Page 1

Anjos de Enfermagem em Eliminando criadouros no combate a dengue!

Colet창nea de textos sobre a dengue!


Autores1: Silvio Bruno, Daiane Cunha, Daniely Coelho, Daiana Queiroz, Adriana Fernandes, Felipe Silvério, Eluza Santos, Geane Alves,Janielli Monteiro, Maiara Virginio, Nayanne Barbosa, Juliana Santana, Marianne Ribeiro, Milena Falcão, Crislane Lima, Ozimara Lima e Anna Gessyka Monteiro. Produção, orientação e imagens: Professora Anaíla Melo. Organização, edição e produção: Professora Jemima Silvestre. Revisão e orientação: Professora Marília Costa.

1

Alunos do 3º ano de Ensino Médio Integral ao Curso Técnico de Enfermagem.


Os homens que perdem a saĂşde para juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro para recuperar a saĂşde por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro; vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido. Buda.


PREFÁCIO A proposta dessa cartilha surgiu com o projeto Eliminando criadouros no combate à dengue, o trabalho foi desenvolvido e coordenado pela professora Anaíla Melo juntamente com os alunos do 3º ano do Ensino Médio da Escola Estadual de Educação Profissional Elsa Maria Porto Costa Lima. O fator que possibilita a realização da atividade foi a estatística que revela o avanço dos casos de dengue no Brasil e mais especificamente no município de Aracati. Através do projeto foram realizadas campanhas conscientizando a comunidade escolar sobre a importância da eliminação dos criadouros do mosquito e a preocupação com o meio ambiente. Algumas ações foram realizadas na escola, entre elas a criação de canteiros com plantas medicinais (farmácia viva); a panfletagem através da educação preventiva com o objetivo de orientar a comunidade escolar em relação a dengue; as visitas em 160 domicílios da comunidade circunvizinha, orientando a população sobre a importância da eliminação dos criadouros dos mosquitos; e por fim, a replicabilidade das ações do projeto realizada pelos alunos do 3º ano do curso de Enfermagem, nas escolas Professora Gercina Nepomuceno, Professor Regis Bernardo, Colégio Marta Silvério, Batista Logus, Maria Auxiliadora e nas creches municipais. Os alunos do curso de Enfermagem produziram textos explicativos que constam na cartilha que tem o mesmo nome do projeto e serão divulgados na escola com o objetivo de chamar a atenção de todos que convivem nesse espaço divulgando a relevância da preocupação com a doença que tem gerado inúmeros problemas sociais. Nosso

compromisso

como

educadores

é complexo,

amplo

e

diversificado e para sermos excelentes no que fazemos buscamos ressaltar um ensino que crie conexão entre o que o aluno aprende na escola e o que ocorre fora dela, acreditamos que as atividades realizadas no projeto Eliminando criadouros no combate à dengue contribuam para a melhoria da qualidade de vida da população da cidade de Aracati.

Por: Profª Jemima Silvestre


SUMÁRIO

1 - DENGUE: FIQUE DE OLHO! ................................................................06 2 - A DENGUE NO BRASIL ......................................................................07 3 - TODOS UNIDOS NO COMBATE A DENGUE......................................08 4 - DENGUE E SUAS COMPLICAÇÕES...................................................09 5 - PRESERVANDO VIDAS.......................................................................10 6 - A DENGUE E SUAS CONSEQUÊNCIAS............................................11 7 - SE AGIRMOS, PODEMOS EVITAR....................................................12 8 - DENGUE: O MOSQUITO É NOSSO INIMIGO....................................13 9- TODOS NO COMBATE A DENGUE.....................................................14 10- O PRINCIPAL VETOR DA DENGUE ..................................................15 11- DENGUE: ASSIM NÃO DÁ! ................................................................16 12- DENGUE: DOENÇA DANADA! ...........................................................17


DENGUE: FIQUE DE OLHO! Silvio Bruno e Daiane Cunha

A dengue é uma doença, transmitida pela picada do mosquito palha, um inseto que não voa mais que um metro e geralmente pica no período da manhã e da tardinha. Existem algumas manifestação da doença: a dengue clássica, a forma mais simples da enfermidade, mas, não menos perigosa que apresenta os seguintes sintomas: febre alta, náusea, vômitos, pulso fraco e acelerado, dores musculares e nas juntas, dores atrás dos olhos. É a manifestação mais difícil de diagnosticar, pois se confunde com a virose. A dengue hemorrágica é uma doença grave e apresenta os seguintes sintomas: dores abdominais fortes e sucessivas, presença ou não de sangue em vômitos e fezes, sangramentos nasais, bucais e/ou gengivais. A hemorragia acontece devido à baixa do nível das plaquetas humanas. Existe também síndrome de choque da dengue esta é a mais séria apresentação da dengue e acompanha os seguintes sintomas: delírio, sonolência, depressão, coma, irritabilidade extrema, psicose, demência, amnésia, paralisias e sinais de meningite, se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte. Vale destacar que entre as várias estratégias de eliminação do mosquito transmissor da dengue é destruir os criadouros encontrados geralmente em ambientes onde o mosquito-fêmea põe seus ovos. Sendo assim, com medidas simples pode-se combater a dengue.


A DENGUE NO BRASIL

Daniely da Costa Coelho e Daiana Queiroz da Silva

De acordo com os índices de mortalidade no Brasil, a dengue mata tanto crianças como adultos e ao analisar estes dados pode-se elencar como estratégia eficaz a eliminação dos mosquitos transmissores da doença. No entanto, percebe-se que a população, agente permanente de controle à doença, muitas vezes, esquece as caixas de água destampadas, os vasos de plantas com água, o saco do lixo mal fechado e outros utensílios que deixados a céu aberto contribuem para a proliferação do transmissor. É preciso a mudança de postura mútua para a realização de simples ações para que os índices divulgados pelos órgãos de saúde apresentem números menos preocupantes. Deve-se ter conhecimento de que o mosquito não fica apenas em um ambiente, por isso é necessário tomar bastante cuidado nos locais com riscos da presença do mosquito, como: terrenos baldios, casas desativadas ou fechadas, obras abandonadas, entre outros locais. Diante do exposto, é até redundante reforçar a atenção para o controle da reprodução do mosquito, o verdadeiro transmissor da doença, e, sem exagero, um dos grandes problemas atuais da sociedade brasileira.


TODOS UNIDOS NO COMBATE A DENGUE

Adriana Fernandes

A dengue é uma doença infecciosa causada pelo vírus Flavivírus, as zonas de atuação do mosquito transmissor estão entre os países tropicais e subtropicais. A participação das pessoas para a eliminação dos criadores é de fundamental importância. Muitas vezes, a falta de noção básica de que enquanto a minha casa apresentar os focos de criação do mosquito toda uma vizinha poderá estar em risco ainda é muito comum na mentalidade da população. O esforço da Organização Mundial de Saúde (OMS), Serviço Único de Saúde (SUS) e órgãos municipais e estaduais ligados ao combate a dengue será em vão se a comunidade como um todo não se envolver efetivamente na eliminação dos criadouros.


DENGUE E SUAS COMPLICAÇÕES

Felipe Silvério da Silva.

O mosquito Aedes aegypti, cujo arbovírus pertence à família do Feaviviridae provoca a dengue, uma enfermidade que vem atingindo cada vez mais pessoas no Brasil, devido muitas vezes ao descuido e a falta de conhecimento da população. O Aedes Aegypti é o principal vetor da dengue no país. Os óbitos não somente atingem as crianças, mas também adultos e, sendo assim, pode-se relacionar a estes dados a mudança de comportamento das pessoas que não mudam seus atos, mas o mosquito sim. Quando descoberto a atuação do vetor era bem mais reduzida. Agora, consegue se proliferar em águas sujas e limpas, contrariando as ações preventivas iniciais de quando a população teve conhecimento de sua existência. É sempre conveniente lembrar as vias de transmissão da doença ocorrem quando o mosquito-fêmea pica o indivíduo. Seus principais sintomas são dor atrás dos olhos, febre muito alta, dor no corpo, fraqueza e placas vermelhas espalhadas pelo corpo, entre outras. Vale destacar que para a prevenção da doença, ações preventivas básicas não podem ser negligenciadas como manter água parada em pneus vasos e garrafas, entre outras. Desta forma, é necessário e imprescindível a mudança de hábitos, aliás de péssimos hábitos, pois senão, pode até parecer exagero, mas um simples e pequeno mosquitinho acabará com toda uma nação.


PRESERVANDO VIDAS Eluza Santos da Silva

O causador da dengue no Brasil é o vírus Aedes aegypti, para que o mosquito não se prolifere é necessário tomar pequenas medidas, mas não menos importantes atitudes como: não deixar algo que possa acumular água, ao ar livre, não jogar lixo na sua rua porque além de trazer diversas doenças é uma fonte de criadouros. As diversas maneiras de combate à doença são tão fáceis que as pessoas esquecem e acabam ajudando na proliferação do mosquitinho, que de primeiro contato parece inofensivo, porém gera transtornos muitas vezes irreversíveis na vida das pessoas. Deve-se ressaltar que o combate a dengue tem que ser realizado diuturnamente, sem descanso porque as lavas do transmissor podem sobreviver até 365 dias. E, dessas lavas podem surgir vários outros mosquitos contaminados prontos para atacar. Com ações simples de limpeza e higiene pode-se evitar e controlar a enfermidade, salvando, assim, não só nossas vidas, mas a de várias vidas. Por fim, nós, cidadãos, desempenhamos o papel principal de orientar nossa comunidade sobre os cuidados que realizamos na prevenção da dengue para enfim, preservarmos a vida humana.


A DENGUE E SUAS CONSEQUÊNCIAS

Geane Alves Correia

A dengue é uma doença que até hoje está presente em nosso meio, e, é causada pelo mosquito Aedes aegtpti, cujo flavivírus é o principal agente da enfermidade, ocasionando mortes em adultos e principalmente em crianças. Para combatê-lo a população em geral deve conscientizar-se de que a dengue mata e, além disso, deve tomar algumas precauções como: não acumular água parada, tanto limpa como suja, onde já se sabe que o mosquito se prolifera. A transmissão ocorre quando o mosquito-fêmea pica uma pessoa doente e, logo após, pica outra sadia, a pessoa doente não transmite a enfermidade. Seus sinais e sintomas são os seguintes: dores na cabeça, olhos e articulações, náuseas, vômitos. É necessário esclarecer que existe a dengue mais complicada e grave: a hemorrágica, e acrescentam-se além dos sintomas clássicos mais o sangramento nasal e gengival.


SE AGIRMOS, PODEMOS EVITAR.

Janielli Monteiro Barbosa e Maiara Virginio de Souza

Nos dias de hoje, todos comentam que o mal do século é a depressão, focam suas preocupações apenas neste tipo de doença, esquecendo-se de tomar cuidados simples, mas que fazem toda a diferença quando o assunto é saúde para todos. Quando a doença tratada é a dengue os cuidados devem ser redobrados e quais são esses cuidados? Não deixar água acumulada; cobrir caixas d'águas, pneus, garrafas plásticas como pet; não deixar água em pratinhos e em vasos de plantas; lavar as caixas d'água, filtros, tonéis e outros; limpar calhas e lajes. Mas não basta apenas cuidar, é preciso conscientizar a população para que exista o controle por completo da dengue, fazendo isso estaremos prevenindo futuras epidemias. A população tem que ter o conhecimento de que a dengue apresenta-se em duas formas: a dengue clássica e a hemorrágica. E quais sinais a enfermidade se apresenta, pois os seus sintomas podem ser confundidos com outros tipos de doenças, como gripes e viroses, e quais são esses sintomas? Clássica: febre alta; dor de cabeça; dor no corpo; dor atrás dos olhos; dor nas juntas ou articulações. Hemorrágica: dores abdominais fortes; sangramento gengival, bucal e nasal; manchas avermelhadas por todo o corpo. Ao contrair a doença deve-se ficar em repouso e ingerir bastantes líquidos, inclusive o soro caseiro e também se deve procurar os postos de saúde, mas se o caso se agravar (dengue hemorrágica) o tratamento será feito através de internação hospitalar. A dengue é uma patologia bastante perigosa, mas, se detectada e tratada a tempo pode se evitar vítimas fatais.


DENGUE: O MOSQUITO É NOSSO INIMIGO. Nayanne Barbosa e Juliana Santana. O mosquito da dengue é como nosso inimigo, quem quer um inimigo dentro de casa? Então, deve-se combater o mosquito deixando-o livre de nossas residências, para combatê-lo algumas atitudes poder ser tomadas como: tampar caixas d'água, virar garrafas de boca para baixo, manter pneus sempre secos e limpos, colocar areia em pratos de plantas, lavar bem a bacia dos animais com água e sabão. Existem três tipos de dengue: a dengue clássica, a dengue hemorrágica e a síndrome de choque da dengue. A dengue clássica os sintomas são: dor nas articulações e nos olhos, náuseas, dor de cabeça, febre e vômitos. Já a dengue hemorrágica. Os sintomas são os mesmos, porém com uma alteração depois da febre, os vômitos são acompanhados por sangramentos gengivais, nasais e bucais. E na síndrome de choque da dengue os sintomas são: a grande queda de pressão arterial, inquietação, palidez e perda de consciência. São ações simples que se tornam complicadas e até capazes de não controlar a epidemia, por isso, os profissionais da saúde orientar que se o indivíduo sentir esses sintomas procure imediatamente uma unidade de saúde hospitalar. A atenção é prevenção nunca são demais porque o único que pode transmitir a doença é a fêmea Aedes Aegypti. Vale acrescentar a título de curiosidade que o mosquito coloca de 100 a 120 ovos por dia que duram até um ano sem contato com água e estes vetores picam durante o dia e tarde, por isso a palavra dengue significa amanhecer, o que é irônico.


TODOS NO COMBATE A DENGUE

Marianne Carlos Ribeiro.

A dengue apresenta-se como grave problema de saúde pública no mundo, principalmente em países tropicais e subtropicais, pois o clima favorece ao desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. A transmissão ocorre através da picada do mosquito fêmea no ser humano, e não por mucosas ou por contato de pessoa a pessoa. Existem dois tipos de dengue, a clássica e a hemorrágica. Na dengue clássica um dos principais sintomas é a febre alta, em torno de 39°C a 40°C, logo após apresenta-se dor de cabeça e nas articulações, náuseas, vômitos e manchas vermelhas pelo corpo. A enfermidade evolui rapidamente, deixando a pessoa doente com grande debilidade física. Já a dengue hemorrágica, inicialmente, se confunde com a dengue clássica. Começa com febre alta, mas logo depois tem fenômenos hemorrágicos, ocorrendo sangramento gengival e nasal, também podendo apresentar dores abdominais, diminuição da urina e dificuldade para respirar. Para evitar que a doença se prolifere é importante executar tudo aquilo que a campanhas comunitárias orientam: evitar deixar pneus descobertos e lixo a céu aberto, eliminar locais que possam vir a ser criadouros, cobrir a caixa d'água com uma tela, limpar as calhas, enfim realizar todas as medidas necessárias para evitar que esse pequeno mosquito faça um grande estrago em nossas casas.


O PRINCIPAL VETOR DA DENGUE

Milena Falcão da Silva e Francisca Crislane Lima.

A dengue é uma doença viral, com característica febril, geralmente de evolução benigna, quando na forma clássica. O vírus da dengue é um Arbovírus da família do Feaviviridae, e são conhecidos os soropositivos 1, 2, 3 e 4. No Brasil o Aedes aegypti é o principal vetor da dengue, este por diversas vezes foi erradicado do Brasil, mas por descuido da população, sempre volta, e cada vez mais forte. Simples ações podem evitar o contágio da doença, como: não deixar água acumulada, vedar caixas d água e tonéis, colocar areia nos vasinhos de plantas, lavar vasilhas de animais com esponja. Quando o assunto é os sintomas da dengue, os cuidados devem ser redobrados, pois estes se confundem com de outras doenças. Esses sintomas são febre, dor de cabeça, dor no corpo, dores nas articulações e nos olhos, tudo isso quando se trata de dengue clássica, já a hemorrágica tem sintomas diferentes, como sangramentos gengivais e nasais. Seu tratamento é feito à base de bastante líquidos, analgésicos, antitérmicos e bastante repouso, se houver agravamento do caso o tratamento é feito exclusivamente com internação hospitalar.


DENGUE: ASSIM NÃO DÁ!

Ozimara Lima da Silva

Para algumas pessoas parece se apenas um mosquito qualquer, o que essas pessoas não sabem é que este mosquitinho mata. E vamos fazer o quê? Ficar parados? O mosquito-fêmea do Aedes Aegypti se reproduz onde há água parada, para este pouco importa se o líquido está limpo ou sujo. Os chamados criadouros são caixas d'água destampadas, pratinhos de vasos de plantas, garrafas, lixos abertos, enfim uma infinidade de utensílios que esquecidos a céu aberto são ambientes propícios para o mosquito-fêmea colocar os seus ovos, sendo que em uma semana as lavras se tornam adultas e estão preparadas para picar e transmitir a doença. Tosse, febre alta, dor de cabeça, dor nas articulações e ao redor dos olhos e manchas no corpo, deixam a população em alerta porque podem ser os sinais mais comuns de dengue, e o mais recomendado é ir a um posto de saúde. Mas, há maneiras bem simples de evitar a enfermidade, o grande problema é que nem toda a população faz sua parte. O importante é que conscientemente eliminem-se os criadouros e assim diminuam os criadouros e a proliferação dos mosquitos transmissores da dengue.


DENGUE: DOENÇA DANADA!

Anna Gessyka B. Monteiro

A dengue é uma doença viral causada pelo vírus chamado flavivírus e transmitida ao homem pelo mosquito-fêmea Aedes aegypti. A enfermidade é endêmica no Brasil e o crescimento desordenado das cidades, deficiências no abastecimento regular da água e na coleta e no destino adequado do lixo são alguns dos fatores que propiciaram o desenvolvimento e difícil controle da doença. Há suspeita de dengue em casos de doença febril aguda com duração de até sete dias e que se apresente acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas: dor de cabeça, nos olhos, nos músculos, nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo. O ciclo de transmissão da dengue se inicia quando o mosquito-fêmea pica uma pessoa com a dengue. O período necessário para a reprodução do vírus no organismo do mosquito é de 8 a 12 dias. É importante lembrar que para se reproduzir, o vetor Aedes aegypti se utiliza de todo tipo de recipientes que as pessoas costumam utilizar durante o dia-a-dia. Então, é preciso a realização de ações que garantam o controle da dengue e a participação efetiva de cada morador na eliminação de criadouros.


IMAGENS DAS AÇÕES REALIZADAS PELO PROJETO ELIMINANDO CRIADOUROS NO COMBATE À DENGUE.

Anjos da Enfermagem  

Uma coletânea de textos sobre a Dengue.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you