Issuu on Google+

R$ Editor-chefe: Kiko Carli Ano I - Edição 034

2,50

Terça-feira, 27 de agosto de 2013

www.jornalitanews.com.br

Eleita a Miss Itararé 2013

Neste sábado (24) aconteceu o concurso Miss Itararé 2013. Depois de muita espera e gritos

das torcidas organizadas, foi eleita Miss Kamila Samantha Camargo Rosa. Página 06.

Cavalgada comemorativa de aniversário da cidade atraiu grande público

No domingo (25) aconteceu a Cavalgada Comemorativa dos 120 Anos de Itararé. O evento

contou com mais de 400 cavaleiros de várias comitivas da região. Página 06.

Itararé completa 120 anos e você vai comemorar o que? Amanhã (28), o município de Itararé completa 120 anos, mas o que podemos comemorar? Apesar da programação festiva com atrações culturais, artísticas e esportivas, a cidade ainda está longe de festejar o seu progresso. Ruas pavimentadas, mas com inúmeros buracos, vias de chão batido e com grandes crateras, falta de iluminação pública em alguns pontos, bairros sem infraestrutura, falta de emprego, famílias carentes desamparadas e principalmente um setor de Saúde desumanizado e bastante precário são os presentes que recebemos em mais um

aniversário da cidade. O município melhorou bastante se comparado há alguns anos, mas está longe de ser aquilo que sonhamos e que desejamos ao nos dirigirmos às urnas. A população, apesar de todo o tipo de sofrimento, deve ser lembrada nesta data como um povo aguerrido, o qual, mesmo convivendo com corrupção e com o descaso, não foge à luta e ama este lugar, que escolheu para viver e constituir família. Assim, o Jornal Itararé News deseja não um feliz aniversário, mas um próspero ano novo a todos os itarareenses.

Munícipes reclamam dos Altos da Rua São Pedro

O alto da Rua São Pedro novamente é alvo de reclamações e apelo da população para que seja asfaltado. O fato é que, além de esburacado (onde a pouco houve um sério acidente) um grande problema do local é a

quantidade de poeira quando algum veículo passa. A estrada é muito movimentada, dá acesso a vários bairros, como o Distrito Industrial, em que caminhões pesados a utilizam como linha de trafego diário. Página 02.

Câmara faz moção de apelo à prefeita para aderir ao Após reclamações Farmai tem Projeto Cidade Limpa finalmente fila preferencial Na última semana surgiram várias denúncias sobre o fato da Farmácia de Manipulação da Prefeitura, não possuir fila preferencial. Por ser o ponto de entrega de medicamentos gratui-

tos, geralmente existe uma grande fila no local e a falta de atendimento prioritário tornase sofrível para idosos, gestantes, deficientes e mães com crianças de colo. Página 06.

Filho denuncia negligência médica

Itarareenses estão descontentes com aniversário da cidade

Nossa equipe de reportagem foi procurada por Edemilson Antonio Jacinto, que nos trouxe a denúncia de possível negligência médica na Santa Casa de Misericórdia. Críticas à falta de qualidade do atendimento e ao desrespeito ao paciente já são frequentes no hospital, porém desta vez o descaso teria levado à morte o pai do denunciante, Gasparino Antônio Jacinto, que havia sofrido um acidente de bicicleta ao bater na traseira de uma carreta. O médico chegou quase três horas depois da entrada do paciente no hospital. Página 09.

Sem a tradicional Festa do Peão e do Aniversário da Cidade, a população teve que se contentar com uma programação festiva um pouco diferente este ano. Apresentações culturais e esportivas foram as principais atrações deste ano. Nossa equipe de reportagem ouviu algumas pessoas e pediu a opinião delas em relação às comemorações, o que para muitos foi motivo de descontentamento. Confira na página 04.

Vereadores fizeram moção de apelo à prefeita para que tome as medidas necessárias para promover a campanha “Cidade Limpa” em Itararé. O problema do lixo tem tido grande reper-

cussão na cidade, principalmente se tratando de lixo grande, que o caminhão não recolhe, e que a população geralmente joga em córregos e terrenos baldios. Página 12.

Termina no dia 30 o prazo para protocolar o AVCB A partir de setembro, a Prefeitura Municipal de Itararé começará a exigir dos estabelecimentos comerciais como condição de regularidade, o protocolo do Auto de Vistoria do Cor-

po de Bombeiros (AVCB). De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Luis Carlos Colturato, a administração municipal será bem rigorosa. Página 02.


02

27 de agosto de 2013

Editorial

Estamos de Olho

Aniversário sem bolo O município de Itararé irá comemorar 120 anos nesta quarta-feira (28), porém o aniversário ficou sem bolo. A Festa do Peão, tradicional todos os anos, não será realizada pela administração, a qual alegou outras prioridades para o município, que ainda não viu essas melhorias acontecerem. Apesar do retorno do desfile cívico e das muitas atrações bem desempenhadas e organizadas pelas Coordenadorias de Turismo, Cultura e Esportes, os festejos deixaram pouca gente satisfeita. Em contrapartida Itapeva terá exageradamente 10 dias de festa, mas esta já é outra história... Quem deve estar contente por ter ganho mais um subsídio de campanha, deve ser o exprefeito Cesar Perucio, que apear de esquecer de muitos setores, priorizava a famosa festa. Como diria o sábio poeta, não podemos ter tudo ao mesmo tempo! E como não teremos festa, que os outros setores sejam realmente beneficiados e melhorados, pois de necessidade Itararé está cheia. Queremos os bairros pavimentados, com asfalto ou mesmo lajotamento, pois não aguentamos mais poeira na estiagem e barro na cheia. As ro-

das de nossos carros e as solas de nossos sapatos pedem por socorro. É muito buraco e pouco trabalho! E o que dizer da Saúde? Esta questão pode ser discutida com qualquer munícipe, pois cada uma deles, de forma direta ou indireta, já sentiu-se prejudicado com a falta de. Não podemos mais admitir sermos tratados como coisas. Somos humanos e precisamos de cuidado, de trato. Ninguém procura o hospital ou o posto de saúde, porque está sem ter o que fazer ou porque gosta de passear. Quando procuramos a saúde pública é porque realmente necessitamos. Setembro está chegando e logo vem outubro, novembro e dezembro. Deveríamos estar contando os dias nos dedos para as festividades de final de ano, mas quais perspectivas que vemos ao longe? Qual o saldo que teremos para gastar ou para gozar assim que o calendário vire o número para 2014? Que aproveitemos os 120 anos de nossa cidade para refletirmos e cobrarmos uma cidade mais bonita e com tudo o que a população realmente precisa. Não dá para ficar pedindo emprestado toda a vez que temos alguma necessidade.

A Pref eitura de Itararé torna público que es tá aberta a lic itaç ão: Pregão Presencial 13/13 - Contratação de empresa es pecializada na prestação de serviços par a fornecimento de cópias a laser preto, com fornecimento das máquinas, aber tura dia 11 de setembro às 09:00hs, Pregão Presencial 32/ 13 - Aquisição de gêneros alimentícios para Ação Social, abertura dia 12 de setembr o às 09:00hs, Pregão Pr es enc ial 42/13 - Aquisição de 01 (um) veículo tipo Van de 16 lugares, aber tura dia 11 de setembro às 14:00hs e Pregão Presencial 43/13 - Aquisição de 01 (um) baú refrigerado para instalação em caminhão, abertura dia 11 de setembro às 15:30hs. Inf ormações: Departamento de Licitações ou fone (15) 3532.8000.

COMUNICADO Pro ibid o tr ânsit o de cam inhõ es Devido inúmeras r eclamações dos munícipes a este DEMUTRAN, não está sendo cumprido as exigênc ias do Decreto nº 30 da Pref eitur a  Municipal. Mes mo em vias sinalizadas proibindo a circulação, há o desres peito dos condutores de caminhões pes ados , não obedecendo a le i d o Trânsito do CTB- ar tigo  l87, a  circulação  de caminhões  acima  de 6 ton eladas, cir culando nor malmente, sem observar as placas indicativ as. Os hor ários permitidos par a circulaç ão de caminhões livr emente par a carga e descarga são de 2ª feira a sábado das 7 hs as 10 hs e 2ª feira a 6ª feira das 19 hs as 22 hs Secretaria M unicipal de Defesa Social DEM UT RAN

Itararé News - Jornais, Revistas e Serviços de Comunicação Multimídia Ltda - ME CNPJ: 13.614.945/0001-45 Inscrição Estadual: 380.041.059.119 Rua XV de Novembro, 770 - Itararé/SP - CEP 18460-000 Fone: 3532-3948 Editor-chefe: Kiko Carli

Só falta o pão A população está revoltada dizendo: “Prefeita não fez festa do peão e trouxe um circo no lugar...”. Uma coisa, porém não tem nada a ver com a outra, afinal vivem aparecendo circos por aqui... Do jeito como está, se chover pedra a culpa vai ser da prefeita, por não colocar tela de segurança no céu. Críticas são saudáveis, porém estamos vivenciando reclamações que beiram ao ridículo. Por outro lado, temos que concordar com os críticos que não veem uma ação que possa entusiasmar até aqueles que apoiaram a prefeita.

por Kiko Carli

ralizadamente boa. Com boa, mas muito boa vontade, achamos algo de bom na administração atual.

Gente nova Nesta sexta-feira aconteceu a solenidade de entrega dos Títulos de Cidadão Itarareense. Muitas autoridades estiveram presentes, incluindo o atual prefeito da cidade de Itapeva Roberto Comeron. A cerimônia foi bonita e os homenageados se emocionaram. Parabéns aos novos “cidadãos itarareenses” e Deus permita que vocês continuem lutando por nossa querida Itararé. 

Exibicionista

Prata da casa

Assuntos sobre a Secretaria de Serviços Gerais estão fervilhando na cidade. A indignação aumentou quando o secretário Lico cancelou a tão esperada reunião na Câmara com os vereadores em cima da hora e no mesmo horário foi visto ele em passeata pela Rua São Pedro exibindo a retroescavadeira enviada pela presidente Dilma. A reunião foi remarcada para esta semana, só esperamos que o secretário não se inspire no vice-prefeito e fique fugindo de locais, onde tem que fazer uso da palavra. Medo do que secretário?  

Na sexta-feira também teve a Feira Literária Itaraeense, uma parceria entre a Coordenadoria da Cultura e o curso de Letras da Fafit, buscando valorizar e promover os escritores de nossa cidade. A Feira contou com exposições, autógrafos e declamações e foi muito satisfatória para todos os presentes. Prestigiar nossos talentos é obrigação de todos aqueles que se dizem amigos de Itararé. Parabéns a todos os envolvidos.

Exemplo Após denúncias, a Farmai possui agora atendimento preferencial. Esse é um bom exemplo de como críticas construtivas podem trazer bons resultados. Vamos nos empenhar em criticar o que esta errado e elogiar o que está certo, pois nenhuma administração é generalizadamente ruim ou gene-

A lei Mais um semáforo colocado no Centro de Itararé. Estamos indo rumo a mais segurança no trânsito e apenas lembrando que as cores do semáforo são verde - ir / vermelho pare / amarelo - atenção, e não verde - correr / vermelho - frear em cima da hora / amarelo acelerar, como alguns munícipes por aqui pensam. Respeitar as leis de trânsito são uma obrigação de todo o cidadão

que exige qualidade nos serviços prestados pelo poder público. Como cobrar se não respeitamos a lei que foi criada para nos defender?

Excesso Sábado teve a escolha da Miss Itararé. O evento foi muito glamoroso e contou com uma ótima equipe de som e iluminação, além das belíssimas garotas, que fizerem jus aos títulos recebidos. A Banda Bala na Agulha também fez sucesso. O evento só pecou na organização, pois foram vendidos mais ingressos do que cabiam na casa e muitas pessoas que pagaram para estar lá acabaram ficando sem cadeira, sem mesa e, posteriormente, sem jantar, que não foi suficiente para todos (vergonhoso). Muitos convidados se mostraram insatisfeitos com o ocorrido e alguns até foram embora antes do fim do evento (que foi exageradamente extenso). 

Excesso II Com a falta de boas realizações no município, quando acontece algo relevante como foi o Miss Itararé, os organizadores exploram ao máximo a solenidade e não poderia ser diferente. O triste é ver muitos saírem insatisfeitos.

No aguardo Quando veremos a votação de projetos que tragam o progresso e a qualidade de vida para os residentes de Itararé? Críticas, desculpas e má vontade assolam as falas de nossos líderes (?) e o povo clama por mais ação nos poderes Executivo e Legislativo.

A Festa Parabéns a Pepê Eventos e a AABB pelos grandes momentos que estarão proporcionando a população em razão da passagem de mais um aniversário da cidade. Quem quer realiza e com competência.

Ficou claro Com raras exceções, os filiados do PT são muito mais produtivos e combativos quando oposição ou sem cargo no governo. Ser estilingue é fácil, o duro é ser vidraça.

Muita areia Quem vê a notoriedade que deram para a máquina, que veio do Governo Federal para Itararé até acredita que todos os problemas serão resolvidos. É muito foguete para tão pouca conquista do atual governo.

Com brilho Desejamos a todos os munícipes os mais sinceros votos de um Feliz Aniversário por mais um ano de vida dessa simpática cidade, que acolhe a todos com muito carinho. O povo de Itararé é presente e sabe o que quer e com certeza saberá aproveitar o atual momento para reflexão, cobrar e apostar para que tenhamos um futuro cada vez melhor. Parabéns Itararé!

Êxito A Polícia está se esmerando e cumprindo de forma brilhante o seu papel no combate ao tráfico de drogas. Os resultados tem sido excelentes, o que tem colocado diversos meliantes atrás das grades.

Munícipes reclamam dos Altos da Rua São Pedro Os altos da Rua São Pedro novamente são alvo de reclamações e apelo da população para que seja asfaltada. O fato é que, além de esburacada (onde a pouco houve um sério acidente) um grande problema do local é a quantidade de poeira cada vez que algum veículo passa. A estrada é muito movimentada, pois dá acesso a vários bairros, incluindo o Distrito Industrial, em que caminhões pesados a utilizam como linha de trafego diário. Moradores reclamam e pedem para que a Prefeitura envie o caminhão pipa para dar uma umedecida no chão e diminuir a poeira. Como estamos passando por tempo

seco, várias pessoas, incluindo crianças, estão dando entrada no hospital com problemas respiratórios devido ao pó do local, como disse na tribuna o vereador Zetão. O local precisa de reparos urgentes e deveria ser uma das prioridades da atual admi ni str aç ão . Mu ní ci pe s aguardam o prometido reparo e ainda enfatizam: “Aqui precisa ser feito um trabalho de qualidade, afinal trafegam muitos caminhões pesados e se for colocado um asfalto ruim logo a situação voltará a ser como hoje. Outra coisa importante seria arrumar a passagem ao lado da rua (Calçadão), pois é toda de terra e quando chove não dá para

passarmos, principalmente para quem tem criança com carrinho de bebê. Aí temos que andar juntos com os car-

ros na estrada. É um perigo. Já aco nteceram aci dentes aqui.”, desabafa M.R.S., 37 anos, moradora do local.

Jornalista Responsável: Marcus Vinicius de Oliveira - MTB 42.240 Consultor Jurídico: Dr. Renato Jensen Rossi - OAB 234.554 Impressão: Gráfica Ita News (Registrada em Cartório sob nº 2470 em 26/08/2009) Tiragem: 2.000 exemplares Registrado em Cartório sob nº 2474, no livro de matrículas de jornal no dia 17/09/2009. A direção des te jornal não se respons abiliza por artigos assinados que não neces sariamente expre ssam a opinião deste veículo. O jornal Ita News não é responsável pela qualidade, proveniência, ve racidade e pontualidade das coloca ções dos anúncios classificados publicados em suas páginas, bem como os conteúdos de seus colunista s, os quais não possuem nenhum vínculo empre gatício com a empresa.

Estabelecimentos têm até 30 de junho para protocolar o AVCB A partir de setembro, a Prefeitura Municipal de Itararé começará a exigir dos estabelecimentos comerciais como condição de regularidade, o protocolo do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). De acordo com o secretário municipal de Planejamento, Luis Colturato, a administração municipal será rigorosa quanto ao cumprimento das normas de segurança contra incêndios. “Os estabelecimentos que já tiverem o AVCB atualizado deverão apresentá-lo. Aqueles que não possuem o

documento, tem até o fim deste mês para se adequar”, destacou. A norma é válida para todos os estabelecimentos sem exceção de metragem. A não apresentação do AVCB acarretará em interdição do estabelecimento. O documento deve ser solicitado ao Corpo de Bombeiros até o fim deste mês. O departamento de Fiscalização informa que no próximo dia 30, sexta-feira, funcionará das 10h às 16h, a fim de informar a população.


03

27 de agosto de 2013

Fique atento!

por Sargento Cristiano Borges

Alteração de características Todo veículo quando produzido deve atender a requisitos técnicos que cumpra as exigências mínimas de segurança. O Código de Trânsito Brasileiro estabelece no “Art. 97. As características dos veículos, suas especificações básicas, configuração e condições essenciais para registro, licenciamento e circulação serão estabelecidas pelo CONTRAN, em função de suas aplicações. Art. 98. Nenhum proprietário ou responsável poderá, sem prévia autorização da autoridade competente, fazer ou ordenar que sejam feitas no veículo modificações de suas características de fábrica.” Não é difícil ver um carro rebaixado ou até mesmo com outras características originais alteradas. É importante destacar que tais alterações não são proibidas, contudo devem seguir algumas regras. Quando for alterada qualquer característica do veículo o artigo 123 do CTB diz que será obrigatória a expedição de novo Certificado de Registro de Veículo, no entanto o proprietário deverá apresentar o Certificado de Segurança Veicular e de emissão de poluentes e ruído, quando

houver adaptação ou alteração de características do veículo. Dentre as características a serem alteradas podemos classificá-las das mais simples até as mais complexas, cores dos veículos, sistema de suspensão, combustível entre outras. Para que se evite a utilização de peças oriundas de ilícitos, como as provenientes de veículos roubados e furtados, para a emissão de novo Certificado é necessário o comprovante de procedência e justificativa da propriedade dos componentes e agregados adaptados ou montados no veículo, quando houver alteração das características originais de fábrica, conforme inciso IV do artigo 124 do Código de Trânsito. Através da RESOLUÇÃO Nº 292, DE 29 DE AGOSTO DE 2008, do Conselho Nacional de Trânsito, o CONTRAN, ficou estabelecido os componentes e características que poderão ser alteradas em um veículo. É importante ressaltar novamente que algumas alterações não são proibidas e não constituem crimes, porém o Art. 230, in-

Projetos Urbanísticos

ciso VII do CTB prevê infração grave, com penalidade de multa por “Conduzir o veículo com a cor ou característica alterada” devendo ser retido o veículo para regularização. Para que o condutor trafegue tranquilamente, sem comprometer a sua própria segurança e não incorrer em infrações de trânsito, ele deve recorrer aos órgãos de trânsito para a regularização de seu veículo. O Trânsito consciente deve ser praticado diariamente. Respeite as legislações vigentes e cumpra o seu papel de cidadão.

Escritos de História & Política por Luis Felipe Genaro

Jornalistas e historiadores: conceitos e conflitos Jornalistas e historiadores sempre andaram juntos, mas em caminhos separados. Rodeados por eventos e fatos do presente, pautas e edições, textos objetivos e reportagens investigativas, desde a origem da imprensa e dos primeiros periódicos os jornalistas almejaram levar ao público leitor aquilo que se passou e ainda se passa cotidianamente, dia após dia. Um tanto diferente dos historiadores. Ao invés de olhar para o presente, descrevê-lo e criticálo, damos um passo para trás. Através do presente os historiadores criticam o passado, os tempos de outrora, períodos que permaneceram apenas na memória. Vale ressaltar que por conta dos avanços na historiografia, a História como disciplina acadêmica possui hoje um arcabouço teórico para criticar também o presente, e sua narrativa passa a se chamar História do Tempo Presente ou História Imediata – conceituações polêmicas que atemorizam os historiadores mais tradicionais.

Contudo, jamais o historiador profissional fará uma análise séria dos eventos presentes sem antes consultar os fatos do passado. Não almejará a objetividade nem se pautará nos conceitos jornalísticos trabalhados pelos grandes periódicos e pela velha imprensa. O historiador do tempo presente sabe que não poderá apreender a “verdade” dos fatos, pois nunca houve e haverá uma “verdade” como os jornalistas tentam buscar. Os fatos cotidianos são regidos por indivíduos através de inúmeros interesses, sejam eles coletivos ou particulares. Não estou falando apenas de uma estratégia militar em um campo de batalha ou um discurso político que decidirá os rumos de uma potência econômica. O simples caminhar no fim da tarde, o fato de atravessarmos a rua, comprarmos aquilo que queremos, falarmos aquilo que necessita ser falado, etc. tudo possui nos bastidores de nossas vidas um “interesse”. Em suma, a verdade depende do ponto de vista,

Por Luiza Salla

por Rhuan Marcos Nogueira

Construir No Brasil, a inexistência de conflitos armados que destruam estruturas urbanas dividindo-as em quatro momentos; exclui a: Primeira Possibilidade; a demanda não atendida por serviços de transporte que tem exigido a super-utilização de estruturas existentes não permitindo a adoção de novos usos para edifícios e espaços tais como terminais de massa. Exclui também a: Segunda Possibilidade: o crescimento da mancha urbana nas cidades brasileiras com fortes características de periferização sendo fruto de uma ocupação aos pedaços num mosaico de invasões e loteamentos. Tais efeitos também excluem a: Terceira Possibilidade: de ser essa uma oportunidade de se alterar a cidade com Grandes Projetos. É na Quarta Possibilidade: a de causa que se observará a razão dos principais Grandes Projetos no cenário urbano nacional. De modo geral, os Grandes Projetos aqui observados acontecem em áreas tradicionais da cidade, subutilizadas, com forte referencial históricas, agora adaptadas para o uso de lazer e cultura. Se essas são algumas das situações que podem concretizar a implantação de GPUs, o estudo de suas características mais gerais permite apreende-los

ainda mais. Nesta compilação, para uma melhor implantação requer um estudo para deixarmos as GPUs Sustentáveis. A elaboração de projetos urbanísticos para áreas de ocupação humana (como bairros, condomínios e cidades), baseados em conceitos de sustentabilidade e conhecimentos técnicos multidisciplinares. A Ambiência desenvolve este serviço, desde pequenos parcelamentos de solos (loteamentos) a condomínios habitacionais e programas de habitação de interesse social, reduzindo os impactos ambientais e gerando benefícios a clientes, sociedade e meio ambiente. Todos os projetos iniciamse pelo detalhamento das necessidades da população a ser atendida e por um diagnóstico ambiental do local, a fim de se identificar as potencialidades e fragilidades, embasando assim, o desenvolvimento de soluções únicas e efetivas. Alguns dos benefícios que geramos: - Aumento da satisfação da população. - Aumento das opções de lazer para a população em geral. - Redução dos custos dos empreendimentos, resultado de melhor planejamento e uso dos recursos. - Aumento do turismo, ge-

Para Gostar de Ler do outro lado da moeda. O que ocorre então quando o jornalista faz o trabalho do historiador? Publicado recentemente, o “Guia Politicamente Incorreto da História do Mundo”, já está fazendo sucesso nas prateleiras das livrarias. Escrito pelo jornalista brasileiro Leandro Narloch, a obra visa contar a história do mundo com “pinceladas de humor” e a “busca pela verdade dos fatos” – verdades politicamente incorretas. Narloch passa a interpretar os fatos históricos pescados por sua equipe em alguns livros ultrapassados de História e remonta em uma narrativa viva e alegre (porém, desfalcada e conservadora, renegando a crítica histórica e documental) os fatos do passado. Narloch, para termos uma breve noção, afirma que o capitalismo foi o melhor sistema econômico que houve na História, e que a Igreja Católica na Idade Média não foi “tão ruim como pensávamos”. É, diga isso para os milhões de desempregados que vivem nas ruas atualmente enquanto banqueiros e milionários esbanjam suas fortunas, e as dezenas de milhares que foram torturadas e queimadas nas fogueiras da Santa Inquisição. Muitos outros jornalistas com vieses conservadores e pouco interessados nos pressupostos da crítica histórico-documental produzem alegres narrativas históricas e vendem milhões de cópias. Laurentino Gomes e Eduardo Bueno são bons exemplos disso. De quem é a culpa? Dos próprios historiadores. A grande maioria escreve para si. Textos eruditos e de linguagem rebuscada. Pesquisas que ninguém além de alguns doutores fica sabendo. Velhos decrépitos que fechados em seus gabinetes de curiosidade se esquecem do público leitor. Se as coisas continuarem como estão o conflito entre jornalistas e historiadores só tende a aumentar, o que é, diga-se de passagem, no mínimo lamentável.

Eu realmente não ia fazer uma coluna com esse livro porque eu tenho raiva do Raphael Draccon porque ele havia me dito que meu comentário sobre o livro sairia na contracapa do terceiro e não saiu – eu nem terminei de ler, pra você ter uma ideia da raiva que eu fiquei. Enfim, eu admito que meu comentário tenha ficado muito comprido e pode ter se perdido nos zilhões de comentários de fãs na página dele do Orkut. A série de três livros “Dragões de Éter” começa por “Caçadores de Bruxas” e, vou te contar uma coisa, se você gosta de histórias na Terra Média e de contos de fadas esse é um livro que você vai gostar. Raphael criou um mundo tão pensado que os personagens

Fisioterapia

rando divisas para o município e melhoria para todos os habitantes. - Contribuição para o desenvolvimento sócio-econômicoambiental do município e região. - Melhoria da imagem do município. - Agregação do atributo da sustentabilidade à imagem do município, se diferenciando dos demais municípios. - Elaboração de projetos urbanos associados ao potencial natural da região. - Aplicação prática da sustentabilidade no município. - Conscientização ambiental da população em geral. Baseando nestes pré-requisitos podemos obter uma melhor habitabilidade entre os munícipes em demais locais do Brasil e Mundo com tudo nem sempre é possível chegar a tal resultado almejado mais sempre que houver uma iniciativa haverá uma luz no fim do túnel. Na próxima edição falaremos em Engenharia Pesada, as grandes construções efetivadas por grandes Engenheiros, no Brasil e no Mundo.

por Marina Marchiori

têm suas próprias gírias – pra você ver. O mundo é chamado Nova Éther. A Chapeuzinho Vermelho é Ariane Narin, e nada a ver essa coisa de ela ser o lobo mau, mas ela realmente perde a avó para o lobo. João e Maria são seus melhores amigos – o livro conta a história de “João e Maria” de uma forma mais assombrada, com eles comendo a casa de doces só que, na verdade, não eram doces de verdade – era apenas ilusão. Conseguiram capturar a bruxa e essa história foi a mais apavorante de Nova Éther. Além desses três radiantes personagens, o primeiro livro nos apresenta Axel Branford. Axel e seu irmão Anísio são os príncipes da família real, mas Anísio é o herdeiro do trono, sendo assim Axel pensa mais em diversão, gosta de estar em contato com o povo e não vou te contar que ele e Maria entram numa romance muito doce. Raphael não conta apenas as histórias dos príncipes, mas também a do Rei e da Rainha, como se conheceram de uma forma tão mágica – já que ela era um avatar do Criador. O vilão da história é o filho do Capitão Gancho – Jamil Coração de Crocodilo. A

história, o rumo de cada personagem é separada e entrelaçada ao mesmo tempo, cada capítulo conta a história de alguém e acredite em mim quando eu digo que não tive vontade de pular nenhum capítulo pra chegar no meu personagem favorito. O primeiro livro da trilogia é mais light, mais tranqüilo de se ler, a trama pode ser resumida no encontro dos personagens, de planos sendo feitos, lutas de formas bruscas e diálogos joviais e, como conta o subtítulo, há uma caça às bruxas – bem quando Ariane descobre que sua família não é exatamente composta por simples camponeses cuidando de suas vidas tranquilas. Vale muito à pena penetrar nesse mudo mágico de Nova Éther, Rapahel pensou em tudo e mais um pouco para criá-lo e merece nossa total atenção – e nós, como bons leitores que somos, merecemos um livro a nossa altura.

por Jonas Célio Camargo Tupá

Tendinite Patelar A articulação do joelho apresenta várias inserções de músculos e ligamentos para ter uma mobilidade correta e uma estabilidade necessária para o dia a dia. Se há algum desequilíbrio da força, consequente mente o tamanho do músculo estará alterado, sobrecarregando outros músculos ao fazerem suas funções corriqueiras. Esta sobrecarga agride o tendão de qualquer músculo, neste caso o ten-

dão que mais sofre é o patelar, ele é responsável por “ligar” a patela (osso pequeno da frente do joelho) que está conectada a o músculo quadríceps( parte anterior da coxa), deste modo toda a potencia do músculo da coxa é suportado por um pequeno, porém muito forte tendão. Também conhecido como joelho de saltador pelo esforço necessário para realizar saltos e ao aterrissar em pé, porém qual-

quer atleta pode sofrer. Normalmente corredores, jogadores de vôlei, futebol sofrem quem essa doença, quem já apresenta sintomas na região é indicado o repouso, gelo local e procurar seu médico e fisioterapeuta.


04

27 de agosto de 2013

O que você está achando da programação de comemoração do aniversário da cidade este ano? Sem a tradicional Festa do Peão e do Aniversário da Cidade, a população teve que se contentar com uma programação festiva um pouco diferente este ano. Apresentações culturais e esportivas foram as principais atrações deste ano. Nossa equipe de reportagem ouviu algumas pessoas e pediu a opinião delas em relação às comemorações. Confira o que disseram:

Ana Dell Anhol: Uma grande “palhaçada” né, tirar a festa do peão e trazer um circo no lugar! A cidade ao invés de melhorar, a cada ano que passa fica pior. Só lamento.

Flávio Prado - Olha não estou ouvindo falar muito de festividades, mas acho sem teor político, que se é para sanar contas, a falta de shows e eventos, tudo bem, mas espero que no ano que vem eles se programem para fazer uma grande festa como a cidade merece, pois aqui já ficou entre as 10 melhores festas de peão do Estado. Acho que podemos misturar, teatro, shows de sertanejo, MPB, rock e circo, o que devemos com certeza é trazer cultura e diversão para a população! Cleide Garcia - Esse ano está bravo. Pobre não vai ver festa nenhuma.

Nayara Perucio - Tem muita

gente que está chateada pelo fato de não ter a tradicional festa do peão, acho justo. Porém quero saber onde será investido o dinheiro que seria usado para ser realizada a festa? Será que vão asfaltar a Rua São Pedro, sentido área industrial, onde o pó e a lama tomam conta? Duvido. Fiquei um tempo fora, sempre fui a favor da nossa prefeita, porém quando cheguei em Itararé fiquei muito triste. Sei que tem pouco tempo da administração, mas a única coisa que vi foi uma carreata com carros novos para a Prefeitura. Aí eu pergunto: qual era a urgência de comprar novos carros? Parece-me estar tudo errado.  Lamentável, confiei tanto na administração atual, vim de Curitiba só para votar... Eita arrependimento. Não pelo fato de não ter festa, mas sim pelo fato de não ter Saúde, Educação, ruas descentes, entretenimento, emprego, cursos de capacitação, enfim, sei que não se faz tudo isso do dia para a noite, mas tem algum projeto? Itararé esta parada no tempo.

apenas para quem tinha poder aquisitivo. Uma festa deste porte tem que ser para toda a cidade, não para uma determinada parte da população. Ter entrada grátis faz com que as pessoas sem condições financeiras apenas passeiem pelo evento, nem os filhos dessas pessoas podem se divertir nos parques que continham e comer nas barracas. Ou faz uma festa realmente para o povo, ou faz uma programação privativa, atitude correta e que a festa seja animada e desta vez sem enganações.

Aline Ruivo - Para ser bem sincera não estou sabendo nada de bom, uma verdadeira porcaria. Que vergonha!

Thaís Dell Anhol - Só temos que rir, trazer um circo ao invés de fazer outra coisa. Palhaçada viu. Parabéns prefeita por piorar a cidade. Por isso que a turma quer ir embora de Itararé.

Cris Marques - É melhor nem toca nesse assunto de aniversário da cidade. Nem festa vai ter, nem vai compensar sai de casa neste dia. Está osso hein? Acorda ITARARÉ! Thais Souza Santos - Eu achei um absurdo, a festa é uma tradição da cidade. Itararé está ficando para trás. No noticiário da TV fala até Itapeva e para! E quando aparece é só tragédia, como essa de não ter a festa. Mas graças ao Manduri e o Pepê, vamos ter uma festa boa, porém particular. O que é isso Itararé? É isso que a população merece? Luis F. Morais - Foi uma escolha sensata em privatizar a festa de aniversário da cidade. Todos sabemos que a festa é um modo de descontração de toda a população, sendo um momento de lazer indispensável, porém as festas passadas eram realizadas com produtos internos de preços absurdos, por exemplo, a água com o preço médio de R$ 4,00 tornando a festa acessível

Comemoração? Vão comemorar o que? Esqueceram que Itararé foi enterrada em outubro de 2012? Estamos apenas pisando os restos dela (enquanto ainda existem os restos).

Luiz Souza Amaral - O que?

Gislaine Santos - Muito interessante a programação: cultura , esporte, lazer e música, para quem sabe apreciar esse tipo de evento será bem gratificante. Itararé está mesmo carente também nestes quesitos, essa programação envolve crianças, jovens, adultos, o que é muito importante para a socialização de todos, e também para mostrar que apesar de não ter a tradicional festa do peão, o povo não foi esquecido como na maioria das vezes acontece, e que foi feito todo um planejamento para que uma data importante como essa, o aniversário de nossa cidade, não passe em branco. Os munícipes merecem, afinal estamos desgostosos com a atual situação em que nossa cidade se encontra, mas acredito que para melhorar, investir na Cultura já é um bom começo.

Gislaine Rodrigues – Bom, mas poderia ser melhor. A cidade está com dificuldades então

ano que vem vai ser melhor e assim poderão fazer uma grande festa.

Nando Lima - Ótima. Lucas Gabriel - Em tempo de eleição esses políticos prometem muitas coisas, mas na verdade não fazem nada por Itararé. A roubalheira foi tanta que até a festa de peão não acontecerá. Olha que a nossa festa de peão era umas das melhores da região. Este ano não será uma festa para todos, eu acho um absurdo uns roubarem e depois todo mundo pagar.

po tendo a festa de peão como único atrativo de lazer da cidade. As pessoas se apegaram a ela. Este ano, porém, não vai ter essa festa, mas a Prefeitura organizou um monte de outras formas de comemoração, como o motocross, a banda de Tatuí e o (finalmente de volta) tão esperado desfile cívico. O desfile sim é que é tradição e estava esquecido. De qualquer forma alterações demoram um tempo para serem aceitas. Achei meio arriscado para a prefeita Cristina acabar não dando mais oportunidade para se realizar essa festa (deixou tudo para fazer muito em cima da hora), porque no fim das contas os eleitores do César gostam da festa e estão em maior número (como comprovaram as eleições). Mas aos poucos o povo vai perceber que agora a festa do peão não vai mais ser a única forma de lazer que temos aqui em Itararé, afinal a Prefeitura tem trazido um monte de outros eventos culturais como aquele show de Blues, que foi fantástico e o circo que teve esta semana na praça, que foi muito legal. Pelo menos são eventos realmente gratuitos, porque na verdade a festa podia até ter a entrada franca, porém dava até medo de ir lá com alguma criança, pois os brinquedos e as comidas eram muito caros (isso sem falar nas brigas que sempre havia).

Marcos Ferreira Ferreira  Cada município faz a festa que melhor servir no orçamento. Não adianta fazer bonito se não tem dinheiro. Claro que eu queria a festa, mas se não tem dinheiro faz o que pode.

Tiago Souza - Está ótima. Juliana Ap. Souza – As pessoas ficaram muito revoltadas por não ter a festa. Eu entendo, afinal Itararé passou muito tem-

Fernanda Cleto - O pouco que for feito já será de grande valia, e este mês terá muitos eventos na cidade. Não podemos reclamar, como muitos fazem, julgam demais, reclamam e às vezes nem de casa saem. Aí perguntam “nossa esta Fernanda não reclama de nada?” Claro que reclamo, pois moro em rua de terra, onde se não chove tem pó, se chove tem barro, mas esta é uma reclamação construtiva. Se minha rua for asfaltada, quantas pessoas serão beneficiadas? E reclamar de uma festa que beneficio traz? Vamos agradecer o que temos.


05

27 de agosto de 2013

Exposição “Nossos Artistas: Mosaico e papel machê” atraiu público ao Paço Municipal

D

urante toda a semana ficou exposta no Paço Municipal a exposição “Nossos Artistas: Mosaico e papel machê”. A exposição mostra o resultado parcial das Oficinas de Arte promovidas pela Coordenadoria de Cultura da Prefeitura Municipal de Itararé e apresenta as obras produzidas por alguns alunos. No dia 28, a exposição estará na Praça São Pedro, das 09h às 17h. Os cursos de papel machê e de mosaico são ministrados pela artesã Maria de Lurdes Benedita Moreira. As oficinas são totalmente gratuitas, não têm limite de idade e a Prefeitura disponibiliza todo o material necessário e estão funcionando de segunda a sexta, sendo segunda, quarta e sexta PAPEL MACHÊ, e terça e quinta MOSAICO, sempre das 09h às 11h e das 14h às 16h, como nos contou em entrevista Lurdes Benedita Moreira, confira: IN – Qual está sendo a repercussão da exposição e dos cursos? Lurdes – As pessoas estão gostando muito. Não tenho todos os alunos ainda nesta exposição, estou esperando obras de outros. O objetivo da exposição é dar uma incentivada nos alu-

nos, porque a maioria nunca lidou com a arte em si. Muitos sabem bordar, fazer crochê, pintam pano de prato, não que isso não seja arte é claro, mas estão acostumados com atividades mais caseiras e trabalhos manuais. Agora com essa arte de criar de inventar para muitos é novidade. O desafio do mosaico, por exemplo, é que nós não temos uma grande variedade de cores, afinal são cacos de azulejos e cores mais neutras. O que acontece é que são as mesmas cores, quase sempre os mesmos desenhos, porque todo mundo gosta de coração, flor, mas sai tudo diferente um do outro devido a criatividade de cada um. O papel machê é um pouco mais demorado. Enquanto no mosai-

co a pessoa vê sua criação pronta em duas aulas, uma para fazer a montagem e outra para colocar a argamassa, no papel machê é preciso de mais tempo. Eu deixo os alunos botarem a mão na massa mesmo. É para eles aprenderem a técnica mesmo e, se quiserem fazer sozinhos em casa. É tudo muito simples e tudo o que os alunos produzem eles podem levar para a casa. IN – Da onde veio a ideia da exposição com as obras dos alunos? Lurdes – A ideia da exposição eu já tinha há alguns anos e este ano expliquei para a prefeita e para o coordenador de Cultura e, como a Cultura está realizando exposições para promo-

ver os artistas do município, como é mês de aniversário da cidade, resolvemos fazer uma com o resultado dessas oficinas. Depois, dia 28 essa exposição será levada à Praça São Pedro para mais pessoas ainda poderem prestigiar, ver, conhecer essa arte. Mas é mais para incentivar mesmo os alunos, porque é legal você ver exposta a peça lá, com seu nome, muitos viram e tiraram fotos. Eles ficaram bem satisfeitos. IN – Qual a faixa etária que pode participar das aulas? Lurdes – Tenho desde criança de 5 anos até uma senhora de 93. IN – Quais os dias e horários do cursos? Lurdes – Agora estou dividindo as turmas em grupos de 5 pessoas +/-. Os horários dos cursos hoje são segunda, quarta e sexta - papel machê, das 09h às 11h e das 14h às 16. Mosaico é de terça e quinta nesses mesmos horários. Sábado estávamos fazendo de manhã, mas demos uma parada por que, como é inverno, as pessoas não têm muita vontade de vir. Assim que entrar o verão vamos voltar o curso aos sábado, das 09h às 11h. IN – Que mensagem a senhora deixa a população?

Lurdes – Os cursos estão abertos à população, qualquer pessoa pode participar, não precisa fazer inscrição e só vir e participar. Eles são totalmente gratuitos e inclusive a Prefeitura também dá todo o material

necessário, ou seja, não precisa trazer nada. É só chegar, sentar e ter boa vontade de fazer o curso. Não precisa ter receio de nada, porque essas são artes simples, gostosas de fazer e de fácil execução.

Coafai investe em projeto de processamento de alimentos

A

Coafai – Cooperativa de Agricultores Familiares de Itararé está investindo no projeto Micro Bacia II para a agroindústria. O projeto, que vem de uma parceria do Governo Federal, com o Governo do Estado e o Banco Mundial, tem como objetivo processar frutas, verduras e legumes, além de outros produtos produzidos pela cooperativa, facilitando sua distribuição e consumo, além de aumentar a sua durabilidade. A Coafai é uma cooperativa que, só no ano passado produziu uma média de 3 mil kg de alimentos por dia, e que hoje conta mais de 370 famílias cooperadas nos municípios de Itararé, Bom Sucesso, Sengés, Itaberá, Barão de Antonina e Riversul, sendo a sua grande maioria de Itararé.

Além de frutas, legumes e verduras a Cooperativa conta com a produção de rapadura, mel, leite, creme de milho, picles, cachaça artesanal, macarrão de milho e até chocolate caseiro. O objetivo da Cooperativa é associar o agricultor familiar gerando uma renda média mensal de dois salários mínimos para o mesmo. Em entrevista à nossa equipe de reportagem o presidente da Coafai, José Roberto Ferraz (Tigrinho), nos explicou sobre o projeto: IN – O que é o projeto Micro Bacia II? José Roberto – O Micro Bacia II é um projeto do Governo Federal, junto com o Banco Mundial e o Governo do Estado, com a parceria com da Prefeitu-

ra, através da Secretaria da Agricultura. É um projeto de agroindústria, o qual tem por objetivo processar todos os nossos produtos, incluindo lavar, higienizar, picar, fatiar e embalar. A nossa ideia é adentrar as grandes redes de supermercado. IN – Esse projeto envolverá todos os cooperados? José Roberto – Esse é um projeto que envolve praticamente todo nosso campo. Hoje nós estamos com 372 cooperados. Ano passado nós produzimos 1,22 milhão kg de alimentos. A agroindústria vai exigir no mínimo 4 milhões de kg, é um projeto bastante grande e nós estamos esperançosos. IN – Este será mais um dos segmentos abrangidos pela Coafai? José Roberto – Sim. Até agora a Coafai tem atendido dois seguimentos: a merenda escolar em seis cidades e o P.A.A., Programa de Aquisição de Alimentos, onde atendemos Itararé e mais seis cidades também. Este projeto da Micro Bacia será nosso terceiro segmento, afinal nós queremos chegar no mercado onde temos uma proposta, até será agora nos dias 4 e 5 de setembro, em que estaremos em Jaú formando um Associação de Cooperativas, tendo ao

todo 23 Cooperativas se unindo no estado com uma central de distribuição para as redes de Supermercado em Avaré. Com certeza dará tudo certo. IN – Que benefícios esse projeto trará? José Roberto – Esse projeto vai facilitar muito o trabalho para as merendeiras e cozinheiras. No caso da mandioca mesmo, que é uma raiz difícil de descascar, estaremos até dezembro comprando uma máquina própria de descascá-la. Pretendemos trabalhar com as embalagens a vácuo ou com a injeção

de gás, em que a durabilidade do produto, ao invés de ser três ou quatro dias, passará a ser de 15 a 20 dias. Com isso o desperdício será bem menor. IN – A Coafai é uma Cooperativa que está crescendo? José Roberto – Com toda a certeza. A Coafai hoje está trabalhando com 45 variedades de produtos. Nós temos produtos que recebemos diariamente, semanal, quinzenal ou mensal. Estamos com planos de expansão. Já estamos com um projeto em Sorocaba, que é o do macarrão de milho (já divulgado por este meio de

informação), onde no futuro nós pretendemos, como essa fábrica comprar muito milho, instalar uma aqui, de processamento, e só irá a massa para lá. Como nós temos bastantes agricultores que produzem milho aqui, ao invés de levar o milho in natura já processaríamos ele aqui mesmo. Isso seria muito bom para a cidade, porque geraria ainda mais empregos. Também estamos investindo na fábrica de laticínios, pois pretendemos produzir bebidas lácteas, iogurte, queijos, enfim, mais de dez variedades de derivados do leite.


06

27 de agosto de 2013

Cavalgada comemorativa de aniversário da cidade atraiu grande público

N

o domingo (25) pela manhã aconteceu a Cavalgada Comemorativa dos 120 anos de Itararé. O evento contou com mais de 400 cavaleiros de várias comitivas da região e atraiu vários admiradores. Várias autoridades estiveram presentes e a Prefeitura Municipal distribuiu medalhas a todos os participantes. O evento contou com a presença do grupo “Unidos do Fandango”, que realizou uma bela apresentação de dança gaúcha. Nossa equipe de reportagem falou com Emerson César de Moraes (Preto), presidente da ATI, antigo Clube dos Boiadeiros, sobre mais este evento: IN – Qual a avaliação do evento? Emerson – Para você ver foi avisado em cima da hora, com

pouca divulgação e nós tivemos quase 500 cavaleiros, contando que cada pessoa à cavalo traz no mínimo mais umas 2 pessoas a pé, você já tem noção da quantidade de gente que foi prestigiar. IN – Qual a importância de eventos como este? Emerson – O desfile em si é importante, tanto para nós que lidamos com cavalo, pois é uma maneira de você mostrar o animal, como está bonito e bem tratado, como também trazer quem não conhece o cavalo para perto do animal, fazer as pessoas ter mais contato. Isso também movimenta a cidade, pois muita gente veio de fora, já chegou na sexta para pousar aqui, então movimenta hotel, bar e lanchonete. E outra, como disse a prefeita no palanque, é a questão do tradicionalismo,

porque Itararé, querendo ou não, é uma cidade Tropeira. É bonito e os mais antigos se emocionaram. Fazia quantos anos que não tinha o desfile? É uma coisa que precisava resgatar e eu espero que não só a Cristina, mas todo prefeito que entrar incentive as Cavalgadas, pois isso faz parte de Itararé. IN – Qual a sensação ao receber a medalha da prefeita? Emerson – Eu fiquei muito contente pelo seguinte: a prefeita é uma pessoa que tem fazenda, mas não é do meio, é professora. O Zé Eduardo sim é homem de cavalo, muitas vezes nós já fomos em cavalgadas longe, até Iguape, então é uma pessoa que temos mais lida. Mas eu fiquei contente pela vontade e pela coragem dela, porque na verdade já fazia anos que nós estávamos tentando

trazer esse desfile para a área da cidade. Então você vê, é uma pessoa que não é do meio, mas deu chance, oportunidade, fez todo o possível para o evento acontecer. Eu só tenho a agradecer a ela e a todo mundo que colaborou de algum jeito. IN – Quais foram as comitivas que participaram do evento? Emerson – As comitivas da Associação Tropeira de Itararé, Caiçara Hospedaria de Equinos, Santa Bárbara, Matão, Santa Cruz dos Lopes, Aparecida do Salto, Irmãos Pingurim, tinha gente de Itapeva, Estância Ana Júlia, Estância Perúcio, Estância Santa Rosa e a turma de Cotia. IN – Qual foi o caminho seguido pelos cavaleiros? Emerson – Nós saímos do Clube dos Boiadeiros, passamos pelo Caiçara, subimos a Rua São

Pedro e depois passamos pelos bairros e fomos almoçar lá no Clube. Graças a Deus deu tudo certo, a comida deu e sobrou, depois o baile foi até às 22h sem nenhuma confusão ou briga e tudo correu nos conformes. Nós também tivemos o Leilão da Potranca, que foi beneficente, em benefício à mãe do Siribi, que está doente. IN – Algum agradecimento?

Eleita a Miss Itararé 2013

Após reclamações Farmai tem finalmente fila preferencial

D

1ª Princesa, Miss Itararé 2013 e a 2ª Princesa

Neste sábado (24), aconteceu o concurso Miss Itararé 2013, uma parceria entre a Prefeitura Municipal e a Santa Casa de Misericórdia, cujo objetivo foi arrecadar fundos para o nosso hospital. O evento contou com a presença de diversas autoridades e foi produzido com muito brilho e glamour e o resultado se deu após à 01h30 de domingo. O mestre de cerimônia foi Danilo Jorge da Rádio 94, que contagiou a todos com seu carisma. Após desfilarem com roupa casual, traje e banho e roupa social as 8 belas candidatas, puderam exibir seus dotes e carismas diante dos juízes e de todos os convidados em um último desfile mais informal. As

candidatas também tiveram que responder a uma pergunta surpresa e pessoal. Durante o evento foram sorteados brindes ofertados pelo CENAI. Depois de muita espera e gritos das torcidas organizadas, finalmente foi dado o resultado, sendo eleita Miss Simpatia 2013 - Laura Zambianco Tonelli, com 106 pontos; 2ª Princesa – Inglidyara Helena Del Antônio, com 117 pontos; 1ª Princesa – Cristiane Francisconi, com 136 pontos e Miss Itararé 2013, Kamila Samatha F. Camargo Rosa, com 144 pontos. Após muito choro e emoção Kamila Samantha falou a nossa equipe de reportagem: “É muita emoção, eu não estava esperando por isso, então fiquei muito

surpresa. Não tenho nem palavras para o que estou sentido agora mais é uma honra representar Itararé”.

Miss Simpatia

Emerson – Eu queria agradecer a todos os cavaleiros, a todos que colaboraram, ao pessoal da limpeza, as pessoas que correram atrás, compraram camisa, porque as comitivas estavam todas uniformizadas. Quero agradecer a Prefeitura, a todos os colaboradores e ao Chicão, que dá sempre essa oportunidade de divulgarmos o nosso trabalho no jornal.

urante a semana passada surgiram várias denúncias sobre o fato da Farmai – Farmácia de Manipulação da Prefeitura de Itararé, não possuir fila preferencial. Por ser o ponto de entrega de medicamentos gratuitos do município, geralmente existe uma grande fila no local e a falta de atendimento prioritário tona-se sofrível para idosos, gestantes, deficientes e mães com crianças de colo. Nossa equipe de reportagem apurou os fatos e, segundo a secretária da Saúde, Jaqueline Nunes após as denúncias o problema já foi resolvido e agora encontra-se disponível na Farmai a tão solicitada fila preferencial. Segundo a secretária porém, a atitude não muda o fato de que é muito difícil um atendimento técnico e humanizado com a atual estrutura que tem a Farmai. Devido a isso medidas já estão sendo tomadas para que se encontre um novo local para o funcionamento da mesma. Em entrevista a secretária da Saúde falou sobre este benefício: IN - Houve denúncias de que não haveria fila de atendimento preferencial na Farmai. Essa informação procede? Jaqueline - A informação é, em parte, verdadeira. O atendimento preferencial não acontece de forma protocolar e eficaz. Hoje contamos com uma estrutura muito inadequada para o atendimento da população na assistência farmacêutica, e essa estrutura ruim dificulta um atendimen-

to de qualidade. Temos atendido uma média de 500 pacientes por dia, numa estrutura que nem sequer permite a formação de filas. IN - A Secretaria da Saúde já tomou alguma providência quanto a isso? Jaqueline - Sim, estamos procurando resolver essa questão com a maior brevidade, através de um local mais apropriado, que possibilite o atendimento adequado para todos os pacientes. De forma imediata, adotamos algumas medidas para garantir o atendimento preferencial, no entanto, ressaltamos que atual estrutura da Farmai dificulta muito o atendimento técnico e humanizado. IN- Por que antes não havia fila preferencial? Jaqueline - De certa forma sempre houve, mas pelo número de atendimentos e as limitações do espaço físico, alguns pacientes podem ter sido negligenciados. IN - As denúncias foram importantes para que houvesse essa mudança?  Jaqueline - As denúncias e as reclamações são muito importantes e devem ser consideradas

para que possamos identificar as fragilidades do serviço e repensar nossa prática. Também é importante ressaltar que a Secretaria de Saúde possui um serviço de Ouvidoria, que é fundamental para que os pacientes manifestem suas reclamações e sugestões para melhorar o serviço. IN - Como vai funcionar e quem pode utilizar dos benefícios da fila preferencial? Jaqueline - Já está assegurado o atendimento prioritário para idosos, gestantes e adultos com crianças de colo. IN - A Secretaria da Saúde deseja mandar algum recado à população? Jaqueline - Gostaria de pedir desculpas à população de Itararé, dizer que sabemos dos pontos sensíveis da nossa rede assistencial, e garantir que estamos trabalhando muito para oferecer qualidade no atendimento. Também gostaria de pedir que as pessoas procurem o serviço de Ouvidoria, manifestem suas reclamações e sugestões, para contribuir com a nossa administração. 


07

27 de agosto de 2013

Itararé recebe retroescavadeira do Governo Federal Itararé recebeu no dia 20 uma retroescavadeira do Governo Federal. A iniciativa veio da presidenta Dilma Rousseff, juntamente com o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, que entregaram no dia 19, em São Bernardo do Campo, as chaves de 100 retroescavadeiras a prefeitos de 100 municípios paulistas, sendo Itararé um dos contemplados. A ação, cujo investimento soma R$ 14,6 milhões, pretende beneficiar 312 mil moradores do campo em todo o Estado. Com a entrega, os agricultores podem garantir a manutenção das estradas vicinais, essenciais para o transporte de pessoas e da produção agrícola. Itararé se destacou durante a entrega em São Bernardo, onde a prefeita Cristina Ghizzi se fez presente pessoalmente levando uma faixa de agradecimento à presidenta, que foi exibida na passeata da apresentação da máquina no centro de nossa ci-

dade no dia 20. A repercussão foi grande, sendo que a presidenta, em seu discurso fez menção pessoal a Itararé. Esta iniciativa faz parte da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2 Equipamentos), do Governo Federal. O Estado de São Paulo já recebeu outras 244 retroescavadeiras e o investimento, com a entrega desta, chega a quase R$ 50 milhões. Em seu discurso, a presidenta Dilma Rousseff também confirmou o compromisso com os brasileiros, especialmente com os mais necessitados. “Firmei um compromisso de não descuidar dos interesses dos trabalhadores. Temos que olhar aqueles que mais precisam dentro do País. Eu me comprometi a honrar as mulheres brasileiras, pelo fato de ser a primeira mulher eleita, e todo o povo desse Brasil, principalmente os mais pobres e trabalhadores”, afirmou Dilma. A presiden-

ta disse, ainda, que o Governo vem avançando para melhorar as estradas, principal objetivo das máquinas retroescavadeiras. “Essa medida é para reconhecer que o Brasil dos pequenos municípios é essencial para darmos um salto no desenvolvimento. Por isso, temos olhado com interesse especial para eles, garantindo mais autonomia.” O ministro Pepe Vargas adiantou que os municípios paulistas com menos de 50 mil habitantes vão receber, também, motoniveladoras e caminhõescaçamba, o qual Itararé se enquadra. “O PAC prevê grandes obras para infraestrutura logística, mas também pensou na estrada vicinal, nos municípios de menor população, onde temos o grosso da produção agrícola do Brasil. São 30 milhões de brasileiros e brasileiras no campo. Foi para eles que pensamos em um desenvolvimento rural sustentável em sua pleni-

tude”, avisou. Junto com as máquinas, a presidenta Dilma Rousseff anunciou para municípios paulistas

mais de R$ 2 bilhões em obras de infraestrutura, de mobilidade urbana, contenção de encostas e o Programa Minha Casa,

Igreja Católica realizou o Cerco de Jericó

A

Igreja Católica de Itararé realizou na última semana o Cerco de Jericó, o qual reuniu diversos fieis durante 7 dias e 7 noites de fervorosa oração diante de Jesus, como nos contou em entrevista o organizador do evento Alexandre Alves Ribeiro, confira: IN - O que é o Cerco de Jericó? Alexandre - O Cerco de Jericó são 7 dias e 7 noites de fervorosa oração diante de Jesus  no Santíssimo Sacramento, inspirado na passagem do antigo testamento do livro de Josué, capítulo 6, onde o povo eleito, caminhando rumo a terra prometida, se vê impedido de continuar diante das grandes muralhas da cidade de Jericó. Obedecendo a voz de Deus, Josué, filho de Num e sucessor de Moisés, convoca todo o povo a orar fervorosamente rodeando as muralhas de Jericó.  Josué e todo o povo acreditaram na promessa de Deus e depois de 7 dias e 7 noites alcançaram a vitória. As muralhas de Jericó caíram, porque o Senhor é fiel e cumpre suas promessas. Nos nossos dias colocamonos diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento e confiantes no poder da oração, pedimos que Ele derrube as muralhas que nos impedem de tomarmos posse de uma vida mais santa e feliz. IN - Qual a finalidade da comemoração? Alexandre - O termo não é

bem de comemoração, mas clamor, súplica e louvor, que tem por finalidade levar todo o povo participante a ter uma experiência profunda com Jesus Cristo, o único que tem o poder de nos curar, libertar e derrubar as barreiras que nos afastam da graça e do amor de Deus. IN - Qual o seu parecer sobre o Cerco de Jericó deste ano? Alexandre - Foi maravilhoso, foi uma semana de muita graça e bênção para nossa Paró-

quia e nossa cidade. Com certeza Jesus realizou milagres, sinais e prodígios em nosso meio. Como os anos anteriores, tivemos uma grande participação da comunidade, que acredito, saiu renovada deste “Kairós”, tempo de graça que vivenciamos em nossa cidade. IN - Qual foi o tema? E os subtemas? Alexandre - Em obediência

a Santa Mãe Igreja, que vive o Ano da Fé, e a RCC (Renovação Carismática Católica) movimento que organiza esse evento em nossa cidade, seguimos a Moção Profética, o Tema Principal, que a RCC de todo o Brasil vive esse ano, “Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” (I Jo 5,4b). Os subtemas que vivemos a cada dia, foram discernidos em cima do tema a Fé. IN - Quais os padres que participaram e de onde vieram? Alexandre - Padre Luciano Romero - São caetano do Sul/SP, Padre Jiucinei – Itararé, Padre Flávio - Fartura/SP, Padre Marcos - Votorantim/SP, Padre Tiago - Itaporanga/ SP, Padre Vanderlei Praia Grande/SP, Padre Ivan Pedro - Jaguariaíva/ PR e Padre José Roberto São Paulo/SP. IN - O cerco de Jericó este ano atraiu muitos fiéis? Alexandre - Sim, como os anos anteriores, mas temos notado que há um crescimento no número de participantes. Este ano tivemos uma média de 1000 a 2000 pessoas todos os dias. IN - Os jovens se fizeram presentes também? Alexandre - Muitos jovens, graças a Deus. A nossa juventude depois que se encontra com Jesus Cristo tem muita sede de Deus e para a nossa alegria este ano tinha um número expressivo dos nossos jovens.

IN - Qual a mensagem que a Igreja deseja deixar neste momento? Alexandre - Não tenho a condição de responder pela Igreja, mas como RCC, sendo o coordenador em nossa paróquia, a mensagem que deixamos, é que pela Fé em Jesus Cristo é que alcançamos as vitórias em nossas vidas, que não existe salvação fora de Jesus Cristo, que temos que aproveitar esse tempo de graça, esse Ano da Fé, e fortalecermos a nossa fé em Deus para vivermos, já aqui nesse mundo, o plano de felicidade que Deus tem para cada um de nós.

Minha Vida. “Avançamos muito, mas temos que enfrentar sempre novos desafios”, finalizou a presidenta Dilma Rousseff.


08

27 de agosto de 2013

Câmara entrega Títulos de Cidadania Na sexta-feira (23), aconteceu na Câmara Municipal, a Solenidade de Entrega de Títulos de Cidadão Itarareense. Os 13 vereadores escolheram um homenageado, que segundo eles mereceu tal honraria pelos relevantes serviços prestados ao município. A cerimônia emocionou todos os presentes. Estiveram presentes várias autoridades, incluindo a prefeita de Itararé Cristina Ghizzi, o prefeito de Itapeva Roberto Cameron e sua esposa Silvia Stecca, o presidente da Câmara de Tatuí Osvaldo Laranjeira Filho, o delegado Dr. Vitor Bacetti, entre outros grandes nomes de nossa região. No início da cerimônia também foi homenageado o atirador Anderson Matheus Calazans Mattos Gaia, que recebeu o diploma de “Atirador Destaque do ano” de 2013 pelo subtenente do Tiro de Guerra, Robson Selas Jorge, também um dos homenageados. A solenidade ainda contou com a presença da dupla Claudinho e Paulo Pipoca, que honraram a todos com diversos números musicais apresentados durante a cerimônia. Juari Isaías da Rosa – Responsável técnico pelo Escritório de Contabilidade Itarareense é sócio-proprietário de outras empresas como a CFC Brasília Ltda., Auto Escola Brasília, CFC Sul Paulista Ltda., Centro de Formação de Condutores Teórico, J.R. Imobiliária, Caiçara Corretores de Seguros e G15 Construtora e Incorporadora. Participa ativamente como colaborador de diversas entidades filantrópicas, clubes e associações, dentre as quais destacamos: Associação de Pais e Mestres dos Excepcionais, Santa Casa de Misericórdia, Associação Comercial e Industrial, Loja Maçônica Amor e Justiça, Clube Atlético Fronteira e Associação Atlética Itararé. Subtenente Robson Selas Jorge – Cursou diversos cursos de formação militar por todo o Brasil (incluindo Bacharel em Administração de Empresas e

Especialização e atualização Pedagógica), trabalhou em muitas cidades do país, onde recebeu diversas condecorações pelo Exército Brasileiro. Participou ativamente de diversas atividades como Operações de Patrulha Tríplice Fronteira (Peru, Bolívia e Colômbia) e visitou praticamente todos os tiros de Guerra do Estado de São Paulo, onde foi o responsável pelo controle dos instrutores e atiradores. Atualmente atua no TG-02/ 17 de Itararé. Armando Taliberti Júnior – Técnico de Análises Clínicas, com intuito de aprimoramento profissional, iniciou o curso de Bacharelado em Ciências Biológicas, modalidade médica, formando-se em 1983, Biomédico. No mesmo ano, transferiu residência para Itararé, onde trabalhou no Laboratório Labormed, que prestava assistência na Santa Casa de Misericórdia de Itararé, sendo o único da cidade. Em 1988 iniciou as atividades de sua própria empresa, constituindo o Laboratório de Análises Clínicas Biolabor, onde até hoje é diretor administrativo, o qual tem franquias, que ao todo geram mais de 50 empregos. São 25 anos de dedicação à empresa, que tem sua sede em Itararé e presta relevantes serviços a saúde do município. Deputado Estadual Ulysses Mário Tassinari - Formado na faculdade de Medicina da USP, trabalhou no Hospital das Clínicas, porém devido ao seu desejo de voltar ao interior logo se estabeleceu em Itapeva trabalhando em clínica particular e na Santa Casa. Foi por duas vezes diretor Clínico da Santa Casa de Itapeva, Diretor da Unimed, Médico do Departamento de Saúde Escolar e médico do Iamsp. Também foi diretor do Lar Vicentino por 30 anos, onde trabalha como médico voluntário há 42. Atua também na Comunidade Terapêutica Mãe da Vida desde sua fundação há 11 anos. Foi presidente do Gabinete de Leitura Itapevense e personalidade sempre presente em eventos beneficentes e religio-

sos. Membro atuante do Conselho Municipal de Saúde e do Controle Social do SUS de Itapeva. Atuou como vereador, apresentou projetos sociais, foi eleito vice-prefeito em 2008, e em 2010 conquistou uma cadeira no parlamento estadual. Tenente PM Edson Mendes de Oliveira – Ingressou na Força Pública de São Paulo em 1970, prestou vários concursos na área da PM onde obteve grande sucesso e recebeu várias promoções. Em 2000, após 30 anos de serviços prestados à Polícia Militar no Estado de São Paulo pediu passagem para reserva e veio a residir em Itararé. Em 2002, a pedido do prefeito João Fadel, coordenou o curso de formação dos Guardas Municipais, onde posteriormente assumiu a direção permanecendo como Comandante da Corporação até 2006. Em 2009 adentrou ao secretariado da administração do ex-prefeito César Perúcio. Em 2012 reassumiu o comando da Guarda Civil. Padre Jiucinei Vandes de Jesus Cambuí – Cursou magistério e técnico de contabilidade, onde exerceu este último por dois anos. Em 1997 ingressou no seminário de Ribeirão Preto e posteriormente cursou Filosofia na PUC. Ordenou-se sacerdote, e em 2007 chegou a Itararé com a missão de auxiliar. Em 2009 tornou-se padre titular frente à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, onde desde então deu início a inúmeras reformas e construções na abadia, consequentemente gerando muitos empregos diretos e indiretos na cidade. Padre Nei, como é carinhosamente conhecido, resgatou o sonho da construção da torre da igreja Matriz, além de outras benfeitorias nas comunidades católicas de Itararé. Padre Nei mantém as Pastorais da Criança, da Saúde e Vicentino, além de mais três projetos sociais da paróquia: Pequenos Passos, I e II, e as refeições que são servidas três vezes por semana no Jardim Alvorada. É membro do Conselho Diocesano, bem como do Colé-

gio de Consultores, e está cursando o 8° semestre do curso de Direito das Faculdades Fafit/ Facic. Gilmar Ramalho de Faria – Possui desde 93 uma indústria de compensados em Itararé. Atualmente trabalha no ramo de serraria, mais precisamente com o beneficiamento de madeira, sendo a produção destinada a fabricação de pallets. Sua empresa vem colaborando sobremaneira com o progresso de Itararé, gerando mais de 20 empregos diretos e aproximadamente 60 indiretos, sendo essas vagas preenchidas preferencialmente por itarareenses. Capitão PM Adriana Duch Machado - Natural de Itapeva foi admitida na Polícia Militar em janeiro de 1992. É graduada pela Academia de Polícia Militar de Barro Branco, onde foi declarada aspirante à policial PM e depois de diversas ascensões foi proclamada em dezembro de 2008 à capitão. Concluiu em 2012 o Mestrado Profissional em Ciências Policiais da Segurança de ordem pública, que habilita à promoção no posto de Major PM. Fez diversos cursos de habilitação, serviu em vários batalhões da Polícia Militar, onde recebeu diversas condecorações. Trabalhou no policiamento ostensivo de Rua em São Paulo na formação de sargentos e oficiais. Em 2006 com a criação do 54º Batalhão da Polícia Militar do Interior foi designada para trabalhar na nova unidade, em Itapeva. Atualmente é a comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar com sede em Itararé, contando com um efetivo de 87 PMs, onde presta relevantes serviços ao município e onde é muito admirada por suas ações atuantes na segurança pública municipal. Pastor Conrado Longo Tagliatela – Cursou Administração e Técnico em Processamento de Dados em Lençóis Paulista, veio para Itararé em 1998 para prestar serviços ao Centrinho de Bauru. Exerce a função de coordenador administrativo na empresa Paranagro, cursou Teolo-

gia em Ponta Grossa, e em 2009 assumiu como pastor titular a Igreja do Evangelho Quadrangular no Jardim Alvorada, onde com trabalho e dedicação conseguiu comprar um terreno no Jardim Dona Anésia, onde em breve será construída uma nova Igreja. Irmã Inês Caneva – Natural de Verona, na Itália, de família tradicionalmente católica teve uma formação religiosa desde sua infância, e com 17 anos entrou para a Congregação das Irmãs da Sagrada Família. Veio para o Brasil em fevereiro de 1983, e chegou a Itararé no ano de 2001, onde desde então vem colaborando nas atividades pastorais desenvolvidas na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, tais como: catequese, familiar, liturgias, saúde vocacional e exéquias. A Congregação mantém em Itararé o projeto “Pequenos Passos”, que consiste em acompanhar e manter relacionamento com famílias da Itália, que ajudam as famílias carentes de nosso município. O atendimento a essas famílias é realizado na própria residência das Irmãs, mas também são efetuadas frequentes visitas nas casas dos assistidos do Projeto, procurando, na medida do possível, ajudar na formação dos pequenos. Renato Teruo Saito – Graduado em Engenharia Civil, Renato iniciou sua vida profissional em Curitiba, porém logo veio viver em Itararé, onde atuou como profissional nas áreas de engenharia, topografia e nomeação como perito nas comarcas de vários municípios da região. Na década de 80 foi secretário da Secretaria de Engenharia e Obras Públicas da Prefeitura. Ao longo de suas atividades profissionais realizou várias especializações, entre elas curso de Engenharia de Segurança do Trabalho e curso de Perícias em Ações Imobiliárias. Renato trabalha atualmente em georeferenciamento de imóveis rurais, projetos de construção civil e estruturais, realizando perícias,

setor onde goza de muito prestígio perante a sociedade e os colegas de profissão. Francisco Antônio Araújo Nascido no dia 12 de novembro de 1924 na cidade de Faxina, hoje denominada Itapeva, em 1926, aos dois anos de idade, veio junto com seus pais para a Fazenda São Pedro, denominada posteriormente de Itararé. Os pais de Francisco compraram terras e construíram a sua propriedade, formando uma grande fazenda de criação de gado, porcos, dentre outros animais. Com muito trabalho e honestidade veio residir no Bairro do Cruzeiro quando tinha 38 anos, juntamente com sua esposa e filhos. Aos poucos o Bairro do Cruzeiro foi se formando e Francisco Antônio de Araújo mais conhecido como Chico Araújo, estava sempre pronto para ajudar os parentes e vizinhos que vieram aos poucos residir na vila. Assim como o bairro, a família cresceu, os filhos se casaram e hoje Chico Araújo possui genros, noras, netos, bisnetos e tataranetos totalizando mais de 100 pessoas ligadas diretamente a ele. Dr. Fernando Oliveira Camargo - Formado em Direito pela UniFMU em 2003, fez curso de extensão perante a Escola Superior de Magistratura do Distrito Federal e de Direito Eleitoral - LFG. De 2003 a 2009, trabalhou no escritório de Advocacia Criminal e Cível Teló e Advogados Associados. Ingressou na Magistratura em abril de 2009, exercendo inicialmente as funções de Juiz Substituto na Circunscrição Judiciária de Jundiaí até dezembro de 2009, judiciando em diversas comarcas da região. Foi juiz Titular da 1ª Vara de Itararé até dezembro de 2012 exercendo as funções de corregedor da Cadeia, corregedor do Cartório de Registro de Imóveis, juiz Eleitoral, coordenador do CEJUSC e diretor do Fórum. Atualmente responde ao cargo de juiz Auxiliar da capital, exercendo as funções no 3º Tribunal do Júri da Capital.

Francisco Antônio Araújo

Tenente PM Edson Mendes de Oliveira

Irmã Inês Caneva

Renato Teruo Saito

Capitão PM Adriana Duch

Gilmar Ramalho de Faria

Padre Jiucinei Vandes de Jesus Cambuí

Pastor Conrado Longo Tagliatela

Armando Taliberti Júnior

DeputadoEstadual Ulysses Mário Tassinari

Subtenente Robson Selas Jorge

Juari Isaías da Rosa

Dr. Fernando Oliveira Camargo


09

27 de agosto de 2013

Espetáculo “Piparote” gerou euforia na criançada! U ma parceria com o Circuito Cultural Paulista levou o Circo da Família Burg com o espetáculo “Piparote: uma aventura contada pelo circo” à Praça São Pedro no dia 22. A atração contou com uma enorme plateia de crianças, vindas das escolas municipais e também algumas particulares, que ficaram eufóricas com as trapalhadas dos palhaços. O cenário do espetáculo foi um beco sem nada para comer, onde os famintos Gonçalvez e Sepúlveda estavam de olho em qualquer coisa que se mova para matar a sua fome. Eis que surge uma galinha e com ela também um ovo! A galinha passa todos os quadros a ludibriar as tentativas dos dois famintos em capturá-la. O espetáculo contou com trilha sonora original executada ao vivo e também diálogos próprios, criados pelos desafinados atores que viveram aventuras e desventuras em busca do ovo.  O tom de humor do espetáculo se deve à experimentação das gags clássicas transmitidas

por Leris Colombaioni, um olhar sensível e generoso nas orientações de Ricardo Pucetti e Naomi Silman sobre as relações entre as figuras que o grupo propõe e, finalmente, tem um tom poético, no habilidoso arranjo musical de Edu Guimarães. A recente parceria da Prefeitura Municipal de Itararé com o Circuito Cultural Paulista, conquistada este ano pela Coordenadoria de Cultura, vem trazendo belas atrações culturais para nossa cidade e ainda promete mais eventos futuros. Em entrevista à nossa equipe de reportagem o Coordenador de Cultura, Murilo Cleto, nos falou a respeito de mais essa conquista: IN – Qual a importância desse tipo de espetáculo para o município? Coordenador – A importância desse espetáculo, assim como todos os outros do Circuito Cultural é formar público, o que para nós talvez seja o maior compromisso ao se pensar em política cultural de fato. Então a ideia do Circuito, assim como a maioria dos programas neste sentido, é formar público

para que se habitue à população a comparecer a espetáculos desse porte, desse nível, e que de fato haja uma formatação cultural. IN – Quem esta acompanhando os eventos culturais que estão sendo desenvolvidos na cidade está percebendo que esta formação de público realmente está aumentando? Coordenador – Pois é, e nós esperamos que esse seja um processo que continue sempre ascendente, para que, se hoje nós temos um público de 500 pessoas, que amanhã sejam 600 e que esse número sempre cresça, por que basicamente o objetivo é esse. IN – Esse é um espetáculo bem comentado? Coordenador – Bem comentado e nós acreditamos que dessa conseguiremos substituir a ideia de que cultura é pura e simplesmente evento, principalmente evento de massa. Entendemos que cultura é isso. Inclusive essa cultura de rua, essa que tem uma interação direta com o público, interage com ele e o faz também parte do espetáculo.

IN – Vieram muitas escolas? Coordenador – Sim. Nós nos comunicamos com a Secretaria de Educação para que as escolas trouxessem os alunos de modo a preencher o espaço necessário aqui da Praça. De acordo com o interesse e a disponibilidade da Secretaria da Educação os alu-

nos foram chamados e inclusive foi por isso que foi programado para esse horário, às 15h. Nós fizemos a divulgação em todos os colégios, escolas municipais e estaduais, enfim, veio quem quis. IN – Que mensagem você deixa à população?

Coordenador – O que ainda restar da nossa programação especial para o mês de agosto que as pessoas compareçam para valorizar essa programação tão especial que organizamos para essa cidade, que merece tanto que é Itararé e que agora completa 120 anos.

Filho denuncia negligência médica

N

ossa equipe de reportagem foi procurada pelo Sr. Edemilson Antonio Jacinto, que veio nos trazer uma séria denúncia de negligência médica na Santa Casa de Misericórdia de Itararé. Críticas à falta de qualidade dos atendimentos e ao desrespeito ao paciente já são frequentes no hospital, porém desta vez o descaso teria levado à morte o pai do denunciante, Gasparino Antônio Jacinto, que havia sofrido um acidente de bicicleta ao bater na traseira de uma carreta. O médico chegou quase três horas depois da entrada do paciente no hospital, o qual alega que não foi solicitado na hora do ocorrido. Em entrevista à nossa equipe de reportagem Edemilson falou sobre o que aconteceu com seu pai, confira: IN – Qual o motivo de sua procura por nossa equipe de reportagem? Edemilson – No dia 22 de julho, próximo ao meio dia eu tive a notícia de que meu pai teria sido vítima de um acidente. Fui até ao hospital e ao chegar lá percebi que ele estava na maca do Corpo de Bombeiros, com o colar cervical. De imediato eu percebi que ele estava com alguns sinais de hemorragia, com palidez no pescoço. Eu perguntei para a mocinha que estava próximo dele o que tinha acontecido e ela não deu nenhuma resposta cabível sobre o que tinha ocorrido realmente. Eu falei que ia até a Delegacia para me inteirar corretamente do que havia acontecido. Eu fiquei nervoso com a situação que eu encontrei lá. Porém, quando eu estava saindo houve um questionamento, falaram que eu não poderia sair do local, que havia uma lei e meu pai teria que ser acompanhado. Eu falei que não estava me recusando a permanecer ali, afinal é interesse meu, é meu pai, mas eu queria saber o que de fato havia

do emocionalmente. E afirmei para ele: ‘eu conheço o hospital, conheço o atendimento’. Naquele momento ele me falou que a segurança pública também não estava àquelas coisas. Houve um desentendimento e ele chamou a Polícia. Aí vieram umas meninas da enfermagem fazer curativos no meu pai, fizeram uma sutura e veio também a chefe Sr. Gasparino Antonio Jacinto - “Faleceu no mês passado devido à negligência de enfermagem, médica na Santa Casa de Itararé”, diz filho. olhou, observou, mas só que naquele moacontecido. Aí eu fui até a Dele- mento eles focaram mais na gacia e lá fiquei sabendo que o minha conduta, do que no meu acidente era mais grave. Não pai e deixaram de observar coihavia sido uma simples queda sas importantes. A hemorragia de bicicleta, uma lesãozinha interna era evidente. Ele estava qualquer, ele bateu numa carre- com sudorese, com as mãos ta, era grave. Voltei ao hospital bem frias e gemendo de dor. e ele já estava sendo leva do até Pelo fato deles não terem obsera sala de raio-x. Eu o acompa- vado isso o tempo foi passannhei, sempre dizendo ‘fica tran- do. Pelo que eu vi no prontuário quilo pai, o senhor está bem, ele foi admitido às 11h50. Era apesar de ter batido numa car- 14h30 e o ortopedista ainda não reta o senhor está bom’. Só que tinha chegado. Minha mulher ele voltou depois para a recep- me disse ‘nossa, seu pai está ção, não foi encaminhado para muito mal, cadê o médico?’. o Centro Cirúrgico ou alguma Nessa hora eu desci novamente coisa assim. Então eu pergun- à recepção e pedi a auxiliar para tei para a enfermeira se o médi- que ligasse de novo, reiterasse, co ia olhar e ela falou que não, porque ele estava muito mal. Ela que era competência do ortope- falou que não podia, que eles já dista e que eles iriam chamá-lo. tinham ligado e que ela não poLevaram meu pai então para a dia passar por cima de outras clínica médica e ele não teve pessoas. Eu insisti, falei que o mais nenhuma avaliação. No pai estava vomitando, que ele momento que nós estávamos era idoso e estava com sinais chegando veio um dos auxilia- de hemorragia. Ela então ligou, res de enfermagem questionan- ficou um tempo ao telefone, eu do minha conduta lá na frente. fui falando o que ele tinha e ela Ele havia estudado comigo e foi repassando ao médico por veio questionar sobre porque eu telefone. Em poucos minutos o estava causando transtorno, médico chegou até lá. Ele foi até pois segundo ele devido à mi- mim questionou sobre o que nha profissão eu devia ter mais havia acontecido. Eu disse que postura naquela situação. Eu ele havia batido na traseira de falei que, apesar da minha pro- uma carreta e que eu estava fissão como policial, apesar de achando que ele estava com aleu ser formado em enfermagem, guma fratura interna que estaera meu pai e eu estava envolvi- ria causando hemorragia. Meu

pai ainda estava lúcido, de olhos fechados de dor, mas falando, inclusive pedindo calma, porque ele percebia a confusão ali dentro. O médico pegou na mão do meu pai, sentiu a frieza e pediu para que imediatamente ele fosse levado à sala de cirurgia. Ele começou a gritar ‘cadê a enfermeira?’, ‘por que ninguém ainda procurou nenhum acesso no paciente?’, ‘tragam o soro!’. As enfermeiras vieram, eles tentaram o acesso, não conseguiram e já o encaminharam para o Centro Cirúrgico. Lá ele foi a óbito. Antes disso eu fui até a recepção e perguntei se tinha condições de transporta-lo, levá-lo até Itapeva, mas eles disseram que não. Depois que ele foi a óbito o doutor veio, conversou com a gente, falou que não haviam avisado ele antes, que assim que avisaram ele foi até lá. O outro médico que atendeu o atendimento disse que havia visto que tinha uma fratura e que havia chamado o ortopedista e não podia fazer mais nada. Não sei em qual momento durante essa história o médico prescreveu o soro para o meu pai, mas a enfermeira relatou lá no prontuário ‘o soro foi prescrito após o óbito do paciente’. Ou seja, pelo que eu entendi ali, meu pai foi admitido e não tiveram o cuidado nem de prescrever um soro para mantê-lo hidratado. Naquele momento, quando eu recebi a notícia do óbito fiquei nervoso novamente, mas naqueles segundos que a gente tem para pensar numa hora dessas eu comecei a pensar que, ninguém tinha culpa dele ter se acidentado, mas se tem um hospital é para isso. Eu então fui até a portaria, solicitei a interventora, ela não estava disponível e eu então solicitei todos os prontuários médicos, desde a entrada dele no hospital até o óbito. Eu falei que queria a necropsia também, no mesmo dia. Alguém

lá, não sei quem, falou algo de ‘ah, porque tem que pagar’. Eu falei tudo bem, eu pago, mas eu quero hoje. Quero que hoje ele seja encaminhado para que seja feito uma necropsia. Ele foi encaminhado e eu fiquei lá, a interventora ligou, me orientou que eu podia ter toda a documentação, mas só mediante requerimento. Eu disse que eu sabia disso, mas que o que eu queria era a garantia de que não haveria alteração nesses documentos. Até o dia seguinte seria muito tempo. Ela mandou então uma pessoa responsável pela documentação. Bem rapidamente me foram fornecidos todos os documentos que eu pedi. Eu não tenho queixa nenhuma quando a interventora. Eu acho que tudo o que ela podia fazer naquele momento ela fez. Assim que eu consegui a documentação eu registei um B.O. de ‘negligência médica’ e procurei um advogado para tomar as devidas providências. A partir daí eu usei todos os dias que eu tive de luto no trabalho para ir atrás disso, fui todos os dias na Santa Casa para acompanhar. Sempre que eu chegava lá ou estavam em reunião, ou não podiam me atender, mas a secretária ia me transmitindo as informações. Infelizmente depois houve a saída da interventora e aí começou mais um impasse, por que ‘quem responde?’. Não havia mais ninguém para responder. O problema está no fato de que o médico plantonista que estava lá tinha que informar o ortopedista. Eles afirmam que o ortopedista foi acionado, mas que não compareceu. O ortopedista falou para mim que só ligaram para ele depois das 14h, ou seja, depois que eu insisti para a secretária ligar novamente. Se eles comprovarem que ligaram para ele e ele não foi, houve negligência da parte dele também. Se não ligaram, apenas depois que eu

insisti houve negligência do hospital. Só que aí a enfermeira diz que a obrigação de ligar é do médico plantonista, não da equipe de enfermagem. Então um joga a responsabilidade para o outro. Devido a isso eu então pedi uma avaliação da conduta de ambos os médicos e uma sindicância do hospital. Vai ser aberto um inquérito, pode ser que alguém seja responsabilizado por isso, mas o que eu quero dizer é que meu pai não vai voltar. As coisas não vão mudar. E acho importante que todos reclamem, que todos denunciem se não tiverem recebido o devido tratamento na Santa Casa. Às vezes preferimos deixar quieto, achamos que as coisas são assim mesmo, até que algo mais grave acontece e aí já não tem volta. Devemos procurar outros meios para denunciar, pois talvez algum dia a coisa mude. É uma pena esse tratamento que as pessoas estão recebendo lá, afinal eles lidam com vidas, né? Em contato com a Santa Casa, nossa equipe de reportagem recebeu a seguinte nota oficial: “Com relação a publicação do dia 14 p.p. do Sr. Giovane Jean Carlos dos Santos, informamos que, mesmo sem ter recebido os dados do paciente, levamos a matéria ao conhecimento dos responsáveis pelos setores e reiteramos nosso compromisso em buscar, constantemente, a prestação de serviços com qualidade, ética e respeito”. “Sobre a matéria do paciente Gasparino Antonio Jacinto, informo que toda a documentação existente e disponível já foi devidamente apresentada ao requerente Edemilson A. Jacinto. As providências internas em relação ao caso que venham a ser tomadas o são de cunho sigiloso por preceito legal”. Grato Marcos Giannella – Interventor


10

27 de agosto de 2013

7 anos da Lei Maria da Penha Em defesa da mulher brasileira

S

ancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 07 de agosto de 2006, a lei n° 11.340, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, entrou em vigor no dia 22 de setembro do mesmo ano. A nomenclatura da lei foi uma homenagem ao caso nº 12.051/OEA, de Maria da Penha Maia Fernandes, brasileira que foi espancada de forma brutal e violenta diariamente pelo marido durante seis anos de casamento, tendo este, por duas vezes, ele tentado assassiná-la, tamanho o ciúme doentio que sentia. Após a segunda tentativa de homicídio ela tomou coragem e o denunciou. O marido de Maria da Penha só foi punido depois de 19 anos de julgamento e ficou apenas dois anos em regime fechado, para revolta de Maria com o poder público. 24 horas após a sanção da lei foi preso o primeiro acusado de desrespeito à mesma, um homem que havia tentado estrangular a ex-esposa. Em vigência há quase dez anos, a Lei Maria da Penha alterou a realidade da violência doméstica e familiar contra a mulher no país, sendo vista, por muitas pessoas, como um marco na defesa dos direitos humanos. De acordo com o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas, a Unifem, a Maria da Penha é uma das três leis mais avançadas de todo o mundo.

Antes dela, agressões e ameaças eram punidas com pagamentos de multas ou de cestas básicas, pois eram consideradas crimes de menor potencial ofensivo. Com a mudança, que alterou o carcomido Código Penal de 1940, o agressor passou a ser punido com penas de até três anos de prisão. Se a vítima da agressão for portadora de algum tipo de deficiência, essa pena pode aumentar em um terço. Quando há o registro de uma ocorrência, especialmente quando existem riscos à integridade física ou psicológica da agredida, o juiz pode determinar que o agressor mantenha uma distância mínima da vítima, dos filhos e do lar, tenha seu porte de armas suspenso ou até mesmo permaneça detido preventivamente. A mais recente manifestação contra a violência da mulher é a “Marcha das Vadias”, que tem como objetivo ressalta a necessidade de desnaturalizar a violência contra a mulher. A cada três minutos uma mulher é violentada no Brasil. O Mapa da Violência 2012 mostra que, em um grupo de 87 países, o Brasil ficou em 7º lugar em número de agressões contra as mulheres. Outra abordagem marcante da marcha das vadias è combater a ideia disseminada pelo Brasil de que a mulher seria culpada pela agressão á que é submetida, crença aceita inclusive por mui-

tas mulheres do país. Nossa equipe de reportagem falou com o delegado Dr. Vitor Bacetti sobre a violência contra a mulher em nosso município. Confira a seguir: IN - Sete anos da Lei Maria da Penha. O que Itararé tem a comemorar depois da implantação dela? Delegado - Não só Itararé, mas todo o Brasil, uma vez que a lei é de caráter nacional, e principalmente ganhou a sociedade, que desde a edição da Lei Maria da Penha viu os abusos e violências que ocorriam dentro do lar, praticados pelo marido ou amásio, agora ser reprimido pelas autoridades, bastando apenas as vítimas denunciarem,  ou até mesmo qualquer outra pessoa que tiver conhecimento desses abusos cometidos contra a mulher e contra qualquer outra pessoa indefesa e vítima em âmbito familiar. IN - Qual o índice desse tipo de ocorrência em nossa cidade? Delegado - Em Itararé, proporcionalmente ao número de

Membros da ACEI se reúnem com prefeita e debatem questões importantes para o município A prefeita Cristina Ghizzi esteve na manhã dessa quintafeira, dia 22, reunida com representantes da Associação Comercial de Itararé (ACEI). A reunião foi proposta pela ACEI e tratou de assuntos importantes para o comércio local. Na ocasião foram debatidos o Mercadão Municipal e o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), segurança no município, Zona Azul, Decoração Natalina, Feira da Madrugada entre outros temas. “É a primeira vez que nos reunimos com um grupo de re-

presentantes do comércio de Itararé e é uma satisfação poder debater assuntos pertinentes ao município. Caminharemos juntos para que possamos oferecer

habitantes, felizmente o número de casos registrados não é dos mais altos, porém existem vários casos registrados e tendo sido adotadas as providências estabelecidas na lei, como a concessão de medidas protetivas as vítimas, como afastamento do agressor do lar, proibição de ter qualquer contato com a vítima e até manter distância, e por fim até mesmo a prisão do agressor. IN - Após a implantação da lei, o senhor acredita que a mulher tomou mais coragem para denunciar a violência doméstica? Delegado - Após a implantação desta lei, a mulher sentiuse mais encorajada a denunciar as agressões sofridas em virtude da lei já estabelecer uma resposta rápida ao caso, ou seja, efetuada a denúncia  o delegado de  Polícia tem 48 horas para formalizá-la, apurar os fatos ocorridos, proceder as declarações dos envolvidos, como a vítima, testemunhas e autor, empregar o auxílio policial à vítima, se for necessário, e en-

caminhá-las ao Poder judiciário, onde o juiz terá também um prazo máximo de 48 horas para decidir qual providência adotará no caso específico, sempre lembrando que dependendo a situação o agressor poderá ser autuado em Flagrante Delito e ser preso, salientando que por essa nova lei, não cabe fiança criminal, ou seja o autor será  conduzido ao presídio. IN - Dos casos que surgem em média quantos dão prosseguimento? Delegado - Dos casos que surgem, como diz respeito à dignidade individual da vítima, ou seja da mulher, cabe a ela e tão somente a ela manifestar o desejo de que seja aplicada a lei, como por exemplo a concessão de medidas protetivas e representar criminalmente para que  o caso tenha continuidade. Lamentavelmente das denúncias efetuadas, apenas cerca de 25% das vítimas dão continuidade ao processo relativo a essas denúncias. IN - Como é o procedimento para se fazer a denúncia?

Delegado - Basta a vítima acionar a presença da Polícia no local, através do Fone 190 da Polícia Militar, ou dirigir-se pessoalmente à Delegacia de Polícia e comunicar a autoridade  policial sobre o ocorrido, onde serão efetuadas as providências estabelecidas na LEI. IN - O que o senhor diria às mulheres que ainda sentem medo de denunciar a violência doméstica?  Delegado - Por derradeiro na qualidade de autoridade policial, conclamo as mulheres que são vítimas de violência doméstica cometida pelo companheiro, que não aceite essa situação passivamente e tão pouco tenha medo de denunciar, pois esses valentões só cessarão essas ameaças e agressões quando souberem que as autoridades estão cientes do que  está ocorrendo e as penalidades que advirão por conta das agressões por eles praticadas. Portanto saibam as mulheres a fazer uso desta lei que veio para protegê-las, a si e a sua família, seus filhos e principalmente sua dignidade, pois a mulher que acostuma-se a sofrer agressões e ameaças e nada faz para impedir acaba por ser cúmplice dessas agressões. A Polícia e o Poder Judiciário apenas executam as providências no sentido de reprimir o que está acontecendo, mas quem pode definitivamente tomar a maior providência para que isto não mais ocorra são as vítimas, que podem contar com nossos préstimos. NÃO SE CONFORME COM SUA SITUAÇÃO, VOCE NÃO É INFERIOR A SEU AGRESSOR, ELE DEVERÁ TRATÁ-LA COM RESPEITO. VOCÊ NÃO É SACO DE PANCADA DE “PSEUDO MACHÕES”, QUE GOSTAM APENAS DE MOSTRAR SUA MASCULINIDADE PARA MULHERES, QUE SÃO FISICAMENTE INFERIORES A ELES. PARA ESSE TIPO DE PESSOA, USE O QUE A LEI LHE DISPONIBILIZA.

Higiene Pessoal é tema para participantes do Geração Mulher em obstetrícia e saúde da família. As participantes desse evento foram as integrantes do programa Geração Mulher. Segundo Montiel, inúmeras doenças podem ser adquiridas devido a uma higiene inadequada. “Temos como meta conscientizar essas mulheres a respeito da importância de uma higiene pessoal bem feita e deseja-

o melhor para nossa cidade e região”, finalizou a prefeita. Assessoria de Imprensa da P.M.I

Aconteceu na quarta-feira (21), por iniciativa do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), do bairro Novo Horizonte, uma palestra conscientizadora a respeito da importância da higiene pessoal para uma boa saúde. A palestra aconteceu no teatro Sylvio Machado e foi ministrada pela enfermeira Beatriz Tabares Montiel, especialista

mos que o que elas aprendam aqui seja utilizado dentro de casa com suas famílias”. Segundo a responsável pelo CRAS Novo Horizonte, Vanessa Santos Pedroso, as participantes do programa assistem a palestras com temas diversos mensalmente para que haja conscientização a respeito de vários temas cotidianos.


11

27 de agosto de 2013

Mountain Bike em comemoração ao aniversário da cidade

F

oi realizado neste domingo (25), a 3ª Maratona MTB e 2ª Corrida Rústica de Itararé. Este evento foi organizado pelo ciclista Reinaldo Fortes, junto com a Prefeitura Municipal de Itararé. Participaram da competição de Mountain Bike aproximadamente 140 atletas e da corrida rústica aproximadamente 35 atletas, vindo de toda a região. A prova teve sua largada na Praça Euclides Figueiredo e foi dividida no Mountain Bike em três percursos de 15, 35 e 55 km e a corrida rústica teve o percurso de 10 km. As categorias disputadas para o Mountain Bike foram: Elite, Feminina. Juvenil, Junior, Sub 25, Sub 30, Master A, Master B, Master C, Master D, Over, Estreante, Cidade, Turismo, a Corrida Rústica foi dividida em Masculino e Feminino. Todos os atletas que terminaram as provas receberam medalhas e os campeões foram premiados com troféus e também teve premiação em dinheiro. “O mountain bike é um esporte no qual interagem todas as tribos. Todo mundo pode andar e essa já é a terceira maratona e os participantes estão sempre aumentando. Hoje acho que temos em torno de 150 partici-

pantes. Esse é um evento que está sempre crescendo e que só traz benefícios, tanto para a saúde pública, quanto para a mental. É muito importante as pessoas estarem sempre desenvolvendo o ciclismo através da maratona. A bicicleta está ganhando espaço no Brasil todo. Quanto mais as pessoas tem nível de consciência ecológica, e a bicicleta é um meio de transporte ecologicamente correto, mas seu uso está aumentando. Queria agradecer a presença de todos aqui no evento e espera-

mos que cada ano que passe nós possamos ter mais apoio para que esse evento cresça e nunca acabe”, disse Osmin Ferraz ciclista e comerciante do ramo. Para Guilherme Marques Gorski da tradicional Equipe 28 de Agosto este evento foi bastante importante. “Nós temos um representante no mountain bike e a maioria vai participar na corrida rústica. Nós estamos incentivando a prática da caminhada aqui na cidade então viemos para divulgar a equipe e também para participar da corrida rústi-

ca. São 10 km por estrada de terra, uma parte menor do percurso do mountain bike. Nossa equipe tem o objetivo de divulgar a prática de atividade física aqui no município, estando desde 2006 divulgando a corrida. Convidamos todos os itarareenses a participar e ver que a corrida não é só para profissionais, é para todos que se preocupam com a qualidade de vida. Para integrar à equipe basta entrar em contato com um de nós ou escrever em nosso blog, o blogspot da Equipe 28 de Agosto, ou Face-

Itararé Adventure participa de prova em Campo Largo Aconteceu no último dia 18, a 6ª Etapa do Campeonato Metropolitano de MTB na cidade de Campo Largo-PR, prova que contou com a presença de mais de 500 atletas da região com dois percursos: um de 28 para as categorias Sport sem dificuldades e outro de 45 km na categoria PRÓ mais técnico e pesado com muitas subidas e descidas fortes e uma altimetria acumulada de 1.200 metros, trilhas e muito barro. Novamente nossos atletas Reinaldo Fortes e Victor Meriguetti estiveram representando a cidade. Victor na categoria iniciante correu os 28 km e teve problema mecânico, mas conseguiu terminar a prova em 1h22, ficando em 7º na categoria e em 18º na geral. Reinaldo na categoria máster B comenta que estava bem, mas no quilômetro 25

seu pneu furou e perdeu muito tempo com a troca. “Perdi 15 minutos com a troca, após isso retomei e dei o máximo terminando os 45 km em 2h28, ficando em 4º na categoria e em 81º na geral. Mais uma vez a equipe

agradece o apoio recebido”, comentou Fortes. Agradecimentos: Bazar Cristal, Amazon Representações, Du Bike, Miraluz, Auto Posto Estradão, Fazenda Gamelão, Jornal O Guarani e Jornal Ita News.

book que nós vamos passar os horários dos treinos. Os treinos coletivos são de fim de semana, mas sempre passamos a orientação para que a pessoa treine também durante a semana, para depois participarmos juntos dos treinos coletivos.” O coordenado de Esportes, Denis Galvão Ribeiro, nos deu seu parecer sobre o evento e os resultados: IN - Qual a sua avaliação do campeonato de Mountain Bike que ocorreu este fim de semana? Coordenador - A Maratona de Mountain Bike e Corrida Rústica foi um sucesso. Tivemos competidores de Avaré, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Itapeva, Itaporanga, Bauru, Capão Bonito, Sengés, Itaí, Botucatu, Fartura e muitas outras cidades. Ficamos muito contestes com a organização e empenho de todos os atletas participantes. IN - Quais foram as categorias e os principais circuitos percorridos? Coordenador - As categorias foram Elite, Feminina, Juvenil, Junior, Sub 25, Sub 30, Master A, B, C, e D, Over, Estreante, Cidade e Turismo. Além disso, tivemos a corrida rústica masculina e feminina. Os circuitos foram 15, 35 e 55 km de bike e 10 km de corrida rústica.

IN - Quantos ciclistas se inscreveram na competição? Coordenador - Tivemos em torno de 150 participantes. IN - Qual foi a participação da equipe 28 de agosto? Coordenador - A equipe 28 de agosto representa muito bem nossa cidade, não visando apenas resultados de pódio e sim de pessoas que buscam qualidade de vida através de suas atividades. Os destaques foram Mariana Malheiros, Marco Merege e Airton Pasinatto. Parabéns a toda equipe que faz um belo trabalho em nossa cidade, principalmente para o Guilherme e Rosa Gorski e para Silvana Genaro. IN - Houve premiação? Coordenador - Houve premiação com medalhas para todos os participantes e troféus para os 5 primeiros colocados em cada prova. IN – Quer deixar alguma mensagem? Coordenador - Parabéns para o Reinaldo Fortes, que é nosso maior representante do mountain bike. O mesmo realiza em nossa cidade a 3ª competição, e a cada ano que passa o evento fica melhor. Gostaria de agradecer também ao Tiro de Guerra de Itararé, que apoiou este importante evento.

Motocross atraiu grande público no fim de semana

F

oi realizado no fim de semana, na pista ao lado do Ginásio Antônio Pelissari, a 3ª etapa do Campeonato Paulista de MX1 e MX2. O evento atraiu pilotos de Itararé e de todo o Estado, que estiveram fazendo um treino de conhecimento da pista no sábado e competindo no domingo. Sábado teve Show de Rock com a Banda Itarareense Som de Vinil e domingo a animação ficou por conta da Banda The Trip. A competição foi realizada pela Prefeitura Municipal de Itararé (Coordenadoria de Esportes, Cultura e Turismo), Vitória Moto Clube e não podemos deixar de lembrar do Valdir Bonotto, que trabalha muito para com que a competição de Motocross aconteça. As categorias disputadas foram: MX1, MX 2, MX 3, MX 4, MX5, MX GOLD, INTERMEDIÁRIA, MXN 2, MXN 3, MXMN GOLD, JÚNIOR 65 CC  e MINI MOTOS. Nossa equipe de reportagem entrevistou o coordenador de Esportes, Denis Galvão Ribeiro, o qual falou sobre este evento radical:

IN - Qual sua avaliação do Motocross este ano? Dênis - O Motocross 2013 foi muito especial para nós, pois foi o primeiro com suporte das Coordenadorias de Cultura, Esportes e Turismo. O evento foi acima das expectativas, tanto na parte técnica quanto de público. IN - Quais foram as categorias participantes? Dênis - Foram Mx1 e Mx2. IN - Houve competidores de fora? Dênis - Sim, como a competição foi uma etapa do Campeonato Paulista tivemos atletas de todas as regiões do Estado.

IN - Itararé se destacou nos resultados? Dênis - Nossa cidade tem tradição no Motocross e vários atletas subiram ao pódio. Os destaques foram Alan Carvalho e Rafael Bobato. IN - O evento atraiu bastante público? Aproximadamente quantas pessoas compareceram no local?  Dênis - O evento foi um sucesso de público, tivemos nos dois dias cerca de 3.000 pessoas. IN - Houve premiação? Dênis - Sim houve premiação com troféus para os cinco primeiros colocados em cada categoria. IN – Quer deixar alguma mensagem? Dênis - Parabéns a todos que estiveram neste Motocross, atletas, público e as bandas Som de Vinil e The Trip, que abrilhantaram o evento. Gostaria de agradecer a empresa Cross por seu profissionalismo e ao Valdir Bonotto, que faz de tudo Pro Motocross de Itararé. É de pessoas como você Valdir, que o esporte de Itararé precisa, compromissadas e que goste realmente do que faz.


12

27 de agosto de 2013

Câmara faz moção de apelo à prefeita para aderir ao Projeto Cidade Limpa Vereadores fazem moção de apelo à prefeita para que ela entre em contato com a TV TEM para tomar as medidas necessárias para promover a campanha “Cidade Limpa” em Itararé.

Essa Campanha é uma iniciativa da TV TEM, em parceria com as prefeituras e a participação de Itararé em tal projeto já foi questionada no começo do ano. O problema do lixo tem grande repercussão em nossa cidade, principalmente se tratando de lixo grande, que o caminhão não pega, e que a população geralmente joga em córregos e terrenos baldios por não ter o que fazer com ele, como sofás velhos e carcaças de geladeiras. O Projeto Cidade Limpa tem o objetivo de sensibilizar a população sobre os riscos provocados pelo acúmulo de lixo, resíduos não provenientes da construção civil, como móveis, colchões, geladeiras e pneus, além de motivar a comunidade a participar de um grande mutirão de limpeza, garantindo mais segurança, melhoria na qualidade de vida da população e preservação do meio ambiente. A campanha, realizada todos os anos, também conscientiza os moradores da importância de manter os quintais livres dos criadouros do mosquito da dengue, beneficiando assim não só o meio ambiente como a saúde da cidade também. Em 10 anos, a TV TEM já re-

colheu o equivalente a mais de 150 mil caminhões carregados de lixo. O material coletado vai para um ponto de apoio e, depois, para a reciclagem. A iniciativa realmente seria bem vinda para nossa cidade, afinal temos vários pontos onde o esse tipo de lixo grande é “des-

cartado” de forma incorreta, onde fica acumulando água e servido de lar para animais peçonhento. Na foto, ponto de lixo à rua Manoel Caetano Martins. Vizinhança reclama dos animais que se alojam no local e invadem suas casas.


os Itararé: o paraíso turístico da região n A 120 Itararé é uma cidade rica em belezas naturais e há tempos autoridades vem lutando para transformá-la em Estância Turística. Suas belezas naturais atraem pessoas de vários lugares do Brasil e algumas vezes até do exterior, que vêm em busca de sua natureza, trilhas, cânions e belas cachoeiras, as quais encantam a todos que por aqui passam. Para nos contar um pouco sobre os principais pontos turísticos de Itararé, nossa equipe de reportagem entrevistou Renato Antunes, da empresa “RASTUR

Ecoturismo e Aventura”. IN - Itararé tem conquistado muitos apaixonados por destinos de aventura. Quando a cidade descobriu essa vocação para este tipo de turismo? Renato - A cidade vem se destacando timidamente para o Ecoturismo/Turismo de Aventura desde o ano 2000. A partir de 2010 ficou conhecida nacionalmente, através de uma matéria de televisão, que divulgou suas belezas naturais para o Brasil, atraindo turistas do país inteiro. IN - Quais são os principais

atrativos do Vale do Itararé? Renato - Itararé está localizada a 340 km de São Paulo e a 300 km de Curitiba, bem entre grandes cidades emissoras de turistas. Devido sua localização privilegiada, está bem na divisa dos Estados, onde o Rio Itararé é o divisor natural. Assim, o roteiro que a região oferece é o já conhecido Vale do Itararé, devido as formações rochosas e ao rio divisor de estados. Os atrativos do roteiro são inúmeras cachoeiras e cânions com paredões de até 250 metros de

altura. Algumas cachoeiras são consideradas por guias especializados como uma das 10 melhores do Brasil. Cerca de 30 cachoeiras compõe o Vale do Itararé, todas com opções para banhos em suas águas cristalinas. A cidade está recebendo muitos grupos organizados para passeios 4x4, comboios que saem em busca de aventura e lugares magníficos. Assim nossa região está sendo considerada a Meca dos passeios 4x4. Visitantes do Brasil inteiro estão vindo a bordo de seus veículos para conhe-

cer os atrativos que nossa região oferece. Devido a formação da região, muitos esportes de aventura podem ser realizados, tais como Rapel, Rafting, Off Road (mais procurado), Trekking (também bastante procurado), Boia Cross e Mountain Bike. IN - Que cachoeiras um turista não deve deixar de visitar quando for à região do Vale Itararé? Renato - Não poderá deixar de visitar a Cachoeira do Corisco (106 metros, desaguando bem no cânion do Rio Itararé), e a cachoeira do Lajeado Grande, sendo

uma das melhores do Brasil, formando uma belíssima piscina natural, imperdível para banhos. IN - Que dicas você daria para quem pretende visitar a cidade pela primeira vez? Renato - Apesar da cidade ter uma grande opção de hospedagem, é sempre bom reservar o hotel antecipadamente, afinal durante os finais de semana e feriados, a procura está sendo intensa. Também é sempre bom entrar em contato com monitores locais ou agências que fazem o receptivo turístico da região.


02

27 de agosto de 2013

Itararé, Tupi-Guarani – Poesia de Zé Maria do Ponto

BOM DIA ITARARÉ – Antonio Moura

... Itararé, Tupi-Guarani... ... de versos que li, da Doroty... ... pedra escavada, das tropas parada, por Debret retratada... ... dos campos gerais, de pinheirais, peroba não há mais... ... O paredão fortaleza, da gruta-natureza, defender o Estado certeza... ... “luta renhida”, numa região esquecida, dessa gente sofrida... ... rincão paulista, “quase sulista”, que Getúlio conquista... ... no trem não se come, ganhou um nome, “ramal da fome”... ... políticos ancestrais, Tatit x Côrtes rivais, “sem perder a ternura jamais”... ... terra do feijão, também foi algodão e do Chiquinho Negrão... ... de imigrantes, gente passante, Angelo Ghizzi importante... ... do Verde-rio, junho-frio, de Vergínio-brio... ... Conceição-padroeira, “Sentinela da Fronteira”, sul paulista altaneira... ... do Lajeado rapadura, do Fritz pinga pura, faz da vida uma doçura... ... o Cerrado faz carroça, Santa Cruz planta roça, Pedra Branca terra nossa... ... Bom Sucesso é minério, sua serra é mistério, pro Balduíno “gaudério”... ... atrás da banda menino, saudade do bombardino e o repique do Rufino... ... de São Pedro a quermesse, a namorada oferece, a música que não esquece... ... do Bráulio-locutor, que anuncia com ardor, “siete notas de amor”... ... namoro no jardim, perfume de jasmim, juras de amor-sem-fim... ... Oscarito no Cine São José, Mazzaropi no Itararé, Gordo e Magro no Tomé... ... no CAF lotado, bolero de rosto colado, batom no colarinho marcado... ... baile no Primeirão, Diva do Ventura atração bailando no salão... ... no 13 a moda caipira, a dança catira, nhá Dita suspira... ... de Frutuoso-coronel, Jorge Chueri-pincel, Jesus-casado lá no céu... ... da Vica-singelesa, otimismo Zé Beleza, um Lustroso sem tristeza... ... Eugênia Veiga parteira, sempre na brincadeira, socorrendo parideira... ... no Tomé casa de ensino, Anita jeito fino, domou mãos, “torceu pepino”... ... Poeta Silas um dia disse, das Raízes da Eunice, das Mello a meiguice... ... do rio profundo sinuoso. Lenda de caso amoroso, de Leonidas saudoso... ... Wandico, Galo, Pica-pau, parece trio final, de time do jogral... ... Zunir de estilo simplório, às vezes até finório, escreveu “Vilosório”... ... Melillo compositor, Gaya arranjador, interpreta Aristeu cantor... ... Turíbio “pandeiro na mão”, Teléco violão, Jesualda samba-canção... ... Cavaquinho do Fernando, Romero batucando, Grupo Sereno alegrando... ... Baile-alegria, conjunto-harmonia, Mário-bateria... ... teu passado história, agonia e glória, causos memória... ... tua terra pujança, povo lembrança, futuro esperança... ... Itararé – tupi-guarani, de versos que li, da Doroty...

Bom dia minha cidade querida Tão cheia de graça e vida Do mais romântico anoitecer No brilho do horizonte sem fronteira Resplandece as cores de tua bandeira No fulgor do mais belo amanhecer Quando agosto se aproxima Poetas se concentram na rima Para escrever e te homenagear Lindas frases nascem no coração Adornadas pela emoção De que nasceu para te amar Simpática exuberante e imponente Cidade orgulho de sua gente Terra do povo que luta e prospera Berço divino do amor e poesia No cultivo da bondade e alegria

Aonde a maldade não impera O teu lindo passado perfulgente Tua harduas batalhas perficiente Sempre haverão de perpetuar No ardor da luta e jornada Tu serás sempre iluminada Haverá sempre de trinfar Itararé das verdes campinas Beleza que encanta e fascina Berço de amor paz e amizade Cidade das infindas esperanças Gente que luta e sempre alcança Progresso e prosperidade Parabéns Itararé Terra do perfeito louvor Cada dia mais cheia de fé Mais cheia de Deus e amor


03

28 de agosto de 2013

Revolução de 32 - Participação de Itararé “A cidade de Itararé teve participação decisiva na Revolução de 1932. Assim como em 1930, quando da passagem vitoriosa de Getúlio e sua comitiva, em 1932 a até então pacata cidade de cerca de 10 mil habitantes, serviu de frente de combate. Por sua localização estratégica, carcada de formações rochosas que ligam o estado de São Paulo ao Paraná, novamente foram cavadas trincheiras na área de divisa do município [...].” (trecho retirado da palestra “Memórias que o rio Cavou” – de Daniel Barreto). Nossa equipe de reportagem entrevistou Daniel Barreto, estudante do curso de licenciatura em História nas Faculdades Integradas de Itararé, professor de História do Ensino Fundamental na Rede Estadual de Ensino e estagiário na Coordenadoria Municipal de Cultura, sobre o assunto. Em julho desde ano Daniel organizou e apresentou a palestra “Memórias que o Rio Cavou”, em parceria com a Prefeitura Municipal de Itararé. IN – Nos conte um pouco sobre a Revolução de 32. Daniel – Para entender a revolução de 1932 temos que voltar, não só dois anos antes, como talvez 10 anos antes. Existia até 1930 no Brasil, de modo geral, uma aliança entre os estados de São Paulo e Minas Gerais em quase todas as eleições presidenciais. Essa era a chamada por muitos de “Política do café com leite”. Num panorama geral, em 1922 vai acontecer uma eleição e São Paulo e Minas Gerais se aliam para lançar o candidato mineiro chamado Ar-

tur Bernardes. Ele vence a eleição e em 1926, pela lógica do acordo, seria a vez de Minas ceder apoio ao candidato de São Paulo, que era o Washington Luiz. Ele também vence a eleição. Depois em 1930, ainda devido a esse acordo, seria a vez de São Paulo apoiar o candidato

lio Vargas e os estados que o apoiaram alegaram fraude na eleição. Naquela época apenas votavam os homens, maiores de 21 anos e alfabetizados, ou seja, grande parcela da população era excluída. Além disso, o voto não era secreto, então havia mesmo toda uma manipulação

soal com um rival político. Todavia a Aliança Liberal usou do assassinato para acusar o vencedor da eleição, Júlio Prestes. Depois dessa vai ficar um clima tão instável no Brasil que dia 03 de Outubro já estoura a Revolução de 30. Ela parte do Rio Grande do sul, de Minas Gerais e da

gas se dirige ao RJ onde recebe a presidência dia 03 de novembro. Após tomar o poder Getúlio Vargas vai nomear interventores para as cidades, vai cancelar a constituição, vai dissolver o congresso, assembleias, câmaras legislativas, vai exercer um poder muito autoritário.

mineiro. Porém o atual presidente do país não aceita continuar esse acordo. Ele estava com tanta certeza que o candidato que ele apoiasse ia vencer que ele rompe o tratado lançando um candidato que era aqui de Itapetininga. Acontece então a eleição de 1930, onde de um lado temos o candidato Júlio Prestes apoiado pelo presidente, e do outro temos o Getúlio Vargas, que era apoiado pelo Rio Grande do Sul, Paraíba e Minas Gerais (Aliança Liberal). Como resultado desta eleição temos o Júlio Prestes que vence por quase 60% dos votos. Porém Getú-

eleitoral, como voto de cabresto, manipulação das elites. Para se ter uma ideia da manipulação dos resultados, Getúlio Vargas no Rio Grande do Sul ganhou com 150 mil votos contra mil e poucos votos do Júlio Prestes. A eleição foi no dia 1º de março com a posse marcada para o dia 15 de novembro, era um período extenso. O que aconteceu foi que, em julho, o vice-candidato da Aliança Liberal, que perdeu a eleição junto com o candidato a presidente Getúlio Vargas foi assassinado. Porém o assassinato ocorreu por crime passional, devido a um conflito pes-

Paraíba com o objetivo de chegar ao Rio de Janeiro (na época capital federal) e depor o Washington Luiz, atual presidente, para impedir que ele passe a presidência a Júlio Prestes. Itararé, por ser divisa de Estado, tem uma posição estratégica e foi chamado de “grande ponto de confronto”. Para cá vieram as tropas defendendo o presidente atual e também as tropas revolucionárias apoiadas por Getúlio Vargas. Eram cerca de 4 mil soldados revolucionários contra cerca de 2 mil e 500 legalistas para defender Itararé. Em outubro de 1930 vai ter uma movimentação muito grande aqui em Itararé, várias pessoas vão deixar a cidade, vai ser terrível. Resumindo: vão ter confrontos pontuais, vão ter mortes, mas a grande invasão de Itararé, que estava marcada para o meio dia, do dia 25 de outubro de 1930, onde se imaginava que seria a maior batalha da América, tamanho o poder bélico movimentado, acaba não acontecendo devido a algumas horas antes, o presidente ter sido deposto no RJ pelos militares. Depois de deposto eles enviaram um telegrama às tropas dizendo que não precisavam invadir mais por que o presidente já havia sido deposto. Ao receber o telegrama, por volta das 07:00h um deputado gaúcho transpõe a Barreira com uma bandeira branca e explica o ocorrido. Sendo assim, Itararé sede terreno para as tropas passarem. Depois disso Itararé passou a ser conhecida nacionalmente como a “cidade da batalha que não houve”. Após sua passagem por aqui, Getúlio Var-

Com isso, vai surgir em todo o estado de São Paulo uma insatisfação contra o governo dele, e protestos passam a surgir devido a isso. Então a revolução constitucionalista de 1932 surge porque eles queriam uma nova constituição, queriam democracia, liberdade, eleições, afinal o presidente deu um golpe para chegar ao poder. Com isso se dão início as revoluções, onde o estopim seria o dia 23 de maio de 1932, onde várias pessoas estavam protestando em São Paulo e muitos deles foram mortos. Porém a partir do nome de 4 desses militantes mortos foi criado o MMDC, que foi o órgão responsável por arquitetar toda a revolução de 32. Dia 9 de julho estoura a revolução. São Paulo, que vai ter mais de 200 mil voluntários, entre estudantes, membros da Força Pública e inclusive indígenas, além do apoio da mídia. A revolução dura 87 dias e as principais batalhas vão ocorrer nas fronteiras de São Paulo com os outros estados. Aqui em Itararé a guerra vai começar dia 14 de julho, e rapidamente a cidade é perdida pelos paulistas, sendo invadida pelos gaúchos. Depois

as tropas passam por Faxina (atual Itapeva), por Buri, que é onde teve o maior número de mortos. Em 32, assim como 30 houve mortos em Itararé. Com o recuo da cidade foi cedido aos gaúchos um terreno incrível, pois a Barreira era um espaço privilegiado para as batalhas. No dia 02 de outubro São Paulo perde a guerra, até hoje ninguém sabe, com exatidão, o saldo de mortos, mas São Paulo constrói o Mausoléu do Soldado, onde possui os restos mortais de cerca de 634 soldados paulistas que morreram. Essa foi a maior guerra civil do Brasil no século XX, foi terrível, movimentou muitas pessoas, mas São Paulo consegue seu objetivo principal que era conquistar uma constituição. Além disso, a cidade vai ter um paulista nomeado para interventor. Embora esse tenha sido um dos maiores episódios bélicos do Brasil, ele é muito ignorado, não há uma memória grande quanto a isso. Nós tivemos avós que fugiram de Itararé para se salvar. O engraçado é que, segundo um soldado que lutou aqui em 32, o prefeito de Itararé na época era a favor de Getúlio Vargas, e segundo o soldado, para dar a localização das tropas paulistas para os gaúchos ele soltava rojões para os gaúchos bombardearem. Aliás, parte dos políticos de Itararé apoiou a invasão. Então, ainda bem que não teve aqui a grande batalha de 30, eu imagino assim por que se houvesse tido essa cidade seria totalmente destruída talvez muitos de nós não estivéssemos aqui agora. Dois anos antes, em 1930 surgiu também o chamado Barão de Itararé. Na verdade ele era um jornalista que fazia muita chacota, tirava sarro da postura de Getúlio Vargas de nomear tantos interventores, barões e tudo quanto é título. Então numa dessas “tirações de sarro” ele disse que também queria ser nomeado, que seria então o “Barão de Itararé” em homenagem à cidade que não teve batalha. Depois dessa brincadeira ele passa a ser conhecido nacionalmente como Barão de Itararé, embora fosse na verdade do Rio Grande do Sul.


04

27 de agosto de 2013

Lenda Indígena: Taiguara e Uariri Itararé em tupi-guarani significa "pedra que o rio cavou", pois o Rio Itararé corre em um leito rochoso que foi sendo desgastado pela correnteza formando altos paredões, grandes cachoeiras e belas grutas. Inicialmente habitado por índios Guainazes, tornou-se ponto conhecido de bandeirantes, exploradores, jesuítas e estudiosos, firmando-se como um dos pontos de descanso dos tropeiros que convergiam do sul levando animais para a feira de Sorocaba pelo conhecido Caminho das Tropas. A Barreira de Itararé é o pon-

to onde o rio se estreita e suas margens se unem, o que fornecia aos viajantes uma passagem natural, evitando um rio caudaloso e perigoso de atravessar. O rio foi estabelecido como divisa entre as vilas de Sorocaba e Curitiba, então Quinta comarca de São Paulo, que com sua emancipação em 1853, tornou Província do Paraná, passando o rio Itararé a ser a divisa. Em tempos idos a tribo dos índios resolveu abandonar as margens do Paranapanema, onde vivia, escapando assim as atrocidades praticadas pelos brancos invasores.

Da história, suas formações e nome indígena várias lendas se criaram. Duas delas você pode conferir a seguir, sendo a primeira a mais famosa: “Taiguara e Uariri” Taiguara era um bravo guerreiro da tribo guaianãs e estava apaixonado por Uariri, que era a mais bela e formosa índia de toda tribo Tupí. Taiguara para encantar a sua Uariri, todas as tardes mergulhava num tranquilo rio às margens da aldeia, para encontrar pedrinhas douradas, em prova do seu grande amor pela jovem encantadora.

Um dia, o jovem, em sua busca pelas pedrinhas, sem perceber uma pedra pontiaguda nas profundezas das águas , acabou batendo com a cabeça e desapareceu , deixando seu sangue tingir o rio. Uariri vendo o episódio se apavorou e se jogou na água também e desapareceu nas profundezas. Durante a noite, enquanto os índios lamentavam Uirapu-

ru que é o deus dos pássaros, levou até Tupã (que é o deus do trovão) o triste ocorrido, Tupã decidiu se vingar do rio, e ouviu-se um estrondo e a terra tremeu, Jací (a lua) apavorada escondeu-se entre as nuvens negras enquanto a terra se abria e as águas se refugiavam por entre as pedras, os índios se atiravam no chão com medo da ira de Tupã, gritavam: – Itararé, Ita-

raré! – explicando a Tupã que o rio já havia se escondido por entre as pedras. E essa lenda foi contada por gerações, mostrando assim a grande vergonha do rio que carregou os jovens enamorados e cavou profundo caminho entre as pedras . Fonte: http://itararesp.blog spot.com.br/2009/02/lenda-dorio-itarare.html


05

27 de agosto de 2013

Homenagem à Claro G. Jansson Este ano, em pronunciamento na 1ª Conferência Municipal de Cultura realizada na cidade de Itararé, o atual coordenador da Cultura, Murilo Cleto proferiu algumas palavras relacionadas a Claro Jansson. Segundo ele, um dia ao encontrar Davidson Kaseker, ex-secretário da Cultura e Turismo de Itapeva e diretor do SISEM, Museus do Sudoeste Paulista, no 5º Encontro de Museus em São Paulo, Davidson teria dito que Itararé tem uma grande dívida com Claro Jansson, referindo-se ao imen-

so legado fotográfico que este deixou a Itararé, incluindo fotografias antigas da cidade e de seus moradores, como também dos conflitos vivenciados em 1932. Devido isso, este ano a Coordenadoria de Cultura Municipal organizou a Exposição “Claro Jansson – Memórias fotográficas”, que já esteve à mostra nas Faculdades Integradas de Itararé e nas prefeituras itinerantes realizadas pela atual administração. Para realizar esta edição especial de aniversário, em home-

nagem aos 120 anos de nossa querida Itararé, nós fizemos uso de algumas das fotografias desde honrado artista disponíveis no acervo fotográfico de nossa Prefeitura Municipal. Nesta edição especial fizemos esta pequena homenagem a este grande homem, Claro Jansson, e a todos os seus familiares, pessoas de bem, como podem comprovar todos que já tiveram a oportunidade de conhecê-los. História Claro G. Jansson residiu em

Itararé desde 1927 e soube pela grandeza de seu espírito e força moral, captar a estima de todos. Trabalhando sempre em seu atelier fotográfico, acompanhou de perto os principais acontecimentos de nossa terra, registrando os fatos e ajudando a cidade à progredir. Natural da Suécia, em 1893 – já conseguindo se expressar em nosso idioma – foi obrigado pelas forças do Governo de Floriano Peixoto a seguir com estas para combates da Revolução Federalista. Tinha apenas 16 anos o que fez com que ‘um dos soldados feridos, com pouca probabilidade de vida, lhe cedesse seu cavalo e o ajudasse a fugir, condoendose de sua pouca idade. A Revolução do Contestado continuava sangrenta. Ele fotografou tudo, tanto em Três Barras, como nos distritos vizinhos de Valões, Divisa e Ouro Verde. São verdadeiras obras primas essas fotografias, que lhe valeram em 1913 a concessão por parte do então Presidente da República, Marechal Hermes da Fonseca, de uma patente de 1º Tenente da Guarda Nacional, quando ainda residia em União Vitória. A sua luta em território nacional [...] é o testemunho inconteste de seu amor ao Brasil. Aqui viveu mais de 50 anos, tendo prestados relevantes serviços à causa pública, dando de si o máximo para o progresso da terra. Claro G. Jansson faleceu dia 10 de março de 1954, aos 77 anos, na cidade de Curitiba, onde encontrava-se já hospitalizado à algum tempo.” Essas e outras informações

desta edição especial de aniversário dos 120 anos de Itararé foram retiradas do livro “Apontamentos Históricos de Itararé – seus homens e suas reali-

zações”, escrito pelo Sr. Adriano Queiróz Pimentel em 1982, disponível no acervo bibliográfico da prefeitura Municipal de Itararé.


06

27 de agosto de 2013

Itararé: “Pedra que o rio cavou” ou “cidade das andorinhas” Itararé é topônimo de origem Tupi, e segundo o lexicólogo Cândido Figueiredo quer dizer: “curso subterrâneo de um rio, através de rochas calcárias. Sumidouro feito pelas águas através de rochas”. Já Ruiz de Montoya diz: “Itararé vem da palavra Guarani – Itararé- pedra que o rio escavou”. Ambas as definições são concordes em afirmar a mesma significação do vocábulo. De fato, o Rio Itararé, que serve de marco lindeiro, em grande extensão, entre nosso estado e o do Paraná, se apresenta com seu leito subterrâneo, escavado pelas águas do rio, tendo em seu curso, vorazes sumidouros.” O trecho acima foi tirado do livro “Apontamentos Históri-

cos de Itararé”, escrito por Adriano Queiróz Pimentel, que está disponível no acervo cultural de nosso município. Ele explica a origem do nome de nossa querida cidade que vem hoje completar 120 anos. De origem indígena, o significado “pedra que o rio cavou” é de enorme sentido ao conhecermos o Rio Itararé, que passa pela Barreira. O rio passa por entre os enormes paredões de pedra com tanta velocidade que realmente, com o passar do tempo, vai desgastando suas paredes por onde a pedra passa (assim como diz o ditado “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”). As frestas presentes nos enormes paredões de pedra à

volta do rio servem a noite de guarida para as milhares de andorinhas que vem repousar no local, dando origem, ao amanhecer e ao entardecer, ao famoso espetáculo natural do vôo das andorinhas, que atrai turistas de toda a região. Devido à isso Itararé também é conhecida em outros municípios por “Cidade das Andorinhas”. A andorinha virou um ícone da cidade e hoje pode ser encontrada em diversos artefatos artesanais produzidos por nossos artistas e tão buscados por nossos turistas. A andorinha atualmente representa nosso município em várias grandes cidades assim como também no exterior, assim como nosso artesanato local.


Terรงa-feira, 27 de agosto de 2013

Hangar 18

SUPLEMENTO ESPECIAL DO JORNAL ITARARร‰ NEWS


02

27 de agosto de 2013

Após receber o Título de Cidadão Itarareense, o Sr. Edson Mendes realizou uma confraternização no Salão da AABB para amigos e familiares. “Parabenizamos o nobre cidadão por todos os serviços prestados em nossa cidade, principalmente na área de segurança pública, que sempre foram de tanta valia”. 


03

27 de agosto de 2013

Funcionário Nota 10

Destaque Empresarial Gustavo Gabriel de Souza e Fernando Messias de Souza são proprietários do Supermercado Souza que está há 10 anos atendendo no atacado, varejo e também no ramo de festas, em que têm se destacado e conquistado mais clientes.

Laryssa de Fátima Probst é instrutora de musculação na Academia Caf Fitness, do Clube Atlético Fronteira há mais de 2 anos. Sempre atendendo a todos com empenho e atenção exclusiva para um melhor desempenho das atividades na academia, ela tem conquistado todos com seu profissionalismo e dedicação. 

Cenário astral tenso para se relacionar com clientes, parceiros, sócios - e cônjuge, namoradas/os etc. Cuidado com pedidos fora de perspectiva, reações beligerantes e impaciência! Lua e Saturno dão um choque de realidade no campo financeiro; seja cuidadoso com gastos.

Esteja preparado para uma mudança repentina de planos - com uma associação ou entidade, ou com um amigo. No entanto, a consciência de seus limi tes supe ra o arrependime nto; você só pode fazer o que sabe! Sol e Netuno pedem cuidado com drogas e remédios.

Por mais que você sorria e queira agradar a muita gente, alguns conflitos se revelam hoje incontornáveis. Estes passos de definição e tomada de posição são urgentes. Por mais gritaria que tenha de ouvir, acaba hoje seu prazo para se definir por um lado, ou por outro.

Continue ainda hoje na política de não aparentar gravidade, sisudez, preocupação. Assim não espantará as pessoas de perto, e poderá contar com elas. Lua e Júpiter favorecem até um clima romântico, mas tente separar o trabalho disto. Seria uma mistura explosiva.

A Lua em seu signo pede calma num dia em que o transbordamento e teimosia estão por aí, ameaçando sua paz. Um relacionamento sentimental pode esfriar, nem insista. Você tem que se cuidar agora! Sol e Netuno trazem decepção com amizades. Menos expectativas.

Sob um clima astral que promete acelerar divergências, há que ser cuidadoso até com o que pensa e sonha! Seus desejos, poderosos, atraem a desconfiança de alguns. Embates no trabalho, devido a estas suspeitas. Eventos inesperados pedem flexibilidade.

É ótimo ser cauteloso e previdente, mas hoje é bom pegar leve na hora de se relacionar com as pessoas! Elas podem sentir você muito implacável, fatídico. Sua saúde talvez se ressinta de um cotidiano sem rotina e de estresse. Pese bem os compromissos que pode aceitar.

Esta semana já começa animada, sem motivo pra você reclamar de tédio ou desinteresse! Em todas as frentes, a pedida é inventar, driblando enfoques viciados e pessoas sem imaginação. Leve a sério demandas de prazos e horários. O amor está uma gangorra perigosa.

Lua e Júpiter favorecem pesquisas, especialmente no campo artístico, e uma chance de aplicar seus dotes e talentos em seu trabalho. Desafios no campo amoroso com muitas demandas do parceiro e a sensação de que você segue só, por vezes. Oscilações na saúde.

Mais um dia de astral tenso, desta vez o estopim tem a ver com sua esperança de relações cordiais. Com pessoas imprevisíveis e descomprometidas é impossível ir adiante, reconheça e pule fora. Um substrato de pressa atordoa suas decisões amorosas e financeiras.

Comece a semana focado nos pequenos deveres cotidianos. Atenção com burocratas e prazos a cumprir. Convênios de saúde e empregados serão os assuntos a resolver com mais urgência. Tensão astral envolve filhos e amores - você descobrirá algo interessante.

Toque em frente, neste começo de semana tão energético, as tarefas pendentes que você vem empurrando há tempos. Em breve algumas delas serão cobradas. Surge um convite para viagem, ligado a seu trabalho. Pense com carinho, pode ser uma baita chance de se destacar!


04

27 de agosto de 2013

Happy Birthday

Marjorie – 30/08

Marianne – 28/08

Mariane – 30/08

Marcos – 30/08

Marcia – 01/09

Luciano – 31/08

Keila – 28/08

Juvita – 29/08

Joanita – 29/08

Gisele – 29/08

Fatma – 29/08

Edivaldo – 01/09

Denise – 29/08

Cris– 30/08

Carine – 31/08

Amanda – 28/08

Willian – 01/09

Reinaldo – 29/08

Sara – 01/09

Rick – 01/09

Reinaldo – 30/08

Silmara – 01/09

Suelem – 31/08

Virjinia – 02/09


27 de agosto de 2013

Ki Pastel do Heranรงa

05


06

Lucky Cafeteria

27 de agosto de 2013


27 de agosto de 2013

07


08

Dia 24, Miguel Felipe comemorou seus dois aninhos aos lado da mamãe Isabella e do papai Felipe Ramos no estilo animado do Patati & Patata! A família toda estava vestida dos famosos palhaços, que encantam a criançada e fazem a alegria do pequeno Miguel! A festa foi preparada com muito carinho e amor para essa criança linda, que é uma bênção da vida de seus pais e familiares. Deus abençoe você Miguel e toda a sua linda e alegre família!! 

27 de agosto de 2013


Jornal itararé news edição 034