Page 1

opinião

Folha Universal | 2 F ev e re iro 20 1 1

CONSULTÓRIO JURÍDICO

EDITORIAL

Feriados e produtividade

Cuide de sua coluna, exercite-se no local de trabalho

Foto: A. J. H. da Cruz, IP& Associados (advogados - consultores) hcz@live.com.pt

D

esde a Antiguidade, os feriados tem a função de celebrar datas históricas; Para os judeus, os feriadaos estavam intrinsecamente ligados a sua religiosidade; De igual forma para os romanos, os feriados estavam ligados a adoração dos seus deuses, aos seus tempos de glória, e em memória dos imperadores. Mais do que relembrar deuses e homens, os feriados também tinham a função de romper o labor, concebendo deste modo descanso ao trabalhador. A promoção dos feriados e a celebração religiosa começa com a Revolução Francesa ao mudar de paradigmas,na Idade comteporanea. Do ponto de vista histórico, cria-se o primeiro feriado de natureza civil,quando os franceses oficializam o dia 14 de Julho como data da queda de Bastilha. Ao longo do século XIX, o desenvolvimento do capitalismo industrial estabeleceu as lutas entre as classes

Foto do mês

burguesa e operária, e desta tensão institui-se o 1º de Maio,como feriado, do dia do trabalhador(curioso o caso holandês que diz, se é dia do trabalhador, então este deve comemora-lo no posto de serviço a trabalhar).Como acontece noutros países, descutimos em Angola a série de dias comemorativos e fruto de tal descussão levou o parlamento angolano a rever , a Lei dos feriados Nacionais e Locais, com mais de 50% dos votos a favor, sendo o artigo 2º referente aos feriados nacionais , que são: o dia 1 de janeiro dia do ano novo, 4 de fevereiro dia do início da luta Armada de libertação Nacional, 08 de Março dia internacional da Mulher e dia do carnaval, 04 de Abril dia da Paz e Reconciliação Nacional e sexta feira santa, o 1 de Maio dia do trbalhador, 17 de Setembro dia do Heroi Nacional, 2 de Novembro dia dos finados, 11 de Novembro dia da Independencia Nacional e 25 de Dezembro dia Natal e da Família. Esta Lei visa, ajustar-se ao actual momento Angolano e em particular aos objectivos definidos para os próximos anos, sendo a principal inovação do diploma recair na introdução, ao lado dos feriados nacionais, as datas de celebração nacional permitindo a comemoração de determinadas enfemérdes sem que haja a suspensão da actidade elaboral, isto é : Embora ambos tem a mesma dignidade, a mesma honra, a diferença é que nos feriados as empresas e o país, parem de trabalhar para descansar e nas datas de celebração nacional, as pessoas /trabalhadores irão ao serviço produzir riqueza para Angola.

A Bíblia diz: “Acaso não sabeis que o vosso corpo é o santuário do Esp í r it o S a nt o, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço : Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo” (I Coríntios: 19-20)

daniel silva danielsilva5698@yahoo.com

O

homem e mu l her nos tempos que correm, após a invenção do computador gastam muitas horas sentados, defronte a esse aparelho. Se por um lado ele veio facilitarnos a vida, por outro, caso não nos cuidemos, poderá prejudicar a nossa saúde, a longo prazo. È cada vez maior o número de pessoas que se queixa de dores nas costas. Na verdade a coluna é o centro, é o eixo por onde todo o nosso corpo se conecta. È o facilitador dos movimentos. Ela (a coluna) representa o seu eixo de gravidade, porque é fundamental para que possamos ficar em pé, sentado de forma adequada ou mesmo conceder-nos flexibilidade, quando estivermos deitados. Surge aqui a nossa preocupação. Previna-se de futuros problemas. Trate da sua musculatura como deve ser. Deixe de se sentar todo encurvado,corcunda. Você já ouviu os médicos a falarem de hérnia de disco na cervical, que diagnóstico esquisito.

Nós o aconselhamos a não contraí-la. Como assim?! Você se pergunta. Exercite-se. Trate a sua musculatura como deve. Faça pequenos intervalos de relaxe. Pratique pequenos exercícios de alongamento, depois de algum tempo a trabalhar. Naturalmente, em alguns casos os seus colegas poderão tomá-lo como “mal-educado”, por causa daquele “o global do tronco”, como se estivesse a espreguiçar-se, se assim for faça-o nos quartos de banho da empresa, mas não deixa de faze-los. Defronte ao seu computador ajuste a sua cadeira de forma a estar numa posição mais fisiológica, olhar de frente. Escolha uma posição que não seja necessário baixar muito a cabeça, nem ter a tela muito acima da linha dos olhos. Se você se prevenir agora, as possibilidades de não ter problemas no futuro serão maiores. As doenças osteomusculares estão aí. Estão a criar transtornos a muitos empregadores, com as constantes ausências dos funcionários para se tratarem. Assuma uma postura adequada em quanto trabalha. Glorifique a Deus com a sua saúde.

Folha Universal folhauniversal2010@hotmail.com

Foto: A. J.

Xavier Sebastião

Conselho Editorial: Pastor Felner

Colaborador: Dias dos Santos

Amarildo Batalla (felner.batalha07@gmail.com)

Fotografía: André Domingos Jorge

Direcção: David Paulo Viegas

Correcção: Daniel Silva

dpviegas@gmail.com

Impressão: DAMER S.A.

Edição: Daniel Silva

Central de Atendimiento: 933-686781

Reporteres: Dinis Bundo

Av. Comandante Gika S/Nº - Alvalade


actualidade

Folha Universal F evereiro 2011

|3

Sociedade EXECUTIVO ANGOLANO QUER CONTROLAR A INFLACÇÃO EM 2011

DIAS dos santos alinamultiwork@gmail.com

O

ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, no momento em que apresentou o balanço trimestral da acção governamental, manifestou a preocupação do Executivo em baixar a inflacção

para 12 por cento, em 2011, apontando medidas a tomar internamente para controlar o fenômeno, que o ano passado chegou a atingir os 14 por cento, no segundo semestre. Para o combate ao aumento do nível geral dos preços, Carlos Feijó defendeu como solução, entre outras medidas, o investimento no sector produtivo. Na análise apresentada, aquele responsável revelou que o Executivo deverá aprovar um pacote legislativo, contendo a primeira Lei de segurança nacional, de harmonia com a nova Constituição. O diploma em discussão contempla vários subsistemas dos quais se incluem os Serviços de Inteligência e Segurança de Estado; Segurança Interna e Externa e ainda, Segurança Militar. No campo da Justiça é intenção do Governo adaptar a Lei da Organização Judiciária; a três leis orgânicas referentes aos tribunais Supremo, de Comarca e da Relação à constituição da terceira República. Carlos Feijó enumerou igualmente os pacotes legislativos sobre os

julgados municipais, Conselho Superior da Magistratura Judicial; do Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público, da Procuradoria Geral da República, dos tribunais e magistrados militares e a lei penal militar. No que se refere à dívida pública, o ministro de Estado e chefe da Casa Civil informou ser intenção do Executivo amortizar até finais do primeiro trimestre do corrente ano, mil milhões de dólares da dívida avaliada em 2.589,9 milhões de dólares, para o referido período. Revelou que os atrasos verificados nos pagamentos ao exterior se devem à dificuldade de obtenção de créditos adicionais, ao não cadastramento das contas em moeda estrangeira, bem como a existência de projectos não inscritos no Programa de Investimentos Públicos. Com uma dívida total que em Dezembro de 2009 atingia provisoriamente, os 6.394,9 milhões de dólares, segundo a consultora Ernst & Young, o actual Governo angolano tem necessidade extrema de regularizar pagamentos, que lhe permi-

tirão dar sequência ao programa de investimentos públicos, na qual estão inscritas empresas estrangeiras, sobretudo portuguesas. No domínio das obras públicas, para além da construção de estradas, o Executivo angolano dá especial relevância à política da habitação social, prevendo cumprir um plano de estruturação de 56 novas áreas urbanas, para edificação de 144.037 moradias de baixa renda, bem como 10 mil fogos de auto-construção dirigida. Carlos Feijó indicou estar mobilizado para este projecto, o Ministério do Urbanismo e Construção, o Governo Provincial de Luanda, o Gabinete de Reconstrução Nacional e a Sonangol, além de entidades privadas. Estima-se que a Sonangol Imobiliária assuma a responsabilidade na construção de 120 mil residências, enquanto o sector privado se compromete com 80 mil unidades habitacionais. A auto-construção contribuirá com 420 mil lotes infraestruturados prevendo satisfazer 564 mil famílias, num universo de 3,3 milhões de indivíduos.


Folha Universal | 4 F ev e re iro 20 1 1

sete dias

Pastores da IURD em Benguela, visitam Centro de saúde da Graça

Pastores e corpo clínico posam para posteridade

O

Centro de Saúde da Graça, situada a sul da província de Benguela, foi contemplada, nos f ins do mês de Janeiro com a visita de pastores da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), localizados em Benguela encabeçada pelo Pastor Paulo Pinheiro, responsável da instituição cristã naquela província. Os visitantes levaram conforto

humano e espiritual aos trabalhadores, ali destacados bem como se inteiraram do funcionamento da unidade sanitária. Oraram em favor dos pacientes e do corpo clínico, encorajando o último a exercer com zelo e responsabilidade a sua actividade laboral, tendo como modelo o Senhor Jesus Cristo. A visita da referida delegação deixou claro que a par da evangelização a

Uma vista parcial do hospital IURD dá muita importância ao trabalho social. A delegação visitante percorreu os compartimentos daquela unidade hospitalar e foi-lhes dado explicações específicas do funcionamento de cada área. O Centro da Graça está localizada por detrás do estádio nacional de Ombaka, aproximadamente a seis quilómetros do município sede.

Dispõe de cinco salas de internamento, 11 camas. Uma farmácia, área administrativa, consultório de pediatria, sala de cirurgia, maternidade laboratórios e conta igualmente com uma casa mortuária. O corpo médico é composto de duas médicas, uma de nacionalidade cubana e outra angolana. São atendidos, em média, diariamente cem pacientes.

ASSEUMI empossa em Benguela nova direcção provincial CONSTANTINO EDUARDO constantinochivela@hotmail.com

A

nova direcção da Associação dos Estudantes Membros da Igreja Universal do Reino de Deus (ASSEUMI), da província de Benguela, encabeçada por Paulo Jorge Secongo, foi empossado para o exercício de suas funções, em cerimónia presidida pelo presidente da associação, Vimpi Zacarias, coadjuvado pelo pastor Marcos da Cruz, em representação

do pastor Paulo Pinheiro, responsável pelo trabalho da IURD, naquela parcela do território nacional. O acto aconteceu, no passado dia 15 de Janeiro do ano em curso na sede provincial da IURD provincial, sita rua Silva Porto, nas imediações da Universidade Katyavala Bwila. A nova direcção ficou assim constituída: director Augusto Paulo Jorge Secongo, directora adjunta, Rosa Josefa Luís Sousa, secretária para os assuntos jurídicos, Isabel da Cruz Roque, secretária para cultura, re-

Foto: A. J.

creação e desporto, Maria Alice de Pina Tavares, secretária para as relações públicas, Zenilda e secretária para informação, Constantino Edu-

ardo. Admite-se, pelo seu carácter, que ela (ASSEUMI) local tenha o condão de ser uma mais valia para os estudantes da província de Benguela.

Foto: A. J.


bem-estar

Folha Universal F evereiro 2011

|5

Dicas sobre como ler a Bíblia

I

ndependentemente da tua religião, da tua crença ou mesmo dos pensamentos em relação à vida espiritual, hoje vamos falar um pouco sobre como ler a Bíblia Sagrada. Na realidade não existe uma maneira correta para se ler a Bíblia, como por exemplo: você precisa estar sentado, estar de pé, de joelhos, ou com uma roupa social, sempre sozinho, nada disso! Para ler a Bíblia basta abri-la, não importa onde você esteja ou como você esteja, a palavra de Deus pode e deve ser lida em qualquer local ou momento. Mas queremos enfatizar que a Bíblia não é um livro comum, onde você pode deixa – lá em qualquer local, esteja este local sujo ou não, ou mesmo colocar roupas intimas ou até meias em cima dela. Pode

parecer um absurdo, mas se a pessoa deixa sua Bíblia em cima da cama, por exemplo, e vai colocando coisas em cima, pode acontecer disso se concretizar, não é verdade? E assim eu lhe pergunto, onde está o temor em relação à palavra de Deus? Tais fatores são tão inaceitáveis como você pegar na Bíblia com as mãos sujas, por exemplo. Não há leis que proíbam isso, mas devemos ter vergonha na cara suficiente para respeitar a Bíblia Sagrada, não é mesmo caro leitor? Então, sempre que desejar ler a Bíblia, antes lave suas mãos, se concentre para entender o que Deus está lhe falando, e sempre leve muito a sério o que aprender com ela. Outra dica que eu lhes dou, é sobre o fato de muitas pessoas ao

Use e abuse do ar-condicionado, mas com sabedoria!

pegar a Bíblia nas mãos, logo diz: “Meu Deus que onde eu abrir a Bíblia, o Senhor venha falar comigo”. Está errado? Não está errado fazer isso, porém Deus não é mágico, antes de ler a Bíblia procure fazer a sua oração, falar primeiramente com

Ele, para depois pedir uma resposta.
Sendo assim, tenha uma boa leitura e sempre cultive este costume, pois a Bíblia Sagrada é realmente a forma como Deus fala conosco, e eu lhe pergunto, quem não deseja ouvir a voz de Deus?

Benefícios da água Beber água em jejum... será que tem algum efeito? Estou começando a testar esta teoria. 11 bons motivos para beber mais água 1- Água não engorda. A bebida tem 0 caloria.

U

m apa rel ho domést ico indispensável no verão é o ar-condicionado. É ele que proporciona temperatura agradável e refrescante, principalmente, para quem trabalha ou mora em ambientes quentes e fechados. Mas para trazer conforto, é muito importante que ele seja utilizado de forma correcta e tenha manutenção e limpeza frequentes. Fungos, bactérias e ácaros são os grandes vilões do ar-condicionado, porque se acumulam nos ductos do aparelho e se proliferam no ar. E como o ar refrigerado resseca as mucosas nasais, deixando-as vulneráveis, eles podem invadir mais facilmente as vias aéreas criando lesões inf lamatórias e infecciosas, como resfriados e pneumonias. Para o Dr. Rafael Stelmach, de

Pneumologia “o ideal é que a temperatura esteja entre 20º e 22ºC. Abaixo disso, o ar frio favorece a proliferação de vírus que causam os resfriados e as gripes”. Para evitar malefícios maiores, o ideal é manter o ar-condicionado sempre limpo. Faça a limpeza dos filtros em casa mesmo. Os fabricantes recomendam que esse procedimento seja feito utilizando um aspirador de pó ou água fria com sabão neutro, nunca água quente, consulte o manual do seu aparelho antes. Com a utilização diária, repita o processo de limpeza quinzenalmente, mas, se a sujeira não for no filtro, e sim na máquina é necessário chamar um técnico. Entaõ, use e abuse do ar-condicionado, mas com sabedoria!

2- Possui nutrientes que não são encontrados em qualquer outro lugar. 3- A bebida hidrata naturalmente a pele, deixando-a mais viçosa e bonita. 4- Ajuda a desintoxicar o organismo, aliviando o trabalho dos rins e evitando a formação de pedras. 5- Essa ação desintoxicante e o facto de melhorar a circulação sanguínea previnem o aparecimento de celulite. 6- A água faz com que os intestinos trabalhem melhor. 7- Beber pelo menos dois litros de água por dia evita rugas e o envelhecimento precoce. 8- Beber um copo de água em jejum, ao acordar, prepara o sistema digestivo para um novo dia.

Porque a gente acorda desidratada e o cérebro precisa de água para as reações bioquímicas que fazem pensar e mexer os músculos. 9- Beber água ajuda a controlar o apetite. 10- Às vezes você acha que está com fome, quando na verdade tem é sede. 11- É a melhor e mais barata bebida que existe.


capa

Folha Universal | 6 F ev e re iro 20 1 1

Precisa-se de cortesia e eficácia no atendimento ao público

Foto: André Jorge daniel silva danielsilva5698@yahoo.com

O

s problemas existentes no atendimento e serviços públicos prestados aos cidadãos se manifestam por intermédio de diferentes indicadores caóticos. Há muitas queixas de parte de usuários- consumidores. A sua importância social e econômica foi o ponto de partida de uma reportagem, da qual sabemos de antemão “não esgotar o assunto”, apenas diagnosticar algumas das suas causas. O porquê de sermos bem atendidos em alguns locais e noutros não? O porquê dessa falta de empatia e simpatia com a clientela? Fomos a busca de respostas. No percurso ao visitarmos vários sectores da vida social, para “diagnosticarmos”, ou seja, nos inteirar da problemática do “atendimento ao público”, já a partir dos “candongueiros”, autocarros e outras viaturas que nos transportaram para tais locais, foram ouvidos desabafos corriqueiros como esses: “os que adianta pagar determinadas taxas se os serviços resultantes de tal arrecadação são péssimos?!”. “De há um tempo a esta parte, numa situação af litiva, principalmente, no período noturno, ligo para

Foto: A. J.

determinados terminais telefônicos, postos a disposição da população, em busca de socorro e não acontece nada... para além daquela voz monocórdia, a mandar-nos aguardar”, disseram-nos outros. “O mesmo acontece com determinados piquetes e pronto-socorro médico, por vezes desistimos, sempre que desejamos apresentar um problema ou alcançar uma emergência médica, porque os funcionários foram almoçar ou jantar, possivelmente um repasto que os obriga a tirara a sesta”, lamentaram alguns residentes em Luanda. No interior de uma clinica privada de referência, a funcionária, rispidamente, dirigiu-se a uma doente nesses termos: “se a senhora acha que não está ser bem atendida, procura outra clínica”. Questionemos-nos: é possível um negócio, uma empresa, se afirmar no mercado com colaboradores como estes, sem lisura, sem educação e sem diplomacia? Muitos trabalhadores, no nosso espaço territorial, ainda não compreenderam da importância da qualidade de serviços e atendimento correto no desenvolvimento de uma imagem positiva da organização a quem servem. Numa estrutura comercial de grande superfície, a cliente depositou as suas compras no balcão da

frente-caixa, e, por lapso pensou que ja havia pagado, por esse facto não entendia porque não era despachada, de repente deu-lhe um lampejo na mente, abriu a carteira e quando se prontificava a pagar a funcionária, “já com sete pedras na mão” disse, com cara de “poucos amigos” “Eu só estava a olhar para si!”, fê-lo num tom briguento, malcriado e ordinário, com o semblante carregado e testa franzida. Outro episódio, que se convencionou chamar “o caso botão”. Uma cidadã entregou numa conhecida lavanderia, de um dos bairros “nobres” da cidade de Luanda, um vestido para o devido tratamento. Ao recebê-lo de volta verificou que faltava um botão, prontamente reclamado. As funcionárias, a laborarem ali, numa atitude de “resistência passiva”, simplesmente decidiram usar como artimanha a frase “passa aqui amanhã”. E o dito “amanhã” nunca acontecia. O caso subiu a gerente, aí então a fúria das empregadas “explodiu”. No desespero, a referida cidadã recorreu à consulta de um advogado, que a ajudou a redigir uma carta a direcção da lavanderia. Foi dessa forma que se encontrou uma solução do problema, mas em contraste as trabalhadoras até hoje “não podem com ela”, como se sois dizer.

É comum, quando nos dirigimos, a uma instituição, ouvirmos o “rosário” “passe por aqui amanhã”, e, a resolução do problema vai sendo, indef inidamente, protelado. Por vezes porque o funcionário do referido organismo tem vergonha de pedir a “famosa gasosa”, ou opta por uma “guerra de desgaste” contra o usuário daquele serviço, para que ele, voluntariamente, procure uma solução paralela, acabando por pagar um serviço, que por sinal é gratuito. E nos bancos?! Aquele “balde de água fria” – depois de muitas horas na fila -: “não podemos continuar atendê-los porque não temos sistema”. Noutros casos, o tempo de espera é demasiado, porque os funcionários, nas primeiras duas horas, após chegarem ao local de trabalho, ficam horas a fio a “pôr a fofoca em dia”. Nesses casos, o tempo que se perde é um indicador crítico da perda de qualidade do serviço de atendimento. Aqui a que ter atenção, não só a processualidade da variável (tempo de espera), mas também identificar e recuperar os factores (matérias, organizacionais, técnicos, humanos...) que podem estar na genesis de tal indicador crítico. Algumas unidades comerciais os seus responsáveis teimam em não


capa

Folha Universal F evereiro 2011

|7

Foto: A. J.

Foto: A. J.

investir, ma melhoria de serviços, aumentando por exemplo as frentecaixa (local onde se pagam as compras nos super e hiper mercados), deixando agastados os clientes, por falta de um atendimento mais célere, devido as longas horas de espera nas filas a fim de serem atendidos. Os problemas acima descritos

podem ter na base a falta de treinamento dos funcionários, na desinformação do usuário e/ou no planejamento ineficaz da empresa/ instituição. O desafio é contribuirmos todos para transformarmos positivamente tais situações criticas observada nesses locais.É hora dos funcionários,

ligados ao atendimento público, se conscientizarem, que devem fazer uso de cortesia, partindo do pressuposto que o seu tempo é pago pelos usuários/cliente ou utentes dos seus serviços. Servir bem o público é o seu dever. O público compõe-se de pessoas que devem ser compreendidas e tratadas como

tais. É sempre inteligente ser cortês. Igualmente, os governantes e directores devem assumir uma postura de servidores públicos. Quantos há, sequer têm tempo para receber o trabalhador ou o cidadão, que pretende ver resolvido um determinado problema. Eles esqueceram que o primeiro clien-


capa

Folha Universal | 8 F ev e re iro 20 1 1

te da sua empresa, é o trabalhador, quando este está descontente, serviço, prestado por ele “geralmente é péssimo”. Um atendimento correto ajuda o cidadão a conservar seu amorpróprio. Ele é um contribuinte do Estado, por isso deve ser bem atendido. É ridículo um responsável ter o rótulo de “mal educado”, devido ao seu complexo de superioridade, ou ufanismo de “senhor doutor”. Não custa nada, cumprimentar os seus inferiores hierárquicos com amabilidade, cortesia e sinceridade. Por vezes, aquele trabalhador de limpeza, menosprezado, é o líder da sua “clã” familiar, é ele que resolve os problemas de casamento, óbitos, etc. Este indivíduo, sente-se mal, quando mal tratado, não só pela idade avançada, que possa ter, mas acima de tudo por ser atingido no seu amor próprio. Somos africanos e convém preservar determinados valores. Recordemos como o “mano” é tratado no seio de suas famílias. Então justif ica como alguns chefes tratam muitos dos seus subordinados? Quem a nós se dirige deve ser tratado com amabilidade, cortesia, sinceridade. Ouça-os com atenção e paciência. Preste a informação, o serviço material, ou... Indique a autoridade competente. Faça todo possível para encerrar a entrevista num tom amistoso. Diagnostiquemos a situaçãoA qualidade de atendimento ao público levou-nos a escolher uma unidade comercial de grande superfície, com mais de 500 (quinhentos) trabalhadores, submetendo-lhes a um inquérito. Do total da nossa amostra 80% eram mulheres e 20% homens. Perguntamos: sempre gostou da profissão que desempenha? Sim, não. No caso, os homens 10% (por cento) disseram: sim e igual percentagem disse não. As mulheres 36 % disseram: não e 44% sim. Aqueles que não se identif icam com a actividade, disseram-nos a terem abraçado por motivação financeira, “estavam a passar mal” e qualquer emprego serviria. Isto deu-nos “pistas” para o mau atendimento ao público, em vários organismos e instituições quer estatal quer privada. Tais indivíduos, simplesmente não “dão o litro” porque, simplesmente, não gostam do trabalho que fazem, então como poderão elas atender bem quem busca os seus serviços? Outra questão colocada: nesta prof issão não é preciso esforçarse muito para agradar a clientela? Sim - não. Homens 7% disseram não e 13% sim, já as mulheres 48% disseram não e 32% disseram sim. Nessa, questão particular, recomendaríamos que se ministrassem noções básicas de psicologia aos funcionários. Eles se deparam com

Foto: A. J.

Foto: A. J.

clientes problemáticos, acometidos de stress, devido ao engarrafamento no trânsito, problemas familiares, constantes cortes de energia, a torneira lá de casa “que tosse”, mas não sai água, a creche do filho, falta de gás, etc. etc. este indivíduo “sobrecarregado” num mecanismo psicológico de transferência, por vezes, “descarrega” todas as suas frustrações naquele profissional, o atendedor. Vejamos o que nos responderam sobre essa pergunta: Acha que o seu desempenho e a sua remuneração estão directamente ligados? Discordo-Concordo. 9% dos homens concordam e 11% discordam

do lado feminino 21% discordam e 59% concordam. Nesse particular, para o lado caótico, a culpa não estará no empregador? O trabalho em determinados centros laborais, no que toca aos funcionários que lidam directamente com público requer muita habilidade e diplomacia, do outro lado a clientela é “complicada”, requer dele (o funcionário) muita calma, serenidade e “cabeça fria”, acrescido a isso, deve apresentar-se bem vestido. Porém, mora distante, apanha vários táxis para chegar a tempo e horas nos serviços, como recompensa, no final do mês recebe

um “mísero salário”. Logo, temos um trabalhador sem moral para fazer um bom trabalho. Nesse caso, se está descuidar o factor motivação. O atend i mento ao públ ico é prestado por pessoas e para pessoas, sujeitos a alterações comportamentais, a mudanças de atitudes, a implicação do meio envolvente, a variação de estímulos e diversidade de situações. Urge, pois identificar com urgência quer o papel individual do funcionário quer o colectivo do empregador. A satisfação do cliente/ público é um factor fundamental de sucesso da organização.

FINAL 2-8  

Foto do mês EDITORIAL CONSULTÓRIO JURÍDICO Conselho Editorial: Pastor Felner Amarildo Batalla (felner.batalha07@gmail.com) Direcção: David P...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you