Issuu on Google+

2

Dezembro de 2013

C

A

EMERGÊNCIAS Polícia Militar - 190 Delegacia de Polícia - 197 Corpo de Bombeiros - 193 Polícia Rodoviária Federal - 191 Polícia Federal-Ilhéus (73) 3234-2300 Detran - 194 IBAMA - 0800-618080 Samu - 192 Ministério Público (73) 3231-8091 Aeroporto-Ilhéus (73) 3231-7629 Coelba - 0800-0710800 Hospital Regional-Ilhéus (73) 3634-3274 Receita Federal-Ilhéus (73) 2101-6600 ASSINATURA ANUAL COSTA DO CACAU Anual: R$ 20,00 OUTRAS REGIÕES Anual: R$ 25,00

EXPEDIENTE

INFORMAÇÕES ÚTEIS

A renomada professora e psicóloga Vera Serra dá sugestões sobre vendas e comunicação: “Fiz de tudo para comprar naquela loja e os vendedores não deixavam! Entro numa loja, os vendedores estão conversando, um de braços cruzados. Ao me verem olham para o lado ou continuam conversando. Pergunto algo sobre o produto. O vendedor me responde sem ânimo, não sabe direito se tem no estoque. A voz é baixa, triste ou até raivosa. Entro, já sem graça, pensando o que está errado em mim, talvez não esteja bem vestida ou minha imagem não transmita que possa comprar muito, ou isso ou aquilo. A essa altura minha autoestima já está baixando. Entrei na loja para fazer uma compra e me sentir melhor e fiquei pior! Um colega do vendedor passa e diz algo, o que faz com que ele se afaste um pouco. Eles dão uma risadinha, me levando a pensar se teria a ver comigo. Resolvo, então, fazer uma reclamação ao gerente, que me olha com “cara de vitrine”, com nenhum interesse e até justificando as atitudes dos vendedores. Anos depois essa loja fechou, embora tivesse excelente localização. Na época, eu comentava que queria comprar nesta loja, mas os vendedores não deixavam! Erros básicos: OLHAR: o olhar é fundamental nas vendas, funcionam como um holofote clareando, mostrando interesse e cortesia. Deve ser direto, seguro e não para baixo ou autoritário. BRAÇOS: os braços mostram, aconchegam. Ao invés de cruzados devem estar abertos, prontos para um sinal positivo ou até um leve e discreto toque. ENTUSIASMO: a voz deve ser alegre, tranquila, segura, para que os clientes se sintam bem, acolhidos. Não deve ser baixa ou alta demais, autoritária ou insegura LINGUAJAR: a linguagem deve ser positiva e cortês: bom dia, por favor, fique à vontade, é comigo, eu vou , não há problemas, volte sempre, obrigada. O vendedor não pode ser silencioso, mal educado, brincalhão ou sério demais nem usar gírias ou termos chulos. LIDERANÇA: o líder deve estar preparado para acolher o cliente, acalmar, motivar, mostrar que o entende e que fará algo eficaz para melhorar o atendimento, ao invés de indiferente, desinteressado, inseguro. E assim a loja fechou sem que eu tivesse a oportunidade de comprar lá, embora tivesse tentado”. Para que deseja participar de curso sobre oratória, comunicação verbal e marketing pessoal, recomendamos os eventos promovidos pela Profª. Vera Serra.

concertar um erro ‛‛Situações que quando já erramos! se justificar é consideramos ruinsʼʼ umTentar fracasso, não as-

ceitar q u e tudo o que nos acontece deve ser recebido de coração grato, que as situações vêm para nos transmitir conhecimento tanto para o crescimento mútuo ou individual. Para aprendermos sempre que todas as pessoas devem ter o mesmo respeito como qualquer outra e também ser respeitadas reciprocamente. Entender que situações que consideramos ruins, são na verdade, um lado oculto de uma realidade que ignoramos ou que apenas se esgotou por vários motivos incompreendidos e que teve de ser resolvida pela vida de forma agressiva. São nessas realidades desagradáveis em que percebemos o peso de cada um que nela vive, que nela estão, como autores, coautores, cúmplices ou vítimas. Situações estão aí para aprendermos com elas, nelas. As situações nos fazem crescer e nos mostram como realmente estamos, como todos nós estamos, como tudo está. Das situações não aparece nada do que não existe em nós, nada o que acontece à nossa volta é diferente do que esta dentro, tudo o que se vê do lado de fora pode ser visto também do lado de dentro. “Errare Humanum Est”, mas crescer e querer aprender com os erros é uma simples questão de humildade e força de vontade. Força que nos ajuda a levantar de onde caímos, derrubados por nosso próprio ego, derrotados pela nossa própria mesquinhez, pela nossa própria ignorância, pela insuficiência de amor e compreensão por tudo e por todos. Não há muito que fazer para

Diretor Geral: Wagner Darzan Vice-Presidente: Jônatas Cerqueira Darzan Editor: Wagner Darzan Repórteres: W.Darzan e Carla Mayer Revisão: Wilda Darzan / Maria do Carmo Vargas Jurídicos: Drº Antônio C. Beccari / Drº Hélio Faco Publicidades: KBK Mídia Brasil Impressão: W.J.F Exemplares: 3.000 Periodicidade: Mensal Empresa: ProarNet Comunicações Ltda. C.N.P.J: 07.483.998/0001 -71 - IM-23-051 NIRE - 2920281 8670 - IE - 005.902.61 7 NO Matriz / Redação: Rua: João Sá Rodrigues, 305 Centro Canavieiras – Bahia. Tel:. (73) 9988 3311 - Email - info@istoenoticia.com Site: www.istoenoticia.com - Facebook/istoenoticia AVISO IMPORTANTE: AS MATÉRIAS ASSINADAS NÃO EXPRESSAM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

sumi-lo é muito pior, se perdoar pelo erro e pedir perdão, quando possível e necessário, talvez seja a melhor solução. Se nos incomodamos com os nossos erros ou com os erros dos outros, é justamente por não conseguir compreender a situação, por não termos o privilégio de poder ver o todo. Tudo tem a hora de ser feito, brigas e discussões agressivas são coisas desnecessárias e tentar resolver nossos problemas no momento errado só nos levam às ofensas. É preciso muita paciência e calma para não ferir, para poder ajustar as coisas, para aceitar que erramos, para querer poder enxergar de uma maneira muito melhor, para que uma simples situação não compreendida e desagradável não acabe em mais lágrimas ou humilhações, para que o nosso convívio seja mais respeitoso, produtivo e ameno. As situações são um reflexo de todas as ações. Não podemos deixar de querer ser uma pessoa melhor por simplesmente ter errado numa situação, seja ela grave ou não. Não existe culpado depois do que aconteceu, o que existe é o que cada um pode fazer para tentar evitar novamente possíveis erros cometidos. Buscar dar de nós o melhor, para que todos nós possamos sair ilesos dessas situações ruins, inevitáveis, desnecessárias e muitas vezes irreparáveis, para o nosso próprio bem, para o bem de tudo e de todos, para uma sociedade mais pacífica e compreensiva. por, W.Darzan


P2_