Issuu on Google+

Fundação: Julho de 2003 - Edição 083 - Julho de 2011 - R$ 1,00

Garota da Capa JÉSSICA TAYNARA

Anápolis 104 anos

Pag. 2B

Linda e cada vez melhor

Foto: Paulo Giovani

“Anápolis chega aos 104 anos bela, próspera, plena de vitalidade. E com certeza, com a colaboração de cada de um nós anapolinos.” Deputado Carlos Antônio (PSC)


Edição nº 83 - julho de 2011 2

editorial

Aos 104 anos, Anápolis é tudo de bom!

RA

O dia 31 de julho de 2011 incidirá num domingo. Mesmo assim, com certeza, milhares de pessoas sairão de suas camas bem cedo e seguirão rumo à Praça Bom Jesus para celebrar uma data muito importante: os 104 anos de emancipação política de um dos mais importantes municípios brasileiros e o mais importante do estado de Goiás: Anápolis. Cidade de todos, Anápolis, hoje mais do que nunca, é TUDO DE BOM. Aqui, tem de tudo o que se necessita nos tempos modernos, para se viver bem. Distante apenas 48 quilômetros da capital, Goiânia, e 130 quilômetros da capital federal, Anápolis tem excelente infra-estrutura para morar, empreender seus negócios, criar família. E hoje é uma cidade muito bonita. No editorial da edição 015 (Janeiro de 2005) discorremos sobre o tema “Anápolis é uma cidade feia”, com base na mesma pronúncia dita por um empresário da capital goiana que na oportunidade visitava Anápolis; e por uma senhora da cidade de Palmas (TO), que se transferira para Anápolis por força do trabalho do esposo. A exposição deste fato, com todas as letras, mexeu com os brios de pelo menos um morador da cidade, Lael Lemos, contabilista. Na edição seguinte (n° 016, fevereiro de 2005), ele enviou uma carta à redação do jornal, e o título da mesma era; “Anápolis será linda”. Parece que profetizava. Seis anos depois, temos ai, uma cidade que já podemos chamar de “linda”. Reproduzimos aqui, a carta do contabilista (publicada em fevereiro de 2005). “Senhora editora, Quero parabenizar o jornal “O BAIRRISTA”, que a cada edição diz verdades que o povo gostaria de dizer. Espero que ele cresça e apareça

nas bancas de jornais de nossa cidade e depois no nosso estado [felizmente a profecia dele neste sentido, vem também se cumprindo]. Cheguei de mudança de Goiânia no ano passado, fugindo daquele centro que já não é o de poucos anos passados. Agora em Anápolis cidade com clima de primeira qualidade, para contrariar, vi algumas coisas que não gostei. Porém, espero agora, como cidadão anapolitano, poder ajudar para que seja uma linda cidade, aliado a este clima e esta gente maravilhosa que aqui trabalha, vive e luta. Lendo o seu editorial “Anápolis é uma cidade feia” (O BAIRRISTA 015), fiquei pensando como aquelas pessoas tiveram o mesmo sentimento que eu. ‘Cidade horrível, sem árvores, sem flores, sem calçadas (passeio), ruas que não chegam a lugar nenhum ou várias que chegam a um só lugar, fazendo um tráfego horrível que, juntamente com péssimos condutores de automotores, fazem um transito desqualificável’. Dia desses fui mudar meu endereço na seguradora de meu veículo, mas o corretor me disse que ficaria mais caro, pois após pesquisa pela seguradora, constatou-se que Anápolis é a cidade com maior número de barbeiros (não de salão de cabeleireiro). Buraco e péssimos condutores nas ruas realmente não são tão ruins quanto a feiúra da cidade. Porém, juntando tudo, podemos dizer que faz parte do que chama a atenção do visitante ou do que aqui quer morar. Os nossos parentes e amigos que nos visitam aqui não falam nada, porque são educados, porém, também não elogiam. O tráfego precisa de reforma urgente; isso é serviço para uma secretaria municipal. Que antes de mandar colocar instrumentos arrecadadores (multadores eletrôni-

ARTIGO

cos) deveria reestruturar, recapear, sinalizar, educar, através de blitz constantes, retirando veículos sem condições de uso e motoristas não habilitados, não é por falta daquela carteirinha que se coloca no bolso ou não, estou falando de capacidade de dirigir com responsabilidade e conhecimento. Aproveito para pedir aos meninos que ficam no centro para sair para as periferias para orientar o trânsito complicado por algum fato momentâneo. Aproveito a oportunidade para falar que os condutores daqui não sabem para que servem as pistas de desaceleração para retorno, instaladas nas grandes avenidas. Culpa das autoridades que não explicam que Anápolis está crescendo e eles não são adivinhos. Ah, lembrei-me de uma passagem que liga um bairro a outro, ali, na Matinha, perto do Colégio Polivalente. Rodou com a chuva; demorou a rodar, mas conseguiu, porém, tem uma ponte próxima que pode ser usada , mas há tantos buracos que não dá para utilizá-la. Então, falei com um funcionário de um departamento responsável pela parte, para tapar os buracos, compensando assim a falta da passagem, e ele não se tocou, continuando lento como a cidade; e já faz dez dias e nada. São tantas coisas que acho que fica para outra ocasião, quando tivermos esta oportunidade”. Lael Lemos. Reproduzimos esta carta, escrita há seis anos, para que o leitor possa fazer uma avaliação da cidade de ontem e da cidade de hoje. O título da carta não tem nada a ver com o conteúdo; foi mesmo apenas uma expressão de otimismo e de esperança de um bairrista que como todos que amam Anápolis, torce para que esta seja a melhor cidade do mundo! Parabéns a Anápolis e sua gente!

Léo Alves*

Afrontas em 2012 entre PMDB e PT Em política, nem sempre a soma quantifica igual o total imaginado. Na metade do século 20, as disputas político-eleitorais da época figuravam-se sob o mote “café com leite” ora e/ou “leite com café” afora, representando assim parcerias ou confrontos na busca do poder público entre São Paulo e Minas Gerais; o A+B ou B–A quase nunca costumeiramente resultava em = A/B, B/A ou numa matemática quântica, até porque então a física não avançara a tal fórmula. Nesse contexto pode-se vislumbrar como serão as eleições 2012 (Executivo e Legislativo municipais) para candidaturas do PT e do PMDB, cuja aliança alçou Dilma Roussef à presidência e Michel Temer à vice do Brasil. Nem o um dia popularizado calculista da loteria esportiva Oswald de Sousa conseguiria acertar mais que a zebrinha: a parceria nacional de 2010 não se configurará com exatidão no ano que vem. O PT quer açambarcar com exclusividade mais poder na República e o PMDB visa ampliar ainda mais outros nichos da admi-

nistração de prefeituras. O PMDB está perspectivando eleger não menos que 1.256 prefeitos nos cerca de 5,5 mil municípios, objetivando atingir não menos a marca obtida na eleição de 2.000, quando estava sendo finalizada a gestão presidencial de FHC (PSDB). O PT, que elegeu 578 em 2008, cresceu 209% de lá para cá com as migrações de outros partidos para sua legenda, aspira ser alavancado para mais de dois mil mandatos executivos. O jogo de lado a lado para ‘seduzir’ nomes com potencial de votos para cada agremiação já está em campo. Os presidentes Valdir Raupp (PMDB) e Rui Falcão (PT) estão constantemente se encontrando e negociando os caso a caso nos municípios. Para o embate em São Paulo, a capital com o maior orçamento do país, dizem: “A briga pela Prefeitura é inevitável”. Da mesma forma, imagina-se, será em Anápolis e em Goiânia, embora o Inimigo Público 1 de ambos seja o governador Marconi Perillo (PSDB). O PT quer continuar coma chave do cofre; o PMDB almeja portar

o código da fechadura. Por essas e outras, até personagens que já detiveram o mando tanto numa quanto noutra cidade avaliam costurar seus retornos por um ou pelo outro partido. Por fim, pontificando literalmente a questão do PMDB goiano, não há como desprezar a figura de Iris Rezende, que, depois de governador, ministro, governador de novo, foi eleito prefeito goianiense conquistando o poder após gestão petista e, a seguir, saindo da cadeira para redisputar a governança estadual em embate com Marconi, sua criação política, perdeu. E ganhou apenas uma partilha do ‘bolo’ peemedebista para o Centro-Oeste no governo federal petista. Iris, certamente, não está feliz da vida! Maior poder de fogo político, asseguradamente, ele anseia. Será que defenestrar o rondonense Valdir Raupp do caciquismo do PMDB nacional e instalar no lugar o criador afamado do mutirão da casa própria popular não seria catapultar o PMDB a um revigorante flash na mídia e no gosto eleitoral? *Léo Alves é jornalista

MENSAGEM MENSAGEM PARA PARA QUEMQUEM CRÊ CRÊ “Desde os dias mais antigos eu o sou. Não há quem possa livrar alguém de minha mão. Agindo eu, quem o pode desfazer?” Is. 43.13

DEUS QUER TE ABENÇOAR... Existem milhares de pessoas que vivem aquém do propósito de Deus para suas vidas. Olham ao seu redor e vêem tantas dificuldades, tantos desafios que nem ao menos se dispõem a lutar. Preferem ficar olhando os problemas que buscar as soluções. A vida, admitamos, é cheia de desafios e adversidades, mas, isso não pode ser motivo para desistirmos ou até mesmo ficarmos desesperados. Se assim fosse, porque outras pessoas obtêm sucesso? Jesus mesmo disse que no mundo teríamos aflições. A diferença está em saber que eu sou em Deus, o potencial que esse mesmo Deus me deu e o quanto estou disposto a lutar pelos meus sonhos. Porque Deus sempre quer abençoar. Ele criou cada ser humano com um potencial e depende de nós desenvolvermos esse potencial. Exemplos de pessoas de sucesso não faltam para nós.

Deus quer abençoar... Ele depende apenas de nossa disposição em lutar e não desistirmos dos sonhos que em muitos casos, foi Ele mesmo quem nos deu para sonhar. Deus quer abençoar... Só precisamos estar sintonizados com Ele para sabermos o momento de agir. Querido leitor, a Bíblia diz que Deus envia chuva sobre bons e maus, significando que as oportunidades são para todos. Agora, quando temos o Senhor em nossas vidas, ficamos mais confiantes para trabalharmos e buscarmos os objetivos para nossa vida. Faz toda diferença lutar com Deus ao nosso lado. Problemas todos têm, com ou sem Deus. Porém, tendo Ele ao nosso lado significa que a vitória está garantida. O verso acima diz: “Agindo eu, quem o pode desfazer?” As minhas decisões podem desfazer o agir de Deus em minha

vida. Segundo as minhas atitudes eu posso colaborar ou não com Deus. Somente eu posso desfazer os planos dEle para mim, uma vez que tenho livre arbítrio para decidir o que quero. Se você é uma pessoa que está cansada de ver outras pessoas fazendo e sendo um sucesso em várias áreas da vida, mas ainda não experimentou esse sucesso, pare e pense um pouco: que o tipo de vida você está vivendo? Pode não estar dentro dos propósitos que Deus tem pra sua vida. Pode ser também que Deus sempre esteve fora dos seus planos. Coloque Deus em sua vida e em seus planos e comece a experimentar e desfrutar das bênçãos que muitas pessoas têm experimentado e desfrutado. Deus quer te abençoar! Pense nisso e Deus te abençoe! Pr. Isaias Levi isaiaslevieira1@hotmail.com

JUSCELINO POLONIAL

Um Projeto Nacional para a Educação Brasileira Em artigos passados, nós falamos de como as constituições brasileiras abordaram o tema sobre a educação, desde a primeira de 1824, ainda no Império, até atual, de 1988. Ao todo foram oito cartas constitucionais, que refletiram, em cada época, a luta política de educadores, empresários da educação, grupos religiosos, burocratas de governo, grupos e partidos políticos que tentaram influenciar na elaboração do texto sobre a educação. Essa diversidade é compreensível, afinal, todos nós sabemos que a educação é fundamental para o desenvolvimento humano, cultural e econômico do país, logo, ninguém quer ficar de fora. A partir de agora faremos uma análise da LDB (Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional), a famosa Lei 9.394 de 1.996. Estrutura em títulos, a LDB define o que é educação, delimita os deveres e direitos de todos com o processo, aborda cada um dos níveis da educação brasileira, diz de onde virão os recursos e afirma que precisamos de um Plano Nacional de Educação para mudar os rumos da educação brasileira. No processo de redemocratização do Brasil nos anos oitenta, a educação entrou na lista das prioridades de lutas dos trabalhadores. Entre as reivindicações, uma lei que pudesse valorizar o professor e uma educação de qualidade. Nesse contexto, a LDB foi fruto de muita luta dos pro-

fessores e de suas entidades representativas, sindicatos, associações, federações, confederações e centrais sindicais mas, ao final do texto aprovado no Congresso Nacional, os educadores não saíram satisfeitos na sua totalidade. Podemos afirmar que a LDB trouxe avanços, principalmente na idéia de consolidar o sistema nacional da educação brasileira, mas temos os problemas, como a da privatização da educação. Sobre sistema levamos em consideração o conceito de Demerval Saviani, para quem o Brasil tem hoje uma boa estrutura educacional, ou seja, uma base jurídica, de pessoal e de prédios, mas não apresenta uma articulação entre os diversos níveis da educação, portanto não temos um sistema e é isso que a atual LDB poderá proporcionar. Sobre o processo de privatização, é notório que o ensino superior nunca esteve tanto nas mãos dos empresários e com o dinheiro público deslocado para as universidades privadas nos diversos programas de financiamento. É mais barato para o Governo esse processo do que construir uma universidade pública. Ora, já que estamos falando de qualidade do ensino, quem produz mais conhecimento no Brasil, as universidades públicas ou privadas? Os números estão aí para quem quiser ver. Infelizmente, as privadas estão mais preocupadas em ter mais alunos nas

E Moisés edificou um altar, ao qual chamou: o Senhor é a minha Bandeira (Êxodo 17-15).

suas salas de aula, do que efetivamente na qualidade no ensino. É bem verdade que tanto a Constituição, quanto a LDB garante o funcionamento simultâneo dessas instituições, afinal, vivemos em um país de mercado, mas a luta dos professores é para que os recursos públicos fiquem no setor público. Nessa linha de raciocínio é que o novo Plano Nacional de Educação, previsto para o período de 2011 a 2020, está sendo discutido pela sociedade civil e política e um dos pontos é a qualidade do ensino. Nesse campo, tantos as instituições públicas, quantos as privadas, precisam melhorar muito, comparando com o que apresentam hoje como projeto educativo. Se a qualidade do ensino está ligada ao nível de aprendizagem, uma pergunta vem logo à mente: como é possível ter escolas funcionando sem bibliotecas? Se um país se faz com homens e livros, e se esses homens não têm acesso à leitura, como poderão se formar? Portanto, um novo projeto nacional para a educação brasileira, que nesse momento está sendo discutido, passa, necessariamente, por uma educação que valorize a leitura. Não teremos um país produzindo ciência e cultura sem livros. São tantos os problemas da educação brasileira que se iniciarmos por um que parece simples, quem sabe não consigamos resolver os mais complexos.


Edição nº 83 - julho de 2011 3

Anápolis 104 anos Foto: Paulo Giovani

Belo presente de 104 anos Dizer que o surgimento de Anápolis a partir dos encontros de viajantes em uma fazenda que ficava na região, e que cresceu após a construção da capela de Santana, fincada no local onde um animal empacou com a imagem de uma santa (Ana), já se tornou lugar comum em toda passagem do aniversário da cidade. Neste ano, Anápolis comemora 104 anos, porém, sua gênese propriamente dita, o comecinho de sua existência, foi na verdade, no ano de 1819, quando o viajante francês Auguste de Saint-Hilaire, hospedou-se na região, a qual mencionou de Fazenda das Antas. A propósito, muito pertinente o artigo do supervisor Giuseppe Ferrua, publicado na revista anapolina “Planeta Água” (edição 087/Maio/11) onde ele aborda o assunto. Morando em Anápolis há uma década, o italiano, diz

que “conhecendo as tradições européias, onde o povo se orgulha por suas cidades terem mais de 2.000 anos e por sua fundação se perder no tempo ficou, como é o caso de é o caso de Roma, que teria sido fundada em 21 de abril do ano 753, A.C. por dois irmãos que brigaram na hora de traçar os limites da vila com um arado e uma parelha de bois”, ficou “surpreso e perplexo quando percebi que Anápolis comemora seu aniversário com tantos festejos e dia de repouso, mas o que se festeja não é o ano da fundação da cidade e sim o ano em que a cidade virou município”. Para Giuseppe Ferrua, “seria como se uma pessoa não festejasse os anos de vida, mas sim os anos a começar de sua maior idade”. Pelas suas considerações, Anápolis estaria comemorando agora, 152 anos, visto que pelos registros histó-

ricos foi no ano de 1859 que a área de terras de propriedade de Manoel Rodrigues dos Santos, um aglomerado com 15 casas virou cidade – 60 anos depois, em 1907, a cidade de Anápolis. Porém, se se considerar o registro da passagem do francês Auguste de Saint-Hilaire, por aqui, como o marco inicialíssimo de Anápolis, a cidade estaria completando, agora, 192 anos. E Ferrua, um atento ‘anapolitano’, como diria Érides Guimarães, informa que, por estas e outras razões que tem abordado o assunto com várias pessoas, entre elas o professor João Asmar, “pedindo para que o aniversário de Anápolis seja, digamos assim, duplicado: 104 anos de município sim, mas também 152 anos de fundação; assim, estaremos valorizando nossa história e nossas tradições”.

Brilhante gestão

O presente Que o passado é importante, ninguém duvida, mas se Anápolis completa 192, 152 ou 104 anos, isso é apenas um detalhe. Polêmicas a parte, o melhor neste momento é tratarmos do presente. É saber que Anápolis hoje está entre as 100 melhores cidades do país em termos de qualidade de vida, de oferta de emprego, de segurança, de avanços educacionais, médicos e tecnológicos. Tem uma excelente administração, tem gente feliz e promissora, e tem a esperança de melhorar ainda mais. Principalmente porque o Governo do Estado diz que tem em suas prioridades, muitos benefícios para Anápolis. Falando nisso, o governador Marconi Perillo anunciou que presenteará Anápolis por ocasião dos seus 104 anos de vida. O presente, há muito esperado, é a execução do proje-

to do Centro de Convenções de Anápolis, que terá o nome do empresário “Deocleciano Moreira Alves” falecido trágica e precocemente em abril último. O governador fez o anuncio ao participar do encerramento do III Seminário de Desenvolvimento Econômico de Goiás, em Anápolis, realizado no dia 14 deste mês pela Rádio Manchester e Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA). O governador mesmo com “uma forte gripe”, como ele mesmo informou, fez questão de vir a Anápolis por consideração à cidade, à sua gente e aos promotores do evento. Ele prestou contas dos investimentos realizados nos últimos seis meses no Estado, e anunciou obras para o município, entre elas a do Centro de Cultura e Convenções, dizendo que a maquete eletrônica já está pronta, e que a licitação do

projeto é uma questão de dias. O governador declarou que vem pedindo com insistência ao secretário de Indústria e Comércio Alexandre Baldy o andamento do trabalho. E Baldy tem lhe garantido que em seis meses a obra estará licitada. DAIA O governador anunciou mais atenção ao DAIA, procurando resolver o problema da ampliação do Distrito; falou sobre a destinação de recursos para a formação de uma PPP (Parceria Público Privada) para a universalização do saneamento básico em Anápolis; anunciou a construção de um novo presídio; e que o Estado vai continuar liberando verba para a manutenção do Hospital de Urgências. Disse ainda que o estado intervém para que Anápolis tenha seu Aeroporto de Cargas.

Governador reafirma que presídio é prioridade

Foto: Arquivo Goiás Agora

Governador Marconi Perillo anuncia obras para Anápolis

Ex-prefeito Eurípedes Junqueira elogia a atuação de Gomide

O prefeito Antônio Gomide foi elogiado pelo ex-prefeito Eurípedes Barsanulfo Junqueira (que, nomeado pelo governo militar, comandou Anápolis entre os anos de 1974 e 1975) durante a solenidade de entrega das obras de duplicação da Avenida Pedro Ludovico. Rememorando a época em que foi prefeito, Junqueira disse “á 38 anos, quando eu fui prefeito, Antônio Gomide era um garoto

de calças curtas, estudante do Colégio São Francisco; hoje é um prefeito considerado por todas as classes, com ideal de servir. Hoje Anápolis testemunha esta brilhante gestão um trabalho extraordinário, sob a égide daquele estudante do Colégio São Francisco”. Gomide, simples como sempre se apresenta, e modesto agradeceu ao colega. Mas, falando à população, tendo por testemunhas as autorida-

des presentes e a imprensa, considerou a importância da obra que era entregue. Tanto pelo prisma estético, quanto pelo da segurança. “Com a duplicação, com certeza, muitas vidas serão poupadas neste trânsito”, observou. Gomide diz que a região beneficiada, bem como toda a cidade, ganha, em 2,7 anos de administração, os investimentos que não ganhou em meio século.

As deficiências da segurança pública em Anápolis já são inteiramente do conhecimento do governo do estado. Recentemente o secretário de Segurança Pública João Furtado, esteve em Anápolis e conheceu in loco as estruturas de segurança pública locais, visitando as instalações dos principais órgãos policiais da cidade. Recebido pelo prefeito e pelo presidente da Acia, Furtado foi cobrado. Antônio Gomide e Wilson de Oliveira reivindicaram uma segurança mais aprimorada para a região

do Distrito Agro Industrial, a ampliação do quadro de agentes e policiais militares a serviço de Anápolis; a construção da sede para o 5° Distrito Policial, um prédio para abrigar presos do regime semi-aberto e a construção do presídio. A propósito, o Governador Marconi Perillo, ao participar do 3° Seminário de Desenvolvimento Econômico, no dia 14 deste mês, declarou que o presídio está na lista de prioridades do seu governo para Anápolis. O governador sabe da situação precária do presídio local

Anel viário solução mais barata para aliviar congestionamentos O Distrito Agroindustrial de Anápolis precisa urgentemente ser ampliado. Aliás, a situação do DAIA, ora impossibilitado de receber novas empresas por falta de áreas, foi tema de amplas discussões durante o III Seminário do Desenvolvimento Econômico, que também debateu as questões relacionadas à construção do viaduto, Aeroporto

de Cargas/Plataforma Logística, e Futuro Econômico de Anápolis. Sobre a ampliação do DAIA, o presidente da Goiásindustrial, Ridoval Chiarelloto (foto), diz que providências são tomadas e que isto é prioridade. Assegura que o Distrito tem área demarcada de 52 alqueires e o governador já autorizou a desapropriação.

Inclusive a Procuradoria Geral do Estado já começou a trabalhar. “A determinação do governador é para desapropriar urgentemente, para ontem, porque é fundamental para a continuidade do processo de industrialização”. A construção do anel viário do DAIA, com nove quilômetros de extensão e custo de R$ 11 milhões, é também uma

providência urgente. Chiarelloto diz que este recurso viário permitirá aos caminhoneiros saírem do DAIA passando pela Hyundai, pelo CRA, acessando o trevo de Brasília sem passar pela congestionada confluência de acesso a Distrito Agroindustrial. Outra idéia é também abrir um ramal que dá acesso à BR passando pela Churrascaria

Catarinense, perto da sede da AABB. O presidente do Goiasindustrial inclusive negocia uma permuta com a entidade bancária (Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal) que topar liberar os recursos para construir o anel viário. A contrapartida seria uma área para edificação da agência no DAIA.

Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores (Tiago, 5-13).

que há mais de 20 anos é um autêntico barril de pólvora, em função da precariedade e da superlotação, não obstante a recente construção de uma ala feminina, sob os auspícios da sociedade. O anúncio de construção de uma penitenciária em Anápolis não é novo. Foi feito sob muito holofote por Maguito Vilela quando ocupou a governadoria do estado (1 de janeiro de 1995 a 4 de maio de 1998). Treze anos depois, o presídio é o mesmo, com situação até pior, já que o número de presos aumentou muito.

Foto: Affonso Lima


Edição nº 83 - julho de 2011 4

Anápolis 104 anos

Novo visual muda cartão postal de Anápolis A entrada sul de Anápolis terá nova fisionomia com a construção de um belo parque ambiental o maior a ser construído em área urbana do Estado. O novo Parque Ecológico, será erguido às margens do túnel 1 da Norte-Sul, no final da Avenida Brasil, e ocupará área de mais de 1 milhão de metros quadrados, com extensão total de quatro quilômetros, indo do Vivian Parque até o Bairro São João. Sua construção será a compensação da empresa Valec a Anápolis pelo impacto ambiental causado pela ferrovia. A compensação virá na forma de recuperação das nascentes e locais de preservação do Ribeirão das Antas, gerando maior qualidade de vida para os anapolinos. O Parque fica pronto em 12 meses, ou seja, até julho do ano que vem. Dez milhões de reais serão necessários, mas os recursos já estão garantidos pela Valec e o prefeito Antônio Gomide diz que a obra reafirma a política da atual ad-

Parque Ipiranga, o mais belo “point” da família e da juventude anapolina

Praça Cônego Trindade, reformada, virou a principal atração da Vila Gois

Estado e Prefeitura homenageiam com Comenda

Vereador Fernando Cunha

Jornalista Manoel Vanderic Correia

Quatro homens de Anápolis foram homenageados neste mês, na cidade de Goiás, durante as comemorações do aniversário da antiga capital, com a Comenda da Ordem do Mérito Anhanguera, a mais alta honraria do governo do estado a pessoas que tem o reconhecimento pelos trabalhos prestados ao estado. Os deputados Carlos Antonio e José de Lima, o vereador Fernan-

do Cunha Júnior e o diretor da Rádio Manchester, Mário Alves, foram agraciados com a distinção conferida pelo governador Marconi Perillo. A Prefeitura de Anápolis também homenageia pessoas de vulto com a mais relevante honraria concedida pelo município, outorgada àqueles que, reconhecidamente, têm contribuído para o progresso da cidade em suas respectivas

áreas de atuação. Integrado às comemorações dos 104 anos da cidade, a comenda foi conferida a Adonai Tadeu Rodrigues, Adonílio Leite Pereira, Alcides Teixeira Barbacovi, Amélio Luiz Benedetti, Bárbara Luzia da Silva Buzolin, Cirinéia Aparecida de Castro Alarcão, Cláudio Abadia de Paiva, Ednaldo Fernandes dos Santos, Elequicina de Souza Soares, Elmo dos Reis Goulart, Elon Gonçalves, Geraldo Vieira Guimarães, Janete Ana Vaz Ribeiro, José Batista Júnior, José Borges da Silva, José de Paula Garcia, José Marreto, Ludhmila Abrahão Hajjar, Manoel Vanderic Correa, Marcelo Limírio Gonçalves, Minerval Benedito de Oliveira, Osvaldo Abraham, Osvaldo Corrêa Borges, Paulo Alves da Silva, Ruy Abdalla, Sidnei de Jesus Silva, Victor Antônio Soares Azevedo, Wagner Feres Aidar, Washington Ribeiro Gomes e Wolney Ronaldo Silva.

Anápolis cada vez melhor! Parabenizamos a cidade de Anápolis pelos 104 anos de progresso, de pujança e de avanços em todas as áreas. Anápolis está entre as 100 melhores do país para se viver. Mas para nós da Auto Escola Anápolis, esta é a melhor cidade do mundo. Marcos Ponce Leone (Marquinho)

Auto Escola Anápolis e Fábrica de Placas Anápolis contribuindo para uma cidade melhor.

ministração de criar uma cidade sustentável, “um bom lugar para se fazer investimento”. Para o governador Marconi Perillo “o novo parque é uma verdadeira ação de sustentabilidade”. Cartão de visita Se o Kartódromo, o Viaduto do Daia (que será construído logo, com a graça de Deus e a boa vontade dos governantes, parlamentares e da empresa a ser contratada), o Instituto Federal de Educação, e a duplicação da Avenida Pedro Ludovico contribuem para a valorização da região sul da cidade de Anápolis, o Parque Ecológico e a Ferrovia Norte Sul vêm acrescentar muitíssimo neste parâmetro de valor. O Parque Ecológico será o cartão de visitas mais ‘top’ de Anápolis. O local será dotado de ampla área verde, incluindo quiosques, pistas de caminhada e de ciclismo, área de lazer e estacionamento; espaço de convivência e

aparelhos de ginástica. A Ferrovia Norte-Sul, por sua vez, na opinião do governador Marconi Perillo, será a obra mais importante do estado desde a construção da BR-153 e fomentará o progresso não só do estado, mas de toda a região Centro oeste. “Estimamos que em 20 anos, até o ano 2030, o eixo Goiânia-Brasília, região metropolitana de Brasília, de Anápolis e de Goiânia terão 20 milhões de consumidores, se transformando em um dos principais pólos de desenvolvimento tecnológico e industrial do Brasil”, diz o governador. Outras belezas de Anápolis Há 30 anos o cartão postal de Anápolis era a Praça Bom Jesus. Quando uma pessoa queria mandar uma lembrança da cidade destacando algo de bonito da Manchester goiana, comprava um cartão postal da Praça Bom Jesus (que já naquela época não era tão bonita - estando do mesmo jeito, até hoje, diga-se de

passagem). Hoje, três décadas depois, já se pode mandar cartões postais que exaltam verdadeiramente a cidade. O Parque Ipiranga, no Bairro Jundiaí, um centro de preservação do meio ambiente que já se consolidou como principal opção de lazer; a Praça Cônego Trindade, na Vila Góis, que se tornou o atrativo da região com novo calçamento e design moderno; a Praça Americano do Brasil, com seu imponente Mirage; a entrada da Base Aérea, também com um belo modelo dos antigos caças; o Parque Ambiental José Crispim Ramos, na Cidade Jardim, área de interesse ecológico, as avenidas Pedro Ludovico e Fernando Costa, revitalizadas, oferecem paisagens dignas de serem convertidas em cartões postais da cidade. Os anapolinos agora já têm o que mostrar e se orgulhar de sua bela Anápolis. Quando o Parque Ecológico das Antas ficar pronto então...

Jornalista sugere revitalização do pátio do DEMER/CMTT O jornalista Henrique Mendonça, residente na Rua Rosário Paulista esquina com Rua Bela Vista, no Bairro João Luiz de Oliveira, encabeça um movimento destinado a sensibilizar o Prefeito Antônio Gomide a dar utilidade social à área localizada na confluência dos bairros João Luiz e Santo André, transformando-a em “espaços vivenciais”. O jornalista elaborou um minucioso projeto já encaminhado à administração municipal, no qual sugere que o antigo pátio do antigo DEMER - que em administrações anteriores ficou totalmente abandonado, e que agora, na atual gestão, recebe maior atenção, sendo recentemente murado – seja transformado em um parque bastante arborizado, com pista de caminhada em volta, fonte luminosa, quadra poliesportiva para disputas de basquete, handebol, futebol de salão; ocupando os prédios do interior da área com uma creche e um posto de saúde. Ele detalha como se poderia aproveitar o espaço para todas estas obras: “a construção que por alguns anos abrigou uma unidade da antiga Anaprev seria transformada em Posto de Saúde; o edifício onde funcionava o escritório do DEMER e posteriormente da CMTT, seria utilizada para abrigar o Centro Municipal de Educação Infantil Jandira Bretas, que hoje funciona em local minúsculo e desconfortável a 100 metros do local”.

Henrique Mendonça reinvindica a otimização do antigo pátio do DEMER

Mendonça sugere ainda que o prédio da creche poderia ter outra destinação, até mesmo ser cedido para o Colégio Estadual Durval Nunes da Mata, que também já está pequeno para a atual demanda. Ele argumenta que o resgate do espaço valorizaria a região e, por conseguinte, a população dos setores onde a área se localiza e de bairros adjacentes tão carentes de opções de lazer; além disso, evitaria o vai-e-vem constante de caminhões e máquinas pesadas pertencentes à Prefeitura circulando pelas ruas onde é grande o fluxo de crianças , considerando a presença de duas unidades educacionais na região da referida área. Evitaria também, os freqüentes aborrecimentos a alguns moradores da região que têm suas calçadas quebradas por ‘barbeiragens’ nas manobras com tratores. Henrique diz que por

várias vezes a calçada de sua casa foi quebrada nestas circunstâncias. “Queremos um espaço digno, como o Prefeito Antônio Gomide vem proporcionando a tantos outros setores”, diz o jornalista que levanta esta bandeira desde 1988, quando apresentou este projeto ao então prefeito Adhemar Santillo. Henrique apresentou o mesmo projeto também ao deputado Rubens Otoni, quando ele disputava a prefeitura com Ernani de Paula; apresentou a Ernani, depois de eleito, e a Pedro Sahium, enquanto candidato, o qual “sinalizou positivamente, caso ganhasse”, mas tudo ficou somente no gogó”, lamenta o descaso dos referidos prefeitos. O jornalista agora nutre esperança de ver concretizado o sonho que compartilha com a maioria da população da região.

Para Mendonça o pátio deve ser esvasiado e as máquinas levadas para outro local

A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tiago, 5-16).


Edição nº 83 - julho de 2011 5

Anápolis 104 anos

Parabéns, Anápolis!

Neste ano de 2011 em que comemoramos oito anos de circulação ininterrupta, agradecemos a cidade de Anápolis pela receptividade e parceria. O BAIRRISTA nasceu com

a missão de ser um canal de defesa de Anápolis, um meio de comunicação que prioriza a cidade de Anápolis e se presta a noticiar também o que não é visto como importante pela

grande imprensa e que prima em homenagear as pessoas que verdadeiramente lutam pelo engrandecimento de Anápolis. O BAIRRISTA – um jornal diferente.

Obrigado, Anápolis pelos 104 anos de progresso! Todos os seus filhos e cidadãos olham para trás com orgulho e gratidão e para a frente com muita fé e esperança!

Aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados (Tiago, 5-20).


Edição nº 83 - julho de 2011 6

opinião

TEMPO DE CULTURA “O amor é a arte de criar algo com a ajuda da capacidade do outro”. Bertold Brecht.

- Maravilhosa manhã literária organizado pela União literária Anapolina, muita poesia, bate papo, música, e descontração. Vários escritores, artistas e amantes da cultura marcaram presença: destacando-se Professor João Asmar, a Presidente da ULA professora Natalina Fernandes, o músico Giovani Tronconi, as poetisas, Maria di Clemente, Malta, Rosalina Marques, Zeila Rodrigues Alves, Adoiramas, a dupla do riso Zé do Brejo e João Pafunço, os poeta Antonio Fernandes, João Barreto, João Soares, o Músico Mauro Gonzaga (Pastinha) O cantor Geraldo Cardoso,o Diretor do Museu Histórico Tiziano Mamede, O diretor De Cultura Professor Augusto César, a poetisa Cléo Pirrê, o ator e escritor Peninha,o Historiador Erick Borges,o artista plastico e teatrólogo Luiz Santana.a cantora clássica Relva o radialista Newton Pereira. O critico de Cinema Julio Giori, o músico Sheldon que fotografou o evento, o proprietário do espaço Cultural Carlos Manoel e muitos outros. - Grande sucesso o Projeto Blitz Cultural pela secretaria de cultura, coordenado pelo

competente músico Claudio Lima, a ultima edição contou com a participação do espetacular Coral Cantar é Viver do CCI. - Começando já com muita badalação os preparos do filme Amor e Ódio escrito pelo músico Giovani Tronconi, trata-se de uma historia violência sobre doméstica e a lei Maria da Penha. O elenco já está sendo escolhido, logo darei mais informações. - Grande sucesso o lançamento do livro O velho e o carro de boi do escritor Agenor Santos, noite de beleza e muita poesia. Parabéns Agenor - Continua bombando o programa Movimento Cultural aos sábados pela rádio São Francisco as 15:30 Hs. Vale a pena conferir. - Belíssima noite cultural na Luminária com o lançamento do livro “Noite de Lágrimas em África”, do escritor Angolano Marcelo Aratum. Vários amigos, artistas e incentivadores compareceram.

VOCÊ SABIA?

O marco inicial de Anápolis Que a elevação da Vila de Santana das Antas à categoria de cidade, deu-se pela Lei n° 320, de 31 de julho de 1907? “Miguel da Rocha Lima, Presidente do Estado de Goiás: Faço saber que o Congresso decretou e eu sanciono a seguinte lei: Artigo Único – a vila de Santana das Antas fica elevada à categoria de cidade, com a denominação de Anápolis, revogadas as disposições em contrário. O secretário do Interior, Justiça e Segurança Pública a faça imprimir, publicar e correr. Palácio da Presidência do Estado de Goiás, 31 de julho de 1907, 19° da República. Miguel da Rocha Lima – João Alves de Castro”. Que decorridos 23 anos da chegada de Gomes de Sousa Ramos a esta região e 36 anos de inauguração da capela por ele construída – 3 de novembro de 1.971 – o Arraial de Santana das Antas, município

Eucarice Sousa Ramos

Professora, historiadora, psicopedagoga; bisneta do fundador de Anápolis, Gomes de Sousa Ramos

de Meia Ponte, já era elevada à categoria de cidade. Que Dona Ana das Dores, mãe de Gomes de Sousa Ramos, mudou-se de Jaraguá para Santana das Antas após a vinda de seu filho e a construção da Capela? Aqui residiu por algum tempo, onde faleceu e foi sepultada ao lado da porta lateral da Igreja, nos fundos do lado de fora, junto da sacristia. Obs.: A igreja tinha a frente voltada para o nascente, ou seja, para a atual Rua Coronel Batista. Que o primeiro documento histórico de Anápolis é o termo de doação que transcrevemos a seguir? “Título Particular de Doação de Terras. Dizemos nós abaixo assignados que entre os bens que possuímos livres i dizimbargados, como bem huma parte de terras que temos na beira do rio

das Antas que divide pelo veio da água acima com os Nunes, estra, digo para baixo pela estrada para o campo como o Catingueiro. Damos de nossa livre vontade para Nossa Senhora Santa Ana e por havermos dado mandamos passar este Sítio do Monjolo 25 de abril de 1.870 (aa) A rogo de Joaquim Rodrigues dos Santos - Elias Gomes da Paixão. A rogo de Ignácio José de Sousa – João Gomes de Moraes. A rogo de Manoel Ruiz dos Santos – Damião Alves Peixoto. Camilo Mendes de Moraes; a rogo de Pedro Ruiz dos Santos – Joaquim Ignácio de Godoy”. Que este título de doação de terras, que registra a generosidade e despreendimentos de pessoas simples, das quais só um sabia assinar o nome, representa o marco inicial de Anápolis – uma das mais importantes cidades do Estado de Goiás.

In Foco Atriz Natalina Fernandes - protagonista do filme Amor e Ódio

“Cada um que passa em nossa vida passa sozinho, porque cada pessoa é única para nós e nenhuma substitui a outra (...)”Saint-Exupéry

Poetas da ULA na Manhã Literária

Turismo InFoco

Cantor Geraldo Cardoso na Manhã Literária

A grande festa do Divino Pai Eterno este ano, teve seu auge no primeiro domingo do mês de julho, contou com o lançamento da pedra fundamental para a construção do novo e, provavelmente, definitivo Santuário do Divino Pai Eterno. Uma obra que terá capacidade para acomodar 6 mil pessoas sentadas, podendo acolher em aglomeração até 10 mil fiéis. Uma importante demonstração do Turismo Religioso em Goiás... Vejamos que este segmento turístico traz algumas particularidades interessantes como, por exemplo, a romaria que é uma atividade turística feita por livre disposição do turista/viajante aos destinos sagrados (sem compromisso); já a peregrinação é diferente, o turista/fiel viaja para cumprir promessas ou votos feitos a divindades; e ainda existem as viagens de penitência e/ou reparação, feitas com intuito de se redimir de alguma culpa e/ou pecado. Outro ponto relevante neste tipo de turismo é a arte, que se mescla ao fundo religioso abrindo um leque turístico para região visitada. Envolvendo negócio, empreendimento e lucratividade, o turismo religioso lança cidades como rotas turísticas e impulsiona uma perspectiva de melhor qualidade de vida para a população impulsionada.

Elenco do filme Amor e Ódio

Coral Cantar é Viver

Escritor Angolano Marcelo Aratum

Cultura InFoco Aconteceu no Centro Cultural Goiânia Ouro... Parabéns pela equipe da peça “Os Inoxidáveis no Mundo das Crianças”. O enredo ironiza, ou melhor, compõe parodias de personagens que representam o mundo infantil (Xuxa, fada madrinha, princesas e príncipes, super-heróis). Uma criatividade impar que vale a pena conferir. O espetáculo tem Aline Freire, Gleik Lino, Juliana Hernandes, Neto Mahnic, Victor Thiago, Wesley Oliveira e direção de Marcos Dávila. Vale ressaltar que o teatro é arte e esta arte reflete nos melhores momentos de nossas vidas. Uma feliz junção entre sátira, humor e irreverência. Mais uma vez.... Parabéns!!!!

Parabéns Anápolis!!!

Amor InFoco

Dupla do riso na Manhã Literária

jetivos. Amar não é abdicar e/ou se privar da construção pessoal de nossa vida... É construir juntos, respeitando a particularidade de cada um... Na ânsia de sermos amado, em alguns casos, sufocamos nossa própria vida, para viver a do outro; e acabamos sendo reféns vulneráveis de um futuro incerto. O amor é necessário, mas a realização plena de uma vida é fundamental.

Navegar por águas calmas, nos passa tranquilidade e confiança de chegar ao destino final. Já as águas turbulentas podem trazer insegurança e medo de não alcançar o objetivo final. No amor enfrentamos inúmeras situações, seja ela de calmaria ou turbulência. O importante é seguir, enfrentar barreiras e crescer a cada dificuldade vencida. Embora não seja uma tarefa fácil, mesmo com nevoa, devemos agir com a razão. Traçar caminhos que leve o amor lado a lado com outros ob-

Parabéns, jovem Anápolis, pelos seus 104 anos de evolução e formosidade, onde estamos vivendo momentos de grandes transformações e visibilidade para o Município. Anápolis é hoje, considerado um dos Municípios mais competitivo, rico e desenvolvido do interior do Centro Oeste. Ponto para os anapolinos que ganham qualidade de vida e bem estar. Anápolis oferece o que há de melhor aos anapolinos e visitantes. Parabéns bela Anápolis!!!

Real Assessoria Contabilidade Bel Sonara Cristina Faria Nascimento CRC: 011318-GO Perita Contadora (62) 3098-6420 Poetisa Adoiramas na Manhã Literária

Jornalista Newton Rodrigues

Mauro Gonzaga Jaime (Pastinha) Manhã Literária

Av. Presidente Wilson nº 840 Sl 03 - Jundiaí - Vila Industrial - Anápolis - GO

Jesus bem sabia que por inveja os principais dos sacerdotes o tinham entregado (Marcos 15-10).


Edição nº 83 - julho de 2011 7

esporte FERNANDO BARBOSA DRT 3256/GO

fenomenoflbs@gmail.com

1987: O CAMPEONATO QUE NÃO ACABOU

Toques rápidos GALO CAMPEÃO DA TAÇA CIDADE DE ANÁPOLIS

O Anápolis venceu a Anapolina, nas penalidades por 3 a 1, e sagrou-se campeão da Taça Cidade de Anápolis no dia 20 de julho, jogo que fez parte das comemorações dos 104 anos de Anápolis. No tempo normal houve empate em 1 a 1, gols de Eberson (Galo) e Celso (Xata) na 1ª etapa. O destaque do jogo foi o goleiro Juninho que pegou três penais da Rubra.

ANAPOLINA ESTRÉIA NA SÉRIE D

A Anapolina começou bem a Série D do Campeonato Brasileiro ao bater o Tocantinópolis, no estádio João Ribeiro, por 2 a 1, no dia 17 de julho, gols de Clayton e Simão, mas no jogo contra o Gama, o time comandado pelo técnico Rogério Correa, empatou em 1 a1, no dia 24 de julho, no Estádio Jonas Duarte. A Xata montou um bom time, sendo mantido alguns atletas da campanha do Goianão, tais como Jacó, Emerson Cris, Dudu, Rodriguinho, André Luiz, Jorge Miguel e Rodrigo. O próximo jogo será contra o Itumbiara, dia 7 de agosto no Jonas Duarte. O grupo da Xata é o 5, que ainda tem o Tupi de Juiz de Fora, onde classificam-se 2 times por grupo, vindo a seguir o “mata-mata”, sendo que 4 sobem para a Série C. De primeira colocamos a Anapolina, o Juventude e o Santa Cruz como favoritos ao acesso. É só aguardar...

ANÁPOLIS SEGUE BEM NA DIVISÃO DE ACESSO

O Galão da Comarca está fazendo um bom campeonato na Divisão de Acesso. Após 9 rodadas na 1ª fase, o Anápolis encontra-se na liderança com 20 pontos, onde classificam-se 4 para a 2ª fase, sendo que 2 sobem para o Goianão 2012. O Galo está classificado e ainda tem mais dois compromissos a cumprir, a saber: Associação Goiatuba, em Goiatuba (31/07); e Rioverdense (04/08), em Anápolis. O time é bom e aparece como favorito ao acesso, juntamente com o Itumbiara e o Mineiros.

GRÊMIO ANÁPOLIS JOGARÁ A TERCEIRONA

A Federação Goiana de Futebol divulgou a tabela da 3ª divisão do campeonato Goiano com 6 clubes. O início da competição será no dia 25 de setembro, onde todos jogam entre si em turno e returno, com o campeão e o vice subindo para a Divisão de Acesso. A competição terminará no dia 27 de novembro. O Grêmio Anápolis estreia em Iporá, no estádio Ferreirão, contra o Umuarama. Os demais participantes são Monte Cristo, Aparecida, Evangélica e Quirinópolis.

É uma pena ver tanta gente, provavelmente jovens, que não viveram a época de 1987, estarem tão desinformados sobre o imbróglio do campeonato de 1987. De uma forma sucinta vamos listar os acontecimentos desse caso pra lá de chato: 1. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) alegando problemas financeiros não quis realizar o campeonato de 87, deixando a cargo dos clubes a realização do mesmo; 2. Aproveitando a ocasião, e cansados dos desmandos da CBF, os grandes clubes brasileiros resolveram fundar o Clube dos Treze (C13). Foi montada a Copa União, com um grande aparato de marketing, formada com os 13 grandes clubes e mais 3 clubes convidados; 3. O primeiro presidente do C13 foi Carlos Miguel Aidar, dirigente do São Paulo, atualmente atuando como advogado do tricolor paulista, e não Eurico Miranda, dirigente do Vasco, como muitos acreditam até hoje; 4. A CBF, pressionada pelos demais clubes brasileiros, temendo perder poder político com as Federações Estaduais e percebendo o sucesso da Copa União resolveu, arbitrariamente, intervir na referida Copa; 5. Por sua conta e risco, resolveu criar os módulos colori-

dos (amarelo, azul e branco) e denominou a Copa União de módulo verde, impondo um regulamento, que previa o quadrangular dos campeões e vices dos módulos verde e amarelo para apontar o campeão brasileiro de 1987, com os módulos azul e branco sendo uma “segundona”; 6. O C13 não aceitou tal imposição e, já estava acordado que nenhum filiado iria se submeter à vontade da CBF, ou seja, a Copa União prosseguiria normalmente. Ainda não se conhecia o campeão e nem o vice da Copa União, tampouco do módulo amarelo; 7. O módulo amarelo apontou como finalistas o Sport Recife e o Guarani, porém não teve o campeão dentro de campo, pois acontecia o empate nos penais em 11×11, quando os clubes resolveram parar de cobrar as penalidades. O árbitro da partida aguardou o tempo necessário e colocou na súmula que os clubes abandonaram a competição; 8. Apesar de estar claro que o Sport e o Guarani infringiram o Conselho Nacional de Desportos (CND), que previa a punição dos clubes, o Tribunal e a CBF alegaram incompetência para julgar o caso. Para amenizar tal furdúncio, o Guarani resolveu abdicar do título, onde a CBF já o havia dividido entre o Guarani e o Sport. Foi o famoso “jeitinho brasileiro”; 9. Portanto, o Sport foi o

campeão do módulo amarelo (vice: Guarani) da CBF e o Flamengo foi o campeão da Copa União (vice: Internacional), onde a CBF insistiu em chamar de módulo verde; 10. A CBF marcou o quadrangular, onde o Flamengo e o Internacional não compareceram, com isso aconteceram 2 jogos entre o Sport e o Guarani. O Sport foi o campeão brasileiro de 1987 e, juntamente com o Guarani, disputou a Taça Libertadores 1988; 11. O Flamengo foi campeão brasileiro em 1992 e quis a Copa Brasil definitivamente (a famosa Taça de Bolinhas). Era o 4º título oficial e mais o da Copa União, total de 5 títulos; 12. A CBF mais uma vez não conseguiu resolver a questão e a Taça de Bolinhas ficou “sub-júdice”, sendo que a réplica da Taça nunca mais foi vista nas finais de Campeonatos Brasileiros; 13. Com a conquista do Campeonato Brasileiro pelo São Paulo em 2007, seu 5º título nacional, o clube de paulista, inexplicavelmente, requisitou a Taça de Bolinhas. Sempre é bom lembrar que tanto o São Paulo quanto o Flamengo são filiados ao C13 e que o primeiro presidente do C13 foi Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo à época. Hoje Aidar é advogado do São Paulo e luta bravamente, juntamente com o presidente fanfarrão Juvenal Juvêncio, pela

posse da Taça de Bolinhas; 14. Novembro de 2010: a CBF resolve “reconhecer” como campeões do Brasil, também, os campeões das Taças Brasil e Robertão, desde 1959 até 1970. Estava aberta a porta do “reconhecimento” da Copa União de 87; 15. Fevereiro de 2011: a CBF “reconhece” o título da Copa União de 87 do Flamengo; 16. Apesar de não ter sido lesado no seu direito de campeão brasileiro de 1987, o Sport Recife, inexplicavelmente, não aceita o “reconhecimento” da Copa União e entra na Justiça Comum querendo ser campeão único de 87. Consegue a vitória, em 1ª estância, na Justiça de Pernambuco, seu estado natal; e 17. O São Paulo mantêm em seu poder a Taça de Bolinhas, entregue pela Caixa Econômica Federal, a criadora do troféu, e em nenhum momento a entregou para o Flamengo ou para a CBF. Para reflexão: “Quem está por trás disso tudo? Porque será que ninguém entrou na Justiça por causa dos campeões duplos nos anos 60? Será que essa Taça de Bolinhas merece toda essa “trairagem” entre os clubes?” Não falem mais da CBF e nem de seu presidente, pois é tudo farinha do mesmo saco…

MICOS DO ANO

O ano vai passando mas os micos não param. Dessa vez destacamos o mico da Seleção Brasileira na Copa América, onde após uma regular participação na 1ª fase, jogou as quartas-de-final contra a fraca seleção de Paraguai, no dia 17 de julho, e, após empate de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, “pagou um mico” ao perder por 2 a 0 nas penalidades máximas. Foram bizarras as cobranças dos “craques” brasileiros. Elano e André Santos chutaram “nas nuvens”, Fred chutou para fora e Thiago Silva “atrasou” para o goleiro paraguaio. As redes sociais da Internet fizeram a festa com esse fiasco verde-amarelo. Se não fizer uma limpeza desde o presidente da CBF em diante, com certeza muitos micos virão para desespero dos brasileiros ufanistas...

Reflexão Os homens nascem moles e flexíveis; Mortos, são rígidos e duros. As plantas nascem suaves e elásticas; mortas, são quebradiças e secas. Portanto, todo aquele que for suave e produtivo é um discípulo da vida. O duro é rígido será quebrado, o suave e flexível prevalecerá. “Lao Tsu”

O que não é notícia na grande imprensa, você vê e lê em O BAIRRISTA – um jornal diferente.

Feliz aniversário, Anápolis! Amanhã e todos os dias lhe oferecemos aquele café da manhã com pães quentinhos e muita amizade e calor no atendimento. Que todos os seus dias sejam de abundância para a felicidade de todos que aqui nasceram e de todos que a escolheram para abrigo. Parabéns Anápolis pelos 104 anos! Com a medida com que medirdes vos medirão a vós, e ser-vos-á ainda acrescentada a vós que ouvis (Marcos 4-24).


Edição nº 83 - julho de 2011 8

cidade/personagens

Ubiratan Lopes, presidente da Fieg em Anápolis

Empresário de influência em Anápolis, e no Estado, Ubiratan Lopes acaba de deixar um posto importante, depois de cumprir dois mandatos (na presidência da ACIA) e já assume outra função igualmente importante: a presidência do Núcleo Regional da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) em Anápolis. E com uma tarefa talvez maior,

porque substituiu um grande guerreiro (literalmente!): o capitão Waldyr O’Dwyer. Ele próprio, Ubiratan, reconhece isso: “será um grande desafio suceder a um sábio”, ressaltou. Decano da indústria goiana, muito querido pela comunidade, muito competente em suas funções, capitão Waldyr deixou o encargo aos 95 anos, após dirigir a instituição por

11 anos ininterruptos. Terminou sua fala com uma reverência à Pátria Amada, Brasil, como sempre faz; e posteriormente foi homenageado pelos membros do Rotary Clube, do qual também participa há mais de 50 anos; pela Polícia Militar do Estado de Goiás, que lhe deu um fardamento especial; e pela FIEG, que lhe presenteou com uma escultura em

madeira. A bonita e concorrida festa, realizada no salão de eventos do Sesi, na terça-feira, 12 de julho, marcou os dois eventos: a posse de Ubiratan Lopes no Núcleo, pelo presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, e o aniversário natalício do ex-pracinha.

Banda de rock abre Projeto de História

Apresentando a música principal do Álbum Steppenwolf: All Time Greatest Hits /1968, Born To Be Wild, a banda anapolina Nice Bad’s abriu, no Teatro Municipal, dia 24 de maio, o “Projeto de História” articulado pela professora Tatiana Chagas, do Colégio Professor Heli Alves Ferreira. Já tradicional na Escola, o projeto deste ano trabalhou as diversas culturas dos países, raças e etnias. Mostrou o

Dupla anapolina em ascensão

rock’n’roll com a Banda Nice Bad’s, cujo guitarrista Asaf Lobo, é aluno da Unidade Escolar (os outros integrantes são Adriano (vocalista), Rômulo (Baixista) e Paulo Henrique (baterista). Aliás, foi a primeira apresentação pública da Banda (que pode ser vista no youtube); a dança de capoeira, a dança do fogo dos índios; e outras manifestações culturais referentes às muitas tradições populares. Alunos, equipe gestora, professores, sobretudo a professora Tatiana, estão de parabéns pela iniciativa. O Teatro Municipal foi pequeno para a grande platéia.

A dupla sertaneja de Anápolis Gregory & Gabriel está em franca ascensão. Seu primeiro CD, lançado mês passado em memorável noite, no Recanto do Lago, já está tocando em várias emissoras de rádio até do Nordeste. Muito bem produzido, com arranjos de profissional qualificado, o CD de Gregory & Gabriel é composto de músicas do gênero sertanejo universitário, o sertanejo pop que hoje

leva multidões aos shows. Mesmo em início de carreira, a dupla anapolina está de bem com a vida, com os fãs, com a crítica e com os empresários da noite que valorizam os espetáculos ao vivo em seus estabelecimentos. Prova disso é a agenda lotada dos primos que há mais de dois meses estão com o pé na estrada. Veja flashes do lançamento do CD.

À medida que avança em qualidade e tecnologia, a medicina em Anápolis avança também em termos mudança de conceito do trabalho pelos próprios profissionais. Mais centrados, focados com dedicação no que faz, muitos dos novos médicos tem na profissão não um mero canal gerador de boa qualidade de vida para si, de riquezas, mas um sacerdócio. Como referências positivas nesta área, pode-se citar sem medo de errar, dois jovens médicos filhos de Anápolis e de pais médicos e que herdaram de seus genitores essa sensibilidade aguçada que requer a medicina, esse amor descomedido ao próximo. Para exercer a medicina com profissionalismo, ser bom médico, é imperativo que, além da graduação, tenha-se no coração e na prática cotidiana, o teor literal do juramento de

Hipócrates (Cós, 460–Tessália, 377 a.C.), o “pai da medicina”. Fabrício Augusto Beze e Pedro Paulo Canedo, respectivamente, otorrinolaringologista e oftalmologista, filhos dos doutores Reinaldo Beze e Pedro Canedo, são dois jovens médicos que fazem história em Anápolis, pelo seu comportamento ético, dedicação, zelo pelo que faz e amor ao próximo. Dr. Pedro Paulo montou uma super clínica, DOMA, e embora jovem, já está no topo da lista dos oftalmologistas de Anápolis; Dr. Fabrício Beze, graduado pela Faculdade de Medicina de Teresópolis, concluiu seus estudos em 2005. Hoje já tem os títulos de Especialista da Sociedade Brasileira de Otorrino e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Politicamente correto e atencioso.

Juramento de Hipócrates Eu juro, por Apolo, médico, (...) cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue: (...) Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém... Em toda casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário (...) Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto(...) Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça.

Hábeis e cordiais Justiça Federal

Gregory e Gabriel no lançamento do primeiro CD; com Marquinho, pai de Gabriel

Marquinho e Dora, pais de Gabriel; e Goreti e Wesley, pais de Gregory: felizes com os filhos

Anápolis: celeiro de médicos éticos e comprometidos

Acadêmica do sexto período de Direito, Anna Paula Vieira de Sousa agora presta serviços junto à Subseção Judiciária de Anápolis na condição de estagiária. Aprovada em concurso público (segundo lugar), foi imediatamente convocada, iniciando suas atividades junto ao gabinete do juiz federal Diretor do Foro. Desde 2005 que Anápolis conta com uma Subseção Judiciária Federal, fruto da iniciativa do Tribunal Regional Federal em prol da interiorização da Justiça Federal. A Subseção Federal em Anápolis atende 12 municípios da região.

Vânia Barros e Antonio Odelício, conhecido mundialmente como Tota, são os dois servidores públicos que oferecem suporte à Secretaria Municipal de Comunicação atuando no setor de empenho. Cordiais no

trato com os clientes e hábeis no desempenho de suas funções, eles são imprescindíveis para a celeridade dos processos abertos pela Secretaria, sob a orientação do secretario jornalista Jonathan Jaime.

Diplomata

Funcionário da carreira da Uni-Evangélica, Emerson é peça fundamental na engrenagem do setor financeiro da instituição. Mesmo atuando em um departamento não muito simpático (de Cobrança), com diplomacia, consegue negociar com os alunos dos muitos cursos oferecidos pela universidade evangélica, conseguindo formalizar acordos sem melindrar a clientela. Tem muito de psicólogo. Parabéns, Emerson!

Mas quem suportará o dia da vinda do Senhor ? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros (Malaquias 3-2.


O Bairrista