Page 1

Boletim 314 – 18/03/2012

UTILIZANDO AS ARMAS CORRETAS “Então, Jesus disse a Pedro: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão." (Mateus 26.52)

Jesus estava num jardim chamado Getsêmani, um lugar que ficava no Monte das Oliveiras. Ali, seu objetivo era orar e estar em comunhão com o Pai. Afinal, o momento mais difícil da sua vida estava se aproximando, e ele sabia disso. Jesus levou consigo três discípulos: Pedro, Tiago e João. Embora Jesus se isolasse um pouco em uma das partes daquele Jardim, ele pediu para que os discípulos ficassem com ele em oração. Ficar em oração com um irmão significa entender a sua angústia, o seu sofrimento. Contudo, parece que os discípulos não estavam entendendo muito bem o que estava acontecendo ali. A distância entre Jesus e os discípulos produziu sono, ainda mais num lindo jardim como o de Getsêmani. Enquanto Jesus orava, os discípulos dormiam um sono tranquilo. Jesus retirou-se três vezes da presença dos discípulos, e, em todas as vezes que voltou, encontrou-os dormindo, mesmo pedindo para que vigiassem e orassem juntamente com ele. As palavras de Jesus aos discípulos alertavam quanto à chegada do traidor, e, enquanto Jesus falava, apareceu Judas com um monte de soldados armados com espadas e porretes, prontos para prenderem Jesus, esperando apenas o beijo do traidor, que logo aconteceu. Dado o sinal do beijo, os soldados foram pra cima de Jesus para o prenderem. Tudo aquilo deve ter acontecido muito rapidamente, porque, de súbito, Pedro sacou sua espada para defender Jesus. Seu ato é tão violento que, golpeando o servo do sumo sacerdote chamado Malco, arrancalhe a orelha direita. Há uma pausa muito interessante neste momento e quero que pense sobre ela. Se muitos soldados estavam presentes para prender Jesus, a iniciativa de Pedro seria facilmente derrotada pelos soldados. Seu ato, portanto, é impensado. Embora ele pudesse derramar o sangue de algumas vidas, não conseguiria libertar Jesus pela espada. É neste momento que há uma pausa entre a ação de Pedro e a ação dos soldados, e é neste momento que Jesus fala. Por que os soldados não atacaram Pedro? Por que ele não foi dominado? Por que Pedro e os discípulos também não foram presos com Jesus? Todas estas questões apontam para o plano de Deus: de que só Jesus deveria ser preso para que se cumprissem as Escrituras. Entretanto, uma lição precisava ser dada para os discípulos e para todos os que ali estavam: um servo de Deus deve saber usar as armas corretas para as batalhas que ele enfrenta. Jesus condena o uso da força pela espada porque ela caracteriza a confiança em nós mesmos, a intenção de produzir o mal ao outro, entre outros aspectos. Todavia, nossas armas não devem produzir isso. Foi por isso que o apóstolo Paulo, ao falar sobre a armadura do servo de Deus (Efésios 6.10-20), disse que nossa espada é a Palavra de Deus, pois ela produz vida e salvação. Usando bem a Palavra de Deus, teremos palavras para acalmar os que estão enfurecidos, animar os que estão cansados e fortalecer os soldados nos campos de batalha. Fique certo, então, de que Deus nos deu a melhor espada que poderíamos ter. Não precisamos de outras. Pastor Fábio Quintanilha

Editorial 2012-03-18  

“Então, Jesus disse a Pedro: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão." (Mateus 26.52) Pastor Fábio...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you