Page 1

INVESTOR RELATIONS,

ONLINE COMMUNICATION # RELAÇÕES PÚBLICAS ELECTRÓNICAS


ANO LECTIVO 2012-13

TRABALHO INDIVUAL RELAÇÕES PÚBLICAS ELECTRÓNICAS PROFESSOR RICARDO SANTOS IVAN FERREIRA Nº5328


ÍNDICE INTRODUÇÃO ONLINE PUBLIC RELATIONS:

INVESTORS RELATIONS

GOVERNMENT RELATIONS

COMMUNITY RELATIONS

GOVERNMENT RELATIONS

COMMUNITY RELATIONS

CASE STUDIES:

INVESTOR RELATIONS

CONSIDERAÇÕES FINAIS

BIBLIOGRAFIA


INTRODUÇÃO O mundo está a acelerar vertiginosamente os seus processos comunicacionais e de relacionamento fruto da explosão da era digital nas nossas vidas, e onde as Relações Públicas estão a alcançar o seu amadurecimento enquanto ciência da comunicação e enquanto profissão. Vivemos na era web 3.0 as Relações Públicas adotam o papel de gestor e intermediador das relações com todos os stakeholders das organizações que procuram cada vez mais desenvolver a sua presença digital. Conceitos como imagem, mensagem, reputação, percepção ou awareness, responsabilidade social, comunicação integrada e corporativa são elementos indispensáveis de qualquer profissional de comunicação nos dias de hoje, permitindo novos paradigmas de comunicação contrários a política de comunicações que se limitavam a “empurrar informação” para os seus stakeholders versus uma política em que as organizações devem cativar os seus stakeholders, declarando que estão recetivas à conversação e troca de experiências. Assim, não é surpreendente que muitos profissionais de relações públicas de ver as redes sociais e comunicação digital como uma força revolucionária que potencia a importância e relevâncias das RP nas organizações. A atual conjuntura na qual as organizações operam hoje em dia é caracterizada sobretudo pelo dinamismo, competitividade e empreendedorismo. As bases da comunicação das marcas foram profundamente alteradas, sendo que o futuro das marcas terá de passar obrigatoriamente pelo incremento da interacção junto dos seus stakeholders, combinando a comunicação offline e online, tornando-nos assim a todos nós DIGITAL NATIVES e as organizações deve assumir claramente que têm de cativar os seus stakeholders declarando que estão recetivas à conversação e troca de experiências. É nesta troca de mensagens e experiências, que as organizações procuram ter o reconhecimento (imagem) e capacidade de influenciar os seus stakeholders (reputação), que as RP assumem um papel preponderante neste processo, formando verdadeiramente nos consumidores da marca a “imagem/representação mental”.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss Neste trabalho será então desconstruída a essência de três stakeholders: investidores, governo e comunidade. Com maior relevância para a relação entre organizacionais e os seus investidores, sendo apresentado alguns case studies de suportes de comunicação e de relacionamento que sustentam os novos paradigmas das RP e comunicação digital.sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

4


ONLINE PUBLIC RELATIONS INVESTORS RELATIONS

GOVERNMENT RELATIONS

COMMUNITY RELATIONS


ONLINE PUBLIC RELATIONS Como foi explicitado anteriormente as Relações Públicas estão numa fase da sua vida enquanto ciência comunicacional, em que se poderá afirmar que pela primeira vez na sua curta história, estão em plenas funções, isto porque as condições para desempenhar a sua atividade estão orientadas para o planeamento e desenvovilmento de relações onde todas as organizações devem atuar como sistemas abertos e adaptáveis à sua envolvente e consequentemente desenvolver relações bidireccionais com os seus stakeholders.ssssssssssssssssssssssssssssss É aqui que se inserem Investidores, Governo e Comunidades como públicos desta nova realidade em que as organizações não alheio ao facto de ter efectivamente de ter relações e diálogos mais activos com os seus públicos, que apostem na comunicação digital, pois o poder de reach/alcance é consideravelmente mais potenciado e alargado, permite um redimensionamento dos budgets de comunicação dos meios tradicionais para o online.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss Compete então às Relações Públicas desenvolver os processos e estratégias que beneficiem as potencialidades dos canais de comunicação digitais sirvam de resposta a estas problemáticas.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss No seu estudo ”Paradigms of global public relations in an age of digitalisation”, Grunig (2009), definiu um conjunto de princípios genéricos que têm sido descritos em diferentes publicações, mas que no seu essencial podem ser resumidos como:ssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

EMPOWERMENT OF PUBLIC RELATIONS

INTEGRATED COMMUNICATION FUNCTION

A SEPARATE MANAGEMENT FUNCTION

TWO-WAY AND SYMMETRICAL COMMUNICATION

DIVERSE

ETHICAL

INVOLVED IN STRATEGIC MANAGEMENT

6


INVESTORS RELATIONS Os Investidores representam um dos públicos mais importantes para as organizações, isto porque são os agentes económicos que fornecem e sustentam a entrada e circulação de capital assegurando a sua exequibilidade e capacidade de financiamento fulcral para o seu desenvolvimento. Numa altura em que o mundo organizacional e em especial o mercado Europeu encontra-se numa grave crise económica e financeira, os investidores ganham uma maior relevância pois são os que irão sustentar e financiar as políticas de expansão das empresas. Para tal, a sua integração na envolvente da organização não é um processo pacífico, mas necessário para que se criem e reforcem as relações abertas e bidirecionais, que permitam criar valor para ambas as partes, pois o sucesso de um será as vantagens de outro. Assim sendo a comunicação entre organizações e investidores deve ser gerida pelas Relações Públicas priorizando a comunicação e mensagens numa permanente e transparente abertura de um canal de informação sobre o desempenho da organização, quer das estratégias e atividades (fatores microeconómicos), como das informações de funcionamento e performance financeiras (fatores macroeconómicos). E é aqui que a comunicação online assume um papel preponderante, pois permite uma redução efetiva de custos (é exemplo disso a poupança na impressão dos relatórios e contas que deixam de ser enviados para centenas ou milhares de pessoas em formato papel e é agora enviado por e-mail ou disponibilizado em ambiente de website ou microsite próprio, isto permite além de comunicar mais eficazmente com os atuais investidores aumentar exponencialmente a informação que é pública a captação de potencias investidores (individuais e institucionais).ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss O relacionamento com investidores enquanto shareholders está sujeita a especificidades e limitações, em primeiro lugar é necessário construir uma relação de confiança e transparência que minore informações da ou acerca organização, isto porque poderá afetar o próprio share value das ações em bolsa. É neste ponto que se torna essencial informar em tempo real a facilitação dos dados sobre a performance financeira das organizações. Além destas especificidades, há ainda a existência de reguladores, como a CMVM no caso português, que ditam os timings e formato da divulgação da informação financeira, algo que o profissional de RP deve ter em consideração para agir da forma correta, para que nada afete a relação com os Investidores. Para Holtz (p.205, 2002), esta necessidade de constante troca de mensagens entre organizações e investidores, faz com que o online seja a solução para intermediar esta relação. Segundo o autor, o recurso de instrumentos de comunicação online terá relevância em duas óticas: “permitir o desenvolvimento de estratégias que otimizem os objetivos pretendidos para este público; racionalizar os recursos (humanos e materiais) envolvidos na resposta a questões e pedidos de informação por parte dos Investidores, antecipando as suas necessidades de informação e tornando a mesma disponível online”.ssssssssssssssssssssssss

7


INVESTORS RELATIONS Como tal, e em primeiro lugar a atuação neste relacionamento deve ser erguida e assentar-se num “Practice Guide for Investor Relations”, que envolve a construção de uma identidade gráfica própria, mas em conformidade com a identidade corporativa, com a preparação de materiais de comunicação e marketing, a elaboração de relatórios e artigos sobre os resultados e lucros, um glossário dos termos técnicos relevantes para o negócio da empresa, e preparação da construção da relação tripartida entre organização, investidores e media, fomentada e potenciada por um conjunto de suportes de comunicação online:sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

RELATÓRIOS E CONTAS ANUAL ONLINE

ONLINE ROAD SHOWS

A transposição online deste documento tem de ser mais do que uma versão pdf do original em papel. Poderá estar acessível a quem quiser efetuar o download para ler offline, mas que não potencia verdadeiramente as vantagens online (Holtz, 2002). A versão online poderá ser por isso, uma versão em html (apresentação ou mesmo a construção de um microsite em HTML 5), que dê relevância a mensagens e números-chave que seja interativo proporcionando ao utilizador/investidor que possa aceder a qualquer informação a um reduzido número de clicks. Aqui já entra planeamento estratégico, na ótica da construção e desenvolvimento da arquitetura de informação que a otimize a experiência para shareholders e stakeholders.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

É um recurso muito utilizado nas relações com Investidores, contudo estes eventos tinham um alcance limitado de convidados devido às contingências do espaço onde seja relacionado (Holtz, 2002). Ao incorporar e integrar o fator online, o alcance dispara para níveis muito superiores, pois além de ser disponibilizado no site da organização poderá ser inclusive transmitido em direto via streaming, sendo integrado pelos diferentes canais de comunicação online da organização (site e redes sociais).ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

E-MAIL UPDATES Este é o recurso mais simples de manter informados os Investidores das temáticas e assuntos mais relevantes da organização, sem que sejam estes a ter a obrigatoriedade de procurarem estas informações. Os profissionais de RP e as organizações deverão ter a consciência de criarem mecanismos que permitam aos Investidores subscreverem e-mails e newsletters que os notifiquem das temáticas consideradas mais relevantes, como eventos, notificados e comunicados e relatórios financeiros.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

CONFERÊNCIAS DE INVESTIDORES Os podcats com shareholders já era uma prática recorrente por parte das organizações, contudo, com os meios de comunicação online vieram dar um upgrade a esta realidade, foi acrescentada a componente vídeo e outros recursos de apresentação (Holtz, 2002). Atualmente estas apresentações além de expostas em conferências ou reuniões são ainda arquivadas nos websites. Como tendência atual temos ainda o recurso a infografias que sendo animadas promovem e potenciam o nível de engagement com os investidores, pois falamos de um suporte visual com a informação verdadeiramente relevante para este stakeholders: números e performance da organização.sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss 8


GOVERNMENT RELATIONS A relação das organizações com o governo, entidades governamentais e municipais é uma área de atuação que deve ser entendida como uma construção de relação duradoura, imparcial e independente de ideologias políticas e partidárias. Enquanto entidade responsável pela criação e regulação das leis, o Governo e todas as suas estruturas devem na ótica do profissional de RP promover o estabelecimento de relações de confiança e transparentes. A transparência deve ser o principal fator a ter em conta, para a organização não cair em rumores de favorecimentos e corrupção. Ao nível governamental verificamos que em todo o mundo, há uma tendência para todas as entidades governamentais “digitalizarem-se”, isto é, há a preocupação para desenvolverem ferramentas online que satisfaçam mais rapidamente e eficazmente com todas as pessoas. Ao nível de exemplos temos o website institucional do Governo de Portugal que recentemente reformulou a sua presença digital que até 2012, encontrava-se dispersa pelos vários ministérios e que passou para um único portal integrado, onde contém informações dos ministérios, iniciativas governamentais e de Assembleia da República, conteúdos multimédia, possibilidade de streaming e ainda uma iniciativa denominada “Meu Movimento”, onde os cidadãos podem numa lógica de “comunidade participativa e ativa” submeter causas que defendem, apresentando soluções para as mesmas e que as melhores serão escolhidas para debaterem diretamente com elementos do governo.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss Ao nível dos suportes que ao ser pensados e executados corretamente, poderão ser um ponto de apoio a estas entidades tanto ao nível do relacionamento pois potencia um alcance da mensagem e informação muito maior como permite a construção de relações sólidas e com maior fluxo de comunicação, com benefícios mútuos para todos os públicos envolvidos.sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

E-MAIL

GRUPOS DE DISCUSSÃO

Os agentes políticos devem ser convidados a subscrever a newsletter ou por e-mail das atividades e temáticas das organizações que estejam relacionados com as suas áreas de jurisdição. Estas devem ser breves e estar separadas dos representantes de entidades envolvidas noutros processos de aprovação de produtos, patentes, entre outros (Holtz, 2002).ssssssssssssssssssssssssssssssssssss

As organizações devem fomentar a criação de fóruns com política de privacidade definidas que regulem o acesso. Holtz et al.2002 refere que esta ação facilita de forma clara a comunicação e relação entre agentes políticos e reguladores e organizações, trocando assim informações de forma mais próxima e directa.SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

SITE A criação de websites ou microsites exclusivamente dedicados a estes agentes políticos é um caminho das organizações de afilarem as relações com os órgãoes estatutários de forma transparente, mostrando a todos os seus planos, programas e métodos de implementação. Este suporte de comunicação permite ainda atuar como “biblioteca eletrónica”, onde haverá a possibilidade de consultar e fazer download dos documentos indispensáveis à discussão das temáticas em causa. O site tem a dupla função de ser um meio de alavancar e acelerar o processo de aprovação por parte dos reguladores de determinado produto e de, em caso do produto, posteriormente, ser alvo de suspeita, constituir uma fonte segura e credível do processo de aprovação do mesmo (Holtz, 2002)

9


COMMUNITY RELATIONS As Comunidades, apresentam como um público que devido a este novo paradigma da comunicação que impulsionado pela Comunicação 2.0 e 3.0 torna a importância deste stakeholder como crescente. Isto porque na ótica de relacionamento em que atualmente operamos, a relação com a comunidade é um parâmetro que permite criar valor e relações mutuamente benéficas. Este tipo de relacionamento é materializado em acções como a construção de infra-estruturas para uso público, concessão de bolsas de estudos ou mérito, atividades de luta contra desigualdades sociais entre outras. Isto além de criar uma relação win-win entre estes dois públicos na criação de goodwill para a organização, o que só cimenta uma boa imagem organizacional junto da opinião pública.sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss A comunicação online veio permitar às organizações uma melhor identificação por um lado do seu target comunidade como reconhecer e detetar as especificidades, interesses e problemas no seio da comunidade onde estão inseridos. Alguns suportes de comunicação vantajosos para este stakeholder são:

SITE

MAILING LIST

OPEN HOUSE

Atua como agregador de afilização e pertença entre a comunidade e a identidade corporativa da organização, estando descrito a sua política de responsabilidade social que informa e comunica claramente a relação e implementação de ações com a comunidade, eventos, reuniões, publicar resultados de reuniões/encontros anteriores, criar um formulário de opinião para a comunidade, disponibilizar uma secção de FAQ’s, entre outros (Holtz, 2002).sssssssss

Ferramenta online que poderá ser útil numa ótica de subscrição da população local para que tenham a possibilidade de escolherem e categorizarem as temáticas organizacionais que queiram ser informados e que tenham impacto nas suas vidas. Esta é uma forma de manter os residentes constantemente informados sobre aspectos que possam afectar as suas vidas, tentando por isso minimizar possíveis situações desagradáveis para a comunidade e que possam afectar o seu quotidiano ( Holtz, 2002).ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

A realização destes eventos permite mostrar a transparência da atividade e funcionamento das organizações. É uma boa oportunidade convidar membros da comunidade e com as novas ferramentas online poderá ainda ser disponibilizado visitas interativas tanto nas instalações como no próprio website.sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

10


AVALIAÇÃO E MONITORIZAÇÃO INVESTORS RELATIONS

GOVERNMENT RELATIONS

COMMUNITY RELATIONS

- Monitorização e avaliação do número de visitas e downloads entre os relatórios anuais e financeirasssssss

Medir o impacto das comunicações online com entidades governamentais pode ser um pouco mais difícil do que com outros públicos, como os meios de comunicação.ssssssssssssssssssssssss

- Criação de formulário de satisfação/avaliação do esforço online da organização ao nível da responsabilidade social, empreendedorismo...ssssssssssssssssssssss

- Monitorizar e avaliar o número de visitas à zona de INVESTOR RELATIONS , e ainda o impacto nessa métrica depois de comunicar novas informações através de outras plataformas online.ssssssssssssssssssssssssssssss - Criar visual content que apoio ou refute determinada ação, exemplo: processo de fusão, trafego gerado da página desse assunto e monitorização de canais online de opinio leaders dessa àreassssssssssssssssssssssssssss - Questionar regular os seus principais investidores sobre o valor da presença digital da organização (exemplo distribuição de questionário via e-mail ou no site)sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

- Nº de agentes políticos que comunicaram com asss organização por e-mailsss ss ss ss ss ss ss ss ss sssss - Nº de visitas à àrea de Corporate Governancesss ss ss ss ss sssss - É possível estruturar uma correlação entre o aumento da atividade do website e mudanças na percepção pública ou de apoio?sss ss ss sss ss ss ss ss ss ss ss ss sssss

- Medir o número de visitantes às àreas relacioandas com responsabilidade social e outras temáticas relevantes para a comunidade. Regitar e avaliar em regime de CRM todos os pedidos de informação ou esclarecimento sobre essas temáticassssssssssssssssssss

10


CASE STUDIES


INVESTORS RELATIONS FACEBOOK

http://investor.fb.com/

A empresa Facebook, o expoente máximo deste boom da comunicação digital, e que recentemente passou a estar cotado em bolsa (Nova Iorque, Londres), desenvolveu um site exclusivo para a comunicação com os seus shareholders. Começa por destacar na homepage a sua missão, depois apresenta menus onde é possível informação financeira mais pormenorizada e depois centra-se na apresentação de conteúdo digital, neste caso uma infografia em que demonstra os números dos resultados da organização, centrando assim o tipo de conteúdo para o que é mais relevante para os seus atuais investidores e para a captação de novos.

STOCKTWITS http://stocktwits.com/

O StockTwits, é um serviço/ferramenta de monitorização e avaliação que em tempo real indica opções de investimentos e ações através de tags específicas ($) e recomenda tweets, podt, partilhas trendsetting do assunto para o utilizador acompanhar em tempo real. Permite ainda a um investidor que detenha ações em mais do que uma organização gerir o seu portfolio de acções e de comunicar com outros membros deste serviço.

EXPENSE TRACKER 2.0 http://bit.ly/X8Q5bb

Expense Tracker 2.0 é um exemplo de aplicações moblie desenvolvida para gestão financeira. Em suma os users podem planear o seus budgets mensais e acompanhar de forma interativa as transações que efetuam. Estas são algumas das suas funcionalidades: Planeamento Orçamento on-the-go; Observações e comentários de Assistente Financeiro; Adicionar despesas mensais recorrentes e pagá-los sem esquecer ou atrasar; Opinião especializada da despesas e poupança; Ver sem esforço as informações por mês; % de poupança vs % de gastos.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss 13


GOVERNMENT RELATIONS MANCHESTER CITY COUNCIL

http://www.manchester.gov.uk/

A Câmara Municipal de Manchester, apresenta um website institucional, que na minha ótica deveria ser um modelo-tipo a seguir por outras organizações governamentais, isto porque todo o seu planeamento e navegabilidade foram pensados e executados na ótica do munícipe ou do potencial viajante ou turista. Vejamos a imagem abaixo representado da homepage do site, o grafismo do site é bastante moderno e clean, já foi executado em HTML5 e com técnica de programação e design de Responsive. Este suporte foi integralmente construído na ótica de relacionamento e disponibilização da informação segmentada por categorias que permite a todos os stakeholders da Manchester City Council terá numa facilidade de acesso incrível em 2-3 cliks a todos conteúdos que necessitem de procurar.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

14


COMMUNITY RELATIONS EDP UNNIVERSITY CHALLENGE

http://www.geracaoedp.edp.pt/universitychallenge/#/home

A EDP procura desenvolver a sua relação com a comunidade com várias iniciativas, umas das mais conhecidas é o EDP University Challenge. Este é um concurso anual de ideias orientado para estudantes universitários que desenvolvem estratégias de marketing e comunicação para assuntos e acções que a empresa quer desenvolver. Aqui a temática dos trabalhos gira sempre em redor das novas tecnologias, energias renováveis e como comunicar a redução do impato ambiental das nova s gamas de produtos ofericidos pela EDP. Isto além de fomentar o interesse dos jovens universitários por estes assuntos, fomenta ainda a sua participação através de incentivos: monetários para os três projectos melhor classificados, integração de alguns participantes nos programs de trainee da EDP e ainda permite a troca de informaçãoe e mensagens contínua com estes públicos.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

15


CONSIDERAÇÕES FINAIS A relação das relações públicas com os meios online, fez com que seja necessário trabalhar todos os stakeholders e não apenas alguns, isto porque é necessário controlar as mensagens recebidas por seus públicos, controlar a interpretação cognitiva públicos sobre as organizações, e persuadir os públicos a mudar suas atitudes e comportamentos.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssS Com a comunicação online a crescer e mudar e adaptar-se a cada dia que passa, só acrescenta valor às relações públicas, as organizações à sociedade, isto porque agora tudo trabalhado é estratégico, função de gestão, simétrico, integrado, mas com mensagens adaptadas, diversificada e ético e social. A disciplina de Relações públicas, quando praticada de acordo com estes princípios, ajuda as organizações a alcançar seus objetivos, cultivar relações nas sociedades e no mundo, e reduzir os conflitos.ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssSS E que em jeito de conclusão as organizações devem dotar-se das ferramentas e know-how necessário para compreender de forma mais constante e continuada que a relação com os seus stakeholders é agora bidirecional, contínua e de longo prazo.SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

O FUTURO ESTÁ NA INTERAÇÃO!ssssssSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

16


BIBLIOGRAFIA - Holtz, S. (2002). “Public Relations on the Net”, pp. 205-249; - Tench R. & Yeomans L. (2006). “Exploring Public Relations”. Prentice Hall, England. - Guimard, A. (2009). “Investor Relations Principles and International Best Practices of Financial Communications”. PALGRAVE MACMILLAN, England - Grunig, J. (2009) “Paradigms of global public relations in an age of digitalisation”

EDP : http://www.geracaoedp.edp.pt/universitychallenge/#/home Manchester City Council: http://www.manchester.gov.uk/ Facebook : http://investor.fb.com/ Stocktwits : http://stocktwits.com/ Expense Tracker 2.0 : http://bit.ly/X8Q5bb 8 Things VCs Think About When Valuing Your Startup http://mashable.com/2013/05/13/startup-valuation/ Investor Relations rising http://content.prnewswire.com/documents/WP_IR_rising.pdf BLISS APLICATIONS: http://www.blissapplications.com/

17


INVESTOR RELATIONS, ONLINE COMMUNICATION # RELAÇÕES PÚBLICAS ELECTRÓNICAS

INVESTOR RELATIONS  

Breve Consideração Crítica sobre a importância da comunicação digital na relação das organizações e os seus stakeholders, especificamente os...