Issuu on Google+

Boletim 369 – 28/04/2013

RESILIÊNCIA: A CAPACIDADE DE SUPERAÇÃO DOS CRENTES! “Davi, percebendo que seus conselheiros cochichavam entre si, compreendeu que a criança estava morta e perguntou: A criança morreu? Sim, morreu, responderam eles. Então Davi levantou-se do chão, lavou-se, perfumou-se e trocou de roupa. Depois entrou no santuário do Senhor e adorou. E voltando ao palácio, pediu que lhe preparassem uma refeição e comeu. (2 Samuel 12:19-20) “Resiliência é um conceito oriundo da física, que se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. Como um elástico ou uma vara de salto em altura, que se verga até certo limite sem se quebrar e, depois, retorna à forma original dissipando a energia acumulada e lançando o atleta para o alto”. (Wikipedia) Na vida também é assim. Em determinados momentos, passamos por situações muito difíceis. Parece que não vamos resistir, mas, quando menos esperamos, estamos tocando a vida, seguindo em frente e deixando para trás tudo o que nos fazia sofrer. Isto é resiliência! Podemos ser submetidos a grande estresse, mas não quebramos! Davi passou por várias situações difíceis, mas uma, em especial, chama a minha atenção. Depois de cometer adultério com Bate-Seba ela engravida e nasce uma criança. Como fruto do castigo divino (2Sm 12.15), a criança adoece gravemente e Davi, aflito, se coloca diante de Deus clamando por misericórdia. Depois de sete dias, a criança veio a falecer, mas os anciãos temiam dar a notícia a Davi, pois este já estava muito angustiado; contudo, percebendo que os anciãos cochichavam, Davi veio questionar-lhes sobre o que falavam, e aí descobriu que a criança já havia falecido. Para surpresa e espanto dos anciãos, Davi não se afundou numa crise depressiva; ao contrário, deixando de lado a tristeza, mudou de roupa, prestou culto a Deus e foi se alimentar. Para ele a questão era simples: enquanto ela estava viva ele poderia orar, mas, agora, já morta, nada mais poderia ser feito. Quero, então, que você grave esta lição: devemos nos esforçar para fazermos tudo o que está ao nosso alcance, mas todos nós encontramos limitações. Certamente, encontraremos um tempo em que nada mais poderá ser feito. Se você chegou a este ponto, siga em frente, pois não há mais o que fazer. Tão somente, descanse no Senhor! Pastor Fábio Quintanilha


Editorial 2013-04-28