Issuu on Google+

ESCOLA EB 2 PÊRO DA COVILHÃ

FICHA INFORMATIVA: Nome: ___________________________________ Nº ____ Ano: ___ Turma: ___ Data: ___ /_____________/_________

ORIGEM E PROPRIEDADES O minério de grafite, ou a grafite usada nos lápis actuais, foi descoberta em 1400 na Baviera, hoje uma região da Alemanha, mas na altura ainda não se sabia muito bem o que fazer com ele. Em 1504, descobriram uma mina de grafite em Cumberland, na Inglaterra e os primeiros lápis começaram a ser fabricados, envolvidos em peles de carneiro. O primeiro lápis de madeira com grafite no interior, parecido com os de hoje, foi fabricado em 1662.

A grafite que hoje usamos na escola surgiu por obra e graça do imperador de França, Napoleão Bonaparte, no século XVIII. Em pé de guerra com os ingleses, grandes fornecedores de grafite, Napoleão pediu aos cientistas franceses que arranjassem uma forma de substituir o produto em falta. O

químico,

francês,

Jacques

Nicolas

Conté

aqueceu, então, a altas temperaturas uma mistura com bastante argila, um pouquinho de grafite, massa e água. Inventou-se então, a grafite, e até hoje os lápis são fabricados

através

adicionaram-se

a

deste esta

processo.

mistura

ceras

Mais e

tarde, resinas

pigmentos, aguarrás, terebentina, colas… e voilá! Surgiu o lápis de cor! Até hoje os lápis de cor são fabricados através deste processo.

Professora: Isabel Manso

1 de 3


COMPOSIÇÃO DOS LÁPIS DE COR

São muitas e diversas as qualidades e as variedades com que os lápis de cor são comercializados. Porém, podemos agrupá-los em função das possibilidades que oferecem e das que mais nos interessam, em três grandes grupos:

1- Lápis gordos: são os mais macios, tendo misturada com o seu aglutinante uma pequena quantidade de cola;

2- Lápis de dureza média: são os mais utilizados, possuindo o seu aglutinante uma dada quantidade de cera virgem, resina e aguarrás ou terebentina, em quantidades muito reduzidas;

3- Lápis duros: possuem uma composição muito semelhante à das aguarelas, pelo que são também solúveis na água. O aglutinante destes lápis é constituído sobretudo por colas.

Professora: Isabel Manso

2 de 3


ESCALA CROMÁTICA FEITA COM LÁPIS DE COR

Os Lápis de cor não precisam de ser misturados antes da sua aplicação. Estes misturam e fundem as suas cores sobre a própria base em que a obra é executada, sem necessidade de qualquer manipulação prévia. Para te familiarizares com as possibilidades plásticas deste material, sugerimos que realizes primeiro um simples exercício que consiste na elaboração de uma escala cromática partindo das três cores primárias: o magenta, o amarelo e o azul. Mostramos-te nesta ilustração, como simples indicativo didáctico, um modelo de escala e a ordem de intervenção dos coloridos. Bibliografia consultada: http://www.canalkids.com.br/portal/canal/index.htm Ediciones Genesis, S.A. 1992

Professora: Isabel Manso

3 de 3


ORIGEM E PROPRIEDADES DOS LÁPIS DE COR