Page 1

jb folhas em

Maio | Junho 2018 | ano 15 | nº75 distribuição gratuita

Jardim Botânico

o informativo do jardim botânico

Horto | Gávea | Humaitá

Fala, poeta! 

De boas recordações, o JB está cheio As muitas histórias e memórias de moradores, trabalhadores e frequentadores do bairro.  (Página 8)

Abel Silva faz juras de amor – nada secretas – ao Jardim Botânico.  (Página 18)

No clima da Copa  Praça Pio XI tem troca de figurinhas do álbum da Copa aos sábados.  (Página 4)


Editorial  As muitas lembranças do jardim

coteca do Chacrinha e Xou da Xuxa, o espaço marcou uma época, e era comum ter filas enormes de

Prezado leitor,

fãs esperando na porta para ver seus ídolos. Desse tempo ilustre, só restaram uma placa comemorativa

O JB em Folhas vai completar 15 anos de circulação na rua Lineu de Paula Machado e a estátua do Velho em outubro. Nesse período, a gente viu muita coisa Guerreiro. Leia mais na página 12. FOTOS: CHRIS MARTINS

abrir, fechar, reformar, mudar de dono e por aí vai. Mas se tem uma coisa que o bairro não perde são suas lembran-

Como em junho se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, a colu-

ças. Por isso, aproveitamos

na Indica selecio-

o aniversário do Colégio de

nou alguns eventos

Aplicação da UFRJ, que com-

que vão acontecer

pleta 70 anos, para dar uma

na região, com essa

volta pela região e listar os

pegada sustentável. Além disso, o estúdio Gestos realiza a primeira edição do Coletivo JB. Vale dar uma olhada nas páginas 14 e 15. Mas chega de saudade, porque tem gente jovem na área fazendo arte, como o novo curador da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Ulisses Carrilho, que conversou comigo (foto). Com 27 anos de idade e

lugares que resistem ao tempo e mantêm suas tradi- muita disposição, ele assumiu o cargo em janeiro e ções. Já na primeira parada, a redatora Betina Dowsley já colocou em prática, na instituição, algumas de suas conversou com a direção do CAp (foto) e ouviu um ideias. Tem isso e muito mais na página 16. pouco da história do colégio, como você confere em nossa matéria de capa, a partir da página 8. Seguindo a linha saudosista, o Teatro Fênix é o

Christina Martins

tema da coluna Alamedas. Palco dos programas Dis-

Editora

Expediente

Foto da capa: Christina Martins

O JB em Folhas é uma publicação bimestral, editada pelo Armazém Comunicação Projetos Jornalísticos Ltda.

Telefone: 98128-6104

www.armazemcomunica.com.br Editora Responsável: Christina Martins (Mtb 15185 -RJ) Redação: Betina Dowsley Projeto Gráfico: Paulo Pelá | designjungle.com.br Revisão: Carla Paes Leme Impressão: CMYK Gráfica - 2581-8406 2

Até julho!

Tiragem: 5.000 exemplares e-mail: jbemfolhas03@gmail.com www.facebook.com/JbEmFolhasJornalDoJardimBotanico www.issuu.com/jbemfolhas

Distribuição: Parques, bancas de jornais, galerias e prédios comerciais do Jardim Botânico, Horto, parte da Gávea e do Humaitá.


Cara do JB  Marcos Henrique Vassoureirooooooo. Esse grito já é uma tradição no Jardim Botânico, às quartas-feiras, quando Marcos Henrique Bonfim da Silva, de 27 anos, caminha rua após rua, subindo em direção à Vista Chinesa. Cada dia da semana é destinado a uma região da cidade: começa por Madureira, na segunda; segue, na terça, para Vila Isabel; às quintas, vai para o Méier; sexta é a vez de Botafogo e Humaitá. Para fechar a semana, ele volta a Vila Isabel aos sábados. Domingo é dia de folga para recarregar as energias e começar tudo novamente. O trabalho é árduo, porém organizado. No dia em que vem para o Jardim Botânico e Horto, ele salta do ônibus na av. Borges de Medeiros, às 8h da manhã, vindo de Queimados, onde mora. Ele segue caminhando e gritando até 19h, sem sequer parar para almoçar. “Como um CHRIS MARTINS

lanche aqui, tomo uma água ali e sigo a caminhada”, afirma ele, que entrou no ramo indicado por um primo. Antes disso foi manobrista, com carteira assinada. Quando vende bem, Marcos fatura R$ 200 por semana, sem descontar os gastos com o material, transporte e alimentação. Há dias em que o périplo acaba com a venda de um simples rodo. “E olha que a piaçava é o carro-chefe de vendas, todo mundo procura. Quando isso acontece, só me resta ter esperança no dia seguinte”, aposta o jovem. 3


FOTOS: CHRIS MARTINS

Folhas do Jardim  Atleta olímpico no Horto A loja Vista Club, no Horto, serviu de QG para o Red Bull Hill Challenge no domingo, dia 29 de abril. O lugar reuniu, a partir das 6h da manhã, cerca de 80 ciclistas para um desafio contra o atleta olímpico Henrique Avancini, top 5 mundial de mountain bike. A prova inédita de uphill foi disputada por quartetos de ciclistas, e coube ao Rio de Janeiro Cycling Team o primeiro lugar, completando o percurso de 4,8 km, até a Mesa do Imperador, no tempo

Novidades por toda parte

de 13m25s. Como prêmio, os vencedores ganharam O ano começa quente na região. Entre as novidades, um traning camp com Henrique. Entre os inscritos, es- duas novas pet shops no JB: uma na rua Alexandre tava o campeão olímpico de vôlei, Nalbert Bittencourt. Ferreira e outra na própria Jardim Botânico. Os amantes da dupla “bolo e café” estão animados com a

Pio XI em ritmo de Copa

abertura do Brauni (na praça Sagrada Família) e de uma unidade da Browneria e do Tatá Café (em frente ao Hospital da Lagoa). Outra novidade gastronômica será a abertura de uma filial do Santa Justa no antigo endereço do restaurante Roberta Sudbrack. Na rua Maria Angélica, fechou a loja It Fit, mas ali perto, em breve, teremos uma Barbearia do Zé, onde era a ótica Carol. Já na região do Humaitá, foi inaugurado o Farinha Pura Experiência, novo espaço no segundo andar do supermercado homônimo, na Cobal. O espaço gourmet oferece opções de sanduíches, pizzas, saladas e grelhados. No Largo dos Leões, a Mutações deu lugar à Rioetc, lojinha com roupas, bolsas, biju-

Aproveitando a proximidade da Copa do Mundo e a terias e objetos de decoração, que deve suprir as nefebre do álbum de figurinhas, a moradora Malu Gas- cessidades dos antigos clientes da loja Arkana, que par teve a iniciativa de montar, na Praça Pio XI, um agora é o salão de beleza Rodolpho Vaz Studio. Já o troca-troca de figurinhas, que acontecerá até dia 2 de cult Botecotaco perdeu o charme e virou unidade da junho. Crianças e adultos têm um ponto de encontro drogaria Pacheco; enquanto a rede Venâncio chega no espaço, todo sábado, das 10h às 13h. Para partici- agora ao Jardim Botânico, substituindo uma agência 4

par, é só aparecer e levar suas repetidas.

do HSBC perto da rua Lopes Quintas.


Ciclovia ou ciclofaixa? A AMAJB, por meio de sua Comissão de Mobilidade, segue estudando a implantação de uma ciclovia ou ciclofaixa no bairro para garantir a segurança não só dos ciclistas, mas também de motoristas e pedestres. Na primeira semana de abril, foi realizada uma contagem de ciclistas que passavam por três pontos estratégicos do JB, com orientação da ONG Transporte Ativo. Ao todo, 18 voluntários participaram do levantamento, atuando em duplas nas esquinas da rua Jardim Botânico com a Pacheco Leão (média de 143 ciclistas por hora), com a Maria Angélica (80/h) e na altura do viaduto de acesso ao túnel Rebouças (43/h). O resultado será encaminhado à prefeitura ainda neste primeiro semestre.

No sábado, dia 14 de abril, jovens do bairro enfeitaram com fai-

CHRIS MARTINS

Marielle presente!

xas e cartazes a praça Pio XI. O ato fez parte do movimento que tomou conta da cidade, marcando os 30 dias sem esclarecimento dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Novo Campus do Impa Em abril, foi lançada a pedra fundamental do novo

cada dia um cardápio diferente; comida com gostinho caseiro; sempre uma opção vegetariana; Rua Jardim Botânico 635, loja 101. TEL: 2259-3098 /nutreresto

campus do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), no Horto. O projeto é do escritório de arquitetura Andrade Morettin, que venceu o prêmio internacional Lafarge Holcim Awards graças, especialmente, a sua proposta de minimização do impacto ambiental no entorno florestal e urbano. O novo espaço, com alojamentos para estudantes brasileiros e estrangeiros, será ligado ao campus atual por uma trilha elevada de 800 metros sobre a vegetação, que será inteiramente preservada. As obras começarão até outubro deste ano, com conclusão prevista para 2021.

5


FOTOS: CHRIS MARTINS

MEU JB  Renato Byington O Jardim Botânico não tem sala de cinema há muito

dores do bairro”, defende.

tempo, mas Renato Byington – idealizador do Open

Imperdível | A du-

Air, que já ocupou o Jockey Club e terá nova edição

cha do Clube dos

de 16 de maio a 3 de junho, na Marina da Glória –

Macacos é sensa-

mora aqui desde janeiro de 1999. Na época, o que

cional.

o atraiu foi o campinho de futebol no condomínio,

Pão nosso | Sou

perfeito para a brincadeira de seus filhos, que joga-

fã do La Bicyclette.

ram pelo Pacheco Lyon, campeão da liga da Zona

Só compro o pão

Sul há oito anos.

de lá.

Renato sente falta dos quebra-molas da Pacheco

Jantar | Acho es-

Leão, que, na sua opinião, “ficou muito perigosa,

petacular a ocu-

com ônibus e motos correndo a 80 km por hora”.

pação dos bares

Apesar de todos os problemas que

e restaurantes da

isso pode causar, gostaria que o tre-

rua. No Jojô, gosto

cho da via entre a padaria Século XX

da Cocotinha de Ovo, do Arroz Thai e

e o largo na altura da rua Estela, em

dos vinhos.

frente à entrada do JBRJ, fosse fecha-

Programa família | Jardim Botânico

do aos domingos como área de la-

sempre, com suas tonalidades e cheiros

zer, a exemplo do que aconteceu na

diferentes. A aleia do pau mulato é mui-

Olimpíada durante

to especial, como um portal para outra

a prova de ciclismo

6

aos demais mora-

dimensão.

e em seu evento-

Para levar | Costumo mandar minha lista de com-

-teste: “Foi mara-

pras por e-mail e passar depois na Feira Orgânica pa-

vilhoso, uma farra!

ra pegar verduras, temperos e frutas. Agora é época

Acho que seria uma

de caqui, mas o frango é imbatível o ano todo.

ótima oportunidade

Forma | Faço pilates com a fisioterapeuta Joana Abreu,

para integrar a co-

perto de casa e bastante eficiente.

munidade do Horto

Dica para quem não é daqui | Corre para cá!


De dee parada cardĂ­aca.

7


CHRIS MARTINS/ REPRODUÇÃO

Antiguidade é posto!

8

Desde 1808 – quando o Jardim Botânico do Rio de

nos filhos dos funcionários das fábricas de tecidos

Janeiro foi fundado e, por tabela, o bairro homônimo

da região, o Divina (foto página ao lado, em pb)

surgiu – muita coisa mudou. Os bondes deram lugar

engloba, atualmente, a paróquia, o colégio e a Ca-

aos ônibus, e a região, antes operária, transformou-se

sa de Betânia, que acolhe idosos acima de 70 anos.

em um dos bairros mais elegantes da cidade. Não

Parte de sua área é alugada para outras atividades,

faltam boas recordações, e são as memórias dos

além de abrigar as reuniões mensais da AMA-JB.

moradores e trabalhadores mais antigos que nos re-

No local, funciona ainda um bazar, organizado pela

velam algumas das muitas histórias do JB.

igreja, com renda revertida para a Casa de Betânia.

A secretária Lindoraci Porto, de 72 anos, trabalha,

O atual presidente do Jardim Botânico do Rio de

há mais de quatro décadas, no Instituto de Artes e

Janeiro, Sérgio Besserman Vianna, nunca morou no

Ofícios Divina Providência, um dos mais antigos es-

bairro, mas vivia aqui. Sua relação com o JB vem dos

tabelecimentos daqui. Ela guarda lembranças de um

tempos de escola, quando estudou, de 1969 a 1973,

bairro tranquilo. “As ruas não eram tão movimen-

no Colégio de Aplicação da UFRJ: “Minha casa era

tadas, a Lopes Quintas era mão dupla. O comércio

em Copacabana, mas passava muito mais tempo no

resumia-se a quitandas. Não havia supermercado,

JB, jogando futebol em praças e terrenos baldios, no

farmácias ou bancos, nem tantos carros”, recorda.

clube Carioca, no Parque Lage e na Lagoa ou vendo

Fundado por padres italianos em 1924, com foco

filmes no Cine Jussara” – relembra.


CHRIS MARTINS

ACERVO DIVINA PROVIDÊNCIA

Entre suas memórias mais significativas do perío­ barracas. O dinheiro arrecadado fica guardado para do, Besserman destaca o ensino rigoroso e o foco viabilizar a festa no ano seguinte – explica, orgulhodos professores no desenvolvimento do pensamento sa, Cristina Miranda, diretora da instituição. crítico, que, na sua opinião, são fundamentais ao lon-

A pedagoga Mônica Pietro é uma das integrantes

go da vida de qualquer pessoa. Essa continua sendo da comissão organizadora da festa de aniversário a marca do CAp da UFRJ, que está festejando seus 70 extraoficial do CAp, que será realizada em maio, no anos. Por trás do muro mais artístico do bairro – vitri- Circo Voador. O grupo mobilizou antigos funcionários ne de grafiteiros famosos e anônimos que renovam e ex-alunos para a venda de ingressos e a produção sua arte a cada ano –, a instituição estimula a criação de camisetas comemorativas com duas artes difee a participação de seus alunos no dia a dia da escola rentes (imagens página ao lado): uma desenhada e no grêmio estudantil, espaço da maior importância pelo cartunista e ex-aluno Miguel Paiva – morador do dentro do colégio, que atravessa gerações.

bairro que fez também a camiseta dos 50 anos – e

- Nossa festa junina, que este ano será realizada outra pelo professor e ilustrador João Paulo Cabrera, no dia 14 de julho, é inteiramente organizada pelos que adaptou o desenho da Minervinha (símbolo da alunos, do ensaio das quadrilhas à administração das UFRJ), representando os direitos da mulher.

9


FOTOS: CHRIS MARTINS

ACERVO TABLADINHO

Nos arredores da escola, estão outras antigas ins- dicado a crianças de 2 a 5 anos e dirigido por Lúcia tituições, como o Patronato Operário da Gávea (foto e Inez Motta, filhas de Vera (foto acima). As irmãs página 9), que surgiu em 1929, com o objetivo de mantiveram a tradição de educação com criatividade prestar assistência social às comunidades carentes, das fundadoras – que hoje é a marca da escola – e oferecendo serviços de saúde e creche. Atualmente, orgulham-se de encontrar ex-alunos com suas famía instituição tem capacidade para atender até 100 lias nas ruas. Lúcia, porém, acha que a região perdeu crianças (ainda há vagas disponíveis) e um ambula- a simplicidade dos tempos de sua infância: “A gente tório com consultas a preços populares.

pegava o 409 (o “4 bola 9”, como as crianças fala-

Em 1951, o Patronato cedeu parte de sua área pa- vam) e, quando o ônibus entrava na Lopes Quintas, ra a fundação do teatro O Tablado (foto acima), que só ficava gente conhecida”, lembra. revelou grandes atores e, até hoje, atrai jovens de

Trabalho em família também é uma das carac-

várias partes da cidade para seu curso de improvisa- terísticas mais marcantes da Atchim Jardim Escola, ção. À frente do teatro há 15 anos, a diretora Cacá primeira creche-escola da região. Fundado em 1966 Mourthé está empenhada em conseguir parcerias pelas educadores Lilian e Leysa na rua Saturnino de para a adoção da praça, conhecida como “Pracinha Brito, o estabelecimento funciona desde 1976 na rua do Tablado”, a fim de estimular a ocupação da mes- Professor Saldanha, agora sob a batuta de Mônica e ma não só pelos alunos do curso.

Guilherme, filhos de Lilian e moradores do bairro. A

- Os tempos estão difíceis. Mesmo com o apoio de escola aposta em educação baseada em valores hunossos ex-alunos, precisamos buscar patrocínio para manistas (foto página ao lado) e, desde 2000, faz cobrir os custos do dia a dia – observa a sobrinha da parte do Programa de Escolas Associadas à UNESCO. fundadora e dramaturga Maria Clara Machado.

A instituição já teve o Parque Lage como quintal.

Em meados dos anos 1960, o Patronato também Contudo, devido à onda de insegurança da cidade, cederia espaço para um curso livre de artes, o Clu- precisou fazer adaptações em seu planejamento: be (foto acima, em pb), criado por Aracy Mourthé

- Adequamos os programas para as crianças irem

(mãe de Cacá e irmã de Maria Clara), Vera Motta e com os pais, assim a família toda participa. Por Edelvira Fernandes. Com o passar do tempo, o curso conta disso, em 2016, criamos o Bloco Atchim (fovirou Escolinha de Artes até se tornar Tabladinho, de- to página ao lado), que se concentra na rua Maria

10


ACERVO ATCHIM

CHRIS MARTINS

ACERVO ATCHIM

Angélica – destaca Ednalva Pereira, diretora admi- tos comerciais do bairro. Comandado por Manoel nistrativa, que trabalha há 30 anos na instituição.

Cardoso (foto acima) e seus sobrinhos Bráulio e

Há 53 anos na região, a TV Globo hoje está espa- Bruno Ferreira, o mercadinho – como é carinholhada por vários endereços, que vão além da tradi- samente chamado – passou por uma reforma em cional Von Martius. Do outro lado dessa mesma rua, 2005, quando comprou a loja ao lado. Aos poucos, aliás, a emissora aluga salas da Obra Social Leste Um, tornou-se point de moradores e amigos, que se O Sol. Referência na venda de artesanato brasileiro reúnem no local para falar de futebol, política ou no Rio de Janeiro, a instituição foi criada por Maria saber das novidades do bairro. Seu Manoel gosta Thereza Camargo e funciona desde 1972 no JB. Sem do movimento, que sempre rende uma “comprifins lucrativos, O Sol tem também como missão ca- nha a mais”; enquanto Bráulio acha que os enconpacitar mão de obra para o trabalho artesanal, tendo tros são positivos para movimentar a entrada da entre seus funcionários mais antigos Magno Diniz rua Conde Afonso Celso. (instrutor de trabalhos em madeira), que foi aluno e há cerca de 30 anos forma novos artesãos.

- Já teve cliente que comentou que fica tranquila quando, ao chegar, vê que o mercadinho está aber-

O Mercado Afonso Celso, há 55 anos em ativi- to. E tem razão, a gente está sempre observando o dade, está entre os mais antigos estabelecimen- entra e sai da rua – afirma.

11


Antiguidade é posto, mas ninguém

FOTOS: CHRIS MARTINS

ALAMEDAS Teatro Fênix

Fênix na esquina das ruas Saturnino de Brito e Lineu de Paula Machado, local pouco valorizado na época.

discute que, mesmo sem ser a empre-

A Era de Ouro do novo Teatro Fênix

sa mais antiga do bairro, a TV Globo é

começou em 1972, quando a TV Glo-

a mais poderosa e a que mais con-

bo resolveu alugá-lo após um grande

tribuiu para o crescimento do Jardim

incêndio em um de seus estúdios. Lá

Botânico. De todos os endereços que

foram gravados e transmiti-

já ocupou no bairro, o Teatro Fênix foi,

dos inúmeros programas de

sem dúvida, o mais famoso, seja pelas

auditório, de dramaturgia, de

cartinhas endereçadas à Xuxa na década de 1980, se-

humor e musicais. Além dos

ja pelo tumulto dos fãs em sua porta para ver os con-

já citados, o Fênix foi palco

vidados de Chacrinha e, posteriormente, do Faustão.

para Os Trapalhões, Chico To-

Originalmente, o Teatro Fênix era uma imponente ca- tal, Viva o Gordo, Criança Esperança e os musicais MPB sa de espetáculos – na atual avenida Almirante Barroso, Shell, Globo de Ouro e especiais de grandes nomes da no Centro da cidade –, erguida pela família Guinle em música brasileira, de Cazuza a Roberto Carlos. meados da década de 1910. O prédio foi derrubado em

O teatro foi alugado pela TV Globo até 1999, quando

1958. A fim de cumprir a legislação da época, que de- a linha de shows foi transferida para o recém-criado terminava que todo teatro demolido deveria ser subs- Projac, em Jacarepaguá. O imóvel icônico foi demolido tituído por outro, os Guinle construíram um novo Teatro em 2000 e deu lugar a um prédio residencial.

Ecodica 

São José sustentável

Na paróquia de São José da Lagoa, a preservação produção de flores distribuídas no Dia das Mães, do meio ambiente e o conceito de sustentabili- a igreja recebe óleo de cozinha, pilhas e batedade vão muito além das orações. A Pastoral do rias para reaproveitamento e descarte conscienDesenvolvimento Sustentável vem promovendo te. Outros pontos de coleta de óleo de cozinha campanhas de sensibilização aos temas, convo- na região são a creche Jardim Botânico Educação cando os fiéis a fazerem a sua parte. Além da Infantil, na rua Visconde da Graça, e a Obra do coleta de filtros de coadores de café usados para Berço, na Fonte da Saudade.

12


JBF indica 

te. O evento terá espaços para debates – com o urbanista Washington Fajardo, Márcia Hirotta (SOS

Fernando Caruso para crianças

Mata Atlântica) e Murilo Sabino (Projeto RUAS), en-

FOTOS: DIVULGAÇÃO

tre outros –, oficinas (como compostagem, reciclagem de papel e estrutura de bambu) e viver bem (yoga, meditação e autoconhecimento), além de rodas de conversa, cinema, feira orgânica, expositores de moda e atividades ao ar livre, incluindo feira de troca de brinquedos, mutirão de manejo florestal e trilhas no Parque Nacional da Tijuca.

A Amazônia é aqui O Museu do Meio Ambiente – localizado logo na enO humorista Fernando Caruso é o vilão atrapalhado trada do Jardim Botânico do Rio de Janeiro – recebe de “Camaleão Alface e as batatas mágicas”. A peça a exposição "Água e Vida", realizada pela Agência ainda traz Ronald Fucs como vovô Felício, inventor de notícias EFE, em comemoração a seu 50° anide uma máquina capaz de fazer crescer batatas em terreno seco rapidamente, e Elisa Nunes – moradora do Jardim Botânico desde que nasceu – como MARCELO SAYÃO

sua neta, entre outros atores. Com direção de Cacá Mourthé e Júlia Stockler, o clássico de Maria Clara Machado está em cartaz no teatro O Tablado, aos sábados e domingos, às 17h, até 26 de agosto.

versário no Brasil. A mostra reúne mais de 30 fotos, tiradas pelos fotógrafos da agência espanhola, com

LivMundi no Parque Lage

imagens da vida cotidiana, de paisagens amazônicas e da fauna local, incluindo também as consequências da seca e do desmatamento que ameaçam aquela região. A exposição fica em cartaz até 30 de junho e pode ser visitada às segundas-feiras, das 12h às 19h, e de terça a domingo, das 8h às 19h.

Academia no parque Com tom crítico e irônico, o artista Marcos Chaves O final de semana de 9 e 10 de junho, no bairro, leva equipamentos de ginástica para a galeria de será dedicado à sustentabilidade. O festival LivMun- arte da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. A di 2018 – que em sua primeira edição atraiu cerca mostra Academia apresenta uma série de escultude 10 mil pessoas – será realizado no Parque Lage, ras de concreto, ferro, borracha e madeira em fortendo como foco a cidade, suas relações, conexões ma de aparelhos de ginástica, como os encontrae como cada cidadão pode impactar no coletivo. A dos ao ar livre, no Aterro do Flamengo, por exemprogramação dará destaque para ações e palestras plo. A exposição fica em cartaz até 27 de maio, relacionadas a educação, cidadania e meio ambien- das 10h às 17h. Grátis.

14


Coletivo JB

Sandro Prior, que apresentarão a palestra “Interven-

O estúdio Gestos promove, no último final de se- ção de Hatha Yoga em pacientes com câncer”, com mana de maio, a primeira edição do Coletivo JB. O atividade prática. Além do Gestos, a versão 2018 evento gratuito reunirá cerca de 30 expositores de do evento será realizada em vários outros pontos moda, arte e gastronomia na aconchegante casa da cidade, de 8 a 10 de junho. da rua Conde Afonso Celso. Para circular na área

Levada musical

interna da casa, serão distribuídas toucas para sapatos, a fim de evitar tirá-los e de proteger o piso das salas normalmente dedicadas a atividades de bem-estar do corpo e da mente; enquanto que os expositores de gastronomia ficarão no quintal. O Circuito JB acontecerá nos dias 26 e 27 de maio, das 11h às 21h.

Gestos na Virada Sustentável DARYAN DORNELLES

A Virada Sustentável Rio de Janeiro amplia seus domínios no Jardim Botânico e contará com programação gratuita no Gestos. O espaço oferecerá palestras e práticas com seus parceiros habituais, como: ViEm sua sétima edição, o Festival Levada cresceu.

que falará sobre

Pela primeira vez, o evento ocupará três palcos na

Meditação Min-

cidade (Ipanema, Centro e Tijuca), com 12 artistas

dfulness no dia

das cinco regiões brasileiras, sempre às quintas

a dia; Maria Pia

e sextas, a preços populares. Em maio, o festival

Pinheiro, que fa-

acontece pertinho do JB, no Teatro Ipanema, com

rá palestra sobre

shows de Kassin, Muntchako, Illy (foto) e Trombo-

Aromaterapia e

ne de Frutas, às 21h. Em junho, o Levada ocupará o

Cosmética

Na-

teatro Sesi e, no mês seguinte, o Centro da Música

tural; e a dupla

Carioca Artur da Távola. Confira a programação com-

Luciana Coura e

DIVULGAÇÃO

viane Fukugawa,

pleta em www.festivallevada.com.br.

15


ENTREVISTA  Ulisses Carrilho

entendam que qualquer um pode ser artista. A floresta, enquanto ambiente, tem muito a ensi-

Com apenas 27 anos, Ulisses Carrilho é o mais nar ao palacete. Então, vamos invadir a floresta. jovem curador a assumir o cargo na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Formado em Jor- JBF: Há preocupação em interagir com os difenalismo e Letras, com pós-graduação em Eco- rentes públicos do parque? nomia da Cultura, ele chegou ao Rio em 2015, UC: Me interessa muito promover a interação dos vindo de Porto Alegre, para participar do curso professores e alunos com a pessoa que vem fazer EAVerão. Dez dias depois, inaugurou sua primeira piquenique no final de semana. Porque ela será CHRIS MARTINS

exposição, parte do programa curador visitante. No ano seguinte, foi convidado pela então diretora da escola, Lisette Lagnado, para ser seu assistente. E agora, desde janeiro deste ano, é o curador da EAV, cheio de ideias e propostas. atraída pelo palacete e vai acabar descobrindo JB EM FOLHAS: O que já mudou na sua gestão? que aqui é uma escola de artes visuais – o que ULISSES CARRILHO: Assim que recebi o convi- muitos desconhecem. Temos uma programação te, sugeri a reabertura do programa de bolsas superinteressante de cinema na última sexta-feira – por meio do qual me formei –, que estava fe- do mês, o Cine Lage, e adoraria ter a vizinhança chado havia dois anos. Em abril, começou uma comparecendo para ver um filme do Júlio Bressanova turma de bolsistas. Estamos produzindo ne ou do Pasolini. exposições menores, lançamos um programa de imagem e movimento, e trouxemos os car- JBF: Qual a expectativa de trazer o Queermuseu? tazes que o (Rubens) Gerchman fazia quando UC: Embora a exposição seja sobre diversidade, era diretor da escola.

ela passou a ser contra a censura também. Vamos pensar num programa pedagógico, com debates

JBF: Qual o maior desafio?

e questionamento sobre o que é censura e sobre

UC: A EAV é uma das experiências pedagógicas a legitimidade da atitude do prefeito, que decidiu mais radicais do mundo, e sua proximidade com que a exposição não deveria vir para a cidade. Soa floresta a torna singular. Quero aproximar as mos uma escola, podemos inventar um jeito difezonas Sul e Norte da cidade para que as pessoas rente de fazer as coisas. 16


PARA BRINDAR O AMOR!

FLAGRANTE  Quentinhas na bagagem

Doze de junho é Dia dos Namorados, e nada melhor do que um drinque para ini-

FOTOS: CHRIS MARTINS

ciar a comemoração dos casais. O restau-

Com o aumento de prédios comerciais na região, cres-

rante Borogodó, no

ceu também a oferta de quentinhas em vários pontos

Horto, criou, especial-

do bairro. Na Pacheco Leão, perto da TV Globo, por

mente para a data,

exemplo, a oferta é tão variada que dá até para fazer

uma receita especial

pesquisa de preço e de cardápio.

para o clássico Tom Collins, preparado com o premiado gim Amázzoni. Além de suco de goiaba, a versão Chico e Tonico inclui também gengibre, alimento termogênico que acelera o metabolismo e ajuda a queima de calorias.

CIDADANIA  NEAD PUC-RIO O Nead (Núcleo de Educação de Jovens e Adultos), da PUC-Rio, promove, gratuitamente, grupos de estudo e atualização de conhecimento para quem deseja se pre-

CHICO E TONICO > 50 ml de gim Amázzoni > 75 ml de suco de goiaba fresco > 15 ml de suco de gengibre > 100 ml de água tônica > Meia rodela de limão siciliano > Um raminho de hortelã > Gelo

parar para fazer as provas do Encceja (Exame Nacional

Preparação: Encher o copo com gelo, colocar os sucos de goiaba e de gengibre, o gim e a água tônica. Misturar bem. Decorar com o limão e a hortelã.

lista de espera para o caso de desistência. O Nead fun-

para Certificação de Competências de Jovens e Adultos) para obtenção do certificado de conclusão dos Ensinos Fundamental e Médio. Os grupos se reúnem de segunda a sexta, uma hora por dia (às 11h15 ou às 17h), sendo uma hora de cada disciplina por semana. Há também grupos de apoio para quem vai quer se preparar para o ENEM, mas, atualmente, não há vagas, apenas ciona das 10h às 22h, no subsolo do ginásio, situado no estacionamento da universidade. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3527-1568.

Rafa Gomes, 12 anos. Cantora e aluna do Kumon.

Unidade JD. Botânico

4111-2336

17


CHRIS MARTINS

em três livros publicados e vários parceiros, do porte de João Donato, João Bosco, Moraes Moreira e Roberto Menescal, para citar apenas alguns. Sem falar de sucessos como “Festa do interior”, “Quando o amor acontece”, “Alma” e “Quando chega o verão”. Com a parceira mais antiga, Sueli Costa, está completando 40

ABEL SILVA

anos de gravação de sua primeira música, “Jura secreta”, eternizada nas vozes de Simone e Fagner. A comemoração ainda não está definida, mas não deve passar em branco, até porque celebra também a amizade dos dois, que moram no mesmo quarteirão.

Ilustre Morador 

“É preciso dizer, com todas as palavras carinhosas, que Sueli Costa é um gênio, nem precisava de le-

“E aí, poeta?” – assim o compositor Abel Silva é trista”, avisa, para, em seguida, emendar: “Essa cumprimentado na rua, seja pelo porteiro, pelo jor- música (“Jura secreta”) tem uma história boa. Fiz a naleiro ou pelo apontador do jogo do bicho. Quem letra, mandei para a Sueli pelo correio e não tive olha para aquele discreto senhor, de óculos escu- retorno. Três meses depois, ela me encontrou e aviros e boné, não imagina a bagagem musical que sou que tinha apresentado a música para a Simone, ele carrega. São 300 músicas, dezenas de poemas que gostou e gravou”, conta.

18


O amor entre Abel Silva e o Jardim Botânico foi à servadas extraordinárias: o Jardim Botânico, o Jockey primeira vista. Ou, melhor, à primeira visita. Ele e Club e o Parque Lage. Deste último, guarda uma mea mulher, a fotógrafa Lena Trindade, foram à casa mória afetiva do aniversário do filho e do neto. do amigo Jards Macalé e se encantaram com o lu-

Mas nem tudo são flores no bairro. Para Abel,

gar. Pesquisaram e acabaram comprando um imó- os ambulantes são uma questão difícil de resolver. vel disponível no mesmo condomínio, com ajuda “Gostaria que a região permanecesse sem o toque – da gravadora. “Estava em um momento bom, com nada sutil – da miséria, mas não dá para fugir dessa músicas em novelas, mas fiquei apavorado. Na- realidade”, reconhece. Outra coisa que o incomoda é quela época, a gente não pensava no amanhã”, a questão das grades em alguns prédios comerciais, reflete o compositor, nascido em Cabo Frio e for- especialmente o da Drogaria Pacheco: “um galinheimado em Letras pela Faculdade Nacional, atual- ro sem galinha”. mente Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ao

Com a agenda cheia de trabalho, o poeta tem ma-

todo, já são 35 anos na vizinhança verde e musi- terial para um novo livro e segue com os shows do cal. Aos poucos, o letrista descobriu que também seu último CD, “Encontro inédito com Roberto Memorava ao lado de onde Vinícius de Moraes havia nescal e Abel Silva”, lançado ano passado. O parceiro, nascido e perto de Tom Jobim, a quem foi apresen- na sua opinião, é um dos maiores compositores do tado pelo ator Hugo Carvana.

mundo, que trabalha intensamente e ainda arruma

A rotina de Abel começa com uma caminhada tempo para cuidar das plantas dos amigos. “Outro matinal no JBRJ ou na orla da Lagoa. O bairro atende dia, ele estava aqui em casa arrumando o meu jartodas as suas necessidades. Para ele, o Nanquim é dim, e a vizinha veio me perguntar se eu podia dar o restaurante preferido das famílias aos domingos, o contato do jardineiro. Achei graça e disse que ele enquanto a padaria Século XX e o Bar Jóia Carioca era muito caro”, diverte-se. são pontos de encontro para boas conversas. Já o

Mesmo depois de tantos anos morando no JB, o

número 700 da rua Jardim Botânico reúne todos os letrista ainda se inspira no bairro. É o caso de “Vadio médicos de sua vida.

coração”, que traz os versos “vem andar comigo no

No parque, ainda se impressiona quando vê um jardim / que as flores querem festejar / que a solifumante: “É como alguém estar dentro de uma ten- dão chegou ao fim”. Às vezes, porém, reconhece ter da de oxigênio tampando o nariz”, reclama, lamen- dificuldade para homenagear a região. tando ainda não ter feito o passeio noturno. Abel

- O problema é incluir a palavra “botânico” nas

gosta de pensar que está cercado por três áreas re- músicas – conclui Abel em tom de brincadeira.

19


JBemFolhas 75  

Informativo do jardim Botânico e adjacências.

JBemFolhas 75  

Informativo do jardim Botânico e adjacências.

Advertisement