Page 2

GLOBO EM PAUTA Brasília, 1º DE MAIO de 2014. Ano I, 2ª edição

CONDIÇÕES DE EXILADOS EM DEBATE Questão de refugiados árabes e de países acolhedores está em pauta na ONU quentes da Primavera Árabe. Também foi apresentada pelo representante da Bélgica a criação de um padrão para os campos de refugiados. A ideia, apesar de bem aceita entre os demais delegados, levantou

LORENA CAVALCANTE E PAULA COSTA

Durante a primeira sessão do Comitê da Assembleia Geral - Social, Cultural e Humanitária, SoCHum, realizada nesta quinta-feira, foram apresentados os principais problemas dos países que acolhem os refugiados da Primavera Árabe. Segundo os representantes, a população nativa - prioridade nas discussões -, a infraestrutura e a economia dos Estados devem ser consideradas. Foram levadas em pauta, ainda, as causas

Debates no Comitê continuam nesta quinta-feira

da emigração em alguns países, pois, como defendeu a representante do Afeganistão, os exilados buscam refúgio por precisão. O delegado dos EUA propôs

uma intervenção armada na Síria, que possui 2,3 milhões de refugiados nos países vizinhos e no norte da África e representa um dos exemplos mais notórios das emigrações conse-

BANCO MUNDIAL DISCUTE ENERGIA Debate focou no abandono de petróleo e uso de fontes alternativas DEBORAH ANDRADE E HENRIQUE BACELLAR

Na manhã desta quinta-feira, 1, ocorreu a primeira sessão do Banco Mundial (BM), no colégio Mackenzie, em Brasília. Na reunião, 37 países discutiram em torno do uso sustentável de fontes de energia e da substituição de combustíveis fósseis, como o petróleo. As delegações buscaram propor melhores formas de aproveita-

mento das fontes de modo que elas fossem sustentáveis, baratas e, principalmente, não poluentes. Delegado do Reino Unido, Rafael Ferreira começou com o argumento de que deveria ser analisado o quadro geral da situação energética mundial para se chegar a uma solução, pois se a análise fosse feita caso a caso, o processo seria longo e burocrático. Na sessão, o comitê esta-

beleceu que os países em desenvolvimento deveriam receber suporte daqueles em boa situação econômica. A ideia foi proposta, principalmente, pelos delegados da Índia, Finlândia e Kuwait. Ao final da primeira reunião, os EUA propuseram acabar com o uso de petróleo. Mas foi preciso o delegado da Rússia, Henrique Campos, para relembrá-lo que o país é dependente deste combustível fóssil.

1

alguns questionamentos, como o fato desses abrigos serem construídos de maneira emergencial, sem tempo prévio para adaptações a possíveis modelos. A proposta segue em observação e debate.

PANDEMIA ATINGE PAÍSES POBRES Falta de recursos na saúde afetam países subdesenvolvidos JOÃO MIGUEL BASTOS E MARIA MELISSA MONTEIRO

Na manhã desta segunda, 01/05, o comitê da Organização Mundial da Saúde (OMS) discutiu o envio de capital e de profissionais para países com dificuldade de recursos na área da saúde. O tema foi motivado devido às recorrentes pandemias que estão acontecendo no mundo. Delegados de países subdesenvolvidos, como Burkina-Fasso e Haiti, pediram auxílio financeiro por não terem verba suficiente para o tratamento das doenças. Os delegados explicaram que muitos desses países estão próximos à linha do Equador e por isso, o clima quente e úmi-

do torna favorável a proliferação de mosquitos transmissores de doença, como o da malária. Já para o delegado do Vietnã, essa ajuda financeira iria ferir a autonomia dessas nações. A delegada de Burkina-Fasso criticou a afirmação do Vietnã. “Burkina-Fasso é o país mais pobre do mundo, mas sabe muito bem o que é soberania.”, rebateu. A discussão foi encerrada sem consenso dos representantes. A pauta das próximas sessões está prevista abordar temas como o papel de Organizações Não-Governamentais e da mídia.

Jornal Globo - segunda edição  
Jornal Globo - segunda edição  
Advertisement