Issuu on Google+


Click Foto - Nivaldo e Oficina RR. Designer


EDITORIAL A Expo Joias de Pirenópolis nasceu da proposta de valorizar e divulgar o trabalho de artesãos locais e apresentar Goiás no cenário nacional e internacional como um centro criativo e valioso no mercado de joias. Por isso, nas próximas páginas, você terá uma prévia de todo contexto que motivou e envolveu a organização da primeira edição do evento, símbolo da força do trabalho de artesãos que se dedicam dia e noite para apresentar as preciosidades de Pirenópolis no formato de joias. Neste documento, fica expresso o trabalho de um povo lutador, com vontade de criar e mostrar novas belezas ao mundo, partindo de sua origem, pontuada por uma cultura pulsante que se alia às tradições centenárias, como o artesanato. Como ressaltado pelo governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo, temos em Pirenópolis exemplo de empreendedorismo, nas mãos de pioneiros que trouxeram para o interior do Brasil a centelha de uma nova economia, que acompanha os ritmos da modernidade, sem deixar de lado sua essência. Soma-se a isso, a abundância de recursos naturais em gemas e minérios, que reforçaram essa vocação para as artes em joias na região, evocados, sobretudo, nos depoimentos do secretário de Estado de Indústria e Comércio (SIC), William Leyser O’Dwyer, e do secretário executivo do Fundo de Fomento à Mineração (Funmineral), Tasso Mendonça Júnior. Fica também o registro de quem faz de fato toda essa história acontecer. Nas palavras da presidente da Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis, Maria Delma de Melo, há o reconhecimento da importância do fomento ao segmento de joalherias na cidade de Pirenópolis e, por fim, a homenagem para nossos artistas, que personificam sonhos em verdadeiras obras de arte, que você também vê ao final deste catálogo: imagens das principais peças que compõem a Expo Joias de Pirenópolis. Esperamos que a riqueza dessa cultura vá além do valor material e transponha novos olhares sobre a cultura e a tradição de nosso povo pirenopolino. A você, uma boa leitura e apreciação.


ESTILO PIRENÓPOLIS, ARTE E EMPREENDEDORISMO. O espírito empreendedor e a habilidade criativa são qualidades singulares dos goianos, desde que por aqui surgiram os primeiros povoados e entrepostos comerciais, a partir do fim do século XVI. Não por acaso, nossas atividades econômicas cresceram e se diversificaram, tornando Goiás um dos mercados mais prósperos e promissores do País. O crescimento econômico, no entanto, se deu de mãos dadas com nossas tradições e vocação artesã. Em todas as regiões do Estado, propriedades rurais altamente mecanizadas, empresas e indústrias modernas e um setor de serviços forte e variado convivem com arranjos produtivos locais que mantêm vivas as raízes de nosso artesanato, a beleza e a alta qualidade dos trabalhos manuais. Nossa querida Pirenópolis, um dos berços culturais goianos, carrega essa marca e é uma referência nacional na produção de joias de prata no Brasil. Por essa razão, sedia, de 22 a 25 de maio, a 1ª Expo Joias de Pirenópolis. Promovido pela Associação de Jovens Empreendedores (AJE), com o apoio do Governo de Goiás, o evento reúne expositores e promove minicursos, palestras e consultorias para artesãos e potenciais novos investidores e empreendedores. A 1ª Expo Joias é uma forma de reconhecer e valorizar os trabalhos de cerca de 300 artesãos, cujo talento e arte podem ser apreciados nas ruas históricas de Pirenópolis. São trabalhos que enchem e iluminam nossos olhos, com joias em prata dos mais variados estilos, criadas em pedras preciosas de valor e beleza ímpares, como as ametistas, topázios, turmalinas, esmeraldas, águas-marinhas, entre outras. O trabalho desses artesãos, conhecido como Estilo Pirenópolis, está contribuindo para difundir o talento dos goianos e divulgar as belezas históricas e naturais da cidade ao redor do mundo. Estados Unidos, França, Itália, Inglaterra e Espanha são alguns dos países que receberam e se encantaram com o estilo, como resultado do forte crescimento do turismo local, que chamou a atenção para o talento de nossos artesãos. A Expo Joias vem em muito boa hora, tanto para estabelecer políticas públicas de apoio à cadeia produtiva de joias em Goiás, agregando valor aos produtos, quanto promovendo a competividade e a valorização do Estilo Pirenópolis. Sejam todos muito bem-vindos à 1ª Expo Joias e conheçam e explorem ao máximo o talento dos nossos joalheiros!

Marconi Perillo Governador do Estado de Goiás


Click Foto - Nivaldo e Oficina RR. Designer


A VOCAÇÃO DO POVO PIRENOPOLINO O Governo de Goiás e a Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC), como sempre presentes nos movimentos importantes da cultura, da arte e da economia de Goiás, prestigiam e apoiam a 1ª Expo Joias de Pirenópolis, por meio do Fundo de Fomento à Mineração (Funmineral) e do Gabinete de Gestão da Mineração da SIC. Esta exposição é mais uma importante iniciativa resultante da parceria do Governo do Estado com a Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis e que acontece de 22 a 25 de maio, no Centro Paroquial de Pirenópolis. A 1ª Expo Joias de Pirenópolis é mais que um evento cultural. Trata-se de uma exposição nascida da vocação natural do povo pirenopolino, que fez da prata e das pedras semi-preciosas, naturais da região, sua forma de expressar arte e beleza. Pirenópolis é hoje um dos polos de turismo mais importantes de Goiás e do Brasil, e é reconhecidamente um dos mais destacados berços da cultura goiana, que atrai os olhos do mundo para seu casario, suas ruas e becos bucólicos e tranquilos, em todos os meses do ano. Em Pirenópolis, não é redundância afirmar que a joalheria faz jus à história do seu povo. São mais de 300 artesãos produzindo arte em tempo integral, que se manifesta nas ruas do belo centro histórico e por toda a cidade. Uma atração que identifica com beleza essa população rica em seu berço, cenário da história do Brasil, preservada intacta pelo povo valoroso e culto que nela vive. A 1ª Expo Joias de Pirenópolis será um catálogo vivo dessa arte. Esse evento atende ao apelo natural de transformação das riquezas da terra em economia legitimada pela geração de empregos, estímulo à criatividade e fomento ao turismo. O turismo, aliás, é atividade que Pirenópolis conhece e pratica muito bem, sendo reconhecidamente um dos pontos mais visitados de Goiás e estruturados do estado, com belas pousadas, clima ameno, tranquilidade, muita natureza e a atração do casario preservado palmo a palmo pela sua gente culta e sabedora dos valores que possuem. A Secretaria de Estado de Indústria e Comércio saúda os artesãos presentes à 1ª Expo Joias de Pirenópolis, certa de que este é apenas o primeiro de um acontecimento a ser transformado em tradição; uma vitrine da arte e da joalheria pirenopolina. Nossos votos de sucesso, em nome do Governo do Estado, a todo o povo de Pirenópolis, de Goiás e do Brasil, e também dos turistas que vêm de todas as partes do mundo para essa linda cidade, uma joia no coração do Brasil!

William LeyserO’Dwyer Secretário de Estado de Indústria e Comércio


O OURO E A TRADIÇÃO DE PIRENÓPOLIS A tradição e a história de Pirenópolis estão entre as mais relevantes do estado de Goiás. A cidade foi fundada como um pequeno arraial em 1727, quando um grupo de garimpeiros submetidos ao bandeirante Anhanguera chegou à região com a missão de descobrir novas jazidas de ouro, obtendo sucesso na localidade primeiramente chamada de Minas de Nossa Senhora do Rosário de Meia Ponte, às margens do Rio das Almas. Ao contrário da trajetória econômica e cultural de várias outras localidades auríferas e povoamentos da época do ouro em Goiás, que foi intensa e breve, a antiga Meia Ponte não se sucumbiu às ruínas, mantendo-se como um núcleo urbano considerado populoso para a época. Isto se deu, em grande parte, pela iniciativa e empreendedorismo do seu povo que, liderado pelo Comendador Joaquim Alves de Oliveira, empreendeu na agricultura, tendo como ícone a gloriosa Fazenda Babilônia, e no comércio tropeiro, com centenas de muares, estabelecendo-se como importante centro de distribuição de mercadorias entre o longínquo Centro-Oeste e o rico Sudeste dos séculos 18 e 19. Com isso, atraíam comerciantes e intelectuais, o que tornava a sua vida mais glamorosa que nos demais povoamentos goianos. Ainda no século 19 e com o nome de Meia Ponte, Pirenópolis tornou-se o berço da música e da imprensa goianas. Lá surgiu o primeiro jornal do Centro-Oeste brasileiro, o Matutina Meiapontense e, em 1890, a cidade passou a se chamar Pirenópolis - o município dos Pireneus, nome dado à serra que a circunda. Hoje, Pirenópolis é famosa pelo turismo e pela produção do quartzito, a “pedra de Pirenópolis”. Ambos movem a economia local, mas muito do período da corrida ao ouro ainda se mantém vivo na cidade. Além da arquitetura, Pirenópolis tem muitos costumes de quase 300 anos, como as festas e o folclore, a exemplo da Festa do Divino, festejada desde 1819, assim como o artesanato e a joalheria, esta última incrementada nos anos 80 por comunidades hippies que vieram na intenção de construir comunidades alternativas e disseminaram esse ofício para os jovens, divulgando ainda mais a cidade. Com base nisto é que o Governo de Goiás, sob o comando do Governador Marconi Perillo, fazendo jus ao empreendedorismo e à vocação para arte e cultura do povo pirenopolino, empreende mais uma ação da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC), por meio do Fundo de Fomento à Mineração (FUNMINERAL) e do Gabinete de Gestão da Mineração da SIC, promovendo a 1ª Expo Joias de Pirenópolis, em parceria com a Associação de Jovens Empresários de Goiás (AJE-GO) e Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis, que acontece de 22 a 25 de maio de 2014, no Centro Paroquial de Pirenópolis. A 1ª Expo Joias de Pirenópolis em sua pujança, junto com as marcantes belezas naturais do município, marcará a história da cidade e se perpetuará como mais um evento cultural e econômico nascido da vocação e do empreendedorismo do povo pirenopolino e do cumprimento dos preceitos fundamentais do FUNMINERAL, que determinam o apoio aos empreendimentos que promovam o aproveitamento dos recursos minerais do estado.

Tasso Mendonça Júnior Chefe de Gabinete de Gestão da Mineração Secretário-Executivo do Fundo de Fomento à Mineração - FUNMINERAL


ACAP ASSOCIAÇÃO DA CULTURA ARTESANAL DE PIRENÓPOLIS ESTADO DE GOIÁS. A Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis foi criada no ano de 2006, em parceria com o Banco do Povo, com a finalidade específica de resgatar, qualificar e desenvolver o Artesanato Cultural e ao mesmo tempo gerar emprego e renda, melhorando a qualidade de vida dos artesãos e dos artistas de Pirenópolis. Durante sua existência, sua trajetória sociocultural pode ser contada em vários capítulos. O sonho de organizar e fomentar o setor joalheiro de Pirenópolis é um deles, considerando que as joias feitas com exclusividade por artesãos e artistas da cidade já fazem parte da expressão cultural do município, sendo identificadas em qualquer estado do País. A ousadia e o talento de diversos artesãos joalheiros atravessaram as barreiras da estética e do consumo, uma vez que as joias são objeto de desejo não apenas por serem feitas de ouro ou prata (com gemas naturais e matéria prima do cerrado), mas também por expressarem de modo singular seu design diferenciado, se comunicando com o mundo como um produto cultural, histórico e econômico em perfeita harmonia com o novo. As exclusivas joias de Pirenópolis, além de se destacarem como objetos de arte, têm uma função preponderante na economia do município, visto que geram emprego, renda e inclusão social aos artesãos e artistas. Maria Delma de Melo Presidente da ACAP


A FORÇA

DA TRADIÇÃO


25 ANOS DE PROFISSÃO LUIZ JOSÉ E ÂNGELA ROMÊNIA GABRIEL, DE OLIVEIRA

12 ANOS DE PROFISSÃO JÚLIO CESAR AZEVEDO

39 ANOS DE PROFISSÃO EDSON PARANHOS E LUCILENE SIQUEIRA


13 ANOS DE PROFISSÃO CELSO RODRIGUES E FLÁVIA, VIDAL

28 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ RICARDO BERNARDO


19 ANOS DE PROFISSテグ HANDY ULACIO DE MORAIS

29 ANOS DE PROFISSテグ GLEISSON HUMBERTO

12 ANOS DE PROFISSテグ Jテ哭IO CESAR AZEVEDO


29 ANOS DE PROFISSテグ GLEISSON HUMBERTO

29 ANOS DE PROFISSテグ MARIA DELMA DE MELO


25 ANOS DE PROFISSÃO LUIZ JOSÉ E ÂNGELA ROMÊNIA GABRIEL, DE OLIVEIRA

25 ANOS DE PROFISSÃO LUIZ JOSÉ E ÂNGELA ROMÊNIA GABRIEL, DE OLIVEIRA

18 ANOS DE PROFISSÃO CERVIO TULIO DE SIQUEIRA JUNIOR


8 ANOS DE PROFISSテグ WALISTHENE DA ROCHA OLIVEIRA

8 ANOS DE PROFISSテグ WALISTHENE DA ROCHA OLIVEIRA

8 ANOS DE PROFISSテグ WALISTHENE DA ROCHA OLIVEIRA


39 ANOS DE PROFISSテグ EDSON PARANHOS E LUCILENE SIQUEIRA

23 ANOS DE PROFISSテグ RICARDO LUZ FONSECA


39 ANOS DE PROFISSテグ EDSON PARANHOS E LUCILENE SIQUEIRA

29 ANOS DE PROFISSテグ GLEISSON HUMBERTO


32 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ ANTÔNIO E ÂNGELA, CRESPO

29 ANOS DE PROFISSÃO META MARIA GRUNCH


29 ANOS DE PROFISSÃO MARIA DELMA DE MELO

19 ANOS DE PROFISSÃO MARCO AURÉLIO FIGUEIREDO


O FRESCOR

DO AMBIENTE


23 ANOS DE PROFISSÃO RONISVON MENDES DE MORAIS

28 ANOS DE PROFISSÃO JOAQUIM LUCAS E DIANA, AZEVEDO

20 ANOS DE PROFISSÃO ANTÔNIO HONÓRIO DE MELO


13 ANOS DE PROFISSÃO CELSO RODRIGUES E FLÁVIA, VIDAL

27 ANOS DE PROFISSÃO ARIEL BATISTA DE OLIVEIRA

32 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ ANTÔNIO E ÂNGELA, CRESPO


23 ANOS DE PROFISSÃO RICARDO LUIZ FONSECA

12 ANOS DE PROFISSÃO JÚLIO CESAR AZEVEDO


23 ANOS DE PROFISSテグ RONISVON MENDES DE MORAIS

27 ANOS DE PROFISSテグ ARIEL BATISTA DE OLIVEIRA

29 ANOS DE PROFISSテグ MARIA DELMA DE MELO


32 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ ANTÔNIO E ÂNGELA, CRESPO

18 ANOS DE PROFISSÃO MÁRCIO BARBOSA DOS SANTOS E AMAZONAS FERNANDES

34 ANOS DE PROFISSÃO JOTA CLAVIJO


12 ANOS DE PROFISSテグ LEONARDO GODINHO NONATO

20 ANOS DE PROFISSテグ ANTテ年IO HONテ迭IO DE MELO


34 ANOS DE PROFISSテグ JOTA CLAVIJO

30 ANOS DE PROFISSテグ SANDRA ANDRADE


23 ANOS DE PROFISSÃO RONISVON MENDES DE MORAIS

28 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ RICARDO BERNARDO

20 ANOS DE PROFISSÃO ANTÔNIO HONÓRIO DE MELO

12 ANOS DE PROFISSÃO LEONARDO GODINHO NONATO


NO COMEÇO DOS OITENTA... Quando um artesão viu aquelas pequenas peças de bronze não teve dúvidas que encontravase ante um grande descobrimento. Aqueles objetos que o saudoso Isócrates de Oliveira trouxera de sua estadia no Oriente (onde atuou como diplomata do Brasil em Paquistão e Tailândia) e utilizava como pesos de papéis sobre sua escrivaninha, eram na realidade matrizes utilizadas na Índia, Paquistão e outros países de Ásia para trabalhar a prata. O artesanato em prata era esse elemento que se apresentava novo na Pirenópolis do começo dos anos oitenta, e que modificaria para sempre a vida de muitos jovens da ainda pacata cidade. Aquelas matrizes de bronze, chamadas de “troqueis” pelos artesãos locais, e que seu Isócrates acabou emprestando a Dudu, foram uns dos inumeráveis elos que levariam Pirenópolis a ser considerada “a Capital da Prata do Centro-Oeste brasileiro”. Com a utilização das matrizes foi possível aumentar a produção de joias artesanais, agilizando a fabricação de contas para colares e pulseiras, também sendo utilizados como complemento para brincos e outros adereços de prata. No começo foram usados os desenhos de origem indiana, logo surgiram as primeiras experiências de fabricação de troqueis locais. Assim foi se criando um novo tipo de desenho que aliou as influências indianas à variedade das pedras brasileiras, à criação e ao trabalho caprichado dos joalheiros locais. De toda esta conjunção nasceria um estilo diferenciado, que seria reconhecido nacional e internacionalmente como “Prata de Pirenópolis”. Estas joias em prata, levando o nome da cidade junto, rodaram o mundo em feiras e exposições no Brasil e no exterior, primeiro nas mãos dos integrantes da comunidade alternativa “Terra Nostra”, e muitos outros depois. Em Pirenópolis a arte de trabalhar prata teve seu ponto de desenvolvimento a partir do encontro de exímios artesãos chegados de várias partes de Brasil e do mundo, para a experiência alternativa comunitária “Terra Nostra” (´80, ´86). Artesãos que compartilham os conhecimentos e experiências que traziam do mundo, com os jovens aprendizes locais que logo abriram suas próprias oficinas gerando novas fontes de renda na cidade. E também no interior do município, nos povoados de Bom Jesus e Santo Antônio especificamente. Ajudando assim na fixação dos jovens que nessa época emigravam para os grandes centros urbanos em busca de oportunidades de trabalho. Pirenópolis deu nascimento também a vários outros centros de trabalho artesanal em prata dentro e fora do Brasil, sendo os principais, a saber: Santo Antônio do Leite, em Minas Gerais e Dom Pedro II, no Piauí. No exterior, esse estilo mais solto de trabalhar a prata também influencia artífices de Uruguai, Argentina, Espanha, Portugal, etc. O conhecimento desta arte foi transmitido por artesãos que migraram para outras regiões como por alguns que vinham de longe para aprender e muitas vezes acrescentar novas técnicas, transformando desta forma Pirenópolis no centro motor do artesanato em prata do Centro-Oeste. Muitos bons artesãos fincaram raízes na cidade, trazendo inovações e mais variedades à, hoje tão conhecida, prata de Pirenópolis.

Jota Clavijo


Click Foto - Nivaldo e Oficina RR. Designer


A ELEGÂNCIA

DO PATRIMÔNIO


12 ANOS DE PROFISSテグ LEONARDO GODINHO NONATO

18 ANOS DE PROFISSテグ CERVIO TULIO DE SIQUEIRA JUNIOR


27 ANOS DE PROFISSÃO ARIEL BATISTA DE OLIVEIRA

28 ANOS DE PROFISSÃO JOSÉ RICARDO BERNARDO

28 ANOS DE PROFISSÃO JOAQUIM LUCAS E DIANA, AZEVEDO


28 ANOS DE PROFISSテグ JOAQUIM LUCAS E DIANA, AZEVEDO

13 ANOS DE PROFISSテグ CELSO RODRIGUES E FLテ〃IA, VIDAL

30 ANOS DE PROFISSテグ ROSANE REGES


18 ANOS DE PROFISSテグ MテヽCIO BARBOSA DOS SANTOS E AMAZONAS FERNANDES

22 ANOS DE PROFISSテグ NIVALDO QUIRINO DA FONSECA

18 ANOS DE PROFISSテグ CERVIO TULIO DE SIQUEIRA JUNIOR


30 ANOS DE PROFISSテグ ROSANE REGES

33 ANOS DE PROFISSテグ DAMIAN LOPES MORALES

18 ANOS DE PROFISSテグ MテヽCIO BARBOSA DOS SANTOS E AMAZONAS FERNANDES


22 ANOS DE PROFISSテグ NIVALDO QUIRINO DA FONSECA

30 ANOS DE PROFISSテグ ROSANE REGES

30 ANOS DE PROFISSテグ SANDRA ANDRADE


33 ANOS DE PROFISSÃO DAMIAN LOPES MORALES

19 ANOS DE PROFISSÃO MARCOS AURÉLIO FIGUEIREDO

19 ANOS DE PROFISSÃO MARCOS AURÉLIO FIGUEIREDO


33 ANOS DE PROFISSテグ DAMIAN LOPES MORALES

29 ANOS DE PROFISSテグ META MARIA GRUNCH

19 ANOS DE PROFISSテグ HANDY ULACIO DE MORAIS


19 ANOS DE PROFISSテグ HANDY ULACIO DE MORAIS

33 ANOS DE PROFISSテグ SANDRA ANDRADE

34 ANOS DE PROFISSテグ JOTA CLAVIJO


23 ANOS DE PROFISSテグ RICARDO LUIZ FONSECA

26 ANOS DE PROFISSテグ META MARIA GRUNCH

22 ANOS DE PROFISSテグ NIVALDO QUIRINO DA FONSECA


Click Foto - Nivaldo e Oficina RR. Designer


EXPOSITORES ANTÔNIO HONÓRIO DE MELO – 20 ANOS DE PROFISSÃO RUA DON EMANUEL; LOTE 02; QUADRA 05; BAIRRO ALTO DO CARMO (62) 9226-3336 | (62) 3331-2091 ARIEL BATISTA DE OLIVEIRA – 27 ANOS DE PROFISSÃO RUA RUI BARBOSA Nº 07; CENTRO (62) 9263-0265 | (62) 3331-3161 MARIA DELMA DE MELO – 29 ANOS DE PROFISSÃO RUA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA; Q. 10; L 01; BAIRRO ALTO DO CARMO (62) 3331-1716 | (62) 8518-7721 META MARIA GRUNCH – 26 ANOS DE PROFISSÃO RUA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA; Q. 02; L 12; BAIRRO VILA POMPEU 02 (62) 3331-2284 | (62) 9108-2244 JOAQUIM LUCAS AZEVEDO E DIANA AZEVEDO – 28 ANOS DE PROFISSÃO RUA ARAGUARI L 07; Q. 10; BAIRRO ESTRELA DALVA 1 (62) 8480-0871 | (62) 8470-0871 CERVIO TULIO DE SIQUEIRA JUNIOR – 18 ANOS DE PROFISSÃO AV. NECO MENDONÇA ESTAÇÃO RODOVIÁRIA SALA 05 (62) 9127-7181 MÁRCIO BARBOSA DOS SANTOS E AMAZONAS FERNANDES 18 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO BONFIM Nº 17 (62) 9438-0182 | (62) 9438-0186 NIVALDO QUIRINO DA FONSECA – 22 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO FROTA Nº38; BAIRRO ALTO DO CARMO (62) 9232-0272 LEONARDO GODINHO NONATO – 12 ANOS DE PROFISSÃO RUA LUIZ DE AQUINO ALVES Nº 22; Q. 7; VILA (62) 9122-8862 WALISTHENE DA ROCHA OLIVEIRA – 8 ANOS DE PROFISSÃO PIRENEUS; Q. 42; L 43 CASA 1 BAIRRO ALTO DO BONFIM (62) 8238-6211 | (62)3331-1888 JOSÉ ANTÔNIO CRESPO E ÂNGELA CRESPO – 32 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO CARMO Nº 4-A BAIRRO ALTO DO CARMO (62) 3331-1542 JOSÉ RICARDO BERNARDO – 28 ANOS DE PROFISSÃO RUA ABÉRCIO RAMOS GODINHO; Q. 02; L 06; BAIRRO ALTO DA LAPA (62) 9237-2596 | (62) 9237-2595


CELSO RODRIGUES VIDAL E FLÁVIA VIDAL – 13 ANOS DE PROFISSÃO RUA ZIZIO AUGUSTO; 02; L 01; BAIRRO MORRO SANTA BARBARA (62) 9113-6446 | (62) 9277-8004 DAMIAN LOPES MORALES – 33 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO ROSÁRIO; Nº 12-A; CENTRO HISTÓRICO (62) 9607-5825 | 3331-1608 MARCOS AURÉLIO FIGUEIREDO – 19 ANOS DE PROFISSÃO RUA DIREITA Nº 22; CENTRO HISTÓRICO (62) 9286-7664 | (62) 3331-1384 RICARDO LUIZ FONSECA – 23 ANOS DE PROFISSÃO RUA SEBASTIÃO POMPEU DE PINA JUNIOR; Q. 7; L 1; BAIRRO ALTO DO CARMO (62) 9646-7414 | (62) 3331-2673 EDSON PARANHOSE LUCILENE SIQUEIRA – 39 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO BONFIM CX 18 P. 024 (62) 3331-1438 | (62) 3331-2002 RONISVON MENDES DE MORAIS – 23 ANOS DE PROFISSÃO RUA DA PRATA; Nº 47; CENTRO HISTÓRICO (62) 9299-9138 | (62) 8111-6508 | (62) 9608-3839 SANDRA ANDRADE – 30 ANOS DE PROFISSÃO RUA IPÊ; Q. 03; CASA 03; RESIDENCIAL SANTA LUZIA (61) 8251-4904 | (62) 3331-2572 ROSANE REGES – 30 ANOS DE PROFISSÃO RUA 24 DE OUTUBRO; CENTRO HISTÓRICO (62) 3331-3148 JÚLIO CESAR AZEVEDO – 12 ANOS DE PROFISSÃO RUA PIRENEUS; Q. 41; L 43; CASA 02; ALTO DO BONFIM (62) 8305-4692 | (62) 9258-4659 LUIZ JOSÉ DE OLIVEIRA E ÂNGELA ROMÊNIA GABRIEL DE OLIVEIRA 25 ANOS DE PROFISSÃO RUA PIRENEUS Nº 47; CENTRO (62) 3331-2894 HANDY ULACIO DE MORAIS – 19 ANOS DE PROFISSÃO RUA DA PRATA Nº 47; CENTRO (62) 9137-4378 | (62) 8467-2883 | (62) 8125-2093 JOTA CLAVIJO –34 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO ROSÁRIO Nº 28 (62) 8141-4432 | (62) 3331-1615 GLEISSON HUMBERTO – 29 ANOS DE PROFISSÃO RUA DO BOMFIM Nº 13 (62) 9935-9828 | (62) 9415-4101


REALIZAÇÃO: ACAP

APOIO:

FUNMINERAL

FUNDOD EF OMENTOÀ MINERAÇÃO Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis

Restaurante

ACEPP

PENSÃO PADRE ROSA


Catalogo Expo Jóias de Pirenópolis