Issuu on Google+

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

Processo Seletivo Simplificado

015. PROVA objetiva

Professor

de

Educação Básica II – Geografia

� Você recebeu sua folha de respostas e este caderno contendo 80 questões objetivas. � Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno e na folha de respostas. � Quando for permitido abrir o caderno, verifique se está completo ou se apresenta imperfeições. Caso haja algum problema, informe ao fiscal da sala. � Leia cuidadosamente todas as questões e escolha a resposta que você considera correta. � Marque, na folha de respostas, com caneta de tinta azul ou preta, a letra correspondente à alternativa que você escolheu. � A duração da prova é de 4 horas, já incluído o tempo para o preenchimento da folha de respostas. � Só será permitida a saída definitiva da sala e do prédio após transcorridos 75% do tempo de duração da prova. � Ao sair, você entregará ao fiscal a folha de respostas e este caderno, podendo levar apenas o rascunho de gabarito, localizado em sua carteira, para futura conferência. � Até que você saia do prédio, todas as proibições e orientações continuam válidas.

Aguarde

a ordem do fiscal para abrir este caderno de questões.

20.10.2013 (manhã)


03. Para Libâneo et alii (2003), a cultura organizacional da escola aparece de duas formas: como cultura instituída e como cultura instituinte. Segundo o autor, a cultura

Formação Pedagógica

01. Em uma reunião do conselho de escola, alguns professores solicitaram ao diretor da unidade escolar que tomasse medidas mais “enérgicas” com os alunos, a fim de eliminar completamente qualquer forma de conflito entre docentes e discentes. Segundo eles, o conflito é algo ruim e deve ser extirpado.

(A) instituinte refere-se à grade curricular, aos horários, às normas disciplinares etc. (B) instituinte é aquela que os membros da escola criam e recriam, em suas relações e na vivência cotidiana. (C) instituída refere-se ao regime próprio de produção e gestão de símbolos que a escola desenvolve, bem como seu imaginário.

Analisando o ponto de vista desses professores, é correto afirmar que, segundo Chrispino (2007), eles (A) têm razão ao propor medidas mais “enérgicas”, desde que essas medidas estejam amparadas pela legislação vigente.

(D) instituída é aquela imposta, sutilmente, por meio de um processo de massificação decorrente do neoliberalismo.

(B) deveriam recorrer a instâncias superiores, a fim de que sua demanda fosse atendida e os alunos fossem disciplinados adequadamente.

(E) instituinte refere-se às normas legais, à estrutura organizacional definida pelos órgãos oficiais.

(C) poderiam ter explicitado com maior exatidão quais os tipos de medidas cabíveis para a eliminação do conflito na escola.

04. Em uma determinada escola pública, durante o horário de trabalho pedagógico, os professores, sob orientação do coor­denador pedagógico, estudam textos críticos sobre os documentos legais, em detrimento do estudo dos textos legais e/ou documentos oficiais publicados pelo respectivo sistema de ensino. Nesses estudos, percebe-se uma postura parcial e partidária dos professores ao analisarem a realidade da escola e da comunidade na qual a unidade escolar está inserida.

(D) estão equivocados, pois o conflito é parte integrante da vida e da atividade social, quer contemporânea, quer antiga. (E) esqueceram-se de mencionar que o conflito é também a causa de atos violentos, por isso urge sua eliminação do ambiente escolar.

De acordo com Libâneo et alii (2003), é correto afirmar que esses professores estudam os textos legais e/ou documentos oficiais a partir de uma abordagem predominantemente

02. Após ter feito algumas avaliações de uma turma do 8.º ano do ensino fundamental, o professor Adriano chegou à conclusão de que apenas um de seus alunos não apresentava rendimento escolar satisfatório. Assim, concluiu consigo mesmo que o problema certamente estava no próprio aluno, o qual deveria ser transferido para outra unidade escolar a que pudesse se “adaptar” melhor.

(A) ontológica. (B) legalista e formal. (C) político-ideológica. (D) sociológica.

Analisando a postura desse professor, no que diz respeito ao fato de ele atribuir unicamente ao aluno a responsabilidade por seu “fracasso escolar”, é corretor afirmar que, segundo Vasconcellos (2008), ele comete um equívoco no(a)

(E) epistemológica.

(A) Referencial da Avaliação (Referente). (B) Conteúdo solicitado na Avaliação. (C) Articulação da Avaliação. (D) Forma da Avaliação. (E) Objeto de Avaliação (Referido).

3

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


07. Em seu tempo livre, a professora Edna costuma se inteirar dos problemas sociais da comunidade na qual reside a maioria de seus alunos. E, em sala de aula, discute com seus alunos questões que dizem respeito à construção coletiva da sociedade e ao exercício de direitos e deveres.

05. Na obra Professores do Brasil: impasses e desafios, há alguns comentários acerca das licenciaturas, analisadas em seu currículo, em Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas, que respondem pela formação inicial de professores que irão lecionar do 6.º ao 9.º ano do ensino fundamental e no ensino médio. Com relação a esses comentários, analise as seguintes afirmações, classificando-as em V (verdadeira) ou F (falsa).

Segundo Rios (2005), essa preocupação da professora Edna caracteriza-se como um trabalho na dimensão

( ) Predomina nos currículos a formação disciplinar específica, em detrimento da formação de professores para essas áreas do conhecimento. ( ) Raras instituições especificam em que consistem os estágios e sob que forma de orientação são realizados, se há convênio com escolas das redes, entre outros aspectos. ( ) Saberes relacionados a tecnologias no ensino estão praticamente presentes em todos os cursos.

(A) ética. (B) política. (C) estética. (D) técnica. (E) epistemológica.

08. Para Rios (2005), a “tarefa fundamental da educação, da escola, ao construir, reconstruir e socializar o conhecimento, é

Assinale a alternativa que, de acordo com essa obra, apresenta a classificação correta das afirmações, de cima para baixo. (A) V; F; F.

(A) formar cidadãos, portanto contribuir para que as pessoas possam atuar criativamente no contexto social de que fazem parte...”

(B) F; V; V. (C) V; V; F.

(B) capacitar os educandos para o acesso aos níveis mais elevados da pesquisa e da ciência...”

(D) F; F; V. (E) V; V; V.

(C) instrumentalizar o indivíduo com as ferramentas necessárias para a superação dos desafios que se lhe impõem em um mundo globalizado.”

06. Em relação aos projetos escolares de pesquisa, de acordo com a obra Gestão do Currículo na Escola: Caderno do Gestor, volume 3, é correto afirmar que

(D) desenvolver a autonomia em seus educandos, de modo que se tornem capazes de ‘aprender a aprender’ ao concluírem seus estudos.”

(A) o que caracteriza o projeto de pesquisa é a transposição didática de um conteúdo específico, por meio de aulas presenciais, nas quais são apreendidos os principais conceitos do componente curricular em questão.

(E) suprir as necessidades concretas do mercado de trabalho, garantindo recursos humanos indispensáveis ao crescimento das indústrias.”

(B) os projetos incluem apenas duas práticas de ensino-aprendizagem: pesquisas e registros individuais ou em grupos. Não são, portanto, necessários para seu desenvolvimento os estudos dirigidos e as aulas expositivas.

09. Saviani (2010) faz menção a um momento na história das ideias pedagógicas no Brasil em que o ensino médio passou a ter “como objetivo a preparação dos profissionais necessários ao desenvolvimento econômico e social do país, de acordo com um diagnóstico da demanda efetiva de mão de obra qualificada”.

(C) a metodologia de trabalho com projetos escolares praticamente não tem relação com a metodologia da pesquisa científica, pois, diferentemente desta, aquela não exige necessariamente a geração de um produto individual ou coletivo.

Nesse trecho, o autor está referindo-se à pedagogia (A) behaviorista. (B) do oprimido.

(D) a aplicação do projeto, diferentemente do que ocorre com a realização de outras atividades, como a produção de um documentário, não demanda um relatório sobre as ações realizadas nem uma reflexão crítica.

(C) escolanovista. (D) tecnicista. (E) da libertação.

(E) o aluno deverá possuir, para se envolver em um projeto, algum conhecimento prévio sobre o tema proposto e esquemas cognitivos possíveis de serem mobilizados, no decorrer do projeto, proporcionando uma aprendizagem significativa. SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

4


10. Em uma determinada escola, os alunos são avaliados ao final do ano letivo para que a equipe docente e a equipe gestora possam “montar” as turmas do ano seguinte, agrupando os alunos de acordo com seu desempenho. Assim, conseguem organizar turmas com alunos fracos, regulares e com bom desempenho.

13. Em suas aulas, a professora Bernadete exige de seus alunos que copiem trechos de textos que constam no livro didático que utilizam em sala de aula. Segundo ela, ao copiar, os alunos aprendem a ler e a escrever, memorizando palavras e expressões novas. Analisando essa prática, é correto afirmar que, segundo Lerner (2002), a professora Bernadete

Analisando essa prática, pode-se afirmar corretamente que, segundo Hoffmann (2001), esse é um exemplo de

(A) comete um erro, pois essa prática garante apenas a aprendizagem da escrita.

(A) avaliação mediadora, com a qual se objetiva o desenvolvimento integral do aluno.

(B) está certa ao propor a aprendizagem da leitura e da escrita por meio da cópia de textos.

(B) processo avaliativo construtivo, no qual educadores e educandos mobilizam seus conhecimentos.

(C) deveria propor essa prática aos professores dos demais componentes curriculares, pois ela é bastante eficaz.

(C) equívoco na avaliação, pois não constitui uma experiência educativa para os educandos.

(D) está errada, pois essa prática garante apenas a aprendizagem da leitura.

(D) sondagem diagnóstica imprescindível para o desenvolvimento pleno dos alunos. (E) avaliação em seu sentido dialético, que possibilita a troca de experiências.

(E) equivoca-se ao supor que copiar de forma mecânica os textos seja garantia de aprendizagem da leitura e da escrita.

11. Ao se referir às 10 características de uma situação-problema, Perrenoud (2000) afirma que esta funciona como um “debate científico dentro da classe, estimulando os conflitos potenciais”.

14. Com relação aos conteúdos a que se refere a Matriz de Referência para a Avaliação do SARESP, analise as seguintes afirmações, classificando-as em V (verdadeira) ou F (falsa).

Assinale a alternativa que, de acordo com o autor, preenche corretamente a lacuna do texto.

( ) A Matriz faz uma varredura de todas as aprendizagens que o currículo possibilita.

(A) violentos

( ) A Matriz retrata as estruturas conceituais mais gerais das disciplinas e também as competências mais gerais dos alunos (como sujeitos do conhecimento), que se traduzem em habilidades específicas, estas sim responsáveis pelas aprendizagens.

(B) desestruturantes (C) psíquicos (D) sociocognitivos

( ) A Matriz representa um recorte dos conteúdos do currículo e também privilegia algumas competências e habilidades a eles associadas.

(E) intrapsíquicos

Assinale a alternativa que, de acordo com esse documento, apresenta a classificação correta das afirmações, de cima para baixo.

12. Na escola, de acordo com Lerner (2002), a leitura é antes de qualquer coisa um objeto de ensino. Segundo a autora, para que a leitura se transforme também num objeto de aprendizagem, faz-se necessário que

(A) V; F; V.

(A) tenha sentido do ponto de vista do aluno, ou seja, que esteja atrelada à realização de um propósito que o aluno conheça e valorize.

(B) V; V; F. (C) F; V; F.

(B) seja ensinada de forma fragmentada, começando por textos mais curtos e fáceis de serem assimilados.

(D) F; V; V.

(C) esteja desvinculada da versão não escolar, isto é, que não haja vínculo entre a prática escolar e a prática social da leitura.

(E) F; F; V.

(D) sejam adaptados os textos escolhidos para a leitura em sala de aula, de modo que possam atender ao nível de desenvolvimento da turma. (E) seja feita em voz alta com maior frequência em sala de aula, a fim de que os alunos possam ouvir a si mesmos e aprender melhor. 5

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


18. Durante o conselho de classe e série, os professores de uma determinada escola de ensino fundamental impediram a aluna Isabela de participar, pois, segundo eles, a idade mínima para participar do conselho é de 15 (quinze) anos, e Isabela tem apenas 14.

15. Na concepção construtivista da aprendizagem e do ensino, segundo Coll et alii (2006), a escola (A) preocupa-se unicamente com o desenvolvimento cognitivo dos educandos, daí o trabalho com as competências cognitivas.

Conforme o Parecer CEE n.º 67/1998, artigo 21, a atitude dos professores foi

(B) contribui para o desenvolvimento global dos educandos, incluindo as capacidades de equilíbrio pessoal e de inserção social.

(A) acertada, pois a lei realmente determina a idade mínima de 15 (quinze) anos.

(C) desconsidera o caráter social e socializador que alguns teóricos procuram impor a ela, passando a preocupar-se com a instrução dos alunos.

(B) equivocada, pois a lei determina a idade mínima de 14 (catorze) anos. (C) correta, pois os alunos não podem participar, seja qual for sua idade.

(D) enfatiza o caráter ativo da aprendizagem, aceitando que esta é fruto de uma construção na qual intervém apenas o sujeito que aprende.

(D) incorreta, pois a participação dos alunos independe de sua idade.

(E) contrapõe a aprendizagem ao desenvolvimento, tendo ciência de que é preciso primeiramente que a criança amadureça para que possa aprender.

(E) rigorosa, pois, embora a lei determine a idade mínima de 15 (quinze) anos, um pouco de bom senso resolveria o conflito.

16. Após um longo período de acompanhamento, ficou comprovado que Ruy, aluno do 9.º ano, em função de suas deficiências, não pode atingir o nível exigido para concluir o ensino fundamental. Diante dessa situação, de acordo com a Lei n.º 9.394/1996, artigo 59, o sistema de ensino deve garantir a ele

19. Ao término do 9.º ano do ensino fundamental, o aluno Rafael apresentou resultado insatisfatório em dois componentes curriculares. Segundo o artigo 8.º da Resolução SE n.º 02/2012, ele

(A) aceleração para concluir em menor tempo o programa escolar.

(A) pode ser promovido em regime de progressão parcial. (B) deve cursar novamente o 9.º ano do ensino fundamental.

(B) terminalidade específica de estudos. (C) aulas de recuperação paralela.

(C) pode cursar a 1.ª série do ensino médio, sendo dispensado de frequentar as disciplinas com defasagem de aprendizagem.

(D) professor auxiliar para recuperação intensiva. (E) transferência para uma escola especializada.

(D) deve fazer novos exames com os conteúdos das disciplinas com defasagem de aprendizagem.

17. O aluno Walter, adolescente regularmente matriculado no 6.º ano do ensino fundamental de uma determinada escola, apresenta quantidade de faltas acima de cinquenta por cento do percentual permitido em lei.

(E) pode ser reprovado e ter de cursar novamente todas as disciplinas do 9.º ano do ensino fundamental. 20. O professor André, docente titular de cargo em uma escola da rede pública estadual, deseja ampliar sua jornada de trabalho com as classes e as aulas de recuperação intensiva.

Segundo a Lei n.º 9.394/1996, artigo 12, compete ao estabelecimento de ensino notificar esse e os demais casos semelhantes (A) ao Conselho de Pais e Mestres, aos líderes da comunidade e à Diretoria de Ensino.

Segundo a Resolução SE n.º 02/2012, artigo 10, isso

(B) à Diretoria de Ensino, ao Conselho Tutelar do Município e ao Conselho Estadual de Educação.

(A) pode ser feito depois que essas classes e aulas forem oferecidas aos professores auxiliares.

(C) ao Conselho Tutelar do Município, ao juiz competente da Comarca e ao respectivo representante do Ministério Público.

(B) não pode ser feito, pois essas classes e aulas devem ser atribuídas apenas aos ocupantes de função-atividade. (C) é possível, desde que não haja docente ocupante de função-atividade interessado por elas.

(D) aos pais ou responsáveis, à Diretoria de Ensino e ao respectivo representante do Ministério Público.

(D) não pode ser feito, pois tais classes e aulas são geralmente oferecidas no contraturno.

(E) ao Supervisor da Unidade Escolar, ao Conselho Tutelar do Município e ao Conselho Estadual de Educação. SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

(E) é perfeitamente possível, observadas as regras do processo regular de atribuição de classes e aulas. 6


24. Na composição geológica da Terra, encontra-se a astenos­ fera que é

Formação Específica 21. Discutindo a definição de um corpo teórico-metodológico no ensino da Geografia e adequando-o aos novos tempos, a Proposta Curricular do estado de São Paulo para o ensino da Geografia assim se expressa:

(A) a parte mais central do núcleo terrestre. (B) o mesmo que crosta oceânica. (C) a porção mais rígida da litosfera. (D) a área limite entre o manto e o núcleo.

Para este autor, a “revolução” provocada pelo advento das tecnologias de comunicação e informação transformou o espaço do Homem e, necessariamente, a nossa maneira de pensar o mundo em que vivemos. Essa nova dimensão de espaço influenciou os modos de agir e pensar da humanidade como um todo. Se, por um lado, provocou mudanças nas relações pessoais, socioculturais e nas formas de se produzir e de se trabalhar, por outro, foi responsável pela acentuação das desigualdades entre povos e nações. Nesse contexto, os anseios por uma sociedade mais igualitária e justa, e principalmente mais aberta a incorporar mudanças e respeitar diferenças, tornou-se mais distante.

(E) o limite inferior da litosfera. 25. Ao explicitar sua teoria sobre a Deriva Continental, Wegener denominou de Pangea (A) um enorme continente resultante da junção de Gondwana e Laurásia. (B) a parte da crosta terrestre que sofreu glaciações no Cenozoico. (C) um supercontinente formado a cerca de 250 milhões de anos.

(http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/ arquivos/Prop_GEO_COMP_red_md_20_03.pdf. Adaptado)

(D) o continente que se formou pelo soterramento do mar de Tethys. (E) a fase inicial de formação da crosta terrestre na era Proterozoica.

O autor a que se refere o texto é (A) Aziz Nacib Ab’Sáber. (B) Manoel Correia de Andrade.

26. Todos os rios numa bacia de drenagem possuem um local de menor elevação em relação ao qual um rio pode erodir o seu próprio canal. O texto define o

(C) Milton Santos. (D) Jurandyr Ross.

(A) leque aluvial.

(E) José de Souza Martins.

(B) nível de base. (C) canal deltaico

22. Este conceito define-se pela apropriação do espaço, ou seja, para as sociedades humanas, representa uma parcela do espaço identificada pela posse. É dominado por uma comunidade ou por um Estado. Trata-se do conceito de

(D) rift. (E) stone line. 27. Os chapadões recobertos de vegetação, com florestas galerias, constituem dois ecossistemas no meio de um espaço físico e biótico de grandes proporções, com cerca de 1,7 a 1,9 milhões de quilômetros quadrados de extensão. [...] A região central deste domínio ocupa, predominantemente, maciços planaltos de estrutura complexa, dotados de superfícies aplainadas de cimeira, além de um conjunto significativo de planaltos sedimentares compartimentados, situados a níveis de altitude que variam de 300 a 1 700 m.

(A) paisagem. (B) lugar. (C) região. (D) território. (E) espaço geoeconômico. 23. O professor de Geografia começa a trabalhar com os alunos o tema “Mudanças na distribuição da população urbana e rural do Brasil”. Ao discutir o tema, o professor deve re­ferir-se

(Aziz Ab’Sáber, Os domínios de natureza no Brasil. São Paulo: Ateliê, 2010)

Ab’Sáber descreveu características do domínio

(A) ao recente processo de modernização do campo.

(A) Tropical Atlântico.

(B) à expansão das áreas de cultivos de commodities.

(B) das Caatingas.

(C) à demarcação de terras indígenas e de quilombolas.

(C) das Pradarias mistas.

(D) ao recuo da fronteira agrícola no centro-norte do país.

(D) dos Cerrados.

(E) à diminuição das relações entre a cidade e o campo.

(E) Amazônico. 7

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


28. Considere que um professor trabalhe com os domínios morfoclimáticos e apresente a imagem a seguir para analisar com os alunos.

29. A questão está relacionada ao mapa e aos textos a seguir. Domínios morfoclimáticos brasileiros

1

2

4 (http://www.kimage.com.br)

3

Na análise do professor, deverá constar o fato de que este domínio

5 (Aziz Ab’Sáber, Os domínios de natureza no Brasil. São Paulo: Ateliê, 2010)

(A) apresenta distribuição geográfica azonal e é sujeito a fortes processos de erosão e de movimentos coletivos de solos.

I. O domínio abrange terrenos sedimentares de diferentes idades, terrenos basálticos e pequenos setores de áreas metamórficas. [...] Trata-se, talvez, da mais bela área de colinas do território brasileiro. II. A média de precipitações está entre 268 e 800 mm. [...] Os cursos de água, apesar de serem intermitentes periódicos, chegam ao Atlântico pelas mais diversas trajetórias. Os textos I e II referem-se, correta e respectivamente, aos domínios indicados no mapa com os números

(B) possui cobertura vegetal rala e relativamente homo­ gênea e altitudes que raramente ultrapassam os 700 metros. (C) é dotado de solos muito pobres que se refletem nas paisagens vegetais que cobrem os poucos vales fluviais da região. (D) coincide com as áreas brasileiras de maior densidade de rios e lagos, geralmente cercados de colinas de baixa altitude.

(A) 2 e 1. (B) 3 e 2. (C) 3 e 4.

(E) mantém inalterada boa parte da vegetação original, o que o torna o principal núcleo de biodiversidade do Brasil.

(D) 5 e 2. (E) 5 e 1. 30. Tradicionalmente, o litoral brasileiro é dividido em compartimentos, dentre os quais se destaca o litoral Sudeste, situado entre o Cabo Frio (RJ) e o Cabo Santa Marta (SC). Essa parte do litoral caracteriza-se (A) pela presença de inúmeros tabuleiros sedimentares junto à costa e existência de intensos processos erosivos. (B) pelas encostas serranas próximas à costa, que favorecem o aparecimento de pequenas planícies entre costões rochosos. (C) pelo grande número de desembocaduras de alguns grandes rios e pela formação de extensa planície sedimentar. (D) pela presença de recifes de corais e pequenas ilhas cristalinas que indicam a pequena profundidade da plataforma continental. (E) pelo aspecto retilíneo resultante de longos processos sedimentares e pela presença de várias lagunas de águas salgadas.

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

8


33. Milton Santos (2004) discute o surgimento de um novo tipo de pobreza a qual chamou de “pobreza estrutural globa­ lizada”. Segundo o autor, esse tipo de pobreza surgiu, entre outros fatores, porque

31. No Brasil, o desmatamento desordenado, a queima constante de madeira e mesmo as inadequadas práticas agropecuárias [...] expõem o solo e seus constituintes, como a matéria orgânica, à rápida degradação física e química, reduzindo as condições de plantio e criando situações de estresse no ecossistema existente.

(A) os vários níveis do poder público se retiraram das tarefas de proteção social.

(Wilson Teixeira (et.al.) cords. Decifrando a Terra. São Paulo: IBEP, 2009. Adaptado)

(B) a imigração de povos com baixo nível tecnológico atingiu todo o mundo.

O texto descreve o processo de

(C) a movimentação dos refugiados políticos criou grandes espaços marginalizados.

(A) laterização. (B) pedimentação.

(D) a divisão internacional do trabalho permanece a mesma desde os anos 1960.

(C) desertificação.

(E) os órgãos como o FMI e a OTAN não têm agido de modo uniforme no mundo.

(D) solifluxão. (E) granomorfismo.

34. Segundo Magnoli (2004), a mais perigosa crise do período da Guerra Fria ocorreu nos anos de 1960 e deveu-se

32. Observe o mapa a seguir.

(A) aos conflitos étnicos que levaram à divisão da Iugoslávia. (B) à revolução chinesa que depôs Mao Tsé Tung. (C) à suspensão do Plano Marshall que amparava os países africanos. (D) ao fim do poder geopolítico do Reino Unido. (E) à instalação de mísseis soviéticos em Cuba. 35. O Magreb é a região formada por Argélia, Tunísia e Marrocos, na África do Norte. Sua unidade histórica decorre de vários fatores, dentre os quais (A) a ocupação norte-americana no século XX. (B) a fraca atuação dos grupos muçulmanos no século XX. (C) o predomínio de governos democráticos desde meados do século XX.

(Wilson Teixeira (et.al.) cords. Decifrando a Terra. São Paulo: IBEP, 2009)

(D) a colonização francesa nos séculos XIX e XX.

Assinale a alternativa que apresenta o título adequado para esse mapa.

(E) a ausência de ações de colonizadores europeus no século XX.

(A) Brasil: áreas de escudos cristalinos. 36. Segundo Magnoli (2004), a década de 1990 teve grande destaque no que se refere ao meio ambiente. Ocorreram nesta década

(B) As bacias sedimentares brasileiras. (C) As áreas de atividades sísmicas no Brasil. (D) Brasil: áreas de menor atividade intempérica.

(A) a criação do Clube de Roma e o surgimento dos primeiros Partidos Verdes.

(E) Concentração de rochas metamórficas no Brasil.

(B) a Conferência sobre meio ambiente em Estocolmo e a assinatura da Convenção de Viena. (C) a Conferência Eco-92 no Rio de Janeiro e a organização do Protocolo de Kyoto. (D) a assinatura do Tratado de extinção dos gases estufa e a Conferência na África do Sul. (E) a Conferência sobre meio ambiente no México e a formulação do conceito de efeito-estufa. 9

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


37. Preparando o pós-guerra, os Estados Unidos e seus aliados europeus tinham estabelecido, em 1944, um sistema internacional de câmbio baseado no dólar. A moeda americana foi ligada ao ouro passando a funcionar como divisa de referência ao intercâmbio internacional.

39. Observe o mapa a seguir. População dos países asiáticos

(Demétrio Magnoli, Relações Internacionais: teoria e história. São Paulo: Saraiva, 2004. Adaptado)

A decisão sobre essa mudança político-econômica ocorreu (A) no Congresso de Berlim. (B) na Conferência de Yalta. (C) na Conferência de Viena. (D) no Congresso de Postdam. (E) na Conferência de Bretton Woods.

38. Haesbaert e Porto-Gonçalves (2006) afirmam que a globalização econômica se desdobra em quatro formas ou dimensões: a comercial, a produtiva, a tecnológica e a financeira. Segundo os autores, a consolidação desse processo teve como fator decisivo

(Marie-Françoise Durand (et al.) Orgs. Atlas da mundialização. São Paulo: Saraiva, 2009)

Em relação ao mapa apresentado, é correto afirmar que ele é uma representação

(A) as políticas neoliberais. (B) a criação do FMI.

(A) qualitativa, que destaca as áreas de maior predomínio de população negra.

(C) o fim da Segunda Guerra mundial.

(B) ordenada, que destaca o total absoluto de habitantes de cada país.

(D) o modelo fordista. (E) os paraísos fiscais.

(C) quantitativa onde se destacam as regiões de acordo com a respectiva densidade demográfica. (D) qualitativa onde se priorizam as mudanças da população no decorrer do tempo. (E) ordenada, que prioriza a evolução da população no interior de cada país.

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

10


40. A rizicultura irrigada, controlada por Estados muito antigos, provocou e permitiu as fortes densidades demográficas. Mais recentemente, a revolução verde favoreceu o aumento das produções agrícolas e contribuiu, em parte, para a urbanização, a abertura comercial e o elevado crescimento econômico e industrial dos grandes países emergentes.

42. Sob o aspecto cartográfico, é correto afirmar que o mapa (A) utiliza a projeção de Mercator. (B) se destaca por representar fluxos. (C) é uma representação ordenada. (D) utiliza uma projeção polar.

(Marie-Françoise Durand (et al.) Orgs. Atlas da mundialização. São Paulo: Saraiva, 2009)

(E) é uma representação quantitativa.

O texto refere-se à (A) América Latina.

43. A questão está relacionada aos gráficos apresentados a seguir.

(B) Europa meridional. (C) África.

Evolução da população urbana nas regiões I e II

(D) Ásia.

REGIÃO I

40

milhões

(E) Oceania.

As questões de números 41 e 42 estão relacionadas ao mapa apresentado a seguir.

20

0 1940

Produção de energia eólica (2005)

1950

1960

1970

1980

1991

1996

2000

1991

1996

2000

REGIÃO II 60

milhões

40

20

0 1940

(Marie-Françoise Durand (et al.) Orgs. Atlas da mundialização. São Paulo: Saraiva, 2009)

1950

1960

1970

1980

urbana rural

41. A leitura do mapa permite concluir que

(Hervé Théry & Neli A. Mello, Atlas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2010. Adaptado)

(A) os países do hemisfério Norte utilizam, predominantemente, energias renováveis.

As regiões I e II são, correta e respectivamente,

(B) os países temperados apresentam limitações geográficas para a produção de energia eólica.

(A) Nordeste e Sudeste.

(C) a produção de energia eólica ainda está fortemente concentrada nos países do hemisfério Norte.

(B) Nordeste e Sul.

(D) a produção de fontes de energia renováveis ainda está restrita aos países desenvolvidos.

(C) Centro-Oeste e Nordeste.

(E) a maior parte dos países emergentes produz a energia eólica devido ao baixo preço dos equipamentos.

(E) Sul e Nordeste.

(D) Sul e Centro-Oeste.

11

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


44. Uma boa parte do espaço brasileiro vive ainda de uma economia extrativa. É exemplo:

46. Considere que um professor de Geografia solicite uma pesquisa sobre a urbanização brasileira e um aluno apresente um texto que discorra a respeito da “megalópole de São Paulo”. Nesse caso, o professor deve comentar que

(A) o Pantanal. (B) o Agreste nordestino.

(A) as megalópoles somente existem nos países desenvolvidos, a exemplo dos Estados Unidos.

(C) a Campanha Gaúcha.

(B) São Paulo tornou-se megalópole quando adquiriu o status de cidade global, na década de 1990.

(D) a Amazônia. (E) o vale do Jequitinhonha.

(C) é um erro chamar São Paulo de megalópole porque o termo não se confunde com metrópole. (D) a megalópole São Paulo-Rio é uma realidade que tende a suplantar a megalópole estadunidense.

45. A questão está relacionada aos mapas apresentados a seguir. Produção de X

(E) além de São Paulo, o Rio de Janeiro e Belo Horizonte também se tornaram megalópoles.

47. A questão está relacionada ao mapa apresentado a seguir.

Produção de Y

(Hervé Théry, & Neli A. Mello, Atlas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2010. Adaptado)

(Hervé Théry & Neli A. Mello, Atlas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2010)

Os produtos X e Y são, correta e respectivamente,

Com base na localização e dimensão das áreas em destaque, é correto concluir que o mapa representa as

(A) café e cana-de-açúcar.

(A) terras indígenas.

(B) laranja e soja.

(B) ilhas de modernização agropecuária.

(C) cana-de-açúcar e algodão.

(C) reservas extrativistas.

(D) café e milho.

(D) áreas de garimpos legais.

(E) algodão e soja.

(E) áreas de experimentos da Embrapa.

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

12


51. Este termo é usado para descrever uma associação de minerais que, por diferentes motivos geológicos, acabam ficando intimamente unidos. O termo referido é

48. Reforça-se o modelo de substituição das importações, ao qual se soma um recurso sistemático à emissão mone­ tária e aos empréstimos de capitais estrangeiros, que aumentam na mesma proporção que a dívida. Começa uma nova fase da industrialização (indústria pesada, side­rurgia, aeronáutica, desenvolvimento da Petrobras e início da energia nuclear) que se mostra, porém, muito dependente de tecnologias importadas.

(A) minério. (B) cristal. (C) magma. (D) rocha.

(Marie-Françoise Durand (et al.) Orgs. Atlas da mundialização. São Paulo: Saraiva, 2009.)

(E) sedimento.

O texto descreve o período (A) de Vargas.

52. Das várias classes minerais existentes, apenas uma é responsável pela constituição de, aproximadamente, 97% em volume da crosta continental. Essa descrição refere-se a

(B) de JK. (C) de Fernando Collor. (D) do governo de Jango.

(A) silicatos.

(E) da Ditadura Militar.

(B) fósseis. (C) metais. (D) gemas.

49. A população total projetada para o Brasil em 2013 foi de 201,0 milhões de habitantes, atingindo 212,1 milhões em 2020, até alcançar o máximo de 228,4 milhões em 2042, quando começará a decrescer, atingindo o valor de 218,2 em 2060, nível equivalente ao projetado para 2025 (218,3 milhões).

(E) carbonetos. 53. Observe a imagem.

(IBGE, Sala de Imprensa, 29.08.2013)

Segundo Théry e Mello (2010), é fator que contribui para explicar a evolução demográfica do Brasil: (A) a emigração de brasileiros. (B) a manutenção da taxa de fertilidade. (C) o aumento da taxa de natalidade. (D) a estrutura por idades. (E) o alto crescimento vegetativo.

50. O maior potencial eólico do Brasil encontra-se nas regiões

(http://meioambiente.culturamix.com/blog/wp-content/gallery/ vulcao-kilauea/vulcao-kilauea-5.jpg)

(A) Norte e Centro-Oeste. (B) Nordeste e Sul.

As rochas resultantes de fenômenos como o mostrado na imagem podem ser classificadas como

(C) Sudeste e Norte.

(A) ígneas intrusivas ou plutônicas.

(D) Sul e Sudeste.

(B) metamórficas de contato.

(E) Centro-Oeste e Nordeste.

(C) ígneas extrusivas ou vulcânicas. (D) sedimentares diagenéticas. (E) metamórficas termais.

13

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


56. Observe a imagem.

54. Observe o diagrama. Diagênese

Rochas Sedimentares

Cimentação Compactação

Sedimentos

Erosão, Tr

ansporte e Se dimentação Temperatura e Pressão

Erosão e Transporte Sedimentação

Transporte e Pressão

Magma Rochas Magmáticas

Arrefecimento Solidificação Cristalização

Fusão

Rochas Metamórficas

(http://www.not1.com.br/wp-content/uploads/2010/11/))

O diagrama sintetiza a(o)

(http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2010/04/ falha-de-san-andreas.jpg)

(A) movimento tectônico.

A Falha de San Andreas, na Califórnia-EUA, é um exemplo de limite entre placas tectônicas do tipo

(B) ciclo das rochas. (C) formação da crosta.

(A) conservativa.

(D) erosão fluvial.

(B) divergente.

(E) movimento isostásico.

(C) convergente. (D) orogenética. (E) hot point.

55. De modo geral, quanto à sua estrutura interna, a Terra pode ser dividida em:

57. Observe a figura.

(A) atmosfera, biosfera e hidrosfera. (B) litosfera, magnetosfera e nife.

Divisor topográfico

(C) crosta, manto e núcleo. gem

(D) montanhas, crátons e bacias sedimentares. drena

(E) rochosa, magmática e mineral.

exutório

O título correto para a representação é (A) Rio de Planície. (B) Bacia Hidrográfica. (C) Canal de Drenagem. (D) Aquífero de Superfície. (E) Área de Mananciais.

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

14


58. O ambiente da superfície da Terra, caracterizado por pressões e temperaturas baixas e riqueza de água e oxigênio, é muito diferente daquele onde a maioria das rochas se formou. Por esse motivo, quando as rochas afloram à superfície da Terra, seus minerais entram em desequilíbrio e, por meio de uma série de reações químicas, transformam-se em outros minerais, mais estáveis nesse novo ambiente. Esse processo é denominado

61. Os principais elementos do clima são: (A) latitude, longitude e pluviosidade. (B) correntes marítimas, altitude e vegetação. (C) translação, rotação e reflexão. (D) radiação, circulação atmosférica e umidade. (E) temperatura, albedo e pressão.

(A) erosão diferencial. 62. Para compensar o isolamento, existem as oferendas da natureza para os homens que aí vivem: os peixes dos pequeninos rios, as palmáceas dotadas de frutos comestíveis, a caça nas florestas, o material construtivo das matas circunvizinhas. Casas palafíticas em minúsculas clareiras rodeadas por açaizeiros. Mais ao longe, uma pequena roça de mandioca. Algumas poucas fruteiras tropicais, mantidas na parte “brocada” da mata.

(B) zona de alteração. (C) bacia de sedimentação. (D) abrasão marinha. (E) intemperismo químico. 59. O território brasileiro situa-se quase que inteiramente no domínio tropical úmido. Essa situação, aliada à esta­ bilidade estrutural do embasamento geológico, leva à predominância de uma cobertura pedológica que reflete, de maneira acentuada o fator como preponderante na sua formação.

(Aziz Ab’Sáber, Os domínios de natureza no Brasil. São Paulo: Ateliê, 2010)

O texto descreve o modo de vida de comunidades que vivem no domínio morfoclimático (A) das Caatingas.

(W. Teixeira (org.), Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2009)

(B) do Cerrado.

Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto.

(C) dos Planaltos Subtropicais. (D) dos Mares de Morros.

(A) mineralógico

(E) Amazônico.

(B) magmático (C) climático

63. Segundo Aziz Ab’Saber (2010), nos grandes domínios florestais do país, apesar da predominância espacial extraordinária de matas biodiversas tropicais, ocorrem importantes enclaves de

(D) tectônico (E) biológico

(A) manguezais.

60. Observe o esquema.

(B) cerrado. (C) matas galerias. (D) palmeiras. (E) pinheiros. 64. Esse ecossistema associa uma floresta subtropical misturada com vegetação herbácea ou arbustiva e ocupa (ou ocupava) os planaltos basálticos da bacia do Paraná. A partir do início do século XX, a atividade madeireira provocou a substituição da vegetação original por uma região agrícola inicialmente produtora de milho e trigo, seguida de soja. A vegetação apresenta apenas cerca de 20% da original.

Nível d'água Sulcos ou ravinas X

X

(W. Teixeira, Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos, 2009)

(Hervé Théry & Neli A. Mello, Atlas do Brasil. São Paulo: Edusp, 2010)

Assinale a alternativa que identifica o fenômeno erosivo indicado pelas setas x.

O texto refere-se ao ecossistema

(A) Planície fluvial.

(A) dos Cerrados.

(B) Boçoroca.

(B) dos Pinheiros.

(C) Vale encaixado.

(C) da Floresta Atlântica.

(D) Colina convexa.

(D) do Meio Norte.

(E) Relevo mamelonar.

(E) do Pantanal. 15

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


65. No Brasil, este tipo de solo é predominante. Ele está presente em praticamente todas as regiões bioclimáticas do País, sobre diferentes tipos de rochas. O texto refere-se ao

68. Leia o texto. Estado mais atingido pela modernização agropecuária, é também nele que se encontram mais desenvolvidas as indústrias processadoras de matérias-primas agrícolas (alimentos, bebidas, têxtil, papel, madeiras, couros, calçados etc.) da mesma forma que se desenvolveu uma série de indústrias associadas à produção de insumos modernos para a agricultura (química, mecânica, rações, produtos farmacêuticos e veterinários).

(A) solo basáltico. (B) aridissolo. (C) latossolo. (D) solo negro. (E) permafrost.

(Denise Elias. Globalização e Agricultura. São Paulo, EDUSP, 2003)

O texto refere-se às transformações que ocorreram na economia do estado

66. Leia os itens a seguir. I. promoção do equilíbrio geopolítico interno e externo. II. sustentação da via da modernização autoritária. III. deslocamento de pequenos produtores para o interior e de migrantes das áreas com tensões sociais, evitando ações como a reforma agrária.

(A) do Mato Grosso do Sul. (B) de Minas Gerais. (C) de Goiás.

Para Daniel Huertas (2009), estes aspectos formaram as bases sobre as quais ocorreu a(o)

(D) de São Paulo.

(A) transição para a Nova República, como resultado do pacto entre militares e civis para a redemocratização do país.

(E) da Bahia.

(B) Plano de Metas de Juscelino Kubitschek, na década de 1950, e que motivou a transferência da capital federal do Rio de Janeiro para Brasília.

69. Observe o gráfico. População da região de Ribeirão Preto, 1950 a 1980

(C) exploração da borracha, na década de 1930, quando Getúlio Vargas buscava justificar o domínio do Brasil sobre a região amazônica.

2 500 000

2 000 000

(D) processo de integração acelerada da região amazônica, comandado pelos governos militares a partir da década de 1970.

1 500 000

População total População urbana População rural

1 000 000

(E) substituição das antigas frentes pioneiras das regiões Sudeste e Sul pela expansão da frente agrícola do oeste nordestino.

500 000

0 1950

1970

1980

1991

(Denise Elias, Globalização e Agricultura. São Paulo: EDUSP, 2003)

67. De acordo com Daniel Huertas (2009), a ocupação da região amazônica, em especial a partir da década de 1980, além dos grandes projetos agropecuários também baseou-se na

Os processos de maior importância para a dinâmica demográfica observada no gráfico foram:

(A) instalação de grandes projetos de exploração mineral, como o Programa Grande Carajás.

(A) violência no campo e conflitos fundiários. (B) modernização do campo e êxodo rural.

(B) exploração de petróleo e gás, em projetos conjuntos entre Brasil, Bolívia e Peru.

(C) pragas agrícolas e adversidades climáticas.

(C) instalação de empresas multinacionais do setor farmacêutico, interessadas na biodiversidade.

(D) esgotamento dos solos e erosão fluvial. (E) empobrecimento regional e migração campo-cidade.

(D) criação de assentamentos para reforma agrária, em especial no Pará, na região do “bico do papagaio”. (E) exploração do turismo ecológico, como forma de reduzir os impactos ambientais na região. SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

1960

16


72. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, a análise da paisagem, como prática da Geografia, deve focar as dinâmicas de suas transformações e não simples­ mente a descrição e o estudo de um mundo aparentemente estático. Isso requer a compreensão

70. De acordo com Antonio Castrogiovanni (2001), essas relações são as que permitem a coordenação dos objetos entre si num sistema de referência móvel, dado pelo ponto de vista do observador. Inicialmente, o ponto de referência está centrado na própria criança, aos poucos é transferido para outras referências, ou seja, ocorre a descentração.

(A) da dinâmica entre os processos sociais, físicos e biológicos inseridos em contextos particulares ou gerais.

No processo de construção da noção de espaço pela criança, esta é a fase em que se desenvolvem as relações

(B) das influências dos elementos naturais sobre os sociais, como forças determinantes das transformações.

(A) euclidianas. (B) abstratas.

(C) do fenômeno da luta de classes, como motor das transformações e que exerce a mesma influência em qualquer lugar.

(C) lógicas. (D) projetivas. (E) topológicas.

(D) de que o espaço é um elemento neutro na paisagem, posto que é composto de elementos que não possuem historicidade.

71. Observe a charge. DIZEM QUE AS REDES SOCIAIS AFASTAM AS PESSOAS!

(E) da tecnologia como fonte principal de explicações para as mudanças na paisagem, em detrimento da sociedade e da natureza.

EU NÃO ACHO!

73. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, para se trabalhar o eixo “O Campo e a Cidade” propõe-se que se utilize o conceito de , pois ele amplia a compreensão do fato de que o espaço, como território e lugar, guarda uma historicidade intrínseca em todas as suas transformações. Com esse conceito, é possível compreender e ensinar aos alunos que qualquer paisagem urbana ou rural guarda em si, na forma como está representada, heranças de um passado mais próximo ou distante.

(http://www.cabonews.com.br/wp-content/uploads/2012/11/charge0247.jpg)

O conteúdo da charge concorda com Manuel Castells (2003) quando este afirma que

Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto.

(A) a integração crescente de tecnologias de comunicação, produzida pela internet, tornou as relações mais horizontais, independentemente de local e condição econômica dos indivíduos.

(A) força de trabalho (B) luta de classes

(B) as novas tecnologias que se desenvolveram com a internet parecem aumentar as chances de o individualismo em rede se tornar a forma dominante de sociabilidade.

(C) paisagem antropizada (D) formação socioespacial (E) fenômeno natural

(C) o impacto das novas tecnologias, em especial a internet, ainda permanece restrito às relações econô­ micas, já que as relações pessoais permanecem na esfera privada. (D) a influência da internet na vida cotidiana e mesmo nas relações pessoais só é grande nos países desenvolvidos, nos quais é facilitado o acesso às novas tecnologias. (E) a internet produziu uma nova rede de relações sociais e econômicas, na qual as ações coletivas e sem fins lucrativos têm sido o principal motor do desenvolvimento tecnológico. 17

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


74. Leia a notícia.

76. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, a prática da leitura crítica e do mapeamento consciente permite algumas aquisições metodológicas em três níveis: simples, médio e complexo.

Peões de fazendas substituíram os cavalos, tradicional meio para tocar boiada, pelas motocicletas. O veículo é considerado, por eles, mais potente e capaz de passar por trilhas, atravessar córregos e matagais, executar tarefas domésticas, como levar os filhos à escola.

Como exemplo de aquisições complexas, é correto citar: (A) conhecer e identificar os pontos cardeais. (B) analisar uma carta temática que apresenta vários fenômenos. (C) saber calcular altitude e distância. (D) medir uma distância sobre uma carta com uma escala numérica. (E) saber se conduzir com uma planta simples. 77. Observe a charge. Filho, o que você quer ganhar no NATAL?

(http://noticias.r7.com/cidades/noticias/peoes-trocam-cavalos-por-motona-hora-de-tocar-a-boiada-20110501.html)

Um QUINTAL!

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, a matéria jornalística pode servir como ponto de partida para que o professor de Geografia aborde o tema: (A) dinâmicas da natureza e as relações com a sociedade moderna. (B) a propriedade da terra no Brasil e a atualidade da reforma agrária. (C) a influência das formas de viver na cidade e no campo e a expansão dos meios de comunicação e dos transportes.

(http://mundoxbelem.files.wordpress.com/2009/11/gersus-charge-online1.jpg)

(D) as revoluções industriais: mudanças nas formas de consumo e seus impactos no meio ambiente local e global.

Tendo como referência os Parâmetros Curriculares Nacionais, trabalhando o tema “Ambiente urbano, indústria e modo de vida”, a charge pode servir de ponto de partida para que o professor de Geografia discuta:

(E) globalização da economia, verticalização das relações econômicas e transformações no campo brasileiro.

(A) espaços de lazer e paisagens urbanas: áreas verdes nas cidades. (B) a verticalização e a produção do clima urbano. (C) as doenças no ambiente urbano metropolitano.

75. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, propõe-se uma série de aprendizagens necessárias para que os alunos possam continuar sua formação nos elementos da repre­ sentação gráfica já iniciada nos dois primeiros ciclos para, posteriormente, trabalhar com a representação cartográfica. Essa série de aprendizagens constitui o(a)

(D) as cidades como centros de consumo de energia. (E) ritmo urbano: a poluição e a qualidade de vida. 78. As Orientações Curriculares para a Geografia no ensino médio propõem o trabalho a partir de conceitos estruturantes, tais como

(A) mapa mental. (B) desenho técnico.

(A) etnia e raça.

(C) croqui geográfico.

(B) nacional e multinacional.

(D) mapeamento consciente.

(C) natural e artificial.

(E) alfabetização cartográfica.

(D) físico e humano. (E) paisagem e região.

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã

18


80. Leia a notícia.

79. Observe as fotos.

A cota de recursos naturais que a natureza poderia oferecer em 2013 se esgotou na última terça-feira (20.08). A data, inclusive, assinalou o Dia da Sobrecarga da Terra, marco anual de quando o consumo humano ultrapassa a capacidade de renovação do planeta. O cálculo foi divulgado pela Global Footprint Network (Rede Global da Pegada Ecológica), organização não governamental (ONG) parceira da rede WWF. (http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-08-24/consumo-ultrapassou-capacidade-de-renovacao-que-terra-poderia-oferecer-em-2013) (http://www.gustavodourado.com.br/feira1.jpg)

Analisando a notícia sob a ótica de Carlos Walter e Rogério Haesbaerth (2006), quando tratam da desordem ambiental mundial, é preocupante o fato de que (A) a maior parte dos recursos é, atualmente, consumida em países subdesenvolvidos do continente africano, em seus esforços para alcançar o nível de industrialização dos países desenvolvidos. (B) o limite dos recursos foi alcançado, sem que as grandes desigualdades de consumo tenham sido resolvidas, especialmente entre os níveis de consumo das populações de países ricos e pobres.

(http://2.bp.blogspot.com/_9LYTZpCuS9c/S8MzFn9OKRI/ AAAAAAAAAhA/LPyGNGE7HFw/s320/14166.JPG)

Abordando a discussão de Milton Santos (2009) a respeito dos limites do que chama de “globalização per­ versa”, os conteúdos das fotos servem de exemplo de que

(C) muitos países ainda adotam políticas de desenvolvimento econômico, uma meta impossível de ser alcançada pela falta de recursos naturais abundantes em escala global.

(A) o Brasil é um país de economia fechada, posto que as atividades mostradas nas fotos são incompatíveis com as formas modernas de produção, presentes nos países que aderiram à proposta de globalização econômica.

(D) o subdesenvolvimento deverá tornar-se uma condição permanente, pois os países de economia atra­ sada serão proibidos de receberem indústrias ou explorarem recursos naturais. (E) os países mais pobres insistam em projetos de desen­ volvimento econômico, mesmo sabendo que, com isso, contribuem para o desequilíbrio ecológico, prejudicando as gerações futuras.

(B) a globalização é somente um discurso ideológico para os países subdesenvolvidos, que ainda mantêm a maior parte de suas economias baseadas no circuito informal de produção, que não absorve muita tecnologia. (C) apesar da imposição dos modernos circuitos de produção, circulação e consumo, formas tradicionais podem coexistir, pois se adaptam a formas de consumo e ritmos específicos das sociedades nacionais e das comunidades locais. (D) o fenômeno da globalização é restrito às grandes metrópoles dos países subdesenvolvidos, como no caso do Brasil, em que as cidades médias e pequenas não participaram das transformações econô­ micas recentes. (E) é preciso acelerar o processo de globalização em curso no país, por meio de políticas que facilitem o livre-comércio, como forma de tornar a economia brasileira mais competitiva, fazendo do Brasil um país de destaque internacional. 19

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manhã


SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達

20


21

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達


SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達

22


23

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達


SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達

24


25

SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達


SEED1303/015-PEB-II-Geografia-Manh達

26



Prova ofa 2013 geografia