Issuu on Google+

Para-raios Porcelana


Para-Raios

Introdução

Introdução Montagem do Para-raios Componentes em qualquer sistema de energia que enfrentem sobretensões que surgem devido a descargas atmosféricas ou operações de chaveamento inevitáveis. Os para-raios são utilizados para proteger as instalações de sistemas de energia e equipamentos, contra descargas atmosféricas, sobretensões, surtos de manobra etc. Geralmente os para-raios estão conectados através do equipamento a ser protegido, normalmente entre fase e terra para instalações trifásicas. Os para-raios consistem de parte ativa de óxido de metal, sendo uma série de resistores de cerâmica, altamente não lineares feitos essencialmente de óxido de zinco. Cristais finos de óxido de zinco são cercados por outros metais óxidos (aditivos).

TERMINAL DE LINHA PLACA DE ALÍVIO DE PRESSÃO FLANGE MOLA PORCELANA ELEMENTO DE ZnO TUBO FRP HASTE FRP

Características especiais 

Construção única em formato de pastilha de elementos de ZnO, oferecem alta capacidade energética, fornece densidade uniforme e temperatura distribuída

ARRUELA

Desempenho a prova de estilhaços

SILICA GEL

Construção simples e robusta

TUBO ESPAÇADOR

Extrema não linearidade de elementos de ZnO

Travamento positivo de elementos de óxido de zinco

Baixa perda de potência, resultando no aumento de desempenho em temperaturas elevadas

Linha de montagem em ambiente controlado

Elementos ultra estáveis, resultando no aumento da capacidade de proteção à sobretensão

Disponível em porcelana marrom e cinza (ANSI)

FLANGE

PLACA DE ALÍVIO DE PRESSÃO BASE

Peças opcionais: Contador de descargas e Base isolante

Todos os para-raios da CG contidos neste catálogo foram desenvolvidos de acordo com as exigências da norma ANSI-IEEE C62.11 e IEC 60099-4 Nota: A CG Power Systems Brazil Ltda. reserva-se o direito de modificar o design e as especificações deste catálogo sem aviso prévio, devido a melhorias contínuas dos produtos.


Para-Raios

Fundamentos

Características Resistência do grão

Barreira de Ruptura dos grãos

ZnO

Barreira Capacitiva Barreira Resistiva

Tensão nominal: A tensão nominal de um para-raios é a tensão que pode ser aplicada durante um período limitado após o para-raios absorver uma grande quantidade de energia, conforme estabelecido nos testes operacionais. A tensão nominal é utilizada como um parâmetro de referência para a especificação das características operacionais. Tensão máxima de operação contínua (MCOV):

10µm

Fig. 1 Estrutura de grãos das pastilhas de ZnO

A MCOV é o valor de rms máximo admissível da tensão à frequência industrial que pode ser aplicada continuamente entre os terminais do para-raios. Capacidade de proteção à sobretensão temporária:

Tensão

Um para-raios deve ser selecionado com uma tensão nominal alta o suficiente para suportar as sobretensões temporárias, que podem ser causadas por várias ocorrências no sistema. O evento mais comum causador de uma sobretensão temporária é o curto-circuito entre faseterra. Para um sistema efetivamente ligado a terra, eventuais falhas serão normalmente corrigidas em menos de um segundo. Por isso, uma capacidade de sobretensão com base em um período de um segundo é normalmente recomendada. Além disso, a tabela abaixo mostra a capacidade de sobretensão temporária para um intervalo de tempo de 0,1 a 1000 segundos.

Corrente

Período de sobretensão (s)

TOV por unidade de MCOV

0.1

1.42

A = Parte linear inferior (região ôhmica)

1

1.37

B = Ponto de joelho (ponto de ruptura)

10

1.30

C = Parte não linear

100

1.24

D = Parte linear superior

1000

1.17

Fig. 2 Características de Tensão / Corrente

O = Ponto de trabalho (tensão aplicada continuamente)

Distribuição

Classe 2

Classe 3

Classe 4

Fig. 3 Diversos tipos de elementos de ZnO


Para-Raios

Tabelas

Classe 2 Norma de Referência Tipo do Para-raios Frequência nominal Classe de descarga de linha Corrente nominal de descarga Capacidade de absorção de energia Esforço de flexão

Nº Ref.

ZLA2048 ZLA2098

Tensão Nominal (kV) 60 120

Tensão Residual MCOV para Impulso (kV) aplicado a 10kA ( 48 98

171 314

Hz kAp kJ / kV nominal Kg-m

IEC 60099-4, ANSI IEEE Std C62.11, IS 3070 (Part-3) Estação 48-62 2 10 4 325 Tensão Residual para Impulso atmosférico RV (

Tensão Residual para Impulso de manobra a 125A (

Tensão Residual para Impulso de manobra a 500A (

1.5kA

3.0kA

5kA

10kA

116 213

119 219

134 268

140 281

145 290

153 305

Altura (H) (mm)

20kA

Distância de escoamento (mm)

171 342

1815 3625

1160 1825

Classe 3 Norma de Referência Tipo do Para-raios Frequência nominal Classe de descarga de linha Corrente nominal de descarga Capacidade de absorção de energia Esforço de flexão

Nº Ref.

ZLA3048 ZLA3098 ZLA3152 ZLA3168

Tensão Nominal (kV) 60 120 192 198

Tensão Residual MCOV para Impulso (kV) aplicado a 10kA ( 48 98 152 168

171 341 545 561

Hz kAp kJ / kV nominal Kg-m

IEC 60099-4, ANSI IEEE Std C62.11, IS 3070 (Part-3) Estação 48-62 3 10 6 725 Tensão Residual para Impulso atmosférico RV (

Tensão Residual para Impulso de manobra a 250A (

Tensão Residual para Impulso de manobra a 1kA (

1.5kA

3.0kA

5kA

10kA

124 248 396 408

127 254 406 418

144 288 460 474

146 291 465 479

147 295 470 485

155 310 495 510

20kA

Distância de escoamento (mm)

Altura (H) (mm)

174 347 554 571

1815 3625 5440 6125

1090 1600 2535 2883

Classe 4 Norma de Referência Tipo do Para-raios Frequência nominal Classe de descarga de linha Corrente nominal de descarga Capacidade de absorção de energia Esforço de flexão

Nº Ref.

Tensão Nominal (kV)

ZLA4152 ZLA4168

192 198

Hz kAp kJ / kV nominal Kg-m

IEC 60099-4, ANSI IEEE Std C62.11, IS 3070 (Part-3) Estação 48-62 4 20 8 1000

Tensão Residual para Impulso atmosférico Tensão Residual Tensão Residual para Tensão Residual para RV ( MCOV para Impulso Impulso de manobra Impulso de manobra a a (kV) aplicado a 20kA ( 500A ( 2kA ( 1.5kA 3.0kA 10kA 20kA 40kA 152 168

627 647

409 422

425 438

489 504

496 512

504 521

531 548

595 614

Distância de escoamento (mm)

Altura (H) (mm)

5440 6125

2623 2623


Para-Raios

Acessórios

CLASSE 2

CLASSE 3

Para-Raios

120kV

CLASSE 4

Tabelas

60kV

192kV-198kV

60kV-120kV 192kV-198kV

PARA-RAIOS

BASE

BASE ISOLANTE CABO DE LIGAÇÃO

ESTRUTURA SUPORTE (CLIENTE)

FURO DE MONTAGEM

CONTADOR DE DESCARGAS ATERRAMENTO

Arranjo geral dos acessórios

PROTEÇÃO CONTRA CHUVA

Contador de descargas

Acessórios Os para-raios podem ser fornecidos com os seguintes acessórios:   

Contador de descargas Base isolante (exigida em caso de uso do contador de descargas) Cabo de conexão com comprimento específico (exigido em caso de uso do contador de descargas)

Nota: Anéis de equalização são fornecidos para para-raios de Classe 3, Classe 4 e para os que a classe de tensão seja maior ou igual a 192kV.


Para-Raios

Terminais de linha e Base de montagem

Arranjo geral dos Terminais de linha

4 FUROS NEMA

Terminal de linha tipo pino

Terminal de linha NEMA / DIN

Arranjo geral da base BASE

BASE BASE ISOLANTE

BASE BASE ISOLANTE

4 FUROS Ø13

4 FUROS Ø13 2 FUROS Ø11 DE ATERRAMENTO 3 RASGOS DE 15x30mm COM DISTÂNCIA Ø290 A 320 mm

FURAÇÃO PARA MONTAGEM DO PARA-RAIOS ATÉ 120kV CLASSE 3

2 FUROS Ø11 DE ATERRAMENTO

4 FUROS Ø14 DE ATERRAMENTO

FURAÇÃO PARA MONTAGEM DO PARA-RAIOS PARA 192-198kV CLASSE 3

FURAÇÃO PARA MONTAGEM DO PARA-RAIOS PARA 192-198kV CLASSE 4

CG Power Systems Brazil Ltda Escritório de Vendas Av. Jabaquara, 2958 – Conjuntos 11 e 12 – Jabaquara - São Paulo - 04046-500 - Brazil T +55 11 3323 7336 / 11 3323 7337 E-mail: luiz.alvaro@cgglobal.com URL: www.cgglobal.com


Folder Para-Raios Porcelana