Page 90

Não ouvir. "Risco muito sutil que ameaça os líderes cristãos experientes é a incapacidade de saber ouvir colegas mais jovens"('). Todos os obreiros que estão ao redor do pastor merecem ser ouvidos com atenção, e ter oportunidade de contribuir para a obra do Senhor, de forma participativa. O pastor, como líder, precisa não apenas ouvir, mas ter humildade para reconhecer, quando errar, e tomar providências para corrigir-se. Assim se estabelece a autenticidade, e em nada afeta a autoridade, até a fortalece. Perder a Verdadeira Motivação e o Gozo de Servir. O papel mais elevado da liderança cristã é o de servo dos servos. Este foi o exemplo transmitido pelo próprio Senhor Jesus que não veio para ser servido, mas para servir. Dois aspectos não podem ser deixados para trás: o amor que motiva, que leva o servo de Deus a servir sem interesse próprio, mas para glória de Deus; e o gozo desse serviço. "A alegria do Senhor é a vossa força" (Ne 8.10b). "Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cânticos" (SI 100.2). O amor motiva e a alegria fortalece, não obstante as dificuldades e os contratempos. O PREÇO DA LIDERANÇA O Senhor Jesus definiu claramente o preço a ser pago por quem aceita seu convite para liderar: "Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará" (Lc 9.23,24). A liderança otimizada pelos elevados princípios da é-tica cristã exige um preço a ser pago pelo líder. Paulo, ao comparar o obreiro cristão com o atleta romano, afirma que sem autodisciplina não existe prémio (1 Co 9.25-27). E ao escrever a seu discípulo Timóteo, acrescenta: "Igualmente o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas" (2 Tm 2.5). O mesmo escritor dá uma visão mais prática às palavras do Senhor (Lc 9.23,24), quando afirma: (') Liderança Crista - Visão Mundial

98

Teologia pastoral  
Teologia pastoral  
Advertisement