Page 1

Por: J. Lima, J. Sousa, S. Feitosa


Pitelim e o Céu!

Por: J. Lima, J. Sousa , S. Feitosa

Ciba que é sempre muito curioso, Conforme o tempo vai passando Sempre encontra uma forma Pra continuar estudando Cada dia fica mais inteligente E nos livros vai pesquisando Olha tudo com muita atenção Pois é um cabra muito observador Quando um dia vinha da escola Um fenômeno interessante se passou Ele ficou tão impressionado E disse agora pra casa eu vou Mas quando chegou lá Tava todo mundo muito assustado, O dia tinha virado noite Como se o Sol tivesse sido apagado Teve gente inté que passou mal Por ter ficado tão agoniado


Então ciba começou a falar como ocorreu esse fato interessante Falou que aquilo foi um eclipse Um fenômeno muito entrigante Pode deixar que vou explicar a vocês O que aconteceu nesse instante O eclipse acontece quando a Lua Na sombra da Terra começa a entrar Se ela começa a desaparecer no céu temos assim um eclipse lunar E se a Terra é atingida pela sombra da Lua Acontece um eclipse solar Com isso o povo ficou mais calmo E começaram a achar o fenômeno bonito Foi todo mundo para fora de casa E ninguém mais achava aquilo esquisito Mas Pitelim ficou encucado Com uma coisa que lhe contou seu Vitor Ele tinha falado outro dia Que a Terra é bem maior que a Lua, E o Sol muito mais maior que a Terra E ficou pensando alí parado na rua, Ciba venha aqui depressa Que preciso de uma grande ajuda sua


Se o Sol é bem maior que a Lua Como aparecem do mesmo tamanho, Não consigo entender esse fato Para mim isso é muito estranho Parece mais inté com uma mentira Inventada por um cabra medonho Pai preste bastante atenção Que eu vou tentar explica a você, O Sol é 400 vezes maior que a Lua Escute bem pro senhor entender Mas ele está 400 vezes mais longe Por isso que esse fato pode ocorrer Ciba você é muito inteligente Mas explique um coisa pra mim A Terra gira ao redor do Sol Mas num parece que é assim O Sol passa sempre todo dia Dando volta em cima do veim Meu pai essa confusão Existiu também antigamente O povo todo acreditava Que o sol girava elegantemente Dando volta ao redor da terra Mas as coisas são diferente


Por causa desse movimento Todo mundo assim pensava A Terra é o centro do universo De outra forma não se imaginava Batizaram de Geocentrismo Teoria que ninguém questionava Mas como em todo canto existe um cabra teimoso Lá apareceu um caboclo com uma fama de curioso Chamado Nicolau Copérnico Que deixou o povo duvidoso Dizendo que era o contrário Mas quase ninguém lhe escutou O pobre foi desacreditado E sua teoria num vingou Passaram-se muito tempo E outro caboclo chegou Esse era mais valente Lutou quase até o fim Provou o Héliocentrismo Teoria mais ou menos assim Os planetas giram em torno do Sol E pode acreditar em mim


Meu pai, esse caboclo se chama Galileu Galilei Construiu um telescópio Pra estudar todas as lei Existente no universo E nesse assunto ele foi rei Como naquela época Quem mandava era a igreja Perseguiram ele de todo jeito Foi grande a sua peleja Teve que reunuciar sua idéia Pra num ter sua cabeça na bandeja Com o passar do tempo a burguesia foi reinando Com as teorias de Galileu O povo foi se acostumando Aí veio Johanes Kepler E essa teoria foi se adaptando Ele provou que os planetas Não giram de forma circular Fazem uma órbita elíptica Quase que de forma regular Dependendo da distancia do Sol Sua velocidade pode alterar


Esse movimento em volta do Sol É chamado de translação Mas também existe outro Conhecido por rotação Onde ela gira em torno de si Formando o dia e a noite então E ainda digo ao sinhô A Terra tem um certo inclinamento Que é responsável pelo inverno e o verão Aquele tempo de tormento Onde nós planta as semente Sem chover em nenhum momento E ainda digo mais meu pai Pro sinhô ficar intendido Tem mais outras duas estação Que passou despecebido A primavera e o outono Que aqui num tem ocorrido Nisso as horas foi passando E começou a escurecer O assunto estava tão bom Que não viram o tempo correr Pitelim olhou pro céu E as estrelas pôde perceber


Olhou logo de um relance As estrelas começou a contar Depois perguntou a Ciba Quantas estrelas tinha lá Já que tem tanta estrela Essa você não vai acertar Ciba muito estudioso Tinha visto na revista Embora tenha tanta estrela Que num caiba numa lista Entre 1000 e 1500 delas Numa noite escura é vista Mas meu filho ouvi falar De umas tá de constelação Toda noite olho pro céu Num consigo ver nenhuma não Quem inventou esse troço Que é uma grande complicação Foi os astrônomos antiguamente Que inventaram essa mania Olhavam sempre o céu E as estrelas eles unia imaginando formar figuras E assim as constelações surgia


Na antiguidade era usada Pra auxiliar na navegação Que foram de grande importância Pra o desenvolvimento das nação Assim durante muito tempo Esse era o método de orientação Dependendo do lugar Em que se encontra a população Sempre terá uma estrela Que lhe dirá sua posição Assim pra lhe orientar Sempre tem uma constelação Meu pai preste atenção Vou dar um exemplo pro sinhô Existe o cruzeiro do sul Como nos ensinou vovô Tem a constelação de Orion Que foi um grande caçador Agora vamos pra casa Eu tou com uma fome medonha mainha tá com a janta na mesa Tem uma bacia de pamonha Vamo simbora comê Antes que a lua se ponha.


Literatura de Cordel e Popularização da Ciência: uma experiência no Ensino de Física

Jean Moisés de Sousa1 Josenildo Maria de Lima2 Samuel dos Santos Feitosa3 Célio Jardel da Silva4

1. jean.sousa@hotmail.com 2. josenildomaria@yahoo.com.br 3. samuel_feitosa_santos@hotmail.com 4. celiojardel@yahoo.com.br

Astronomia  

Cordel sobre Astronomia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you