Page 1

Director: Luís Francisco Cordeiro Marques | SEMANÁRIO | Fundado em 1933 | Ano LXXVII | Sai à quinta-feira | Preço: 0,60 € TEL. 231 422 870 | TEL. & FAX 231 420 989 | geral@jornalboanova.com | N.º 3195 | 7 de fevereiro de 2013

Descrença Esperança Horizonte Caos Harmonia Beleza

Pedro Pita

filósofo

Maria Carlos

dança e museu

Imposição Liberdade Sedução Redutor Universal Fascínio

Tyes e Joe tatuagens

pub

No dia de são Valentim venha conhecer os nossos espaços! Faça a sua reserva: Tel.: 231 420 010 Tlm.: 922 222 458 Largo do Romal, 16 . 3060-129 Cantanhede


2 Zoom sumário

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

Editorial: A ‘fantasia’ e o ‘jogo’ p. 2 Secretário de Estado da Saúde garante financiamento para cuidados continuados do Rovisco Pais p. 3 A força do Evangelho p. 4 Arciprestado de Cantanhede prepara Dia da Igreja Diocesana em Febres p. 5 Aluno da EB 2,3 de Arazede premiado na XI edição concurso “Artistas Digitais p. 6 Corticeiro de Cima: Festa do Credo p. 7 Tocha: Escuteiros organizam 1.ª Feira de Produtos Regionais p. 8

Luís Francisco Marques

editorial

luisfranciscomarques@gmail.com

A ‘fantasia’ e o ‘jogo’

Porque é Carnaval, a ‘fantasia’ e o ‘jogo’, com prece orante, jejum purificante e penitência convertente… Colocar uma máscara e adornar um corpo constitui um instante de eternidade, que suspende o tempo e nos transporta para um mundo de possibilidades que parecem infindáveis. Há um resíduo de transcendência que a fantasia faz renascer. O jogo do disfarce actualiza uma certa capacidade humana de superação e é um acto criador e criativo, onde somos sempre protagonistas e nunca indiferentes. Mesmo quando o queremos ser, essa é já uma opção de (não) presença. A ‘fantasia’ e o ‘jogo’ colocam a contracenar o ide-

al e o real. Alienação, dirão uns. Superficialidade, opinarão outros. Mas, seguramente, defrontamo-nos com um grito de ipiranga emancipador, que, por uma vez, se revolta com as fronteiras, os protocolos e as formalidades. Tudo, para, por uma vez mesmo que seja, poder viver uma experiência de liberdade dialogada, sem cálculos nem defesas, com a vantagem acrescentada de ser socialmente legitimada. O ‘jogo’ e a ‘fantasia’ são catarse que diz o contido e sente o reprimido, antídoto para a depressão e equilíbrio de descompensações e carências. São a excepção necessária num Mundo que tem de dar a si mesmo o direito de não ser sempre ‘certinho’. Neste sentido, constituem possibilidade de aprendizagem da derrota, do fracasso e do recomeço.

A ‘fantasia’ e o ‘jogo’ revelam-se ensaios de narrativa onde somos sempre actores ou texto, coreógrafos, cenografistas ou outra coisa qualquer. Lembram ao humano que ser social não se resume ao consumo de produções alheias, com dobragem ou legendas. É o exercício da criatividade, ainda que com a vaidade secreta e discreta de deixar no tempo a nossa impressão digital. O ‘jogo’ e a ‘fantasia’ plasmam alegria e sorrisos honestos e espontâneos, apesar de todas as possibilidades e razões de tonalidade contrária. Seguramente que não vencem, mas certamente que roubam espaço ao cinzentismo melancólico que destrói as utopias. Vem à luz o humor como virtude inteligente da busca do discernimento e da proporção. Distingue-se da ‘galhofa’ ocasional mas

necessária, porque ser sempre sério é patologia crónica. E derrota a casmurrice, que enrruga o rosto e repulsa todos os outros rostos. A ‘fantasia’ e o ‘jogo’ são um hábito que não torna necessariamente ninguém monge. Até convém que tal conversão não aconteça, de modo primordial pelo menos, por esta via. Por paradoxal que pareça, ‘brincar’ com isso pode ser uma oportunidade para recolocar no seu devido lugar (meio e não fim) os rótulos, as fardas e todos os demais adereços que, tantas vezes, queremos confundir com identidade e com outras intenções piedosas, que se podem converter em máscaras a tempo inteiro. O ‘jogo’ e a ‘fantasia’ são experiências teatrais de relação, momentos interiores e partilhados de projecto, espaços onde o medo se vence e

o conjunto impulsiona a superação. Trata-se do contraponto de uma Humanidade vegetativa e sobrevivente, a sugar sofregamente as sobras de ar puro e a tentar simplesmente não claudicar diante das intempéries. Finalmente, a ‘fantasia’ e o‘jogo’ são o espaço privilegiado da sátira e da crítica, de espírito positivo e construtivo, denunciador e prenunciador, escutada e lida com o espírito desportivista de quem professa um permanente acto de fé na bondade do senso comum. Distanciamonos, ainda que por instantes, de uma Humanidade acrítica e acenadora com ‘sins’ obedientes tantas vezes resultantes de uma profunda discordância interior. Porque é Carnaval e porque algumas destas coisas, pelo menos, são também jejum, penitência e oração…

pub

reparar

Missão País: viver segundo a caridade cristã p. 9 A arte: fruição gratuita de tempos, horizontes e liberdades p. 10 e 11 Rostos: Victor Damião p. 12

(N)O PAÍS

(N)O MUNDO

Avós ficam deprimidos com emigração dos netos A partida de familiares está na origem de depressões e os médicos revelam preocupação com atual fragilidade da população. Há cada vez mais avós e mães que entram em depressão porque não aguentam ver emigrar os que amam. Nos últimos dois anos, 250 mil saíram do país, entre os quais milhares de crianças.

Ministra alemã fica sem título de doutora por ter plagiado tese A Universidade de Dusseldorf, no oeste da Alemanha, decidiu na passada terça-feira retirar o título de doutora à ministra alemã da Educação, Annette Schavan, acusada de ter plagiado a sua tese de doutoramento.

Futebol: Nogueirense e Tocha empataram no dérbi p. 16 Atletismo: Gira Sol/ Ramos Catarino garante presença na I Divisão do “Nacional” de Clubes p. 17

Já sabes de que te vais mascarar? Sim, de rica.

?!

Mesmo que seja mentira, acreditam

facilmente e passo a poder fazer tudo…

És capaz de ter razão.

Pensa nisso, pode ser que pegue. E Carnaval é sempre que o Homem quer.

Natação: Atletas da SCC batem novos recordes pessoais em Braga p. 18 João Moura anuncia recandidatura à Câmara Municipal de Cantanhede p. 20

Texto Xico Ilustração Dalila Assis


Atualidade 3

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

GARANTIA FOI DEIXADA POR FERNANDO LEAL DA COSTA,M DURANTE UMA VISTA AO ROVISCO PAIS

“Hospital de Cantanhede continuará a ser um hospital do SNS” Secretário de Estado da Saúde anunciou funcionamento de mais 30 camas na Unidade de Convalescença do Centro de Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais até meados de 2013

pub

Morada Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, n.º 330, 3060-163 Cantanhede e-mail: geral@jornalboanova.com

www.jornalboanova.com pub

ASSEMBLEIA GERAL DE COMPARTES DOS BALDIOS DA FREGUESIA DA TOCHA Ao abrigo do artigo 18 do Decreto de Lei n.º 68/93, convocam-se todos os Compartes dos Baldios da Freguesia da Tocha para uma Assembleia Geral Ordinária (2.ª convocatória) a realizar no salão nobre da Junta de Freguesia da Tocha, no dia 15 fevereiro (sexta-feira) de 2013 pelas 21.00 horas e com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apresentação e votação do Relatório de Contas referente ao ano 2012. 2. Apresentação e votação do Plano de Atividades para o ano 2013. 3. Outros assuntos de interesse. Tocha, 02 de fevereiro de 2013. O presidente da Assembleia Geral Fernando Manuel Monteiro Pais Alves

> Mirla Ferreira Rodrigues, texto e foto

O Hospital do Arcebispo João Crisóstomo (HAJC) vai continuar a ser um hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS), “exatamente com as mesmas respostas que lá se mantêm e que são aquelas que estão a dar” e sem “redução de postos de trabalho por força da eventual passagem da gestão para a Santa Casa da Misericórdia”. A garantia foi deixada pelo secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, durante uma visita ao Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais, na passada sexta-feira. “ Esta é uma ideia antiga, não é uma imposição da Troika, mas sim uma resposta em termos do que o Serviço Nacional de Saúde (SN) pensa ser a melhor forma de gerir determinadas unidades. Há um conjunto de unidades, que já eram das Misericórdias, que em determinada altura passaram para gestão total do SNS, e sobre as quais está pensado devolver a gestão, e apenas isso, às Santas Casas de Misericórdia locais, e nunca à união de Misericórdias no seu todo”, disse aos jornalistas. Segundo Fernando Leal da Costa, no caso de Cantanhede e de outro pequenos hospitais, está a decorrer “a negociação sobre quais os melhores moldes em pode fazer-se isso e encontrar um acorde de gestão que salvaguarde – e isso para nós é muito importante – que os funcionários do Hospital lá continuarão, que o Hospital continuará a ser um hospital do SNS, exatamente com as mesmas respostas que lá se mantêm e que são aquelas que estão a dar, como no caso de Cantanhede, que conheço bem, com grande sucesso à população que o procura”. Ficou ainda a garantia, do representante da tutela, de que “não há nenhuma especificidade de redução de postos de trabalho por força da eventual passagem da gestão para a Santa Casa da Misericórdia” nem que “existam quadros excedentários”. “Qualquer confabulação de que o hospital vai ser privatizado, que vai sair da esfera do SNS, que as pessoas vão perder o emprego ou que as valências vão desaparecer não faz qualquer sentido”, conclui o secretário de Estado, reconhecendo que as negociações continuarão a decorrer até que fiquem acauteladas “um conjunto de circunstâncias contratuais entre o Estado e as restantes entidades”. Quanto ao rumor de que a ambulância SIV poderia sair de Cantanhede, e que cuja preocupação foi transmitida por João Moura nunca carta entregue a Fernando Leal da Costa, ficou a promessa de que a viatura “não sairá de Cantanhede”.

VENDE

Atendimento: Rua Henrique Barreto, C. Comercial Rossio, Loja 28, Cantanhede

Tel./Fax: 231 451 702 | Tlm.: 961 408 598 Abertos também ao fim-de-semana Med. Imobiliária Lda. AMI 5856

Solução prometida

(Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013) pub

CARTÓRIO NOTARIAL DE MIRA JUSTIFICAÇÃO

Durante a visita ao Centro de Medicina de Reabilitação da Certifico, para fins de publicação, que por escritura de trinta e um de Janeiro de Região Centro – Rovisco Pais, o secretário de Estado da Saúdois mil e treze, iniciada a folhas quarenta e seis, do livro de notas para escrituras de, Fernando Leal da Costa, teve oportunidade de conhecer diversas número Oitenta e sete - E, deste Cartório, a cargo da Notária Lic. Carla as várias unidades em funcionamento naquele complexo, Maria Lopes Fonseca, foi lavrada uma escritura de justificação, na qual LÚCIA DE FÁTIMA MIRANDA AUXILIAR SIMÃO e marido ANTÓNIO JOSÉ com destaque para a Unidade de Convalescença, que está a TEIXEIRA SIMÃO, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele funcionar atualmente com 50 por cento da sua capacidade e da freguesia de Febres, concelho de Cantanhede e ela da freguesia e concelho de continua com 30 camas por ocupar. Mira, residentes na Rua Principal, nº 220, no lugar de Corticeiro de Baixo, freguesia de Carapelhos, concelho de Mira, NIF 142 007 455 e 178 465 569, justificaram Numa visita guiada pelo presidente do conselho de adpor não possuírem título, a aquisição com base na usucapião dos bens imóveis ministração do Centro de Medicina de Reabilitação da Rea seguir identificados, ambos situados na freguesia de Febres, concelho de Cangião Centro – Rovisco Pais, o médico Luís André Rodritanhede: Prédio rústico, composto de terra de semeadura, sito em Vilamar Norte, com gues, os pedidos de colaboração não ficaram sem resposta. a área de mil duzentos e sessenta metros quadrados, a confrontar de norte com “Estamos a falar de condicionar um conjunto de algumas Manuel Jesus Manata, sul com Amadeu Heleno Rato, nascente com vala e poente propostas que existem para utilização deste piso, que neste com Manuel Joaquim de Almeida, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 4255, com o valor momento está completamente equipado mas que não tem patrimonial tributário de 31,05€ e de IMT de 921,78€, a que atribuem valor igual ainda doentes a utiliza-lo. Existem duas ou três propostas a este último. interessantes, que estivemos a discutir durante esta visita… Prédio rústico, composto de terra de semeadura, sito em Vilamar Norte, com a área de três mil novecentos e vinte metros quadrados, a confrontar de norte com sobre essa matéria há ideias muito concretas e até meados Maria Domingos Pereira, sul com Amadeu José Miranda, nascente com Manuel de 2013 deveremos ter uma solução para estas 30 camas”, Tarelho Patrão e poente com vala, não descrito na Conservatória do Registo Preafirmou aos jornalistas o representante da tutela, no final dial de Cantanhede, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 4282, com o valor patrimonial tributário de 87,33€ e de IMT de 2.593,36€, a que atribuem valor igual da visita. As hipóteses passam, sobretudo, pela reabilitação, a este último. e o Jornal Boa Nova sabe que a transferência de doentes Que ambos os prédios encontram-se inscritos na matriz em nome de Manuel de vítimas de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), que se Oliveira Auxiliar. Que os mesmos vieram à posse dos justificantes, por doação meramente verbal feita a ambos, já no estado de casados, no ano de mil novecentos encontram em recuperação, dos hospitais centrais, é uma e noventa, pelos pais da justificante mulher, o mencionado Manuel de Oliveira Auxiforte possibilidade para esta Unidade de Convalescença. liar e mulher Otília dos Santos Miranda, ele já falecido e ela residente no dito lugar O problema, garante Fernando Leal da Costa, não se de Corticeiro de Baixo, mas desde logo entraram na posse e fruição dos imóveis, em nome próprio, posse que assim detêm há mais de vinte anos, sem interrupção trata de financiamento ou de disponibilização de verbas, ou ocultação de quem quer que seja. que já estará acordada com a Administração Regional de Está conforme. Saúde (ARS) do Centro, mas sim “abrir 30 camas que sirCartório Notarial de Mira, 31 de Janeiro de 2013. A Colaboradora, com poderes delegados vam realmente as necessidades dos doentes”. “O que está realmente em causa é a tomada de decisão relativamente Foi emitido recibo com o nº127/2013. sobre qual o melhor destino a dar às 30 camas, que foConta registada sob o n.º 125/2013. (Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013) ram numa primeira aposta consideradas para ser todas de convalescença – e não vão pub deixar de o ser –, e perceber qual a melhor tipologia de doentes que vamos para Dr.ª M. Cristina Clemente aqui transferir, utilizando ao máximo as capacidades Cirurgia Dentista — Correcção Dentária deste centro de medicina e — Aberto todos os dias e Sábados de manhã — reabilitação, garantindo o equilíbrio para toda a zona Largo Pedro Teixeira, 29, 1.º A, CANTANHEDE | Tlf 231 429 952 centro.”

Moradia T4 3 Pisos Cantanhede Cozinha equipada Sala grande com recuperador 3 Casas de banhos Anexos c/ Garagem Bons acabamentos

MILCLIN – Clínica Dentária, Lda.

VENDE

Moradia T3 Cantanhede Com sótão amplo 2 Casas de banho Cozinha nova equipada Aquecimento completo também a pelets Churrasqueira e terraço

VENDE

Moradia Térrea T3 Mira 10mn de Cantanhede Com garagem e churrasqueira Quintal com 400m2 165.000€

VENDE

Apartamento T2 Praia de Mira Totalmente remodelado Varanda grande 1.ª linha da Praia Com cave para estacionamento

VENDE

pub

Apartamento T2 Praia de Mira 102m2+3 varandas Cozinha grande com copa Sala com lareira Vista de Mar e Barrinha 105.000€


4 Fé e Cultura V DOMINGO DO TEMPO COMUM 10 de fevereiro de 2013 ANO C PARAMENTOS DE COR VERDE LEITURA I Is 6, 1-2a.3-8

Do Livro de Isaías

No ano em que morreu Ozias, rei de Judá, vi o Senhor, sentado num trono alto e sublime; a fímbria do seu manto enchia o templo. À sua volta estavam serafins de pé, que tinham seis asas cada um e clamavam alternadamente, dizendo: «Santo, santo, santo é o Senhor do Universo. A sua glória enche toda a terra!». Com estes brados as portas oscilavam nos seus gonzos e o templo enchia-se de fumo. Então exclamei: «Ai de mim, que estou perdido, porque sou um homem de lábios impuros, moro no meio de um povo de lábios impuros e os meus olhos viram o Rei, Senhor do Universo». Um dos serafins voou ao meu encontro, tendo na mão um carvão ardente que tirara do altar com uma tenaz. Tocou-me com ele na boca e disse-me: «Isto tocou os teus lábios: desapareceu o teu pecado, foi perdoada a tua culpa». Ouvi então a voz do Senhor, que dizia: «Quem enviarei? Quem irá por nós?». Eu respondi: «Eis-me aqui: podeis enviar-me».

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

Do Falar ao Agir A força do Evangelho O episódio de uma pesca surpreendente e inesperada no lago da Galileia foi redigido pelo evangelista Lucas para infundir alento à Igreja quando experimenta que todos os seus esforços para comunicar a sua mensagem fracassam. O que se nos diz é muito claro: temos de colocar a nossa esperança na força e na atração do Evangelho. O relato começa com uma cena insólita. Jesus está de pé nas margens do lago e ‘’as pessoas vão-se agrupando em seu redor para escutar a Palavra de Deus.’’ Não vêm movidos pela curiosidade. Não se aproximam para ver prodígios. Apenas querem escutar de Jesus a Palavra de Deus. Não é Sábado. Não estão congregados nas proximidades da sinagoga de Cafarnaúm para ouvir as leituras que se leem ao povo ao longo do ano. Não subiram a Jerusalém para escutar os sacerdotes do Templo. O que os atrai tanto é o Evangelho do Profeta Jesus, recusado pelos vizinhos de Nazaré. Também a cena da pesca é insólita. Quando de noite, no tempo mais favorável para pescar, Pedro e os seus companheiros trabalham por sua conta, não obtêm nenhum resultado. Quando, já de dia, fecham as redes confiando apenas na Palavra de Jesus que orienta o seu trabalho, produz-se uma pesca abundante, contra todas as suas expectativas.

Por detrás dos dados que tornam cada vez mais patente a crise do cristianismo entre nós, há um facto inegável: a Igreja está a perder de modo imparável o poder de atração e a credibilidade que tinha apenas há poucos anos. Nós, cristãos, vimos experimentando que a nossa capacidade para transmitir a fé às novas gerações é cada vez menor. Não faltaram esforços e iniciativas. Mas, segundo parece, não se trata primordialmente de inventar novas estratégias. Chegou o momento de recordar que no Evangelho há uma força de atração que não há em nós. Esta é a pergunta mais decisiva: Continuamos a ‘’fazer coisas’’ a partir de uma Igreja que vai perdendo capacidade de atração e credibilidade, ou colocamos todas as nossas forças e energias a recuperar o Evangelho como a única força capaz de suscitar fé nos homens e nas mulheres de hoje? Não temos de colocar o Evangelho em primeiro plano em relação a tudo? O mais importante nestes momentos críticos não são as doutrinas elaboradas ao longo dos séculos, mas sim a vida e a pessoa de Jesus. O decisivo não é que as pessoas venham tomar parte nas nossas coisas, mas que possam entrar em contacto com o Evangelho. A fé cristã apenas se desperta quando as pessoas descobrem o fogo de Jesus. José António Pagola – Padre e teólogo espanhol 10 de Fevereiro de 2013 V Domingo do Tempo Comum _ C Lc 5, 1-11.

LEITURA II – Forma breve 1 Cor 15, 3-8.11

Da Primeira Epístola do apóstolo S. Paulo aos Coríntios Irmãos: Transmiti-vos em primeiro lugar o que eu mesmo recebi: Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras; foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e apareceu a Pedro e depois aos Doze. Em seguida apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maior parte ainda vive, enquanto alguns já faleceram. Posteriormente apareceu a Tiago e depois a todos os Apóstolos. Em último lugar, apareceu-me também a mim, como o abortivo. Tanto eu como eles, é assim que pregamos e foi assim que vós acreditastes. EVANGELHO Lc 5, 1-11

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo, estava a multidão aglomerada em volta de Jesus, para ouvir a palavra de Deus. Ele encontrava-Se na margem do lago de Genesaré e viu dois barcos estacionados no lago. Os pescadores tinham deixado os barcos e estavam a lavar as redes. Jesus subiu para um barco, que era de Simão, e pediu-lhe que se afastasse um pouco da terra. Depois sentou-Se e do barco pôs-Se a ensinar a multidão. Quando acabou de falar, disse a Simão: «Faz-te ao largo e lançai as redes para a pesca». Respondeu-Lhe Simão: «Mestre, andámos na faina toda a noite e não apanhámos nada. Mas, já que o dizes, lançarei as redes». Eles assim fizeram e apanharam tão grande quantidade de peixes que as redes começavam a romper-se. Fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para os virem ajudar; eles vieram e encheram ambos os barcos, de tal modo que quase se afundavam. Ao ver o sucedido, Simão Pedro lançou-se aos pés de Jesus e disse-Lhe: «Senhor, afasta-Te de mim, que sou um homem pecador». Na verdade, o temor tinha-se apoderado dele e de todos os seus companheiros, por causa da pesca realizada. Isto mesmo sucedeu a Tiago e a João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. Jesus disse a Simão: «Não temas. Daqui em diante serás pescador de homens». Tendo conduzido os barcos para terra, eles deixaram tudo e seguiram Jesus.

Fonte: http://blogs.periodistadigital.com/buenas-noticias.

ca

php/2013/02/04/la-fuerza-del-evangelio-1

Compreender mais, celebrar melhor Introdução às leituras A liturgia deste domingo leva-nos a refletir sobre a nossa vocação: somos todos chamados por Deus e d’Ele recebemos uma missão para o mundo. Na primeira leitura, encontramos a descrição plástica do chamamento de um profeta – Isaías. De uma forma simples e questionadora, apresenta-se o modelo de um homem que é sensível aos apelos de Deus e que tem a coragem de aceitar ser enviado. No Evangelho, Lucas apresenta um grupo de discípulos que partilharam a barca com Jesus, que acolheram as propostas de Jesus, que souberam reconhecê-l’O como seu

“Senhor”, que aceitaram o convite para ser “pescadores de homens” e que deixaram tudo para seguir Jesus… Neste quadro, reconhecemos o caminho que os cristãos são chamados a percorrer. A segunda leitura propõe-nos refletir sobre a ressurreição: trata-se de uma realidade que deve dar forma à vida do discípulo e levá-lo a enfrentar sem medo as forças da injustiça e da morte. Com a sua ação libertadora – que continua a ação de Jesus e que renova os homens e o mundo – o discípulo sabe que está a dar testemunho da ressurreição de Cristo. Fonte: www.dehonianos.org

EUCARISTIAS DOMINICAIS DO CONCELHO DE CANTANHEDE SÁBADO 19h00 — Febres 19h30 — Pena 20h00 — Cadima 21h00 — Ançã, Cantanhede

DOMINGO 08h00 — Cadima 08h30 — Febres 09h00 — Bolho, Murtede, Tocha e Portunhos

10h00 — Corticeiro de Cima, Vilamar 10h15 — Outil 10h30 — Pocariça e Sanguinheira 11h00 — Cordinhã e Sepins 11h30 — Cantanhede, Cadima e São Caetano

12h00 — Covões e Ourentã 12h30 — Ançã

Sugestão de cânticos Entrada Vinde, prostemo-nos Dai a paz, Senhor

(A. Oliveira) – CEC II 25 (M. Faria) – NCT 214

Apresentação dos dons Minha vida tem sentido (Pe. Zezinho) – CAC 176 Quem confia no Senhor (C. Silva) – CPD 443

Comunhão Eu lhe darei a vida (Suzanne) – CAC 237 Demos graças ao Senhor (A. Cartageno) – CEC II 27 Pós- comunhão Dá-nos um coração (J. A. Espinoza) – CAC 238 Final Quero bendizer-vos todos os dias (A. Cartageno) – CD 191 aníbal santos carvalho (Grupo Coral de Cantanhede)


Fé e Cultura 5

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

Comunidade Paroquial de S. Pedro Arciprestado de Cantanhede prepara Dia da Igreja Diocesana Este ano, cada arciprestado organizará localmente as festividades, agendadas para 26 de maio. Febres foi o local escolhido.

concretizar-se e em alguns casos e estão a ir muito para além disso, “com a distribuição de responsabilidades sectoriais pelos sacerdotes, diáconos e leigos, com a promoção de encontros de formação a vários níveis; com uma maior periocidade das reuniões de trabalhos ou de convívio; com o desenvolvimento do espírito de equipa; com uma grande inquietude relativamente ao crescimento da fé dos cristãos e de missão dos não cristãos”. Na linha do que tem sido a reflexão da Diocese nas últimas décadas e de acordo com a letra e o espírito dos Documentos Sinodais, o bom funcionamento dos Arciprestados, tanto a nível da equipa de sacerdotes e diáconos como ao nível da equipa também alargada aos leigos responsáveis, é um meio indispensável para o desenvolvimento dos necessários dinamismos de comunhão eclesial.

Cantanhede, Lemede, Póvoa, Varziela, S. José

Esta será uma oportunidade para a bênção do projeto de namoro e dos namorados, que são convidados a participar na missa. No final, na Praça Marquês de Marialva, haverá um brinde ao amor e “violinos no telhado”.

Oração de Laudes Todos os dias, de segunda a sexta-feira, pelas 8h30, um pequeno grupo reza “Laudes” na igreja matriz de Cantanhede. A comunidade está convidada a participar.

Crianças da Póvoa da Lomba fizeram festa da Palavra e Festa da Luz

Conferências quaresmais em Cantanhede > Mirla Ferreira Rodrigues, texto e foto

Os sacerdotes do Arciprestado de Cantanhede, que engloba as paróquias de Cantanhede e Mira, reuniram -se no Centro Paroquial de São Pedro para preparar as Conferências Quaresmais e as linhas de ação da nova estrutura. Em declarações ao Jornal Boa Nova, o cónego Jerónimo Correia, arcipreste de Cantanhede, deu conta do novo dinamismo que está a ser gerado. “Vamos caminhando o melhor possível, de acordo com aquilo que temos feito. Estamos a dividir o arciprestado em setores, sob orientação de um dos sacerdotes, cujo nome ainda será escolhido”, afirmou. Na próxima reunião, agendada para 26 de fevereiro, haverá mais decisões e inclusivamente será preparado um desdobrável, “para ligação entre os párocos, e que marcará a união do arciprestado”, acrescentou o cónego Jerónimo Correia. A celebração do Dia da Igreja Diocesana ao nível do Arciprestado – que em Cantanhede está agendado para dia 26 de maio, em Febres – será, na sua opinião, “uma grande profissão de Fé de toda a Diocese”. A organização será da responsabilidade de cada arciprestado, onde será feita “uma caminhada”. Para Febres está também pensada uma “serenata a Nossa Senhora, porque estamos no mês de maio”, e outras atividades que serão divulgadas nas próximas semanas. Mudança positiva Ainda no mês passado o bispo de Coimbra revelou que o processo de reestruturação da diocese “está a desenvolver-se a um ritmo bastante bom”, embora haja um ritmo diferente para cada arciprestado e um trabalho muito longo pela frente” para “potenciar e agregar forças que estão um pouco dispersas”. Recorde-se que no decreto de criação dos Arciprestados e de nomeação dos Arciprestes, D. Virgílio Antunes dava algumas indicações básicas e propunha algumas tarefas iniciais: “a realização das reuniões mensais de oração, estudo, partilha, a organização de algumas atividades em conjunto, a criação dos Conselhos Pastorais Arciprestais e a definição das Unidades Pastorais”. No âmbito do Ano da Fé, propôs-se também a organização de um dia de encontro de carácter espiritual no Advento e na Quaresma, bem como a preparação da celebração do Dia da Igreja Diocesana ao nível do Arciprestado, como elementos importantes para a criação do espírito de pertença a esta realidade com nova configuração. Na ocasião, o prelado manifestou-se satisfeito porque na maior parte dos casos estes objetivos estão a

Nas sextas-feiras do tempo da quaresma, vamos desafiar os cristãos à reflexão. Estamos a encetar esforços para fechar as datas e os nomes, mas ainda não o conseguimos. As temáticas andarão à volta da fé, sobretudo a partir do número 9 da ‘Porta da Fé’, de Bento XVI. A fé professada, a fé rezada, a fé vivida e a fé celebrada. Na próxima semana publicaremos o programa integral, o qual, a partir de dia 10 de fevereiro começará a ser divulgado pelas comunidades paroquiais, pela internet e em outros locais de interesse. LF

Eucaristia dos ‘Avós’ e dos ‘Netos’ na igreja matriz, com transmissão online “Celebrar a esperança e o sentido da vida”. É este o desafio proposto pelo padre Luís Francisco, pároco de Cantanhede, para a celebração da Eucaristia dos “Avós” e dos “Netos”, no próximo dia 17 de fevereiro, em Cantanhede. A comunidade é convidada a participar num conjunto de iniciativas que a paróquia de São Pedro está a organizar para esse domingo. A partir das 10h00, no salão paroquial, junto à igreja matriz, realiza-se uma conferência subordinada ao tema “Sofrimento e esperança: fé, humanidade e técnica”, orientada por José Augusto Simões, médico da Unidade de Saúde Familiar Marquês de Marialva, e que se destina, principalmente, a cuidadores de doentes e idosos, familiares, voluntários e técnicos de instituições. Pelas 11h30, na igreja matriz, é celebrada a eucaristia dominical, presidida pelo padre Luís Francisco, com a celebração do Sacramento da Unção dos Doentes e a respetiva transmissão, pela primeira vez, via internet, em www.esfera.pt/jbn. Para um controlo mais rigoroso, os interessados em receber o sacramento devem manifestar a sua intenção no Centro Paroquial, nos serviços da Secretaria Paroquial. Pelas 13h00 haverá um almoço no Centro Paroquial, com inscrição no Centro Paroquial e informações junto das instituições que participarão na eucaristia, para os respetivos utentes. A tarde será destinada ao convívio e à partilha. MFR

Eucaristia da ‘Ala dos Namorados’ No próximo 16 de fevereiro, sábado, é celebrada a Eucaristia da ‘Ala dos Namorados’, pelas 21h00, na igreja Matriz de Cantanhede

Foi na celebração da eucaristia vespertina de 26 de janeiro, na capela de Nossa Senhora das Dores, na Póvoa da Lomba, presidida pelo padre Afonso Reis, que as crianças do terceiro e quarto ano da catequese fizeram a festa da Luz e da Palavra, respetivamente. Os meninos Gonçalo e Simão, orientados pela catequista Stephanie, acederam a vela do seu batismo no círio Pascal. Já os meninos João David, Jacinta e Mafalda, orientados pela catequista Belmira, receberam das mãos do padre Afonso um exemplar da Bíblia Sagrada, símbolo da Palavra de Deus. MFR

Morada Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, n.º 330, 3060-163 Cantanhede e-mail: geral@jornalboanova.com Redação Telefone 231 420 989 noticias@jornalboanova.com Administração Telefone 231 422 870 comercial@jornalboanova.com Fax 231 420 989

celebrações Quinta 7 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz 20h00 – Lemede Sexta 8 de fevereiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz

Sábado 9 de fevereiro EUCARISTIAS 18h00 – Varziela (Festa de Santa Apolónia) 19h45 – Lemede

21h00 – igreja matriz Domingo 10 de fevereiro

EUCARISTIAS 10h00 – São José 11h30 – igreja matriz CELEBRAÇÃO 9h00 – Misericórdia 10h00 – Póvoa da Lomba

Terça 12 de fevereiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz

Quarta 13 de fevereiro (CINZAS) EUCARISTIA 21h00 – missa com imposição de cinzas

Quinta 14 de fevereiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz 20h00 – Póvoa da Lomba


6 Região

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

VI(r)agens

///

Aluno da EB 2,3 de Arazede premiado na XI edição concurso “Artistas Digitais” Jovem reside nos Pelicanos e recebeu distinção a nível nacional por projeto desenvolvido na extinta disciplina de Educação Visual e Tecnológica

dr

Diogo Pagaimo, aluno do 2.º ciclo da EB 2, 3 de Arazede, conquistou o primeiro lugar na XI edição do concurso “Artistas Digitais”, subordinado ao tema do desporto e dos valores olímpicos, na categoria “a minha modalidade olímpica favorita”. A cerimónia de entrega do prémio, realizada a 30 de janeiro, reuniu dezenas de amigos, colegas de escola, professores, entidades e uns pais muito orgulhosos na biblioteca da escola da EB 2, 3 de Arazede. O concurso, promovido pelo Centro de Competência “Entre Mar e Serra” (CCEMS), pretende desenvolver o uso das tecnologias de informação e estimular a criatividade dos alunos. Na ocasião, o diretor geral dos Estabelecimentos Escolares, José Alberto Duarte, felicitou as instituições envolvidas e sublinhou que “os talentos podem ser estar em qualquer lado” e que o sucesso é possível “com a dinâmica dos alunos, professores e escola”. Com palavras de incentivo, o diretor geral da Educação, Fernando Reis, saudou “o empenho e o trabalho desenvolvido”. Ao destacar que o município tem “uma estratégia para as modalidades olímpicas que fazem parte do Centro de Alto Rendimento”, a vereadora Alexandra Ferreira reiterou, igualmente, que a educação “tem sido alvo de uma forte aposta

em Montemor-o-Velho” e que “com a ajuda de todos, com criatividade e inovação, é possível continuar a construir um concelho mais desenvolvido”. De igual modo, a presidente da comissão administrativa provisória do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho (AEMOV), Isabel Verão, referiu a apetência concelhia para a área desportiva e referiu ser “uma honra fazermos parte da lista de premiados”. Para Cristina Jorge, à época, diretora do extinto Agrupamento de Escolas de Arazede e atual adjunta do AEMOV, “o trabalho é fundamental para o sucesso escolar” e o facto de a escola estar inserida no meio rural “nunca poderá ser uma situação inibidora do sucesso”. “Continuamos a acreditar nas potencialidades e nas capacidades de todos os alunos”, concluiu. O trabalho vencedor, e que se debruçou sobre a modalidade da natação, foi desenvolvido na extinta disciplina de Educação Visual e Tecnológica (EVT), lecionada pelas professoras Lina Carvalho e Filomena Neves, no ano letivo 2011/2012. À margem da cerimónia de entrega do prémio, Diogo Pagaimo, residente na localidade dos Pelicanos, referiu que “foi uma surpresa ter ganho, deixou-me muito feliz”. Por agora

ANÇÃ

e de pagamento voluntário por parte dos leigos serve, anualmente, para compensar todos os serviços prestados pelo padre Manuel de Jesus. Quem voluntariamente não cumprir esta obrigação, ficará sujeito ao pagamento de taxas diocesanas referentes aos mesmos serviços (batizados, casamentos, funerais e emissão de documentos). Já foi distribuída uma circular para alertar a comunidade católica local para este dever. Mais informações podem ser obtidas junto dos membros do conselho económico ou do pároco. A entrega da côngrua pode ser feita durante a coleta das eucaristias dominicais.

antónio parreiraL

Desfile de Carnaval Cerca de 500 crianças, jovens, pais e catequistas vão participar no próximo domingo, dia 10 de fevereiro, a partir das 15h30, no habitual desfile de Carnaval, organizado pela catequese de Ançã. Trajados a rigor e orientados pelos seus pais e educadores, os participantes iniciam o cortejo no Terreiro o Paço, percorrendo as principais ruas da vila, terminando novamente no Terreiro do Paço, com muita música e animação. Durante cerca de duas horas a vila assistirá a um animado desfile, no qual crianças, jovens pais e catequistas das várias classes surpreenderão com as fantasias alusivas à quadra carnavalesca. No final será distribuído um lanche a todos os participantes. São Sebastião Nos próximos domingos, a partir das 14h30, os rapazes que realizaram as festas em honra de São Sebastião estarão junto à capela à espera dos mordomos para o pagamento da referida festa. A quantia a entregar por cada mordomo é de 14 euros. Côngrua Paroquial A Côngrua Paroquial, equivalente a um dia de trabalho,

Aviso Avisam-se todos os leitores da paróquia de Ançã que já não é distribuída a folha com o mapa dos nomes dos leitores de cada mês, em virtude da pessoa que estava responsável por essa tarefa estar ausente do País. Como tal, pede-se a compreensão de todos por este incómodo. Por enquanto, resta uma alternativa: verificar o painel dos avisos na Igreja onde se encontra afixado o respetivo mapa dos leitores refente ao mês de fevereiro e seguintes. Preço Certo dr

pub pub

quer aproveitar o prémio – equipamento informático oferecido pela DELL – e, apesar da timidez e admirado com tanta atenção, deixou um desafio aos colegas para que “ganhem inspiração e concorram aos Artistas Digitais”. Os trabalhos premiados integraram uma coleção de pacotes de açúcar da Delta e as escolas receberam livros oferecidos pela editora Gradiva. A cerimónia contou ainda com momentos de poesia e música, a cargo dos alunos da turma de música, orientada pela professora Conceição Luís. ção do município, assinalou simbolicamente a colocação da insígnia neste estabelecimento de ensino distinguido pelos projetos que desenvolveu sobre questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental. Para além dos alunos, docentes e não docentes, envolvidos, estiveram presentes a coordenadora deste projeto na escola, Clara Vaz Gomes e em representação da direção a professora Manuela, assim como técnicos do município que acompanham este projeto. dr

Pedro Cardoso manifestou a sua satisfação pelo facto de ser o quinto ano consecutivo que o CEEA recebe o galardão Bandeira Verde Eco-Escolas, programa de reconhecido mérito pedagógico. O responsável sublinhou ainda que “receber de novo este galardão é bem demonstrativo da preocupação e da aposta que este estabelecimento de ensino faz ao nível da educação ambiental e na sua valorização como forma de educação para a cidadania, simultaneamente representa o reconhecimento pela qualidade do trabalho desenvolvido pelos alunos, professores, pela comunidade escolar”. Granja

Serviços de saúde, Higiene e Segurança no Trabalho • Exames Médicos • Auditorias de Higiene e Segurança • Avaliação de Riscos Ruído Poeira Temperatura Luz R. Palácio da Justiça, Edifício Quinta de S. Mateus r/ch A 3060-208 Cantanhede Telefone: 231 428 758 | fax: 231 428 759 | www.cmsaomateus.pt info@ cmsaomateus.pt

O Grupo Onomástico “Os Josés” de Ançã esteve novamente presente, no dia 30 de janeiro, na gravação do concurso “O Preço Certo”, apresentado por Fernando Mendes. Bandeira verde A Bandeira Verde Eco-Escolas foi hasteada no Centro de Estudos Educativos de Ançã (CEEA). A iniciativa, relativa ao programa Eco-Escolas 20011/2012 promovido pela Secção Portuguesa da Fundação para a Educação Ambiental (FEE) / Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), marca também a participação deste estabelecimento de ensino na nova edição e constituiu uma forma de mobilização dos alunos para este desafio. O vereador da educação, Pedro Cardoso, em representa-

Convívio No próximo dia 11 de fevereiro, os elementos que anualmente andam com o Senhor a beijar pela Páscoa nos lugares da Granja e Gândara, catequistas e mais alguns voluntários zeladores da Capela de Nossa Senhora da Esperança, assim como a própria comissão de culto, vão ter um momento de convívio com jantar e programação de afazeres que se aproximam nesta altura do ano.

BOLHO

rauL cruz

Corta-mato Distrital Escolar A atleta Diana Guerra venceu a prova de juvenis femininos do corta-mato distrital, que se disputou em Coimbra, na passada semana e que contou com a presença de atletas de 60 escolas de todo o distrito. A jovem Diana é residente no lugar de Venda Nova e es-


Região 7

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

tuda na escola Secundária de Cantanhede, que irá de novo representar no campeonato nacional no próximo dia 2 de março. Parabéns para a Diana e votos de mais êxitos. Batida às raposas O Clube de Caçadores da freguesia de Bolho organizou, no dia 27 de janeiro, uma batida às raposas na sua área associativa. Após o pequeno-almoço e a distribuição das portas, caçadores e batedores tomaram posição e a batida começou. No final apenas um animal foi abatido, apesar de terem sido vistos mais dois. No final houve um almoço convívio com leitão assado no salão do edifício da junta, onde se encontra instalado a sede do clube. Está de parabéns a direção, pois todos estavam satisfeitos com a organização.

BOM SUCESSO

Óbito Maria Licínia Jesus Marques Póvoa Neves, de 73 anos, residente que foi do lugar de Pontes, faleceu. A extinta era casada com José Luís Azenha Neves e mãe de Luís e Filipe Neves. A missa de corpo presente teve lugar na igreja paroquial de Cadima, finda a qual foi o corpo a sepultar no cemitério de Ourentã, de onde a extinta era oriunda. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada.

CORTICEIRO DE CIMA

eLsa cavaco

Festa do Credo

dr

Casal Novo

CADIMA

No passado dia 3 de fevereiro, as 18 crianças que frequentam o 5.º ano de catequese celebraram a Festa do Credo. Mostraram perante toda a comunidade a alegria que é descobrir melhor o que é acreditar, o que é ter fé, o que é dizer: Eu Creio. “Eu Creio” é o compromisso que assumimos, enquanto comunidade e pessoalmente. Rezar o Credo é recapitular a mensagem transmitida pelos apóstolos de Cristo, os primeiros a dar testemunho.

FEBRES

José pessoa

ana costa e siLva

Lausperene No próximo dia 10 de fevereiro, às 19h00, têm início as 40 horas de adoração ao Santíssimo Sacramento, com a celebração da Eucaristia. Durante todo este tempo haverá sempre alguém na igreja paroquial de Cadima. Esta adoração terminará, no dia 12, igualmente, com a celebração da Eucaristia. Casal Óbito Aos 72 anos, faleceu Silvina Santos Recacho, residente que foi do lugar de Casal. A extinta era mãe de Paula Cristina e Abel António Santos Costa. As cerimónias fúnebres tiveram lugar na igreja paroquial de Cadima, indo o corpo a sepultar no cemitério local. Que Deus as acolha no seu reino e conforte as famílias enlutadas nesta hora de dor. Pontes Nascimento No dia 7 de janeiro, na maternidade do Centro Hospitalar e Universitário Vaudois, na Suíça, nasceu a menina Ema, filha de David António Gomes Teixeira e de Ana Rita Marques da Cruz, residentes na Suíça. São seus avós paternos António Marques Teixeira e de Célia Maria de Jesus Gomes Teixeira, dos Catarruchos (Arazede) e seus avós maternos Luís Mendes Cruz e de Francelina Marques Carvalheiros, residentes nas Pontes e assinantes do Jornal Boa Nova. Uma vida longa e feliz para a bebé. Parabéns aos pais, avós e demais familiares.

Excursão A Comissão de Festas de São Jorge realizou uma excursão, no sábado, 2 de fevereiro. Começaram por visitar o já famoso Presépio de São Paio de Oleiros, em Santa Maria da Feira. Depois, em São João da Madeira, visitaram o Museu da Chapelaria, onde, além da temática dos chapéus, puderam assistir à inauguração de uma exposição temporária de lenços de Viana, organizada por um grupo de estilistas de Vila Verde. Já no regresso, participaram nas Festas de São Brás, em Ul, Oliveira de Azeméis. Regressaram todos muito satisfeitos pelo convívio e por tudo o que viram. Convalescentes Devido à fratura de um braço e de uma mão, estão de convalescença, respetivamente, Maria Alice Gaspar e seu marido José Marques Cantarinho. Também Marcolino de Jesus se encontra a recuperar de uma cirurgia ao joelho. Votos de rápidas melhoras.

dorindo caMarinho

Óbito Faleceu no dia 8 de janeiro, no Hospital Distrital da Figueira da Foz, Ludovina de Oliveira Santos, de 84 anos, casada com José Certo e mãe de José e de Maria da Graça Oliveira Santos. O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária do Bom Sucesso, passando no dia seguinte pela igreja matriz, onde foi feita a celebração da Palavra. Foi a sepultar no cemitério local. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada.

As maiores venturas para o bebé e parabéns aos novos pais e avós.

Óbitos Faleceu a 25 de janeiro, no CHUC, Clídio Catarino Soares Oliveira, de 76 anos, natural e residente em Febres. O extinto era casado com Maria Amélia Batista Oliveira e pai de Maria Paula, Dulce, Dorinda Maria e Maria Amélia Batista Oliveira Costa. O funeral realizou-se na tarde de domingo, para o cemitério local, depois de celebradas as exéquias fúnebres. No dia 29 de janeiro faleceu, na sua residência, Glória Gomes Bento, de 92 anos, residente nas Lagoas. A extinta era casada com Justino Mendes, e ainda no passado dia 6 de janeiro tinham festejado 70 anos de casados. A última viva de oito irmãos, a extinta era mãe de oito filhos – Maria Zilda, Arménia, Maria Celeste, Maria Lúcia, Manuel, Maria Idalina, Maria Lucinda e Maria do Céu Bento Mendes –, dez netos e sete bisnetos. O funeral realizou-se no dia seguinte, para o cemitério de Febres, depois de celebradas as cerimónias fúnebres. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada. Movimento paroquial No ano de 2012 a paróquia de Febres registou 28 batismos, 14 casamentos e 57 óbitos. Destes 57, 11 foram registados na Fontinha e sete na Pedreira, o valor mais alto desde 1999, quando foram registados 23 falecimentos.

LEMEDE

ManueL sebastiÃo

Nascimento Em 28 de janeiro, na maternidade Dr. Daniel de Matos, em Coimbra, deu à luz um menino, a quem foi posto o nome de Xavier, Sara Alexandra de Jesus Oliveira, esposa de Paulo Alexandre Inocêncio Pessoa. pub

pub

RestauRante 7 Fontes Alcides Ferreira Unipessoal, Lda.

Rua do Sol Nascente, n.º 14 . sete Fontes . 231 429 674

Peditório A Comissão de Festas de São Jorge está a iniciar o peditório no lugar. Que, apesar da crise, tenha bom acolhimento.

MONTEMOR

dorindo caMarinho

Liceia Óbito No dia 25 de janeiro faleceu, na sua residência, no Viso, Maria da Conceição Cardosa, de 91 anos. A extinta era viúva de Manuel Gonçalves Lé Júnior e mãe de Manuel, Alcínio, António e de Maria Aurora Cardoso Lé. O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária de Liceia, onde foi celebrada missa de corpo presente. Foi a sepultar no cemitério local. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada.

OURENTÃ

FiLipe FiGueiredo

Catequese No dia 27 de janeiro, durante a celebração da missa vespertina, dez crianças do 4.º ano de catequese, orientadas pela catequista Donzília Santos, festejaram a festa da Palavra. A celebração contou com a participação não só das crianças envolvidas mas também dos seus pais, que fizeram questão de marcar presença. No final da eucaristia o padre Vidal entregou a cada uma das crianças uma Bíblia. Cedro Tal com havia sido publicamente anunciado, no dia 27 de pub


8 Região

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

janeiro a comissão fabriqueira procedeu à venda do cedro que se encontrava caído no adro da igreja. Após a apresentação de algumas propostas, a árvore acabaria por ser arrematada no valor 190 euros. A ocasião foi ainda aproveitada para auscultar os presentes no sentido de se escolher duas árvores que ocupassem o lugar onde outrora se encontravam os dois antigos cedros. Após alguma discussão, os presentes acabariam por propor a plantação de duas oliveiras.

PENA

irene moço

Acidente Quando circulava na sua moto quatro, o jovem José Filipe, filho de José Fernando bastos e de Otília Andrade, embateu numa viatura ligeira e sofreu alguns ferimentos ligeiros. Depois de socorrido pelo INEM foi assistido no CHUC e regressou a casa no mesmo dia, encontrando-se em convalescença. Votos de rápidas melhoras. Visita Encontra-se na Pena, para visitar a sua mãe Benedita Marques, os nossos assinantes Isabel Reis e o marido Arménio Almeida, que se encontram radicados no Canadá. Votos de boa estadia e de bom regresso ao país de acolhimento. Donativo O Jornal Boa Nova recebeu da nossa assinante Rosenda Pinheiro, residente na Pena, um donativo para ajudar o semanário, na sequência do pedido de partilha feito pelo padre Luís Francisco. Bem haja e que outros lhe sigam o exemplo.

POCARIÇA

VÍTOR BATISTA

Carnaval Com a chegada desta quadra já andam em movimento e com muita energia os grupos que vão desfilar pelas ruas da freguesia no domingo gordo e na terça-feira de Carnaval, e esperamos que tragam a folia de outros tempos. Sábado, pelas 21h30, haverá um baile no Polidesportivo com a presença de um DJ, que animará pela noite dentro e atuará numa tenda gigante montada para o efeito. Haverá bar permanente com as tradicionais bifanas e petiscos, regados com o vinho da região. A organização pertence à Comissão de Festas de Nossa Senhora das Dores 2013. Doentes Nos CHUC foram operados os nossos conterrâneos Luís Pessoa e Carlos Alberto Canelas Vinagreiro (Cabé). Também está internada em Coimbra Maria Isabel Pessoa dos Santos, que reside em Cantanhede. Em Lisboa também foi operado o jovem sargento da Marinha, Vítor Baptista. Encontra-se em sua casa, em grande sofrimento a nossa conterrânea Maria Benvinda Neto Pires Figueiredo. A todos os doentes, votos de rápidas melhoras.

realiza-se uma festa de Carnaval no Pátio Gandarez, com Óbito Faleceu Edmundo de Almeida Canelas, com 83 anos, casado o karaoke “Pancinhas”. Haverá prémio para o melhor mascarado. com Maria da Natividade Ferreira da Costa e pai de José Joaquim, Maria Violete, Edmundo e de Maria Helena Ferreira de Almeida. batista fonseca O seu corpo saiu da capela de São Tomé para a igreja paro- SEPINS quial onde se celebraram as exéquias fúnebres. Foi a sepultar no Óbito cemitério local, com grande acompanhamento. Faleceu a 30 de janeiro Miguel Jesus Silva, de 81 anos, viúPaz à sua alma. Condolências à família enlutada. vo e residente em Espinheiro. O extinto era pai de maria das Dores, João Carlos e de José Manuel Simão da Silva. Foi a sepultar no dia seguinte, para o cemitério de Sepins, MARIA E. MARQUES PORTUNHOS depois de realizadas as cerimónias fúnebres na igreja matriz. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada. Nascimento Nasceu em Madrid uma menina a quem foi dado o nome de Lola, primeira filha de Eduardo e de Dora Isabel Toscano dorindo camarinho TOCHA Salgado, ambos a residir e a trabalhar naquela cidade. Parabéns aos pais, avós, tios e demais familiares e as maiores Feira de Produtos Regionais felicidades para a recém nascida. No próximo dia 10 de fevereiro, entre as 10h00 e as 13h00, o Agrupamento de Escuteiros da Tocha vai realizar a PrimeiGrupo de Bombos ra Feira de Produtos Regionais na Tocha, no largo da Igreja. Por motivo da localização da sede do Pedra Rija se localizar Pede-se a colaboração e a participação de toda a comuninuma área habitacional, o grupo de bombos faz os seus ensaios dade nesta iniciativa. nas instalações do campo de São Domingos, cuja distância, torna assim o compreensível e inevitável barulho menos incomoCinzas dativo para os residentes. No dia 13 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, o padre DiaNo último ensaio, foram surpreendidos pela visita de elemenmantino presidirá à eucaristia, pelas 21h00, na igreja matriz tos da GNR, por volta das 22h30, em consequência de uma da Tocha, com imposição de cinzas, momento que marca o denúncia. A hora legal é às 23h00, para a qual foram alertados. início da caminhada quaresmal. Os elementos do grupo lamentam o sucedido, já que foi sempre sua intenção divertirem-se e divertir quem gosta deste Barrins de Cima tipo de música, mas respeitando a todos de igual modo. Esperam e desejam continuar a animar festas e outros evenÓbito tos para as quais são convidados. No dia 24 de janeiro faleceu Manuel do Rosário da Costa, Continuarão a usufruir dos seus direitos, e certamente que de 72 anos, casado com Adélia Loureiro Ribeiro e pai de não vão descurar nunca dos direitos dos outros nem do respeiAlcidia, Fernanda, Pedro e de maria Isabel Ribeiro Rosário. to pelo limite legal dos horários que devem cumprir. O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária da Tocha, passando no dia seguinte pela igreja matriz, onde Carnaval No próximo sábado, dia 9 de fevereiro, vai ter lugar no salão foi feita a celebração da Palavra. O cortejo fúnebre seguiu da Junta de Freguesia um baile de máscaras, com atribuição de para o cemitério da Tocha, onde ficou sepultado. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada. prémios. No domingo, dia 10, haverá o habitual desfile de Carnaval. Os dois eventos são da responsabilidade do Grupos de Dan- Berlengas ças e Cantares e do Grupo de Bombos do Pedra Rija e toda a Óbito população está convidada a participar. Faleceu no dia 9 de fevereiro, no Hospital Distrital da Figueira da Foz, Júlio Fajardo da Cruz (Camarão), de 61 anos. O exeduardo pessoa tinto era pai de Pedro Duarte e de Carla Lúcia Almeida da Cruz. SÃO CAETANO O seu corpo passou pela igreja paroquial da Tocha, onde foi feita a celebração da Palavra, segundo o cortejo fúnebre Senhora das Candeias para o cemitério do Bom Sucesso, onde ficou sepultado. Realizou-se no passado dia 1 e 2 de fevereiro a tradicional Paz à sua alma. Condolências à família enlutada. festa da Senhora das Candeias, no lugar de Perboi de Baixo. Como é habitual, no dia 1, ao final da tarde saiu a procissão das velas e, apesar da chuva e vento frio que se fizeram sentir, Inácios juntaram-se os fiéis para rezar e adorar a Nossa Senhora. No sábado, pelas 15h00, foi celebrada missa campal, seguida de Óbitos No dia 6 de fevereiro faleceu Maria Alice Gonçalves Anprocissão. No final da missa ainda ouve lugar a animação musidrade, de 72 anos, viúva de José maria Rodrigues da Cruz e cal promovida pelo grupo de gaiteiros Sumeterraio. mãe de Maria de Fátima, José Carlos, Isabel Maria e de ElisaUm bem haja a todas as pessoas que com o seu esforço trabete Gonçalves da Cruz. balho e dedicação ainda não deixaram cair mais esta tradição O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária tão bonita da nossa terra e das suas gentes. da Tocha, de onde saiu no dia seguinte, passando pela igreja matriz, onde foram celebradas as exéquias fúnebres. Foi a Brincar ao Carnaval No próximo dia 10 de fevereiro, pelas 15h00, a catequese da sepultar no cemitério local. Faleceu na Próvida, no dia 26 de janeiro, Lucília Maria Paróquia de São Caetano convida toda a comunidade a particiLourenço, de 86 anos, viúva de José Maria Oliveira Lourenço par no desfile de carnaval pela rua principal da freguesia. e mãe de Vítor Manuel Romão Lourenço. A tarde, que irá ser de festa, pretende promover o convívio O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária entre toda a comunidade a fim de lhe trazer um pouco mais de da Tocha, de onde saiu no dia seguinte para a igreja matriz, alegria e boa disposição neste período que antecede o tempo para a celebração da Palavra. Findas as cerimónias fúnebres, quaresmal. Aos participantes pede-se que tragam uma bebida e foi a sepultar no cemitério da vila. algo para aconchegar o estômago no lanche partilhado que se Paz às suas almas. Condolências às famílias enlutadas. irá fazer no final da arruada.

SANGUINHEIRA

Pereirões joaquim croino

Óbito No dia 22 de janeiro faleceu Isaura da Cruz, de 85 anos, Carnaval casada com David Jorge Alves e mãe de Manuel, Maria da No próximo sábado, dia 9 de fevereiro, pelas 22h00,


Região 9

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

Graça, Maria Leonor, José Manuel e de Carlos da Cruz Alves. O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária da Tocha, de onde saiu para a igreja matriz, para a celebração da Palavra. Findas as cerimónias fúnebres, foi a sepultar no cemitério da vila. Paz às suas almas. Condolências às famílias enlutadas.

VARZIELA

isabel lourenço

Festa de Santa Apolónia No próximo dia 9 de fevereiro festeja-se a padroeira da nossa aldeia: Santa Apolónia. Este ano, no dia 9 de fevereiro, haverá missa às 18h00, na igreja da Varziela, seguida de procissão de velas até à capela da Misericórdia, monumento nacional. Aqui fica um pouco de história acerca desta mártir. No início do ano 248, um poeta começou a profetizar que Alexandria sofria uma grande desgraça, se não se exterminassem todos os cristãos. Este facto provocou um grande reboliço entre os habitantes. O primeiro incidente ocorreu quando apanharam um cristão idoso e o quiseram obrigar a blasfemar contra jesus; perante a sua negativa zurziram-

-lhe o corpo à paulada, tiraram-lhe os olhos e lapidaram-no. A vítima seguinte foi uma matrona chamada quinta, que se negou a prestar culto a um ídolo e que, por isso, foi martirizada. Chegou então a vez de Apolónia que foi presa e para puni-la, arrancaram da sua boca todos os dentes, um a um, com ajuda de pedras pontiagudas e de grandes alicates. No entanto, mesmo assim, a nossa santa continuava a professar repetidamente o credo de jesus cristo. Então, os seus perseguidores decidiram fazer uma fogueira e ameaçaram queimá-la caso blasfemasse. Ela pediu-lhes que a deixassem livre por um instante. Soltaram-na e ela correu sozinha para a fogueira, mostrando que era completamente livre. A aldeia da Varziela venera a sua padroeira Santa Apolónia, popularmente considerada como a padroeira dos dentistas e daqueles que sofrem de dor de dentes ou outros problemas dentais, devido à sua tortura em que teve todos os seus dentes violentamente arrancados ou quebrados. Esta santa costuma ser representada nas artes com uma turquês ou tenaz através da qual um dente é preso. Óbito Faleceu no dia 1 de fevereiro, no CHUC - IPO de Coim-

bra, Deolinda da Silva de Oliveira, com 80 anos, residente na Varziela. A falecida era mãe de Vítor Manuel da Silva Guerra e avó de Denis e William. Após a eucaristia de corpo presente e as cerimónias fúnebres, na igreja da Varziela, o seu corpo foi a sepultar no cemitério da localidade. Paz à sua alma e condolências a toda a família enlutada. Aniversário lutuoso No próximo dia 11 de fevereiro irá realizar-se uma eucaristia para assinalar um mês do falecimento de Cristina Maria Pereirinha da Cruz da Costa. A celebração litúrgica terá lugar na igreja da Varziela, pelas 20h30.

VILA NOVA DE OUTIL

vidal gentil

Doente Encontram-se internados no CHUC os nossos conterrâneos Maria Seiça Lourenço e Saul Martins, residentes em Vila Nova de Outil. Votos de rápidas melhoras.

UMA SEMANA EM MISSÃO

Viver segundo a caridade cristã Jovens do Missão País 2013 regressaram a Cantanhede com o lema “A tua Fé te Salvou”

> Carla Assunção, texto e foto

No ano que a Missão País celebra dez anos de “intensas experiências de missão”, cerca de 60 jovens missionários regressaram à região de Cantanhede com ações de voluntariado, vividas na alegria e no espírito cristão, na companhia do padre chileno José Manuel e de Eduart, seminarista espanhol. Os jovens católicos universitários, do Instituto Superior de Economia e Gestão (Lisboa), estão entre nós desde dia 3 de fevereiro até este sábado, dia 9, divididos em vários grupos para missionar em algumas IPSS: no Centro Paroquial de Solidariedade Social de Ançã, no Centro Social Paroquial de Cadima, na PLASCE – Associação Social, Cultural e Ecológica da Póvoa da Lomba, no Centro Social Comunitário da Varziela, na Fundação Ferreira Freire (em Portunhos), na Associação de Desenvolvimento Progresso e Vida da Tocha e no Hospital Arcebispo João Crisóstomo. As visitas também serão estendidas às escolas de Ançã, Cadima, Varziela, Póvoa da Lomba, Cantanhede e Cantanhede Sul, para além de evangelizar e rezar “porta a porta” nas casas, transportando a “Mãe Peregrina”, um elemento incontornável e central na Missão País, sendo uma imagem de Nossa Senhora de Schoenstatt

com uma moldura em forma de Santuário. Através desta imagem, Maria vai ao encontro de quem a recebe, transportando consigo a experiência espiritual que se dá nos Santuários de Schoenstatt. Já que nem todos podem peregrinar ao Santuário de Schoenstatt, é Nossa Senhora quem peregrina às casas de muitas famílias. “Fortificar a Fé” Após um pequeno encontro com os missionários no Hospital, o jornal Boa Nova falou com Marta Sepúlveda e Matthias Peiserwick, ambos coordenadores do grupo e há três anos na Missão País. “É tão bom voltar a Cantanhede e ver caras conhecidas nos lares e nas casas. Ajudar os outros é no fundo ajudar a nós próprios porque tal como o lema, estas experiências fortificam a minha fé e o testemunho será sempre passado para o mais próximo”, falou Marta Sepúlveda, admitindo que “uma semana de missão é sinónimo de dar e receber” e por isso expandiram as atividades para outras freguesias no concelho. Neste ano que o Papa Bento XVI

propõe o Ano da Fé, também a Missão País 2013 escolheu o mesmo caminho da redescoberta da Fé em união com toda a Igreja e comunidade, sob o lema “A tua Fé te Salvou”, extraído do capítulo 17 do Evangelho segundo São Lucas, onde Jesus cura dez leprosos que pedem a Sua misericórdia. Durante a semana, a eucaristia das 18h30, na igreja matriz de Cantanhede, tem sido animada pelos missionários, proporcionando a todos eles um encontro com Deus, e levando-os a testemunhar o amor por Ele, chamados igualmente a olhar para a sua própria Fé, refletindo em oração sobre “A tua Fé te Salvou”. Hoje, dia 7 de fevereiro, pelas 21h00, haverá ainda a adoração ao Santíssimo, também na igreja matriz. Para culminar a semana de missão, outro grupo de jovens subirá ao palco para representar uma peça de teatro, para transmitir o valor da Fé e convida toda a comunidade para interagir com o elenco ao longo da peça, para que juntos possam “rezar e pedir a Deus pelos frutos do encontro”, até porque “Ele espera por cada um de nós, de porta a porta”. O espetáculo está agendado para sexta-feira, dia 8, às 21h00, no Centro Paroquial de Cantanhede.


10 Grande Plano

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

A arte: fruição gratuita de tempos, horizontes e liberdades > Graça Cunha, texto e fotos

Há quem diga que a arte não é nada e que não serve para nada. Há quem dela faça negócio seguro em tempos de crise. Há quem diga que não é para todos e quem defenda que é linguagem universal. Para uns é chave do passado, para outros é marca do presente e para os demais janela de esperança para o que há-de vir. A arte e os artistas já deixaram beleza em cima de guerra e destruição e já foram protagonistas de muitos gritos de liberdade em nome de direitos fundamentais. A arte é identidade de povos, países e regimes. Leitura do mundo e das sociedades. É convergência e divergência, agrega como pode desagregar, objetivada na função social que ela exerce e é parceira do desenvolvimento psíquico dos indivíduos. Ela é apresentada na sua forma coletiva, como resultado do pensamento social, mas é apreendida individualmente, de acordo com o valor que exerce na vida de cada um. A abstração promovida pelo pensamento artístico, dizem os teóricos, “corresponde às forças dos sentidos humanos, em relação à sua sensibilização e necessidades”. Mas a arte e a cultura também são alvo fácil em tempo de crise ou pensamentos dominantes, para cortes na despesa do que, não sendo, parece supérfluo ou ‘perigoso’ à vida dos cidadãos. Mas ela própria é capital humano indestrutível, ‘cartão de crédito’ de gerações futuras, horizonte que permite depositar esperança, e através dela se semeiam esperanças onde tudo o mais parece ter falhado. No que diz respeito à música, apenas a título de exemplo, o rapper português, Boss AC, faz das suas músicas um meio para chegar às pessoas e dizer por palavras, duras, o que muitos pensam e poucos ousam dizer. “Farto de” é uma das composições musicais que mais polémica gerou entre os políticos e o povo português. Frases como: “Farto de promessas da treta, sobem ao poder e metem as promessas na gaveta”; “Farto de os ver saltar quando os bancos naufragam, quanto menos melhor, menos impostos pagam” e “injustiças, guerra, racismo, fome, desemprego, pobreza... e eu estou farto.”

nova pergunta- “E se perguntássemos antes se o que está a desfazer-se é apenas um dado sistema sobre o qual pensávamos erguer-se tudo o resto à nossa volta? Acreditámos que a noção de ordem definitiva assentaria numa mundialização da Europa e se calhar nenhuma construção humana é assim tão simples e eterna”. A arte parece ser, sobretudo, “um grande e necessário questionamento sobre o presente, um meio de interpelação dos nossos tempos, numa confluência e sedimentação de muitos tempos presentes”. E sobre o futuro, que respostas podemos ir buscar à arte? Pedro Pita substituiu futuro por porvir para dizer que sobre isso podemos esperar muito pouco. “O futuro não é um livro aberto, gato escaldado de água fria tem medo, e não saberemos nunca de que modo todos os presentes, que serão os futuros passados, serão o presente do futuro; isto é, o que somos culturalmente, os nossos gostos, hábitos, vivências, constitui uma pluralidade de tempos presentes em cada um de nós e essa é a única certeza do incerto que há-de vir… nenhum presente é homogéneo”. O problema é que tendemos a pensar o presente limitado ao ‘aí’ e ao ‘aqui’, mas a obra de arte “é um dos raros lugares onde podemos fazer a experiência viva do atual permanentemente a refazer-se num horizonte de longa duração”. A obra de arte “precisa de tempo e nós nem sempre lho damos”. Ousamos rematar que, ao invés, a arte e os artistas nos dão todos os tempos possíveis e imaginários.

Arte eterna e fugaz do que é atual “A obra de arte é o lugar onde podemos fazer a experiência de que as coisas não estão condenadas a ser o que são hoje” – Pedro Pita – filósofo, coordenador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra

Aquilo a que chamamos arte, alerta o filósofo que nos ajudou a fundamentar o tema, o professor universitário Pedro Pita, pode aplicar-se a uma multiplicidade de diferentes objetos e pode ter diferentes aceções, numa visão mais antropológica, mais cultural ou culturalista. A arte, numa visão antropológica mais profunda, é fazer bem. “A terminologia popular perpetua até aos dias de hoje a expressão – é um artista, para aquele que faz algo com mestria, com perfeição, aquele que tem génio ou talento, seja o marceneiro ou o pintor”. A partir deste fazer apurado aproximamo-nos do âmbito estético da noção de arte de que somos herdeiros: o objeto cuja verdadeira função é provocar deslumbramento, despertar a nossa admiração e a sensação de beleza. “Objeto de arte que nos prende à realidade e nos distancia dela, em simultâneo, como se para entrarmos em toda a beleza da obra tivéssemos que nos prender e desprender da realidade”. É um dizer quase poético do filósofo para nos lembrar a tensão que em nós provoca uma obra de arte, num jogo de proximidade e afastamento para a percebermos melhor. “Quando estamos perante um quadro, do mesmo quadro, diferentes pessoas, nem todos vemos o quadro do mesmo ângulo – daqui é que ele se me deixa ver, dizemos, e bem”. A obra de arte, única, permite plurais sensações e apropriações. “É uma relação complexa onde também cabe um jogo com o tempo: a obra de arte é

simultaneamente atual e eterna; a experiência de um encontro que nos interpela de muito longe e de muito fundo”. À dimensão prática, acresce a dimensão política e a obra de arte diz-nos que uma realidade é apenas e sempre a situação presente, única por isso, mas não definitiva. “As ideologias forçaram (forçam) muito o caráter único e imutável, como se nada pudesse ser de outro modo; a primeira grande lição que nos vem da arte é esta necessidade de construirmos horizontes cada vez mais alargados.” A arte, no conceito de que somos herdeiros, “dá-nos chaves para aberturas cada vez mais amplas do horizonte e do tempo”. No entanto, a arte, desligada do conceito de utilidade, “numa sociedade instrumentalista como a nossa, está cada vez mais circunscrita ao plano secundário do lazer e dos tempos livres; é assim que ela nos aparece nas televisões, jornais e revistas, depois da informação útil, nos suplementos de lazer e tempos livres”. E nesta mesma sociedade, em que o valor está diretamente relacionado com o número de objetos existentes no mercado, a obra de arte, como é única, apela também ao dinheiro. “Nesta ‘bolsa de valores’, a Guernica de Pablo Picasso, por exemplo, não tem preço e se acaso a peça de arte é roubada, para uns fez-se um corte no tempo da história, para outros ‘morreu’ a possibilidade da experiência intensa e individual frente à obra e o mundo empobrece; para o gestor das finanças do museu é o património que se desvaloriza e o número de visitantes que vai baixar”. Além do mais, contrapõe Pedro Pita, “a obra de arte é necessária e também precisa de nós para se dizer completamente e de modo diferente ao longo dos séculos”. As grandes obras do teatro grego são “vulcões criativos, permanentemente ativos, dizendo permanentemente o mesmo, mas dizendo diferente”. Parece mero jogo de palavras, mas é visível que cada reposição da clássica Antígona dá-nos a mesma, necessariamente numa outra, a partir da qual o encenador, em cada época, refaz diferente da original. “É mais um dos enigmas da obra de arte: não há incompatibilidade entre liberdade e regra. E quem nos impõe as regras é a obra, e quanto mais submissos a ela mais livres somos, neste jogo de movimentos e apropriações.” Também em períodos de grande mudança civilizacional a arte pode ser considerada como ‘tábua de salvação’. Até que ponto não estaremos nós num desses períodos de mudança civilizacional, em que parece que tudo se desfaz à nossa volta? - Quisemos saber. O filósofo devolveu a pergunta com

Formas alternativas de expressão artística: reflexo de personalidade e respeito

Tyes Marinho e Joe – tatuadores “A Tatuagem é a arte onde o que é bárbaro é perdoado pela beleza do primitivo de vanguarda.” A frase, que joga com o tempo e a tolerância social, é de Tyes, natural do Rio de Janeiro, artista que anda há muito a deixar traço pelo mundo inteiro, numa forma de arte dita alternativa. Encontrámo-lo na loja de tatuagens da cidade e só foi difícil conseguir o sim para a entrevista porque, de resto, a conversa fluiu. Ao lado, o proprietário da casa, Joe, de seu nome artístico. Justificaram-se, porque a arte, sobretudo as formas alternativas de expressão artística, também se justifica numa herança ancestral e no contexto social que a produz e a recebe. “As pessoas reagem com preconceito porque dizem que o corpo, a pele que é a tela da nossa arte, é o templo sagrado, mas é exatamente por isso que as tatuagens existem desde a origem do homem”. Tyes acrescenta ainda que a arte, seja qual for a sua forma de expressão, não tem cor nem nação, é uma “grande mentira, cercada de verdade”, e o artista, nesta forma de dizer as coisas, as suas, as dos outros e do mundo que conhece ou deseja, vai “deixando o seu traço único”. Ainda sobre o preconceito em relação a esta forma de arte, conta que tem verdadeira aversão a drogas e faz o que pode para passar essa sua visão,


Grande Plano 11

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

no entanto quando passeia de mota, “com os braços tatuados e cabelo comprido, o mais comum é dizerem – ali vai um drogado”. Este artista de tatuagens, ou ‘dermopigmentador’, faz parte da geração mais antiga de tatuadores, os que têm estofo profissional, que não querem banalizar a sua arte e, acima de tudo, a exercem com ética. Na ‘selva urbana’, “andam as coisas muito misturadas”, diz e perde-se em exemplos que confirmam que o culto da imagem no oriente nem sempre é o mesmo do ocidente. “Apesar de a arte não ter nação, pois é universal, ela tem as suas raízes e nas tatuagens misturam-se símbolos de muitas etnias e grupos diferentes; nós temos que demonstrar respeito e conhecimento por cada uma dessas representações”. O mesmo respeito que parece ter Joe quando lhe aparece alguém para fazer uma tatuagem da moda, daquelas que imitam jogadores de futebol ou com o nome das namoradas. “Explicamos sempre que a tatuagem vai acompanhar a pessoa para o resto da vida e que, no futuro, aquilo que está desenhado no corpo e à vista de todos pode ser, por exemplo, um entrave ao desempenho de uma profissão”. Os que levam a sério o conselho agradecem mais tarde, os outros acabam a tapar o que foi feito sem refletir. E, porque arte também é sinónimo de negócio, mais uma vez, são a ética e o verdadeiro profissionalismo que servem para argumentar contra quem apenas quer fazer dinheiro. “Cumprimos escrupulosamente tudo, mas tudo mesmo, para que a tatuagem seja sinónimo de segurança: é material que se usa uma única vez e segue, depois de utilizado, para o Instituto de Medicina Legal para ser incinerado; não tatuamos menores de idade, exceto na presença e com consentimento dos pais, e antes averiguamos se a pessoa está grávida, se tem asma, que tipo de alimentação faz – tudo, porque afinal a nossa arte é feita e exposta no corpo”. E é arte que não “reflete apenas a personalidade de quem escolhe o desenho ou do artista que lhe faz o traço”, mas também cumpre uma função estética, para tapar cicatrizes, corrigir defeitos ou embelezar partes menos favorecidas do corpo. A tatuagem é arte e não se confunde com brincadeira ou simples negócio, “temos a nossa ética”, disseram em uníssono Tyes e Jo.

A arte educa e também se educa; não é minha nem sua, é transversal e congregadora... sem ela não seria o que sou hoje. Maria Carlos – professora de dança e diretora do Museu da Pedra É professora de dança, há mais de duas décadas, em parceria com a irmã gémea, impossíveis de distinguir fisicamente. É também a responsável pelo museu da Pedra na cidade de Cantanhede, lugar de testemunho de diferentes obras de arte. Nesta dupla vertente, Maria Carlos falou da dança coreografada, como a mais livre e completa forma de expressão artística; e do museu, como o espaço de reflexão que há-de marcar a diferença na postura e no futuro de muitas crianças, e não só. O escultor japonês Shintaro Nakaoka, que participou de um simpósio de escultura deixou-lhe uma estátua com o nome “Maria Carlos”, em pedra de Ançã. Diga-se, por oportuna curiosidade que o artista não falava inglês nem outra língua além do japonês, comunicaram apenas por gestos e com a universal linguagem da arte, que para Maria Carlos é expressão suprema de liberdade. Que Lugar a arte ocupa na sua vida? Fundamental. Não seria o que sou hoje sem a vertente da arte. Quis ter várias profissões, mas persegui esta forma de expressão artística, que é a dança, desde sempre e até hoje. Parece um paradoxo mas é indescritível como através da dança esgotamos as nossas energias no final de um dia

de trabalho, as energias que nos restam, e vamos buscar energias novas. A dança é a minha fonte de energia, esgota-me e renova-me, em simultâneo. Coreografar dança…mistura assim num produto final várias formas e manifestações artísticas? É talvez a forma de expressão artística mais completa, envolve criação, movimento, beleza, teatro, música…a dança sem a música não se completa e a expressão corporal pode estar, por exemplo, ligada à literatura, a um poema dançado. Estou a falar e a pensar que um escultor diria o mesmo do seu trabalho (gargalhada). No fundo falamos apenas de diferentes manifestações, a essência permanece a mesma: falamos de arte. E acredita que essas manifestações refletem um tempo e uma época, ou transportam história até à época presente? Todo o processo criativo absorve influências e é, ele mesmo, um processo em permanente construção. O estilo que me identifica mais na dança, neste momento, é a dança jazz: nela cruzam-se épocas, transporta heranças históricas, culturais, memórias tristes convertidas em dança para evocar alegria e esperança, bebe de diferentes raízes étnicas e estilos, dos ritmos do charleston ao ballet clássico. Sem fronteiras? Sim…e de construção permanente de sequências. Até que uma sequência de oito tempos se complete, para passarmos à seguinte, vamos experimentando, experimentando…experimentando, e assim construímos o nosso nexo coreográfico. Quando coreografamos em conjunto, eu e a minha irmã, e quando a música se proporciona, resulta numa forma de arte muito em voga de novo, o patchwork (uma composição de retalhos). No final, com cada uma de seu lado a introduzir a sua ‘peça’, resulta numa harmonia surpreendente, uma beleza que une e torna inseparável o que aparentemente é diferente. É um estilo intencionalmente diferente. A arte é isso mesmo, uma fonte inesgotável de inspiração.

muito trabalho. Também na criação artística 90 por cento significa trabalho e os 10 por cento restantes vocação. Por vezes, cinco horas consecutivas de trabalho permite-nos apenas avançar 30 segundos na coreografia. Como professora de dança reconhecida, há mais de duas décadas, e como responsável de um museu, confirma a dimensão pedagógica que a arte cumpre, essencialmente entre os mais novos? O museu de hoje é palco privilegiado de espetáculos culturais, e somos nós que usamos das mais criativas estratégias para seduzir públicos de todas as idades. Mais importante e útil do que mostrar as obras do museu é a possibilidade de desenvolver entre os mais novos a capacidade crítica e de reflexão. Falta essa dimensão na formação das personalidades e mentalidades, e aqui é fundamental o papel do professor em contextos de aprendizagem não formal, como é o museu. Vêm professores que permitem aos alunos escolher uma obra e perante essa escolha desenvolverem a capacidade de se interrogar sobre a própria escolha e de questionarem as intenções do artista. Porque não é unívoco o conhecimento que resulta dar arte? Perante uma obra de arte todos temos diferentes sensibilidades e leituras, e mesmo cada um de nós é capaz de diferentes leituras em diferentes etapas da vida. É uma espécie de dimensão mágica da arte. Eu própria já experimentei diferentes sensações, e fiz leituras novas da mesma obra de arte, apenas porque estou sozinha, ou com os meus filhos. A obra de arte é também fonte inesgotável de significados e sentidos de alma. A arte educa e também se educa; não é minha nem sua, é transversal e congregadora. Com a maior imparcialidade, reconheço a postura do nosso município no respeito e divulgação pela obra e pelo artista. A arte é uma espécie de cartão de crédito inesgotável que as sociedades têm ao seu dispor.

Para o artista e a sua obra, ou para quem dela usufrui? Para ambos. É obrigatório, como em qualquer outra obra de arte, estarmos à frente do nosso tempo sem esquecermos o nosso tempo: é a partir dele que recebemos inspiração e que comunicamos; é a partir dele que as pessoas, o público, nos recebe, interpreta e assimila.

É também a dimensão pessoal e íntima da arte e do artista, apesar da função social que desempenha? Já me aconteceu fazer uma coreografia tão minha que não resulta depois em contexto de aula, nos movimentos, na energia, na profundidade das sensações. E se não resulta não será obra de arte, pois que essa exige perfeição e beleza. Já me aconteceu ouvir uma música na rádio, enquanto conduzo, e ligar para saber do que se trata porque não descanso enquanto não lhe somo uma coreografia. A arte também é impulso.

Inspiração e liberdade mas também contingências e trabalho? Para mim, na dança, tudo é fácil de conceber, mas dá

E liberdade? Esqueço tudo o resto. Num palco, libertar as emoções com beleza e harmonia, são momentos únicos.


12 Sociedade

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

VICTOR DAMIÃO

mover o incremento da venda de espumantes, com base na sua excelente relação qualidade/preço; reforçar a área produtiva de vinificação; disponibilizar aos viticultores associados um maior e permanente aconselhamento técnico e reduzir o prazo de pagamento aos associados.

Recentemente empossado para cumprir o segundo mandato à frente da Adega Cooperativa de Cantanhede, Victor Damião faz um balanço das dificuldades encontradas na instituição,do trabalho desenvolvido nos últimos três anos, e que se traduziu em cerca de 40 prémios, a distinção de Adega Cooperativa do Ano e a obtenção do galardão PME Líder 2012. Os desafios da internacionalização, a procura de novos mercados e o reforço da aposta na exportação, com o incremento da venda de espumantes, são as grandes linhas de ação para o próximo mandato, apesar do clima económico de incerteza que o País e o setor vivem.

A aposta no mercado externo está ganha ou ainda há muita coisa a fazer? A exportação vai continuar a ser um pilar fundamental da nossa estratégia comercial, nunca assumida como terminada, mas sim com o desenvolvimento de um trabalho contínuo, não só de consolidação mas também de crescimento. Já estamos presentes em cerca de 20 países mas há que continuar a explorar novos mercados para o permanente objetivo de aumento de vendas e de mais valias.

> Mirla ferreira Rodrigues, texto e foto

Que balanço faz deste primeiro mandato na Adega Cooperativa de Cantanhede? O primeiro mandato foi um permanente esforço de rigor, resolução de problemas graves encontrados, quer de ordem organizativa, quer, sobretudo, de ordem financeira, para além de recuperar, por um lado, a imagem institucional da Adega Cooperativa de Cantanhede e, por outro, da sua principal marca, Marquês de Marialva. Também a aposta na melhoria de qualidade dos produtos colocados no mercado e nas certificações de qualidade que estavam ou por renovar ou em fase embrionária ou até inexistente, foram desafios vencidos com muita perseverança e dedicação. A estratégia inicial foi resolver os graves problemas de tesouraria, através de avales pessoais, e depois de recuperação de verbas perdidas por inação quanto aos procedimentos a fazer para obter subsídios a que a Adega Cooperativa de Cantanhede tinha direito, quer de projetos como o PRODER e o QREN, quer de ajudas ao Mosto Concentrado Retificado e de outras situações. Desse modo, e com uma maior confiança obtidas nas instituições bancárias, foi possível não só pagar ao fim de cada mês os vencimentos dos funcionários, pagar aos fornecedores dos quais havia casos de três anos ou mais com faturas vencidas e, ainda, dentro dos prazos previstos em Plano e Orçamento, pagar as uvas aos associados. Depois, aparecer, dialogar ou intervir nas diferentes instituições tais como a Câmara Municipal de Cantanhede, Comissão Vitivinícola da Bairrada, Associação Rota da Bairrada, FENADEGAS, CONFAGRI, Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, Instituto da Vinha e do Vinho, AICEP, Biocant… Esse trabalho foi sendo reconhecido e veio a dar, por exemplo, os galardões “Adega Cooperativa do Ano” e “PME Líder 2012”. Os muitos prémios conseguidos no último mandato são o reflexo desse trabalho desenvolvido? Durante o mandato anterior a aposta passou pela melhoria da qualidade dos vinhos e espumantes, quer por compra de equipamentos novos, inexistentes, quer por requalificação de equipamentos existentes, alguns há mais de 15 anos sem manutenção. Fundamental, também, foi o trabalho da enologia na elaboração dos melhores lotes possíveis dos vinhos já existentes e da obtenção de novos vinhos com muita qualidade nas colheitas entretanto laboradas. Assim, os prémios em concursos nacionais e sobretudo internacionais foram aparecendo com grande frequência (cerca de 40 distinções) e com base nisso foi feito um bom trabalho de divulgação dos mesmos, através de comunicados de imprensa, do facebook e do site da Adega Cooperativa de Cantanhede. Também foram feitos a publicidade e o marketing possível, adequados às nossas capacidades financeiras.

>>> O prémio de Adega Cooperativa do Ano 2011 foi conquistado pela primeira para a instituição e para a Região Demarcada da Bairrada, na liderança de Victor Damião.

A aposta na contratação de um enólogo com provas dadas transformou-se numa mais valia? Um dos principais motivos na renovação geral da Adega Cooperativa de Cantanhede e adequação Às exigências atuais dos mercados foi a contratação de um enólogo de reconhecida competência e experiência em todas as áreas do setor, o engenheiro Osvaldo Amado, que muito contribuiu para a tomada de decisões acertadas pela direção e pela melhoria global dos produtos apresentados e também da sua renovação de imagens. Os olhos também compram… Em relação ao pagamento das uvas aos associados, qual é o ponto da situação? Com grande esforço de gestão rigorosa foi possível manter os prazos de pagamento aos associados e melhorar os preços pagos. Em outubro de 2012 começou a ser paga a primeira tranche relativa à colheita de 2011, e esperamos concluir o seu pagamento em junho de 2013. Pretendemos, no futuro, criar condições para encurtar esses prazos de pagamento. Em equipa que ganha não se mexe. Foi esta a filosofia da lista liderada por si, que foi a votos? A Adega Cooperativa de Cantanhede, como maior produtor da Bairrada (mais de 30 por cento de toda a produção da Região) e líder nas vendas de vinhos e espumantes DOC da Bairrada ou Indicação geográfica Regional, Beiras/Beira Atlântico, precisa de transmitir para todos no exterior uma imagem de estabilidade e confiança. Daí que para o presente mandato nos apresentássemos com a mesma equipa na direção, conselho fiscal e assembleia geral. Apenas na mesa da assembleia geral entrou um novo elementos, para a completar, dado a certa altura ter ficado com um membro a menos, e nos suplentes da direção, com a substituição de dois elementos. Agradecemos aos associados a confiança que nos deram ao elegerem os órgãos sociais apenas com um voto em branco. Sabemos da enorme responsabilidade que isso representa para fazermos ainda melhor, e para isso contamos com a colaboração de todos. Quais são as linhas de ação para o próximo mandato, perante a atual conjuntura económica? Fazer uma maior e melhor racionalização do portfólio, pro-

Que desafios se colocam ao cooperativismo, à vitiviniciultura e à Adega Cooperativa de Cantanhede no futuro próximo? O cooperativismo, conforme tendências e experiências internacionais, vai ter de se adaptar a novas regras de funcionamento mais pragmáticas e mais empresariais, sem nunca deixar de ter como alma mater a democracia interna como garantia de que as cooperativas são dos respetivos associados. Quanto às cooperativas vitivinícolas, apesar de alguns pontos fracos, têm como grande ponto forte o facto de terem a sua própria produção, não dependendo de compras exteriores. Fazendo com elas uma vinificação de qualidade passarão a ter uma vantagem competitiva relativamente às empresas que precisam de comprar uvas ou vinhos para as suas necessidades de mercado. Quanto à Adega Cooperativa de Cantanhede, deve continuar e reforçar as estratégias para ultrapassar o clima económico atual de grande incerteza, apostando cada vez mais na exportação de produtos de qualidade para criar valor e poder ter melhor retribuição aos associados.

ÓRGÃOS SOCIAIS DA ADEGA COOPERATIVA DE CANTANHEDE Triénio 2013/2015 DIREÇÃO Presidente – Victor Damião (Póvoa da Lomba) secretário – Arsénio da Conceição Cavaco (Cordinhã) tesoureiro – José Nogueira Torres (Póvoa da Lomba) suplentes – Alberto Reis Marques (Ourentã) Alberto Jorge Oliveira Santos (Cordinhã)

e António Silva Barreto (Casal Cadima).

CONSELHO FISCAL Presidente – Carlos Alberto Carvalho Reis (Sete Fontes, residente em Lemede), vogais – José António Pessoa dos Santos (Ourentã) e José Luís de Figueiredo Jacinto (Pena).

ASSEMBLEIA GERAL Presidente – António Santos Macedo (Casal Cadima), vice-presidente – Amílcar dos Santos Cunha (Ourentã), secretária – Maria Alcinda Maia Agostinho (Pena).


Publicidade 13

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

contactologista

J. Gaspar Mendes elsa freitas grilo Dina felício

ginecologista / obstetra

optometrista

advogados

psiquiatria

Rua Marquês de Marialva, n.º 55, 1.º andar, 3060-184 Cantanhede Tel 231 420 608 – 231 108 837 | Fax.: 231 422 903 – 231 423 416

Dr.ª CRISTINA MIGUEL Médica Especialista em Psiquiatria

*Psiquiatria Geral * Psiquiatria do Idoso * * Distúrbios Alimentares *

madalena cardetas advogada

Largo Conselheiro Ferreira Freire, n.º 40A, 1.º esq. 3060-201 Cantanhede – Tel. 231 420 937

oftalmologistas

pedro faria

Marcação de consultas: Telm 91 377 96 36 || 96 239 51 94 – Telf. 231 469 594 Covões – Cantanhede

estomatologista

Médico Oftamologista Doenças dos olhos Consulta 4.ª feira à tarde Rua 5 de Outubro, 49 – Cantanhede

Tel. 231 422 017 – Tlm. 961 228 152

Serviços de saúde

ANUNCIE AQUI! | Tlf 231 422 870 | Fax 231 420 989

Dr.ª Sandra Fernandes SOLICITADORA

Edifício Marialva, 1.º Andar – Escritório 17 3060-184 Cantanhede

Tel/fax: 231 422 948 Tlm: 96 642 19 67

serviços de saúde clínica geral

guilherme mendes médico

Especialista em Clínica Geral

Contrato ADSE

GNR • PSP • CGD • PT • MEDIS

MIRA – Tel. 231 458 666 CANTANHEDE – Tel. 231 420 350 Telm – 917 532 285

CONSULTAS POR MARCAÇÃO PRÉVIA


14 Publicidade

3195 :: 7 de fevereiro de 2013 ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CANTANHEDE

lic. Ami n.º 1800

Assembleia-geral CONVOCATÓRIA Nos termos da Lei e dos Estatutos, convoco os Sócios para reunirem em Assembleia-geral extraordinária, na sede social da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, no dia 22 de Fevereiro de 2013, pelas 22,00 horas, com a seguinte

www.imobiliarianovacentral.com Cantanhede terreno para construção de moradia c/ +- 500m2. 40.000,00€ Moradias novas na zona de Febres, c/ bons acabamentos e áreas. Moradia na zona da tocha T-4 com bom quinta. Preço interessante. Vende se armazém c/ 600m em local de muita passagem, terreno c/ +- 2000m2. Possível ampliação. 2

Cantanhede moradia t-3 em inicio de construção, terreno c/+- 250m2. 110.000€ Próxima do centro Cantanhede: Moradia isolada, nova em urbanização recente tipo t-4. 155.000,00€

Ordem de trabalhos 1. Discussão e votação da proposta de alteração dos Estatutos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede;

Terreno em Outil c/ +-6000m2 c/ frente boa, vista linda e local excelente. Moradia contemporânea tipo t-3 c/ garagem fechada, painel solar, recuperador de calor e terreno com 800m2. Em construção. Lugar de Outil.140.000,00

TEL. 231 429 480 – imobnovacentral@hotmail.com Trata Imobiliária Nova Central, Lda. Cantanhede

2. Discussão e votação do Regulamento de Sócios da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede.

VENDO

Nissan Pick-Up, caixa aberta, em bom estado Contactar 96 167 19 75

Não havendo número legal de Sócios para a Assembleia-geral funcionar à hora marcada, esta reunirá, em segunda convocação, meia hora depois, isto é, às 22,30 horas, com qualquer número de Sócios presentes, nos termos previstos pelo Art. 20.º dos Estatutos. Os documentos encontram-se à disposição dos sócios, nos serviços administrativos, durante o horário normal de expediente. Cantanhede, 06 de Fevereiro de 2013

Para comprar ou vender casa Apartamentos: Novos, usados. Vivendas - Casas Usadas – Impecáveis Terrenos p/ contrução – Rústicos – Pinhais

O Presidente da Mesa da Assembleia-geral _________________________ (Dr. Carlos Alberto Martins Lopes) (Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CANTANHEDE

Coimbra – Cantanhede – Praia de Mira – Tocha – Vagueira

Ligue ou contacte-nos: 231 429160 – 96 7053981 – 965898017 Rua de S. João, nº 2 A Cantanhede – Telf. 231 429160 – Tlm. 967 053 981

IMOBIPRÉDIOS, Sociedade Mediação Imobiliária, Lda

Informa os seus clientes e amigos, que mudámos de instalações, para a Rua de S. João, nº 2 A (Junto à farmácia Seixo) Cantanhede – Telf. 231 429160

www.mercadodostempos.pt

Assembleia-geral CONVOCATÓRIA Nos termos da Lei e dos Estatutos, convoco os Sócios para reunirem em Assembleia-geral ordinária, em primeira convocação, na sede social da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, no dia 22 de Fevereiro de 2013, pelas 20,30 horas, com a seguinte Ordem de trabalhos 1. Discussão e votação do Relatório e Contas do Exercício de 2012; 2. Apresentação e votação do Plano de Actividades e Orçamento para 2013; 3. Proposta da Direção de Sócio Honorário; 4. Quaisquer outros assuntos de interesse para a Associação. Não havendo número legal de Sócios para a Assembleia-geral funcionar à hora marcada, esta reunirá, em segunda convocação, meia hora depois, isto é às 21,00 horas, com qualquer número de Sócios presentes, nos termos previstos pelo Art. 20.º dos Estatutos. Os documentos encontram-se à disposição dos sócios, nos serviços administrativos, durante o horário normal de expediente. Cantanhede, 06 de Fevereiro de 2013 O Presidente da Mesa da Assembleia-geral _________________________ (Dr. Carlos Alberto Martins Lopes) (Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

ficha técnica FUNDADOR Padre Mário Oliveira de Brito Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, n.º 330, 3060-163 Cantanhede CONTACTOS Redacção 231 420 989 | e-mail: noticias@jornalboanova.com Administração 231 422 870 | Fax 231 420 989 | e-mail: geral@jornalboanova.com Publicidade 231 422 870 | Fax 231 420 989 | e-mail: comercial@jornalboanova.com PROPRIEDADE/EDITOR Fábrica da Igreja Paroquial de Cantanhede Pessoa Colectiva n.º 500968209 | N.º de Registo do ICS 101971 Depósito Legal | 2013/83 DIRECÇÃO Director Luís Francisco Cordeiro Marques - T.E. 750 REDACÇÃO Graça Cunha - C. P. 5300 | Mirla Ferreira Rodrigues - C. P. 8898 | Carla Assunção - C. P. 8899 | COLABORADORES Miguel Cotrim - C. P. 5533 | Rui Sérgio - C. O. 261 CORRESPONDENTES Adelino Claro (Enxofães); Amaro Pessoa (Carapelhos); Ana Costa e Silva (Cadima); Antonino Machado (Murtede); António Parreiral (Ançã); Batista Fonseca (Sepins); Dorindo Camarinho (To-

cha); Eduardo Pessoa (São Caetano); Elsa Cavaco (Corticeiro de Cima); Filipe Figueiredo (Ourentã); Irene Moço (Pena); Isabel Lourenço (Varziela); Joaquim Croino (Sanguinheira); José Cardoso Branco (Montinho); José de Jesus Pessoa (Febres); Luís Rocha (Seixo de Mira); Manuel Augusto A. Santos (Sanguinheira); Manuel Fernando Jorge Felício (Caniceira); Manuel Sebastião (Lemede); Maria E. Marques (Portunhos); Messias Simões (Covões); Natália Nogueira (Cordinhã); Raul Cruz (Bolho); Arménio Veríssimo (Outil); Vidal Gentil (V. N. de Outil) e Vítor Batista (Pocariça). DESPORTO Adérito Fontes (Atletismo); Arnaldo Carvalho (Ténis); António Parreiral (Futebol); Fernando Faustino (Futebol); João Pais de Sousa (Pesca); José Carlos Jesus (Futebol); José dos Santos (Columbofilia); Luís Mendes (Karaté); Luís Tomé (BTT); Batista Fonseca (Futebol); Manuel Romão (Futebol); José Fatia (Futebol e Futsal); Nuno Oliveira (Futsal), Orlando Jorge (Futebol); Vítor Campos (Futebol); Ana Felício e Nuno Freitas (Voleibol) e Vítor Oliveira (Automobilismo). OPINIÃO Cónego António Rego; Arnaldo Carvalho; Ilídio Sacarrão Martins; Isabel Neves; Dom João Alves; Lara Guina; Lurdes Boavida; Mário Frota; Nuno Sérgio; Pedro Guina Vasco Espinhal Otero e Luís Alves. DIVERSOS ildefonso Samelo e Licínio Alves. FOTOGRAFIA Oliveira (Cantanhede).

ADMINISTRAÇÃO Administrador José Eduardo Meira Catarino. Serviços Administrativos Ana Margarida Pessoa. HORÁRIO de 2.ª a 6.ª feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h30. ASSINATURA ANUAL Portugal 22,50€; Europa 40€; Resto do Mundo 50€ Composição, paginação e selecção de cor Gabinete de Design da FIPC Impressão e expedição FIG - Indústrias Gráficas S.A. Telefs. 239 499 922/ 239 499 935 – Fax 239 499 981 Rua Adriano Lucas (Estrada de Eiras) – 3020 Coimbra Todos os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não vinculando o jornal Boa Nova ao seu conteúdo.

Tiragem desta edição: 4.850 exemplares


Publicidade 15

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL

Certifico, para efeitos de publicação que no dia 8 de Janeiro de 2013, de fls.57 a f.ls 58 verso do livro de notas 219- A, do Cartório Notarial sito no Largo Cândido dos Reis, nº 15, R/C, salas quatro e cinco, na cidade de Cantanhede a cargo do notário Lic. Luís Manuel Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual António da Cruz Manata e mulher Lénea Maria Silvestre Heleno, casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Febres, concelho de Cantanhede e nela habitualmente residentes no lugar da Pedreira, prestaram as seguintes declarações: Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do seguinte bem imóvel: Prédio rústico composto por pinhal situado em Joinal de Baixo, freguesia de Febres, concelho de Cantanhede, com a área de setecentos e sessenta metros quadrados, a confrontar do norte com Manuel Pereira, do sul com Manuel Augusto dos Santos Luís, do nascente com caminho e do poente com Manuel Gomes Pessoa, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Maria Catarina sob o artigo 15451, com o valor patrimonial de € 2,72 e para efeitos de IMT e igual ao declarado de setenta e nove euros e cinquenta e sete cêntimos; Que o identificado imóvel pertence aos justificantes por o por terem verbalmente comprado, cerca do ano de mil novecentos e oitenta a Maria Catarina, solteira, maior, já falecida, residente que foi na vila e freguesia referida de Febres sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, pelo que o adquiriram por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita; -----Está conforme ao original. ----------------------------------------------------------Cantanhede, 8 de Janeiro de 2013. O notário, Conta registada sob o nº Emitido Recibo

(Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

Certifico, para efeitos de publicação que no dia 24 de Janeiro de 2013, de fls. 113 a fls. 115, verso, do livro de notas 219-A do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido dos Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual Orlando Marques Machado e mulher Ludovina Alves Ferreira, casados sob o regime de comunhão geral, naturais, ele da freguesia de Barcouço, concelho de Mealhada e ela da freguesia de Casal Comba, também do concelho de Mealhada e residentes no lugar da Silvã, da dita freguesia de Casal Comba, declararam ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte imóvel: Prédio rústico composto por terra de milho com dez oliveiras, oito tanchas e pinheiros, situado em Gândara da Mó, freguesia de Murtede, concelho de Cantanhede, com a área de quatro mil seiscentos e sessenta metros quadrados, a confrontar do norte com Arlindo Ferreira Simão, do sul com caminho, do nascente com caminho e do poente com caminho, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Orlando Marques Machado sob o artigo 3871, com o valor patrimonial de € 67,79 e o valor patrimonial para efeitos de IMT e igual ao declarado de dois mil e onze euros e onze cêntimos. Que o identificado prédio pertence aos justificantes, por lhes ter sido verbalmente doado cerca do ano de mil novecentos e setenta por Arsénio Machado Abrantes e mulher Maria da Graça Marques Maleiro, pais do justificante, residentes que foram no lugar e freguesia dita de Barcouço, sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, pelo que o adquiriram por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita. Está conforme ao original; Cantanhede, 24 de Janeiro de 2013. O Notário, Luís Manuel Canha (Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, para efeitos de publicação que no dia 21 de Janeiro de 2013, de fls. 95 a fls. 96, verso, do livro de notas 219-A do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido dos Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual Cesaltina de Jesus Dias, viúva, natural da freguesia de Covões, concelho de Cantanhede e nela habitualmente residente no lugar da Quinta do Marco, na Rua do Marco, número 279, declarou ser, com exclusão de outrem, dona e legítima possuidora do Prédio urbano composto por casa de habitação de rés-do-chão, uma dependência pátio e quintal, situado em Quinta do Marco, freguesia de Covões, concelho de Cantanhede, com a área coberta de quarenta metros quadrados e descoberta de duzentos metros quadrados, a confrontar do norte com Sebastião Ferreira, do sul com caminho, do nascente com Sebastião Ferreira e do poente com Rosa de Oliveira, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de Cesaltina de Jesus Dias sob o artigo 247, com o valor patrimonial de mil quinhentos e noventa euros e igual ao declarado; Que o identificado imóvel pertence à justificante por o ter verbalmente comprado, já no estado de viúva, cerca do ano de mil novecentos e noventa a Anunciação Dias, viúva, já falecida e residente que fora no Lugar da Quinta do Marco, sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, pelo que o adquiriu por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhe permita fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita; Está conforme ao original; Cantanhede, 21 de Janeiro de 2013. O Notário, Luís Manuel Canha (Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

Quintã (CADIMA) 72 Anos Faleceu a 27 de janeiro de 2013 Seu marido José Luís Azenha Neves, filhos e noras, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que participaram nas cerimónias fúnebres da sua ente querida ou que de qualquer outro modo lhe manifestaram o seu sentimento de pesar. A todos a sua profunda gratidão. Quintã, janeiro de 2013. Funerária São Pedro, de Agostinho Faim e Filhos, Lda Aljuriça || Cadima . Telf. 231 411 405 || Telm 93 342 94 24

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, para efeitos de publicação que no dia 18 de Janeiro de 2013, de fls. 89 a fls. 90, verso, do livro de notas 219-A do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido dos Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual Alcides Torres da Costa e mulher Sofia Alexandra Ferreira Rei, casados sob o regime de comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Covões, concelho de Cantanhede e nela habitualmente residentes no lugar de Quinta do Marco, na Rua do Marco, número 330, declararam ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte imóvel: Prédio rústico composto por terreno de pinhal situado em Lagoa do Triguinho, freguesia de Covões, concelho de Cantanhede, com a área de trezentos e noventa e seis metros quadrados, a confrontar norte com Alberto de Jesus Carriço, do sul com Maria Ascensão Martins e Lurdes da Costa Melo Seabra, do nascente com caminho e do poente com Alberto de Jesus Carriço, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na respectiva matriz em nome de Alcides Torres da Costa sob o artigo 15944, com o valor patrimonial actual e para efeitos de IMT de quatrocentos euros, a que atribuem igual valor; Que o identificado imóvel lhes pertence por lhes ter sido verbalmente doado no ano de mil novecentos e oitenta e oito por Arcindo Costa Francisco e mulher Belisária Torres Diogo, pais do justificante, ele já falecido, residente que foi no lugar de Marvão, da dita freguesia de Covões, lugar onde ela é residente, sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, pelo que o adquiriram por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita; Está conforme ao original; Cantanhede, 18 de Janeiro de 2013. O Notário, Luís Manuel Canha

ANTÓNIO RODRIGUES FERNANDES Lapa (OURENTÃ) Residente na Suíça 53 Anos Faleceu a 12 de Janeiro de 2013

A família de António Rodrigues Fernandes, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, agradece reconhecidamente a todas as pessoas das suas relações de amizade que participaram nas cerimónias fúnebres do seu ente querido ou que de qualquer outro modo manifestaram o seu sentimento de pesar, agradecem também a todas as pessoas que participaram na missa de 7.º Dia. A todos um forte bem haja. A família informa que será celebrada missa de 30º Dia, a 10 de fevereiro, pelas 17h00 na capela da Lapa, e desde já manifesta a sua gratidão a todos os que estiverem presentes.

Lapa, janeiro de 2013.

(Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

CESÁRIO DE CASTRO MONTEIRO Vila Nova (OUTIL) 1 Ano de Saudade 13 de dezembro de 2012 13 de dezembro de 2013

(Jornal Boa Nova n.º 3195, de 7 de fevereiro de 2013)

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA

MARIA LICÍNIA DE JESUS MARQUES PÓVOA NEVES

CARTÓRIO NOTARIAL A CARGO DO NOTÁRIO LIC. LUIS MANUEL CANHA

JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL Certifico, para efeitos de publicação que no dia 18 de Janeiro de 2013, de fls. 93 a fls. 94, verso, do livro de notas 219-A do Cartório Notarial de Cantanhede, sito no Largo Cândido dos Reis, 15, salas 4 e 5, na cidade de Cantanhede, a cargo do notário Lic. Luís Manuel Canha, foi lavrada uma escritura de justificação notarial pela qual Elísio da Cruz Pataias e mulher Maria Liseta Catarino Gomes, casados sob o regime de comunhão geral, naturais da freguesia de Febres, concelho de Cantanhede e nela habitualmente residentes no lugar da Chorosa, na Travessa D. Nuno Álvares Pereira, número 3, declararam ser, com exclusão de outrem, donos e legítimos possuidores dos seguintes imóveis: UM: - Prédio rústico composto por terra de semeadura situado em Chorosa, freguesia de Febres, concelho de Cantanhede, com a área de setecentos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Amílcar Gonçalves, do sul com Manuel da Conceição Cravo, do nascente com Manuel da Conceição Cravo e do poente com Manuel Gomes Manso, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de herdeiros de Manuel de Oliveira sob o artigo 5350, com o valor patrimonial de € 12,49 e para efeitos de IMT e igual ao declarado de trezentos e setenta euros e quarenta e oito cêntimos; DOIS: - Prédio rústico composto por terra de semeadura situado em Chorosa, freguesia de Febres, concelho de Cantanhede, com a área de setecentos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com carreiro, do sul com Manuel da Conceição Cravo, do nascente com Maria Rodrigues e do poente com Amílcar Gonçalves, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Cantanhede e inscrito na matriz predial respectiva em nome de herdeiros de Manuel de Oliveira sob o artigo 5352, com o valor patrimonial de € 12,37 e para efeitos de IMT e igual ao declarado de trezentos e sessenta e seis euros e seis cêntimos; Que os identificados imóveis pertencem aos justificantes por os por terem verbalmente comprado, cerca do ano de mil novecentos e noventa a Maria de Jesus Oliveira e marido José Augusto Manata, residentes que foram no aludido lugar da Chorosa sem que, todavia, tenha sido lavrada a competente escritura, pelo que os adquiriram por usucapião, não havendo, todavia, dado o modo de aquisição, documento que lhes permita fazer a prova do seu direito de propriedade perfeita; Está conforme ao original; Cantanhede, 18 de Janeiro de 2013. O Notário, Luís Manuel Canha

ANTÓNIO FERNANDO DOS SANTOS CRUZ COVÕES 10 Anos de Saudade 28 de janeiro de 2003 28 de janeiro de 2013 Já passaram 10 anos Meu Deus como é duro, não estares aqui, Pois cada dia que passa, mais sinto a falta de ti. Que Deus te guarde no céu, Que nós aqui ficaremos sempre a pedir ao Senhor por Ti.

A família de Cesário Castro Monteiro recorda com profunda saudade o seu ente querido na passagem do primeiro aniversário do seu falecimento, pedindo ao bom pai que o tenha na Sua eterna companhia. Informam que será celebrada missa por sufrágio por alma do seu ente querido no dia 13 de fevereiro, pelas 20h00 na capela de Vila Nova de Outil, desde já agradecendo a todos os que estiverem presentes e que durante todos este ano partilham da mesma dor. Paz à sua alma.

Tua esposa e filhos.

Covões, 28 de janeiro de 2013.

Vila Nova, 13 de fevereiro de 2013.


16 Desporto FUTEBOL FEMININO CAMPEOnaTO PROMOÇÃO (SÉRIE C) PRÓXIMA JORNADA União Ferreirense . Viseu 2001 Eirolense . Seia Cadima . Murtoense II DIVISÃO (ZONA CENTRO) Operário 3 . 1 S. João Ver Cesarense 2 . 1 Anadia Nogueirense 1 . 1 Tocha Pampilhosa 2 . 0 Coimbrões Benf.C.Branco 2 . 3 Cinfães Sousense 2 . 0 Tourizense Bustelo 1 . 1 Sp. Espinho Lusitânia 0 . 1 Ac. Viseu J V E D M S P Cinfães 18 10 6 2 33 16 36 Ac. Viseu 18 10 5 3 24 13 35 Sp. Espinho 18 8 7 3 22 14 31 Anadia 18 10 1 7 20 17 31 S. João Ver 18 8 4 6 23 21 28 Pampilhosa 18 8 4 6 24 25 28 Operário 18 7 6 5 27 20 27 Benf.C.Branco 18 6 8 4 26 22 26 Sousense 18 6 7 5 18 16 25 Coimbrões 17 5 7 5 23 25 22 Tourizense 18 5 6 7 19 20 21 Nogueirense 18 5 5 8 20 25 20 Cesarense 18 5 5 8 14 20 20 Bustelo 18 2 7 9 12 24 13 Tocha 18 2 5 11 14 26 11 Lusitânia 17 2 5 10 20 35 11 PRÓXIMA JORNADA

Sp. Espinho . Cesarense Anadia . Operário S. João Ver . Lusitânia Ac. Viseu . Nogueirense Tocha . Pampilhosa Coimbrões . Benf.C.Branco Cinfães . Sousense Tourizense . Bustelo DIVISÃO HONRA AFC

PRÓXIMA JORNADA Desp. Lagares . Vinha da Rainha União FC . Arganil Pampilhosense . Touring Ançã . Marialvas Febres . Eirense Carapinheirense . Académica SF Vigor Mocidade . Moinhos 1.ª DIVISÃO AFC

PRÓXIMA JORNADA São Silvestre . Gândaras S. Mamede . Esp. Atlético Agrário Lamas . Águias Mocidade . Condeixa Poiares . Góis Ribeirense . S. Pedro Alva Brasfemes . Gândara Lousanense . Sepins TAÇA AFC 2.ª ELIMINATÓRIA União FC 3 . 1 Vinha da Rainha Gândara 5 . 4 Góis* Carapinheirense 6 . 2 São Pedro Alva Poiares 1 . 0 Esperança Eirense 3 . 2 Pampilhosense* Arganil 5 . 0 Gândaras * - Vitória após grandes penalidades JUNIORES AFC - SÉRIE B

Sepins 3 . 1 São Silvestre* * - Jogo em atraso

J V E D M S P Gândara 16 11 3 2 35 10 36 Poiares 16 11 2 3 41 17 35 Brasfemes 16 11 2 3 34 20 35 Águias 16 10 4 2 31 18 34 Góis 16 10 2 4 39 13 32 Condeixa 16 8 5 3 26 19 29 São Silvestre 16 8 0 8 24 20 24 Esp. Atlético 16 7 1 8 19 19 22 Mocidade 16 6 2 8 27 25 20 Sepins 16 5 5 6 17 27 20 Gândaras 15 5 4 6 19 20 19 S. Pedro Alva 16 5 4 7 27 34 19 Ribeirense 16 3 3 10 15 30 12 Lousanense 16 2 4 10 10 25 10 Agrário Lamas 16 1 3 12 9 52 6 S. Mamede 15 2 0 13 16 40 6

Esp. Atlético 2 . 1 Ançã Ribeirense 1 . 7 Carapinheirense Eirense 3 . 2 Águias Maiorca 1 . 0 Gândara Marialvas 1 . 2 Tocha

J V E D M S P Tocha 13 12 0 1 45 11 36 Académica SF 12 11 1 0 45 10 34 Carapinheirense 13 9 2 2 37 16 29 Eirense 13 7 3 3 24 20 24 Esp. Atlético 13 6 1 6 26 28 19 Casaense 12 5 2 5 22 19 17 Maiorca 13 4 4 5 10 23 16 Marialvas 13 3 3 7 16 17 12 Ançã 11 3 2 6 16 25 11 Águias 13 2 3 8 18 32 9 Gândara 11 1 2 8 8 21 5 Ribeirense 13 0 1 12 9 54 1 PRÓXIMA JORNADA

PRÓXIMA JORNADA Gândara . Académica B Ereira . Sepins Touring . Montemorense Carapinheirense . Cova-Gala Naval B . Marialvas Tocha . Adémia FUTSAL III DIVISÃO NACIONAL (SÉRIE C) Prodeco 5 . 4 Caldas B. B. Esperança 4 . 4 Mendiga Ribeira Frades 0 . 3 MTBA Elétrico 5 . 3 Casal Velho Achete 3 . 1 Miranda Corvo Alhadense 4 . 2 Olho Marinho Fátima . ABC Nelas* * - Adiado (16/02) J V E D M S P Elétrico 13 9 3 1 56 36 30 Mendiga 13 8 3 2 60 47 27 Alhadense 13 7 4 2 47 32 25 MTBA 13 6 2 5 38 32 20 B. B. Esperança 13 5 5 3 36 36 20 ABC Nelas 12 5 4 3 42 35 19 Achete 13 5 4 4 52 45 19 Prodeco 12 5 4 3 43 35 19 Miranda Corvo 13 5 2 6 33 42 17 Caldas 13 4 2 7 47 50 14 Fátima 11 3 2 6 29 43 11 Olho Marinho 13 2 3 8 29 49 9 Casal Velho 13 2 2 9 24 43 8 Ribeira Frades 13 1 4 8 36 47 7 PRÓXIMA JORNADA B. B. Esperança . Miranda Corvo Prodeco . Mendiga ABC Nelas . MTBA Elétrico . Ribeira Frades Achete . Olho Marinho Alhadense . Casal Velho Fátima . Caldas

Ançã . Ribeirense Carapinheirense . Eirense Casaense . Maiorca Gândara . Marialvas Tocha . Académica SF

Vigor 3 . 1 Moinhos* * - Jogo antecipado

J V E D M S P Vigor Mocidade 17 12 4 1 35 11 40 Carapinheirense 16 11 2 3 38 19 35 Ançã 16 9 5 2 29 15 32 Académica SF 16 7 7 2 28 20 28 União FC 15 7 3 5 25 17 24 Eirense 16 5 8 3 23 14 23 Febres 15 5 6 4 26 18 21 Pampilhosense 16 5 6 5 22 22 21 Moinhos 17 5 2 10 25 35 17 Arganil 16 4 5 7 17 26 17 Desp. Lagares 16 4 5 7 21 29 17 Touring 15 3 6 6 17 24 15 Marialvas 16 2 1 13 16 43 7 Vinha da Rainha 15 0 4 11 11 40 4

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

JUVENIS AFC – SÉRIE C Ereira 1 . 0 Vateca Ançã 8 . 0 Maiorca Carapinheirense 1 . 1 Gândara Naval B 4 . 3 Casaense B Vinha da Rainha 3 . 2 Marialvas J V E D M S P Naval B 13 13 0 0 59 8 39 Vinha da Rainha 15 12 2 1 50 11 38 Tocha 13 10 1 2 49 10 31 Marialvas 14 9 2 3 53 12 29 Ereira 13 9 1 3 36 15 28 Ançã 14 7 0 7 31 30 21 Casaense B 14 7 0 7 30 27 21 Vateca 12 4 1 7 16 20 13 Carapinheirense 14 2 2 10 16 35 8 Gândara 14 1 1 12 9 55 4 Águias 13 1 1 11 10 56 4 Maiorca 15 1 1 13 7 85 4 PRÓXIMA JORNADA

Vateca . Tocha Maiorca . Carapinheirense Gândara . Vinha da Rainha Marialvas . Naval B Casaense B . Águias

FUTSAL DIVISÃO HONRA AFC PRÓXIMA JORNADA União de Chelo . Nogueira do Cravo Vilaverdense . Pouca Pena União Alhadense . Lagonense AGU – Futsal . Vila Verde Miro . Conimbricense Paionense . Domus Nostra Prodema . Casal S. Amaro Serpinense . Quiaios FUTSAL FEMININO DIVISÃO HONRA AFC APURAMENTO DE CAMPEÃO Serpinense 2 . 2 Ourentã Vilarinho 4 . 4 Almas Folgou: Tocha J V E D M S P Ourentã 2 1 1 0 2 2 31 Serpinense 2 1 1 0 8 2 27 Vilarinho 2 1 1 0 6 5 24 Tocha 1 0 0 1 1 2 16 Almas 3 0 1 2 4 17 14

PRÓXIMA JORNADA

Almas . Tocha Ourentã . Vilarinho Folga: Serpinense

INICIADOS AFC – SÉRIE C Sepins 0 . 8 Touring Cova-Gala 1 . 4 Naval B Académica B 4 . 4 Ereira Montemorense 1 . 3 Carapinheirense Marialvas 0 . 1 Tocha J V E D M S P Naval B 14 14 0 0 144 3 42 Tocha 14 13 0 1 50 14 39 Adémia 12 9 0 3 43 22 27 Touring 14 8 2 4 32 15 26 Carapinheirense 14 7 3 4 39 27 24 Marialvas 12 4 3 5 14 39 15 Cova-Gala 13 3 5 5 22 24 14 Ereira 14 3 3 8 31 46 12 Sepins 14 3 0 11 13 79 9 Gândara 13 2 2 9 19 55 8 Académica B 14 1 5 8 23 64 8 Montemorense 14 1 3 10 14 56 6

pub

Apoia o desporto! 936272193 - Jorge Simão 935513795 - António Simão 936272036 - Carlos Simão Rua da Anôa, n.º 44 3060 - 380 Enxofães

FUTEBOL – II DIVISÃO (ZONA CENTRO)

Nogueirense e Tocha empataram no dérbi Nogueirense 1 – Tocha 1 NOGUEIRENSE Ruca, Rodolfo, Rui (cap), Daniel, João Paulo, Diogo Ribeiro, Nelo, Hugo Amado (Henrique aos 75’), Name (Luís Vouzela aos 87’), Hugo Seixas (Sérgio Grilo aos 84’), Zé Francisco e David Nunes. Treinador: Pedro Ilharco.

TOCHA Marcos, Ricardo (Curto aos 70’), Fernando (cap), André Gonçalo, Rola (Zé Miguel aos 58’), Vasco Seco, Michael, Péricles Júnior, Miguel Cá, Real (Gonçalo aos 30’) e Carlos Miguel. Treinador: Cláudio Nuno. Ao intervalo: 0-1. Marcadores: Hugo Amado (3’ pb) e David Nunes (46’).

O domingo de futebol ficou marcado pelo bom tempo. A tarde soalheira “aqueceu” o dérbi entre o Nogueirense e o Tocha, que terminou com um empate a uma bola. Apesar dos maus resultados e complicações na classificação da 2.ª Divisão, o Tocha entrou melhor em campo e foi feliz no desentendimento entre Hugo

Amado e o guarda-redes local. Aos três minutos, Hugo Amado marcou na própria baliza e colocou a equipa gandaresa na frente do marcador, um resultado que se manteve até ao intervalo. Regista-se que até à paragem do dérbi, o Tocha esteve em bom plano, demonstrando vontade de melhor resultado. Já na segunda parte, a for-

AÇÃO DISCIPLINAR Cartão amarelo: Michael 89’), Nelo (34’), Hugo Amado (45), David Nunes 856’) e Péricles Júnior (60’). Árbitro: Sílvio Gouveia. Auxiliares: Pedro Gonçalves e Paulo João Vaz. Campo de Santo António, em Nogueira do Cravo.

mação da casa respondeu com boa reentrada nesta partida: decorria o minuto 46 e David Nunes estabeleceu a igualdade. A disputa de vencer esteve evidente, ambas as equipas jogaram para o ataque, evidenciando várias ocasiões de golo. Porém, o resultado não sofreu mais nenhuma mexida e dividiu-se um ponto. Arbitragem regular.

FUTSAL – III DIVISÃO NACIONAL (SÉRIE C)

Jogo de muitas transições Prodeco 5 - 4 Caldas Prodeco Rafa (GR), Leo, Geninho, Tiga e Simão. Banco: Sérgio (GR), Fontes, Finfas, Nuno (cap.), André Neves, Rafael Cruz e Pombo. Treinador: Carlos Silva e Jorge Cruz.

CALDAS André (GR), Sena, Marco Marques, Luís Fernandes e Miguel Nunes. Banco: Wilson (GR), Marco Oliveira (cap), Bruno, Paulo Simões e Márcio. Treinador: Gabriel Fernandes e Pedro Pinto.

Golos: André Neves, Tiga (2) e Simão (2).

Golos: Marco Marques, Luís Fernandes e Miguel Nunes (2).

> Carlos Silva

A Prodeco mais uma vez teve problemas funcionais no seu pavilhão e desta vez, teve que se deslocar ao Pavilhão “Os Marialvas”, em Cantanhede, para realizar a sua partida. O encontro começou mais tarde do que o previsto, no entanto, sem grandes agitações a equipa de Covões regressou às vitórias, por 5-4, somando mais três pontos rumo aos seus objetivos. Quanto ao jogo propriamente dito, este começou com alguma acalmia, mas rapidamente a Prodeco subiu as suas linhas defensivas e exercendo um pressão em todo o campo, começou a criar dificuldades ao adversário. No entanto, foi mesmo o Caldas a colocar-se na frente do marcador perto do meio do primeiro período, após um livre direto em que a defesa foi muito passiva. O jogo a partir daqui tornou-se mais rápido e dividido. Minutos depois, André Neves concretizou uma grande arrancada pela ala com bola, atirando forte e colocado para o empate na partida. A Prodeco estava por cima na partida e foi com

naturalidade que Tiga acabou por colocar a sua equipa em vantagem. Com parada e resposta, o Caldas fez a igualdade por duas bolas. O adversário desenvolveu muito jogo direto e isto acabava por tornar o jogo rápido. Nestes emocionantes minutos, de salientar uma perdida inacreditável de Rafa, mesmo em frente e sozinho para a baliza. A três minutos do fim, o Caldas numa boa transição, conseguiu o desempate, porém no minuto seguinte, Simão marcou para a igualdade, após um forte remate, até ao intervalo. No segundo período, o encontro tornou-se quase sempre com muitas perdas de bola e ataques e contra-ataques. A qualidade de jogo não era muita, mas tornava-se emocionante para o público presente. Com seis minutos passados no segundo período, Tiga bisou na partida e colocou o marcador em 4 - 3. Tal como tinha acontecido no primeiro período, logo após a Prodeco se colocar na frente, o Caldas volta a empatar, agora a 4 - 4. Jogo continuava com transições e mais remates falhados

Arbitragem: Francisco Costa e José Gomes (AF Viseu) Pavilhão “Os Marialvas”.

de parte a parte, com os dois guarda-redes a estarem em bom plano. A sete minutos do desfecho, eis que surgiu o golo da vitória de Covões, com Simão a desfazer mais um belo e forte remate para o golo. Até ao fim, o Caldas arriscou jogar com o guarda-redes avançado, mas assim que o fez, Tiga isolou-se para a baliza deserta e foi agarrado, o que deu origem à expulsão do jogador do Caldas. A jogar com um jogador a mais, a Prodeco preferiu reter e muito bem a bola, arriscando na certa e quando o fez, desta vez foi Geninho a falhar inacreditavelmente ao segundo poste. Com poucos segundos para o fim já a jogar em igualdade numérica, não houve nada a assinalar. Vitória muito importante da Prodeco, depois de uma série negativa, que vem trazer mais alegria e confiança. De salientar que toda a equipa, que remou toda no mesmo sentido, com muita atitude e muito querer, apesar de muitas vezes as coisas não saírem na perfeição… mas do outro lado também esteve uma equipa com qualidade e que queria levar os três pontos.


Desporto 17

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

ATLETISMO

BTT

Gira Sol/Ramos Catarino garante presença na I Divisão do “Nacional” de Clubes

Pocariça recebe III Rota de São Tiago

Prova decorre no dia 17 de fevereiro e concentração está marcada no Largo de São Tomé

dr

dr

As equipas masculina e feminina da Gira Sol/Ramos Catarino alcançaram, pelo terceiro ano consecutivo, a I Divisão do Campeonato Nacional de Clubes em Pista Coberta, reservada aos oito melhores emblemas da fase de apuramento. Disputou-se, nos dias 26 e 27 de janeiro, o apuramento para o Campeonato Nacional de Clubes em Pista Coberta, prova organizada pela Federação Portuguesa de Atletismo que contou com a participação de 46 clubes de todo o País e mais de 700 atletas. A Gira Sol/Ramos Catarino marcou presença em Pombal (houve um segundo grupo de apuramento em Braga), tendo garantido o acesso ao exclusivo lote dos oito melhores emblemas de Portugal em masculinos e femininos, que irão disputar este sábado, dia 9, a I Divisão do “Nacional” de Clubes. A equipa de atletismo da Associação de Desenvolvimento de Febres foi a terceira melhor do apuramento em masculinos e a oitava melhor em femininos, sendo o único clube do distrito de Coimbra a garantir o acesso à I Divisão, o escalão máximo do atletismo nacional em competições por equipas. Este é o terceiro ano consecutivo em que a Gira Sol/Ramos Catarino consegue levar as duas equipas (masculina e femini-

na) à I Divisão do “Nacional” de Clubes. No apuramento merecem destaque as prestações dos atletas João Dias, o melhor no salto em comprimento com a marca de 7,14 metros (Gaspar Araújo, do Sporting, foi o segundo melhor com 7,08 metros), e o segundo no triplo salto com 14,83 metros (a melhor marca pertenceu a Tiago Pereira, do Benfica), e Cristiana Campos e Sandra Silva, detentoras da segunda melhor marca do apuramento nas provas de lançamento do peso de quatro quilos e 3000 metros marcha, respetivamente. A Gira Sol/Ramos Catarino volta, assim, a marcar presença na I Divisão do Campeonato Nacional de Clubes em Pista Coberta, competição em que, na época transata, obteve o quarto lugar em masculinos, e o quinto em femininos. O apuramento para a “prova-rainha” do atletismo por equipas em Portugal vem confirmar o estatuto de que a Associação de Desenvolvimento de Febres já goza no seio da modalidade, sendo único clube da região Centro em competição. Recorde-se que apenas oito clubes, dois dos quais Benfica e Sporting, integram o lote que irá competir no próximo sábado, na I Divisão.

dr

Pelo terceiro ano consecutivo, a Comissão de Festas de São Tiago vai realizar mais um BTT Rota de São Tiago no dia 17 de fevereiro. A prova terá dois percursos – meia maratona (45 quilómetros) e maratona (60 quilómetros), onde cada participante pode disfrutar de bons trilhos para disfrutar aventura e natureza após a hora de concentração, no Largo de São Tomé, às 9h30. As inscrições estão abertas em http://www.festas-stiago.com. GOLFE

Clube de Golfe de Cantanhede recebeu 2.º torneio do Ranking de P&P Próxima prova ficou agendada para 3 de março

LOTAÇÃO ESGOTADA NA 7.ª GALA DE DESPORTO DA MEALHADA

Maria Malaguerra galardoada “Atleta do Ano” e distinguida com o prémio “Mérito Desportivo”

dr

Francisca Marques, atleta de basquetebol da SCC também recebeu o prémio “Mérito Desportivo” dr

Numa organização do município da Mealhada, realizou-se 7.ª edição da Gala do Desporto daquele concelho e que premiou os atletas, dirigentes, clubes e personalidades das várias modalidades que mais se destacaram na última época desportiva, num total de 13 prémios atribuídos no passado dia 28 de janeiro, no Cine-Teatro Messias. As atletas da Sociedade Columbófila Cantanhedense, Maria Malaguerra Costa, da secção de Natação, e Francisca Marques, da secção de Basquetebol, estiveram entre o restrito lote dos atletas distinguidos, entre tantas outras “estrelas” do desporto mealhadense. Maria Malaguerra, nadadora internacional e campeã nacional, conquistou o galardão “Atleta do Ano”, que premiou o trabalho e dedicação que tem tido à modalidade. Para

além deste prémio, que recebeu das mãos de Pedro Emanuel, treinador da Académica de Coimbra, Maria Malaguerra foi igualmente distinguida com o prémio “Mérito Desportivo”. Integrada na equipa de basquetebol sub-16 da SCC, Francisca Marques subiu ao palco para receber o mesmo prémio “Mérito Desportivo”, distinguindo a dedicação no basquetebol feminino bem como o desempenho que teve na temporada transata com a camisola do CAD. A noite dedicada ao Desporto lotou a sala de espetáculos do Cine-Teatro Messias, onde as distinções revelaram aqueles que melhor desenvolveram o desporto no concelho e arredores, tendo presenças especiais como Fernanda Ribeiro, atleta olímpica que ganhou medalha de ouro nos dez mil metros, nos Jogos Olímpicos de Atlanta,em 1996. A entrega do prémio “Treinador do Ano” a Fernando Ferreira Nascimento, mais conhecido por “Niza”, o prémio “Memória” ao falecido “Professor Simões” e o prémio “Alto Prestígio” ao fundador da Associação de Jovens Cristãos do Luso, Rui Costa, foram alguns dos momentos mais marcantes da gala desportiva. “Eu vou esperar que todos os que estão à frente das associações pensem primeiro nas pessoas. É por elas e para elas que estamos aqui”, disse Janine de Oliveira, presidente da direção da CADES, ao receber o prémio “Associação Desportiva do Ano”, sob um forte aplauso da plateia. E foi assim que começou a sétima edição do evento, com grandes comemorações e aplausos, que se estenderam a Gonçalo Louzada, do Hóquei Clube da Mealhada, que recebeu o prémio “Dirigente do Ano”. O segundo momento da noite aconteceu com a subida ao palco de Fernanda Ribeiro, para a entrega do galardão de “Revelação do Ano”, que ficou nas mãos da mealhadense Sandrine da Ressureição, do Rugby da Agrária de Coimbra.

Com tempo magnifico para a prática de golfe, realizou-se no domingo, 3 de fevereiro, o 2.º Torneio do Ranking de Pitch & Putt do Clube do Golfe de Cantanhede. Terminaram a prova 23 jogadores, tendo-se classificado em 1.º Gross Luís Gil (na fotografia), enquanto em Net o primeiro lugar foi para Eduardo Santos e o segundo lugar para Nuno Fernandes. A tacada mais próxima da bandeira foi para Luís Pereira. O ranking é agora comandado em gross por Luís Paulo Manata e em Net por Eduardo Santos, ambos com 420 pontos. No fim do encontro foram entregues os troféus relativos aos 1.º e 2.º Torneios do Ranking aos respetivos titulares. A próxima prova deste torneio terá lugar no Campo de Golfe de Cantanhede, já no dia 3 de março.


18 Desporto

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

GINÁSTICA AERÓBICA DESPORTIVA – TROFÉU JOSÉ ANTÓNIO MARQUES

NATAÇÃO

Academia CantanhedeGym conquistou os primeiros títulos da época

Atletas da SCC batem novos recordes pessoais em Braga dr

No passado fim de semana, dias 2 e 3 de fevereiro, realizou-se no Pavilhão Municipal da Maia, o Troféu José António Marques, de Ginástica Aeróbica Desportiva. Na primeira competição da época 2012/2013, a Academia CantanhedeGym (ACG) esteve representada com 28 ginastas (oito iniciados, 11 juvenis, cinco juniores e quatro seniores). Os ginastas da ACG realizaram 29 rotinas, resultando na conquista de 36 medalhas (1.º classificado - 20 medalhas; 2.º classificado – 11 medalhas e 3.º classificado - cinco medalhas). O torneio foi dividido em duas divisões, e em quatro categorias (individuais, pares, trios e conjuntos) e quatro escalões (iniciados, juvenis, juniores e seniores).

dr

Mais uma vez, a Secção de Natação da Sociedade Columbófila Cantanhedense (SCC), a convite do Sporting Clube de Braga, representou o concelho de Cantanhede num torneio destinado ao escalão de cadetes (10/12 anos), que já conquistou no panorama da natação nacional, um lugar de destaque, sendo uma das mais importantes e participadas competições destinadas a nadadores Cadetes A e B, nascidos em 2002 e 2003 (femininos), 2001 e 2002 (masculinos), efetuando-se 14 provas e que mais uma vez consegui um elevado nível qualitativo. Foi com uma prestação muito boa que os nadadores da Sociedade Columbófila saíram deste XVI Torneio do Sporting Clube de Braga que decorreu no passado sábado, nas Piscinas da Rodovia, em Braga e que contou com a presença de 19 clubes e de cerca de 200 atletas. Os jovens nadadores de Cantanhede, Diogo Coelho, David Tinoco, Henrique Carvalheiro, Bernardo Cardoso, Carolina Reis, Matilde Faria, Elisa Monteiro e Sara Tejo, obtiveram em todas as provas nadadas novos recordes pessoais. Os nadadores da SCC aproveitaram ainda a participação neste torneio naquela cidade minhota para se prepararem para o Torneio Nadador Completo, prova que se realizará nas piscinas municipais de Condeixa. pub

MUNICÍPIO DE CANTANHEDE DEPARTAMENTO DE URBANISMO

AVISO Nº 4/13-VP

Nos termos do Artº 27.º do Decreto-Lei nº 555/99, de 16 de dezembro, com a redacção dada pelo Decreto-Lei nº 26/2010, de 30 de março, torna-se público que a Câmara Municipal de Cantanhede, emitiu em 23 de janeiro de 2013, o 1º Aditamento ao Alvará de loteamento nº 2/2012, de 19 de junho, emitido em nome do Município de Cantanhede, referente ao prédio sito na Zona Industrial de Febres, freguesia de Febres e concelho de Cantanhede, aprovado pela deliberação de Câmara de 18 de dezembro de 2012, apresenta as seguintes características: -----A alteração contempla: -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------a) Aumento da área de intervenção do loteamento que passa de 16.066,00m² (dezasseis mil e sessenta e seis metros quadrados) para 18.366,00m² (dezoito mil trezentos e sessenta e seis metros quadrados); b) Aumento da área do lote nº 19 que passa de 4.750,00m² (quatro mil setecentos e cinquenta metros quadrados) para 6.650,00m² (seis mil seiscentos e cinquenta metros quadrados); c) Aumento da área total dos lotes passa de 11.709,00m² (onze mil setecentos e nove metros quadrados) para 13.609,00m² (treze mil seiscentos e nove metros quadrados); d) Aumento da área de arruamentos que passa de 3.957,00m² (três mil novecentos e cinquenta e sete metros quadrados) para 4.357,00m² (quatro mil trezentos e cinquenta e sete metros quadrados); e) Retificar o afastamento de tardoz estipulado para o lote nº 21, uma vez que na planta síntese aprovada no alvará de loteamento em vigor, ficaram definidos 10 metros de afastamento de tardoz, mas como o lote nº 21 é um lote de gaveto, com duas frentes, o afastamento de tardoz deverá ser igual ao afastamento lateral; f) Do aumento de 2.300,00m² (dois mil e trezentos metros quadrados) da área de intervenção do loteamento, 1.900,00m² (mil e novecentos metros quadrados) destinam-se a integrar na área do lote nº 19 e os restantes 400,00m² (quatrocentos metros quadrados) inserem-se no arruamento. -----O aumento da área provém dos seguintes terrenos, propriedade do Município de Cantanhede: --------------------------------------------------------------------------------------------Parcela do prédio com área de 790,00m² (setecentos e noventa metros quadrados), descrito na Conservatória de Registo Predial de Cantanhede sob o nº 1856 e inscrito na matriz predial rústica sob o Artº 10.070. Este depois da desanexação fica com a área de 268,00m² (duzentos e sessenta e oito metros quadrados). ---------------------Parcela do prédio com área de 790,00m² (setecentos e noventa metros quadrados), descrito na Conservatória de Registo Predial de Cantanhede sob o nº 1855 e inscrito na matriz predial rústica sob o Artº 10.071. Este depois da desanexação fica com a área de 410,50m² (quatrocentos e dez metros e cinquenta centímetros quadrados). -------Parcela do prédio com área de 720,00m² (setecentos e vinte metros quadrados), descrito na Conservatória de Registo Predial de Cantanhede sob o nº 5777 e inscrito na matriz predial rústica sob o Artº 10.076. Este depois da desanexação fica com a área de 2.569,00m² (dois mil quinhentos e sessenta e nove metros quadrados). ----------------A área do terreno a lotear é de 18.366,00m² (dezoito mil trezentos e sessenta e seis metros quadrados), a área total dos lotes é de 13.609,00m² (treze mil seiscentos e nove metros quadrados). ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------LOTE Nº19 – Com a área de 6.650,00m² (seis mil seiscentos e cinquenta metros quadrados), confrontando do Norte com Corredor de incêndios, do Sul com Arruamento projetado, do Nascente com Lotes nº 17 e 18 e do Poente com Município de Cantanhede, com o índice de utilização de 0,50, destinado a Indústria, Armazém, Comércio ou Serviços.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------É cedida para integração no domínio público municipal a área de 4.757,00m² (quatro mil setecentos e cinquenta e sete metros quadrados), sendo 4.357,00m² (quatro mil trezentos e cinquenta e sete metros quadrados) destinados a arruamentos e 400,00m² (quatrocentos metros quadrados) destinados ao corredor de incêndio. Cantanhede, 23 de janeiro de 2013 A Vice-Presidente da Câmara Municipal Cantanhede (Maria Helena Rosa de Teodósio e Cruz Gomes de Oliveira)

CANTANHEDE 9 e 11 de fevereiro, às 22h00 Carnaval Animação com Dj Simão Urban CLub 9 de fevereiro, às 22h00 Festa de Carnaval, com Karaoke Pancinhas Centro Social de Recreio e Cultura de Sanguinheira Pátio Gandarêz 9 de fevereiro, às 23h00 Festa de Carnaval, com Miss Rose Dj Quartel Bar 10 de fevereiro, das 10h00 às 13h00 1.ª Feira Regional dos Escuteiros da Tocha Largo da Igreja Matriz da Tocha 11 de fevereiro, às 11h00 1.º Encontro de Paintball Organização: Comissão de Finalistas Gandia 2012/2013 (Pré-inscrições – 14€) Zona Industrial de Cantanhede COIMBRA 9 de fevereiro, às 15h00 Sábado no Museu – ateliê infantil “Espelho Meu” (5 a 7 anos / 4€ por criança) Museu da Ciência da UC 9 de fevereiro, às 16h00 Hora do Conto Bertrand “Tiago, o Menino que Gostava de Cães”, de Tânia Ribas de Oliveira CoimbraShopping “O Sr. Azulão”, Chris Riddel Dolce Vita Coimbra MEALHADA 10 e 12 de fevereiro, às 15h00 Desfiles de Carnaval Sambódromo Luís Marques FIGUEIRA DA FOZ 9 de fevereiro, às 21h30 Espetáculo ao vivo M-Show, com Marcantonio Del Carlo e Marta Nunes Centro de Artes e Espetáculo


Empresarial 19

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

Com uma experiência de mais de três décadas, o Grupo Catarino é uma referência em construção especializada e reabilitação. A criação, em 2006, da Ramos Catarino Dois reforça a disponibilidade para intervir em obras de pequena e média dimensão. Concretizamos cada obra com genuínas preocupações pelo detalhe, alcançando, sempre, resultados finais que se distinguem pela insuperável qualidade, preços competitivos e rigoroso cumprimento de prazos.

Rua Rodrigo da Fonseca, 82 - 4º Esq | 1250-193 Lisboa Tel.: +351 213 814 580 | Fax: +351 213 814 588 info@grupo-catarino.pt | www.ramoscatarinodois.pt

LISBOA

|

COIMBR A

|

VILA MOU R A

CONSTRUÇÃO | REABILITAÇÃO | APARTAMENTOS | MORADIAS | ESPAÇOS COMERCIAIS | CONSULTÓRIOS | ESCRITÓRIOS | CLÍNICAS


20 Ultima

Jornal Boa Nova — Rua dos Bombeiros Voluntários n.º 330, 3060-163 Cantanhede Publicidade e Assinaturas 231 422 870 Fax 231 420 989 | comercial@jornalboanova.com

3195 :: 7 de fevereiro de 2013

POLÍTICA

João Moura anuncia recandidatura à Câmara Municipal de Cantanhede Candidato do PSD disputará as próximas eleições autárquicas contra Carlos Ordens, personalidade escolhida pelo

Protocolo com Multicare e A Previdência Portuguesa

Partido Socialista arquivo

> Mirla Ferreira Rodrigues

As previsões estão confirmadas: João Pais de Moura é o candidato social-democrata à Câmara Municipal de Cantanhede. A Assembleia da Secção de Cantanhede do PSD aprovou o nome de João Moura para candidato do partido às próximas eleições autárquicas, em outubro. O plenário da concelhia social-democrata reuniu na sexta-feira, 1 de fevereiro, e sufragou, por unanimidade e aclamação, a proposta da Comissão Política, também aprovada por unanimidade, de apresentar o atual presidente da

autarquia cantanhedense como cabeça de lista à Câmara Municipal. Numa nota enviada às redações foram destacados alguns aspetos “extremamente positivos” da gestão camarária, designadamente “o equilíbrio financeiro da instituição na conjuntura adversa que se tem vivido nos últimos anos, o reconhecimento de que foram realizados investimentos estruturantes que representam um avanço significativo dos níveis de qualidade de vida das populações e a constatação de que João Moura, além da sua reconhecida competência e capacidade de gestão, dispõe de um grande capital de confiança junto dos munícipes”. Os membros da Assembleia do PSD foram também unanimes em considerar que o líder do executivo camarário cantanhedense “conduziu de modo exemplar dossiês fundamentais para o município, nomeadamente no âmbito do QREN, através dos quais se obtiveram relevantes comparticipações financeiras para grandes obras em infraestruturas e equipamentos coletivos, como os novos centros educativos, a requalificação urbana, valorização da rede viária e saneamento”. “Só nesta área, foram investidos, através da INOVA, mais de 13,4 milhões de euros, que permitiram passar de uma taxa de cobertura do território de 54 por cento em 2009, para 95 por cento no final do último ano. E numa altura em que se aproxima o arranque de um novo quadro comunitário de apoio é crucial que o presidente Município de Cantanhede seja alguém como João Moura, que tem larga experiência e capacidade de negociação dos financiamentos junto de quem decide a atribuição dos fundos comunitários”, pode ler-se no documento. A nota enaltece ainda “o excelente relacionamento institucional do atual presidente da Câmara com todos os presidentes de junta de freguesia e com as associações, entidades que tiveram sempre apoio financeiro significativo da parte da Câmara Municipal” e elogia “a coragem de João Moura, que, na qualidade de presidente da Câmara, defendeu sempre intransigentemente os interesses das populações, mesmo quando teve que tomar uma posição firme contra o Governo do seu próprio partido em vários processos”.

(H.U.C.)

pub

repórter olho vivo

Sem respeito O título leva o leitor a concluir que alguma pessoa esteja a faltar com o respeito ao seu semelhante. Entretanto, neste caso não é disso que se trata, mas sim da falta de respeito que alguns automobilistas têm ao não obedecerem ao Código da Estrada, ignorando as placas de sinalização onde não é permitido estacionar. O caso concreto refere-se à rua Marquês de Marialva, mais precisamente no passeio daquela rua, onde existe uma placa de sinalização de estacionamento proibido, mas que é ignorada por alguns automobilistas e onde é “permi-

tido” estacionar livremente as viaturas sem nenhum problema. Conclusão: o dito passeio está quase totalmente danificado e já perdeu toda a configuração original, sendo atualmente (parafraseando o livro de um dos autores destas cidade) uma verdadeira “manta de retalhos”, tal a quantidade de remendos que naquele passeio já foram feitos. A conclusão é a mais lógica: aquela placa de sinalização está “sem respeito”. O recado está dado. pub

26x4_CV.indd 2

1/28/2013 5:13:56 PM

3195jbn  

www.jornalboanova.com