Issuu on Google+

Mundo pet | por Jéssie Panegassi

Cuidados com pets exóticos Bichinhos de estimação como hamsters, coelhos, lagartos, tartarugas e cobras também necessitam de todos os cuidados e merecem atenção dos donos

A

presença de um pet em casa deve remeter à personalidade e estilo de vida dos moradores. Quando se pensa em adotar um animal diferente, é essencial lembrar que muitos deles necessitam de autorização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). “Não se deve esquecer a documentação do

IBAMA na hora de visitar o veterinário”, afirma Angélica Cristina Mizutori, médica veterinária do Pet Hotel Dog Life (SP). Para entender mais sobre cada uma dessas espécies, confira as informações da bióloga Sheila Favela do Pet Center Marginal (SP), e descubra se o bicho dos seus sonhos é realmente perfeito para você.

Lagarto Bastante exótico, esse animal necessita de autorização do IBAMA, muito espaço para viver, e também não pode ser reproduzido em cativeiro doméstico. Ambiente: Como eles podem chegar a quase 2 metros quando adultos, precisam de um terrário grande para que possam se movimentar e exercitar. A umidade e temperatura também devem ser monitoradas com os equipamentos próprios— já que eles não têm controle sobre o calor do próprio corpo o ideal é que sejam mantidas em torno de 26 ou 28 graus. Alimentação: Com o cardápio mais complexo, o lagarto necessita de frutas frescas e alguma fonte de proteína animal. A sugestão são os roedores, que podem ser comprados em lojas especializadas e servidos — de preferência — vivos. Tempo de vida: Pode viver mais de dez anos, mesmo em cativeiro.

90 | viva saúde

mundo pet 102.indd 90

www.revistavivasaude.com.br

13/9/2011 20:09:18


HAMSTER É imprescindível, para evitar doenças, que o local de venda desse animal tenha controle com relação à linhagem e contato com outros bichos. ambiente: É muito importante não deixar que ele fuja, pois, dependendo do caso, pode ser necessário sacrificá-lo para evitar a transmissão de doenças. Logo, a gaiola deve ser “antifuga”, conter bebedouro, substrato e uma rodinha para que ele se exercite. Caso o dono não queira filhotes, deve manter macho e fêmea o tempo todo em gaiolas separadas. alimentação: O roedor deve ser alimentado com ração e uma variação de frutas. Verduras frescas ou desidratadas também devem fazer parte do menu desse pequeno roedor. Tempo de vida: Um hamster vive aproximadamente três anos quando cuidado corretamente.

COLABORAÇÃO: FOTOS: SHUTTERSTOCK

CoELHo É mais comum encontrar coelhos em casas de famílias com filhos pequenos, assim como no caso dos hamsters. ambiente: O mais importante é deixar o coelho longe da umidade. Na hora de dar banho, procure um pet shop especializado e em dias mais tranquilos, pois se estressam facilmente. No caso de um casal de coelhos, a pessoa deve mantê-los em gaiolas separadas para evitar a reprodução. Eles também devem ser soltos todos os dias, com monitoramento, pois podem roer os móveis e com isso causar acidentes. alimentação: Com cardápio simples, esse pet precisa de ração específica, além de frutas — que não podem ser cítricas — e verduras de coloração verde escuras para se manter saudável. Tempo de vida: Cada coelho, quando tratado corretamente, passa em média seis anos na compania do dono.

www.revistavivasaude.com.br

mundo pet 102.indd 91

viva saúde | 91

13/9/2011 20:09:34


CoBra Os cuidados com esse animal são ainda mais complexos, e só pode ser vendido aquele que não é peçonhento. ambiente: Deve viver em um terrário de vidro ou alvenaria, com controle de temperatura e umidade, substrato e uma fonte de água limpa. Precisa tomar sol, ou ser exposta a uma luz que imite os seus efeitos. Também não é recomendado deixá-la solta pela casa, pois passa por espaços muito pequenos, se esconde, e pode dar o bote ou acabar fugindo. alimentação: Sua dieta é com roedores, e a quantidade é determinada pelo tamanho da cobra. Normalmente, em torno de 10% de seu peso, uma única vez por semana. Quando ela está mudando de pele não é recomendado que seja alimentada, devido à grande quantidade de energia que esse processo demanda. Tempo de vida: Depende muito de espécie para espécie, mas o mais comum entre esses répteis é em torno de dez anos.

tartarUga DE aQUÁrIo Os cágados ou tigre-d’água brasileiro são as espécies mais comuns de tartarugas usadas como pets e, assim como o lagarto e a cobra, as tartarugas não podem ser reproduzidas em cativeiro doméstico. ambiente: Devem viver em um aquaterrário com uma lâmpada específica e termostato, pois a água também precisa ficar na temperatura adequada. O tamanho desse espaço também deve ser observado, uma vez que, quando adultas, essas tartarugas podem chegar a 30 centímetros de comprimento. Elas também necessitam tomar sol diariamente e não devem ser deixadas sozinhas nesse período. alimentação: O cardápio é formado por ração à base de peixes e camarões, além de frutas e verduras. Tempo de vida: Se bem cuidada, ela pode viver por mais de 20 anos em cativeiro.

92 | viva saúde

mundo pet 102.indd 92

www.revistavivasaude.com.br

13/9/2011 20:09:51


VivaSaúde_102_Mundo Pet