Page 1

Director: Luís Francisco Cordeiro Marques | SEMANÁRIO | Fundado em 1933 | Ano LXXVII | Sai à quinta-feira | Preço: 0,60 € TEL. 231 422 870 | TEL. & FAX 231 420 989 | geral@jornalboanova.com | N.º 3193 | 24 de janeiro de 2013

Ricardo Roncon

Pedro Mela

João Pedro Couceiro

Rui Pedro Carvalho

professor de natação

empresário de restauração,

Advogado

Empresário,

e empresário,

36 anos

e empresário;

Plantação de Kiwis, 42

36 anos

anos

35 anos

A olho nu: sinais de futuro?! Ou

Remar contra a maré para chegar a bom porto PÁG. 10 E 11 ca

Secretaria Paroquial e Jornal Boa Nova com novo espaço de atendimento Desde a passada quarta-feira que o Centro Paroquial de Cantanhede disponibiliza a toda a comunidade um novo local de atendimento, que funcionará como balcão único. Com atendimento personalizado, o espaço permitirá a congregação de serviços e a redução de custos num tempo que é difícil para todas as instituições e organizações. O objetivo, explica o padre Luís Francisco, pároco de Cantanhede, passa por fazer uma distinção entre a Pastoral e a área burocrática: todos os assuntos relacionados com atos de inscrição, certidões, pedidos de documentos ou pagamentos, deverão ser tratados na Secretaria Paroquial; já a igreja matriz ficará reservada para um atendimento e acolhimento mais pessoal dos paroquianos, que decorre todas as terças e sextas-feiras, a partir das 19h00. A Secretaria Paroquial continuará a funcionar no mesmo horário: de terça a sexta, das 16h00 às 20h00 e aos sábados das 9h00 às 13h00, assim como o Jornal Boa Nova, aberto todos os dias úteis, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h30. MFR

Peregrinação a Roma

[Acompanhada pelo padre Luís Francisco] Visita às Basílicas de Santa Maria Maior e de São João de Latrão, assim como à Escada Santa, às Catacumbas de S. Calisto ou S. Domitília, Praça e Basílica de S. Pedro, os Museus do Vaticano e a Capela Sistina entre outros...

Lugares disponíveis

Informe-se no Centro Paroquial ou através do 231 422 870

VENHA CONHECER OS NOSSOS ESPAÇOS

Local acolhedor para as suas festas de aniversário, família, empresas... E tantos outros momentos especiais para si! Faça a sua reserva: Tel.: 231 420 010 Tlm.: 922 222 458 Largo do Romal, 16 . 3060-129 Cantanhede

pub


2 Zoom sumário

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Converde produz em Cantanhede fungicida biológico a partir do tremoço p. 3

Peregrinação a Taizé p. 5 Festa em Newark rendeu 21 mil euros para o Centro Paroquial de Solidariedade Social de Febres p. 6 Chuva e ventos fortes atingiram várias freguesias do concelho p. 7 e 8 Mau tempo deixa sem luz e água milhares de habitantes do concelho p.9 Sinais de futuro?! O remar contra a maré para chegar a bom porto p. 10 e 11 PS de Coimbra “intransigente” na manutenção do Hospital de Cantanhede no SNS p. 12

luisfranciscomarques@gmail.com

Paradigmas

Editorial: Paradigmas p. 2

Profeta p. 4

Luís Francisco Marques

editorial

Temos, como povo, mais dificuldade em lidar com o espelho e mais queda para fazer bem as montras. Daqui resulta uma estrutural incapacidade em lidar com a nossa pequenez, confinada a este minúsculo rectângulo, e uma ansiosa necessidade de evidenciar aos olhos de outros uma grandeza artificial. A nossa capacidade global, enquanto nação, para sublimar traumas ‘como se nada fosse’, aprendendo pouco, é ímpar. Aquilo que alguns apelidam de superação e adaptação, talvez seja somente sobrevivência. E esta rebusca energias recônditas e forja estratégias inauditas que dificilmente vêm ao de cima em momentos de ‘velocidade de cruzeiro’. Apenas numa ‘crise’, da qual ainda vivemos mais a narrativa contada por

outros e menos a realidade vivida por nós. Ainda bem e ainda mal. Erguemos a nacionalidade num ‘arrufo’ familiar; perdemos a soberania em favor de Espanha; surpreendemo-nos senhores de um Império, quando provavelmente apenas queríamos ganhar dinheiro com o comércio; perdemos o Império e voltámos a atracar no Restelo as naus; sobrevivemos a uma ditadura de fervor nacionalista e com uma imagem ‘celestial’ ao pé de outras realidades do género; instituímos a liberdade com uma revolução de contornos muito particulares; vivemos e estamos a viver períodos de dependência económica e financeira… Muitas ‘depressões’ sociais. A pergunta será se são aprendizagens que precipitarão mudanças estruturais ou gritos de alerta que ‘tocam a reunir’, para que os escombros não abafem as derradeiras possibilidades de reconstrução.

fontes. Menos mal quando o fazemos bem e aprendemos com isso. Mas em jogo está um futuro que tem de ser teimoso na novidade e não somente no tradicionalismo que não facilita que o novo aconteça. Felizmente há quem corra riscos! Do paradigma da polivalência ao paradigma da especialização e da identidade cultural. Na primeira ideia colocamos o conceito do perito em ‘clínica geral’, que, por querer fazer um pouco de tudo, faz pouca coisa bem. Esta conversão obriga-nos a ler num quadro regional alargado, onde se têm de cruzar contributos plurais e convergentes. Não podemos ser uma solitária ‘aldeia gaulesa’ a misturar ‘poções mágicas’ para nos defender dos ‘inimigos’. Os outros não são um limite e um exercício monologante é um óbito antecipado por anunciada asfixia. Felizmente temos inteligência!

Óscar Gaspar, ex-secretário de Estado da Saúde, e Álvaro Beleza, secretário nacional do PS para a Saúde, são alguns dos oradores convidados

“Sistema Nacional de Saúde (SNS) que Futuro para Cantanhede?” é o tema do debate promovido pelo PS, agendado para o próximo dia 26 de janeiro, pelas 16h00, no Centro Paroquial de São Pedro, na cidade de Cantanhede. Os serviços de saúde se perspetivam num futuro próximo, bem como a sua qualidade, e com que financiamento esses serviços serão prestados às populações são algumas das questões que estarão em cima da mesa. São convidados Óscar Gaspar, ex-secretário de Estado da Saúde na legislatura de José Sócrates; Álvaro Beleza, secretário nacional do PS para a Saúde; Rosa Reis Marques, administradora hospitalar; Pedro Coimbra, presidente da Federação Distrital de Coimbra do PS; Carlos Ordens, médico e candidato à Câmara de Cantanhede pelo PS e Pedro Carrana, presidente da Comissão Política Concelhia de Cantanhede do PS. MFR

Futebol: Ançã FC escorrega outra vez com empate p. 16

Ginástica: ACG recebe III International Team Cup Competition – Cantanhede 2013 de Ginástica Aeróbica Desportiva p. 18

redor’, neste número. Para ver os sinais positivos. E para apelar a um compromisso conjunto com a mudança de paradigma. Do paradigma da construção, ao paradigma do conhecimento. Fazer ‘obra’ foi apanágio de líderes eleitoralistas, peritos a inaugurar e ávidos de auto preservação perpétua. Além das virtualidades incontornáveis. O conhecimento tem de fazer escola e não pode emigrar por inevitabilidade. Conhecer-se, conhecer a realidade, apropriar-se das competências de ponta é uma exigência social. E esta sociedade não pode ter ´sábados’ sem ‘homens’, mas precisa de criar condições sustentáveis para que o talento se operacionalize. Felizmente temos exemplos! Do paradigma do decalque ao paradigma da diferenciação. Somos um povo de cábulas e cunhas fáceis e facilitadas. Não raras vezes até copiamos mal e pelas piores

PS debate em Cantanhede futuro do Sistema Nacional de Saúde

IV Jogos Florais Região da Gândara “Memórias da Gândara” p. 13

Basquetebol: SCC terminou vice-campeã no campeonato e segue para a Taça Distrital p. 17

Paira a convicção, manifesta ou não, de que ‘é sempre possível’, ‘nada está perdido’ irremediavelmente. E ainda bem. A preocupação é que a estratégia parece ser mais a de ‘desenrascar’, para voltar a respirar e ‘fugir para a frente’. Ou então o enredamento amorfo e demitido num sebastianismo messiânico, que aguarda em jubilosa esperança um milagre, erupção surpreendente de um líder salvador ou de um projecto mágico e, de preferência instantâneo. O não confronto com este ADN tem sido prejudicial. (Des)-edifica um ‘não-país’ e um ‘não-povo’, que existe e não existe, mais preocupado com o que dizem de si do que consigo próprio. E que, por isso, dispersa forças. Porque vive mais em função do exterior, numa recorrente operação de charme cosmética. E cuida pouco dos seus. E espera que outros cuidem. Quisemos olhar o ‘nosso

Pois! E, além disso, O temporal apanhou-nos desprevenidos…

É verdade que a Pois foi, ninguém estava a contar!

situação não era fácil e trabalhosa, não te parece?

Sim, temos de aprender a valorizar mais os bens que temos e dos quais sentimos tanta falta!

Além disso, há que ler, agora,

melhor a realidade e estudar o que se pode prevenir.

parece que nem todas as entidades atuaram da mesma maneira, e uma boa fatia da sociedade prefere ‘passar ao largo’ e deixar que outros limpem.

Opinião: A importância do pequeno-almoço p. 19 “A corrupção é um crime que corrói e destrói a democracia” p. 20

Texto Xico Ilustração Dalila Assis


Atualidade 3

3193 :: 24 de janeiro de 2013

PROJETO PIONEIRO A NÍVEL MUNDIAL INVESTE 30 MILHÕES DE EUROS E cria mais de 100 postos de trabalho

Converde produz em Cantanhede fungicida biológico a partir do tremoço António Almeida Henriques, secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional, inaugurou a nova unidade industrial de biotecnologia, localizada no parque industrial de Cantanhede dr

ca

> Mirla Ferreira Rodrigues

A empresa de biotecnologia Converde, SA. inaugurou em Cantanhede a primeira unidade industrial de produção de um novo fungicida biológico, a partir do processamento da semente de tremoço através de métodos inovadores. Trata-se de um investimento de 30 milhões de euros num projeto pioneiro a nível mundial e que foi desenvolvido integralmente por investigadores portugueses, iniciando-se agora a fase de produção industrial, que atingirá os 100 postos de trabalho quando a empresa chegar a velocidade cruzeiro. A inauguração decorreu na sexta-feira passada, dia 18 de janeiro, com a presença do secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional, António Almeida Henriques, e do presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, João Pais de Moura, que tiveram como anfitriões o presidente do Conselho de Administração da Converde, SA, José Romão de Sousa, e os administradores Mário Pinto e Sara Monteiro. Na apresentação dos contornos do investimento, José Romão de Sousa fez a descrição das principais fases do processo que veio a culminar com a instalação da unidade industrial em Cantanhede. O projeto teve a sua génese numa equipa de investigadores do Instituto Superior de Agronomia, que descobriram a proteína multifuncional existente na semente do tremoço durante a sua fase de germinação, a denominada “blad” que, como veio a confirmar-se, possui uma forte atividade antifúngica contra fungos que atacam diferentes culturas agrícolas. “Depois de alguns anos de testes à escala laboratorial, num longo processo que envolveu a participação de vários consultores internacionais experientes, foram realizados ensaios de campo, principalmente na Flórida e na Califórnia, que incidiram sobre maior variedade de culturas (vinha, tomate, morango, amêndoa, alface.) e um leque alargado de doenças (oídio, botritis ou podridão cinzenta, antracnose,), tendo ficado cabalmente confirmada a eficácia do produto”, referiu o presidente da Converde, SA.

Produção mundial

VENDE

Tel./Fax: 231 451 702 | Tlm.: 961 408 598 Abertos também ao fim-de-semana Med. Imobiliária Lda. AMI 5856

unidade industrial para processar um produto completamente inovador e de alto valor acrescentado”. “Este é um projeto absolutamente exemplar sob muitos pontos de vista, este é o tipo de industrialização de que o país precisa, a exploração económica e rentabilização do conhecimento produzido nas universidades e centros de investigação nacionais, com suporte financeiro de investidores nacionais com visão de futuro”, afirmou o autarca. Segundo João Moura, “o Biocant Park foi o fator determinante para a decisão da Converde em instalar aqui a sua unidade de produção do fungicida biológico, pois encontrou no Parque de Biotecnologia de Portugal excelentes condições para o desenvolvimento de determinadas linhas de investigação, em certos casos com equipamentos únicos no país, o que, para uma empresa que aposta muito em I&D, é essencial tendo em vista o desenvolvimento de novos produtos”. O autarca acredita que “este investimento terá um enorme impacto na economia do concelho e da região, a vários níveis, a começar pelos 100 postos de trabalho que a empresa terá quando esta primeira fase atingir a velocidade cruzeiro”. As instalações da Converde estão implantadas na zona industrial de Cantanhede, numa superfície de 48.000 metros quadrados de terreno, dos quais 17.000 são de área coberta, distribuída por três blocos. A empresa é uma sociedade anónima com cinco milhões de euros de capitais próprios repartidos por cinco acionistas, um dos quais a CEV, que detém 80 por cento do capital. Esta empresa foi fundada pelos investidores e promotores do projeto de desenvolvimento e produção do fungicida biológico conjuntamente com alguns investidores e sociedades de capital de risco, designadamente a ES Ventures, SCR, SA, a F. Ramada Investimentos, SGPS, a Change Partners, SCR, SA, e a Promotor, SGPS, SA. pub

Segundo este responsável, a empresa vai produzir em Cantanhede e “comercializar no mundo inteiro, um novo fungicida natural, orgânico, de eficácia comprovadamente pelo menos igual, e nalguns casos mesmo melhor, que os melhores fungicidas sintéticos atualmente disponíveis no mercado”, acrescentando que nesta fase o produto será vendido apenas nos Estados Unidos e Canadá. “Desde há quase um ano que está celebrado um contrato de distribuição

Atendimento: Rua Henrique Barreto, C. Comercial Rossio, Loja 28, Cantanhede

exclusiva para esses países com a FMC Corporation, uma empresa americana cotada, com vendas de quase quatro mil milhões de dólares e com grande experiência na formulação e comercialização de produtos para a agricultura”, adiantou o responsável. Quanto ao mercado europeu a comercialização só será iniciada depois de concluído o registo do produto, processo que está um pouco mais atrasado e que não deve ainda estar concluído até ao final deste ano, tal como acontece relativamente a outros países de vários continentes. José Romão de Sousa explicou também que a localização da unidade para produção industrial do fungicida em Cantanhede surgiu na sequência de diligências do presidente do Biocant, Carlos Faro, e à recetividade da Câmara Municipal de Cantanhede, adiantando que “em apenas 60 dias” foi escolhido o terreno e acordada a compra. “Queremos fazer deste projeto um sucesso e um ‘case-study’, que começa com investigação fundamental na universidade e que evolui para um produto/negócio completamente inovador, de verdadeira descontinuidade tecnológica” sublinhou. Já Almeida Henriques considerou o investimento da Converde “uma boa notícia para a economia do país e da região, uma demonstração de que há razões para acreditar no potencial nacional e no nosso futuro. Ideias inovadoras, como esta, contribuem para reindustrializar o país, aumentar as exportações e recolocar a economia numa rota de crescimento”. O secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional elogoiu ainda “o papel do município de Cantanhede no acolhimento deste investimento, em boas condições de localização e funcionamento”. Para este membro do Governo, “há, mais do que nunca, um papel dos territórios e dos municípios na atração, incubação e ativação dos investimentos produtivos e Cantanhede reforça o seu pulmão económico inovador com esta indústria, vizinha daquela que é já hoje uma referência nacional da economia baseada na inovação: o Biocant”.

MILCLIN – Clínica Dentária, Lda.

Mais 100 postos de trabalho

Visivelmente satisfeito, o presidente da Câmara de Cantanhede congratulou-se com o facto de ficar localizada em Cantanhede “uma

Moradia T4 3 Pisos Cantanhede Cozinha equipada Sala grande com recuperador 3 Casas de banhos Anexos c/ Garagem Bons acabamentos

VENDE

Dr.ª M. Cristina Clemente

Cirurgia Dentista — Correcção Dentária — Aberto todos os dias e Sábados de manhã — Largo Pedro Teixeira, 29, 1.º A, CANTANHEDE | Tlf 231 429 952

Moradia T3 Cantanhede Com sótão amplo 2 Casas de banho Cozinha nova equipada Aquecimento completo também a pelets Churrasqueira e terraço

VENDE

Moradia Térrea T3 Mira 10mn de Cantanhede Com garagem e churrasqueira Quintal com 400m2 165.000€

VENDE

Apartamento T2 Praia de Mira Totalmente remodelado Varanda grande 1.ª linha da Praia Com cave para estacionamento

VENDE

pub

Apartamento T2 Praia de Mira 102m2+3 varandas Cozinha grande com copa Sala com lareira Vista de Mar e Barrinha 105.000€


4 Fé e Cultura III DOMINGO DO TEMPO COMUM 27 de janeiro de 2013 ANO C Paramentos de cor verde LEITURA I Ne 8, 2-4a.5-6.8-10

Do Livro de Neemias

Naqueles dias, o sacerdote Esdras trouxe o Livro da Lei perante a assembleia de homens e mulheres e todos os que eram capazes de compreender. Era o primeiro dia do sétimo mês. Desde a aurora até ao meio dia, fez a leitura do Livro, no largo situado diante da Porta das Águas, diante dos homens e mulheres e todos os que eram capazes de compreender. Todo o povo ouvia atentamente a leitura do Livro da Lei. O escriba Esdras estava de pé num estrado de madeira feito de propósito. Estando assim em plano superior a todo o povo, Esdras abriu o Livro à vista de todos; e quando o abriu, todos se levantaram. Então Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus, e todo o povo respondeu, erguendo as mãos: «Amen! Amen!». E prostrando-se de rosto por terra, adoraram o Senhor. Os levitas liam, clara e distintamente, o Livro da Lei de Deus e explicavam o seu sentido, de maneira que se pudesse compreender a leitura. Então o governador Neemias, o sacerdote e escriba Esdras, bem como os levitas, que ensinavam o povo, disseram a todo o povo: «Hoje é um dia consagrado ao Senhor vosso Deus. Não vos entristeçais nem choreis». – Porque todo o povo chorava, ao escutar as palavras da Lei –. Depois Neemias acrescentou: «Ide para vossas casas, comei uma boa refeição, tomai bebidas doces e reparti com aqueles que não têm nada preparado. Hoje é um dia consagrado a nosso Senhor; portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa fortaleza».

LEITURA II – Forma breve 1 Cor 12, 12-14.27

Da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Irmãos: Assim como o corpo é um só e tem muitos membros e todos os membros do corpo, apesar de numerosos, constituem um só corpo, assim sucede também em Cristo. Na verdade, todos nós – judeus e gregos, escravos e homens livres – fomos baptizados num só Espírito para constituirmos um só corpo e a todos nos foi dado a beber um só Espírito. De facto, o corpo não é constituído por um só membro, mas por muitos. Vós sois corpo de Cristo e seus membros, cada um por sua parte.

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Do Falar ao Agir Profeta Numa aldeia perdida da Galileia, chamada Nazaré, os habitantes reúnem-se na sinagoga numa manhã de sábado para escutar a Palavra de Deus. Depois de alguns anos vividos à procura de Deus no deserto, Jesus regressa ao lugar onde tinha crescido. A cena é de grande importância para conhecer Jesus e entender bem a sua missão. Segundo o relato de Lucas, nesta aldeia quase desconhecida por todos, Jesus vai fazer a sua apresentação como Profeta de Deus e vai expor o seu programa, aplicando a si mesmo um texto do profeta Isaías. Depois de ler o texto, Jesus comenta-o apenas com uma frase: ‘’Hoje cumpre-se esta Escritura que acabais de ouvir.’’ Segundo Lucas, as pessoas ‘’tinham os olhos fixos nele’’. A atenção de todos passa do texto lido para a pessoa de Jesus. O que é que nós podemos hoje descobrir se fixamos nele os nossos olhos? Movido pelo Espírito de Deus. Toda a vida de Jesus está impulsionada, conduzida e orientada pelo alento, a força e o amor de Deus. Acreditar na divindade de Jesus não é confessar teoricamente uma fórmula dogmática elaborada pelos concílios. É ir descobrindo de maneira concreta nas suas palavras e nos seus gestos, na sua ternura e no seu fogo, o Mistério último da vida a que nós, crentes, chamamos ‘’Deus’’.

Profeta de Deus. Jesus não foi ungido com óleo de oliveira como se ungiam os reis para lhes transmitir o poder de governo ou aos sumo sacerdotes para os investir de poder sagrado. Foi ‘’ungido’’ pelo Espírito de Deus. Não vem governar nem reger. É profeta de Deus dedicado a libertar a vida. Apenas o poderemos seguir se aprendermos a viver com o seu espírito profético. Boa notícia para os pobres. A sua atuação é Boa Notícia para a classe social mais marginalizada e desvalida, os mais necessitados de ouvir algo bom, os humilhados e esquecidos por todos. Começamos a parecer-nos com Jesus quando a nossa vida, a nossa atuação e amor solidário pode ser captada pelos pobres como algo bom. Dedicado a libertar. Vive entregue a libertar o ser humano de todo o género de escravidão. As pessoas sentem-no como libertador de sofrimentos, opressões e abusos; os cegos veem-no como luz que liberta do sem sentido e do desespero; os pecadores recebem-no como graça e perdão. Seguimos a Jesus quando nos vamos libertando de tudo o que nos escraviza, empequenece e desumaniza. Então, acreditamos nele como Salvador que nos encaminha para a Vida definitiva. José António Pagola – Padre e teólogo espanhol

ca

Compreender mais, celebrar melhor Introdução às leituras A liturgia deste domingo coloca no centro da nossa reflexão a Palavra de Deus: ela é, verdadeiramente, o centro à volta do qual se constrói a experiência cristã. Essa Palavra não é uma doutrina abstracta, para deleite dos intelectuais; mas é, primordialmente, um anúncio libertador que Deus dirige a todos os homens e que incarna em Jesus e nos cristãos. Na primeira leitura, exemplifica-se como a Palavra deve estar no centro da vida comunitária e como ela, uma vez proclamada, é geradora de alegria e de festa. No Evangelho, apresenta-se Cristo como a Palavra que se

faz pessoa no meio dos homens, a fim de levar a libertação e a esperança às vítimas da opressão, do sofrimento e da miséria. Sugere-se, também, que a comunidade de Jesus é a comunidade que anuncia ao mundo essa Palavra libertadora. A segunda leitura apresenta a comunidade gerada e alimentada pela Palavra libertadora de Deus: é uma família de irmãos, onde os dons de Deus são repartidos e postos ao serviço do bem comum, numa verdadeira comunhão e solidariedade. Fonte: www.dehonianos.org

EVANGELHO Lc 1, 1-4; 4, 14-21

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Já que muitos empreenderam narrar os factos que se realizaram entre nós, como no-los transmitiram os que, desde o início, foram testemunhas oculares e ministros da palavra, também eu resolvi, depois de ter investigado cuidadosamente tudo desde as origens, escrevê-las para ti, ilustre Teófilo, para que tenhas conhecimento seguro do que te foi ensinado. Naquele tempo, Jesus voltou da Galileia, com a força do Espírito, e a sua fama propagou-se por toda a região. Ensinava nas sinagogas e era elogiado por todos. Foi então a Nazaré, onde Se tinha criado. Segundo o seu costume, entrou na sinagoga a um sábado e levantou-Se para fazer a leitura. Entregaram-Lhe o livro do profeta Isaías e, ao abrir o livro, encontrou a passagem em que estava escrito: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres. Ele me enviou a proclamar a redenção aos cativos e a vista aos cegos, a restituir a liberdade aos oprimidos e a proclamar o ano da graça do Senhor». Depois enrolou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-Se. Estavam fixos em Jesus os olhos de toda a sinagoga. Começou então a dizer-lhes: «Cumpriu-se hoje mesmo esta passagem da Escritura que acabais de ouvir».

EUCARISTIAS DOMINICAIS DO CONCELHO DE CANTANHEDE SÁBADO 19h00 — Febres 19h30 — Pena 20h00 — Cadima 21h00 — Ançã, Cantanhede

DOMINGO 08h00 — Cadima 08h30 — Febres 09h00 — Bolho, Murtede, Tocha e Portunhos

10h00 — Corticeiro de Cima, Vilamar 10h15 — Outil 10h30 — Pocariça e Sanguinheira 11h00 — Cordinhã e Sepins 11h30 — Cantanhede, Cadima e São Caetano

12h00 — Covões e Ourentã 12h30 — Ançã

Sugestão de cânticos Entrada Deus está diante do homem (F. Santos) – CPD 144 Cantai ao Senhor (F. Santos) – NCT 210

Comunhão O Templo de Deus é santo (C. Silva) – CPD 383 Eu sou o pão da vida (B. Sousa) – NCT 262

Apresentação dos dons Fiz de ti a luz das nações (C. Silva) – CPD 224 Meu Deus na simplicidade (A. Oliveira) – CPD 285

Pós-comunhão O amor de Deus foi derramado (F. Santos) – CPD 318 Final Eu estou sempre convosco

(F. Silva) – NCT 354

aníbal santos carvalho (Grupo Coral de Cantanhede)


Fé e Cultura 5

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Cidade de Deus - cidade dos homens Encerramento das Jornadas do Clero: a Nova Evangelização

Ao longo de três dias padres e leigos ouviram Monsenhor Dominique Rey, bispo de Toulon, que esteve no Seminário Maior de Coimbra a orientar as jornadas do Clero, que este ano incluiu também leigos. A sessão de encerramento, na passada quinta-feira, foi apenas para padres e diáconos e a palavra final foi de D. Virgílio Antunes, bispo da diocese de Coimbra. “Faz-te ao largo”, foi o desafio lançado pelo bispo de Coimbra para derrubar a convicção de que está tudo feito dentro da Igreja e deixar a inquietude dos sinais dos tempos para “que nos centremos nesta missão de levar a Boa Nova a todos os povos da terra”. O padre Jorge Silva Santos, a quem coube a organização do congresso, revelou satisfação no final dos trabalhos, pois “ a comunhão é fundamental para não ficarmos, cada um, dentro das nossas certezas e podermos abrir-nos também às ideias dos outros”. GC Segue-se o testemunho de um membro da paróquia de Cantanhede, como resposta à pergunta: “O que ficou desta partilha e projeto de nova evangelização?” IMPRESSÕES Depois de ouvir D. Dominique Rey falar sobre a Nova Evangelização e os desafios que ela coloca à Diocese de Coimbra e à Igreja, não posso deixar de identificar quais são, na minha opinião, algumas vias seguras que estão ao nosso alcance prosseguir e que, com certeza, dariam frutos abundantes sendo percorridas. a) Rezar mais! A Igreja reza pouco e fá-lo muitas vezes

com pouca fé. Muitos fiéis não acreditam verdadeiramente que a oração transforma, a começar por quem a faz. Mas transforma mesmo! A recente iniciativa de oração permanente pelas vocações é um excelente passo nesta direcção. Se mantiver uma boa e permanente adesão dos fiéis, considero que é do que de melhor se fez na Diocese com vista a despertar a Igreja para a urgência da Missão. b) Colocar o Espírito Santo no centro da oração da Igreja. Muitas vezes parece que nos esquecemos que foi no Pentecostes que nasceu a Igreja. E a Igreja precisa de Pentecostes todos os dias. c) Saber ousar. D. Dominique falou também na ousadia. Ousadia nos métodos e nas pessoas. Acreditar nas pessoas, nos seus carismas. A Igreja cresce se souber convocar. Lembro-me, a propósito, da pergunta que fizeram ao ex Cardeal de Milão Carlo Martini: qual era o segredo para ter tantos jovens os na sua diocese ao serviço. E o segredo, segundo ele, é este: acreditar na pessoa e dizer-lhe, “preciso de ti”; “estou aqui a teu lado para te ajudar no que precisares, mas preciso de ti”. Claro que o convite tem que partir do líder e a pessoa tem que reconhecer nele essa liderança… d) Centrar o anúncio na pessoa de Jesus Cristo. Jesus Cristo como Alguém profundamente sedutor. Como Alguém que ama, muito para além de tudo quanto possa ser considerado possível. E que este Anúncio leve ao encontro pessoal com Ele. Um cristão que tenha vivido no seu íntimo esta descoberta de Jesus Cristo é um evangelizador por natureza. e) Não há Anúncio verdadeiro sem encontro pessoal com Deus. Ninguém dá aquilo que não tem. Sem essa base de conversão pessoal, o Anúncio pode não ser mais que mero proselitismo. E isso é como construir uma casa sobre a areia, para usar a metáfora dos evangelhos. Óscar Camarneiro

Comemorações dos 50 anos dos Cursos de Cristandade Comemora, a Diocese de Coimbra, os 50 anos dos Cursos de Cristandade. Damos graças a Deus porque cerca de 8.000 pessoas tiveram a oportunidade de fazer a experiencia indiscritível do encontro com Cristo que marcou profundamente as suas vidas com consequências na dinamização de muitas paróquias, famílias e instituições civis, políticas e laborais. O primeiro ato das comemorações será no dia 3 de fevereiro próximo, com o seguinte programa: 15h30 – sessão solene, no Seminário de Coimbra (Salão de São Tomás), presidida pelo nosso bispo, D. Virgí-

lio Antunes. Usarão da palavra alguns participantes do 1.º Curso e D. João Lavrador falará dos Cursos de Cristandade e a sua atualidade no contexto do Ano da Fé. 18h15 – Encerramento do Curso de Senhoras (na Sé Nova). 19h00 – Missa presidida Por D. Virgílio Antunes (na Sé Nova). Padre Sertório Baptista Martins

Latim chega à conta de Bento XVI no Twitter Papa tem mais de 2,5 milhões de seguidores em nove línguas, incluindo o português dr

A conta de Bento XVI no Twitter, com mais de 2,5 milhões de seguidores, tem a partir de hoje uma nova versão em latim. A mensagem de boas-vindas saúda os visitantes da página pública ‘breviloquentis’, expressão utilizada para traduzir o termo inglês que dá nome a esta rede social, que se distingue por permitir a publicação de pequenos textos contendo no máximo 140 carateres. O texto escolhido pelo Papa é ‘Tuus adventus in paginam publicam Summi Pontificis Benedicti XVI breviloquentis optatissimus est’, isto é, “O teu acesso à página oficial do Sumo Pontífice Bento XVI no Twitter é muito bem-vindo”. As mensagens são publicadas com autorização de Bento XVI em mais oito idiomas: inglês, espanhol, italiano, português, alemão, polaco, árabe e francês. O Twitter é a ferramenta de microblogging mais difundida no mundo das comunicações virtuais, com mais de 500 milhões de utilizadores. A conta de Bento XVI na rede social tem neste momento cerca de 70 mil seguidores em língua portuguesa. A denominação ‘Twitter’ deriva da palavra inglesa com a mesma grafia, que em português pode ser traduzida por “gorjear” ou “piar”, razão pela qual o logótipo daquela rede social representa um pássaro. Fonte: www.agencia.ecclesia.pt

Comunidade Paroquial de S. Pedro Conferência com Bernardino Soares e Jorge Wemans para comemorar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

O líder da bancada parlamentar do PCP, Bernardino Soares e o jornalista Jorge Wemans estarão hoje em Cantanhede, dia 24 de janeiro, para participarem na conferência “Em que crê, quem crê e em que crê quem não crê”, promovida pela paróquia de Cantanhede no âmbito da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. O evento vai decorrer no auditório do Centro Paroquial de Cantanhede, às 21h00, com entrada livre. MFR

Reunião

Está agendado para sábado, dia 26 de janeiro, pelas 15h00, na igreja matriz de Cantanhede, um encontro com os pais e padrinhos das crianças que recebem este ano a sua Primeira Comunhão. MFR

Peregrinação a Taizé O Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil, dirigido pelo padre Filipe Diniz, propõe “uma experiencia da oração comunitária, da meditação e da alegria da partilha e do encontro com jovens tão diferentes e, ao mesmo tempo, tão iguais a ti”. Falamos da Peregrinação Diocesana a Taizé, agendada para a semana do Carnaval, entre 9 a 18 de Fevereiro, uma pequena comunidade no meio de França. “O tema deste Ano Pastoral da Fé para a diocese de Coimbra é ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações”. Porque não encontrares e experimentares esta Verdade em Taizé?!’”, desafia o padre Filipe Diniz na página oficial do Secretariado, em www.sdpjcoimbra.net. As inscrições foram prolongadas até dia 28 de janeiro e mais informações podem ser obtidas pelo email info@sdpjcoimbra.net ou pelo telemóvel 912701383 (Hélias Sales).

MFR

Cantanhede, Lemede, Póvoa, Varziela, S. José

celebrações Quinta 24 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz 20h30 – São José

Sexta 25 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz

Sábado 26 de janeiro EUCARISTIAS 18h00 – São José 19h30 – Póvoa da Lomba 21h00 – igreja matriz

Domingo 27 de janeiro EUCARISTIAS 10h00 – Lemede 11h30 – igreja matriz

Quarta 30 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz

CELEBRAÇÃO 9h00 – Misericórdia 10h00 – Varziela

Quinta 31 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz 20h00 – Varziela

Terça 29 de janeiro EUCARISTIA 18h30 – igreja matriz


6 Região

3193 :: 24 de janeiro de 2013

VI(r)agens

PROMOVIDA POR EMIGRANTES

///

Festa em Newark rendeu 21 mil euros para o Centro Paroquial de Solidariedade Social de Febres Verba angariada será utilizada nas obras de ampliação e remodelação do refeitório e da lavandaria da IPSS

Hélder Costa, Licínio Santos e Vítor Costa

Fernando “DJ” Truta e Vítor Costa

A animação foi uma constante

No dia 19 de novembro de 2012 realizou-se em Newark, nos Estados Unidos da América, uma festa destinada a angariar fundos para o Centro Paroquial de Solidariedade Social de Febres. A iniciativa partiu da família “Truta”, estando a organização da festa a cargo de Fernando Almeida (Truta) e de Licínio Santos, com a colaboração cá em Portugal de Adelaide Almeida (Truta), que uns dias antes viajou para os Estados Unidos da América onde continuou a ajudar na organização deste evento. Este grupo de pessoas trabalhou de forma incansável para que esta festa, um almoço que se realizou no Restaurante Ibéria, fosse um sucesso, e a comunidade de conterrâneos nossos ali residentes a que se juntaram muitos amigos de outros pontos do país respondeu de forma positiva, enchendo por completo a sala. O Centro Paroquial de Solidariedade Social de Febres fez-se representar pelo seu vice-presidente, Vítor Rua Costa, que numa intervenção agradeceu esta espontânea

iniciativa, a quem a organizou e a todos os que a ela se associaram, e deu a conhecer através de uma apresentação as instalações e a atividade da Instituição nas suas várias valências, pois muitas pessoas (algumas mesmo de Febres) ainda não conheciam sequer as instalações (nem por fotografias) e não tinham ideia da importância e do alcance social do trabalho desenvolvido. Uma surpresa agradável foi a presença de um casal de conterrâneos nossos, radicado em Toronto, Canadá, Hélder Costa e a esposa Lídia, que propositadamente se deslocaram a Newark, para estar nesta Festa. A animação foi também uma surpresa, pois contou com a revelação do DJ Truta (Fernando), que conseguiu manter sempre toda a gente muito animada. Houve espaço ainda para uma participação muito simpática e muito portuguesa do Rancho Folclórico Barcuense, que com as suas danças e cantares, principalmente minhotas, prendeu a atenção de todos. A direção do Centro Paroquial de Solidariedade Social

de Febres agradece de forma muito reconhecida, o esforço empreendido na organização deste evento a Fernando Almeida (Truta), a Licínio Santos e a Adelaide Almeida. Ao Hélder Costa e esposa Lídia agradece a presença e toda a colaboração dada. Ao Hélder e ao seu irmão José Costa (também residente no Canadá), agradece ainda o facto de juntos terem ajudado a que o saldo desta Festa atingisse o valor de 21 mil euros. Um agradecimento especial aos proprietários do Restaurante Ibéria, pelo excelente serviço, e por toda a colaboração dada aos organizadores da festa. Agradecemos ainda a todas as pessoas naturais ou com ligações a Febres que quiseram manifestar a sua adesão estando presentes, e aqueles que não tendo estado presentes quiseram associar-se com um contributo, e a todas as pessoas que não sendo de Febres, também quiseram mostrar que os emigrantes são sempre solidários com as causas da sua “terra”. A todos um grande “Bem Hajam!”.

ANÇÃ

CADIMA

“Caminhos da Vida: Histórias da Vida Real” surge na sequência da publicação de “Manta de retalhos”, em 2005, e “Cantanhede: memórias para o futuro”, em 2006, que, embora em abordagens diferentes, têm muito em comum com o mais recente título de Carlos Garcia. Homem muito dedicado a Cantanhede e profundo conhecedor da realidade sociológica local, Carlos Garcia, marceneiro e empresário deste setor, transpõe para os seus livros o grande manancial das experiências que viveu a diversos níveis, com destaque para a sua participação em diversos movimentos associativos e culturais, áreas de que é profundo conhecedor e em que continua a manter uma intervenção de relevo. No prefácio, Paulo José Garcia Costa e Nora, neto do autor, refere que se trata de “um livro constituído por “pequenas narrativas, de moral simples, de vivência simples, típicas de um homem simples”. São 35 pequenos relatos de casos verídicos, histórias engraçadas e situações com um pouco de humor, em que apenas os nomes das personagens foram alterados, a que se juntam dois outros textos, mais longos, de reflexão sobre os temas da droga e do jogo, e ainda três poemas.

> Vítor Rua

antónio parreiral

Festejos adiados As festas em honra de São Sebastião, que estavam programadas para o passado fim de semana, não se realizaram devido ao mau tempo que se fez sentir em toda a zona centro. Assim sendo os festejos passam para o próximo fim de semana. No dia 25 de janeiro, sexta-feira, haverá baile pelas 23h00 com a banda IRA, seguido da atuação do Soul Funk Brothers e Dj El Batista. Sábado, dia 26 de janeiro, a partir das 22h00, a animação está a cargo de Rafaellos, Line 56 e do Dj Protaz. Domingo, dia 27 de janeiro, a partir das 15h30, sairá a procissão para levar a imagem de São Sebastião de regresso à sua capela.

pub

Zambujal Passeio cultural O Grupo Etnográfico de Danças e Cantares do Zambujal vai realizar, no próximo dia 2 de março (sábado), o seu passeio cultural a Trancoso, para visitar a VIII Feira do Fumeiro dos Sabores e do Artesanato do Nordeste da Beira e assistir a atuações de grupos de música popular da região. Haverá ainda uma paragem em Vila Nova de Foz Côa, para visitar as famosas gravuras rupestres; na Festa das Amendoeiras em Flor, e finalmente na vila de Almeida, para visitar as suas muralhas. A saída da nossa aldeia está marcada para as 7h00. Os interessados podem obter mais informações e fazer a sua inscrição na loja de Maria de Jesus ou através dos contactos 968542669 ou 914871113.

CANTANHEDE

Teatro

Carlos Garcia tem novo livro mfr

“Caminhos da Vida: Histórias da Vida Real” é o título do novo livro de Carlos Garcia que vai ser apresentado na Biblioteca Municipal de Cantanhede, no próximo sábado, 26 de janeiro, às 16 horas, no âmbito de uma sessão em torno do enquadramento que Maria Dulce Sancho fará da narrativa.

dr

Cerca de 250 alunos do concelho, acompanhados por professores, assistiram à encenação do Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, que a Casa dos Afetos – Associação de Intervenção Cultural apresentou no auditório do Centro Paroquial de São Pedro, em Cantanhede, no dia 16 de dezembro.


Região 7

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Promovido pelo município de Cantanhede, em parceria com os agrupamentos de escolas Marquês de Marialva, de Cantanhede, Finisterra, de Febres, e Gândara Mar, da Tocha, no âmbito do plano de atividades pedagógico-culturais culturais e de incremento à leitura da Biblioteca Municipal, o espetáculo foi exclusivo para os estudantes do 9.º ano dos referidos estabelecimentos de ensino, cujo currículo escolar inclui o Auto da Barca do Inferno como obra de leitura obrigatória na disciplina de Português. Considerado como uma verdadeira crónica de costumes da sociedade lisboeta do início do século XVI, o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, foi representado pela primeira vez em 1517. É a primeira parte da chamada “trilogia das Barcas” em conjunto com o Auto da Barca do Purgatório e o Auto da Barca da Glória. Esta foi a quarta vez que a peça foi apresentada em Cantanhede pela Casa dos Afetos – Associação de Intervenção Cultural, companhia oriunda da Amadora que trouxe também à Biblioteca Municipal, por diversas vezes, uma adaptação teatral da obra de José Saramago, Memorial do Convento, neste caso para os alunos do 12.º ano das escolas do concelho.

CORDINHÃ Lançamento editorial ca

Georgina Maurício de Oliveira Morales acaba de lançar “Eu sou Filomena de tal”, uma edição de autor, da Chiado Editora, que conta a história de Filomena, uma mulher marcada por uma infância difícil numa aldeia beirã, protagonista de uma história de prostituição que começa nos anos 60 e percorre várias décadas do século XX. A apresentação editorial decorreu no passado sábado, na Biblioteca Municipal de Cantanhede, e esteve a cargo de Alice Marques, professora, jornalista e revisora da obra, e também de Adérito Machado, presidente da Junta de Freguesia de Cordinhã. Nascida em Cordinhã, em 1945, foi adotada aos 11 anos e partiu para Lisboa, com os pais adotivos, onde viveu até aos 14 anos. Voltou à aldeia e depois de novo a Lisboa, para ficar aí dos 18 aos 25 anos. Emigrou então para França e, já casada com um espanhol, partiu para Espanha, onde fez a sua vida, dez anos em Valência e 12 anos em Palma de Maiorca. Regressou a Cordinhã nos finais dos anos 90, onde vive atualmente.

FEBRES

josé pessoa

Doente Encontra-se internado numa unidade hospitalar Alcides Fernandes Preguiça, do lugar da Chorosa. Votos de rápidas melhoras. Óbito Faleceu na sua residência em Balsas, no dia 11 de janeiro, Maria Celeste Pereira da Silva, de 85 anos, viúva. O seu corpo esteve em câmara ardente na capela mortuária de Febres até ao dia seguinte, de onde seguiu para a igreja matriz de Febres. Depois de celebradas as cerimónias fúnebres, foi a sepultar no cemitério local. Depois de algumas semanas internado no Hospital Distrital da Figueira da Foz, faleceu na manhã de 15 de janeiro o nosso conterrâneo Leonel Jesus Pereira, de 82 anos. Conceituado comerciante de relojoaria, durante várias dezenas de anos foi proprietário de um estabelecimento comercial em Cantanhede, junto à Casa da Cultura. Era casado com Maria Alice Silva Simões e pai de Maria da Graça,

Maria Teresa e de António Paulo Simões Pereira. O funeral realizou-se na tarde do dia seguinte, para o cemitério local, depois de celebrada missa de corpo presente na igreja matriz de Febres. Paz às suas almas. Condolências às famílias enlutadas.

eletricidade e telefones, provocando a falta de luz, telefone e água, situação essa que só tornaria à normalidade ao fim do dia de domingo, aqui na nossa região. av

MIRA Efeméride A revolta de 31 de janeiro de 1891, no Porto, vai ser comemorada em Mira com um jantar que terá lugar, dia 31 de janeiro, pelas 19h30, no Restaurante Tico-Tico. A iniciativa deste jantar comemorativo é do Movimento Republicano 5 de Outubro (de Coimbra) e do Movimento Cultura e Cidadania (de Mira). As inscrições estão abertas podendo os interessados fazê-lo pelos telemóveis 916083846 e 937581680 ou para amadeu.homem@gmail.com.

OURENTÃ

FILIPE FIGUEIREDO

Doente A nossa conterrânea Rosa dos Santos Marques foi recentemente vítima de um acidente de viação, encontrando-se internada no CHUC. Apesar do seu estado ainda registar muitos cuidados, tem apresentado nos últimos dias significativas melhoras. Fazemos votos para que recupere e possa voltar a casa o mais depressa possível.

Em termos humanos, além de algumas escoriações daqueles que tentavam evitar o pior, não houve casos graves. Assembleia da ACSCDO Realizou-se este domingo à tarde a assembleia geral desta Associação, com a ordem de trabalhos de apresentação do relatório e contas relativas ao exercício de 2012, que foi aprovado por unanimidade. O ponto 2 desta assembleia destinava-se à eleição de corpos gerentes para o biénio 2013/2014. Não tendo sido apresentada qualquer lista concorrente nestas eleições, a direção cessante assim como os restantes órgãos, aceitaram recandidatar-se a novo mandato, tendo a assembleia aceite com voto por unanimidade.

PORTUNHOS

MARIA E. MARQUES

Óbito No dia 18 de janeiro foi sepultado no cemitério de Ourentã António Rodrigues Fernandes, natural do lugar da Lapa e residente na Suíça. O extinto tinha 53 anos de idade e era casado com Paula Lourenço Fernandes. A missa de corpo presente foi celebrada na capela da Lapa. Paz à sua alma. Condolências à família enlutada.

Leilão No domingo, dia de Reis, realizou-se o habitual leilão das ofertas do menino Jesus. O número de pessoas presentes é cada vez menor, mas na verdade as ofertas foram todas vendidas, se bem que estas também sejam em menor número. Também aqui, já chegou aquela que ninguém gosta mas que quase todos sentem: a famosa crise.

OUTIL

São Julião Cumprindo aquela que de alguns anos a esta parte é já uma tradição, um grupo de músicos e cantores de que fazem parte também o grupo de mordomos, responsável por toda a organização, cantou as Janeiras em Portunhos e Vale de Água, a fim de angariar fundos para a realização da festa do padroeiro São Julião que se realizou no dia 20 de Janeiro. A festa teve início às 8h00, com alvorada de foguetes, e às 9h00 começou a animação de rua pelo Grupo de Bombos Pedra Rija que não se concretizou em pleno, porque a forte chuva que caiu durante a manhã, impediu o percurso por todas as ruas, como é hábito.

arménio veríssimo

Concerto padre João Paulo Numa organização da Comissão de Festas São Jorge 2013, a freguesia de Outil mais uma vez teve a oportunidade de assistir a um espetáculo, nesta última sexta-feira, no salão do Clube União Vilanovense, de Vila Nova de Outil, do grupo “Ai Que Vida”, com o padre João Paulo Vaz e amigos. Apesar da noite chuvosa, muitos foram os que quiseram aproveitar esta oportunidade para se deliciarem com a bonita música popular portuguesa, num reportório bem conhecido de fado de Lisboa e Coimbra, levando o público presente ao entusiamo de em coro cantarem e aplaudirem o grupo. Ao finalizar o grupo em tom de despedida tocaram e cantaram o que eles já consideram de hino “Chegou a hora”. O público gostou e aplaudiu. Até ao próximo. Temporal em Outil Muitas são as notícias dos efeitos devastadores que o temporal no dia de sábado, 19 de janeiro, causou praticamente em todo o país. Outil também não escapou, e muitos são os estragos sobretudo em telhados e cobertura de zinco. Mas onde se nota a maior destruição foi sem dúvida na queda de árvores, principalmente aquelas que pela seu tipo de raiz e numa condição de terreno bastante encharcado, não resistiram à força do vento tombando e na sua queda provocaram alguns estragos, sobretudo as que tombaram junto a casas e fios de pub

pub pub

Serviços de saúde, Higiene e Segurança no Trabalho • Exames Médicos • Auditorias de Higiene e Segurança • Avaliação de Riscos Ruído Poeira Temperatura Luz R. Palácio da Justiça, Edifício Quinta de S. Mateus r/ch A 3060-208 Cantanhede Telefone: 231 428 758 | fax: 231 428 759 | www.cmsaomateus.pt info@ cmsaomateus.pt


8 Região

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Às 15h00 a eucaristia foi presidida pelo nosso pároco, padre Luís Francisco, e concelebrada pelo padre Afonso Reis. Os cânticos estiveram a cargo do grupo de jovens “Cantar-te”, da paróquia de Cantanhede, que mais uma vez nos encantou com as suas vozes e instrumental. A festa continuou no salão multiusos da Fundação Ferreira Freire com o grupo “Filipe & Diogo”, que com as suas músicas proporcionaram uma animada tarde onde não faltou quem desse o seu pezinho de dança. A festa terminou com um lanche e fogo-de-artifício. Adoração Eucarística Teve início na terça-feira, dia 15 de janeiro, das 15h00 às 20h00, a adoração ao Santíssimo, que culminou com a celebração da missa quinzenal por intenções. O nosso pároco, padre Luís Francisco, propôs que nestes dias as pessoas se organizassem, de acordo com a disponibilidade de cada um de modo a que estivesse sempre alguém na igreja. Estes dias coincidirão sempre com as missas quinzenais. Temporal Também por aqui o temporal de sábado passado se fez sentir. Dezenas de árvores derrubadas, paredes caídas, coberturas arrancadas, algumas de grandes dimensões, de empresas locais e de propriedades particulares, cortes prolongados por muitas horas, de água, luz e telefones. A Junta de Freguesia, Proteção Civil e alguns voluntários reuniram esforços para resolver o corte de algumas estradas que ficaram bloqueadas com a queda de diversas árvores. Apesar dos prejuízos não houve, felizmente, danos pessoais. Doente A nossa assinante, Laurentina Rodrigues, residente em Bordéus, foi mais uma vez vítima de um AVC. Natural de Vale de Água, onde há poucos meses passou uma temporada com sua mãe, Maria da Conceição Silva Costa, era frequente, apesar da sua mobilidade reduzida e outros problemas de saúde, deslocar se a Portunhos na sua cadeira, onde visitava amigos e familiares. Encontra-se agora internada num hospital na área da sua residência em França, para onde lhe enviamos os nossos votos de rápido restabelecimento.

SANGUINHEIRA

joaquim croino

Temporal jc

Como foi longamente noticiado, o nosso país foi fustigado por um enorme temporal, com ventos muito fortes e chuva, na noite de 18 de janeiro e durante o dia 19. Com não podia deixar de ser, a nossa região também foi atingida pelo mau tempo. Assim, devido à forte ventania, só na nossa freguesia foram derrubadas ou partidas largas centenas de árvores, principalmente pinheiros e eucaliptos, alguns de grande porte, bem como outras árvores, havendo também a lamentar terem ficado bastantes casas e coberturas destelhadas parcialmente, tanto os que possuíam telhas em barro como os de outros materiais, causando danos elevados e grandes prejuízos aos seus proprietários. Após esta intempérie ter passado, o colaborador deste jornal percorreu toda a freguesia a fim de verificar o sucedido, não se lhe tendo dado conhecimento de ter havido quaisquer feridos, o que a suceder seria mais lamentável.

Jesus e à quadra natalícia. O cortejo dos Reis no Seixo de Mira é certamente a maior manifestação cultural da freguesia e uma das maiores da região já que, como decorre pelas ruas, é presenciado e vivido por largas centenas de pessoas. É uma tradição muito viva e com futuro, dado que grande parte dos atores são gente muito jovem da freguesia, despontando todos os anos novos talentos como é exemplo, este ano, a “cigana”. O cortejo teve ainda um objetivo solidário já que os géneros recolhidos pela população foram oferecidos ao SeDoente No dia 19 de janeiro, quando o nosso correspondente minário de Coimbra e a venda das ofertas reverteu para Manuel Augusto Almeida Santos, residente na Gesteira, as obras de beneficiação da residência paroquial do Seixo. procedia a arrumos na sua morada, escorregou, desequiVida Activa librou-se e caiu, partindo o braço direito junto ao pulso. dr Prontamente socorrido, foi transportado ao hospital, sendo ali tratado, regressando a casa com o respetivo braço engessado. Desejamos ao nosso amigo votos de rápidas melhoras. Contactadas várias pessoas das mais idosas da freguesia, as mesmas só se lembram de ter ocorrido este fenómeno parecido em fevereiro de 1941, denominado como ciclone, em dia que não souberam especificar, havendo também dúvidas sobre estas datas. Na madrugada de domingo, a água e a energia elétrica já tinham sido restabelecidas, mas os lugares à volta ainda não tinham eletricidade, que só voltou segunda-feira.

Festa de Natal No dia 23 de dezembro decorreu no salão paroquial, em ambiente animado, a festa de Natal e aniversário do Centro Social Recreio e Cultura de Sanguinheira (CSRCS). Houve distribuição de prendas aos filhos dos sócios e ainda um animado convívio com música ao vivo e lanche ajantarado para todos os sócios e amigos da coletividade que se inscreveram para o efeito. Foi um fim de tarde bem passado, que terminou com o cantar de parabéns pelo 24.º aniversário do CSRCS, regado com espumante e bolo de aniversário. Escola de Música No próximo dia 27 de janeiro, pelas 15h30, no bar do Pátio Gandarez (residência paroquial), terá lugar uma apresentação musical dos 18 alunos que frequentam a Escola de Música do CSRCS. Será com certeza um momento bem passado, na companhia da comunidade e em ambiente acolhedor. Secção de Desporto Terá início no próximo dia 3 de fevereiro, às 15h00, o XII Torneio de Futsal Interlugares da Freguesia da Sanguinheira, cujos jogos decorrerão no parque desportivo da freguesia. O calendário prevê a realização de cinco jogos em cada domingo, numa competição que se prolongará até mês de maio. O Torneio irá decorrer em três frentes competitivas: Campeonato, Taça e SuperTaça.

SEIXO DE MIRA

“Vida Activa”... É este que o título que dá nome ao projeto que dura já há cerca de dois anos na freguesia do Seixo. Reconhecendo a importância da atividade física para a saúde física, mental e social bem como para o bem estar dos indivíduos e comunidades, a Junta de Freguesia do Seixo procurou desenvolver um programa que integre a atividade física no dia a dia da população. Além das várias atividades desportivas que são realizadas ao longo de todo o ano quer pela Junta de Freguesia quer pelas coletividades locais, todas as terças e quintas-feiras o antigo salão nobre da Junta de Freguesia abre as suas portas para a realização de aulas totalmente gratuitas para a toda a população. Trata-se de aulas variadas e rítmicas com exercícios orientados. O objetivo é promover o bem estar das pessoas bem como proporcionar atividade física que permita manter a forma e melhorar a qualidade de vida de todos os participantes. Os requisitos para poder participar são: ter muita vontade de praticar desporto, de interagir e ser residente na freguesia.

VILA NOVA DE OUTIL

vidal gentil

Mau tempo O temporal do último fim de semana causou vários predr juízos, à semelhança do que aconteceu um pouco por todo o país. Árvores caídas, telhados partidos, chapas de cobertura arrancadas foram algumas das ocorrências registadas. Os caminhos ficaram obstruídos e os membros da Junta de Freguesia foram incansáveis na limpeza das vias. Quebras de energia e de água também foram registadas, situação que só ficou regularizada na segunda-feira. De destacar a existência de um ferido, Isabel Martins Jorge, que foi atingida por um portão, tendo caído ao chão e fraturado uma perna. Prontamente socorrida, foi transA comunidade paroquial do seixo de Mira encerrou os portada para o CHUC e operada de urgência, onde ainda festejos natalícios com o cortejo dos Reis Magos, uma se encontra internada. iniciativa cultural que se realiza pelas ruas da freguesia há Votos de rápidas melhoras. mais de 90 anos de forma quase ininterrupta. O cortejo recriou o percurso de Baltazar, Belchior e Gaspar até ao presépio, assim como toda a história que ÓTICA TAVARES & IRMÃO envolveu o nascimento de Jesus de Nazaré. 35% DESCONTO Organizado pela Comissão dos Assuntos Económicos Armações e óculos sol da Igreja do Seixo, com a colaboração e participação ativa Cheyenne, Lois, Mike DAvis, Coromelo, Dunlop, da Associação Cultural e Recreativa local, através da sua secção de teatro e da secção de folclore, o cortejo envolveu Torrente e Georges Rech diretamente mais de sessenta “atores” trajados e caracterizados a rigor, que representaram seis reproduções teatrais, incluindo o presépio vivo. Durante todo o percurso foram cantando cânticos e múRua Dr. António José de Almeida, 11 || Cantanhede || telf. 231 422 165 sicas alusivas aos Reis Magos, ao nascimento do Menino

Cortejo de Reis

De 28-1-2013 a 28-2-2013


Em Foco 9

3193 :: 24 de janeiro de 2013

DANOS MATERIAIS SÃO AVULTADOS

Mau tempo deixa sem luz e sem água milhares de habitantes do concelho Moradores de Enxofães, Porto Carros, Póvoa do Bispo, Lapa e São Caetano só voltaram a ter energia elétrica na passada terça-feira ca

manuel ribeiro

ca

ca

manuel ribeiro

> Mirla Ferreira Rodrigues

Árvores derrubadas em terrenos e casas, várias estradas temporariamente cortadas ao trânsito ou com a circulação automóvel limitada, essencialmente devido à queda de árvores e deslizamento de pedras ou terras, prejuízos avultados em terrenos agrícolas e estufas e cortes prolongados no abastecimento de energia elétrica e de água foram as principais consequências do temporal que afetou a região Centro no passado fim-de-semama, e ao qual o concelho de Cantanhede não escapou ileso. Bombeiros, elementos da GNR e Proteção Civil não tiveram mãos a medir para fazer face aos quase 200 pedidos de ajuda, registados entre sexta e terça-feira passada, e que mobilizaram dezenas de homens e de viaturas no terreno. O presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, João Moura, reuniu com representantes das entidades que integram o Sistema Municipal de Proteção Civil, com quem fez a avaliação dos danos causados. Da análise efetuada, foi salientado o facto de não ter havido danos pessoais a lamentar, embora haja registo de estragos materiais consideráveis em estruturas, equipamentos coletivos e algumas habitações, particularmente ao nível dos telhados e outro tipo de coberturas, bem como a devastação de áreas florestais, estufas e outras culturas agrícolas. O jornal Boa Nova teve conhecimento de uma mulher, Isabel Martins Jorge, que foi atingida por um portão, tendo caído ao chão e fraturado uma perna. Prontamente socorrida, foi transportada para o CHUC e operada de urgência, onde ainda se encontra internada. A fase mais difícil foi no sábado, durante a qual o temporal fez cair muitas árvores, o que obrigou ao corte de estradas, algumas das quais tiveram que ser repetidamente desobstruídas. A este nível, a situação ficou controlada na noite de sábado, altura em que apenas a ligação entre Portunhos e Cordinhã, por Vale d’Água, estava por regularizar, devido à circunstância de várias árvores de grande porte terem caído sobre a via. Para a rápida resolução das situações muito contribuiu a eficácia e capacidade de intervenção do dispositivo operacional da Proteção Civil Municipal, que logo que recebeu a informação da intempérie, na sexta-feira, 18 de janeiro, ficou em regime de alerta e prevenção.

Sobre os efeitos do temporal, João Moura referiu a necessidade de ser tornado público um apelo à população para que, nos próximos dias, haja particular cuidado na circulação rodoviária, uma vez que caíram muitos sinais de trânsito, além de que as estradas estão ainda com muitos resíduos de árvores, o que pode afetar significativamente a segurança dos veículos. Para além desta reunião de avaliação dos efeitos do mau tempo no último fim-de-semana e das análises realizadas no decurso das operações, os serviços camarários, e os presidentes de Junta, a pedido da Câmara Municipal, estão já a fazer uma inventariação mais detalhada dos danos em estruturas, equipamentos coletivos e habitações. Entretanto, a Câmara Municipal criou no Gabinete de Apoio ao Munícipe condições para que os munícipes possam dar conta de problemas causados pelo temporal e também obter informações úteis sobre onde e como recorrer para resolver situações relacionadas com os prejuízos. O contacto telefónico é o 231 410 100.

INOVA assegurou abastecimento de água Hugo Oliveira, comandante operacional municipal, explicou ao Jornal Boa Nova que ao nível do abastecimento de água, os problemas resultantes do corte de energia elétrica foram ultrapassados pela INOVA-EEM com o aluguer de três geradores logo que teve conhecimento de que haveria dificuldades no fornecimento eletricidade, ainda antes de se ter iniciado o temporal. “De um modo geral, ficou assim acautelado o funcionamento do sistema de abastecimento de água e apenas em certas zonas de algumas freguesias houve interrupção durante pequenos períodos”. Como medida cautelar, os geradores alugados pela empresa municipal estão ainda instalados, um no sistema de captação, tratamento e distribuição dos Olhos da Fervença (600 kva) e dois outros nas estações elevatórias das Sete Fontes (200 kva) e Alto de Murtede (150 kva). Também o abastecimento de energia elétrica, que esteve condicionado nas 19 freguesias do concelho, foi sendo restabelecido de forma faseada. No domingo, a cidade de

Cantanhede e algumas localidades do concelho já tinham eletricidade, mas a maioria das aldeias só viu a situação normalizada e reposta a distribuição de energia elétrica e de água no final do dia de segunda-feira, como explicou Hugo Oliveira. Enxofães e Porto Carros, na freguesia de Murtede; Póvoa do Bispo e Lapa, na freguesia de Ourentã, e ainda São Caetano, só ao final de anteontem (terça-feira), é que viram a eletricidade chegar as suas casas Ainda assim, Hugo Oliveira alertava ontem que “poderão existir algumas ruas, dentro das localidades, que poderão não ter energia devido aos danos existentes na rede de distribuição de baixa tensão”, mas são, refere, “casos pontuais dos quais a EDP já tem conhecimento e já se encontra a resolver no terreno”.

Bombeiros Voluntários sem mãos a medir A ajuda dos soldados da paz foi determinante para que as operações de socorro às populações e os trabalhos de desimpedimento de vias e corte de árvores tivessem sucesso. O comandante dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede (BVC), Jorge Jesus, fez um balanço das ocorrências ao Jornal Boa Nova. “No total os BVC registaram, entre sexta e terça-feira, 179 pedidos de ajuda, que obrigaram à saída de 165 soldados da paz. “Os primeiros pedidos de ajuda registaram-se na sexta-feira, no Rodelo, freguesia de Cadima, e em Vale de Água, na freguesia de Portunhos, com a utilização de quatro viaturas e 15 homens no terreno, procedendo-se ao reforço de meios humanos e de viaturas. Sábado, dia 19 de janeiro, as solicitações subiram para 123 pedidos de ajuda, com 19 viaturas e 69 homens dispersos pelo concelho. No domingo registaram-se 26 ocorrências, a utilização de cinco viaturas no terreno e 24 bombeiros., valores que baixaram na segunda, com 13 ocorrências, sete viaturas e 27 bombeiros; e aumentaram na terça-feira, com 16 ocorrências, a utilização de oito viaturas e de 30 bombeiros”, afirmou, sublinhando que “92 por cento das intervenções resultaram em corte de árvores caídas”, e os restantes pedidos resultaram de pedidos de ajuda para inundações e danos sofridos em infraestruturas e habitações.


10 Grande Plano

3193 :: 24 de janeiro de 2013

A olho nu: sinais de futuro?! Ou

Remar contra a maré para chegar a bom porto > Graça Cunha, texto e fotos

O desafio desta semana, lançado pelo diretor para as páginas centrais, parecia contrariar o espírito que em jornalismo anima a notícia. Não há acontecimento à partida, não há fontes para cruzar, nem dados institucionais, e os testemunhos haviam de ser aqueles que se cruzassem no caminho do jornalista. Não era necessário pesquisa de conteúdos, nem pôr em praça pública nenhum drama escondido. Isto num momento em que os portugueses conhecem de cor e atualizam, em cada mês, os números do desemprego. Sabemos das empresas que fogem para a Galiza e das que fecham portas para sempre por não suportarem mais custos, impostos e pagamentos de empréstimos aos bancos. E esta semana os estragos do mau tempo põem mais triste ainda um país em dificuldades. Esta é agenda do dia, a agenda dos órgãos de comunicação nacional, precisamente no dia em que Portugal volta aos mercados para emitir dois milhões de euros de divida. O regresso aos mercados estava previsto para Setembro

mas vai acontecer antes, declarações do próprio ministro das Finanças, porque o governo português pediu o alargamento do prazo da amortização dos empréstimos concedidos pela troika. Regressemos ao desafio da semana. Tem tudo a ver com a realidade, a nossa realidade próxima, a realidade que está além do espelho mediático, emerge, tem vida, dá vida, mas por força de ‘preconceitos’ jornalísticos à procura sempre de elementos objetivos (que tantas vezes furtam responsabilidades e comprometem), não têm voz nem espaço. Num trabalho jornalístico sério, dizem os teóricos, objetividade e subjetividade complementam-se, e é nesta complementaridade que nasce o jornalismo de causas. Porque o jornalismo não está depreendido de uma responsabilidade social, que deve ser defendida e argumentada com rigor e objetividade. O jornalista e escritor Baptista-Bastos defende que o jornalismo de causas é sobretudo o porta-voz daqueles que não têm voz. “É o jornalismo

em que não há factos. Os factos correspondem à visão do mediador, do repórter. É o jornalismo de indignação, que não é indolor e incolor.” Ora, neste espírito de isenção e ética, fiz o que me foi pedido: saí à rua para ver (a olho nu, como mera observadora), sinais positivos, indiciadores de futuro, de ousadia empresarial, coragem para fazer negócio e romper barreiras. Em Cantanhede há construções, homens que trabalham para construtores locais; há uma fábrica de pesticidas biológicos a partir do tremoço, prestes a abrir portas e onde, até então, as obras se fizeram de dia e de noite; há uma antiga cooperativa que foi deitada abaixo e vai dar lugar a apartamentos de topo no centro da cidade; há jovens que agarraram em empresas e negócios quando a crise já agoirava dificuldades; e há discretas plantações de Kiwis que exigiram mudanças de vida, grandes investimentos e expectativas de retorno.

Dos testemunhos que recolhemos e das informações que, ‘a posteriori’, cruzámos com o que trouxemos da rua, concluímos que para se ser empreendedor não basta ter uma boa ideia. Multiplicam-se no país as iniciativas de fomento à criação de novas empresas, os concursos de ideias de negócios, as formações para empresários e até o Governo insiste que estar desempregado pode ser uma boa oportunidade para recomeçar. Mas para os especialistas, o empreendedorismo e a iniciativa empresarial não podem ser encarados como uma resposta imediata ao desemprego. É preciso criar novos negócios, mas com responsabilidade, porque lançar um negócio também implica o risco do fracasso, sobretudo em conjun-

turas de adversidade e, como hoje, num contexto em que o financiamento não está facilitado para quem empreende. Francisco Maria Balsemão, presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), defende que “é fundamental desdramatizar a questão do insucesso empresarial e disto depende a coragem de muitos portugueses para dar o passo em frente”. É importante saber se o mercado necessita realmente do produto ou serviço em que se quer fundamentar o negócio e importa pesquisar bem o sector em que se pretende investir. Conhecer a concorrência, preços e serviços que oferece, é também um passo seguro. Estabelecer um rigoroso plano de gestão e definir de forma muito realista as

possibilidades de financiamento são hoje imperativos, mas marcarão a diferença uma vez aberta a porta. Conhecer bem a legislação aplicável ao negócio em causa, que em Portugal se desdobra em burocracias, estabelecer parcerias estratégicas com outros parceiros económicos, ponderar situações de redução da procura, são cautelas necessárias ao sucesso, nos tempos que correm. Os especialistas em negócios e investimentos apelam à inovação, mesmo nas áreas mais tradicionais, e se acaso se importar um conceito de outro país, deve ter-se em mente que as culturas são distintas e um negócio de sucesso em Londres ou na Brasil, pode não o ser em Portugal.

local com gente vinda de fora. Ainda assim, vale a pena tentar. Foi o que fizemos, sem investimentos demasiado arriscados e num espaço com visibilidade, estacionamento e facilidade de acesso. Quem entra em Cantanhede, em princípio, entra por este lado.”

cando cada vez pior e, no meu ramo da restauração, posso dizer claramente que o povo não tem dinheiro. Sei porque já ninguém bebe vinhos caros, as pessoas dividem pratos, optam claramente pelos mais baratos, e há mesmo quem coma duas ou três sopas na refeição para matar a fome e gastar o mínimo. Está tudo a gastar o mínimo porque não há posses para mais. Em maio do ano passado assumimos a subida do iva para 23 por cento, sem fazer grandes alterações nos preços. Fizemos isso pelos clientes e também porque, com as dificuldades crescentes, as casas andam todas em guerra para não perderem clientela. Nos últimos dois anos notou-se muito a quebra. Fala-me como se eu ainda fosse um empresário jovem e considero-me como tal. Trabalho muito e gostava de aos 45 anos ter saúde e dinheiro para viver a vida mais descontraído, mas isso já deixou de ser assim há muito. É essa a grande diferença que vejo entre os dias de hoje e os de antigamente, quando mesmo a ganhar pouco salário se juntava sempre algum dinheiro, desde que a pessoa fosse orientada. Os jovens de hoje não têm trabalho e os trabalhos que têm mal dão para a sobrevivência. Eu quando saí da tropa, ainda não tinha 20 anos, ganhava mais do que agora. Os jovens de hoje lutam pela vida e não conseguem ir muito longe. Eu não penso em desistir, enquanto puder sigo em frente.”

Ricardo Roncon professor de natação e empresário, 35 anos

“Esperamos pelo bom tempo sem baixar os braços” “O tipo de investimento que se faz e a localização contam muito num negócio. A concorrência na nossa área (bares e restauração) é muita, os encargos também são pesados e é preciso apostar muito bem no negócio certo. No nosso caso, eu e o meu sócio, fazemos diste, não um negócio milionário, mas uma forma rentável de ocupar as nossas horas vagas. Somos professores de educação física, damos aulas de natação e conjugamos o tempo livre. Este é já o quarto bar que me passa pelas mãos. Estamos aqui há cinco meses e temos vindo a pagar o que investimos, mas temos os olhos postos nos meses de tempo quente, que hão-de vir, e na Expofacic, aqui ao lado. A cidade é pouco movimentada, precisávamos de um Politécnico ou uma Escola Superior que dinamizasse a economia

Pedro Mela empresário de restauração, 36 anos

Há seis anos que tomou conta do restaurante Penedo. Vende comida para fora, não tanta como gostaria, porque está fora do centro da cidade, ainda assim vem gente almoçar e jantar: 80 refeições em média por dia, o que pode significar que uns dias podem ser 30 ou 40 almoços e outros o dobro. De há uns tempos para cá tudo é imponderável. Os clientes querem qualidade e fogem de preços altos. “Quando ousei pegar no negócio há seis anos atrás, já se dizia que estava tudo muito difícil. A verdade é que foi fi-


Grande Plano 11

3193 :: 24 de janeiro de 2013

João Pedro Couceiro Advogado e empresário; administração de condomínios 36 anos O que vê, ‘a olho nu’, na cidade em termos de negócios e investimentos? Vejo o que o país todo vê: que a crise vai abrindo nichos de mercado, ao mesmo tempo que vai ‘eliminando’ certas práticas de negócio. Há empresas que fecham portas porque os mercados que exploram estão esgotados. Isto é útil para nós, os que queremos seguir em frente com os nossos negócios e empresas, porque já não cometemos os mesmos erros que levaram outros a fracassar. Em contexto de adversidade o que importa acautelar quando se quer empreender? O importante é não correr riscos de capital, e a verdade também é que a muitos negócios falta o respetivo e competente estudo de mercado. Estou com a empresa, juntamente com um sócio, há uma década e crescemos sempre, nunca tivemos um ano pior do que o anterior. Num país de perspetivas negativas, como é que isso se consegue? A linguagem e os discursos de hoje são exatamente os mesmos de há dez anos atrás. Estávamos para avançar e à volta falavam-nos de desemprego, de crise, de falta de dinheiro, de falta de mercado para o nosso projeto. Na altura havia empréstimos bancários com fartura e nós fugimos disso, desse aparente facilitismo. O meu sócio é da área de economia e juntámos as nossas formações académicas como uma mais-valia para sabermos o terreno que íamos pisar, avaliámos o risco de capital e tivemos sempre presente o impacto do passivo bancário. Íamos investindo à medida que a empresa dava. Muitos investiram sem estudos de mercado e nós investimos precisamente nos estudos de mercado. Diz então que investir é mais do que ter dinheiro ou financiamento? Uma empresa quando nasce não dá o lucro que se deseja num futuro imediato. Se as pessoas apontam logo à nascença do negócio com empréstimos de x a pensar que vão ganhar y com margens apertadíssimas, correm sérios riscos de não conseguirem alcançar o sucesso. Nós tivemos visão. Relembro que começamos já em con-

tramaré há dez anos atrás e, com todas as dificuldades do mercado, queríamos a nossa independência financeira e o nosso lugar garantido. Valeu-nos a procura de um nicho de mercado certo, usámos e aplicámos os conhecimentos teóricos das nossas áreas de formação e depois fizemos valer a nossa adaptabilidade. Até à expansão foi um pulo.

pub

Uma empresa de condomínio, a depender do pagamento das pessoas, parece, à partida, um mau passo. Nós jogamos com as potencialidades da nossa formação académica. No meu caso, por exemplo, a formação jurídica era solução, pois permitia-me oferecer todo o conhecimento e a mecânica judicial necessária às cobranças que um prédio com dívidas de condomínio precisa com urgência e, no caso, sem perdas de tempo e dinheiro a requisitar um advogado de fora. Oferecíamos um serviço extra que era essencial e dava garantias a quem nos contratava. É por isso que digo que, a somar a outras estratégias e cautelas, a nossa formação é essencial para o sucesso da empresa.

pub

Como empresário olha para a cidade, para as obras que se fazem, as plantações, as empresas novas e as que deram lugar a outras? Sempre atento. Costumo dizer, meio a sério, meio a brincar, que ninguém queima notas de quinhentos. O que quero dizer é que o dinheiro está aí todo. O mercado vai ter que se adaptar, de novo, às novas circunstâncias. Como falou na construção de prédios e vivendas, entendo que o mercado imobiliário estava expansionado ao máximo e as coisas iriam ter que mudar. Os bancos emprestavam ao desbarato. Compra hoje casa quem tem dinheiro, o que significa que as pessoas vão depositar mais cuidado na compra e os preços vão ter que descer para que se façam os negócios. Venderam-se aqui apartamentos a 200 mil euros. É impensável. Seria impensável que continuasse assim. Teve visão para empreender e dar continuidade à empresa. E a visão de futuro? É otimista. Mas é mesmo otimista a minha visão do futuro. Somos um povo que vive em crise há oito séculos e sempre soube adaptar-se…está no nosso código genético. Nós começámos com um prédio, agora temos acima de duas centenas e em 2013, se tudo correr bem, vamos liderar na Figueira da Foz, onde estamos em segundo lugar. Ficou-me sempre presente algo que ouvi uma vez dizer a uma pessoa da terra, empresário também, o Dr. Jorge Catarino: às vezes esquecemo-nos da força que a nossa capacidade de trabalho pode ter. A nossa capacidade de trabalho é o nosso maior capital. Orgulho-me do percurso que temos vindo a fazer: não ficámos presos às licenciaturas nem às secretárias e agarrámo-nos à nossa força de trabalho com discernimento.

mais de 300 agências ao seu serviço

ALmeida viagens tocha luísa pinto gerente tlm. +351 931 960 838 Rua Dr. Manuel Santos Silva, n.º 222, R/c, 3060-715 Tocha Tel./fax: +351 231 447 573 Tel.: +351 302 069 906

Rui Pedro Carvalho Empresário, Plantação de Kiwis, 42 anos

Veem-se os tubos metálicos da rega e do meio da terra erguem-se umas plantas que trepam na vertical, amparadas por postes de cimento. São dois hectares e meio de terreno, o equivalente a cinco campos de futebol, investimentos de um privado numa plantação de Kiwis. Rui Pedro Almeida Carvalho tem 42 anos e sabia o essencial do negócio porque já o pai se dedica ao mesmo tipo de atividade. Num momento particular, há cerca de quatro anos atrás, mudou de objetivos e de área profissional, pensou e repensou a vida: primeiro procurou e adquiriu o terreno, às portas da Varziela, depois toda a infraestrutura necessária para plantar, fazer crescer e esperar o fruto dos 1400 pés de Kiwi. E o fruto deve chegar, se tudo

correr bem, em 2014. Rui Carvalho tem uma cooperativa que incentivou a instalação e está disposta a receber a produção. O escoamento está, assim, assegurado. Mas o que parece fácil não é. O negócio exige conhecimento, perspicácia e muita paciência, não só com os caprichos da natureza, mas também com as burocracias necessárias. As barreiras de institutos, instituições e outros patamares de papelada e legislação são um desincentivo aos menos persistentes. “Sou pessimista mas temos que olhar para a frente porque há outra geração atrás de nós e é por ela que nos deve vir esta força de fazer alguma coisa para romper barreiras. Este é um negócio de alto risco e que exige muita paciência mas, pelo menos por enquanto, ainda oferece expectativas de lucro. E se, numa etapa inicial é reduzida a necessidade de contratar mão-de-obra, contamos dinamizar, de algum modo, a economia local no futuro. À medida que a exploração for crescendo a nossa expectativa é, nos próximos dois anos e em pleno nos quatro seguintes, contratar mais mão-de-obra, gente do meio rural em que estamos inseridos.”

pub

www.tocha.almeidaweb.com tocha@almeidaviagens.com luisa.pinto@almeidaviagens.com

almeidaviagens, lda. – Alvará 1506/2008 Sede: Rua de São João Bosco, 323, 4100-531 Porto


12 Sociedade

3193 :: 24 de janeiro de 2013

AÚRELIO RODRIGUES, PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO HAJC, RECEBEU COMITIVA SOCIALISTA

PS de Coimbra “intransigente” na manutenção do hospital de Cantanhede no SNS Pedro Coimbra, Carlos Ordens, Pedro Carrana e Abel Carrapeto estiveram no Hospital de Cantanhede para debater futuro da unidade hospitalar dr

(ARS) do Centro, ficou com a garantia de que os funcionários do Hospital se manteriam nos quadros da ARS em caso de privatização. “A questão de fundo é a privatização de um hospital público e os cuidados de saúde prestados aos cidadãos, além de, naturalmente, a preocupação com os trabalhadores que podem ter a situação salvaguardada agora mas não saberão o que o futuro lhes pode reservar”, argumentou, o líder da distrital socialista, questionando a decisão do Governo de Passos Coelho. “Um Hospital que em 2011 fechou o ano sem dívidas a fornecedores, que ganhou um prémio a nível nacional de sustentabilidade financeira, e é por todos considerado um hospital de referência a nível Nacional, é agora retirado do Sistema Nacional de Saúde”.

Socialistas defendem novo protocolo

> Mirla Ferreira Rodrigues, com Lusa

O presidente da Federação Distrital de Coimbra do PS, Pedro Coimbra, recusou a possibilidade de privatização do Hospital de Cantanhede, manifestando-se “intransigente” na manutenção da unidade hospitalar no Serviço Nacional de Saúde (SNS). “Independentemente do modelo de gestão ou organização que venha a ser adotado, qualquer privatização põe em causa o hospital público do SNS. A partir do momento em que é privatizado está em causa o serviço público de saúde”, disse. Acompanhado de Pedro Carrana, presidente da Comissão Política Concelhia de Cantanhede do PS; Carlos Ordens, candidato socialista à Câmara Municipal de Cantanhede, e de elementos da Comissão Política do Partido Socialista de Cantanhede, Pedro Coimbra reuniu-se na passada sexta-feira com o presidente do conselho de administração do Hospital Arcebispo João Crisóstomo (HACJ), Aurélio Rodrigues. Sobre a anunciada transferência da gestão da unidade hospitalar para a União das Misericórdias Portuguesas (UMP), Pedro Coimbra referiu que “nada em concreto” foi adianta-

do, até porque, disse, os próprios administradores “não foram esclarecidos” acerca da mudança. “Não temos nada contra qualquer entidade que venha a assumir a gestão da unidade hospitalar, seja a Misericórdia de Cantanhede ou outra. Recusamos é a privatização, o hospital é da rede pública do SNS e qualquer alteração é um retrocesso”, sustentou. O dirigente refere que “está em causa a saída do Serviço Nacional de Saúde (SNS) de um importante Hospital do distrito e da Região para passar para as mãos de privados” e o PS “é intransigente na defesa do SNS, da saúde pública para todos os cidadãos e, por conseguinte, dos hospitais públicos”. Pedro Coimbra recordou ainda que “o Estado fez um investimento de milhões de euros na requalificação do edifício e em equipamentos para o Hospital, dinamização e introdução de novas valências hospitalares, mais uma razão para se manifestar contra a passagem do Hospital para a Misericórdia ou outra qualquer entidade privada”. Pedro Coimbra disse ainda que, depois de ter conversado com José Tereso, diretor da Administração Regional de Saúde

Carlos Ordens, por seu lado, manifestou-se “preocupado com a qualidade dos serviços prestados à população do concelho de Cantanhede, que pode estar em risco” e questionou a manutenção das valências e serviços na unidade hospitalar. “O município deve ser absolutamente contra esta privatização, confrontando o Governo e a ARS na defesa das populações, dos trabalhadores e do interesse do concelho”, disse, sublinhando que “o Hospital é também uma Unidade de Cuidados Continuados de referência”. Carlos Ordens acredita que a Misericórdia de Cantanhede terá “competência para o gerir tal como outras o fazem”, mas duvida da forma “como vão ser geridos estes serviços no futuro, porque não abriu a unidade de cuidados continuados terminada há mais de um ano e quanto irão ter de pagar os utentes no futuro quando hoje beneficiam de internamentos gratuitos nas UC paliativos e convalescença (SNS).” Daí que defenda “um novo protocolo para os serviços de saúde em Cantanhede, envolvendo as partes interessadas, que defenda os interesses da população”. Ficou a promessa do Partido Socialista, através do deputado Rui Duarte, de fazer chegar ao ministro da Saúde, Paulo Macedo, um conjunto de perguntas e pedidos de esclarecimentos sobre este assunto.

João Moura reuniu com administração do Hospital Arcebispo João Crisóstomo Autarca quer garantia da manutenção de estatuto de hospital distrital de âmbito sub-regional arquivo

> Mirla Ferreira Rodrigues

O presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, João Moura, reuniu no dia 17 de janeiro, com o conselho de administração do Hospital Arcebispo João Crisóstomo (HAJC), com quem abordou aspetos relacionados com a anunciada transferência da gestão da unidade hospitalar para a União das Misericórdias Portuguesas, através da celebração de um contrato programa. Acompanhado pela vice-presidente da autarquia, Helena Teodósio, João Moura reiterou a posição que assumira junto de José Tereso, diretor da Administração Regional de Saúde do Centro, na reunião de 15 de janeiro, com enfoque particular na necessidade de serem assegurados todos os postos de trabalho e de ficarem devidamente acauteladas condições que permitam ao Hospital de Cantanhede continuar a cumprir a sua missão, mantendo os serviços a funcionar com a qualidade que se lhe reconhece. O facto de não serem ainda conhecidos os contornos do processo de transferência suscita alguma preocupação, particularmente no que diz respeito à situação profissional dos funcionários e ao modelo de financiamento. Quanto a este aspeto, o líder do executivo camarário cantanhedense defendeu que tem que ser mantido “o estatuto de hospital distrital de âmbito sub-regional, por forma a preservar o carácter de serviço público a uma população de mais de 60 mil habitantes, uma vez que serve outros concelhos limítrofes”. “É crucial que o hospital preserve a capacidade de resposta em todas as suas atuais valências, bem como os direitos de quem assegura essa função determinante para a qualidade de vida dos cidadãos, nomeadamente quanto a estatuto, vínculos e

carreiras, sem defraudar as suas legítimas expectativas profissionais”, disse João Moura. O autarca considerou que o Hospital de Cantanhede é “uma resposta de proximidade no campo da saúde” e, do ponto de vista dos serviços, deve continuar a funcionar “nos termos definidos no protocolo celebrado entre a Câmara Municipal e o Ministério da Saúde em 24 de fevereiro de 2007”, posição de resto já assumida publicamente por João Moura e transmitida a José Tereso. O autarca insistiu que os compromissos que o ministério assumiu perante a autarquia “não podem esquecidos” e lembra que acordou nesse âmbito o serviço de Assistência Médica não Programada (Consulta Aberta), “o funcionamento de uma ambulância de Suporte Imediato de Vida com profissionais de saúde especializados, bem como a prestação de cuidados continuados de convalescença e paliativos”. A cirurgia de ambulatório que o hospital assegura atualmente, e o alargamento, em articulação com o Centro de Saúde, das consultas de especialidade mais solicitadas, como neurologia, oftalmologia, otorrinolaringologia e urologia, entre outras, são outras das valências que o Ministério da Saúde acordou com o presidente da Câmara de Cantanhede e que este quer que sejam mantidas. A terminar a reunião, o autarca manifestou a sua intenção de “continuar a defender intransigentemente os interesses dos munícipes relativamente às condições de acesso aos cuidados de saúde”, diligenciando junto das entidades competentes para que qualquer alteração no modelo de gestão do hospital não venha a afetar a qualidade e capacidade de resposta dos serviços.


Jogos Florais 13

3193 :: 24 de janeiro de 2013

IV Jogos Florais Região da Gândara “memórias da Gândara” Sob o lema “Memórias da Gândara”, e com o objetivo de estimular a criação literária em prosa, incentivar a produção poética e a participação de autores consagrados ou a revelação de novos valores, o jornal Boa Nova, como um dos órgãos mais antigos da imprensa regional, vai promover e organizar a quarta edição dos Jogos Florais da Região da Gândara 2013. Nesta iniciativa podem concorrer, nas diversas modalidades previstas no regulamento (divulgado nesta notícia na íntegra), todos os cidadãos, desde que apresentem a concurso trabalhos inéditos em língua portuguesa.

Entrega dos Trabalhos

O envio dos trabalhos é da responsabilidade dos concorrentes e deve ser feito até à meia-noite do dia 15 de maio de 2013, para o endereço abaixo indicado, sendo considerada a data do carimbo dos CTT: 4.º Jogos Florais da Região da Gândara/ Jornal Boa Nova - Rua dos Bombeiros Voluntários, n.º 330, 3060-163 Cantanhede.

Modalidades de Prosa

Os trabalhos admitidos a concurso terão as seguintes modalidades: Modalidade A1 – Monografia ou ensaio sobre a Região da Gândara, desde a antiguidade até à atualidade, incluindo sobre o homem e todas as atividades e o meio onde está inserido. A Gândara dos recantos bucólicos, do cheiro da maresia e dos brancos areais das suas dunas, até às terras dos milherais e à tipologia arquitetónica da Casa Gandaresa (máximo dez páginas A4). Modalidade A2 – Biografia, ensaio ou estudo (máximo dez folhas A4) sobre uma das seguintes personagens: D. António Luís de Menezes, 3.º Conde de Cantanhede e 1.º Marquês de Marialva (herói da Restauração – 1640); Capitão-Mor Pedro Teixeira, célebre bandeirante que desbravou a Amazónia e ligou o Atlântico ao Pacífico; D. João Crisóstomo de Amorim Pessoa, personalidade de relevo da Igreja Católica, Arcebispo de Goa e Primaz de Braga; Jaime Cortesão (historiador, escritor e poeta), Carlos de Oliveira (escritor e poeta), Augusto Abelaira (jornalista e escritor) e António de Lima Fragoso (músico e compositor). Modalidade B – Conto ou Narrativa. Obra literária de tema livre (máximo seis páginas A4). Modalidade C – Conto infantil. Adequado ao nível etário a que se destina (máximo três páginas A4). Modalidades em Poesia Modalidade D – Soneto. Cada trabalho terá de conter obrigatoriamente um dos seguintes versos de Henrique Barreto à escolha do concorrente: “Ao longo da tua rua Há uma figura que passa, Com fome dos teus sorrisos Com sede da tua graça.” “E ao ver a luz dos teus olhos, Coáda pela vidraça, Fica perdida, a sismar, A tal figura que passa.”

Modalidade E – Composição poética de tema livre (ode, écloga, hino, canção, etc. – máximo de duas páginas A4). Modalidade F - Quadra. Cada composição terá de conter obrigatoriamente um dos seguintes versos de Henrique Barreto à escolha do concorrente: “Gândara!... Terra ridente De vinhedos e cantigas, De risos afogueados Na boca das raparigas!...”

Indicação das Modalidades e Identificação do Autor

Cada trabalho apresentado a concurso deverá ser subscrito com um pseudónimo diferente, o qual também deverá ser aposto na parte exterior de um envelope fechado, com indicação bem visível e inequívoca do título da obra e modalidade a que concorre. No interior do envelope apenas deverão ser mencionados os seguintes elementos: nome do autor (com fotocópia do Bilhete de Identidade ou cartão de cidadão), morada e código postal completos, número de telefone e título de trabalho referente à modalidade.

Número de Trabalhos

Nas modalidades em prosa A1, A2, B e C cada concorrente apenas poderá apresentar um trabalho. Nas modalidades em Poesia – D, E e F é permitido concorrer com dois trabalhos. A falta de observância desta regra anulará toda a participação do concorrente.

Formas de Apresentação dos Trabalhos

Todos os trabalhos serão obrigatoriamente datilografados ou computorizados em carateres tamanho 12, em papel A4 e devem obedecer, para além dos requisitos anteriormente descritos, aos seguintes parâmetros formais: datilografados ou computorizados em tipo de letra ‘Times New Roman’ ou ‘Arial’, justificado e entrelinhados a espaço e meio e enviados em triplicado. Os trabalhos das modalidades A1, A2, B e C devem ser devidamente agrafados ou encapados, sendo que na capa deverá constar apenas o título da obra e o respetivo pseudónimo.

Júri

O júri será constituído por três personalidades de reconhecido mérito no âmbito das Letras e da Cultura, sendo as suas deliberações tomadas por maioria, excluindo-se sempre a figura de abstenção. É reservado ao júri o direito de não atribuir qualquer prémio, caso entenda que um trabalho não possui a qualidade mínima exigível e das suas decisões não haverá recurso. Não haverá atribuições de prémios “ex aequo”, podendo o júri atribuir menções honrosas até um máximo de três em cada modalidade.

Direitos de Propriedade

Os trabalhos enviados a concurso não serão devolvidos e os concorrentes, salvo declaração expressa em contrário e por

escrito, autorizam sem qualquer ónus para a entidade organizadora a eventual publicação dos seus trabalhos, que serão sempre devidamente identificados com o nome do respetivo autor, numa antologia a dedicar aos Jogos Florais ou no Jornal Boa Nova. O envio de cada trabalho (sem a declaração mencionada) pressupõe que o seu autor aceita integralmente todas as condições expressas neste regulamento.

Prémios

Os prémios oficiais serão ordenados até à 3.ª (terceira) classificação em cada modalidade e os vencedores serão proclamados num Festival a realizar em Cantanhede, a 5 de outubro de 2013, sendo as classificações anunciadas individualmente aos vencedores.

Dúvidas e Omissões

Os casos omissos e as dúvidas de interpretação serão resolvidos pela Organização. O não cumprimento, ainda que parcial, das disposições do presente regulamento implica a imediata exclusão da participação nestes Jogos Florais.

IV Jogos Florais Região da Gândara “memórias da Gândara”

Nomeação dos elementos do júri 30/03/2013 Prazo de entrega dos trabalhos dos concorrentes 15/05/2013 Entrega dos trabalhos para apreciação do júri 25/05/2013 Entrega das classificações pelo júri 31/07/2013 Comunicação aos premiados 31/08/2013 Confirmação da presença dos premiados na cerimónia 15/09/2013 Cerimónia da entrega dos prémios 05/10/2013


14 Publicidade

3193 :: 24 de janeiro de 2013

estomatologista

clínica geral Morada Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, n.º 330, 3060-163 Cantanhede e-mail: geral@jornalboanova.com

guilherme mendes

Redação Telefone 231 420 989 noticias@jornalboanova.com

médico

Especialista em Clínica Geral

Administração Telefone 231 422 870 comercial@jornalboanova.com Fax 231 420 989

Contrato ADSE

GNR • PSP • CGD • PT • MEDIS

serviços de saúde

MIRA – Tel. 231 458 666 CANTANHEDE – Tel. 231 420 350 Telm – 917 532 285

CONSULTAS POR MARCAÇÃO PRÉVIA contactologista

J. Gaspar Mendes elsa freitas grilo Dina felício advogados

psicólogos

Rua Marquês de Marialva, n.º 55, 1.º andar, 3060-184 Cantanhede Tel 231 420 608 – 231 108 837 | Fax.: 231 422 903 – 231 423 416

madalena cardetas advogada

optometrista

Largo Conselheiro Ferreira Freire, n.º 40A, 1.º esq. 3060-201 Cantanhede – Tel. 231 420 937

ginecologista / obstetra oftalmologistas

pedro faria Médico Oftamologista Doenças dos olhos Consulta 4.ª feira à tarde Rua 5 de Outubro, 49 – Cantanhede

Tel. 231 422 017 – Tlm. 961 228 152 psiquiatria

Dr.ª CRISTINA MIGUEL

Serviços de saúde

ANUNCIE AQUI! | Tlf 231 422 870 | Fax 239 420 989

Médica Especialista em Psiquiatria

*Psiquiatria Geral * Psiquiatria do Idoso * * Distúrbios Alimentares * Marcação de consultas: Telm 91 377 96 36 || 96 239 51 94 – Telf. 231 469 594 Covões – Cantanhede


Publicidade 15

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Catarinões (TOCHA) 77 Anos Faleceu a 30 de dezembro 2012

www.mercadodostempos.pt

COMPRO

lic. Ami n.º 1800

Bilhar de matraquilhos usado, mesmo em mau estado. Telm 912 444 235

MANUEL AUGUSTO DE JESUS QUITÃ

Sua esposa, filhas, genro e netos na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, vêm por este meio, agradecer a todas as pessoas que participaram nas cerimónias fúnebres do seu ente querido, ou que de qualquer outro modo os confortaram nesta hora de profunda dor. A todos a sua eterna gratidão. Catarinões, janeiro de 2013.

www.imobiliarianovacentral.com Cantanhede terreno para construção de moradia c/ +- 500m2. 40.000,00€ Moradias novas na zona de Febres, c/ bons acabamentos e áreas. Moradia na zona da tocha T-4 com bom quinta. Preço interessante. Vende se armazém c/ 600m2 em local de muita passagem, terreno c/ +- 2000m2. Possível ampliação.

Cantanhede moradia t-3 em inicio de construção, terreno c/+- 250m2. 110.000€ Próxima do centro Cantanhede: Moradia isolada, nova em urbanização recente tipo t-4. 155.000,00€

MANUEL DA COSTA RATO

Terreno em Outil c/ +-6000m c/ frente boa, vista linda e local excelente. 2

VILAMAR 92 Anos Faleceu 16 de dezembro de 2012

Moradia contemporânea tipo t-3 c/ garagem fechada, painel solar, recuperador de calor e terreno com 800m2. Em construção. Lugar de Outil.140.000,00

Os familiares de Manuel da Costa Rato, vêm por este meio, e na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, agradecer a todas as pessoas que, pelas mais variadas formas, se quiseram associar à sua dor pelo falecimento do seu ente querido.

TEL. 231 429 480 – imobnovacentral@hotmail.com Trata Imobiliária Nova Central, Lda. Cantanhede

De forma muito especial, pretendemos enaltecer o trabalho desenvolvido pela Comissão de Melhoramento de Vilamar, na pessoa da Diretora Técnica, pessoal médico e de enfermagem, quadro técnico e a todas as funcionárias.

Para comprar ou vender casa Apartamentos: Novos, usados. Vivendas - Casas Usadas – Impecáveis Terrenos p/ contrução – Rústicos – Pinhais

A todo bem hajam!

Vilamar, janeiro de 2013.

Coimbra – Cantanhede – Praia de Mira – Tocha – Vagueira

Ligue ou contacte-nos: 231 429160 – 96 7053981 – 965898017 Rua de S. João, nº 2 A Cantanhede – Telf. 231 429160 – Tlm. 967 053 981

IMOBIPRÉDIOS, Sociedade Mediação Imobiliária, Lda

Informa os seus clientes e amigos, que mudámos de instalações, para a Rua de S. João, nº 2 A (Junto à farmácia Seixo) Cantanhede – Telf. 231 429160

CARMEN DIAS DA CRUZ SÃO CAETANO 80 Anos Faleceu a 13 de janeiro de 2013

A família enlutada de Carmen Dias da Cruz, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, vem por este meio agradecer a todas as pessoas que participaram nas cerimónias fúnebres da sua ente querida, ou que de qualquer modo manifestaram o seu sentimento de pesar. A todos a sua profunda gratidão. Catarinões, janeiro de 2013.

JOÃO MENDES MARQUES CANTANHEDE 4 Anos de Saudade 22 de Janeiro de 2009 22 de Janeiro de 2013

A família de João Mendes Marques recorda com profunda saudade o seu ente querido na passagem do quarto aniversário do seu falecimento, pedindo ao bom Deus que o tenha na Sua eterna companhia. Paz à sua alma.

Cantanhede, 22 de Janeiro de 2013.

ficha técnica FUNDADOR Padre Mário Oliveira de Brito Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede, n.º 330, 3060-163 Cantanhede CONTACTOS Redacção 231 420 989 | e-mail: noticias@jornalboanova.com Administração 231 422 870 | Fax 231 420 989 | e-mail: geral@jornalboanova.com Publicidade 231 422 870 | Fax 231 420 989 | e-mail: comercial@jornalboanova.com PROPRIEDADE/EDITOR Fábrica da Igreja Paroquial de Cantanhede Pessoa Colectiva n.º 500968209 | N.º de Registo do ICS 101971 Depósito Legal | 2013/83 DIRECÇÃO Director Luís Francisco Cordeiro Marques - T.E. 750 REDACÇÃO Graça Cunha - C. P. 5300 | Mirla Ferreira Rodrigues - C. P. 8898 | Carla Assunção - C. P. 8899 | COLABORADORES Miguel Cotrim - C. P. 5533 | Rui Sérgio - C. O. 261 CORRESPONDENTES Adelino Claro (Enxofães); Amaro Pessoa (Carapelhos); Ana Costa e Silva (Cadima); Antonino Machado (Murtede); António Parreiral (Ançã); Batista Fonseca (Sepins); Dorindo Camarinho (To-

cha); Eduardo Pessoa (São Caetano); Elsa Cavaco (Corticeiro de Cima); Filipe Figueiredo (Ourentã); Irene Moço (Pena); Isabel Lourenço (Varziela); Joaquim Croino (Sanguinheira); José Cardoso Branco (Montinho); José de Jesus Pessoa (Febres); Luís Rocha (Seixo de Mira); Manuel Augusto A. Santos (Sanguinheira); Manuel Fernando Jorge Felício (Caniceira); Manuel Sebastião (Lemede); Maria E. Marques (Portunhos); Messias Simões (Covões); Natália Nogueira (Cordinhã); Raul Cruz (Bolho); Arménio Veríssimo (Outil); Vidal Gentil (V. N. de Outil) e Vítor Batista (Pocariça). DESPORTO Adérito Fontes (Atletismo); Arnaldo Carvalho (Ténis); António Parreiral (Futebol); Fernando Faustino (Futebol); João Pais de Sousa (Pesca); José Carlos Jesus (Futebol); José dos Santos (Columbofilia); Luís Mendes (Karaté); Luís Tomé (BTT); Batista Fonseca (Futebol); Manuel Romão (Futebol); José Fatia (Futebol e Futsal); Nuno Oliveira (Futsal), Orlando Jorge (Futebol); Vítor Campos (Futebol); Ana Felício e Nuno Freitas (Voleibol) e Vítor Oliveira (Automobilismo). OPINIÃO Cónego António Rego; Arnaldo Carvalho; Ilídio Sacarrão Martins; Isabel Neves; Dom João Alves; Lara Guina; Lurdes Boavida; Mário Frota; Nuno Sérgio; Pedro Guina Vasco Espinhal Otero e Luís Alves. DIVERSOS ildefonso Samelo e Licínio Alves. FOTOGRAFIA Oliveira (Cantanhede).

ADMINISTRAÇÃO Administrador José Eduardo Meira Catarino. Serviços Administrativos Ana Margarida Pessoa. HORÁRIO de 2.ª a 6.ª feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h30. ASSINATURA ANUAL Portugal 22,50€; Europa 40€; Resto do Mundo 50€ Composição, paginação e selecção de cor Gabinete de Design da FIPC Impressão e expedição FIG - Indústrias Gráficas S.A. Telefs. 239 499 922/ 239 499 935 – Fax 239 499 981 Rua Adriano Lucas (Estrada de Eiras) – 3020 Coimbra Todos os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não vinculando o jornal Boa Nova ao seu conteúdo.

Tiragem desta edição: 4.850 exemplares


16 Desporto FUTEBOL FEMININO CAMPEOnaTO PROMOÇÃO (SÉRIE C) União Ferreirense 2 . 0 Murtoense Eirolense 1 . 1 Esp. Atlético Viseu 2001 9 . 0 Seia J V E D M S P U. Ferreirense 9 7 0 2 21 9 21 Viseu 2001 9 6 1 2 26 5 19 Murtoense 9 6 1 2 19 5 19 Cadima 8 4 2 2 20 7 14 Esp. Atlético 9 2 2 5 10 14 8 Eirolense 8 1 2 5 8 17 5 Seia 8 0 0 8 4 51 0 PRÓXIMA JORNADA Esp. Atlético Seia Murtoense

. Cadima . União Ferreirense . Eirolense

II DIVISÃO (ZONA CENTRO) Anadia 2 . 0 S. João Ver Cesarense 0 . 2 Ac. Viseu Nogueirense 1 . 0 Cinfães Pampilhosa 1 . 0 Tourizense Benf.C.Branco 1 . 1 Bustelo Sousense 1 . 1 Sp. Espinho Operário 3 . 0 Tocha Lusitânia . Coimbrões* * - Adiado J V E D M S P Anadia 16 10 1 5 19 12 31 Cinfães 16 8 6 2 27 13 30 Ac. Viseu 16 8 5 3 21 13 29 Sp. Espinho 16 7 6 3 18 13 27 S. João Ver 16 7 4 5 21 18 25 Pampilhosa 16 7 4 5 21 22 25 Operário 16 6 6 4 24 17 24 Benf.C.Branco 16 5 8 3 23 19 23 Tourizense 16 5 6 5 19 17 21 Sousense 16 5 6 5 16 16 21 Coimbrões 15 4 7 4 20 22 19 Nogueirense 16 5 4 7 18 21 19 Cesarense 16 4 5 7 12 18 17 Bustelo 16 2 5 9 11 23 11 Lusitânia 15 2 4 9 18 32 10 Tocha 16 2 3 11 11 23 9

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Desp. Lagares 15 3 6 6 16 28 15 Marialvas 15 2 1 12 16 37 7 Vinha da Rainha 14 0 4 10 11 37 4 PRÓXIMA JORNADA Marialvas 2 . 4 Desp. Lagares Académica SF . Febres Touring . Vigor Mocidade Moinhos . União FC Arganil . Ançã Eirense . Pampilhosense Vinha da Rainha . Carapinheirense 1.ª DIVISÃO AFC

Gândara 1 . 1 Sepins S. Pedro Alva 4 . 2 Lousanense Góis 2 . 3 Brasfemes Condeixa 4 . 3 Ribeirense Águias 3 . 4 Poiares Esp. Atlético 2 . 0 Mocidade Gândaras 1 . 1 Agrário Lamas S. Mamede 1 . 2 São Silvestre

J V E D M S P Poiares 15 11 2 2 40 15 35 Gândara 15 10 3 2 34 10 33 Brasfemes 15 10 2 3 31 19 32 Águias 15 9 4 2 30 18 31 Góis 15 9 2 4 36 13 29 Condeixa 15 7 5 3 24 18 26 São Silvestre 15 8 0 7 23 17 24 Mocidade 15 6 2 7 27 24 20 Gândaras 15 5 4 6 19 20 19 S. Pedro Alva 15 5 4 6 26 31 19 Esp. Atlético 15 6 1 8 18 19 19 Sepins 15 4 5 6 14 26 17 Ribeirense 15 3 3 9 15 27 12 Lousanense 15 2 4 9 10 24 10 Agrário Lamas 15 1 3 11 9 51 6 S. Mamede 15 2 0 13 16 40 6

Gândaras . S. Mamede Esp. Atlético . Agrário Lamas Águias . Mocidade Condeixa . Poiares Góis . Ribeirense S. Pedro Alva . Brasfemes Gândara . Lousanense Sepins . São Silvestre

Sp. Espinho . Anadia S. João Ver . Cesarense Ac. Viseu . Operário Tocha . Lusitânia Coimbrões . Nogueirense Cinfães . Pampilhosa Tourizense . Benf.C.Branco Bustelo . Sousense

JUVENIS AFC – SÉRIE C

FUTSAL DIVISÃO HONRA AFC PRÓXIMA JORNADA União de Chelo . Nogueira do Cravo Vilaverdense . Pouca Pena União Alhadense . Lagonense AGU – Futsal . Vila Verde Miro . Conimbricense Paionense . Domus Nostra Prodema . Casal S. Amaro Serpinense . Quiaios

Maiorca . Tocha Gândara . Ançã Marialvas . Carapinheirense Casaense B . Vinha da Rainha Águias . Naval B

Serpinense . Tocha* Ourentã 7 . 0 Almas Folgou: Vilarinho * - Jogo não realizado devido ao mau tempo

J V E D M S P Vigor Mocidade 15 10 4 1 28 10 34 Carapinheirense 15 10 2 3 35 19 32 Ançã 15 7 6 2 26 16 27 Académica SF 15 7 6 2 28 20 27 União FC 15 7 3 5 24 17 24 Eirense 15 5 8 2 22 12 23 Febres 14 5 5 4 26 18 20 Pampilhosense 15 4 6 5 20 21 18 Moinhos 15 5 2 8 24 28 17 Arganil 15 4 5 6 17 24 17 Touring 15 3 6 6 17 23 15

Carapinheirense 2 – Marialvas 0 CARAPINHEIRENSE Mica, Luís Carlos, Chipi, André, Tiago, Alex (Tuga aos 79’), Ivo, Canoso, Seidi (Renato aos 82’), Tibério e Faria (Ricardo aos 66’). Treinador: António Cortesão.

MARIALVAS Dias, A. Almeida, Hugo, L. Costa, Gameiro, Juca (Damien aos 45’), Filipe, Ruben, Ricardo (L. Rodrigues aos 45’), T. Andrade e Colaço (L. Ramos aos 72’). Treinador: Pedro Costa. Ao intervalo: 1-0. Marcadores: Seidi (20’) e Ivo (75’).

AÇÃO DISCIPLINAR Cartão amarelo: T. Andrade (66’), Canoso (83’), Ruben (84’), Renato (90’) e Luís Carlos (93’). Árbitro: Gonçalo Nunes. Auxiliares: Mário Santos e Carlos Orlando. Campo São Pedro.

> Vítor Campos

Tal como lhe competia, o Carapinheirense entrou melhor em casa e nos primeiros instantes esteve perto de abrir o marcador: nos minutos 6 e 16, Ivo e Tibério respetivamente pontapearam a bola mas não conseguiram o golo. Quatro minutos depois, Seidi foi mais eficaz e colocou a equipa local em vantagem

por 1-0, um resultado que se manteve até ao intervalo. Na segunda parte, o Marialvas entrou em campo com duas mexidas, devido a uma lesão de Juca e por opção técnica entrou Luís Rodrigues no lugar de Ricardo. O jogo reatou e a turma de Cantanhede mostrou melhorias, já decorria o minuto 50 quando

Ruben fintou Mica, porém a água no tereno acabou por prender a bola. As ocasiões de golo eram cada vez mais escassas para ambos os lados até que Ivo rematou fora da área e fez o segundo tento da tarde. Mal na fotografia ficou o guarda-redes Frias. Arbitragem satisfatória.

FUTEBOL – DIVISÃO DE HONRA

Ançã escorrega outra vez LAGARES DA BEIRA Sérgio, Mário, Toni (Tó aos 45’), Cheira (Bomba aos 57’), Ratana, Carlos Santos (Ricardo aos 79’), Alex, João Brito, Marco Paiva, Luís Paiva e Quintino. Treinador: Bruno Ferreira.

J V E D M S P Ourentã 19 19 0 0 155 12 57 Serpinense 18 15 1 2 106 24 46 Vilarinho 18 13 0 5 101 46 39 Tocha 18 10 2 6 71 47 32 Almas 19 8 2 9 69 56 26 PRÓXIMA JORNADA

Almas . Serpinense Tocha . Vilarinho Folga: Ourentã

DIVISÃO HONRA AFC Ançã 1 . 1 Desp. Lagares União FC . Touring* Arganil 3 . 1 Moinhos Febres . Vinha da Rainha* Carapinheirense 2 . 0 Marialvas Vigor Mocidade 1 . 1 Eirense Pampilhosense 0 . 1 Académica SF * - Não se realizaram devido ao mau tempo

Melhoria na equipa foi insuficiente

Lagares da Beira 1 – Ançã 1 FUTSAL FEMININO DIVISÃO HONRA AFC APURAMENTO DE CAMPEÃO

PRÓXIMA JORNADA

FUTEBOL – DIVISÃO DE HONRA

PRÓXIMA JORNADA Miranda Corvo . Alhadense ABC Nelas . Prodeco Caldas . B. B. Esperança MTBA . Fátima Casal Velho . Ribeira Frades Mendiga . Achete Olho Marinho . Elétrico

PRÓXIMA JORNADA

PRÓXIMA JORNADA

J V E D M S P Mendiga 11 7 2 2 50 42 23 Elétrico 10 6 3 1 43 28 21 Alhadense 11 6 3 2 40 27 21 B. B. Esperança 11 5 3 3 29 29 18 Prodeco 10 4 4 2 36 28 16 Miranda Corvo 10 5 1 4 26 32 16 Achete 11 4 4 3 48 38 16 ABC Nelas 11 4 4 3 39 33 16 MTBA 11 4 2 5 32 31 14 Caldas 11 4 1 6 39 41 13 Fátima 10 3 2 5 28 40 11 Olho Marinho 11 2 3 6 24 40 9 Casal Velho 11 2 2 7 20 36 8 Ribeira Frades 11 0 4 7 34 43 4

ANÇÃ Jorge Bolito, André Santos, David Matado, João Miguel, Ricardo Costa, João Catarino, Pedro Catarino, Figueiredo, Valter Silva (David soares aos 62’), Agostinho (Paulo Bio aos 62’) e Rui Jorge. Treinador: Paulo Taraio. Ao intervalo: 0-1. Marcadores: Figueiredo (13’) e Ratana (86’).

AÇÃO DISCIPLINAR Cartão amarelo: André Santos (83’), Quintino (26’), Ratana (41’), Pedro Catarino (50’), Cheira (55’) e Carlos Santos (77’). Árbitro: Fábio Monteiro. Auxiliares: Pedro Viveiros e Luís Jesus. Estádio Municipal de Oliveira do Hospital.

BTT

1.ª Prova de Aventura no Centro Cultural e Recreativa da Pena BTT, Pedestre e Aventura são as três modalidades em prova a 27 de janeiro > Carla Assunção

INICIADOS AFC – SÉRIE C PRÓXIMA JORNADA Touring 5 . 2 Académica B Carapinheirense 8 . 0 Sepins Gândara . Ereira Naval B . Montemorense Tocha . Cova-Gala

FUTSAL III DIVISÃO NACIONAL (SÉRIE C) B. B. Esperança 5 . 5 ABC Nelas Ribeira Frades 2 . 3 Olho Marinho Elétrico . Miranda Corvo* MTBA 6 . 1 Casal Velho Achete 4 . 5 Caldas Alhadense 9 . 2 Mendiga Prodeco . Fátima* * - Adiado

pub

Apoia o desporto! 936272193 - Jorge Simão 935513795 - António Simão 936272036 - Carlos Simão Rua da Anôa, n.º 44 3060 - 380 Enxofães

FUTEBOL – taça AFC

Ançã, Febres, Marialvas e Sepins isentos da Taça AFC A segunda eliminatória da Taça Associação de Futebol de Coimbra (AFC) vai disputar-se a 3 de fevereiro e pela primeira vez na história do futebol regional todas as equipas do concelho de Cantanhede ficaram isentas e garantiram automaticamente a passagem para a fase seguinte da prova. Ançã, Marialvas e Febres continuam assim sem entrar em campo, já o Sepins assegurou a permanência após ter ganho a primeira eliminatória, em casa, frente ao Lousanense por 2-1; na segunda mão venceu por 4-3 nas grandes penalidades. O sorteio foi realizado no passado dia 15 de janeiro e ditou os seguintes encontros: União FC x Vinha da Rainha; Gândara x Góis; Carapinheirense x São Pedro Alva; Poiares x Esperança; Eirense x Pampilhosense e Arganil x Gândaras. CA

No dia 27 de janeiro, o Centro Cultural e Recreativo da Pena (CCRP) vai organizar a primeira prova do “Troféu Uma Aventura” desta época e estará aberto a todos os amantes das provas de aventura e que se caracterizam pelo ambiente de convívio e boa disposição com muito poucos requisitos para participar, pois basta gostar de desporto praticado no meio da natureza para se poderem inscrever. A prova é aberta a todos os praticantes e existem três propostas de participação: BTT, Pedestre e Aventura (BTT+Pedestre) em equipas de dois ou mais elementos ou ainda individualmente. Alguns dos melhores praticantes nacionais da modalidade estarão presentes, todos assíduos em campeonatos nacionais e mundiais, animando assim a prova a nível competitivo e onde se poderá verificar o momento de forma das melhores equipas na preparação da primeira prova da Taça de Portugal a realizar em Lagos. O modelo da prova permite que os atletas que agora se iniciam na modalidade ou que tenham menos experiência concorram ao lado dos atletas com maior traquejo, contribuindo para um aumento da emoção. Para mais informações e inscrições basta aceder à página www.umaaventuraem.com, onde podem aceder a todo o tipo de informação deste evento desportivo.

V Rota das Adegas presente no fórum BTT A partir de agora todas as novidades da V Rota das Adegas, prova de BTT organizada pela Urva Bike Team (equipa de ciclismo de Cantanhede) a 27 de abril, estarão publicadas no Fórum BTT. Recorde-se que as inscrições limitadas abrem a partir do dia 2 de fevereiro, em www.urvabiketeam.com, para os primeiros 250 participantes. Os participantes terão de pagar 28 euros, sendo incluído a inscrição, um jersey oficial, um almoço (leitão assado à descrição), uma prova de vinhos e espumantes das adegas presentes e produtos regionais, seguro, banho e ainda lavagem de bicicletas. Ainda no que diz respeito à plataforma digital do Fórum BTT, os amantes dos pedais terão acesso ao espaço de debate e terão oportunidade de deixar sugestões nos diversos eventos daquela modalidade, calendarizados para este ano.


Desporto 17

3193 :: 24 de janeiro de 2013

BASquetebOL

SCC terminou vice-campeã no campeonato e seguem para a Taça Distrital Olivais FC - 69 Sociedade Columbófila Cantanhedense – 51 dr

realizado, quer pelos técnicos, quer pelas jovens da SCC, apesar de a vitória sorrir para a equipa da casa. Sendo esta a última jornada do campeonato, a Columbófila Cantanhedense, que durante o campeonato só perdeu com a Académica, conseguiu assim o apuramento direto para a Taça Distrital, agendado para fevereiro, tendo conquistado o título de Vice -Campeã Distrital.

Rua dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede n.º 330, 3060-163 Cantanhede

SOCIEDADE COLUMBÓFILA CANTANHEDENSE

A equipa de Basquetebol de sub-16 da Sociedade Columbófila Cantanhedense deslocou-se a Coimbra para realizar o último jogo do Campeonato Distrital frente a equipa dos Olivais. As atletas de Cantanhede entraram em campo determinadas, e, ao longo de todo o jogo, mostraram consistência, revelando aspetos interessantes a nível ofensivo e defensivo. No final, o resultado final espelha bem o trabalho

Inês Ramos; Francisca Meneses; Francisca Marques; Mariana Melo; Rita Silva; Matilde Melo; Rute Mendes; Luana Carvalho e Carina Guímaro. Técnicos: João André Costa e Eduarda Amoroso Lopes. Diretor: Antero Xavier.

Assinatura anual: Portugal 22,50 €; Europa 55,00 €; Resto do Mundo 70,00 €

Resultado Olivais x SCC:

1.º Período - 08 x 16 2.º Período - 10 x 16 3.º Período - 07 x 18 4.º Período - 08 x 17

Resultado Final: 33 x 67

Atletas da SCC observadas pelos selecionadores nacionais dr

Sugestão: o directo! Adira ao débit

Mariana Melo, Carina Guímaro, Matilde Melo, Francisca Marques e Rute Mendes, Bruna Correia e Luana Carvalho, da Sociedade Columbófila Cantanhedense (SCC), foram convocadas para o treino de Seleção Nacional de Basquetebol de sub-16, com os técnicos Rui Alves, Ricardo Vasconcelos e Catarina Neves, atual selecionadora Nacional de Sub -16 femininos, no âmbito das Sessões Regulares de Trabalho Técnico com jovens com especial talento. Esta chamada aos trabalhos de observação que a Federação Portuguesa de Basquetebol promove em busca de alguns talentos da modalidade por todo os país, em cola-

+

boração com as Associações Distritais, é “sem dúvida um excelente prémio para o trabalho desenvolvido pelas atletas da SCC, para os seus técnicos e sobretudo para as suas famílias que embora num período tão difícil, continuam a apoiar incondicionalmente a coletividade e a acompanhar as atletas”. “A distinção também põe em causa o investimento e o esforço que a Câmara Municipal tem vindo a realizar nos últimos anos nesta modalidade desenvolvida em vários clubes”, diz fonte da coletividade. O treino teve lugar no passado dia 15 de janeiro, no pavilhão “Os Marialvas”, em Cantanhede.

rápido

+

fácil

+

seguro

Convívio de Minibasquetebol jogou-se Coimbra dr

Numa organização da Secção de Basquetebol da Associação Académica de Coimbra, realizou-se recentemente no Pavilhão Multiusos Mário Mexia, em Coimbra, um Torneio de Minibasqute no escalão de sub – 10. A “mini” equipa da Sociedade Colmbófila Cantanhedense entrou em campo, jogando com as restantes equipas participantes da Académica de Coimbra, do Sampaense, do Olivais 2 e do CAD. Foi uma manhã divertida, cheia de jogos, na qual os pequenos basquetebolistas puderam colocar em prática a modalidade. Os jogos decorreram em bom ritmo, com o mínimo de interrupções, de maneira a proporcionar o máximo tempo de jogo aos participantes, proporcionando este convívio organizado pela Académica, mais uma ocasião privilegiada para promover o convívio e os valores associados à boa prática desportiva e sobretudo, o prazer de jogar basquetebol. A equipa mista da SCC fez-se representada pelos seguintes atletas: Margarida Meneses, Daniela Cabral, Miguel Gomes, Afonso Cacho, Gonçalo Pereira, Cátia Neves, Duarte Ferreira e Leonardo Cabral, acompanhados pelos treinadores João André Costa e Eduarda Amoroso Lopes.

pub

esfera design | impressão | publicidade

www.esfera.pt Telefone 239 090 405 geral@esfera.pt


18 Desporto

3193 :: 24 de janeiro de 2013

GINÁSTICA

III International Team Cup Competition – Cantanhede 2013 de Ginástica Aeróbica Desportiva Academia CantanhedeGym será anfitriã do evento, entre os dias 1 e 2 de março

Nos dias 1 e 2 de março, no Pavilhão “Os Marialvas”, vai realizar-se o III International Team Cup Competition – Cantanhede 2013 de Ginástica Aeróbica Desportiva. Organizado pela Academia CantanhedeGym (ACG) e pela Federação de Ginástica de Portugal, este evento gímnico foi, pela primeira vez, um evento aprovado Federação Internacional de Ginástica (FIG) e divulgado no seu sítio oficial. A decisão foi anunciada à Academia CantanhedeGym no início da semana passada e deixou “toda a família ACG feliz” com este reconhecimento da entidade máxima da Ginástica Mundial. É mais um marco importantíssimo na vida do nosso jovem clube”, referiu João dias, presidente da direção da ACG, recordando que a Academia apenas tem quatro anos de vida. “Colocar o nome da Academia CantanhedeGym e Cantanhede no Calendário Mundial das Competições de Ginástica era algo impensável quando iniciámos este proje-

to…foi um processo longo e difícil, mas pelo qual, valeu a pena lutar”, salientou o dirigente, consciente das “enormes responsabilidades que temos a partir de agora até à data da competição”. Para isso, a ACG vai lançar uma campanha de divulgação e promoção do evento, bem como solicitar a todos, que nos ajudem na angariação de apoios para o 3.º International Team Cup Competition – Cantanhede 2013. João Dias informou ainda que, “a ACG decidiu mudar o modelo competivo do evento realizado nas duas edições anteriores, passando de uma competição de Seleções (Taça Latina – Portugal, Espanha e França) para umas competições entre clubes de todo o Mundo, com a atribuição de um Prize Money, aos três clubes primeiros classificados. Desta forma, introduzimos no calendário de competições mundiais de Ginástica Aeróbica Desportiva este novo modelo competitivo. E foi esta proposta que recebeu da FIG a aprovação como evento de nível mundial”.

Cineteatro Messias recebe 7.ª Gala Desportiva Maria Malaguerra Costa, da Sociedade Columbófila Cantanhedense, está nomeada para Atleta do Ano e Mérito Desportivo dr

Para homenagear mais uma vez o desporto local, a Gala Desportiva da Mealhada volta ao Cineteatro Messias na próxima segunda-feira, dia 28 de janeiro, naquela que já vai na sétima edição consecutiva. Revelados os nomeados para o ano 2012 pelo júri, Maria Malaguerra Costa é um das atletas que se distingue para os prémio Atleta do Ano e Mérito Desportivo, entre outros atletas, treinadores e dirigentes distinguidos para os restantes prémios daquela cerimónia. O júri é composto por cinco personalidades do concelho da Mealhada nomeadamente António Lousada, João Cidra Duarte, José Ernesto Aguiar, Leonor Gomes e Pedro Ferreira da Silva. O evento vai ser apresentado por uma nova dupla da “casa” e o futebol vai dar cartas com os relatos de Fernando Eurico, da Antena 1, e as presenças confirmadas de Pedro Emanuel e Ulisses Morais, treinadores da Académica e do Beira-Mar respetivamente, Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e Mónica Jorge, ex-selecionadora e hoje responsável pelo Futebol Feminino da FPF. Os nomeados são: Associação Desportiva do Ano; Associação CADES; Futebol Clube de Pampilhosa e Hóquei Clube de Mealhada. Equipa do Ano - Iniciados Masculinos de Andebol da Casa do Povo da Vacariça; Juvenis Masculinos de Hóquei em Patins do Hóquei Clube da Mealhada e Seniores Masculinos de Futebol do Futebol Clube da Pampilhosa. Dirigente do Ano - Gonçalo Louzada, do Hóquei Clube da Mealhada; Patrícia Peralta, da Casa do Povo da Vacariça e Ricardo Santos, da Escola de Futsal da Mealhada – Geração Benfica.

Treinador do Ano - Fernando Ferreira Nascimento “Niza”, do Futebol Clube da Pampilhosa; Iolanda Sousa, da Casa do Povo da Vacariça e Miguel Ferraz, do Hóquei Clube da Mealhada. Atleta do Ano - Dinis Malaguerra Abreu, do Futebol Clube do Porto; Gil Ferreira, da ADERCUS e Maria Malaguerra Costa, da Sociedade Columbófila Cantanhedense. Revelação do Ano - Fernando Pedro, da ADC Pesca da Pampilhosa; Francisca Dias Martins, da Associação Coimbra Basquete e Sandrine Katy Matias da Ressureição, do Rugby da Agrária de Coimbra. Mérito Desportivo - António Neves, do Núcleo de Karaté Shukokai; Denise Pieters, da Associação Académica de Coimbra; Dinis Malaguerra Abreu, do Futebol Clube do Porto; Eduardo Fernandes, da Associação CADES; Fernando Ferreira Nascimento “Niza”, do Futebol Clube da Pampilhosa; Fernando Pedro, da ADC Pesca da Pampilhosa; Francisca Dias Martins, da Associação Coimbra Basquete; Gil Ferreira, da ADERCUS; Iniciados Masculinos de Andebol da Casa do Povo da Vacariça; Iolanda Sousa, da Casa do Povo da Vacariça; João Gabriel Silva Ferreira “Barroca”, do Servette Football Club; José Rosmaninho, da ADC Pesca da Pampilhosa; Juniores Masculinos de Hóquei em Patins do Hóquei Clube da Mealhada; Juvenis Masculinos de Andebol da Casa do Povo da Vacariça; Juvenis Masculinos de Hóquei em Patins do Hóquei Clube da Mealhada; Manuel Coimbra, do Hóquei Clube da Mealhada; Maria Malaguerra Costa, da Sociedade Columbófila de Cantanhede; Miguel Ferraz, do Hóquei Clube da Mealhada; Miguel Rego Vieira, da ADC Pesca da Pampilhosa; Minis Femininos de Andebol da Casa do Povo da Vacariça; Paulo Castela, da Escola de Ténis de Paços de Brandão; Pedro Miguel Miranda Pereira, da ADC Pesca da Pampilhosa; Ricardo Ferreira, da Casa do Povo da Vacariça; Sandrine Katy Matias da Ressureição, do Rugby da Agrária de Coimbra; Seniores Masculinos de Futebol do Futebol Clube da Pampilhosa; Seniores Masculinos de Hóquei em Patins do Hóquei Clube da Mealhada; Tiago Ferraz, União Desportiva Oliveirense; Vasco Góis Bica, da Quadra/Avalanche Vitória James e Vasco Vaz, do Hóquei Clube da Mealhada. À semelhança dos anos anteriores, os prémios Alto Prestígio, Incentivo e Dedicação só serão conhecidos na noite da gala.

dr

NATAÇÃO

Torneio Dia Olímpico acabou em glória para os nadadores da SCC Maria Costa foi a melhor na categoria Absoluta

dr

Foi com empenho e prestações de grande qualidade que os atletas da Secção de Natação da Associação de Solidariedade Social de Sociedade Columbófila Cantanhedense participaram no Torneio Dia Olímpico, sendo a primeira prova organizado pela Associação Natação de Coimbra de 2013. Dos 13 títulos em disputa os nadadores da Sociedade Columbófila conquistaram cinco. Os vencedores do Torneio Dia Olímpico foram Maria Costa na Categoria Absoluta e na Categoria Junior, Diogo Marques Juvenis B, Gabriel Gomes Infantis A e Sara Alves Infantis B. Ainda subiram ao pódio Mariana Guerra ao ficar em segundo lugar em Juniores; também Ana Reis classificou-se em segundo em Infantis A e José Neto, em Infantis, terminou no terceiro posto. Neste torneio, todos os atletas tiveram de nadar obrigatoriamente os 400 Livres e 200 Estilos, nadando igualmente os 100 e 200 metros em técnicas diferentes (Mariposa, Bruços ou Costas). Os tempos realizados nestas provas foram pontuados pela Tabela FINA 2012, e o somatório obtido nas quatro provas realizadas deu origem a uma classificação final por género e escalão. Realizado no Complexo Olímpico de Coimbra, em piscina de 50 metros, esta prova contou com a presença de 13 clubes e com 282 atletas (140 masculinos e 142 femininos).


Opinião 19

3193 :: 24 de janeiro de 2013

A importância do pequeno-almoço dr

AVEIRO 26 de janeiro, às 22h00 Teatro Preocupo-me, Logo Existo! de Eric Bogosian, com Diogo Infante Teatro Aveirense CANTANHEDE 26 de janeiro, às 23h00 Música ao vivo Banda Red Urban Club COIMBRA 26 de janeiro Fórum “Cidadania Participativa: Realidade ou Utopia?” Organização: AMAI- Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) 26 de janeiro, às 17h00 Música ao vivo The Partisan Seed Fnac, Fórum Coimbra 27 de janeiro Workshop infantil de reciclagem, com Latita Catita Fnac, Fórum Coimbra 31 de janeiro, às 21h30 Teatro Três dedos abaixo do joelho, Com Isabel Abreu e Gonçalo Waddington TAGV FIGUEIRA DA FOZ 25 de janeiro, às 23h00 Música ao vivo António Zambujo Casino Figueira MEALHADA 2 de fevereiro, às 22h00 Música ao vivo The Peorth Errejota

Algumas pessoas têm o (mau) hábito de não tomar o pequeno-almoço. Será isso grave? O pequeno-almoço desempenha um papel de relevo na alimentação diária, pois permite recuperar de um longo período de jejum (entre oito e dez horas, geralmente). Esta refeição é ainda mais importante para as crianças, sobretudo durante o período escolar. Não tomar o pequeno-almoço pode levar à falta de concentração e à redução da capacidade física e intelectual. E sabe-se que no contexto atual, são cada vez mais as crianças que vão para a escola sem tomar o pequeno-almoço. Existem já algumas escolas que facultam o pequeno-almoço às crianças mas é preciso fazer mais. “Saltar” esta refeição também pode provocar algumas doenças, como a obesidade e a diabetes do tipo II. Diversos estudos têm demonstrado que

Catarina dos Santos Louro, Nutricionista ctrn.louro@gmail.com

os indivíduos que não ingerem o pequeno-almoço ficam com mais fome ao longo do dia e ingerem mais calorias. O pequeno-almoço deve perfazer 15 por cento a 20 por cento das necessidades energéticas diárias, e o ideal será ter: Uma a duas porções de lacticínios, fornecedores de proteínas de origem animal, como as do leite e do iogurte magro ou meio-gordo e as dos queijos. As proteínas animais funcionam como complemento das proteínas vegetais, que se ingerem na forma de pão, tostas e cereais diversos. Um copo de leite UHT meio-gordo (200 mililitros) fornece 94 kcal; Duas fatias de pão ou uma bolinha, que corresponde a cerca de 140 a 160 kcal. O pão possui mais vitaminas e fibras quando é feito de farinhas integrais. Ainda que os cereais de pequeno-almoço possam fazer parte da nossa alimentação, é recomendável e preferível o consumo de pão, pois apresenta um índice glicémico mais baixo e proporciona mais saciedade. Além disso, o pão contém muito menos açúcar; Uma peça de fruta (uma maçã, uma pera, uma laranja ou dois quivis), que correspondem a 90 a 100 kcal. Fornecem vitaminas e fibras. Além do queijo ou do fiambre, pode, em alternativa, usar margarina rica em ácidos gordos polinsaturados ou manteiga para barrar o pão ou as torradas. Uma colher de sobremesa de manteiga ou margarina (15 gramas) tem aproximadamente 100 kcal. As compotas também são uma boa alternativa: uma colher de sobremesa (20 gramas) tem cerca de 50 kcal. Ao pequeno-almoço pode ainda ingerir bebidas como infusões de plantas, desde que as prepare sem açúcar, com pouco açúcar ou edulcorante. São uma excelente forma de hidratar o organismo. Deve ter em atenção que é desaconselhado comer muito pela manhã, como acontece com os pequenos-almoços “à inglesa”, onde se consomem ovos, bacon, pão, leite, cereais, compota, manteiga e fruta. O consumo de uma refeição com todos estes ingredientes corresponde a mais de 40 por cento do total de calorias que devem ser ingeridas ao longo de todo o dia, o que é claramente excessivo.

A esperança ativa É verdade que todos os paraísos são paraísos perdidos? A julgar pela aparência todas as histórias, até a história bíblica, nos garante que sim. De facto, no livro do Génesis, o primeiro casal humano acaba lançado para fora do paraíso, depois de uma breve e atrapalhada permanência. E as portas do paraíso ficam interditas aos humanos. Contudo, a linguagem simbólica e a natureza teológica daquele relato exigem uma atenção a investimentos de sentido que se podem sintetizar assim: o tempo da salvação não é narrado como nostalgia de uma época de ouro passada, mas, o que se procura afirmar é que, através de vicissitudes e contradições, o tempo não deixa de avançar para uma plenitude. De certa forma, o homem descobre que está fora do paraíso para que possa encaminhar-se para ele. A expulsão bíblica não é, portanto, uma perda, mas o primeiro, e misterioso, passo para o caminho da promessa. O que não se escamoteiam são as tensões e desvios que o homem vai introduzindo. Reconhecer, porém, que mundo e a história não são propriamente lugares paradisíacos não

José Tolentino Mendonça Sacerdote e Escritor

nos deve fazer cair os braços, nem desesperar. No território ambíguo que se abre, na irresolução que nos caracteriza a nós próprios, os crentes são chamados a identificar (e a imaginar) novas possibilidades. Que ensina a sabedoria bíblica aos nossos tempos conturbados? Ensina, sem dúvida, que a esperança é mais importante de que a saudade; e que a promessa humilde que, quotidianamente, nos coloca a caminho é bem mais preciosa que os paraísos que nos deixam parados a olhar para trás. Na magnífica encíclica sobre a Esperança, e que podia bem servir-nos de mapa nas horas de sofrimento e de incerteza, escreve o Papa Bento XVI: “A esperança em sentido cristão é sempre esperança também para os outros. E é esperança ativa, que nos faz lutar para que as coisas não caminhem para o «fim perverso». É esperança ativa precisamente também no sentido de mantermos o mundo aberto a Deus. Somente assim, ela permanece também uma esperança verdadeiramente humana”.

IV Jogos Florais Região da Gândara “memórias da Gândara” Entrega dos Trabalhos

– O envio dos trabalhos é da responsabilidade dos concorrentes e deve ser feito até à meia-noite do dia 15 de maio de 2013 –


20 Ultima

Jornal Boa Nova — Rua dos Bombeiros Voluntários n.º 330, 3060-163 Cantanhede Publicidade e Assinaturas 231 422 870 Fax 231 420 989 | comercial@jornalboanova.com

CÂNDIDA ALMEIDA, PROCURADORA-GERAL ADJUNTA DO MINISTÉRIO PÚBLICO, ESTEVE EM CANTANHEDE

“A corrupção é um crime que corrói e destrói a democracia”

3193 :: 24 de janeiro de 2013

Premiados da Tômbola de Natal já são conhecidos

Associação de Pais da Escola Secundária de Cantanhede promoveu a 1.ª Tertúlia

> Carla Assunção, texto e foto

> Carla Assunção, texto e foto

Para a Procurador-Geral Adjunta Cândida Almeida, “a corrupção é um crime que corrói e destrói a democracia”, afirmou na 1.ª Tertúlia “Democracia e Corrupção” da Associação de Pais da Escola Secundária de Cantanhede, que decorreu na sexta-feira à noite, no Centro Paroquial. Acompanhando esta problemática do país há vários anos, Cândida Almeida dirigiu-se à plateia explicando que os cidadãos que denunciam casos de corrupção “não são bufos”, pois devemos “lutar sem cruzadas e com calma concreta”. A também diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) frisou que os magistrados, órgãos de polícia criminal e sociedade civil possuem “o direito e o dever” de se unirem “e colaborarem todos com a investigação” de casos de corrupção. Cândida Almeida disse existirem “várias soluções na lei” que permitem a colaboração “imprescindível” dos cidadãos, sem a qual, alertou, a luta contra a corrupção não será vencida. “E, portanto, estamos, digamos, numa espiral de criminalidade, de fraude fiscal, de branqueamento [de capitais], de corrupção”, alertou a magistrada, que a linha para receber denúncias contra a corrupção, criada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), recebeu mais de dois mil denúncias desde novembro de 2011. “Mas são mais denúncias de pedidos de ajuda do que propriamente de corrupção. Há muitas denúncias de fraude fiscal, mas de corrupção são muito

poucas”, referiu, porém “ as pessoas podem denunciar atos corruptivos de que tenham conhecimento, identificando-se ou não se identificando”. Cândida Almeida explicou ainda que “nada” nas denúncias dá automaticamente origem a um processo. “Faz-se uma averiguação, a lei prevê averiguações preventivas para apurar da fiabilidade desta denúncia e, se houver indícios, passa para uma investigação”, frisou. No âmbito jurídico, “a corrupção tem uma consequência de erosão da democracia”, interveio Manuel Castelo-Branco, presidente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) e considerado por muitos “filho da terra”. Mestre em Direito e com experiência de militante num partido político há 20 anos, Manuel Castelo-Branco utilizou um tom pessimista ao dizer que “já não vivemos num Estado de Direito democrático porque esta está corrompida”. Devido ao interesse instalado nos próprios partidos políticos, o advogado apontou ainda para o afastamento da democracia participativa pelo não cumprimento do seu programa apresentado em atos eleitorais. “Os partidos já não representam o povo, tornaram-se instrumentos do Estado e vivemos hoje uma nova idolatraria da lei”, acrescentou, admitindo que é preciso “reinventar a democracia”. A próxima tertúlia, intitulada “Valores e Felicidade”, está agendada para o mês de março, e que terá como convidados Rui Brites, Clara Almeida Santos e José Barata Moura. repórter olho vivo

O bom senso deve prevalecer O último temporal com ventos ciclónicos e chuva, que se abateu sobre o nosso país, trouxe uma vaga de destruição de que há muito não acontecia nos últimos anos. O município de Cantanhede não saiu ileso de tal destruição, essencialmente na zona rural onde muitas árvores foram arrancadas pela raiz, tantos pinheiros e eucaliptos deitados no chão, também no centro da cidade registou-se a queda de cedros de grande porte, junto ao Hospital e Centro de Saúde, que não foram poupados pelas rajadas de vento na passada madrugada de sábado, tendo felizmente causado apenas danos materiais. Várias freguesias do concelho ficaram “às escuras” durante o fim de semana, para além da falta de telecomuni-

Rosário Nascimento foi a grande vencedora do sorteio da Tômbola de Natal 2012, ao ser contemplada com o primeiro prémio, uma moto. Organizado pela Associação Empresarial de Cantanhede (AEC), o sorteio decorreu na passada sexta-feira, dia 18, tendo sido conhecido os restantes nove premiados, cujo prémio foi uma cabaz de bens essenciais. Ao efetuarem compras durante a quadra natalícia nos estabelecimentos comerciais aderentes à iniciativa da AEC, os nove cabazes foram sorteados por Etelvina de Oliveira Jorge, Daniel Tomás, São Eva, Maria Glória Machado, Graça Oliveira, Carla Bessa André, Fernanda Santos, Isabel Santos e José Alberto Carvalho. O sorteio contou com a presença de Alexandre Neto, diretor da AEC, João Moura, presidente da Câmara de Cantanhede, Pedro Cardoso, vereador, e Cláudio Lopes comandante de destacamento da GNR de Cantanhede, em representação do Ministério da Administração Interna. A cerimónia culminou com a entrega oficial de bens à Colmeia – Banco de Recursos de Cantanhede, uma angariação resultante de uma campanha solidária que a AEC organizou, em simultâneo, junto dos comerciantes locais. pub

CONFERÊNCIA

EM QUE CRÊ QUEM CRÊ E EM QUE CRÊ QUEM NÃO CRÊ

SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DE TODOS OS CRISTÃOS

cações. Na cidade, a luz foi estabelecida horas depois da intempérie e a água que deixou correr nas torneiras em vários locais e, neste sentido, deve haver bom senso por parte da Inova. Segundo os entendidos é sabido que o ar acumulado na canalização pública de distribuição às residências sai nas torneiras dos consumidores como se fosse água, quando na realidade é apenas ar, mas para efeitos de cobrança na fatura, o contador marca como se fosse água. Assim, nunca é demais alertar para esse facto e haver lugar a um desconto por menor que seja na fatura, tendo em vista a situação aflitiva em que muitas famílias atualmente vivem. O recado está dado.

24 JANEIRO | 21H

Bernardino Soares Deputado

Jorge Wemans

Jornalista

ENTRADA LIVRE auditório do centro paroquial de Cantanhede

pub

260x40.indd 2

9/18/12 10:07 AM

3193  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you