Issuu on Google+

em

jb folhas o informativo do jardim botânico

julho/agosto 2008 | ano 4 | nº26 distribuição gratuita

A voz do Jardim Botânico O candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro Fernando Gabeira responde os moradores sobre as questões do bairro. (Páginas 4 e 5) r

s

Violência assusta no bairro s

Sexo, Drogas e Rolling Stones r

Moradores pedem atenção especial à PM e à prefeitura para a região. (Página 3)

Livro foi escrito a quatro mãos no Jardim Botânico por José Emílio Rondeau e Nélio Rodrigues. (Página 7)


Editorial Um Jardim para chamar de seu

Expediente

Caro Leitor,

Editora Responsável: Christina Martins (Mtb 15185 -RJ) Redação: Betina Dowsley

As eleições estão chegando e precisamos cada vez mais valorizar o nosso voto. Nessa época é comum o surgimento de candidatos que usam o bairro como curral eleitoral sem lembrar depois de retribuir a gentileza, seja com obras ou melhorias. Pensando nisso, nós convocamos alguns

Revisão: Carla Paes Leme Publicidade: Célia Medeiros (9311-9174) Impressão: CMYK Gráfica 2581-8406

moradores ilustres do bairro para formular perguntas para o candidato a prefeito Fernando Gabeira,

Secretária de Redação: Sheila Gomes

ex-morador do bairro e que até hoje mantém laços fortes com a região, seja através do escritório

Fotos da Capa: Chris Martins e Paulo Pelá (carro PM)

que ainda mantém por aqui, seja por conta do próprio Jardim Botânico que freqüenta.

O JB em Folhas é uma publicação do Armazém Comunicação - Projetos Jornalísticos Ltda.

O momento é sério, pois nosso bairro passou a ser alvo constante de ladrões que roubam car-

Tiragem: 5.000 exemplares

ros, apartamentos, pessoas, sem nenhuma punição ou sequer flagrante. As autoridades acham

Telefone: 2294-4926

que a simples instalação de um posto policial na esquina da Rua Faro vai conter a ação dos ban-

e-mail: jbemfolhas@armazemcomunica.com.br

didos. Mas precisamos de ações mais diretas, como segurança e iluminação das ruas, além de

site: www.jbemfolhas.inf.br

policiamento ostensivo, que impeça os bandidos de andarem livremente por aqui, de arma em

Telefones úteis

punho, achando que estão no velho Oeste. E se a Prefeitura não faz – agora então em época de campanha, é melhor esquecer - cabe a nós ter a iniciativa de mostrar que juntos podemos – tentar, ao menos – minimizar esse abandono, começando por ocupar as praças do nosso bairro com várias atividades. É em busca desse resultado que vamos promover no próximo dia 16 de agosto, na Praça Pio XI, uma manifestação com abaixo assinado por melhorias, aproveitando mais uma edição da troca de livros Sebinho nas Canelas. A união faz a força e o melhor exemplo é a escada da Pio XI, que será inaugurada na ocasião. Contamos com você. Até !

Christina Martins e Betina Dowsley Murta Ribeiro, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado. Ele nos garantiu que não haverá aula ali. Apenas um escritório que os estudantes da Univercidade (sic) terão para atender clientes. Mas o que queremos é tirar o Juizado de lá. Não comprei meu apartamento em zona residencial para ter um fórum como vizinho. Tremendo desrespeito! Guilherme Carvalho

Cartas Vi hoje a matéria que vocês fizeram do juizado ali na nossa pracinha. A Univercidade (sic) garante que vão ser apenas salas para estagiários receberem pessoas necessitadas, que não têm advogado. Necessitados no Jardim Botânico? Sexta-feira passada nos reunimos com o desembargador

depressão na calçada para facilitar o acesso de veículos. Aquele lugar fica com água acumulada constantemente - mesmo sem chuva. E quando chove a situação é ainda pior, porque a calçada torna-se intransitável, obrigando os pedestres a desviar para a rua e disputar espaço com os carros. A entrada principal da Sociedade Hípica, na Lagoa, não é diferente. Ali, a água se acumula na calçada e na rua. Quem transita a pé pela região conhece bem a situação. Angélica Miranda

Cara do JB Maria Augusta Machado

pode ser considerada memória viva do bairro. Com 93 anos, e 51

anos de residência na região, a museológa acaba de lançar o livro “São Jorge – Arquétipo Santo e Orixá”, que traça a trajetória do Santo, que só passou a ter força religiosa a partir da República. Com a cabeça ativa, ela guarda boas lembranças do Jardim Botânico, principalmente da vida cultural, incentivada por festas de vizinhos ilustres, como Otto Lara Resende, Nelson Motta, Antonio Maria e Helio Pellegrino, entre outros. Histórias que ela guarda, para quem sabe, escrever um outro livro.

Bombeiros 193 / 3399-1234 Cedae (água e esgoto) 195 / 2297-0195 CEG 0800-240197 CET-Rio 2507-1867 / 2252-4067 Comlurb 2574-2000 Defesa Civil 199 / 2576-5665 Disque-Denúncia 2253-1177 Disque-Luz (Iluminação urbana) 2507-5151 Disque-Barulho 2503-2795 Guarda Municipal 0800-211532 Light 0800-210196 Patrulha Ambiental 3874-1001 15ª DP 3399-7040/ 7043/ 7052 Polícia Militar 190 Subprefeitura da Zona Sul 2521-5540 Tele-Dengue 2575-0007 Vigilância Sanitária 2286-4765

Distribuição: Bancas de jornais, galerias e prédios comerciais do Jardim Botânico, Bibi Sucos, Cavídeo, Jardim Botânico, Armazém Colonial, Parque Lage e restaurantes Couve-Flor e Fazendola. Displays: Galerias da Rua Maria Angélica e dos Correios. FOTOS: CHRIS MARTINS

A respeito da carta de Valéria Récio sobre focos de mosquito da dengue, quero chamar a atenção da comunidade do Jardim Botânico para um outro foco gravíssimo, que existe há anos e ninguém toma providência. Em frente à entrada da Sociedade Hípica Brasileira, na Rua Jardim Botânico, foi feita uma

2

Projeto Gráfico: Paulo Pelá - www.bolaoito.com.br


Folhas do Jardim q Exposição abre Museu do Meio Ambiente Fica em cartaz até 31 de agosto a exposição "O gabinete de curiosidades de Domenico Vandelli", no recém-inaugurado Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico. Inspirada no criador dos primeiros jardins botânicos e CHRIS MARTINS

museus de história natural em Portugal, a mostra tem curadoria de Anna Paula Martins e apresenta um olhar sobre a história natural e o reconhecimento das potencialidades do

mente na área entre o parque Lage e o

pintura, escultura, gravura, aquarela, mosaico

meio ambiente brasileiro há 200 anos. Nas

Hospital da Lagoa e colocar uma cabine de

e design de jóias. Paralelamente, acontecerá

seis salas, o visitante encontra impressos em

segurança na Rua Jardim Botânico? Os

o 2º Circuito de Arte e Culinária, com work-

tecidos, textos, imagens de insetos e plantas.

moradores agradecem.

shops, degustações e palestras nos restau-

Livros, documentos, projeções e uma insta-

rantes do bairro. Além disso, completam a programação uma mostra de moda, roteiro

tam a exposição. O museu abre de terça a

Arte de viajar sem sair do lugar

domingo, das 10h às 17h. Debates aconte-

Estréia dia 10 de agosto, no Museu do Meio

ral no Lunático Café e projeção de filmes de

cerão sempre às terças, tendo como tema as

Ambiente, a peça “A Arte de viajar sem sair

ficção de longa e curta-metragem na Aca-

descobertas de Vandeli. A entrada é franca.

do lugar”. Com roteiro de Denise Crispum e

demia de Cinema. O encerramento será na

lação do artista plástico Luiz Zerbini comple-

musical, oficina de teatro e consciência corpo-

direção de Beto Brown, a peça vai integrar a

Praça Pio XI com uma festa/oficina Mix Dan-

Comércio em movimento

exposiçao “Gabiente de curiosidades de

çante, dia 7 de setembro a partir das 19h.

Muitas são as novidades no Jardim Botânico. A

Domenico Vandelli”, com duas sessões – às

mais saborosa e refrescante é a Sorvete Itália,

11h30m e 16h – nos domingos de agosto.

JB em cena

que acaba de abrir na esquina das ruas Jardim

Com Juliana Martins e Eduardo Andrade - o

A Academia Internacional de Cinema (AIC)

Botânico com Visconde da Graça. Também no

palhaço Dudu, o espetáculo é indicado para

aproveitou as locações naturais do bairro

setor gastronômico, o Café Lorenzo e suas me-

crianças a partir de sete anos e tem

para filmar o curta-metragem "Sexta-feira

sinhas na varanda deram mais charme à outra

patrocínio da Concremat, responsável pela

13", com roteiro adaptado do conto homôni-

esquina, da Lopes Quintas com Visconde de

restauração do prédio do século XX, agora

mo de Luis Fernando Veríssimo. Filmado em

Carandaí e, em breve, será aberto o Fronteira,

ocupado pelo museu.

35 mm e em digital, o filme é o resultado do

na rua Maria Angélica, onde funcionou o

curso de nível avançado de direção de foto-

Praça da paz

grafia, ministrado por Jorge Monclar. Entre os

em agosto, assim como a loja de luminárias,

Os atos violentos que aconteceram no bairro,

palestrantes que participaram do curso estão

que substitui o CCAA com muito bom gosto. O

no começo de julho, mobilizaram um grupo

os diretores Walter Carvalho ("Central do

bairro ganhou ainda novo videoclube, o Laguna,

de moradores na Praça Pio XI, que decidiu

Brasil", "Abril Despedaçado") e Antonio Luis

no começo da Jardim Botânico, e sua primeira

organizar um abaixo assinado para a Pre-

Mendes ("Mauá", "Guerra de Canudos").

loja de informática, a Moebius Tecnologia, na

feitura Governo do Estado, pedindo segu-

galeria 635. Além de produtos, a loja oferece

rança, iluminação e cuidados especiais na

serviços de impressão, fax, telefonia nacional e

área que cerca a praça. A manifestação

internacional e ainda dispõe de um cyber café.

acontecerá na próxima edição do Sebinho

Clientes da NetBotânic têm descontos de até

nas Canelas, dia 16 de agosto, sábado, das

20%. E se a pet shop Melhor Amigo em frente

10h às 13h, que aproveitará a data para

à ABBR fechou, uma opção é a nova Fã de

homenagear o dia do folclore. Na ocasião,

Bicho, na rua Maria Angélica. Outra baixa é o

será inaugurada a escadaria da praça.

Café do Lage, que agora é de uso exclusivo de

Participe. A sua presença é importante.

DIVULGAÇÃO/AIC

Nakombi. A agência dos Correios deve reabrir

professores e funcionários.

Jardim Botânico na mira

Jardim de Talentos A 12ª edição do Circuito das Artes do Jardim

Uma onda de assaltos tem acabado com a

Botânico acontecerá nos dias 30 e 31 de

tranqüilidade dos moradores do bairro.

agosto e 6 e 7 de setembro, com a partici-

Assaltos em série nas ruas Maria Angélica,

pação de mais de 85 artistas e artesãos e seis

Nina Rodrigues, Praça Pio XI, Rua Conde

mil peças à venda. Nos dois finais de semana,

Afonso Celso. Alô PM e Prefeitura: que tal

os cerca de 55 ateliês e estúdios estarão

melhorar a iluminação das ruas, principal-

abertos das 12h às 21h, com trabalhos em 3


DIVULGAÇÃO/ORLANDO BRITO

Moradores Entrevistam Fernando Gabeira Com a proximidade das eleições municipais, o JB em Folhas teve acesso ao senador e candidato a Prefeito do Rio de Janeiro, Fernando Gabeira, exmorador do Jardim Botânico, onde ainda mantém escritório. O candidato respondeu às perguntas de gente que participa e se preocupa com a manutenção da ordem urbana e do bem-estar social não apenas da região como também da cidade. O que vale para o bairro, vale para o Rio de Janeiro. Participaram da entrevista as jornalistas Diléa Frate e Lu Fraga; a cineasta Rosane Svartman; o músico Rodrigo Santos; o ator Chico Diaz; o diretor do GNT, Jorge do Espírito Santo; a cantora Kátia B, a atriz Juliana Martins e a artesã Cattia Capistrano. Os assuntos variaram entre ordem urbana, trânsito e cultura. Diléa Frate (jornalista) - No final da Rua Lopes Quintas havia uma passagem para a Floresta da Tijuca e suas cachoeiras, escriturada como servidão perpétua. Moradores, trilheiros e o clube dos alpinistas usavam aquele acesso. Há cerca de cinco anos, a servidão de caráter per-

4

pétuo, legalmente registrada em cartório, foi fechada por dois moradores milionários, que, não apenas fecharam a passagem, como usam a água das inúmeras nascentes que brotam no local. Isso é legal? Vai ficar assim para sempre? Os moradores que perderam o direito de passear no bosque podem ter esperança? Fernando Gabeira: Talvez seja necessário fazer um estudo de como a prefeitura pode atuar para facilitar isso, mas minha posição é de que esta passagem deve ser reestabelecida. Rosane Svartman (cineasta) - Algum projeto ou estratégia para a conservação das praças públicas? FG: O Rio de Janeiro possui hoje mais praças públicas do que tem capacidade de cuidar, daí o abandono em algumas áreas. A Prefeitura se encarregará da segurança e limpeza, visando a estimular a adoção, pela inciativa privada, e ocupação das praças, pela população. Uma alternativa é

permitir ensaios de artistas nos espaços públicos, a exemplo do que a Prefeitura de Nova York fez há alguns anos. Além disso, para facilitar a adoção de praças públicas, como se pretende fazer com a Praça Pio XI, usarei todos os meios necessários para desburocratizar o processo. Aliás, minha intenção é atacar de forma sistêmica o excesso de burocracia na prefeitura. Lu Fraga (jornalista) - A exemplo do que vem acontecendo com as ruas Saturnino de Brito e Lopes Quintas, como a sua gestão na prefeitura pretende lidar com a situação de bairros residenciais que vem sendo "invadidos" (com autorização da atual gestão) por estabelecimentos comerciais? Os moradores deveriam ser consultados pela prefeitura antes de darem autorização para funcionamento de bares, boates etc... que trazem maior fluxo de carros e gente para o bairro, sem planejamento? FG: A participação da população na tomada de decisão é um de meus princípios.


FOTOS: CHRIS MARTINS

Ex-morador do bairro, o candidato Fernando Gabeira respondeu perguntas sobre o trânsito, aterramento do canal e o Parque Lage, entre outras.

Em meu escritório, temos um mapa do Rio de Janeiro, onde ficam assinalados os pontos onde há reclamação de moradores. Antes de tomar qualquer decisão, as pessoas que participam, seja através da internet ou de nosso call center, serão as primeiras a serem ouvidas. Rodrigo Santos (músico e cantor) - Não está mais do que na hora de se pensar em uma estação de metrô no Jardim Botânico ou na Gávea como forma de oferecer aos moradores mais uma forma de transporte que desafogue o trânsito, tirando das vias principais a responsabilidade de ter como único meio de transporte o rodoviário? FG: A linha 4 do metrô está orçada em R$ 2 bilhões, sendo que 50% ficarão por conta da iniciativa privada e o restante será dividido pela Prefeitura e pelos governos Estadual e Federal. A parte da Prefeitura está garantida, caso eu seja eleito. Outra medida que deverá desafogar o trânsito no bairro é a criação de um corredor de veículos leves sobre trilhos, nos canteiros centrais da Barra da Tijuca.

restaurantes, valets de parking e outras pragas decorrentes. Onde estarão as calçadas no futuro? FG: A solução para o trânsito definitivamente não é através do carro particular. Este sistema chegou a seu limite e nossa política é de estimular o transporte coletivo. Para isso, sabemos que será preciso lutar por mais linhas e estações de metrô, reorganizar as linhas de ônibus e melhorar as condições de circulação dos trens urbanos, visando à sua maior utilização por parte da população. Outras medidas para desafogar o trânsito na região é a utilização das ciclovias, a redução da circulação de caminhoões e alternar os turnos de trabalho. Acredito que com isso nossas calçadas serão devolvidas aos pedestres. Jorge do Espírito Santo (diretor artístico GNT) O que fazer com o excesso de linhas de ônibus na rua Jardim Botânico? Já foi considerada a possibilidade de aterramento do canal das ruas Lineu de Paula Machado e Alexandre Ferreira, visando a desafogar o tráfego no bairro? FG: Até onde eu sei, esta possibilidade de aterramento não foi avaliada. Como solução mais imediata, acredito na ampliação

Chico Diaz (ator) - Gostaria de conhecer seu pensamento sobre o trânsito e estacionamento,

do sistema metroviário e na adoção do Bilhete Único.

Kátia B. (cantora) - Eu queria saber quais são as perspectivas concretas de revitalização do Parque Lage. FG: A solução para a revitalização do Parque Lage deve passar pela iniciativa privada, a exemplo do que aconteceu no Jardim Botânico. No que depender de infraestrutura, a Prefeitura terá prazer em apoiar. Juliana Martins (atriz) - Caso seja eleito, seu governo pensa em alguma política para as artes cênicas e os teatros do Rio de Janeiro? Cattia Capistrano (artesã e organizadora do Circuito das Artes do Jardim Botânico) Sua plataforma contempla investimentos em cultura através de circuitos de artes? FG: Nossa política em relação às artes cênicas é de incentivo e centralização, estimulando rodízio de espetáculos na cidade, tanto nas lonas culturais como teatros da prefeitura. Outra medida favorável às artes de uma maneira geral é a recuperação do programa Super-Weekend, pelo qual o visitante que compra passagem e hotel recebe descontos em espetáculos teatrais, pontos turísticos, incluindo-se aí estímulo à visita de circuitos de arte, como o que ocorre no Jardim Botânico.

5


festa junina ajuda a trazer gente de fora; outros

UM DEDO DE PROSA

que uma matéria no jornal chamou a atenção

por Chris Martins

para a praça e teve quem achasse que isso era ação de milícias e um supergolpe estratégico para vender segurança na região.

A praça é nossa, portanto vamos ocupá-la!

seqüência. E por isso concluímos que o impor-

Deu em todos os jornais. Uma gangue fez

tante é ocupar a praça. Seja com atividades para

um arrastão no bairro, no começo de julho,

crianças, seja para programas familiares, seja

levando carros, motos, na altura da Rua

até mesmo com os porteiros e trabalhadores

Itaipava. O que poucos souberam é que, no

dos prédios, que também têm direito a usar

dia seguinte, homens armados fizeram a

esse espaço público como área de lazer no final

festa em plena praça Pio XI, no final da

de semana. É importante que ela seja ocupada

tarde de um dia de semana. Não houve

pelos moradores da região e de forma ordena-

vítimas, mas ficou evidente para alguns

da. Nada contra a festa junina, mas é preciso

A hora é essa. Vamos aproveitar para

moradores de que algo tinha que ser feito

que ela seja feita por quem mora aqui, de

usar melhor nosso voto. Chega dos can-

para melhorar a segurança na área.

forma ordenada e com hora para acabar, pois a

didatos só lembrarem do bairro a cada qua-

deste ano foi até as cinco horas da manhã.

tro anos. A última vez em que a Praça Pio

FOTOS: CHRIS MARTINS

Logo se descobriu que a segurança das

O importante não é a causa, mas, sim, a con-

adoção e o cuidado de quem mora perto.

ruas Conde Afonso Celso e Oliveira Rocha,

A primeira ocupação acontecerá no próximo

XI recebeu algum cuidado foi nas últimas

que era feita por uma mesma pessoa, agora

dia 16 de agosto, aproveitando mais uma

eleições, quando o atual deputado Índio da

estava separada e que a praça não era de

edição do Sebinho nas Canelas. Faremos um

Costa passeou e angariou votos, com

ninguém. Histórias não faltaram de pessoas

abaixo-assinado será entregue ao Prefeito, ao

jantares de adesão e tapinhas nas costas.

que já tiveram seus carros furtados e ouvi-

Secretário de Segurança e ao Governo do

Depois de eleito, nunca mais apareceu ou

ram dos próprios seguranças que, como não

Estado pedindo melhorias, como pintura dos

fez algo pelo bairro. Nada de promessas.

pagavam proteção, não tinham direito a ela.

brinquedos, colocação de saibro no campo de

Vamos valorizar esse momento para exigir

Não se sabe o que levou a um assalto

futebol e iluminação na escada, além de segu-

melhoras imediatas para as praças públicas

grotesco como esse, pois vamos combinar

rança, é claro. Mas a ação dos moradores não

de toda a cidade. A praça é nossa e nós

que assaltar mães e babás em plena praça

tira a responsabilidade da Prefeitura de cuidar

vamos ocupar. E queremos apoio! Portanto,

é meio sem sentido. Uns disseram que a

e manter essa área pública, facilitando sua

todos na praça dia 16 de agosto!

FLAGRANTE s

Pa ra e l o g i a r o u p a ra re c l a m a r, este a q u i é o

DE OLHO NO JB

s e u es p a ç o. M a n d e a s u a o p i n i ã o p o r e - m a i l ( j b e m fo l h a s @ a r m a ze m co m u n i c a . co m . b r )

A marquise da antiga padaria Padaria Jardim do Pão está com os dias contados há muito tempo.

Valeu!

Foi mal!

Mas o povo que fica embaixo dela, no ponto do

A papelaria Bazar do Guinho, que paga R$1 para cada toner vazio de impressora. Assim, ajuda o meio ambiente, reci-

Para os quebra-molas instalados nas ruas Benjamin Batista, Nascimento Bittencourt e Abade Ramos, que estão com um tamanho acima do normal, dificultando a passagem dos carros. E

clando o material e também quem não sabe que fim dar nesses lixos eletrônicos

fica a pergunta: por que a Nina Rodrigues ficou de fora, uma vez que a única rua com descida para a Jardim Botânico?

ônibus não está muito preocupado com isso, mesmo com os avisos da Prefeitura de que a área está interditada. Inclusive, encostaram a faixa que isolava a área, para ficar mais confortável. Na hora da desgraça, não adianta chorar...

s

CLASSIFICADOS AULAS DE PIANO - Professora formada na França, com mais de 10 anos de experiência, especializada em aulas para crianças a partir de 4 anos. Em domicílio ou na rua Pacheco Leão. Béatrice: 25121940 ou 8149-0070. AULAS DE FRANCÊS - Professor francês diplomado pela Sorbonne - Universidade de Paris. Todos os níveis. Pascal: 2512-1940 DIARISTA - Senhora com exelentes referências se oferece para serviços domésticos. 93793972

6


Ilustre Morador q Um é biólogo; o outro, jornalista. Em comum, a paixão pelos Rolling Stones e o bairro

JOSÉ EMÍLIO RONDEAU E NÉLIO RODRIGUES

Jardim Botânico. As vidas de Nélio Rodrigues e José Emílio Rondeau se cruzaram em 2002, mas só em 2004, quando passaram a ser vizinhos, a relação ficou mais próxima. No início deste ano, os dois lançaram o livro “Sexo, Drogas e Rolling Stones”, no qual detalham os 46 anos de carreira da “maior banda de rock’n’roll de todos os tempos”. Nélio mora no bairro desde 1981 e foi estagiário do Jardim Botânico. José Emílio redescobriu a região em 2004, quando retornou ao Brasil, depois de 18 anos de exílio voluntário na Califórnia (EUA). Embora não more mais aqui, Zé Emílio continua trabalhando no bairro: “O JB tem um ar de cidade pequena que resiste em poucos recantos da Zona Sul, além de ser o único bairro da região com morros 100% livres de favelas”, destaca. CHRIS MARTINS

Biólogo pós-graduado em Botânica pela Universidade de São Paulo, Nélio lembra do tempo em que dar uma volta correndo ao redor da Lagoa era uma aventura. “Não havia

o jornalista, para quem o serviço que mais

mesmo não morando mais no bairro, ele con-

quase nada lá, muito menos ciclovia”, excla-

faz mais falta no bairro é uma banca de jor-

tinua alugando DVDs no Video Nacional.

ma. Hoje, tanto ele como Zé Emílio freqüentam

nais bacana, com títulos nacionais e interna-

As singularidades do Jardim Botânico leva-

o local assiduamente para manter a forma.

cionais, especialmente os dedicados à músi-

tandas pela dupla são variadas, do botequim

Ser biólogo explica, em parte, a paixão de

ca. A demora dos Correios em reabrir sua

Gente Bem - na Visconde de Carandaí, que

Nélio pelo bairro. Quando exercia sua profis-

loja na rua Jardim Botânico é outro ponto

vende cerveja Serra Malte - ao Suvaco do

são, apresentou inclusive um trabalho sobre

negativo levantado pelos dois autores.

Cristo. O trânsito, como de hábito, é proble-

as algas da Lagoa Rodrigo de Freitas num

Deixando de lado banco e supermercado,

ma. Especialmente para Zé Emílio, que antes

congresso de botânica. “Como não se encan-

outro endereço comum aos dois é o Bar

levava oito minutos a pé para ir de casa ao

tar com esse exuberante verde das encostas

Belmonte. Nele, eles costumam tomar chope

trabalho e agora fica engarrafado durante

do Corcovado, do Sumaré? Além disso, esta-

juntos e começaram a rascunhar o livro, cuja

longos e penosos minutos. Outra coisa que,

mos cercados pelo Jardim Botânico, Parque

pesquisa teve início em 1965, quando os dois,

na opinião de Nélio, poderia melhorar muito

Lage e Lagoa, nada mal, não é? Enfim, o que

cada um em seu canto, foram fisgados pelo

é o Parque Lage, tornando-se mais atraente,

mais gosto é de saber que tenho tudo isso ao

som da banda. Zé Emílio freqüenta o bar desde

caso tivesse mais cuidados e segurança,

meu redor”, resume.

a festa de inauguração “pelas empadas, pelos

inclusive na trilha que leva até o Cristo.

A natureza também é um fator determi-

pastéis, os sanduíches e o melhor chope do

Para o segundo semestre, os dois têm ou-

nante para Zé Emílio. “Nada como passear

bairro”. Para comer, ele destaca o Nutri São –

tros dois projetos de livros, ambos ligados ao

no Jardim Botânico numa manhã de sábado

“para almoços naturebas deliciosos” – e o Bibi

rock brasileiro, sendo que um deles deve ser

e poder curtir o entorno da Lagoa Rodrigo

– “pelas saladas e pelos sucos de responsa”.

lançado pela Azougue, editora recém-insta-

de Freitas ao longo de uma corrida”, revela

Outra paixão do jornalista é o cinema e,

lada no Jardim Botânico.

DIVULGAÇÃO

Cidadania

Campanha para reciclar o óleo vegetal A Jardim Botânico Educação Infantil, que está completando 10 anos no bairro, iniciou

uma campanha para reciclagem do óleo vegetal de cozinha. As crianças da turma complementar 2 visitaram restaurantes e estabelecimentos comerciais pedindo a participação da comunidade, explicando que o óleo usado deve ser armazenado em garrafas pet de 2 litros e entregue na escola, que se encarregará de enviá-lo para o disk-óleo a fim de ser reciclado. Quem quiser participar, o endereço é: Rua Visconde da Graça, 85. 7


P R Ó X I M A E D I Ç Ã O : S E T E M B R O / O U T U B R O 2 0 0 8 . R E S E R V E J Á O S E U E S PA Ç O : 2 2 9 4 - 4 9 2 6


JBeF26