Page 1

BIBLIOTECA PARQUE - CUIABÁ, MT


Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) Pró-reitoria de Ensino de Graduação Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia. (FAET) Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU)

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - ETAPA 01

CUIABÁ - MT


TEMA: BIBLIOTECA PARQUE

ORIENTANDO: JEFFERSON MARIANO SANDRIN ORIENTADOR: TULA KIRST ROMANI

2016/2


O presente trabalho tem por objetivo geral desenvolver uma proposta arquitetônica para um espaço coletivo contendo um edifício público que irá abrigar uma biblioteca parque na cidade de Cuiabá, Mato Grosso. Por ser um projeto com cunho social, será desenvolvido um espaço cultural que abrigará diversas atividades, visto que o local escolhido encontra-se próximo a áreas com grande aglomeração de pessoas, como por exemplo, a orla do Porto (recentemente revitalizada), o Museu do Rio e o Mercado do Porto.


JUSTIFICATIVA A temática escolhida para o desenvolvimento deste Trabalho Final de Graduação foi a elaboração de um projeto arquitetônico de uma Biblioteca Parque, inspirada nas experiências bem sucedidas da Rede de Bibliotecas Parques da Colômbia, implantadas na cidade de Bogotá e Medellín. Estes edifícios constituem a parcela de um programa de desenvolvimento da cidade que tem por objetivo, a partir da educação e da cultura, estabelecer os recursos necessários para oferecer diversos cenários públicos a fim de promover a inclusão social. O local onde será implantado o projeto carrega consigo uma má fama de local violento e perigoso. Esta má fama foi adquirida nos últimos anos pois o local ja foi alvo de casas de prostituição e tráfico de drogas, ainda que moradores, comerciantes e até mesmo dados da Policia Militar provem o contrário1. Assim como pode ser visto, a transformação social e a recuperação de áreas degradadas e dominadas por traficantes na cidade de Medellín foi reconquistada devido a intervenção no espaço público com a implantação de bibliotecas públicas e atividades culturais. Essas ações criaram locais de igualdade e equidade que provocaram na população a sensação de pertencimento que havia sido suprimida ao longo dos anos devido ao crescente grau de violência encontrado nas ruas.

Moradores rebatem “má fama” e pedem atenção do poder público – Midia News. Disponível em: <http://midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=239973 > Acesso em: 21 de Fev. 2016 1


LOCALIDADE O município escolhido para a realização deste projeto foi a cidade de Cuiabá, capital do Estado de Mato Grosso. Um dos pontos relevantes para a escolha deste município é o fato de que as bibliotecas públicas existentes estão localizadas em espaços pouco aptos a receber atividades além das que já ocorrem no edificio e no seu entorno diariamente. Outra característica das bibliotecas existentes em Cuiabá é que possuem acervos sempre voltados para um público alvo específico e, em alguns casos, desatualizados.

MAPA 01 - LOCALIZAÇÃO DE CUIABÁ FONTE: http://www.luventicus.org/mapaspt/brasil/matogrosso.html (editado)


REGIÃO ESCOLHIDA O região escolhida para a implantação do projeto encontra-se a Oeste do Município de Cuiabá, mais precisamente no Bairro do Porto, localizado às margens do Rio Cuiabá.

LEGENDA REGIÃO OESTE BAIRRO DO PORTO RIO CUIABÁ

MAPA 02 - LOCALIZAÇÃO REGIÃO OESTE FONTE: http://webcarta.net/carta/mapa.php?id=6452&lg=pt (editado)


BAIRRO DO PORTO A escolha do Bairro do Porto ocorreu devido ao fato de que o referido bairro é um dos mais antigos da capital matogrossense, possuindo seu surgimento por volta de 1721, dois anos após a fundação da cidade Bom Jesus de Cuiabá. Atualmente a região ainda guarda construções seculares como o Mercado do Peixe, hoje conhecido como Museu do Rio, além de um conjunto de casarões. O bairro encontra-se atualmente com sua conservação comprometida, mesmo havendo ocorrido a poucos meses a recuperação da Orla do Rio Cuiabá, que revitalizou parte da orla do bairro e inseriu novos equipamentos e áreas de integração social. Esta é uma região privilegiada quanto a quantidade de pontos de onibus, mesmo tendo ruas estreitas e calçadas quase inexistentes e na maioria dos casos, com um Padrão Geometrico Mínimo incapaz de receber uma ou mais linhas de transporte coletivo. Ao redor do terreno escolhido, temos a Rua 13 de Junho e a Av. 8 de Abril como asvias com pontos de onibus mais próximas. As linhas que trafegam pela R. 13 de Junho são: 106, 512, 602, 606 e 704; já na Av. 8 de Abril são: 106, 319, 512, 602, 606 e 704.


LEGENDA REGIÃO REVITALIZADA TERRENO ESCOLHIDO DELIMITAÇÃO - BAIRRO DO PORTO PONTOS DE ONIBUS

MAPA 03 - LOCALIZAÇÃO DO TERRENO FONTE: Google Earth (editado)


TERRENO O terreno escolhido está localizado a menos de uma quadra da margem da orla revitalizada do Rio Cuiabá e do Mercado Municipal, suas ruas perimetrais são: Rua 13 de Junho, Rua Cmte Suídio e a Rua Cmte Balduíno. O lugar possui uma área de aproximadamente 10.800m².

NHO

R. CMTE SUÍDIO

R. 13

DE JU

R. CMTE SUÍDIO

R. 13

DE JU N

HO

A = 10.800m² Aprox.

R. CMTE BALDUÍNO

TO D

OI Av. E AB

UÍNO R. CMTE BALD

RIL

LEGENDA TERRENO MAPA 04 - TERRENO FONTE: Acervo Próprio


OBJETIVOS GERAIS DA PROPOSTA Propõe-se a criação e implantação de um equipamento municipal que não seja apenas um edifício para a expansão do conhecimento e educação, mas sim, um espaço capaz de oferecer diversas atividades de uso cultural e de formação para a comunidade, como instrução cívica, oficinas e cursos gratuitos, difusão de conhecimentos históricos, instalações para os mais diversos fins, como salas de estudos, auditório, galeria de arte, área para exposições, área de leituras interativas para crianças, áreas externas multifuncionais, e toda atividade que incentive a sociabilização e qualificação de pessoas. Em termos arquitetônicos o objetivo é criar um edifício que ofereça possibilidade de contato visual entre os ambientes internos e o externos, possibilitando assim uma maior integração entre estes espaços. Ao criarmos um local que seja, minimamente, conectado com o espaço público, criamos um sentimento de cuidado entre os usuários para com a edificação. Assim, como afirma a autora Jane Jacobs em seu livro “Morte e vida de grandes cidades”, os olhos da rua são as pessoas que, consciente ou inconscientemente, utilizam o espaço público e acabam por exercer uma vigilância natural sobre as atividades que estão acontecendo naquele local. Esse trabalho irá propor, também, a integração entre a biblioteca e o espaço externo que será desenvolvido, além da obra de revitalização do Porto, que engloba o Museu do Rio, por meio de um projeto arquitetônico interligando a biblioteca com o Museu do Rio através do traçado paisagístico.


EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS

PRAÇA CENTRAL

(PROMOVER A INTERAÇÃO SOCIAL E O USO DO LOCAL)

ACESSIBILIDADE

(LOCAL ACESSÍVEL A TODOS)

PISTA DE SKATE

(ESTIMULAR

O USO DA ÁREA E ATRAIR JOVENS)

ÁREAS DE MULTIPLO USO

(ÁREAS DE ESTUDO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL)

PROJETO INTEGRADO COM O ENTORNO

(INTEGRAÇÃO ENTRE ÁREAS ATRAVÉS DO PAISAGISMO)


PÚBLICO ALVO Em primeira instância, pode-se considerar os moradores do Bairro do Porto como os principais usuários da Biblioteca; porém, a implantação de uma Biblioteca Pública com uma boa estrutura de suporte para as atividades irá atingir todo a região e os demais bairros vizinhos, assim como as escolas encontradas nos arredores. O uso do local não será único e exclusivo da população dos bairros mais próximos, visto que temos uma grande quantidade de linhas de transporte coletivo que permitem o acesso ao local, sem contar o público que será atraído pela obra de revitalização da orla do porto ao longos dos anos.


CONCEITO Segundo o autor Antonio Agenor Briquet de Lemos (2008), a palavra “biblioteca” tem origem na forma latinizada do vocábulo grego bibliotheca (de biblion: livro, e theke: compartimento/ estojo), que passou a ser utilizada com este sentido pela língua portuguesa no começo do Séc. XIX, pois antes era usada a palavra livraria, que assim como no inglês library significa biblioteca e não livraria. Hoje em dia a biblioteca não pode ser definida somente como um espaço onde guardam-se livros e materiais impressos, organizados e dispostos para estudo e consultas. Segundo Briquet de Lemos: “Define-se hoje a biblioteca como um acervo de materiais impressos (livros, periódicos, cartazes, mapas etc.), ou não-impressos, como filmes cinematográficos, fotografias, fitas sonoras, discos, microformas, cederrons, devedês, programas de computador etc.), organizados e mantidos para leitura, visualização, estudo e consulta.” (LEMOS, 2008, p. 102).

Deve-se recordar que a biblioteca cumpre o importante papel de não somente guardar, mas sim de suscitar a utilização de seus materiais, os quais devem sanar as necessidades dos usuários além de estar dispostos de forma organizada e eficiente.


EVOLUÇÃO A evolução do conceito da biblioteca pode ser traçada utilizando os diversos manifestos que foram publicados pela UNESCO ao longo dos anos. Inicialmente, a função da biblioteca destaca-se após a segunda Guerra Mundial, por volta de 1949, que passa a caracterizar a biblioteca como um centro de educação popular; o segundo manifesto surge em 1972, que sintetiza como funções da biblioteca: cultura, educação, informação e lazer; e por último surge o terceiro manifesto em 1994, em que foi promulgado o compromisso da biblioteca pública com a democratização do acesso às novas tecnologias de informação no meio tecnológico. Segundo a UNESCO: “A biblioteca pública é o centro local de informação, disponibilizando todos os tipos de conhecimento e informação a seus usuários. Os serviços da biblioteca pública são prestados com base na igualdade de acesso para todos, independentemente da idade, raça, sexo, religião, nacionalidade, língua ou estatuto social.” (IFLA/UNESCO, 1994, Public Library Manifesto).

Entende-se assim que a biblioteca, ao cumprir com eficácia sua função social como centro de cultura e informação, estará atuando de forma correta nas comunidades reduzindo a grande desigualdade ao acesso à informação.

EVOLUÇÃO NO MEIO TECNOLÓGICO O avanço tecnológico afetou o setor bibliotecário a partir da década de 1990, com o aparecimento e a popularização da Internet, que possibilitou a facilidade de conexão entre diferentes computadores, utilizando linhas telefônicas, afirma Briquet de Lemos (2008).


FUNÇÃO Com o objetivo de exercer o papel educacional (e inclusivo, é fundamental que a biblioteca esteja interligada com outras instituições parceiras da comunidade, isto é, escolas, creches, fundações, Organizações Não Governamentais (ONGs), entre outros. Segundo o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas1, devido às mudanças tecnológicas enfrentadas a partir da década de 90’, toda biblioteca pública deve ser: • Agente essencial na promoção e salvaguarda da democracia, através do livre acesso a todo tipo de informação proporcionando, desta forma, matéria de reflexão para a geração do verdadeiro conhecimento; • Instituição de apóio à educação e formação do cidadão em todos os níveis, através da promoção e incentivo à leitura e à formação do leitor crítico e seletivo capaz de usar a informação como instrumento de crescimento pessoal e transformação social; • Centro local de tecnologia da informação, através do acesso às novas tecnologias da informação e da comunicação, familiarizando os cidadãos com o seu uso; • Instituição cultural, através da promoção do acesso à cultura e do fortalecimento da identidade cultural da comunidade local e nacional.

Biblioteca Pública - Principios e Diretrizes. Disponível em: <https://www.bn.gov.br/sites/default/files/documentos/miscelanea/2015/bibliotecapublica_principiosdiretrizes_edicao2.pdf > Acesso em: 21 de Fev. 2016 1


QUANTIDADE E DISPONIBILIDADE DE BIBLIOTECAS MUNDIAL Foram realizados levantamentos de dados quanto a quantidade de bibliotecas existentes mundialmente e o número de habitantes existentes em cada país. As informações encontradas no mapa ao lado (Figura 01) foram parcialmente confirmados pela fonte de pesquisa “Online Computer Library Center, Inc. (OCLC)” que fornece dados referentes ao número de bibliotecas existentes e o total de usuários registrados nas instituições do país. Ao fazer uma breve análise sobre o mapa apresentado, nota-se que a América Latina encontra-se em penúltimo lugar quanto a disponibilidade de bibliotecas em relação a população do continente, ficando na frente apenas do continente africano, que apresenta, na maior parte do seu território, uma biblioteca para cada 100,000 ou mais habitantes. Afirma-se assim que, a falta de bibliotecas no continente africano é uma consequência do baixo índice de educação encontrado em grande parte da extensão do território, chegando até mesmo a índices baixíssimos ou quase nulos.


FIGURA 1 - RELAÇÃO PESSOAS x BIBLIOTECAS FONTE: https://www.reddit.com/r/Libraries/comments/4jtdrm/number_of_people_per_library_map/


NACIONAL Fazendo uma breve análise sobre mapa na folha ao lado (Figura 02), nota-se de forma clara que o Brasil não ocupa uma posição favorável quanto ao número de bibliotecas (sejam elas municipais, distritais, estaduais e federais) em relação aos países vizinhos. Segundo o mapa, o Brasil divide a terceira posição no ranking, junto com países como Bolívia, Colombia, Venezuela, Paraguai, etc. Reflexo do baixo nível de educação e da falta de investimentos nesta área do nosso país. Evidenciando tal fato, temos a noticia do dia 13 de Maio de 2015 no diário Estadão, “SÃO PAULO - O Brasil ficou na 60.ª posição no ranking mundial de educação, divulgado nesta quarta-feira, 13, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Foram avaliados 76 países - um terço das nações do mundo - por meio do desempenho de alunos de 15 anos em testes de Ciências e Matemática.” (PALHARES, Isabella).


FIGURA 2 - ÍNDICE DE EDUCAÇÃO (2007) FONTE: https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3737676/


REGIONAL Através das informações fornecidas pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNPB), órgão subordinado diretamente à Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que por sua vez é vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), descobriu-se que existem atualmente, no Brasil, um total de 6.102 bibliotecas públicas distribuídas nos 26 Estados e Distrito Federal que compõem a nossa federação. Infelizmente as bibliotecas encontradas em nosso país não estão distribuídas de forma igualitária. No Sudeste encontra a maior quantidade de bibliotecas sendo no total 1.958 instituições, no Nordeste há 1.847, no Sul 1.293, no Norte 503 e no Centro-Oeste 501, sendo esta a região mais desfavorecida.

GRÁFICO 01 - % DE BIBLIOTECAS POR REGIÃO FONTE: Acervo Próprio


MUNICIPAL Atualmente o Município de Cuiabá conta com quatro (04) bibliotecas: • Biblioteca Central da Universidade Federal de Mato Grosso - acervo: 201.000 exemplares.* • Biblioteca Pública Municipal Manoel Cavalcante Proença acervo: 17.000 exemplares.* • Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça - acervo: 100.000 exemplares.* • Biblioteca Saber com Sabor - acervo: 75.000 exemplares (sendo a maioria doações).* * O numero de exemplares foi levantado de acordo com informações provenientes dos bibliotecários.


NECESSIDADES SEGUNDO A POPULAÇÃO Com base no artigo cientifico “Libraries 2016” elaborado pelos pesquisadores John B. Horrigan (Pesquisador Sênior) e Lee Rainie (Pesquisador Diretor de Internet, Ciência e Tecnologia), membros do centro de pesquisa “Pew Research Center - Numbers, Facts, and Trends shaping the World”, que objetivouz analisar as necessidades da população americana quanto ao serviços que a biblioteca oferece hoje em dia e quais seriam as possíveis necessidades que a população enfrentaria futuramente, nota-se que a busca por visitas em bibliotecas públicas tem se estabilizado durante o ano de 2016. Porém, segundo o levantamento de dados, ainda há uma grande expectativa pela população americana, sobre quais serviços e atividades poderiam alavancar uma nova utilização do espaço. A população ainda vê a biblioteca como um ponto muito importante para a integração de sua comunidade, visto que é um local que possui informações confiáveis e oferece um espaço de qualidade. Para eles a “nova” biblioteca deveria oferecer serviços como: DEFINITIVAMENTE Oferecer cursos educacionais para a população, incluindo crianças e idosos, a utilizar ferramentas digitais. Ex: computadores, smartphones e aplicativos

Oferecer espaços confortáveis para atividades como leitura, pesquisa e trabalhos

Adquirir impressoras 3D e ferramentas digitais afim de permitir que a população aprenda a utiliza-los

Realocar livros e impressões em outros locais, para liberar espaço para novas salas de leitura/estudo, salas de reuniões e eventos culturais

GRÁFICO 02 - INVESTIMENTOS À SEREM REALIZADOS FONTE: Survey conducted March 7-April 4, 2016. “Libraries” -PEW RESEARCH CENTER

TALVEZ


Para os americanos somente as mudanças tecnológicas e em infraestrutura não seriam suficientes para provocar a “desestabilização” da estagnação das visitas à biblioteca que vem acontecendo ao longo dos anos. Para a população o investimento em tecnologias somado a atividades capazes de promover a inclusão social e estimular a criatividade, assim como a busca por informações que sejam provenientes de fontes confiáveis seria o grande motivo que levaria as pessoas a irem com mais frequência às bibliotecas. Segundo a pesquisa as seguintes atividades seriam as responsáveis para aumentar o numero de visitas: GRANDE AJUDA

Proporcionar um espaço seguro

Criar oportunidades educacionais para usuários de todas as idades Estimular a criatividade nos jovens Proporcionar um lugar seguro para o aprendizado de novas tecnologias Promover a interação Social entre grupos Ajudar na busca de informações verdadeiras Ajudar pessoas a encontrarem informações sobre saúde Servir como local de encontro para debates sobre temas sociais Ajudar pessoas a encontrarem emprego ou formação profissional Servir como local de apoio para desastres naturais GRÁFICO 03 - ATIVIDADES À SEREM OFERECIDAS FONTE: Survey conducted March 7-April 4, 2016. “Libraries” -PEW RESEARCH CENTER

POUCA


O artigo leva em conta as atividades mais desenvolvidas dentro da biblioteca, assim como sua utilização quanto a espaço e serviços que oferece. Segundo a pesquisa o recurso mais utilizado é o acesso a internet, sendo utilizada para as seguintes atividades: Pesquisas Academicas

Uso do email para enviar textos

2015

Buscas online sobre saúde

Acesso a videoaulas e cursos online

2016

GRÁFICO 04 - USO DE INTERNET NO LOCAL FONTE: Survey conducted March 7-April 4, 2016. “Libraries” -PEW RESEARCH CENTER

Constatou-se também uma diminuição do número de acessos à sites das instituições bibliotecárias se levado em conta o período entre o ano de 2015 e 2016, o que mostra a perda de interesse pela população na utilização do material online acessível.

Buscas no catálogo: Livros, Audiobooks, e-books, CDs e DVDs

Reservas Online: Livros, Audiobooks, e-books, CDs e DVDs

Pesquisas Academicas

2015

Renovação de Livros, CDs e DVDs

2016

GRÁFICO 05 - ATIVIDADES NO WEBSITE DAS INSTITUIÇÕES BIBLIOTECÁRIAS FONTE: Survey conducted March 7-April 4, 2016. “Libraries” -PEW RESEARCH CENTER

Uso da Base de dados Online

Buscas por reviews e recomendações academicas


Por fim, o artigo analisou a reação da população quanto ao impacto causado caso a instituição fechasse ou deixasse de existir naqueles locais. GRANDE IMPACTO

PEQUENO

NÃO AFETARIA

NA COMUNIDADE NAS FAMILIAS

GRÁFICO 06 - IMPACTO CAUSADO FONTE: Survey conducted March 7-April 4, 2016. “Libraries” -PEW RESEARCH CENTER

Conclui-se assim que, para grande parte da população americana, a biblioteca é de suma importância para a comunidade onde está instalada, pois é um centro de aglomeração de conhecimentos e atividades educacionais e sociais. No entanto o uso do espaço tem sofrido uma grande diminuição, pois está sendo visto como um espaço ultrapassado tecnologicamente e por não possuir atividades que sejam atrativas para a população mais jovem.


Este tópico tem por objetivo reunir obras arquitetônicas tomadas como referência para a elaboração deste projeto. O arranjo dos pontos fortes e fracos de cada uma destas obras produzirá uma síntese com características fundamentais para o desenvolvimento da Biblioteca Parque que se propõe neste trabalho: a produção de um edifico público como elemento de transformação social, que possua um programa de necessidades adequado às demandas de funcionalidade, inovações tecnológicas e necessidade da população.


PARQUE BIBLIOTECA ESPANHA INFORMAÇÃO GERAL Localização: Medellín, Colombia Arquiteto (a): Giancarlo Mazzanti Área: 5,500 m² Ano do Projeto: 2005-2006

IMAGEM 1 e 2 - BIBLIOTECA ESPANHA FONTE: ArchDaily

O parque Biblioteca Espanha é uma das obras que constitui o conjunto de intervenções que foi desenvolvido para a cidade de Medellín e por conseguinte é uma das referencias mundiais no tema de transformação urbana e social. Localizada no bairro Santo Domingo, considerado o bairro mais perigoso de Medellín na época em que a cidade era refém do narcotráfico. Este edifício se tornou um ícone quanto às mudanças provocadas na cidade. Foi concebido para ser um espaço destinado aos habitantes do bairro, porém tornou-se um grande ponto turístico. Obra de Giancarlo Mazzanti, ganhador do prêmio da VI Bienal Iberoamericana de Arquitetura realizado em Portugal, a Biblioteca foi concluída em 2007. O conjunto, composto por três edifícios, está localizado no alto do morro do bairro, o que torna-o um ponto de referencia, e acaba chamando a atenção pela sua altura, além de suas formas ortogonais assimétricas e cores escuras.


CARACTERÍSTICAS O complexo foi dividido em três blocos verticais que, mesmo estando interligados, funcionam de forma independente. Estes grandes blocos acomodam a Biblioteca, o auditório e o complexo cultural, que são representados pelas cores verde, amarelo e vermelho respectivamente, aplicadas em painéis de acrílico dispostos nas entradas de cada edifício indicando a função (imagem 02). Os edifícios estão interligados por meio de uma plataforma, que abriga um mirante, e a “praça” que dá acesso aos blocos. No edifício central encontra-se a biblioteca com salas de leitura, informática e espaço para eventos. No bloco menos robusto dos dois restantes (a direita da imagem) está o auditório com capacidade para 179 pessoas e uma cafeteria; já o bloco a esquerda da imagem é composto pelo setor administrativo, escritórios, salas multiuso e espaço para eventos, este bloco é responsável pelas atividades como cursos de capacitação, apoio a moradores do bairro, entre outros.

IMAGEM 3 - SETORIZAÇÃO FONTE: Voshart

A ESCOLHA PELA OBRA SE DEU, EM PRIMEIRA INSTANCIA, DEVIDO AO FATO DO EDIFÍCIO TER SIDO PROJETADO COM O OBJETIVO DE COMBATER OS PROBLEMAS SOCIAIS ENCONTRADOS NA CIDADE DE MEDELLIN; E EM SEGUNDO LUGAR PARA TORNAR MAIS CLARO O CONCEITO DA BIBLIOTECA PARQUE ATRAVÉS DO PROGRAMA DE NECESSIDADES QUE A OBRA POSSUI E DO IMPACTO QUE CAUSOU NOS MORADORES DA CIDADE, EVIDENCIANDO A FORMA PELA QUAL A POPULAÇÃO SE APROPRIOU DO LOCAL.


BIBLIOTECA DE SÃO PAULO INFORMAÇÃO GERAL Localização: São Paulo, Brasil Arquiteto (a): Aflalo / Gasperini Arquitetos Área: 4.527 m² Ano do Projeto: 2010

IMAGEM 4 - BIBLIOTECA DE SÃO PAULO FONTE: ArchDaily

A biblioteca de São Paulo está localizada dentro do parque Jardim da Juventude, antigo espaço que abrigava o complexo penitenciário de São Paulo, popularmente conhecido como Carandiru. Atualmente o espaço foi readequado para abrigar um complexo esportivo e cultural, dividido em três porções: Parque Esportivo, Parque Central e Parque Institucional onde se encontra a biblioteca e as escolas técnicas (antigos pavilhões do Carandiru que foram reestruturados para as novas funções). O projeto do Parque da Juventude foi desenvolvido por pelo escritório Aflalo & Gasperini Arquitetos e Rosa Grena Kliass Arquitetura Paisagismo e foi selecionado por meio de um concurso realizado pelo estado de São Paulo. Além de ser o ganhador do concurso, a obra foi considerada como um dos melhores espaços públicos criados no Brasil, de acordo com CALLIARI (2014).


O edifício que abriga a biblioteca foi desenvolvido inicialmente para ser um pavilhão de exposição, porém não foram grandes as mudanças necessárias para a adaptação do espaço para receber a biblioteca. CARACTERÍSTICAS O edifício possui dois pavimentos: térreo e primeiro andar. No térreo estão localizadas a recepção e entrada, estantes de livros, módulos de leituras, um auditório, uma cafeteria e uma espécie de “terraço” coberto por malhas tensionadas que serve como local para apresentações e área de vivencia. No primeiro pavimento estão localizadas as áreas de leitura para adultos e um terraço coberto por pergolados de madeira. A conexão entre os dois pavimentos se da tanto visualmente como fisicamente através de um pé direito duplo que os conecta. Ambos pavimentos possuem planta livre com layout flexível, além de contarem com aberturas nas fachadas para promover a integração da área externa - composta pelo parque - e a área interna da biblioteca.

IMAGEM 5 - BIBLIOTECA DE SÃO PAULO FONTE: ArchDaily

A ESCOLHA SE DEU PORQUE A OBRA DEMONSTRA SER UM ÍCONE NO QUE DIZ RESPEITO A ESPAÇOS PÚBLICOS QUE TENHAM POR OBJETIVO A DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO CULTURAL COMO FORMA DE REDUZIR A DESIGUALDADE SOCIAL. PONTO IMPORTANTE A SER DESTACADO É A FORMA PELA QUAL A BIBLIOTECA SE RELACIONA COM O SEU ENTORNO, POR NÃO POSSUIR PAREDES “CEGAS” O EDIFICIO PARECE ESTAR CONSTANTEMENTE ABERTO E INTERLIGADO COM O COMPLEXO QUE O RODEIA.


BIBLIOTECA CENTRAL DE SEATTLE INFORMAÇÃO GERAL Localização: Seattle, Estados Unidos Arquiteto (a): Rem Koolhaas Área: 38.300 m² Ano do Projeto: 2004

IMAGEM 6 - BIBLIOTECA DE SEATLE FONTE: ArchDaily

A biblioteca central de Seattle se destaca principalmente por seu design contemporâneo e pela sua forma de organização e armazenamento de informações que acabam por influenciar diretamente no seu programa de necessidades. Esta biblioteca é de suma importância pro trabalho, pois o arquiteto foi capaz de projetar um espaço que fosse capaz de abrigar as mais diversas atividades, desde locais mais reservados pra o estudo individual até espaços multifuncionais flexíveis e dinâmicos. A biblioteca Central de Seattle é um projeto do arquiteto Tem Koolhaas. O edifício de 11 pavimentos ocupa uma quadra inteira no centro da cidade, resultando em 34.000m² de área construída, aproximadamente.


O sistema construtivo adotado para a realização do projeto foi do tipo misto, sendo as lajes de concreto sustentadas por pilares do mesmo material; já a casca que reveste o edifício é composta por metal e vidro, o que o tornam atrativo e monumental. PROGRAMA DE NECESSIDADES O programa de necessidades foi dividido de acordo com a função, sendo assim, os 11 pavimentos foram distribuídos em 5 plataformas: Administração, Acervo Físico, Informações, Espaço Público e Estacionamento. A ligação entre as plataformas se dá através de pavimentos de transição onde se encontram também os espaços destinados à atividades como área de estudo e de socialização.

IMAGEM 7 - CORTE ESQUEMÁTICO FONTE: ArchDaily


Administração (Head Quarters - HQ): composta por 2 pavimentos que abrigam escritórioios, salas de reunião, e um acervo restrito contendo materiais do governo. Está localizada na parte superior da edificação Acervo (Spiral): Composto por quatro pavimentos levemente inclinados em formas de rampas, é onde se encontram as estantes de livros. Esta tipologia de pavimento foi adotada para que não houvesse uma descontinuidade na organização dos livros.

IMAGEM 08 - CIRCULAÇÃO NO ACERVO FONTE: ArchDaily

Informações (Staff e Mixing Chamber): Composta por 02 pavimentos. No primeiro estão localizadas as salas de reunião e os laboratórios de computadores, e no segundo, denominado “Mixing Chamber” pelo autor, estão localizados os balcões de informações, bancadas para computadores e áreas de leitura. Espaço Público (Living Room e Kids): Onde se localizam as entradas que dão acesso ao edifício. O edifício possui duas entradas em desnível, o que permitiu a criação de dois espaços públicos diferentes. Estacionamento (Parking) Está localizado no subsolo da edificação e possui a entrada na rua Spring.

ESTA OBRA FOI ESCOLHIDA POR SER UMA OBRA QUE CONSEGUIU REUNIR AS TENDÊNCIAS DE DESIGN DAS BIBLIOTECAS ESPALHADAS PELO MUNDO, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO O AVANÇO TECNOLÓGICO E AS NOVAS TENDÊNCIAS ARQUITETÔNICAS QUE TÊM TRANSFORMADO A IMAGEM DAS BIBLIOTECAS.


BORD GÁIS ENERGY THEATRE INFORMAÇÃO GERAL Localização: Dublin, Irlanda Arquiteto (a): Daniel Libeskind Capacidade: 2.111 Ano de abertura: 18.03.2010

IMAGEM 09 - VISTA AÉREA TEATRO BORD GÁIS FONTE: http://www.e-architect.co.uk/dublin/grand-canal-square

O TEATRO BORD GÁIS ENERGY, DIFERENTE DE TODAS AS OUTRAS OBRAS APRESENTADAS ANTERIORMENTE, FOI ESCOLHIDO NÃO PELO SEU PROGRAMA DE NECESSIDADES OU PELA SUA CAPACIDADE, MAS SIM PELA FORMA QUE FOI INSERIDO NO GRAND CANAL SQUARE. O TEATRO APRESENTA UMA PAGINAÇÃO DE PISO EXTERNA QUE NÃO SE LIMITA APENAS A SUA QUADRA, A

PAGINAÇÃO TRANSCENDE PARA AS CALÇADAS DO ENTRONO DO TERRENO, CRIANDO ASSIM UMA “LIGAÇÃO” COM

TUDO QUE O RODEIA, E INCONSCIENTEMENTE PROVOCA A SENSAÇÃO DE PERTENCIMENTO AO LOCAL, SEM MESMO ESTAR PISANDO A QUADRA DO TEATRO.


MEDIA LIBRARY [THIRD-PLACE] INFORMAÇÃO GERAL Localização: Thionville, França Arquiteto (a): Dominique Coulon & Associés Área : 4590m² Ano: 2016

IMAGEM 10 - FACHADA MEDIA LIBRARY FONTE: Dominique Coulon & Associés

A INTENÇÃO DE MOSTRAR A NOVA BIBLIOTECA DA CIDADE DE THIOVILLE NA FRANÇA É A DE ENTENDER

ATRAVÉS DAS SEGUINTES IMAGENS COMO OS ARQUITETOS E COLABORADORES DO ESCRITÓRIO DOMINIQUE COULON

& ASSOCIÉS CONSEGUIRAM PROJETAR UM LOCAL DE ESTUDO E EXPANSÃO DO CONHECIMENTO QUE AO MESMO TEMPO CUMPRE A FUNÇÃO SOCIAL DE UM LOCAL AGRADÁVEL E CONVIDATIVO PARA A PERMANÊNCIA DOS USUÁRIOS . VALE A PENA DESTACAR NESTE PROJETO A INTENÇÃO DOS MATERIAIS E ABERTURAS QUE FORAM

ADOTADAS. QUANTO AOS MATERIAIS, O MAIS CURIOSO FOI O USO DE GRAMA SINTÉTICA USADA NOS AMBIENTES INTERNOS DO EDIFÍCIO, QUEBRANDO ASSIM A BARREIRA ENTRE O EXTERNO E O INTERNO. QUANTO AS ABERTURAS, NOTA-SE QUE AS JANELAS VOLTADAS PARA A RUA SÃO A NÍVEL DO SOLO OU ACIMA DAS ALTURAS CONVENCIONAIS, FUGINDO ASSIM DO CAMPO DE VISTA DO USUÁRIO.


Nesta etapa serão abordadas as condicionantes que irão delimitar e guiar o andamento do projeto ao longo de sua elaboração, assim como o partido arquitetônico, pré-dimensionamento, evolução da forma e uma breve setorização das áreas que irão ocupar o edifício.


CONDICIONANTES FÍSICAS E NATURAIS O terreno escolhido não possui uma topografia acentuada nem irregular, ainda que esteja localizado próximo ao Córrego 8 de Abril e ao Rio Cuiabá. Através da imagem capturada com a ferramenta do Google Maps, é possível ver que o terreno não apresenta grandes declividades, apresentando somente um desnível de 0,6m aprox. em sua parte mais estreita.

15 14 TE. . CM

DIO

SUÍ

R

3D

E JU

12

NH

R.

R. 1

CM TE .B

AL

DU

ÍN O

13

O

IMAGEM 10 - VISTA AÉREA TERRENO ESCOLHIDO FONTE: Google Maps (Editado)

Pode-se observar também a atual situação que o terreno de encontra através das fotos registadas no mês de Fevereiro de 2017.


IMAGEM 11 - VISTA PERSPECTIVADA TERRENO FONTE: Google Maps

Atualmente o terreno não conta com vegetação existente, e possui áreas com cobertura asfáltica pois o local era utilizado como área de prática de manobras de autoescolas. Em termos visuais o local não é nada atrativo.

12

13

14

15

IMAGEM 12, 13, 14 e 15 - VISTA TERRENO ESCOLHIDO FONTE: Acervo Próprio


O local não possui tráfego intenso de veículos nos arredores mesmo estando inserido próximo a via estrutural (R. Cmte Balduíno) e principal (Av. Oito de Abril - Córrego), sendo assim possui um ambiente livre de ruído.

LEGENDA VIAS ESTRUTURAIS VIAS PRINCIPAIS VIAS LOCAIS ESTUDO 02 - HIERARQUIA VIÁRIA FONTE: Perfil Socioeconômico de Cuiabá - Vol. V

O terreno se caracteriza como um vazio urbano, uma vez que apenas uma porção dele encontra-se ocupada. As ocupações no terreno são predominantemente residenciais, exceto por um bar ao Sul da quadra. Em seu entorno imediato, é possível identificar o uso residencial e comercial, pois é uma área portuária e ainda há comércios localizados no local, como por exemplo, mercados de peixe e frutas, mercearias, borracharias, comercio por atacado, entre outros.


LEGENDA RESIDENCIAL COMERCIAL INSTITUCIONAL ESTUDO 01 - USO E OCUPAÇÃO DO SOLO (VISTA AMPLIADA) FONTE: Acervo Próprio

ESTUDO 01.1 - USO E OCUPAÇÃO DO SOLO FONTE: Acervo Próprio

ÁREA VERDE


De acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger, a cidade de Cuiabá possui um clima tropical com grandes variações pluviais durante o ano. Devido ao clima quente durante a maior parte do ano, a insolação direta deve ser evitada em locais com grandes aberturas, e a pior orientação solar para a cidade é Noroeste, pois é onde há maior incidência solar e é o sol vespertino. Os ventos que predominam no município são os ventos de Noroeste. A região é favorecida por não possuir edifícios nem construções com mais de 3 pavimentos, não ocorrendo o desvio dos ventos por barreiras físicas.

LEGENDA 1 A 3m DE ALTURA 3 A 5m DE ALTURA 5 A 8m DE ALTURA ESTUDO 03 - MAPA DE GABARITO FONTE: Acervo Próprio


ESTUDO 04 - VENTILAÇÃO, INSOLAÇÃO E TOPOGRAFIA FONTE: Acervo Próprio

LEGENDA

VENTOS PREDOMINANTES

DESNÍVEL DA TOPOGRAFIA (0,6m aprox.)


CONDICIONANTES LEGAIS O macrozoneamento definido pelo Plano Diretor de Cuiabá, divide o Município em 4 Regiões, Região Norte, Sul, Leste e Oeste. O terreno escolhido está localizado na Região Oeste do Município, no Bairro do Porto. O Bairro do Porto possui ao menos três Zonas definidas pela Lei Complementar Nº 389 de 03 de Novembro de 2015 que disciplina o Uso e Ocupação do Solo do Município de Cuiabá. O terreno pertence à Zona Central (ZC) da cidade, porém por estar em um dos primeiros bairros que surgiu na cidade de Cuiabá, e por este local contar com diversas construções históricas, esta região é determinada pelo parágrafo II do artigo 29 da subseção IV da Lei Complementar Nº 389/2015 como uma Zona de Interesse Histórico 2 (ZIH 2). Segundo a lei: Subseção IV Da Zona de Interesse Histórico – ZIH Art. 29 A Zona de Interesse Histórico – ZIH subdivide-se em: I – Zona de Interesse Histórico 1 – ZIH 1: constituída pelo conjunto arquitetônico urbanístico e paisagístico e sua área de entorno tombados pela União; II – Zona de Interesse Histórico 2 – ZIH 2: constituída pelo núcleo histórico do bairro do Porto.


A partir da analise da Lei Complementar Nº 389/2015 foram observadas algumas condicionantes legais para a execução do projeto. Dentre elas os índices urbanísticos que irão apontar os coeficientes de ocupação, cobertura vegetal do solo, permeabilidade, potenciais construtivos e gabarito dispostos na Tabela 01 .

TABELA 01 - ÍNDICES URBANISTICOS FONTE: Lei Complementar Nº 389/2015


Quanto a exigência de vagas de estacionamento para atividades ou empreendimentos o artigo 169 da Lei Complementar Nº 389/2015 diz que para serviços como Centros de eventos, convenções, feiras e exposições será necessária uma vaga para cada 30m² de área construída, assim como mostra a Tabela 02.

TABELA 02 - VAGAS DE ESTACIONAMENTO FONTE: Lei Complementar Nº 389/2015


PARTIDO ARQUITETÔNICO Desde o principio os pontos importantes a serem destacados no projeto são: Quanto a divisão do edifício • • •

Subsolo: Estacionamento no subsolo Térreo: Áreas de convivência, locais para comercio, Praça Central, Pista de Skate (atração para jovens) Pavimentos: Biblioteca, terraço verde

Quanto a divisão interna do edifício • •

Pouca divisão entre os ambientes internos Ambientes integrados, sem barreiras visuais

Quanto aos materiais • Contraste entre materiais em sua bruta e materiais com acabamentos refinados • Áreas internas com grama sintética provocando a integração do externo com o interno


PRÉ-DIMENSIONAMENTO RECEPÇÃO USUÁRIOS

EQUIPAMENTOS

POP. FIXA

POP. VARIÁVEL

ÁREA APROX.

Funcionários + público em geral

Bancadas / Cadeiras / Poltronas / Banners / Sofás

4

100

300

Local de Orientação e auxilio Balcão de atendimento Funcionários + prestado aos usuários que procuram / Cadeiras / Mesas Setor de Referencia Publico que necessite por materiais que atendem as suas p. Consultas / de orinetações necessidades Computadores

4

150

Balcão de atendimento / Cadeiras / Computadores

3

50

30

Armários (Lockers) / Funcionário + Publico Balcão de atendimento / Visitante Bancadas / Computador

1

5

60

TOTAL

390

ESPAÇO

DESCRIÇÃO

Saguão de acesso ao edifício, Recepção central articulador dos demais espaços com ambinete de estar

Setor de empréstimo

Local de retirada / devolução de materiais

Guarda Volumes

Espaço paga guarda de mochilas, bolsas, pertences, etc. Visando a segurança do acervo

Funcionário + Publico Visitante


ACERVO ESPAÇO

DESCRIÇÃO

USUÁRIOS

EQUIPAMENTOS

POP. FIXA

POP. VARIÁVEL

ÁREA APROX.

Acervo Geral

Setor contendo o acervo geral da biblioteca. Obras de interesse geral disponíveis para consulta e empréstimo

Todos os usuários

Estantes, mesas, cadeiras e sofás

2

180

700

Sala para impressão e cópias

Sala anexa ao acervo geral, destinada a impressão e cópia de documentos

Todos os usuários

Bancadas, mesas, computadores, máquinas de cópia, impressoras

1

3

50

Mutimídias

Sala destinada a colocação de equipamentos didáticos com funções multimídias

Todos os usuários

Nichos com computadores e TV’s Touchscreen

-

20

200

Sala destinada a colocação de Nichos com Todos os usuários, equipamentos didáticos com funções computadores e TV’s com foco em crianças multimídias Touchscreen

-

10

100

Gibiteca Digital Setor de Periódicos e Atualidades

Espaço com títulos nacionais e internacionais de periódicos cientificos e revistas informativas

Todos os usuários

Estantes, mesas, cadeiras e sofás

1

20

50

Área de pesquisas

Salas destinadas ao público com interesse em realizar pesquisas online

Todos os usuários

Computadores, bancadas e mesas

2

10

100

Sala de Leitura (Aquários)

Salas destinadas ao público com interesse em realizar leitura em um ambiente mais confortável

Todos os usuários

Sofás, puffs e poltronas

-

20

150

Sala de Estudo

Salas destinadas ao público com interesse em estudar em um ambinete mais privativo

Todos os usuários

Mesas e cadeiras

-

30

180

Sala de vídeo

Sala destinadas ao público com interesse em projetar slides ou filmes para um grupo

Todos os usuários

Mesas e cadeiras

-

20

60

TOTAL

1590


Todos os usuários

Todos os usuários

Todos os usuários

Todos os usuários

Todos os usuários

Todos os usuários

Local para refeições rápidas e encontros

Comercio de livros e revistas

Espaço destinado a palestras, apresentações, exibições, etc.

Espaço lúdico com recantos destinados ao descanso, leitura e conversação

Setor dedicado a promover e a divulgar a produção intelectual, literária e artística de âmbito internacional. Esse recorte do acervo é voltado para estrangeiros, estudantes, interessados em geral que podem contar com um espaço para disseminação de sua cultura.

Setor destinado a exposição de artes

Sala destinada a realização de oficinas e atividades relacionadas á cultural, arte, estudos, etc.

Sanitários

Café (Café Literário)

Livraria

Auditório

Espaço do ócio

Espaço cultural

Área para exposições

Oficinas / Labortórios

Sanitários

Todos os usuários

Todos os usuários

Todos os usuários

Comercio local / diverso

Loja

USUÁRIOS

5

2

-

Mesas, cadeiras, balcão, computador, sofás, equipamentos de cozinha, etc. Expositores, vitrines, bancadas, mesas, balcão, computador, obejtos, etc Palco, poltronas, caixas de som, equipamentos, etc

-

-

Louças sanitárias e equipamnetos de higiene em geral

-

expositores, vitrines, bancadas, mesas, balcão,e obejtos mesas, cadeiras e computador

-

Sofás, puffs, tapetes, caixas de som, poltronas, mesas

-

2 ou 3

Expositores, vitrines, bancadas, mesas, balcão, computador, obejtos, etc

Sofás, puffs, tapetes, etc

POP. FIXA

EQUIPAMENTOS

ESPAÇO PARA O PÚBLICO

DESCRIÇÃO

ESPAÇO

80

1530

TOTAL

200

300

150

400

200

100

100

ÁREA APROX.

-

30

-

50

30

200

20

40

10

POP. VARIÁVEL


Funcionários

Diretor/a Almoxarife

Funcionários

Ambiente abrigando o setor de comunicação, rescursos humanos, assessoria de imprensa, setor financeiro e publicidade e propaganda

Sala do diretor da biblioteca

Armazenamento de madetriais de uso interno

Setor destinado a realização de atividades como: catalogação, classificação, indexação dos materiais da biblioteca

Triagem onde será armazenado os livros a serem catalogados e classificados

Sala de adminstração

Sala da Direção

Almoxarifado

Setor de processamento técnico

Depósito de Processamento técnico

Sanitários

Sanitários

Sala de Reuniões Sala para reuniões da administração Local de preparo e aquecimento de Cozinha / Copa alimentos Refeitório Local para refeições

Funcionários + Visitantes

Assuntos administrativos focado no público

Secretaria

Funcionários

Funcionários

Funcionários

Funcionários

Funcionários

Funcionários + Visitantes

Recepção por atendimento da administração ou diretoria

Sala de recepção / Estar

USUÁRIOS

DESCRIÇÃO

ESPAÇO

Louças sanitárias e equipamnetos de higiene em geral

Mesa e cadeiras Bancada, equipamentos de cozinha e geladeira Mesas, cadeiras e sofás

Prateleiras e armários

Bancada, mesa, cadeira, computador e prateleiras

-

-

-

-

-

2

1

1

mesa, cadeiras, computador, sofá mesa, cadeira e computador

22

1

1

POP. FIXA

mesas, cadeiras e computadores

sofás, balcão e poltronas

Sofás, balcão e poltronas

EQUIPAMENTOS

ADMINISTRAÇÃO

80

655

TOTAL

200

50

60

15

50

50

30

60

10

50

ÁREA APROX.

-

30

-

-

-

-

-

-

-

3

4

POP. VARIÁVEL


Subestação transformadora

Medidores de energia

Tanques de gás e medidores

Geradores

Subestação

Medidores

Abrigo de Gás P45

Abrigo de Geradores

Deposito de lixo

Reservatórios de água para consumo (40.000 L) e Incendio ( 20.000 L) Lixos em geral

Central de ar-condicionado

Sala de Máquinas

Reservatórios

DESCRIÇÃO

ESPAÇO

Acesso eventual de Tanques de gás 45KG técnicos

Funcionários

Acesso eventual de técnicos

-

-

-

-

TOTAL

-

-

-

-

-

-

POP. VARIÁVEL

Vagas de Estaconamento: 4.400 / 30 = 147 Aprox.

20 220

100

40

10

50

100

ÁREA APROX.

Total Geral: 4.400m² Aprox.

Carrinhos de lixo

Reservatórios e bombas

Gerador Trifásico

-

Quadro de medidores

Acesso eventual de técnicos

Acesso eventual de técnicos

-

Trnasformadores

Acesso eventual de técnicos

-

Condensadoras, Chillers, Fancoils

Acesso eventual de técnicos

POP. FIXA

EQUIPAMENTOS

USUÁRIOS

ÁREA TÉCNICA


EVOLUÇÃO DA FORMA Vide Folhas em Anexo

SETORIZAÇÃO Vide Folhas em Anexo


BIBLIOGRAFIA Livro - Morte e Vida de Grandes Cidades - 3ª Ed. 2011 - Saraiva Global Library Statistics, Quantifying the entire library universe. Disponível em: < https:// www.oclc.org/global-library-statistics.en.html >. Acesso em: 18 de Nov. 2016. Dados das Bibliotecas Públicas no Brasil, Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. Disponível em: < http://snbp.culturadigital.br/informacao/dados-das-bibliotecas-publicas/ >. Acesso em: 12 de Nov. 2016 Histórico, Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas. Disponível em: < http:// snbp.culturadigital.br/historico/ >. Acesso em: 12 de Nov. 2016. HORRIGAN, John B. Libraries 2016 - Pew Research Center, September 2016. Disponível em: < http://www.pewinternet.org/2016/09/09/2016/Libraries-2016/ > Acesso em: 01 de Dez. 2016. Number of people per library, Reddit. Disponível em: < https://www.reddit. com/r/Libraries/ comments/4jtdrm/number_of_people_per_library_map/ >. Acesso em: 05 de Dez. 2016. REID, Ian. FEATURE | The 2015 Public Library Data Service Statistical Report: Characteristics & Trends, 22 de Junho de 2016. Disponível em: < http:// publiclibrariesonline.org/2016/06/featurethe-2015-public-library-data-service-statistical- report-characteristics-trends/ >. Acesso em: 8 de Dez. 2016. Mato Grosso - Cuiabá, IBGE. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/ perfil.php? codmun=510340 >. Acesso em: 13 de Dez. 2016. PALHARES, Isabella. Brasil é o 60º colocado em ranking mundial de educação, 13 de Maio de 2015. Disponível em: < http://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-e-o-60- colocado-em-ranking-mundial-de-educacao,1686720 >. Acesso em: 17 de Dez. 2016.


LEMOS, Antônio A. B. de. Bibliotecas. In: CAMPELLO, Bernadete S.; CALDEIRA, Paula da T. (Org.). Introdução às fontes de informação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008, p. 101-119. Biblioteca Pública Municipal Manoel Cavalcante Proença, SNBP. Disponível em: < http:// bibliotecas.cultura.gov.br/espaco/1440/ >. Acesso em: 20 de Dez. 2016. Parque Biblioteca Espanha, ArchDaily. Disponível em: < http://www.archdaily. com/2565/ espana-library-giancarlo-mazzanti >. Acesso em: 21 de Dez. 2016. Biblioteca Espana, Voshart. Disponível em: < http://www.voshart.com/BIBLIOTECA-ESPANA >. Acesso em: 21 de Dez. 2016. Biblioteca de São Paulo, ArchDaily. Disponível em: < http://www.archdaily.com. br/br/ 01-38052/biblioteca-sao-paulo-aflalo-e-gasperini-arquitetos >. Acesso em: 21 de Dez. 2016. O Parque da Juventude, Vitruvius. Disponível em: < http://www.vitruvius.com. br/revistas/ read/projetos/14.162/5213 >. Acesso em: 21 de Dez. 2016. Biblioteca Central de Seattle, ArchDaily. Disponível em: < http://www.archdaily.com.br/br/ 624269/biblioteca-central-de-seattle-oma-mais-lmn >. Acesso em: 21 de Dez. 2016. Biblioteca Publica de Seattle, Vitruvius. Disponível em: < http://www.vitruvius. com.br/ revistas/read/arquitextos/11.126/3658 >. Acesso em: 22 de Dez. 2016. Media library [Third-Place] - Thionville, Dominique Coulon & Associés. Disponível em:< http://coulon-architecte.fr/projet/558/thionville >. Acesso em: 20 de Fev. 2017.


ANOTAÇÕES:


ACESSE ESTA PUBLICAÇÃO ONLINE: > https://issuu.com/jeffersonmsandrin ou > Escaneie o QR Code:

JEFFERSON MARIANO SANDRIN


BIBLIOTECA PARQUE DE CUIABÁ, MT - TFG I  

Trabalho Final de Graduação (Etapa 01)

BIBLIOTECA PARQUE DE CUIABÁ, MT - TFG I  

Trabalho Final de Graduação (Etapa 01)

Advertisement