Page 1

Rio de Janeiro, Setembro de 2009 - Ano 1 - Nº 1

EDITOR IAL

Como escola de Educação e Cultura, o ISERJ retoma, a partir de outubro de 2009, a produção discente de jornais/ periódicos, como ocorria nas décadas de 40/50/60 (“Tangará”, “Normalista”, “Arquivos do Instituto de Educação”) e inova na produção discente de vídeos e programas na rádio ISERJ. Como pano de fundo destas ações está o laboratório de Multimídias do ISERJ, projeto de pesquisa com fomento FAPERJ, em funcionamento desde 2008. Tais ações implicam estudo e ação discentes sobre o próprio ISERJ, com supervisão de professores e técnicos dinamizadores de oficinas multimídias. Nesta linha, reconhecer a importância das representações sociais também a partir dos olhares e vivências dos alunos, como sujeitos-atores sociais do cotidiano escolar, corporifica a dodiscência freireana. Com a clareza de que as representações sociais apontam práticas sociais e que ambas podem ajudar a investigar as relações sociais, busca-se coerência entre teoria e prática educativas, com o saber-fazer anisiano. Que todos os leitores/participantes das multimídias no ISERJ possam aquilatar liberdade de expressão com responsabilidade ética e pluralidade democrática.

Sandra Santos

CONAE

Diretora Geral do ISERJ

O evento que está mexendo com as estruturas da Educação Nacional! Saiba por que e para quê

Página 2

O TANGARÁ SE APRESENTA!

O Tangará: esse passarinho é realmente um dançarino! O nosso jornal foi criado pelas nossas (os) colegas de 1953. O Tangará é um pássaro tão belo e quanto curioso da fauna das Américas (Central e Sul). Pássaro típico das matas tropicais, muito presente em todo o Brasil. Habita principalmente as regiões que não sofreram depredação humana. De colorido berrante, os machos, dependendo da espécie, tem plumagem vermelha, branca, azul e verde, embora a tonalidade básica para todos seja a preta. As fêmeas, mais discretas, são logo reconhecidas pela coloração verdeoliva que, parecida com a da mata, lhes dá aspecto delicado. No entanto, quando jovens, todos os exemplares de Tangará são verdes, podendo por isso mesmo ser tomados por fêmeas – o que só pode ser evitado a partir de 1 ano de idade, quando cada um começa a apresentar a cor respectiva de seu sexo. Pesquisando na internet, podemos encontrar muitas

FALA PROFESSOR Opinião dos professores sobre a Reforma Ortográfica

Página 5

referências ao nosso querido mascote. Uma delas, e bem marcante, é o seu ritual de acasalamento! Os machos da espécie chamada de Tangará Dançarino (Chiroxiphia caudata), tem o corpo bonito, de cor azul turquesa e trazem um topete vermelho na cabeça. A forma com que eles se aproximam das fêmeas também é peculiar, eles executam a “dança do acasalamento” para suas pretendentes! Os machos se alinham na mesma direção e sobre o único galho. Antes, porém, providenciam no chão um círculo limpo e livre de folhas. Então, o primeiro da fila sobre o galho, desce até a “arena” e exibe sua beleza através de danças e movimentações harmoniosas. Às fêmeas, que em geral, estão espalhadas em diversas árvores próximas, cabe assistir à exibição. De repente, uma delas desce até o círculo, emparelha-se com o macho escolhido e os dois voam para outra árvore. Desta vez, cabe ao casal assistir ao espetáculo, até que termine. E, assim, dessa forma divertida e exótica, eles formam seus pares.

NOSSO GANHA PÃO Conheça a programação do Laboratório Multimídia e as Oficinas Culturais do ISERJ

Página 6


SOBRE A CONAE

SER J I O D N OTÍCIAS

Nos dias 12 e 13 deste mês de setembro, aconteceu nas dependências do ISERJ, o evento da CONAE - Conferência Nacional de Educação (Etapa Municipal), com a participação de diversas personalidades de destaque na sociedade, gestores, professores, pais de alunos, alunos... O público foi extenso e diverso, tendo como principal foco a melhoria da qualidade do ensino no nosso querido país. Das discussões levantadas, foram escolhidos 272 delegados entre pais, funcionários, professores e estudantes do Instituto, que estarão participando da etapa Estadual e daí, então, sairão representantes para comparecer à última etapa, a Nacional, em 2010. O Documento Referência está sendo alterado pelas Conferências nos níveis Municipal, Estadual e Nacional, o que visa, em 2010, dar suporte para a elaboração do Novo Plano Nacional de Educação, que é a base da Educação Nacional, estabelecendo um padrão mínimo de educação melhorando, dessa forma, a educação em todo o país, que como bem sabemos, carece de muitos recursos, principalmente nas cidades do interior, desprovidas, às vezes, até mesmo de estabelecimentos de ensino!

2

Temos a esperança que esta iniciativa admirável resulte em efetivas mudanças nos quadros educacionais do nosso país!


Entrevista realizada pelas alunas da Oficina de Jornal com Aline Goldberg, professora de Literatura Brasileira no Ensino Médio do ISERJ Alunas: Professora, ser professora foi sua primeira opção? Professora: Não. Minha primeira escolha “profissional” foi artes cênicas. Estou colocando entre aspas o termo profissional porque na época desta decisão eu estava com dezesseis anos e, com certeza, não sabia nada sobre nada. Muito menos sobre o mercado de trabalho. Alunas: Você chegou a fazer alguma faculdade de teatro? Professora: Fiz um período do curso de interpretação na UNIRIO. Alunas: Por que você não continuou? Professora: Foram vários fatores: muita pressão em casa – meus pais não aprovaram minha escolha, o horário não me permitia trabalhar e depois eu comecei a me meter numas peças muito furadas, um povo muito irresponsável. “Perdi o saco”, sem me esquecer do fator principal: eu era uma adolescente. E vocês sabem, para o adolescente as coisas que eles querem têm de ser para ontem; já as coisas que os pais querem, só Deus sabe para quando...Não é verdade, meninas?! Alunas: Depois do teatro, então, veio a opção do

C URIO S IDADES

magistério? Professora: Não e sim. Vou responder por partes. Resolvi reabrir a matrícula do curso de psicologia na UFRJ (eu esqueci de contar este detalhe, houve um tempo em que eu fazia as duas faculdades juntas – teatro e psicologia -, depois tranquei a psicologia para me dedicar exclusivamente ao teatro). Fiz também só um período, pois o “bichinho” do teatro começou a coçar de novo. Resolvi largar as faculdades e trabalhar para poder pagar todos os cursos profissionalizantes e livres na área de teatro e vídeo que apareciam. Depois de um tempo, comecei a atuar em algumas peças, cheguei a ganhar um prêmio num festival de talentos e, como a grana estava curta, resolvi, junto com dois amigos, montar um curso livre de teatro. Eu dava aulas de interpretação para jovens e adultos. Lógico que não consegui muito dinheiro, mas consegui algo muito mais valioso: descobri que adorava dar aulas. Alunas: Por isso a escolha pelo magistério... Professora: Exatamente. Resolvi voltar a estudar de maneira mais disciplinada. Fiz Letras na UERJ Português e Literatura Brasileira. Apaixonei-me perdidamente pelo curso.

PAP O C A B EÇ A

Alunas: E, depois de formada, você logo começou a atuar profissionalmente? Professora: Sim. Assim que eu me formei, fui convidada a dar aulas na graduação do curso de Letras da UERJ. Além disso, fiz alguns concursos públicos. E, por isso, estou aqui no ISERJ dando aula de Literatura Brasileira para os seus colegas e para algumas de vocês. Alunas: E não quis mais estudar? Professora: Assim que eu terminei o último período da graduação eu fiz a prova de seleção para o mestrado em Literatura Brasileira, também na UERJ e assim que defendi a dissertação entrei no Doutorado, em Literatura Comparada, também na UERJ. Alunas: Quantos anos tem de formada? Professora: Boa pergunta. Vamos fazer as contas ...12 anos mais ou menos. Alunas: Hoje em dia, além do ISERJ, onde você trabalha? Professora: No colégio Prado Júnior, aqui do lado, e na Universidade Estácio de Sá. Querem perguntar mais alguma coisa? Alunas: Não. Muito obrigada. Professora: Eu é que agradeço.

O BANDO DOS TANGARÁS

Este é o nome do grupo formado por: Almirante (pandeiro e vocal), Braguinha (violão e vocal), Henrique Brito (violão, o melhor) e Alvinho (violão e vocal). Quando convidados a gravar um disco, admitem então um outro bom violonista de Vila Isabel, Noel Rosa, o mais jovem. O nome foi inspirado na Lenda dos Tangarás, pássaros “cantadores” e “dançarinos” que, sempre em grupo, saltitando, cantam e dançam alegremente. Gravaram seu primeiro disco com o samba Mulher Exigente, de Almirante. (Veja a letra desta música na sessão Apesar da Burguesia)

3


PARTICIPE!!! É muito importante, nos dias atuais, nos quais o caos pretende confundir a todos, nos habituarmos a expressar nossas expectativas e opiniões de forma organizada, para que o impacto das boas ideias não se perca em meras manifestações explosivas que frequentemente não resultam em consequências positivas. Um jornal é um documento e, como tal, tem sua força como meio de questionamento e finalidade informativa.

O Novo ENEM

FIQUE POR DE NTRO

pela Professora Aline Goldberg

Muitos alunos, percebendo que não há mais como fugir, estão preferindo encarar o “bicho” Vestibular de frente. São muitas as dúvidas e angústias. Para tentar acalmá-los, resolvi lançar mão de uma estratégia: selecionei as perguntas mais frequentes destes alunos sobre o Enem, ou melhor, sobre o Novo Enem, para respondê-las. . “Quem pode participar do Enem 2009?” Qualquer pessoa. Basta ter concluído o ensino É isso aí, pessoal! Nosso médio nos anos anterijornal está de portas abertas ores ou estar por concluir às sugestões de matérias neste ano. que forem do interesse da . “Por que os alunos devem fazer comunidade educativa! o Enem 2009?” Esperamos que vocês gostem Porque a média de desempenho desse canal de comunicação obtida nesta prova será de grande que está sendo aberto para valia para o candidato pleitear a participação de todos e uma vaga nas instituições de pelo interesse geral! ensino superior que adotarem o exame como ferramenta de seleção. Este exame, de certa maneira, ajuda o aluno a perceber como está seu desempenho nas matérias do ensino médio. Há, também, a possibilidade de a nota do aluno ser utilizada como critério de seleção de bolsas Experimente esta Omelete, de estudo no programa sugestão do professor Jorge de Universidade para Todos Química (ProUni). (Ensino Médio)

RANGO

Ingredientes 1 colher de sopa de óleo 2 colheres de sopa de leite 2 ovos sal Modo de fazer Bater bem os ovos. Adicionar o leite e o sal a gosto e bater mais um pouco. Aquecer o óleo numa frigideira. Incliná-la e girá-

4

la, para distribuir o ovo numa camada uniforme. Cozinhar em fogo baixo. Quando tostar ligeiramente por baixo, dobrar ao meio cuidadosamente, com o auxílio de uma escumadeira, e passar para o prato de servir. “Bon apetit!”

. “Como será a prova do Novo Enem?” O exame será composto por testes em quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias (incluindo reda-

ção); ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias e matemáticas e suas tecnologias. Cada grupo de testes será composto por no máximo 50 itens de múltipla escolha, aplicados em dois dias. O Inep/MEC já divulgou o conjunto de habilidades exigidas em cada área de conhecimento e os conteúdos específicos do currículo associados a elas. . “Qual o tempo de duração das provas do Enem?” A proposta inicial é de quatro horas. Duas horas e meia para as provas objetivas e uma hora e meia para a redação. O que me resta é desejar boa sorte e, principalmente, bom estudo! (A matéria em questão, foi redigida por alunas do Ensino Médio, listadas ao final de O Tangará (na sessão Equipe Multimídia), juntamente com a Professora Aline Golberg, professora do Ensino Médio do ISERJ), no mês de Setembro de 2009.)


Assunto em pauta: A Reforma ortográfica Algumas alunas do Ensino Médio do Iserj (listadas no campo Equipe Multimídia, ao final do jornal), fizeram a seguinte pergunta para alguns professores: “O que você achou da reforma ortográfica?” E aí vão algumas das respostas dadas:

FALA, PRO FESSOR!

lá e a gente de outra.” Professor Alexandre – biologia

“Caramba! É complicado para eu dizer porque não é a minha área técnica. Mas resumindo foi uma grande besteira.” Professor Sérgio – química

“Não tenho uma opinião formada ainda, mas tudo que vem para simplificar a nossa ortografia será bom. Eu ainda não estudei o Novo acordo ortográfico e não sei onde foram feitas as alterações, por isso não “É muito importante, mas posso dar uma opinião justa.” deveria ter uma maior Professor Wagner – física divulgação, principalmente pelos professores de português, “É meio complicado. O nosso mesmo sabendo que só será português já é complicado. Com oficializada em 2010.” essa reforma se torna ainda Professor Ricardo Pereira – mais difícil.” estatística Professor Silmar - administração “Achei boa, mas poderia ser melhor. Simplificar mais, pois ainda há muita coisa que complica.” Professor Sérgio – matemática

Uma dica para quem quer ficar por dentro deste assunto: consulte A Nova Ortografia de Evanildo Bechara e acesse os sites de entrevistas do professor Sérgio Nogueira.

CHARGES ES COL ARES

“Foi uma grande besteira, pois Parece que este assunto causa eles escrevem de uma maneira ainda algumas dúvidas e certo

desconforto. Vamos tentar esclarecer: o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 2009 surgiu com o intuito de uniformizar a grafia das palavras dos países que têm a Língua Portuguesa como língua oficial. Entrou em vigor no início deste ano, mais precisamente, em janeiro. Nós, brasileiros, temos ainda quatro anos para nos adequarmos às novas regras. Durante este período, tanto a grafia hoje vigente como a nova serão aceitas oficialmente. Mas, atenção, em janeiro de 2013 somente será aceita a grafia prevista neste Novo Acordo Ortográfico.

5


PÃ O A H N A O NOS SO G

Suas Sextas-Feiras nunca mais serão as mesmas!!!

Primeira Sessão das 10h às 12h Segunda Sessão das 13h às 14h 40

Atuação: Espaço aberto aos alunos, seus familiares, professores, coordenadores e funcionários.

CINECLUBE Prof Clóvis Prof Luis Carlos (local: Sala 300) Oficina de Jornal Prof Marco Aurélio (local: LabMM)

Nossa Missão: Ser um centro de excelência na atuação, produção e disseminação da Inclusão no ISERJ.

Oficina de Teatro Profª Patrícia (local: Teatro)

Não fique de fora! Espaço de Inclusão do ISERJ

ESPAÇO DE INCLUSÃO ISERJ sala 324 - A Contatos: Márcia França Margarida dos Santos Sandra Barbosa e-mail: inclusão@iserj.net

6

Confira a Programação das Oficinas do Laboratório Multimídia!

sex.: 10h às 12h e 13h às 14h 30min qui.: 10h 30min às 12h e 13h às 14h 30min ter.: 07h 30min às 11h 30min qui.: 07h 30min às 12h e 13h 30min às 14h 30min

Oficina de Patrimônio seg.: 13h às 14h 30min Cultural sex.: 10h 30min às 12h Profª Denise (local: LabMM) Oficina de Percussão qua.: 09h 30min Prof Tiago da Gaita às 15h 30min (local: LabMM / Torqui.: 09h 30min reão) às 15h 30min ORFEÃO CARLOS seg.: 10h 30min às 12h GOMES e 13h às 14h 30min Profª Lucimar qua.: 10h 30min às 12h (local: Torreão) e 13h às 14h 30min Oficina de Rádio Novela e Comunicação Multimídia qui.: 14h às 18h Prof Clóvis (local: LabMM) Oficina de Teclado e Prática de Conjunto ter.: 14h 30min às 18h Prof João (local: LabMM)


APE SAR DA

BU RGUE SIA

Aqui nós publicamos poesias consagradas ou então... a SUA! (Para que se consagre!) Pois, então, traga as suas criações artísticas para o Laboratório Multimídia!

Tout de même

Cazas (Fragmentos)

A vizinhança não sabe de tudo? Então por que ela não explica Por que todo dia Que chega essa hora Eu fico sem ar Começo a pairar Mais leve que o ar E voo, sobrevoo A noite e o bairro Toda a vizinhança Toda a minha ânsia

geodesia celeste — algum traço de estrela nos tijolos

E o meu medo E vejo o amanhã surgir belo E coloro o já passado Com cores do reexplicado O mal foi só mal entendido E estendido afinal Vou ao fim de mim talvez Mas talvez o vezo tal De vazar da sensatez Do sem sabor natural Seja saber de burguês De filho do capital Das capitanias genéticas Porque as hordas ascéticas Das favelas na orla marítima Tem um dia que são rítmicas Nos outros mimos de micos Do I don’t see, don’t speak and don’t hear Mas sempre prontas pra rir A carantonha entre as grades A fazer mil e uma micagens Caretas de gargalhar Comendo as pipocas lançadas Alegrando a meninada Onde foi que eu já vi sua cara? Hein boy? Hein boi? Hein? (Prof. Luís Carlos de Morais Junior)

sobre as ondas no capinzal o domador de brotos morder lâmpadas para soprar mercúrio

Remédio: a poesia Certa vez ouvi Que se escutássemos os poetas De amor a vida estaria repleta, Bem melhor que tudo que já vivi. Que do mal a cura Para essa vida escura É interpretar,

e as antenas quando as casas se esgotam nas paredes

É saber entender, Com os olhos do poeta, ler. E sair com seu olhar.

[um embolso esconde portas não feitas]

(Ana Carolina- 4.período- ISERJ) Mulher exigente

uma gérbera inesgotável desfolha um gesto de sol a geologia da casa aferida no olho-osso da lua

Tem carinho que eu faço Tem dinheiro, meu bem Tem minh’alma e meu braço Querendo amor também tem

(Márcio André) Já tens tudo o que queres Nada te tem faltado Autopsicografia Como todas as mulheres Tu nunca que estás contente O poeta é um fingidor E o pobre do coitado Do teu marido que aguente Finge tão completamente A dor que deveras sente. Isto não está direito E os que lêem o que escreve, Veja o que estás fazendo Na dor lida sentem bem, Queres tudo a teu jeito Pois és muito convencida Não as duas que teve, Mas só a que eles não têm. Inda acabas querendo o resto da E assim nas calhas da roda minha vida Gira, a entreter a razão, Esse comboio de corda Vê se acabas com isto Que eu não sou paciente Que se chama o coração. Muito cedo eu desisto (Fernando Pessoa) De ser tão bom sem proveito Com “mulher exigente” Não posso estar satisfeito (Braguinha - O Bando dos Tangarás)

7


APSES N I S C RI A N D O

Coordenadora Geral - Sandra Santos Coordenador Pedagógico - Luís Carlos de Morais Junior

Nesse espaço, vamos exercitar os neurônios através de pequenos jogos de memória, fixação e lógica! E até a próxima Prova de Matemática...

Coordenador Técnico - Krysamon Cavalcante Designer do Jornal - Tula Cilene Loreto

CRIPTOGRAMA: Não são diferenciadas as letras com acentuação.

Dinamizador da Rádio - Clóvis Bulcão Dinamizador de Vídeo - Tiago da Gaita Dinamizador de Música - João Batista Editora do Jornal / Dinamizadora - Aline Goldberg Redatoras: Ana Carolina Bria - Turma Iserj - 4.º período Ana Clara de Moraes Oliveira - Turma 702 Bianca Luna de Oliveira - Turma 702 Jenifer Vasconcelos - Turma 1201 Lídia de Castro - Turma 1201 Quadro Técnico - Ericson Carlos Souza Dexheimer - Gonçalo Mendes Jr. - Hugo Valério - Tula Cilene Loreto

2

2 5 4

8 6

9

3 5 7 1

* Respostas no final da página.

8

4 7 8

6

5

7 4 5

3

9 2 6 9

8

1 2

* Resposta do Criptograma: “O rádio é a escola dos que não têm escola.” - Frase de Edgar Roquette-Pinto (1884-1954)

2

* Resposta do “Sudoku”:

1

EQUIPE MULTI MÍDIA

SUDOKU: As linhas, as colunas e os quadrados menores devem conter números de 1 a 9, sem repetição.

Jornal "O Tangara"  

Número zero do Jornal do Instituto de Educação do Rio de Janeiro.