Page 1

__

Agrupamento Vertical de S. Lourenço – Ermesinde PNEP – 2009/2010 REFLEXÃO PÓS-OBSERVAÇÃO

Nome da Formanda: Isabel Maria de Rezende Pinto dos Santos Alves Escola: EB1/JI do Carvalhal

Turma: 3º B

Data da aula observada: 18/01/2010

1. Faça uma apreciação global à sua aula (aspectos positivos/negativos/sentimentos…).

A 6ª sessão tutorial decorreu de acordo com a planificação e os objectivos preconizados para a aula.

Os alunos foram recebidos com uma mensagem escrita no quadro “Bem-vindos à História dos Ovos Misteriosos” e ilustrada num cartaz (cfr. fotografia nº 1). Encetarse-ia desta forma a motivação inicial para o envolvimento na história.

Fotografia 1: Cartaz de recepção: “Bem-vindos à História dos Ovos Misteriosos”.

PNEP 2009/2010

Formadora: Neuza Pinto


__ A aula iniciou-se com a audição da leitura gravada da história “Os Ovos Misteriosos”. Os alunos seguiram a leitura a pares, através do acompanhamento do livro. Para o efeito foram distribuídos doze exemplares do mesmo (um para cada par de alunos). Os alunos mantiveram-se em silêncio, bastante motivados e concentrados na leitura. Após leitura/ decifração da história do livro os alunos fizeram, em grupo turma, o reconto oral do mesmo, com o objectivo de auxiliar à transição para a actividade seguinte. Este tipo de actividades motivacionais são de extrema importância, pois como refere Sim-Sim, Duarte & Ferraz (1997) “para haver leitores, é inevitável formá-los. A Escola tem acrescidas responsabilidades neste domínio, cabendo-lhe um papel de relevo na formação de leitores competentes e motivados. É sua função fazer de cada aluno um leitor fluente e crítico, que use a leitura para obter informação, organizar o conhecimento e usufruir do prazer que a mesma pode oferecer.” De facto, tal estratégia surtiu os efeitos desejados pois todos os alunos participaram no reconto da história, sob a orientação da professora, que estimulou à participação de todos. Reforçando ainda a ideia de que para aprender é sempre necessária uma motivação inicial, cito uma das directrizes do Ministério da Educação para a disciplina de Língua Portuguesa no 1º Ciclo (2004): “Para aprender a escrever e a ler é preciso não só escrever e ler muito, mas, principalmente, é preciso que a prática da escrita e da leitura esteja associada a situações de prazer e de reforço da autoconfiança” (p.145). Esta actividade precedeu o desenvolvimento dos objectivos propostos para esta aula que se prendem com a aprendizagem da escrita – instalação de competências básicas - nomeadamente a ordenação de acontecimentos de uma história. Os alunos procederam à resolução de uma ficha de trabalho, na qual fizeram a leitura de frases relativas à história referida anteriormente. Estas frases diziam respeito a um resumo da história realizado pela professora mas que se encontrava desordenado, sem sequência lógica. O objectivo desta actividade era que os alunos pudessem organizar o texto, com coerência e coesão textual, ordenando as frases (numerando-as) de forma lógica e sequencial, de acordo com a história lida inicialmente. PNEP 2009/2010

Formadora: Neuza Pinto


__ Senti que os alunos não tiveram dificuldade em ordenar os acontecimentos propostos na ficha de trabalho devido ao trabalho prévio de leitura/ compreensão da história. Poderei então inferir desta actividade que uma boa leitura/ compreensão de um texto é pré-requisito essencial para um posterior acto de escrita sobre esse mesmo texto. O exercício número dois da ficha de trabalho foi alusivo aos sinais de pontuação e às regras associadas à sua utilização. Os alunos tinham que pontuar um excerto da obra “Os ovos misteriosos”, no qual os sinais de pontuação estavam omissos. A actividade foi realizada de forma individual e depois reflectida e corrigida em grupo no quadro. Antes de se proceder à resolução do exercício anterior os alunos foram questionados sobre os sinais de pontuação que já conheciam e quanto às regras relativas à sua utilização. Foram os próprios alunos a (re) descobrir estes conteúdos uma vez que esta aula pretendia ser uma aplicação de assuntos já abordados. Organizei essa redescoberta e possibilitei a manipulação dos diferentes sinais de pontuação de forma a produzir diferentes sentidos das frases/ texto. Posteriormente os alunos realizaram uma ficha de avaliação formativa no sentido de inferir e avaliar os conhecimentos adquiridos nesta aula. Alguns alunos tiveram dificuldade em pontuar o texto da ficha uma vez que este continha frases em discurso directo. Alguns esqueceram-se de inserir o travessão no início das frases para introduzir as falas das personagens, sendo que outros não fizeram os parágrafos devidos na reescrita do texto. A professora foi alertando os alunos individualmente, para estas incorrecções. A aula terminou com a reflexão dos conteúdos abordados.

Gostaria de realçar como aspectos positivos: - A actividade de motivação inicial para incentivar à abordagem dos conteúdos da aula. A audição da leitura gravada motivou os alunos para a audição da mesma. - A criação de um ambiente de aprendizagem motivador e lúdico, com a apresentação de diferentes actividades que permitiram o desenvolvimento do trabalho individual e de grupo;

PNEP 2009/2010

Formadora: Neuza Pinto


__ - O incentivo à participação de todos os alunos, de forma organizada (de modo a fazer cumprir as regras de funcionamento da aula), promovendo a interacção professor/aluno e aluno/aluno. - A análise reflexiva dos conteúdos e actividades da aula, no final da mesma. Como aspectos negativos gostaria de realçar: - A pontuação do discurso directo não ter sido analisada exaustivamente, em grupo turma. Só após recolher as fichas de avaliação formativa e me deter sobre elas, posteriormente, é que tive a verdadeira percepção das dificuldades dos alunos.

2. A planificação foi cumprida/houve necessidade de alterar? A planificação foi totalmente cumprida.

3. Relação entre o que foi ensinado e o que aprenderam os alunos. Julgo que os alunos conseguiram compreender e apreender os conceitos que foram propostos para esta aula. Manifestaram apenas algumas dificuldades na pontuação do discurso directo, que já referi anteriormente.

4. Que dificuldades encontrou? Como foram resolvidas? Não me detive com grandes dificuldades e/ou constrangimentos nesta aula, apenas fui seguindo a planificação e os alunos foram correspondendo às minhas expectativas iniciais.

5. Que pensa fazer relativamente a acções futuras (aspectos a alterar)? Numa próxima aula, explorarei novamente as regras de pontuação do discurso directo.

PNEP 2009/2010

Formadora: Neuza Pinto


__ 6. Em que medida a planificação ajudou a concretização da aula? A planificação ajudou, em primeira análise a estruturar as actividades a realizar para o ensino/ aprendizagem dos conteúdos objectivados para esta aula e em segunda análise a equacionar possíveis dificuldades sentidas pelos alunos. No decorrer da aula a planificação serviu de orientação para a prossecução das actividades em função do tempo de aula/ feedback dos alunos.

PNEP 2009/2010

Formadora: Neuza Pinto


Reflexão pós observação 5ª aula  

Reflexão pós observação 5ª aula

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you