Issuu on Google+

[ meio ambiente I chumbo ]

Um peso ambiental

Você já pensou sobre os malefícios ambientais que um metal pesado, poluente, bioacumulativo e que se degrada de forma lenta, como o chumbo, causa nos meios naturais toda vez que você o perde durante as pescarias? Conheça as alternativas sustentáveis — e viáveis — estimuladas por países desenvolvidos para tirar da pesca esportiva o “peso” da degradação ambiental Por: Bárbara Blas e Janaína Quitério | Ilustração: Mila Costa | Arte: Tiago Stracci

E

m janeiro deste ano, o Projeto de Lei 4.076/2004 foi arqui-

apenas por provocar danos irreversíveis

vado pela Câmara dos Deputados e, junto com ele, a única dis-

ao meio ambiente como por ser capaz

cussão aberta sobre os malefícios causados pelos chumbos na

de causar envenenamentos em animais

pesca esportiva se dissipou da pauta governamental. De autoria

silvestres e seres humanos.

do então deputado federal Lobbe Neto (PSDB-SP), a proposta

No Brasil, o projeto suscitou polêmi-

proibia a fabricação, a comercialização e o uso de chumbo e

cas entre parlamentares e pescadores

seus derivados nos apetrechos de pesca em todo o território

esportivos, sobretudo com relação aos

nacional. Em contrapartida, estimulava a sua substituição por

custos de sua substituição por mate-

materiais que não causam danos ao meio ambiente.

riais alternativos. Foi principalmente

O tema foi inspirado em experiências internacionais

sob esse argumento que a Comissão de

advindas de países como os Estados Unidos, Canadá e

Desenvolvimento Econômico, Indústria

Inglaterra, que instituíram medidas legais para regula-

e Comércio da Câmara rejeitou a pro-

mentar ou coibir o uso desse metal tóxico, responsável não

posta sem levar em consideração a sua

72 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo


relevância ambiental. “A proibição do uso da chumbada na pesca esportiva precisaria ser implantada aos poucos, mas muitos parlamentares não levaram em conta esse processo gradual, o que tirou a oportunidade de, no Brasil, serem feitas novas experimentações”, analisa o ex-deputado Lobbe Neto. Como a proposta não foi apadrinhada depois da conclusão de seu mandato, no final de 2010, a discussão — que se estendeu por sete anos — foi engavetada. E a questão segue órfã. ecoaventura 73


[ meio ambiente I chumbo ] Na água, o comportamento do chumbo varia de acordo com a temperatura, o pH, entre outros fatores. Ele pode ser encontrado temporariamente diluído ou, como é mais frequente, na forma de partícula, já que tende a reagir rapidamente com outras substâncias (argila, matéria orgânica, pode formar óxidos etc.) e se acumular no fundo do corpo d’água.

Em locais de água parada, deposita-se no fundo, e em água corrente, é transportado junto à substância que está associado até chegar a um local de pouco movimento, propício à deposição.

Se o despejo do chumbo for interrompido, outros sedimentos serão depositados e o metal ficará encoberto nas camadas inferiores, mas pode voltar para a água se a terra for revolvida.

O Prof. Dr. Denis Abessa pondera que não é possível afirmar que o risco de contaminação dos peixes de pesqueiros é maior, e avalia que são necessários estudos específicos, até porque é mais provável que os peixes se alimentem da ração e não de substâncias acumuladas no fundo

74 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo


Riscos

mais contaminados ou mesmo quando engolem as chumbadas. É importante

Segundo o Prof. Dr. Denis Moledo de

lembrar que a água poluída afeta toda a

Souza Abessa, especialista em gerencia-

cadeia alimentar daquele corpo d’água.

mento costeiro e ecotoxicologia da Unesp

Isso significa que, se um pequeno peixe

(Universidade Estadual Paulista), o chum-

ingerir uma alga infectada, adquirirá

bo tem dois efeitos principais nos animais:

o chumbo e passará ao seu predador.

se penetrar nas células, pode lesionar

Quando um animal ou planta contami-

o DNA e, como consequência, causar a

nados morrerem, o metal voltará ao am-

morte da células, disfunção metabólica

biente junto à matéria orgânica, entretan-

ou induzir a um câncer — fatores potencial-

to, por ser um metal pesado, seu tempo

mente letais. Outra possibilidade é o metal

de decomposição é indeterminado.

ser metabolizado pelas enzimas da célula

A medida mais importante para tentar

que, ao fazerem o bombeamento para

reverter o estrago à natureza é cessar a

retirá-lo, ativam a produção dos radicais

fonte, ou seja, parar de despejar o chumbo

livres, que danificam as membranas e

na água. Desse modo, com o passar do

tecidos e podem, também, alterar o DNA.

tempo, outros sedimentos serão deposita-

“Moluscos, crustáceos e peixes são os

dos no fundo, o chumbo ficará encoberto

animais mais suscetíveis à contamina-

nas camadas inferiores e perderá o con-

ção, que ocorre não apenas pela inges-

tato com os organismos daquele habitat.

tão, mas também ao absorverem, pelo

Porém, o Prof. Denis alerta que, como o

contato, o chumbo dissolvido na água”,

chumbo não é facilmente destruído, se a

explica o Prof. Denis. As aves podem

terra for revolvida, o metal voltará a ter con-

adoecer ao se alimentarem de outros ani-

tato direto com animais, plantas e água.

Para o Prof. Dr. Élson Longo, no Brasil, ainda falta uma legislação mais rigorosa com relação ao uso do chumbo nos equipamentos de pesca Mudanças de paradigma País

Ano

Grã-Bretanha

1987

Baniu o uso de chumbadas que pesem menos de 28,35g

Canadá

1997

Editou norma que proíbe o porte de chumbo com menos de 50g em parques nacionais e em áreas de vida silvestre. Em 2004, a agência federal responsável pela proteção ambiental anunciou a intenção de proibir a fabricação, importação e comercialização de chumbadas

Estados Unidos

A partir de 2000

Medida Regulatória

Proibiram o uso de chumbadas em três refúgios nacionais de vida silvestre e no Parque Nacional de Yellowstone. Os Estados de New Hampshire, Maine e New York têm regulamentação que proíbe o comércio e o uso do chumbo na pesca

Fonte: “Consequências do uso do chumbo na pesca”, por Ilidia da A. G. Martins Juras. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, 2006”

ecoaventura 75


[ meio ambiente I chumbo ] Alternativas Quem imaginaria que a combinação de argila, areia e pó poderia ser considerada de alta tecnologia para a pesca? Essa foi a alternativa ecologicamente correta encontrada pelos pesquisadores do Liec (Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica) — que integra professores da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) e da Unesp. A “chumbada ecológica”, fabricada pela empresa Tecnicer, de São Carlos-SP, é de cerâmica, ou seja, sua composição não é plástica nem metálica, como é o caso do grafite e da argila. “A ideia era encontrar a matéria-prima mais próxima à composição da terra para que não houvesse um impacto ambiental”, conta o Prof. Dr. Élson Longo, químico especialista em

A composição da “chumbada ecológica” é 30% alumina, 45% sílica, 15% ferro e 10% cálcio

materiais cerâmicos do Liec. À argila é acrescentada sílica, para dar consistência, e óxido de ferro para que seja obtida

zante. Embora seja um pouco maior que

barreiras, principalmente o preço elevado

uma densidade próxima à do chumbo.

o chumbo, a “ecológica” é utilizada da

de alguns componentes. Já no Brasil, a

Esse material é prensado e aquecido a

mesma maneira, além de ter a vantagem

“chumbada ecológica” foi pioneira e teve

quase 1.000 graus Celsius e vira uma

de enroscar menos nas estruturas.

boa aceitação, mas ainda carece de di-

pedra no formato de chumbada, capaz

No exterior, já existem substitutos ao

vulgação mais incisiva para que todos os

de ser manipulada sem desgaste. Para

chumbo, como bismuto, tungstênio, aço,

pescadores conheçam essa alternativa,

finalizar, é aplicado um impermeabili-

estanho e calcário. Entretanto, há algumas

bem como as disponíveis em outros países.

Preços comparativos EUA Material chumbo aço tungstênio latão zinco bismuto estanho plástico biodegradável cerâmica calcário

1/8oz (3,5g)

1/2oz (14g)

$0.08 $0.25 $0.11 indisponível $0.92 $2.83 $0.42 $1.00 indisponível (menor encontrado foi 1oz) indisponível (encontrado somente em jigs) indisponível (encontrado somente em split-shots) indisponível (encontrado somente em jigs) $0.21 $0.60 indisponível $0.42 $0.25 $0.60

BRASIL 5,25g 3,5 g 14g (3/16oz) R$0,21 R$0,07 R$0,05 R$15,75

R$4,50

R$0,22

R$0,08

R$4,12

Fonte: TSCA (Toxic Substances Control Act), eua, outubro/2010 Preços calculados por unidade

As “chumbadas ecológicas” são vendidas em cartelas ou por quilo com peso entre 4 e 100 gramas

76 ecoaventura l Pesca esportiva, meio ambiente e turismo


histórico e Tendências do mercado de pesos na pesca esportiva* Tipo

Parcela do mercado em 1994

Parcela do mercado em 2010

supostamente < 85%

Mudança esperada para o futuro

Razão para mudança

chumbo

> 90%

aço

não havia no mercado pequena

tungstênio

segundo lugar após o aumento não havia no mercado em chumbo

substituto mais popular, performance superior ao chumbo

latão

pequena

pequena

redução

outros substitutos têm melhor performance, preocupação devido à toxicidade

zinco

pequena

muito limitada

redução

preocupação devido à toxicidade, difícil de encontrar no mercado

bismuto

muito pequena

não há mais no mercado

permanecer fora do mercado

substituto ineficiente

estanho

muito pequena

pequena

permanecer constante aplicabilidade limitada como substituto do chumbo

plástico

produto novo

muito limitada

incerto

a depender do desenvolvimento de novos plásticos

biodegradável não havia no mercado produto novo

aumento

barato, produto “verde”, bem visto pelos pescadores

cerâmica

não havia no mercado produto novo

incerto

depende do aperfeiçoamento do produto

calcário

não havia no mercado produto novo

aumento

barato, produto “verde”, bem visto pelos pescadores

FONTE: TSCA (Toxic Substances Control Act), eua, outubro/2010 *Projeção americana

redução

preocupação devido à toxicidade

aumento

mais barato que outros substitutos


"Um peso ambiental"