Page 29

f) Cooperador (1 Co 3.9) Cooperador é aquele que trabalha ao lado do operador. Deus é o operador. Ele opera a salvação, os milagres, o crescimento (Jo 1.3-5, 12-13; 3.5; At 3.16; 1 Co 3.7). E sem Ele nada pode ser feito (Jo 15.4,5; 1 Co 3.5,6). O ministro é chamado para estar ao lado do Senhor e se constituir no instrumento que Ele usa no devido tempo. g) Homem de Deus (1 Tm 6.11/ Este título fala muito mais do testemunho pessoal do ministro. Ele deve ser reconhecido na comunidade onde vive e serve como um homem de Deus. Na Velha Aliança, muitos deram exemplo e foram como tal reconhecidos (Dt 33.1; Jz 13.6; 1 Sm 2.27; 1 Rs 12.2; 2 Rs 1.9; 2 Cr 8.14; Jr 35.4). h) Ministro São muitas as qualificações nas quais se emprega este termo: ministro de Cristo, ministro da Palavra, ministro da justiça, ministro de Deus, ministro do Novo Testamento, ministro do Evangelho, etc. Cada uma identificando o ministro dentro da sua nobre missão. i) Servo Paulo, Pedro, Tiago e Judas se autodenominam de servos de Deus e de Cristo (Rm 1.1; Fp 1.1; Tt 1.1; 2 Pe 1.1; Tg 1.1; Jd 1). Quando lemos os textos paulinos, parece que notamos ser este o título que mais o honrava. Realmente, o ministro consciente de sua vocação sente-se feliz de ser servo de Deus. Um servo de "orelhas furadas" (Êx 21.6), isto é, para sempre pertencer ao Senhor, porque o ama. O servo não tem direitos e sempre depende de seu senhor. Sejamos servos do Deus Altíssimo e com alegria (2 Tm 2.24).

32

'

Teologia pastoral  
Teologia pastoral  
Advertisement