Issuu on Google+

O Seminá- a integração da produção com os rio Nordestino mercados de insumos e de consude Pecuária ‒ mo e a integração do agronegócio P E C N O R D E S - da pecuária regional ao agronegóTE, em uma cio da pecuária nacional. Paralelo à busca do fortalecicaminhada de mento do agronegócio da pecuária 13 anos, rearegional, ao esforço da capacitação liza-se através e do estímulo à integração acima de seminários referida, o PECNORDESTE propisetoriais, paciou a realização de negócios, nas lestras, mesas áreas de máquinas e equipamenredondas, exposições de ca- tos, insumos e materiais agropecudeias produti- ários, de animais, de produtos pevas, visitas téc- cuários e agroindustriais e de artenicas, oficinas sanato, apoiando o setor produtivo produção na realização de investimento, na Antonio Bezerra Peixoto, de coord. da Comissão Técnico- e de capacitacomercialização de sua produção Científica do Pecnordeste ção, painéis, e no incentivo às atividades não workshops, cursos, aulas práticas, agrícolas no meio rural, principalFeira de Produtos e de Serviços mente o Artesanato e o Turismo no Agropecuários, Feira de Artesanato, Espaço Rural e Natural, como veíFestival Gastronômico, lançamento culos dinamizadores da economia de livros do interesse das cadeias rural nordestina. Em parceria com instituições produtivas e Seminário Nordestino públicas e entidades parceiras, de Revendas Agropecuárias. propiciou o Em 2009 debate sobre traz como no... propiciou o debate púvidade uma sobre políticas públicas políticas blicas para a Galeria de para a geração, difusão geração, diInovações Tecfusão e transnológicas, Pae transferência de de lestras Globais tecnologias, atendendo ferência t e c n o l o g i a s, sobre assunàs demandas do setor atendendo às tos de interesdemandas do produtivo... se nacional, setor producomo Serviços tivo, voltadas Ambientais e para o fomento e para o aumento Alcance Territorial da Legislação das exportações. Viabilizou a expoAmbiental e Indigenista Implicasição e a comercialização de máções para o Agronegócio e a disquinas, equipamentos e insumos, cussão sobre o Desenvolvimento Regional e o Semiárido Nordesti- promoveu a exposição das princino. Propicia ainda debates, através pais cadeias produtivas, criando de palestras extras, sobre Mer- condições para inserção de emcados Agropecuários; Cobrança presas de micro e pequeno portes, pelo uso da água na irrigação; 10 estimulando a comercialização de anos da rede CVT apoiando o de- insumos, animais e produtos derisenvolvimento do setor pecuário vados através de feiras e encontros no Estado do Ceará e Recursos de negócios. Estimula a agricultura familiar avançados no manejo alimentar a se inserir no agronegócio da pede alevinos, e de uma mesa redoncuária regional e a autogestão nas da sobre Certificação, Agregação cooperativas visando à participade Valor e Comercialização de ção efetiva dos seus associados. produtos agropecuários. Consciente do seu papel, o O encontro busca com dePECNORDESTE estimulou o desenterminação o fortalecimento do volvimento das cadeias produtivas agronegócio da pecuária nordestina, trazendo à discussão de temas de diferentes setores pecuários, atuais que atendem às demandas inclusive tentando parcerias com do setor produtivo na expectativa setores agroindustriais visando de, em transmitindo novos conhe- completar a visão geral das cadeias cimentos, difundir e transmitir no- produtivas do agronegócio da pevas tecnologias realizando assim cuária regional. um grande esforço de capacitação de técnicos, produtores e empresáAntônio Bezerra Peixoto Engenheiro Agrônomo e Mestre em rios ligados ao agronegócio da peEconomia Rural. cuária. Ao mesmo tempo estimula

12 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 1 of 6 - Pages(12, 1)

ANO 15 – Nº 162 – Maio 2009

Usina de Quixadá terá Pacote prevê renegociação maior capacidade A usina de Biodiesel da Petrobrás, em Quixadá, terá capacidade de produção ampliada de 50 mil para 70 mil toneladas por ano. O projeto já está sendo desenvolvido e a expectativa é de que, no final de 2010, o empreendimento de industrialização do biocombustível já possa aumentar a produção. Nós já produzimos mais de 18 milhões de litros (em oito meses de funcionamento da usina) e estamos satisfeitos com o desempenho operacional da nossa equipe , informou o Presidente da Petrobrás Biocombustível, Miguel Rossetto. Atualmente a usina utiliza o óleo de algodão produzido no Ceará e na Bahia e de soja comprados do Piauí, Mato Grosso e Minas Gerais.

21 mil agricultores engajados Atualmente no Ceará, cerca de 21.500 agricultores que estão engajados na produção de mamona, com produtividade de apenas 400 kg/ha, quantidade considerada inviável economicamente , disse Rosseto. Nossa expectativa é a de que no prazo de três anos tenhamos organizada uma cadeia de suprimentos regional, a partir da mamona, girassol e pinhão manso , conclui Rosseto.

Vem aí o censo demográfico O Chefe da Unidade Estadual do IBGE no Ceará, Francisco José Moreira Lopes, enviou comunicado à FAEC sobre a realização do censo Demográfico em 2010, que se constitui no maior levantamento estatístico que um país pode empreender, onde todos os domicílios serão visitados para saber quantos somos, como somos e como vivemos. O IBGE convidou ainda o Presidente da FAEC ou seu representante para integrar a Comissão Censitária Estadual (CCE). Nesse sentido, o IBGE também realizou audiência pública no Complexo Deputado Aquiles Peres Mota, da Assembléia Legislativa do Estado, quando apresentou o planejamento de toda a operação do Censo Demográfico de 2010, o conteúdo do questionário, a preparação da Base Territorial.

Enchentes: BNB libera novos recursos Medidas para facilitar o pagamento de dívidas e possibilitar novos investimentos, com um crédito adicional de R$ 100 milhões para os setores da carcinicultura e da pesca atingidos pelas enchentes no Ceará, foram anunciadas pelo presidente do BNB, Roberto Smith. As dívidas que estão vencendo no período de 1º de abril de 2009 a 30 de junho de 2010 poderão ser prorrogadas para o fim do financiamento. Essa é uma das medidas anunciadas pelo Banco do Nordeste do Brasil para beneficiar os dois setores prejudicados com as perdas causadas pelas enchentes. No caso da criação de camarões, a estimativa é de um prejuízo de R$ 80 milhões decorrentes da perda de 40% da produção, em média ou oito mil toneladas.

Dos 539 mil clientes que podem ser beneficiados pela Lei 11.775, cerca de 238 mil no Nordeste e norte de Minas Gerais e Espírito Santo, já renegociaram suas dívidas. O Ceará, das 55.370 operações no valor de R$1,5 bilhão, cerca de 22.150 , ou 35,5% , no valor de R$ 144,7 milhões, já negociaram. O presidente Roberto Smith, disse que as melhores condições de pagamento que a lei 1 1.175 contempla têm por objetivo trazer á normalidade os que estão em débito. Assim, eles pagam 1% do que devem, ter o rebatimento do total da dívida, e pegar um financiamento de outras fontes de recursos que não o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

CE deve ampliar exportação de carnes O Ceará vai ganhar um estímulo para produzir gado. È que o terminal Portuário do Pecém deverá ampliar sua capacidade de exportar carne bovina para o mercado da Europa, a partir de julho deste ano, ou seja, oportunidade para vender. Além disso, segundo o diretor de Desenvolvimento Comercial da Companhia de Gestão Portuária do Ceará(CearáPortos), Mário Lima Júnior, o Estado também deve ser incentivado a eliminar o risco de febre aftosa da sua produção. Segundo o Diretor, a favor do Ceará para a exportação deste tipo de produto está o fato de que os estados de Tocantins e Pará são grandes exportadores de carne bovina para mercados russo e europeu,mas devido a grande demanda pelo produto estão tendo dificuldade para escoarem os pedidos pelos portos de Santos(SP) e Itajaí(SC); Por conta disso, buscam outros portos para o atendimento dessa demanda, inclusive no Nordeste. O Ceará exporta atualmente cerca de 300 contêineres por ano de carnes para estes mercados, mas podemos chegar a 2 mil contêineres.

Novo chefe da Embrapa Caprinos e Ovinos defende a construção de um Centro de Formação A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Caprinos, localizada na cidade de Sobral/CE, recebeu no dia 19 de maio o novo chefe-geral da unidade, o pesquisador e médico veterinário Evandro Vasconcelos Holanda Júnior, que tomou posse no auditório da empresa, Dep. Manoel Rodrigues dos Santos, às 10h, contando com a presença de autoridades políticas municipais e estaduais, artistas regionais e ainda a do diretor executivo da Embrapa, José Geraldo Eugênio de França e do assessor da diretoria, Fernando Campos. O novo chefe adiantou que juntamente com a sua equipe está articulando a construção de um Centro de Formação Continuada. Tendo como objetivo, beneficiar a formação e a reciclagem de técnicos para as escolas das famílias agrícolas, agrotécnicas, produtores, agricultores familiares, abordando todas as classes sociais. A idéia é fazer com que tenhamos condições de atender o maior número de pessoas nesta unidade. E ainda, formar novos multiplicadores que estarão capacitados para implementar às novas tecnologias , ressalta.

Nesta edição /// Os dez segmentos que impulsionam o agronegócio da pecuária cearense O Pecnordeste não é um segmento qualquer é um arquipélago de seminários que envolvem os setores da cadeia produtiva da pecuária e ainda dois segmentos não agrícolas (Artesanato e Turismo). São dez auditórios do Centro de Convenções do Ceará funcionando, simultaneamente, com uma programação especial voltada para estas áreas do agronegócio. Confira os detalhes. Pág 9

Pecnordeste discute Semiárido, Pecuária e Desenvolvimento Pág. 3

Homenageados com a medalha Prisco Bezerra Em reconhecimento aos relevantes serviços prestados em prol do engrandecimento do setor agropecuário, a Diretoria Plena da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará - FAEC - confere em 2009, a Medalha do Mérito Rural Professor Prisco Bezerra à duas personalidades e a uma instituição, que representam as áreas política e/ou administração pública; científica, econômica, tecnológica ou de ensino e produção e/ou liderança classista. Pág 4

Entrevista com a senadora Kátia Abreu Foto: Divulgação

Foto: Jailson Silva

Caminhada vitoriosa

Visite o estande interativo da CNA,FAEC,SENAR e SEBRAE A senadora Kátia Abreu, a primeira mulher a presidir uma Confederação, concede entrevista ao Jornal União Rural, conversa sobre a Reformulação da Política Agrícola e também sobre a sustentabilidade da agricultura, entre outros temas. Pág 7

Você não pode deixar de visitar o estande institucional interativo da CNA, FAEC, SEBRAE e SENAR-CE. Ocupando uma área de 700 m2, no Bloco G do Centro de Convenções, o local nos permite visualizar através de painéis fotográficos a perfeita integração entre os órgãos regionais que promovem o Pecnordeste, através do destaque dos programas regionais elaborados e executados conjuntamente como o APRISCO Nordeste, APIS Nordeste e Programa Empreendedor Rural.

ALERTA  O PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL É OBRIGATÓRIO E, ENTRE AS SANÇÕES, ESTÁ A COBRANÇA JUDICIAL.

AGRICULTURA COM MAIS CRÉDITO 2009-06-05 09:45


Palavra do Presidente Composição da Diretoria Presidente José Ramos Torres de Melo Filho; 1º Vice‒Presidente Flávio Viriato de Saboya Neto, Vice‒Presidente de Administração e Finanças Sebastião Almeida Araújo; Vice‒Presidentes Carlos Bezerra Filho, Expedito Diógenes Filho, Francisco de Assis Vieira Filho, João Ossian Dias, Moacir Gomes de Sousa. Conselho Fiscal ‒ Efetivos Inácio de Carvalho Parente, Normando da Silva Soares, Paulo Helder de Alencar Braga. Suplentes Expedito José do Nascimento, Francisco Francivaldo Cruz, José Beroaldo Dutra de Oliveira Chefe de Gabinete: Gerardo Angelim de Albuquerque

Expediente Editora e Redatora: Silvana Frota / MTB 432 Estagiário: Jailson Silva Revisão: Gerardo Angelim de Albuquerque Editoração Eletrônica e Impressão: Expressão Gráfica Tiragem: 3000 exemplares União Rural ‒ Informativo FAEC/SENAR Ano 15 ‒ Nº 162 ‒ maio de 2009 Publicação Mensal da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR‒CE) Endereço: Rua Edite Braga, 50 Jardim América ‒ Fortaleza ‒ CE CEP 60425‒100 Fone: (85) 3535 8000 Fax: (85) 3535 8001 E‒mail: faec@secrel.com.br Site: www.faec.org.br

Departamento Sindical participa da eleição de posse de novos dirigentes

PECNORDESTE 2009

Por José Ramos Torres de Melo Filho Pres. da FAEC

O Semiárido do Nordeste capacitar produtores rurais com a abrange uma área de 974.752km2, utilização da melhor metodologia incluindo os 13,52% do Estado pedagógica possível. É um arquipélago de eventos de Minas Gerais, enquanto que o Estado do Ceará, de sua área total, que congrega as principais é constituída 92% de semiárido, instituições ligadas ao comércio, o que equivale a 136.328 km2 à indústria, ao serviço, como a que, apesar de sua instabilidade FECOMÉRCIO, a FIEC, a FACIC e todas as demais climática onde Associações predominam ... é o retrato vivo Produtoras do as secas, Ceará, além do muitas delas do agronegócio mundo acadêmico plurianuais, e o exemplo e científico, além das em prol do enchentes de cooperação desenvolvimento caudalosas entre pessoas e da pecuária como as que nordestina. A atualmente entidades... contribuição do ocorrem, tem PECNORDESTE uma vocação natural para o desenvolvimento para a difusão de tecnologia e da da pecuária, mormente após a mudança cultural, vem transformar incorporação à sua economia, dos o pecuarista em um verdadeiro cerrados da Bahia, do Maranhão e empresário rural. Paralelamente, ao segmento do Piauí. Esta a razão da escolha do tema central do evento, Semiárido da capacitação que contempla os setores da apicultura, - Pecuária e Desenvolvimento . O PECNORDESTE não é um da aquicultura e pesca, da da bovinocultura, simples Seminário é, na realidade, avicultura, caprinovinocultura, da como afirmamos na Audiência da Pública de seu lançamento oficial, equinocultura, da estrutiocultura promovida pela Comissão de e da suinocultura, ao lado do Agropecuária, Recursos Hídricos artesanato e do turismo rural no e Minerais da Assembléia espaço natural, abriga, ainda, a XIII Legislativa do Estado do Ceará, Feira de Produtos e de Serviços um aglutinador de instituições, é Agropecuários; o II Seminário de o retrato vivo do agronegócio e Revenda Agropecuária; o Encontro o exemplo de cooperação entre das Associações dos Executivos pessoas e entidades, com o objetivo dos SEBARE S do Nordeste de realizar um evento que conte ABASE/NE; pela primeira vez, o com a presença de professores, Encontro Nordestino do Setor médicos, engenheiros agrônomos, de Leite e Derivados, promovido pecuaristas e produtores bem pelo SEBRAE-CE; o I Encontro de sucedidos, para transmitir e Lideranças da Caprinovinocultura

do Nordeste Brasileiro; a Galeria de Inovações Tecnológicas desenvolvidas pela Embrapa e a Universidade Federal do Ceará; as Oficinas de Capacitação e Inovação em Arenas e um Festival Gastronômico. Não foi esquecida a preocupação com os temas macroeconômicos ligados ao setor agropecuário e à economia da região, razão por que, diariamente, no decorrer de três dias, serão promovidas três palestras da maior atualidade, a primeira delas será proferida pelo ex-Ministro Alysson Paolinelli, a quem o Brasil deve o desenvolvimento do Centro-Oeste, versa sobre Serviços Ambientais , objetivando a transformação, em atividade econômica, os cuidados com o meio ambiente; a segunda a ser proferida pelo Professor Roberto Smith, Presidente do Banco do Nordeste do Brasil, trata do Desenvolvimento Regional e o Semiárido Nordestino , assunto que, lamentavelmente, foi retirado, há muito tempo, da pauta de preocupações governamentais e, finalmente, no dia 18 de junho, o Doutor em Ecologia e Pesquisador da Embrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo Eduardo de Miranda, discorrerá acerca do Alcance Territorial da Legislação Ambiental e Indigenista Implicações para o Agronegócio .

Nos bastidores Nós que também acompanhamos de perto a movimentação diária na Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará,Faec, divulgando o Pecnordeste e outras ações da Federação e do Senar-Ce, podemos atestar com toda convicção o empenho dos seus dirigentes e servidores em dar o melhor de si para que o evento mais uma vez se realize, sempre na busca de novidades para oferecer ao seu público-alvo. Este é o maior evento que a Faec/Senar e o Sebrae promovem de forma conjunta no Ceará, englobando nove estados do

2 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 2 of 6 - Pages(2, 11)

Nordeste,o que por si só, já diz do seu tamanho e da responsabilidade em promovê-lo. Uma equipe super enxuta e devotada trabalha desde novembro do ano passado, especialmente, a Comissão Técnico Científica dirigida pelo engo.agronomo Antonio Bezerra Peixoto, que cuida da escolha dos temas das palestras, mesas redondas, oficinas, enfim, da programação científica composta por 42 devotados técnicos de diversos órgãos. Na outra ponta, a diretoria colegiada, tendo à frente o Presidente Torres de Melo, o vice-presidente e

superintendente do Senar-CE, Flávio Saboya, bem como o diretor Técnico do Sebrae-CE, Alcy Porto Gurgel e sua equipe , unindo esforços para conseguir as parcerias tão necessárias a um empreendimento de tal envergadura. Na organização geral, a Diretora de Eventos, Ana Cecília Peixoto Sousa juntamente com a Prática Eventos,(leia-se Enid Câmara e sua equipe), trata da montagem do layout, vendas dos estandes e da busca por patrocínios. Nos Sindicatos Rurais a mobilização dos produtores para comparecerem ao Pecnordeste.

Enfim, todos envolvidos para alcançar um único objetivo: realizar pelo 13o ano consecutivo o Pecnordeste e a sensação já é de vitória, de missão cumprida. Na Assessoria de Imprensa a correria também é grande, busca de espaços, visitas aos órgãos de comunicação, entrevistas, edição do jornal União Rural especial sem falar, na cobertrura do evento propriamente dito durante os três dias. Uffa, chegamos ao tão esperado dia. Parabéns, a todos que trabalham nos bastidores. Silvana Frota- Editora

Eleição e posse da diretoria do Sinrural de Amontada-CE Nilza Luna (branco) e Jucileide Nogueira, palestram em Amontada-CE

No mês de maio, o Departamento Sindical da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará - FAEC, na pessoa da Senhora Maria Nilza Luna Lucas, elaborou os processos eleitorais e participou, como Presidente dos trabalhos, da eleição e posse dos Sindicatos Rurais de Amontada (08/05), Ibiapina (14.05) e Guaraciaba do Norte (15/05), que tiveram a renovação de suas Diretorias, sendo eleitos para presidentes, os empresários rurais Humberto Albano de Menezes, José Gerardo Lima Melo e Gilberto Baltazar de Mesquita, respectivamente, que cumprirão um mandato de 03 (três) anos. Esta Federação, na pessoa do seu Presidente, José Ramos Torres de Melo Filho congratula-se com os companheiros eleitos e empossados daqueles Sindicatos, que buscam, voluntariamente, o crescimento e a organização do agronegócio em seus municípios. No município de Amontada foi proferida palestra, para os produtores rurais, sobre a Legislação Trabalhista e Previdenciária Rural, pela consultora do Sistema FAEC/SENAR, Jucileide Maria Silva Nogueira.

Em processo de reativação, os Sindicatos Rurais de Santana do Acaraú, na pessoa do advogado e empresário rural, José Expedito Tomaz Arcanjo, cuja eleição ocorrerá no dia 25 de junho de 2009, convocada por Edital, pelos produtores Paulo Ercy Araújo, Antonio Gomes Neto Arcanjo, Sebastião Cavalcante e Francisco Helder Lopes; Mauriti, através do advogado e produtor rural José Artálio Barroso Leite e do vice-Prefeito, Dr. Expedito de Oliveira Leite. Os representantes do agronegócio dos referidos municípios buscam, através dos Sindicatos, a reorganização dos empreendedores rurais. Cabe a este Departamento, apoiá-los administrativamente, providenciando a documentação necessária para consolidar seus objetivos.

Eleição e posse do Sinrural de Guaraciaba do Norte

Lembramos aos Senhores Presidentes dos Sindicatos que se encontram com os mandatos vencidos, ou prestes a vencer, que entrem em contato com o Departamento Sindical da FAEC, através do telefone (85) 3535-8010 ou do E-mail: nluna@faec.org.br, para que o seu processo eleitoral seja regularizado.

Sindicatos Rurais e seus respectivos Presidentes MUNICÍPIO

PRESIDENTE

FONE

ACOPIARA

FCO CHAGAS DE CARVALHO NETO

(88) 9908.9299

ALCÂNTARA

JOSÉ OSMAR LOPES

(88) 9238.7228

ALTANEIRA

RAIMUNDO NOGUEIRA SOARES

(88) 9934.3543

AMONTADA

HUMBERTO ALBANO DE MENEZES

(88) 9955.1178

ARACATI

NORMANDO DA SILVA SOARES

(88) 8813.9837

ARACOIABA

GERARDO ALVES DE MELO

(85) 9989.4365

AURORA

FRANCISCO TARCISO LEITE

(88) 3543.1438/1063

BANABUIÚ

JOSÉ ERNANDO DE OLIVEIRA

(88) 9965.0181

BATURITÉ

FRANCISCO INÁCIO DA SILVEIRA

(85) 8681.1243

BEBERIBE

SEBASTIÃO FILGUEIRAS BASTOS

(85) 9628.8767

BOA VIAGEM

FRANCISCO DE ASSIS LIMA

(88) 3427.1080

BREJO SANTO

FRANCISCO VALMIR DE LUCENA

(88) 9964.1518

CARNAUBAL

JOSÉ AUGUSTO TAVARES

(88) 3650.1449

CASCAVEL

PAULO HELDER DE ALENCAR BRAGA

(85) 9981.4357

CATUNDA

JOÃO BRANDÃO DE FARIAS

(88) 9225.2691

CAUCAIA

RICARDO BEZERRA NUNES

(85) 3342.1512

CEDRO

JOSÉ BEZERRA VIANA

(88) 3564.0173

COREAÚ

JOSÉ PINTO DE ALBUQUERQUE

(88) 9928.0245

CRATEÚS

ANTONIO NARCELIO DE O. GOMES

(88) 3691.3034

CRATO

FRANCISCO FERREIRA FERNANDES

(85) 9969.6011

GRANJA

PEDRO FONTENELE DE SOUSA

(88) 9635.8512

GUAIÚBA

HAROLDO MOURA SALES

(85) 9958.8430

GUARACIABA DO NORTE

GILBERTO BALTAZAR DE MESQUITA

(88) 9952.8853

IBARETAMA

CARLOS BEZERRA FILHO

(88) 9968.1218

IGUATU

JOSÉ BESERRA MODESTO

(88) 3581.6178

INDEPENDÊNCIA

MOACIR GOMES DE SOUSA

(88) 3675.1011

IPU

FCO DAS CHAGAS PERES MARTINS

(88) 9916.0679

ITAPAJÉ

JOSÉ BEROALDO DUTRA DE OLIVEIRA

(85) 9188.9505

JAGUARETAMA

EXPEDITO DIÓGENES FILHO

(85) 9951.2731

JAGUARIBE

MARIA ZIMAR PINHEIRO DIÓGENES

(88) 9218.1412

LIMOEIRO DO NORTE

LUIZ MENDES DE SOUSA ANDRADE

(88) 8758.8749

MARANGUAPE

FRANCISCO DE ASSIS VIEIRA FILHO

(85) 3341.5575

MARCO

ALEXANDRE MAGNUM LEORNE PONTES

(88) 9928.1092

MASSAPÊ

JOSÉ T. VASCONCELOS JÚNIOR

(88) 9955.6915

MILAGRES

FRANCISCO WILTON FURTADO ALVES

(88) 9952.5760

MISSÃO VELHA

FRANCISCO FRANCIVALDO CRUZ

(88) 8833.4008

MONSENHOR TABOSA

FCO DAS CHAGAS FROTA ALMEIDA

(88) 3696.1254

MORADA NOVA

FCO EDUARDO B. DE LIMA JUNIOR

(88) 9921.7979

MORAÚJO

MARCOS AURÉLIO ARAÚJO

(88) 3642.1016

MORRINHOS

JOÃO OSSIAN DIAS

(88) 9904.9316

MOMBAÇA

FRANCISCO DANÚBIO DE ALENCAR

(88) 8806.8846

NOVA RUSSAS

EUGÊNIO MENDES MARTINS

(88) 3672.1231

PIQUET CARNEIRO

EXPEDITO JOSÉ DO NASCIMENTO

(88) 3516.1810

QUIXADÁ

FCO FAUSTO NOBRE FERNANDES

(88) 3412.1616

QUIXERAMOBIM

AIRTON CARNEIRO

(88) 3441.0005

QUIXERÉ

VALDIR GONÇALVES LIMA

(88) 3423.6955

RUSSAS

PEDRO MAIA ROCHA JUNIOR

(88) 3411.1016

SANTANA DO CARIRI

JOSÉ CIDADE NUVENS

(88) 3545.1456

SENADOR POMPEU

JOSIEL BARRETO DA SILVA

(88) 3449.0375

SOBRAL

HIRAM ALFREDO CAVALCANTE

(88) 3614.5592

TABULEIRO DO NORTE

EDNARD FERNANDES DE A. FEITOSA

(88) 9913.7270

TAMBORIL

FRANCISCO EDMILSON SOARES

(88) 3617.1160

TAUÁ

JOSÉ LÚCIO DO NASCIMENTO FILHO

(88) 3437.1431

TIANGUÁ

FERNANDO ANTO. V. MOITA

(88) 9602.9046

TRAIRI

JOÃO ALVES FREIRE

(85) 9928.6153

UBAJARA

INÁCIO DE CARVALHO PARENTE

(88) 9953.5382

VIÇOSA DO CEARÁ

WILLAME REIS MAPURUNGA

(88) 3632.1544

SINDICATO

PRESIDENTE

FONE

SINDICATO DOS PRODUTORES DE LEITE - SPL

JOSÉ DOS SANTOS SOBRINHO

(85) 9997-3506

COORDENADOR

REGIÃO

FONE

INÁCIO DE CARVALHO PARENTE

REGIÃO DA IBIAPABA (UBAJARA)

(88) 9953-5382

COORDENADOR REGIONAL

11 2009-06-05 09:45


suinocultura Estrutriocultura A Avestruz foi introduzido no Brasil há pouco mais de 12 anos e apesar do pouco tempo já se pode notar uma evolução na tipologia do investidor. Hoje, o perfil do criador de avestruzes é o empresário com raízes agrárias, atuando na agropecuária de médio ou grande porte. A possibilidade de ganhos elevados em prazo médio era um grande incentivo. Por isso o criador comprava um número grande de animais e tinha plena consciência da finalidade última da estrutiocultura: a produção de carne, couro e plumas. O semiárido nordestino foi deflagrado como uma das melhores opções geográficas para a criação de avestruzes, pelo fato de possuir condições de clima quente, seco, com baixa pluviometria e alto fotoperíodo (dias ensolarados), fatores que aumentam sensivelmente a produção desta ave, que é originária das savanas africanas. Na contramão da criação, no entanto, temos a escassez de água, a falta de terras produtivas em grãos (principalmente soja e milho, alimentação básica do avestruz), a falta de mão- de-obra especializada, tanto técnica, bem como a de manejo diário (gerentes de produção, incubadores, ajudantes em geral, etc). O Ceará conta hoje com cerca 200 criadores e mais de 10.000 cabeças de Aves. A comercialização da Carne, Pena e Plumas tem tido

Em 2006, suinocultura produziu 2,86 milhões de toneladas de carne, exportando cerca de 528 mil toneladas, em todo o País. Para entender melhor este segmento, nesta 13ª edição do Pecnordeste, a Comissão Técnico-Científica vai realizar a palestra sobre o Caso de Sucesso ‒ ASSUVAP/COOSUIPONTE, a cargo da gerente de marketing da Associação dos Suinocultores do Vale do Piranga, Lívia Machado. Será neste espaço, que o participante terá a oportunidade de entender o ciclo econômico da suinocultura, visando à prosperidade desta atividade e ainda de conhecer as Boas Práticas na Fabricação de Rações. As palestras acontecem no Mini Auditório B1 e também no Auditório Principal do Centro de Convenções. Diante dos problemas que foram a gripe suína que assolou parte do planeta e a crise mundial e ainda queira saber como está e quais os rumos do segmento, o participante não pode perder a palestra Perspectiva da Suinocultura Brasileira para 2009 e qual o efeito da crise, a cargo do engº agrônomo Rubens Valentini.

Turismo no Espaço Rural Políticas Públicas voltadas para o desenvolvimento do Turismo no Espaço Rural e Natural, será o tema da palestra realizada pela diretora do Ministério do Turismo, Regina

Cavalcante. Com o objetivo de fazer um debate acerca do desenvolvimento deste segmento, os interessados vão poder ainda conhecer um pouco mais sobre o Turismo no Espaço Rural e Natural, por meio de uma mesa redonda composta por várias personalidades que compõem este novo segmento. Outras novidades devem atrair a atenção do público, como exemplo temos as visitas técnicas aos empreendimentos que trabalham com o turismo. Desta forma teremos um ônibus saindo do Centro de Convenções, nos dias 18,19 e 20, às 8h, com destino a diversas propriedades rurais situadas nos municípios de Maranguape, Guaiúba, Baturité, Mulungu, Pacoti e Beberibe. Além de ficar por dentro das Novas Estratégias do Turismo Rural, exposta pela sócia proprietária da Operadora Brasil Rural, Andréia Roque Arantes. As atividades vão acontecer no Mini auditório B2 e no Auditório Principal do Centro de Convenções do Ceará, em Fortaleza.

Coordenadores Setoriais  Bovinocultura Eduardo Queiroz de Miranda  Artesanato Maria Edny Silva Lemos  Aquicultura e Pesca Osvaldo Segundo da Costa Filho  Estrutiocultura Raimundo Luiz Furtado de Arruda  Avicultura Francisco Bernardo S. Carneiro  Caprinocultura Jeovah Júnior Cordeiro Maciel  Apicultura José Xavier Leal Neto  Equinocultura João José F. Evangelista  Suinocultura Paulo Helder de Alencar Braga  Turismo no Espaço Rural e Natural Cel. Francisco de Andrade Garcez

VII ENEL - Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados O setor lácteo brasileiro tem se destacado nos últimos anos no mercado internacional. Atualmente, o Brasil é o sétimo maior produtor mundial do alimento com uma produção estimada em 27 bilhões de litros/ano de leite de vaca, possui ainda cerca de 1,2 milhão de propriedades leiteiras, onde a média de produção é de 3 litros de leite por animal/dia. Como produtor de leite de cabra, o País ocupa a oitava posição mundial com 141 milhões de litros/ano. Em 2007, o Nordeste produziu cerca de 3,33 bilhões de litros de leite de vaca, com destaque para os estados da Bahia, Pernambuco e Ceará, totalizando uma produção de mais de 2 milhões/ litros/ano. No entanto, as maiores produtividades foram conquistadas

10 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 3 of 6 - Pages(10, 3)

pelos estados de Alagoas, Pernambuco e Sergipe, respectivamente, onde se verificou um avanço do setor no que se refere ao uso das tecnologias para melhorar o desenvolvimento do segmento. Apesar dos esforços na busca de melhorias tecnológicas do setor e o potencial produtivo do país, a pecuária leiteira brasileira ainda está longe de alcançar sua eficiência em produtividade, visto os baixos índices zootécnicos, quando comparados a paises como Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália entre outros reconhecidamente produtores de leite. Outro problema é a questão da qualidade do leite, fluído ou como matéria-prima para industrialização de produtos lácteos, isso significa a necessidade de ampliar a profissionalização e

qualificação do produtor, melhorar a sanidade e rastreabilidade, portanto o investimento em inovação com tecnologias e o melhor aproveitamento de áreas são fatores que podem fazer com que o Nordeste e o País dobre a produção. Na busca de mudança de rumos para a pecuária leiteira da região Nordeste o VII ENEL ‒ Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados, uma realização do SEBRAE s da região Nordeste, consolida-se como um dos melhores eventos na difusão de tecnologias sobre produção de leite e derivados, sendo referência no Nordeste. Este ano em consonância com o XIII Pecnordeste dentro do qual ocorrerá terá como tema Semiárido - Pecuária e Desenvolvimento , reu-

nindo os principais especialistas do Brasil, empresários do setor, representantes de universidades e empresas de pesquisa, produtores e a participação do público em geral. Paralelo à parte científica do encontro, os participantes poderão acompanhar o VII Concurso de Queijos Regionais; organizado pelo Instituto Cândido Tostes, cuja premiação encerra as atividades do Congresso, no dia 18, às 20h. Além da realização do III Fórum da caprinocultura leiteira, II Festival Gastronômico de Produtos Lácteos, e exposição de Equipamentos, Embalagens e Insumos para a Indústria de Laticínios (Vitrine do Leite). José Vandi Matias Gadelha Gestor de Agronegócio do SEBRAE-Ce

PECNORDESTE o maior evento da pecuária regional

O lançamento oficial, no dia 25 de maio durante Audiência Pública na Assembléia Legislativa

Semiárido Pecuária e Desenvolvimento. Este é o tema do XIII Seminário Nordestino de Pecuária - Pecnordeste 2009, evento que acontece de 15 a 18 de junho, no Centro de Convenções do Ceará, em Fortaleza, realizado e coordenado por um grupo gestor integrado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará ‒ FAEC, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural ‒ SENAR/CE e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Ceará, SEBRAE/CE em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do BrasilCNA. A organização está a cargo da Prática Eventos . O PECNORDESTE é considerado hoje, o maior evento da pecuária nordestina e, segundo o Presidente da FAEC, José Ramos Torres de Melo Filho, um dos objetivos do Pecnordeste e de sua Feira de Produtos Agropecuários é estimular o empreendedorismo

Os Números 34 Palestras Técnicas 13 Oficinas de capacitação 09 Mesas Redondas 03 Palestras Globais - Serviços Ambientais, Desenvolvimento Regional do Semiárido Nordestino, Alcance Territorial da Legislação Ambiental e Indigenista Brasileira - Implicações para o Agronegócio. 06 Painéis 01 Wosrkshop sobre o Panorama da estrutiocultura no Nordeste (criação de avestruz) 03 Visitas Técnicas

Eventos Paralelos II Seminário Nordestino de Revendas Agropecuárias VII ENEL- Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados Encontro da ABASE-NE  Festival Gastronômico (com cozinha Interativa) Galeria de Inovações Tecnológicas 03 Palestras Globais Palestras Extras e Mesas Redondas

rural, ampliando e divulgando os programas voltados para este segmento, novas tecnologias, além de viabilizar a exposição e comercialização de máquinas, equipamentos animais, artesanato, produtos derivados e insumos necessários ao desenvolvimento sustentável do agronegócio da pecuária regional. Torres de Melo, explica que o ano de 2009 será de incertezas, não só pela quebra da produção já prevista pela instabilidade dos preços das commodities, pela crise de crédito para o financiamento de sua exportação e sobre tudo da recessão já instalada na maioria dos países importadores. A exemplo da pecuária nacional, a pecuária nordestina, principalmente a do semiárido, deverá buscar novas alternativas para obter um melhor desempenho, como também buscar uma contribuição à altura dada a necessidade de participação e do equilíbrio regional. Este é

um momento para a união de esforços. Desta forma, a integração dos sistemas SEBRAE, CNA-SENAR, em um evento da importância do Pecnordeste é de grande significado para o desenvolvimento regional, destaca o Presidente da FAEC... A escolha do tema: Semiárido Pecuária e Desenvolvimento, tem como objetivo o relançamento da discussão das políticas de desenvolvimento regional momentaneamente esquecidas, embora vitais para as questões do desenvolvimento nacional , disse o Presidente da FAEC, José Ramos Torres de Melo Filho. No momento em que se discute a revisão do Código Florestal Brasileiro e os estados começam, a elaborar a sua legislação, o Pecnordeste traz para discutir dentro das palestras globais três das grandes autoridades no assunto, que são o ex-ministro da Agricultura Alysson Paulineli que vai abordar o tema: Serviços Ambientais ; o doutor Evaristo Eduardo de Miranda, mestre em ecologia e pesquisador da Embrapa Monitoramento por Satélite - SP, que vai falar sobre Alcançe Territorial da Legislação Ambiental e Indigenista Implicações para o Agronegócio e, Roberto Smith, presidente do BNB e doutor em economia que abordará o Desenvolvimento Regional e o Semiárido Nordestino. O Pecnordeste é uma boa oportunidade para transmitir

novos conhecimentos, promove a capacitação de técnicos, produtores rurais e empresários rurais por meio das oficinas de Capacitação e Inovação em Arenas Especiais destacando-se temas como a Inseminação Artificial, Ferramenta de Melhoramento Genético e o Aumento da Produção de Leite, Ordenha Mecânica de Caprinos; Procedimentos e Interpretações das Análises do Leite, Produção de Derivados do Leite na Agricultura Familiar. Além disso, serão mantidos os seminários das atividades não agrícolas do meio rural, como o Artesanato e Turismo no Espaço Rural e Natural, por serem importantes mecanismos que dinamizam a economia rural , disse Antônio Bezerra Peixoto, coordenador da Comissão Técnico Científica. Haverá, ainda, como eventos paralelos, o Festival Gastronômico e Cozinha Interativa, com a participação de vários cheffs e coordenação do Senac, a II Feira de Revendas de Produtos Agropecuários, uma parceria entre a Avipec, Fecomércio, FIEC e FACIC, o VII ENEL (Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados coordenado pelo SEBRAE-CE), onde será instalada a Vitrine do Leite. Segundo a Coordenadora do Departamento de Eventos da FAEC, Ana Cecília Peixoto Soares, o evento contará ainda com 280 estandes montados, 200 expositores e espera alcançar, aproximadamente, R$ 25 milhões em negócios.

Lei inclui o Pecnordeste no calendário oficial de eventos do Estado Projeto de Lei de autoria do deputado Neto Nunes (PMDB), presidente da Comissão de Agropecuária e Recursos Hídricos das Dep. Neto Nunes duran- A s s e m b l é i a te lançamento do PEC Legislativa do Estado (Lei nº. 14.204/2008), incluiu o Seminário Nordestino de Pecuária - Pecnordeste, no calendário oficial de eventos do Estado do Ceará. A referida Lei já foi sancionada pelo Governador do Estado. Durante a audiência pública realizada dia 25 de maio, no auditório Murilo Aguiar da Assembleia Legislativa, que contou com a presença de diversos

Foto: Jailson Silva

Você já se perguntou qual a importância do cavalo no agronegócio? Para responder a esta pergunta e muito mais, basta comparecer na sala A1 do Centro de Convenções do Ceará, nos dias 16, 17 e 18 de junho para participar das palestras e aulas práticas durante o Pecnordeste. Aqui é o ambiente propício para aprender sobre a Reprodução e o Comportamento de Eqüinos, por exemplo.

uma boa aceitação no mercado interno. Por ocasião do PECNORDESTE, o participante terá a oportunidade de conhecer e discutir o Programa de Desenvolvimento da Estrutiocultura no Ceará. Programa do Governo do Estado que pretende levar a criação do Avestruz para a Agricultura Familiar, bem como conhecer a Avaliação Financeira da criação do Avestruz para o abate, além de partilhar de uma mesa redonda sobre a comercialização da carne, pele e plumas das aves.

Foto: Jailson Silva

Equinocultura

parlamentares e de representantes dos segmentos do agronegócio e da pecuária e, ainda representantes de Sindicatos e Associações, saudaram a iniciativa do deputado Neto Nunes. Para o Presidente da FAEC, José Ramos Torres de Melo Filho, a sanção da Lei é o reconhecimento do Poder Legislativo e do Governo do Estado, diante do esforço do segmento do agronegócio e da pecuária, na realização de um evento que já acontece há 13 anos e que vem se consolidando como um seminário técnico . Participaram, ainda, da audiência publica o superintendente do Sebrae-CE, Carlos Cruz, o superintendente do SENAR/CE, Flávio Viriato de Saboya Neto, o secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Agrário,

Antonio Rodrigues Amorim, o presidente da Ematerce, José Maria Pimenta, o Promotor de Justiça e presidente do Clube do Berro Francisco Leitão Moura, presidente do Sindleite, José Sobrinho entre outros presidentes de sindicatos e associações de produtores, estudantes, representantes do BNB, BB e UFC. Lei No 14.204 A lei de autoria do Dep. Neto Nunes, sancionada pelo Governador do Estado no dia 16 de setembro de 2008, dispõe sobre a inclusão do Seminário Nordestino de Pecuária - PECNORDESTE, no calendário oficial de eventos do Estado do Ceará.

3 2009-06-05 09:45


Homenageados com a Medalha Mérito Rural Em reconhecimento aos relevantes serviços prestados em prol do engrandecimento do setor agropecuário, a diretoria Plena da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará ‒ FAEC, confere em 2009. A MEDALHA DO MÉRITO RURAL PROFESSOR PRISCO BEZERRA , a duas personalidades e uma instituição, que representam as áreas política e/ou administração pública; científica, econômica, tecnológica ou de ensino e produção e/ou liderança classista. A referida medalha, instituída em 2002, já homenageou 20 personalidades e, em 2008, uma instituição, no caso, a Escola de Agronomia da Universidade Federal do Ceará, nas comemorações de seus 90 anos de pleno funcionamento.

Deputado Estadual Antonio Hermínio Bezerra Resende, nasceu no dia 27 de novembro de 1955, é formado em medicina, com especialização oftalmologia, pela Universidade Federal de Campina Grande. Representa a área política e/ou administração pública. Em 1994, o Dr. Hermínio Resende inaugurou o Hospital de Oftalmologia de Maracanaú, onde começou a se envolver com ações de voluntariado. Essas ações elevaram o nome do Médico junto à comunidade local e, acabaram por despertar o interesse da classe política de Maracanaú, que findaram o envolvendo e convencendo-o a participar da políticapartidária local. Em 1997, Resende assume o cargo de vice-prefeito de Maracanaú, função em que permaneceu por dois mandatos consecutivos. A partir de 2003, o Dr. Hermínio Resende, incentivado por amigos e populares e, motivado por seus ideais e sonhos de realizar ações mais concretas, que possam melhorar a qualidade de vida das comunidades a que tem acesso, bem como aproveitar a oportunidade para ajudar a região de suas origens, Crateús ‒ decidiu candidatar-se ao cargo de deputado estadual. A legislatura que se iniciou, em fevereiro de 2007, é seu primeiro mandato.

4 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 4 of 6 - Pages(4, 9)

Há alguns anos o Dr. Hermínio percebeu que as vagas disponibilizadas pelo Sistema Público de Saúde não eram suficientes para atender a todos que se dirigiam a sua clínica, em Maracanaú. Resolveu, então, atender a todos voluntariamente, criando o Programa Olho da Gente, que independente do poder público, passou a receber a todo o excedente. Hoje, através da unidade móvel, o programa atende nas áreas de oftalmologia e odontologia, nas comunidades. Fábrica de Músicos é mais um Programa voluntário da Clínica de Olhos Hermínio Resende.

O Banco do Nordeste do Brasil S/A, representando a área científica, econômica, tecnológica ou de ensino, banco de desenvolvimento criado pela Lei Federal nº 1.649, de 19 de julho de 1952, é uma instituição financeira múltipla, organizada sob a forma de sociedade de economia mista, de capital aberto, com cerca de 95% de seu capital sob o controle do Governo Federal. Sua missão institucional é Atuar, na qualidade de instituição financeira pública, como agente catalisador do desenvolvimento sustentável do Nordeste, integrando-o na dinâmica da economia nacional . Instituição voltada para o desenvolvimento regional, o Banco do Nordeste atua como órgão executor de políticas públicas, cabendo-lhe a administração do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) ‒ principal fonte de recursos utilizada pelo Banco para os financiamentos de longo prazo ‒ e a operacionalização do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) em sua área de atuação. É também o agente operador do Fundo de Investimentos do Nordeste (FINOR) e do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), este último criado em 2001 e alterado em 2007 pela Lei Complementar nº 125 que recriou a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - SUDENE. Com sede na cidade de Fortaleza, Estado do Ceará, o Banco tem

como área básica de atuação os nove Estados da região Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia), o norte e os Vales do Mucuri e do Jequitinhonha do Estado de Minas Gerais e o norte do Estado do Espírito Santo, compreendendo um total de 1.989 municípios. A força de trabalho e a estrutura do Banco são compostas por 5.979 funcionários e 182 agências, sendo 178 unidades localizadas na sua área básica de atuação e quatro agências extrarregionais, situadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. Com uma carteira de R$ 15,4 bilhões na área rural, o BNB é o segundo maior aplicador no Brasil em saldo aplicado no setor rural, ficando atrás apenas do Banco do Brasil. No tocante ao PRONAF ‒ Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o BNB contratou o valor de R$ 739,7 milhões em 2008, contando com uma carteira ativa da ordem de R$ 4,6 bilhões e 1,4 milhão de operações contratadas. O BNB mantém três fundos de apoio à pesquisa e aos projetos especiais de desenvolvimento. Em 2008, esses fundos apoiaram 453 projetos que totalizaram R$ 20,4 milhões com recursos não-reembolsáveis, contemplando pesquisas a exemplo da fruticultura com a Implantação e difusão de viveiros de mudas e bancos

Em 1966, já em Fortaleza, começou a trabalhar com avicultura em Mondubim, atual sede da Cialne. Homem de visão, depois de alguns anos adquiriu a parte do seu sócio, tornando-se Diretor Presidente ‒ sacrificando muitas coisas para poder realizar esse grande passo, chegando, inclusive, a morar por algum tempo na própria granja. Sempre pautado pela honestidade e pela vontade de superar os desafios que a vida apresenta, Sr. Francisco Carneiro compra, em meados de 1968, a Cialne II. Em 1971, entrando com o pé direito na nova década, o esforço de uma vida inteira começa a ser reconhecido, quando é homenageado com o prêmio de Melhor Avicultor do Estado do Ceará pela revista Avicultura. Desde então, a Cialne vem trilhando uma trajetória repleta de conquistas, ampliando suas atividades, expandindo o mercado de atuação, sempre mantendo o padrão de qualidade criado por seu fundador. Hoje a Cialne é líder na avicultura do norte e nordeste e a 5ª maior na produção de leite do Brasil. Uma empresa inovadora que investe em tecnologias para certificação da melhor qualidade, gerando, aproximadamente, 2000 empregos diretos no Ceará e contribuindo para o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade da região. Como homem de muita fé em Deus, ele se considera uma pessoa realizada. Até hoje trabalha com muita competência. Apesar de levar consigo os valores de outrora, não deixa de ficar atento às novas tecnologias ‒ as unidades de produção da Cialne são regularizadas, seguindo todas as normas de biossegurança necessárias para a obtenção de um produto de alta qualidade. Quem é quem na diretoria Plena da FAEC

comunitários de sementes. Empresário Francisco de Araújo Carneiro (Dico Carneiro), representando a área de produção e/ou liderança classista. Uma história de muita garra, luta e trabalho que começou há 50 anos. Francisco de Araújo Carneiro trabalhava com a família em Quixeramobim, no coração do Sertão Central. Em 1960, recém-casado, trabalhava com os irmãos na Carneiro e Companhia, uma empresa de descaroçamento de algodão. A experiência e as agruras da vida foram ensinando ao Sr. Francisco os verdadeiros valores do trabalho.

José Ramos Torres de Melo Filho Presidente Flávio Viriato de Saboya Neto 1º Vice-Presidente Sebastião Almeida Araújo Vice-Presidente de Administração e Finanças Vices-Presidentes Carlos Bezerra Filho Expedito Diógenes Filho Francisco de Assis Vieira Filho João Ossian Dias Moacir Gomes de Sousa

Os

segmentos que impulsionam o agronegócio da pecuária cearense

O Pecnordeste não é um segmento qualquer é um arquipélago de seminários que envolvem os setores da cadeia produtiva da pecuária e ainda dois segmentos não agrícolas (Artesanato e Turismo). São dez auditórios do Centro de Convenções do Ceará funcionando, simultaneamente, com uma programação especial voltada para estas áreas do agronegócio. Confira os detalhes.

Apicultura Em todo o Brasil, a exportação de mel de abelha teve um crescimento de 100%, em relação a 2007. De acordo com levantamento realizado pela Rede Apicultura Integrada Sustentada ‒ Rede Apis, o Ceará que possui cerca de 5 mil apicultores, saltou da quarta colocação para a terceira, comercializando um total de US$ 6,74 milhões. São Paulo lidera este mercado, tendo exportado US$ 13,3 milhões, seguido pelo Rio Grande do Sul, com US$ 8,69 milhões. Grande parte do mel brasileiro é exportado pelos Estados Unidos, no entanto o produto vem tendo boa aceitação do mercado europeu. O Nordeste, atualmente, responde por 35% de toda a produção de mel do Brasil, com destaque para os estados de Piauí e do Ceará. Este último, representa 9,03% da produção Nacional, ocupando a 5ª posição na produção do alimento. Superado, apenas, pelo Rio Grande do Sul e Santa Catariana. No Estado, alguns municípios da Região dos Inhamuns, como Parambu e Mombaça, vem se destacando na produção de mel. Outros destaques estão situados nas Regiões do Cariri e do Vale do Jaguaribe. Em 2007, o Ceará foi o campeão de participação com quase 900 produtores. Atualmente, possui mais de 100 casas de mel, destas apenas 20% estão certificadas. Na programação do Pecnordeste, Balanço das Ações do Setor de Apicultura do Nordeste , será o tema abordado pela mesa redonda que contará com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Apicultura, José Gomercindo Corrêa da Cunha. Além da oficina Etapas e Processos de Certificação de Casas de Mel . Está previsto ainda uma oficina Gastronômica que pretende ensinar aos participantes as formas de se consumir o produto. O nome desta oficina é Consumo de Mel Com, pois não devemos consumir o mel in natura e sim com alguma coisa , adverte o presidente em exercício da Federação Cearense de Apicultura, José Xavier Leal Neto. Confira a programação completa no site: www.pecnordeste.com.br.

Aquicultura e Pesca Em 2005, a produção brasileira alcançou cerca de 1 bilhão de toneladas, sendo que 9,2% desse total foram exportados. A aquicultura e pesca no Brasil, garante cerca de 834 mil empregos diretos e quase 2,5

milhões indiretos. Diante da importância do setor na economia brasileira, a Comissão TécnicoCientífica do PEC vem discutindo temas como as Tarefas e outros encargos aplicados na pesca e aqüicultura do Ceará, tendo como palestrantes o superintendente da SEMACE, Herbert de Vasconcelos Rocha e o gerente da COGERH, Paulo Miranda Pereira. Na ocasião, os participantes terão ainda a oportunidade de saber quais os Impactos na Carcinicultura Nacional em decorrência da legislação ambiental e da economia mundial. Além disso, a profª do Deptº de Engenharia de Pesca da UFC, Elenise Gonçalves de Oliveira fará uma apresentação de resultados de pesquisas voltadas para o desenvolvimento da pesca e aqüicultura. As atividades acontecem no Mezanino I e no Auditório Principal do Centro de Convenções do Ceará.

Artesanato Em outros momentos participávamos do PEC apenas com exposição e venda do artesanato cearense , disse a gerente da Célula de Apoio a Produção Artesanal ‒ CEART, Maria Edny Silva Lemos, durante o lançamento do PEC na Assembleia Legislativa, no último dia 25. Mas desde o ano passado, o artesanato participa como segmento no Seminário Nordestino de Pecuária. Em conjunto com o SEBRAE/CE, a CEART vem desenvolvendo palestras sobre temas referentes ao artesanato e, principalmente, sobre a nova postura que o setor produtivo deve ter com o meio ambiente. Além das oficinas ligadas a questões ambientais. Repetindo o sucesso das participações anteriores, o segmento Artesanato do PEC vai promover a exposição e venda dos produtos cearenses.

Avicultura O Ceará ocupando a 11ª posição na produção de frango no Brasil, com um plantel de 10 milhões de aves para o corte, atingindo um volume semanal de 1.6 milhão, sendo 4 mil toneladas por semana. Para a postura comercial, o plantel é avaliado em 6 milhões, produzindo cerca de 3.2 milhões de ovos por dia. Em relação ao Nordeste, o Estado é o 2º maior produtor de ovos e o 3º na produção de corte. Ficando atrás apenas de Pernambuco e da Bahia. Neste ano, o Pecnordeste vai abordar durante os três dias palestras, mesas redondas, oficinas. Abrindo espaço para discussões voltadas para o Mercado Internacional, o Apoio Governamental para Exportações, Avicultura Industrial de Postura. Além de debates sobre o Abastecimento de Grãos, expostas pelo se-

cretário de Política Agrícola do MAPA, Edílson Guimarães, pelo coordenador Geral de Cereais e Culturas Anuais do MAPA, Silvio Farnese e por Rogério Colombini de Moura Duarte que é diretor de Gestão de Estoques da CONAB. Esta mesa será coordenada pelo presidente da ACETAV, o médico veterinário Francisco Bernardo S. Carneiro.

Bovinocultura Este segmento brasileiro representa o maior rebanho comercial do mundo, com quase 205 milhões de cabeças. A carne bovina do País chega à mesa de mais de 170 nações, com cerca de 2,2 milhões de toneladas, em 2006. Gerando, ainda, mais de 7 milhões de empregos. Momento propício às novidades da pecuária mundial para os produtores nordestinos, através de palestras, oficinas, mini-cursos e mesas redondas. A novidade, neste ano serão as inovações sobre a Alimentação Animal e Prática de Inseminação Artificial Animal, destaca o coordenador do segmento do Pecnordeste, Eduardo Queiroz.

Caprinovinocultura Na produção de caprinos, o Brasil possui um plantel de 10,6 milhões de cabeças, destes 92,4% estão concentradas no Nordeste, o Ceará possui 10% do total do rebanho nordestino, ficando atrás da Bahia(42%), Pernambuco(18%) e Piauí(14%), dados do IBGE de 2007. A região Nordeste é a maior produtora de leite de cabra no Brasil. E vem apresentando melhora no manejo alimentar, sanitário e reprodutivo. Já o rebanho ovino nacional é da ordem de 10,3 milhões de cabeças, destes 58,6% estão concentradas no Nordeste e 21% no Ceará. A região é ainda berço das raças especializadas em corte, com destaque para as raças Santa Inês e Morada Nova. É neste momento de oportunidades e desafios para o segmento, que o Pecnordeste apresenta à sociedade as inovações para a disseminação da cultura, através de palestras como Estratégias de Produção Coletiva de Caprinos e Ovinos e Melhoramento Genético na Caprinocultura. E para somar os esforços e avançar no setor, os organizadores montaram ainda as palestras sobre o Panorama e Desafios em Ovinos e Caprinos e, especificamente, para a região, o Desenvolvimento Regional e o Semiárido. Além de oficinas e mesas redondas. Segundo o coordenador do segmento no Pecnordeste, Jeovah Maciel, ao ser indagado sobre a febre aftosa, ele afirma que a partir do momento em que sairmos da situação de risco desconhecido, o Ceará vai dar um salto na procura pelo caprino e ovino .

9 2009-06-05 09:45


Comissão Técnico-científica elabora programação Foto: Jailson Silva

Empreendedor Rural: capacita quase 1500 produtores

Comissão Técnico-científica

Anísio Carvalho (de verde) e Eduardo Queiroz (de cinza) durante a entrega dos certificados da turma de Beberibe na A.L.

Mostrar ao homem do campo as ferramentas que vão contribuir com o seu desenvolvimento pessoal e ainda com a gestão da produção rural, expondo os canais de comercialização dos produtos e ampliando a capacidade influenciadora dos participantes nas transformações da sociedade. Estes são alguns dos objetivos do Programa Empreendedor Rural ‒ P.E.R., instalado no Esta-

Caso de sucesso no CE rende prêmio Nacional

Ademácia Temoteo Rosa

do do Ceará desde 2007, executado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR/CE e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará - SEBRAE/CE, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará ‒ FAEC, os Sindicatos Rurais e Governo do Estado. Em 2008, foram beneficiados 33 municípios de 11 regiões, capa-

Um bom exemplo empreendedor, vem do interior do Ceará, da Fazenda Jatobá dos Rosas, na cidade de Crateús. Produção Sustentada de Bovinos e Ovinos, projeto da aluna do Empreendedor Rural, engª agrônoma Ademárcia Temoteo Rosa, que seguindo a seqüência desenvolvida pelo curso, ficou entre os melhores projetos do Estado. O Empreendedor Rural superou minhas expectativas. No primeiro módulo achei que seria um outro curso chato, pois além do conteúdo técnico seria abordado o lado comportamental , destaca Rosa por apreciar os cursos voltados para a área técnica. Segundo ela, a partir do segundo módulo Desenvolvendo Competências Pessoais passou a aceitar o desafio proposto. E revela sem exagero, foi a melhor aula que já assisti . De acordo com Rosa, antes do P.E.R. não enxergava a propriedade como uma empresa , foi durante o curso que passou a ter esta visão. Após um diagnóstico da situação

Critérios de Avaliação A Comissão Julgadora do Programa Empreendedor Rural 2009 no Estado do Ceará é composta pelos representantes do Banco do Nordeste do Brasil - BNB, José Crisostomo; do Banco do Brasil, Mauricio de Mesquita Siqueira; da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior ‒ SECITECE, José Ismar Parente; do Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia do Estado do Ceará - CREA, João Hélio Torres D Avila; da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Cascavel, Maria Gláucia Landim Barrocas e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará

8 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 5 of 6 - Pages(8, 5)

citando 644 novos empreendedores. Os participantes desta edição vão receber os certificados, em junho, durante o Pecnordeste 2009, na presença da presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, senadora Kátia Abreu. O Empreendedor Rural é um programa transformador, motivador e capaz de contribuir para o processo de mudanças de atitudes

da propriedade, onde foram descritos todos os capitais (natural, físico, financeiro, humano e social). A engenheira chegou à conclusão de que as atividades desenvolvidas na propriedade não davam prejuízo, mas também não davam lucro. Ela explica que o retorno anual era de 2096%, isto significa 0,96% ao mês. Estávamos trabalhando de graça , afirma. Para contornar a situação, Rosa que é filha do proprietário da Fazenda, elaborou um Planejamento Estratégico, que deve dar um salto na qualidade dos produtos e também na vida dos moradores, aumentando a produção de forma sustentada. Entre as metas está a expansão da área irrigada; a produção de 100 ovinos/ano, com idade para o abate em até 8 meses e peso vivo, em média, de 37kg; a produção de 14 bovinos/ano, com o peso vivo médio de 280 kg e com idade para o abate de 24 meses; o cultivo de 2 ha de milho por ano. Além da implantação de um banco de proteína em uma área de 2

- EMATERCE, Francisco Bérgson Parente. São levados em consideração mais de 20 itens para a avaliação dos projetos. Indicando os três melhores projetos para concorrerem com outros empreendedores a nível nacional. Os cearenses indicados foram: Adermárcia Temoteo Rosa da Fazenda Jatobá dos Rosas, em Crateús/CE, com o projeto sobre Produção Sustentada de Bovinos e Ovinos ; a aluna Maria Zimar Pinheiro Diógenes, da Fazenda Capitão Deodato - Jaguaribe/CE, com o Projeto de Iogurte e o aluno Francisco Jáder Silva do Sítio Cruz, em Aracati/CE, e o projeto apresentado foi o Reflorestamento de Área Degradada com Nim Indiano .

e prepara para enfrentar os desafios dos dias atuais , destaca o superintendente regional do SENAR/ CE, Flávio Viriato de Saboya Neto. Para este ano, deverão ser capacitados pelo Empreendedor Rural cerca de 1500 alunos em 33 municípios , informa o coordenador do Programa junto ao SENAR/ CE, o engº agrônomo Anízio de Carvalho Júnior.

ha, sendo um hectare de leucena e outro de cunha. Esta medida deve diminuir o custo de produção. As ações deverão ser notadas já no primeiro ano de instalação do projeto. Com a implantação do Projeto, a Fazenda deverá oferecer produtos de melhor qualidade, com baixo custo. A obtenção destas medidas é manter uma rentabilidade compatível com a do mercado. Estas ações renderam a ainda, para Ademárcia Rosa o destaque nacional dado pelo SENAR Administração Central, ficando o seu projeto entre os três melhores do País. A propriedade da família Rosa tem uma área total de 106,93 ha. Sendo 11 ha situados na localidade Campo Alegre e 95,93 ha na Fazenda Jatobá dos Rosa. A propriedade está limitada ao Norte com as propriedades do Dão Chiquinho, Edílson e Rio Jaburu; ao Sul, a estrada Jatobá dos Rosa; ao Leste com as propriedades do Manoel Morim e Joaquim Augusto e à Oeste com o Rio Jucá. A vegetação predominante é a caatinga

O que é o Programa O programa possui cinco fases ‒ diagnóstico, planejamento estratégico, estudo de mercado, engenharia de projetos e avaliações e, em cada uma destas fases, são tratados módulos encadeados de forma a dar suporte teórico e prático aos produtores. Ao todo são 15 módulos específicos e direcionados a cada fase do projeto, abordando áreas de conhecimento técnico e de desenvolvimento humano.

A escolha dos temas é feita através de uma Comissão TécnicoCientífica, composta por 42 membros, que representam a academia, instituições públicas federais e estaduais, representantes de classe de produtores e parceiros. Além destes, 40 técnicos compõem as comissões setoriais, totalizando assim 82 técnicos envolvidos na organização e preparação da programação técnica. Segundo o coordenador da Comissão Técnico-Cientifica do evento, engo agrônomo e mestre em Economia Rural, Antonio Bezerra Peixoto, todos trabalham voluntariamente e são técnicos e ou pro-

fessores da UFC, Adece, BNB, BB, SDA, SEBRAE, SENAR, FIEC, FAEC, CENTEC, AEAC, EMPRAPA CAPRINOS, SFA, OCB/CE. Segundo Peixoto, os temas abordados no Pecnordeste são escolhidos por este colegiado que se reuniu, sistematicamente, desde novembro de 2008. Tanto os temas das palestras como dos cursos, oficinas e mesas redondas, levam em conta as necessidades de cada um e da cadeia produtiva, as novas tecnologias disponíveis, os gargalos dos diversos setores, enfim, a demanda do setor produtivo. Reunir, num mesmo espaço,

Inovações Tecnológicas Dois grandes painéis, montados no Centro de Convenções, vão mostrar algumas das principais inovações tecnológicas desenvolvidas nos últimos anos pelas unidades de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ‒ Embrapa e pela Universidade Federal do Ceará. A coordenação é exercida pela EMBRAPA/CAPRINOS, localizada em Sobral, que trará trabalhos das demais unidades que atuam com pecuária em todo o país. O outro painel mostrará as principais inovações através do Centro de Ciências Agrárias ‒ CCA e Labomar, tendo à frente a professora Elenise Gonçalves de Oliveira que irá apresentar as principais inovações em termo de aqüicultura e pesca. em sua programação que é a seção de inovações tecnológicas. Além das Palestras e Mesas Redondas a serem realizadas, envolvendo as áreas de aqüicultura e pesca, notadamente a carcinicultura, a piscicultura e a pesca marinha extrativa, os participantes poderão ter acesso às principais pesquisas voltadas para essas áreas. A novidade vem atender os anseios dos atores que com-

põe toda a cadeia produtiva da aqüicultura e pesca, no sentido de trocarem experiências, implementarem idéias novas e estabelecerem diretrizes para o setor, além de possibilitar aos autores das pesquisas um feed beck norteador de iniciação de novas pesquisas. Enfim, os participantes poderão discutir os resultados de estudos relevantes nas áreas de nutrição, reprodução, alimentação, sanidade, limnologia, manejo, custos de produção, produtos e processos de fabricação, captura, artes de pesca, arranjos produtivos, entre outros, para os diferentes tipos de pescado. Os resumos dos trabalhos que forem apresentados na seção serão disponibilizados no Site do PECNORDESTE. Para que seja possível o desenvolvimento harmônico dessa nova modalidade a ser apresentada no PEC, uma comissão de professores, pesquisadores e outros colaboradores farão uma triagem conforme edital estabelecido no site oficial do PECNORDESTE, de forma que sejam escolhidos os trabalhos que melhor se enquadrem no que foi proposto pelos organizadores.

oito segmentos da pecuária e mais artesanato e turismo no espaço rural e natural é um trabalho que requer um esforço gigantesco da Faec, Senar e Sebrae-Ce, promotores do evento. A Comissão Técnico Científica é uma referência na caminhada ascendente do Pecnordeste, nestes treze anos de sucesso, diz Antonio Bezerra Peixoto. Outra grande preocupação da Comissão tem sido a qualidade dos palestrantes, dos presidentes de mesas e instrutores. Assim é que foram escolhidos técnicos e executivos da mais alta qualificação profissional, 90% com nível de mestrado

ou doutorado. Vale destacar, sem desmerecer os demais, além dos três palestrantes dos temas globais, como o ex-ministro da Agricultura Alysson Paulinelli que vai abordar o tema: Serviços Ambientais ; Evaristo Eduardo de Miranda, doutor em ecologia e pesquisador da Embrapa Monitoramento por Satélite -SP, que vai falar sobre Alcançe Territorial da Legislação Ambiental e Indigenista - Implicações para o agronegócio e, Roberto Smith, presidente do BNB e doutor em economia que discorrerá o Desenvolvimento Sustentável . Vale destacar ainda a participação do Dr. Antonio Rocha Magalhães,como presidente de mesa, ele que é ex-professor da UFC e da Universidade do Texas(EUA) ex consultor do Banco Mundial, doutor em economia e consultor, sem esquecer Márcio Lopes de Freitas, Presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, doutora Elenice Gonçalves de Oliveira, professora. do Departamento de Engenharia de Pesca/UFC; Maria Alves Fontenele, enga de alimentos e mestre em Tecnologia de Alimentos.

Caravana de produtores e estudantes interagem com as novas tecnologias Caravanas com cerca de dois mil produtores, incluindo os alunos do Programa Empreendedor Rural, em curso, devem participar este ano da programação do Pecnordeste. Os produtores são mobilizados pelo Sebrae e Senar-CE, e a finalidade é não só mostrar a Feira, como as novas tecnologias expostas. É um momento oportuno para que os produtores interajam na prática com as últimas novidades do agronegócio da pecuária, representada diretamente por oito segmentos , diz o diretor técnico do Sebrae-CE, Alci Porto Gurgel. O que vem chamando mais a atenção dos produtores são as oficinas em arenas especialmente montadas no Centro de Convenções. A cada duas horas, são apresentadas oficinas com demonstrações práticas, o que facilita muito a compreensão dos participantes. Neste ano, o evento contará com 13 oficinas. A Comissão Técnico-Científica do evento mobilizou também a participação de estudantes dos cursos de Zootecnia e engenharia de Pesca da Universidade Federal do Ceará, bem como professores, que através do Centro de Ciências

Agrárias vão participar ativamente das ações do XIII Seminário Nordestino de Pecuária , informa o coordenador, Antonio Bezerra Peixoto. Ele ressalta ainda a participação de estudantes da UECE, UVA, CENTEC, URCA e a de nove estados do Nordeste no Seminário que inicia no dia 15 de junho. Temas das ficinas  Criação e Multiplicação de Famílias de Abelhas Jandaíra  Consumo de Mel Com  Elaborando peças com material reciclado  Confecção do papel da palha de milho  Aplicação do tingimento natural na palha da carnaúba  Confecção de peças com o tecido de coco  Trançado em palha de carnaúba  Debicagem de aves  Importância da mandioca na produção de leite  Inseminação artificial como ferramenta no melhoramento genético  Ordenha mecânica de Caprino de Leite  Artesanato em ovo em Avestruz  Extração, Classificação e Tratamento de Plumas de Avestruz

5 2009-06-05 09:45


200 mil alunos do Ensino Fundamental serão beneficiados

Superitendente do SENAR - CE, Flávio Sabóya e equipe técnica do Programa AGRINHO, na solenidade de entrega de prêmios em 2008.

Pode parecer pouco fechar uma torneira enquanto escovamos os dentes. Mas imagine quanta economia faríamos, se todas as pessoas do Município, do Estado e do País resolvessem fazer o mesmo. Pois, é esta a ideia mais moderna do momento em que vivemos e cada um deve fazer muito bem a sua parte para que todos possam ser beneficiados, agora e no futuro. A mensagem está no editorial da cartilha elaborada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR-CE, que elegeu este ano o tema MEIO AMBIENTE , para levar o Programa Agrinho a duas regiões do Estado - Maciço de Baturité e Serra da Ibiapaba. Com novo layout e conteúdo ilustrado em forma de historinha, a nova cartilha do aluno e o manual do professor começaram a ser distribuídos com os professores da rede municipal e estadual de ensino. A partir do mês de maio, serão capacitados 2.500 professores em 42 municípios do Estado (ver relação ao lado). No período de maio/junho foi a vez de capacitar os profissionais dos municípios da Região da Serra da Ibiapaba. Em 2009, o Programa Agrinho presente em 42 municípios, assim distribuídos: 15 municípios da região do Maciço de Baturité, 18 municípios da região do Baixo e Médio Jaguaribe e 09 municípios da Serra da Ibiapaba. Os municípios de Pindoretama e Cascavel aderiram este ano ao Programa. Levar ao aluno do campo que por sua vez replica a informação para dentro do seu lar, informa-

6 União Rural - MAIO - JUNHOl 2009.indd Spread 6 of 6 - Pages(6, 7)

ções sobre o importante papel da floresta, o que é ´biodiversidade, o efeito estufa, a camada de ozônio, por que reciclar o lixo? fontes alternativas de energia, também fazem parte da preocupação do Senar , disse o Superintendente do Òrgão no Ceará, Flávio Viriato de Saboya Neto. Ele explica que a cartilha foi elaborada de forma didática e ilustrativa, e que a expectativa é de que a mesma consiga sensibilizar os alunos, seus pais e a comunidade de que a natureza precisa ser respeitada. No final do ano, uma Comissão Julgadora escolhe os melhores trabalhos em redação e desenho, bem como o município agrinho e premia os primeiros lugares com prêmios que vão de computadores a bicicletas. Além de motos, televisores, DVDs, uma forma de estimular a todos os participantes, professores e diretores das escolas. O conteúdo das cartilhas

Para suprir a necessidade do Programa nas regiões do Baixo e Médio Jaguaribe e Maciço de Baturité, o SENAR fez a distribuição de impressos nos meses de março e abril, forma 33 mil cartilhas do 2ª ao 5ª ano e 28 mil cartilhas do 6ª ao 9ª

ano. Além dos 4.500 mil manuais do professor, referente ao tema Agrinho sai em defesa da Cidadania. Já para a região da Serra da Ibia-

O Agrinho é o Programa de Responsabilidade Social do SENAR Superintendente Regional do SENAR/CE, Flávio Viriato de Saboya Neto

paba, o SENAR está distribuindo no mês de maio, 24 mil cartilhas do 2ª ao 5ª ano e 22 mil do 6ª ao 9ª ano. Nesta Região, são 3 mil manuais do professor, referente ao tema Meio Ambiente. Em 2009, o Programa Agrinho está beneficiando 42 municípios, 1.230 escolas públicas rurais, 9 mil professores e cerca de 200 mil alunos do ensino fundamental. A Coordenadora do Programa Agrinho junto ao Senar, Ana Kelly Cláudio, disse que o tema Agrinho Sai em Defesa do Meio Ambiente , foi escolhido levando em conta a necessidade de a população do interior compreender a importância de participar da preservação do meio ambiente. Além disso, este tema foi desenvolvido com muito sucesso no Estado do Paraná, o pioneiro na implantação do Agrinho, o que levou a equipe do Senar-CE a aproveitar inclusive o conteúdo didático, adaptando-o apenas à nossa realidade. Os temas principais são: água, solo, clima, biodiversidade, lixo e energia. Dentro deles serão repassados as várias faces da erosão, sustentabilidade, agricultura orgânica, o uso

do agrotóxico, o papel do clima, a energia solar, terremotos e vulcões, o ar que você respira. A camada de ozônio, o importante papel das florestas. Trazem ainda, informações sobre biodiversidade, unidades de conservação, ética e ecologia, por que reciclar o lixo?, fontes alternativas de energia e finalizando com os três RRR que socorrem o Meio ambiente: Reduzir, Reutilizar, Reciclar. Já o manual do Professor tem como tema Desenvolvimento Sustentável e Agroecologia . Apresenta a transversalidade do solo e da agricultura, da água, dos agrotóxicos, das mudanças climáticas, da biodiversidade e do desenvolvimento sustentável.

Municípios que serão atendidos pelo Agrinho em 2009 Maciço de Baturité Acarape, Aracoiaba, Aratuba, Barreira, Baturité, Capistrano, Caridade, Guaiúba, Guaramiranga, Itapiúna, Mulungu, Ocara, Pacoti, Palmácia e Redenção. Serra da Ibiapaba Carnaubal, Croatá, Guaraciaba do Norte, Ibiapina, Ipu, São Benedito, Tianguá, Ubajara e Viçosa do Ceará. Baixo Jaguaribe Aracati, Fortim, Icapuí, Itaiçaba, Jaguaruana, Limoeiro do Norte, Morada Nova, Palhano, Quixeré, Russas, Alto Santo, Beberibe, São João do Jaguaribe, Ibicuitinga, Jaguaribara, Tabuleiro do Norte, Pindoretama e Cascavel.

Senadora Kátia Abreu participa da abertura do Pecnordeste e lança programas da CNA no CE A Senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil - CNA, participa da abertura, dia 15 de junho, às 19 hs, do XIII Seminário Nordestino de Pecuária - Pecnordeste, no Centro de Convenções. No dia seguinte, a senadora do DEM-TO, a primeira mulher a presidir uma Confederação que reúne 27 Federações do Brasil, cumpre agenda movimentada, em nossa capital. Às 8hs, vai à Assembleia Legislativa onde será recebida com um café da manhã pelo presidente Domingos Filho, em seguida, concede entrevista coletiva no Comitê de Imprensa da Casa. Ainda pela manhã a senadora visita os estandes do Pecnordeste e participa da entrega de certificados a 644 produtores rurais do Ceará, que concluíram o curso de Empreendedor Rural que está sendo executado pelo Sistema FAEC/ SENAR/SEBRAE-CE. O agronegócio brasileiro O agronegócio brasileiro é o único que mantém o superávit da balança comercial do país, ou seja, exporta muito mais do que importa. Este segmento representa 37% da mão de obra economicamente ativa no Brasil, representa 24% do Produto Interno Bruto , 36% das exportações. Daí entendermos que o agronegócio brasileiro não deve ser tratado como questão setorial, mas sim como questão de Estado. Reformulação da política agrícola A proposta está sendo defendida por um grupo de deputados da bancada ruralista, lideranças sindicais e um grupo de senadores. A proposta está sendo articulada conjuntamente entre Governo e o setor privado, com o objetivo de reestruturar entre outros aspectos, o atual modelo de crédito rural de sistema tributário para o produtor. A idéia é implementar o novo sistema em três anos e formalizar o segmento agropecuário a partir da transformação das propriedades rurais em empresas para dar mais transparência fiscal ao setor. O Simples Rural O financiamento integrado pelo qual o produtor seria incluído em uma central de cadastro para que todos os agentes fi-

nanceiros tenham as mesmas informações sobre os produtores é um dos instrumentos a ser sugerido. Em relação à tributação, a ideia é criar um Simples Rural, nos moldes do tributo criado em 2006 para setores urbanos como comércio, indústria e serviços. Esse mecanismo seria aplicado àqueles produtores que se tornarem pessoas jurídicas. No entanto, para que a atividade se formalize, deve haver o compromisso de reduzir Senadora Kátia Abreu, primeira mulher a presidir a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil a carga tributária imposta ao produtor. A principal preocupação é o crédito mental para a sobrevivência da que tem grandes áreas para ausociedade e do agronegócio. Se mentar a fronteira agrícola. Teagrícola. não tivermos cuidados com nosso mos cerca de 70 milhões de ha solo e atenção com a preservação de terras que ainda podem ser Política de crédito defasada de nossos mananciais, teremos incorporadas à produção de ceNossa política de crédito está prejuízos econômicos. A questão reais sem precisar desmatar. Isso focada no crédito de terceiros e florestal não pode ser reduzida não no crédito do produtor, predá para produzir cerca de 270 a conflito ideológico, nem deslicisamos preservar a renda do progada da preservação ambiental. milhões de toneladas de grãos, dutor, já que o abastecimento de A definição de uma lei eficaz de o suficiente para alimentar 100 alimentos à população é vital, e modelos de zoneamento ecológi- milhões de pessoas. deve ser feito com comida de quaco-econômico , não pode ocorrer lidade e preços baratos. Mas para em clima de provocação e irraatender a essa demanda precisa- cionalidade. As regras sobre reO tamanho da CNA mos de homens e mulheres que serva legal são cabalisticamente fiquem no campo para fazer este fixadas com números mágicos. A Confederação da Agritrabalho. Os produtores não que- Só no Brasil elas existem e sem cultura e Pecuária do Brasil rem ser reconhecidos de forma previsão de remuneração ao pro- CNA, é uma entidade que reheróica, eles querem ser remu- prietário. A agropecuária já não úne 27 Federações da Agriculnerados justamente, como ocorre precisa de expansão territorial, em outras atividades. Precisamos mas de consolidação e manetura estaduais, 2.142 sindicamodernizar nossa política de cré- jo eficazes da área atualmente tos rurais e mais de 1 milhão dito rural. Ela já vem comprometi- ocupada. de produtores sindicalizados. da há 20/25 anos. Nesse período o agronegócio mostrou-se muito Pacto Internacional da Principais Programas maior que a própria política de Produção crédito do setor. Precisamos achar Estamos propondo aos proOito programas especiais novos mecanismos, mais coeren- dutores rurais que assumam a serão bases de atuação da tes com os ciclos da agropecuá- liderança de um futuro Pacto ria e fazer com que o governo a Confederação da Agricultura Internacional da Produção com sua responsabilidade é garantir o e Pecuária do Brasil (CNA) o objetivo de reduzir a fome no abastecimento. mundo. A medida teria como obpara o próximo triênio. Terra jetivo específico debater ações Sustentatibidade da agricultura Adorada, inclusão Digital RuA agricultura sustentável é para ampliar a produção de ral, Útero é Vida, Mãos que um ponto fundamental para o alimentos e, em consequência, Trabalham, DesenvolvimenBrasil e para o mundo. Precisa- cumprir as metas estabelecito Sindical Rural, Programa mos desenvolver e aprimorar téc- das em 2000 pela ONU. A mais nicas que assegurem sustentabi- importante delas é a redução Empreendedor Rural e Camlidade no campo. A economia é de 50% da fome do mundo até po Futuro são os programas importante, a empregabilidade é 2015. Para alcançar este objetique trabalharão, diretamenimportante, a produção é impor- vo, os produtores rurais brasileite com o produtor rural, tetante, mas não podemos fechar ros precisam assumir a liderança os olhos para a questão ambien- nestas discussões. Afinal, o Brasil mas que afetam a atividade tal. Tratas-se de um tema fundaagropecuária. ainda é o único país do mundo,

Foto: Divulgação

Agrinho

SENAR sai em defesa do Meio Ambiente no Campo

7 2009-06-05 09:46


União Rural - 162