Page 11

De 15 a 21 de abril de 2013

Catalão, Maio de 2012

ANAC pode “promover” aeroporto de Caldas Novas

11

Unidade pode ter o mesmo status de Belo Horizonte, Viracopos e de Goiânia

Técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estiveram em Caldas Novas na manhã desta segunda feira, 15 de abril, para vistoriar o Aeroporto “Nelson Ribeiro Guimarães”. Os profissionais do Governo Federal avaliam reclassificá-lo e nível 3 para nível 2. Se for “promovido”, o aeroporto de Caldas Novas iguala-se com aeroportos como o de Goiânia, o da Pampulha em Belo Horizonte, o Viracopos em Campinas e o de Araca-

ju, por exemplo. De acordo com a portaria da ANAC n° 30 de 04 de janeiro de 2013, a elevação do nível possibilitará a reclassificação para serviços e para tarifas aeroportuárias Durante a inspeção foram solicitadas modificações na estrutura física, com a construção da brigada de incêndio, aquisição de ambulância exclusiva, uniformização e reformas estruturais A administração

do aeroporto, vinculada à prefeitura municipal, começou a realizar o trabalho ainda nesta segunda-feira. Atuam a Secretaria de Obras e Secretaria de Saúde. O Prefeito Evandro Magal (PP), acompanhado do vice-prefeito, Marco Aurélio Palmerston (PSDB), o secretário de Obras, Catulo Angeles, e o secretário de Saúde, Mauro Henrique Palmerston, participaram da vistoria com os técni-

cos da Anac. A prefeitura também realizou parceria com o Corpo de Bombeiros Militar, que cederá homens para ficarem de plantão no combate de eventuais emergências. O executivo municipal irá custear as horas-extras dos militares que irão servir na Brigada Incêndio. Novas regras Os novos critérios estabelecidos pela Agência Nacional

de Aviação Civil consideram, além do tamanho, a eficiência de cada aeroporto. No mês passado, a agência publicou a eficiência dos aeroportos administrados pela Infraero. A eficiência dos demais aeroportos está sendo calculada, de acordo com a assessoria de imprensa da agência. As unidades que alcançarem eficiência estabelecida pela tabelha poderão conceder descontos nas tarifas em horários programados.

Crac administra vantagem, empata com o Náutico no Recife e avança Unidade pode ter o mesmo status de Belo Horizonte, Viracopos e de Goiânia

A boa vantagem aberta pelo Crac, no jogo de ida, em Catalão-GO (vitória por 3 a 1), falou mais alto. No duelo da volta, nesta quinta-feira, no Recife, o Náutico foi uma equipe ansiosa e que não conseguiu apresentar um bom futebol. Melhor para o time goiano que, jogando um futebol leve, soube administrar a vantagem, empatou em 1 a 1 e avançou à segunda fase da Copa do Brasil. Jonathan, para o Crac, no primeiro tempo, e Elton, para o Náutico, na etapa final, marcaram os gols do jogo. Um resultado para confirmar a boa fase do time de Catalão-GO. Depois de um período ruim no Campeonato Goiano, já são cinco vitórias em sete jogos no estadual. No domingo, a equipe comandada por Hemerson Maria vai a Anápolis enfrentar o Grêmio Anápolis, para consolidar a recuperação. Já o time da casa fez o caminho contrário na temporada. Depois de encantar no início do segundo turno

do Pernambucano, quando se transformou em uma Máquina de Gols, o Náutico perdeu os dois clássicos que disputou, contra Sport e Santa Cruz, e demitiu o treinador Vagner Mancini. Nesta quarta, estreou o novo comandante, Paulo Silas, que fez algumas mudanças, mas não conseguiu dar uma nova cara à equipe. Algo preocupante já que, no domingo, o Timbu inicia uma disputa mata-mata, válida pelas semifinais do estadual, diante do rival Santa Cruz. Mais organizado, Crac faz 1a0 No primeiro tempo, ficou claro que a pressão em conseguir o resultado atrapalhou o Náutico. O Timbu foi um time intranquilo e ansioso. Não conseguiu em nenhum momento impor o mando de campo para sufocar o adversário. Solto, o Crac se mostrou uma equipe mais organizada. No primeiro minuto, teve uma grande chance

de marcar com Jonathan, que driblou o marcador, mas bateu para fora. Aos 28 minutos, ainda sem ter sofrido um ataque mais concreto, o time goiano chegou ao gol. Jonathan chegou a matar mal a bola, que saiu do seu controle. O zagueiro Luís Eduardo errou ao tentar cortar e deu tempo para Jonathan se recuperar. O camisa 10 bateu rasteiro, no canto, sem chances para Felipe. Após o gol, o Náutico melhorou no jogo. Foram pelo menos três chances de empatar. Aos 30, Rogério recebeu na esquerda, limpou para o meio e tentou o chute cruzado. Aleks fez grande defesa. Quatro minutos depois, Dadá conduziu pela direita, driblou um marcador e soltou a bomba. A bola passou muito perto do ângulo esquerdo de Aleks, que só olhou ela sair. Aos 43 foi a vez de Giovanni Augusto. Ele driblou o zagueiro e chutou forte, mas o goleiro do Crac fez grande defesa. Náutico empata, mas a torcida vaia

O jogo continuou aberto para os dois lados, sem que o Náutico conseguisse encurralar o Crac. Tanto é que as chances de gol foram divididas. O time da casa assustou no início em um chute cruzado de Rogério, O Crac respondeu em uma arrancada de Amendomim, mas o volante errou ao tentar encobrir Felipe. Aos 13 e aos 17 minutos, o Timbu perdeu chances em chutes de fora da área de João Paulo e Vinícius Pacheco, que entraram bem na partida. Boa parte da torcida do Náu-

tico já havia deixado os Aflitos, já que além do resultado negativo ainda chovia no Recife, e os que ficaram gritavam “olé” a cada toque de bola do Crac. Foi aí que o Alvirrubro conseguiu empatar. Elton recebeu bom passe de Vinícius Pacheco, girou para cima do marcador e bateu sem chance para Aleks. Um gol que não evitou que as vaias ecoassem no estádio dos Aflitos, já praticamente vazio, assim que o árbitro apitou o final da partida.

Profile for James Cruvinel Junior

JORNAL O SUDESTE DE 15 A 21 DE ABRIL ED. 148  

JORNAL O SUDESTE DE 15 A 21 DE ABRIL ED. 148

JORNAL O SUDESTE DE 15 A 21 DE ABRIL ED. 148  

JORNAL O SUDESTE DE 15 A 21 DE ABRIL ED. 148

Advertisement