Issuu on Google+

PRÉ 2

ESCOLA DO SANTO CONDESTÁVEL

Ano Letivo 2013/2014 Novembro

O Principezinho

Educadora: Lisete Freitas

Nesta edição: Editorial

1

A nossa Escola

1

Santo Condestável

2

Halloween

3

Pão por Deus

5

São Martinho

8

Grafomotricidade

10

Editorial Olá amiguinhos cá estamos de novo para partilhar as nossas aventuras do mês de novembro. Este mês damos destaque à nossa escola através do festejo do Santo Condestável.

A nossa Escola A Escola do Santo Condestável – Externato, situa-se no Largo Conselheiro Aires de Ornelas, 14 Vila da Camacha, Município de Santa Cruz. Escola do Santo Condestável foi fundada em 1924, por iniciativa de Abel Ferreira de Nóbrega, jovem natural da Camacha. A Camacha de então registava 90% de analfabetismo. O jovem Abel concebe a ideia de fundar uma escola onde as crianças pudessem estudar e recebessem as bases sólidas de uma educação moral e cristã. Além da construção de uma escola delineara também edificar uma capela construindo um único edifício. A Escola sob a égide do Beato Nuno Alvares Pereira seria o símbolo de Portugal, a capela sob a proteção de S. José seria o símbolo da Igreja. A Escola é inaugurada a 7 de Maio, daquele ano, apenas com 2 salas de aulas, somente para rapazes.


Página 2

O P rincipezinho

Ano Leti vo 2013/2014

Esta obra é entregue, pelo Pároco da freguesia Pe. João Augusto de Faria, à responsabilidade da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias, conhecida então pelas Irmãs Madeirenses, que passaram a dirigir a escola, até aos nossos dias. Mais tarde, em 1976/1977 a escola passa a ser mista. Em 1983 o edifício escolar sofre alterações sendo feita uma nova construção, mais ampla. As novas instalações passam a funcionar a partir de Outubro de 1984, lecionando o 1º ciclo e o pré-escolar, em regime normal. Desde o ano letivo de 2004/2005 esta Escola funciona em regime de tempo inteiro, com um horário compreendido entre as 08h 15 m e às 18 h 00 m . No ano letivo 2013/2014 abriu mais uma sala do pré-escolar.

Santo Condestável Celebramos a festa do Santo Condestável, porque Nuno Álvares Pereira foi escolhido para padroeiro, por ser muito admirado pelo seu fundador, Abel Ferreira de Nóbrega. Nuno Álvares Pereira é um dos cavaleiros portugueses mais conhecidos na nossa história, não só pelo seu engenho e arte, mas também pela sua história de vida. Liderou muitas batalhas e em todas elas foi vencedor. Tornou-se rico e poderoso, mas soube dividir seus bens pelos companheiros de armas, pelos seus familiares e pelos pobres. Em 1398 iniciou a edificação da Capela de São Jorge de Aljubarrota e m 1389 a do Convento do Carmo em Lisboa, para onde foram viver os frades da Ordem do Carmo, no ano de 1397. Depois de ficar viúvo em 1423. Entrou no Mosteiro por ele fundado pela sua devoção a Nossa Senhora. Mais tarde o povo passou a chamá-lo de Santo Condestável, por ter dedicado os últimos dias à igreja e aos pobres. Este ano celebrámos o Dia do Santo Condestável com uma Celebração Eucarística, na Igreja Paroquial da Camacha cantada pelo grupo docente e não docente da nossa Escola.


Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

Halloween "Numa casa muito estranha" Numa casa muito estranha toda feita de chocolate vivia uma bruxa castanha que adorava o disparate. Punha os copos no fogão as panelas na banheira os sapatos nas gavetas as meias na frigideira; escrevia com fios de água dormia sempre de pé cozinhava numa cama e comia no bidé. Varria a casa com garfos limpava o pó com farinha deitava cem gatos na sala e dormia na cozinha. António Mota "Se tu visses o que eu vi"

Página 3


Página 4

O P rincipezinho

Ano Leti vo 2013/2014

Receita: Doce de abóbora Ingredientes e quantidades 

1 Kg de abóbora

350 g de açúcar

2 paus de canela

Sumo de 1 laranja

Casca de 1 limão

Modo de fazer: 1. Descasque a abóbora, corte-a em cubinhos e coloque os cubinhos num tacho. 2. Junte o açúcar, os paus de canela, o sumo de laranja e a casca de limão. 3. Leve ao lume a cozer até a abóbora ficar completamente cozida ( 30 a 40 minutos ) . Vá mexendo de vez em quando enquanto o doce coze. 4. Retire do lume, retire o pau de canela e a casca de limão, triture o doce com uma varinha mágica . Leve novamente ao lume brando apenas para apurar e ficar com a textura pretendida. 5. Deixe arrefecer e guarde em potes de vidro.

Bom apetite!


Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

Página 5

Pão –Por-Deus

Na preparação do pão-por-Deus, os meninos da sala do Principezinho, trabalharam em parceria com os alunos do 4 º ano, nomeadamente com o seu padrinho , na elaboração de frutos utilizando a técnica bolinhas de papel crepe.


Página 6

O P rincipezinho

Canção: Vem aí o Pão-por-Deus Vem aí o Pão Por Deus dia de muita alegria vou pedir à minha mãe um saquinho p’ra esse dia. Um saquinho p’ra esse dia onde eu possa guardar figos, castanhas e nozes para depois saborear. Hei de lembrar-me também De quem já for velhinho Se não lhe der figos e nozes,

Ano Leti vo 2013/2014


Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

Página 7

Peça de Teatro de Fantoches intitulada: “Todos Partilham”, realizada pelas educadoras Lisete Freitas e Elda Nóbrega. para os meninos do Pré-escolar..

No dia 1 de novembro, Dia de todos os Santos reunimo-nos no pátio verde da escola para a festa da partilha. Foi um dia de alegria, felicidade e de partilha de frutos.


Página 8

Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

São Martinho

São Martinho, Num dia de Trovão, Repartiste a tua capa A quem tinha frio e te pedia pão.

Lenda de São Martinho em sombra chinesa, realizada pelas educadoras: Elda Nóbrega e Lisete Freitas para os meninos do pré-escolar.


Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

Página 9

No dia 11 de novembro, reunimo-nos no salão da escola para vermos uma peça de teatro da lenda de São Martinho realizado pelos meninos do 3º e 4º ano. Depois aproveitamos o verão de São Martinho e realizamos o magusto no pátio da escola. Foi um momento de muita alegria e entusiasmos. Depois de assadas saboreamos as quentinhas e deliciosas castanhas.

ADIVINHA São tão boas assadinhas, Cruas gosto de as roer Mas tirá-las das casinhas Picam tanto que faz doer.


Página 10

O P rincipezinho

Ano Leti vo 2013/2014

Grafomotricidade “Não há hoje em dia crianças que não contactem com o código escrito e que, por isso, ao entrar para a educação pré escolar não tenham já algumas ideias sobre a escrita. Ao fazer, neste domínio, referências à abordagem à escrita pretende-se acentuar a importância de tirar partido do que a criança já sabe, permitindo-lhe contactar com as diferentes funções da escrita.” (Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar)

A aquisição da linguagem escrita é “o resultado de variadas aprendizagens efetuadas. Para além do contacto que a criança tem com a escrita a nível visual, é muito importante a parte motora deste processo...ou seja a Grafomotricidade. Grafomotricidade é o controlo motor, associado à grafia e que implica: - direccionalidade, - tónus muscular, - coordenação visual-motora, - orientação espacial. Podemos entender a grafomotricidade como o processo de execução da escrita. Esse processo envolve a independência do braço e da mão, assim como na coordenação e na precisão dos movimentos das mãos e dos dedos em relação ao grafismo. É um ato com alguma complexidade que deve iniciar-se desde cedo. A partir dos 3 anos deverão ser feitos alguns exercícios com o objetivo de melhorar e desenvolver o controlo motor das crianças. Na realização de atividade de pré-escrita é necessário ter em conta: 

Uma correta pega da preensão do lápis;

Boa coordenação entre a preensão do lápis e pressão sobre o papel.

Respeitar a direção do traço;

Constância da forma. Os exercícios grafo motores têm como objetivo criar hábitos preceptivos motores

adequados, uma escrita fluída e um grafismo continuado. Neste sentido, apresento alguns exercícios de grafomotricidade.


Ano Leti vo 2013/2014

O P rincipezinho

ExercĂ­cios de grafomotricidade

PĂĄgina 11


Pรกgina 12

O P rincipezinho

Pรกgina 12

LABIRINTOS


Principezinho 3