Page 1

COMPLEXO

MULTIFUNCIONAL

DE PERMANÊNCIA PARA

IDOSOS

Isabella B. Dell’Agostinho . 2016


Fonte da Capa: Printerest (http://lossofsoul.com/info/2010.htm) . Acesso em 20/11/2016


CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO UNISEB Trabalho Final de Graduação Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo Orientador: Catherine D’Andrea Ribeirão Preto, 2016


Agradecimentos

Agradeço primeiramente aos meus pais, pois claramente sem eles nada disso seria possível. Começando pela oportunidade de cursar Arquitetura e por me apoiarem sempre e em tudo o que desejei fazer e principalmente por me acolherem nas horas mais difíceis dessa última etapa. Obrigada por sempre acreditarem em mim. Assim como minha irmã, Victória e ao meu namorado Eduardo, agradeço por sempre estarem presentes e se manterem pacientes. A minha orientadora, Catherine D’Andrea e ao Professor Carlos Stechhanh, fica meu muito obrigado e carinho por todo o trabalho e atenção e sem dúvidas por todos os ensinamentos. Por último, mas não menos importante, agradeço aos meus amigos Bárbara Balsamo, Bruno Cardoso e Melina Balsamo, por todo companheirismo, pelas infinitas noites mal dormidas, pelas risadas, pelas brigas e por tudo que construímos juntos. Sem eles também não seria possível. E meu muito obrigada a todos que fizeram parte disso de alguma forma. Obrigada Deus por mais essa vitória!!


1

capítulo .

INTRODUÇÃO .......... 01 . Apresentação do tema . Problemática . Justificativa

2

capítulo .

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .......... 07 . Envelhecer . Ambientes Favoráveis . Idoso Residente . Uso multifuncional do solo

3

capítulo .

LEITURAS PROJETUAIS .......... 15 . Hogeweyk - vila para idosos com demência . Vigliecca & Associados . Tortona 37


sumário

4

capítulo .

ÁREA DE INTERVENÇÃO .......... 25 . Levantamento do entorno . Levantamento da área

5

PROJETO .......... 33 . O complexo

capítulo .

6

BIBLIOGRAFIA .......... 50

capítulo .


1

. INTRODUÇÃO


1.1 Apresentação do Tema O tema da proposta baseia-se em um estudo sobre o envelhecimento saudável, feito pela Organização Mundial da Saúde, no qual defende a ideia de que o bem-estar do idoso está relacionado a sua capacidade funcional, ou seja, para eles a capacidade funcional se desenvolve e se mantem a partir de atividades de interação e é otimizada dependendo do ambiente em que se vive o idoso, além de apresentar habilidades necessárias para que um idoso envelheça de um forma adequada e segura. Outro assunto que se toma como base da proposta, tratado pelas autoras Costa & Mercadante, é sobre o idoso residente e como é para ele passar pela mudança de morar em uma casa de repouso. O que é na maioria das vezes, muito traumático. Sugerem então um conceito novo, as Instituições de Longa Permanência para idosos (ILPI). Seguindo essas informações, o objetivo é criar um complexo que abrange um largo campo, não apenas de moradia, mas com atividades do dia-a-dia, interações, equipamentos de escala pública, que incentive a permanência de pessoas de todas as idades. Pode-se chamar o projeto de vila ou até mesmo comunidade. A intenção é criar atividades e equipamentos para que indivíduos de qualquer idade possam usufruir, estimulando assim a interação do idoso e ocupando o tempo ocioso, evitando a sensação de abandono e inutilidade. Porém as unidades de habitação serão exclusivamente para idosos, e terá como opção de moradia, casas e lofts. O projeto foge de qualquer semelhança com as casas de repouso comuns. Ele conta com um equipamento de apoio a saúde e visa o bem-estar e a otimização da capacidade funcional, oferecendo qualidade de vida e um envelhecimento digno. O envelhecimento saudável é mais que apenas a ausência de doença. Para a maioria dos adultos maiores, a manutenção da habilidade funcional é mais importante. (Relatório de Envelhecimento e Saúde)

01


1.2 Problemática NO BRASIL ... Segundo o site BBC BRASIL, 2013, o número de idosos no Brasil irá quase quadruplicar até 2030. Informações retiradas do IBGE, afirmam que a expectativa de vida dos idosos brasileiros deverá aumentar de 75 para 81 anos nos próximos tempos, além de estimarem que em 2060 os idosos serão em 58, 4 milhões (26,7%) da população, enquanto atualmente contam com 14,9 milhões (7,4%). O aumento da população idosa, é explicado devido a mudança na estrutura familiar, ou seja, atualmente as mulheres tendem a adiar a maternidade devido ao ingresso na área profissional. Portanto, com o aumento da expectativa de vida e a queda na taxa de natalidade, se torna a justificativa para o crescimento de idosos no brasil.

1. PIRÂMIDE ETÁRIA ABSOLUTA-BRASIL PROJEÇÃO 2010

2. PIRÂMIDE ETÁRIA ABSOLUTA-BRASIL PROJEÇÃO 2050 90 +

0 a 4 anos

Os Gráficos acima foram retirados do IBGE e confirmam o crescimento da população idosa no Brasil. Observa-se que no gráfico referente ao ano de 2010, a taxa de natalidade ainda é grande compara do a taxa de natalidade do ano de 2050. O número de idosos em 2050 chega a ser igual ao número de jovens e adultos em 2010, devido ao aumento da expectativa de vida, e acredita-se que o número reduzido de crianças e adolescentes seja devido a mulher inserida no mercado de trabalho e ao alto custo de manter uma família, optando assim por não ter filhos. (ANDRADE,THAIS.2015)

02


EM RIBEIR ÃO PRETO ... Em relação a Ribeirão Preto, cidade escolhida para a implantação do projeto. O crescimento da população idosa também está em alta. Segundo uma pesquisa feita pelo Centro de Pesquisas em Economia Regional (Ceper) afirma que a média de idosos em Ribeirão Preto é maior do que a média de idosos no Estado de São Paulo. Sendo 8,7% da população da cidade de Ribeirão Preto enquanto no Estado de São Paulo a media é de 7,8%. Registou-se também, um aumento na longevidade na cidade de Ribeirão Preto, de 79,6% em 2000 foi para 85,5% em 2010. Lembrando também, que segundo o índice de Desenvolvimento Humano da cidade é supeIsso quer dizer que em Ribeirão se vive melhor que em outras regiões. O Brasil como um todo passa por um processo de envelhecimento, mas aqui o acesso a uma vida melhor é mais fácil. Isso se reflete nesses dados sobre a longevidade da população (Guilherme Byrro Lopes, 2013)

O gráfico abaixo representa o crescimento da população idosa ao longo dos anos (2011-2015). Pode-se concluir que nesses 4 anos a porcentagem de idosos residentes na cidade de Ribeirão Preto cresceu em aproximadamente 15,6%. Segundo estudos, Ribeirão Preto apresenta um crescimento acelerado na taxa de crescimento anual da população. Entre 1991 e 2000 o crescimento era de 1,6% ao ano, chegando hoje a 2,3% ao ano.(CEPER, 2013) Crescimento Populacional de idoso em Ribeirão Preto 2011

2013

2015

79.029 85.024 91.376

INDICADORES

1991

2000

2010

Taxa de fecundidade

2,1%

1,9%

1,6%

Taxa de envelhecimento

5,6%

7,0%

8,7%

População a cima de 60 anos

8,6%

10,1%

12,6%

Analisando a tabela, encontramos uma queda na taxa de fecundidade, em Ribeirão Preto e em todo Brasil, como dito anteriormente, as mulheres estão adiando a maternidade e se inserindo no mercado de trabalho.

Fontes: -gráfico: IMP- Seade - tabela: Ceper, 2013

03


1.3 Justificativa Segundo os dados e as análises apresentados na problemática, a cidade de Ribeirão Preto é um ótimo lugar para se investir em empreendimentos voltados para idosos, devido ao crescimento dos mesmos, residentes na cidade. É de responsabilidade do governo criar uma infraestrutura para apoiar essa parte da população. Porém, a Prefeitura não da o suporte necessário. Então cabe a nós criarmos programas de interação, moradia que os façam se sentir em casa, diferente de casas de repouso que na maioria das vezes deixam uma sensação de abandono. Além de atividades que cultivem a longevidade e o bem-estar. Devido a isso, a cidade de Ribeirão Preto foi escolhida para a criação do empreendimento sugerido nesse trabalho.

Imagem 1

Fontes: -Imagem 1 : (http://deborawolf.com.br2011/10/02//seis-ingredientes-vitais-do-casamento-duradouro-2/)

04


2

. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA


2.1 Envelhecer A velhice tem sido encarada como algo do qual não podemos escapar, o que faz com que o idoso seja visto como um mal necessário e como alguém que depois de tanto trabalhar está apenas esperando pelo fim da vida. Porém, segundo pesquisas, a população que chega aos 60 anos de idade tem a possibilidade de viver melhor do que a 20 anos atrás O processo de envelhecimento é realmente algo do qual não podemos escapar, mas podemos escolher de que forma envelhecer. Isso depende de cada indivíduo, da forma como ele vive, do seu estilo de vida, do sexo e do grupo social no qual está inserido. (TORRES E SÁ 2008 citado em Andrade,Thais). Segundo a Organização Mundial da Saúde, no Relatório de Envelhecimento e Saúde, no qual aborda o tema sobre envelhecimento saudável, a capacidade intrínseca do indivíduo é a capacidade funcional e mental do mesmo, que determina o que o idoso pode ou não fazer. Entretanto, a capacidade funcional se refere ao ambiente em que se vive e as interações existentes, ou seja, enquanto os idosos podem ter sua capacidade intrínseca limitada, eles ainda são capazes de realizar tarefas funcionais. Com base nisso, o Envelhecimento Saudável depende do processo de desenvolvimento e manutenção da capacidade funcional. Para isso, quatro áreas podem ajudar a otimizar a capacidade funcional: -Alinhar os sistemas de saúde; -Desenvolver sistemas de cuidado a longo prazo; -Criar ambientes favoráveis; -Melhorar a medição, o monitoramento e a compreensão.

07


2.2 O idoso Residente Os termos usados para definir o tipo de residência para idosos são conhecidos como asilos, casa de repouso e instituição de longa permanência (ILPI), que se trata de uma nova organização de moradia para idosos da atualidade, que devido o seu crescimento no país, o aumento da tecnologia e as mudanças na estrutura familiar, ganha mais atenção. A estrutura familiar antes da mulher ser inserida no mercado de trabalho e ter sua independência financeira, entre outras coisas, permitia a mulher e a família dar uma atenção e cuidado ao idoso, fazendo com que a família recorra as casas de repouso. (COSTA & MERCADANTE, 2013) Afirmam também que existem hoje muitas unidades particulares de assistência ao idoso, porém a maioria delas traz uma relação ao abandono. O processo de mudança do idoso para uma casa de repouso, ou asilo, causa um efeito emocional, pois ele deixa para trás sua própria casa, seus bens pessoais e o apego de toda uma vida inteira e agora tem que se adaptar a uma nova realidade, longe de sua família. Porém, o próprio idoso se vê como um fardo para a família, por aceitar a condição de ser velho, debilitado e acaba aceitando a mudança para casas de repousos. Esses espaços de assistência ao idoso, faz com que seus residentes se sintam como se não pertencessem ao espaço, contrariando o sentido de comunidade. Entretanto, é preciso desenvolver atividades que desenvolvam a autoestima e façam com que essas pessoas se sintam úteis e “vivas”, atividades que despertem o interesse do idoso. A atividade do fazer humano é essencial ao equilíbrio físico, psicoemocional e social do idoso. (LIMA, 2005, P.18) Estimula o continuar a fazer planos, estabelecer os contatos sociais, tornando-o ativo, participante de sua comunidade, autônomo, aos olhos da sociedade, um velho sem estigma de velho.(LIMA, 2005, P.18)

Fontes: -foto 1 : (http://deborawolf.com.br2011/10/02//seis-ingredientes-vitais-do-casamento-duradouro-2/)

08


A instituição de longa permanência do idoso, tem a intenção de acabar com o preconceito de que idosos são debilitados e sem lugar realmente de direito. Portanto, as ILPIs devem oferecer atividades de integração de interesse ao idoso, para estimular a capacidade e ocupar o tempo ocioso que chega a causar sensação de abandono, impotência e incapacidade, visando a melhoria da qualidade de vida e autonomia. (COSTA & MERCADANTE, 2013)

A casa do Amor, Pernambuco.

Casa de repouso, Carazinho

09


2.3 Ambientes Favoráveis Segundo DORNELES, 2006 a maioria dos idosos encontram-se livres de obrigações por estarem aposentados permitindo que se dediquem mais ao lazer. A partir dai, os ambientes destinados a eles tem o compromisso de oferecer um ambiente de lazer e entretenimentos que desenvolvam a parte física, psicológica e social, devido as necessidades espaciais que influenciam no uso do espaço ao longo do processo de envelhecimento. As necessidades espaciais podem ser supridas a partir de ambientes adequados. Se trata da necessidade física, informativa e social. -Necessidade física: saúde física, ou seja, segurança e conforto do ambiente. Exemplo: ambientes livres de obstáculos, presença de rampas, apoios, bancos com encosto, entre outros. (componente de acessibilidade de deslocamento) -Necessidade informativa: forma como se obtém a informação (componente de acessibilidade de orientação) -Necessidade social: interação social e proporcionar ao idoso um ambiente familiar com senso de comunidade. Ao se criar um ambiente baseado nas necessidades espaciais do idoso facilita a realização de tarefas com independência.

Além disso, as funções de entretenimento são subdivididas em pontos de interesse, ou seja, atividades de interesse do idoso,como: -Atividades artística, para aqueles que se interessam por cinema, shows e teatros. -Atividades intelectuais, para aqueles que se interessam por leitura, aprendizado. -Atividades manuais, para aqueles que se interessam por jardinagem, costura e pintura. -Atividades esportivas para aqueles que gostam de atividades físicas e por fim atividades sociais, visando a interação do individuo, como grupo de igrejas, festas e reuniões.

Pode-se classificar os tipos de lazer a partir das funções de entretenimento (DUMAZEDIER,1976 citado em DORNELES,2006) -Descanso: restabelecer o cansaço físico e mental do indivíduo. -Recreação: atividades que tire o individuo da monotonia e da rotina diária. -Desenvolvimento pessoal: atividades de interação social.

10


ACESSIBILIDADE ... Segundo a Secretaria Nacional de Promoção de Direitos da Pessoa com Deficiência, a acessibilidade é a possibilidade de acesso aos lugares, eliminando barreiras e visando a segurança e autonomia de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, permitindo a elas a independência. O acesso deve estar presente em todos os meios, tanto físicos como de transporte, informação e até de comunicação, garantindo a qualidade de vida. Uma pesquisa feita pela Organização Mundial da Saúde, apresentada no Guia Global: Cidade amiga do idoso, cria cenários urbanos ou ambientes construídos que são favoráveis aos idosos. Imagem 2

Imagem 3

Imagem 4

Imagem 5

Segundo a pesquisa, foram citados 6 tópicos que para os idosos são indispensáveis para um ambiente favorável. -Ambiente Limpo e agradável: os idosos valorizam a tranquilidade, a paz e a beleza do lugar. Espaços Verdes -Lugar de descanso: a disposição de bancos e mobiliários de descanso são necessários em um ambiente de passeio. -Pavimentação: a condição da pavimentação de calçadas ou caminhos tem um impacto importantíssimo na locomoção do idoso, ou seja, caminhos estreitos, desnivelados, com rachaduras ou que apresentem qualquer tipo de obstáculo não são adequados. -Segurança: A sensação de segurança é importante para o incentivo do idoso de sair de casa, tanto para cuidar da saúde física como criar sua independência. -Acessibilidade nas edificações: elementos de apoio para o acesso de qualquer individuo, como elevadores, escadas rolantes, rampas, pisos antiderrapantes, sinalização. -Acessibilidade na Moradia: Residências para idosos, devem ser apropriadas, ou seja, espaços suficientes e aberturas de portas grandes para a locomoção e passagem de cadeira de rodas, banheiros adaptados com barras de apoio, entre outros.

Fontes: imagem 2: Mobiliário acessível para cadeirantes. imagem 3: Piscina com rampa de acesso para cadeirantes. de.

imagem 4 : Banheiro com acessibilidade. imagem 5 : Equipamentos de acessibilida-

11


2.4 Uso Multifuncional do solo Entende-se por uso multifuncional do solo, edifícios ou complexos que oferecem atividades multifuncionais, ou seja, atividades de diversos usos e usuários (WALZER, 2001). Reúnem atividades de todos os tipos, comercial; residencial; prestação de serviços e lazer. Segundo WALZER, 2001, o que permite a vitalidade do espaço é a mistura dos usos. A partir de um estudo feito pela ONU, 2012, o crescimento da população fez com que o trânsito das cidades se acentuasse, tornando desconfortável, cansativo e até mesmo perda de tempo, se deslocar para certas atividades. A partir disso, conclui-se que espaços multifuncionais são benéficos aos usuários, criando uma maior qualidade de vida e vitalidade. Além de não contribuir para o congestionamento, poluição e gastos que o deslocamento causa. “brincadeiras e encontros” é substituído por estacionamento e congestionamento de veículos, afetando diretamente o nível de interação social da comunidade. (CIDADES DE UM PEQUENO PLANETA, 2006)

Existem dois tipo de usos multifuncionais, aqueles que se excluem do contexto urbano e funcionam como um organismo independente, como shopping e aqueles que se integram ao espaço urbano, que influenciam e são influenciados pelo entorno (ZEIDLER, 1985).

Imagem 6

Imagem 7 Fontes: - imagem 6: (Libeskindlovet Arquitetos – concurso SESC Guarulhos, 2009) - imagem 7: (Menção Honrosa – Concurso para o centro de administração do Maranhão, 2013)

12


3

. LEITURAS PROJETUAIS


3.1 Hogeweyk

Vila para idosos com demência Localizado em Weeps, Holanda, a vila é voltada, em especial, para o cuidado de idosos com algum tipo de doenças degenerativas, como o Alzheimer. Essa vila possui médicos e enfermeiros para cuidar dos 152 idosos residentes. O complexo conta com 23 casas especialmente projetadas para idosos, além de supermercados, cinemas, restaurantes e bares. Contam com 250 enfermeiros, que agem normalmente, com roupas normais, se passam por vizinhos e possuem diversas profissões, como caixa do supermercado e empregados do lar. As 23 unidades de habitação são diferenciadas pelo estilo de vida. São 7 opções de casas: classe superior, caseiro, urbano, cristãos, artesãos, da indonésia e culturais. Arquitetos: Molenaar & Bol & VanDillen Inaugurado: dezembro de 2009. Terreno: 4 acres de terra.

Imagens disponíveis em: http://www.contioutra.com/asilo-e-coisa-do-passado-conheca-a-vila-holandesa-projetada-para-idosos-com-alzheimer/) Acesso em: 17/06/2016.

15


IMPLANTAÇÃO

A área ocupa aproximadamente 1 quarteirão, e tem em seu entorno cercado por edifícios residências e alguns industriais. Sobre a hierarquia viária, o complexo é cercado por vias de transito leve e moderado. O terreno é envolto por um largo canteiro de área verde com a intenção de criar uma distância entre a cidade e o edifício, mas ao mesmo tempo integrá-lo ao entorno. Industrial Trânsito leve

Residencial Trânsito moderado

Área verde Trânsito Interno

(rua interna do complexo)

Imagem 8

O COMPLEXO

A área em verde representa a edificação, onde estão disponíveis as acomodações e os equipamentos dispostos no complexo.

6

1

2 3

4

5

7

Imagem 9

Fontes: -Imagem 8 : Google Maps -Imagem 9: <http://hogeweyk.dementiavillage.com/>

Entre as edificações encontram-se área de convívio e interação ao ar livre. Cada área ao ar livre tem uma função. 1 VI JVERPARK, parque para caminhada; 2 Teatro de rua; 3

Avenida Boulevard, um “corredor” de lojas;

4 Passagem; 5 Área de relaxamento; 6 Extensão do Boulevard. 7

Praça do xadrez

16


CiRCULAÇÃO TÉRREO

LEGENDA Circulação Horizontal Acesso Vertical (Escada) Acesso Vertical (Elevador)

Imagens disponíveis em: <http://hogeweyk.dementiavillage.com/>

17


CiRCULAÇÃO PRIMEIRO PAVIMENTO

LEGENDA Circulação Horizontal Acesso Vertical (Escada) Acesso Vertical (Elevador)

Imagens disponíveis em: <http://hogeweyk.dementiavillage.com/>

18 17


APARTAMENTO TIPO

LEGENDA Janelas. Circulação Acessos

Como observado e dito anteriormente, as unidades possuem mais de 1 quarto e uma sala/cozinha em comum. O número de quarto por unidade gira em torno de 5/6, com 2/3 banheiros em cada.

Imagens disponíveis em: <http://hogeweyk.dementiavillage.com/>

19


3.2 Vigliecca & Associados Vila para Idosos

A vila para idosos projetada pela associação de arquitetos Vigliecca e Associados, integra o programa Morar no Centro, criado pela Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (COHAB). A intenção de criar um conjunto habitacional exclusivo para idosos é pioneiro na cidade de São Paulo. Com o apoio do Grupo de Articulação para Conquista de Moradia dos Idosos da Capital (GARMIC), a obra foi executada em 2003.

Imagem 10

FICHA TÉCNICA ... Local:São Paulo, SP Data:2003-2007 Cliente:COHAB-SP Área de intervenção:7.270 m² Área construída:8.290 m² Arquitetura e Urbanismo:VIGLIECCA&ASSOCHector Vigliecca, Luciene Quel, Ruben Otero, Ronald Werner , Lilian Hun, Ana Carolina Penna, Mario Echigo, Fausto Chino, Indiana Marteli, Maíra Carrilho, Fábio de Bem, Paulo Serra, Luci Maie Estrutura/Fundações:Telecki Arquitetura de Projetos Elétrica/Hidráulica:LCL Engenharia e Consultoria

Fontes: - imagem 10: <http://www.vigliecca.com.br/pt-BR/projects/elderly-housing>

20


IMPLANTAÇÃO O conjunto habitacional para idosos se localiza no Bairro Pari de São Paulo e fica ao lado da biblioteca Pública Adelpha Figueiredo, no centro da cidade. As duas vias que passam na frente do complexo, são vias de fluxo intenso e portanto oferecem diversas linhas de transporte publico. No seu entorno, observa-se a existência de edifícios de comércio/ prestação de serviço. Imagem 11

Biblioteca Apartamentos

ESTACIONAMENTO

Hall Salas de uso múltiplo BLIBLIOTECA

Sala de TV/ Jogos Salão

ESTACIONAMENTO

Circulação Acessos

Imagem 12

O complexo conta com 57 apartamentos, três salas para jogos, quatro salas de uso múltiplo, um salão comunitário e área verde. O edifício é organizado em 4 pavimentos e as circulações são horizontais, favorecendo a insolação e o passeio aos moradores.

Fontes: -imagem 11: Google Maps -imagem 12: <http://www.vigliecca.com.br/pt-BR/projects/elderly-housing>

21


DESENHOS TÉCNICOS

SALA

QUARTO

QUARTO

BANHO

COZINHA

COZINHA

O edifício conta com 2 caixas de acessos verticais, sendo elas escadas e elevadores. Nas circulações horizontais, existem mobiliários para o incentivo da interação entre os moradores. -25% dos apartamento são adaptados aos portadores de deficiência e o restante é adaptável. Segundo as condições econômicas dos moradores, os materiais são padronizados de alta durabilidade e baixa necessidade de manutenção.

Caixas de acesso vertical

Simplificação de acabamentos: laja aparente, pisos e paredes sem revestimento.

Imagens disponíveis em: <http://www.vigliecca.com.br/pt-BR/projects/elderly-housing>

22


3.3 Tortona 37

Complexo Multifuncional

O edifício Tortona 37, é um restauro de uma antiga planta industrial já existente. O novo projeto busca o reaproveitamento saudável da terra e uma arquitetura de baixo impacto ambiental. Um complexo de uso misto que é composto por 5 edifícios de habitação e são dispostos ao redor de um jardim arborizado.

Imagem 13

Ruas de fluxo moderado/intenso

Arquitetos: Matteo Thun & PartnersLocalização: Milão, Itália Diretor de projeto: Luca Colombo Equipe de projeto: Tom Lacey, Francesco Isabella, Simone Alberi, Ilaria Brollo Área: 39 000.0 m² Ano: 2009

DESENHO TÉCNICO

PLANTA BAIXA Passarela de conexão Edifícios Jardim Acessos

Imagem 14

Fonte: -imagem 13: Google maps -Imagem 14 : <http://projetoarquitetonico-e.blogspot.com.br/2014/09/b-estudos-de-caso-projeto-3.html>

23


Mezanino MEZANINO Apartamentos APARTAMENTOS

QUARTO 4 QUARTO 1

QUARTO 5

Circulação vertical CIRCULAÇÃO VERTICAL

QUARTO 2

QUARTO 6

Entradas apartamentos ENTRADA APARTAMENTOS

QUARTO 3

TERRAÇO JARDIM

Cada edifício possui 4 pavimentos e 6 apartamentos em cada, tendo eles 7 metros de pé direito devido a existência de mezaninos internos. A fachada de vidro é protegida por um sistema de cortinas externas que é altamente eficaz na redução de calor, outro meio de redução da insolação são as persianas de madeira.

SERVIÇOS/COMÉRCIO

ESTACIONAMENTO

Imagens disponíveis em: <http://projetoarquitetonico-e.blogspot.com.br/2014/09/b-estudos-de-caso-projeto-3.html>

24


4

. ÁREA DE INTERVENÇÃO


4.1 Levantamento da área Segundo o Estatuto do idoso, são consideradas idosas pessoas com mais de 60 anos. Considerando isso, o mapa abaixo retirado do Censo 2010, IBGE, conclui-se que a área destinada ao projeto tem em seu entorno um alto numero de pessoas idosas e que a população dessa mancha alimentará o complexo proposto, pois além de ser uma área com um bom índice de idosos é também uma área residencial. Localizada na zona sul de Ribeirão Preto, o empreendimento tem a intenção de atingir uma população de renda média e alta e idosos que buscam sua independência.

Ribeirão Shopping

Fonte: IBGE, censo 2010

25


O TERRENO O local escolhido para a implantação do projeto, fica localizado na cidade de Ribeirão Preto, no bairro Santa Cruz José Jaques. O terreno fica entre duas avenidas importantes da cidade, Av. Maurilio Biagi e Av. Portugal.

ÁREA DE DESAPROPRIAÇÃO Na parte do terreno direcionada a marginal da Maurílio Biagi, existem construções que serão desapropriadas, assim como uma construção voltada para a Av. Portugal que também será desapropriada.

Fonte: Imagens: Google Maps

26


4.2 Levantamento do entorno Uso do solo / Gabarito

Terreno Comércio Residência Prestação de serviço Instituição

N

Como podemos observar, no entorno do terreno escolhido predomina-se lotes residências e lotes comerciais e de prestação de serviço estão próximos as avenidas. Ao lado do terreno, identifica-se uma área institucional de ensino fundamental do Sistema COC de ensino. A área residencial e institucional no entorno do terreno é interessante, pois a intenção do projeto é proporcionar a integração do idoso com a sociedade.

O bairro é bastante verticalizado, possuindo uma

27


Equipamentos / Hierarquia viária

Sistema COC de ensino fundamental ( Escala da cidade)

Igreja

(Escala do bairro)

Hospital São Francisco de Fisioterapia (Escala do bairro)

M P

Municipal Particular Fluxo médio Fluxo acentuado

P

P

Ponto de ônibus

M N

O fluxo em torno do terreno é mais acentuado na Av. Portugal. A Rua Professor João Alvares da Costa, tem o fluxo acentuado nos horários de pico devido a saída da escola. Já a rua Fiorígio Casilo e a Marginal da Maurílio Biagi, tem um fluxo mais baixo. Analisando as linhas de ônibus existentes na cidade de Ribeirão Preto, no bairro Santa Cruz, pode-se notar que existem duas linhas que abastecem esta área, servindo os moradores e trabalhadores que a tem como ponto de destino ou saída. A linha de ônibus passa na avenida Portugal tornando os quarteirões ao seu redor de fácil acesso, contribuindo para a movimentação da área, assim como os equipamentos.

28


Topografia De acordo com as estações do ano, os sombreamentos dos edifícios são modificados, durante o dia, devido a grande incidência solar, os edifícios provocam grandes sombras, porém, devido a pouca concentração de edifícios, os poucos recuos favorecem a insolação na área. N

Sentido dos ventos

O relevo da área pode ser considerado acentuado, sendo que em seu ponto mais baixo encontra-se o Córrego do Retiro Saudoso. As águas pluviais escoam no sentido SO para NE, havendo poucos pontos de alagamento.

N

29


5

. PROJETO

O terreno será dividido em 2 partes, a área residencial que será de uso exclusivo dos idosos, que contará com uma área comum de atividades, para incentivar a proposta de inclusão social e otimização da capacidade funcional. E a área de prestação de serviços que será de uso comunitário, para todos os públicos.


2

EDIFÍCIO QUARTOS

O edifício quarto, como o nome diz, possui 12 quartos individuais, sendo 8 deles no térreo e 4 no pavimento 1. Os quartos são voltado para idosos mais dependentes e que necessitam de cuidados. Devido a isso, um apoio dividi o pavimento um, no qual conta com uma estrutura para enfermeiros.

RESTAURANTE Um restaurante de uso exclusivo para os idosos, busca facilitar o dia-a-dia com alomoços e jantas oferecidos. Além de estimular a interação entre eles.

CAPELA

O

VA L A ÃO

ACADEMIA Com a intenção de otimizar a capacidade funcional do idoso, a academia oferecerá atividades como hidroginástica, musculação e pilates.

MA

RG

INA

LM AUR

ÍLI

OB

IAG

I

Acoplado a academia, teremos um salão de jogos com jogos de mesa, sinuca e botcha.

F. J O R P RUA


5.1 O complexo

3

MERCADO

4

PRAÇA Voltada para a Avenida Portugal, será desenvolvido um espaço de permanência e passeio, levando em conta o ponto de ônibus existente.

Um mercado de uso público, acessado diretamente da rua e localizado no primeiro patamar da área de prestação de serviços.

TA S O AC ES D

AV. PO

RTU G

AR

AL

ACESSOS

O

L SI

O

I ÍG

A U R

CA

R O I CASAS 1

F

Procurando manter a independência e o conforto, duas tipologias de casas foram criadas. Uma delas, com 123 metros quadrados que possui uma suíte adaptada para deficientes e um quarto para 2 pessoas (indicada para receber convidados). A outra, com 81 metros quadrados, possui apenas uma suíte adaptada para deficientes. O desenho da implantação das casas segue o sol da manhã. Tendo 5 conjuntos de casas, totalizando 10 casas.

6

ÁREA GOUMET

será desenvolvido uma área gourmet, com restaurantes e instalações voltadas para alimentação.

5

BOULEVARD

Uma área voltada ao comércio, com lojas e salas para aluguel para instalações como academias, estúdios de pilates, estética e até mesmo serviços de saúde, como nutricionista, médicos, entre outros.

33


1.CASAS

SALA / COZINHA

SUÍTE


2. EDIFÍCIO QUARTOS QUARTO INDIVIDUAL

HALL ENFERMEIROS


3


4


“Ser idoso é ter no rosto A marca da sabedoria A experiência de muitos momentos Vividos com alegria. O que mais lhe entristece É a falta de respeito, carinho e atenção Dê ao nosso idoso o que ele merece E o que queres para ti. Não o maltrate, abrace-o de coração Porque o que estás hoje a pedir Num futuro tão próximo podes conseguir. Por isso, tratar bem o idoso É meu, é teu, é nosso dever Não esqueça que o idoso de hoje Amanhã pode ser você, Basta ter vida em abundância E nem tão cedo morrer”. Maria Dionésia Santos da Silva Santa Cruz do Piauí, PI

5


6


6

. BIBLIOGRAFIA


Organização Mundial da Saúde – Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Disponível em: http://sbgg.org.br/wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf Acesso em:04 de março 2016.

Costa, M.C.N.S & Mercadante, E.F. 2013. O Idoso Residente em ILPI (Instituição de longa permanência do idoso.) e o que isso representa para o sujeito idoso. Revista Kairós Gerontologia. BBC BRASIL – Numero de idosos no Brasil. Disponivel em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/08/130829_demografia_ibge_populacao_brasil_lgb Acesso em: 06 de março 2016.

ANDRADE, Thais – Espaço Público de Assistência e Reintegração do Idoso. Trabalho de conclusão de curso, Uniseb COC 2015. Ribeirão Preto. TONETO, Rudinei; LOPES, Guilherme; LIMA, Rafael. 06/2013 – Centro de Pesquisa em Economia Regional. População e Demografia. Disponível em: http://www.fundace.org.br/_up_ceper_estudos/ceper_2013006_00006.pdf Acesso em: 10 de março 2016.

GUIDINI, Eduardo 2013 – População Idosa de Ribeirão Preto. Site G1. Disponivel em: http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2013/10/populacao-idosa-de-ribeirao-e-maior-do-que-media-registrada-no-estado.html Acesso em: 10 de março 2016.

ESTATUTO DO IDOSO – Brasil. Lei nº10.741, de 1 de Outubro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm Acesso em: 04 de março 2016.

DORNELES, Vanessa Goulart. 2006. Acessibilidade para Idosos em Áreas Públicas de Lazer. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. Secretaria Nacional de promoção de direitos da pessoa com deficiência – Acessibilidade. Disponível em: http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/acessibilidade-0 Acesso em:23 de março 2016.

ZEIDLER, Eberhard. H. Arquitectura Plurifuncional em el contexto urbano. Barcelona: Gustavo Gilli, 1985.

50


WALZER, Michael. Citado em ROGERS, Richard. Cidades para um pequeno planeta. Barcelona: Gustavo Gili, 2001. IBGE â&#x20AC;&#x201C; Censo 2010. DisponĂ­vel em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopseporsetores/?nivel=st> Acesso em: 3 de abril 2016

51


CRIADO POR UM PRODUTO EDUCACIONAL DA AUTODESK

0,72

0,10

6,90

11,80

10,25

12,10

1,00

Restaurante 1

L1

200m²

L5

189,4m²

122,6m²

L

122,6m²

Restaurante 4

RTUGA

24m²

Loja 9

L2

L6

50m²

24m²

24m²

Loja 10

L3

L7

50m²

24m²

L4

24m²

L8

Loja 11

24m²

24m²

50m²

Loja 12 50m²

12,10

5,25

3,50

2,50

Moradores

AVENI

7,00

Visitantes

12,10

DA PO

Restaurante 3

Restaurante 2

24m²

1,00

10,25 60m²

Sala 3

60m²

Sala 4

8,50

0,27

11,10 10,27

8,50

2,10

0,32

IMPLANTAÇÃO ESC.1/500

IMPLANTAÇÃO CRIADO POR UM PRODUTO EDUCACIONAL DA AUTODESK

CRIADO POR UM PRODUTO EDUCACIONAL DA AUTODESK

0,42

Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

01


CORTE A-A ESC. 1/250

3

Corte 5 1 : 250

orte 2

250

Corte 1

2 CORTE B-B 1 : 250 ESC. 1/250

1 Corte 2

Corte 5 1 : 250

1 : 250

1

Corte CORTE C-C5 1 : 250 ESC. 1/250

CORTES IMPLANTAÇÃO Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

02


CRIADO POR UM PRODUTO EDUCACIONAL DA AUTODESK

O FOCO DO PROJETO : ÁREA RESIDENCIAL PARA IDOSOS CASAS TÉRREAS EDIFÍCIO QUARTO 0,72 0,72

0,10 0,10

6,90 6,90

11,80 11,80

10,25 10,25

12,10 12,10

1,00 1,00

Restaurante 1

L1

189,4m² 189,4m²

122,6m² 122,6m² 122,6m² 122,6m²

Restaurante Restaurante 44

AVENI DA PO RTUGA L

L5

24m² 24m²

Restaurante Restaurante 33

Restaurante Restaurante 22

200m² 200m²

24m² 24m²

Loja 9

L2

L6

50m² 50m²

24m² 24m²

24m² 24m²

Loja 10

L3

L7

50m² 50m²

24m² 24m²

L4

24m² 24m²

L8

Loja 11

24m² 24m²

24m² 24m²

50m² 50m²

Loja 12 50m² 50m²

12,10 12,10

7,00 7,00

Visitantes Visitantes

12,10 12,10

5,25 5,25

60m² 60m² 60m² 60m²

Sala Sala 44

10,25 10,25

2,50 2,50

Moradores Moradores

3,50 3,50

Sala Sala 33

1,00 1,00

8,50 8,50

CAIXA D’ÁGUA (2,5 X 12M) 0,27 0,27

11,10 11,10 10,27 10,27

8,50 8,50

2,10 2,10

0,32 0,32

IMPLANTAÇÃO ÁREA RESIDENCIAL ESC.1/500

IMPLANTAÇÃO ÁREA RESIDENCIAL Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

CRIADO POR UM PRODUTO EDUCACIONAL DA AUTODESK

CRIADO CRIADO POR POR UM UM PRODUTO PRODUTO EDUCACIONAL EDUCACIONAL DA DA AUTODESK AUTODESK

0,42 0,42

03


---

1

2

3

4

5

6

7

8

9

11 12 CHAMADA DE DETALHE

10

13

14

15

72.05

11

ADM / FARMÁCIA

QUARTO

QUARTO

COZINHA

14

15 7.72

QUARTO

QUARTO BANHO

QUARTO

13

QUARTO

A A

12

BANHO

10

BANHO

9

BANHO

8

9.82

BANHO

QUARTO

7

QUARTO

7.72

B

QUARTO

6

BANHO

QUARTO

5

BANHO

4

BANHO

3

BANHO

2

BANHO

1

B

A ---

VARANDA

HALL 9.82 FUNCIONÁRIOS

72.16

A

ESC. 1/100

1 : 100

1

2

5.00

9

B

3

4

5

6

ESTRUTURA 15CM

7

ELEVADOR PARA MACA 2.20M 1.20M

2.50

10

11

12

13

14

40CM

15

- Frente -

BANHEIRO

BANHEIRO

---

ADM / FARMÁCIA QUARTO

QUARTO

QUARTO

BANHO

QUARTO BANHO

5.00

1

PLANTA BAIXA - TÉRREO 1 LAYOUT 1 SEM 1 : 100 PLANTA BAIXA TÉRREO - EDIFÍCIO QUARTO

COBERTURA

B

Telha sanduíche com 3cm de poliuretano -

A

VARANDA QUARTO HALL

CHAMADA DE DETALHE - PLANTA BAIXA TÉRREO ESC. 1/75

---

inclinação = 5%

QUARTO

COZINHA

FUNCIONÁRIOS

A

DETALHE PAV 1 2 1 : 75 DETALHE QUARTOS 2 1 : 75

EDIFÍCIO QUARTOS - TÉRREO Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

04

---


2 A106

CHAMADA DE DETALHE 72.05

1

2

3

4

5

6

7

8

9

9.82

10

11

12

13

14

15

72.05

6

7

8

9

9.82

10

11

QUARTO

COZINHA

A

7.72

QUARTO

7.72

ADM / FARMÁCIA

B

12

13

14

15

ADM / FARMÁCIA

HALL COZINHA

A

---

VARANDA QUARTO

5

QUARTO BANHO

4

BANHO

3

BANHO

2

BANHO

1

---

VARANDA

FUNCIONÁRIOS HALL

FUNCIONÁRIOS

A

SEM LAYOUT PLANTA BAIXA PRIMEIRO PAVIMENTO - EDIFÍCIO QUARTO ESC. 1/100LAYOUT 1 SEM

100

1 : 100

9

10

11

9

10

12

13

11

3.14

12

14

15

13

3.14

14

15

BANHO 3.73

4.91

7.63

- Frente ---

1.50

1.50

COZINHA 4.82

HALL

QUARTO

4.82

---

-

QUARTO

FUNCIONÁRIOS 9.82

A

2.36

4.81

- Frente -

2.36

3.42

VARANDA 4.82

-

QUARTO 7.63

COZINHA

QUARTO

VARANDA

4.82

HALL

3.42

B

4.91

4.91

1.50

9.83

BANHO 3.73

1.50

9.81

3.14

BANHO

ADM / FARMÁCIA

B

4.91

2.45

9.81

3.14

3.73

3.73

ADM / FARMÁCIA

BANHO

2.45

9.83

FUNCIONÁRIOS 4.81

9.82

A CHAMADA DE DETALHE - PRIMEIRO PAVIMENTO ESC. 1/75

15

14

13

12

11

10

9

8

7

6

5

4

3

2

1 Cobertura 8.20

Pav. 1

2

DETALHE PAV 1

3.00

1 : 75

2

DETALHE PAV 1 1 : 75

Térreo 0.00

CORTE A-A ESC. 1/100

EDIFÍCIO QUARTOS - PRIMEIRO PAVIMENTO Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

05


1

2

15

14

13

12

11

10

9

8

7

6

5

4

3

2

1 Cobertura 8.20

Pav. 1 3.00

15

14

13

12

11

10

9

8

7

6

5

4

3

2

1 Cobertura 8.20 Térreo 0.00

Pav. 1 3.00

Térreo 0.00

Fundo ELEVAÇÃO - FRENTE 1 : 100 ESC. 1/100

Fundo 1 : 100

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15 Cobertura 8.20

Pav. 1 3.00

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15 Cobertura 8.20 Térreo 0.00

ELEVAÇÃO - FUNDO ESC. 1/100 Pav. 1 3.00

Térreo 0.00

Frente 1 : 100

EDIFÍCIO QUARTOS - ELEVAÇÕES

Frente 1 : 100

Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

06


1

2

3

4

8

B

1 11.88 2.20

4.40

2

3

4

8

8.12 1.50

3.06

2.50

5.26

2.56

A

SUÍTE

BANHO

QUARTO

SUÍTE Elevação 2 - a

5.00

BANHO

---

A

10.00

A

B

ELEVAÇÃO - FRENTE ESC. 1/100

Elevação 1 - a

1

SALA TV

1 : 100

4.82

SALA TV

COZINHA

1

COZINHA

Corte 1 1 : 100

C C PLANTA BAIXA ESC. 1/75

---

1

B

A

Elevação 1 - a

B

1 : 100

ELEVAÇÃO DIREITA ESC. 1/100

- Elevação 1 - a

1

3

Térreo 1 : 75

2

3

-

1

4

8

Corte 1 1 : 50

2

2

Corte 3 1 : 100

Corte 3 1 : 100

C

B

A

CORTE B-B ESC. 1/50

COBERTURA CORTE A-A ESC. 1/50

Telha de barro com forro em madeira beiral = 1 metro

DESENHO TÉCNICO - CASAS

1

Corte 1 1 : 50

Complexo Multifuncional de Permanência para idosos

07

Complexo multifuncional de permanência para idosos  

Projeto habitacional exclusivo para idosos, com apoio de uma área de prestação de serviços aberto a todo publico.

Complexo multifuncional de permanência para idosos  

Projeto habitacional exclusivo para idosos, com apoio de uma área de prestação de serviços aberto a todo publico.

Advertisement