Issuu on Google+

Boletim 385 – 18/08/2013

AGINDO DEUS, QUEM PODE IMPEDIR? “Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá? ” (Isaías 43.13) Relendo a história do povo de Israel, e especificamente o momento que antecede a saída do povo do Egito, percebo como é interessante o agir de Deus em toda aquela situação. O povo clamou ao Senhor pedindo livramento da opressão vivida no Egito. Deus respondeu levantando um libertador chamado Moisés, que foi acompanhado do seu irmão Arão. O papel de Moisés era ir até Faraó e pedir-lhe a saída do povo do território egípcio. E como é intrigante, para mim, perceber que o mesmo Deus que enviou Moisés também lhe disse que Faraó não libertaria o povo naquele momento, e que seriam necessárias várias tentativas até a concretização. Moisés realiza milagres partindo do princípio que são manifestações de grande poder; mas, para o Egito, estes milagres são recebidos como verdadeiras pragas, pois destroem tudo o que o Egito tem. Entretanto, em cada praga, Deus alertou Moisés de que Faraó não libertaria o povo; afinal, o próprio Deus estava endurecendo o coração de Faraó em todas as respostas (Ex 10.1). O ponto máximo do castigo de Deus para o Egito foi a morte de todos os primogênitos egípcios. Diz o texto bíblico que a morte alcançou todas as casas dos egípcios (Ex 12.30) e que não havia casa em que não houvesse morto. Fico a pensar no choro, na tristeza daquele momento e como parou o Egito naquele dia. E foi justamente ali, naquele momento da história, que parei para pensar na expressão registrada por Isaías, mas dita pelo próprio Deus: “Agindo eu, quem o impedirá?” Olhar para a história de Israel faz-me pensar sobre isso: Deus endureceu o coração de Faraó, castigou o Egito, feriu pessoas e animais, e tudo por sua vontade soberana. Quem poderia impedir o agir de Deus ou até mesmo levantar-se contra ele? A resposta é simples: ninguém! Contudo, não é apenas a história de Israel que aponta para o agir soberano de Deus; nossas vidas também apontam para isso. Muitas vezes queremos caminhar para a direita e observamos que Deus não está aprovando, e, além de não aprovar, está nos encaminhando para a esquerda. É fácil perceber e entender que não dá para lutar contra Deus. Sua vontade soberana sempre se cumprirá. A outra lição importante, além da própria constatação de que Deus age e que ninguém pode lutar contra isso, é ter a confiança plena de que Deus executa seus planos eternos, que eles não podem ser frustrados e que não há situação que supere o poder de Deus. É certo que, muitas vezes, tememos as circunstâncias da vida, tememos aqueles que nos oprimem, aqueles que são malfeitores, entre tantas outras coisas. Todavia, não precisa ser assim. Precisamos confiar mais em Deus e somente nele, deixar de olhar para homens como Faraó. Não tenho dúvidas de que precisamos conhecer de verdade o Deus a quem servimos! Pastor Fábio Quintanilha


Editorial 2013 08 18