Issuu on Google+


8-9 Novidades nas telonas Confira os próximos lançamentos e os mais vistos desse mês.

10-12 Novidades no mundo da música Saiba sobre shows, cds, clipes, etc.

14- 15 Intolerância Saiba o que é e os tipos de Intolerância.

18-21 Racismo

Entenda essa tendência de pensamento cruel, que até hoje atinge muitas pessoas.

22- 23 Discriminação X Preconceito

Saiba o que é cada um deles, e veja a diferença entre ambos.

24-26 Bullying Sobre esse tipo de violência que acontece não só dentro, mas fora da escola.

27 Etaísmo

Um pouco sobre esse tipo de discriminação

30-31 Teste seus conhecimentos Um pequeno teste sobre seus conhecimentos gerais

34-36 Controle Social Saiba o que é


Alice no País das Maravilhas [ Alice in Wonderland] Aventura - 16/04/2010

Uma abordagem mágica e criativa de uma das mais adoradas histórias de todos os tempos. JOHNNY DEPP estrela como o Chapeleiro Louco e MIA WASIKOWSKA como Alice, de 19 anos, que retorna ao mundo mágico que ela encontrou pela primeira vez quando criança e volta a se reunir com seus amigos de infância: o Coelho Branco, Tweedle-Dee e Tweedle-Dum, o Dormouse, a Lagarta, o Gato Risonho e, é claro, o Chapeleiro Louco. Alice embarca em uma jornada fantástica para encontrar seu verdadeiro destino e acabar com o reino de terror da Rainha de Copas.

Caçador de Recompensas [ The Bounty Hunter] Ação / Comédia - 16/04/2010

Milo Boyd (Gerard Butler), um azarado caçador de recompensas recebe o emprego dos seus sonhos quando é designado a capturar sua fugitiva ex-mulher, a reporter Nicole Hurly (Jennifer Aniston). Ele acredita que o trabalho será dinheiro fácil, mas quando Nicole escapa para seguir a pista de um assassinato encoberto, Milo se dá conta de que nada é fácil entre ele e Nicole. Eles vivem passando a perna um no outro - até que se encontram numa fuga por suas vidas. Se eles achavam que a promessa de amar, honrar e respeitar era difícil - ficar vivos será ainda mais difícil. Do diretor Andy Tennant de Hitch - O Conselheiro Amoroso e Doce Lar.

Maré de Azar [ Extract] Comédia - 23/04/2010

Joel Reynold é o feliz e bem sucedido dono de uma fábrica de extratos vegetais que começou do zero, e hoje tem a sua própria marca culinária patenteada. Isso tudo até que um bizarro acidente na linha de produção acontece, e o funcionário resolve levantar um milionário processo trabalhista contra ele. Junte-se isso ao fato de sua entediada esposa ter um caso com um limpador de piscina que é um gigolô, seu melhor amigo ser um bartender chapado, ele se sentir atraído por uma golpista e um advogado inescrupuloso que quer conseguir uma fortuna com a indenização e Joel descobre que a vida como ele conhecia virou de pernas para o ar Homem de Ferro 2 [ Iron Man 2] Ação - 30/04/2010

O mundo já sabe que o inventor bilionário Tony Stark (Robert Downey Jr.) é o super-herói blindado Homem de Ferro. Sofrendo pressão do governo, da mídia e do público para compartilhar sua tecnologia com as forças armadas, Tony reluta em divulgar os segredos por trás da armadura do Homem de Ferro, temendo que as informações caiam em mãos erradas. Tendo Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) e James "Rhodey" Rhodes (Don Cheadle) a seu lado, Tony estabelece novas alianças e enfrenta novas e poderosas forças. Querido John [ Dear John] Drama / Romance - 07/05/2010

Baseado no romance de Nicholas Sparks (de Um Amor Para Recordar, O Diário de Uma Paixão e A Última Música), Dear John conta a história de John Tyree (Channing Tatum), um jovem soldado que foi para casa durante uma licença e de Savannah Curtis (Amanda Seyfried), a jovem universitária idealista por quem ele se apaixona durante as férias de faculdade. Durante os próximos sete anos, o casal é separado pelas missões cada vez mais perigosas de John. Apesar de se encontrarem apenas esporadicamente, o casal mantém o contato por meio de uma enxurrada de cartas de amor. Essa correspondência acaba por provocar uma situação com consequências nefastas.


Missão Quase Impossível [ The Spy Next Door] Ação / Comédia - 07/05/2010

Bob 006 (Jackie Chan) acreditava que deixando para trás a vida de super espião da cia finalmente conseguirá levar uma vida normal e tranquila ao lado da sua vizinha e namorada, a bonitona Gillian (Amber Valletta). Bob precisava cumprir só mais uma missão antes de casar com Gillian: conquistar os pestinhas dos filhos dela. Mas os pestinhas tem um plano tornar a vida de Bob impossível e fazer o cara desistir de casar com a mãe deles. Sem querer, eles entregam a localização de Bob a um terrorista russo e, agora, Bob e as crianças vão ter que deixar as diferenças de lado e se unirem para salvar o mundo.

Surpresa em Dobro [ Old Dogs] Comédia - 14/05/2010

Dois grandes amigos - um divorciado sem sorte no amor (ROBIN WILLIAMS) e um solteiro divertido (JOHN TRAVOLTA) - têm a vida virada de cabeça para baixo quando, inesperadamente, ficam responsáveis por cuidar de gêmeos de sete anos quando estão prestes a realizar o maior negócio de suas vidas. Os dois, que não entendem nada de criança, esforçam-se para cuidar dos gêmeos (novatos ELLA BLEU TRAVOLTA e CONNER RAYBURN), o que resulta em uma confusão atrás da outra e talvez em uma nova e recém descoberta compreensão do que é realmente importante na vida. A Última Música [ The Last Song] Drama - 14/05/2010

Baseado no bestseller de Nicholas Sparks, a história é sobre Veronica "Ronnie" Miller (MILEY CYRUS), que aos dezessete anos é rebelde e distante do que era antes da separação dos seus pais e da mudança do pai para Geórgia três anos atrás. Seu pai, Steve (GREG KINNEAR), recebe a chance de se reconectar com sua filha quando sua mãe, Kim (KELLY PRESTON), a manda, ao lado de seu irmão mais novo, Jonah (BABBY COLEMAN), para passar o verão com ele. Após sua chegada, Ronnie é hostil e defensiva com todos ao seu redor, incluindo o popular Will Blakelee (LIAM HEMSWOTH), até os dois se aproximarem, e ela descobrir que ele é mais profundo do que pensava. Enquanto Ronnie se apaixona por Will, ela também volta a se unir com Steve através da única coisa que eles têm em comum - a música.

Top 10 Brasil 1. Como treinar o seu dragão 2. O livro de eli 3. Ilha do medo 4. Um sonho possível 5. Percy jackson e o ladrão de raios 6. Simplesmente complicado 7. Lembranças 8. Cadê os morgan? 9. A caixa 10. Idas e vindas do amor

Top 10 EUA 1. Fúria de titãs 2. Tyler perry's why did I get married too? 3. Como treinar seu dragão 4. A última música 5. Alice no país das maravilhas 6. Hot tub time machine 7. Caçador de recompe... 8. Diary of a wimpy kid 9. Ela é demais para mim 10. Ilha do medo


Lançamento de disco de Mariah Carey é cancelado

O novo disco de Mariah Carey parece ter tido seu lançamento cancelado. Angel's Advocate chegaria com exclusividade às lojas Target no dia 30, mas o disco desapareceu das lojas virtuais da rede e da Amazon.com, onde estaria disponível para download. A gravadora Island Def Jam Records não comentou a notícia. Sobre Mariah: Mariah Carey (Long Island, 27 de março de 1970) é uma cantora, compositora, produtora musical, e atriz norte-americana. Ouça: Touch My Body; Say Something; I Want To Know What Love Is; Obsessed

Chris Brown se apresenta no Brasil em maio O cantor Chris Brown vai desembarcar pela primeira vez no Brasil apresentações em maio.Os shows da turnê "Fan appreciation", de e mais novo álbum "Graffiti" acontecem em Belo Horizonte (19/05); Paulo (20/05); no Rio (21/05); e em Porto Alegre (22/05 ). Sobre Chris: Christopher Maurce Brown (Tappahannock, Virgínia em 5 de 1989), é um cantor de música pop e R&B, além de dançarino norte-americano. • Ouça: Say Goodbye, With You, Kiss Kiss, Run It!

para quatro seu terceiro em São maio de e ator

Clipe de Lady Gaga e Beyoncé tem quase meio milhão de acessos em 12 horas O

videoclipe da canção “Telephone”, colaboração entre as cantoras Lady Gaga e Beyoncé, teve quase meio milhão de acessos na


internet em apenas 12 horas, informou o site de notícias do semanário britânico “New Musical Express”. Sobre Gaga: Nascida em Nova Iorque, em 28 de março de 1986 é uma cantora de dance-pop e eletrônica dos Estados Unidos, vencedora de dois Grammy Awards. • Ouça: Just Dance; Poker Face; Bad Romance; e Telephone

Abba entra no Hall da Fama do Rock apadrinhado pelo Bee Gees O grupo musical sueco Abba, extinto em 1982, entrou hoje para o Hall da Fama do Rock dos Estados Unidos, apadrinhados pelo Bee Gees, outra banda que marcou época nos anos 70 e 80. Sobre o ABBA: Foi um grupo pop sueco formado em 1972 por Ulvaeus e Benny Andersson, e as vocalistas Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad. • Ouça: Dancing Queen; Super Trouper; Chiquitita; e Winner Takes It All

Björn

Beyoncé é recordista em vendas de música nos EUA na década passada A estrela pop Beyoncé se tornou a artista que mais vendeu música durante a década passada nos Estados Unidos, à frente de Michael Jackson, informou nesta quinta (18) a Associação Americana da Indústria Fonográfica (RIAA, na sigla em inglês). Beyoncé Giselle Knowles (Houston, 4 de Setembro de 1981) é uma cantora, dançarina, compositora, arranjadora vocal, produtora e atriz estadunidense. • Ouça: Crazy in Love; Irrapleaceble; If I Were Boy; e Single Ladies

a


Demi Lovato no Brasil Já está tudo certo para a passagem da turnê da Demi Lovato no Brasil. A estrela da Disney já tem apresentação agendada para São Paulo, no dia 28 de maio. Esta não será a primeira vez que Demi Lovato vem ao Brasil. No ano passado, ela abriu os dois shows dos Jonas Brothers, que aconteceram também no Rio e em São Paulo. Demetria Devonne Lovato (Dallas, Texas, 20 de agosto de 1992), é uma atriz, cantora e compositora estadunidense. • Ouça: Get Back; Don’t Forget; L aLa Land; Here We Go Again; Remember December

“I Can’t Be Tamed” já tem data de lançamento Segundo rumores, a data de lançamento do novo álbum de Miley Cyrus nos Estados Unidos será dia 8 de Junho, mas vale lembrar que ainda não é oficial. Confira o que foi postado: “O álbum de Miley Cyrus, “I Can’t Be Tamed”, chega as lojas dia 8 de junho. (Sendo SOLICITADA a confirmação oficial)”. Miley Ray Cyrus (nascida Destiny Hope Cyrus Nashville, Tennessee, em 23 de novembro de 1992), é uma atriz e cantora estadunidense. • Ouça: See You Again; 7 Things; The Climb; Party In The U.S.A.; e When I Look At You

Confira o clipe de Avril Lavigne, “Alice”. Acabou a ansiedade! Já dá pra ver Avril Lavigne correndo pela floresta e tendo sonhos e alucinações com os personagens do filme “Alice no País das Maravilhas” Sobre Avril: Avril Ramona Lavigne (Napanee, 27 de setembro de 1984) é uma cantora, compositora, designer de moda e atriz canadense. • Ouça: Complicated; Nobody’s Home; My Happy Ending; Girlfriend; e Alice


Intolerância é uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. Num sentido político e social, intolerância é a ausência de disposição para aceitar pessoas com pontos de vista diferentes. A intolerância pode estar baseada no preconceito, podendo levar à discriminação. Formas comuns de intolerância incluem ações discriminatórias de controle social, como racismo, sexismo, homofobia, homofascismo, heterossexismo, etaísmo (discriminação por idade), intolerância religiosa e intolerância política. No entanto, não se limita a estas formas: alguém pode ser intolerante a quaisquer idéias de qualquer pessoa. Em sua forma cotidiana, a intolerância é uma atitude expressa através de argumentação raivosa, menosprezando as pessoas por causa de seus pontos de vista ou características físicas e/ou culturais, retratando algo negativamente devido aos próprios preconceitos etc. Num nível mais extremo, pode lê-var à violência; em sua forma mais severa, ao genocídio. Possivelmente, o exemplo mais infame na cultura ocidental seja o Holocausto. O colonialismo foi baseado em parte, na falta de tolerância para com culturas diferentes daquela da metrópole.

É motivo de controvérsia a legitimidade de um governo em aplicar a força para impedir aquilo que ele considera como incitamento ao ódio. Por exemplo, a Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos da América permite tais manifestações sem risco de ação criminal. Em alguns países as pessoas podem ser processadas por tal atitude. Esta é uma questão sobre quanta intolerância um governo deve aceitar e como ele decide o que constitui uma manifestação de intolerância. Mas às vezes, enquanto nós nos preocupamos com a intolerância alheia, ignoramos como reconhecer e lidar com a nossa própria intolerância.


Sintomas de Intolerância • Profanação - Ofender ou tratar com irreverência alguém • Gozação – Caçoar, Zombar ou Rir de alguém • Discriminação – Distinguir por raça, crença, etc • Expulsão – Por alguém para fora à força de um determinado local ou grupo

• Repressão – Proibir ou impedir alguém de ir a algum lugar ou fazer algo. • Intimidação – Apavorar ou amedrontar alguém. • Hostilização – Ser agressivo com alguém. • Exclusão – Rejeitar, afastar, ou deixar alguém de lado.

contra as crenças e práticas religiosas de outrem. A intolerância religiosa pode resultar em perseguição religiosa e ambas têm sido comuns através da história. A maioria dos grupos religiosos já passou por tal situação numa época ou noutra.

Intolerância religiosa é um termo que descreve a atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar as diferenças ou crenças religiosas de terceiros. Poderá ter origem nas próprias crenças religiosas de alguém ou ser motivada pela intolerância


É o ato ou o efeito daquele que não aceita divergências no campo da política, ou seja, que não aceita opositores. E ainda, crê que sua filosofia ou suas idéias políticas são melhores ou as únicas corretas. Podemos citar como um bom exemplo, o caso das DITADURAS como as formas mais óbvias de intolerância política, sobretudo aquelas que lançam mão da violência para esmagar seus opositores.


O racismo é a tendência do pensamento em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras. Onde existe a convicção de que alguns indivíduos e sua relação entre características físicas hereditárias, e determinados traços de caráter e inteligência ou manifestações culturais, são superiores a outros. A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a escravidão, o domínio de determinados povos por outros, e os genocídios que ocorreram durante toda a história da humanidade. Um grupo social dominante, seja em aspectos econômicos ou numéricos, sente a necessidade de se distanciar de outro grupo que, por razões históricas, possui tradições ou comportamentos diferentes. A partir daí, esse grupo dominante constrói um mito sobre o outro grupo, que pode ser relacionado à crença de superioridade ou de iniqüidade. Convém ressaltar que o racismo nem sempre ocorre de forma explícita. Muitas vezes o racismo é conseqüência de uma educação familiar racista e discriminatória.

História O racismo tem assumido formas muito diferentes ao longo da história. Na antiguidade, as

relações entre povos eram sempre de vencedor e cativo. Estas existiam independentemente da raça, pois muitas vezes povos de mesma matriz racial guerreavam entre si e o perdedor passava a ser cativo do vencedor, neste caso o racismo se aproximava da xenofobia. Na Idade Média, desenvolveu-se o sentimento de superioridade xenofóbico de origem religiosa. Quando houve os primeiros contatos entre conquistadores portugueses e africanos, no século XV, não houve atritos de origem racial. Os negros e outros povos da África entraram em acordos comerciais com os europeus, que incluíam o comércio de escravos que, naquela época, era uma forma aceite de aumentar o número de trabalhadores numa sociedade e não uma questão racial. No entanto, quando os europeus, no século XIX, começaram a colonizar o Continente Negro e as Américas, encontraram justificações para impor aos povos colonizados as suas leis e formas de viver. Uma dessas justificações foi a ideia errônea de que os negros e os índios eram "raças" inferiores e passaram a aplicar a discriminação com base racial nas suas colônias, para assegurar determinados "direitos" aos colonos europeus. Àqueles que não se submetiam era aplicado o genocídio, que


exacerbava os sentimentos racistas, tanto por parte dos vencedores, como dos submetidos. Os casos mais extremos foram a confinação dos índios em reservas e a introdução de leis para instituir a discriminação, como foram os casos das leis de Jim Crow, nos Estados Unidos da América, e do apartheid na África do Sul.

Formas racismo Racismo nos Unidos da América

Paralelamente, desenvolveram-se grupos de supremacia negra, como o "Black Power" (em português, “Poder Negro”) e a organização "Nation of Islam", a que pertenceu Malcolm X.

O nazismo Alemanha nazista: "Não compre dos Judeus!".

de Estados

Nos Estados Unidos da América, o racismo chega a extremos contra os negros, índios, asiáticos e latino-americanos, em especial no sul do país. Até 1965, existiam leis, como as chamadas leis de Jim Crow, que negavam aos cidadãos não-brancos toda uma série de direitos. Além disso, muitos negros foram linchados e queimados vivos sem julgamento, sem que os autores destes assassinatos fossem punidos, principalmente pelos membros de uma organização, a Ku Klux Klan, que defendia a “supremacia branca”. Essa organização ainda existe naquele país, alegadamente para defender a liberdade de expressão e liberdade de ofensa daquele grupo social.

Como a raça alemã era bastante miscigenada, isto é, não havia uma normalidade de traços fisionômicos, criaram-se então raças inimigas, fazendo desta forma surgir um sentimento de hostilidade e aversão dirigido a pessoas e coisas estrangeiras. Desta forma, os nazistas usaram da xenofobia associada ao racismo atribuindo a indivíduos e grupos sociais atos de discriminação para amalgamar o povo alemão contra o que era diferente. A escravização dos povos da Europa oriental e a perseguição aos judeus eram as provas pretendidas pelos nazistas da superioridade da raça ariana sobre os demais grupos diferentes e raciais também.

O apartheid Cartaz na África do Sul


com indicação "Somente para brancos". Uma demonstração vergonhosa para o ser humano sobre o racismo ocorreu em pleno século XX, a partir de 1948 na África do Sul, quando o apartheid manteve a população africana sob o domínio de um povo de origem européia. Este regime político racista acabou quando por pressão mundial foram convocadas as primeiras eleições para um governo multirracial de transição, em abril de 1994.

Racismo xenofobia

e

Muitas vezes o racismo e a xenofobia, embora fenômenos distintos, podem ser considerados paralelos e de mesma raiz, isto é, ocorre quando um determinado grupo social começa a hostilizar outro por motivos torpes. Esta antipatia gera um movimento onde o grupo mais poderoso e homogêneo hostiliza o grupo mais fraco, ou diferente, pois o segundo não aceita seguir as mesmas regras e princípios ditados pelo primeiro. Muitas vezes, com a justificativa da diferença física, que acaba se tornando a base do comportamento racista.

Antimestiço Uma forma de racismo menos conhecida, que consiste na crença de que a miscigenação gera indivíduos inferiores aos de "raça pura", seja a ambos, como defendia Louis Agassiz, seja a um deles, como defendia Gobineau. Uma forma atual tem ocorrido como reação ao racismo contra negros, indígenas e asiáticos que consiste negar a identidade mestiça e a defesa de que as populações 'pardas' sejam tratadas como negras, indígenas ou brancas, negando sua peculiaridade.

Internet Valendo-se, ao mesmo tempo, da possibilidade de anonimato e do alcance a milhões de internautas, o racismo tem se espalhado de maneira intensa pelo mundo digital. Com discursos racistas, revisionistas ou neonazistas, milhares de sites, blogs, comunidades virtuais do Orkut e MySpace, disseminam o ódio racial e a intolerância.


A divulgação do racismo, mesmo pela internet, trata-se de um crime, conforme é caracterizado pela legislação brasileira. Alguns sites advogam o direito à liberdade de expressão e afirmam não se considerarem racistas, expressarem apenas opiniões. Outros sugerem maneiras de como manter o material distante das autoridades competentes. Por esta característica, muitos sites, principalmente os disponibilizados em provedores gratuitos são retirados do ar, para em seguida reaparecerem, múltiplos em três ou quatro servidores novos, inclusive em domínios estrangeiros.

A mulher negra É evidente a distinção entre mulheres e homens no mercado de trabalho, principalmente em relação a mulher negra. Esse preconceito tem suas raízes na escravidão, que, apesar de ter sido abolida há décadas, ainda tem influência nas relações sociais, no modo de pensar e de ver o outro e a si mesmo. O preconceito contra a mulher sempre foi tão incutido na sociedade, que gerou nelas mesmas uma visão autodepreciativa de sua posição nas

relações sociais e como tal no mercado de trabalho. Com a criação do movimento feminista e depois de muitas lutas, as mulheres conquistaram alguns direitos e de certa forma algumas barreiras sociais foram quebradas. Porém, a atual situação das mulheres não sofreu muitas alterações. No mercado de trabalho as mulheres ainda ocupam cargos inferiores em relação aos homens, isto se comprova através de estudos recentes, revelando que para elas alcançarem os mesmos cargos que os homens, em empregos formais, necessitam de uma vantagem de cinco anos de escolaridade. Esses dados agravam-se quando relacionados à mulheres negras, que necessitam de oito a onze anos de estudo a mais em relação aos homens.


Discriminação é qualquer distinção, exclusão ou restrição baseada em raça, cor descendência ou origem nacional ou étnica que tenha o propósito ou o efeito de anular ou prejudicar o reconhecimento, gozo ou exercício em pé de igualdade de direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, económico, social, cultural ou em qualquer outro domínio da vida pública. Há duas formas de discriminar: a primeira, visível, reprovável de imediato e a segunda, indireta, que diz respeito a prática de atos aparentemente neutros, mas que produzem efeitos diversos sobre determinados grupos. A discriminação pode se dar por sexo, idade, cor, estado civil,

religião, ou por ser a pessoa, portadora de algum tipo de deficiência. Pode ocorrer ainda, simplesmente porque o empregado propôs uma ação reclamatória, contra um expatrão ou porque participou de uma greve. Discrimina-se, ainda, por doença, orientação sexual, aparência, e por uma série de outros motivos, que nada têm a ver com os requisitos necessários ao efetivo desempenho da função oferecida. O ato discriminatório pode estar consubstanciado, também, na exigência de certidões pessoais ou de exames médicos dos candidatos a emprego.


De modo geral, o preconceito é uma generalização superficial. Exemplos: "todos os norte-americanos são arrogantes", "todos os ingleses são frios". Observar características comuns a grupos são consideradas preconceituosas quando entrarem para o campo da agressividade ou da discriminação, caso contrário reparar em características sociais, culturais ou mesmo de ordem física por si só não representam preconceito, elas podem estar denotando apenas costumes, modos de determinados grupos ou mesmo a aparencia de povos de determinadas regiões, pura e simplesmente como forma ilustrativa ou educativa. As formas mais comuns de preconceito são: social, racial e sexual Enquanto que o preconceito racial é considerado um crime em muitos países, muitas das vezes o "bullying" se mistura com o preconceito.


Discriminação X Preconceito Deve-se destacar que os ter mos discriminação e preconceito não se confundem, apesar de que a discriminação tenha muitas vezes sua origem no simples preconceito. O preconceito não pode ser tomado como sinônimo de discriminação, pois esta é fruto daquele, ou seja, a discriminação pode ser provocada e motivada por preconceito. Discriminação é um conceito mais amplo e dinâmico do que o preconceito. Ambos têm agentes diversos: a discriminação pode ser provocada por indivíduos e por instituições e o preconceito, só pelo indivíduo. A discriminação possibilita que o enfoque seja do agente discriminador para o objeto da discriminação. Enquanto o preconceito é avaliado sob o ponto de vista do portador, a discriminação pode ser analisada sob a óptica do receptor.

Bullying é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo

(bully ou "valentão") ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Também existem as


vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma.

Caracterização do bullying Bullying é frequentemente usado para descrever uma forma de assédio interpretado por alguém que está, de alguma forma, em condições de exercer o seu poder sobre alguém ou sobre um grupo mais fraco. O bullying divide-se em duas categorias: 1. bullying direto; 2. bullying indireto, também conhecido como agressão social O bullying direto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos. O bullying indireto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido através de uma vasta variedade de técnicas. Qualquer que seja a situação, a estrutura de poder é tipicamente evidente entre o agressor e a vítima. Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepção da vítima, que parece estar a mais intimidada

para oferecer alguma resistência. Porém, a vítima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido às ameaças ou concretizações de violência física/sexual, ou perda dos meios de subsistência.

Características dos bullies Adolescentes agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Também tem sido sugerido que um deficiente em habilidades sociais e um ponto de vista preconceituoso sobre subordinados podem ser fatores de risco em particular. Estudos têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do bullying, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de auto-estima. O bullying não envolve necessariamente criminalidade ou violência. Por exemplo, o bullying frequentemente funciona através de abuso psicológico ou verbal.

Tipos de bullying Os bullies usam principalmente uma combinação de intimidação e humilhação para atormentar os outros. Abaixo,


alguns exemplos das técnicas de bullying: Insultar a vítima; acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada. • Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade. • Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os • Espalhar rumores negativos sobre a vítima. • Depreciar a vítima sem qualquer motivo. • Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando a vítima para seguir as ordens. • Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação disciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully. • Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência. • Isolamento social da vítima. • Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying •

Chantagem. Expressões ameaçadoras. Grafitagem depreciativa. • Usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com freqüência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita"). • • •

Escola Em escolas, o bullying geralmente ocorre em áreas com supervisão adulta mínima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou fora do prédio da escola. Os que sofrem o bullying acabam

desenvolvendo problemas psíquicos muitas vezes irreversíveis. O bullying nas escolas pode também assumir, por exemplo, a forma de avaliações abaixo da média e não retorno das tarefas escolares

Apelidos Normalmente, uma apelido é dada a alguém por um amigo, devido a uma característica única dele. Em alguns casos, a concessão é feita por uma característica que a


vítima não quer que seja chamada, tal como uma verruga ou forma obscura em alguma parte do corpo. Em casos extremos, professores podem ajudar a popularizá-la, mas isto é geralmente percebido como inofensivo ou o golpe é sutil demais para ser reconhecido. Há uma discussão sobre se é pior que a vítima conheça ou não o nome pelo qual é chamada. Porém, um apelido pode por vezes tornar-se tão embaraçosa que a vítima terá de se mudar (de escola, de residência ou de ambos).


Discriminação etária, generacional ou ainda etaísmo é um tipo de discriminação contra pessoas ou grupos baseado na idade. Quando este preconceito é a motivação principal por trás dos atos de discriminação contra aquela pessoa ou grupo, então estes atos se constituem em discriminação por idade.

• Terceira idade: que são rotulados de lentos, fracos, dependentes e senis.

Exemplo Discriminação por idade no emprego

Embora etaísmo possa se referir ao preconceito contra qualquer grupo etário, a discriminação por idade está geralmente associada a duas faixas etárias específicas: Adolescentes: (etaísmo contra adolescentes é também chamado "adultismo"), a quem são atribuídos as características estereotipadas de imaturos, insubordinados e irresponsáveis; •

Cyberbullying é uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar outrem.


A discriminação por idade no emprego pode se diferenciar ligeiramente da discriminação de raça e de gênero, no sentido de que usualmente não toma a forma de discriminação salarial. Trabalhadores mais idosos, em média, produzem mais do que trabalhadores jovens. Porém, a maioria das pessoas acreditam que os jovens têm mais disposição para trabalhar. Assim, muitas empresas preferem contratar pessoas jovens. As empresas podem também ficar receosas em oferecer aos trabalhadores idosos salários menores do que aqueles pagos aos trabalhadores mais jovens, e simplesmente não promover ou não contratar trabalhadores mais velhos. Elas também podem encorajar a adesão em planos de demissão voluntária ou demitir desproporcionalmente trabalhadores mais velhos e/ou experientes.

Leis Existem ainda algumas leis, como o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Essa Lei dispõe sobre a proteção integral à criança (pessoa até 12 anos) e ao adolescente (idade entre 12 e 18 anos)


Introdução

1 Formas de Controle

Controle Social é a integração da sociedade com a administração publica, com a finalidade de solucionar problemas e as deficiências sociais com mais eficiência.

Quando tratamos do assunto Controle Administrativo podemos citar três formas importantes de controle:

O Controle Social é um instrumento democrático no qual há a participação dos cidadãos no exercício do poder colocando a vontade social como fator de avaliação para a criação e metas a serem alcançadas no âmbito de algumas políticas publicas.

·Controle Externo

·Controle Interno

·Controle Social 2 interno

Controle

O Controle Interno existe para que possa haver responsabilidade publica, com objetivo de inibir e precaver ações ilícitas ou que possam ir contra os princípios da Constituição Federal, tanto que


este tem amparo no artigo 74 da Constituição Fedeal, servindo de auxiliar no controle externo. Por isso podemos dizer que é o controle que articula entre as ações administrativas e a analise de legalidade.

discricionariedade, já que isso acontece quando os atos da administração pública não são regulados por lei, e sim feitos por discricionariedade.

O controle interno tem fundamento na ordem administrativa, jurídica e política.

O Controle Social é a integração da sociedade com a administração publica, com a finalidade de solucionar problemas e as deficiências sociais com mais eficiência.

Este controle deve possibilitar ao cidadão que acompanhe com transparência a gestão da coisa publica, tanto que deve servir como agencia accountability. 3 Controle Externo O Controle Externo é realizado pelo órgão estranho ao que se realizou o ato, é a verificação do exercício regular da competência atribuída pela lei, ou seja, são órgãos externos no qual fiscalizam as ações da administração publica e o seu funcionamento. Embora seja um controle demasiadamente importante, o controle externo não pode revisar atos compelidos por efeito de

4 Controle Social

Isso só é possível porque a sociedade de hoje esta mais interessada e ainda que sofram com essas deficiências, são as mesmas que buscam as soluções. 5 O que é Controle Social? Controle Social é a descentralização do Estado motivando grupos de pessoas a solucionar problemas sociais, tendo este amparo legal e constitucional, ou seja, é a participação social na gestão publica. Esta participação se torna mais eficiente e constante porque a sociedade brasileira esta mais participativa e mais preparada para reparar os conflitos sociais. Esta solução se torna mais rápida


porque a própria sociedade que sofre com os conflitos é a mesma que busca os mecanismos para reparar essas deficiências. O Controle Social é um instrumento democrático no qual há a participação dos cidadãos no exercício do poder colocando a vontade social como fator de avaliação para a criação e metas a serem alcançadas no âmbito de algumas políticas publicas, ou seja, é a participação do Estado e da sociedade conjuntamente em que o eixo central é o compartilhamento de responsabilidades com o intuito de tornar mais eficaz alguns programas públicos. A ampliação do controle social incide de maneira expressiva na administração, podemos citar constitucionalmente a edição de lei regulamentando aas formas de participação do administrado seja direta ou indiretamente. O exemplo disso pode citar a Lei que cria o Programa Bolsa Família que estabelece o controle social como um de seus componentes que garante a participação efetiva da sociedade na execução do programa. (Lei n° 10.836/2004). Dá-se efetivação do Controle Social por duas maneiras: A)Controle Natural, que é executado diretamente pelas comunidades (como é o caso das associações, fundações, sindicatos, etc.).

B)Controle Institucional, que é exercido por entidades e órgãos do Poder Publico instituídos de interesse da coletividade. (como é o caso dos Procons, Ministério Publico, etc.). Portanto, Controle Social é uma maneira de estabelecer um compromisso entre o poder publico e a sociedade com a finalidade de encontrar saída para os problemas econômicos e sociais. Conclusão O Controle Interno existe para que possa haver responsabilidade publica. Controle Externo é realizado pelo órgão estranho ao que se realizou o ato, é a verificação do exercício regular da competência atribuída pela lei. O Controle Social é a integração da sociedade com a administração publica, com a finalidade de solucionar problemas e as deficiências sociais com mais eficiência.



Trabalho