Page 1


Publicação editada na íntegra ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Reportagem também disponível na Politécnico TV

SUMÁRIO FILOXENIA

3

INFORPOLIS

8

ESCOLAS + PERTO

16

EM FOCO

22

XI DIAS ABERTOS DO POLITÉCNICO DE VISEU 2014

2

CIÊNCIA IPV INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

24

ESPÍRITO ACADÉMICO

27

AUXILIAR DE MEMÓRIA

28


FILOXENIA

A Cooperação Internacional no IPV

Programa Erasmus + Aprovada a candidatura à Carta Universitária Erasmus (2014-2020) do Instituto Politécnico de Viseu

O Novo Programa ERASMUS + (2014-2020) é a grande aposta da União Europeia no fortalecimento e promoção do Espaço Europeu de Educação e da sua internacionalização. Substituindo o Programa Aprendizagem ao Longo da Vida, cujo período de elegibilidade decorreu entre 2007-2013, os grandes objetivos do novo programa são os de contribuir para o desenvolvimento dos objetivos da estratégia EUROPA 2020, para o desenvolvimento dos objetivos do Programa Estratégico para a Educação e Formação e promover o desenvolvimento do ensino superior nos países terceiros e a dimensão Europeia na área do Desporto. O Instituto Politécnico de Viseu, continuando a considerar a internacionalização como um pilar fundamental do seu desenvolvimento institucional, não poderia de maneira alguma deixar de participar ativamente neste novo

programa maximizando todas as oportunidades por ele oferecidas. Assim, no dia 15 de maio de 2013 o IPV submeteu a sua candidatura à Carta Universitária Erasmus (2014-2020) e foi com grande satisfação que em dezembro de 2013 fomos notificados sobre a sua aprovação. A aprovação desta candidatura assume especial importância visto que integra a política de internacionalização do IPV, os seus fundamentos para a cooperação internacional, recursos envolvidos, procedimentos estabelecidos e garantia de qualidade e permitirá que a instituição se possa candidatar a todas as medidas de financiamento previstas pelo programa. A política de cooperação europeia do IPV, que de seguida se transcreve, está assim definida e aprovada

3


pela Comissão Europeia e esperamos que os próximos anos sejam de grande dinamismo no que diz respeito à prossecução dos objetivos e metas traçados pela mesma. Política de Cooperação Europeia do Instituto Politécnico de Viseu

4

A cooperação internacional do Instituto Politécnico de Viseu está consagrada nos seus estatutos e promove, diretamente ou por intermédio das suas unidades orgânicas, a integração em redes e relações de parceria e cooperação com estabelecimentos de ensino superior estrangeiros, organizações científicas internacionais e outras instituições, nomeadamente no âmbito da União Europeia, de acordos bilaterais ou multilaterais firmados pelo Estado Português e ainda no quadro dos países de expressão oficial portuguesa, para efeitos de coordenação conjunta na prossecução das suas atividades. As ações e programas de cooperação internacional devem ser compatíveis com a natureza e fins do Instituto ou das suas unidades orgânicas e ter em conta o seu desenvolvimento estratégico e as grandes linhas de política nacional, designadamente em matéria de educação, ciência, cultura e relações internacionais. Para a escolha de parceiros serão tidas em consideração a oferta académica, as condições de aprendizagem, a língua de ensino, as estruturas logísticas e a viabilidade de desenvolvimento de projetos conjuntos ao nível de ensino, formação profissional e investigação que possam reverter a favor dos estudantes, docentes e funcionários. No que se refere às áreas geográficas, e em particular no espaço europeu, é dada prioridade a países que permitam o desenvolvimento de atividades em língua inglesa, que disponibilizem condições de aprendizagem/ formação compatíveis com as necessidades dos estudantes, docentes e funcionários, que garantam condições socioeconómicas adequadas aos nossos públicos e que possam integrar futuros projetos de cooperação internacional. Quanto a países não europeus, é dada prioridade aos países de língua oficial portuguesa. O IPV pretende aumentar o número de protocolos com instituições de ensino superior e outros organismos nestes países, no sentido de fomentar a cooperação no âmbito das atividades académicas, e também, numa perspetiva de formação profissional a disponibilizar a estudantes e docentes. É com este objetivo que o Politécnico de Viseu integra o conjunto de instituições que assinou acordos de cooperação com o Brasil de forma a receber alunos deste país. O IPV constituiu um Núcleo de Apoio ao Estudante Estrangeiro do Espaço Lusófono (NAEL) que para além de receber e integrar os alunos oriundos dos países de língua oficial portuguesa que frequentam a instituição, pretende colaborar na divulgação do património cultural destes países, reforçando as pontes existentes. A política de internacionalização do IPV estabelece como objetivos fundamentais o reforço da cooperação, intercâmbios e mobilidade enquanto meios essenciais para promover: - Uma formação de qualidade assente no princípio da formação integral do indivíduo e aquisição de competências-chave, estimulando a iniciativa, a criatividade, a autonomia, de forma a incrementar os níveis de empregabilidade; - A aprendizagem ao longo da vida, alargando o leque de

possibilidades de formação e experiências educativas e profissionais; - O reconhecimento e transparência de habilitações e competências de forma a proporcionar a circulação das pessoas no espaço internacional para efeitos de prossecução de estudos ou profissionais; - A investigação de elevado nível, que fomente a produção e transferência de conhecimento e tecnologia, a inovação e uma estreita comunicação com os parceiros económicos e sociais; - A compreensão intercultural, a aprendizagem de línguas e o sentido de cidadania ativa (europeia e transeuropeia); - Serviços de qualidade assentes em referências e boas práticas internacionais, incluindo a dimensão social no ensino superior; - A qualidade e inovação a todos os níveis de atuação da instituição, incluindo conteúdos, metodologias e práticas, com destaque para a utilização das novas tecnologias de informação e comunicação; - A igualdade de oportunidades. Os principais públicos das atividades de mobilidade internacional são os alunos de 1º e de 2º ciclo, quer para períodos de estudos, quer para estágio. Será promovida a participação de estudantes em estágios, quer ao nível da formação profissional curricular, quer extracurricular, incluindo as mais-valias da participação do IPV no maior Consórcio Regional Português, Erasmuscentro em colaboração com todos os institutos politécnicos da região centro de Portugal. Os nossos professores são também uma prioridade no âmbito da cooperação internacional para a participação em missões de ensino, formação e outros projetos de investigação que reforcem as sinergias internacionais no IPV e nos seus alunos nacionais e internacionais. O Instituto Politécnico de Viseu tem a sua cooperação internacional integrada no sistema de gestão da qualidade que está certificada cumprindo com os requisitos da norma NP EN ISSO 9001:2008 (http://www.ipv. pt/20110525091630371.pdf) que permite o planeamento, gestão, monitorização e avaliação das suas atividades e impacto das mesmas na sua estrutura institucional.

Rita Castro Lopes Serviço de Relações Externas - IPV rlopes@pres.ipv.pt


Programa Erasmus + Mobilidade Internacional de Estudantes – Candidaturas O Programa Erasmus+, programa de mobilidade internacional de estudantes do ensino superior, permite realizar: - Períodos de estudo, de 3 a 12 meses, em instituições de ensino superior europeias com as quais existam protocolos de cooperação; - Um estágio, de 3 a 12 meses, em instituições de ensino superior europeias ou em empresas/organizações do espaço europeu com as quais exista um acordo para o efeito; - Um período combinado de estudos e estágio, de 3 a 12 meses, durante o mesmo ano letivo. Aos estudantes do Instituto Politécnico de Viseu é proporcionada a possibilidade de usufruir destas modalidades de mobilidade, nas seguintes condições: - Períodos de estudo – o aluno apenas poderá realizar um período de estudos Erasmus uma única vez durante o seu percurso académico, sendo que deverá estar matriculado pelo menos no segundo ano do curso que frequenta; - Períodos de estágio – O estudante apenas poderá realizar um período de estágio Erasmus uma única vez durante o seu percurso académico, mesmo estando a frequentar o primeiro ano do curso; - Período combinado de estudos e estágio – Pode ser realizado uma vez durante o percurso académico, devendo o estudante estar matriculado no mínimo no segundo ano do curso.

Maria da Conceição Pereira Serviço de Relações Externas - IPV cpereira@pres.ipv.pt

Para todas estas modalidades existe apoio financeiro, que varia em função do país de acolhimento e da duração do período de mobilidade. Os estudantes portadores de deficiência e/ou com dificuldades socioeconómicas que venham a ser selecionados poderão, ainda, usufruir de apoio financeiro complementar. Este está sujeito a uma candidatura específica, sobre a qual os Serviços de Relações Externas prestarão toda a informação necessária. Assim, as candidaturas à mobilidade Erasmus+ para o ano de 2014/2015 (período de estudos e estágios), decorrem entre os dias 17 de março e 12 de abril. Para obter informações alusivas à candidatura, designadamente no que concerne aos critérios de elegibilidade, modo de candidatura, instituições às quais se pode candidatar, seleção e divulgação de resultados, o aluno poderá dirigir-se aos Serviços de Relações Externas dos Serviços Centrais do Instituto Politécnico, no Campus do IPV. Poderá também obter informações pelos telefones 232480700, 233480739 e 232480773, pelo fax 232480750, ou através dos endereços eletrónicos: rlopes@pres.ipv e/ou sfamiliar@pres.ipv.pt. No web site http://www.ipv.pt/ri/erasmus.htm encontra toda a informação pertinente.

5


Missão de ensino ERASMUS na ESAV O Instituto Politécnico de Viseu (IPV) desde sempre reconheceu a importância das atividades de mobilidade de docentes desenvolvidas no âmbito do Programa Erasmus e que são um veículo importante para o desenvolvimento e promoção da sua política de internacionalização. São objetivos destas atividades, e tal como referido pela Comissão Europeia e pela Agência Nacional para o Programa Aprendizagem ao Longo da Vida: - Estimular as instituições de ensino superior a alargar e enriquecer o âmbito e os conteúdos dos cursos que oferecem; - Permitir a estudantes que não têm possibilidade de participar num esquema de mobilidade, beneficiar dos conhecimentos e da especialização de pessoal académico de instituições de ensino superior e de pessoal convidado de empresas oriundo de outros países europeus; - Promover o intercâmbio de saber especializado e da experiência relativamente a métodos pedagógicos; - Criar elos de ligação entre instituições de ensino superior e empresas; - Permitir ao pessoal de instituições de ensino superior a aquisição de conhecimentos ou saberes especializados a partir de experiências e boas práticas no estrangeiro bem como de competências práticas relevantes para o desempenho das suas funções e para o seu desenvolvimento profissional. Neste contexto, a Escola Superior Agrária de Viseu recebeu no dia 24 de fevereiro, numa missão de ensino ao abrigo do programa Erasmus, a visita de três docentes da Universidade de Adnan Menderes, Turquia, que proferiram palestras nas áreas de Proteção de Plantas, Ciência do Solo/Nutrição de Plantas, e Ciência Animal – Avicultura.

6

Helena Esteves Correia Docente da ESAV - IPV hecorreia@esav.ipv.pt Rita Castro Lopes Serviço de Relações Externas - IPV rlopes@pres.ipv.pt


INFORPOLIS

Tomada de Posse de Novo Membro do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego

Joaquim Amaral Gabinete de Comunicação e Relações Públicas - IPV jamaral@pres.ipv.pt

8

O Presidente do Instituto Politécnico de Viseu, engenheiro Fernando Sebastião, conferiu posse no dia 27 de fevereiro ao novo membro do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego (ESTGL), Prof.ª Doutora Ana Branca da Silva Soeiro de Carvalho. O ato público decorreu na sala do Conselho Geral perante a comunidade académica da instituição. A docente passa a integrar este órgão da ESTGL, nos termos da lei n.º 62/2007 de 10 de setembro, do RJIES (Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior), que estabelece no artigo 102º a “Composição do conselho científico ou técnico científico”, definindo no seu ponto 3 a constituição deste órgão por docentes com “o grau de doutor, em regime de tempo integral, com contrato de duração não inferior a um ano, qualquer que seja a natureza do seu vínculo à instituição”, bem como no disposto nos Estatutos do Instituto Politécnico de Viseu, artigo 57.º, alusivo a este órgão, que “O conselho TécnicoCientífico de cada escola é constituído por representantes eleitos, nos termos do artigo 102.º da Lei 62/2007, de 10 de setembro, em número a fixar nos respetivos estatutos, entre um mínimo de dez e um máximo de vinte e cinco”.


“Maiores de 23 anos”

com candidaturas abertas no Instituto Politécnico de Viseu Joaquim Amaral Gabinete de Comunicação e Relações Públicas - IPV jamaral@pres.ipv.pt

Está a decorrer no Instituto Politécnico de Viseu o período de candidaturas e inscrições aos diversos cursos de licenciatura que a instituição disponibiliza para a realização de provas de acesso ao Ensino Superior para “Maiores de 23 Anos”. Esta forma de ingresso permite o acesso ao ensino superior a muitos cidadãos e profissionais que almejam melhorar os seus conhecimentos e habilitações numa perspetiva de formação contínua, prosseguindo ou retomando os seus estudos. Informação mais detalhada sobre todo o processo de candidaturas e inscrições pode ser consultada nos editais das escolas superiores do IPV, na página web: www.ipv.pt.

6º Seminário de Bioética

“Conduta Ética: Integridade Académica e Profissional” Joaquim Amaral Gabinete de Comunicação e Relações Públicas - IPV jamaral@pres.ipv.pt

O auditório da Escola Superior de Saúde de Viseu (ESSV) acolhe no próximo dia 27 de março o 6º Seminário de Bioética, com a temática desta edição a versar a “Conduta Ética: Integridade Académica e Profissional”. A sessão de abertura está agendada para as 9:00h, iniciando-se de seguida os trabalhos com o painel da mesa 1, que centra o debate em torno dos “Procedimentos éticos e situações de conduta imprópria na vida académica”, com as comunicações de Joaquim Mourato (presidente do CCISP – Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos) e António Jorge Almeida (responsável da Pastoral do Ensino Superior em Viseu); seguindo-se a intervenção de Aurora Teixeira (professora da Faculdade de Economia da Universidade do Porto) sobre “A fraude académica em Portugal: prevenção e consequência”. Ana Sofia Carvalho (membro do CNECV – Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida) encerra o painel com a apresentação “A ética na investigação em seres humanos”. A moderação do painel é da responsabilidade de Joana Araújo (professora do Instituto de Bioética da UCP, e membro da Comissão de Ética da ESSV). No período da manhã, tempo ainda para a discussão de posters científicos. O programa prossegue à tarde, pelas 14:30h, com

o painel da mesa 2. António Ferreira (presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João) versa o “(Re)pensar os cuidados de saúde: a importância da ética”, seguindo-se a comunicação de Filipe Almeida (Comissão de Ética do Hospital de São João) que alude ao “Consentimento informado: uma perspetiva bioética”. A moderação está ao cargo de Marina Bastos (presidente da Comissão de Ética do Centro Hospitalar Tondela-Viseu). O seminário encerra com as comunicações livres, a terem lugar a partir das 16:30h. O evento é uma organização da Comissão de Ética da ESSV e Comissão de Ética do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, em colaboração com os alunos do 24º curso de licenciatura em Enfermagem da mesma escola superior do Instituto Politécnico de Viseu, e tem como destinatários preferenciais os estudantes da Escola Superior de Saúde e os profissionais da área, sendo também aberto ao interesse do público em geral. O seminário pretende criar espaço público de debate e uma oportunidade para refletir sobre temas actuais e que se prendem com o lugar da ética no meio académico e cuidados de saúde. Inscrições on-line, regulamento de comunicações e posters e outras informações em www.essv.ipv.pt.

9


Sessão de Encerramento das Comemorações do Ano

Internacional da Matemática

O ano de 2013, “Ano Internacional da Matemática do Planeta Terra (MPT2013)” e também “Ano Internacional da Estatística”, foi animado pela Matemática e pela Estatística, com diversas atividades que tiveram palco por todo o mundo. A Área Científica de Matemática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu levou estes temas às escolas da região através de várias atividades: seminários dinamizados pelos docentes da ESTGV em várias escolas do país, a “Observação solar para miúdos e graúdos”, que trouxe ao IPV alunos dos ensinos básico e secundário para uma observação segura do sol, e o concurso de posters para alunos do 1º, 2º ou 3º ciclos do ensino básico (http://www.estgv.ipv.pt/mpt2013aie/). O concurso de posters, que já terminou, motivou a

Carla Henriques Docente da ESTGV - IPV carlahenriq@estv.ipv.pt

12

imaginação, criatividade e a pesquisa de muitos jovens, resultando em trabalhos dignos de serem apresentados e admirados. Foram recebidos 38 trabalhos, os quais estarão expostos no próximo dia 19 de março, na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu, onde decorrerá a entrega de prémios. A cerimónia será precedida por uma sessão do ”Circo Matemático” (http://www.ua.pt/dmat/pagetext. aspx?id=15173), que será animadacom alguma “fantasia” e “brincadeira” à volta da Matemática. As escolas da região foram convidadas a participar neste evento que começará às 15h30m, estando a entrega de prémios prevista para as 16h30m.


“O Futuro é(s) TUrismo”

abre portas às escolas da região

O Programa “O Futuro é(s) TUrismo” é uma iniciativa do curso de licenciatura em Turismo da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV), que pretende proporcionar aos alunos do ensino secundário e profissional da região vivenciarem um dia diferente. O curso de licenciatura em Turismo da ESTGV preparou para o 2º semestre, que está a decorrer, um conjunto de atividades que pretende mostrar aos alunos do ensino secundário e profissional as potencialidades da formação em Turismo. Com esse objetivo foi criado um programa que integra uma manhã de palestras, com a presença de entidades empregadoras, de ex-alunos e da diretora do curso de Turismo, seguida de uma visita guiada pelas instalações da ESTGV, onde será dado a conhecer aos estudantes as várias saídas profissionais de um técnico de Turismo. O programa da manhã termina com participação dos convidados em aulas técnicas de Turismo em conjunto com os alunos da licenciatura. Os visitantes terão, ainda, oportunidade de ver a exposição temporária patente na ESTGV: “Viseu na palma da Mão”. Durante a tarde, entre as 14h00 e as 16h00, os alunos do curso de Turismo levarão os convidados a realizarem a “Rota das Estátuas” – uma forma diferente e inovadora de conhecer a cidade de Viseu, através de algumas das suas estátuas mais significativas (Infante D. Henrique; Luís de Camões; D. António Alves Martins; Sá Carneiro; D. Duarte; Soldado Desconhecido; São Mateus; Viriato; Almeida Moreira, João de Barros, entre outras).

E as primeiras inscrições já ai estão… Estão já confirmadas as visitas de duas escolas: - no dia 10 de março a ESTGV será visitada por 61 alunos e 5 professores da Escola Básica e Secundária de Fornos de Algodres, das turmas dos cursos profissionais de Técnicos de Restauração – Cozinha/Pastelaria; Técnicos de Multimédia/Apoio à Gestão Desportiva; Animador Sociocultural e Técnicos de Restauração – Restaurante/ Bar. - já no dia 21 de março será a vez de 30 alunos e 4 professores da Escola Secundária Prof. Dr. Flávio Pinto Resende de Cinfães com a turma do curso profissional de Técnico de Turismo Ambiental e Rural. A direção do curso de licenciatura em Turismo pretende com esta iniciativa mostrar que realmente o Turismo é uma profissão de futuro e que a ESTGV tem as suas portas abertas para receber e proporcionar momentos únicos a alunos de outros níveis de ensino. As escolas interessadas em viverem um dia diferente na ESTGV no âmbito desta área poderão entrar em contacto com a diretora do curso de Turismo, Cristina Barroco, através do endereço eletrónico: cbarroco@estgv.ipv.pt

Cristina Barroco Docente da ESTGV - IPV cbarroco@estgv.ipv.pt

13


5th Meeting of the European Surveillance Pathology Network Helena Vala Docente da ESAV - IPV hvala@esav.ipv.pt

O núcleo de patologistas veterinários europeus – European surveillance pathology network –, liderado pela dra. Sandra Scholes, do Animal Health and Veterinary Laboratories Agency (AHVLA) de Edimburgo, realizou o seu quinto encontro, o “Encontro da primavera”, nos dias 26 e 27 de fevereiro. A direção da Sociedade Portuguesa de Patologia Animal (SPPA), com o apoio e coorganização do DZERV/ESAV, garantiu a participação portuguesa, contando para o efeito com o Instituto Politécnico de Viseu que, uma vez mais, acolheu nas suas instalações este evento, através de videoconferência, disponibilizando ainda a instituição avançados meios técnicos e recursos humanos especializados que permitiram que Portugal participasse neste importante evento Europeu. Os patologistas portugueses marcaram assim, uma vez mais, a sua presença nesta importante rede europeia que privilegia a troca de informação no que respeita a doenças novas e emergentes, promovendo a sua deteção precoce por toda a Europa, bem como a discussão de casos pouco usuais.

Wednesday 26th February

14

Participaram, em representação de Portugal e da SPPA, Helena Vala, presidente da SPPA e docente da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viseu, Maria Leonor dos Santos Dinis Orge e Paulo Froilano Carvalho, do Laboratório Nacional de Investigação Veterinária (LNIV), Justina Maria Prado Oliveira e Isabel Cristina Ribeiro Pires, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). O programa deste encontro incluiu a participação de vários especialistas europeus de renome, com especial enfoque para as doenças do foro intestinal e respiratório em ruminantes e suínos e doenças do foro reprodutivo, incluindo as causadoras de abortos, nados-mortos e anomalias fetais. O programa incluiu ainda a discussão de casos raros detetados na rede europeia.


IV Fórum de Geopolítica e Política Internacional na ESEV A quarta edição do “Fórum de Geopolítica e Política Internacional” decorreu no mês de janeiro na Escola Superior de Educação de Viseu (ESEV), e contou com a organização da Área Disciplinar de Ciências Sociais e do Departamento de Comunicação e Arte. A realização deste Fórum é uma iniciativa anual desenvolvida numa perspetiva permanente e contínua de ligação da ESEV à comunidade, debatendo temas relevantes e de elevado interesse. Esta quarta edição contou com a presença do dr. Fernando Ruas, ex-Presidente da Câmara de Viseu e do General António Ferreira Amaral, cujas comunicações contribuíram para uma tarde profícua de reflexão e debate. Na sessão de abertura a doutora Cristina Azevedo Gomes, presidente da ESEV, referiu a importância destas iniciativas para o reforço da competência científica dos alunos. De seguida, o general António Amaral proferiu uma comunicação intitulada “Abordagem geopolítica no mundo”, fazendo uma análise aos principais acontecimentos condicionadores das estratégias e das relações geopolíticas. De seguida, o dr. Fernando Ruas falou sobre “Cooperação descentralizada: o papel das geminações”, referindo as geminações estabelecidas entre Viseu e algumas cidades internacionais, salientando os principais benefícios e ganhos que esta estratégia permite obter. A sessão suscitou o elevado interesse de toda a comunidade académica, atingindo largamente o objetivo pretendido, que passava pelo reforço da competência científica dos alunos da ESEV.

Escola Superior de Educação de Viseu esev@esev.ipv.pt

15


João Rodrigues Comunicação, Cultura e Documentação - IPV jrodrigues@pres.ipv.pt

Escolas + Perto visitou, desta vez, a Escola Secundária de Nelas. Fomos gentilmente recebidos pela professora Olga Carvalho, diretora deste estabelecimento de ensino, com a qual estivemos à conversa. Pudemos assim tomar contacto com a realidade desta escola, que muito embora não tenha recebido obras de requalificação nos últimos anos, apresenta boas condições muito por causa do empenho de professores e alunos.

16


SUMÁRIO

A Escola “A Escola Secundária de Nelas está neste momento integrada no Agrupamento de Escolas de Nelas. É a escola sede do agrupamento que foi constituído em julho de 2010 e que resultou da agregação da Escola Secundária com o antigo agrupamento de escolas Dr. Fortunato de Almeida. Fruto dessa agregação nós temos neste momento 1150 alunos e 119 professores. Dos professores, 90% são do quadro do agrupamento, havendo apenas 12 professores contratados. O agrupamento é constituído por 12 estabelecimentos de ensino desde a educação pré-escolar até ao 12º ano. São seis jardins-de-infância, quatro escolas do ensino básico 1º ciclo, uma escola básica com 2º e 3º ciclo e esta, a Escola Secundária de Nelas com 3º ciclo e ensino secundário. Em termos de oferta, além do ensino regular em que temos 55 turmas, temos também o ensino artístico especializado numa parceria com o Conservatório de Música de Seia com três turmas dedicadas. Temos também no 3º ciclo uma turma do 8º ano de currículos alternativos. A nível do secundário temos também três cursos profissionais nos quais temos vindo a investir há alguns anos e que são o Curso Profissional Técnico de Design Gráfico, o Curso Profissional Técnico de Restauração e o Curso Profissional Técnico de Instalações Elétricas. São áreas em que a Escola tem apostado e que, à partida, têm encontrado sempre colocação. Estamos também a desenvolver algumas acções com a autarquia no sentido de criar mais incentivos de forma

17


articulada, em função da estratégia económica da Câmara que tem sido no sentido do empreendedorismo. Vamos conjugar os interesses do concelho com a oferta que nós podemos proporcionar. Temos que tentar afetar os nossos alunos ao concelho de forma a não terem necessidade de procurar trabalho noutros locais. Verificamos através de um estudo que fizemos que cerca de 66 alunos saíram do agrupamento e que mais de metade teve a ver com situações de emigração. Por outro lado também tivemos 27 alunos que ingressaram no agrupamento, porque os pais tiverem que vir para aqui, o que veio equilibrar as contas. Eu acho que a escola se deve adaptar de modo a formar jovens que encontrem colocação no mercado de trabalho na zona das suas residências. Pelo menos temos de lhes dar essas ferramentas para que possam ter uma vida melhor e não necessitem de sair. Verificamos, com satisfação, que já existem muitos alunos que concluíram aqui os seus estudos e que acabaram por se fixar na sua terra natal, contribuindo dessa forma para o desenvolvimento da sua região.”

18


Os Projetos da Escola “Quanto a projectos na Escola Secundária de Nelas há várias áreas que podemos considerar de referência. Começava pelas bibliotecas e pela promoção da leitura que tem sido uma aposta de há bastantes anos. Estamos muito bem apoiados pela rede de bibliotecas escolares, que tem reconhecido o esforço de professores e alunos. Temos estado envolvidos com candidaturas a vários projectos, temos uma boa parceria com a Câmara Municipal, com a Fundação Lapa do lobo que nos tem apoiado bastante. Neste momento temos a decorrer projectos inovadores desde o pré-escolar até ao 1º ciclo. No pré-escolar, o Projecto Yoga com histórias, no 1º ciclo o Projecto Digiler que foi premiado num concurso da rede de bibliotecas escolares Ideias com Mérito 2013. Temos outro projecto, no 2º ciclo, o Metamorpheus no âmbito da higiene do sono que visa “o dormir mais para ler melhor”. Temos também um projecto, nesta área, no

secundário, denominado projecto Ler Mais Jovem que faz a articulação com o lar da 3ª Idade e que é um projecto intergeracional muito interessante e com bom acolhimento. Os jovens lêem histórias aos idosos e os idosos retribuem contando as histórias de vida deles. Com a Associação de Pais também temos a leitura a par em que se propõe que os pais leiam com os filhos. Depois temos todo um conjunto de acções envolvendo a comunidade local e que normalmente são actividades planeadas conjuntamente com a Biblioteca Municipal e com o Serviço Educativo da Autarquia. Outra área forte também está relacionada com os Serviços de Psicologia, Orientação e Planificação Especial. Além daquele propósito da educação especial, que é apoiar os alunos com necessidades educativas especiais, temos alguns projetos para o desenvolvimento de competências e capacidades no pré-escolar. Também temos outro projecto que é apoiado pela Fundação Lapa do Lobo que pretende desenvolver o

19


cálculo mental, através de um programa informático. Outro projecto de grande impacto e que tem como parceiro, também, o Instituto Politécnico de Viseu é o “Projecto Investir na Capacidade”, que envolve 35 alunos, que já vai no segundo ano e destina-se a estudantes que revelam capacidades acima da média, capacidades excecionais. O ano passado foi centrado na escola, mas o objetivo é que eles tenham contacto com outras realidades. Temos outros projetos na área da saúde, nomeadamente na saúde oral. Depois temos todas aquelas ações que as escolas fazem relacionadas com o tabagismo, as relações interpessoais, etc. Dentro da educação para a cidadania temos participado no parlamento jovem e tem sido um sucesso. Já são quatro vezes que vamos a Estrasburgo em representação do distrito.”

O Ensino Superior na Região “Em termos do que tem acontecido nos últimos anos, nós temos normalmente 40 alunos a ingressarem no ensino superior. A maior parte vai para Viseu, para o Instituto Politécnico, mas também para Coimbra. A oferta formativa é boa, respondendo às necessidades. Efetivamente Viseu e Coimbra, esta última pela tradição, são as duas cidades que mais alunos absorvem aqui da escola.”

O Instituto Politécnico de Viseu

20

“A minha opinião acerca do Instituto Politécnico de Viseu é a melhor. Os cursos têm qualidade e as instalações são ótimas. Gostaríamos, talvez, de tentar fortalecer esta ligação, que já temos com o Projeto Investir na Capacidade, em


que todos têm sido fantásticos a cooperar, mas, como dizia, gostaríamos de estender esta ligação a outros níveis. Como tal, e dada a proximidade, esperamos uma maior ligação ao IPV, inclusive na utilização de recursos e equipamentos que o IPV poderá disponibilizar e aos quais os nossos alunos nunca tiveram acesso. Por outro lado, temos em curso uma candidatura à Fundação Ilídio Pinho, Concurso Ciência na Escola, na qual, eventualmente, seria útil a colaboração do Instituto Politécnico de Viseu, quer ao nível dos recursos humanos especializados, quer em tecnologia à qual nós não temos acesso. São essencialmente projetos na área das tecnologias e energias renováveis. Nós estamos sempre disponíveis, e pensamos que o Instituto Politécnico de Viseu também, em estabelecer estas parcerias que julgo serem úteis para ambas as instituições.” Escolas + Perto agradece a forma amável como foi recebida, bem como toda a disponibilidade demonstrada.

21


em FOCO XI DIAS ABERTOS DO POLITÉCNICO DE VISEU 2014 23, 24 e 28 de ABRIL Há dias assim! Dias que cristalizam o tempo em memórias imperecíveis.

22

Joaquim Amaral Gabinete de Comunicação e Relações Públicas - IPV jamaral@pres.ipv.pt


O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. Fernando Pessoa

A Grande Aventura Vai Começar! A décima primeira edição dos Dias Abertos do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) já aí está. O IPV leva uma vez mais a efeito nos dias 23, 24 e 28 do próximo mês de abril os seus Dias Abertos, no intuito maior de abrir as suas portas às escolas da região de Viseu e de todo o país. O evento pretende proporcionar aos visitantes um conhecimento mais aprofundado e abrangente do quotidiano do ensino superior através de uma visita guiada ao Campus Politécnico e às 5 Escolas Superiores do IPV em plena atividade académica - Escola Superior de Educação, Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, Escola Superior Agrária, Escola Superior de Saúde e Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego. Um Politécnico de Viseu de braços bem abertos à comunidade recebe alunos, professores e psicólogos de escolas secundárias, profissionais e do ensino básico, guiando-os a uma viagem inesquecível pelo admirável mundo do ensino superior - laboratórios, salas de aula, pavilhões oficinais, centros de informática, rede de bibliotecas, centro de investigação, centro de artes (CAFAC), aula magna, estúdios de televisão, residências

de estudantes, espaços de lazer, bem-estar e prática desportiva (campo de futebol relvado, pavilhão desportivo, courts de ténis, campo de mini-golf, polivalentes descobertos, zonas verdes), entre outras valências. Este ano podem ainda visitar o novo edifício multiusos e o centro de competências internacional em tecnologia Microsoft da Bizdirect, bem como participar nas inúmeras atividades pedagógicas interativas que organizámos para os nossos vistantes. Durante três dias, mais de um milhar de visitantes esperados são acolhidos com sorrisos e presenteados com diversas ofertas institucionais, ao ritmo da sonoridade entusiasmante das tunas académicas. Nas Escolas Superiores do IPV, e depois da sessão de boas-vindas e da distribuição de material informativo e divulgativo, professores, alunos e funcionários do Instituto conduzem os participantes na grande aventura do ensino superior através de um programa preenchido e diversificado, no qual assistem e participam em aulas e palestras sobre os cursos, áreas formativas e saídas profissionais, realizam experiências em laboratórios, pesquisam, desfrutam de diversas atividades pedagógicas e percorrem espaços de interatividade e exposições, entre muitas outras. Uma viagem imperdível! Vem ver com os teus próprios olhos! Entra na Grande Aventura! INSCRICÕES ABERTAS ATÉ AO DIA 10 DE ABRIL! Ao longo destas 10 edições já passaram pelo IPV mais de 13.100 visitantes. Estamos à tua espera!

Os nossos visitantes na Grande Aventura ao longo dos anos: ANO

2004

2005

2006

ESCOLAS

20

15

16

VISITANTES

2.000

1.500

1.000

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 TOTAL 18

18

19

21

21

29

20

197

1.100 1.200 1.000 1.357 1.244 1.705 1.009 13.115

23


CIÊNCIA IPV INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA “Ciência IPV - Investigação Científica” é a nova rubrica de Polistécnica criada no intuito de divulgar a investigação realizada pelo Instituto Politécnico de Viseu.

PROJETO DE TRANSFERÊNCIA DE INOVAÇÃO ECONewFARMERS – Building a future for new farmers in ecological farming through vocational training

(ECONewFARMERS – Construir o futuro com novos agricultores em modo de produção biológica através de formação vocacional) (LV - 2013-1-PT1-LEO05-15535)

Cristina Amaro da Costa Docente da ESAV - IPV amarocosta@esav.ipv.pt

24

Um número crescente de novos agricultores com formação em outras áreas técnicas e científicas tem procurado iniciar novos desafios profissionais e pessoais dedicando-se à agricultura biológica, numa resposta às dificuldades económicas que se fazem sentir em diversos países da Europa, nomeadamente em Portugal. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, são cerca “de 280 novos empresários agrícolas que se instalam mensalmente em Portugal, e a criação de emprego deve ser cada vez mais profissionalizante e sofisticada em termos de formação” (in Diário de Notícias, 02.12.2013). Assim, face à urgência em contribuir para a capacitação técnica destes novos agricultores e de disponibilizar ferramentas que permitam melhorar a sua capacidade de intervenção e de inovação, em particular em tecnologias consideradas prioritárias no âmbito da Estratégia Europeia para o Desenvolvimento Rural, como é o caso da Agricultura Biológica, o Instituto Politécnico de Viseu, através da Escola Superior Agrária, irá disponibilizar novas oportunidades de aprendizagem inovadoras em agricultura biológica, em contextos de m-learning, através do projeto ECONewFARMERS – Building a future for new farmers in ecological farming through vocational training (Construir o futuro com novos agricultores em modo de produção biológica através de formação


vocacional). O projeto ECONewFARMERS é financiado no âmbito do programa “Leonardo da Vinci – Projetos de Transferência de Inovação” e inclui 7 parceiros de 7 países europeus. Coordenado pelo Instituto Politécnico de Viseu/Escola Superior Agrária, o projeto tem como parceiros a Association for Hungarian Organic Farming (Hungria), Biocert (Itália), Estrategia y Organización S. A. (Espanha), Mustafa Kemal University (Turquia), Slovak University of Agriculture in Nitra (Eslováquia) e a Scotland’s Rural College (Reino Unido). Esta parceria decorre de outros Projetos de Aprendizagem ao Longo da Vida (Life-Long Learning Programa) que envolveram alguns dos atuais parceiros, nomeadamente na área da proteção das plantas e agricultura biológica, sendo que o ECONewFARMERS tem a particularidade de ser direcionado para um público-alvo específico: novos agricultores, com pelo menos o nível de ensino secundário, que se queiram dedicar à agricultura biológica – e de utilizar as novas ferramentas de ensino em contexto de mobilidade (m-learning). O projeto pretende contribuir para o desenvolvimento da Agricultura Biológica, um modo de produção agrícola que visa produzir alimentos nutritivos e de alta qualidade, sem recurso a produtos químicos de síntese nem organismos geneticamente modificados e que visa minimizar a produção de impactos ambientais negativos na natureza. A agricultura biológica contribui para a saúde e bem-estar do Homem, com respeito pelo ambiente e seu equilíbrio, com base em princípios de justiça que permitam a

25


melhoria da qualidade de vida de todos os intervenientes. O projeto ECONewFARMERS, coordenado pelo Instituto Politécnico de Viseu, através da Escola Superior Agrária, decorre entre janeiro de 2014 e janeiro de 2016, tendo-se iniciado em 06 e 07 de fevereiro, com uma reunião de parceiros, uma visita técnica a uma empresa local de agricultura biológica, a ECOSEIVA, e a Conferência “Innovative Learning Systems in Ecological Farming”. Pretendeu-se com esta conferência inicial apresentar o projeto aos agentes interessados quer na temática quer nas ferramentas a disponibilizar, nomeadamente potenciais formandos e agricultores, associações de agricultores e técnicos, bem como entidades ligadas à formação e ensino, de caráter regional e nacional. Analisaram-se sistemas e experiências de formação dos parceiros e de outros projetos, procurando identificar-se os pontos fortes e fracos de cada um, por forma a encontrar soluções que permitam ultrapassar os constrangimentos sentidos, no âmbito deste projeto, nomeadamente no que se prende com os formatos de formação e avaliação ou das competências necessárias para a utilização de ferramentas de m-learning. Durante os próximos dois anos, serão realizadas reuniões sistemáticas com os parceiros do projeto e com mais algumas entidades convidadas a participar, sendo que no final se pretende ter disponível um curriculum e um curso de formação em m-learning, uma plataforma e um e-book em Agricultura Biológica. Os resultados do projeto irão sendo disponibilizados através de uma newsletter periódica, da plataforma ECONewFARMERS e da ADAM database, bem como através da participação em reuniões técnicas e científicas e da publicação de artigos de divulgação. A equipa do IPV é constituída pelos docentes Cristina Amaro da Costa (coordenadora), Paula Correia, Helena Esteves Correia, Raquel Guiné, João Paulo Gouveia, Pedro Rodrigues, Daniela Teixeira, e pelos técnicos superiores Ana Medeiros e Paulo Medeiros.

26

Cristina Amaro da Costa é licenciada em Engenharia Agrícola, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e obteve o grau de Mestre em Proteção Integrada, pelo Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa, em 1998. Presentemente, encontra-se a desenvolver trabalho de investigação conducente à obtenção do grau de Doutor, que será atribuído pela Universidade Técnica de Lisboa, na área científica de Engenharia Agronómica sobre o tema “Proteção integrada, produção integrada e agricultura biológica. Uma Análise de Custo-Benefício”. Leciona na ESAV desde 1995, sendo professora adjunta desde 1999 no Departamento de Ecologia e Agricultura Sustentável, e a Provedora do Estudante do Instituto Politécnico de Viseu desde 2012. Foi Subdiretora da Estação Agronómica Nacional do Instituto Nacional de Investigação Agrária e das Pescas entre 2000 e 2007. Tem participado em diversos projetos de investigação e formação, financiados pela FCT, AGRO e PROALV, na área da fitotecnia, proteção das plantas e indicadores e valoração ambiental. Coordenou as atividades de investigação do programa EUROFRU GEIE – European Program for Apple Promotion em Portugal, entre 1993 e 1995. Possui diversas publicações técnicas e científicas em revistas nacionais e internacionais com revisão, conferências e capítulos de livros.


ESPÍRITO

Jantar TUNADÃO 1998 & Friends

AC

AD

Depois de um árduo estudo em época de exames, para começar o segundo semestre em grande, a TUNADÃO 1998 organizou a quinta edição do célebre jantar TUNADÃO 1998 & Friends,alcançando um recorde de mais de 120 participantes, o que mais uma vez se mostrou um grande sucesso. Principiando com a atuação da Tuna do IPV, até ao fabuloso catering do Lanxeirão, e acabando a noite na discoteca Ice Club, foram reunidas todas as condições para um serão fantástico cheio de animação e espírito académico.

TUNADÃO 1998 – Tuna do IPV tunadao@tunadao.ipv.pt tunadao@gmail.com

ÉM

ICO

Agenda MARÇO: Dia 12 – Semana Cultural na ESTGV; Dias 15 e 16 – XI FITUFF (festival organizado pela Tuna Bruna da Figueira da Foz no Casino da Figueira); Dia 21 – Baile de Finalistas IPV; Dia 22 – Viriatus, na Aula Magna do IPV (festival de tunas mistas organizado pela Viriatuna - Tuna Académica da Escola Superior de Enfermagem). ABRIL: Dias 11 e 12 – XIX Alcatraz(festival de tunas organizado pelos Gatunos - Tuna Académica da ESEIG, Escola Superior Estudos Industriais de Vila do Conde); Dia 19 – Rio de Mel; Dias 23, 24 e 28 – XI Dias Abertos do IPV. MAIO: Dias 2 e 3 – 10º CITADÃO – Certame Internacional de Tunas Académicas do Dão, (evento organizado pela TUNADÃO 1998 – Tuna do IPV). JUNHO: 10 de Junho – Visita às comunidades portuguesas de Andorra. Visita-nos: www.tunadao.ipv.pt | www.facebook.com/tunadao1998

27


OLHARES SOBRE A EDUCAÇÃO II 20 março 2014

Escola Superior de Educação de Viseu

Inscrições em www.esev.ipv.pt/mat1ciclo Organização: Coordenadores dos curos EB, EM, D, SE, EP1C Escola Superior de Educação de Viseu


CENTRO DE SANGUE E DA TRANSPLANTAÇÃO DE COIMBRA

COLHEITA DE SANGUE DIA: 26 de março de 2014

HORÁRIO: • 09h30/13h00 - ESTGV • 14h30/17h30 - ESEV   


esev

a) a temática, abordando transversalmente várias conferências, b) uma conferência em profundidade, ou c) intenções/planificação a longo prazo para um próximo ano letivo

conferências, sendo que é

obrigatória a presença em todas

as componentes da ação. A

presença dos formandos nas

diversas componentes será

controlada através de folhas de

presença.

sociedade em transição.

utilizando a tabela de 0 a 10 valores, conforme o indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007 –

realização de projetos de

investigação colaborativa entre a

ESEV e as escolas da região.

setembro 2007.

Os formandos serão avaliados

práticas baseadas no lúdico.

que promova a criatividade e/ou

formando consiste num relatório

cooperação que permite a

Facilitar o estabelecimento de

entre investigadores e professores.

Promover a troca de experiências

a escola.

sobre o ensino, a aprendizagem e

Divulgar trabalhos de investigação

final sobre o ciclo, que pode focar:

pela inscrição prévia no ciclo de

do ensino e da escola numa

O trabalho para avaliação do

A frequência na ação é assegurada

Debater e refletir sobre os desafios

Regime de avaliação

Condições de frequência

Objetivos

*Aguarda acreditação junto do CCPFC

Inscrições em: http://www.esev.ipv.pt/formacao/default2.aspx

Inscrições: 80 euros

Numero de créditos: 1,0*

Destinatários: Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e Secundário

Março, abril e maio 2014

C iclo de conferências sobre o lúdico, cr iatividade e transgressão no ensino

aprender é coisa séria

Estratégias e práticas inclusivas de crianças com problemas de desenvolvimento e aprendizagem Esperança Ribeiro e Sara Felizardo, Escola Superior de Educação de Viseu

Arte contemporânea como tema para uma abordagem educativa Joana Mendonça, Escola Superior de Educação de Viseu

2014/05/03 | 09:00-13:30 Espaços exteriores e percepção de risco: brincadeiras sérias Gabriela Bento, Centro Social de Aguada de Baixo e Universidade de Aveiro

Notas para a compreensão do ensino e aprendizagem: entre ruturas, transgressões e continuidades do contrato pedagógico e didático Henrique Ramalho, Escola Superior de Educação de Viseu

Criatividade na atividade matemática Helena Gomes e Ana Patrícia Martins, Escola Superior de Educação de Viseu

2014/04/05 | 09:00-13:30 Criatividade, tecnologia e matemática Luís Menezes e António Ribeiro, Escola Superior de Educação de Viseu

Criatividade e leitura: (des)construções e (desa)fios da profissionalidade Dulce Melão, Escola Superior de Educação de Viseu

O docente que cria atividade na aula de português: cenários criativos Ana Isabel Silva e Susana Amante, Escola Superior de Educação de Viseu

2014/03/29 | 09:00-13:30 Os espaços de brincar e o envolvimento e bem-estar do cidadão pré-escolar Gabriela Portugal, Universidade de Aveiro

Investigação colaborativa de professores Luís Menezes, Escola Superior de Educação de Viseu

Transgredir a experiência: investigação realizada por professores e inventividade Maria Figueiredo, Escola Superior de Educação de Viseu

2014/05/24 | 14:30-16:30

2014/05/24 | 10:00-13:30 Pensamento estratégico do professor e transgressão no ensino Maria do Céu Roldão, Universidade Católica

Cenários criativos de aprendizagem com TIC Maria João Silva, Escola Superior de Educação do Porto, e Cristina Azevedo Gomes, Escola Superior de Educação de Viseu

O lúdico no ensino das ciências: atividades experimentais Luís Carvalheiro e Andreia Correia, Escola Superior de Educação de Viseu

2014/05/17 | 09:00-13:30 O lúdico no ensino das ciências: percursos na natureza Isabel Abrantes e Pedro Ribeiro, Escola Superior de Educação de Viseu

CONFERÊNCIAS


PALESTRA

«DO SONHO À INOVAÇÃO SEM PERDER DE VISTA A ESPIRITUALIDADE» Dr. Luís Portela (Presidente da Bial) Dia 2 de abril às 14h Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu

PROGRAMA 14h

Sessão de abertura, com o Professor Doutor Luís Teixeira de Lemos, Diretor do Departamento de Ambiente

14h20

Palestra com o Dr. Luís Portela, Presidente da Bial

16h | 18h

ƟǀŝĚĂĚĞƐĚĞĞŶƌŝƋƵĞĐŝŵĞŶƚŽ ŵĞŶƚĂů͕İƐŝĐŽĞĞƐƉŝƌŝƚƵĂů pelo Centro Kailas (Yoga, Massagens e Reiki)

Entrada livre

Contactos

WƌĠͲŝŶƐĐƌŝĕĆŽŶĂƐĂƟǀŝĚĂĚĞƐ de massagens e reiki

ŶĂĞĂŵď͘ǀŝƐĞƵΛŐŵĂŝů͘ĐŽŵ www.facebook.com/ ĞŶŐĞŶŚĂƌŝĂĚŽĂŵďŝĞŶƚĞ͘ŝƐƉǀĞƐƚŐǀ

;ĞŶǀŝŽĚĞĞͲŵĂŝůƉĂƌĂĐŽŶƚĂĐƚŽƐ /nº limitado de inscrições) ORGANIZAÇÃO

APOIO

Biblioteca da ESTGV


 

            

             

                    


 

 







   







    





                           


        

 



              !  "#  $   %    "  & ' ( " )*+ , *+  

      

!,    -# "#" $. /)/0+*++ .1 /)//2*



  

    34   .5 6   ".

 %& > + )0? )@?? A B **? /??

 "   



       7   7  

 "  " " "   85  .5   5     9 ' :  85  .5   5     9+(2 ' :    .;      9"< =4:


Números Anteriores

comunicação IPV

andamos por aí . . .

www.ipv.pt

Polistécnica - Informação IPV fevereiro | 2014 Proprietário e Editor Instituto Politécnico de Viseu Av. José Maria Vale de Andrade Campus Politécnico 3504-510 Viseu email ipv@pres.ipv.pt Tel. 232480700 Fax. 232480750/232480780 Diretor Fernando Sebastião Coordenação Maria de Jesus Fonseca, Joaquim Amaral Corpo Redatorial Joaquim Amaral, Ester Araújo Conceção Gráfica Paulo Medeiros Fotografia João Ferreira, Joel Marques, Arquivo IPV, Colaboradores Edição on-line João Rodrigues ISSN 1647-6638

A Coordenação de Polistécnica agradece o envio de informação sobre atividades realizadas, eventos a ocorrer, ou outra julgada relevante, bem como comentários e/ou sugestões que visem uma melhor informação institucional. Os conteúdos devem ser enviados para:

polistecnica@ipv.pt

Polistécnica  

Boletim Informativo do Instituto Politécnico de Viseu