Page 1

Prof.ÂŞ Cristiana Ferreira Nunes 2011


São Subordinadas Substantivas as orações equivalentes a substantivos dos períodos simples.


Exemplos:


•Período simples: Substantivo (núcleo do OD)

Quero a sua presença VTD

Objeto direto (OD)


•Período composto: Conectivo

Verbo

Quero / que você esteja presente VTD (1ª oração)

Objeto direto = uma oração inteira (2ª oração)


A oração subordinada substantiva assumirá a função do substantivo ao qual se refere: sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, aposto e predicativo.


São introduzidas, principalmente, pelas conjunçþes subordinativas integrantes

que e se.


Classificam-se de acordo com as funções sintáticas que exercem.


Subjetivas São as que funcionam como sujeito do verbo da oração principal. Exemplo:


VL + predicativo

conjunção subordinativa

É necessário / que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva subjetiva)


Predicativas São as que funcionam como predicativo do sujeito da oração principal, que é elaborada com verbo de ligação. Exemplo:


VL

conjunção

Minha esperança é / que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva predicativa)


ATENÇÃO! Como você pode observar nos exemplos anteriores, as orações subordinadas substantivas subjetivas e predicativas apresentam a seguinte estrutura:


Subjetiva

VL + Predicativo + OSS Subjetiva Predicativa

Sujeito + VL + OSS Predicativa


Objetivas diretas São as que funcionam como objeto direto do verbo da oração principal. Exemplo:


VTD

conjunção

Quero / que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva objetiva direta)

OBS.: O verbo querer (VTD) exige um complemento (OD) que nesse caso é a oração subordinada “que você volte”.


Apositivas São as que funcionam como aposto , isto é, como explicação de um termo da oração principal. Exemplo:


(termo que precisa ser explicado) conjunção

Minha esperança é esta: / que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva apositiva)

OBS.: As orações apositivas vêm geralmente após dois pontos, mas também, podem vir entre vírgulas, intercaladas à oração principal.


Objetivas indiretas São as que funcionam como objeto indireto do verbo da oração principal. Exemplo:


VTI

(preposição)

conjunção

Necessito / de que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva objetiva indireta)

OBS.: O verbo necessitar (VTI) exige um complemento (OI) iniciado pela preposição “de” que, nesse caso, é a oração subordinada “de que você volte”.


Completivas nominais São as que funcionam como complemento nominal de um substantivo, adjetivo ou advérbio contido na oração principal. Exemplo:


verbo

substantivo

preposição

conjunção

Tenho necessidade / de que você volte. 1ª oração (oração principal)

2ª oração (oração subordinada substantiva completiva nominal)

OBS.: O substantivo (nome) “necessidade” exige um complemento e, nesse caso, é a oração subordinada “de que você volte”.


Atenção! Objetiva indireta (completa o verbo)

Preposição (antes da conjunção)

Completiva nominal (completa o nome)

nome = substantivo, adjetivo, advérbio


Observações importantes: 1- A oração subjetiva geralmente vem depois de: • • •

verbos de ligação (VL)+ predicativo, em construções do tipo é bom, é útil, é conveniente, é certo, parece certo, etc.. expressões na voz passiva, como sabe-se, soube-se, contase, diz-se, etc. Exemplo: Sabe-se que ele saiu da cidade. verbos como convir, cumprir, constar, admirar, importar, ocorrer, acontecer, etc., quando empregados na 3ª pessoa do singular e seguidos de que ou se. Exemplo:Consta que ele abandonou a escola.


2- Para distinguir a oração subordinada objetiva direta da subjetiva basta observar o sujeito do verbo da oração principal. • Se o sujeito da oração principal estiver nela contido, a oração subordinada será o objeto direto, logo será objetiva direta. Ex.: A maioria decidiu / que você continue na liderança. Sujeito

VTD

oração subordinada substantiva objetiva direta

(nós) Decidimos / que você continue na liderança. Sujeito elíptico

oração subordinada substantiva objetiva direta

( ? ) Decidiram / que você continue na liderança. Sujeito indeterminado

oração subordinada substantiva objetiva direta.


Se o sujeito do verbo da oração principal não estiver nela contido, a oração subordinada será o sujeito, logo será subjetiva. Ex.:

Decidiu-se / que você continue na liderança. (verbo na voz passiva sintética)

Oração principal

Oração subordinada substantiva subjetiva

Foi decidido / que você continue na liderança. (verbo na voz passiva analítica)

Oração principal

Oração subordinada substantiva subjetiva


3- A oração principal determina a função da oração subordinada substantiva: uma mesma oração subordinada substantiva muda de função à medida que a oração principal é alterada.


“Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo, nem ensino” Paulo Freire

Apresent recup  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you