Page 1

2i |

Folha Universal Fev e re iro 20 1 1

Catedral da fé

IURD IURD

“BUSQUE O TESOURO ESCONDIDO E SEUS SONHOS SERÃO REALIZADOS” Foto: A. J.

Reunião dos “filhos de Deus” realizada quarta - feira ás 18 horas na catedral do Alvalade Dinis bundo bundo77@hotmail.com

A

s pessoas vêm a igreja por vários motivos, umas para cumprirem formalidade, outras por uma questão social, outros por razões tradicionais, outros por imitação de seus parentes, vizinhos e companheiros de trabalho, descartando-se, dessa forma, de serem rotulados de ateus. “usam tal capa para agradá-los, na verdade não

vêm com o objectivo de descobrirem o verdadeiro tesouro escondido, ou seja, o Senhor Jesus Cristo”, sublinhou o Bispo Augusto Dias, durante um culto “Ao Espírito Santo”, quartafeira às 18 horas, na Catedral da Fé, no bairro Alvalade, Luanda. Fundamentou a sua pregação no Evangelho de S. Lucas capitulo 19, que retrata a história do publicano Zaqueu. O desejo de Zaqueu era de tamanha dimensão, a sua principal intenção era conhecer o Senhor Jesus Cristo, para

“Conhecer o trabalho da IURD foi a maior prenda do ano 2010”

C

onhecer o trabalho espiritual realizado na Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e, em conseqüência disso reconhecer a obra redentora do Senhor Jesus Cristo, converter-me e propor-me a serviLo e segui-Lo, foi para mim a maior “prenda” do ano ora findo, 2010”. Quem pronunciou essas palavras tão contundentes? Foi à jovem senhora Juliana Maria da Conceição, 26 anos, natural do Huambo, residente no bairro Nelito Soares (antiga Vila Alice). Antes de ingressar na IURD, segundo ela, “tive uma vida de muitas tribulações, de ordem espiritual, financeira, sentimental, saúde, enfim, nada corria bem na minha vida. Não sabia ao certo descrever o que sentia, somadas as noites em que não pre-

tal despiu-se do seu posicionamento social naquela localidade, da vaidade do titulo que ostentava, o que mais queria era conhecer o “Nazareno”. “A posição social que Zaqueu ocupava naquele tempo é comparável a de um actual Director Provincial das Finanças, apesar disso não se cansou, enquanto não manteve o encontro com o Senhor Jesus”, disse o servo de Deus. “Jesus é comparado a um grande tesouro escondido, ninguém o pode

achar se não o buscar com todas as suas forças, o acomodado nunca acha um valioso tesouro, caso esse esteja escondido”, sublinhou. Exortou durante a sua prédica, as mais de duas mil pessoas presentes no culto a buscarem, incansavelmente, esse tesouro que é o Senhor Jesus Cristo. “Deus se vai encarregar em realizar seu sonho como o fez com o de Zaqueu. Ele, por fim se sentou a mesa com o Senhor Jesus, seu Sonho se realizou”.

A minha vida passou por uma “profunda” reviravolta, nunca experimentada antes, as pessoas olhavam para mim

gava sono. Passei várias outras em claro, ouvia vozes e ficava perturbada, sem Paz. Tornei-me deprimida, os amigos e vizinhos admiravam o estado da minha fisionomia, a minha beleza, a minha auto-estima tinha entrado em decadência”. Ela viu “um raio de luz a raiar na escuridão” quando certo dia, expôs o seu caso a uma vizinha, esta a convidou a assistir um culto na Catedral da Fé, sita no bairro Alvalade. Participaram da reunião, cujo inicio é às 9 horas e 30 minutos. Incrível “como o pregador conhecia as minhas necessidades mais profundas, alguém o contou?!”, questionou-se atônita? “Ali mesmo decidi, no meu íntimo responder ao convite do Espírito Santo. Converti-me. Não precisei de novos convites para dirigir-me ao templo.

e não acreditavam que se tratava da mesma pessoa, tal foi a transformação! Fi-lo sozinha tornei-me assídua, tinha encontrado um tesouro”, disse radiante. Segundo ela, “a minha vida passou por uma “profunda” reviravolta, nunca experimentada antes, as pessoas olhavam para mim e não acreditavam que se tratava da mesma pessoa, tal foi a transformação!”. Hoje, como fez questão se sublinhar, “para alem de encontrar Paz de Espírito, o Senhor Jesus me deu sossego, que nunca tive. Durmo e me levanto em paz, sem medo de vultos ou sonhos ruins. Os meus negó-

“Tinha encontrado um tesouro” disse radiante cios caminham a contento, enfrento dificuldades, mas não entro em desespero. Confio na ajuda de Deus. Dei continuidade a minha formação. Gozo de boa saúde. Quão bom seria, se eu tivesse conhecido há mais tempo o trabalho da IURD”, disse com os olhos fitos no horizonte, como se quisesse recuperar o tempo perdido.


IURD

reflexão

O rei e suas 4 esposas (1º Parrte)

e percebeu que seu fim estava próximo. Ele pensou em toda a luxúria da sua vida e ponderou: - É, agora eu tenho 4 esposas comigo, mas quando eu morrer, com quantas poderei contar? Então, ele perguntou à 4ª esposa: - Eu te amei tanto, querida, te cobri das mais finas roupas e jóias. Mostrei o quanto eu te amava cuidando bem de você. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho? - De jeito nenhum! - respondeu a 4ª esposa, e saiu do quarto sem sequer olhar para trás. A resposta que ela deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca af iada. Tristemente, o rei então perguntou para a 3ª esposa: - Eu também te amei tanto a vida inteira. Agora que eu estou morrendo, você é capaz de morrer comigo, para não me deixar sozinho?

| 3i

BISPO EDIR MACEDO

O avô, o neto e o jumento

H

E

F evereiro 2011

mensagem

SABEDORIA

ra uma vez... um rei que tinha 4 esposas. Ele amava a 4ª esposa demais, e vivia dandolhe lindos presentes, jóias e roupas caras. Ele dava-lhe de tudo e sempre do melhor. Ele também amava muito sua 3ª esposa e gostava de exibi-la aos reinados vizinhos. Contudo, ele tinha medo que um dia ela o deixasse por outro rei. Ele também amava sua 2ª esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência. Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele conf iava nela para atravessar esses tempos de dificuldade. A 1ª esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo que estava ao seu alcance para manter o rei muito rico e poderoso, ele e o reino. Mas, ele não amava a 1ª esposa, e apesar dela o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela. Um dia, o rei caiu doente

Folha Universal

á mu ito tempo, viajando pelo interior, seguia um velho que vinha montado em seu jumentinho, conduzido por seu netinho, que puxava o animal pelo cabresto. Aquela jornada estava longe de ser um lazer. Eles tinham como f inalidade ir a uma feira na cidade grande, onde tentariam vender o animal de estimação e conseguir dinheiro para o sustento do velho e seu único neto, órfão de pai e de mãe. E assim seguiram caminho afora. Ao passarem por um vilarejo, e tendo em vista haver ali muitas pessoas, logo começaram as críticas: “Que absurdo ! ”, falava aquela gente, com os ânimos bastante exaltados ao ver a criança a pé e o velho montado no jumento. “O juizado da infância e da juventude tem de saber disso e tomar

as devidas providências! Como pode uma coisa dessas? Que desnaturado!”, comentavam. Sentindo-se desconfortável diante daquela situação tão constrangedora, o velhinho de pronto trocou de posição com o menino, que agora seguia montado no jumento com o avô puxando o animal. “Bom, agora certamente acho que ninguém ficará chocado, nem falará nada!”, pensou ele. E assim tocaram em frente sua jornada. Mas, ao entrarem num novo vilarejo, novamente ouviram novas críticas: “Que absurdo! Coitado do velhinho! Ele é quem tinha de estar montado sobre o jumento, não o menino! Isso não é possível! Que mundo é esse onde ninguém respeita o estatuto do idoso? Aonde nós vamos parar?”, era o que se ouvia. E novamente o bom velhinho, quase sem saber mais o que fazer, fez outra troca.

Sentou-se sobre o jumentinho com o menino e, assim, continuaram sua jornada. Na cidade seguinte, os comentários foram muito mais fortes: “Olhem que absurdo! Coitadinho do pobre jumento, carregando esses dois marmanjos! A sociedade protectora dos animais devia tomar alguma providência!” Moral da história: nunca será possível agradar a todos. Quem insistir, certamente será um frustrado na vida. Deus tem dado a fé para que cada um ande de acordo com ela. Não de acordo com a opinião alheia!

pérolas para a alma Na fé, Crisiane Cardoso

(Continua na próxima edição)

N

o domingo passado, tivemos a apresentação perfeita de uma peça, chamada “O Marionetista” interpretada pelo Grupo Jovem aqui em Houston. Foi um sucesso, a exibição, a actuação e desempenho, a mensagem, e os frutos que vamos colher daqui para a frente não podem ser descritos. O marionetista (o diabo) brinca com seus bonecos (as pessoas) usando muitas cordas: amigos, vícios, música, moda, orgulho, vaidade,

A Mulher Gato ego, e essa lista continua ... A triste realidade é que ele tem conseguido pegar muitas jovens na Igreja com uma cordinha específica chamada “VIDA SENTIMENTAL”. Sim, ele sabe o quanto você quer ter aquela pessoa especial em sua vida. Talvez sua mãe ou sua melhor amiga, não saiba - mas ele sabe. Ele vê todos os seus movimentos, o que chama sua atenção, suas reações quando há um casal de mãos dadas caminhando perto de você, sua alegria cada vez que um

rapaz quer ficar com você ... O que você faz sobre esse seu lado feminino do mal? Como lidar com essa gata solitária dentro de você, que está miando tarde da noite para que um parceiro apareça? A primeira coisa que você precisa saber é que a maioria das meninas passa por isso. Eu passei por isso, minha mãe, avó, tias e primas também. Esta é nossa natureza humana, querer encontrar um parceiro, mesmo que ele seja a pessoa errada. (Continua na próxima edição)


Folha Universal | testemunhos 4i

IURD

Fev e re iro 20 1 1

Deus me devolveu a felicidade em dobro

Casal aposta em empreendimento privado

O Deus, que conheci por intermédio da Igreja Universal do Reino de Deus, restituiu-me tudo o que havia perdido”

M

Bem- dito foi aquele dia!

E

stamos diante de uma mulher determinada, objectivos bem delineados, casada, uma família harmoniosa e juíza de profissão, Cecília Moreira. Porém, nem sempre foi assim como ela mesma nos conta. Fez os seus estudos primários e secundários na província da LundaSul, concretamente em Saurimo,capital ,daquela parcela do território nacional, e, sua terra natal. Posteriormente, transferiu-se para Luanda, capital do país, a fim de dar continuidade aos seus estudos. Casou-se. Conseguiu um bom emprego. Os filhos frequentavam os melhores colégios. A par disso, a sua carreira profissional manifestouse promissora, sofrendo, de tempos em tempos, promoções. Fruto disso atraiu a inveja dos “fracassados”. Foi, quando, “zás”, (…) de forma inexplicável do ponto de vista humano, viu a sua vida profissional e familiar a desmoronarse. O marido, antes, “sem-

pre presente”, acentuou a ausência de casa, vindo a descobrir que se enamorara de uma jovem, com a metade da idade da esposa. Desesperada contraiu o vício do tabaco, perdeu a razão de viver e contraiu depressão. Nessa situação, de extremo desespero, “jovens evangelistas da Igreja Universal do Reino de Deus convidaram-me a frequentar os cultos nos seus templos. Relutante, inicialmente, aceitei o convite. Hoje digo: bem- dito foi aquele dia!”. “A esperança raiou em minha vida. Havia dias, que devido à paz que sentia no lugar, não me apetecia ir a casa. Compreendi os ensinamentos ali ministrados. Agarrei-me a Deus, pela fé, com todas as minhas forças. Não tardou o meu marido “caiu em si” e largou aquele relacionamento errado. Paulatinamente, reconquistei, em dobro, tudo quanto havia perdido. Hoje, o meu maior desejo é glorificar a Deus, honrá-lo. Seguir e servir o Senhor Jesus Cristo”, sublinhou com o rosto radiante de felicidade.

anuel Andrade (carinhosamente con hec ido por Agnello), depois de ter experimentado uma vida próspera, antes de frequêntar a Igreja Universal do Reino de Deus, passou por momentos muito difíceis, na sua vida prof issional e financeira. De repente, tudo ao seu redor “pareceu desmoronar-se” e a sua mulher abandonou-lhe. Mergulhado na frustração, enveredou pelo vício de bebidas alcoólicas, perdeu o norte. Não queria saber de “nada”, nem de ninguém, tal era o seu desgosto. Ne sse i mbróg l io em que se encontrava, certa vez, quando passava diante de uma igreja da IUR D, decidiu entrar. A partir dessa data, a história de sua vida ganhou contornos positivos. Ouviu que os cultos ali, eram dados por especialidade, por esse facto tornouse um assistente assíduo do culto que trata da vida f inanceira denominada “318”. Ganhou confiança em Deus e em si mesmo. Em consequência disso e das sucessivas participações nas reuniões ganhou con-

fiança em Deus e em si mesmo, voltando a se estabilizar financeiramente. Tempos depois, conheceu na congregação Domingas Andrade, com quem casou. O casal fruto dos conhecimentos ministrados na igreja, ele funcionário público, ela farmacêutica, decidiu ter o seu próprio empreendimento, ou seja, passaram de empregados para empregadores.

Hoje, são proprietários de uma loja que comercializa vestuários importados da Europa, Ásia e America do Sul, um posto farmacêutico e um Armazém. “Somos felizes na companhia de nossos filhos. Construímos a nossa casa. O Deus, que conheci por intermédio da Igreja Universal do Reino de Deus, restituiu-me tudo o que havia perdido”, disse.


IURD

terapia do amor

Folha Universal F evereiro 2011

| 5i

TERAPIA DO AMOR

E

x istem i nú mera s pessoas que não conseg uem l id a r com seus relacionamentos a morosos, dev ido a problemas como orgulho, magoas, inf idelidade, indiferença, desprezo e falta de diálogo. É justamente, por não terem uma direcção espiritual, que ocorrem casos de depressão, suicídio ou até crimes passionais. Diante disto a Igreja Universal do Reino de Deus, criou uma reunião voltada exclusivamente para a vida sentimental, com objectivo de evitar que casos desastrosos aconteçam nas famílias, como a destruição de lares, causadas por bri-

gas, separação e tragédias. O tratamento sentimental, realizado na “ terapia do amor” é dedicado a qualquer pessoa que esteja a passar por uma situação de desespero nessa área, seja pelo fim do casamento, namoro, noivado, traição, rejeição por pessoa amada ou até mesmo para quem deseja buscar em Deus a orientação para encontrar seu(sua) parceiro(a) para a vida toda. Nesta reunião “Terapia do Amor” as pessoas aprendem a lidar com seus problemas de forma inteligente, não permitindo dúvidas quanto a possibilidade de serem felizes no amor, já que isso depende da determinação de cada

Foto: A. J.

Uma reunião voltada para o tratamento da vida sentimental e conjugal um, que frequenta a reunião. O apelo é dirigido as pessoas que desejam a felicidade no amor a participarem, aos Sába-

dos na terapia do amor, às 18 horas na Catedral do Alvalade. A Terapia do Amor é uma reunião voltada exclusiva-

mente as pessoas que sofrem na vida sentimental e que desejam conquistar uma mudança de cariz sentimental.

Consequências da terapia

Um sonho tornado realidade na “Terapia do Amor” Esmeralda Bento, 26 anos, durante muitos anos, se questionava por que ela e suas irmãs tidas, no bairro onde moravam como moças “prendadas” não conseguiam casar, nem atrair relacionamentos estáveis e duradoiros. Incentivada por pessoas amigas, decidiu frequentar a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), particularmente, tornou-se participante assídua do culto “a terapia do amor”. As impressões iniciais da

nossa entrevistada sobre a IURD “foram boas, fiquei muito feliz por encontrar uma igreja que trata os assuntos por especialidade. Os ensinamentos dos pastores, adicionados, a outros cultos de “libertação” que passei a assistir, fizeram cair as “escamas dos meus olhos” e compreender que era prisioneira de problemas espirituais, a passagem bíblica descrita no livro de S. João 10: O ladrão (o Diabo/Satanás) não vem senão roubar, matar e destruir; eu (Jesus) vim para

que tenham vida, e a tenham em abundância”. Foram bastante elucidativas, sublinhou. Igualmente, acresceu “aprendi, nos cultos da “Terapia do Amor” , a valorizar mais o carácter do candidato ao meu coração, em vez de outros aspectos, não descuráveis, só que numa escala de valor abaixo. Compreendido isso, vi que estava a desperdiçar o amor sincero de um jovem, Ikuma Bento, que há quatros anos pediu-me namoro, na altura rejeitei-o. Coincidentemente encontrei-lhe na igreja. Decidi reparar o meu erro, tomei a iniciativa de falar-lhe da minha disponibilidade. Hoje, somos casados e muito felizes”. Graças aos ensinamentos ministrados na IURD, “de-

“A mulher sábia edifica a sua casa”

“Hoje para a glória de Deus casamo-nos oficialmente

Foto: A. J.

O sorriso denota a felicidade cidi orar com determinação pelas minhas irmãs, em consequência a maldição foi que-

brada e já se verificaram, após o meu, outros casamentos na família”, deu ênfase radiante.

Quando o hino da marcha nupcial, no passado dia 23 de Dezembro de 2010, entoava, anunciando a entrada dos noivos, na Catedral da Fé do Alvalade, a senhora Margareth quase “teve de beliscar-se” para acreditar, que seu sonho finalmente, estava há minutos de concretizar-se, ou seja, casar-se legalmente. Finalmente! De nubente a casada. O sonho se tornara realidade, depois de 22 anos de espera. Tudo se consumou quando o pastor, após o casal fazer a troca das alianças, colocandoas um no dedo do outro e feitas as “juras” de fidelidade, os declarou marido e mulher. Margareth casou-se com Manuel Fernandes Quixito, com quem tem três filhos.

Ela falando a nossa equipa de reportagem, disse que o feliz acontecimento premiou as muitas orações feitas em torno do “seu sonho”, bem como a obediência aos ensinamentos aprendidos na reunião “A Terapia do Amor”, da qual é uma assistente assídua. “Houve um período que praticamente entrei em desespero, o meu marido dava sinais visíveis de afastamento do lar. O meu mundo estava desabando, quando eu sorria era apenas de fachada, para esconder a tristeza que havia dentro de mim. Os ensinamentos recebidos dos pastores sustentaram-me. Persisti. Hoje, para gloria de Deus casamo-nos oficialmente. Estou muito feliz”, disse-nos com um sorriso radiante.


6i |

Folha Universal Fe v e re iro 20 1 1

Dinis bundo bundo77@hotmail.com

especial

IURD

Foto: A. J.

O

município do Cacuaco situa-se a norte da cidade de Luanda, capital de Angola, com uma capacidade de 200 mil habitantes, a sua actividade social e económica é predominantemente piscatória, agrícola e comércio geral. A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), após consolidar-se no centro da cidade e municípios periféricos, ampliou a sua acção até aquela circunscrição, Cacuaco. Tal facto, iniciou-se no ano de 1997, precisamente no bairro dos pescadores. A semelhança de outros locais conheceu um grande crescimento, o que obrigou a direcção da instituição tomar a decisão de construir um templo, que pudesse albergar o maior número de cidadãos de forma confortável. Para o efeito, no passado dia 23 de Janeiro 2011, em acto presidido pelo Bispo Augusto Dias e demais bispos: Pedro Correia, João Bartolomeu e António Miguel Ferraz, foi inaugurado mais um imponente templo. As obras do templo, ora inaugurado, tiveram a duração de aproximadamente doze meses, e envolveu cinquenta trabalhadores, maioritariamente angolanos, segundo responsável da Engiurd, pastor Amos Brasilino, e os engenheiros encarre-

Parte frontal do templo gues pelas obras, Fernando Pavoni e Rodrigues Cama, ligados ao Departamento de Engenharia da IURD. A infra-estrutura alberga comodamente sentadas, 950 pessoas, comporta: salas de reuniões,

Foto: A. J.

escritórios, sala destinada a Escola Bíblica Infantil, quartos de banhos e um parque de estacionamento para cerca de 100 viaturas. Presenciaram a cerimónia mais de 2000 pessoas, de entre elas, pastores e esposas, obreiros, membros de out r a s denom i n açõe s evangél ica s e d a comun id ade. Como é habitual em eventos do género, o bispo Augusto Dias, fez uma oração de libertação, em consequên-

cia algumas pessoas foram libertas de espíritos imundos, exemplifiquemos com o caso do senhor Fernando Jaime, que foi curado de fortes dores na coluna, que sofria há quatro anos. O bispo Augusto Dias deu ênfase na pregação que a construção das imponentes obras, por todo o país, tem como principal objectivo fazer destes locais pronto socorro espiritual a fim de acolher indivíduos desesperados e aflitos de espírito.

Foto: A. J.

Momento da consagraçaõ da nova igreja Fiéis atentos a pregação inaugural


IURD

especial

Folha Universal F evereiro 2011

| 7i

Voluntárias da IURD levam conforto espiritual e carinho aos pacientes dos hospitais Foto: A. J.

O gesto tem como objectivo levar solidariedade e conforto espiritual aos doentes internados naquele hospital

N

um gesto de amor ao próximo, baseadas nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo, um grupo de voluntárias, integrada por esposas de pastores, encabeçada pela dona Ana Paula, tem levado a cabo visitas de solidariedae e conforto espiritual aos doentes, internados, na unidade hospitalar Josina Machel, todas as quintas-feira. Diante dessa realidade, o referido grupo, composto por mais de quarenta esposas, de há um tempo a essa parte, desenvolve um traFoto: A. J.

balho de evangelização e conforto espiritual a favor dos pacientes, fortalecendo-os, dando-lhes afecto e atenção. Por intermédio dessas visitas, elas levam, sistematicamente, esperança aos necessitados. Elas estão disponíveis a levar a Palavra de Deus aos que se encontram internados e, muitas vezes, em situações delicadas, com doenças graves, necessitando de um apoio espiritual para despertar a fé e, assim, alcançar a cura. Durante a visita, as esposas ano-

tam os nomes das pessoas e levam até à Igreja para orarem por elas. Igualmente, são feitas orações durante a sua estada no local e oferecidos o Jornal Folha Universal, revista Plenitude e folhetos com mensagens bíblicas. A nossa reportagem ouviu a senhora Maria Catepa, quarenta anos de idade, ali internada. Segundo ela, “estou hospitalizada há mais de dois anos e espero receber alta, no Foto: A. J.

prazo de uma semana e agradeço a “excelente” iniciativa, do grupo porque dão-nos alento e esperança”. Um outro paciente de nome André Paulo, acometido de epilepsia, há duas semanas, igualmente, congratulou-se com a presença das visitantes. Por seu turno, Deolinda Vitória, enfermeira, encorajou “o importante papel social da Igreja Universal do Reino de Deus”.


8i |

Folha Universal Fe v e re iro 20 1 1

Aconteceu na:

Dona Margareth

Dona Joaquina José

Dona Catarina Pedro Foi vitima de três caroços na região da garganta. No dia 23 de Dezembro de 2010, teve de ser

testemunhos

IURD

Corrente dos 70 É membro da IURD há três anos, disse: “antes de conhecer a Igreja Universal do Reino de Deus fui vítima de muitas doenças ao ponto de pesar 35 kgs, situação que os médicos não podiam diagnosticar. Depois de muitas lutas e consultas em muitos hospitais, não encontrei solução”. Através do convite feito por uma amiga para assistir um culto na IURD, encontrou o que há mu itos a nos desejava, ela “dona Margareth” voltou a sorrir, seu peso voltou ao normal o seu estado de saúde melhorou, quando se tornou membro assíduo na corrente dos 70. “Agora estou a lutar pela saúde da minha mãe”, afirmou.

Sofria durante muitos anos de “crónicas” dores de cabeças os médicos não conseguiam diagnosticar as verdadeiras causas. “Os meus familiares e amigos rotularamme de doentia” era uma situação constrangedora. “Após ouvir um programa da Igreja Universal na LAC, decidi procurar um dos seus templos nele vi a manifestação do poder de Deus. Em consequência tornei-me uma pessoa bem sucedida e fui completamente curada. Glorifico o Senhor Jesus Cristo pelo que sucedeu na minha vida”.

operada, ficou muitos dias internada no hospital, sem falar nem se alimentar, os ferimentos gangrenavam ao ponto de engolir o que escorria, mal os ferimentos sararam surgiu mais um tumor na mesma região, foi quando a dona Joaquina José “amiga” convidou-lhe a assistir um culto na IURD. “Participei na corrente dos 70 e motivada pelos testemunhos das pessoas curadas, após beberem da água abençoada, no culto posterior vim determinada a ver isso acontecer também na minha vida. Bebi da água, e qual não foi o meu espanto de regresso a casa! Percebi que o caroço havia desaparecido. O meu médico assistente está maravilhado, com esse inexplicável milagre. Estou livre, curada e bem de saúde, falo e mastigo os alimentos, com naturalidade”, disse.

Dona Marinela da Silva

Dona Laurinda

Frequenta a Igreja Universal do Reino de Deus, há três anos. Antes de ingressar nessa congregação, teve sérios problemas de saúde, a sua família adoecia muito e experimentou desgraças umas atrás de outras, ela confessou a nossa reportagem que só encontrou a cura e libertação na corrente dos 70, embora frequente também outras reuniões, mas tem a reunião dos 70 como a preferida, ultrapassada a questão da saúde, “luto pela vida financeira e sentimental, porque acredito que o mesmo Deus que me livrou das doenças vai abençoar-me financeira e sentimentalmente”.

Os problemas estomacais “úlcera” já a levaram varias vezes a ser internada en diferentes hospitais, sem solução. Havia esgotado todas as esperanças de comer e beber sem as horríveis dores. Foi quando ao participar da Corrente dos 70 na Catedral da fé do Alvalade “fui curada, hoje como tudo sem qualquer tipo de problema, sem sentir as dores anteriores, graças a Deus”.

Dona Carolina Ela já tinha perdido as esperanças de voltar a engravidar. “Meu filho único contava já com 17 anos. Sempre que engravidava, passados meses, acontecia um aborto inesperado. “Visitei vários hospitais sem solução. Por fim conheci a Igreja Universal do Reino de Deus. Ensi-

naram-me a praticar a fé. Maravilhada senti que algo se desprendeu do organismo. Hoje carrego um feto no ventre”. “Os médicos garantiram-me ter uma gravidez saudável, por conseguinte antes do fim do ano terei o meu bebé. Glorificado seja Deus”.

FINAL IURD2  

IURD IURD “Tinha encontrado um tesouro” disse radiante Reunião dos “filhos de Deus” realizada quarta - feira ás 18 horas na catedral do Alva...