Page 1

Curso: Comunicação Social – Jornalismo Disciplina: Projetos Experimentais em Jornalismo IV Professor: Marco Aurélio Reis

AV3: MASTURBAÇÃO

Rio de Janeiro, 13 de dezembro de 2010 Alunos: Ivan de Souza Cardoso e Gabriel Lira Período: 6º

1


MASTURBAÇÃO: TABU OU NÃO?

Imagem: Google

M

asturbação é o ato de estimular os órgãos genitais manualmente ou por meio de objetos com o objetivo de ter prazer sexual podendo ser seguido de orgasmo. Também conhecida como bater punheta, bronhar, descabelar o palhaço, descascar a banana, maltratar o sabiá e afins, o termo masturbação na realidade provém das palavras latinas “manus” que significa “mãos” e “turbari” que significa “esfregar”, portanto “esfregar com as mãos”. Embora seja recriminada por algumas culturas e religiões, a masturbação não é uma doença e nem provoca doenças. Afinal, trata-se da demonstração de amor com a pessoa mais importante de nossas vidas: nós mesmos. Ao contrário do que se imagina, a masturbação não causa espinhas, pêlos na mão, afinamento da voz, fraqueza ou mesmo a morte. Estes são mitos criados há aproximadamente três séculos quando a sociedade européia passou a censurar toda e qualquer sexualidade. Mas, hoje profissionais de saúde comprovaram que a masturbação é sadia além de fazer parte da vida sexual de uma pessoa. Prova disso é o aumento do número de vibradores e estimulantes nos sex-shops e lojas na Internet. É possível encontrar vários modelos e para ambos os sexos: desde o feminino 2


em formato fálico até o masculino em formato de uma vagina ou mesmo em formato de uma mão! Além disso, estudos mostram que a masturbação pode prevenir o câncer de próstata e aliviar sintomas de depressão, podendo, portanto, ser uma prática saudável desde a puberdade até a velhice. Porém, tudo tem limite. Pois, há quem chegue a preferir a masturbação que o ato sexual, não apenas como um método contraceptivo, mas também por obter maior prazer do que com seu parceiro(a). Nesse caso é recomendável um tratamento psicológico. Seja como for, neste trabalho apresentamos a masturbação não como um tabu, mas como algo comum na vida das pessoas que têm coragem de falar a respeito a ponto de dizer em quais lugares costumam praticar o ato, o que os estimula a consumá-lo e, acima de tudo, porque o praticam.

3


KAMA SUTRA DA MASTURBAÇÃO Conheça as mais variadas técnicas de masturbação masculina e feminina.

O

Kama Sutra é um manual indiano escrito por Vatsyayana no século IV. O autor relata detalhadamente as instruções sobre como atingir a excitação sexual e o orgasmo através do sexo ou de carícias. Ao todo são aproximadamente 64 formas de amar que têm como objetivo acabar com a monotonia da vida sexual de um casal por meio de prazeres variados. No entanto, a masturbação também pode se tornar monótona. E, por isso, devemos buscar prazeres diferentes em seu ato. Abaixo segue uma relação das dez principais técnicas de masturbação feminina e masculina. MASTURBAÇÃO MASCULINA Maçaneta na Porta Coloque lubrificante na palma da mão e rode na ponta do pênis como se estivesse abrindo a maçaneta de uma porta, depois rode no sentido contrário e alternando os movimentos. Imagem: Ivan de Souza

Toque-Toque Masturbe-se normalmente sem tocar a cabeça do pênis. Quando o mesmo estiver ereto, estimule-a suavemente com a ponta dos dedos até atingir a ejaculação.

Fogueira Coloque o pênis entre ambas as mãos esticadas. Comece a rodar o pênis como se fosse um pau de madeira com o qual pretendemos fazer fogo. Imagem: Ivan de Souza

4


O Desconhecido Sente em cima da mão por aproximadamente dez minutos. Quando a mão estiver dormente, inicie a masturbação que parecerá ser feita por outra pessoa. Imagem: Ivan de Souza

Pegar Neles Quando estiver a ponto de ejacular, coloque a outra mão sobre os testículos, aperte-o e suavemente puxe-o para baixo de maneira a sentir o sêmen percorrendo seu corpo.

Anéis Coloque lubrificante em ambas as mãos. Em seguida, junte os dedos polegar e indicador em forma de anel. Deslize-os pelo pênis até conseguir ejacular. Imagem: Ivan de Souza

Pancadinha Masturbação feita com a roupa de baixo vestida. Suavemente faça movimentos na glande com a ponta dos dedos. Normalmente leva mais tempo para atingir o orgasmo. Concha Una as duas mãos em forma de uma concha e comece a masturbação. A sensação das duas mãos juntas é parecida com a de uma vagina.

Imagem: Ivan de Souza

5


MASTURBAÇÃO FEMININA Para cima e para baixo Mova os dedos para cima e para baixo da área genital, acariciando o clitóris, os lábios e a entrada da vagina. O lubrificante natural da vagina é espalhada por toda a área, além de ser essencial para acariciar o clitóris. Imagem: Google

Massagem Coloque o clitóris entre o polegar e o indicador e massageie-o suavemente.

Jato de água Com o bidê ou mesmo um chuveirinho, estimule o clitóris com o jato de água. É possível atingir o orgasmo em apenas dois minutos. Imagem: Google

Massagem Circular Coloque os dedos indicador e do meio sobre o clitóris de maneira a massageálo fazendo movimentos circulares e alterando a velocidade e pressão como quiser. O orgasmo pode ser atingido em menos de um minuto.

Travesseiro Deite-se, coloque o travesseiro entre as pernas e pressione-o de encontro ao colchão. Se preferir, também pode ficar em pé e, com o travesseiro entre as pernas, roçar o Imagem: Google clitóris sobre ele.

6


Cruzando as pernas Deite de lado, comprima o clitóris com as coxas e coloque o dedo na vagina com a mão vinda por trás. Esta técnica é indicada às mulheres que têm coxas grossas. Imagem: Google

Combinação Com os dedos de uma mão, estimule o clitóris como quiser. Com a outra mão, utilize até três dedos e insira-os na vagina.

Vibrador Passe o vibrador sobre o clitóris para atingir um orgasmo mais intenso do que simplesmente utilizá-lo como se fosse um pênis. Você também pode esfregá-lo na parte de dentro das coxas, nos lábios vaginais e nos seios.

Imagem: Google

Tapinhas com a ponta do dedo Com os dedos de uma das mãos, puxe os lábios vaginais para trás, expondo o clitóris. Com a outra mão, dê tapinhas com a ponta do dedo indicador em cima do clitóris. Estimulação do Anus Enquanto estiver se masturbando, use os dedos ou mesmo brinquedos para estimular o anus. Esta é uma região muito sensível ao tato, podendo proporcionar um orgasmo mais intenso. Imagem: Google

7


TUBES PORNÔS X REVISTAS PORNÔS Os maiores estimulantes para a masturbação. Imagem: Google

Playboy, Hustler e Penthouse: as pioneiras das revistas eróticas.

A

ntigamente, as questões relacionadas ao sexo eram iniciadas em algum tipo de revista erótica. Havia poucos programas de TV do gênero, pois a censura era muito mais forte. Com o passar do tempo, os conceitos foram mudando assim como o pensamento das pessoas a respeito, facilitando o crescimento das indústrias pornográficas. Com a evolução das novas tecnologias como a impressão, fotografia, cinema e computadores a pornografia passou a se encaixar nesses meios, tentando se adaptar aos mesmos. As primeiras formas de aparições dessas revistas foram através de um método utilizado em 1880 que servia para reproduzir fotografias de formas baratas, em preto e branco, sendo o primeiro formato de pornografia acessível e mais fácil de adquirir. As primeiras revistas surgiram na França e trabalhavam o nu com atrizes contratadas como modelos seminuas na capa e nas páginas internas, eram vistas como revistas de arte ou naturismo. Aliado às revistas francesas, vieram os livros de histórias em quadrinhos, conhecidos como Tijuana Bibles nos EUA na década de 1920. Eram feitas por desenhos a mão, representando artistas famosos ou ídolos de uma sociedade, sendo sucesso no mercado até o surgimento de revistas adultas em cores, depois passando por calendários de guerra, conhecidos como pin-up em que mulheres eram fotografadas dando ênfase as pernas e seios. As revistas eróticas começaram a circular na segunda metade do século XX. Revistas como Playboy e Homem Moderno surgiram nessa época, mas de uma 8


forma bem “culta” para os padrões, mostrando apenas o nu, mas nunca os pêlos pubianos e as genitálias. Em 1965 a revista Penthouse foi a primeira revista a publicar as imagens que mostravam os pêlos púbicos e vista frontal de mulheres nuas, o que foi considerado fora dos limites do erotismo da época. No final da mesma década, as revistas começaram a publicar conteúdo mais explícito como cenas de penetração, homossexualidade, sexo grupal e fetiches, originando revistas como Hardcore e Hustler posteriormente. Hoje temos uma enorme quantidade de edições e públicos fiéis de revistas como Playboy, Sexy, Hustler, Private entre outras no mercado. Mas, temos a predominância dos sites pornográficos em que é preciso pagar por um login para ter acesso às fotos e vídeos, muito embora alguns fóruns da internet compartilhem fake logins que fornecem acesso grátis, porém temporário, a esses sites. Também se tornaram populares os tubes pornográficos, sites de apresentação de vídeos e fotos eróticas, com diversos filtros e categorias. A queda de venda de revistas pornográficas se deve a essa nova indústria que é vinculada através da internet. Afinal, os sites são abertos a visitação para qualquer pessoa, possibilitando inclusive que menores de idade confiram os conteúdos apresentados. O Porntube, Redtube, Xvideos, Megaerotic já possuem vídeos com alto número de acesso e cada vez mais atrai mais adeptos que consideram esses meios grandes estimulantes para a masturbação.

Imagem: Google

PornHub, Xvideos e Megaporn: os tubes eróticos mais acessados da rede.

9


A MASTURBAÇÃO E SEU PÚBLICO Afinal, quais são as pessoas adeptas dessa prática?

N

ão é segredo para ninguém que todas as pessoas se masturbam. Portanto, o público dessa prática seria ninguém menos do que toda e qualquer pessoa normal. Porém, ainda costuma-se ligar o ato à figura do adolescente cheio de espinha na cara ou ao homem que não consegue namorada. Seguindo esses “rótulos”, entrevistamos Kátia Guedes, 38 anos, e o marido Clóves Guedes, 40 anos, jornaleiros de duas bancas de jornal no bairro da Tijuca que nos falam sobre o número de vendas de revistas pornográficas e seu público. Como são as vendas de revistas pornográficas aqui na sua banca? Kátia Guedes: Geralmente, elas saem muito. Já teve ocasiões em que elas eram mais procuradas, enxergo que com o advento da internet, as vendas deram uma queda. Clóves Guedes: Hoje as prateleiras estão mais cheias delas, mas além de revistas, saem muito CDs acoplados a revista, o público curte o conteúdo e algo a mais e pagam bem por isso. Qual é o público que mais busca esses tipos de materiais eróticos? Kátia Guedes: Os jovens buscam muito, mas não sabemos se compram para eles mesmos ou para segundos, mas é uma faixa bem jovem. Clóves Guedes: Na minha banca, os adolescentes compram muito, hoje em dia não tem como negar a venda a eles. Mas, foi o que a Kátia disse, existem pais que compram para os filhos, pois cada um tem uma forma de educar e ajudar os filhos nesses tipos de conceitos. Vocês já passaram por algum fato curioso ou engraçado, nas bancas de vocês? Kátia Guedes: Minha banca uma vez foi assaltada. Os bandidos fizeram a limpa no estande de revistas eróticas, além de levar o dinheiro, é claro. Devem ser uma cambada de punheteiros virgens. Desculpa o termo, mas é verdade. Clóves Guedes: Um freguês nosso de aproximadamente 64 anos veio comprar revistas de Playboy e Sexy aqui na banca e comentou: “Nossa aquelas revistas de semana passada são ótimas, como eu queria ser jovem novamente, até para tocar uma é difícil hoje em dia”. Eu ria muito. 10


Entrevistamos também Claudio Rodrigues, 16 anos que aceitou realizar a entrevista via MSN, sobre como lida com a masturbação e também sobre algumas experiências pessoais. O que você acha dessas “lendas” da masturbação como nascimento de caroço no peito, espinhas no rosto, pêlos nas mãos? Você já chegou a acreditar nisso? Claudio Rodrigues: Eu acho engraçado. No começo, como eu era leigo, realmente ficava preocupado, ainda mais porque coincidia com o surgimento de espinhas no meu rosto, depois fui saber que isso não tem nada a ver com a masturbação. Você costuma se masturbar muito? O que tem a dizer sobre a sensação que a masturbação proporciona? Claudio Rodrigues: Eu me masturbo sim, mas não como na época dos 13 ou 14 anos. Hoje já estou mais tranqüilo, ainda mais com minha namorada. Então, não sinto aquela necessidade de antes, mas continuo a me masturbar sim porque acho natural e muito bom, fico relaxado. Você já teve alguma história engraçada envolvendo este tema? Claudio Rodrigues: Já tive sim. Eu era novo, devia ter uns 13 ou 14 anos quando fui comprar uma revista Playboy. O jornaleiro da rua já estranhou, perguntou se minha mãe havia me deixado comprar e para que eu queria. Fiquei muito envergonhado. Quando cheguei a casa, tratei logo de “descascar a banana”. Fui ao banheiro do quarto da minha mãe, pois pensava que ela não estava em casa. Fiquei com a porta encostada e, de repente, ela abre a porta. Nossa! Nunca fiquei tão envergonhado! Ela disse: “Está conhecendo seu corpo, só não vai sujar o banheiro e na próxima vez tranque a porta”. Bem, coisas de inexperientes mesmo

11


LUGARES PARA SE MASTURBAR De banheiros a punhetódromos, são várias as opções.

H

á vários lugares onde a masturbação pode ser praticada desde os mais tradicionais como banheiro ou quarto até os mais inusitados como ônibus e cyber cafés!

“Ele entrou e pediu para sentar no último computador lá de trás. A loja estava vazia. Quando fui até lá para desligar um dos computadores, o cara me viu e rapidinho vestiu a bermuda.” – disse Roberto Rômulo, atendente de um cyber café sobre quando flagrou um dos clientes masturbando-se enquanto usava um dos computadores. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que existem lugares especialmente preparados para isso. Vulgarmente conhecidos como “punhetódromos”, os lugares possuem cabines onde os clientes podem entrar e se masturbar enquanto assistem a um vídeo de strip-show estrelado pelas mulheres que trabalham na casa. O mais conhecido é o Miami Center Show em Copacabana. Muitos pensam tratar-se de um cabaré com garotas de programa. Algumas garotas até fazem programa, mas o objetivo delas lá é estimular os homens a se masturbar vendo seus vídeos nas cabines. Imagem: Ivan de Souza

Localizado entre um supermercado e uma igreja, o Miami Center se tornou muito conhecido mesmo por quem não o freqüenta. 12


Uma ficha de um real dá direito a cinco minutos dentro da cabine, uma ficha de dois reais dá direito a quinze minutos e uma ficha de três reais dá direito a vinte minutos. Existem ainda as cabines especiais onde os clientes podem ver o show ao vivo das garotas enquanto se masturbam. Para essas cabines uma ficha de cinco minutos custa vinte reais. A casa só não possui glory holes. Estes nada mais são do que buracos numa parede para que o homem coloque seu pênis e, do outro lado, uma das garotas possam masturbá-lo. “Eu já fui num desses, é muito bom. Algumas garotas até fazem sexo com o cliente pelos buracos, mas é mais complicado.” – disse Jorge Lemos, freqüentador do Miami Center. Há quem considere esses lugares uma perda de tempo e dinheiro. Afinal, quem gasta vinte reais para se masturbar, pode por um pouco mais fazer sexo com uma garota de programa. Aliás, muitas delas dizem que seus clientes as procuram não para fazer sexo, e sim para se masturbar. “O cara pede para eu rebolar ou então para acariciar o corpo dele enquanto se masturba.” – disse a garota de programa que atende pelo nome de Júlia e trabalha numa casa de massagem em Copacabana. Alguns casais usam a masturbação como um método anticoncepcional. Ivan e Fernanda são freqüentadores da casa de swing 2a2 onde as pessoas vão principalmente para realizar troca de casais. No entanto, também existem aqueles que vão por puro voyeurismo e também para se masturbar enquanto vêem as pessoas fazendo sexo. “Como os quartos privados estavam todos ocupados, fomos para o quarto coletivo que possui uma cama enorme em que os casais trocam seus parceiros. Logo se formou um grupo de homens ao redor da cama que se masturbavam enquanto viam a ação. Tratei de sair logo dali antes que os ´jatos´ pudessem me atingir!” – disse Ivan que freqüentou a casa 2a2 somente uma vez. Imagem: Google

Cabine temática da boate 2a2, freqüentada por casais e voyeurs. 13


RELATÓRIO Este foi sem dúvida um dos trabalhos mais divertidos que tivemos a oportunidade de fazer. Apesar da preocupação no começo das aulas em escolher um bom tema, personagens interessantes e aprontá-lo a tempo, tudo correu com muita naturalidade. Talvez por sermos adeptos do ato abordado (e segundo nosso texto, quem não é?), conseguimos seguir todos os pontos da pauta apresentados na AV1. Claro que houve alguns contratempos. Não conseguimos entrar em contato com o adolescente Ricardo Neto e tão pouco com o jornaleiro Luciano. No entanto, entrevistamos um casal de jornaleiros que acabou sendo muito mais interessante e construtivo além de um adolescente que aceitou a entrevista via MSN. Queríamos entrevistar um adolescente de 12 ou 13 anos que estivesse dando seus primeiros passos na masturbação, mas todos os que abordamos ficaram com vergonha e não quiseram dar entrevista. A garota de programa Melissa também não atendeu ao telefone. Talvez tenha mudado o número, muito comum entre as profissionais do sexo. Portanto, tivemos de ir ao Clube 22, um cabaré em Copacabana e no dia menos propício para isso: sábado a tarde. Só havia duas garotas de programa acompanhadas de gringos. Mas, logo veio uma que atende pelo nome de Julia e aceitou falar a respeito desde que não gravássemos sua voz. Em troca lhe pagamos uma coca-cola. Nas mesmas imediações está o Miami Center. Estivemos lá somente na época da feitura da pauta quando Dárbio, funcionário da casa, nos apresentou seu funcionamento. Já conhecíamos Jorge Lemos que certa vez nos disse ser freqüentador da casa e naturalmente nos falou sobre os glory holes e até nos recomendou a experimentar! O atendente Roberto de Oliveira que não estava na pauta também é conhecido nosso e nos brindou com uma história engraçada para o trabalho. Não conseguimos carta branca com Felipe Balduf para entrar na boate 2a2 sem acompanhante. De fato só podem entrar casais e a casa não é nada barata. Como somos universitários, não podemos nos dar ao luxo de gastar tanto em prol de um trabalho. Mas, conseguimos entrevistar duas pessoas que freqüentaram a casa certa vez: Fernanda, que é amiga nossa, e Ivan...que é o mesmo que fez este trabalho! Não tivemos dificuldade em fazer um levantamento das revistas e tubes pornográficos, mas foi difícil descobrir as técnicas de masturbação feminina e obter imagens para as mesmas que não fossem obscenas. Por isso as fotos que ilustram a masturbação masculina foram tiradas por nós enquanto para masturbação feminina tivemos de buscar no Google e melhorá-las no Photoshop. Não pudemos apresentar o trabalho a tempo para a AV2, mas estamos muito conformes de os termos realizado para a AV3 da maneira como o idealizamos desde a AV1. Ainda me atrevo a dizer que, se tirarmos uma boa nota, vou “tocar uma” para comemorar!

BIBLIOGRAFIA: 

Kama Sutra XXX: as práticas sexuais mais inconfessáveis, Editora Planeta, Alicia Gallotti.  Wikipedia, a enciclopédia livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Masturbação  Guia Sexual do Amante: http://www.guia-sexual-do-amante.com

 

Fórum Men´s Health: http://forum.menshealth.com.pt Site da professora Jimena Furlani: http://www.jimena.net 14

Masturbação - Trabalho de AV3 de Projetos 4  

Masturbação - Trabalho de AV3 de Projetos 4

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you