Issuu on Google+

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CURSO: PEDAGOGIA INTERCULTURAL CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE AMATURÁ

AVALIAÇÃO FINAL: RELATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPO

Amaturá 2013


ARLETY DOS SANTOS MELO BARCEBA SIMÃO FERREIRA GEFESON COSTA INÁCIO ISRAEL RUBEN CASTELO BRANCO JUSSARA ARAUJO DA SILVA PAULINHO DA SILVA FIRMINO

RELATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPO: A historicidade e o papel social da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Amaturá.

Relatório apresentado à Universidade do Estado do Amazonas-UEA, PROÍND, para obtenção de nota final, na disciplina Metodologia do EnsinoAprendizagem da História, ministrada pelas Professoras Titulares Englê Betânia Portela Wanzeler e Katiania Barbosa de Oliveira, sob a orientação da Professora Assistente Terezinha de Fátima Moura de Souza.

Amaturá 2013


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1: Daniel Berg e Gunnar Vingren.............................................................................05 Figura 2: Celina de Albuquerque..........................................................................................06 Figura 3: 120 mil reunidos no sambódromo em Manaus durante a Convenção da CEADAM 2010........................................................................................................................08 Figura 4: Templo Central da IEADAM em Amaturá.........................................................08


SUMÁRIO 1. Introdução............................................................................................................................04 2.Breve Histórico da Igreja Evangélica Assembleia de Deus (IEAD)................................05 2.1 Organização e influência política.........................................................................06 2.2 Breve Histórico da IEAD no Amazonas..............................................................07 3.A historicidade e o papel social da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Amaturá...................................................................................................................................08 3.1 Fatos Históricos.....................................................................................................08 3.2 Contribuições sociais.............................................................................................12 4. Metodologia.........................................................................................................................12 5. Transposição Didática........................................................................................................12 5.1 Plano de Aula.........................................................................................................13 Considerações Finais...............................................................................................................14 Referências...............................................................................................................................15 Anexo: Fotos............................................................................................................................16


4

1. Introdução O presente trabalho acadêmico se constitui num relatório do trabalho de campo desenvolvido nos dias 09 a 15 de Janeiro, no qual o grupo-autor saiu em busca dos dados referentes à historicidade da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Amaturá elucidando a história geral da Assembleia de Deus, seus fundadores, os primeiros pastores locais, as dificuldades enfrentadas, os relatos dos pioneiros, a sua construção material e social na história municipal e a sua composição litúrgica atual, numa proposta posterior de levar esses conhecimentos coletados e metodologicamente fixados, aos acadêmicos da Pedagogia Intercultural em forma de seminário, aos alunos da rede educacional de nosso município e demais pessoas, seja nas aulas de histórias ou em palestras, contribuindo na quebra do paradigma curricular referente à disciplina de História, segundo o que nos afirma WANZELER, OLIVEIRA: “[...] Na escola, ela é pouco valorizada em função de outras disciplinas, que são consideradas mais importantes, tais como língua portuguesa e matemática [...]” (2012, p. 9). Partindo dessa reflexão, na quebra com os currículos montados na corrente teórica da História Tradicional, realizando uma reformulação da visão epistemológica do que é a Ciência História, levando os conceitos aprendidos durante a explanação da disciplina Metodologia de Ensino-Aprendizagem de História (8° Módulo, UEA PROÍND), as nossas futuras salas de aula, dando o valor de aprendizagem desta aos educandos. Na realização deste trabalho acadêmico contamos com a participação de diversos colaboradores, incluindo o senhor Milton Ferreira, ex-secretário da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Amaturá, Josias Soares, pioneiro da IEADAM em Amaturá, Manoel e Gerson Ramos, filhos do primeiro pastor a se fixar no município de Amaturá e o senhor Robson Pedrosa Castelo Branco, um dos primeiros membros. O grupo de acadêmicos, autores deste relatório lhe deseja uma proveitosa leitura.


5

2. Breve Histórico da Igreja Evangélica Assembleia de Deus (IEAD)

Figura 1: Daniel Berg e Gunnar Vingren

A história da maior denominação pentecostal do mundo teve início no dia 19 de Novembro de 1910, quando aportaram na cidade de Belém no Estado do Pará-Brasil, os missionários oriundos da Suécia (país europeu situado ao norte da Itália): Daniel Berg e Gunnar Vingren, pregando inicialmente numa congregação da Igreja Batista. Ambos trouxeram ao Brasil à doutrina do Batismo com o Espírito Santo com a glossolalia (o falar em línguas espirituais), ampliando um movimento iniciado nos Estados Unidos pelo pastor Charles Fox Parham, tendo como apogeu o movimento da Rua Azusa em Los Angeles, em 1906, conduzida pelo pastor leigo negro William Joseph Seymour. Essa nova doutrina entrou em divergência com as filosofias da Igreja Batista, culminando com a separação dos membros seguidores no dia 18 de Junho de 1911, fundando uma nova denominação, que adotou por nome inicial Missão de Fé Apostólica, reunindo-se na casa de dona Celina de Albuquerque. Mais tarde, precisamente no dia 18 de Janeiro de 1918, por sugestão de Gunnar Vingren, a igreja passou a chamar-se Assembleia de Deus.


6

A Assembleia de Deus no Brasil expandiu-se rapidamente pelos estados brasileiros e demais países do mundo propagando-se, principalmente, entre as camadas mais pobres da população.

Figura 2: Celina de Albuquerque.

2.1 Organização e influência política As Assembleias de Deus brasileiras estão organizadas no sistema administrativo que mescla o episcopal e o congregacional, com igrejas-sedes e suas respectivas filiais, congregações e pontos de pregação, lideradas pelo pastor em conjunto com um grupo de membros selecionados, rotulados como Ministério da Igreja. Estas igrejas estão ligadas as convenções estaduais, que podem ou não estarem vinculadas a Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB). A CGADB é proprietária da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), da Faculdade Evangélica de Tecnologia, Ciências e Biotecnologia (FAECAD) e da produtora musical Patmos Music. Possui 22 representantes legislativos federais, 38 estaduais e 1010 municipais, exercendo forte influência no meio político, com contribuições importantes nas votações referentes aos direitos à vida, à liberdade de expressão, etc.


7

2.2 Breve Histórico da IEAD no Amazonas O inicio da trajetória construtiva da IEAD no Estado do Amazonas remonta aos anos de 1917, com a chegada dos pastores Severino Moreno de Araújo e Samuel Nystron (pastormissionário sueco). No dia 1° de Janeiro de 1918, Samuel e Lina Nystron organizaram e fundaram oficialmente a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Manaus, com sede à Rua Henrique Martins esquina da Rua 13 de Maio (atual Avenida Getúlio Vargas), com 15 membros convertidos e batizados nas águas do igarapé Mestre Chico. A igreja não possuía um templo, realizando suas reuniões na casa da senhora Augusta. Somente no dia 31 de Dezembro de 1929, foi inaugurado (ainda com a construção física inacabada), o primeiro templo da IEAD no Amazonas, na Rua Duque de Caxias, N° 340, portando como sede a primeira Convenção Estadual, realizada nos dias 15 a 22 de Novembro de 1936, fundando a sigla IEADAM (Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas). A IEADAM é a única no Amazonas filiada à CGADB. Conta hoje, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Senso 2011), com cerca de 3 mil templos, 650 pastores e 300 mil membros, em todo o estado. O atual pastor-presidente da IEADAM e da CEADAM (Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Amazonas) é o bacharel em direito e teologia Dr. Jonatas Câmara, atuando desde 09 de Fevereiro de 1997, substituindo o seu irmão, o pastor Dr. Samuel Câmara, atual pastor-presidente da IEAD no Estado do Pará (A Igreja-mãe). A IEADAM é proprietária da Rede de Televisão e Rádio Boas Novas (RBN) e da Faculdade Teológica do Amazonas, além de parcerias com gráficas, estúdios e outros, empregando muitas famílias e bancando missionários em diversos estados brasileiros e nações do mundo.


8

Figura 3: 120 mil reunidos no sambódromo em Manaus durante a Convenção da CEADAM 2010.

3. A historicidade e o papel social da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Amaturá

Figura 4: Templo Central da IEADAM em Amaturá.

3.1 Fatos Históricos Sem data precisa, no final da década de 70, o Pastor Zacarias Ramos, procedente do Município de Manacapuru, enviado pela Convenção Estadual, fundou a Assembleia de Deus nas comunidades ribeirinhas próximo a Amaturá, mas precisamente na extinta comunidade


9

denominada Nova Jerusalém, sendo o primeiro pastor protestante a se fixar no território pertencente ao município de Amaturá. Foi ele o primeiro missionário da Igreja a pregar em solo amaturaense, porém não conseguiu instalar um templo, devido as grandes dificuldades para pregar o evangelho, pois a religião Católica Apostólica Romana era a predominante, com o clero em regime autoritário. Um de seus 21 filhos, o ex-vereador municipal, Manoel Ramos, nos relata que houve um momento durante uma das visitas de seu pai a sede do município em que o mesmo enfrentou 40 (quarenta) homens armados, prontos a impedir a pregação do Evangelho, porém, após extenso diálogo o pastor Zacarias conseguiu falar aos poucos que foram lhe ouvir e após, retornar a sua comunidade em segurança. No ano de 1981, aportou na cidade àquele que seria o fundador propriamente dito da Assembleia de Deus em Amaturá, o pastor Antonio Pereira de Oliveira. Com trabalhos de evangelismo este homem oriundo do interior do Pará, conseguiu construir a primeira casa de oração, ao lado da residência do senhor Raimundo Barroso, na atual Rua Plínio Coelho, S/N, Centro, em setembro de 1984. Segundo nos conta o senhor Josias Soares, pioneiro nos trabalhos da igreja, houve muita crítica, problemas e tumultos, principalmente dos vizinhos do templo, os quais colocavam sons altos para atrapalhar as reuniões, atiravam pedras enquanto os primeiros convertos oravam de joelhos, ferindo crianças e adultos. O senhor Robson Pedrosa Castelo Branco, nos relata que, quando chegou ao município de Amaturá no ano de 1985, o templo sede já se localizava na atual Rua Acuruy, próximo à residência do senhor Tufi Ramos, construído em madeira com teto de alumínio. Possuía 50 a 70 membros somente na sede. Durante o batismo nas águas do mesmo e de outros neófitos, no ano de 1987, algumas pessoas do município tentaram arremessar pedras na direção do local onde se realizava o evento, nas margens do igarapé Acuruy próximo do atual comercio do senhor Filomeno Félix, sendo impedido pelo delegado da Polícia Militar, o senhor Tomás da Silva. As primeiras famílias participantes foram as do senhor Raimundo Barroso, Artur Rubem, Rui dos Santos, Duvisio e Aquino. Estas foram bastante discriminadas ante a sociedade. Os padres queriam impedir o acesso das crianças ao ensino regular, tendo que o pastor Antonio se deslocar a São Paulo de Olivença ante a Justiça, pedindo uma liminar de autorização do ingresso na escola aos mesmos.


10

O segundo pastor enviado pela Convenção Estadual, foi o senhor Josué Queiroz, no ano de 1988. O “caçador”, como ficou conhecido, teve grande apreço ante a sociedade pelo seu jeito carismático e amigo, participando até de algumas missas a convite de seu amigo o Padre Frei Henrrique, o qual também participava de alguns cultos. As suas filhas Marcia, Sara e Judite, eram bastante participativas nas comemorações escolares, derrubando muitos preconceitos acerca dos assembleianos, contribuindo para a aceitação de muitos novos membros e a ampliação da igreja as demais localidades do município. Este também foi o idealizador da construção do Templo em alvenaria, que atualmente é a residência do senhor Luis Rubem Filho (vulgo Lutio), em estilo europeu tradicional, seguindo o modelo dos antigos templos idealizados pelos fundadores da IEAD. O próximo sucessor foi o Pastor Ronaldo Sena, no ano de 1992. Lembrado na cidade por seu jeito extrovertido e amoroso, em apenas um ano de ministério se tornou o pioneiro que mais conquistou membros. Foi o idealizador da negociação com o senhor Luiz Pereira (prefeito municipal nesses anos), do terreno onde foi construído o atual Templo Central, na atual Rua Acuruy, 1666, Centro, em estilo pré-moderno, inspirado nas novas tendências arquitetônicas cristãs da década de 90, em sua estrutura quadrada. Criou uma boa interação ante a sociedade e um grande avanço na ampliação da igreja. No ano de 1994, o Pastor Silas Ferreira assumiu a direção da IEADAM em Amaturá. Foi o responsável por muitas ações sociais, palestras comunitárias e algumas reformas no templo. Adquiriu a casa pastoral, numa troca com a senhora Jacinira Guimarães Aparício, ao lado do templo. Deu grande incentivo na agricultura, trazendo novas técnicas, incentivando plantações de melancias na área conhecida como Carolina, além das interações sociais positivas. Em 1998 houve a troca de pastores orientada pela CEADAM, saindo o Pastor Silas e chegando o Pastor Cloves Monteiro de Sena. Este trouxe grandes avanços na área musical, adquirindo juntamente com a igreja vários instrumentos. Foi o pioneiro no evangelismo através dos meios de comunicação em massa, dirigindo o programa Alfa e Ômega através da Rádio do Senhor Manoel Vinentes Bentes conquistando uma grande audiência. Contribuiu na organização dos louvores, trazendo novas melodias e muitas atrações infantis e juvenis, como: seminários, retiros, cultos específicos para cada faixa etária, peças teatrais, jogos, etc. Foi


11

também o fundador da Secretária de Assistência Social da Igreja, a qual passou a administrar o auxilio aos necessitados. No ano de 2001, assumiu a direção dos trabalhos, o Pastor Flávio Costa Lima. Foi o responsável pela reforma geral do Templo Central e a construção da Congregação 2 (localizada no Bairro São Francisco), seguindo os novos modelos arquitetônicos estabelecidos pela CEADAM. Iniciou a construção do auditório Novo Canaã (ao lado da congregação 2), implantou o Projeto Celular onde eram realizados cultos nas casas; realizou diversos retiros espirituais: 07 encontros com Deus, 01 Reencontro, 01 Encontro de Líderes e 01 Encontro Inefável, conseguindo através de seu trabalho ganhar um grande numero de membros, tendo a IEADAM atingido o seu maior número de membros até aquele momento desde a sua fundação, contando na época na sede do município 530 membros. Em Março de 2002, trouxe o pastor Mauro Barbosa, a fim de assumir a filial da IEADAM na comunidade indígena de Nova Itália. Este fez um belíssimo trabalho, e em sua saída, no ano de 2008, deixou como seu sucessor o Pastor Isaías Lorenzo, da etnia Tikuna. Em sua administração, chegou ao município a repetidora da TV RBN, contribuindo para um grande avanço nos meios de comunicação local. Adquiriu juntamente com a igreja, novas aparelhagens de som, instrumentos musicais, computadores, aparelhou o templo com ar-condicionado, lâmpadas econômicas, forros trabalhados, etc. No ano de 2007 chegou ao município o atual líder religioso da IEADAM, o Pastor Felino Pereira. Cursou até o 6° período da Faculdade de Teologia, não concluindo devido à necessidade de pastores nos novos campos de trabalhos da IEADAM. Vindo do município de Maraã, tomou posse no dia 14 de Outubro. Juntamente com sua esposa Ivone e seus filhos Maely, Finéias, Elienai e Otoniel, iniciaram um trabalho novo, voltando às liturgias originais da Assembleia de Deus, com oração inicial, cânticos da Harpa Cristã, leitura Bíblica, testemunhos, cânticos dos grupos de crianças, jovens e senhoras e a pregação doutrinária. Os cultos são realizados na segunda, quarta e sexta-feira às 19h30min, e no domingo as 09h00min e as 19h00min, além dos cultos de senhoras, jovens e senhores, realizados nos sábados às 19hs. Realizou a 2° reforma geral do Templo Central, adquiriu equipamentos modernos de som e vídeo (os cultos de domingo à noite são transmitidos a toda a região pertencente ao


12

município de Amaturá, em formato HD), ampliou a congregação 02, construiu dois galpões com instalações hidráulicas e elétricas no sítio da Igreja para a realização de retiros e está dando continuidade à construção do auditório Novo Canaã. Atualmente a IEADAM em Amaturá possui entre membros e congregados ativos, cerca de 757 pessoas em todas as comunidades pertencentes ao município.

3.2 Contribuições sociais As igrejas cristãs locais, entre elas a Assembleia de Deus, contribuem de maneira positiva nas interações sociais, resgatando através da fé muitas famílias destruídas pelas mazelas contemporâneas, entre elas o alcoolismo, as drogas, o tabagismo, etc. Possui um papel social relevante, auxiliando os pobres, doentes, viúvos, e demais necessitados, independente de seu credo ou filosofia religiosa, através da Secretaria de Assistência Social Cristã. Contribuiu com o aumento dos casamentos, bem como a diminuição da violência, além do repasse de ensinos sobre valores éticos e morais, com palestras e eventos voltados a uma explanação aberta e concisa da Bíblia, produzindo caracteres positivos naqueles que são alcançados pela fé.

4. Metodologia Os instrumentos utilizados nas coletas de dados foram às conversas informais com os expoentes do pioneirismo da IEADAM, com visitas aos locais históricos, registros em vídeos, fotos e no diário de campo, além da buscativa na internet e nos documentos, atas e fotografias antigas, raramente encontradas, devido à falta de método organizacional dos primeiros secretários e/ou a falta de recursos financeiros na época, a fins de registro. A maioria dos dados deste relatório foi extraída oralmente, da memória viva dos construtores da história, os quais se constituem marcos dentro de nossa sociedade.

5. Transposição Didática


13

5.1 Plano de Aula Atividade: Personagens da nossa história - resgate dos expoentes da história local das igrejas evangélicas. .Ano: 4°. .Tempo estimado: cinco aulas. .Objetivos: .Geral: trabalhar o assunto Personagens da nossa história, realizando uma ponte com as nuances locais. .Específico: executar o levantamento de dados locais acerca dos personagens da construção histórica das igrejas evangélicas no município, suas contribuições arquitetônicas e sociais na construção paralela da história local, fazendo uma conexão com os saberes aprendidos nas aulas de história. .Desenvolvimento: 1° Etapa: repassar à turma a proposta; elucidar os pontos acerca da temática; dividir os grupos e orientar a busca dos dados e as procedências metodológicas. 2° Etapa: dispor tempo para a coleta de dados; verificar o que já se têm de materiais; supervisionar o andamento. 3° Etapa: exposição em forma de seminário dos dados coletados, trabalhando a oralidade. 4° Etapa: debate acerca do seminário; pontos de ligações históricas; contribuição destes aos saberes posteriores. 5° Etapa: proposta de um relatório pessoal, paralelo aos conhecimentos adquiridos. Recursos necessários: . Humanos: O professor (a) e os alunos;


14

. Didáticos: computador, textos paradidáticos, livros formais e informais, cadernos de campo; protetor solar (de preferência, trazido pelo próprio professor (a)); chapéu, roupas e calçados apropriados; caneta e/ou lápis; máquinas fotográficas; roteiro de perguntas e outros. Avaliação: verificar a correspondência cognitiva dos alunos quanto à estruturação e construção do trabalho; dinâmica de equipe; coletas de dados; posicionamento ante os entrevistados; comportamento nas aulas de campo; apresentação do seminário e a dissertação do relatório.

Considerações Finais A apresentação do seminário realizado no dia 15 de Janeiro de 2013, veio culminar este trabalho com a rica troca de saberes, realizando uma conexão com memórias passadas, expressas com bastante emoção pelos demais acadêmicos ouvintes, o qual nos trouxe posteriores fatos, trazendo-nos a urgente necessidade de um trabalho mais exaustivo referente à história de nosso município. Portanto, o grupo-autor avalia este trabalho acadêmico como de extremo proveito ao resgate cultural de nossa história, numa valorização de nossa identidade social e cultural, na construção de acervos que trarão uma visão do tempo acima do cronológico, numa conexão entre o passado e o presente, afluindo à construção antropológica de nosso povo.


15

REFERÊNCIAS: Disponível em:

http://www.google.com.br/search?q=fotos+historicas+da+assembleia+de+deus&oe=utf8&rls=org.mozilla:pt-BR:official&client=firefox-a&um=1&ie=UTF-8&hl=ptBR&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=5fXuUMTbJoaw2gXv54CABw&sout=0&ve d=0CCMQxxQ&biw=1366&bih=665&sei=VffuUJ6pC-TC2QXS8YD4BA>>acesso

em

10/01/2013. http://www.cgadb.com.br/>>acesso em 10/01/2013. BARBOSA, Walmir de Albuquerque; MIKI, Pérsida da Silva Ribeiro. Pedagogia Intercultural Indígena 4° volume: Métodos e Técnicas de estudo e do trabalho científico. Manaus: UEA Edições, 2010. FERREIA, Aurélio Buarque de Holanda. Mine Aurélio: o minidicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2001. FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas Técnicas para o Trabalho Científico: Elaboração e Formatação. Explicação das Normas da ABNT.14 ed. Porto Alegre: s.n., 2008. WANZELER, Eglê Betânia Portela; OLIVEIRA, Katiania. Pedagogia Intercultural Indígena 9° volume: Metodologia do Ensino – Aprendizagem da História. Manaus: UEA Edições, 2012.


16

ANEXO: FOTOS

Figura 5: Teto Templo Central

Figura 6: Templo Central

Figura 7: Auditรณrio Novo Canaรฃ.

Figura 8: Pastor Flรกvio Lima.

Figura 9: Retiro Encontro com Deus.


17

Figura 10: Reunião Ministerial.

Figura 11: Apresentações Teatrais.

Figura 12: Trabalhos sociais nas Células.

Figura 14: Trabalho com as crianças.

Figura 13: Recuperação social.


18

Figura 15: Templo antigo.

Figura 17: Sítio da Igreja.

Figura 16: Congregação 2.

Figura 18: Auditório Canaã.


19

Figura 19: Pastor Felino Pereira.

Figura 20: 1째 Casa Pastoral.

Figura 21: Casa Pastoral Atual.


20

Figura 22: Culto da FamĂ­lia.


21


História da Assembleia de Deus em Amaturá