pelo menos, chamar a polícia quando você sair?” Seu rosto permaneceu inexpressivo, mas seus olhos estavam carregados de pesar e ele não conseguia mais segurar seu olhar. Ele baixou os olhos e continuou a sua análise. Por fim, levantou-se e virou-se na direção de Joel. “Ela seguramente tem quebrado as costelas. É importante que você tome cuidado com ela. Eu posso enfaixá-la até que você possa levá-la ao hospital. Elas precisam fazer raios-X, darlhe medicação para a dor e supervisionar o tratamento médico.” “É isso que eu lhe pago para fazer,” Joel estalou. “Pensei que você disse que não há maneira de saber se suas costelas estavam quebradas, sem um raio-X. E agora você está tão certo de que elas estão?” “Há uma contusão na caixa torácica inferior. Sensibilidade ao toque e, pelo menos, se sente deslocada. Se houver quebras superiores, ela corre o risco de perfurar um pulmão, se não for cuidadosa.” Joel fez uma careta. “Você receite os analgésicos. Vou ver como as coisas estão na parte da manhã antes de eu me preocupar sobre os raios-X.” O médico suspirou e virou, lançando um olhar de desculpas na direção de Lauren. Ele tentou e ela sabia que estava com medo de fazer mais. Não sabia o que Joel segurava contra ele, mas era óbvio que o médico estava cativo às demandas de Joel.

289


O médico passou alguns segundos escrevendo uma receita de seu bloco, e então puxou a parte de cima da página e estendeu-a para Joel, que empurrou-o para Rony. “Vai ter isto atendido.” Então, ele centrou sua atenção sobre o médico e disse-lhe para sair. O médico estava muito ansioso para desaparecer. Quase tropeçou em sua pressa para chegar à porta da frente. Quando Ron e o médico estavam fora, Joel foi até o sofá onde Lauren ainda estava, e olhou para ela, com um brilho malicioso nos olhos. “Aqui é como isso vai, Lauren. Coopere e me agrade e não vou tocar em suas costelas. Me irrite e será difícil e vou fazer você desejar nunca ter nascido.”

290


Capítulo Trinta e Sete

LAUREN ficou ali congelada, tão apavorada que não conseguia pensar no que deveria fazer. Não tinha nenhuma dúvida de que ele iria judiar muito se ela lutasse contra ele, mas como não poderia? Como ela poderia ficar lá e permitir que ele usasse seu corpo como já tinha usado a sua boca? E se ela ficasse grávida? Joel nunca tinha usado preservativo com ela. Ele se recusava. E depois que ela o deixou, ela tinha saído do controle de natalidade, porque não podia imaginar querer se envolver em um relacionamento sexual com alguém. Ela não contava com Noah e Liam. Como ela podia forçar-se a fazer sexo com ele por causa da sua sobrevivência? Seria estupro. Mesmo se ela não lutasse com ele, porque a sua mente e seu coração estava gritando não. Ela não queria isso! E como ela poderia alguma vez enfrentar Noah e Liam se Joel a estuprasse e ela não tinha feito nada para impedi-lo? Será que eles ainda a irriam querer? Eles poderiam olhar para ela com desgosto em seus olhos, e ela poderia nunca olhar para eles sem sentir vergonha dela? Joel parou ao lado do sofá, abriu a braguilha e puxou as calças para os quadris de modo que seu pênis ereto veio livre. Ele estava desgostoso com ela, mas estava tão excitado depois de ouvir como ela estava ferida, que realmente veio com a ideia de forçá-la a suportar a humilhação de sua posse, além da dor imposta a ela, porque ela não estava pronta ou disposta. E ele sabia que ela não estava disposta e que não tinha nenhum desejo por ele. 291


Ele acariciou sua ereção, a ação ameaçadora. Ele chegou com a mão livre para bater suas coxas, mas, em seguida, se afastou, seu olhar duro. “Levante-se e tire as calças,” ordenou. “Quero você completamente nua. Seja rápida sobre isso.” Oh meu Deus. Ela estava perdida. O que ela poderia fazer a não ser obedecer? Ela se levantou antes que ele pudesse encontrar uma falha e levá-la por desobediência. Quando seus pés tocaram o chão, ela se levantou, trêmula, as mãos indo desajeitadamente para o botão de sua calça. Todo o tempo, manteve o olhar colado a Joel, esperando desesperadamente por uma oportunidade. E em seguida, isso se apresentou. Aparentemente impaciente sobre o tempo que estava levando, ele avançou, liberando seu controle sobre seu pênis, com as mãos estendidas como se tivesse rasgando sua roupa. Instinto assumiu. Antes que ela percebesse o que estava fazendo, pulou para frente, com a mão pegando o pau dele e torcendo com toda sua força. Uivo de dor de Joel foi instantâneo, e ele bateu para fora em seu rosto para afastá-la. A dor explodiu em sua mandíbula, mas ela continuou, determinada a fazer tanto dano quanto podia. Ela dobrou seu outro punho e golpeou várias vezes na mandíbula. Ela soltou-o e, em seguida, levou seu joelho direito em suas bolas, ignorando a dor em suas costelas. Joel caiu como uma pedra no chão e ela não perdeu tempo, virou e correu para a porta do pátio de volta. Ela não podia sair pela frente porque Ron estava lá. Não tinha acesso a um veículo agora, mas tomaria suas chances na floresta, porque qualquer coisa era melhor do que o destino que Joel tinha planejado para ela.

292


Ela ouviu o rugido de Joel de raiva e seu apelo imediato para Ron. Ela abriu a porta e saiu correndo para a noite, correndo tão rápido quanto suas pernas iriam levá-la em direção à linha de árvores à distância. Quase lá. Quase lá... Era um cântico em sua mente, uma ladainha sem fim que a fez empurrar apesar da agonia correndo como um rio por seu corpo. Oh Deus, ela estava indo para fazê-lo. Ela estava quase lá. Ela foi atingida por trás com a força de um trem. Estava gritando em agonia quando bateu no chão, um corpo pesado em cima dela. “Rony.” Ele a pegou. Lágrimas de frustração correram pelo seu rosto. Ela quase conseguiu entrar na cobertura da floresta. Ela poderia ter se escondido. “Cadela estúpida. Você realmente tem um desejo de morte,” Ron rosnou em seu ouvido. Sua virilha foi empurrado para trás dela e ela podia sentir sua enorme ereção. O bastardo doente estava saindo em seu desamparo e perseguição. Ele bombeou seus quadris para frente, imitando o movimento de transar com ela por trás. “Agora peguei você,” ele disse com satisfação selvagem. “Você deveria ter deixado Joel fodê-la. Ele é muito mais fácil de tomar do que eu, mas agora você o irritou e ele vai deixar-me puni-la, e eu lhe asseguro, vou aproveitar cada minuto de fazer você chorar.” Ele empurrou-se dela e, em seguida, arrastou-a para cima. Uma mão enrolada firmemente em seu cabelo e a outra agarrou-lhe o braço com força quando a levou para frente.

293


Momentos depois, ele a empurrou de volta para a casa onde Joel estava esperando na sala de estar, com o rosto quase roxo de raiva. Seus olhos eram tão negros que ela estremeceu. Assim que apareceu, ele caminhou mais sarcástico no rosto dela. Se Ron não estivesse segurando-a com tanta força, ela teria ido imediatamente para baixo. Em seguida, Joel olhou para Ron. “Ela é sua. Dobre-a sobre o sofá e amarre-a lá. Use-a durante o tempo que quiser. Eu não me importo o que você faz com a cadela, mas certifique-se que ela sofra.” Os olhos de Rony brilhavam de satisfação. “Ela pode estar um pouco frouxa pelo tempo que você chegar até ela.” Joel deu de ombros. “Não pretendo mantê-la por muito tempo de qualquer maneira.” Um frio soprou sobre seu corpo na finalidade em seu tom. Ele queria matá-la. Ele queria puni-la e, em seguida, iria matá-la por sua rebelião. Ron rasgou suas roupas, enquanto ela estava ali, entorpecida, tão assustada que não conseguia nem pensar. E então estava nua e ele estava empurrando-a em direção ao sofá, com as mãos apertadas e a fazendo gritar de dor. Ela não podia fazer isso. Não podia enfrentar o que estava prestes a acontecer. Ela só queria morrer. Sua mente ficou em branco e bloqueou sua realidade, retirando-se para um lugar onde ninguém poderia machucá-la. Não sentia a dor quando Ron a empurrou sobre a extremidade do sofá e puxou seus braços para trás para amarrá-los no lugar. Ela fechou os olhos e retirou-se, limpando tudo, até que estava flutuando em um mar suave de nada.

294


Capítulo Trinta e Oito LIAM estava prestes a sair de sua pele, eles correram para baixo do caminho da casa do lago de Joel Knight. Cada batida de seu coração foi ampliado dez vezes até parecia que o peito ia explodir com a pressão. Ele estava apavorado. Lauren estava nas mãos de Knight por horas. Se Knight já não a tivesse matado, Liam só podia imaginar o que teria feito com ela. A tensão no interior do SUV era tangível. As mãos de Noah agarraram o volante, enquanto Seth e Dillon estavam ao lado, duros e prontos para agir para a ação. Na parte de trás, Adam e Ryan pareciam preocupados, suas sobrancelhas vincadas com ansiedade enquanto imaginavam o destino de Lauren. Max estava entre Seth e Dillon, com as mãos atadas em conjunto, os nós dos dedos brancos. Liam não tinha certeza se ele estava rezando ou tramando vingança. Provavelmente um pouco de ambos. Noah desligou os faróis quando fizeram a última volta e a casa ficou à vista. Ele pisou no freio e desligou o motor a uma boa distância da casa e, em seguida, fez sinal a todos para sairem. Havia um carro estacionado na frente. Um Mercedes preto lustroso. Apenas uma luz ligada dentro da casa, um farol para Noah e Liam. Seth sacou a arma, enquanto Noah e Liam ambos puxaram suas armas também. Em seguida, Seth virou-se para seu irmão, seus pais e Max.

295


“Vocês ficam atrás de nós. Isso não é hora de jogar de herói e se matar. Vamos em primeiro lugar e cuidaremos de qualquer ameaça. Nós não queremos isso para ficar sangrento a menos que seja necessário.” Eles acenaram seu acordo, mas Noah e Liam já estavam começando a ir em todo o cascalho para a casa. Liam começou a correr, não estando disposto a esperar mais um segundo para chegar a Lauren. Noah o passou indo em direção à porta da frente. Foi a vista da imagem na janela que os fizeram parar em suas trilhas. Não havia cortinas ou persianas na grande janela que dava para a sala de estar, e o que viu fez o sangue de Liam correr a frio e então imediatamente fundido com raiva. Lauren estava debruçada sobre um sofá, nua e vergões nas costas eram visíveis, mesmo à distância. O filho da puta tinha batido nela! Parecia que alguém tinha golpeado um cinto para as costas. Joel Knight estava de lado, com o rosto definido com satisfação quando outro homem separava as pernas de Lauren enquanto se preparava para estuprá-la. Liam se arremessou para a porta da frente, jogando-a aberta. Ele caiu na sala de estar, arma levantada. “Saia de perto dela!” Ele rugiu. “Mãos ao alto, idiota!” “Liam, cuidado!” Ele ouviu o grito de Noah e, em seguida, várias coisas aconteceram ao mesmo tempo. Uma bala. Em seguida, duas. Dor floresceu em seu ombro esquerdo. O homem que tinha estado abusando de Lauren caiu e rolou, e Liam pode ver que ele estava indo para a arma caida ao lado de suas calças descartadas. Liam tentou mover-se para cortar o acesso do homem, mas o seu tempo de reação foi ridiculamente lento e parte de seu corpo estava envolto com chumbo. Seth parou entre Liam e o homem no chão e tudo que Liam podia ouvir foi: “Não!” Ele não queria que Seth Colter o matasse. 296


Seth mergulhou baixo, lutando contra o homem, enquanto Max avançava e chutava a pistola longe do alcance do homem. Sabendo que a ameaça havia sido eliminada, Liam voltou sua atenção para Lauren. Noah também foi correndo em direção a Lauren, e chegaram a ela ao mesmo tempo. Noah trabalhou furiosamente para as cordas em torno de seus pulsos, enquanto Liam se ajoelhava ao lado do sofá e gentilmente virava a cabeça em sua direção. Seus olhos estavam fechados e seu coração quase parou em seu peito. “Lauren?” Ele perguntou baixinho. “Lauren, bebê, está tudo bem agora. Noah e eu estamos aqui.” Enquanto falava, colocou os dedos trêmulos em seu pescoço, sentindo a pulsalção. Seu braço esquerdo pendia inutilmente ao seu lado, mas ele fechou a tudo, exceto a mulher na frente dele. Enquanto Noah tinha as cordas livres, Max empurrou para dentro com um cobertor para cobrir o corpo nu de Lauren. Noah a puxou para cima, envolvendo-a no cobertor, ignorando as demandas de Max para ele ver o bem-estar de sua irmã. Ryan e Dillon tentaram puxar Liam de volta, para ver sobre a ferida. Eles tentaram convencê-lo a sentar-se, mas balançou-os fora, só desejando chegar a Lauren. Empurrou Max de lado, sem se importar com seus próprios ferimentos ou que Max era seu irmão e por todos os direitos devia ser o único a ver ela. Lauren era de Liam. Sua e de Noah, e Liam não estava deixando seu lado. Noah sentou para o sofá, segurando Lauren em seus braços. Liam se ajoelhou na frente de Noah, sua mão tremendo indo ao rosto machucado e sangrando de Lauren. Atrás deles, Seth estava ao telefone, sua voz baixa e urgente. Liam não tinha ideia do que aconteceu com Joel ou como ele mesmo tinha sido baleado, ou se Seth tinha o outro homem sob controle, mas não se permitiu fazer nada, exceto focar em Lauren. 297


“Lauren, querida, você está segura agora,” disse Noah com a voz embargada. “Abra seus olhos. Você está segura, eu juro.” Suas pálpebras lentamente abriram. Ela olhou cegamente em Liam, quase como se não o reconhecesse. “Lauren?” Liam sussurrou. “Sou eu, querida. É Liam.” Seus olhos estavam sem graça e não reagiu a sua voz. Era evidente que ela retirou-se para algum lugar longe de onde estava. Noah abaixou a cabeça para beijar sua testa, mas ela não se mexeu. Ela continuou a olhar sem vida para Liam, mas era como se olhasse para além dele. Em nada. Lágrimas queimaram nas pálpebras de Liam. Seus dedos enroscaram em bolas apertadas. Raiva impotente disparou através de seu corpo. Permitiu que isto acontecesse. Ela tinha sido tomada por este bastardo porque ele e Noah não a protegeram. Quando ele levantou o olhar para o seu amigo, viu a mesma tristeza e raiva nos olhos de Noah. Liam se inclinou para Lauren, descansando sua testa contra a dela. “Lute, bebê. Não deixe o bastardo ganhar. Volte para nós. Volte para mim e Noah onde você pertence.” Ele virou-se, procurando Knight com fúria em seu coração. Ele queria matar o filho da puta com as próprias mãos. Mas Knight estava deitado no chão em uma poça de sangue, com os olhos vidrados e fixos da morte. Ele olhou de volta para Noah, pergunta em seu olhar. “Ele atirou em você,” disse Noah em voz baixa. “Você invadiu o local, com a intenção de salvar Lauren, e nunca o viu puxar sua arma. Eu tive que colocá-lo para baixo.” “Bom,” disse Liam selvagemente. Então ele colocou a testa mais uma vez em Lauren. “Ele não pode te machucar, bebê. Ele nunca vai te machucar novamente.”

298


Ela não se mexeu, e medo agarrou a garganta de Liam. Ele olhou para Noah novamente, dor tão espessa que teve que engolir o nó em sua garganta. “O que ele fez com ela?” Ele perguntou com uma voz angustiada. Ele tocou seu rosto machucado de novo em um toque suave. Estava com medo de causar-lhe mais dor. Não tinha ideia do que Knight lhe tinha feito antes dele e os outros terem chegado. A boca de Noah apertou sua garganta e trabalhou para cima e para baixo, como se estivesse lutando contra a mesma tristeza esmagadora que consumia Liam. “Nós chegámos muito tarde,” Noah sussurrou. “Ele a machucou. O filho da puta colocou as mãos sobre ela. Você viu as marcas em suas costas? Os hematomas no rosto? Para não mencionar os hematomas e marcas que não podemos ver.” “Noah, Liam.” A voz sombria de Seth quebrou em sua conversa. Liam virou-se para ver os outros homens de pé atrás deles, a preocupação refletida em seus olhares. Ao lado, o homem que estava prestes a estuprar Lauren quando chegaram estava amarrado nos pés e mãos, forçado a sentar-se ereto contra a parede. “A ambulância acabou de chegar,” continuou Seth. Então olhou para Liam. “Você e Lauren precisam ir para o hospital. Você levou um tiro e ainda está perdendo sangue.” “Não vou deixá-la,” disse Liam ferozmente. Adam ergueu a mão. “Ninguém disse que você tinha que fazer, filho. Estaremos todos lá. Ela não vai estar sozinha. Vamos fazer com que se recupere para que possa estar com ela muito mais cedo. Quanto mais rápido você deixá-los dar uma olhada no braço, quanto mais rápido poderá estar de volta com ela. Ela tem de ir para o hospital.” Noah assentiu com a cabeça. Um momento depois, os paramédicos entraram na sala de estar, seguido de perto pela polícia local. Foi uma loucura de perguntas intermináveis. Para 299


frustração de Liam, ele foi separado de Lauren quando um médico a atendia e o outro enfaixava seu braço. Quando eles começaram a rodar a maca para longe, Noah andou ao lado segurando a mão de Lauren, Liam levantou do sofá e caminhou atrás deles. Sobre o seu cadáver estavam saindo sem ele. Max estava prestes a subir para a parte de trás com Noah e Lauren quando Liam empurrou-o para fora do caminho e arrastou-se até sentar-se ao lado de Noah no banco ao lado da maca. Quando Max ia protestar, Adam colocou a mão em seu ombro. “Pense no que você faria se fosse Callie e seus irmãos estivessem tentando estar ao seu lado. Eles a adoram. Assim como você ama Callie. Você nunca permitiria se separar dela, assim como Noah e Liam não permitem ficar longe dela. Deixe-os ir. Vamos seguir atrás e você pode vê-la no hospital.” Max suspirou, mas Liam podia ver que as palavras de Adam tinha atingido a marca. Liam enviou Adam um olhar agradecido. A última coisa que Liam queria era um confronto com Max Wilder quando a prioridade tinha que ser obter Lauren sob o cuidado que precisava. O outro médico fechou as portas e, em seguida, correu para entrar na frente. Liam estendeu a mão para a mão de Lauren, puxando-a para que ele pudesse entrelaçar os dedos juntos. “Estamos com você, bebê,” ele sussurrou. “Nós não vamos deixá-la. Ele se inclinou para escovar a boca através de sua mão delicada. “Eu te amo. Não me deixe, Lauren. Segure-se. Vamos levá de volta para casa.”

300


Capítulo Trinta e Nove “SERÁ que me faria um canalha completo que não sinto muito que você teve que atirar naquele idiota?” Liam resmungou em voz baixa, enquanto esperava pela enfermeira voltar para que pudesse sair dessa sala maldita. “Não,” disse Noah simplesmente. “Isso simplifica as coisas. Lauren não terá que testemunhar contra ele, agora que está morto. Nós entregaremos o cartão para o promotor e o deixaremos fazer a limpeza.” Liam assentiu e olhou impacientemente para a porta. Max estava com Lauren, uma concessão que ele e Noah estavam dispostos a fazer só porque ela atualmente dormia, e que tinha sido assegurado pelo médico de que ela iria permanecer assim por algumas horas ainda. Quando ela acordasse, Liam e Noah estariam ao seu lado, e Max teria que lidar com isso. Mas primeiro tinha que dar o fora desta sala de exames de maldição. “Onde diabos ela está?” Noah suspirou. “Fica frio, cara. Você levou um tiro. É uma maravilha não ter amarrado o seu traseiro para a cama. Você devia estar deitado e levando isso mais fácil, não correndo por todo o lugar de maldição.” “Você a viu,” disse Liam em uma voz calma. “Será que irá acordar e nenhum de nós estará lá? Ela estava fora, Noah. Ela retirou-se para Deus sabe onde, e neste momento estou preocupado que não vamos levá-la de volta.” “Nós vamos levá-la de volta,” disse Noah com firmeza.

301


Seus braços estavam cruzados com força sobre o peito e sua mandíbula estava definida em uma linha apertada. Havia um brilho duro em seus olhos e seu rosto era de pura determinação. Então o olhar de Noah se estabeleceu no braço enfaixado de Liam. “Você sabe que vai doer como um filho de uma cadela, quando a adrenalina desaparecer.” “Já dói como uma filha de uma cadela,” Liam murmurou. Noah balançou a cabeça. “Em seguida, tome a medicação para a dor maldita.” Os lábios de Liam torceram em uma linha rebelde. “Eu não quero estar zonzo quando vermos Lauren. Haverá tempo de sobra para tomar essa merda depois. Ela é o que é importante.” Ele virou a cabeça em direção à porta novamente. “Onde diabos está a enfermeira? O que poderia estar demorando tanto?” Ele teria deslizado da mesa de exame e saido, mas Noah entrou na frente dele e empurrou-o de volta. Forte. “Sente o seu traseiro para baixo. Ela só foi embora a poucos minutos. Adam e Ryan estão fora do quarto de Lauren, e prometeram deixar-nos saber o minuto em que ela começar a acordar.” Liam cuspiu uma série de palavrões, mas se acomodou na mesa de exame, o braço ferido apertado contra seu corpo. Ele não iria admitir isso, mas o estava matando. Náuseas enrolaram abaixo em sua barriga e suor frisava sua testa. Mas não iria admitir isso, porque não queria arriscar qualquer atraso na obtenção de Lauren. Ele ainda estava assombrado com a cena que ele e Noah tinham testemunhado. Isso foi torturando-o pelo que tinha acontecido antes deles chegarem. Tinha visto as marcas e contusões de abuso de Knight, mas quantos mais estavam dentro de Lauren onde ninguém podia ver? 302


Uma dor pesada estabeleceu em seu peito, mais urgente do que até mesmo a dor em seu braço. Lauren tinha se retirado. Um mecanismo de auto-defesa para protegê-la de sua terrível realidade. Liam só queria ela de volta. Em seus braços. Mas tinha falhado com ela de uma forma grande. Tinha jurado que faria todo o possível para mantê-la segura, mas ele teve? Ele ficou mais ereto quando a enfermeira voltou para a sala. Ela olhou com cautela para ele e supôs que não podia culpá-la depois da maneira como agiu. Ameaçou todos os tipos de coisas que se não saísse em breve. Sentindo-se arrependido, tentou aliviar sua expressão e relaxar enquanto ela dava as suas instruções a Noah. Ela deu tudo a ele e não Liam, como se não quisesse chegar perto o suficiente de Liam. Isso colocou um nó no estômago. Sim, queria voltar para Lauren, mas as mulheres era algo que Knight intimidava, e isso não fazia Liam se sentir bem para estar na mesma forma. “Obrigado,” disse Liam rispidamente. A enfermeira olhou assustada, e então ofereceu um sorriso hesitante, abrandando sua face. “Eu sei que você está preocupado com ela,” disse a enfermeira em uma voz calma. “Ela não despertou ainda do sedativo e está descansando confortavelmente, sem nenhuma dor, eu prometo.” Noah soltou uma lufada de ar de alívio e Liam assentiu, murmurando os seus agradecimentos novamente. “Cuide-se,” disse a enfermeira. “Você deve deixar em breve. Dei sua prescrição de remédios para o seu amigo, e precisa ter certeza de que vai tomá-los ou pode acabar muito doente e no hospital, e tenho certeza que você não quer isso.” “Não senhora, eu não,” disse ele humildemente. “Obrigada. Agradeço sua ajuda. E o seu entendimento.” 303


Ela ofereceu um sorriso maior e, em seguida, disse: “Você está livre para ir. Senhorita Wilder está no quarto oito no final do corredor.” Liam deslizou da mesa de exame e estremeceu quando bateu em seu braço. Ele recusouse até mesmo usar uma tipoia ou para eles imobilizá-lo contra seu corpo. Ele precisava de seu braço para estar livre para o caso. Ele mal podia proteger Lauren amarrado e com uma só mão. Ele seguiu ansiosamente atrás de Noah, fervendo com impaciência enquanto caminhava pelo corredor. Quando chegaram ao quarto de Lauren, viram os Colters fora da porta, um encostado no batente da porta e o outro do lado do salão contra a parede. Adam franziu a testa quando deu um olhar para Liam. “Você deveria estar de pé, meu filho?” Ryan ergueu a mão para Adam. “Eu sei como ele se sente. E por falar nisso, se fosse Holly e você fosse o único que recebeu o tiro, você ficaria longe dela?” Os lábios de Adam apertaram, mas ele permaneceu em silêncio. Liam enviou a Ryan um olhar agradecido. Ryan colocou a mão sobre o ombro ileso de Liam. “Ela ainda está descansando e Max está sentado com ela agora.” Liam assentiu e, em seguida, encontrou o olhar de Seth. “O que aconteceu com a polícia?” “Nada ainda,” disse Seth. “Eles estão no caso. Estou surpreso que não chegaram até que você ainda, mas seu foco principal é Lauren é claro. Castanetti está a caminho. Ele quer o cartão de memórias muito mal. Eles vão querer depoimentos de todos os envolvidos. Eles já nos questionaram e nós vamos ter que ir para fazer declarações oficiais, mas disse-lhes que não iríamos a lugar nenhum até que soubessemos ao certo como você e Lauren estavam indo.” Noah suspirou. “Droga, não quero ter que lidar com essa bagunça agora. Eu só quero levar Lauren para casa.” 304


Dillon pigarreou. “E onde é em casa?” Liam e Noah trocaram olhares e, em seguida, olharam para os homens Colter, cujos olhos espelhavam a questão em Dillon. “A família dela,” continuou Dillon. “Ela significa muito para nós. Ela é como uma irmã para mim e meus irmãos. Ela é como uma filha para nossa mãe e pais. Ela estava... feliz... em Clyde, ou, pelo menos, estava começando a estar. Percorreu um longo caminho desde a, jovem vulnerável assustada que chegou antes do Natal. Nós apenas não queremos vê-la infeliz de novo.” “Nós não discutimos isso,” disse Noah em voz baixa. “Temos muito ainda que discutir. Tudo o que importa agora é que ela está bem. Não apenas fisicamente. Todo o resto pode esperar.” “Você está certo sobre isso, filho,” disse Adam em um tom sério. “Tudo vai se resolver. Apenas se concentre em Lauren e certifique-se que ela tem o que precisa. Esteja lá para ela. Vai precisar de você agora mais do que nunca.” “Ela vai precisar de todos nós,” disse Liam. Mesmo enquanto falava as palavras, sabia que eram verdadeiras. Não importava o que podia ter estado na mente dele e Noah sobre onde iriam fazer a sua casa com Lauren, Liam percebeu que Lauren precisaria de tempo. Ela não tinha completamente curado de seu relacionamento com Knight, muito menos seu rapto e abuso em suas mãos. Não era algo que seria resolvido em dias ou mesmo semanas. Não havia nenhuma maneira que ele e Noah poderiam levá-la a partir de um lugar que se sentia segura e uma família que a amava e lhe oferecia um apoio inestimável. A comoção repentina no fundo do corredor fez com que todos empurrassem ao redor, alertas e cuidadosos. “Onde estão os meus filhos?” Um tom imperioso exigiu. 305


Era uma voz que instantaneamente aqueceu Liam e o aterrorizava tudo ao mesmo tempo, porque se havia uma pessoa que o colocaria na linha, era sua mĂŁe.

306


Capítulo Quarenta OS OLHOS de Liam arregalaram e então estreitaram quando balançou de volta ao redor para fixar em Noah com um olhar irritado. Noah encolheu os ombros. “Ela precisava saber e não estava prestes a ter a minha bunda chutada por não dizer a ela que você levou um tiro.” “Inferno,” Liam murmurou. Foi nesse momento que Lisa Prescott andou pelo corredor, seu marido perto de seus calcanhares. “Liam!” Ela chorou quando o viu. Ele se preparou para o impacto e no momento seguinte foi envolvida em seu abraço feroz. Foi automático sorrir, porque como não podia? Ela soltou Liam e depois empurrou por ele para arrastar Noah em seus braços. “Você está bem, filho?” Seu pai perguntou em um tom sério. A mãe de Liam, que até agora tinha terminado de fazer-se ver de que Noah estava ileso, sintonizou de volta, bem a tempo para a pergunta do pai de Liam. “Como você está indo?” Perguntou ela. “Você não deveria estar em uma cama de hospital? Que tipo de hospital, que eles estão comandando aqui?” Liam levantou a mão. “Mãe, estou bem. Apenas uma ferida superficial. Fui cuidado já. Estou mais preocupado com Lauren.” A sobrancelha de Lisa Prescott subiu. “Lauren está machucada? O que aconteceu?”

307


Dillon Colter tossiu discretamente e, em seguida, disse: “Nós apenas estamos indo para baixo e pegar algo para beber. Estaremos de volta em pouco tempo para checar Lauren.” Antes que as apresentações pudessem ser feitas e realmente, elas podiam esperar, os Colters passaram por Liam, Noah e seus pais e desapareceu na próxima esquina. “O que está acontecendo, Liam?”sua mãe perguntou. “Noah assustou a vida fora de mim quando ele ligou para dizer que você tinha sido baleado. Eu sei que o seu trabalho não é o trabalho mais seguro do mundo, mas alguém atirou em você?” Liam suspirou e, em seguida, enviou a Noah um olhar para dizer que ele não ia passar por isso sozinho. “Por que não vamos caminhar até a sala de espera,” Noah sugeriu. “Podemos falar mais lá em particular.” Liam hesitou, não querendo deixar Lauren, mesmo por um curto período de tempo. Ele ainda não tinha sido capaz de entrar para vê-la! “Dê-me só um minuto,” finalmente disse Liam. Ele empurrou a porta de Lauren aberto, e Max se virou para ver quem entrava. “Como ela está?” Liam perguntou em um sussurro quando se aproximou da cama. “Descansando,” disse Max. Ele não ofereceu mais e Liam não pressionou. Ele simplesmente ficou na cama, olhando para o rosto machucado de Lauren. Um grunhido áspero ecoou pela sala, e por um momento, Liam pensou que tinha feito o som, mas depois percebeu que vinha de Noah, que tinha o seguido até o quarto. “Meus pais estão aqui,” disse Liam a Max. “Nós estaremos no final do corredor com eles. Tentando explicar. Estaremos de volta em breve. Por favor, deixe-nos saber se ela acorda. Eu não quero... Eu não quero que ela acorde e nós não estejamos aqui.” “Entendo,” disse Max. “Vou deixar você saber.” 308


Liam se inclinou e deu um beijo suave na testa. “Volte, bebê,” ele sussurrou. “Está seguro agora e nós amamos você.” Ele se afastou e deixou Noah ter um momento com Lauren antes de sair do quarto para atender a seus pais de volta no corredor. Ambos estavam olhando para ele com preocupação em seus olhos, mas também havia a curiosidade enquanto observavam Noah sair atrás Liam. A mãe de Liam abraçou novamente e sussurrou contra seu peito. “Você me assustou. Nunca mais faça isso!” Então ela virou-se para Noah. “E você! Não pense que está impune. Graças a Deus que não se machucou muito.” Noah a abraçou de novo, com um largo sorriso no rosto. “Vamos sentar,” disse o pai de Liam. “Liam não precisa estar de pé.” Eles caminharam pelo corredor até uma pequena sala de espera, e Liam se afundou em uma das cadeiras. Ele nunca admitiria em um milhão de anos, mas sentar-se sentiu bastante bom no momento. “Então, o que está acontecendo?” Lisa Prescott perguntou sem rodeios. “Você explicou sobre Lauren no telefone, mas pensei que era uma questão dela depor e que não haveria muita proteção. Nunca imaginei que qualquer um de vocês iria correr um risco tão grande.” “O homem que abusou de Lauren a encontrou no Colorado,” disse Noah em voz baixa. “Eles forçaram o nosso veículo para fora da estrada e levaram Lauren. Eu não sei mesmo o que todos fizeram para ela ainda. Quando a encontramos, não parecia bom.” A expressão de Lisa virou-se para um de simpatia, seus olhos escurecendo. “E você no entanto ainda sentem... o mesmo? Quero dizer que vocês tanto querem ficar com ela?” “Absolutamente,” disse Liam, sem hesitação.

309


“Você já pensou nisso?” Carl Prescott perguntou em voz sombria. “Eu quero dizer realmente pensaram através de sua atração inicial e sentimentos? Isto é algo que vocês realmente acreditam que vai funcionar a longo prazo?” “Não quero uma mulher para vir entre vocês,” Lisa interrompeu, sua expressão de dor. “Essa é a minha única preocupação com o seu... arranjo. Não quero isso para colocar uma cunha na nossa família. Vocês, rapazes, são muito importante para mim.” Liam estendeu a mão e apertou a mão de sua mãe. “Entendo a sua preocupação, mãe. Eu não consigo nem explicar, mas isso está... certo. Para todos nós. Nós a amamos. Ela nos ama.” “Espero por sua causa que ela faça,” disse ela em voz baixa. “Eu quero que você seja feliz.” Ela olhou para Noah, incluindo-o em seu olhar. “Quero que você também seja feliz. Sempre imaginei um futuro um pouco diferente, no entanto.” Seu rosto contorceu em um sorriso triste quando disse essa última. Mas também houve aceitação em seu olhar, e aqueceu o coração de Liam. Sua mãe era a melhor. Sempre olhando para fora para seus filhos. Ela queria o melhor para eles. E Lauren era a melhor coisa que já aconteceu com ele ou Noah. Carl apenas balançou a cabeça, obviamente intrigado com toda a situação. “Você vai amá-la,” disse Noah. “Tanto quanto nós. Tenho certeza disso. Ninguém pode estar ao redor de Lauren sem se apaixonar.” “Mamãe?” Liam consultou. Ela tinha ido em silêncio, e ele não estava inteiramente certo o que ela estava pensando. A última coisa que queria era causar a sua mãe ou seu pai preocupação ou dor, mas ele não podia ficar sem Lauren. Ele a amava. Lauren era o seu futuro. Ela lhe deu um sorriso genuíno. “Tenho certeza que vamos adorá-la. Como não poderíamos quando ela tem o bom senso em amar não um, mas dois dos meus filhos? Você vai 310


ter que me dar tempo para entender. Isso não é algo que você se depara todos os dias. Vai levar algum ajuste no meu pensamento.” “Isso significa muito para todos nós,” disse Liam. Ela estendeu a mão para acariciar a perna. “Será que você pelo menos me promete que vai descansar e ter calma até que esteja curado?” “Eu vou tentar,” admitiu. “Noah, Liam, ela está acordando,” disse Seth, da porta. Ambas as cabeças dos homens vieram para cima, e em seguida, levantam de suas cadeiras. Ignorando a dor em seu braço, Liam correu para a porta. Sua mãe pegou o outro braço, fazendo-o voltar momentaneamente. “Liam,” disse ela, suas sobrancelhas juntas. “Seu pai e eu queremos conhecê-la, mas isso não é a hora. Vamos tentar entender, mas o que você tem que entender é que isso é difícil para mim. A mãe quer tanto por seus filhos, e esse arranjo me assusta porque você ou Noah poderiam facilmente ser feridos.” O coração de Liam foi suave quando olhou para sua mãe. Ele a puxou contra seu peito com o braço bom e apertou com força. “Obrigado, mãe. Mas por favor, não se preocupe. Noah e eu temos dado um monte de pensamento. Isto é o que queremos.” “E é o que ela quer?” Lisa perguntou em voz baixa. “Deus, eu espero que sim,” Liam respirou. Ela acariciou seu rosto e, em seguida, estendeu a mão para dar a mão de Noah um aperto rápido. “Vá em frente. Sei que vocês estão ansiosos para vê-la. Podemos falar mais tarde.”

311


Liam não precisava de mais insistência. Ele caminhou pelo corredor até o quarto de Lauren e viu os Colter congregando fora de sua porta. Olharam-se quando Liam e Noah se aproximaram. “Como ela está?” Liam perguntou ansiosamente. Seth deu-lhe um olhar que enviou as esperanças de Liam despencando. “Ela está acordada. Max está tentando fazê-la falar. Ela ainda parece que está em choque ou pelo menos inconsciente.” Noah amaldiçoou e, em seguida, sem dizer uma palavra, empurrou os homens Colters e entrou no quarto de Lauren. Liam correu atrás dele. Max olhou para cima quando eles entraram, o olhar esperançoso. Levantou-se, deixando a cabeceira de Lauren, e andou a passos largos para interceptá-los. “Talvez ela responda a vocês,” disse Max em voz baixa. “Estive conversando com ela, mas é como se eu não estivesse aqui.” Noah e Liam olharam para a cama e, em seguida, Max os deixou. Eles tomaram ambos os lados, para alcançar suas mãos. Liam levou os dedos aos lábios. Eles estavam tão frios. Ele soprou seu hálito sobre os dedos para aquecê-los e, em seguida, capturou a mão dela entre as mãos, esfregando para gerar calor. Então abaixou-se para se colocar no caminho de sua vista. “Lauren, bebê, você pode me ouvir?” Ele esperou um momento, e quando ela não fez nada, nem piscou, passou a mão pela testa e arrastou os dedos para baixo da curva de sua bochecha. Ele seguiu a sua mão com a boca e inalou o cheiro dela quando apertou os lábios em sua têmpora. “Estamos aqui, querida,” disse Noah, com a voz embargada, sob o peso de sua emoção. “Você está segura agora. Aquele desgraçado não pode te machucar de novo.” Seus olhos brilharam e, lentamente, ela virou a cabeça se concentrando em Noah. 312


“Ele está morto?” Ela sussurrou. Alegria e esperança explodiu na mente de Liam. Ele segurou a mão dela com mais força, a sua vontade de puxá-la para seus braços era esmagador. “Sim,” disse Liam com selvageria. “Bom.” A palavra simples transmitia uma riqueza de alívio. “Como você está?” Perguntou Noah. “Você está machucada? Será que ele...” Ele não terminou porque Lauren estremeceu e desviou o olhar, seu corpo imediatamente tenso. Liam queria colocar o punho através da parede. Ele e Noah trocaram olhares ferozes, mesmo quando tentaram manter a compostura. “As minhas costelas,” disse ela baixinho. “Acho que deve ter quebrado alguma no acidente. Dói.” Noah virou-se para a porta onde os outros estavam. “Obtenha o médico aqui. Ou uma enfermeira. Alguém que possa nos dizer qual é a sua condição.” “Indo,” disse Dillon, antes de desaparecer. “Ouça-me,” disse Liam em voz baixa, com a cabeça perto do dela. “Eu quero que você descanse e se concentre em sentir-se melhor e ao fato de que Noah e eu te amamos. Joel Knight nunca poderá feri-la novamente. Você está livre.” Seus olhos encheram de lágrimas e quase quebrou o coração dos dois. Seguiram-lhe pelo rosto em riachos de prata, enquanto olhava cegamente para o teto. “Eu quero ir para casa,” ela engasgou. “Nós vamos levá-la para casa,” Noah prometeu. “Assim que o médico dizer que é seguro para você viajar, vamos levá-la de volta para casa.” Mesmo que Noah fazia o voto silencioso, Liam sabia que era a coisa certa a dizer. Quaisquer sacrifícios que ele e Noah teriam que fazer para garantir a felicidade de Lauren 313


valeria a pena. Ela pertencia no Colorado com sua famĂ­lia e os dois homens que a amavam em torno dela. Ela precisava de todos eles. Agora, mais do que nunca. De alguma forma, ele e Noah teriam que fazer funcionar. O amor era sobre sacrifĂ­cios e Liam sacrificaria tudo e qualquer coisa para estar com Lauren e ver seu sorriso novamente.

314


Capítulo Quarenta e Um QUANDO a enfermeira entrou, Liam disse a ela que Lauren estava com dor, e a enfermeira administrou a medicação para a dor, Lauren foi adormecendo, as pálpebras tremulando fechadas. Seus cílios estavam escuros contra seu rosto e hematomas sombreavam seu belo rosto. Enquanto Noah ficava ali olhando para ela, ficou impressionado com a enormidade do que ela sobreviveu e fugiu. Sabia que havia mais. Sabia que ela tinha sofrido o pior, mas estava tão maldito aliviado por ter ela de volta que ficou fraco com isso. “O médico irá encontrá-lo do lado de fora,” disse a enfermeira num tom calmo. “Ele vai ser capaz de dar-lhe os resultados do raios-X, assim como dizer quanto tempo ela deve permanecer no hospital.” “Obrigado,” disse Noah. Ele se inclinou para pressionar seus lábios contra sua testa e fechou os olhos por um longo momento. “Eu te amo,” disse ele contra sua pele. “Eu te amo assim tão grande. Nós vamos passar por isso, querida. Juro que não há nada que não possamos vencer juntos.” Ela suspirou e virou o rosto para cima, como se procurasse o conforto de sua voz. Ele correu as pontas dos dedos sobre as linhas delicadas de seu rosto antes de finalmente se retirar.

315


Liam esperou na porta e, quando os dois homens saíram, o médico caminhou pelo corredor em direção a eles. Seu passo era rápido, e parou em frente ao grupo de homens, seu olhar varrendo sobre eles. “Qual de vocês é da família da senhorita Wilder?” Perguntou o médico. Cada homem falou. O médico pigarreou e olhou com ceticismo para o grupo reunido. “Nós somos a sua família,” disse Adam em um tom sério. “Nós somos seus pais e irmãos.” Max acenou com acordo. “Como ela está?” Noah deixou escapar, não sendo capaz de ser paciente. “Quando ela pode ir para casa? Ela está pedindo.” O médico suspirou. “Vejo todos os tipos de coisas por esta sala de emergência. Algumas que vocês não iriam acreditar. Alguém poderia pensar que tão frequentemente como vejo os resultados de violência eu seria imune a isso. E ainda assim isso me irrita cada vez que uma mulher chega por estas portas porque algum bastardo a usou como um saco de pancadas.” “Ela fraturou duas costelas inferiores e tem uma vasta contusões nessa área, seja do acidente de carro ou de abuso. É difícil dizer, e é provável que seja de ambos.” Ele fez uma pausa antes de continuar. “Considerando o que ela passou, sua condição física é melhor do que eu esperava. Francamente, é seu estado mental que me tem mais preocupado e por isso que estou hesitante em libertá-la do hospital.” “Ela precisa de estar em casa, onde se sente segura e rodeada pelas pessoas que a amam,” disse Liam. “Eu concordo,” Max interrompeu. “Acho que quanto mais cedo nós levá-la de volta para casa, mais cedo vai se recuperar.” 316


Noah enfrentou o médico, o peito apertado de medo. “Além das costelas fraturadas, ela sustenta qualquer outra lesão?” O médico cruzou os braços sobre o peito, prendendo a prancheta contra o corpo dele. “Na minha opinião ela não foi abusada sexualmente. Está machucada e vai ficar dolorida por vários dias, mas dadas as circunstâncias, se saiu muito melhor do que se poderia esperar. Ela é uma jovem mulher durona.” Noah soltou a respiração, quase tonto de segurá-lo. “Então, podemos levá-la para casa? Quanto tempo você vai querer que ela fique?” O médico pareceu considerar o pedido por um momento. “Se você está realmente indo para levá-la para casa e ver que ela receba o descanso e bom atendimento, então vou liberá-la o mais cedo amanhã de manhã. Quero que ela fique pelo menos uma noite para observação.” “Ela vai ter o melhor atendimento possível,” disse Max em voz concisa. “E ela não vai sequer levantar um dedo.” Noah e Liam assentiram o seu acordo com a declaração de Max. Um movimento por trás de Adam e Ryan fez Noah olhar nessa direção. Os pais de Liam tinham vindo para ficar logo atrás do grupo reunido e estavam ouvindo enquanto os outros falavam. “Então vou tê-la transferida para um quarto privado para que possa descansar durante a noite. Se tudo parecer bem na parte da manhã, o médico de plantão irá vê-la quando fizer as rondas e vai liberá-la.” Noah estendeu a mão. “Obrigado.” O médico apertou a mão de Noah e acenou para os outros. “Nós vamos levá-la até um quarto o mais rápido possível.”

317


Quando o médico se virou para sair, Noah fez sinal para que Lisa e Carl Prescott avançassem. Ele apresentou a Max e aos Colters e viu os olhos de Lisa alargar quando a situação familiar dos Colters foi explicada. “Lauren está bem?” Lisa perguntou depois que as gentilezas foram trocadas. Liam suspirou. “Não. Não na verdade. Mas então ela não deve ser esperado para estar. Ela foi raptada por um monstro e submetida a Deus sabe o que.” “Ela estará, no entanto,” disse Noah com determinação. “Liam e eu vamos levá-la de volta ao Colorado. Casa.” Noah viu o conhecimento nos olhos da mãe de Liam. Para seu crédito, ela não discutiu ou tentou convencê-los de forma diferente. Seu rosto suavizou, como só o amor de uma mãe poderia suavizar o rosto de uma mulher. “Eu sei que você vai cuidar bem dela.” Carl deu um passo adiante. “Se você precisar de alguma coisa, não hesite em nos avisar. E, Liam, não se esqueça de tudo isso para cuidar de si mesmo também. Sua mãe se preocupa com ambos. A ferida de bala não é pouca coisa, então não a trate como tal.” “Eu vou, papai,” Liam disse quando foi puxado para os braços de sua mãe. Lisa puxou Noah mais perto até que estava entre os dois homens que chamou de seus filhos. Os Colters e Max tinham discretamente se movido mais pelo corredor, proporcionando a Liam e seus pais privacidade. “Quando ela estiver melhor, gostaria que você a trouxesse para uma visita e nos conhecer,” disse Lisa, em voz baixa. “Eu não quero sobrecarregá-la agora. Eu só queria ter certeza de que você estava bem, Liam.” “Nós gostaríamos disso,” disse Noah. “Acho que Lauren gostaria disso também.” Liam acenou com acordo. “Assim que ela estiver melhor, nós vamos levá-la para uma visita. Prometo.” 318


“Bom o suficiente,” disse Carl. O pai puxou Liam em um abraço esmagador e, em seguida, fez o mesmo com Noah. Noah fez uma careta. Liam tinha o tamanho e construção de seu pai. Carl Prescott estava em seus sessenta anos de idade. Ele era um ex-lutador de MMA e tinha servido na Marinha antes de ir trabalhar na fábrica de papel que se aposentou. Mesmo assim, era divertido ver que Lisa Prescott tinha o grande homem na palma da sua mão. Isso era o que Noah queria. Ele queria o que os pais de Liam tinham. Queria o que os Colters tinham. Queria Lauren e seu amor, e queria regá-la com o seu amor e devoção para que um dia os seus filhos pudessem olhar para eles e achar que queriam o mesmo. “Nós vamos deixar vocês dois voltarem para ela,” disse Carl em um tom ríspido. “Chame-nos quando voltar para o Colorado e deixe-nos saber como as coisas estão indo. Sua mãe vai se preocupar se não ouvir de vocês.” “Vou fazer, pai. Te amo,” disse Liam. “Eu também te amo, filho. Os dois.” Lisa beijou-os e deu-lhes um último abraço antes dela e Carl seguirem pelo corredor em direção à saída. Liam se voltou para Noah, soprando o fôlego. “Bem. Isso foi um pouco melhor do que eu pensei que poderia.”

319


Capítulo Quarenta e Dois LAUREN deitou a cabeça contra o assento e fechou os olhos enquanto o avião levantava no ar. Em ambos os lados dela estavam Liam e Noah, tocando-a de alguma forma se era uma perna contra a dela ou a mão em seu braço. Era um lembrete silencioso de que eles estavam lá. Assim como tinham estado a cada minuto desde que invadiram a casa do lago onde Joel havia morrido. O último dia tinha sido um borrão. Fluxo constante de pessoas dentro e fora de seu quarto de hospital. Noah e Liam tinham estado determinado que estavam levando-a de volta para o Colorado na primeira oportunidade, apesar dos pedidos para que permaneçessem na área para maiores questionamentos. Ela tinha sido questionada longamente pelo investigador designado para o caso, bem como o promotor que Noah tinha entregado o cartão de memória. Na verdade, ela fez uma breve pausa, considerando se deveria dar a informação agora que Joel estava morto. Isso a envergonhou que temia represálias de outros, uma vez que a investigação foi lançada. Mas Castanetti tinha garantido o anonimato e que ela não teria que sequer testemunhar desde tudo o que ela tinha feito era coletar informações do computador de Joel. Eles teriam que lançar sua própria investigação com base nas informações que tinha fornecido. Ela tinha dado o cartão ao promotor e tinha imediatamente sentido um peso sendo tirado de seus ombros. Era algo que deveria ter feito desde o início. Foi difícil chegar a termos com o fato de que, se não tivesse feito tanta coisa errada, não teria sido sequestrada e submetida a abusos de Joel, e Liam não teria sido baleado ao resgatá-la. 320


Ela estremeceu e seu estômago enrolou em um nó. Só de estar em um avião de volta a lembrança do que Joel tinha feito para ela. O que a forçou a fazer. Lágrimas queimaram suas pálpebras e mordeu o lábio para manter o controle. “Você está bem, querida?” A voz de preocupação de Liam chegou ao seu ouvido o que parecia uma enorme distância. Ela tentou responder, mas não conseguia nem chupar em uma respiração. Pânico agarrou sua garganta, apertando e atando. Seu peito ardia. Ela estava paralisada de medo. Houve maldições abafadas, o som de cintos de segurança clicando quando foram jogados. Em seguida, ela foi levantada a partir de seu assento e levada para a parte traseira, onde a área de descanso estava. Um pano frio foi pressionado para seu rosto e braços fortes a cercavam. “Respire, querida,” disse Noah brandamente. “Respire para mim. Você pode fazer isso? Olhe para mim. Assim.” Ele inalou profundamente e devagar pelo nariz e, em seguida, deixou sair de seus lábios. Seu olhar perfurando os dela, querendo que ela seguisse o seu exemplo. Ela reagiu lentamente, o esforço tomando todas as forças que tinha. Noah emoldurou seu rosto com as mãos, obrigando-a a olhar apenas para ele e do jeito que respirava. A mão de Liam alisou para cima e para baixo de suas costas, oferecendo conforto e, gradualmente, seu peito afrouxou e a sensação de asfixia foi embora. Lágrimas escorriam pelo seu rosto, lavando as mãos de Noah. Ela tentou abaixar a cabeça, encolher longe do escrutínio dele e Liam, mas Noah manteve-se firme e, em seguida, puxou-a em seu abraço quente. “Eu tenho você agora,” Noah murmurou enquanto balançava para frente e para trás, com o braço firmemente ao redor dela. 321


Ela se agarrou a seus ombros enquanto escondia o rosto em seu pescoço. Ele beijou seu cabelo, a testa, acariciou seus dedos através dos fios e esfregou acima e para baixo de suas costas. Sua voz foi lançada baixa em um ritmo absurdo calmante quase como se estivesse acalmando uma criança. Eventualmente, os soluços desapareceram e ela ficou inerte contra ele, exausta pelo ataque de pânico e colapso emocional. “Diga-me que ele está morto,” ela sussurrou. “Diga-me de novo.” Noah beijou sua testa e Liam pegou suas mãos, envolvendo-as nas suas muito maiores. “Ele está morto, bebê,” disse Liam. “Ele não pode feri-la novamente. Você está livre agora.” Lágrimas nublaram seus olhos e ela sentiu o fio quente no seu rosto, mas estava exausta demais para chamá-los de volta. “Ele me obrigou... no avião...” Ela podia ouvir a sua ascensão da voz com histeria, podia sentir o pânico de voltar, mesmo quando esperava que Noah a apertasse. “Oh, Deus,” ela engasgou. “Ele me empurrou de joelhos e forçou-se na minha boca.” Mesmo enquanto falava, ela limpou os lábios com as costas da mão dela, mais e mais, como se pudesse remover a memória. “Ele me usou,” ela soluçou. “Estou suja. Eu me sinto tão suja. Como você poderia possivelmente querer estar comigo sabendo das coisas que ele me fez fazer?” Liam foi para o seu joelho na frente de Noah, de modo que ela estava presa entre eles, tocando-os ambos. Sua expressão era tão feroz que seus olhos se arregalaram. Ele inclinou o queixo com a ponta do dedo e, em seguida, deslizou os dedos para baixo a mandíbula para se certificar de que ela estava olhando para ele.

322


“Não vou dizer que não importa o que ele fez com você,” Liam mordeu fora. “Seria besteira e não vou dizer nada. Claro que isso é importante. Ele te machucou. Ele violou você. Tomou suas escolhas longe de você e se forçou em você. Mas se acha que isso muda uma coisa maldita sobre a forma como olhamos para você ou sentimos sobre você, então você está errada.” Ela olhou-o nos olhos, vendo a sinceridade ardente em seu olhar. Noah retumbou o seu acordo, com o corpo tão tenso contra ela que estava encostada. “Mas isso muda a maneira como eu me sinto,” disse ela, com a voz embargada. A expressão de Liam foi suave, com os olhos cheios de amor e compreensão. “Dê-se algum tempo, bebê,” disse ele suavemente. “Nós vamos passar por isso juntos. Um dia de cada vez. Noah e eu estaremos com você a cada passo do caminho.” “Eu te amo,” disse ela, injetando tanta convicção em sua voz quanto podia. Os olhos de Liam ficaram ainda mais suaves e ele acariciou seu rosto com a mão. “Eu também te amo, bebê. Muito.” Ela virou-se para que pudesse deslizar sua mão sobre o ombro de Noah, e ela abraçou-o com ela. Seu rosto estava enterrado em seu pescoço, o cheiro dele em torno dela, enchendo-a. Ela respirou fundo, aqui em seus braços. O pânico que tinha tão firmemente a agarrado apenas momentos atrás havia diminuído, e calma tinha envolvido em seu abraço reconfortante. “Eu te amo,” disse ela contra o pescoço de Noah. Ele colocou a mão na parte de trás de sua cabeça e acariciou através de seu cabelo. “Oh querida, eu te amo muito e eu penso como ele. Nós vamos passar por isso juntos. Você, eu e Liam. Não há pressa. Temos todo o tempo do mundo.” As palavras deslizaram suavemente sobre suas orelhas e afrouxou a tensão em seu peito. 323


“Nós fazemos, não é?” Ela disse com espanto. Noah puxou longe de seu peito, seu sorriso terno e quente. “Não temos nada, exceto o tempo.” Ela estendeu a mão para Liam, querendo o contato com ele. Noah deslizou a mão possessiva até suas costas enquanto ela se curvava em Liam, deitando a cabeça em seu ombro. “Eu amo muito vocês dois e estou com tanto medo de me deixar. Mas a luta não se sentia bem. Eu tinha medo de confiar em mim mesma novamente depois que cometi tantos erros terríveis, mas desta vez eu estou certa. Eu sei disso.” “Com o tempo, você não vai questionar a si mesmo ou a sua decisão,” disse Liam em uma voz solene. “Pretendo convencê-la em todos os pontos que você fez absolutamente a decisão correta neste momento.” Ela o beijou, querendo a intimidade mais profunda, querendo mostrar-lhe que ela não tinha dúvidas. Que ela o amava. Que queria uma vida com ele e Noah não importava quão difícil fosse a caminhada. Ela lentamente se retirou do calor de sua boca e seu toque foi para o rosto para Noah. Seus lábios desceram com pressa aquecida para a atender, e ela suspirou de contentamento. Noah se afastou, sua mão indo para o rosto dela em uma carícia suave. “Vamos levá-la para casa... para ficar.” Esperança disparou através de seu peito, iluminando cada parte de sua alma que ainda estava mergulhada na escuridão. Mas, em seguida, com a mesma rapidez, a realidade penetrou, sua euforia se deteriorando. “Bebê, não gostou disso,” disse Liam, sua voz cheia de ternura. “O que você e Noah vão fazer em Clyde?” Perguntou ela. “Não é justo para ambos ter que reorganizar suas vidas inteiras... por mim.”

324


Noah sorriu e encostou a testa até que tocou a dela. “Isso é o que você faz para a pessoa que você ama. E vai valer a pena cada mudança, se isso significa que você vai ser feliz, se sentir segura, e que nós vamos estar com você todos os dias para o resto de nossas vidas.” Seus olhos arregalaram e Liam franziu o cenho. Era um olhar rude de aborrecimento que a fazia parecer... adorável. “Você honestamente acha que nós não estávamos nisto para um longo prazo?” Liam exigiu. “Você é tudo para nós, Lauren, e espero que para o inferno que isso seja para você, porque se não, você vai ter dois homens ranzinzas, doentes de amor te seguindo como cachorrinhos malditos.” Ela riu suavemente, alegria enchendo seu coração. “Queremos para sempre,” disse Noah. “Para ser honesto, queria que a nossa proposta fosse romântica e num cenário perfeito, mas foda-se. Eu só quero a sua promessa. Case conosco, Lauren. Nós vamos descobrir isso. Os Colter podem nos dar conselhos. Eles fizeram isso funcionar por mais de trinta anos.” “Nós vamos fazer isso funcionar também,” disse Liam, sua voz cheia de convicção. Não havia nenhuma dúvida em suas expressões ou seus olhos. Sem hesitação. Eles estavam oferecendo-lhe tudo o que ela nunca poderia esperar. Amor. Para sempre. Felizes para sempre. Todas as coisas que pensou que nunca teria, porque tinha feito todas as escolhas erradas. Riso borbulhava através das lágrimas queimando-lhe as pálpebras. “O que é tão engraçado?” Noah perguntou, suas sobrancelhas juntas.

325


“Estava pensando sobre todas as decisões erradas que fiz, mas, em seguida, ocorreu-me que, se não tivesse feito essas escolhas exatas, nunca teria encontrado vocês dois. Acho que de uma maneira tenho que ser grata por Joel, porque foi ele que me levou a vocês.” “Foda-se ele,” Liam rosnou. “Gosto de pensar que teriamos encontrado você de qualquer jeito, e estou muito certo que não vou agradecê-lo por nada.” “Você tem uma resposta para nós?” Noah levou suavemente. Foi então que ela pode ver seu nervosismo. Eles estavam preocupados sobre sua resposta. Seu coração derreteu e seu peito doeu do enorme amor. “Ah, sim,” ela respirava. “Estarei com vocês, casando com vocês, tentando o meu melhor para fazer vocês felizes para o resto de nossas vidas.” Triunfo brilhou quente e vibrante nos olhos de Liam. Alívio foi gritante no olhar de Noah. Eles convergiram para ela, em torno dela, envolvendo-a em seus braços. Seus lábios estavam nos dela, revezando em sua boca, deslizando pelo seu rosto. Beijos pressionados para sua testa, seu templo. Sussurros de amor em seu ouvido. Ela fechou os olhos, saboreando cada momento. Foi esquecido o passado, e até o presente. Quando o avião desceu sobre as montanhas do Colorado, ela foi agarrada pelo acerto de estar de volta... Casa. Em um lugar onde aprendeu a importância da família e apoio incondicional. Ela estava voltando. Muito mais forte desta vez. Pronta para ir em frente em vez de olhar para trás. Os Colter eram sua família, e ela pertencia a eles, mas agora ela pertencia a Noah e Liam também. Eles pertenciam a ela. Tudo o que poderia querer estava aqui mesmo em suas mãos e em seu coração.

326


ConclusĂŁo da sĂŠrie:

O legado dos Colters

327


Capítulo Um ISSO está me matando,” disse Noah em voz sombria. Liam suspirou e esfregou a mão cansada pelo cabelo quando olhou para o amigo. “Isso está me matando também,” admitiu. “Ela não está dormindo, e quando isso acontece, tem pesadelos. Eu não sei o que fazer. Sinto-me tão impotente, merda!” Noah deu um gole na caneca fumegante de café e olhou para fora das portas do pátio de vidro que davam para o pequeno deck da cabana, que ele, Liam e Lauren agora partilhavam. Quando voltaram para Clyde há seis semanas, sabiam que tinham que lidar com a questão da habitação. Não havia nenhuma maneira que poderiam continuar a ficar no apartamento minúsculo de Lauren acima da clínica na cidade. Adam tinha pedido um favor de um velho amigo que tinha uma cabana apenas fora da cidade. Estava a meio caminho entre Clyde e onde os mais velhos Colters viviam na montanha. O homem não tinha vivido nela por algum tempo e só a usava como uma casa de férias, uma vez ou duas vezes por ano. Ele tinha estado feliz por eles ficarem lá. Não era perfeito, mas serviria até que pudessem descobrir o que queriam como um lugar permanente para viver. Não havia dúvida de que permaneceriam aqui. Rodeados pela família de Lauren. As pessoas que a amavam e eram uma constante fonte de conforto e consolo. Mas tinham um monte de trabalho a fazer. Principalmente o que diabos ele e Liam estavam indo fazer a fim de apoiar a mulher que tanto amava.

328


Eles tinham dinheiro guardado. Definitivamente poderiam fazer esse dinheiro durar por um longo período de tempo, mas não era infinito. E a última coisa que Noah queria era que Lauren nunca pudesse ter algo que queria. Ele daria a ela a lua, merda se era isso que queria. “Nós apenas temos que dar-lhe tempo,” disse Noah em voz baixa. “Ela passou por um inferno. Ainda posso ver a merda da vergonha em seus olhos, às vezes, isso me irrita que deixamos o filho da mãe chegar até ela. Que ela passou tempo suficiente com ele que abusou dela. Mais uma vez. “ Liam assentiu, mas seus olhos estavam tempestuosos com a lembrança do que Joel Knight tinha feito para Lauren. Eles não tinham feito amor com Lauren desde que voltaram para casa há seis semanas. Ainda não tinham feito uma tentativa. Com o sono atormentado por pesadelos, e as sombras nos olhos presentes durante as horas de vigília, eles não queriam empurrar. Esperariam para sempre, se é isso o que precisasse. Não estavam indo a lugar algum. Lauren era deles. “Ele morreu muito rapidamente,” disse Liam selvagemente. Noah assentiu com a cabeça. Os dois homens olharam para cima e ficaram em silêncio quando Lauren entrou na sala de estar. Ela estava usando um par de calças de pijama de flanela desbotada e uma das camisetas de Noah. Ele suavizou quando pegou a fadiga nos olhos. Gostava de ver a sua camisa nela. Como se ele estivesse envolvido em torno dela a cada minuto. “Bom dia,” disse ela, em voz baixa. Ela até conseguiu dar um sorriso, mas Noah sabia que tinha de estar esgotada. Ela os acordou logo após a meia-noite com um choramingar macio. Ela tinha estado muito angustiada, e quando eles finalmente conseguiram acordá-la, ela estava trêmula e perturbada. Com uma voz que ainda fez o intestino de Noah apertar, ela atacou, perguntando por quê? Por que ela estava ainda atormentado por Joel Knight? Por que não podia simplesmente 329


esquecer e seguir em frente? Ele estava morto. Nunca poderia machucá-la de novo. Ela se ressentia do porão que ele tinha sobre ela até mesmo do túmulo. Liam levantou-se e caminhou na direção onde Lauren estava. Puxou-a em seus braços, abraçando-a com força. Então, se inclinou para roçar um beijo através de sua boca. “Bom dia, querida. Como você está hoje?” Pelo menos não tinha feito a ela uma pergunta muito idiota como. Como você dormiu? “Melhor,” ela sussurrou. Ela deve ter visto a dúvida no rosto de Noah, porque sorriu e se afastou de Liam para atravessar para onde Noah sentava e ele estendeu a mão para ela, puxando-a para baixo em seu colo, seus braços firmemente ao redor dela. “Eu realmente estou,” disse ela. Ele beijou sua testa e apertou. “Fico feliz em ouvir isso.” “Você não disse que Dillon e Seth vinham esta manhã?” Perguntou ela. Noah assentiu. Os dois homens tinham chamado a noite aterior e perguntado se podiam vir esta manhã. “Tem alguma coisa errada?” Ela perguntou, sua expressão perturbada. Noah apertou-lhe novamente. “Nem um pouco. Eles disseram que tinha algo que queria discutir comigo e Liam. Não mencionaram mais nada. Mas tenho certeza que não é nada.” Ela não parecia convencida. “Parece estranho que eles estejam vindo aqui com Lily estando tão perto de ter o bebê. Com ela em repouso no leito, até que entre em trabalho, seus maridos não têm saido do seu lado.” Noah não tinha pensado nisso, e agora que Lauren trouxe a tona, também se perguntou o que os dois homens queriam. Lily havia sido colocada em repouso no leito, três semanas atrás, quando ela começou a ter contrações. Seus maridos queriam levá-la para Denver 330


imediatamente, para que estivesse perto de um grande hospital, mas ela estava convencida de que queria estar aqui. Cercada por sua família. Seus maridos não tinham gostado, mas não podiam recusar-lhe qualquer coisa. E Noah tinha certeza de que queria sua família com eles, quando o primeiro neto Colter nascesse. Bateram na porta, e Lauren puxou sua cabeça para cima e, em seguida, olhou para o pijama e fez uma careta. “Estou indo para ir pular no chuveiro enquanto vocês falam com Seth e Dillon.” Noah beijou-a novamente quando Liam se dirigiu para a porta. “Não se preocupe, ok? Tenho certeza de que nada está errado ou teriam dito ao telefone, ao invés de fazer vir para falar com a gente.” Ela assentiu com a cabeça e sorriu, seus olhos iluminando. Ela inclinou-se para baixo depois que se levantou de seu colo, e beijando-o longo e doce. “Eu te amo,” ela sussurrou contra sua boca. “Eu também te amo, querida.” Ela correu para o quarto e fechou a porta, assim que Liam voltou para a sala de estar, Seth e Dillon bem atrás dele. Noah levantou-se e apertou as mãos dos dois homens antes de apontar para eles sentarem no sofá da pequena sala de estar. “Tem alguma coisa errada?” Noah perguntou com cautela. Seth olhou assustado, mas balançou a cabeça. “Nem um pouco. Dillon e eu temos assuntos para discutir com você e Liam. Sobre o seu futuro aqui. E Lauren.” Ele disse o nome dela, mais incisivamente, e apesar do fato deles não disserem que nada estava errado, Liam ficou tenso com a menção de seu nome. Dillon e Seth trocaram olhares e depois concentraram seus olhares sobre Noah e Liam.

331


“Olha, nós sabemos que isso é difícil. Para todos vocês,” disse Dillon severamente. “Sabemos também que você está fazendo a coisa certa para Lauren, e nós apreciamos isso. Toda a nossa família faz. Especialmente Max. Nós temos todos estado preocupados com Lauren, e a coisa é, ela está preocupada também. Sobre vocês dois.” Noah e Liam trocaram rapidamente olhares. Que porra é essa? Lauren estava preocupada com eles? Oh inferno não. Ela tinha o suficiente em seu prato sem somar eles as suas preocupações. “Que diabos você quer dizer com isso?” Liam exigiu. “Não há nenhuma maneira certa para discutir isso,” disse Seth. “Então, eu só vou colocar para fora. Preciso de um oficial. Jim estará se aposentando em breve. Ele já teria se eu tivesse um substituto pronto. Alguns anos atrás, quando assumi a posição de xerife de Lacy England, ela disse que Jim queria trabalhar mais alguns anos para garantir a sua aposentadoria. Meus outros oficiais são jovens. Eles são bons, mas preciso de alguém com mais experiência.” Ele olhou para Liam. “Gostaria que você considerasse essa posição. Não paga a lua, mas tem bons benefícios e esta é uma boa cidade. Não é muito perigosa. Mais importante ainda, mantém você aqui, perto de Lauren, e Lauren fica perto de sua família.” Liam olhou perplexo. Suas sobrancelhas uniram e os lábios pressionados em uma linha firme. “A outra coisa,” disse Dillon, quebrando o silêncio. “Preciso de alguém que possa administrar meus negócios, o pub em particular. Possuo vários em Clyde, e estou olhando para expandir entrando na Internet com as lojas de varejo.” Ele estava olhando com expectativa para Noah enquanto falava, e realização subiu na espinha de Noah. Noah fez uma careta.

332


“Olha, eu aprecio o que você está tentando fazer aqui, mas não é necessário. Nós não queremos ser um caso de caridade de merda. Podemos apoiar Lauren por nossa conta até descobrirmos o que vamos fazer.” “Não me irrite,” Dillon rosnou. “Não estaria estendendo esta oferta se não tivesse absolutamente precisando de alguém. Nem Seth estaria oferecendo algo tão importante como a posição de um oficial. Demasiados dependem do homem que ele escolhe. A fim de manter seu emprego como xerife, ele tem que fazer a cidade feliz.” “Eu nem sei o que dizer,” Noah murmurou. “Aqui está o negócio,” disse Dillon sem rodeios. “Estou fora. Com Lily tendo o nosso filho em um tempo muito curto, não há nenhuma maneira no inferno que vou estar todas as horas que eu fui fazendo no pub e nas outras empresas. Ela precisa de alguém com ela vinte e quatro horas os sete dias da semana. Michael fará um corte em suas horas de trabalho, pelo menos para o primeiro tempo depois que o bebê chegar, e se Seth contrata outro oficial para ocupar o lugar de Jim, então não vai ter que atender as chamadas extras. “Agora, quero alguém que eu possa confiar e alguém que sei que vai fazer um bom trabalho. Callie poderia fazê-lo, mas não quero colocar isso em cima dela. Ela e Max viajam com frequência e a coisa é, ela não precisa do emprego. Max tem mais dinheiro do que seus netos vão gastar em uma vida. Para não falar, que não quero a minha irmã arcando com esse tipo de carga.” “Por que você disse que Lauren estava preocupada com a gente?” Liam perguntou suavemente. “E como você sabe disso?” A boca de Seth se virou para baixo em uma careta. “Ela confidenciou a mãe que está com medo que vocês desistiriam demais por ela. Que não vão ser felizes aqui. Ela está preocupada que vão sentir muita pressão para a apoiar e seu desejo de ficar aqui com a família.

333


Ela mencionou que se pergunta se não deveria estar disposta a voltar para Nova York a fim de que vocês dois possam retomar suas vidas e carreiras, mas, ao mesmo tempo, isso a aterroriza.” “Filho da mãe,” Noah murmurou. “Isso é um inferno de uma nota.” Liam não parecia mais feliz com a notícia. “Jesus, e aqui nós pensamos que ela ainda está lidando com o que aconteceu,” disse Liam. “Nunca imaginei uma vez que ela tinha começado um pensamento tão louco em sua cabeça que não seriamos felizes aqui, ou que pelo amor de Deus, nós estávamos fazendo este sacrifício enorme por ela. Foda-se. Nós estamos exatamente onde queremos estar. Isso não está mudando.” Dillon sorriu amplamente. “Então vocês vão aceitar os postos de trabalho?” “Espere. Não vamos ficar à frente de nós mesmos aqui,” disse Noah. “Isso é um monte para colocar em todos nós ao mesmo tempo. Enquanto não duvido por um minuto que Liam poderia fazer o trabalho como oficial, eu tenho zero de experiência no varejo.” Dillon deu de ombros. “Você comandou o seu próprio negócio por anos. Agora você vai estar comandando o meu. Amigos, amigos, negocios a parte. Se eu não achasse que você era capaz, acredite em mim, não iria entregar toda a minha vida a você. Eu tenho uma esposa e uma criança para pensar. As empresas são como eu os apoio, como vou sustentar minha família.” Noah olhou para Liam novamente para ver um olhar pensativo no rosto de seu amigo. “Liam?” Perguntou Noah. “O que você acha?” A expressão de Liam escureceu um pouco. “O que eu acho é que nós temos muito para conversar com Lauren. E um monte de pontos para tranquilizá-la por diante. Ela é a nossa vida. E a nossa vida é aqui. Não há nenhum sacrifício demasiado grande para fazer para ter uma vida com ela.”

334


“Isso pode ir um longo caminho para tranquilizá-la,” disse Noah em voz baixa. “Se tivéssemos empregos aqui. Trabalhando com as pessoas que gostamos. Nenhuma quantidade de fala vai convencer completamente a ela que estamos felizes. Mas podemos mostrar a ela.” Liam olhou para Seth, uma careta gravada em sua testa. “Tenho que lhe dizer. Eu fui meu próprio patrão por um monte de anos. Agradeço a oferta, e vou fazer o melhor trabalho que posso, mas vou avisá-lo agora. Estou acostumado a fazer as coisas do meu jeito e não tendo um chefe pairando sobre meu ombro o tempo todo.” Seth riu. “Eu nunca imaginei que você fizesse. Olha, eu não gerencio meus oficiais. Faça o trabalho, e você e eu nunca vamos ter um problema. Prefiro que você olhe para isso como uma parceria. Um dever compartilhado para proteger esta cidade. E as pessoas que amamos.” “Acho que posso lidar com isso,” disse Liam lentamente. “E você?” Dillon perguntou a Noah. “Você está dentro?” “O inferno, eu seria um tolo se não, mas precisamos de pelo menos discutir o meu salário. Eu não saio barato você sabe, e, eventualmente, eu pretendo ter filhos para sustentar também.” Dillon jogou a cabeça para trás e riu. “Você será uma prova de fogo? Eu só tenho algumas semanas até que Lily tenha o bebê, e quando isso acontecer, estou fora. Não vou deixá-la. Nem mesmo por uma hora. Isto é muito importante. Ela passou pelo inferno antes, e sobre o meu cadáver isso nunca vai acontecer novamente.” “Liam e eu precisamos discutir isso com Lauren. Isso a afeta também, e quero ter certeza de que ela está a bordo. E, evidentemente, que Liam e eu não estivemos vendo o que está acontecendo em sua cabeça recentemente. Nós pensamos...” Ele passou a mão pelo cabelo em um movimento cansado. “Ela não tem dormido. Ela ainda tem pesadelos. E o fato de que está preocupada sobre nós... Maldição. Nós propositadamente não abordamos a questão do que 335


nós vamos fazer, porque não queriamos passar nem um minuto longe dela. Ela precisa de nós. Temos muito tempo para resolver tudo, e gostaria que as coisas funcionasse entre nós.” “Ela é uma mulher doce com um coração de ouro,” disse Seth. “Ela quer o que é melhor para todos ao seu redor. Ela nunca pensa em si mesma.” “Essa merda tem que parar,” disse Liam sem rodeios. “A partir de agora.” Noah assentiu com a cabeça. “Que tal você vir para a cidade esta tarde e preencher um requerimento no escritório do xerife?” Seth disse Liam. “Haverá uma reunião do conselho da cidade em poucos dias para anunciar a aposentadoria de Jim. Ele vai ficar feliz que encontrei um substituto tão cedo, porque ele prometeu ficar no cargo até que eu contratasse outra pessoa, mas quer sair agora. E o conselho vai ouvir a minha recomendação. Contanto que você não tenha esqueletos no seu armário, você vai ser um oficial. Com a sua experiência militar e sua experiência em segurança pessoal, a cidade vai se sentir segura em suas mãos.” “Eu não sei o que dizer,” disse Liam. “Noah e eu apreciamos isso. Mais do que você poderia saber.” “Você é da família,” disse Dillon com um sorriso. “Um de nós agora. O que significa que você terá os pais respirando no seu pescoço, fazendo-se ficar no seu pé. Mamãe vai sufocar você com abraços e assumir as suas vidas. E, claro, a nova sobrinha ou sobrinho irá mantê-los ocupados de vez em quando.” “Isso vai nos dois sentidos,” disse Liam, com um brilho nos olhos. “Estou planejando ter alguns pequeninos, e não consigo pensar em um lugar melhor para deixá-los do que com a sua tia e três tios.” Maravilha penetrou o coração de Noah. Como facilmente se sentaram a falar sobre o futuro. Um futuro com Lauren. E seus filhos. As famílias passando tempo juntos e sendo babás.

336


Mas em primeiro lugar... Primeiro, eles tinham de amenizar os temores de Lauren e ter certeza que sabia que nĂŁo havia nada no mundo que nĂŁo iriam fazer para tĂŞ-la com eles para sempre.

337


Capítulo Dois LAUREN escovou o cabelo e colocou seu ouvido para a porta, tentando descobrir se Seth e Dillon ainda estavam aqui. Ela não tinha certeza do que queriam discutir com Liam e Noah, mas não queria se intrometer. Sua mão tremeu um pouco quando colocou a escova para baixo e olhou para seu reflexo. Ela não precisava de ninguém para apontar o fato de que ainda tinha sombras em seus olhos. Podia ver por si mesma. E não importava o que ela fizesse, não conseguia sacudir o medo residual, a vergonha e se preocupar a partir de seu coração. Ela suspirou. Era sem sentido, tudo isso. Joel não poderia machucá-la. Seu comparsa não poderia machucá-la. Ele ia apodrecer na cadeia, isso ela não tinha nenhuma dúvida. E mesmo agora, o promotor público de Nova York estava fazendo uma limpeza da casa. O escândalo já havia explodido em toda a mídia. Ela estava com medo de que de alguma forma o seu nome estivesse ligado a tudo. Que não havia nenhum lugar que poderia escapar de seu passado. Ela assistiu ao noticiário por quatro noites consecutivas, colada à televisão, apesar das objeções de Noah e Liam. Não queria que visse, e se debruçasse sobre isso. Eles queriam que colocasse e deixasse tudo para trás. Mas precisava saber se estava de alguma forma ligada a tudo. Mas não, a notícia tinha sido completa das prisões resultantes e o chapinhar de nomes proeminentes nas telas. Todos os envolvidos em uma rede de prostituição.

338


Ela estremeceu, mais grata do que nunca que a promotoria não a tinha envolvido. Provavelmente teria sido um alvo para um monte de pessoas se tivesse sido de conhecimento que ela era a pessoa que entregou a informação às autoridades. “Bebê?” Lauren levantou a cabeça para cima, assustada com o carinho suave que Liam sussurrou. Ele estava de pé atrás dela, na porta do quarto, observando-a atentamente. A preocupação era brilhante em seus olhos, e ela rapidamente sorriu para tranquilizá-lo. Não queria que eles se preocupassem. Eles temiam demais e tinha perdido tanto sono como ela teve uma vez que chegaram em casa. Um dia... Um dia, tudo isso estaria por trás deles. Não tão fresco em suas lembranças ou em sua mente. Até então, tudo o que podia fazer era levar um dia de cada vez, sabendo que cada dia que passava era um dia mais perto da redenção. Perdão. Auto-perdão. Liam se aproximou e deslizou as mãos sobre os ombros, apertando suavemente antes de reunir os fios de cabelo em sua mão e que lhes permitia deslizar sobre os dedos. “Você é tão linda,” disse ele. “Eu já te disse hoje que te amo?” Seu sorriso cresceu mais e peito apertou. “Sim, você tem, mas isso é uma coisa que nunca vou cansar de ouvir.” Ele se inclinou para baixo, varrendo o cabelo de lado para que pudesse beijá-la no pescoço. Um arrepio tomou conta dela, sua pele formigou quando o frio bateu e dançou o seu caminho através de sua carne. “É uma coisa boa,” ele murmurou. “Porque nunca vou cansar de dizer.” Ele a beijou novamente antes de corrigir a si mesmo. “Vamos para a sala de estar. Noah e eu temos algumas coisas que gostariamos de falar com você.”

339


A preocupação bateu quadrado no peito. Atou a garganta. Seu olhar voou para cima, buscando sua expressão de qualquer sinal de... De que? Descontentamento? Infelicidade? “Não fique assim, querida,” disse ele, sua voz calma e reconfortante. “Você se preocupa demais, e depois de termos esta conversa, tenho a intenção de certificar-me de que você não se preocupe novamente.” Ela franziu a testa quando tomou suas palavras. O que eles queriam falar? Ele a ajudou a ficar de pé, colocou-a para o seu lado e, em seguida, levou-a para fora do quarto e na sala de estar, onde Noah estava andando para lá e para cá na frente da lareira. Noah parou quando a viu, e amor aqueceu seus olhos. Havia uma suavidade em sua expressão que não tinha estado lá antes. Ele estendeu a mão para ela e ela deixou Liam, movendo-se rapidamente através da sala de estar ao lado de Noah. Ele puxou-a em seus braços e apertou os lábios em sua testa. “É preciso falar com você, querida. Eu e Liam. Temos muito a dizer. E nós queremos que você escute.” Ela prendeu a respiração, ignorando o comando de antes de Liam para não se preocupar. Alguma coisa estava acontecendo. Pavor caiu sobre ela. Preocupação lotou sua mente. Noah amaldiçoou suavemente antes de puxá-la em direção ao sofá. Acomodou-a para baixo, e então ele e Liam prontamente tomaram os assentos em cada lado dela. “Olhe para mim, Lauren,” disse Noah. Ela olhou entre ele e Liam, mas queria ver os dois. Queria ser capaz de olhar para os dois. Então deslizou do sofá, de joelhos na frente deles, e virou-se para enfrentá-los. Precisando da segurança, ela deslizou as mãos na deles, entrelaçando os dedos com força. Liam puxou a mão à boca e deu um beijo em sua palma. Isso mais do que tudo acalmou suas preocupações. Havia amor e calor em ambos os olhos. Ocorreu-lhe que, enquanto ela 340


estava ocupada estando tão preocupada, sobre muitas coisas, eles tinham estado tão preocupados. Se não mais. O coração dela suavizou. Estava indo para passar por este momento difícil, maldito. Ela queria que eles fossem felizes. Queria para ser feliz. E queria que todos eles fossem felizes juntos. “Foram oferecidos a nós empregos aqui,” disse Noah. Suas sobrancelhas ergueram. Ela nem tinha percebido que eles estavam procurando. Estava com medo, porque não tinham mostrado nenhum sinal de tornar esta a sua casa permanente. Ela se perguntou se eles estavam tendo segundas intenções. “Quando? Como?” Perguntou ela. Liam sorriu. “Seth quer que eu substitua um oficial que está se aposentando.” “E Dillon quer que eu assuma e comande seus negócios aqui. Ele é dono de muitos. Muito mais do que tinha imaginado. Inferno, ele é dono de quase toda a cidade maldita de Clyde, incluindo os alugueis da cidade como o departamento do xerife.” Lauren franziu o cenho. “Mas o que ele vai fazer?” “Ele vai estar com Lily,” explicou Noah. “Eles não querem que ela nunca passe pelo que passou com seu primeiro bebê. Isso quase a destruiu, e todos eles estão determinados a ficar com ela a cada minuto do dia. Dillon quer puxar para trás. Me colocando em seus negócios. Ele propôs uma parceria. Ele ainda vai possuir tudo, mas eu recebo uma porcentagem mais um salário.” Esperança queimou, quente e vertiginosa. Sua respiração acelerou enquanto ela imaginou sua vida. Aqui. Com os dois homens que amava mais do que qualquer coisa. Felizes. Cercados por amigos e familiares. Era mais do que podia suportar a sonhar. “E o que você e Liam pensam sobre os postos de trabalho?” Ela perguntou em voz baixa. 341


“Bebê, eu iria cavar valas se isso significasse ter uma vida com você,” disse Liam. Ela voltou seu olhar perturbado para ele. “Mas você não vê? Eu quero você e Noah para serem felizes. Eu não quero que você sacrifique—” Noah levantou a mão. “Já ouvi falar bastante dessa palavra hoje. Não se importaria se eu nunca a ouvisse novamente. Não há sacrifício que eu não faria por você, Lauren. Nada que não faria para ter uma vida com você. Mas querida, isso não é sacrifício. Liam vai fazer um grande policial, e eu vou ser um muito bom gerente de negócios. Mas, mesmo se estivéssemos fazendo hambúrgueres... Nós ficaremos felizes de fazer qualquer coisa se isso significasse estar com você.” Seus olhos arregalaram e ela olhou para eles, paralisada pela determinação em seus rostos. “Você quer dizer isso, não é?” Liam suspirou. “Bebê, eu não sei como nós podemos nos tornar mais claros.” Ela jogou um braço em torno de cada um deles, abraçando-se quando amontoou entre eles. “Oh Deus, eu estive tão assustada,” ela sussurrou. “Tão preocupada e com medo. Quero isto tanto. Mas quero que vocês sejam felizes. Não é justo que vocês tiveram que fazer todos os sacrifícios.” Noah interrompeu com um rosnado descontente. Ela riu e disse: “Tudo bem. Sem sacrifícios, mas suas vidas foram as que mudaram. Você se afastou de tudo que trabalhou tão duro para conseguir, longe de sua família. Tudo por mim. E o que eu desisti? Nada. Não é justo.” “Correndo o risco de irritar Noah por usar a palavra S novamente, o amor é sobre o sacrifício, Lauren. Amar é dar, não tomar. O amor é o que você faz para a pessoa que não pode viver sem. E não me diga que você não fez sacrifícios. Isso é besteira. E quando você sacrificou a coisa mais preciosa do mundo por nós? Sua vida, Lauren. Você se colocou em perigo e me 342


manteve e a Noah seguros. Nunca vou esquecer isso. Vou dormir à noite sonhando com isso. Que você foi levada por aquele bastardo, porque você nos salvou. O que diabos fizemos para chegar perto disso?” Ela não tinha uma resposta para isso. “O inferno, nós começaremos a trabalhar com pessoas que gostamos. Fomos adotados por uma grande, família maravilhosa. E nós temos você. O que mais poderíamos pedir?” “Isso está realmente indo para trabalhar,” ela respirou. “Oh meu Deus. Todos os meus sonhos. Eles estão se tornando realidade.” “Exceto um, querida. E não pense que Liam e eu não vamos entregar isso como um bem.” Intrigada, ela inclinou a cabeça para o lado, sem saber o que estava falando. “A sua própria casa,” disse Liam em voz baixa. “Em seu próprio pedaço de terra. Seth e Dillon também nos informou que seus pais estão nos dando dez hectares em todo o prado de Max e Callie. É um presente de casamento para nós. E então nós estamos indo para construir sua casa de sonho ali mesmo, no meio de sua família.” Lágrimas nadaram em seus olhos, fazendo com que tudo fosse brilhante e brilhante à sua frente. Incapaz de chamá-las de volta, ela limpou a pista úmida marcando seu rosto. “Eu não sei o que dizer,” ela engasgou. “Vou viver perto do meu irmão. Callie. E Holly e os pais. Eu não sei de nada mais perfeito.” Noah sorriu gentilmente para ela. “Eu faço.” “O que é isso?” Ela perguntou em voz baixa. “O dia em que você der à luz ao nosso primeiro filho naquela casa, naquela montanha, cercado por sua família.” “Oh Noah,” disse ela, com a voz embargada. “Não sei o que faria sem você e Liam. Você é o meu próprio coração. A minha alma. Eu amo muito vocês dois. Será que temos que 343


esperar um longo tempo para ter filhos? Eu não posso pensar em nada mais fantástico do que fornecer ao filho de Lily alguém para brincar com a mesma idade. E outros bebês. Oh Liam. Basta pensar em toda a diversão que teremos com tantas crianças. Toda uma nova geração crescendo livre e amando esta montanha.” Ambos os olhos dos homens se suavizaram com amor e expectativa. Noah acariciou suas costas, alisando a mão para cima e para baixo quando ela os abraçou novamente. “E eu sei que Max e Callie estão esperando um pouco. Ambos concordaram que Callie é jovem e querem ver muito do mundo, mas eu sei que quando tivermos nossos filhos, eles vão querer os seus próprios.” Liam riu. “Você é um ano mais nova que Callie, bebê. Você tem certeza que quer ter filhos tão cedo? Temos todo o tempo do mundo.” Ela sorriu, tão grande que suas bochechas doeram de tensão. Alegria estava explodindo de sua alma. Depois de tantas semanas de preocupação, de tentar esquecer seu passado, estava recebendo um vislumbre de um futuro mais brilhante que o sol. “Sempre quis uma família grande. E não quero ser velha demais para apreciá-los, nem quero ser velha e ranzinza quando finalmente deixarem o ninho. Mas se vocês dois querem esperar, até que estejamos mais estáveis...” Noah colocou o dedo sobre os lábios. “Queremos as crianças, Lauren. Assim que você estiver pronta para elas. Mas talvez devêssemos esperar um pouco. Pelo menos até que você esteja mais confortável em fazer amor com a gente.” Calor corou suas bochechas e ela baixou o olhar cheio de culpa. “Não olhe assim, bebê,” disse Liam em uma voz dolorida. “Nós não estamos pressionando você. Nós esperaremos para sempre e isso é um fato. Era apenas uma questão de declarar, que concordo, que, talvez, nós precisemos de um pouco de tempo juntos, assim você

344


tem certeza do nosso amor e compromisso, e tem tempo para lidar com o que passou antes de nós darmos esse salto.” “Quero fazer amor com vocês,” ela sussurrou. “Isso doi à noite. Quero isso mais do que qualquer coisa.” Liam deu um beijo na testa. “E nós queremos fazer amor com você. Mas só quando estiver pronta. Até então, estamos bastante satisfeitos em segurá-la. Por amar você. Por passar o dia com você, assim como nós estamos.” Ela sorriu de novo, vertiginosa sobre a conversa do futuro. “Está acontecendo. O que realmente está acontecendo. A nossa vida aqui. A casa. Crianças. Familia? Oh, eu não sei nem o que dizer. Eu me sinto como se fosse arrebentar!” Noah riu. “Um dia de cada vez, querida. Nós vamos chegar lá.” “Como se sente em ir para a cidade com a gente?” Perguntou Liam. “Seth quer que eu vá preencher um requerimento para que ele possa agilizar minha contratação. Pensei em deixarlhe com Lily enquanto fazemos o nosso negócio na cidade.” “Ah, eu adoraria,” disse ela. “Tem sido alguns dias desde que a vi pela última vez, e sei que ela está indo ficar louca. Ela me mandou uma mensagem durante todo o dia de ontem. Eu e Callie “ “Então o que você acha de fazer as malas e ir para a cidade. Depois que estivermos prontos, nós vamos pagar o jantar,” Noah ofereceu. Ela beijou-os, deixando os lábios ficar por um tempo, provando-os, inspirando seus aromas. “Eu não consigo pensar em uma maneira melhor para passar a noite.”

345


Capítulo Três

LILY Colter estava encostada em sua cama, um monte de almofadas de apoio de volta, quando Lauren entrou em seu quarto. O rosto de Lily acendeu imediatamente, e estendeu o braço para um abraço quando Lauren se aproximou. “Estou tão feliz que você veio!” Lily exclamou. “Estou prestes a ir para fora da minha mente.” Lauren riu e deslizou para a borda da cama para se sentar ao lado de Lily. “Você já teve seus maridos para entretê-la, com certeza.” Lily revirou os olhos. “Eles estão me deixando mais louca do que ficar na cama está.” Mas, mesmo enquanto falava, seus olhos suavizaram e brilharam com tanto amor. “Eles estão tão determinados que eu não fique preocupada,” disse Lily em voz baixa. “Eles foram maravilhosos. Todo mundo tem sido maravilhoso. Holly e até mesmo os pais veem pelo menos uma vez por dia para me tranquilizar que não vou levantar um dedo depois do bebê nascer. Eu me sinto culpada, na verdade.” Lauren levantou uma sobrancelha. “Culpada?” Lily suspirou. “Eles estão tão preocupados que ter o bebê vai trazer de volta todas as lembranças de quando eu tive Rose e a perdi. E a coisa é, não tenho essas preocupações mais. Eles me provaram uma e outra vez que posso contar com eles. Que nunca estarei sozinha. Que não tenho que passar por isso sozinha. Eu gostaria de poder fazê-los ver isso. Que confio neles

346


implicitamente. Isso eu não tenho quaisquer preocupações que o que aconteceu com Rose não vai acontecer desta vez.” Lauren apertou a mão dela. “Eles te amam.” “E eu os amo,” disse Lily em voz baixa. “Se eu não tivesse agido como tal aberração quando descobri que estava grávida, eles não estariam tão estressados sobre como estou lidando. Mas a verdade é que estou tão animada para conhecer o nosso filho, que estou contando os meus dias, em contagem regressiva para quando ele ou ela vai estar aqui. A última coisa em minha mente e a preocupação de que as coisas vão ser como eram antes.” “Você não foi uma aberração,” disse Lauren ferozmente. “Você é humana. E foi um choque. Quando você tiver tempo para digerir tudo isso, você foi maravilhosa. E o Natal. Nós nunca vamos ter um Natal mais maravilhoso do que fizemos no ano passado.” “Oh sim, vamos,” Lily disse, seu sorriso escaldante em seu rosto. “Este ano vamos ter o primeiro neto Colter, e nós vamos estar todos juntos. Você e Noah e Liam também! O que poderia ser mais perfeito?” “Talvez quando tivermos uma criança também,” disse Lauren com um sorriso. Lily riu. “Olha para nós. Dizendo que cada ano será melhor do que o passado, quando os que tivemos foram muito danados de espetaculares.” “Mas eles vão ser,” disse Lauren. “Basta pensar. Cada ano. Mais surpresas. A família crescendo. Somos todos muito felizes.” Lily apertou a mão dela. “Você está certa. Tende apenas ficar melhor e melhor para o futuro. Isso é muito especial.” “Então, como você está?” Lauren disse, direcionando a conversa de volta para Lily. Lily suspirou. “Ainda tendo contrações e desligando. Eu tento não dizer nada para os caras, porque eles vão apenas se preocupar e tentar me convencer de que é preciso mudar para Denver até que o bebê nasça.” 347


A testa de Lauren enrugou, seu olhar perturbado encontrando Lily. “Talvez seja o melhor. Não temos exatamente o melhor cuidado médico aqui.” Lily sorriu, um brilho quente ultrapassando os olhos. “Mas eu quero que ele nasça aqui. Bem aqui nesta casa. Assim como Seth e Michael nasceram na cabana de Holly e dos pais. O que poderia ser mais especial do que trazer a próxima geração de crianças Colter para o mundo aqui nestas montanhas?” Lauren olhou para ela em estado de choque. “Será que eles sabem o que você está pensando?” Lily balançou a cabeça lentamente. “Eles insistem em que partiremos este próximo fim de semana. Eles já se preocupam, está muito perto da data em duas semanas e meia.” “Então o que você vai fazer?” Lily sorriu. “Eu só estou levando um dia de cada vez e esperando o bebê decidir vir um pouco mais cedo.” Ela parou de falar, uma careta apertando seu rosto momentaneamente. Seu corpo parecia espasmar, e depois ela relaxou, afundando de volta para os travesseiros. “Lily, foi uma contração?” Lauren perguntou com preocupação. “Sim,” Lily respirou. “Eles se tornaram mais fortes nas últimas horas. Mas ainda é muito irregular. Eu vou ser feliz quando isso acabar.” “Mas se eles ficaram mais fortes, não é algo que devemos nos preocupar?” Lauren não conseguia manter a ansiedade em sua voz. Ela queria ir e buscar os maridos de Lily, ou pelo menos um deles, mas não queria delatar Lily. Mesmo que Lauren estava muito preocupada com essas contrações. Lily balançou a cabeça. “Eu não penso assim. Com Rose, eu definitivamente sabia quando era a hora. Elas eram mais fortes com o tempo e mais regular.”

348


“Uhm, Lily, odeio ser a única a apontar isso para você, mas você acabou de dizer que elas foram ficando mais forte. Se fossem Braxton Hicks 6, isso não seria tão forte. E você não sabe que cada gravidez o parto não é o mesmo. Você não ouviu as histórias de Holly quando seus filhos nasceram? Dois foram os mesmos, razão pela qual um dos quatro, apenas um nasceu em um hospital!” Lily começou a falar, mas, em seguida, seus olhos arregalaram e ambas olharam para baixo quando umidade infiltrou-se na cama, molhando os lençóis. “Oh não,” Lily respirou. “Acho que minha bolsa estourou.”

6

Contrações falsas, que leva o nome do médico que as escreveu pela primeira vez. 349


Capítulo Quatro LAUREN correu do quarto de Lily para a sala de estar, onde Michael estava sentado. Seth e Dillon estavam ambos ainda na cidade, mas, felizmente, a cidade tinha apenas alguns minutos de distância. Michael olhou para cima com uma careta quando Lauren gritou a uma parada na frente dele. “Lauren? O que foi?” “É Lily,” disse ela, sem fôlego. Michael estava de pé antes que ela colocar tudo para fora. Ela colocou a mão para seu braço para contê-lo. Ela odiava o medo em seus olhos. O pânico instantâneo. E ela queria tranquilizá-lo. Não deveria ter se apavorado, mas oh meu Deus, Lily estava em trabalho de parto. Aqui. Não em um hospital, mas aqui. “Ela está em trabalho de parto, Michael. Provavelmente estará por um tempo. Sua bolsa estourou. Mas ela não sabia. Não fique zangado com ela.” Michael olhou para ela em estupefação. “Irritado? Por que diabos estaria bravo com ela?” Sua expressão suavizou e ele propositadamente reprimiu uma resposta ainda mais. Ela abaixou a cabeça, porque sabia que nenhum dos Colters eram qualquer coisa como Joel. Eles nunca machucariam uma mulher. Mas seu instinto foi proteger alguém que ela se importava muito. Não queria que nenhum dos Colters zangado com Lily sobre o fato dela conseguir seu maior desejo. Para dar à luz ao seu filho em sua casa.

350


Michael apertou sua mão e sorriu. “Vai ficar tudo bem, Lauren. Você pode me fazer um favor, por favor? Você pode chamar Seth e Dillon e depois chamar a minha mãe e os pais? Deixe-os saber o que está acontecendo, e diga-lhes que se apressem. Eu preciso ir ver Lily e ver o quão perto ela está.” Lauren assentiu vigorosamente e já estava pegando o celular quando Michael se afastou em direção ao quarto onde Lily estava. Michael entrou no quarto para ver Lily lutando para sair da cama. Ela foi erguendo o lençol molhado afastando com uma careta e então se inclinou, segurando a barriga, todo seu rosto frisado com tensão. “Bebê,” disse Michael carinhosamente quando foi para ela, segurando e apoiando-a enquanto respirava através de uma contração. Ela olhou para cima, com os olhos arregalados de medo. “Eu não estava com medo antes, Michael. Eu não estava! Mas, oh Deus, é real. Está aqui. O que eu faço?” O pânico na voz dela o atingiu bem no peito, e foi absolutamente suave com amor. Por ela. Para seu filho. Ele a abraçou, colocando a palma da mão espalmada sobre o ventre ainda ondulando. “Nós vamos ter um bebê,” disse ele alegremente. Ela olhou para ele com alívio em seus olhos. “A primeira coisa que precisamos fazer é retirar estes lençois para fora da cama e levála em algo seco e quente. Então vou ver o quão longe está o processo.” “Há algo que eu possa fazer para ajudar?” Lauren perguntou da porta. Michael virou-se para ver uma Lauren muito preocupado em pé lá. “Eu liguei para todos. Eles estão em pânico, mas estão a caminho. Todos eles.” Michael acenou com a cabeça. “Você pode ajudar Lily em uma nova camisola, enquanto eu retiro os lençois e os substituos?” 351


Lauren correu e pegou o braço de Lily, guiando-a em direção à cômoda onde suas roupas de dormir estavam dobradas. Michael fez um rápido trabalho na cama e, em seguida, colocou os travesseiros para que ela tivesse muito apoio de volta. Quando os outros chegaram lá, ele ia colocar Dillon e Seth para dar-lhe todo o apoio que precisava. Agora ele ia fazer tudo em seu poder para garantir que Lily estivesse calma, mesmo que ele estava prestes a perder sua mente fodida. Dê-lhe um animal? Ele podia lidar. Mas trazer ao mundo seu próprio filho? De repente, desejou como o inferno que os pais já estivessem aqui. Eles haviam trazido ao mundo três de seus filhos. Ele poderia usar alguma tranquilidade, pois tudo o que conseguia pensar era que se algo desse errado? E se ele errasse? Ele nunca poderia enfrentar Lily novamente se fizesse alguma coisa para prejudicá-la ou seu filho. E Lily simplesmente não poderia suportar outra perda. “Michael?” A suave voz de sua doce esposa, filtrou através de seus pensamentos em pânico. Ele virou-se para vê-la olhando para ele, com os olhos brilhando de amor. Ela colocou a mão em seu braço e depois se inclinou para ele, aninhando seu corpo inchado perto do dele. “Vai ficar tudo bem,” ela sussurrou. Como ela podia ser a única a confortá-lo quando ele deveria estar fazendo tudo em seu poder para lhe oferecer segurança. Ele sorriu e apertou-a perto, assim como seu corpo ficou tenso e um gemido baixo escapou de seus lábios. “Vamos levá-la confortável,” ele disse em uma voz rouca atada com emoção. “Vou prestar atenção para os outros,” disse Lauren ansiosamente. “Seth e Dillon parecia... estressados.”

352


Lily sorriu enquanto Michael a guiou em direção à cama. “Aposto que eles fazem. Pobres rapazes.” Michael beijou sua testa e, em seguida, ajudou-a a se acalmar. Ele gentilmente puxou sua camisola até a cintura para que ele pudesse ver se ela estava coroando. Deus, ele esperava que não estivesse. Ainda não. Ele, pelo menos, queria que outras pessoas presentes antes de seu bebê escorregar para as mãos. Ela dobrou os joelhos e os espalhou, dando-lhe acesso. Quando ele tem um vislumbre, ele prendeu a respiração. Oh merda. Ela estava coroando. Não bastante, mas a cabeça do bebê estava ali. Ele sentiu-se tonto. Suas mãos tremiam. Inferno, ele não tinha ninguém. “Lauren, pegue meu kit médico! Está sobre o balcão. E cobertores. Preciso de cobertores e um pouco de água para limpar Lily e o bebê quando terminarmos.” “Está na hora?” Lily perguntou, seu corpo tenso mais uma vez. “Oh Deus, Michael, eu preciso empurrar. O que está acontecendo? É o bebê que vem agora?” Ele levantou a cabeça para que ela pudesse vê-lo sobre sua barriga. “Sim, querida. Está na hora. Mas não quero que você empurre ainda, ok? Eu preciso de algumas coisas. Vai dar tudo certo. Eu juro. Tudo bem? Confie em mim?” Seus olhos brilhavam quente quando ela apagou o resto de sua respiração em um assobio. “Eu confio em você, Michael. Você não vai deixar nada acontecer com o nosso filho.” “Ou para você,” ele disse suavemente. “Você é minha vida, Lily. Nossa vida. Eu vou para o inferno e de volta para mantê-la comigo. Nunca duvide disso.” Ela sorriu e acenou com a cabeça. “Eu também te amo, você sabe.” “Sim. Eu faço.” Só então uma comoção soou na sala de estar, e Michael deu um enorme suspiro de alívio. Reforços estavam aqui. 353


Seth e Dillon irromperam no quarto, com um olhar enlouquecido em seus olhos. “O que diabos está acontecendo?” Dillon exigiu. “Lauren disse que ela está tendo o bebê agora.” Seth foi imediatamente para o lado de Lily, a testa franzida em preocupação. “Ela está,” disse Michael calmamente. “Preciso de você, para não surtar e me dar uma mão aqui. Não há nenhuma maneira de levá-la ao hospital a tempo. O bebê vai nascer aqui, no nosso quarto.” Dillon olhou enlouquecido, mas depois fez um esforço concertado para se recompor. Suas mãos tremiam violentamente, embora, ele foi para o outro lado de Lily. Seth pegou a mão de Lily e fechou os dedos em torno dele. Então beijou sua testa, o medo gritante em seus olhos. “O que você precisa que façamos?” Seth perguntou com voz rouca. “Lauren está pegando meu kit médico. Preciso de uma aspiração, uma tesoura para cortar o cordão e algo para amarrá-lo. Precisamos também de alguns cobertores para embrulhar o bebê dentro e algo para limpar o bebê e Lily depois.” “Eu posso fazer isso,” disse Dillon. “Não se preocupe, querida. Nós vamos fazer isso. Ok?” Apesar das contrações em seu corpo e sua luta contra o desejo de empurrar, Lily riu. “Estou bem, pessoal. Sério? Eu posso fazer isso. Nós podemos fazer isso.” “Onde diabos estão os pais?” Seth murmurou. “Eles são os únicos com toda a experiência de parto.” Lily riu de novo. “Isso é tão engraçado. Alguém poderia pensar que você estaria olhando para a sua mãe em um momento como este, e em vez disso você quis saber onde diabos os pais estão.”

354


“Mamãe não ajudou a trazer três bebês em casa,” disse Dillon em voz descontente. “Os pais fizeram.” Lily revirou os olhos. “Ela não fez isso? O que exatamente você chama empurrando uma criança do tamanho de uma melancia pequena fora do seu ventre?” “Como pode brincar em um momento como este?” Seth perguntou, o pânico crescente em sua voz. “É rir ou chorar,” disse Lily. “Estou morrendo de medo!” Dillon e Seth imediatamente olharam contritos. Eles reuniram-se perto dela, beijando-a e oferecendo segurança. “Nós somos idiotas,” disse Seth. “Sinto muito, querida. Mas não se assuste. Entre a família o bebê vai estar em segurança aqui.” Ela estendeu a mão e acariciou sua bochecha. “Eu sei que nós vamos.” Outro som veio da sala de estar, e Michael percebeu que sua mãe e os pais estavam aqui. Alívio disparou. Inferno, ele tinha um diploma de médico. Ele ajudou a trazer todo o tipo de animais que se possa imaginar, e ainda assim ficou aliviado que seus pais estavam aqui. Mas eles sempre foram suas rochas. Mamãe e os pais. “Precisa de ajuda, meu filho?” Adam disse da porta do quarto. Holly Colter empurrou Adam de lado e correu para a cama, onde Lily sentava encostada nos travesseiros. Ela pegou a mão de Lily de Dillon e apertou tranquilizando. “Vai ficar tudo bem, bebê. Os pais estão aqui, e eles têm mais experiência com o parto do que a maioria das mulheres fazem!” “É isso que eu estou contando,” disse Lily pouco antes dela ficar em silêncio quando veio outra contração. “Eu não posso adiar por mais tempo,” Lily arquejou. Seu rosto estava vermelho com a tensão e as bochechas infladas para fora como todo o seu corpo enrolado em um nó. 355


Lauren correu com todas as coisas que Michael tinha pedido, e Ryan a pegou e começou a organizá-las do lado da cama. “Diga-nos o que você quer fazer, meu filho,” disse Ethan. “Ainda que eu tenho um sentimento que nossa jovem senhora aqui tenha planejado dessa forma, ela provavelmente quer que você traga seu filho. Se ela falou com a sua mãe em tudo, então a ideia teria sido plantada que este bebê iria nascer aqui.” Os lábios de Holly apertaram e Lily deu um sorriso culpado. “Pega,” Lily murmurou. “É isso que você realmente quer?” Dillon perguntou quando limpou o cabelo de sua testa. Lily olhou para Dillon e depois para Seth e, finalmente, Michael. “Sim,” ela disse em voz baixa. “Quero que nosso filho nasça aqui. Entregue por seus pais. Quero que nossos filhos cresçam nesta casa, assim como todos vocês fizeram na casa em que nasceram. Eu não consigo pensar em uma maneira melhor para inaugurar a próxima geração dos Colters.” Lágrimas brilharam intensamente nos olhos de sua mãe. Os pais não estavam menos afetados. Adam enxugou seu rosto antes de abaixar a mão para tocar o ombro de sua esposa. “Então é isso que vamos fazer,” disse Seth, beijando Lily novamente. Então olhou para Michael. “O que você precisa que façamos?” “Fique aí e apoie Lily,” disse Michael. “Apoie e converse com ela. Incentive-a. Ela precisa empurrar agora para que o nosso filho possa nascer.” Ao longe, ouviu vozes de Callie e Max. Sabia que eles estavam aqui. Satisfação agarrou Michael. Lily estava certa. Qual era a melhor maneira para o seu filho nascer, em seguida, aqui, cercado por pais e avós. Tias e tios. “Ajude-me,” disse Lily, sem fôlego enquanto ela lutava para cima.

356


Seth e Dillon entraram em ação, apoiando-a para frente quando ela queria. Cada um deles passando um braço ao redor dela, ancorando-a no lugar. Adam rapidamente passou a trabalhar na triagem de todas as coisas que Lauren tinha trazido de Michael espalhadas num cobertor sobre o colchão. A cabeça do bebê apareceu, pressionando para frente, esticando Lily, uma vez que preparava para fazer a sua entrada no mundo. “Tudo bem, querida. Segure a contração seguinte, ok? Preciso de você para tomar uma respiração profunda, segurá-la e, em seguida, contar até dez.” Seu rosto avermelhou, ela respirou fundo e depois se inclinou para frente, com o queixo quase até o peito. Ao lado dela, Dillon começou a contar. “Muito rápido, Dillon. Devagar,” disse Michael. “Eu não quero apressar as coisas e eu não quero ela empurrando demasiado duro. Ela vai rasgar. Vamos levar as coisas agradáveis e fáceis e deixar o bebê vir em seu próprio tempo.” Ele trancou olhares com Lily e depois seus irmãos. Era agora. A mulher que adorava além da razão estava presenteando-os com algo mais precioso do que qualquer coisa no mundo. Ela lutou e superou tanta adversidade em sua jovem vida, e ele estava determinado que ela nunca iria por esse caminho novamente. Quando Dillon chegou a dez, Lily caiu de volta contra os braços de Seth e Dillon, sua respiração escapando em rápidos espasmos. “Isso dói,” ela grunhiu. Dillon apertou os lábios em sua têmpora, seu rosto uma coroa de agonia em seu nome. Dillon parecia tão indefeso como Michael se sentia. Ele faria qualquer coisa para poupá-la dessa dor. Ele estava tão absorto em monitorar sua contração e o progresso da cabeça do bebê, que não tinha notado que sua mãe e os pais tinham feito uma saída discreta. Pânico quase alcançou357


o novamente, e estava tentado trazer os pais de volta. Ou pelo menos Adam. Que não se abalava. Exceto quando se tratava de Holly. Lily inclinou para frente, prendeu a respiração, e Dillon começou a contar novamente. “É isso!” Michael disse, emocionado. “Ele está vindo! Quase tenho a cabeça. Não podemos relaxar até que eu diga, querida.” A cabeça quente, pegajosa entrou nas mãos de Michael. E então Seth estava lá, entregando a Michael a sucção e um cobertor. Michael aspirou as vias aéreas do bebê, e então o som mais maravilhoso que já tinha ouvido. O bebê deixou escapar um gemido suave que ecoou pelo quarto. “Ok, Lily. Só mais um empurrão, querida. Você pode fazer isso por mim? O bebê vai estar aqui. Só mais um empurrão.” O corpo dela soltou, e então ela se abateu e o bebê deslizou facilmente nas mãos de Michael. Ele olhou para baixo em perplexidade, o bebê pegajoso em suas palmas. “Um filho,” disse ele com reverência. Ele olhou para seus irmãos e, em seguida, encontrou o olhar cansado de Lily. “Temos um filho!” Seth rapidamente ajudou a cortar o cordão umbilical, e depois colocou seu filho em um cobertor antes de carregá-lo com muito cuidado para a cabeceira da cama, onde Lily esperava. Sua expressão era de temor quando Seth colocou seu filho em seus braços. Os olhos de Dillon brilhavam com lágrimas não derramadas, mas assim que Lily segurou seu filho ao peito, elas deslizaram por suas bochechas. “Ele é lindo,” ela engasgou. Ela levantou a cabeça para olhar para seus maridos, tanto amor refletido em seu olhar que Michael não conseguia respirar. Eles fizeram isso! A mãe e o bebê estavam bem. “Preciso garantir que a placenta saia e que não haja hemorragia,” disse Michael em voz baixa. “Ajude-a a cuidar dele.” 358


Ninguém deu-lhe toda a atenção quando ele atendia a necessidades de Lily. Ela quase não registrou a placenta sair ou seu cuidado de limpar. Ele coçava para segurar seu filho novamente. Mas estava aninhado firmemente nos braços de sua mãe, sugando seu peito inchado. Ele estava à frente, olhando para baixo por muito tempo até que Lily levantou a cabeça e seus olhares se conectando. “Obrigado,” ela sussurrou com voz firme de lágrimas. “Obrigado por isso. Pelo meu filho. Por outra chance. Eu nunca vou esquecer esse dia. Nunca.” Michael engoliu suas próprias lágrimas. “Não, obrigada, querida. Por nos dar o nosso filho. Por nós amar.” “Ele é lindo,” disse Dillon com a voz rouca. “O bebê mais lindo que já vi.” Seth sorriu, enxugando suas próprias lágrimas quando olhou para sua esposa e filho. “Você deixaria todos verem o mais novo Colter? Imagino que mamãe e os pais estão mastigando um bocado lá fora.” “Sim,” Lily sussurrou. “Deixe-os vir. Quero que eles vejam o seu primeiro neto.”

359


Capítulo Cinco “Lembro-me de quando Seth nasceu,” disse Adam, com a voz dolorida com memórias. Holly sorriu para seus três maridos quando afundaram no sofá em casa. Eles haviam deixado Lily e os meninos apenas uma meia hora atrás, e voltaram para casa para descansar e deixar os novos pais cuidar do bebê. Os meninos insistiram em levar Lily e o bebê para o hospital no dia seguinte para que ambos pudessem ser verificado e se certificar de que não havia nenhum problema. Mas Holly tinha a sensação de que, se Lily conseguisse a sua maneira, eles se contentariam em ter o médico atendendo a mãe e a criança em casa. “Lembro-me de quando você chegou em casa,” Ethan interrompeu: “Aquela primeira vez que te vi depois de todos esses meses. Grande e inchada com o nosso filho. Nunca vou esquecer esse dia. Foi o melhor dia da minha vida.” Adam assentiu. “Não é possível argumentar que não.” Holly suspirou e aconchegou entre Ryan e Ethan no sofá. Ela era tão bonita, se não mais, como tinha sido quase trinta e cinco anos atrás, quando ela teve Seth. Adam a amava mais a cada dia que passava, e ele não tinha imaginado ser capaz de amá-la mais do que quando voltou para eles. Mas ele tinha. O dia em que ela deu à luz Seth. E, em seguida, Michael e Dillon. E finalmente Callie. O susto que ela teve no Natal ainda permanecia em sua mente, uma sombra que podia nunca desaparecer.

360


“É difícil imaginar que somos avós,” Holly murmurou. Sua voz estava um pouco triste, seu rosto desenhado, embora Adam sabia como estava feliz de ser uma avó. “Os anos passam muito rápido. Eu não sei onde eles foram.” “O melhor ainda está por vir,” disse Ryan, puxando-a para o seu lado. “Eu ainda sou tão jovem e apaixonada por três homens ao mesmo tempo,” disse ela. “E, no entanto, foi um tempo atrás, mas parece que foi ontem, tudo ao mesmo tempo. Não estou pronta para ir. Não estou pronta para deixar esta vida. Eu gosto muito dela. Eu te amo tanto.” O peito de Adam apertou, e ele leu o mesmo desânimo nos rostos de seus irmãos. Eles nem sequer consideravam um momento em que eles não estariam juntos. Ethan tocou seu rosto, seus olhos suavizando no amor, as rugas nos cantos mais pronunciados do que tinha sido uma década atrás. “O nosso amor é para sempre, meu amor. O fim de nossas vidas aqui é apenas o começo para nós. Nem mesmo a morte pode nos separar.” “Sem falar que todos nós temos um monte de anos ainda,” disse Adam rispidamente. “Portanto, nem sequer pensem em antecipar. Vou arrastá-lo de volta por seu cabelo, se for preciso.” Holly riu e o som enviou calor direto para a alma de Adam. Seus olhos brilharam e as sombras tinham ido embora. “Não tenho dúvidas de que você fará exatamente isso.” “Conte com isso,” Ryan rosnou. “Nunca desistiremos de você, querida. Isso é um fato.” “Eles vão ficar bem,” disse Holly com um suspiro de satisfação. “Você viu os meninos? E Lily? Não há mais tristeza em seus olhos. Ela brilhava de forma positiva.” Adam sorriu. “Obrigado, querida.” Ela inclinou a cabeça, olhando-o com perplexidade. “Pelo que?”

361


Adam inclinou-se sobre o sofá para tocar seus lábios nos dela. “Por me dar quatro filhos maravilhosos. Por me dar uma vida cheia de mais amor do que sempre sonhei. Por aceitar-nos. Por nós amar. Por voltar para casa para nós.” Lágrimas brilharam em seus olhos quando ela acariciou sua bochecha. “Você sabe, nós nunca tomamos aquela viagem que falamos no Natal. Lembro-me de discutir uma praia, ficar nua e fazer amor por uma semana inteira.” Ethan riu. “Isso é porque você se recusou a considerar sequer sair quando Lily estava grávida.” “Mas ela não está agora,” disse Holly com um sorriso travesso. “Estou pensando depois de dar-lhes algumas semanas para entrarem em uma rotina e que não precisem tanto de nós, que devemos fazer as malas e ir para as férias.” “Acho que é uma ideia muito boa,” Ryan murmurou quando a beijou novamente. “Tenho uma necessidade distinta para mostrar a minha esposa o quanto eu a amo.”

362


Capítulo Seis LAUREN levou mais tempo do que o habitual no banheiro enquanto se preparava para dormir. Os últimos dias tinham sido cheios de atividade, com a chegada de James Caleb Colter, nomeado com o nome de dois de seus bisavós. O Colters e os Wilders tinham descido na casa dos Colters mais jovens, fornecendo alimentos, ajudando a cuidar da criança, e tudo aquilo que era necessário para garantir que Lily descansasse e estivesse sem stress. Lauren tinha adorado esses dias. Tinha-lhe dado uma prévia do seu próprio futuro. Seus filhos. Cercado por familiares. As pessoas que a amavam. Mas, principalmente, de como seria quando ela desse a Liam e Noah seu próprio filho. Eles haviam sido arrebatados por Caleb. Toda a família foi. Como se sentisse como sua mãe era frágil, Caleb era o bebê perfeito. Tão calmo e doce. Nada exigente em tudo. Ele tinha sido um sonho para amamentar, algo que tinha desgastado Lily com seu primeiro filho. Mas, então, fiel à sua palavra, Lily não tinha levantado um dedo sequer. Holly Colter havia ido como uma sargento fazendo uma lista de tarefas que cobriam todas as necessidades. Tudo o que Lily tinha de fazer era descansar e alimentar o bebê. Lauren soltou um suspiro feliz. Ela queria Holly lá quando tivesse seu próprio filho. Ela perdeu sua mãe terrivelmente. Desejou que tivesse vivido para ver Max e Lauren felizes e resolvidos. Olhando para a chegada de seus próprios filhos. Holly era a figura de uma mãe para ela agora. E bem, os pais eram os seus pais também. Ela era um deles. Um Colter. Não pelo nome, mas de todas as maneiras que importavam. “Você está bem, querida?” Noah chamou. 363


Ela sorriu e, em seguida, deslizou as mãos para baixo da lingerie de seda que tinha escolhido para esta ocasião. Respirando fundo, abriu a porta e saiu para enfrentar os dois homens que esperavam por ela. Eles estavam deitados na cama onde ela disse-lhes para esperar. Quando seus olhares levantaram, calor demosntrava em seus olhos. Eles estavam quente com o desejo. “Onde diabos você conseguiu isso?” Liam suspirou. “Definitivamente teria lembrado disso.” Ela sorriu e olhou para Noah, cuja boca estava aberta. Mas ela também viu a esperança em seus olhos. Não que eles nunca a empurrou. Eles nem sequer insinuaram ou sugeriram. Eles simplesmente esperaram por ela para fazer o primeiro movimento. E ela amava muito eles por isso. “Quero começar a praticar os bebês,” disse ela enquanto se arrastava para o final da cama. “Não quero usar o preservativo mais. O momento não é propício para ficar grávida está noite, e bem, se isso acontecer, aconteceu. Não vou perder o sono por isso quando é algo que eu quero tanto. Mas não quero usar nada. Se não estamos prontos para dar o salto ainda, então vou ir no controle de natalidade. Mas quero que não haja nada entre nós. Não mais.” Liam expulsou o fôlego em um longo suspiro. “Oh Deus, bebê. Queremos isso também. Mas você tem certeza? Quero dizer hoje à noite? Não me importo de esperar. Queremos que este seja perfeito para você. Eu morreria antes de ferir ou assustar você.” Ela passou a mão na perna, no joelho e apertou. “Vai ser perfeito. Não poderia ser qualquer outra coisa com você.” Noah inclinou-se, enrolou uma mão ao redor de sua nuca e trouxe sua boca para a dela. Com fome. Ele estava com tanta fome. Engoliu sua respiração, sua língua mergulhando profundamente como se tivesse esperado anos por este momento. E as últimas seis semanas

364


tinham parecido anos. Para ela e, sem dúvida, para eles, enquanto esperavam pacientemente por ela dar o próximo passo. Ela suspirou em sua boca e, em seguida, voltou a suspirar quando Liam empurrou de lado, o braço curvado em torno de seu corpo. Ela estava certa onde pertencia. Entre os dois homens que amava e que a amava com tudo o que tinham. Ela não tinha dúvidas do amor. Nem por um minuto. Tinham passado cada momento das últimas seis semanas provando sem palavras o que ela significava para eles. “Eu te amo,” ela sussurrou. “Eu amo muito vocês dois.” “Eu também te amo, bebê,” disse Liam em seu ouvido. Noah puxou-a para frente, caindo de costas com ela. Seus olhos brilharam em seu rosto, esquentando-a como se fosse um toque tangível. “Eu te amo, querida. Nunca quero que você duvide disso por um segundo. Nós vamos estar juntos um maldito longo tempo. Todos os dias, você vai acordar e Liam e eu vamos estar aqui. Todas as noites, quando vamos para a cama, nós vamos ser a última coisa que você vai ver. E quando você acordar, a primeira coisa que você verá. Nós. O nosso amor.” “Você vai me fazer chorar,” disse ela em tom acusador. “Não quero ver você chorando,” Liam rosnou. “Gritando nossos nomes, sim. Chorar, não.” “Eu gosto da maneira que você pensa,” ela murmurou. “Não que eu não ame essa lingerie, mas acho que podemos dispensá-la de modo a vê-la nua?” Noah perguntou, com um brilho malicioso nos olhos. “Estou às suas ordens.” Antes que ela tivesse terminado, Liam estava puxando a blusa, deslizando-a sobre sua cabeça antes de jogá-la de lado. Noah puxou a calcinha rendada, Liam assumiu quando ele trabalhou sobre suas nádegas. 365


“Agora você,” disse ela, afastando-se de Noah tempo suficiente para que os dois homens tirassem suas roupas íntimas. “Não tem que falar,” Liam murmurou. “Eu quase arranquei minha cueca no momento em que saiu do banheiro.” Ela sorriu e depois engoliu quando os dois homens estavam ao lado da cama, suas ereções bombásticas esticadas para cima. Liam passou os dedos em torno de seu comprimento e acariciou de cima para baixo, persuadindo-o ainda mais rígido. Ela lambeu os lábios e os dois homens gemeram. “O inferno, querida,” Noah raspou fora. “Não faça isso. Não quando queremos fazer isto perfeito e fazer amor com você como ninguém nunca fez amor com você antes. Você me faz pensar em nada, exceto aqueles lábios doces embrulhados em volta do meu pau, e não é isso que quero que aconteça hoje à noite.” “Então o que você quer que aconteça?” Ela perguntou com voz rouca. “Esta noite é tudo sobre você,” Liam murmurou. “Iremos te amar. Mostrando-lhe o nosso amor.” “Então o que vocês estão esperando?” Brincou ela. “Nenhuma coisa maldita,” Noah resmungou. Liam a pegou, embalou-a nos braços e, em seguida, gentilmente a colocou sobre a cama, colocando-a para fora como uma festa diante dos dois homens. Eles acariciavam, as mãos em todos os lugares, persuadindo e acalmando. Eles seguiram com a boca, lambendo sobre sua pele, sugando seus pontos mais sensíveis até que ela era uma bagunça se contorcendo. A língua de Noah, quente e áspera, deslizando sobre seu clitóris, provocando um suspiro agudo. Liam lambendo e chupando seus mamilos, tendo cada um a sua vez, formando picos rígidos tensos e pedindo mais. 366


Suas coxas começaram a tremer quando Noah empurrou sua língua dentro dela, lambendo a partir de dentro para fora. Ele fodeu e saiu com aquela língua ímpia até que ela estava chorando seu nome repetidas vezes. Então deslizou dois dedos dentro, movendo a boca para cima para que pudesse provocar o clitóris novamente. “Noah, por favor! Eu não quero gozar. Ainda não. É muito cedo. Quero tanto você dentro de mim!” Ele riu, o som vibrando sobre sua carne sensível. Ela quase podia gozar sozinha. Ela estava no alto, perigosamente perto de cair ao longo da borda, e não queria. Não até que ambos estivessem em seu interior. Carne com carne. Nada os separando. Ela queria senti-los gozar dentro dela. Não queria seu sêmen preso no látex, protegido dentro. Ela queria tudo o que tinha para dar. Os lábios de Liam cobriram os dela, quente, molhado, sua língua deslizando profundamente dentro de sua boca. Ela lambeu para trás, provando-o, respirando seu ar, saboreando-o antes de devolvê-lo de volta para ele. “Eu te amo,” disse ele, as palavras escapando em sua boca. “Tanto, caramba, Lauren.” “Eu também te amo,” ela sussurrou de volta antes de beijá-lo em silêncio mais uma vez. “Eu quero essa bunda doce hoje à noite,” Noah disse, sua voz cheia de desejo e necessidade. “Liam a teve da última vez. É minha esta noite.” Ela fechou os olhos quando imagens daquela noite. Antes de seu mundo ir para o inferno novamente. A noite, quando eles prometeram tanto um ao outro. Quando os dois a levaram ao mesmo tempo. O que ela pediu eles faziam. Esta noite seria sobre restabelecer essa conexão. Não quebrada. Meramente testada. “Você pode ficar em cima de mim, bebê?” Liam sussurrou contra sua boca. “E vamos ter Noah nessa bunda bonita?”

367


Ela gemeu. Poderia fazer qualquer coisa que quisessem, desde que isso significasse ambos estarem dentro dela. Noah deixou seu lugar entre as pernas, dando-lhe uma última lambida longa que a deixou trêmula, mesmo à beira. Cuidadosamente os dois homens a viraram, Liam deslizando por baixo antes de chegar para os quadris para levá-la até seu corpo ficar em cima dele. “Nós vamos levar isso agradável e lento, bebê. Vou entrar em você em primeiro lugar. Verifique se você está bem perto quando Noah leva a sua bunda. Vamos torná-lo bom. Como antes. Confie em nós, Lauren.” Liam chegou a agarrar seu pênis, e com a outra mão segurando seu quadril, ele aliviou para cima, enfiando a cabeça de seu pênis para sua abertura. Ela fechou os olhos, saboreando aquele primeiro toque. Esticou para acomodá-lo. A sensação pecaminosa dele empurrando dentro dela. Ambos gemeram baixo em sua garganta enquanto ela tomava mais dele. Ela apoiou as palmas das mãos contra a barriga esticada e abaixou-se ainda mais. Quando se estabeleceu em seus quadris, ele alisou suas mãos sobre sua barriga e, em seguida, até seus seios, acariciando seus mamilos entre os dedos até que eles estavam duros e enrugados. “Ela está pronta para mim?” Noah perguntou em voz baixa. “Eu não quero machucála.” Lauren sorriu para a preocupação em sua voz. Ele era maior do que Liam, que provavelmente era por isso que Liam tinha levado sua bunda primeiro. “Dê-me um minuto,” disse Liam.

368


Ele continuou seu ataque suave em seus seios e, em seguida, deslizou uma mão entre suas pernas, onde eles se juntaram. Ele acariciou seu clitóris, esfregando lentamente em um movimento circular até que ela foi molhada em torno de seu pênis. “Ela está pronta,” disse ele com satisfação. “Espalhe-a para mim,” disse Noah, uma excitação em sua voz que a fez estremecer. Liam deslizou as mãos em volta da cintura e, em seguida, sobre as nádegas antes de colocar as palmas das mãos. Ele gentilmente espremeu e depois as espalhou para Noah. O dedo de Noah esfregou a costura para baixo, espalhando lubrificante liso. Em seguida, ele a empurrou para dentro com o dedo, facilitando mais dentro dela. Onde diabos ele tinha conseguido lubrificante, e como se tivesse feito isso sem ela saber? Mas, então, ela tinha estado muito ocupada com Liam pelos últimos momentos. E era provável que tinham planejado isso. Eventualmente... Ela sorriu, confiante em seu desejo. Que nunca estava longe de suas mentes e nem seu amor por ela. “Relaxe, querida. Vou empurrar dentro de você agora. Apenas respire e não tente lutar contra isso,” disse Noah. Ela automaticamente ficou tensa no momento em que a cabeça sem corte de seu pênis cutucou sua entrada. As mãos de Noah acariciaram acima e para baixo de seus lados. Sobre sua volta, em seu cabelo, acariciando e relaxando-a mais uma vez. Ela gemeu novamente quando começou a violar sua abertura. Implacável, com apenas pressão constante o suficiente. Ela abriu em torno dele, ávida por sua posse. Queria os dois homens dentro dela. Profundo. Forte. Uma parte dela. Para sempre. “Quase lá, querida.” Ela suspirou e fechou os olhos. “Abra seus olhos bonitos, bebê. Eu quero vê-los,” Liam retumbou. 369


Ela obedeceu, olhando para ele, permitindo que todo o seu amor se mostrasse. A queimadura aumentou e, de repente, seu corpo cedeu, levando-o todo o caminho para dentro. Ele descansou um momento, sua pélvis achatada contra a sua bunda. Nunca tinha sentido nada para comparar com isto. Aqui mesmo. Neste exato momento. Sem nenhuma peças do quebra-cabeça faltando. Finalmente completa. Todo. Noah deu um beijo no meio das costas e, em seguida, delicadamente recuou. Ela deixou escapar um gemido suave, e, em seguida, ele empurrou para frente novamente. Com mais força desta vez. Ele embalou contra Liam, e Liam estava esperando, com os braços em torno dela. Segurando-a. Apoiando-a. Nunca a deixando ir. Os dois homens começaram um ritmo alternado. Empurrando. Retirando. Para frente e para trás. Profundo e, em seguida, ainda mais profundo. Seu corpo estava tenso. Tensão enrolava em seus músculos, tornando-se mais apertado a cada segundo quando seu orgasmo se levantou. “Nunca senti nada tão doce,” Noah murmurou. “Seu amor, querida. Nunca tive nada mais doce. Nunca irei.” Apoiando-se no peito de Liam, ela empurrou para trás, tendo um papel mais ativo na vida amorosa. Todos eles descobriram um ritmo. Perfeita harmonia. Movendo-se em uníssono. Com um acordo. Como foram feitos para ser. “Quero você lá primeiro,” Liam sussurrou. “Eu quero vê-la desmoronar em nossos braços. Caia, Lauren. Se solte. Nós vamos pegá-la. Nós sempre vamos te pegar.” Suas palavras a mandaram girando fora de controle. O quarto inclinou e turvou. Tudo o que podia ver era o rosto de Liam. Seus olhos. Lindo e tão cheio de amor. Sua respiração ficou presa, atada em sua garganta até o peito parecer que ia explodir. E então ela soltou.

370


E, como Liam havia prometido, ele estava lá para pegá-la. Aconchegou em seus braços, abraçando-a enquanto Noah empurrava nela mais forte, mais rápido. Liam arqueou o corpo para cima, os músculos tão apertado como o dela tinha estado. Tensão era evidente em seu rosto, mas seus olhos nunca deixaram seu rosto. Então Noah empurrou pela última vez. Com um grito, empurrou profundamente e depois ficou ali, seu corpo sacudindo espasmodicamente contra o dela. Maldição abafada de Liam levantou-se e, em seguida, ele gemeu asperamente, seu corpo curvando, esforçando-se sob o peso dela e de Noah. Os dois homens estavam respirando com dificuldade. Ela estava imprensada entre eles, um piscar de olhos em suas costas, o outro contra sua bochecha. Nunca havia sentido mais segura ou mais amada do que fazia agora em seus braços. Ela emitiu um suspiro sonhador e, em seguida, deixou escapar um som de protesto quando Noah começou a retirar-se. Ele a beijou de volta, antes de puxar o resto do caminho para fora. “É preciso limpar-te, querida,” disse ele suavemente. “Eu já volto.” Ela ficou lá em Liam, seus braços em torno de seu corpo, segurando-a firmemente ao dele, ele ainda estava profundamente enraizado dentro dela. “Foi tudo bem?” Liam murmurou. Ela sorriu contra seu peito. “Oh sim. Perfeito.” Ele apertou-a. “Estou feliz. Bem vinda a casa, bebê.” As lágrimas nublaram sua visão. Ela estava em casa. Exatamente onde pertencia. Mas não poderia realmente estar em casa até que os homens que amava estivessem com ela. Totalmente. E agora eles estavam.

371


Noah voltou, enxugando um pano quente sobre sua pele para limpá-la. Então Liam suavemente levantou, puxando livre de seu corpo em uma corrida quente. Eles deitaram e Noah terminou o trabalho que tinha começado. Quando terminaram, Noah jogou o pano na direção do banheiro e, em seguida, subiu na cama ao lado de Lauren. Ele puxou as cobertas sobre ela enquanto Liam se acomodava em seu outro lado. “Agora, há algo que quero discutir com você,” disse Liam. Seus olhos arregalaram. “Não fique assim, querida. Não é nada ruim. Bem, espero que fodidamente não seja.” Ela riu da incerteza repentina em sua voz. Liam estava mais sério, no entanto. Sua expressão nunca vacilou quando ele pegou a mão dela, guiando-o à boca. Então ele chegou para trás e para a mesa de cabeceira para retirar uma pequena caixa. Colocando-a entre eles, ele olhou para Noah, como se esperasse seu amigo falar. “Eu sei que nós discutimos sobre isso no voo para casa. Não era o melhor momento, e lamento isso quando o seu mundo tinha sido abalado. Mas não há um momento mais perfeito do que agora, quando você está em nossos braços, suave e sonolenta de fazer amor com nós dois.” “O que é, Noah?” Ela perguntou em voz baixa. Liam pigarreou. “Queremos que se case conosco, Lauren.” Enquanto falava, ele abriu a caixa e tirou um anel de diamante cintilante. Sua mão tremia quando ele cuidadosamente deslizou para seu terceiro dedo. Então a beijou. “Eu sei que nós discutimos isso,” continuou Noah. “Mas queremos pedir-lhe agora. Agora que já teve tempo para processar como a nossa vida seria juntos.”

372


“Nós conversamos com os Colters,” disse Liam. “Descobri como eles fizeram suas cerimônias. Holly está morrendo para que você possa estar certa em se casar, onde ela se casou com seu marido, e Lily se casou com os seus, e onde Max e Callie ambos se casaram.” “Em seu jardim bem ali na sua montanha,” disse Lauren em reverência. “Oh, isso seria perfeito!” “Então é um sim?” Noah perguntou hesitante. Ela voou para os braços dele, derrubando-o de costas, enquanto pairava sobre ele. Beijou cada centímetro de seu rosto até que ele estava rindo e implorando por misericórdia. Em seguida, ela se lançou em Liam e deu-lhe o mesmo tratamento. “Sim!” Exclamou ela. “Oh meu Deus, sim eu vou me casar com você!” “Agora, sobre os bebês...” Liam disse com um sorriso. “O quão sério você estava?” “Muito,” disse ela, devolvendo o sorriso. “Pensei que vocês dois poderiam me ajudar com isso?” “Nós vamos com certeza tentar,” Noah murmurou enquanto a rolava debaixo dele novamente.

373


Capítulo Sete LAUREN, Liam e Noah se casaram sob o mesmo arco onde Holly Colter havia se casado com seus maridos quase trinta e cinco anos atrás. Como tinha Max e Callie, e Lily, Seth, Michael e Dillon. Estavam ali toda a família Colter. Holly. Os pais. Seth, Dillon, Michael e Lily com o pequeno Caleb. Max e Callie. Todos eles rodeavam Lauren Wilder enquanto ela prometia a vida e o amor a Liam e Noah, e foi decidido que a partir daquele dia em diante, Lauren levaria o nome Lauren Sullivan-Prescott para homenagear tanto os homens que por sua vez, se comprometeram o seu amor e devoção a ela por toda a eternidade. Eles se casaram quando os álamos tinha virado, seu brilho incandescente transformando a paisagem em um mar fervendo de ouro. Era o mesmo mês em que Holly Colter havia voltado aos seus maridos, grávida de seu primeiro filho. Ao longo dos anos, muitas crianças nasceram Wilders, Colters e Sullivan-Prescotts. Eles cresceram seguros no amor da geração mais velha Colter, guiado pela mão suave de Holly Colter e seus maridos firmes, que jurou amá-la para a próxima vida e além. As crianças correram selvagens e livres sobre as montanhas onde os Colters viveram por décadas. Eles cresceram com um propósito inabalável, confiante e apoiado pelo amor do Legado dos Colters.

374

O Presente dos Colters - Maya Banks  

Os Colters #5

O Presente dos Colters - Maya Banks  

Os Colters #5

Advertisement