Page 5

05

05 de fevereiro de 2014

Atividades da unidade de zoonoses terão início em março

A

Secretaria de Agricultu ra e Pecuária de Itararé informa que está previsto para o mês de março de 2014 o início das atividades da sala de castração da Unidade de Controle de Zoonoses Omar Moyses Elian, em Itararé. Segundo a Secretaria, inicialmente serão atendidas as famílias de baixa renda que possuam cadastramento junto a Ação Social do município. Os interessados, que se encaixarem nos critérios acima citados, devem se dirigir a Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária, localizada a Rua Frei Caneca, nº1443, entre às 14h e 17h, portando RG, CPF, comprovante de residência atual, carteira de vacinação do animal e comprovante de cadastramento junto a Ação Social. Neste processo o proprietário do animal assinará o termo de responsabilidade, estando ciente dos riscos trans-operatórios. Os métodos cirúrgicos utilizados são os de ovário salpingo histerectomia (OSH) para as fêmeas e de orquiectomia para os machos. Após o processo o dono recebe ficha comprovante de esterilização do animal. Os cuidados pós operatórios ficam sob responsabilidade

do proprietário, que será devidamente orientado pelo veterinário responsável. O serviço estará disponível para cães e gatos e cada proprietário poderá castrar o máximo de três animais, estes com idade mínima de seis meses. O animal deve estar vermifugado a no mínimo 15 dias, antes do procedimento, livre de ectoparasitas (pulgas, carrapatos e sarna). Os procedimentos cirúrgicos ocorrerão apenas nas terças e quintas-feiras e atenderão no máximo cinco animais por dia. Para inscrição não é necessária a presença do animal. Nossa equipe de reportagem esteve com o assessor da Secretaria de Agricultura e Pecuária, Mané Carneiro, e com o veterinário da prefeitura, Eduardo Côrtes Pellissari, para falar sobre o assunto: IN – Quando começará efetivamente o atendimento da sala de castração ao público? Mané – A sala já está pronta, faltam apenas pequenos detalhes. Estamos dependendo de fazer o cadastro da população. Nós estamos nos organizando para realizar o atendimento por bairros, onde a população será chamada para fazer o cadastro prévio para a

utilização do serviço. IN – A sala já conta com todos os equipamentos necessários? Mané – Praticamente. Faltam apenas alguns pequenos detalhes, como os medicamentos, anestésicos e materiais como seringas e agulhas. IN – Quais os serviços que serão oferecidos? Mané – A sala de castração será usada exclusivamente para a realização de procedimentos cirúrgicos de esterilização em cães e gatos de ambos os sexos. IN – Quantos animais serão atendidos por dia? Mané – Pretendemos realizar a cirurgia em, no mínimo, 10 animais por dia. Não é possí-

vel muito mais do que isso porque, fora a cirurgia, ainda há todo o pós-operatório e a retiradas dos pontos.Mas depende, nas fêmeas a cirurgia é mais complicada e demorada, mas nos machos é mais rápido e dá para atendê-los em maior quantidade por dia. IN – Onde é feito o pós-operatório? Eduardo – O pós-operatório ficará por conta do proprietário. A prefeitura disponibilizara os remédios, mas o dono que deverá cuidar do animal e trazê-lo posteriormente para a retirada dos pontos. IN – Quem poderá fazer uso do serviço? Mané – Prioritariamente

serão atendidas as famílias de baixa renda, beneficiárias do Programa Bolsa Família, e também animais acompanhados pela Secretaria de Saúde e pela Secretaria de Agricultura. Os cadastramentos serão feitos por região da cidade, sendo iniciados pela Vila Novo Horizonte. Lembramos os proprietários de animais de que, para vir realizar a castração, o animal deverá estar em dia com as vacinas e os vermífugos há pelo menos 15 dias. IN – Vocês atenderão também os animais de rua? Mané – Em nossa cidade, a maioria dos animais que ficam nas ruas, têm dono. São donos, porém, que não se importam que seu cachorro fique andando solto nas ruas. Também há casos dos chamados “cães da comunidade”, onde várias pessoas “cuidam” de um mesmo cão. Eduardo – Nós estamos querendo estabelecer parcerias com entidades e organizações de apoio aos animais. Não apenas a Unipa, que já realiza a castração de seus animais, mas também a Mil Bichos ou a Anjos de Patas, para que elas se responsabilizem em trazer os cães de rua e cuidar de seu pós-operatório, porque, por enquanto, não temos canil próprio para esses

animais ficarem aqui. IN – Já há uma equipe responsável para a realização das operações? Mané – A responsável pela sala de castração é a Secretaria de Saúde. Lá, eles já têm os veterinários responsáveis, que são os mesmos que atuam no setor da Vigilância Sanitária. IN – E quanto a colocação de chips nos animais atendidos? Essa possibilidade foi pensada? Mané – Já foi pensada e discutida, porém de início nós não estaremos realizando este procedimento, porque ele tem um custo que precisa ser estudado. IN – Serão promovidas campanhas de conscientização para a população ficar ciente da importância da castração dos animais para a cidade? Mané – Sim. Já estamos organizando campanhas falando sobre a “Guarda Responsável”, visando o bem-estar dos animais, além do controle e prevenção de doenças transmitidas pelos mesmos. Outra ideia é envolver outros setores da prefeitura e realizar palestras nas escolas e nos projetos da cidade, pois sabemos que crianças bem informadas cobram seus pais, e assim o alcance será ainda maior.

Câmara Municipal realiza sua primeira sessão em 2014

Nesta segunda-feira (03) aconteceu a primeira sessão ordinária do ano de 2014 na Câmara Municipal de Itararé. Diversos assuntos foram tratados e ficou claro que os 13 vereadores voltaram ansiosos para reassumir seus postos após o longo recesso. O primeiro pronunciamento ficou por conta do vereador Julio César Soares de Almeida, Julião do Rede, que relatou os fatos que o levaram a protocolar mais uma CEI contra a prefeita Cristina Ghizzi, destinada a apurar eventuais irregularidades decorrentes da existência e realização de manutenção, consertos e revisão mecânica de veículos de frotas de terceiros junto às oficinas da Prefeitura Municipal, como a utilização de peças mecânicas e mão de obra da municipalidade. Segundo o vereador, um carro terceirizado da Saúde teria ficado 27 dias parado na oficina da prefeitura fazendo manutenção. O vereador ainda declarou que após protocolar a mesma, foi seguido por mais de 20 minutos por um dos motoristas da municipalidade, e considerou isso como uma ameaça. Tal ato foi repudiado pelo vereador, Dr. Júnior, que declarou que vai investigar o que tal indivíduo estava fazendo que não estava em serviço no horário do ocorrido. Em seguida o Vereador Laércio Antonio Amado deu inicio

ao seu pronunciamento falando novamente sobre o problema da iluminação pública de Itararé. O vereador cobrou do Executivo agilidade na licitação para contratação de empresa especializada para avaliar os pontos escuros da cidade, que há meses foi lhe comunicado que já estava em licitação. O vereador também cobrou a limpeza dos córregos da cidade, e lembrou que a dedetização dos mesmos já é feita há anos e não entende porque está havendo tantas complicações quanto à isso nesta administração. Sobre a troca de Secretário de Serviços Gerias, o vereador foi o único a lamentar o ocorrido: “Fico até triste porque depois de um ano, o Lico já estava aprendendo a trabalhar e agora entra outro. Acho que não foi uma boa troca (...). Esperamos que o Ceir venha atender aos anseio de vocês 9 (em referência aos 9 vereadores que foram chamados para reunião com a prefeita na semana anterior, onde, teoricamente, teria sido solicitada a saída do secretário)”. O Vereador Marcos Vincenzi iniciou seu pronunciamento atentando-se para o projeto de colocação das Câmeras de Monitoramento nas ruas centrais da cidade e ressaltou a importância e as vantagens de se estabelecer uma parceria com a Associação Comercial. O Vereador criticou a postura da Sabesp em re-

lação ao falho abastecimento de água de Itararé, o esgoto à céu aberto e às obras paralisadas. O vereador demonstrou descontentamento, pois já foi realizada uma Comissão de Assuntos Relevantes sobre a empresa e de nada adiantou. Segundo o mesmo, medidas mais severas devem ser tomadas. O Vereador Willer propôs a abertura de uma CEI com a citada empresa. Sobre a troca de Secretário de Serviços Gerais, Marcos deu as boas vindas ao novo secretário e lançou-lhe um desafio nos quesitos: drenagem urbana, limpeza de córregos e manutenção de vias, principais pontos críticos da secretaria. Em seguida, o vereador Rodrigo Fadel usou seu pronunciamento para demonstrar seu descontentamento quando ao remanejamento dos alunos nas escolas públicas municipais. O vereador deixou claro que sempre foi contra tal atitude e que agora, além dos alunos terem que ir para escolas diferentes, o transporte escolar está deixando a desejar e muitas crianças estão tendo que ir e voltar da escola à pé, neste sol. O vereador declarou que fez questão de acompanhar o primeiro dia de aula dos alunos que estão estudando na escola em frente à rodoviária e que o transporte realmente não passou. Foi declarado que a Câmara fará uma convocação ainda para esta sema-

na para que a Secretária de Educação compareça ao recinto para esclarecer dúvidas referentes ao assunto. Fadel também criticou a demora no atendimento da Santa Casa, o fato do posto de saúde do bairro Cruzeiro continuar sem a realização das obras e a sujeira dos córregos: “córregos sujos denigrem a imagem da cidade”. O vereador não falou nada sobre o escândalo da Copa Mercosul, realizada na cidade de Conchas por seu amigo e funcionário de sua rádio, Eurico Marques, o que causou estranheza para o público presente. Em seguida houve o pronunciamento do vereador Dr. Carlos Mendonça Martins Júnior, que filosofou declarando que tal ocasião o lembrava do início do ano passado, quando todos embarcavam num novo mandato político comungando de um mesmo propósito: o bem da cidade. Ao retornar este ano, porém, o vereador percebeu que o mal fadado orçamento de 2013, diversas vezes culpados pelo atraso no desenvolvimento das ações do poder executivo durante o ano passado, teria tido um superávit de R$3 milhões, sendo assim, não imagina como será 2014, já que a prefeita teria orçado um valor ainda menor. Júnior alegou que nas entrevistas de fim de ano realizadas pela prefeita fica claro o seu despreparo quanto à administração pública, devido ela ter declarado que estaria re-

vendo seu plano de governo e já ter trocado 6 secretários: “Vão aprender em suas casas, não no setor público!” O vereador criticou também o reajuste dado do funcionalismo público, que foi de 5,2%, menor do que do ano passado, e também a plantação de soja realizada pela Secretaria de Agricultura nas extremidades do Distrito Industrial. Em seu pronunciamento, o vereador Willer Costa Mendes, prometeu analisar o pedido do Sr. Milton Kominick sobre a exoneração do Comandante da GCM, por não cumprir com todos os requisitos solicitados para a ocupação do cargo e leu a carta de uma mãe de aluno do bairro Centenário solicitando à prefeita a volta dos ônibus escolares naquela localidade, pois como os pais trabalham, essa tirada repentina do transporte escolar está complicando a situação dos moradores. “Eles só estão pedindo o básico”, declarou o vereador. Willer também informou o encerramento da CEI da Empresa Novata, onde concluiu-se que, foram realmente feitas duas licitações para com o mesmo objeto, pagando-se para as 2 empresas. O caso agora está nas mãos do Ministério Público. “Como ela reconsiderou, eu reconsiderei”, foi a frase do vereador sobre sua volta à função de líder da prefeita na Câmara.

A reunião que a prefeita realizou na semana anterior com apenas 9 dos 13 vereadores também foi tema na sessão e gerou discórdia entre os edis. “Esse vereador foi excluído, alegando que não há diálogo, e eu fiquei abismado porque todas as outras vezes que fui lá houve diálogo” disse Julião. E continuou: “Fiquei muito chateado, muito triste de não ter sido chamado”. “Se eu não sou chamado para reunião porque falo a verdade então não me chame, porque eu vou falar a verdade doa a quem doer”, declarou Rodrigo Fadel. “A Câmara Municipal para a prefeita se resume a 9 vereadores. Quero dizer que há sim mais 4 vereadores aqui, fiscalizando, trabalhando e não há motorista da prefeitura que nos intimide. Daremos à ela a resposta para isso no tempo oportuno”, declarou Dr. Júnior. Segundo os 4 vereadores foi uma traição os outros 9 terem aceitado ir, principalmente o presidente, sem exigir a presença da Câmara em sua totalidade. Tal atitude parece ter dividido a Câmara Municipal em dois grupos distintos, o que ficou comprovado na não aceitação do pedido de instalação de CEI, realizado pelo cidadão Márcio Aparecido de Almeida Campos, visando apurar irregularidades nas pinturas dos prédios públicos municipais, que foi negado por 9 votos a 4.

Jornal Itararé News - Edição 55  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you