Issuu on Google+

20 Fevereiro a 20 Março 2011 | Tiragem 10.000 cópias | Distribuido em mais de 200 pontos

QUEM NÃO FIA NÃO É DE FIAR Depois que o Padre Jacinto Bento chegou a Londres, a Missão Católica Portuguesa nunca mais foi a mesma. O seu regresso a Portugal, deixou a comunidade católica em polvorosa e têm sido vários os “fogos” que têm sido ateados por uma comunidade que procura encontrar o seu próprio caminho. Dividem-se as opiniões das pessoas que defendem cada uma das fações. Alguns, preferem defender a união dos crentes enquanto outros procuram e conseguem semear uma divisão que saltou para as páginas dos jornais. Na próxima edição, publicaremos a carta do padre Jacinto Bento e tentaremos recolher a opinião do Padre Pedro Rodrigues que até aqui se tem remetido ao silêncio. Pág. 13

Deputado português defende comunidade em Londres

Deputado português Paulo Pisco vem a Londres reforçar laços da comunidade portuguesa com o poder local de Lambeth. Pág. 21

LITO SILVA EXPÕE NO CLUBE COMMONWEALTH

Edição 021


2

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Propriedade AFA Associados Alcino G. Francisco Vauxhall—London Contacto 07578222520

Pág 9

Ricardo Cunha não descansa a notícia até que o crime seja punido

Pág 12

Cabo Verde envia diplomata para descobrir a comunidade

Alcino G. Francisco Alcino.g.francisco@gmail.com

Pág 13

Quem não fia não é de fiar. Os católicos portugueses em Londres em forma de Rosário.

Direcção Financeira:

Pág 14

Presidênciais portuguesas. O fiasco inglês.

Pág 14

Lusófonos falham tentativa de abordar Vice-Mayor de Londres

Pág 16

Vereador de Lambeth Pete Robbins esclarece o caso da Professora Luisa Ribeiro

Departamento Comercial: Manuel Gomes dep.comercial@palop news.com

Pág 17

Filomena Camacho lança livro de poesia.

Pág 19

Dia de Portugal em Londres dá os primeiros sinais. Siga para bingo

Redacção Chefe de Redacção: amgfrancisco@gmail.com

Pág 20

O artista plástico Lito Silva mostra o que de melhor se faz em português, a pincelar

Vice Director: joel.gomes@palopnews.com

Pág 21

O deputado português Paulo Pisco e o Presidente da edilidade de Lambeth de mãos dadas

Revisão: Eunice.Pereira@palopnews.com

Pág 25

Sérgio Godinho veio a Londres recitar. Soube a tanto.

Fotografia: Bruno Ribeiro/ Ludgero Castanho

Pág 28

Fado na A Tasca e rock no DOY. Musica para todos os gostos

Direcção Geral:

Maria Emília Leite dir.financeiro@palopnews.com Direcção de comunicação: dir.comunicacao@palopnews. com

Direcão Criativa: Lidia Pais Edição e Design Gráfico: Tiragem 10.000 exemplares Distribuição Power Ltd - Londres Impressão Webprint - Londres Design Publicidade Imageco—Image & Communication Website www.palopnews.com http://palopnews.blogspot.com

Este, foi um mês em força. Lula entrou na moda e não abre. Um cientista veio explicar Lula a Londres e o PaLOP News esteve lá. Quanto mais sabemos do personagem, mais mistério ele faz crescer... A BBC fecha em português e apesar da insistência, ainda não conseguimos entrar no “buraco da agulha”. O segredo é não desistir. Os Maias vão de novo à cena em

Greenwich e nós vamos assistir. Desta vez temos dois bilhetes para oferecer. Emprego feito à medida para portugueses e o treino de cães foram dois assuntos na agenda e claro, acompanhamos Paulo Pisco, o deputado português na missão que trouxe a Londres. Ainda na BBC, assistimos à morte de um jovem português morto por engano. Sentados, vimos o filme dos acontecimentos. Coisas que acontecem e não deviam acontecer. Nas festas, visitamos o S. Valentine’s Day e o 2º aniversário do Grupo Típico Por-

tuguês, pois claro. A meio, fomos à tasca ouvir uns fados. E gostamos. Sem sair da poesia, vimos Filomena Camacho lançar o seu livro e Sérgio Godinho recitar na Canning House na presença do novo Embaixador de Portugal. Visitamos a exposição de pintura de Lito Silva e ficamos impressionados com o trabalho exposto. A previsão é que este nome vai dar que falar. Para Março, a agenda está recheada. Será que vai caber tudo no jornal? PaLOP connosco.

Edição online João Domingos— JadHost Informática Caderno Angola Lengaluca Sampaio Fontes Agência Lusa - Portugal Correspondentes Portugal Liliana Ferreira(Porto) Vítor Martins (Lisboa) Carlos Damásio (Lisboa) Carlos Monteiro (Lisboa) S. Paulo - Brasil Jandirlea Oliveira Maputo - Moçambique Traquinho da Conceição Cidade da Praia - Cabo Verde Óscar Vendaval Luanda - Angola Fernando Barros Londres - UK Maria Clara Resendes Cronistas Lukie Gooda Paulo Pisco Maria Leonor Bento Maggie João Claudia Nguvulo Manuel Mendonça João Botas

Leitora identificada “Presidenta...???” Tenho notado, assim como aqueles mais atentos também devem tê-lo feito, que Dilma Rousseff e seus sequazes, pretendem que ela seja a primeira “presidenta” do Brasil, tal como atesta toda a propaganda política veiculada pelo PT na mídia. Presidenta??? Mas, afinal, que palavra é essa totalmente inexistente em nossa língua? Bem, vejamos: No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar

é mendicante... Qual é o particípio ativo d o

verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade. Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, à pessoa que preside é PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha. Se diz capela ardente,e não capela “ardenta”; se diz estudante, e não “estudanta”; se diz adolescente, e não “adolescenta”; se diz paciente, e não “pacienta”. Um bom exemplo seria: “A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado

Por muito que se escreva, por muito que se grite e fale, por muito esforço que se faça, nunca será demais apelar à pedagogia e à paciência. O povo lusofono parece inquieto e querendo estar ávido, fica sôfrego e corre com tanta sede ao pote, que o parte. É num estado de loiça partida que esta edição sai para a rua. Os lusofonos de Londres, parecem todos de costas dobradas a apanhar o que de nós resta depois de tantas desventuras que nasceram aventuras e não passaram de nado-mortos. Quando fazemos demasiada força para subir a um cavalo, a tendência é cair do lado contrário, Quando fazemos demasiada força a desaterrachar a tampa de um bidão no sentido contrário, só conseguimos que ele fique mais apertado. Sentar, parar e respirar fundo para conversar, parece um exercício fácil que a lusofonia parece teimar em não exercitar. O stress e a ânsia de “poderes” inesistentes, fabrica os cegos mais cegos que os cegos, porque estes não querem ver. Da recepção ao Deputy Mayor a passar pelo que se passa na Comunidade da Missão Católica Portuguesa, a atravessar o parir do Centro Comunitário Português, tudo ferve num bulício que em nada ajuda ao desempenho. É o espelho de nós mesmos. Sempre as vaidades no topo da preocupação hierárquica de um povo que ao fim de quase 40 anos de imigração no Reino Unido, ainda não aprendeu a eleger e a ser eleito. Todos cortam a direito sem ter o que cortar.

eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta. “


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Fenómeno Lula dissecado em Londres Palop News

3

E esta heim? A BBC anunciou que vai encerrar a secção portuguesa no sentido de poupar 46 milhões de libras.

Londres

Com a apresentação de dois filmes que ratratam a preserverança de Lula da Silva (derrotado por cinco vezes) desde os tempos em que como sindicalista enfrentou o poder militar então instalado no Brasil, o catedrático Bernardo Fernandes revelou ao PaLOP News que "Lula abandonou a filosofia de esquerda e aproximou-se da política de centro esquerda". Lula, fragmentou a esquerda política brasileira ao mesmo tempo que fortaleceu o centro-esquerda, é a conclusão que se pode extrair do discurso do cientista. "A extrema esquerda foi afastada do PT e Lula aplicou mesmo algumas políticas de direita" referiu o reputado técnico brasileiro. "A postura de esquerda do PT de Lula da Silva ajudou a recuperar a governabilidade e o carisma do político ganhou o apoio popular". Confrontado com a ideia de uma inversão de valores no percurso político de Lula, Bernardo Fernandes refere a diferença de opiniões que o argumento pode promover. "Na década de 90, as reuniões do PT tinham sobretudo a presença de operários e professores..., hoje assiste-se a uma presença

cenário no Brasil já não o permite. A democracia está instalada e estou convencido que se Dilma conseguir gerir as alianças feitas para ser eleita conseguirá que o Brasil continue crescendo tornandose numa ecónomia de referência mundial". Mais à frente, o Professor de S. Paulo, diria ainda que o Brasil está a perder a industria de mão de obra intensiva e que hoje são já poucos os que trabalham a terra artesanalmente e que as bolsas de fome estão praticamente erradicadas. "A Bolsa Família" instituida pelo Governo Lula chega hoje a milhões de famílias e mesmo os opositores de Lula tentaram colar a sua imagem ao líder do PT para daí tirarem dividendos. - Dilma teria chegado a Presidente sem Lula? - "Acompanho Dilma desde há 2 anos atrás e posso dizer que se trata de uma personalidade completamente diferente do ex-Presidente. Lula é carismático e popular enquanto Dilma é pragmática e uma grande coordenadora. Por isso Lula escolheu Dilma". - Dilma está politicamente mais, ou menos, à esquerda que Lula? - Dilma está mais no centro es-

O fenómeno Lula rasga fronteiras e um cientista brasileiro veio à Queen’s Mary University em Londres argumentar o milagre presidencial que depressa passou de “Filho do Brasil” a “Pai do Brasil” tal a intensidade com que o político se afirmou no Brasil e no Mundo. notável de empresários" refere. - Será essa presença de empresários que ajuda a fomentar a corrupção o Brasil? Bernardo Fernandes não podia ter sido mais claro. "Não há como afirmar isso. Conheço corrupção em todos os países da América a Portugal, Alemanha ou França. A corrupção é comum à classe política, transversal em todo o Mundo. O problema da corrupção só se resolve com uma sociedade esclarecida e organizada. A corrupção é um problema de poder. Quanto mais acesso houver à informação, menos corrupção existe" - adiantou. Confrontado com a proximidade do campeonato do mundo de Futebol no Rio de Janeiro, quisemos saber se a possibilidade de um golpe no Brasil ainda é real. "O

querda - afirmou Bernardo Fernandes. - Será Dilma a pacificar a questão da Amazónia? - “Não sei”, - disse o nosso entrevistado com um encolher de ombros. “O futuro o dirá”. Para já, ficou uma plateia que deveria ter tido mais interessados a assistir a dois filmes que concerteza serão documentos históricos a permanecer nos registos do Brasil, apontando Lula da Silva como um fenómeno que levará muito tempo a repetir-se, seja no Brasil ou no Mundo inteiro. Afinal, não é todos os dias que um engraxador que passa a metalurgico e dali a sindicalista, que chega a Presidente de um dos maiores e mais promissores países do Mundo fazendo disso um marco mundial.

Afencia Lusa Londres

O serviço em português que se destinava principalmente aos países africanos de expressão portuguesa, faz parte de um plano que visa o despedimento de 650 funcionários uma vez que envolve outros serviços vocacionados para outras línguas. Teresa Lima, responsável pela secção portuguesa afirmou á Agência Lusa que a notícia já era

colonizados da época que após o 25 de abril de 1974 passaram a ser o alvo principal do trabalho desta secção. Além de três programas diários de rádio, tem uma página na internet e recentemente entrou para as redes sociais Facebook e Twitter tendo há pouco tempo começado a transmitir em direto os relatos em português dos jogos de futebol da Primeira Liga inglesa. "A audiência continua a crescer e há uma grande interatividade com os ouvintes", ga-

ção, antes suportado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros. O custo total do Serviço Mundial da BBC está estimado em 272 milhões de libras por ano (315 milhões de euros). Lançado em 1932, transmite em 32 línguas para uma audiência de 241 milhões de pessoas. Inclui rádio, internet e televisão. A BBC é considerada das grandes escolas de jornalistas no Mundo tendo por lá passado o saudoso Fernando Peça que fazia os relatos da Segunda grande Guerra. Mas

BBC encerra serviço português esperada. Ao fim de 71 anos, a BBC encerra assim o serviço que não deixou de surpreender a mesma responsável pelo volume dos "cortes demasiado drásticos" que colocam em risco os 12 postos de trabalho na secção, dos quais dez a tempo inteiro e dois a tempo parcial. Se estes planos forem para a frente, admite que "as oportunidades de reintegração [noutros serviços da BBC] não serão muitas". O serviço que começou em 4 de junho de 1939, era inicialmente dirigido a Portugal e aos países

Não falte a “Os Maias” De 8 de Março a 3 de Abril a peça “Os Maias” de Eça de Queirós vai estar em cena no Greenwich Playhouse. Este trabalho que vai á cena pela mão de Alice de Sousa, é mais um esforço na divulgação da cultura portuguesa. Alice de Sousa, apresentou em Londres já diversos tabalhos de autores portugueses como Almeida Gar-

rantiu Teresa Lima á Agência Lusa. Os números reais de ouvintes são incertos, mas o serviço transmite em sete frequências de rádio em Moçambique, o país com mais público, e tem acordos de retransmissão em Angola, Cabo Verde e Guiné-Bissau - informa a Lusa. Este serviço encerra por força dos cortes orçamentais do Governo inglês. Além de ter congelado o valor da taxa de televisão, o governo eleito em maio determinou, em outubro, que a BBC passasse a financiar o serviço externo da esta-

foram muitos os nomes conhecidos que passaram pela Estação. Filipe Ferrer, que trabalhou na BBC nos anos 60, ao actual director da secção portuguesa, João Van Dunen, estiveram presentes várias gerações de jornalistas. A maior parte - Joaquim Letria, António Borga, Luís Pinto Enes, Paulo Camacho, Pedro Oliveira, José Rodrigues dos Santos, Fernando de Sousa, José Júdice e outros - são hoje conhecidos do grande público e trabalham em diversos órgãos de informação.

rett (Frei Luis de Sousa (1998)); Eça de Queirós (O Primo Basílio (2001) e (Os Maias) (2002); Julio Dinis (A Morgadinha dos Canavias) (2005); Bernardo Santareno (O Crime de Aldeia Velha) (2005); Sttau Monteiro (Felizmente Há Luar!) (2007) entre outros. No passado estes projetos únicos beneficiaram do apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, apoio este que se extinguiu. Por isso a importância de o publico lusófono marcar a sua presença. Para os pais que têm filhos nascidos no Reino Unido, esta é uma oportunidade de passarem aos filhos uma importante mensagem

sobre um dos mais consagrados autores portugueses.


4

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

5

Emprego para portugueses Afencia Lusa

Londres

O PaLOP News apurou que esta empresa tem uma especial apetência por trabalhadores portugueses e isso foi matéria suficiente para procurarmos a empresa. Para surpresa, descobrimos que na gestão deste recurso, está Carla Monteiro, uma portuguesa da região do Porto e decidimos abordar esta entrevista. - Porquê portugueses no topo das preferências? “A nossa cliente é uma empresa de construção civil francesa que procura mão de obra portuguesa pelo facto de o método de cofragem dos portugueses ser muito similar ao praticado em França e quando solicita aos nossos serviços refere a preferência pelos portugueses" afirma. "O tipo de construção que o nosso cliente francês desenvolve no Reino Unido requer o perfil de trabalho e as técnicas de construção dos portugueses até porque se trata de uma empresa que conhece a excelência da mão de obra portuguesa na construção civil" adianta Carla Monteiro. "Outra das questões que importa salientar, é o facto de as chefias intermédias serem portuguesas. Os encarregados de cada um dos projectos, sao eles próprios Portugueses. Falam a língua portuguesa e isso facilita a comunicação entre os trabalhadores e favorece o nosso cliente" - garante a nossa entrevistada. A empresa recruta entre 300 a 500 pessoas por ano e os contratos podem ter uma duração até aos três anos de trabalho. Carla Monteiro referiu ao nosso jornal que por vezes se deslocam a Portugal para um "Open Day" no sentido de recrutar mão de obra portuguesa mas os resultados nem sempre são os melhores. "Para os próximos três meses podemos esperar recrutar mais de 200 pessoas" adianta a gestora ao

A Fast Track faz parte de uma empresa multinacional de recrutamento de mão de obra a operar no Reino Unido com especial incidência na construção civil. PaLOP News. O grande óbice que Carla Monteiro encontra no seu desempenho é porém a falta de agilidade dos portugueses. "A maioria não obdece aos critérios e lutamos ainda com uma porcentagem elevada de analfabetismo que a legislação inglesa não tolera". Quando confrontados com a necessidade de documentação profissional, os portugueses sentem estar perante um mar de dificuldades. O National Insurence Number, a certificação de Health and Safety e a Formação justificada simplesmente não existe e como a maioria não fala inglês temos um grande obstáculo". A Fast Track não tem disponibilidade para conduzir o recrutamento na área da Formação e os portugueses, desconhecedores da legislação existente não estão munidos do documento. "O curso demora apenas uma hora mas é fundamental para terem acesso ao emprego e os portugueses emperram nestes itens." "Podemos ajudar a localizar as oportunidades mas não podemos fazer tudo" lamenta Carla Monteiro que gostaria de ajudar mais portugueses a conseguir o emprego. "Encontramos candidatos que estão no Reino Unido por vários anos e continuam sem saber falar inglês e este é outro óbice embora não seja impeditivo" vinca. Questionada sobre como corrigir esta questão, Carla Monteiro adianta que "Quero ajudar os portugueses mas eles precisam de se ajudar

a si mesmos e isso não tem estado a acontecer. O analfabetismo e a falta de conhecimentos informáticos por vezes são obstaculos dificeis de ultrapassar. É complicado precisar de enviar um e:mail a quem não possui um endereço electrónico". O PaLOP News apurou que a Fast Track chega mesmo a disponibilizar apoio para localizar alojamento mas como refere Carla Monteiro "Não podemos ir com as pessoas tratar de questões como a abertura de conta bancária, National Insurence Number ou o CSCS". A solução encontrada tem passado por contratar mão de obra da Roménia por se tratarem de trabalhadores que "já trabalharam em Portugal e falam português melhor que alguns portugueses" lamentase a nossa convidada. "Os romenos, para lá de terem aprendido português, tratam de toda a documentação necessária" Perguntamos a Carla Monteiro o que significa isto para uma portuguesa que desempenha estas funções: "Um abre olhos que é necessário. Se os portugueses querem ser ajudados, têm que se ajudar a si mesmos. Posso ajudar muitos portugueses mas abram os olhos. Perguntem se não sabem. As coisas não caiem do céu". Para os nossos leitores, aqui fica o contato para a candidatura a emprego. Carla Monteiro carla.monteiro@ftrack.co.uk 07879 630568


6

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

A nova língua portuguesa Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar aos pretos ‘afro-americanos’, com vista a acabar com as raças por via gramatical, isto tem sido um fartote pegado! Palop News

Londres

As criadas dos anos 70 passaram a 'empregadas domésticas' e preparam-se agora para receber a menção de 'auxiliares de apoio doméstico' . De igual modo, extinguiram-se nas escolas os 'contínuos' que passaram todos a 'auxiliares da acção educativa'. Os vendedores de medicamentos, com alguma prosápia, tratamse por 'delegados de informação médica'. E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em 'técnicos de vendas '. O aborto eufemizou-se em 'interrupção voluntária da gravidez'; Os gangs étnicos são 'grupos de jovens' Os operários fizeram-se de repente 'colaboradores; As fábricas, essas, vistas de dentro são 'unidades produtivas e vistas da estranja são 'centros de decisão nacionais'. O analfabetismo desapareceu da crosta nacional cedendo o passo à 'iliteracia' galopante. Desapareceram dos comboios as 1.ª e 2.ª classes, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes 'Conforto' e 'Turística'. A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...» ; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante. Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; dizse modernamente que têm um 'comportamento disfuncional hiperactivo' Do mesmo modo, e para felicidade dos 'encarregados de educação' , os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, 'crianças de desenvolvimento instável'. Ainda há cegos, infelizmente. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado 'invisual'. (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria

chamar inauditivos aos surdos - mas o 'politicamente correcto' marimba-se para as regras gramaticais...) As putas passaram a ser 'senhoras de alterne'. Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da

Clara Ferreira Alves*

Tudo o que aqui relato é verdade. Se quiserem, podem processar-me. Eis parte do enigma. Mário Soares, num dos momentos de lucidez que ainda vai tendo, veio chamar a atenção do Governo, na última semana, para a voz da rua. A lucidez, uma das suas maiores qualidades durante uma longa carreira politica. A lucidez que lhe permitiu escapar à PIDE e passar um bom par de anos, num exílio dourado, em hotéis de luxo de Paris. A lucidez que lhe permitiu conduzir da forma "brilhante" que se viu o processo de descolonização. A lucidez que lhe permitiu conseguir que os Estados Unidos financiassem o PS durante os primeiros anos da Democracia. A lucidez que o fez meter o socialismo na gaveta durante a sua experiencia governativa. A lucidez que lhe permitiu tratar da forma despudorada amigos como Jaime Serra, Salgado Zenha, Manuel Alegre e tantos outros. A lucidez que lhe permitiu governar sem ler os "dossiers".. A lucidez que lhe permitiu não voltar a ser primeiro-ministro depois de tão fantástico desempenho no cargo. A lucidez que lhe permitiu pôrse a jeito para ser agredido na Marinha Grande e, dessa forma, vitimizar-se aos olhos da opinião pública e vencer as eleições presidenciais. A lucidez que lhe permitiu, após a vitória nessas eleições, fundar um grupo empresarial, a Emaudio, com "testas de ferro" no comando e um conjunto de negócios obscuros que envolveram grandes magnatas internacionais. A lucidez que lhe permitiu utilizar a Emaudio para financiar a sua segunda campanha presidencial.

praça desbocam-se em 'implementações', 'posturas pró-activas', 'políticas fracturantes' e outros barbarismos da linguagem. E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novoriquismo linguístico.

A lucidez que lhe permitiu nomear para Governador de Macau Carlos Melancia, um dos homens da Emaudio. A lucidez que lhe permitiu passar incólume ao caso Emaudio e ao caso Aeroporto de Macau e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para uma Fundação na sua fase pós-presidencial. A lucidez que lhe permitiu ler o livro de Rui Mateus, "Contos Proibidos", que contava tudo sobre a Emaudio, e ter a sorte de esse mesmo livro, depois de esgotado, jamais voltar a ser publicado. A lucidez que lhe permitiu passar incólume as "ligações perigosas" com Angola, ligações essas que quase lhe roubaram o filho no cé-

Estamos lixados com este 'novo português'; não admira que o pessoal tenha cada vez mais esgotamentos e stress. Já não se diz o que se pensa, tem de se pensar o que se diz de forma 'politicamente correcta'. E falta ainda esclarecer que os tradicionais "anões" estão em vias de passar a "cidadãos verticalmente desfavorecidos"... Os idiotas e imbecis passam a designar-se por "indivíduos com atitude não vinculativa" Os pretos passaram a ser pessoas de cor. O mongolismo passou a designar-se síndroma do cromossoma 21. Os gordos e os magros passa-

ram a ser pessoas com disfunção alimentar. Os mentirosos passam a ser "pessoas com muita imaginação" Os que fazem desfalques nas empresas e são descobertos são "pessoas com grande visão empresarial mas que estão rodeados de invejosos" Para autarcas e políticos, afirmar que "eu tenho impunidade judicial", foi substituído por "estar de consciência tranquila". O conceito de corrupção organizada foi substituído pela palavra "sistema". Difícil, dramático, desastroso, congestionado, problemático, etc., passou a ser sinónimo de complicado.

Presidência da Republica. A lucidez que lhe permite, ainda hoje, ter 24 horas por dia de vigilância paga pelo Estado nas suas casas de Nafarros, Vau e Campo Grande. A lucidez que lhe permitiu, abandonada a Presidência da Republica, constituir a Fundação Mário Soares. Uma fundação de Direito privado, que, vivendo à custa de subsídios do Estado, tem apenas como única função visível ser depósito de documentos valiosos de Mário Soares. Os mesmos que, se são valiosos, deviam estar na Torre do Tombo. A lucidez que lhe permitiu construir o edifício-sede da Fundação violando o PDM de Lisboa, se-

A lucidez que lhe permitiu que o Estado lhe arrendasse e lhe pagasse um gabinete, a que tinha direito como ex-presidente da República, na... Fundação Mário Soares. A lucidez que lhe permite que, ainda hoje, a Fundação Mário Soares receba quase 4 mil euros mensais da Câmara Municipal de Leiria. A lucidez que lhe permitiu fazer obras no Colégio Moderno, propriedade da família, sem licença municipal, numa altura em que o Presidente era... João Soares. A lucidez que lhe permitiu silenciar, através de pressões sobre o director do "Público", José Manuel Fernandes, a investigação jornalística que José António Cerejo começara a publicar sobre o tema. A lucidez que lhe permitiu candidatar-se a Presidente do Parlamento Europeu e chamar dona de casa, durante a campanha, à vencedora Nicole Fontaine. A lucidez que lhe permitiu considerar José Sócrates "o pior do guterrismo" e ignorar hoje em dia tal frase como se nada fosse. A lucidez que lhe permitiu passar por cima de um amigo, Manuel Alegre, para concorrer às eleições presidenciais mais uma vez. A lucidez que lhe permitiu, então, fazer mais um frete ao Partido Socialista. A lucidez que lhe permitiu ler os artigos "O Polvo" de Joaquim Vieira na "Grande Reportagem", baseados no livro de Rui Mateus, e assistir, logo a seguir, ao despedimento do jornalista e ao fim da revista. A lucidez que lhe permitiu passar incólume depois de apelar ao voto no filho, em pleno dia de eleições, nas últimas Autárquicas. No final de uma vida de lucidez, o que resta a Mário Soares? Resta um punhado de momentos em que a lucidez vem e vai. Vem e vai. Vem e vai. Vai.... e não volta mais. Clara Ferreira Alves Expresso

Clara Ferreira Alves & Mário Soares lebre acidente de avião na Jamba (avião esse transportando de diamantes, no dizer do então Ministro da Comunicação Social de Angola). A lucidez que lhe permitiu, durante a sua passagem por Belém, visitar 57 países ("record" absoluto para a Espanha - 24 vezes - e França - 21), num total equivalente a 22 voltas ao mundo (mais de 992 mil quilómetros). A lucidez que lhe permitiu visitar as Seychelles, esse território de grande importância estratégica para Portugal, aproveitando para dar uma voltinha de tartaruga. A lucidez que lhe permitiu, no final destas viagens, levar para a Casa-Museu João Soares uma grande parte dos valiosos presentes oferecidos oficialmente ao Presidente da Republica Portuguesa. A lucidez que lhe permitiu guardar esses presentes numa caixaforte blindada daquela Casa, em vez de os guardar no Museu da

gundo um relatório do IGAT, que decretou a nulidade da licença de obras. A lucidez que lhe permitiu conseguir que o processo das velhas construções que ali existiam e que se encontrava no Arquivo Municipal fosse requisitado pelo filho e que acabasse por desaparecer convenientemente num incêndio dos Paços do Concelho. A lucidez que lhe permitiu receber do Estado, ao longo dos últimos anos, donativos e subsídios superiores a um milhão de contos. A lucidez que lhe permitiu receber, entre os vários subsídios, um de quinhentos mil contos, do Governo Guterres, para a criação de um auditório, uma biblioteca e um arquivo num edifico cedido pela Câmara de Lisboa. A lucidez que lhe permitiu receber, entre 1995 e 2005, uma subvenção anual da Câmara Municipal de Lisboa, na qual o seu filho era Vereador e Presidente.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Councils precisam de candidatos portugueses Por Paulo Pisco O Partido Trabalhista de Lambeth quer ter portugueses nas listas candidatas às próximas eleições locais. Esta vontade foi expressa pelo Counciler Steve Reed num encontro que tivemos no passado dia 7 de Fevereiro, onde falámos de diversas temas, como a educação e o ensino e outros relacionados com a necessidade de procurar formas de relacionamento que proporcionem maior proximidade com a comunidade. Neste município existirão mais de 50.000 portugueses, o que representa uma enorme força, se for traduzida em participação eleitoral e, consequentemente, capacidade reivindicativa. E o município de Lambeth, governado pelo Partido Trabalhista, sempre foi generoso e esteve atento à Comunidade portuguesa, facto que é preciso sublinhar. Basta pensar no seu contributo para a

realização dos dias de Portugal e da Madeira. Certamente que neste e noutros municípios onde há muitos portugueses, os partidos políticos gostariam de integrar compatriotas nossos nas listas, porque sabem que eles podem constituir uma força com capacidade para decidir o vencedor numa disputa eleitoral. É fundamental, portanto, incentivar a participação cívica, através da presença nas iniciativas que se realizam nos municípios onde se discutem temas de interesse comum. Tal como é muitíssimo importante que em actos eleitorais os portugueses participem massivamente e votem. Não participar só os prejudica, não só porque perdem oportunidades, mas também porque afecta a imagem colectiva da comunidade. A participação política e muito particularmente quando se consegue ser eleito, representa

a forma mais elevada de integração, uma vez que garante a possibilidade de definir as prioridades políticas e de decidir em pé de igualdade com os outros eleitos sobre problemas comuns a todos quantos vivem no município. Além disso, a comunidade passa a ter outras referências e mais possibilidades de obter apoios de diversa natureza. O caso de França é um bom exemplo, pois já existem cerca de 3.500 conselheiros municipais, com vantagens óbvias para os portugueses, mesmo que, como é natural, os eleitos tenham de exercer a sua acção para todos os mun��cipes. Os portugueses em Inglaterra, que serão para cima de 300.000 segundo estatísticas imprecisas, constituem potencialmente uma grande força. Mas para isso terão de a saber utilizar, o que passa obrigatoriamente por se fazerem presentes e activos, estarem melhor organizados e participarem nas iniciativas da vida pública local e, sobretudo, mobilizarem-se para votar. É fundamental que os portugueses façam deste assunto tema de conversa para tentarem convencer os seus amigos da importância de participar e de votar. E as associações, os cafés, os restaurantes, os estabelecimentos de todo o tipo, também podem participar neste movimento de consciencialização. O seu contributo é muito importante. Estas são oportunidades fabulosas que, a bem de si próprios e dos seus filhos, os portugueses que escolheram a Inglaterra para viver não podem desperdiçar. É preciso que tenham plena consciência que têm o direito e mesmo o dever de participar. Hoje a Europa é um espaço aberto que pertence a todos os europeus, onde existe um claro sentimento de que cada um tem os seus contributos a dar, independentemente da sua origem. As leis nacionais e os Tratados da União Europeia dão-lhes esses direitos. Desperdiçá-los significa prejudicar aquilo que poderia ser uma vida melhor e mais rica, tanto em termos pessoais como para toda a comunidade. *Deputado do PS eleito pelas Comunidades Portuguesas pelo Círculo da Europa

7

A preto e branco também é possível... ... Fazer bons desenhos e imagens cheias de criatividade. Na paixão pela história do jornalismo, continuamos a publicar o encanto de uma única cor que é capaz de em papel branco transmitir todas as cores.

F.Gonçalves da Silva PORTUGUESE ACTION GROUP

Durante o mês de Janeiro um grupo de homens e senhoras de fibra vieram ao campo de luta demandando que as “COMUNIDADES LUSÓFONAS” devem estar mais unidas do que nunca, terminando de uma vez para sempre com os assaltos e atrevimentos feitos por grupos de traidores que não têm cor, nem bandeira, tampouco consciência! Na verdade, a “LUSITANIDADE” é a força matricial da “LUSÓFONIA”, porquanto a sua origem desenvolveu-se no espaço da antiga Lusitânia, muito antes da era cristã.

Sindical, por motivos interesseiros, e começaram aliciar os amigos da onça até formarem umas certas Associações, registando-as apenas no Consulado Geral de Portugal em Londres, esquecendo-se ou ignorando os Regulamentos do País de Acolhimento em que é necessário que certas Colectividades ou Movimentos estejam devidamente registados na Companies House. Isto não tem acontecido, porque assim é mais fácil vender aos sócios gato por lebre. Porém, quando se começou a preparar a “Resistência”, muitos desses charlatães que frequentaram a Escola de Judas Iscariotes, deram à sola, porque estavam a dar muito nas vistas, e agora mu-

O espírito da Lusitanidade está na base de grandes homens, como por exêmplo: Luis Vaz de Camões, Padre António Vieira e Damião de Góis. Hodiernamente, há grandes fluxos de imigrantes que deixaram os seus países de origem à procura de uma vida melhor. Entretanto, muitas Comunidades não souberam aproveitar as oportunidades do “El Dorado” a fim de se organizarem como as demais e ficaram isolados sem se aperceberem, apesar da astúcia de certos caudilhos que por aí andam à solta a pregar postas de pescada, etiquetados de samaritanos de fachada, cheios de boa-vontade e de boas intenções, quando depois da sua caminhada caem todos esticados no inferno, não importa o tipo de funeral que tenham aqui à face da Terra. Mas, a crónica da Comunidade Portuguesa é assim tão repugnante como a pintam? Certamente que não. Os portugueses foram os pioneiros da organização sindical britânica em conformidade com o que se encontra nos arquivos da T&GWU/UNITE, enquanto que certos marqueses que nada fizeram se distanciaram do Movimento

daram de cor como os camaleões a fim de não serem denunciados. Com efeito, houve uma ocasião em que Portugal ficou isolado do Mundo, aquando do Governo de Salazar que um dia disse: Orgulhosamente, sós! Infelizmente e vergonhosamente a mentalidade do “orgulhosamente, sós” tem-nos lançado para a bruma do esquecimento, sendo marginalizados e isolados do restante das demais “Comunidades” que se unem cada vez mais para reivindicar os seus direitos, enquanto que nós aprendemos apenas a organizar o “Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas”; não pelo seu significado histórico, mas por bairrismo e protagonismo, onde já era tempo de mudar todo esse antiquado sistema pelo Dia da Lusófonia, com a participação de todas as Comunidades Lusófonas, que não pedem favores, mas

Comunidades lusófonas em acção!!!!!!!!!

que se lhes faça Justiça No seio de tanta confusão e de tantos mandatários apenas sairam triunfantes aqueles que resistiram e deram a cara nos momentos mais difíceis fazendo cair por terra a máscara da hipócrisia, onde foram derrubadas todas as táticas de certas víboras venenosas que nos causaram divisões e obstáculos com a intenção de destruir todo o trabalho iniciado. Todavia, o seguro morreu de velho, e a experiência dos anos ensina-nos a caminhar com prudência para não caírmos nas mesmas ciladas, bem como ter cautela em certas tomadas de posições, porque há pessoas que procuram pretextos para fazer desordens. Com a constituição da “Comissão Instaladora” que está a preparar os alicerces fundamentais da futura “Federação das Comunidades Lusófonas”, radicadas no Reino Unido, o figurino mudou radicalmente, porque alguns matreiros foram apanhados em flagrante, uma vez que a própria táctica os denúnciou. Com efeito, ao fazer uso do provérbio que diz: Casa roubada, trancas à porta, e quem cala, consente, isto nos dá coragem para resistir até aos derradeiros momentos, na certeza de que as hotes infernais não pervalecerão contra os audazes! Entrementes, faltar-me-ia referir esses homens e mulheres de fibra que puseram os seus talentos a cantar de galo juntando o útil ao agradável, como por exemplo: as presenças das advogadas Vitória Nabas e Cristiane Macedo que nos deram os seus salutares aconselhamentos durante a preparação do “ Grupo Mega Evento da Lusofonia”, assim como os grandes encorajamentos do Bispo Pedro dos Santos, que desde que tomou conhecimento de tudo quanto se passava relacionado com União das Comunidades Lusófonas”, deunos todo o apoio incluindo o local gratuito onde se realizou o evento.


8

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Benedita e Francisco. O Campino Palop News

Fátima Pereira e Pedro Nunes. Berlengas. Londres

O PaLOP News andou por Londres á caça dos namorados e descobriu que um dos melhores lugares para namorar..., é á mesa. Fomos correndo os restaurantes e descobrimos que

Salomé e Cás Dias. DOY

Célia e Carlos Belo. A Toca.

Love is on the table juntos” - confessa a Salomé. “O resto da vida já nem me lembro”. Quanto ao amor, trata-se de um sentimento que não se descreve. Para o Cás, "O dia dos namorados tem que ser o mais romântico possível. Apesar de haver a componente comercial, é um dia em família..., a sós." Janaína Madeira estava com o marido Pedro Madeira e o filho no restaurante O Moinho. Estão juntos há 5 anos e pensam que é pouco tempo. Ele tem 33 anos e ela aprecia estes hábitos europeus. Foi em Portugal que se conheceram e para esta brasileira,

entre uma garfada e outra, hà sempre tempo para um beijo. A Benedita e o Francisco que jantaram no O Campino, juntos hà 8 anos passaram como namorados o último S. Valentine's Day. Em setembro, mudam de clube e vão casar. Amor são muitas coisas diz; “amizade, sinceridade, união, perdão, compreensão e afeto”. Para o Francisco, no próximo dia dos namorados, espera "fazer uma viagem á lua". Esperemos que Fátima e Pedro Nunes. Ó Barros consiga. No DOY fomos encontrar a Sa- a gastronomia portuguesa e um lomé e o Cás Dias que estão jun- marido português fazem um quatos á 10 anos. Não resistimos a dro que se completa com o filho ainda pequeno. Quanto ao amor, perguntar: também não se descreve. “Sente- Isso é muito tempo? - Parece ser muito mas na ver- se” - diz. No restaurante A Toca, encondade tudo o que me lembro da minha vida é depois de estarmos tramos a Célia e Carlos Belo. Estão juntos há 6 Janaína e Pedro Madeira. O Moinho anos e querem chegar aos 16. O Dia dos Namorados em Londres foi um dia de trabalho que terminou com uma surpresa. Ela tinha reservado a mesa em segredo e pelo ar da fotografia, o

jantar estava bom. Se sabemos que o melhor de uma refeição é a companhia, está explicada esta reportagem. No restaurante Barros, encontramos a Fátima e o Pedro Nunes. Para ele, dia dos namorados é sinónimo de jantar fora, trocar presentes, passearem juntos.

Quando perguntamos ao Pedro como descreve a palavra amor, a Fátima apressou-se com a resposta: - Fátima - disse-nos ela Foi no restaurante Berlengas que fomos encontrar o mais jovem casal de namorados. A Fátima Pereira e o Pedro Nunes com 15 e

18 anos respectivamente e estão juntos há seis meses. - É pouco tempo - dizem-nos. Para ela, a palavra amor não se descreve porque não há maneira de a descrever. Entre as diferenças de "andar" ou "namorar", a questão é clara. - Andar é uma brincadeira, namorar é assunto sério - diz-nos a Fátima. Estava na hora de terminar o passeio porque os jornalistas também namoram. Felicidades.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

9

Ricardo Cunha, morto por engano BBC News

Londres

A BBC News pegou no caso da morte de Ricardo Cunha, o jovem jogador do Cultural que foi assassinado em Setembro passado aos 19 anos com um único tiro quando assomou à janela de casa, notícia que foi veiculada pelo PaLOP News. O jornal Evening Standard de 26 de Janeiro fez também notícia sobre

o assunto que intriga a comunidade portuguesa. A arma acabou por aparecer quatro dias depois do homicídio no Sul de Londres. Trata-se de um revolver Webley Marc 6 de fabrico de 1924 aproximadamente (reprodizida na fotografia). Os investigadores desconhecem que pudesse haver razões para o crime já que o jovem português não tinha registo criminal e tinha uma personalidade afável e sem compromissos com vidas paralelas. As autoridades que oferecem um prémio de 20 mil libras a quem fornecer informações que conduzam ao autor do disparo, referem que a arma em causa é do tempo da ll Grande Guerra e que poderá tratar-se de uma arma entretanto desaparecida dos paiois das Forças Armadas Inglesas. A BBC que filmou a reconstituição do crime apresentou imagens de uma frieza humana sem definição possível para o ato praticado. As Câmaras de CCTV localizaram dois vultos nas imediações após o disparo, contudo, as imagens não permitem a identificação das pessoas filmadas dado o adiantar da hora quando a noite já tinha caído. O Grupo Desportivo e Cultural (Stockwell), tem em curso iniciativas que visam homenagear o atleta falecido. Em www.palopnews.com pode ver o vídeo da reconstituição do crime.

2º aniversário do Grupo Típico Português BBC News

Londres

O Grupo Típico Português festejou o seu segundo aniversário perante uma plateia de mais de 200 pessoas que jantaram ao som da musica que foi sendo proporcionada pelos artistas convidados de que se destacam Nuria e Alexys que presenteraram os comensais com um autêntico ambiente de festa. Marcaram presença o Vice Cônsul Adjunto e os conslheiros da Comunidade Portuguesa Elisabete, Augusto Nunes e António Cunha. Segundo a Presidente do Grupo Irene Leça, "Nos ultimos 12 meses o Grupo teve uma saída à Ilha da Madeira onde participaram

nas festas populares tendo ainda passado por Porto Santo." Do ano passado para este, o Grupo cresceu tendo agora 23 pessoas a dançar e cerca de 14 a tocar incluindo crianças e adultos. Para reunir esta plateia, Irene Leça diz que "publicitam a festa e as pessoas aparecem naturalmente para se divertirem". Além de outras saídas que estão a ser estudadas pela Direção do Grupo, a Presidente Irene Leça confirma desde já a festa da Vindima a realizar em Outubro a exemplo do que foi feito em 2010. Para quem quiser fazer parte ou apreender a dançar o folclore português, basta contactar através do e:mail grupotipicoportuguese@hotmail.­co.uk ou pelo telefone 07939984050.

PaLOP connosco


10

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

A rádio no jornal e o jornal na rádio O Jornal Palop News assina uma rúbrica de opinião todas as semanas na Rádio Galo de Barcelos. Este spot de 6 minutos aproximadamente, destina-se a comentar Portugal nas frentes que nos apetecer. Em cada edição de papel, serão publicadas algumas dessas crónicas. Esperamos que se divirta tanto a lê-las como nós nos divertimos a emiti-las na antena. Todas as 4ªs feiras, entre as 19H00 e as 22H00, não perca na 105.3 FM Stéreo (East Anglia) ou em www.zackfm.com Alcino Francisco

Londres

Os portugueses que vivem no Reino Unido queixam-se. Queixam-se da falta de apoio do Governo Português. Queixam-se do desinteresse e abandono a que são votados pela classe política. Queixam-se de estarem esquecidos por deputados, Secretários de Estado e Ministros. Queixam-se..., e queixam-se mas, além de se queixarem, nada mais fazem. Perdem a razão os portugueses que se queixam e que ficam à espera que a Santa Providência faça por eles porque eles, nada querem fazer. Os portugueses a viver no Reino Unido, nomeadamente os que vivem em Londres e cujos numeros oficiais são acima dos 100 mil segundo o próprio Consulado Geral de Portugal em Londres, não têm qualquer razão para se queixarem. O serviço do Consulado funciona mal? Deveria funcionar ainda pior. Os políticos não visitam a Comunidade? Deveriam até esquecê-la não fossem os 60 portugueses que a viver no Reino Unido se esforçaram em nome dos tais 700 mil que por aí se aprogoam. Os portugueses a viver no Reino Unido não merecem, ou melhor, se merecem alguma coisa, merecem mesmo é ficar desterrados e esquecidos onde ninguém se lembre deles.

Mentem todos os políticos que aparecem por Londres a dizer que a comunidade é importante e mentem sem razão. Bastaria não aparecer por cá para que não fosse preciso mentir. A regra é simples. Eu lembro-me de quem se lembra de mim. A quem me esquece, eu não me lembro porque nunca conheci. Nas ultimas eleições que o Consulado de Portugal em Londres teve, cerca de 150 pessoas foram votar e para a eleição do Presidente da República. Cerca de metade é o numero provisório. Estão desculpados aqueles portugueses que vivem fora de Londres e que passam anos a lutar pelo exercício do seu direito de voto e não conseguem mas para aqueles que vivem em Londres, nada mais há a acrescentar a não ser o desprezo da classe política. Podem estes “tugas londers” alegar que a classe política é toda igual, que não adianta porque o roubo é sempre o mesmo, que nada muda, que tudo é um filme de 3 dimensões a fingir e em que não são precisos óculos mas imaginem só o que seria se os telejornais em Portugal abrissem com a seguinte notícia. - Dos 100 mil portugueses que vivem em Londres cerca de 99% foram votar e 100% dos votos apurados foram em branco. Que grande bofetada seria dada a toda a classe política. Que soco no estômago seria dado a todos os candidatos presidênciais que se “esqueceram” de passar por Londres. Que pontapé no fundilho das calças seria que sentiriam toda uma classe

política, ao saber que 100 mil votos foram desperdiçados à custa de um simples esquecimento que eles têm em relação a nós que estamos aqui, deste lado da barricada eleitoral. Mas a nossa classe política conhece a comunidade melhor que ela própria se conhece. Votados ao abandono já que é ao abandono que andam os votos da comunidade. Se a Comunidade quer um melhor Consulado, com melhores serviços, mais rápido, com mais pessoal, tem que demonstrar esse querer e fazer isso da forma que a classe política entenda. Contando ���espingardas” ou por outras palavras, contando votos. 100 mil votos é muita fartura para ser desperdiçada pelos políticos mas a fartura que a comunidade representa vale exactamente uma mão cheia de nada. Os políticos portugueses sabem disso e talvez por isso, o Consulado vai continuar a ser o mesmo, os serviços podem até piorar, e os portugueses a viver no Reino Unido vão continuar a reclamar por sua própria culpa com forte assento nos que vivem em Londres e sacrificam todos os outros que ajudam a esse sacrifício. Mas vamos ao resultado. Agora que já temos o mesmo Presidente, agora que já é presidente outra vez, Cavaco Silva já pode riscar a pintura. E não perdeu tempo. Quando o discurso devia ser de união, quan-

do o Presidente de todos os portugueses deveria ser de união de todo um povo, quando este homem se devia afirmar como o ponto de união de todos, vai e desata logo a partir a loiça toda. Do alto da sua vitória, começa logo por insultar todos os candidatos dizendo que foi uma luta de cinco contra um. Ora, logo que ouvi esta do cinco contra um, assaltaram-me recordações de adolescência e custou-me a acreditar que o meu Presidente, o nosso Presidente, estivesse a comparar o movimento eleitoral de toda uma nação a um espasmo mal conseguido na solitária do pensamento. Cinco contra um? Começou mal o presidente que do alto dos seus 71 anos já devia ter abandonado certos vícios. Falar mal dos outros, por exemplo. Falou de Alegre, de Nobre e do Francisco, do Defensor e do Coelho como se estes não fossem mais do que falanges, falanguinhas e falangetas da política nacional. Esqueceu Cavaco Silva que ao falar de cada um

destes candidatos, falou também de todos os portugueses que os apoiaram e que foram envolvidos no seu discurso. Cavaco, deveria morder a língua e saudar os adversários, cumprimentar os inimigos, aplaudir quem votou seja em quem for. Fez tudo ao contrário. Cinco contra um? Ora, ora senhor professor!!! Cavaco, esqueceu que apesar da vitória eleitoral, foi o mais baixo record de sempre de uma presidêncial e que bastaria aos imigrantes terem tido a decência de votar e talvez a reforma do professor fosse outra. Tal como no futebol, é o exemplo dos dirigentes que guia as massas e a começar desta forma, não admira que todo o mandato se venha a revelar um passeio..., de lambreta. Depois, lá emendou a mão e abdicou do salário ficando apenas com 10 mil euros de pensão, staff com secretária, motoristas, empregadas para todo os erviço, mordomos, renda de casa, carro e combustíveis. Nada mal para um professor universitário.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

30 milhões de óleo e fama Palop News

Londres

Foi leiloado um quadro de Pablo Picasso pela leiloeira Sothbody's em Londres, que rendeu 30 milhões de euros. La Lecture", pintado em 1932, revela a amante secreta do artista, Marie-Therese Walter, que tinha 17 anos quando Picasso, então com 45, se apresentou quando a viu sair de um comboio numa estação de Paris. A relação entre ambos foi mantida secreta durante muitos anos devido à idade que os separava e porque Picasso era casado. Marie-Therese Walter disse mais tarde que nunca tinha ouvido antes falar do pintor quando ele se aproximou dela, pela primeira vez, dizendo: "Eu chamo-me Picasso

- nós vamos fazer coisas grandiosas juntos". Até "La Lecture", Marie-Therese só tinha aparecido na obra de Picasso através de uma espécie de código, com os traços do rosto frequentemente disfarçados no cenário dos quadros. Só quando o retrato foi exibido numa retrospetiva de Picasso, a mulher, Olga Khokhlova, percebeu que existia uma outra mulher na vida do marido e o casamento terminou. Marie-Therese Walter teve mais tarde uma filha, Maya, de Picasso. A jovem inspirou outros quadros como "La Reve" e "Nude, Green Leaves and Bust", ambos pintados em 1932. No leilão de arte moderna e impressionista que a Sotheby´s levou à praça a 08 de fevereiro, estão também incluídas obras de Claude Monet e Lucian Freud.

Comunicar com S.Tomé e Príncipe Hélio Bandeira S. Tomé e Príncipe

Turistas tugas em Londres Palop News

Londres assim.

Um português em Londres festejou os seus 35 anos e os amigos em Portugal, juntaramse e vieram festejar. O PaLOP News encontrou-os trémulos de frio à porta da Estação de Stockwell num ritmo de espera lento quase parado. Nos dois dedos de conversa, o tempo para o boneco e a troca de algumas opiniões. - O que é que mais os atrai em Londres? - A arquitectura - responde a enfermeira que prefere pensar em fazer carreira em Portugal e já pensou em imigrar para o Reino Unido mas desistiu da ideia. A maioria dos elementos é licenciada em gestão de empresas e analisa a situação em Portugal em jeito de herança. - Portugal está assim, fizeramno assim e vamos herda-lo assim. Não sabemos se o vão deixar

Quisemos saber onde se integram. Se na geração "Rasca" se na geração "Nem-Nem". Na geração "Desenrasca" responde um dos turistas que não esconde os argumentos de que no estado em que o País está, a solução não deixa alternativas. Se vão votar? Claro que sim. O voo para o Porto deixa-lhes uma escassa margem de manobra para o voto e quanto a imigrar, tudo depende. Estão abertos a sugestões e oportunidades e qualquer coisa melhor do que Portugal é bem vindo. - Trabalho numa empresa de comunicações e as nossas vendas tiveram uma quebra de 20% e somos das maiores - confessa. "Prevemos que um quarto dos nossos agentes possa fechar as portas até 2012. Está difícil diz ao PaLOP News. Divirtam-se em Londres e que o frio vos seja quente, atiramos à despedida.

O alto custo da Tecnologia de Informação para quebrar a muralha entre os diasporianos sãotomenses no Reino Unido e a terra natal. Desde os tempos remotos, a informação era a chave do progresso e o sucesso, pois que, quem detinha a informação ganhava as grandes batalhas, detinha o poder e estava sempre na linha de frente. Esse conceito foi-se se generalizando e tornando cada vez mais óbvio de tal modo que foram imperativos os avanços tecnológicos de modo que a informação e a comunicação fosse mais rápida, segura e eficiente. O homem deixou de usar pombos, navios e cavaleiros mensageiros, passando pelos correios, chegando às ondas hertizianas, satélites e fibra ópticas para estabelecerem os contactos entre vários pontos do mundo. Estamos sem dúvida na era da comunicação e informação digital. A questão que se nos coloca no entanto, é o custo e a sustentabilidade dessas novas formas de comunicação? E qual é a posição das grandes indústrias de comunicação, perante a origem e o destino das comunicaçães? Alguns modelos de comunicação rudimentar ainda continuam a ser perpetrados por questões de conveniências pois que a “escrita viva” (caneta e o papel) ainda se revela ser a forma de informação e de comunicação, até então mais autênti-

ca e parece criar menos cepticismo que qualquer outra! Mas quando a questão se trata de transmitir um recado; ouvir a voz de um parente ou amigo; alertar sobre um assunto urgente, etc, parece que a distância entre o Reino Unido e São Tomé e Príncipe se enlarga em relaçao mesmo à ao Brasil, Jamaica, Índia e outros pontos do mundo. Além de alguns testemunhos recolhidos, a própria AMISTP já experimentou grandes dificuldades de comunicaçao com São Tomé e Príncipe pela via telefónica, para tratar de várias questões protocolares e institucionais. Por vezes, quando essa comunicação é estabelecida, o custo por minuto das chamadas é exorbitante! A questão tem constituido uma das nossas preocupações porquanto que o meio alternativo é a internet, através dos “live chat”, skype e outras ferramentas disponíveis, que pese embora a sua utilidade, não se afigura ser a forma de comunicação mais elegante no contacto entre as entidades e mesmo sob o ponto de vista pessoal, é limitado o número de pessoas com essa acessibilidade por diversos factores. Do que se tem observado, mesmo pelas grandes operadoras de comunicação móvel britânica, muitas vezes não se consegue estabelecer o contacto com os números em São Tomé e Príncipe, e quando é feito, as chamadas são taxadas a um preço completamente disparatado se formos a comparar com o preço standard das comunicaçoes internacionais. Alguns são-tomenses, ou não, que tenham tentado ligar para São Tomé e Príncipe a partir do Reino Unido afirmam terem conseguido estabelecer o contacto com mais facilidade através das novas operadoras/agentes de comunicação emergentes no mercado, com ajuda dos operadores dos call center’s, mas ainda persiste o eterno problema de comunicação com estes quando se pretende inquirir previamente sobre o custo das chamadas e a dificuldade dos mesmos em estabelecerem os contactos pois que Sao Tomé e Príncipe se enquadra na categoria de “outros destinos”, para não dizer desconhecido. Se o assunto for de carácter urgente, acredito que acaba por prescrever pelo tempo que se leva para explicar ao operador do call center aonde é que fica São Tomé e Príncipe. Não se sabe se a tecnologia usada pelas operadoras se difere conforme o destino das chamadas, ou se será meramente uma questão de estratégia comercial dessas operadoras que estarão a tirar o proveito das nossas vulnerabilidades. Pairam algumas dúvidas sobre o critérios pelos quais se baseiam para taxarem os valores das

11

chamadas, e a grande curiosidade é que, vendo São Tomé e Príncipe na perspectiva de um país de terceiro mundo, ainda assim, o contacto recíproco já é estabelecido com mais facilidade e parece existir um tarifário fíxo. Acreditamos que a operadora são-tomense, deva ter um papel mais interventivo, ou senão, ao menos a explicação para o facto de ás vezes a ligação para os números atribuídos e em funcionamento normal em São Tomé e Príncipe não poderem ser estabelecidas pelo facto de, (segundo a operadora britânica) os números não se encontrarem atribuídos, e consequentemente as chamadas serem reencaminhadas automáticamente parar num terminal desconhecido ou para o centro de operações com operadores a falarem idiomas desconhecidos. E o mais bizzaro.., o saldo é deduzido nessas chamadas e não se sabe a favor de quem!? É certo que as telecomunicaçoes são suportadas por algorítimos complexos e métodos de codificação superavançados, mas esse não parece o motivo que sustente o elevado custo pois que estamos na era da programação digital, e mais ainda, a situação não é extensível à todos os destinos das chamadas! Pelo sim ou pelo não, esses são os emaranhos até que se consiga estabelecer o contacto telefónico directo para São Tomé e Príncipe, e nós pagamos o preço altíssimo por isso. Essa situação transceende-nos e deixa a diáspora são-tomense no Reino Unido numa posição mais desfavorável, tendo essa que aceitar o título de “Ingrata” que lhe é injustamente atribuída pelos filhos da terra por falta de novidades frequentes. Apesar de irónico, não me foi indiferente esse pequeno extracto da conversa tida com um dos nossos entrevistados. -“Não acredito na telepatia, e como não estou em condiçoes de gastar £3 por minuto para falar apenas 45 segundos de conversa útil, por isso, se o vizinho desligar o moden só me restam duas alternativas: Ou acendo a fogueira, abano lenço, aceno a mão e grito, sei lá.., ou então, voltamos a era pitográfica e esculpo o meu recado no muro da London Bridge e um familiar há-de vir a Londres e ler... Eu até me esqueço que sou são-tomense”. O tempo não nos tem favorecido, mas virá o tempo em que São Tomé e Príncipe se afigurará, imponente, em todos os mapas mundo, e as suas gentes em qualquer parte do mundo não precisarão mais de se esconder por detrás da segunda cidadania. Tudo passa! Membro da Direção da AMISTP – SãoTomé and Príncipe Friends Association*


12

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Palop News

Londres

Depois de ter passado pelos Estados Unidos da América em missão profissional, está em Londres desde Junho de 2010. Emanuel Duarte procura cidadãos de Cabo Verde "que tenham capacidade eleitoral" para abrir a oportuni-

PaLOP News. A sensibilidade de Emanuel Duarte é intensa até porque foi em Londres que efectuou os seus estudos e é aqui que acabou por abrir o escritório de representação de Cabo Verde ainda que com uma missão específica. "Estamos confiantes de que vamos conseguir recensear um maior numero de compatriotas" - revela.

regista o maior crescimento e onde se encontra talvez a maior comunidade. "Assiste-se á vinda de quadros formados para o Reino Unido que servem de promoção do país em Inglaterra. O Governo faz um esforço para recrutar estes quadros ao regresso á Pátria mas reconhece o valor que têm e a mais valia que significam

ao turismo em Cabo verde". Sobre as relações diplomáticas entre Cabo Verde e o Reino Unido, Emanuel Duarte afirma que "já existe um Cônsul Honorário de Cabo Verde em Londres empossado recentemente" mas prevê-se que em breve a frente diplomática possa ser alargada. "Para já a representação do Reino Unido no exterior também não existe

Dipomacia de Cabo Verde cresce no Reino Unido Emanuel Duarte, o diplomata nomeado por Cabo Verde para efectuar o recenseamento dos cabo-verdianos a residir no Reino Unido aceitou o convite para falar ao PaLOP News sobre o trabalho que tem estado a desenvolver. dade a que estes possam participar na vida cívica do país Natal. Até ao momento conseguiu "o recenseamento de cerca de uma centena de pessoas e foi este o universo que participou ao votar nas eleições legislativas em 6 de fevereiro ultimo". "Preparamos-nos para um novo ciclo para as eleições presidenciais em Agosto próximo. Estimamos que vivam no Reino Unido cerca de 4 a 5 mil cabo-verdianos e procuramos identificar, recensear e organizar esta comunidade" refere o diplomata ao

"Temos uma comunidade em crescimento no Reino Unido, fruto do facto de sermos um país de diáspora e de haver muitos caboverdianos a deixar Portugal rumo a melhores condições de vida no Reino Unido. De resto, temos uma comunidade antiga havendo mesmo elementos que são já de terceira e quarta geração". Emanuel Duarte refere a dispersão dos cabo-verdianos por Manchester, Birmingham, Liverpool e Londres sendo nesta ultima cidade onde se

mesmo estando no exterior, fruto da globalização mundial." diz o diplomata para adiantar que "o Reino Unido tornou-se no maior fornecedor de turismo para Cabo Verde e que o país de Sua Majestade tem produzido fortes investimentos na área do turismo" naquele país africano. Com 3 voos charter semanais a partir de Londres, Manchester e Birmingham, torna-se agora mais curta a distância entre Cabo Verde e a diáspora no Reino Unido e os "nossos compatriotas servem de promoção

em Cabo Verde estando sediada no Senegal mas fruto do investimento que tem havido em Cabo Verde é de esperar que possa haver a curto/ médio pra-

zo uma representação mais formal ao nível do consulado de carreira ou mesmo de embaixada" - afirmou para adiantar que "Já vai sendo tempo de haver maior aproximação entre as duas nações". Sobre a missão que tem em Londres, o diplomata refere que para o tratamento do recenseamento existe também o tratamento da emissão de documentos nomeadamente o Bilhete de Identidade. Cabo Verde, tem sido um país em forte crescimento que na opinião do nosso entrevistado se deve "á forte aposta na educação que agora começa a apresentar os seus frutos". O mandato que vai terminar em Outubro deve permitir conhecer melhor a comunidade cabo-verdiana no Reino Unido e "habilitar os caboverdianos com a nacionalização e a identificação com a Pátria". Como mensagem, o diplomata refere a todos os compatriotas que possam contactar o escritório em Euston "onde todos serão bem vindos. Iremos dar uma recepção em breve e todos os que nos contatarem serão bem acolhidos". Os contactos deste novo espaço de Cabo Verde em Londres são 07563896118 ou através do e:mail emanuelduarte318@ hotmail.com. O post code é NW1 2EZ.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Quem não fia não é de fiar Palop News

Londres

“O Padre Pedro sempre tentou que as coisas se resolvessem internamente mas o Padre Jacinto decidiu trazer os assuntos internos para a praça pública e o resultado está á vista" - revela ao PaLOP News uma fonte ligada á MCP (Missão Católica Portuguesa). Fontes diversas, afirmam ao nosso reporter que "se o Padre Pedro tem vergonha de alguma coisa não é certamente pelo que fez ou deixou de fazer mas por ver o bom nome da MCP nesta confusão". "Depois de tudo o que o Padre Pedro fez pela comunidade é injusto o que está a acontecer" revela uma outra paroquiana abordada pela nossa reportagem. São muitas as pessoas que se recusam a falar aos jornais mas são também muitas aquelas que aceitam fazê-lo; a maioria sob ano-

nimato. "Fale com o Padre" foi a frase que mais se repetiu ao nosso reporter. Foi o que fizemos. Contactamos o Padre Pedro que aceitou receber-nos e falar connosco com a condição de não publicarmos as suas palavras. Avisamos que iríamos contactar outras fontes e partimos à procura. Lia Matos acedeu falar connosco sobre o Padre Jacinto que foi anunciado como pároco em Junho de 2010.

se identificar na esperança de que este assunto termine o mais rápido possível. Segundo Lia Matos, o Padre Jacinto foi viver para um quarto alugado mas o PaLOP News descobriu que esse foi o mesmo que aconteceu quando Pedro Rodrigues, o agora chefe da MCP chegou a Londres no tempo do saudoso Padre Zé (Monsenhor Vaz Pinto) e aceitou sem reclamar. Lia Matos, refere ainda que "não foi facultado ao Padre Jacinto o uso de carimbo e papel timbrado da MCP. O PaLOP News apurou contudo que como só existe um carimbo ele não poderia ser dividido. Sabemos ainda que foi oferecida uma chave da casa da MCP ao Padre Jacinto que este recusou, razão pela qual terá tido dificuldades acrescidas. Ao PaLOP News, um paroquiano já citado refere que o Padre Jacinto não teria quem lhe tratasse da roupa, assunto que é desmentido já que a mesma pessoa que trata da roupa do Padre Pedro se terá oferecido ao Padre Jacinto para o mesmo trabalho o que veio a ser recusado porque o padre Jacinto "recusa que alguém lhe mexa na roupa". O Padre Jacinto tentou junto dos bispos portugueses que as autoridades religiosas inglesas pudessem acudir nesta questão mas as autoridades inglesas fizeram "orelhas moucas" ao assunto que agora vem a vitimar o Capelão da MCP. No ar, fica a acusação de 300 mil libras que se terão "evaporado" em confronto com a legislação inglesa. A comunidade portuguesa que vive em Londres sabe que não é possível mexer em 300 mil libras sem que haja registos escritos e bancáriamente justificados. "A casa do Padre Pedro já estava construída

É um rosto habitualmente sorridente que desta vez aparece cabisbaixo. “Triste porque o que se está a passar envolve dois padres” "Não foram dadas ao padre Jacinto condições dignas para viver e trabalhar com a comunidade de Clapham" refere Lia Matos lamentando-se que o Padre Jacinto tenha primeiro sido integrado na Igreja inglesa. "Exactamente o mesmo que aconteceu com o padre Pedro quando chegou a Londres e nunca se lhe ouviu uma reclamação" refere um paroquiano que prefere não

quando o visitei em Portugal" - revela uma fonte que prefere não dar mais comentários e que se recusa a identificar à nossa reportagem. "O importante é que não se fale mais nisto e que os «saltos altos» percebam que por muito que se esforcem não conseguem dividir a comunidade". Quem são os «saltos altos» perguntamos a uma paroquiana que parece saber o que se passa. "Luisa Vieira" sopra alguém que passa ao lado e não espera para ser entrevistada. César Pina, elemento do Conselho Económico da MCP desde 1987 enviou um comunicado à imprensa a defender o Padre Pedro mas a maioria dos meios não fizeram uso da informação. O PaLOP News sabe que o Padre Pedro tem apenas acesso a duas contas bancárias e que ambas podem ser consultadas por quem fiscaliza as contas da MCP. O PaLOP News sabe que haveria outras contas a serem conferidas antes da chegada do Padre Pedro a Londres e que este desconhece mas dessas não se falam. Quem poderia responder já cá não está e quem está não responde porque a consciência não deixa. O PaLOP News sabe mas como não tem provas testemunhais ou documentais não pode publicar. Quanto ao que se passa com a Comunidade Católica da MCP, parece muita roupa suja onde o sujo existe e falta a roupa. A "feira das vaidades" marca a sua presença em todos os tabuleiros da comunidade e talvez

13

seja por isso que uma das maiores e mais antigas comunidades de imigrantes em Londres seja das mais atrasadas na defesa dos seus direitos e do seu conforto. O que se passa com a MCP, mais não será do que aquilo que se passa em toda a comunidade de forma transversal a lembrar uma frase de alguém que um dia revelou ao PaLOP News: "Se for para fazer, será com as pessoas que estão cá há pouco tempo. As que estão há muito tempo, se fossem pessoas de fazer, já o teriam feito". O Padre Jacinto teve as suas oportunidades e não teve a humildade ou o rasgo do esforço, é a conclusão possível. Se alguma coisa estava a correr mal deveria ter tratado o assunto de forma interna. A lembrar, a frase de Pedro Santana Lopes quando numa entrevista como Primeiro Ministro disse que "os assuntos de segurança nacional não são para falar porque se fossem falados deixariam de ser seguros". Assim é com o que se passa com a MCP onde os assuntos dos padres devem ser tratados dentro de portas. Na verdade, a "batata quente" fica agora com Pedro Rodrigues já que Jacinto Bento está agora a salvo da confusão que deixou para trás. Se a comunidade existe como tal, deve pender a acusação para as autoridades inglesas que deram ao Padre Jacinto apenas as mesmas condições que deram ao Padre Pedro quando chegou a Londres. O que para um foi suficiente, para outro foi pouco mas disso não reza o pecado. "Depois de tudo o que o Padre Pedro fez pela comunidade é injusto o que está a acontecer". Foi assim que começamos este trabalho, é assim que o terminamos. Entretanto, fica a informação de este trabalho tem sido alvo de vários comentários no portal do PaLOP News que podem ser consultados em www.palopnews.com.


14

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

O Socialismo Palop News

Londres

Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e "justo". O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames." Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam "justas". Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia a nota máxima. Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores. Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado! Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam ti-

Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha, uma vez, chumbado uma turma inteira. rar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas. Portanto, agindo contra os seus principios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. No resultado, a segunda média dos testes foi 10. Ninguém gostou. Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5. As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela turma. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No fim de contas,

Desastre das presidênciais portuguesas no Reino Unido

Palop News

Londres

Presidênciais portuguesas em Londres. Foi um Consulado Geral de Portugal absolutamente deserto que o PaLOP News encontrou em Londres no Domingo eleitoral para as presidênciais portuguesas. Segundo conseguimos apurar, cerca das 15 horas de Domingo, mais de um dia e meio depois de abrirem as urnas eleitorais, apenas 60 pessoas tinham exercido o seu direito de voto nas instalações do Consulado a que devem ser descontadas as cerca de 10

que trabalham no próprio Consulado. Em declarações ao PaLOP News, Macedo de Leão, Cônsul Geral de Portugal em Londres revelou que "esperava que a afluência pudesse ser maior" e que o registo é "muito fraco". Os portugueses estão alheados da política, mesmo da eleição da mais importante figura da política portuguesa" revelou à nossa reportagem. Interpelado pelo nosso jornalista, Macedo de Leão refere que "Não são apenas os portugueses a viver no Reino Unido a demonstrar este desinteresse. As pessoas não têm acorrido aos consulados para o voto presencial". Num ambiente completamente

ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros. Portanto, todos os alunos chumbaram... Para sua total surpresa. O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi o seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado. "Quando a recompensa é grande", disse, o professor, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos

deserto, Macedo de Leão preferiu não se pronunciar sobre o voto por correspondência que foi discutido na Assembleia da República. Para Macedo de Leão, seria de esperar que houvesse uma maior afluência dado que "seguramente vivem na Grande Londres mais de 100 mil portugueses". Segundo o mesmo Cônsul Geral, houve uma participação de "juventude nomeadamente do sexo feminino e portugueses que se deslocaram de Kent e do Sul de Inglaterra para votar". Macedo de Leão, disse aguardar os resultados para os comunicar o que se espera venha a contecer depois de se conhecerem os resultados de Quénia, Jersey, Singapura, Jacarta, Bangkcok e Dublin que são recolhidos pelo Consulado de Londres. Durante esta reportagem, foi ainda possível verificar que o sistema informático sofria de carências uma vez que se tornava demorado verificar os registos dos cidadãos, conforme aconteceu em Portugal e amplamente divulgado pela imprensa portuguesa. No PaLOP News acompanhamos os resultados eleitorais a serem divulgado no portal assim que se tornem definitivos.

para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável." O pensamento abaixo foi escrito em 1931. "É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade. Por cada pessoa que

recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos. O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém. Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."

Fracasso no 1º Encontro dos luso falantes com Vice Mayor de Londres Palop News

Londres

Foram várias as pessoas que se empenharam no projecto de recepção a Richard Barnes, o Vice Mayor de Londres que manifestou interesse em conhecer melhor a comunidade lusofona a residir na cidade. Esta, que poderia ter sido a primeira grande oportunidade dos luso falantes poderem abordar o poder político londrino, acabou porém por resultar num fracasso fruto da descoordenação organizacional e pela ação de um elemento da organização que terá decidido unilateralmente cancelar o evento sem consulta prévia aos restantes elementos da organização. A exemplo do que tem acontecido com outras comunidades imigradas em Londres, a comunidade de

Língua Portuguesa viu assim gorada a primeira operação junto do poder administrativo londrino que aguarda agora uma outra oportunidade em data a anunciar. Vários elementos do grupo de trabalho mostraram a sua indignação perante a atitude isolada do elemento que cancelou o encontro. O PaLOP News apurou no entanto que após algumas diligências, o Gabinete de Richard Barnes se mantém disponível para uma segunda hipotese. Até ao momento, a equipa que gere esta segunda oportunidade não revelou qual a data, local ou o programa para cumprir. Na oportunidade agora perdida, sabe-se que seria entregue um dossier sobre cada uma das oito nações, bem como uma mostra gastromómica a oferecer ao Vice Mayor Richard Barnes.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Casamento: Emoção ou razão? Por: Marino Rodrigues*

A realidade é um produto, fruto das informações colhidas pelos nossos cinco sentidos a vista, a audição, o tacto, o olfacto, e o paladar - onde se pode adicionar de igual modo o chamado “sexto sentido”. A realidade depende daquilo que se pode ou se consegue ver, é um advento da consciência, tudo subsiste mediante a interpretação que imprimimos no espaço da nossa consciência. Nem tudo é aquilo que apa-

rente, dependendo tudo daquilo que tem condicionado as suas vidas ao longo dos anos. Numa descoberta histórica um cientista russo chamado Pavlov, fez uma experiência com cães, donde de cada vez que dava de alimentar os animais, fazia soar uma campaínha, de modo que os animais começaram a associar a campaínha à comida, e de cada vez que ouviam a campaínha, já sabiam para o que era, e corriam excitados para o repas-

Somos nós que definimos a dimensão do nosso espaço, quer ele seja físico, material, religioso, anímico, espiritual, político, científico, artístico, organizacional ... renta ser. Duas pessoas podem estar a olhar para a mesma imagem, e aqui concerteza que já ultrapassamos o mero campo da ilusão de óptica, falamos da imagem como sendo o personagem que vestimos neste mundo dualista em que vivemos: pobrerico, triste-alegre, velho-novo, feliz-infeliz, amado-odiado, etc. ou circunstâncias adversas, vicissitudes trágicas, infortúnios desmedidos vs fascínios efémeros, glórias passageiras, sucessos fabulosos, imagens reais dessa dualidade, como dizia duas pessoas podem estar a olhar para a mesma coisa, e uma pode estar a ver uma coisa e outra pode estar a ver outra totalmente dife-

to. A certa altura o cientista reparou que mesmo que não fosse para comer, se os cães ouvissem a campaínha, ficavam muito excitados e desatavam a correr em direcção a ele. Passou-se a chamar a este fenômeno de capacidade de resposta a um determinado estímulo, reacção pavloviana. Noutro contexto e noutra cultura, em alguns países africanos, se se amarrasse um bebé elefante a um cordel nos seus primeiros anos de vida, quando este bebé se tornasse um adulto plenamente desenvolvido era bem capaz de rebentar uma corda muito robusta ou mesmo umas correntes, nem que para

isso tivesse que arrancar a árvore, no entanto se o voltassem a prender a um cordel, com toda a sua monstruosa energia, ele nem se mexia. Estava condicionado a um estímulo implantado no seu sub-consciente e era assim que ele reagia. Ainda noutra experiência, num contexto europeu, puseram um vidro transparente a separar o espaço “navegável” dum aquário, os peixes iam até ao vidro separador e faziam meia volta e voltavam no sentido inverso, sempre limitadas pelo vidro. Ora quando, passado algum tempo, retiraram o vidro, os coitados dos peixinhos, não conseguiam ultrapassar aquela dimensão (seja ela uma cidade, um país, um emprego, uma carreira, uma religião, uma relação viciosa, uma dependência tóxica, uma cultura, uma maneira de pensar, um trauma de infância, um paradigma, a dependência económica, etc.), tinham sido de tal modo condicionados àquela configuração, quando chegavam ao meio do aquário, apesar do vidro já não estar lá, faziam meia volta e regressavam em sentido inverso. Tudo isto são fenômenos de consciência, a realidade é um produto, fruto das informações que colhemos durante a nossa existência, e somos nós que definimos a dimensão do nosso espaço, quer ele seja físico, material, religioso, anímico, espiritual, político, científico, artístico, organizacional, ou de qualquer outra ordem. * Marino Rodrigues (Fundador e Diretor da ONG “Quinta Dimensão”, empresa social sem fins lucrativos, operando desde Portugal há mais de 25 anos, reconhecida pelo Estado Portguês como Instituição de Utilidade Pública, estabelecida recentemente em Londres, cujo objetivo é apoiar os PALOPs e comunidades lusófonas na diáspora). www.quintadimensao.org. uk/info@quintadimensao.org.uk

PaLOP connosco

15

Espero que 2011 tenha começado bem - da forma como o idealizou. Este mês trago-lhe um vídeo de um famoso programa de TV da Grã-Bretanha*. A mensagem é poderosa e quando essa mensagem é aplicada nas nossas vidas é ainda mais poderosa. Para onde foram os nossos sonhos? Em que áreas das nossas vidas estamos na verdade a viver o que idealizámos, o que realmente nos apaixona? A letra da música é fantástica, mas o que é ainda mais interessante é a rapidez com que julgamos os outros pela sua aparência e não acreditamos neles. Se reflectirmos isso de volta para as nossas vidas, significa que não acreditamos em nós próprios - o que pode ser um exagero, mas muitas vezes existe aqui uma pequena verdade. Veja este vídeo até ao fim. Reflicta no seu sonho para este ano, e para além do seu trabalho diário e da sua vida profissional, pense o que iluminaria a sua vida como um raio de sol? A letra da música é: "I dreamed a dream in time gone by When hope was high and life worth living I dreamed that love would never die I dreamed that God would be forgiving Then I was young and unafraid And dreams were made and used and wasted There was no ransom to be paid No song unsung, no wine untasted But the tigers come at night With their voices soft as thunder As they turn your hope apart As they turn your dreams to shame And still I dream he'd come to me That we would live the years together But there are dreams that cannot be And there are storms we cannot weather I had a dream my life would be So different from the hell I'm living So different now from what it seemed Now life has killed the dream I dreamed" From Les Misérables, Alain Boubil (French lyrics) and Herbert Kretzmer (English adaptation) Para visualizar o vídeo aceda a http://www.youtube.com/ watch?v=RxPZh4AnWyk Maggie João é uma Executive & Life Coach que o ajuda a concretizar os seus objectivos pessoais e profissionais de uma forma mais rápida do que se o fizesse sem qualquer tipo de apoio. Com uma panóplia de clientes espalhada em três continentes, o seu Coaching é não direccional, sem juízos de valor e totalmente centrado no cliente. A Maggie pratica Coaching em português, inglês e espanhol. Para mais informações sobre os seus serviços de coaching por favor visite www.coachinglife.eu, ou contacte-a através do email maggie. joao@coachinglife.eu.


16

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Exclusivo Palop News

Pete Robbins, vereador de Lambeth Council

A professora já está a trabalhar Palop News

Londres

A professora está de volta. Pete Robbins, vereador do pelouro da Juventude e Crianças que arrasta por inerência o pelouro da educação, quando confrontado com as razões do despedimento de Luisa Ribeiro, a professora que presta apoio ás crianças filhos de portugueses, refere que o "O Council de Lambeth tem todo o interesse em que o trabalho de Luisa Ribeiro tenha continuidade". O político, refere ao PaLOP News que "enquanto a responsabilidade era do Council de Lambeth por atribuição governamental, este cumpriu, mas desde que o novo Governo Conservador decidiu transferir essa responsabilidade para as escolas, o Council ficou sem ter como responder no processo pelo que cabe agora às escolas encontrar uma solução. Se as escolas reconhecerem o trabalho de Luisa Ribeiro como importante, terão que ser as escolas a contratar a professora portuguesa." Recorde-se que Luisa Ribeiro tinha um protocolo com o banco português Caixa Geral de Depósitos que além de atribuir uma verba anual aos alunos que mais se destacavam nos relatórios de Luisa Ribeiro (dois por cada escola) no valor de £100.00 cada, tinha também uma verba de £50 que era atribuída às escolas cujos alunos tinham sido premiados. Esta iniciativa do banco português tem porém a tendência a desaparecer dado que o banco perde a intérprete que servia de indicação dos alunos e escolas a atribuir o prémio. Em função das promessas eleitorais que levaram muitos portugueses a apoiar o Partido Trabalhista em Lambeth, Pete Robbins garante que "O Council de Lambeth não cruzou os braços e tem desenvolvido pressão junto das escolas para que o trabalho de Luisa Ribeiro tenha continuidade. “O trabalho da professora portuguesa é demasiado importante para que se possa perder" refere o vereador. Quanto ás escolas, sabe-se que estas podem contratar Luisa Ribeiro mas num outro figurino, como consultora independente. Este novo

figurino porém, ao critério das escolas, não dará de imediato a Luisa Ribeiro o horário completo. Confrontado com esta questão, Pete Robbins afirma que "O Council de Lambeth tem conhecimento que Luisa Ribeiro tem já pelo menos 10 dias de trabalho contratados pelas escolas de Lambeth". Para já, sabe-se que Luisa Ribeiro já está no activo e se encontra como consultora independente estando em curso a possibilidade de vir a ser contratada por outras escolas. Em todo o caso, o acordo remuneratório é sempre promovido caso a caso por cada uma das escolas e pela própria Luisa Ribeiro, não tendo o Council qualquer responsabilidade na matéria. "Quem trabalhou com Luisa Ri-

beiro conhece a sua competência e por isso lutam para a recuperar porque confiam no trabalho já desenvolvido" afirma Pete Robbins ao PaLOP News. Já as iniciativas que Luisa Ribeiro costumava desenvolver, têm que ser repensadas. Embora o Vereador Pete Robbins admita que o Council de Lambeth possa apoiar estas iniciativas, "seria conveniente que Luisa Ribeiro pudesse encontrar outras plataformas de financiamento nomedamente junto dos bancos portugueses como vinha acontecendo antes." Segundo o nosso entrevistado, "desde que as escolas mostrem interesse no trabalho de Luisa Ribeiro o Council estará interessado em promover as condições para que o projecto continue. O projecto de Luisa Ribeiro, não sendo agora um exclusivo de Lambeth, pode ajudar crianças de várias comunidades" acrescenta. "Luisa Ribeiro não está sózinha na luta pela continuidade do seu projecto e nós estamos empenhados

em valorizar o trabalho da professora" diz o vereador para continuar; "O Council de Lambeth publicitou o trabalho de Luisa Ribeiro junto das escolas no sentido de as sensibilizar para a questão e com os resultados que já se conhecem; Luisa Ribeiro já está a trabalhar. Embora como independente, Luisa Ribeiro tem agora oportunidade de gerir o

projecto e faze-lo crescer, tendo no entanto que conquistar a confiança das escolas". Sobre a possibilidade de o Mayor de Londres ter mostrado interesse na metodologia de trabalho da portuguesa Luisa Ribeiro, Pete Robbins afirma desconhecer mas "que irá investigar e não admira que haja esse interesse dado o valor do tra-

balho desenvolvido". Recorde-se que ao longo de 5 anos os alunos filhos de portugueses subiram o seu rendimento escolar em cerca de 14% quando inicialmente estavam nos ultimos lugares do ranking de avaliação. O PaLOP News apurou que o Município continua a estudar formas de incentivar o trabalho de Luisa Ribeiro tendo porém que encontrar um enqudramento jurídico e político que o permita. Sabe-se que os membros do Partido Trabalhista estão empenhados em que haja uma possibilidade de integrar Luisa Ribeiro sem contudo ferir as regras políticas que tal contratação possa acarretar. "Estou seguro que se as escolas contrataram Luisa Ribeiro, isso deve-se ao facto de termos intervido junto das escolas para que tal fosse possível" afirma o vereador. "Estamos orgulhosos do trabalho que desenvolvemos com Luisa Ribeiro nos ultimos anos e por isso queremos que continue" finaliza. Quanto a Luisa Ribeiro, o PaLOP News apurou que desde a terceira semana de Janeiro se encontra a trabalhar e embora fontes próximas da professora desconheçam a movimentação política que tem sido


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

exercida, a verdade é que Luisa Ribeiro está neste momento a ministrar 2 cursos de português para professores no nível 1 e 3 e tem previsto o lançamento dos programas "Sing Portuguese" e "Clapham Portuguese Section Library" apesar dos rumores do encerramento de várias bibliotecas por ordem do Governo Conservador. Embora a verba esteja prevista apenas para o lançamento dos programas e não para o seu acompanhamento que duraria vários meses, Luisa Ribeiro tem ainda garantidas duas reuniões anuais para promover o "Lambeth Portuguese Education Network" o que na prática demonstra a vontade política de continuar o trabalho da professora portuguesa. Este conjunto de programas pretende demonstrar o desejo do Partido Trabalhista de Lambeth em promover o trabalho até então desenvolvido. As mesmas fontes próximas de Luisa Ribeiro afirmam que a professora está receptiva a "propostas de trabalho", levando à conclusão que Luisa Ribeiro se encontra confortável em relação ao seu futuro profissional. Contactada pelo PaLOP News, Luisa Ribeiro afirma "agradecer ao Council de Lambeth" o esforço desenvolvido reafirmando que "o importante são as crianças e que o projecto siga em frente". "São as crianças que me movem" termina.

17

Filomena Camacho apresenta “Poemas nossos” Palop News

Londres

Filomena Camacho, lançou em Londres, onde reside, o seu mais recente trabalho chamado “Poemas nossos” num evento que contou com a imprensa, vários amigos e uma grande afluência de público. Filomena Gomes Camacho é natural de Angola e viveu em Portugal. A sua primeira “publicação” foi uma carta, na revista Vida Abundante, quando tinha apenas dez anos de idade. Em Portugal, teve a seu cargo, na revista Crónica Feminina, as páginas semanais “Diário de uma Refugiada” e “Como Começou”, com entrevistas, entre outros, a Nicolau Brayner, Herman José, Simone de Oliveira, Teresa Teles, Olga Cardoso, Orlando Dias Agudo… e aos saudosos Victor Mendes, Henrique Santana e Ivone Silva entre outros grandes nomes da sociedade portuguesa. Mais tarde, foi redactora dos jornais O Homem e a Sociedade, Tribuna de Almada (página cultural), RDS-Jornal e Noticias do Seixal, onde também foi chefe de redacção. Tem trabalho publicado na antologia poética "O grito frente ao mar".

Licenciada em Artes Plásticas, foi a fundadora da APRODAME Associação de apoio a Mães Toxidependentes. Como voluntária, particiou em projectos relacionados com a saúde e a alfabetização. É membro de "Os Confrades da Poesia" e em 2009 editou o livro que agora apresentou em Londres. No evento que decorreu no Wine & Bread em Hendon, Filomena Camacho falou ao PaLOP News.

ção, a contemplação, o êxtase... são factores que me impelem a desenhar telas, do o meu estado de alma, com palavras. - Acontece-lhe perder os seus escritos durante um tempo e depois reencontra-los? O que sente quando relê o que escreveu e já tinha esquecido? - Sim, tem acontecido. Quando releio esses pedaços de pensamentos surpreendo-me, muitas ve-

- Quando começou a escrever? - Comecei a escrever aos 10 anos de idade. Coisas simples, coisas de criança. - A sua poesia tem sabor a África? - África foi a principal musa inspiradora. - Quando escreve, em que estado emocional é que está? - O silêncio do interior, a divaga-

zes, do que escrevi. - Florbela Espanca fez uma definição de "Ser poeta". A Filomena também tem uma definição? - Florbela faz uma definição bastante descritiva do que é ser-se poeta. Eu o defini como alguém que percorre, sem limites, o irreal... Que sabe dançar a melodia do vento, envolto num manto de neblina... Que exaure o perfume do mar e o

espalha no infinito… - Para quando o próximo livro? - Está para breve. A biografia de uma chinesa, a viver em Hong Kong, com uma narrativa de vida bastante interessante. - Como estão a correr as vendas deste trabalho que foi apresentado? - Bastante bem. Acho que a poesia e o Fado continuam a estar intrinsecamente ligados à nossa cultura. - Que outras coisas lhe apetece fazer além de escrever? - Gosto de pintar, ler, viajar... - Escrever poesia é sinónimo de "loucura"? - Alguém referiu que a “loucura” é o fundamento da poesia, porque os loucos são poetas. Escrever poesia pode ser a catarse dessa insanidade... - Deixe-nos uma mensagem para o público lusófono em UK - Ao publico lusófono gostaria de dizer que estamos juntos nesta jornada e que, no jornal PaLOP, encontramos o elo que torna, indissolúveis, os nossos laços. Contactos para quem quiser comprar o livro nos seguintes restaurantes: Restaurante Wine & Bread - 541 Church Rd - Hendon - NW4 4EB ou no Restaurante Tamariz - 156 Manor Rd - NW10 4JR


18

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

19

A crónica do psicologo Por: Dr João Botas*

Dia de portugal já mexe Palop News

Londres

O Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas que dita o feriado de 10 de Junho e é comemorado em todo o Mundo pelos imigrantes portugueses, já mexe em Londres. O PaLOP News tem conhecimento porém, que para 2011, o Dia de Portugal está a mexer de forma tentacular já que existem mais que uma comissão para a organização, havendo mesmo a suspeita que possa haver mais que um evento em Londres. Fruto das convulsões que aconteceram em 2009, o que veio a ditar uma nova comissão em 2010, assistiu-se depois á dissolução da ultima comissão que aparece agora com novo figurino e com novos rostos. No "diz que disse" londrino, apontam-se cerca de cinco "ameaças" sobre o Dia de Portugal já que são cinco as comissões que anunciam avançar para a organização da festa portuguesa. Pelo menos duas comissões fazem já publica informação das suas intenções sendo de prever que seja necessário instituir uma autoridade que ponha cobro a este tipo de convulsão que confunde e baralha a população portuguesa que assiste incrédula ao desenrolar das notícias. O PaLOP News apurou porém que uma das comissões é já possuidora do licenciamento do parque onde a festa se irá desenvolver havendo alguns rumores sobre o

cartaz a apresentar. Grandes nomes da musica portuguesa são apontados como possíveis no elenco da festa, porém, é ainda demasiado cedo para que se possam divulgar nomes uma vez que não se encontra ainda nada confirmado. Outra das comissões promete trazer a Londres um elenco de artistas variado e de prestígio, contudo, ainda nenhuma das duas comissões que vai á frente na corrida, apresentou argumentos concretos, aguardando-se que tal possa acontecer á medida que se vai aproximando a data limite para informação ao público. Como é habitual, o PaLOP News acompanha a informação e as movimentações esperando a seu tempo proporcionar aos seus leitores toda a informação sobre o evento. Para a generalidade das opiniões recolhidas pelo nosso jornal junto de vários portugueses escolhidos aleatóriamente, "é pouco simpático" que as indefinições permaneçam sobre a maior festa portuguesa no Reino Unido. Espere-sa em breve que possa haver mais informação por parte das diferentes comiss��es para que se possa começar a desenhar a festa a que os portugueses, naturalmente, dirão presente independentemente da comissão que venha a vencer esta disputa.

Um novo mês se anuncia, passada a época festiva e consequente ressaca aqui estamos em Fevereiro, do Latim ‘februum’ que significa purificação. Há outras designações interessantes: do Anglo-Saxão temos ‘Solmonath’, mês da lama e ‘Kalemonath’ que é a palavra couve. Em Filandês, este mês é chamado ‘helmiku’, ou seja, mês da perola pois quando a neve derrete nos ramos das arvores forma gotas de água que congeladas pela geada parecem-se com perolas. Em Ucraniano, este mês é chamado Лютий ‘ , isto é, mês do gelo ou da geada. Toda esta salada de imagens, desde a mais estética, como a perola, há mais banal, como a lama, fez-me questionar como é que se poderá traduzir a noção de purificação em termos psicológicos?! Talvez, não seja possivel atingir um estado completo de ausência de impurezas na nossa mente, mas certamente que podemos tentar limpar um pouco os cantos à casa. Durante a nossa vida psicologica, nós desenvolvemos formas de pensar inuteis. Identificar estas formas constitui um passo saudavel, pelo menos ficar-mos conscientes deste tipo de pensamentos poderá ajudar-nos a lidar de uma maneira mais construtiva pois eles tendem a ocorrer em situações de stress. Uma forma de pensar muito comum é o ‘filtro mental’, não, não se trata do maço de tabaco mas é parecido! Por vezes, nós só tomamos atenção aquilo que nós queremos dar importancia e rejeitamos aquilo que não nos

interessa. Por exemplo, se eu disser ‘Oh, Ermelinda! Eu gosto dos teus óculos novos!’, se a Ermelinda estiver triste provavelmente irá entender o que eu disse como uma critica e pensar ‘Eu não devia ter comprado estes oculos!’ e esquecer ou ‘filtrar’ o meu comentário positivo. Outra forma, que nos eleva quase ao estatuto de ‘espíritas’ é aquilo que nós designamos de ‘ler-a-mente’ e é o equivalente mental de ‘ler a sina’, isto é, nós supomos saber o que os outros pensam ácerca de nós. Pegando no exemplo anterior: A Ermelinda pensa: ‘Ele acha que eu sou feia, é por isso que ele notou nos meus óculos novos!’ O que acontece é que estes pensamentos pertencem há Ermelinda e a mais ninguém; se ela não desafiar estes pensamentos e se não perguntar-me se eu lhe estou a chamar de feia não há maneira de a Ermelinda saber, de certeza, aquilo que eu penso acerca dela, dos óculos, do vestido ou do quer que seja!

Continuando no espirito da adivinhação, outra forma pouco saudavel de pensar é a ‘profecia’, isto é, acreditarmos que sabemos o que vai acontecer no futuro. A Ermelinda tem medo de voar, por isso cada vez que ela vai a Portugal ela pensa que o avião da TAP vai cair e ela vai morrer nas águas do Atlantico. A Ermelinda não dorme bem nos dias anteriores, está numa carga de nervos no aeroporto, e talvez se encharque de ‘drumfos’ antes de entrar na máquina temível; e esquece-se que está a prever o que vai acontecer e a ficar num estado nada saudavel. Convém lembrar à Ermelinda e aos leitores de que a percentagem de acidentes aereos comparada com a de automoveis é bastante baixa, ou seja, de avião é 0.01% e de carro é 25%. Talvez ela deva comer um belo caldo verde para se acalmar, estamos no mês da couve!!! *Dr João Botas, Psicologo Clinico psy@joaobotas.co.uk

Dia do Pai dá prémios O PaLOP News em parceria com a Coordenação do Ensino do Português no Reino Unido, leva a efeito um concurso na área de Londres referente ao Dia do Pai destinado aos alunos da Coordenação. Os candidatos deverão entregar os seus trabalhos no tamanho máximo A4, em prosa ou poesia na aula de português sob o tema "Pai" ou "Dia do Pai". O júri é nomeado pela Coordenação do Ensino do Português e serão atribuídos quatro prémios,

sendo um por cada nível de ensino. O prémio consiste num jantar para filho(a) e pai, num restaurante nomeado pelo jornal PaLOP News que fará a reportagem. Os trabalhos selecionados serão também publicados pelo jornal PaLOP News quer no portal web, quer na versão de papel. Os prémios terão que ser obri-

gatoriamente consumidos no dia 19 de Março. Os resultados serão conhecidos no dia 15 de março, afixados no portal do PaLOP News e comunicados aos premiados pela Coordenação do Ensino do Português.


20

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Palop News

Londres

Visitamos a exposição na descoberta de um ritmo de cores explosivo, onde África se liberta e dá forma ao sentir de uma saudade de quem nunca visitou Cabo Verde. Nascido em Lisboa, Lito Silva "regressa" a Cabo Verde aos seis meses de idade para crescer e assimilar o óleo que liberta nas telas como se a "linha terra" de cada pincelada

tivesse em África o seu início e o seu fim. "Em cada tela viajo a África. É África que está por detrás do que pinto" revela ao PaLOP News. Em Cabo Verde, cresce afastado da cidade numa zona do interior onde a fome abunda. "A nossa vida não era fácil e os vizinhos não tinham comida" confessa o artista. "Quando decidi pintar, senti «batucar» a minha infância" diz o pintor num misto de artista pintor e poeta que soma nas cores e nas palavras um estado de alma difícil de escre-

ver. Desde menino que desenha e aos 30 anos descobriu que lhe faltava algo para "preencher o espiríto e a alma" como se as duas coisas não fossem uma só. Quando pintou a primeira tela foi como se tivesse abandonado a virgindade. "Senti que estava vivo e aconteceu o que não sei explicar". Para chegar a expôr no Clube Commonwealth, bateu a portas que se abriram depois de ter o seu trabalho visto à lupa. "Corri atrás" diz ao nosso reporter.

Lito Silva expõe no Clube Commonwealth Meteórica é a expressão que pode traduzir o tempo que Lito Silva leva desde que decide começar a pintar até que “pinta” o cupido que o leva ao coração de uma das cidades mais influentes na arte em todo o Mundo. O Clube Commonwealth junto á Trafalgar Square em Londres

De um sonho descoberto á pouco tempo, assume "não ser o melhor porque todos os artistas são diferentes" e trabalha essencialmente para o seu portfólio. Tem cerca de 10 exposições no curriculum. Estava em Portugal quando o chamaram a Londres para esta mostra de trabalhos que foram "pintados sem a pressão de agendas e de forma tranquila. A paz, sem a pressão de datas foi fundamental para este conjunto de pinturas" revela. Inspirado no seu próprio passado e nas memórias da retina africana, Lito Silva revela que foi inspirado "no cheiro de África a meditar e pensar. São memórias de coisas que vivi que tenho no consciente. O vizinho que fumava cachimbo, a caminhada das mães que íam á cidade com os filhos ainda crianças. Alguns eram meus amigos" afirma o pintor. Atalhamos: - A fome também se pinta? - A fome sente-se como se sente tudo o que pinto - respondeu-nos o artista para continuar - lembro-me dos amigos que tinham apenas o

pequeno almoço na barriga a meio da tarde, a quem dava pão fresco com manteiga e ao pintar, trouxe-os de volta ao meu presente através da pintura". Os trabalhos têm preços módicos que oscilam entre as £900.00 e as £1500.00. "Não quero fazer fortuna com os quadros. Aspiro apenas a estar perto das pessoas, seja nas suas casas, nos escritórios, restaurantes ou estabelecimentos" confessa numa procura de partilha. "Se pudesse oferecer os quadros oferecia" revela. Ricardina Pederneira em visita á exposição manifestou-se "surpreendida pela qualidade dos trabalhos expostos. A Caminhada é dos quadros que mais gostei" - revela. Também Fátima Carneiro estava entusiasmada com os trabalhos expostos. "Se tivesse oportunidade compraria um destes quadros" afirma ao nosso reporter. A exposição esteve patente até dia 21de fevereiro. Fotografias disponíveis na foto galeria do portal do PaLOP News


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Filmes para refletir

Por: M. Veiga

CONVICTION

(Realização: Tony Goldwin, EUA, 2010) Forte na sua convicção para fazer acreditar o público de que ainda existem valores pelos quais vale a pena lutar – a justiça – surge “Conviction”, um título ambíguo no seu significado “convicção, crença” e de “condenação, acusação”. Neste jogo de duplicidade semântica, encontra-se velada uma crítica certeira ao sistema jurídico Norte-Americano, implicando, por extensão, uma séria reflexão sobre o funcionamento da justiça à escala global. Baseada em acontecimentos reais, não será este o primeiro caso de prisão de inocentes reportado pelo mundo fora. Paralelamente, ao longo da ação de Conviction, assistimos a uma extraordinária prova de amor fraternal. Desde crianças, os protagonistas, Anne Beth Waters (Hillary Swank) e Kenny Waters (Sam Rockwell), protegem-se mutuamente, assumindo o último o papel de protector, não assegurado pelos seus progenitores. Na idade adulta invertem-se os papéis e é a Anne Beth que cabe proteger o irmão ao ponto de enveredar por um curso de Direito para, assim, poder estar habilitada a defendê-lo no tribunal, acabando por o libertar de uma prisão injustamente engendrada. No decorrer da narrativa de Conviction são-nos apresentados recuos à vida dos dois irmãos pautada pelo abandono maternal e pelos pequenos delitos perpetrados anunciando um futuro difícil. No final da narrativa o espectador é convidado à reflexão sobre a pena de morte e a inocência de alguns acusados de cometerem crimes: se o protagonista vivesse num estado Norte-Americano onde houvesse a pena de morte, teria morrido inocentemente.

A cor na roupa Palop News

Londres

Num lugar de Londres onde residem a maioria dos portugueses (Lambeth), existe um espaço de diversão noturna que ao fim de semana desperta a curiosidade de quem passa. No passeio ou á porta de uma conhecida discoteca, as jovens do sexo feminino mostram um desfile pouco vulgar de cores e animação

como se fosse um clube ou confraria. Conforme se pode aferir pela foto, as jovens vestem cores garridas com especial destaque para as cores fluorescentes onde o "pink" (Cor-de-rosa) predomina. Com muito ruído e muita animação, as jovens lá desfilam as cores da vestimenta e dos acessórios num espectáculo que se adivinha barulhento e com muita juventude. O reporter do PaLOP News passou na porta e registou o boneco.

21

Deputado português defende comunidade em Londres Palop News

Londres

O deputado Paulo Pisco do Partido Socialista Português eleito pelo círculo da imigração na Europa, esteve em Londres numa visita de 4 dias com uma agenda preocupada com algumas das ambições da Comunidade Portuguesa no Reino Unido. No ultimo dia da visita a Londres, Paulo Pisco reuniu-se com Steve Reed, Council de Lambeth para aferir do impacto que as recentes alterações legislativas possam produzir junto da comunidade. Há saída da reunião, o político reclarou ao PaLOP News que "a reunião foi muito positiva tendo ultrapassado todas as expectativas iniciais". "Saio com resultados muito concretos em relação ao relacionamento futuro da Câmara de Lambeth e a comunidade portuguesa, sobretudo porque foram abordadas as várias questões relacionadas com o Ensino do Português em Londres, com o caso da professora Luisa Ribeiro, com o Centro Comunitário Português e uma maior participação de portugueses no envolvimento com a Câmara a contar que no futuro possa haver a candidatura de um elemento português nas listas candidatas para o Council de Lambeth." O deputado que estava visívelmente satisfeito com o resultado da reunião, adiantou que "Os resultados foram extraordináriamen-

te positivos além de terem sido abordados pontos de cooperação entre Portugal através de mim mesmo, os portugueses e a Câmara para que haja uma disponibilidade de cooperação maior em relação a coisas que são de intersse comum." Paulo Pisco que esteve acompanhado da Coordenadora do Ensino do Português no Reino Unido Maria José Veiga, adiantou que os compromissos ventilados neste encontro vão favorecer a comunidade portuguesa em Lambeth em várias frentes e o ensino do português foi das matérias que mais consensos criou. Questionado sobre a questão prática na solução do caso Luisa Ribeiro, o deputado afirmou na questão do ensino "existem duas questões que importa distinguir. Temos a questão do ensino do Português e que envolve todas as crianças portuguesas que estão aqui a aprender e é necessário que haja outro tipo de situação relativamente á qual a Câmara de Lambeth se disponibilizou a ajudar Portugal a aliviar o estado Português de alguns dos encargos que agora tem e isso é muito importante para uma boa funcionalidade que abrange muitas crianças e quanto ao caso da professora Luisa Ribeiro, o assunto está resolvido. Há uma integração directa da Câmara de Lambeth para que continue a fazer o seu trabalho agora por outra via mas que permite fazer o seu trabalho junto das comunidades

lusófonas." Sobre a ajuda que a Câmara de Lambeth possa disponibilizar á Coordenação do Ensino do Português, Paulo Pisco afirmou que um dos compromissos de Lambeth passa pelo facto de a edilidade trabalhar no sentido de facilitar o suporte financeiro dos espaços onde as aulas decorrem. "Esse foi um dos assuntos que abordei na reunião e que a Coordenadora do Ensino Maria José Veiga também abordou e Steve Reed manifestou a sua disponibilidade para ajudar a Coordenação do Ensino do Português encontrando novos espaços que não onerem o ensino do português em Lambeth." Paulo Pisco, foi ainda questionado sobre o CCP (Centro Comunitário Português) já que este foi um dos pontos da agenda. Sobre o assunto, Paulo Pisco refere que "apesar dos cortes orçamentais a gestão de Steve Reed conseguiu manter o fundo de meio milhão de libras anteriormente aprovado." O político português referiu ainda que sobre o mesmo CCP "há um novo impulso que pretende fazer deste projecto uma realidade tão rápido quanto possível logo que esteja identificado o local onde se possa instalar. É um trabalho que está em curso e o que me foi referido é que será realizado tão rápido quanto possível."

O Embaixador de Portugal já se encontra ao serviço Palop News

Londres

O PaLOP News teve oportunidade de fotografar João de Vallera e a a Embaixatriz, na Canning House em Londres, no mesmo quarteirão da Embaixada no decurso de uma apresentação de poesia portuguesa. O novo Embaixador português

vai ainda apresentar a suas credênciais a S. Majestade a Rainha de Inglaterra em data a anunciar. O PaLOP News tem conhecimento que a agenda de João de Vallera está agitada esperandose que depois dos compromissos oficiais fruto da sua recente chegada a Londres possa haver uma maior aproximação do diplomata junto da Comunidade Portuguesa no Reino Unido.


22

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Lambeth vai mudar Palop News

Londres

Decorreu no Lost Theatre na Wansworth Road a apresentação daquilo que as autoridades inglesas pretendem para o futuro do Borough. Presentes, diversos elementos da Comunidade Lusofona interessados em conhecer com mais detalhe aquilo que as autoridades inglesas prevêm para o "município" que tem mais portuguesas em toda a metrópole londrina. O município de Lambeth vai mudar. As alterações previstas para a região de Lambeth em Londres, onde vivem a maioria dos portugueses na metropole, vai crescer mas ainda não se sabe em que sentido. As autoridades, insistem em convidar a população a investir num projecto local que ainda não se sabe muito bem como vai evoluir. Para

os próximos 20 anos, Lambeth pretende vir a ser um espaço moderno mas tardam as soluções. As autoridades, procuram formas de financiar mais uma zona que a exemplo da zona central e Canary Warf, vai passar a ser apenas e tão só mais uma zona milionária onde só quem tem dinheiro pode viver. Para quem tem a oportunidade de investir a longo prazo, Lambeth poderá ser uma mina para a geração seguinte mas para quem pretende investir a curto/médio prazo (vinte anos), Lambeth é pura ilusão. Com uma referência conhecida como Power Station junto à zona de Embankement, Lambeth convida os cidadãos ao investimento com

a promessa/ameaça de que quem não investir voluntáriamente será investidor pela via fiscal. A Embaixada dos Estados Unidos da América disponibiliza-se para investir desde que o investimento privado avance em primeira mão. Tendo o MI5 na zona e o investimento de diversas vedetas do show business, Lambeth prepara-se para criar investimentos na área dos tranportes, da educação e da saúde. Refira-se contudo que só o alargamento da rede de metro absorve 68% do investimento total contra apenas 5% na educação e 1% na saúde. Manifestamente pouco para uma cidade que dentro em breve terá necessidade de fixar popula-

ções locais contra a deserção dos grandes centros urbanos. Por outro lado, o projecto menciona apenas as zonas ribeirinhas ignorando os factores de progresso para as populações que pertencendo a Lambeth estão afastadas do Thames. Para a maioria dos imigrantes em Lambeth, este será um projecto fora de prazo mas que irá certamente afectar os futuros movimentos migratórios que deverão manter a tendência de se agruparem localmente em função da existência comunitária. A Administração promete porém que este projecto irá atrair 16 mil novas residências e 25 mil novos empregos. Numa área total de 200 mil metros2, cerca de 60 mil serão usados para espaço comercial onde se incluirá a emblemática Power Station com 160 mil metros2 de escritórios em Batersea. O local onde em tempos os Pink Floyd gravaram o eterno Animal's, será transformado mas não se sabe ainda em detalhe quanto tempo isso levará a acontecer quando as administrações políticas põem como condição prévia que seja o investimento privado a sustentar a causa pública. Cada vez mais..., menos.

Quase 150 milhões de libras do Governo para os bancos Palop News

Londres

O governo do Reino Unido já injetou cerca de 124 mil milhões de libras (147,6 mil milhões de euros) nos bancos ingleses desde que se iniciou a crise financeira em 2008, revela o National Audit Office num relatório de dezembro. No mesmo relatório, o National Audit Office, com funções semelhantes ao Tribunal de Contas em Portugal, indica que os contribuin-

tes ingleses poderão pagar cerca de 512 mil milhões de libras (609 mil milhões de euros) ao longo da duração das garantias dadas pelo Estado e das intervenções do governo nos bancos. A instituição inglesa diz que os contribuintes ingleses continuam "altamente expostos aos bancos através dos esquemas suportados pelo Tesouro" e que não detém "muito mais informação que permita avaliar a escala da exposição ou o custo final para os contribuintes". Desde o início da crise financeira, o governo inglês recapitalizou o

Lloyds Banking Group, que irá ser liderado por Horta Osório, e o Royal Bank Of Scotland (RBS), através da aquisição de 41 por cento do primeiro e 83 por cento do segundo. Nacionalizou também o Nothern Rock e o Bradford & Bingley e montou um esquema de financiamento a todos os bancos através de um aval. O tema da intervenção dos governos europeus nos bancos nacionais está a concentrar as atenções em Portugal depois de o candidato presidencial Cavaco Silva ter comparado o trabalho do governo de Inglaterra nos bancos ingleses com a nacionalização do BPN em Portugal. Cavaco Silva argumentou na altura “uma surpresa perante resultados que foram conseguidos em Inglaterra por bancos que registaram prejuízos gigantescos, que o governo nacionalizou em boa parte, que depois injetou grandes quantidades de reforço de capitais e os resultados notáveis que foram conseguidos em pouco

tempo”. Alex Brummer, editor de economia do Daily Mail e autor do livro 'A crise: Os escândalos do Nothern Rock e a crise do crédito emergente", disse à Lusa que no caso do banco inglês, as autoridades “tentaram encontrar uma solução no setor privado”. A nacionalização, disse, “foi o último recurso” e também a opção escolhid a pelo gover-

n o porque, vincou, “já que ia injetar dinheiro dos contribuintes no banco, precisava de ter o controlo desse dinheiro”. Em setembro do mesmo ano, foi a vez de o Bradford & Bingley se deparar com pro-

Cresce secção do PS em Londres Palop News Londres

Na sua visita a Londres, o deputado Paulo Pisco do Partido Socialista de Portugal eleito pelo círculo da imigração na Europa, reuniu num jantar com diversos militantes e simpatizantes do partido no sentido de preparar a secção para as eleições que se avizinham para o Congresso. Paulo Pisco, reforçou a ideia de se tratar do único partido a ter uma secção em Londres, fundada por Guilherme Rosa que terminou as suas funções por questões de ordem profissional. O deputado incentivou os presentes a trabalharem no sentido de fazer crescer a secção do Partido Socialista e de intervirem na vida cívica local tomando parte nas instituições inglesas como forma de defender os interesses da comunidade. No final, Paulo Pisco congratulou-se pela presença de vários novos rostos associados à imagem do Partido Socialista e com a vitalidade que uma franja da comunidade tem vindo a desenvolver em benefício dos portugueses e da Língua Portuguesa. blemas de liquidez, mas desta vez a solução encontrada foi diferente, lembra Brian Walters, autor de “A queda do Northern Rock”. “Por esta altura, o conceito de ‘banco bom’ e ‘banco mau’ tinha aparecido e neste caso os bocados bons foram vendidos ao Santander e os maus bocados foram apanhados pelo governo britânico via nacionalização”, explicou. Desde janeiro de 2010 que o Northern Rock está dividido num “mau banco”, que apresentou lucros na primeira metade do ano, e um “bom banco”, que registou prejuízos. O Royal Bank of Scotland, onde o governo injetou 45 mil milhões de libras (53 mil milhões de euros) em troca de uma participação de 83 por cento, voltou aos prejuízos no trimestre até setembro. Já no Lloyds, as perspetivas são mais otimistas, depois dos lucros apresentados na primeira metade do ano.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Carnaval, uma festa europeia nos trópicos O carnaval chegou ao Brasil em meados do século XVII, o qual foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como a França, o carnaval acontecia em forma de desfiles urbanos onde foliões usavam máscaras carnavalescas. Luciano Demetri Gonçalves Londres

O primeiro carnaval no Brasil que data de 1641, foi promovido pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides em homenagem ao rei Dom João IV, restaurador do trono de Portugal. Hoje é uma das manifestações mais populares do país e festejado em todo o território nacional. Em teoria, é um conjunto de festividades populares que ocorrem em diversos países e regiões católicas nos dias que antecedem o início da Quaresma, principalmente do domingo da Qüinquagésima à chamada terça-feira gorda. Embora centrado no disfarce, na música, na dança

e em gestos, a folia apresenta características distintas nas cidades em que se popularizou.A palavra carnaval é de origem incerta, embora seja encontrada já no latim medieval, como carnalevare ou

carnalevarium, palavra dos séculos XI e XII, que significava a véspera da quarta-feira de cinzas, isto é, a hora em que começava a abstinência da carne durante os quarenta dias nos quais, no passado, os católi-

Portugal no seu melhor Nas cheias em portugal, a polícia parece não ter escapado à fúria da chuva e na ausência de melhores caminhos, o carro da polícia acabou também por ficar..., pelo caminho.

cos eram proibidos pela igreja de comer carne. A própria origem do carnaval é obscura, porém é possível que suas raízes se encontrem num festival religioso primitivo, pagão, que homenageava o início do Ano Novo e o ressurgimento da natureza, mas há quem diga que suas primeiras manifestações ocorreram na Roma dos césares, ligadas às famosas saturnálias, de caráter orgíaco. Contudo, o rei Momo é uma das formas de Dionísio — o deus Baco, patrono do vinho e do seu cultivo, e isto faz recuar a origem do carnaval para a Grécia arcaica, para os festejos que honravam a colheita. Sempre uma forma de comemorar, com muita alegria e desenvoltura, os atos de alimentar-se e beber, elementos indispensáveis à vida.No passado, sobretudo no Rio de Janeiro, havia o costume de se prestar homenagem galhofeira a notórios tipos populares de cada cidade ou vila do país durante os festejos de Momo. O mais famoso tipo carioca foi um sapateiro português chamado José Nogueira de Azevedo Paredes. Segundo fontes históricas, foi ele o introdutor, em 1846, do hábito de animar a folia ao som de zabumbas e tambores, em passeatas pelas ruas, como se fazia em sua terra. Anos mais tarde, o samba foi incorporado a festa carnavalesca. Samba, palavra esta que acredita-se ser uma corruptela de semba (umbigada), originária de Angola ou Congo que imigrou com a leva de escravos africanos para a Bahia chegando ao Rio de Janeiro por fins do século XIX, levada por descendentes destes escravos que ocuparam os primeiros morros cariocas onde futuramente seriam criadas as primeiras escolas de samba. É comum que hoje em dia, o Brasil seja referência mundial quando se fala em carnaval, pois embora não seja uma festa originariamente brasileira, foi lá que se popularizou para brasileiros e estrangeiros, dando ao brasil o título de país do carnaval.

Palop News

Londres

Neste trabalho, a revista Visão destaca que Cavaco Silva entregou a casa Mariani e recebeu a Gaivota Azul, cada uma avaliada pelo mesmo valor de 135 mil euros, em 1998. Mas só declarou, na troca, um"terreno para construção". No dia 9 de julho de 1998, a notária Maria do Carmo Santos deslocou-se ao escritório de Fernando Fantasia, na empresa industrial Sapec, Rua Vítor Cordon, em Lisboa, para registar uma escritura especial. O casal Cavaco Silva (cerimoniosamente identificados com os títulos académicos de "Prof. Dr." e "Dra") entregava a sua casa de férias em Montechoro, Albufeira, e recebia em troca da Constralmada - Sociedade de Construções Lda uma nova moradia no mesmo concelho. Ambas foram avaliadas pelas partes no mesmo valor: 135 mil euros. Este tipo de permutas, entre imóveis do mesmo valor, está isento do pagamento de sisa, o imposto que antecedeu o IMI, e vigorava à época. Mas a escritura refere, na página 3, que Cavaco Silva recebe um

23

quadrados), nova, e localizada em frente ao mar. Fernando Fantasia refere que Montechoro "é a zona cara" de Albufeira e que a Coelha era, na altura, "uma zona deserta", para justificar a avaliação feita. A Constralmada fechou portas em 2004. Fernando Fantasia não sabe o que aconteceu à contabilidade da empresa. O empresário, amigo de infância e membro da Comissão de Honra da recandidatura presidencial de Cavaco Silva, não se recorda se houve "acerto de contas" entre o proprietário e a construtora. "Quem é que se lembra disso agora? A única pessoa que podia lembrar-se era o senhor Manuel Afonso [gerente da Constralmada], que já morreu, coitado..." No momento da escritura, Manuel Afonso não estava presente. A representar a sociedade estavam Martinho Ribeiro da Silva e Manuel Martins Parra. Este último, já não pertencia à Constralmada desde 1996, data em que renunciou ao cargo de gerente. Parra era, de facto, administrador da Opi 92. Outro interveniente deste processo é o arquiteto Olavo Dias, contratado para projetar a casa de

A permuta de Cavaco A revista portuguesa visão publicou um trabalho sobre a casa do presidente da República Cavaco Silva. "lote de terreno para construção", omitindo que a vivenda Gaivota Azul, no lote 18 da Urbanização da Coelha, já se encontrava em construção há cerca de nove meses. Segundo o "livro de obras" que faz parte do registo da Câmara Municipal de Albufeira, as obras iniciaram-se em 10 de Outubro do ano anterior à escritura, em 1997. Tal como confirma* *Fernando Fantasia, presente na escritura, e dono da Opi 92, que detinha 33% do capital da Constralmada, que afirmou à VISÃO que o negócio escriturado incluía a vivenda. "A casa estava incluída, concerteza. Não há duas escrituras." Fantasia diz que a escritura devia referir "prédio", mas não é isso que ficou no documento que pode ser consultado no cartório notarial de António José Alves Soares, em Lisboa, e que o site da revista *Sábado* divulgou. Ou seja, não houve lugar a qualquer pagamento suplementar, por parte de Cavaco Silva à Constralmada. A vivenda Mariani, mais pequena, e que na altura tinha mais de 20 anos, foi avaliada pelo mesmo preço da Gaivota Azul, com uma área superior (mais cerca de 500 metros

Cavaco Silva nove meses antes de este ser proprietário do lote 18. Olavo Dias é familiar do Presidente da República, por afinidade, e deu andamento ao projeto cujo alvará de construção foi aprovado no dia 22 de setembro de 1997. A "habitação com piscina" que ocupa "620,70 m2" num terreno de mais de1800, é composta por três pisos, e acabou de ser construída, segundo os registos da Câmara a 6 de agosto de 1999. A única intervenção de Cavaco Silva nas obras deu-se poucos dias antes da conclusão, a 21 de julho de 1999, quando requereu a prorrogação do prazo das obras (cujo prazo caducara em 25 de junho). A família Cavaco Silva ocupa, então, a moradia, em agosto. A licença de utilização seria passada quatro meses depois, a 3 de dezembro, pelo vereador (atual edil de Albufeira, do PSD) Desidério Silva, desrespeitando, segundo revelou o Jornal Público, um embargo camarário à obra, decretado em dezembro de 1997, e nunca levantado. A VISÃO não conseguiu obter nenhum comentário do Presidente da República.


24

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Palop News

O barbeiro de Stockwell

Londres

A comunidade Portuguesa em Eastbourne, para a qual não é conhecido um número exacto de membros é, mormente composta por indivíduos oriundos da região da Ilha da Madeira. Muitos residem por cá há já algumas décadas mas, com eles, continuam as tradições da terra que os viu nascer. Essas tradições foram transmitidas aos mais novos já nascidos em solo Inglês, que as absorveram, que participam nas actividades da comunidade e das quais

Palop News

Folclore Português em Eastbourn

igualmente desfrutam. Um dia, alguém, numa festa, se lembrou de formar um grupo folclórico e pediu uma opinião à senhora que estava naquele momento ao seu lado. “Eu alinho” foi a resposta. E, aí, nasceu o que viria a ser o actual Grupo Folclórico de Eastbourne. Falamos de Ferdinando da Silva e de Sandra Nóbrega. Fernandino Silva é o actual Presidente do Grupo Folclórico Sandra Nóbrega a Secretária. Isto ocorreu em Julho de 2007 e desde então o Grupo tem crescido

em tamanho e qualidade, graças à dedicação dos membros da comunidade, que se juntam uma vez por mês no Hilton Hotel em Eastbourne, para uma noite de Sábado a bom divertir até à primeira hora do dia seguinte. A música está ao cuidado do seu “DJ” Roberto, alguns acepipes ao cuidado das senhoras Sandra, Patrícia Rodrigues e Gabriela Fernandes e também o bar, por parte do Hotel. Enfim, horas curtas mas saborosas em agradável atmosfera, entre os membros da comunidade

Portuguesa de Eastbourne, O Grupo Folclórico exibiu-se e, diga-se em abono da verdade, que o fez estupendamente bem, como parte da qualidade que já é seu apanágio deter e apresentar. Pelo que foi dito pelo seu Presidente, Ferdinando da Silva, "muito embora o grupo tenha apenas actuado em Eastbourne, está pronto para se deslocar a outros locais no Reino Unido, sob convite". Para o efeito, fica aqui o contacto de Sandra Nóbrega 07724952077

Londres

Os homens criaram o hábito de saberem as notícias no barbeiro mas com a mudança dos tempos, veio também a internet e a mudança das vontades e dos hábitos. Que o diga o Luis que em Stockwell corta cabelos e barbeia com dois dedos de conversa em português. - O barbeiro ainda é o local para saber as novidades? "Com tanta informação disponível por aí, deixou de ser o lugar das novidades mas continua a ser um espaço de conversa" diz-nos o nosso entrevistado de 41 anos e a exercer há 23 a profissão em volta dos cabelos. "Na realidade, o jornal continua a ser muito lido na barbearia" - diz. Veio de Chaves para Londres onde trabalhou numa barbearia que era de um português em Westminster. "De-

pois a barbearia foi vendida a uns turcos e eu aproveitei esta oportunidade através de um grego que está aqui comigo" revela ao PaLOP News. Depois que terminou o serviço militar, sempre trabalhou por conta própria e está em Stockwell faz já dois anos. "A comunidade tem reagido bem. Muitos não falam bem inglês e aqui sentem-se mais à vontade". Quanto ao ambiente, é o típico de uma barbearia em Portugal, com algum futebol na mistura. Em tom de brincadeira, perguntamos se também tira dentes!? "Essa é uma confusão antiga” refere. “Os barbeiros nunca tiraram dentes mas nós e os dentistas tinhamos cadeiras parecidas. Daí a confusão" - remata. Em breve, pensa expandir e passar a unisexo mas não deixará de ser um português a tratar cabelos na zona mais portuguesa de Londres.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Dizer Top Model em português Poesia trouxe a Londres Sérgio Godinho Palop News

Londres

Numa noite dedicada à poesia, a Canning House encheu-se para ouvir recitar poesia portuguesa em ambas as línguas. Para o efeito, vários autores estiveram presentes lendo as suas próprias poesias e a de outros autores num espaço completamente cheio de rostos que a comunidade sensível à cultura bem conhece. De Portugal, viajaram diversos poetas de que se destaca a presença de Sérgio Godinho, nosso convidado para esta entrevista. - Uma noite de poesia em Londres. Soube-lhe a muito, soube-lhe a pouco ou soube-lhe a tanto? - É uma noite de partilha de poetas onde eu sou um entre outros e em que a poesia portuguesa se

mistura na tradução para a lingua inglesa. Tivemos uma sessão análoga em Lisboa com a participação de mais poetas portugueses já que a distância não era tão grande e foi um grande prazer estar aqui. Portanto. - Somos um país de poetas ou temos muitos poetas no país? - Acho que a poesia é intrínseca à literatura portuguesa e é algo do sentir português. Acontece é que nem todos os poetas são suficientemente bons para se intitularem poetas e quem o diz são os outros; não somos nós mas acho que sim, que somos um país de poesia. - Também acha que de poeta e de louco, todos temos um pouco? - Muito. - Estamos falhos de declamadores? - João Villaret representou sobre-

tudo uma época muito importante na divulgação da poesia principalmente através da televisão que na altura estava a dar os primeiros passos. Foi extremamente importante para a divulgação da poesia e era um grande "dizeur". Mário Viegas com outro estilo foi outra referência. - Temos falta de gente dessa? - Aqui foi uma sessão de leitura e que exige a identificação a uma época tal como o fazia Ary dos Santos. De certo modo, Ary dos Santos foi "beber" ao João Villaret mas eu acho que a oralidade é intrínseca aos poemas. Há quem diga melhor e há quem diga pior. - Temos mais gente a dizer melhor ou a dizer pior? Não posso fazer uma afirmação exaustiva. É um mundo que passa pela poesia mas passa também pela musica.

Palop News

Londres

A angolana Neuza Ceita é a primeira candidata a British 2011 Top Model e a votação pode fazer dela uma candidata vencedora em português. A votação teve início em 2 de fe-

25

vereiro e termina em 1 de março. Todos os meses cerca de 25 modelos são fotografados e postados no site para a votação. Os dois mais votados capacitam-se para o show final nacional em outubro de 2011 em Londres. Neuza Ceita foi selecionada pelo casting da empresa e é agora das candidatas mais votadas. Os luso falantes têm assim uma representante da língua num concorrido programa para a eleição de uma carreira que desta vez pode ser feita em português nas passareles de Londres. Os vencedores deste mês serão anunciados ao vivo online. Para votar, basta digitar a partir do seu telefone o nome Neuza Ceita e enviar para 83222 ou através do site em www.britishtopmodel.com


26

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Os donos também se ensinam

Londres

Vitor Braga é do Porto e iniciou o seu trabalho de treinador de cães ao serviço do exército como pára-quedista. Durante cinco anos foi a sua função que se viria mais tarde a tornar numa paixão. Em Londres, recentemente treinou cães para a polícia na Jordânia tendo enviado uma equipa de 17 elementos treinados por si com as funções de cão de equipas de assalto, desordem publica e cães de fronteira.Para Vitor Braga, podemos nascer a gostar de cães mas também podemos aprender a gostar mas quanto a escolhas, o seu comentário é taxativo: "O cão que escolhemos tem que ser a nossa imagem e o donos têm que saber se têm todas as condições reunidas para o adquirir. O cão tem que ter o seu próprio espaço, e um cão de grande porte nunca deve permanecer dentro de um apartamento ou ficar sujeito a áreas reduzidas" - diz. A escolha da raça é fundamental, como é fundamental pedir conselhos aos criadores e treinadores. "É importante para perceber a raça e que tipo de treino poderemos dar" diz Vitor Braga para continuar. "Por exemplo, se escolhermos um cão de guarda para viver em nossa casa, atenção pois pode não ser a melhor companhia para o nosso filho". Todos os cães têm diferentes atitudes e comportamentos; uns mais dominantes e outros mais submissos. Na verdade, todos os cães são diferentes. Sobre o treino a dar a um cão, este especialista afirma que "temos de saber que tipo de treino queremos para o nosso cão, para evitar proble-

Quem canta? Uma das mais famosas duplas brasileiras foi escolhida para o passatempo desta edição. Como pistas, deixamos aqui a letra de uma das musicas e a foto do duo.

Amo Noite e Dia

Tem um pedaço do meu peito bem colado ao teu Alguma chave, algum segredo, que me prende ao seu Um jeito perigoso de me conquistar Teu jeito tão gostoso de me abraçar Tudo se perde, se transforma, se ninguém te vê Eu busco às vezes nos detalhes encontrar você O tempo já não passa, só anda pra trás Me perco nessa estrada não aguento mais Iê, iê... Passa o dia, passa a noite tô apaixonado Coração no peito sofre sem você do lado Dessa vez tudo é real, nada de fantasia Saiba que eu te amo, amo noite e dia Tem um pedaço do meu peito bem colado ao teu

Ditado popular A generalidades dos ditados populares existem em diversas versões vairiando de país para país. Muitos dos ditados de Língua portuguesa, não tendo tradução direta, têm muitas vezes correspondências similares. Deixamos aqui mais um desses provérbios populares com o correspondente em inglês. Português Gato escaldado tem medo de água fria. Inglês A burnt child fears the fire. Solução do passatempo Quem canta Jorge e Mateus

Palop News

mas que acontecem em forma de acidente porque por vezes se dá o treino errado ao cão errado ou o treinador não tem o conhecimento necessário para este tipo de trabalho". O treinador puxa pelo seu próprio exemplo. Dono de diversos cães de trabalho e altamente treinados que aceitam a presenca de qualquer pessoa porque assim foram treinados. Vitor Braga tem um filho ainda crianca que convive com os cães segundo a educação que recebe. "Ensino o meu filho a respeitar o cão. Não quero comportamentos de risco dentro da minha casa. O cão é um animal que reage por instinto e o treino consiste em dominar esse instinto". "Também temos que ter em atenção para que o nosso cão não passe por más experiências como por exemplo ser atacado por outro cão, pontapeado ou outros tipos de maus tratos pois pode levar o cão a ter comportamentos nervosos de submissão ou de agressão." Fica no ar o argumento que o cão deve ser treinado mas "as pessoas também têm de ser educadas no sentido de saberem criar uma boa relação com o cão" - afirma. Vitor Braga defende que "o adulto é responsável pela criança e pelo cão e deve zelar para que situações de tensão nao aconteçam". A finalizar a nossa entrevista, Vitor Braga esclarece que o importante é saber o cão que queremos, o cão que precisamos e daquilo que lhe podemos proporcionar. "É importante pensar no cão" diz-nos. Recomenda que não se comprem cães fruto de cruzamentos entre raças até porque "é nesse cruzamento que se destróiem as raças. Os vendedores também são responsáveis por venderem o cão errado à pessoa errada" - finaliza. Vitor Braga sugere a iniciação do cachorro por volta dos 6 meses como preparação para quando atingir a idade adulta definir o tipo de treino que lhe queremos dar. Vitor Braga realca a importancia de saber cuidar e treinar o cão. Afinal eles "são os nossos melhores amigos" - remata.

Alguma chave, algum segredo, que me prende ao seu Um jeito perigoso de me conquistar Teu jeito tão gostoso de me abraçar Tudo se perde, se transforma, se ninguém te vê Eu busco às vezes nos detalhes encontrar você O tempo já não passa, só anda pra trás Me perco nessa estrada não aguento mais Iê, iê... Passa o dia, passa a noite tô apaixonado Coração no peito sofre sem você do lado Dessa vez tudo é real, nada de fantasia Saiba que eu te amo, amo noite e dia Passa o dia, passa a noite tô apaixonado Coração no peito sofre sem você do lado Dessa vez tudo é real, nada de fantasia Saiba que eu te amo, amo noite e dia Amo noite e dia Iê, iê... Coração no peito sofre sem você do lado Dessa vez tudo é real, nada de fantasia Saiba que eu te amo, amo noite e dia Amo noite e dia Iê, iê...


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Sessão informativa para pais e crianças Palop News Londres

Decorre no Sábado, dia 12 de Março, pelas 16H30 uma sessão informativa para pais e alunos luso falantes. O evento decorrerá nas instalações do Centro Comunitário Springfield na 110 da Union Road em Londres (SW8 2SH) e conta com o apoio do Lambeth Council e do Instituto Camões. A Coordenação do Ensino do Português no Reino Unido também está incluído no lote dos apoios. Estarão presentes professores portugueses no Reino Unido, disponíveis para esclarecer os presentes sobre como escolher uma escola, como avaliar o trajecto casa/escola/casa e como participar numa reunião de pais. O acesso é gratuito mas exige a inscrição que pode ser feita através de e:mail para info@portuguesecc.org O evento é organizado pelo Grupo de Língua Portuguesa do Centro Português de Apoio à Comunidade Lusófona que anuncia desde já uma outra iniciativa para 19 de Março (Dia do Pai) sob o tema: Necessidade de reforço do uso e aprendizagem da Língua Portuguesa.

27

Ditado popular Dar bons conselhos - as pessoas gostam de dar o que mais necessitam. Considero isto a mais profunda generosidade. Criado numa família protestante, estudou na Portora Royal School de Enniskillen e no Trinity College de Dublin, onde sobressaiu como latinista e helenista. Ganhou depois uma bolsa de estudos para o Magdalen College de Oxford. Saiu de Oxford em 1878. Um pouco antes havia ganhado o prêmio "Newdigate" com o poema "Ravenna". Passou a morar em Londres e começou a ter uma vida social bastante agitada, sendo logo caracterizado pelas atitudes extravagantes. Foi convidado para ir aos Estados Unidos a fim de dar uma série de palestras sobre o movimento estético por ele fundado, o esteticismo, ou dandismo, que defendia, a partir de fundamentos históricos, o belo como antídoto para os horrores da sociedade industrial, sendo ele mesmo um dandi. Em 1883, vai para Paris e entra para o mundo literário local, o que o leva a abandonar seu movimento estético. Volta para a Inglaterra e casa-se com Constance Lloyd, filha de um rico advogado de Dublin, indo morar em Chelsea, um bairro de artistas londrinos. Com Constance teve dois filhos, Cyril, em 1885 e Vyvyan, em 1886. O seu melhor período intelectual é o que vai de 1887 a 1895. Em 1892, começa uma série de bem sucedidas comédias, hoje clássicos da dramaturgia britânica: O leque de Lady Windermere (1892), Uma mulher sem importância (1893), Um marido ideal e A importância de ser fervoroso (ambas de 1895). Nesta última, o ar cômico começa pelo título ambíguo: Earnest, "fervoroso" em inglês, tem o mesmo som de Ernest, nome próprio Publica contos como O Príncipe Feliz e O Rouxinol e a Rosa, que escrevera para os seus filhos, e O

Ginástica cerebral 9999999999999999999 99999999999 9999999999999999999 99999999999 9999999999999999999 99999999999 9999999999999999999 99999999999 9999999999996999999 99999999999 9999999999999999999 99999999999 9999999999999999999 99999999999

Frases famosas—Oscar Wilde Portal da História—D. Afonso ll

Ginástica cerebral. Basta encontrar o numero 6

crime de Lord Artur Saville. O seu único romance foi O retrato de Dorian Gray. A sua situação financeira começou a melhorar cada vez mais, e, com ela, conquista uma fama cada vez maior. O sucesso literário foi acompanhado de uma vida cada vez mais mundana. As atitudes tornaram-se cada vez mais excêntricas. Os julgamentos e prisão Em Maio de 1895, após três julgamentos, foi condenado a dois anos de prisão, com trabalhos forçados, por "cometer atos imorais com diversos rapazes".Escreveu uma denúncia contra um jovem chamado Bosie, publicada no livro De Profundis, acusando-o de tê-lo arruinado. Bosie era o apelido de Lorde Alfred Douglas, um dos homens de que se suspeitava que o autor fosse amante. Foi o pai de Bosie, o Marquês de Queensberry, que o levou ao tribunal. No terrível período da prisão, redigiu uma longa carta a Douglas. A imaginação como fruto do amor é uma das armas que utiliza para conseguir sobreviver nas condições terríveis da prisão. Apesar das críticas severas a Douglas, ele ainda alimenta o amor dentro de si como estratégia de sobrevivência. A imaginação, a beleza e a arte estão presentes em toda a obra. Após a condenação a vida mudou radicalmente e o talentoso escritor viu, no cárcere, serem consu-

midas a saúde e a reputação. No presídio, o autor de Salomé (1893) produziu, entre outros escritos, De Profundis, o clássico anarquista, A alma do homem sob o socialismo e a célebre Balada do cárcere de Reading. Foi libertado em 19 de maio de 1897. Poucos amigos o esperavam na saída, entre eles o maior, Robert Ross. Passou a morar em Paris e a usar o pseudônimo Sebastian Melmoth. As roupas tornaram-se mais simples, e o escritor morava em

um lugar humilde, de apenas dois quartos. A produtividade literária é pequena. O fato histórico de seu sucesso ter sido arruinado pelo Lord Alfred Douglas (Bosie) tornou-lhe ainda mais culto e filosófico, sempre defendendo o amor que não ousa dizer o nome, definição sobre a homossexualidade, como forma de mais perfeita afeição e amor. Morreu de um violento ataque de meningite (agravado pelo álcool e pela sífilis) às 9h50min do dia 30 de novembro de 1900.

Portal da história Continuamos nesta edição a trazer figuras da história que pela sua antiguidade, são referência de todos os lusófonos. Afinal, foi com estes nomes que se construíu aquilo que somos. Hoje, trazemos o terceiro Rei de Portugal. Filho de D. Sancho I e da rainha D. Dulce. Ocupou o trono em 1211. Não seguiu a orientação dos seus antepassados quanto ao alargamento do Reino, voltando-se somente para a organização da administração deste a para a consolidação do poder real. Assim, logo em 1211 reúne as cortes de Coimbra donde parece ter saído a primeira colectânea de leis gerais que mostram em Portugal, muito mais cedo que noutros países, a acção centralizadora do rei. As Cortes de Coimbra destinaram-se principalmente a garantir o direito de propriedade, a regular a justiça civil, a defender os interesses materiais da coroa e a evitar os abusos. O desejo de firmar a soberania da coroa manifestou-se

ainda nas «confirmações», raras até D. Afonso II a que, de 1216 a 1221, se generalizam como medida de administração pública, e nas «inquirições» que a partir de 1220 representam também uma tentativa de reprimir abusos. Não teve quaisquer preocupações militares. Foi sem a sua presença que as tropas portuguesas intervieram na Batalha de Navas de Tolosa. Por iniciativa particular foram, neste reinado, conquistadas aos Mouros: Alcácer do Sal, Vieiros, Monforte, Borba, Vila Viçosa e, possivelmente Moura. Ficha genealógica: D. Afonso II, nasceu em Coimbra em 12 de Abril de 1185, tendo morrido na mesma cidade a 25 de Março de 1223. Foi enterrado no Mosteiro de Alcobaça. Casou com D. Urraca, filha de Afonso VII de Castela e irmã da rainha Branca, mulher de Luís VIII, rei de França, que morreu em Coimbra a 3 de Novembro de 1220. Tiveram os seguintes filhos: 1. D. Sancho II, que herdou a coroa;

2. D. Afonso III, que herdou a coroa; 3. D. Leonor, nasceu em 1211; rainha da Dinamarca em 1229, pelo seu casamento com Valdemar III da Dinamarca; faleceu depois de 1231; 4. D. Fernando, nasceu depois de 1217; foi senhor de Serpa; esteve em Roma por volta de 1239 para implorar perdão de Gregório IX, por desacatos cometidos; faleceu por volta de 1243. O monarca teve um bastardo de mãe que se ignora: 5. D. João Afonso, que morreu em 1234, sendo enterrado em Alcobaça.


28

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

PaLOP connosco

A idade não perdoa A exemplo do que temos vindo a publicar em todas as edições, temos nesta rúbrica os efeitos da idade. Os dois rostos desta imagem são da mesma pessoa com alguns anos de distância. Briggite Bardot, a mulher que respondeu que “para dormir vestia apenas umas gotas de Chanel nº 5” é assim

Novo a estrenar Em festa de inauguração, perguntamos ao Luis e à Maria o que é que está diferente no Bombeiro? - “Tudo. As ementas, a decoração, o ambiente e o atendimento” - disseram. Nas ementas, o “bacalhau á casa” assado no forno com batata frita ás rodelas com molho de cebolada, o menu dos fins de semana, tudo parece mudado num restaurante que mudou de gerência e também de nome. No ambiente da inauguração, vários rostos conhecidos da comunidade portuguesa que foram tendo informação de como funcionará a empresa daqui para a frente. No serviço à mesa, Rodrigo Trindade traz com ele a experiência do requinte ao serviço.

Rodrigo Trindade, conta no seu CV com um desempenho como gerente de um restaurante no Pine Wood Studios onde se fizeram algumas das mais conhecidas produções cinematográficas do Mundo. Atendidos por este português, estão nomes como Angelina Jolie, Peter Borsman, Mr Been, e mesmo Harry Potter. Afinal, estava no restaurante dos estudios onde trabalham entre 5 a 10 mil pessoas na Sétima Arte, local onde foram feitos todos os filmes de James Bond e por onde passaram os nomes do Titanic, um dos mais célebres filmes da história. Para todos eles, o português Rodrigo Trindade foi a referência do atendimento na sala e por isso não admira que trazendo

Musica para todos

o hábito, possa atender cada cliente como se atende uma verdadeira vedeta. Se quer ser atendido pelo mesmo serviço que todos estes nomes usufruiram, não hesite e visite O Bombeiro.

Palop News

Londres

O DOY em Clapham mostra mais um trabalho digno de registo ao contratar uma banda inglesa para o público luso. The Val & Band estiveram numa noite de rock super animada à entradda de um fim de semana num concerto que encheu as medidas de quem assistiu. Foi de facto uma noite diferente aquela que os clientes do DOY puderam desfrutar com a banda inglesa mesmo que na banda haja um elemento português. O rock invadiu o ambiente e os aplausos não se fizeram rogados a espremer um público ávido de novidade. Foi o rock at night.

O fado desceu á Tasca Palop News

Londres

Silva Porto e Barra Lopes foram a guitarra e a viola (como quase sempre acontece em Londres) de uma noite de fados que passou na A Tasca na Wilcox Road em Stockwell que atravessou a voz de Paulo Jorge, Alex Madeira, Dino Conde, Tino e Silvino além da Maria com à marca do humor no fado do próprio viola Barra Lopes. No público, diversos ingleses deliciados com o ambiente criado e muitos portugueses incluindo de Jersey que estavam de visita a Londres. Do fado castiço ao canção, de Coimbra às vielas da Mouraria, de

Belém à voz da saudade, tudo serviu para afinar gargantas e entoar as cordas. A comida apetecia e o vinho corria nas mesas criando o tradicio-

nal ambiente que só o fado sabe inventar.Para todos os efeitos, foi a noite de fado que desceu à A Tasca e subiu na voz de todos os presentes.


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Pergunte à criança quais as suas impressões sobre o texto. Fale com a criança sobre o texto. Leia ou ajude a criança a ler o texto. Faça um jogo de rimas com as palavras que estão no texto

Textos: Maria José Veiga Desenhos: Paulo Solá

Vá ao teatro com o PaLOP News O PaLOP News tem dois bilhetes para sortear entre os seus leitores para a peça "Os Maias" a estrear no Galleon Theatre em Greenwich. Para concorrer, basta que escreva para redecao@palopnews.com identificando-se e respondendo á seguinte questão: - Como se chama a casa retratada por Eça de Queirós localizada nas Janelas Verdes em Lisboa. Os bilhetes podem ser usados até ao dia 9 de Março (inclusivé) e o PaLOP News fará as reservas. Exercite a memória, pesquise e boa sorte.

29


30

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

O fado do Embuçado Noutro tempo a Fidalguia Que deu brado nas toiradas Andava p'la Mouraria Onde muito falar se ouvia Dos Cantos e Guitarradas A história que eu vou contar Contou-me certa velhinha Certa vez que eu fui cantar Ao salão de um Titular Lá para o Paço da Rainha E nesse salão doirado De ambiente Nobre e sério Para ouvir cantar o Fado Ia sempre um Embuçado Personagem de mistério.

Originalmente, Natália dos Anjos cantava-o na música do “Fado Natália” de autoria de José Marques ‘Piscalarete’. O musicólogo Rui Vieira Nery afirmou à Lusa “que há de facto essa tradição oral de que o Rei ia aos fados e há documentação relativamente ao facto de ter aprendido a tocar guitarra portuguesa, ainda na juventude, com João Maria dos Anjos”. “Sabe-se que o Rei ia muito a patuscadas, nomeadamente para a Costa de Caparica, e neste contacto com as classes populares era natural haver fado”, disse Vieira Nery. Não há notícia de alguma vez ter tocado guitarra portuguesa em público, adiantou Nery, mas “sabe-se que aplaudiu entusiasticamente o guitarrista Petrolino, quando este actuou na embaixada inglesa em Lisboa, no âmbito da visita de Eduardo VII”. “Sabe-se também que o próprio Rei chegou a convidar o fadista Fortunato Coimbra para cantar no iate Amélia”, acrescentou o musicólogo. Nesta altura, explicou o investigador, começa a tornar-se hábito, fadistas populares serem “expressamente convidados para actuarem nos palácios dos condes de Anadia, de Burnay, de Fontalva, de Pinhel, da Torre ou do marqueses de Castelo Melhor para além das casas agrícolas de grandes latifundiários como os Palha Blanco ou Camilo Alves”. O historiador Rui Ramos salientou à Lusa que o gosto de D. Carlos enquadra-se “numa viragem no fim do século XIX em que se revaloriza o que é nosso, a vida rural, as toiradas, o f a d o , etc.”….

Mas certa noite ouve alguém Que lhe disse, erguendo a fala: - Embuçado, nota bem: Que hoje não fique ninguém Embuçado nesta sala! Perante a admiração geral Descobriu-se o Embuçado Era El-Rei de Portugal Houve beija-mão real E depois cantou-se o Fado …Fado “Embuçado” é dedicado a D. Carlos que aprendeu a tocar guitarra e gostava de toiradas e fados. O fado “Embuçado”, da autoria de Gabriel de Oliveira, “é uma homenagem ao Rei que ia muito aos fados e tinha até aprendido a tocar guitarra portuguesa com João Maria dos Anjos”, disse à Lusa o fadista Miguel Silva, 91 anos, que conviveu com o poeta, falecido em 1953. O Gabriel de Oliveira, que ficou conhecido aqui na Mouraria [Lisboa] como “Gabriel, marujo” era uma integralista monárquico, e fez o fado para a Natália dos Anjos, que foi sua companheira, cantar, em homenagem ao Rei”, disse Miguel Silva. O tema “Embuçado” tornou-se conhecido na voz de João Ferreira Rosa, que o começou a cantar em 1962, com música de Alcídia Rodrigues, habitualmente designada como “Fado Tradição”. “Quem me deu a letra foi a fadista Márcia Condessa e gravei o fado em 1965, e de facto escolhi pela música do fado Tradição”, disse João Ferreia Rosa.

Crucigrama

Enunciado vertical Peça de mobília que serve para sentar; Você; B O contrário de boa (inv); O que o gato; 3ª vogal repetida; C Teta; buraco; D Que se calça; E 1º homem; carta mais alta; F Que não acredita em Deus; Batráquio; G Juntos as letras (inv); olha; H Profissão na tourada; I J Nome de homem; Conjuntos de flores; Enunciado horizontal 1 Que serve para dormir; Suficiente;

2 Gosta; Que não acredita em Deus; 3 Amostra; 4 Nome de mulher; suspiro; que o rato; 5 Vogal repetida; contrário de má; 6 Roedor; Que o gato; 7 Burro (palerma); 8 Unir destinos. Dar o nó; 9 Irmão do pai ou da mãe; carne no forno; 10 Suspiro; propriedade de outrém;

Sopa de letras

neste quadro, encontra 13 palavras relacionadas com o tabaco ou o hábito de fumar. Em lugar de fumar, divirta-se a encontrá-las. Cigarro; Tabaco; Cinzeiro; Mortalha; Isqueiro; Charuto; Folha; Atacado; Maço; Cachimbo; Cigarrilha; Cinza; Filtro


PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido

Horóscopo Profissional: Relaxe, faça uma coisa de cada vez e não se precipite. Amoroso: A sua vida amorosa está um pouco ao sabor das ondas, precisa tomar as rédeas da mesma. Saúde: Não se preocupe com situações sem nexo, tente relaxar e descontrair.

Profissional: Vai ter de encontrar soluções para a sua vida profissional. Amoroso: O seu relacionamento tem de sair da rotina, inove e supere as expectativas do seu companheiro. Saúde: Precisa de uma vida mais saudável, descanse mais e descontraía.

Profissional: Aguarde passar com serenidade este período menos bom, tenha calma. Amoroso: Sente-se amarrado a uma relação que já não lhe diz nada, pense no que pretende para a sua vida. Saúde: Tem de se sentir livre, precisa do seu espaço cuide mais de si.

Profissional: Cuidado com as desilusões, não acredite em tudo o que lhe dizem. Amoroso: As suas expectativas a nível amoroso estão defraudadas, sente-se infeliz. Saúde: Viva um dia de cada vez e não se preocupe em demasia com o futuro.

Profissional: Tem de pensar muito bem na sua vida profissional, aguarde alguns detalhes só para si. Amoroso: Vai aparecer uma mulher mais velha na sua vida que poderá trazer alguns problemas. Saúde: Tenha mais atenção com a sua saúde, não se exalte sem necessidade.

Profissional: Vai ter de iniciar um novo ciclo na sua vida, avizinhasse mudanças. Amoroso: Aparecem alguns problemas na sua vida amorosa que têm a ver com o passado. Saúde: Seja feliz e não esteja sempre apensar nos problemas, as situações resolvem-se.

Profissional: Tem de acreditar mais nas suas capacidades e ir em frente. Amoroso: A sua relação amorosa precisa de mais caminho, deixe a situação andar. Saúde: Tem de superar os seus medos, não deixe de falar algo que pretende só por pensar que não vai dar certo.

Profissional: Precisa de fazer algumas mudanças, pudera ter que reiniciar. Amoroso: Não pode se anular perante o seu companheiro, precisa se sentir feliz. Saúde: Existem hábitos que têm de ser mudados, preocupe-se mais consigo.

Profissional: Tem de pensar muito bem no que pretende fazer no futuro, a situação não está bem. Amoroso: Tenha cuidado uma mulher de meia-idade a tentar “desencaminha-lo/a”. Saúde: Analise melhor as suas escolha, tenha sempre em mente o melhor para si.

Profissional: Vai voltar aos dias de sucesso, a situação está caminhando. Amoroso: Sente-se feliz com o seu companheiro, seja feliz e não se preocupe com a opinião dos outros. Saúde: Pode precisar de fazer um ligeiro tratamento, nada de especial.

31

Marcas famosas A partir do seu primeiro emprego, numa loja de chapéus, a francesa Coco Chanel abriu as suas próprias lojas, tornando-se numa das mais importantes estilistas do mundo. O Chanel nº 5 é elaborado com uma mistura de 60 fragrâncias. O 5 era o seu número da sorte, tanto que Coco apresentou o produto no dia 5 de maio de 1921. Mas foi Marilyn Monroe quem tornou o perfume um sucesso. Ao ser entrevistada, perguntaram o que vestia para dormir. Marilyn respondeu: "Apenas algumas gotas de Chanel nº 5".

A poesia a um só canto

Pedro Lopes (Norfolk)

Desistir ou Insistir no Existir (Poemas soltos do livro A Magia da Melodia 2002) Esta humanidade sem identidade É uma complexidade Entre a vontade de querer Desistir E Insistir no Existir. Com derramados cuidados dobrados Enfrento o chorar que paira no ar E tento pensar na coragem selvagem De nomear um vulgar lugar, Onde tento esquecer meu ser, Onde tento realçar o mortal sinal abissal... (A ferida engrandecida Pela disfunção de um bulcão sem emoção) Neste buraco cruel De pele infiel Há um raro faro Sem amparo claro Onde reflectir no existir Se torna a frustração De um cidadão deitado no chão. Atento ao relento emocional (matinal) Com penedos nos dedos, Com o nada na palma enrugada Por tão pouco trabalho forçado, Chorado, deslavado... Enquanto neste mesmo buraco sem arco Coberto por algo incerto Se descobre a manha Da montanha tamanha (ganância) E onde a riqueza com frieza Despreza a singeleza da pobreza.

Adivinha 1 - Qual é coisa, qual é ela, que é redonda como o Sol, tem mais raios do que uma trovoada e anda sempre aos pares?

Profissional: Tenha cuidado dinheiros, aparecem alguns problemas. Amoroso: Poderá aparecer alguém que a fará trair o seu companheiro, fique atenta. Saúde: Tenha cuidado, durante este mês tem de ficar atento aos sintomas da saúde.

Solução A roda da bicicleta

Profissional: Poderá ter que mudar de trabalho ou de função. Amoroso: O seu relacionamento vai passar por algumas situações difíceis. Saúde: Corte algumas comidas que lhe fazem mal, não seja teimoso.


32

PaLOP News.com | Jornal de Notícias dos Países de Língua Oficial Portuguesa no Reino Unido


Palop News