Issuu on Google+


Manhuaçu (MG), 22 de Maio de 2011

Página03

2º FÓRUM DO SISTEMA DE GARANTIA DISCUTE O TRABALHO DO ADOLESCENTE EM MANHUAÇU

Representantes de várias entidades, ligadas a ações de garantia dos direitos da criança e do adolescente na Comarca de Manhuaçu estiveram reunidos, em Manhuaçu, para traçar diretrizes e discutir o trabalho do adolescente. Os participantes aproveitaram o momento, para uma profunda reflexão sobre o que fazer para melhorar as condições vividas por adolescentes que começam a despertar a vontade de estar buscando novas experiências e oportunidade para a vida. Muitos são os obstáculos enfrentados para a busca de políticas públicas e o ingresso de adolescentes no mercado de trabalho, uma vez que as leis vigentes proíbem as empresas, de terem em seus quadros adolescentes exercendo quaisquer atividades. As discussões serviram para a busca de solução, a responsabilidade de fazer e, ainda a implementação de programas específicos que sejam ao alcance do município, bem como ações voltadas dentro da legitimidade, do ponto de vistas

Durante a mesa redonda, o tema foi amplamente discutido com a platéia constitucional e específico, como solução do problema enfrentado. Na abertura do evento, foi apresentado o resultado de um projeto desenvolvido no município de Muriaé, em que adolescentes trabalham em uma padaria e gráfica. O que é produzido por eles, é destinado às secretarias municipais, sendo a renda revertida para o pagamento e investimento no próprio

A lei nº 10.097 foi discutida com a participação do advogado D’Ângelo Maurício.

negócio. O comandante da 72ª Cia. de Polícia, Capitão Adenilson mostrou números estatísticos de adolescentes, que estão envolvidos em pequenos delitos. Muitos pela falta de oportunidade de ingressarem no mercado de trabalho e outros por não terem qualificação. “Há a necessidade de políticas sérias, para tirarmos esses adolescentes da delinqüência. Caso contrário, em breve teremos números mais alarmantes”, pondera o oficial. O advogado D’Ângelo Maurício falou sobre a lei nº 10.097, que proíbe qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo a condição de aprendiz, a partir dos quatorze anos. O empregador terá de se comprometer e assegurar ao maior de quatorze e menor de dezoito anos todas as possibilidades de aprendizagem, formação técnico-profissional, além de outras responsabilidades. D’Ângelo Maurício destacou a importância de

A gerente regional do SENAC-MG, Cíntia Gomes apresentou proposta para a qualificação dos adolescentes. um trabalho de conscientização, para uma mudança no conceito do que fazer e como se deve fazer, para que os adolescentes encontrem o seu espaço. Conquistas e bons resultados para os adolescentes Percebendo a preocupação dos representantes dos municípios circunvizinhos, a gerente regional do SENAC-

A advogada Margareth Portes mostrou o resultado obtido em Muriaé. MG, Cíntia Gomes Costa e Silva (palestrante), disse que estará viabilizando recursos para que o núcleo local possa oferecer alguns cursos para os adolescentes. Segundo ela, haverá a necessidade da elaboração de um projeto para as ações terem início. “Estarei canalizando o recurso e quero que o município de Manhuaçu ofereça a infraestrutura, pois percebo que o envolvimento dessas entidades trará o resul-

Representantes dos municípios da comarca e entidades presentes no 2º Fórum dos direitos da Criança e Adolescentes.

tado tão sonhado”,disse Cíntia Gomes. O juiz da Vara da Infância e da Adolescência, Dr. Walteir José da Silva, também participou dos debates sobre o trabalho do adolescente. O magistrado foi enfático ao destacar a mudança da Emenda Constitucional nº 20/98, que cerceou o direito de trabalho do menor. “Enquanto juiz da Vara da Infância e da Adolescência autorizo o trabalho do menor de quatorze anos, bem como o juiz da Vara da Infância e da Adolescência de Belo Horizonte, Geraldo Quaret, também entende que a Emenda é inconstitucional e tem a mesma postura. Mas, respeitando todos os princípios constitucionais”, ressalta. Dr Walteir José da Silva, destaca ainda, que concedido o alvará, o Ministério do Trabalho não tem como punir o menor. O presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, Flávio Gonçalves Lacerda, avaliou como positiva a participação dos gestores e o caminho a seguir. Para ele, os avanços foram consideráveis, como a abertura de cursos profissionalizantes a serem ministrados pelo SENACMG. “Através da discussão foi possível nortear o trabalho e algo de concreto para o engajamento dos adolescentes no mercado de trabalho”, avalia Flávio Lacerda. Ele fez questão de destacar que o resultado, foi alcançado graças a vontade dos conselheiros, entidades, Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social, Poder Judiciário, Mistério Público e Câmara Municipal, que abraçaram a causa com responsabilidade, determinação e espírito cívico. Eduardo Satil


Manhuaçu (MG), 22 de Maio de 2011

MUDANÇAS NA APOSENTADORIA

Professor fala sobre possíveis alterações na lei

Possíveis mudanças no regime previdenciário, relacionadas à aposentadoria, estão em estudo no Congresso Nacional. Neste contexto, o debate entre parlamentares, aposentados, empresários e classes sindicais representando os trabalhadores tem se direcionado a um entendimento quanto aos fatores relacionados ao tempo de contribuição e a idade – de forma a assegurar o direito do contribuinte e a sustentabilidade da Previdência Social. Em entrevista à reportagem, o Agente da Receita Previdenciária de Manhuaçu, Professor Fernando Assumpção, que ministra aulas de Teoria Econômica e Direito e Direito Previdenciário da Fadileste (Faculdade de Direito e Ciências Sociais do Leste de Minas), além da disciplina de Administração na UNOPAR/CEM, fala sobre este cenário e os propósitos destas alterações. “É motivo de muita discussão esta mudança, ou seja, o fator previdenciário – visto por muitos como o vilão de seu benefício, reduzindo sempre o seu ganho em relação ao benefício, além da reclamação quanto à perda salarial ao longo dos anos. Nota-se, no entanto, que o Fator Previdenciário se faz necessário, justamente por promover este equilíbrio entre os aspectos financeiro e o atuarial, conforme dita a Constituição, nas Leis nº 8.212 e nº 8.213, que tratam de benefícios. Neste momento, está no Congresso a proposta de que o fator previdenciário seja extinto. No entanto, procura-se também saber: o que vai ser um redutor? Nós sabemos que existe um regime geral de Previdência Social, que é um regime de todos os trabalhadores que são segurados obrigatórios e até mesmo os facultativos, e o Regime Próprio de Previdência, que é para os servidores. Neste momento, é preciso esclarecer-se sobre o fator previdenciário e o que ocorre no regime próprio e no regime geral de Previdência. No Regime Próprio, o homem precisa ter 35 anos de contribuição e a idade de 60 anos e a mulher, 30 anos de contribuição e 55 anos de idade. No regime geral, não existe o limite de idade. Só existe o tempo de con-

O Professor da Fadileste e da UNOPAR/CEM, Fernando Assumpção, durante entrevista à Rádio Manhuaçu. tribuição, que é amarrado apenas com o fator previdenciário. Em 1999, com a nova estrutura da emenda constitucional nº 20, alterou-se substancialmente as formas de concessão das aposentadorias. Neste contexto, ocorre que o fator previdenciário esta, há muito tempo, sendo debatido em razão de que as pessoas se vêm, às vezes, com 50, 51, 52 e 53 anos de idade e querem se aposentar, por já possuírem o tempo de contribuição. O que seria até muito justo. Mas, nós temos uma previdência que é muito ampla, em que existem dez diferentes benefícios em relação aos dependentes e segurados. Então, vejamos, por exemplo, ao analisarmos uma pessoa que se aposentou com a idade de 50 anos, considerando a expectativa de vida hoje, que está em torno de 72 e 77 anos, haverá a necessidade de termos uma base econômica muito grande para sustentar estes benefícios. Então, muitas vezes, as pessoas contribuem por 30 anos, mas irão receber por 40. [...] Em relação ao Direito Previdenciário, vejo que se faz necessária para a sociedade atual, nas mudanças no fator previdenciário termos atrelado o tempo de contribuição com a idade, tanto do homem quanto da mulher. [...] Sobre a tramitação no Congresso, acredito que este será um processo bem discutido e que já está na pauta da Câmara dos Deputados, sendo possivelmente definido este ano ainda. [...] Acredito que será um momento em que aposentados, empregadores, trabalhadores e Governo, estarão reunidos no Congresso porque se trata de um Regime de Gestão Quadripartite, enfim, todos estarão juntos discutindo, buscando um consenso para esta questão do tempo de contribuição e a idade. Thomaz Júnior

Página 05

COAMMA DISCUTE PARCERIA E O PROJETO CARTÃO POSTAL 2020

O Conselho das Associações de Moradores de Manhuaçu (COAMMA) tem realizado encontros para discutir projetos benéficos à sociedade, dentro de uma filosofia e a participação de todos. No último domingo, dia 15, aconteceu à assembléia mensal das lideranças comunitárias, priorizando os assuntos que são de fundamental importância para a coletividade. A diretoria do Coamma e presidentes de associações de moradores receberam a visita do coordenador do projeto Cartão Postal 2020, Paulo Timóteo e do bioquímico do Laboratório Apolo, Flávio Reis. O projeto que teve início no Bairro Santa Luzia, motivando os moradores a estarem dando acabamento em suas casas, agora está no bairro Petrina. Paulo Timóteo apresentou planilha de gastos, número de moradores beneficiados e a transparência para a realização do projeto. Segundo ele, a cada dia o sonho de muitas famílias vai se tornando realidade, bem como uma realização pessoal. “Sempre tive a vontade de estar doando parte do meu tempo, para o crescimento e embelezamento de minha cidade. Quando vejo as pessoas felizes com a mudança de costumes e querendo algo de bom, me sinto realizado”,disse aos presidentes de associações. São 119 casas rebocadas, que já estão recebendo o acabamento para iniciar a

O coordenador do projeto Cartão Postal 2020, Paulo Timóteo, e o bioquímico Flávio Reis, interagiram com os presidentes de associações para as parcerias. pintura. Paulo Timóteo se mílias passam, torna-se inentusiasma ao dizer que no teressante esse benefício. O período de 30 dias, a cida- desconto chega a 50% nos de vai sentir um impacto exames realizados”,explica com a nova característica o bioquímico. do bairro Petrina. A motiO presidente do Coamvação dos moradores tem ma, Vasco Fernando Mota sido primordial para de- Rodrigues acredita que as senvolver o projeto Cartão parcerias são pilares imPostal 2020. portantíssimos, para o fortalecimento do trabalho Parceria para o das lideranças. A única fortalecimento diferença que ainda há é Também esteve particique preocupa a diretoria pando da reunião do Co- da entidade é a ausência de amma, o bioquímico do alguns presidentes de assoLaboratório Apolo, Flávio ciações. “Estamos nos esReis, apresentando o cartão forçando, mas, infelizmen“cliente especial”, que esta- te as lideranças não estão rá possibilitando que todas com total responsabilidade as associações façam o ca- para comparecer às reunidastro dos associados, para ões. Os novos líderes que obterem descontos em exa- estão assumindo as assomes laboratoriais. O cartão ciações precisam zelar pela terá o titular e descendentes comunidade e corresponcomo beneficiários. “Para der à responsabilidade”, nós, que conhecemos as desabafa Vasco Fernando dificuldades que muitas faEduardo Satil

Os líderes comunitários aplaudiram a iniciativa, que visa melhor qualidade de vida às famílias.

Prefeitura Municipal de Manhuaçu Secretaria Municipal de Educação Atos, Editais e Serviços COMUNICADO

A Secretaria Municipal de Educação comunica a relação dos professores aptos a participarem do Curso de Libras, a saber: Renata de Souza Monteiro Rodrigues Joana Dárc de Aquino Lopes Rosélia de Souza Salazar Ribeiro Damaris Cristina dos Santos Lima Ana Lúcia Medeiros dos Anjos Lanir Luciele Aparecida da Silva Márcia da Silva Brum Luciene da Silva Faria Vânia Maria Valentim Abreu Roberta Chaiene Garcia Hugenin Maria das Graças Knupp Muniz Meire Salazar Jaqueline Miranda de Souza Márcia Cristina Felipe da Rocha

Luciana da Silva Zanelato Cláudia Maria Gonçalves de Souza Aline Mendes Alves Dias Dalton Marques Basílio Angélica Maria Noronha Angélica Reis Costa Josiane Darlei Coelho de Aguiar Luciene de Fátima dos Santos Karla Michelle Gomes Paola Rondel Sodré Na oportunidade informa que a aula inaugural acontecerá no dia 20 de março, às 19h30min. no Paço Municipal sito à Praça Cordovil Pinto Coelho 460 – Centro. Manhuaçu, 18 de maio de 2011. Eduardo Artur de Magalhães Portilho Secretário Municipal de Educação


Manhuaçu (MG), 19 de Maio de 2011

Página 07

Cis - Caparaó ConsórCio intermuniCipal de saúde CGC: 01.999.898/0001-16 - rua dom Cavati, n º 695 - Centro – mutum – mG - Cep 36.955-000 www.mutum-mg.com.br - e-mail: ciscaparao@mutumnet.com.br tel. (0xx33) 3312-1240 telefax (0xx33) 3312-1843

demonstraÇÕes ContÁBeis do ConsóCio intermuniCipal de saúde – Cis Caparaó em 31 de deZemBro de 2010.

BALANÇO FINANCEIRO DE 2010

1 – DA ENTIDADE O Consórcio Intermunicipal de Saúde – CIS CAPARAÓ, entidade sem fins lucrativos, constituído nos termos do artigo 18 do Código Civil Brasileiro, pelo registro de seus Estatutos, no livro A-1, folhas 20 e sob o número 53/02 de ordem, no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de Mutum, Estado de Minas Gerais. Constituído atualmente pelos municípios de Mutum, Ipanema, Simonésia, São João do Manhuaçu, Reduto, Chalé, Luisburgo, Martins Soares, Santana do Manhuaçu, Lajinha e Pocrane, todos no Estado de Minas Gerais.

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE

2 – DA FINALIDADE O Consórcio Intermunicipal de Saúde destina-se à organização do sistema microrregional de saúde dentro da jurisdição dos municípios consorciados, segundo as diretrizes do regimento interno e do Sistema Único de Saúde. 3 - BASE DE ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. As Demonstrações Contábeis foram elaboradas com base nas práticas adotadas no Brasil, observando as diretrizes contábeis emanadas da lei nº. 4.320, de 17 de março de 1964, que estatui normas gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal.

SITUAÇÃO FINANCEIRA DE 31/12/2010: CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DEMONSTRATIVO DAS RECEITAS EXERCÍCIO DE 2009 DATA

HISTÓRICO

31/12/2009 SALDO ATUAL B.B. C/C 7511-6-FPM. 31/12/2009 SALDO ATUAL B.B. CONVENIO 310 31/12/2009 SALDO ATUAL B.B. CONVENIO SETS

VALOR

31/12/2009 SALDO ATUAL B.B. CONVENIO AQUIS. CONS.OF 31/12/2009 TOTAL DO SALDO ANTERIOR

728.441,82 45.894,43

31/12/2010 OUTRAS RECEITAS CORRENTES

68.566,49

31/12/2010 RECEITA EXTRA ORÇAMENTARIA 31/12/2010 TOTAL DAS RECEITAS

728.441,82

HISTÓRICO

31/12/2010 AQUISICÃO DE EQUIPAMENTOS EM GERAL 31/12/2010 SALÁRIOS DE FUNCIONÁRIOS 31/12/2010 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E IMPOSTOS 31/12/2010 CONTRIBUIÇÃO AO COSECS 31/12/2010 MATERIAIS CONSUMO E EXPEDIENTE

VALOR

1.586.156,56

234.451,04

31/12/2010 DESPESAS COM SERVIÇOS TERCEIROS P.J

612.999,46

7.074,28 5.939,98

31/12/2010 TOTAL DAS DESPESAS

INSS C/Pagamentos

17.238,24

IRRF. C/Pagamentos

11.727,45

0,00

CSLL Retido Fonte

2.389,68

ISSQN. C/Pagamentos

PIS Retido Fonte

1.553,21

Pis Retido Fonte C/Pagtos

313,21

Cont.Sindical

7.170,04

Restos a Pagar de 2010

70.568,48

MUTUM - MG, 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

313,21

156.160,19

728.441,82 Saldo Ano Seguinte 0,00

Em Caixa

728.441,82

Em Bancos

614.535,87 0,00

Caixa 728.441,82 Em Bancos

614.535,87

614.535,87

2.314.598,38 T O T A L G E R A L

ESPECIFICAÇÃO

2.314.598,38

PASSIVO VALOR

ATIVO FINANCEIRO

TOTAL

ESPECIFICAÇÃO

VALOR

TOTAL

666.341,81 PASSIVO FINANCEIRO

DISPONIVEL

614.535,87

Bco. Brasil C/C 7.511-6

174.267,51

Bco Brasil Conv.Sets

379.086,84

Bco.Brasil Conv.Sets

53.749,47

77.518,08

-Resto Pagar 2008 n/Proces. -Restos Pagar de 2008Processados

70.568,48 4.390,64

7.432,05 51.805,94 51.805,94

Depósitos de Diversas 2.987.815,67 Origens

2.740.413,72

- De uso Civil.

655.363.72

- Veículos

247.40195

1.024,23

.I.S.S.Q. N

2.085.050,00

BENS IMÓVEIS

2.558,96

-I.R.R.F

0,00

.PIS Retido na Fonte

214,53

247.401,95 .Cofins Retido na Fonte .Contribuição Social Retido Fonte.

990,15 330,05

Ativo Real Líquido TOTALGERAL

3.576.639,40

3.654.157,48 T O T A L G E R A L MUTUM - MG, 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

3.654.157,48

PREVISÃO

EXECUÇÃO

DIFERENÇA

RECEITAS CORRENTES

1.949.000,00

1.475.197,90

RECEITA PATRIMONIAL

42.000,00

45.894,43

3.894,43

RECEITA DE SERVIÇOS

43.000,00

0,00

-43.000,00

1.852.000,00

1.360.736,98

-491.263,02

12.000,00

68.566,49

56.566,49

151.000,00

0,00

-151.000,00

ALIENAÇÃO DE BENS SOMA

10.000,00

0,00

-10.000,00

0,00

-141.000,00

2.100.000,00

1.475.197,90

-624.802,10

68.704,42

68.704,42

1.543.902,32

-556.097,68

DÉFICIT 2.100.000,00

TOTAL

-473.802,10

141.000,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DE 2010 / ANEXO 12 ESPECIFICAÇÃO

FIXAÇÃO

EXECUÇÃO

DIFERENÇA

DESPESAS CRÉDITOS ORÇAMENTARIO E SUPLEMENTARES

2.100.000,00

1.543.902,32

CREDITOS ESPECIAIS

0,00

0,00

0,00

CREDITOS EXTRAORDINÁRIOS

0,00

0,00

0,00

2.100.000,00

1.543.902,32

-556.097,68

1.543.902,32

-556.097,68

SOMA

1.700.062,51

7.432,05

31/12/2010 SALDO DISPONÍVEL

2.519,27

RECEITA DE CAPITAL

53.749,47 614.535,87

7.558,81

Cont.Social Retido Pagtos

OUTRAS RECEITAS CORRENTES

156.160,19

379.086,84

Cofins Retido C/Pagtos 110.958,66 Sindical C/Pagtos

TRANSFERENCIAS CORRENTES

5.700,00

31/12/2010 SALDO ATUAL B.B. CONVENIO SETS

0,00 1.637,42

RECEITA

29.531,75

174.267,51

31/12/2010 SALDO NO FINAL DO EXERCICIO

11.725,80

I.S.S.Q.N.- C/ Receita

ESPECIFICAÇÃO

SALDO A TRANSPORTAR PARA O ANO SEGUINTE

31/12/2010 SALDO ATUAL B.B. CONVENIO AQUIS. CONS.OF

IRRF - C/ Receitas

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE

1.050,00

1.700.062,51

156.160,19 115.165,79

57.354,25

31/12/2010 SALDO ATUAL B.B. C/C 7511-6-FPM. 31/12/2010 SALDO ATUAL CONVÊNIO MANUTENÇÃO SETS

110.958,66 Des. Extra-Orçamentária Restos a Pagar 2009

Cofins Retido Fonte

1.543.902,32

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO DE 2010 / ANEXO 12

40.51

31/12/2010 SALARIOS DE FUNCIONARIOS DO SETS

31/12/2010 DESPÉSAS EXTRA ORÇAMENTARIA EM GERAL

TOTAL

41.551,60

31/12/2010 OUTRAS DESPESAS CENTRO CIS - SIMONESIA

916.140,48

17.238,24

- De uso Civil.

103.247,22

31/12/2010 DESPESAS SERVIÇOS SAUDE CENTRO CIS

58.362,28

0,00 Saúde

INSS - C/ Receitas

Bens Móveis

3.600,00

148.671,64

31/12/2010 MATERIAL PERMANENTE DO SETS

Rec. Extra-Orçamentária

569.399,56

Administração 1.475197,90 Previdência Social

60.088,64

31/12/2010 DESPESAS ADMINISTRATIVAS

31/12/2010 OUTROS SERVIÇOS PESSOA JURIDICA DO SETS

0,00

122.703,10

20.960,00

31/12/2010 OUTROS SERVIÇOS PESSOA FISICA DO SETS

68.566,49

Receita de Capital

48.142,00

40.746,36

31/12/2010 MATERIAL DE CONSUMO DO SETS

1.360.736,98

ATIVO PERMANENTE

2.314.598,38

31/12/2010 ASSESSORIA CONTABIL

31/12/2010 DESPESAS DE EXERCICIOS ANTERIORES

Outras Receitas Correntes

- Pendências a Regularizar

97.570,00

31/12/2010 ASSESSORIA JURIDICA

31/12/2010 ASSESSORIA DE INFORMATICA

Transferências Correntes

DEV.DIVERSOS

DEMONSTRATIVO DAS DESPESAS DURANTE ANO 2010 DATA

1.543.902,32

45.894,43

Receita Patrimonial

Bco.Brasil Conv.oftalm.

110.958,66

31/12/2010 TOTAL SALDO + RECEITAS

VALOR TOTAL

1.475.197,90 Despesa Orçamentária

ATIVO

0,00

1.586.156,56

ESPECIFICAÇÃO

MUTUM - MG, 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

147.678,62

31/12/2010 TRANSFERENCIA CAPITAL DE CONVENIOS

TOTAL

BALANÇO PATRIMONIAL DE 2010 - ANEXO 14 CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE

1.115.488,36

31/12/2010 RECEITA PATRIMONIAL

31/12/2010 RECEITA DE PONTOS EXTRAS

Receita Orçamentária

TOTALGERAL

498,81 19.339,59

DESPESAS

VALOR

419.801,16 153.190,49

31/12/2010 TRANSFERENCIA CORRENTES DE CONVENIOS

RECEITAS ESPECIFICAÇÃO

Saldo Ano Anterior

TOTAL

135.611,77

31/12/2009 SALDO ATUAL CONVÊNIO MANUTENÇÃO SETS

31/12/2010 REPASSE DOS MUNICIPIOS EM 2010

– ANEXO 13

614.535,87 614.535,87

-556.097,68

SUPERAVIT TOTAL

2.100.000,00 MUTUM - MG, 31 DE DEZEMBRO DE 2010.

Notas Explicativas: As contas do Consórcio Intermunicipal de Saúde, denominado de CIS CAPARAO, foram aprovadas pelo Conselho de Prefeitos em reunião realizada na cidade de Lajinha, Estado de Minas Gerais, no dia 27 de Abril de 2011, após serem analisadas pelo Conselho Técnico Fiscal da entidade, em conformidade com o artigo 25, inciso XIII do Regimento Interno e artigo 10º do Estatuto Social. A Assembléia foi presidida pelo Secretário Executivo Sr. José Guilherme Gomes juntamente com a presidente Sra. Marinalva Ferreira. EQUIPE DE APOIO: • Marinalva Ferreira – Presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde e Prefeita da cidade de Simonésia – MG. • José Guilherme Gomes – Secretário Executivo da entidade. • Jacimar Alves Moreira – Contador e Diretor da empresa ASSEPLAN LTDA S/C - CRC/MG/PJ 6.962/0-8 - empresa responsável pela contabilidade da entidade. • Dr. Geraldo Lúcio da Terra Pereira – Advogado da entidade. • Felipe Rodrigues Clemente – Aux. Contábil da entidade. Mutum / MG, 27 de Abril de 2011.



Tribuna do Leste Quinta-feira 19-09